You are on page 1of 5

ORIENTAÇÃO PARA CORRETA EMISSÃO DA NF-e - TRANSPORTADOR

Segundo a legislação do ICMS no Rio de Janeiro, deve-se atentar para os itens que tornam a Nota Fiscal Eletrônica (“NF-e”) INIDÔNEA, ou seja, sem valor jurídico. Mesmo que a NF-e seja preenchida com a completa identificação do seu destinatário, produtos e os impostos corretamente destacados, qualquer falta (omissão) de informações obrigatórias pode o Fisco invalidá-la, e assim, a mercadoria passa a ser considerada sem nota fiscal, sujeitando ao pagamento do imposto devido e à aplicação de multa. Observe-se atentamente ao enunciado do Regulamento do ICMS RJ (Decreto 27.427/2000 e atualizações) a seguir: -----------------------------------------------------------------LIVRO VI - DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS EM GERAL --TÍTULO III - DOS DOCUMENTOS FISCAIS -- CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES COMUNS A TODOS OS DOCUMENTOS FISCAIS -- SEÇÃO VII - DO DOCUMENTO

INIDÔNEO
Art. 24. Salvo disposição em contrário, é considerado inidôneo, para todos os efeitos fiscais, fazendo prova apenas em favor do Fisco, o documento que: I - omita indicação prevista na legislação; A omissão (ou a falta da correta informação) se dá mesmo com dados acessórios à NF-e:, tais como identificação do transportador, placa/UF do veículo, peso bruto/líquido.

II - não seja o exigido para a respectiva operação ou prestação, a exemplo de "Nota de Conferência", "Orçamento", "Pedido" e outros do gênero, quando indevidamente utilizados como documentos fiscais; III - não guarde requisito ou exigência prevista na legislação ou cuja impressão não tenha sido autorizada pelo Fisco; IV - contenha declaração inexata, esteja preenchido de forma ilegível ou contenha rasura ou emenda que lhe prejudique a clareza; V - apresente divergência, entre dado constante de suas diversas vias; VI - seja utilizado fora do prazo de validade que lhe for atribuído pela legislação tributária para o fim respectivo; VII - seja emitido além da data-limite;

. ausência de destaque do imposto. omissão ou erro nos números de inscrição do destinatário. 3. nas seguintes hipóteses: 1. nos demais casos. se inscrito. § 1. esteja com sua inscrição baixada.SUBSEÇÃO I .seja emitido por quem não esteja inscrito ou. 3. sua procedência e destino. XI .tenha sido emitido por pessoa distinta da que constar como emitente. no caso de transporte rodoviário. ou esteja com sua inscrição suspensa nos termos da legislação tributária. efetivamente. ou outro elemento indicativo. omissão da data de saída da mercadoria.DOS DOCUMENTOS FISCAIS RELATIVOS A OPERAÇÕES COM MERCADORIAS -.no quadro "Transportador/Volumes Transportados": 1. erro na sigla do Estado. observada a disposição gráfica dos modelos 1 e 1-A. Anexo I. suspensa ou com atividade impedida ou paralisada.não corresponda.CAPÍTULO II .DA NOTA FICAL. 2.DOS DOCUMENTOS FISCAIS -.SEÇÃO I .º Desde que as demais indicações do documento estejam corretas e possibilitem a identificação da mercadoria. se for o caso. sempre que obrigatória tal inscrição.seja referente à mercadoria destinada a contribuinte não inscrito no cadastro estadual. o nome.VIII . MODELO 1 OU 1-A (o mesmo se aplica à NF-e) Art. 30. as seguintes indicações: VI .º Constatada a falsidade ou inidoneidade de documento fiscal. razão social ou denominação do transportador. a condição de pagamento do frete: se por conta do emitente (CIF) ou do destinatário (FOB). a placa do veículo. e a expressão "Autônomo". quando o emitente do documento fiscal estiver localizado neste Estado. a ação fiscal independe de ato declaratório prévio que o tenha considerado falso ou inidôneo. a uma operação realizada.DA NOTA FISCAL -. 2. 4.º O disposto no parágrafo anterior não prejudica a aplicação de penalidade por infração de caráter formal. LIVRO VI .DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS EM GERAL --TÍTULO III . § 2. nos quadros e campos próprios. X . § 3. A Nota Fiscal deve conter. não se aplica o disposto neste artigo. IX . nos termos deste artigo.

o endereço do transportador. o peso bruto dos volumes transportados. 14. 13. quando for o caso.) § 13. 10. . 11. 15. a marca dos volumes transportados. o peso líquido dos volumes transportados. a unidade da Federação de registro do veículo. a quantidade de volumes transportados. 7. o município do transportador. 6. Caso o transportador seja o próprio remetente ou o destinatário. dispensadas as indicações dos itens 2 e 5 a 9. do inciso VI. com a expressão "Remetente" ou "Destinatário". a espécie dos volumes transportados. a numeração dos volumes transportados. o número da inscrição estadual do transportador. 8.. esta circunstância deve ser indicada no campo "Nome/Razão Social" do quadro "Transportador/Volumes Transportados".. 12. (. 9.4. 5. o número de inscrição federal do transportador. a unidade da Federação do domicílio do transportador.

Modelo de Nota Fiscal emitida – TRANSPORTADOR TERCEIRIZADO .

Modelo de Nota Fiscal emitida – TRANSPORTADOR PRÓPRIO EMITENTE .