You are on page 1of 6

Determinação da velocidade de escape da Terra.

9 de outubro de 2012

1

Introdução.
A teoria da gavitação de Newton1 estabelece que a força F de atração entre dois corpos de

massas m1 e m2 , separados por uma distância r12 , é dada por (TIPLER, 1978, p. 380) (FEYNMAN et al., 2008, p. 7.1): F12 = −G m1 · m2 · ˆ12 r 2 r12 (1)

Onde G é uma constante de proporcionalidade denominada de Constante de Gravitação Universal, e seu valor é G = 6,67 × 10−11 N m2 /kg2 (HALLIDAY et al., 2009, p. 394), r12 é a distância entre os centros de massa dos corpos e ˆ12 é o versor (vetor unitário) na direção dos centros de massa. r Para um corpo de massa m com relação a um planeta (mp ), a equação se torna: mp · m ·ˆ r r2

F = −G

(2)

Assim, a aceleração resultante no corpo de massa m devido à força F devida à interação com massa do planeta, é chamada de aceleração da gravidade ou simplesmente gravidade, e será: 1 G · mp F =− ·ˆ r m r2

ag (r) =

(3)

Na superfície do planeta, o módulo da gravidade é denotada por gp = |ag (Rp ) | será: G · mp 2 Rp

gp =

(4)

Onde Rp é o raio médio do planeta. Da equação (4), temos:
2 G · mp = gp · Rp
1 Sir

(5)

Isaac Newton (C1642 – §1727)

1

395) (ALMEIDA.81m/s2 (HALLIDAY et al.Usando a equação (5) na (3). é inversamente proporcional ao quadrado da distância dos centros de massa. a aceleração ap (r).98 × 1024 kg (HALLIDAY et al.. considerando o raio médio da terra R = 6. p. será: 2 gp · Rp ·ˆ r r2 ap (r) = − (6) Adotando ap (r) como a componente de ap (r) na direção de ˆ. 2009. p. a equação (6) se torna: r 2 gp · Rp r2 ap (r) = − (7) Partindo de outra abordagem (KREYSZIG. esta aceleração é igual a −gp . Para a Terra. 1983. temos: 2 gp · Rp r2 ap (r) = − (10) Que é o mesmo resultado obtido na equação (7).. a gravidade na superfície é denotada simplesmente por g.988 66 × 1014 N m2 /kg ⇒ = =− 2 R2 4.37 × 106 m g = 9.83m/s2 O valor tabelado é 9. 395). temos: G · mT 6. 395) e mT = 5.67 × 10−11 N m2 /kg2 × 5.057 69 × 1013 m2 6. 2009. p. sabe-se que a aceleração devido a massa do planeta. p.37 × 106 m (HALLIDAY et al. 2009. 215). 2 2. p. 20–21). g= 2 . 2002.1 Cálculo da gravidade. Gravidade da Terra.. ou seja: k ⇒ 2 Rp (9) ap (Rp ) = −gp = 2 k = −gp · Rp Substituindo k na equação (8). assim: k r2 ap (r) = (8) Na superfície do planeta (r = Rp ). usando a na equação (4).98 × 1024 kg 3.

395) e para a massa é mL = 7. os valores tabelados para o raio médio é RL = 1. usando a na equação (4)..79 × 106 m g = 3.67m/s2 (HALLIDAY et al. os valores tabelados para o diâmetro equatorial é DM = 6.74 × 106 m (HALLIDAY et al. precisará ser encontrada a partir da equação diferencial (ALONSO.3 Gravidade de Marte.36 × 1022 kg (HALLIDAY et al.36 × 1022 kg 4.72m/s2 (HALLIDAY et al.98 × 1024 kg 4. usando a na equação (4). Para a Lua.2 Gravidade da Lua.267 866 2 × 1013 N m2 /kg G · mM = =− ⇒ 2 2 RM 1. 2009. 2009. se comporta. temos: G · mL 6..2.0276 × 1012 m2 1.67 × 10−11 N m2 /kg2 × 0.79 × 106 m (HALLIDAY et al. p. 85): dv =a dt Da definição de aceleração: 2 gp · Rp dv dv dr = · =− dt dr dt r2 (11) a (r) = 3 . Para a Marte. uma vez que é possível considerar a aceleração constante e igual −gp .67 × 10−11 N m2 /kg2 × 7. 2009. assim. Para grandes alturas. um corpo lançado verticalmente para cima da superfície de um planeta com velocidade v0 . p. p. 2009. a equação da velocidade para lançamento para grandes altura. 2009...107 × 5. p.107mT (HALLIDAY et al. FINN. a aceleração se comporta conforme a equação (10). 2009.909 12 × 1012 N m2 /kg ⇒ = =− 2 2 RL 3. gL = 2. p. temos: 6. p.74 × 106 m g = 1. 2009. gM = 3 Equação da velocidade.152 602 5 × 1013 m2 0.62m/s2 O valor tabelado é 1. p. 395). 395) e para a massa é mM = 0.70m/s2 O valor tabelado é 3. 395). 395).5 × 6. Desconsiderando-se a resistência do ar. 395). como um movimento uniformemente acelerado.. para alturas muito menores que Rp (raio do planeta)..

a velocidade v = v0 . ∞) r 2 2gp Rp r (15) diminui. a medida que r cresce. 2 2 gp · Rp gp · Rp dv ⇒ vdv = − dr v=− dr r2 r2 (12) Integrando ambos os lados da igualdade. Caso v se torne menor do que zero. r = Rp . Na superfície do planeta. o objeto não retornará a terra. assim. que atende equação (15) é chamada de velocidade de escape ve . fazendo Para r = Rp na equação (15). De acordo com a equação (14). A menor velocidade v0 . v0 = 0. a velocidade v inicia com valor igual a v0 e diminui com o aumento de r. e ocorre para r → ∞. temos: 2 gp Rp r2 vdv = − 2 dr = −gp Rp dr 2 = −gp Rp r2 r−2 dr ⇒ v2 2 = −gp Rp −r−1 + c 2 v2 = = 2 gp Rp 2 − gp Rp c ⇒ r 2 2gp Rp +c r (13) 2 Onde c = −2gp Rp c . ve = lim v0 ⇒ ve = lim r→∞ r→∞ 2 2gp Rp ⇒ r 2gp Rp − 4 . assim. atingindo seu valor máximo quando r → ∞. para todo r ≥ Rp . dr =v dt Assim. se v ≥ 0. o termo que v0 cresça. temos: 2 2 2gp Rp 2gp Rp 2 2 + v0 − 2gp Rp ≥ 0 ⇒ v0 ≥ 2gp Rp − ⇒ r r v2 ≥ 0 ⇒ v0 ≥ 2gp Rp − 2 2gp Rp ∀r ∈ [Rp . 2 2gp Rp 2 + c ⇒ c = v0 − 2gp Rp R 2 v0 = Substituindo na equação (13): 2 2gp Rp 2 + v0 − 2gp Rp r v2 = (14) 4 Velocidade de escape. Para a condição acima. inverterá o sentido e retornará ao planeta.Por outro lado. Assim.

3 Velocidade de escape de Marte..72m/s2 e RL = 0. Velocidade de escape da Terra.72m/s2 × 6.81m/s2 × 6. 2009. Aplicando os valores tabelados de gp e Rp para a lua.ve = 2gp Rp (16) 5 5.38km/s (HALLIDAY et al.79 × 106 m = 25 258 800m2 /s2 = 5. p.67m/s2 × 1. 5. 395).79 × 106 m: ×3.41km/s O valor tabelado é 1.74 × 106 m = 5 811 600m2 /s2 = 2.0km/s (HALLIDAY et al.41 × 103 m/s ⇒ ve = 2gL RL = ve = 2.12 × 104 m/s ⇒ ve = 2gR = ve = 11. 5.5 × 6..1 Cálculo da velocidade de escape. 2009.67m/s2 e RL = 1.03km/s O valor tabelado é 5. 395).2km/s (HALLIDAY et al. Aplicando os valores tabelados de gM e RM = DM /2 para a marte.03 × 103 m/s ⇒ ve = 2gM RM = gM DM = ve = 5. 395). Aplicando os valores tabelados de gp e Rp para a terra. temos gL = 3. 5 .74 × 106 m: 2 × 1.2 Velocidade de escape da Lua.2km/s O valor tabelado é 11. temos gL = 1.. 2009. p. temos: 2 × 9.37 × 106 m = 124 979 400m2 /s2 = 1. p.

. Matthew. HALLIDAY. 481 p. ALONSO. Erwin. 2a . São Paulo/SP: Edgard Blücher. RJ: LTC. ed. Robert. 8a . David. Física um Curso Universitário: VOLUME I . Rio de Janeiro. Edward J. 2009. Fundamentos de Física: óptica e física moderna. símbolos e recomendações. LEIGHTON. Guilherme de. 1983. 1a . 1a . WALKER. Matemática Superior Para Engenharia. ed. Lições de Física: The Feynman Lectures on Physics. Física: Volume 1. ISBN 978-85-216-1608-5. TIPLER. 2002. Jearl. Paul A. 416 p. 2008. Lisboa/PT: Plátano. 1978. ISBN 978-85-7780-255-5. Robert B. KREYSZIG. ed. 3a . ISBN 978-85-212-0038-3. 548 p. Marcelo. 6 . RESNICK. 2009.. FEYNMAN. Sistema Internacional de Unidades (SI): Grandezas e unidades físicas terminologia. ISBN 85-216-0181-6.MECÂNICA. ed. SANDS. Rio de Janeiro/RJ: FTC. ISBN 978-972-707-162-3. Porto Alegre/RS: Bookman. FINN. 2a . 320 p.Referências ALMEIDA. Rio de Janeiro/RJ: Guanabara Dois. 240 p. ed. ed. 518 p. Richard P.