SÉRIE DESPERTAR PARA O EVANGELISMO - ESTUDO 3

ESTUDO 3 - INCONFORMADOS COM O MUNDO Passagens Bíblicas: I João 2.15-17; Efésios 5.5-17 Memorizar: Romanos 12.2 Introdução Vamos analisar mais um aspecto da vida do verdadeiro cristão. O comportamento do cristão em consonância com a Palavra de Deus diante de uma sociedade que está sempre oferecendo facilidades e vantagens para o pecado. Nos dias atuais, o verdadeiro cristão precisa se posicionar frente a uma enormidade de situações que podem levá-lo a fraquejar na fé se ele na estiver alicerçado na Palavra de Deus. I. REPÚDIO AO QUE NÃO AGRADA A DEUS A Palavra de Deus é bem clara quando ensina que existem dois caminhos bem definidos. Não existe meio termo em relação à salvação. Ou o homem se propõe a servir a Deus ou ao pecado (Marcos 6.24; Romanos 6.22). 1. Rejeitando os Ditames do Mundo Não se conformar com o mundo significa não tomar a sua forma. Não aceitar suas imposições, suas regras. Quando é mencionado o mundo no contexto da Palavra de Deus, entende-se por uma sociedade dominada e dirigida pelo poder do maligno, onde o pecado impera, toma vulto a cada dia, querendo sufocar ou tripudiar os bons propósitos existentes. Não se está falando nos deveres do crente como cidadão, do relacionamento entre o crente e os não crentes. Isto é necessário até que haja oportunidade do cristão falar do amor de Jesus aos perdidos (I Coríntios 5.10). 2. A Questão dos Limites É preciso possuir uma consciência sensível para conceder ao Espírito Santo a interferência quanto aos limites das ações do cristão. Os estudiosos do comportamento humano são unânimes em aceitar o fato de que o homem é um ser insaciável. Ele está sempre à procura de mais, do maior, do melhor. Quanto ao aspecto dos limites não é diferente. Quanto mais se eliminam os limites, mais se estendem as permissões, mais o homem deseja. O que se vê é a sociedade legalizando meios indecorosos, pornográficos, ilícitos e outras tantas imoralidades que vão se tornando coisas naturais.Mas isso leva o homem à perdição. O verdadeiro crente não pode e não deve se conformar com essa situação libertina que é batizada com o conceito de liberdade (I Coríntios 6.12; 10.23). 3. Onde Devem Ser Colocados os Limites Está se tornando cada vez mais difícil superar as pressões que vêem de todos os lados, a, na escola, no trabalho, até mesmo partindo dos inimigos e dos familiares descrentes, etc.

A Sociedade (em termos) quer forçar o cristão a aceitar todo o tipo de imoralidade, de atitudes pecaminosas que prejudicam não só a vida do indivíduo, mas também afetam a vida familiar. Atualmente, por exemplo, muitos crentes programam festa de casamento ou de aniversário dos filhos e não há o que se notar de diferente das festas dos descrentes. Os coquetéis são regados a bebidas como cerveja, chop, batidas, champanhes, vinho, etc. Tudo servido em abundância. Além das músicas e danças mundanas, o uso de roupas sensuais e indecorosas já fazem parte do aparato das festas de alguns crentes. Não se conformar com o mundo é repudiar tais “modernismos” que igualam os crentes aos descrentes. Ser inconformado com o mundo é aceitar os limites colocados por Jesus (Mateus 5.16). É o mesmo que o apóstolo Paulo também ensinou em Efésios 2.10: “Somos criados em Cristo para as boas obras”. Paulo lembra também que noutro tempo, isto é, antes da conversão, o homem era trevas, mas depois que aceitou Jesus passou a ser luz (Efésios 5.8). 3. O Padrão do Cristão Não conformar-se é não tomar para si o padrão do mundo, porquanto o cristão já possui uma forma delineada pelo Espírito Santo, através das Escrituras Sagradas (II Coríntios 3.18). O mundo passa (I João 2.17) e tudo aquilo que é ditado pelo mundo também. Mas, o cristão será acompanhado por suas obras para receber galardão (I Coríntios 3.14). O meio ambiente exerce grande atração sobre pó cristão e, à medida que o tempo passa, começa a acontecer uma acomodação e a fé do cristão vai esmaecendo. Ele então aceita com mais naturalidade coisas que não convém. No entanto, a advertência é para o crente não acomodar-se e sim transformar-se pela renovação da mente. II. O RELATIVO SE SOBREPONDO AO ABSOLUTO Valores absolutos determinados por Deus. – Deus, na sua imensurável sabedoria, determinou certos padrões de princípios universais que estão registrados nas escrituras para servir de normas de vida para o homem. São princípios absolutos, decisivos que se sobrepõem às questões de raças, povos, idiomas, etc. Foram determinados como normas de conduta para o homem viver segundo a vontade de Deus e ser feliz. Não se está falando aqui de costumes porque estes diferem de povo para povo, de sociedade para sociedade. Trata-se de padrões absolutos de Deus que abrangem toda a Humanidade. O pecado está na ordem do absoluto. Em qualquer lugar ou sociedade onde existir o homem, o que Deus determina como pecado na Sua Palavra inclui todos os homens. 1. Os Valores Relativos As mudanças sociais tem trazido progresso em muitos aspectos. Não há como negar essa tal verdade. No entanto, também, não se pode negar que o homem tem se tornado cada vez mais irreverente e cético, desprezando os valores absolutos, válidos para todas as pessoas, em todas as épocas e criando valores relativos para satisfazerem seus próprios interesses (Filipenses 2.21). 2. O Caso do Homossexualismo Muitas sociedades, inclusive o Brasil, já admitem o casamento de duas pessoas do mesmo sexo. Alguns aspectos que comprovam a ilegalidade da situação são: nenhuma pesquisa científica comprova que a homossexualidade é baseada em determinismo biológico. Não existe base orgânica para tal prática. Não existe, também, diferenças cromossônicas para o homossexual e heterossexual. Só existem diferenças, nesse sentido, para macho e fêmea. Outro fator que influencia tal procedimento é a educação. A criança precisa conviver com pessoas do mesmo sexo (o menino com o pai, a menina com a mãe) para sua identificação saudável. Em sentido mais amplo, o homossexualismo é questão de

condicionamento, com orientação de preferência sexual aprendida. Toda a Bíblia condena essa prática. Jesus (Novo Testamento) em Mateus 19.4-5 ratificou a lei moral instituída por Deus (Antigo Testamento) em Gênesis 1.26-27. O homossexualismo é abominação contra Deus (Levítico 18.22). 3. A Questão do Aborto O aborto não é condenado apenas por questão religiosa. A medicina fetal, a genética e a biológica difundem o fato de que a vida tem início na concepção. Esse fato não pode ser distorcido para satisfazer os interesse escusos de alguns. O aborto, além de ser uma agressão a um indefeso, é ocasião em que a mulher fica exposta a contrair várias enfermidades, além do complexo de culpa e distúrbios emocionais. Só Deus concede a vida, só Ele pode tirar (Ezequiel 18.4). A vida é um dom de Deus (Atos 17.28). O padrão de conduta, de moral, não é mais comum a todos. Cada um cria e estabelece suas próprias regras. Ninguém se importa com o que poderá com o que poderá acontecer com o seu parente ou com o seu próximo. Isso traz um desequilíbrio, um caos para a sociedade, porque os conceitos de certo e errado estão sendo banidos, não encontram mais lugar nas atitudes das pessoas. Não existe um padrão que oriente, que delimite. III. O CRISTÃO E SUAS CONVICÇÕES Satanás procura por todos os meios minar as convicções do crente. Se o cristão é convicto daquilo que crê, não basta demonstrar apenas por palavras, precisa usar uma forma mais convincente. E não há outra forma melhor do que repudiar aquilo que o mundo oferece e manter-se firme na fé em Cristo Jesus. 1. Separados do Mundo Por Amor a Cristo O cristão vive no mundo mas não pertence a ele. Já está morto com Cristo (Romanos 6.8). Isso significa que a sua vida pertence ao Senhor. O compromisso do cristão é,pois, amar a Jesus sobre todas as coisas, de todo o coração, de toda a alma e de todo o pensamento (Mateus 22.37). O apóstolo João diz: “Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” I João 2.15. Esses dois aspectos opostos não podem ocupar o coração do homem ao mesmo tempo. 2. O Amor a Jesus Leva o Cristão à Renúncia Jesus disse aos seus discípulos: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” (Mateus 16.24). Renunciar é não aceitar, não concordar, deixar de lado, mesmo quando se trata de algo que se queria, que traria satisfação à carne, porém, é preciso fazer um sacrifício por amor a Jesus. 3. O Cuidado com o Proceder Não basta apenas o crente evitar o pecado. É necessário manter uma disposição firme de condená-lo, de não se conformar com a existência dele, não ter cumplicidade com aquilo que desagrada a Deus e, também combatê-lo. As obras más devem ser reprovadas por todo cristão. Há necessidade do cristão andar vigilante, desperto, para não cair nas astutas ciladas do inimigo. Portar-se com prudência, não como tolo. CONCLUSÃO Ser crente verdadeiro é ser separado. É não se conformar, não se adaptar mais ao pecado, à imoralidade. É procurar mudar o ambiente onde vive porque possui a mente de Cristo. A

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful