You are on page 1of 205

Quím Jorge Luiz Nobre Gouveia, MSc

Conteúdo Programático: • Caracterização de poluentes atmosféricos e processos atmosféricos. • Tipos de equipamentos de controle de poluição do ar.

Histórico

A poluição passou a ser sentida de forma acentuada quando as pessoas começaram a viver em assentamentos urbanos de grande densidade demográfica, em consequência da Revolução Industrial, a partir de quando o carvão mineral começou a ser utilizado como fonte de energia. energia.

As inovações tecnológicas ocorridas no século XX e a utilização do petróleo como combustível acentuaram ainda mais essa poluição, bem como os processos industriais e a crescente utilização dos automóveis e outros meios de transporte movidos a combustíveis fósseis, passaram a predominar no cotidiano como agentes poluidores de destaque. destaque.

é responsável pelos maiores impactos negativos causados ao meio ambiente. em todos os aspectos. devido ao avanço tecnológico no controle das emissões atmosféricas seja ele de fonte industrial ou de fonte veicular. que só não é maior. no caso da qualidade do ar.O crescimento populacional. .

mundial. queimando quase 25% do carvão 26% do petróleo e 27% do gás 25% 26% 27% natural mundial. . Estados Unidos como menos de 5% da população global. consomem aproximadamente um quarto dos recursos mundiais de combustíveis fósseis. Só nos finais.O consumo de combustível e materiais reflete o mesmo padrão de desiguldade global encontrado no consumo de produtos de produtos finais.

.Histórico • Cubatão O problema da poluição do ar de Cubatão pode ser citado como exemplo maior da degradação da qualidade do ar no Brasil já tendo sido chamada de “Vale da Morte” e também como exemplo da capacidade brasileira de reverter a situação.

. A qualidade do ar de Cubatão é determinada quase que exclusivamente por fontes industriais. mais a concentração populacional e industrial induz à formação de um micro-clima local diferenciado das vizinhanças de Cubatão. principalmente no tocante à dispersão de poluentes.Histórico • Cubatão A disposição topográfica.

em 1948 e 1952.Histórico A relação entre efeitos à saúde e poluição atmosférica foi estabelecida a partir de episódios agudos de contaminação do ar e estudos sobre a ocorrência do excesso de milhares de mortes registradas em Londres. 1952 .

a partir da 2ª Guerra Mundial. o crescimento desordenado verificado na Capital e nos municípios vizinhos. levou à instalação de indústrias de grande porte. sem a preocupação com o controle das emissão de poluentes atmosféricos. principalmente com material particulado. . na região de Cubatão. registraram-se altos níveis de poluição do ar. No início da década de 1980.No caso da Região Metropolitana de São Paulo – RMSP. sendo possível a visualização de chaminés emitindo enormes quantidades de fumaça. especialmente da região do ABC.

foi iniciado na Região Metropolitana de São Paulo. em 1972.Histórico O monitoramento da qualidade do ar. com a avaliação das concentrações de poluentes no Estado de São Paulo. . com a instalação de 14 estações para medição diária dos níveis de dióxido de enxofre (SO2) e fumaça preta.

monóxido de carbono – (CO) e hidrocarbonetos não-metânicos – (NMHC). .Histórico Em 1981. material particulado inalável (MP10).além dos parâmetros meteorológicos como direção e velocidade do vento. foi dado um salto qualitativo. óxidos de nitrogênio – (NO e NO2). para a avaliação de SO2. com o início do monitoramento automático e a instalação de novas estações. ozônio (O3). temperatura e umidade relativa do ar.

de minutos a alguns dias.Histórico Vários eventos de graves conseqüências. . demonstraram que a poluição do ar constitui-se em uma ameaça grave à saúde pública. caracterizam-se pela pequena duração. ocorridos principalmente no século XX. Tais eventos denominados EPISÓDIOS AGUDOS DE POLUIÇÃO DO AR. e por provocarem consequências graves.

1 a 5 de dezembro de 1930 Episódio com duração de 5 dias. tendo como consequência a morte de sessenta pessoas. Os poluentes causadores foram o dióxido de enxofre e material particulado. principalmente idosos. .Histórico Vale do Meuse – Bélgica. A situação meteorológica durante o episódio era de inversão térmica e neblina. As fontes prováveis das emissões foram indústrias siderúrgicas e fundições de zinco.

24 de dezembro de 1950 Episódio com duração de 25 minutos. ocasionando a morte de 22 pessoas e 320 hospitalizações de pessoas acometidas de doenças respiratórias e nervosas. . em condições meteorológicas de inversão térmica e neblina. A causa do episódio foi o lançamento de gás sulfídrico (H2S) de uma refinaria de petróleo.Histórico Poza Rica – México.

calmaria e neblina (fog).Histórico • Londres – Inglaterra. tais como inversão térmica. em relação à taxa de mortalidade normal da cidade. As mortes ocorreram principalmente na faixa etária dos idosos. . dando origem ao termo smog Londrino. As altas concentrações de fumaça (material particulado) e dióxido de enxofre na atmosfera e também a presença de condições meteorológicas desfavoráveis. 1952 Em dezembro de 1952 ocorreu um episódio com duração de cinco dias. tendo como consequência a ocorrência de 4000 mortes em excesso.

em todas as áreas em que a ação humana impacta o meio ambiente.Agenda 21 A Agenda 21 é um plano de ação para ser adotado global. nacional e localmente. governos e pela sociedade civil. por organizações do sistema das Nações Unidas. .

Agenda 21 Contendo 40 capítulos. no Rio de Janeiro. em 1992. em um processo que durou dois anos e culminou com a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD). a Agenda 21 Global foi construída de forma consensuada. . com a contribuição de governos e instituições da sociedade civil de 179 países. também conhecida por Rio 92.

fundamentada em pesquisas epidemiológicas e de avaliação de risco. devem incluir. apoio e coordenação internacionais. para a introdução de processos de produção ambientalmente confiáveis e de um sistema de transporte de massas adequado e seguro. com auxílio. nesta área: (a) Poluição urbana do ar: (i) Desenvolver uma tecnologia adequada de controle da poluição. quando necessário.1Os programas de ação definidos nacionalmente.4.Agenda 21 Capítulo 6: Proteção e promoção das condições da saúde humana 6. .

com ênfase especial para os programas de observância das normas e utilizando redes de vigilância. quando proceda.Agenda 21 Capítulo 6: Proteção e promoção das condições da saúde humana (ii) Desenvolver equipamentos para o controle de poluição do ar nas cidades grandes. .

. inclusive oferecendo incentivos financeiros para a instalação de tecnologia adequada.(b) Poluição do ar em locais fechados (i) Apoiar pesquisas e desenvolver programas para a aplicação de métodos de prevenção e controle destinados a reduzir a poluição do ar em locais fechados.

(b) Poluição do ar em locais fechados .

em especial as indústrias. ozônio. Dentre os principais danos ao ser humano. reduzem a qualidade de vida e causam danos ecológicos a longo prazo. podem-se citar as doenças respiratórias e a mortalidade prematura. .Segundo o Banco Mundial (1998). o Brasil sofre de uma série de problemas que afetam a saúde humana. A poluição do ar por particulados finos. monóxido de carbono e aldeídos tem origem por processos de combustão e emissões de compostos voláteis no setor de transportes e nas chamadas fontes fixas. óxidos de enxofre e nitrogênio.

org .037 Substâncias Químicas Comercialmente Disponíveis Data: 15/03/10 www.881.504 Substâncias Orgânicas e Inorgânicas 39.396.52.cas.

Ranking da indústria química mundial • Faturamento líquido .2006 637 310 223 204 125 105 101 99 82 76 58 Fonte: Fonte: ABIQUIM em US$ bilhões Estados Unidos China Japão Alemanha França Coréia Reino Unido Itália 9ª posição Brasil Índia Espanha .

2005 1 8 5 2 4 9 5 7 15 4 4 1 1 1 65 1 2 53 33 73 Total de fábricas 1.029 7 70 4 569 85 Fonte: ABIQUIM .Fabricantes de produtos químicos de uso industrial .

baratos e de fácil obtenção .A Ameaça Química • Terrorismo e fanatismo religioso (Metrô de Tóquio 1995) • Mais de 20 países desenvolvendo capacidade para GQ .

BZ(Fentanyl) c/chechenos no teatro (Moscou) .VX) • 1983/88.Aspectos Históricos • 1968/75. herbicidas (1958 . seita “Verdade Suprema”. EUA. no Vietnan. no metrô de Tóquio • 2002. guerrilha em Moçambique • 1995. Iraque no Irã e Kurdistão(88) • 1992. gás Sarin.

17 km ao sul de Falujah (50 km a oeste de Bagdá). irritações leves de pele e irritação pulmonar e vômitos".A primeira a nordeste de Ramadi (110 km a oeste de Bagdá).com.A terceira. Não causou maiores danos. Fonte: http://noticias.correioweb.Atentados com bomba de cloro próximo a Bagdá (16 de abril 2007) 3 explosões: . cinco quilômetros ao sul de Falujah. .br/ .A segunda em Amiriyah. estacionado em uma estação de lixo. Foi realizado com um carro bomba que transportava um tanque com cerca de 750 litros de cloro". . Dois policiais mortos e "cerca de 100 pessoas com sinais de exposição ao cloro.

TIPOS DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS • Matéria e Energia • Primários e Secundários • Orgânicos e Inorgânicos • Material Particulado / Gases e • Vapores • Odores • Poluentes tóxicos .

ar. empreendimento que possa liberar ou emitir matéria ou energia para a atmosfera.Fontes de Poluição do Ar Qualquer processo. máquina. pode ser tornáconsiderada fonte de poluição do ar. equipamento. . sistema. de forma a torná-la poluída.

.Fontes de Poluição do Ar As emissões naturais provém de erupções vulcânicas que lançam partículas e gases para a atmosfera como os compostos de enxofre (H2S e SO2).

Fonte:Baird. C.2002 .Alguns gases emitidos para a atmosfera a partir de fontes naturais: naturais: CH4 NH3 H 2S HCl CH3Cl CH3Br CH3I CO SO2 NO Metano Amônia Decomposição biológica anaeróbia Decomposição biológica anaeróbia Sulfeto de hidrogênio Decomposição biológica anaeróbia Ácido clorídrico Cloreto de metila Brometo de metila Iodeto de metila Dióxido de enxofre Óxido nítrico Vulcões Oceanos Oceanos Oceanos Vulcões Relâmpagos Monóxido de carbono Incêndios Fonte:Baird. Química Ambiental.

usinas termoelétricas etc. .Fontes Antropogênicas: Fontes fixas: principalmente as indústrias. Outras: incineradores de resíduos.

Fontes Antropogênicas: Garimpo de ouro .

Fontes Antropogênicas: Fontes móveis: veículos automotores. aviões e embarcações marítimas. trens. .

Poluição do Ar É o fator de stress urbano somente percebido pelas pessoas se: • afetar a visibilidade • provocar odores desagradáveis • provocar sintomas de irritabildade nos olhos .

Poluição do Ar (veículos automotores) A poluição urbana penetra o interior do automóvel pelas entradas de ar do veículo. vários poluentes: • Gases de escape • Partículas metálicas emitidas pelo motor • Produtos orgânicos voláteis provenientes dos pneus • Amianto das pastilhas • Tabagismo (ativo e passivo) • O ar condicionado para grupos de risco pode também criar problemas . O próprio veículo produz no seu interior.

as quais demandam diferentes formas de monitoramento e controle da poluição. .Gestão da Qualidade do Ar O Estado de São Paulo possui áreas com diferentes características e vocações econômicas.

1 milhão movidos a diesel 3. . 4 refinarias de petróleo.ESTADO DE SÃO PAULO 200 mil indústrias. 4000 km de gasodutos. 41 milhões no Estado. 17 milhões de veículos no Estado de SP 1. 33000 km de rodovias. 9 mil Postos e Sistemas Retalhistas de combustíveis 4000 km de oleoduto.9 milhões do Ciclo Otto População: 12 milhões na cidade de SP. Porto de Santos e de São Sebastião.0 milhões de motocicleteas 12.

Região Metropolitana de São Paulo
Considerando o conjunto de poluentes medidos pelas redes de monitoramento da CETESB, a RMSP é a que apresenta maiores índices de poluição do ar do Estado, decorrente principalmente das emissões provenientes das frotas de veículos leves e pesados que circulam na região, acrescidos de emissões de fontes fixas, como as indústrias. Deve-se também destacar que a frota da RMSP é bastane antiga, sendo que cerca de 53,3% desta é anterior a 1996. Em função das condições climáticas, o período de inverno é determinante para as condições de poluição ocorridas no ano, exceto para o caso de ozônio.

Região Metropolitana de São Paulo
Em 2007, observou-se o inverno mais desfavorável à dispersão dos poluentes dos últimos dez anos, o que contribuiu negativamente nas concentrações dos poluentes observadas, principalmente nos meses de julho e agosto.

Os poluentes que mais freqüentemente ultrapassam os limites legais na RMSP são o ozônio, o material particulado e o monóxido de carbono.

Área de Cubatão
A qualidade do ar em Cubatão é determinada, principalmente, por fontes industriais, caracterizando dessa forma um problema totalmente diferente da RMSP. Esse fato é confirmado pelos baixos níveis registrados dos poluentes predominantemente veiculares, como o monóxido de carbono. É importante ressaltar que as altas concentrações em Cubatão são observadas principalmente na região industrial, uma vez que os níveis de concentração dos poluentes monitorados permanentemente na região central de Cubatão, como as partículas inaláveis, são mais baixos que os observados na maioria das estações da RMSP, exceto feito ao ozônio

Área de Cubatão
A principal preocupação em Vila Parisi, na área industrial, são as altas concentrações de material particulado.

Alterações no entorno da estação, sobretudo o impacto do tráfego local de caminhões, tem levado a níveis mais elevados que os que eram observados no final da década de 90.

As concentrações extremamente elevadas de material particulado. dos componentes do processo fotoquímico e os teores de dióxido de enxofre.Área de Cubatão Os graves danos à vegetação estiveram sob estudo da CETESB e os dados disponíveis revelaram que um dos mais importantes agentes fitotóxicos encontrados na Região são os fluoretos (sólidos e gasosos). provavelmente também desempenham um papel auxiliar nos danos observados. .

. em geral. como por exemplo. Atualmente o interior possui estações automáticas nos municípios de Sorocaba. São José dos Campos. merecem atenção especial e têm sido motivo de novas investigações como um projeto para instalação de 10 novas estações automáticas.Interior No interior do Estado de São Paulo. queimadas de palha de cana-de-açúcar. áreas próximas de grandes centros e/ou industriais. regiões próximas de outras fontes poluidoras. Todavia municípios densamente povoados. a situação é diferente e as necessidades estão relacionadas ao acompanhamento da qualidade do ar a longo prazo. Campinas e Paulínia.

NOx.Poluição do Ar (veículos automotores) Três tipos de impacto – Local. Ruído Chuvas ácidas: NOx e SO2 Nevoeiro fotoquímico Efeito estufa: CO2. Partículas. CH4. Regional e Global Local Poluição atmosférica especialmente em áreas urbanas (CO.N2O e ozônio Regional Global . HC.

500 9.1997.08 20.00011 0.00005 0.00017 0.000004 PPM 780.3 0.300 358 18 5. 2nd.0358 0.00052 0.0018 0.ed.O Ar e a Atmosfera Constituinte Nitrogênio Oxigênio Argônio Dióxido de carbono Neônio Hélio Metano Criptônio Hidrogênio Óxido nitroso Ozônio Fórmula N2 O2 Ar CO2 Ne He CH4 Kr H2 N2O O3 % em volume 78. Introduction to environmental Fonte: engineering and Science.93 0.7 1.1997 . Jersey:Prentice-Hall.5 0.1 0.2 1. New Jersey:Prentice-Hall.00003 0.95 0. Science.800 209.04 Exemplo de composição da atmosfera seca e limpa (1994) Fonte: Masters GM.

reagir entre si ou com outras substâncias já presentes na atmosfera. líquidos provenientes de fontes naturais e industriais. Ela absorve uma variedade de sólidos. gases e químicas. . atmosfera.O Ar e a Atmosfera A atmosfera é uma massa de gases onde permanentemente ocorrem reações químicas. que podem se dispersar.

Óxidos de nitrogênio gasosos são produzidos sempre que um combustível é queimado em presença do ar com uma chama quente. fenômeno que se explica pela presença de alta concentração de oxigênio diatômico. . em um período de minutos ou horas. são totalmente oxidados. consequentemente. Sabem por que ? Chama N2 + O2 → 2 NO Óxido Nítrico O óxido nítrico no ar é gradualmente oxidado para formar dióxido de nitrogênio (NO2). a luz solar transmitida através da névoa parece amarela. sejam eles substâncias “naturais” ou “poluentes”. Os NO e NO2 presentes no ar são denominados de NOx. A cor amarela na atmosfera de uma cidade envolvida pelo smog deve-se a presença do devedióxido de nitrogênio.O Ar e a Atmosfera Uma das principais características da atmosfera da terra é que ela é um ambiente oxidante. pois esse gás absorve um pouco de luz visível próximo ao limite do violeta e. consequentemente. O2 quase todos os gases liberados no ar.

em fenômeno de inversão térmica com ausência de vento e de chuva. O primeiro smog de que se tem notícia no Brasil ocorreu na cidade de São Paulo em 1972 e foi provocado por emissões de veículos e indústrias. envolvendo um número indeterminado de substâncias químicas.Smog O processo de formação do smog (smoke + fog) abrange centenas de reações fog) diferentes. . que ocorrem simultaneamente.

compostos orgânicos . HNO3.Smog Os produtos finais do smog são ozônio. COVs + NO + luz solar → mistura de O3. ácido nítrico e compostos orgânicos parcialmente oxidados.

total ou parcialmente. que aumentam a formação também de ozônio.REAÇÕES FOTOQUÍMICAS O Ar e a Atmosfera As emissões de NOx. que se converte. em NO2 na atmosfera. se constituem basicamente de NO. resultantes da combustão. sendo “quebrado” por fotólise. Pode produzir outros oxidantes fotoquímicos quando em conjunto com compostos orgânicos voláteis (COV ou VOC). Um resumo das reações que podem ocorrer é mostrado abaixo. podendo produzir ozônio. NO + ½ O2(ou O3) →NO2 NO2+ hν(luz solar) →NO + O* O* + O2→O3 HC ou VOC (RH) + H2O + O* +O2 → RO2+ RO (radicaisperóxi) RO2+ NO → NO2+ PAN + Aldeídos e outros oxidantes fotoquímicos Resumidamente tem-se: NOx+ HC + hν(luz solar) → O3+ PAN + Aldeídos e outros oxidantes fotoquímicos .

envolvendo portanto. Esta camada vem sendo destruída pela ação antrópica. . em especial pelo cloro presente nos clorofluorcarbonos. • A atmosfera se divide em camadas. basicamente dentro da troposfera. entra em contato com a corrente sangüínea. através dos alvéolos. denominada camada de ozônio. • Esse ar entra em contato muito íntimo com os alvéolos pulmonares. é a camada que vai desde a troposfera até cerca de 50 km de altitude. conhecidas como CFCs. sendo que 99% da massa de ar está contida dentro da altitude de 33 km. tem função importante pela maior quantidade de ozônio. ou seja. Uma certa região da estratosfera. Setenta e cinco por cento (75%) da massa da atmosfera está contida dentro da altitude de até 10 km. A troposfera é a camada da atmosfera que vai do solo até a altitude de cerca de 10 a 12 km e a estratosfera. entre 20 e 30 km de altitude. pelos pulmões de uma pessoa adulta. • O ar.• Cerca de 30 litros de ar passam por dia. a troposfera e parte da estratosfera. fornecendo oxigênio necessário à vida humana.

. • acompanhar as tendências e mudanças na qualidade do ar devidas a alterações nas emissões dos poluentes. • avaliar a qualidade do ar à luz de limites estabelecidos para proteger a saúde e o bem estar das pessoas. e assim auxiliar no planejamento de ações de controle. • informar à população. flora e o meio ambiente em geral. • obter informações que possam indicar os impactos sobre a fauna.• Monitoramento da Qualidade do Ar Os principais objetivos do monitoramento da qualidade do ar são: • fornecer dados para ativar ações de controle durante períodos de estagnação atmosférica. quando os níveis de poluentes na atmosfera possam representar risco à saúde pública. órgãos públicos e sociedade em geral os níveis presentes da contaminação do ar.

. permitiu o acompanhamento dos resultados em tempo real. Atualmente. foi iniciado o monitoramento automático que. a rede Automática da CETESB conta com 30 estações fixas localizadas em diversos municípios do Estado de São Paulo. além de ampliar o número de poluentes medidos.• Monitoramento da Qualidade do Ar Em 1981.

segundo publicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2005. em particular. . os governos devem considerar cuidadosamente suas circunstâncias locais antes de adotarem os valores propostos como padrões nacionais. que por sua vez dependem. reconhecem que ao formularem políticas de qualidade do ar. variam de acordo com a abordagem adotada para balancear riscos à saúde. entre outras coisas. As diretrizes recomendadas pela OMS levam em conta esta heterogeneidade e. do nível de desenvolvimento e da capacidade nacional de gerenciar a qualidade do ar. viabilidade técnica.Padrões de Qualidade do Ar Os padrões de qualidade do ar. considerações econômicas e vários outros fatores políticos e sociais.

o IBAMA estabeleceu os padrões nacionais de qualidade do ar e os respectivos métodos de referência. . Os padrões estabelecidos através dessa portaria foram submetidos ao CONAMA em 28/06/90 e transformados na Resolução CONAMA No 03/90. ampliando o número de parâmetros anteriormente regulamentados através da Portaria GM No 0231 de 27/04/76.Através da Portaria Normativa No 348 de 14/03/90.

Localização das estações e pontos de amostragem da rede manual. .

Localização das estações e pontos de amostragem da rede manual. .

plantas e materiais) como resultado final do processo de lançamento deste poluente na atmosfera a partir de suas fontes de emissão e suas interações na atmosfera. Fontes de emissão Poluentes Atmosfera Receptores Diluição e/ou Reações Químicas . do ponto de vista físico (diluição) e químico (reações químicas).• Monitoramento da Qualidade do Ar Quando se determina a concentração de poluente na atmosfera. outros animais. mede-se o grau de exposição dos receptores (seres humanos.

este poluente apresenta maiores concentrações na primavera e verão. que determina por sua vez o surgimento de efeitos adversos da poluição do ar sobre os receptores. É por isso que a qualidade do ar piora com relação aos parâmetros CO. quando as concentrações meteorológicas são mais desfavoráveis à dispersão dos poluentes. MP e SO2 durante os meses de inverno. mesmo mantida as emissões. Já em relação à formação do ozônio. devido a maior intensidade da luz solar.• Monitoramento da Qualidade do Ar É importante frisar que. a qualidade do ar pode mudar em função das condições meteorológicas que determinam uma maior ou menor diluição dos poluentes. . A interação entre as fontes de poluição e a atmosfera vai definir o nível de qualidade do ar.

. por meio da Resolução CONAMA 03/90. que garanta a proteção da saúde e do meio ambiente.• Padrões de Qualidade do ar Os padrões de qualidade do ar definem legalmente o limite máximo para a concentração de um poluente na atmosfera. Os padrões nacionais foram estabelecidos pelo IBAMA .Conselho Nacional de Meio Ambiente. Os padrões de qualidade do ar são baseados em estudos científicos dos efeitos produzidos por poluentes específicos e são fixados em níveis que possam propiciar uma margem de segurança adequada.Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e aprovados pelo CONAMA .

. São padrões primários de qualidade do ar as concentrações de poluentes que. Podem ser entendidos como níveis desejados de concentração de poluentes. ultrapassadas. aos materiais e ao meio ambiente em geral. Podem ser entendidos como níveis máximos toleráveis de concentração de poluentes atmosféricos. assim como o mínimo dano à fauna e à flora. constituindo-se em metas de curto e médio prazo. poderão afetar a saúde da população. São padrões secundários de qualidade do ar as concentrações de poluentes atmosféricos abaixo das quais se prevê o mínimo efeito adverso sobre o bem estar da população.São estabelecidos dois tipos de padrões de qualidade do ar: os primários e os secundários. constituindo-se em meta de longo prazo.

.

como os vapores orgânicos em geral (vapores da gasolina. . o dióxido de enxofre. vapores de solventes etc. quer como aqueles na forma gasosa transitória de vapor. como por exemplo.). o monóxido de carbono.Gestão da Qualidade do Ar GASES E VAPORES São poluentes na forma molecular. quer como gases permanentes. o ozônio. os óxidos nitrosos.

Cetonas: Acetona. hexano. o-xileno. n-butanol. 2-butanona. 2-hexanona. Álcoois: metanol. ciclohexanona.1-tricloroetano. metilciclohexano. Hidrocarbonetos alifáticos: pentano. acetato de butila. cumeno e estireno.Abaixo estão exemplificados os mais utilizados. 1. acetato de etila.etanol. Hidrocarbonetos alicíclicos: ciclohexano. tetracloreto de carbono. acetato de isopropila. freons.1.2-Dicloroetano. p-xileno. acetato de isobutila. isobutanol. etilbenzeno. 1. tolueno. Solventes . tricloroetileno. m-xileno. Hidrocarbonetos halogenados: cloreto de metileno. Ésteres: acetato de metila. propanol. Hidrocarbonetos aromáticos: benzeno. tetracloroetileno. clorofórmio. heptano e decano.

EPA (sujeito a mudança).100(s)). o metano é considerado como nãoVOC. ácido carbônico. cloreto de metileno.COMPOSTOS ORGÂNICOS VOLÁTEIS Os COVs são definidos pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (US. carbetos ou carbonatos metálicos e carbonato de amônio) que participa de reações fotoquímicas na atmosfera. devido à baixa reatividade fotoquímica os seguintes compostos: metano. São excluídos pela US. metilclorofórmio. . HCFCs e HFCs. como qualquer composto de carbono (excluídos o monóxido de carbono e dióxido de carbono. vários fluorcarbonos e vários CFCs.EPA) (40 CFR 51. Assim. etano.

vegetação.) . incineração etc.Fontes de Emissão • Transporte terrestre. ressuspensão pelo vento etc) • Outras (termelétricas. atividades agrícolas. cozimento de alimentos. construção civil. marítimo e aéreo • Processos industriais e mineração • Queimadas e incêndios florestais • Ressuspensão de poeira do solo • Emissões naturais (vulcões.

Agravantes da Poluição Atmosférica Inversão térmica Aquecimento global Chuva ácida Diminuição (depleção) da camada de ozônio .

A inversão térmica se caracteriza por uma camada de ar quente que se forma sobre a cidade, “aprisionando” o ar e impedindo a dispersão dos poluentes.

INVERSÃO TÉRMICA

AQUECIMENTO de elevação média da Terra, GLOBALFenômeno aumento da da temperaturade gases estufa devido ao concentração
(aumento do efeito estufa), principalmente gás carbônico (CO2), pelas atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis em veículos e fábricas.

Efeito estufa: é a forma que a Terra tem para manter sua temperatura constante. A atmosfera é altamente transparente à luz solar, porém cerca de 35% da radiação que recebemos vai ser refletida de novo para o espaço, ficando os outros 65% retidos na Terra. •Derretimento das geleiras Enchentes e inundações. Elevação dos mares

Para criar eletricidade, em grande parte do mundo pilhas gigantescas de carvão são conduzidas por correias transportadoras para serem pulverizadas em um fino pó e lançadas numa fornalha na usina. usina. O fogo produz vapor d´água, que move um gerador, a fim de água, produzir uma corrente elétrica. No processo a usina emite poluentes elétrica. que causam nevoeiro e chuva ácida, bem como dióxido de carbono. carbono.

AQUECIMENTO GLOBAL

Depois do dióxido de carbono e da água, o metano, CH4, é o gás indutor do efeito estufa de maior importância.

Aumento de CH4 • Animais ruminantes como gado, ovelhas e certos
animais selvagens • Inundação para produzir mais energia elétrica • Aumento da produção de alimentos • Uso de combustíveis fósseis

AQUECIMENTO GLOBAL Mudanças Climáticas – Planeta em Perigo. E a culpa é do homem de maneira inequívoca” Essa seqüência de observações está no novo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). uma variação fracionária na temperatura é suficiente para desencadear uma séria de eventos climáticos extremos como tempestades. . 3 de fevereiro de 2007. Fonte: Jornal “Estado de São Paulo”. inundações e secas – a 2100 a Terra pode esquentar 30C. furacões. “Efeitos do aquecimento da Terra são irreversíveis nos próximos 100 anos” “Hoje.

CHUVA ÁCIDA Refere-se à precipitação mais ácida que a chuva natural. que forma ácido carbônico: CO2 (g) + H20 (aq) H2CO3 (aq) . ligeiramente ácida devido à presença de dióxido de carbono atmosférico dissolvido.

6. o pH da chuva “natural”. não-poluída.CHUVA ÁCIDA Em seguida o H2CO3. . é de cerca de 5. ioniza-se parcialmente liberando um íon hidrogênio. com a redução no pH do sistema: H2CO3 (aq) H+ + HCO3íon bicarbonato Devido a essa fonte de acidez.

.CHUVA ÁCIDA Os dois ácidos predominantes na chuva ácida são o ácido sulfúrico (H2SO4) e o ácido nítrico (HNO3).

isto é. o dióxido de enxofre (SO2) e os óxidos de nitrogênio (NOx) Em geral a chuva ácida é um problema que não respeita estados nem fronteiras nacionais em razão do deslocamento de longa distância que sofrem com freqüência os poluentes atmosféricos. Em geral a chuva ácida precipita-se segundo a direção do vento em um local distante da fonte dos poluentes primários.CHUVA ÁCIDA Os dois ácidos predominantes na chuva ácida são o ácido sulfúrico (H2SO4) e o ácido nítrico (HNO3). .

CHUVA ÁCIDA 2 SO2 (g) + O2 (g) SO3 (g) + H2O(aq) 2SO3 (g) H2SO4(aq) .

cerca de 12 a 50 km acima da Terra. sistema . a camada vem ficando cada vez menos espessa. o que chamamos de “buraco”. •Doenças nos (envelhecimento e enfraquecimento imunológico). tendo como função proteger o planeta da incidência direta de grande parte dos raios ultravioleta (raios UV). Desde 1979 a camada de ozônio tornou-se 4% mais fina. componente da radiação solar. seres câncer do humanos de pele.DIMINUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO Camada de ozônio: é uma camada formada pelo O3 (gás ozônio) nas partes altas da atmosfera. Nas últimas décadas com a liberação de gases como o CFC (clorofluorcarbono) que reagem com o ozônio.

gases para sistema de refrigeração e condicionamento de ar e gás propelente para tubos pressurizados “spray”. . entre outros.DIMINUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO Clorofluorcarbonos (CFCs) São compostos muito estáveis e não são inflamáveis. Como principal aplicação destaca-se uso como solventes para limpeza de circuitos eletrônicos.

liberando cloro.DIMINUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO Clorofluorcarbonos (CFCs) O ozônio e os CFCs: Na estratosfera são dissociados na presença de radiação UV. O cloro reage com o ozônio. CFCl3 Cl + O3 CFCl2 + Cl Cada átomo de Cl pode ClO + O2 destruir cataliticamente milhares de moléculas de O3 .

Os poluentes são divididos em duas categorias: Poluentes Primários e Poluentes Secundários: Poluentes Primários: aqueles emitidos diretamente pelas fontes de emissão. ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade. . pela sua concentração. Poluentes Secundários: aqueles formados na atmosfera através da Reação química entre poluentes primários e componentes naturais da atmosfera. causando inconveniente ao bem estar público. possa torná-lo impróprio. à fauna e à flora ou prejudicial à segurança. nocivo ou ofensivo à saúde.Principais Poluentes Atmosféricos Considera-se poluente qualquer substância presente no ar e que. danos aos materiais.

Fuligem. etc.Poluente Primário Formado na fonte de poluição Ex: Monóxido de carbono. dióxido de enxofre. .

alta porcentagem de calmaria. devido a maior ocorrência de inversões térmicas em baixos níveis.Aspectos sazonais da poluição do ar As concentrações mais altas dos poluentes primários ocorrem. via de regra. no período compreendido entre os meses de maio a setembro. ventos fracos e baixos índices pluviométricos. .

Poluente Secundário Formado na atmosfera por reações químicas entre poluentes e substâncias normais presentes no ar Ex: Formação de ozônio e partículas de sulfatos na Troposfera .

. principalmente o ozônio. meses mais quentes e com maior incidência de radiação solar no topo da atmosfera.Os poluentes secundários. ocorrem com maior freqüência no período compreendido entre setembro e março (primavera e verão).

no período de maio a setembro. num período de dias secos e quentes. . principalmente nos meses de setembro e outubro. esteve entre os mais desfavoráveis à dispersão de poluentes dos últimos dez anos. Esse ano foi meteorologicamente propício à formação de ozônio.O ano de 2007. A maioria dos dias desfavoráveis ocorreu nos meses de junho a agosto.

Classificação complementar Poluentes odoríferos: Gás sulfídrico. (HPAs). etc. . Policíclicos Aromáticos (HPAs). amônia. mercaptanas. Hidrocarbonetos furanos. dioxinas. furanos. Poluentes altamente tóxicos: Benzeno. mercaptanas. Metais Pesados.

A embarcação pertence à armadora Isle Navigation e estava a serviço da empresa Fertimport. O juiz federal Marcelo Souza Aguiar concedeu no último domingo. 3 de junho. no último dia 1º de junho. . até que seja concluída a vistoria técnica pericial para apurar os danos ao meio ambiente causados pelo forte odor de gás sulfídrico emanado pelo navio.Navio liberiano é retido no Guarujá para colheita de provas 04/06/2007 18:22 Deve ser feita vistoria técnica pericial para apurar danos ambientais causados pelo forte odor de gás sulfídrico emanado da embarcação. liminar em ação cautelar antecipatória de prova movida pelo Ministério Público Federal (MPF/SP) e pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP) e determinou a retenção do navio de bandeira liberiana Aplanta.

emanado provavelmente após o contato da carga de enxofre do navio com água. respiração ofegante e até mesmo crises alérgicas. que fizeram mais de 30 queixas à CETESB.Navio liberiano é retido no Guarujá para colheita de provas 04/06/2007 18:22 O forte cheiro causado pelo gás. tosse. O sulfeto de hidrogênio (gás sulfídrico) é uma substância de odor penetrante. liberada espontaneamente pela decomposição de compostos sulfurosos. É produzido pela ação bacteriana sobre esgotos contendo compostos sulfurosos quando o oxigênio dissolvido foi consumido pela excessiva carga orgânica das águas de superfície. . e reclamavam de dor de cabeça e garganta. semelhante ao odor de ovos em estado de putrefação. irritação dos olhos. pode ter sido a causa do mal-súbito que causou a morte do estivador Rubens da Silva Ruas e mal-estar em moradores do bairro da Ponta da Praia. em Santos.

16 HPA`s considerados prioritários pela US EPA: Acenaftaleno Criseno Acenaftileno Dibenzo(a.h)antraceno Antraceno Fluorantheno Benzo(a)antraceno Fluoreno Benzo(a)pireno Indeno(1.2.3-cd)pireno Benzo(b)fluoranteno Naftaleno Benzo(ghi)perileno Fenantreno Benzo(k)fluoranteno Pireno .

COMPONENTES DO ÓLEO DERRAMADO NO AMBIENTE MARINHO Espalhamento e Óleo intemperizado emulsificação PAHs Parafínicos Asfaltenos Ar Óleo fresco Ar Água Voláteis Semi HPAs Voláteis Água ParafínicosAsfaltenos .

• Dieldrin. • Endrin. • Dioxinas. • Furanos. • Aldrin. .Poluentes Orgânicos Persistentes . são resistentes a degradação. • Heptacloro. • Mirex. • Clordano. • Toxafeno.POPs Os poluentes orgânicos persistentes possuem propriedades tóxicas. • DDT. acumulando-se em ecossistemas terrestres e aquáticos. • Hexaclorobenzeno. a água e as espécies migratorias por meio das fronteiras internacionais e depositadas distantes do lugar de sua liberação. • PCB´s. se bioacumulam e são transportados pelo ar.

Poluentes Orgânicos Persistentes – POPs .Nove novos POPs incluídos pela COP . uso e descargas.Agrotóxico Hexabromobifenil – Retardante de Chama Éter hexabromodifenil e Éter Heptabromodifenil – Retardante de chamas Lindano – Repelente Pentaclorobenzeno – Agrotóxico.4 Alfa-Hexaclorociclohexano . retardante de chamas e em combinação com PCBs em fluídos dielétricos Ácido Perfluorooctano Sulfônico (PFOS). seus sais e Perfluoroctanos Sulfonil Fluoreto Éter Tetrabromodifenil e Eter – Pentabromodifenil – O Brasil não possui dados sobre sua produção.Agrotóxico Clordecone .Agrotóxico Beta.Hexaclorociclohexano .

Dibenzo-P-Dioxinas Policloradas e Dibenzofuranos Policlorados (PCDD/PCDF).O Artigo 5º da Convenção de Estocolmo estabelece medidas para reduzir ou eliminar as liberações de fontes antropogênicas que relaciona os POPs de Produção Não Intencioanal quais sejam: Dioxinas e Furanos. . Hexaclorobenzeno (HCB) e Bifenilas Policloradas (PCB).

1. 2. . perigosos ou urbanos ou ainda de lodos de esgoto. Incineradores de lixo. Alguns processos que geram esses POPs.Os POPs formados e liberados Não Intencionalmente por fontes antropogênicas são aquelas de processos térmicos envolvendo matéria orgânica e cloro em processo de combustão incompleta ou reações químicas. incluindo co-incineradores de resíduos hospitalares. queima de resíduos perigosos em fornos de cimento.

4. . Refinarias para processamento de óleo usado.3. 5. Queima de lixo a céu aberto incluindo queima em aterros sanitários. Instalações para queima de madeira e outros combustíveis de biomassa. 6. 7. Produção de celulose com utilização de cloro elementar ou uso de substâncias químicas que geram cloro elementar em processos de branqueamento. Instalações de queima de combustíveis fósseis e caldeiras industriais.

.POPs O convênio de Estocolmo entrou em vigor em maio de 2004. considerando-se um êxito muito importante dado que sua meta é reduzir e com o tempo eliminar totalmente os POPs particularmente tóxicos.Poluentes Orgânicos Persistentes .

Principais Poluentes Atmosféricos Os poluentes atmosféricos em forma de matéria podem ser Classificados em função de seu estado físico. ressuspensão de poeira do solo. processos industriais. dividindo-se em dois grupos: (a) material particulado e (b) gases e vapores. . Material Particulado (MP): Sob a denominação geral de Material Particulado se encontra um conjunto de poluentes constituídos de poeiras. As principais fontes de emissão de particulado para a atmosfera são: veículos automotores. entre outros. fumaças e todo tipo de material sólido e líquido que se mantém suspenso na atmosfera por causa de seu pequeno tamanho. queima de biomassa.

uma doença mortal que ataca os pulmões de trabalhadores de minas de cal. o cobre e o chumbo.Principais Poluentes Atmosféricos Material Particulado (MP): Em cidades. o níquel. amianto e indústrias de cimento. O material particulado também causa silicose. . o material particulado pode conter metias como o ferro.

sendo que quanto menores maiores os efeitos provocados. O particulado pode também reduzir a visibilidade na atmosfera. .Principais Poluentes Atmosféricos O tamanho das partículas está diretamente associado ao seu potencial para causar problemas à saúde.

interferindo nas condições estéticas do ambiente e prejudicando as atividades normais da comunidade. . outra parte pode afetar desfavoravelmente a qualidade de vida da população. Uma parte destas partículas é inalável e pode causar problemas à saúde.Material Particulado (MP): O material particulado pode ser classificado como: Partículas Totais em Suspensão (PTS) Podem ser definidas de maneira simplificada como aquelas cujo diâmetro aerodinâmico é menor que 50 µm.

aquelas partículas pequenas o suficiente para atingir a zona de troca gasosa (alvéolos) .Material Particulado (MP): Partículas Inaláveis (MP10) Podem ser definidas de maneira simplificada como aquelas cujo diâmetro aerodinâmico é menor que 10 µm.São consideradas inaláveis. São as de maior • interesse para a saúde pública.

entre outros.Material Particulado (MP): Fumaça (FMC) Está associada ao material particulado suspenso na atmosfera proveniente dos processos de combustão. ressuspensão de poeira do solo. queima de biomassa. Suas principais fontes de emissão são veículos automotores. processos industriais. .

etc. abrasão. . geralmente formadas por processos de desintegração mecânica. Fumos Partículas sólidas formadas por condensação ou sublimação de substâncias gasosas originadas da vaporização/sublimação de sólidos. fumos de alumínio.Material Particulado (MP): Poeiras Partículas sólidas. por exemplo. etc. a oxidação no caso de fumos metálicos. ação dos dos ventos. tais como moagem. A formação dos fumos é usualmente acompanhadas de reações químicas. britagem. Ex: Fumos de zinco.

. Exemplos: névoas de tanques de tratamento superficial (galvanoplastia). por exemplo por atomização. névoas de pesticidas nas operações de pulverização.Material Particulado (MP): Névoas Partículas líquidas produzidas por condensação ou por dispersão de um líquido. Possuem tamanho normalmente maior do que 5 micrômetros.

que pode ser transformado em trióxido de enxofre (SO3). É um dos principais formadores da chuva ácida. como óleo diesel. . O dióxido de enxofre pode reagir com outras substâncias presentes no ar formando partículas de sulfato que são responsáveis pela redução da visibilidade na atmosfera. É um gás incolor com odor pungente. óleo combustível industrial e gasolina.Principais Poluentes Atmosféricos Dióxido de Enxofre (SO2) Resulta principalmente da queima de combustíveis que contém enxofre.

reduzindo mais ainda quando a poluição teve uma redução substancial em 1970. sendo que uma redução de 50% nos níveis de SO2 de 1964 a 1968 significaram uma redução de cerca de 50% nos casos de bronquite crônica e asma bronquial. na cidade de Isozu.Principais Poluentes Atmosféricos Efeitos à Saúde pelo Dióxido de Enxofre (SO2) A relação entre doenças respiratórias e poluição do ar por dióxido de enxofre foi observada no Japão. .

19 24 horas Agravamento de doenças respiratórias crônicas em adultos 0.5 10 min Aumento da resistência à passagem de ar nas vias respiratórias de asmáticos em exercício físico 1 10 min Idem em descanso e em adultos sadios em exercícios físicos 5 10 min Idem em adultos em descanso 10 10 min Bronco-espasmo .Ação do dióxido de enxofre no ser humano Concentração de SO2 no ar (ppm) Tempo de exposição Sintomas e/ou efeitos 0.07 1 ano Agravamento de doenças respiratórias crônicas em crianças 0.

Principais Poluentes Atmosféricos Monóxido de Carbono(CO) É um gás incolor. emitido principalmente por veículos automotores. etc). Em geral é encontrado em maiores concentrações nas cidades. Altas concentrações de CO são encontradas em áreas de intensa circulação de veículos. inodoro e insípido que resulta da queima incompleta de combustíveis de origem orgânica (combustíveis fósseis. biomassa. .

• O maior perigo do CO decorre de sua capacidade quando inalado de complexar fortemente a hemoglobina do sangue prejudicando o transporte de oxigênio para as células. .Monóxido de Carbono (CO) • A presença de CO indica combustão incompleta.

O valor em fumantes é o dobro ou mais. .Monóxido de Carbono (CO) Em média não-fumantes têm cerca de 1% de sua hemoglobina ligada na forma de um complexo com CO denominado carboxihemoglobina (COHb).

Monóxido de Carbono (CO) • A exposições a concentrações muito altas de CO resulta em dores de cabeça. perda de consciência e. eventualmente morte. . fadiga.

chegam a apresentar o dobro de COHb no sangue em relação aos não fumantes. como os policiais de trânsito. o mesmo ocorrendo com trabalhadores de garagens de veículos.Monóxido de Carbono (CO) Pessoas fumantes expostas ao trânsito intenso de veículos. .

5 10 10 a 20 60 Sintomas/Efeitos Associados Nenhum Redução da capacidade de discriminar intervalos de tempo Início de dor por angina. Universidade de São Paulo.Ação do Monóxido de Carbono no Ser Humano Nível de COHb no sangue (%) 0a1 2.8 4. . em pacientes sob exercício físico Aumento do tempo de reação para estímulos visuais Alteração na performance na condução de veículos Dor de cabeça. morte se exposição continuada persistir Fonte: Introdução ao Controle da Poluição Atmosférica.5 2. Faculdade de Saúde Pública. perda de coordenação motora Perda da consciência. João Vicente Assunção. tontura. fadiga.

Principais Poluentes Atmosféricos .

Principais Poluentes Atmosféricos .

ASFIXIANTES .

Principais Poluentes Atmosféricos Ozônio (O3) e Oxidantes Fotoquímicos “Oxidantes fotoquímicos” é a denominação que se dá à mistura de poluentes secundários formados pelas reações entre os óxidos de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis. na presença de luz solar. sendo estes últimos liberados na queima incompleta e evaporação de combustíveis e solventes. .

que possui este nome porque causa na atmosfera diminuição da visibilidade. Ele provoca irritação nos olhos e vias respiratórias e diminuição da capacidade pulmonar.Principais Poluentes Atmosféricos Ozônio (O3) e Oxidantes Fotoquímicos O principal produto desta reação é o ozônio. Tais poluentes formam a chamada névoa fotoquímica ou “smog fotoquímico”. . por isso mesmo utilizado como parâmetro indicador da presença de oxidantes fotoquímicos na atmosfera.

impedindo a penetração dos raios ultravioleta e permitindo a passagem da luz visível. UV-B e UV-C seria superior em algumas vezes alterando a vida. a intensidade de radiação UV-A. Sem essa proteção. Atua como um escudo protetor. . na forma como é conhecida.Principais Poluentes Atmosféricos Camada de Ozônio: escudo protetor para a vida A Camada de Ozônio estratosférico está localizada entre 20 e 40 km de altitude na atmosfera terrestre.

com esses efeitos. . em espécies vegetais. ou seja. o aumento do efeito estufa. além de. em diferentes animais. contribuir para o agravamento de outros problemas. mortandade. até mesmo. mamíferos e aves. a rarefação da Camada de Ozônio estratosférico que se observa com a chegada da primavera no Hemisfério Sul provoca os mais diversos problemas como: no ser humano. em conseqüência da redução das florestas. como peixes. como a redução da biodiversidade ou extinção de espécies ameaçadas e.Principais Poluentes Atmosféricos Camada de Ozônio: escudo protetor para a vida O buraco. câncer de pele e catarata. doenças e redução da taxa de crescimento.

Principais Poluentes Atmosféricos Métodos de determinação dos poluentes Parâmetro Partículas inaláveis Dióxido de enxofre Óxidos de Nitrogênio Monóxido de carbono Hidrocarbonetos Ozônio Método de Medição radiação Beta fluorescência de pulso (ultravioleta) quimilunimescência Infravermelho não dispersivo cromatografia gasosa/ionização de chama ultravioleta .

. • Monóxido de carbono. • Formaldeído (Agente causador de câncer segundo a EPA). • Dióxido de nitrogênio. • Amianto (Problema que ocorre durante demolições de residências. por exemplo.Poluição do Ar em Interiores As concentrações dos poluentes variam significativamente de construção para construção sendo que os níveis de alguns desses poluentes são muitas vezes maiores nos interiores do que no exterior. nos EUA).

Principais Poluentes Atmosféricos O Programa do Governo do Estado de São Paulo para a Proteção da Camada de Ozônio Estratosférico (PROZONESP) foi criado em 1995. . Desde então. em permanente cooperação com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o IBAMA. a CETESB participa do programa de banimento das Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio (SDOs) do Governo Federal.

sob a ação de luz solar se transforma em NO2 e tem papel importante na formação de oxidantes fotoquímicos como o ozônio. Em grandes cidades. . Dependendo das concentrações. Os óxidos de nitrogênio contribui de forma importante para formação de chuvas ácidas.Principais Poluentes Atmosféricos Óxido de Nitrogênio (NO) e Dióxido de Nitrogênio (NO2) São formados durante processos de combustão. O NO. o NO2 causa prejuízos à saúde. os veículos geralmente são os principais responsáveis pela Emissão dos óxidos de nitrogênio.

Hidrocarbonetos (HC) São gases e vapores resultantes da queima incompleta e evaporação de combustíveis e de outros produtos orgânicos voláteis. por causa de seu potencial tóxico. Dependendo das concentrações. não havendo uma concentração ambiente totalmente segura. Participam ativamente das reações de formação da “névoa fotoquímica”.Principais Poluentes Atmosféricos Óxido de Nitrogênio (NO) e Dióxido de Nitrogênio (NO2) São formados durante processos de combustão. Diversos hidrocarbonetos como o benzeno são cancerígenos e mutagênicos. . Em grandes cidades. Dos muitos HPAs que podem existir. contendo somente átomos de carbono e hidrogênio. o NO2 causa prejuízos à saúde. O NO. os veículos geralmente são os principais responsáveis pela emissão dos óxidos de nitrogênio. Os óxidos de nitrogênio contribui de forma importante para formação de chuvas ácidas. dezesseis são considerados prioritários Pela USEPA. Os Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs) são compostos formados por dois ou mais anéis aromáticos condensados. sob a ação de luz solar se transforma em NO2 e tem papel importante na formação de oxidantes fotoquímicos como o ozônio.

Gestão da Qualidade do Ar .

Mistura de Poluentes A atmosfera real envolve um conjunto de poluentes. os efeitos devem ser considerados em relação a esse conjunto. Numa mistura de poluentes os efeitos podem ser aumentados em relação à exposição a um só poluente (efeitos sinérgicos ou aditivos). Assim. .

sobre os materiais. sobre as propriedades da atmosfera passando pela redução da visibilidade. na vegetação e na fauna. regional e global. Esses efeitos podem se manifestar na saúde. alteração da acidez das águas da chuva (chuva ácida). aumento da temperatura da terra (efeito estufa) e modificação da intensidade da radiação solar (aumento da radiação ultravioleta pela diminuição da camada de ozônio). . no bem estar da população.Efeitos da Poluição do Ar Os efeitos podem ocorrer no âmbito local.

cardiovasculares e pulmonares. A exposição humana pode se dar por inalação. gastrintestinais. mas a inalação pode ser considerada a via mais importante e mais vulnerável. além de alguns tipos de câncer. ingestão ou contato com a pele.Efeitos da Poluição do Ar • Efeitos relacionados à saúde Os principais efeitos da poluição atmosférica à saúde humana são: problemas oftálmicos. doenças dermatológicas. .

População com moradia em condições desfavoráveis (localização. insuficiência cardíaca congestiva e miocardiopatia isquêmica. nutrição) e acesso a cuidados médicos e compra de medicação Exposição a poluentes (trabalho exposto. indústrias mais poluentes.Efeitos da Poluição do Ar População mais suscetível Crianças abaixo dos 5 anos de vida e idosos. fogão à lenha) . veículos menos desenvolvidos. com ou sem ar condicionado) Com fatores sócio-econômicos adversos: Condições salubres (saneamento. Indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica. combustíveis de menor qualidade. idade da construção.

respiratórias Agravamento de doenças do sistema respiratório redução da função pulmonar maior incidência de neoplasias pulmonares inflamação pulmonar e sistêmica alterações do calibre das vias aéreas .Efeitos sobre a saúde Efeitos comportamentais e cognitivos Risco de artrite reumatóide Morbidade e mortalidade por doenças cárdio.

carona solidária. redução dos deslocamentos) implementação de sistemas de controle de emissões .Efeitos sobre a saúde Medidas mitigadoras reduções das emissões de particulado fino no ambiente urbano (inspeção veicular. zoneamento. corredores exclusivos) Investimento em planejamento urbano (diminuição de congestionamento. transporte alternativo) redução do teor de enxofre no diesel investimento em transporte coletivo (qualidade da frota.

que são pequenos poros na superfície das plantas. envelhecimento precoce. os estômatos. . geralmente por deposição de partículas nas folhas. descoloração. Os danos podem ser de origem aguda ou crônica e são ocasionados pela redução de penetração da luz. pela penetração de poluentes pelas raízes ou através de sua principal porta de entrada. cloro se e outras alterações da cor e necrose do tecido foliar. onde se dá a troca de gases (O2 – CO2).• Efeitos relacionados à vegetação Os principais efeitos da poluição do ar sobre a vegetação são: alteração do crescimento e da produtividade da planta. com conseqüente redução da capacidade fotossintética. colapso foliar.

o dióxido de nitrogênio e os fluoretos. a amônia anidra.• Efeitos relacionados à vegetação Os principais poluentes presentes na atmosfera que são fitotóxicos são o ozônio e o pero xiacetilnitrato (PAN). . o dióxido de enxofre.

principalmente poeira e fumaça. em especial o dióxido de enxofre (SO2). e especial pelo ozônio (O3) que ataca a borracha natural e a borracha sintética de butadieno-estireno. exigindo portanto uma maior freqüência de limpeza ou de pintura. nas edificações e monumentos sujando-os. .Efeitos da Poluição do Ar • Efeitos relacionados aos materiais O primeiro efeito visível e de reconhecimento popular é a deposição de partículas. A corrosão de partes metálicas é causada principalmente pelos gases ácidos. A borracha também é afetada pela poluição do ar.

As medidas usualmente utilizadas para controlar a Poluição do Ar são: 1. 2. diluição segregação ou afastamento de poluentes. Medidas Indiretas Medidas que visam a eliminação. por meio da instalação de equipamentos de controle. até a ação direta sobre a fonte de emissão. redução. Medidas Diretas Ações que visam reduzir a quantidade de poluentes descarregadas na atmosfera. .O controle da poluição do ar envolve desde o planejamento do assentamento de núcleos urbanos e industriais e do sistema viário.

Medidas Indiretas a) Planejamento Urbano b) Diluição por meio de chaminés altas c) Medidas para impedir a geração de poluentes d) Medidas para reduzir a geração de poluentes .Controle da Poluição do Ar 1.

.Controle da Poluição do Ar 1. aumentando a distância fontereceptor. Medidas Indiretas a) Planejamento Urbano Método que consiste basicamente numa melhor distribuição espacial das fontes da poluição.

Controle da Poluição do Ar .

Controle da Poluição do Ar Diminuição da concentração de atividades poluidoras próximas a núcleos residenciais. . melhorando o sistema viário. em relação a assentamentos residenciais. localizando as fontes preferencialmente à jusante dos ventos predominantes na região. proibindo a implantação de fontes de alto potencial poluidor em regiões criticas.

sem a redução da quantidade emitida. . Trata-se de medida cuja eficácia fica Dependente da distribuição espacial das fontes e das condições meteorológicas.Controle da Poluição do Ar 1. Medidas Indiretas b) Diluição por meio de chaminés A utilização de chaminés altas visa a redução da concentração do poluente ao nível do solo.

Um exemplo típico é a eliminação da emissão de compostos de chumbo por veículos a gasolina quando o chumbo tetraetila. A substituição de combustíveis com enxofre por combustíveis sem enxofre (por exemplo gás natural) elimina a formação e a emissão de compostos de enxofre. Medidas Indiretas c) Medidas para impedir a geração de poluentes Em muitos casos os poluentes podem ser eliminados totalmente por meio da substituição de combustíveis. sendo substituído por etanol (álcool etílico). . mudanças de equipamentos e processos. um aditivo anti-detonante. matérias-primas e reagentes que entram no processo.Controle da Poluição do Ar 1. deixa de ser adicionado à gasolina.

etc. utilização de combustíveis de menor potencial poluidor. fornos. caldeiras. adequada limpeza do ambiente em conjunto com prédios projetados e construídos adequadamente. operar e manter adequadamente os equipamentos produtivos. como é o caso de diversos tipos de resíduos urbanos.Controle da Poluição do Ar 1. Por exemplo. • . ação de microorganismos e conseqüente geração de odor. Medidas Indiretas d) Medidas para reduzir a geração de poluentes A diminuição da quantidade de poluentes gerada pode ser conseguida pelas seguintes medidas: • • • operar os equipamentos dentro de sua capacidade nominal. veículos.

Medidas Indiretas d) Medidas para reduzir a geração de poluentes • ruas limpas e pavimentadas reduzem a emissão de poeiras para a atmosfera. evitar deixar áreas com solo sem vegetação. o que pode ser reduzido ainda mais pela umectação. . o que contribui inclusive para reduzir a erosão e assoreamento.Controle da Poluição do Ar 1. mantendo-as pelo menos gramadas.

sem que tenha sido conseguida a redução necessária na geração de poluentes.Controle da Poluição do Ar 2. deve-se então utilizar os equipamentos para tratamentos das emissões (equipamentos para controle de poluentes – “filtros”). . Medidas Diretas Após esgotados todos os esforços como as medidas anteriormente citadas.

2. os filtros tipo mangas) e por sistemas úmidos (lavadores dos mais variados tipos e precipitadores eletrostáticos úmidos). coletores centrífugos. O material particulado pode ser removido do fluxo gasoso poluído por sistemas secos (coletores mecânicos inerciais ou gravitacionais. como exemplo. Medidas Diretas Os equipamentos de controle de poluição do ar são divididos em função do estado físico do poluente a ser considerado. precipitadores eletrostáticos secos e filtros de tecidos. . como os ciclones. ou seja. equipamentos de Controle de Material Particulado e equipamentos de Controle de Gases e Vapores.

Poluente Material Particulado Gases e Vapores Sistemas Secos Sistemas Úmidos • coletores gravitacionais • coletores mecânicos inerciais • coletores centrífugos • precipitadores eletrostáticos • filtros de tecidos •lavadores com préatomização •lavadores com atomização pelo gás •lavadores com enchimento •precipitadores eletrostáticos úmidos • condensadores • adsorvedores • absorvedores • incineradores térmicos • incineradores catalíticos • bioreatores • sistemas/processos industriais Alternativas de Controle de Poluição do Ar .

tanto do ponto de vista de custo. biofiltros e por processo especiais. de adsorvedores (carvão ativado). . por condensadores. Medidas Diretas Os gases e vapores podem ser removidos do fluxo poluído através de absorvedores (lavadores de gases). como os combustores catalíticos dos automóveis. Para cada fonte de poluição deve ser estudada a melhor solução. ou por incineração térmica ou catalítica.2. A tecnologia de controle de poluição do ar disponível permite que a poluição seja reduzida muitas vezes em mais de 99%. como do ponto de vista ambiental.

Controle da Poluição do Ar
Padrão de Emissão
É um limite estabelecido legalmente e que deve ser respeitado para a emissão na fonte. Estes podem ser expressos em concentração (ex: mg/Nm3 base seca a 12% de oxigênio), em taxa de emissão (ex: kg/hora) ou em função de um parâmetro na fonte (ex: kg/tonelada incinerada). O CONAMA estabeleceu recentemente padrões de emissão para fontes fixas de combustão externa (queima de óleo combustível, gás natural, bagaço de cana-de-açúcar, madeira e derivados e turbina à gás) e para vários processos industriais (refinarias de petróleo, celulose, alumínio primário, vidro, cimento portland, fertilizantes, ácido fosfórico, ácido sulfúrico, ácido nítrico, siderurgia e pelotização de minério de ferro), conforme Resolução CONAMA nº 382, de 26 de dezembro de 2006.

Eficiência de Coleta
A eficiência de controle de um equipamento de poluição do ar indica a quantidade de poluentes que o equipamento remove (coleta). O esquema a seguir mostra o processo de coleta de poluentes. O “filtro” neste caso é a denominação genérica para qualquer equipamento de controle de poluição do ar. Fenômenos físicos e/ou químicos

Filtro

Ar “Sujo” xi
Poluentes Coletados Xi - Xf

Ar “Limpo” xf

Eficiência de Coleta
Matematicamente e eficiência de controle pode ser expressa por:
Xi - Xf

η=
Xi

x 100

η = eficiência de controle (%) Xi = quantidade de poluentes existentes na entrada do “filtro” Xf = quantidade de poluentes existentes no fluxo gasoso após o “filtro” Xi - Xf = quantidade de poluentes coletados pelo “filtro”

Eficiência de Coleta
A penetração (P) é definida como a quantidade de poluentes que passa através do “filtro” sem ser coletada ou seja, o residual que será lançado na atmosfera. Matematicamente, a penetração é expressa por:

Controle de Material Particulado .

O processo de precipitação eletrostática se inicia com a formação de íons gasosos pela descarga corona de alta voltagem no eletrodo de descarga. em menor escala age a difusão iônica. O gás “limpo” de partículas segue para outros tratamentos ou para sua descarga na atmosfera.PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS Princípio de Funcionamento: O mecanismo de coleta principal obviamente é a força elétrica. A seguir as partículas sólidas e/ou líquidas são carregadas eletricamente pelo bombardeamento dos íons gasosos ou elétrons. se deposita na moega de recolhimento. de onde então é transportada para o local de armazenamento. ficando coletada. De tempos em tempos a camada de partícula se desprende do eletrodo de coleta pela ação do sistema de “limpeza” e. para posterior condicionamento. reutilização ou disposição final. descarregue a sua carga. O campo elétrico existente entre o eletrodo de descarga e o eletrodo de coleta faz com que a partícula carregada migre para o eletrodo de polaridade oposta. . por gravidade.

PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS .

PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS .

PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS .

Chega a durar mais de 20 anos. • Coleta partículas muito pequenas. • Coleta de partículas sólidas ou líquidas difíceis de serem coletadas por outros sistemas. • Pode operar a temperaturas altas (até cerca de 650oC). • Pode ser operado continuamente com pouca manutenção. • Baixo custo operacional. desvantagens e limitações Vantagens do uso de precipitador eletrostático: • Alta eficiência de coleta. em períodos longos. Pode exceder a 99. . • A eficiência de coleta pode ser aumentada pela inclusão de novos módulos. • Coleta material a seco. •Pode processar altas vazões de gases e com uma faixa ampla de concentração. • Vida útil longa.95%.PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS Vantagens. • Existem poucas partes móveis o que implica em redução da manutenção.

principalmente para precipitadores quentes (maior volume de gases). •Exige grande espaço para sua instalação. •Não são adequados para casos que apresentam muita variação de condições. •Apresenta risco de explosões quando processa gases ou partículas explosivos.PRECIPITADORES ELETROSTÁTICOS Desvantagens e limitações •Investimento inicial em geral muito alto. exigindo controle automático fino. . •Exige medidas especiais de segurança para evitar acidentes com alta voltagem. •Alguns materiais são extremamente difíceis de coletar por apresentarem resistividade muito baixa ou muito alta.

FILTROS DE TECIDO Filtro de Mangas Tipo Limpeza por Vibração Mecânica Filtro de Mangas Tipo Jato Pulsante .

FILTROS DE TECIDO .

Tipos Filtro tipo manga. é utilizado especialmente para coleta de névoas. desde partículas grandes até partículas de tamanho da ordem de Angstron (1 Å• = 10-10 m).FILTROS DE TECIDO A filtragem a seco pode ser considerada a forma mais eficaz para retirar partículas de um fluxo gasoso. especialmente para aplicações que requerem eficiências extremamente altas na coleta de partículas muito pequenas. filtro plano. filtro tipo cartucho. Mecanismos de coleta: impactação inercial. por exemplo na produção de ácido sulfúrico. a um custo moderado (Turner & Mckenna apud Calvert & Englund 1984). difusão e interceptação. Tipo usual na indústria para controle de fontes de poluição do ar: Filtro de mangas. O filtro tipo cartucho constituído basicamente de lã de vidro ou material similar. . filtro tipo bolsa ou envelope.

a coleta se inicia com a colisão das partículas contra as fibras do meio filtrante e sua posterior aderência às mesmas. sendo que o gás atravessa os seus poros e as partículas. Mecanismos de coleta: impactação inercial. na sua maioria. . difusão e interceptação. À medida que o processo continua a camada de partículas coletadas vai aumentando tornando-se então o meio de coleta e aumentando a eficiência do processo.FILTROS DE TECIDO Princípio de funcionamento Passagem da mistura gasosa que contém as partículas através de um material filtrante. que de tempos em tempos tem que ser retiradas para evitar camada muito espessa. que dificultaria a passagem do gás (aumento da perda da carga). No começo do processo de filtragem. ficam retidas na sua superfície.

• exige espaço médio para sua instalação .FILTROS DE TECIDO Principais Vantagens do Filtro de Mangas • apresenta alta eficiência de coleta • coleta material a seco e em forma reutilizável • perda de carga e custo de operação moderados Principais Desvantagens e Limitações do Filtro de Mangas • custo de manutenção médio a alto • exige controle de temperatura • exige material filtrante ou controles especiais nos casos de possibilidade de condensação de umidade no filtro.

Principais Tipos de Ciclone .

.

.

sedimentam pela força da gravidade e são então depositadas na parte inferior do coletor. As partículas não coletadas seguem com o fluxo de ar. até um certo limite. Considerando que o mecanismo de coleta principal é a força centrífuga. quanto a redução do diâmetro do ciclone (ciclones mais finos) favorecem o aumento da eficiência do ciclone.COLETORES CENTRÍFUGOS (CICLONES) Descrição O fluxo de ar penetra no coletor centrífugo. tanto o aumento da velocidade do gás na entrada do ciclone favorece a coleta. são separadas do fluxo. se dirigem à parede do coletor centrífugo e. após perde sua energia. em geral maiores que 10 µm. Principal mecanismo de coleta: força centrífuga . seja tangencialmente ou radialmente e por ação da força centrífuga as partículas com maior probabilidade de serem coletadas.

Vantagens. desvantagens e limitações: Vantagens: perda de carga baixa a média (50 a 250 mmCA) e custo relativamente baixo Desvantagens/limitações: baixa a média eficiência .

) Vantagens: baixa perda de carga (10 a 25 mmH2O) e custo relativamente baixo.CÂMARA DE SEDIMENTAÇÃO GRAVITACIONAL Mecanismo de coleta: força gravitacional Uso: pré-coletor para retirada de partículas grosseiras (maiores que 30 µm. Desvantagens: baixa eficiência e espaço ocupado . pois é constituída basicamente de chapas e perfis de aço.

CÂMARA DE SEDIMENTAÇÃO GRAVITACIONAL Esquema de uma Câmara de Sedimentação Gravitacional .

CÂMARA DE SEDIMENTAÇÃO GRAVITACIONAL Esquema de uma Câmara de Sedimentação Gravitacional .

a obtenção de altas eficiências de coleta fica limitada pelo comprimento que pode ter a câmara na prática. Pode ser muito útil para eliminar material grosseiro que traria problema para funcionamento o equipamento de maior eficiência colocado em série com a câmara.CÂMARA DE SEDIMENTAÇÃO GRAVITACIONAL Descrição O fluxo de ar penetra na câmara de sedimentação e por ação da força da gravidade as partículas maiores. são separadas do fluxo e coletadas na parte inferior da câmara. em geral maiores que 30 µm. Para aumentar a eficiência deve-se aumentar o comprimento da câmara. Assim. As partículas não coletadas seguem com o fluxo de ar. .

ALGUMAS CARACTERÍSTICAS • SÃO UTILIZADOS COMO PRÉ PRÉCOLETORES • EFICIÊNCIA ENTRE 30 e 60% • CUSTO BAIXO • USO POUCO FREQUENTE NA PRÁTICA • PERDA DE CARGA BAIXA .

Lavadores (SCRUBBERS) .

Mecanismos de coleta. lavador ejetor. em geral são compactos. Desvantagens e limitações: Alto consumo de energia quando se necessita eficiência alta. Necessitam de materiais resistentes à corrosão. pela condensação da umidade. Exemplos: lavadores de spray. lavadores ciclônicos. formação de pluma visível nos dias frios. torres de enchimento. necessita tratamento para sua reutilização. podem ser conseguidas altas eficiências de coleta. vida útil em geral menor por causa da umidade. exigem tratamento de efluentes líquidos. lavador venturi. no lavador e após o mesmo. podem controlar partículas adesivas. o material coletado está na forma úmida e. usos. lavadores de impactação. vantagens. podem ser utilizados para partículas e alguns gases. necessita água. desvantagens e limitações Mecanismo de coleta principal: impactação inercial. . mas também age a interceptação e a difusão Uso: pré-coletor ou coletor final para ampla faixa de tamanho de partículas Vantagens: Não apresentam restrição quanto à temperatura e umidade dos gases. em geral.

Lavador Venturi Horizontal .

.

Controle de Gases e Vapores .

CONDENSAÇÃO A condensação converte um gás em líquido e que pode ser realizada por abaixamento de temperatura e/ou aumento da pressão. . Para aplicação em poluição do ar a forma usual é de abaixamento da temperatura já que o uso de pressões altas é em geral caro.

.Exemplos de condensação: aplicação da a) Sistema de condensação para tanques de armazenamento de combustível.

o qual leva significativa vantagem econômica em relação à incineração pela não necessidade de uso de combustível auxiliar. O controle de emissões de solventes. A eliminação de muitos compostos odoríficos.ADSORÇÃO Mecanismo e Usos A adsorção é um processo seletivo e bastante apropriado para a remoção de gases e vapores a baixas concentrações. pode ser realizada com alta eficiência através da adsorção. como é o caso do controle de solventes emitidos pelo sistema de limpeza de roupas a seco. pode ser também feita através da adsorção com regeneração do material adsorvente e com recuperação do solvente. em alguns casos a altas concentrações. os quais em geral estão presentes em baixas concentrações. .

O carvão ativado pertence ao grupo dos sólidos não polares e é o material mais utilizado na prática. com posterior passagem de vapor d’água. etc. coco. ar ou gás carbônico.) a aproximadamente 600oC. . Ele é produzido pelo aquecimento de sólidos orgânicos (carvão. madeira dura. disponibilidade e custo. potássio e cálcio).Materiais Adsorventes Os materiais adsorventes utilizados são o carvão ativado. em atmosfera redutora. Esse adsorvente é um dos mais antigos e é muito utilizado face à sua versatilidade. a altas temperaturas. a alumina ativada (óxido de alumínio) e as peneiras moleculares (aluminosilicatos de sódio.

transformando-o em dióxido de enxofre e vapor de água. porém. . que é o processo utilizado na incineração. A incineração não deve ser utilizada para compostos clorados. A incineração também pode ser utilizada para a oxidação de compostos inorgânicos como por exemplo o gás sulfídrico (H2S). dependendo da quantidade de dióxido de enxofre que será formada. constituídos basicamente de carbono e hidrogênio.INCINERAÇÃO DE GASES E VAPORES Mecanismo Incinerador Térmico Recuperativo A combustão. é melhor que se tenha este último do que o odor desagradável do gás sulfídrico ou pode-se adicionar um sistema de remoção do dióxido de enxofre formado. no caso de combustão completa. que é um gás de odor desagradável. em dióxido de carbono e vapor de água. Neste caso temos a transformação de um gás poluente em outro também poluente. é uma oxidação que transforma os gases e vapores combustíveis.

Tipos Três tipos básicos de equipamentos são utilizados para a incineração de gases e vapores, quais sejam: - Incinerador de chama direta (incinerador térmico) - Incinerador catalítico - “Flare” ou tocha (incineração auto-sustentável) (somente para emergência)

Incinerador Térmico (Chama Direta) O incinerador térmico ou de chama direta consiste basicamente em uma câmara de combustão onde os gases ou vapores a serem queimados entram em contato com os gases quentes provenientes da queima de um combustível auxiliar.

Incinerador Catalítico O incinerador catalítico consiste basicamente de uma câmara que contém o catalisador, num suporte cerâmico usualmente, que promoverá a oxidação do poluente. A incineração catalítica necessita temperaturas mais baixas quando comparada com a incineração com chama direta, mas na maioria dos casos há necessidade de câmara de pré-aquecimento. O catalisador aumenta a velocidade da reação e, teoricamente, não é modificado pelo processo de combustão. A combustão catalítica ocorre na superfície do catalisador, sem chama. Os elementos que tem sido utilizados como catalisadores são metais e óxidos metálicos da família dos metais nobres, como a platina, o paládio e o rutênio e ligas de metais nobres.

Obs.: o catalisador de veículos também transforma NOx em nitrogênio (N2) mas neste caso o processo é de redução química e não de oxidação.

Neste contato íntimo pode ocorrer a dissolução do poluente no líquido (absorção física) ou reação com o líquido (absorção química). Assim. entre outros fatores. no caso de absorção física. . Para que esta transferência se concretize há que ter um contato íntimo entre a mistura de gases e o líquido. ou da velocidade da reação entre o poluente e o líquido se for o caso de absorção com reação química. a eficiência de transferência ditará a eficiência do processo e dependerá.ABSORÇÃO PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO A absorção é uma transferência de massa (poluentes) da fase gasosa para a fase líquida (absorvente). da solubilidade do poluente no líquido.

Assim. . da concentração do poluente na fase gasosa e na fase líquida e da vazão do gás em relação à vazão do líquido.A taxa de transferência na interface gás-líquido vai depender da solubilidade do gás no líquido ou da reatividade. o absorvedor deve prover uma boa área de contato bem como deve-se utilizar uma vazão de líquido adequada para o volume de gases a serem tratados. da área disponível para o contato gáslíquido.

cloro (Cl2).Tipos de Absorvedores Os absorvedores usualmente utilizados são as torres de enchimento e de pratos e lavadores de impactação. gás sulfídrico (H2S). principalmente solução de soda cáustica. . Na prática qualquer tipo de lavador pode ser utilizado como absorvedor. gás fluorídrico (HF). O líquido absorvente mais comum é a água. NH3 e HF. As torres de enchimento promovem um ótimo contato entre o filme líquido e os gases. Usos Típicos Os usos típicos da absorção são o controle do dióxido de enxofre (SO2). No caso de absorção de dióxido de enxofre são utilizadas substâncias alcalinas. e solução amoniacal. gás clorídrico (HCl). que é utilizada para HCl. sendo a eficiência função do projeto. Os absorvedores são também conhecidos por lavadores de gases. amônia (NH3). suspensão aquosa de carbonato de cálcio ou cal.

pois em geral não são solúveis em água.Os gases e vapores orgânicos também podem ser tratados por absorção mas necessitam de liquido absorvente especial. Neste caso o uso da absorção é bastante limitado. requerendo testes específicos. . do tipo orgânico.

.

Controle Ambiental do Ar .

de 6 de maio de 1986. 18. bem como os critérios para episódios agudos de poluição do ar. . estabeleceu os Padrões Primários e Secundários de Qualidade do Ar e os métodos de referência para aferição da qualidade do ar. com limites máximos de emissão para motores e veículos novos. cidade de São Paulo. nos grandes centros urbanos. Na América Latina merecem destaque a Poluição do Ar na Cidade do México. cidade do Rio de Janeiro e Santiago do Chile. A Resolução CONAMA n. A Resolução CONAMA n. 3. de 28 de julho de 1990. instituiu o Programa Nacional de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (PROCONVE).Os Veículos Automotores e a Poluição do Ar Os veículos são atualmente a principal fonte de poluentes para atmosfera.

PROCONVE Principal programa de controle das emissões veiculares e responsável por significativa redução do impacto ambiental. notadamente por monóxido de carbono. . Espera-se ainda ganhos ambientais com o Programa de Controle de Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares – PROMOT. resultados mais modestos. passa a ter. com os novos limites de emissão.

• planejamento do uso do solo.A atual situação das condições de tráfego e poluição na RMSP requer também medidas complementares que considerem: • programas de inspeção veicular. • melhoria da qualidade dos combustíveis. Dessa forma. • maior eficiência do sistema viário e transporte público. mais numa ação mais complexa e integrada dos diferentes níveis governamentais. a redução dos níveis de poluição do ar não deve se basear. . • fiscalização da emissão de fumaça em veículos diesel. nas reduções de emissão dos veículos isoladamente. exclusivamente.

Catalisador .

Todos os novos modelos de veículos e motores nacionais e importados são submetidos obrigatoriamente à homologação quanto à emissão de poluentes. que serviu de base para que o CONAMA criasse o Programa. .A CETESB adaptou as metodologias internacionais às necessidades brasileiras e desenvolveu os fundamentos técnicos para combater a poluição gerada pelos veículos automotores.

Os principais ensaios são os seguintes: 1. determinando a emissão de CO. . óxidos de nitrogênio (NOx) e CO2. 2. Ensaio de consumo de combustível. 3. HC. Ensaio de emissão de escapamento.Os laboratórios de emissão veicular executam ensaios de emissão de poluentes de veículos leves (motores de ignição por centelhas). fazendo a determinação através de cromatografia líquida. Ensaio de emissão evaporativa. 4. contribuindo no processo da redução da emissão por veículos novos. Ensaio de emissão de aldeídos.

.PROMOT.Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares . com datas e metas pré estabelecidas.