You are on page 1of 17

EXERCÍCIOS DE DIREITO CIVIL - LEI DE INTRODUÇÃO AO CÓDIGO CIVIL E PARTE GERAL DO CÓDIGO CIVIL

QUESTÃO 39 (UNB / CESPE – OAB CADERNO 1 – 8 – Exame de Ordem – Abril / 2006.) Acerca dos fatos jurídicos, assinale a opção correta. 1 - Configura-se o estado de perigo quando uma pessoa, por inexperiência ou sob premente necessidade, obriga-se a prestação desproporcional entre as prestações recíprocas, gerando lucro exagerado ao outro contratante. Nessa situação, a pessoa pode demandar a nulidade do negócio jurídico, dispensando-se a verificação do dolo, ou má-fé, da parte adversa. 2 - É válido o ato negocial em que ambas as partes houverem reciprocamente agido com dolo. A nenhuma delas é permitido reclamar indenização, devendo cada uma suportar o prejuízo experimentado. 3 - A simulação relativa é um vício social que acarreta a nulidade do negócio jurídico, não subsistindo o ato negocial, mesmo que seja válido na substância e na forma, por representar declaração enganosa da vontade. 4 - A lesão consiste em declaração enganosa da vontade de um dos participantes do negócio jurídico e inclui-se entre os vícios de consentimento, acarretando a nulidade absoluta do negócio jurídico. QUESTÃO 31 (MPU – Tec-Área –Administrativa – fevereiro de 2007) 5. Poderão os interessados requerer que se declare a ausência e se abra provisoriamente a sucessão se decorrido. A – um ano da arrecadação dos bens do ausente, ou, se ele deixou representante ou procurador, em se passando seis meses. B – um ano da arrecadação dos bens do ausente, ou, se ele deixou representante ou procurador, em se passando três anos. C – seis meses da arrecadação dos bens do ausente, ou, se, ele deixou representante ou procurador, em se passando um ano. D – seis meses da arrecadação dos bens do ausente, inclusive se tiver deixado representante ou procurador. E – três anos da arrecadação dos bens do ausente, ou se ele deixou representante ou procurador, em se passando seis meses.

Maria. A – I. ruas e praças são considerados bens públicos de uso especial.QUESTÃO 32 (MPU – Tec-Área –Administrativa – fevereiro de 2007) 6 . as energias que tenham valor econômico. É correto o que consta APENAS em. as decisões se tomarão pela maioria de votos dos presentes. II. é correto afirmar: 7 – Os rios. D – II. C – II. morais. o juiz. QUESTÃO 34 ( MPU – Tec-Área –Administrativa – fevereiro de 2007) 12 – Em uma sala encontram-se cinco pessoas: Mário. IV – As fundações somente poderão constituir-se para fins religiosos. E – II e IV. mares. estradas. 9 – Consideram-se bens imóveis para efeitos legais. e III. nomear-lhe-á administrador provisório. 11 – Os bens naturalmente divisíveis podem tornar-se indivisíveis por determinação da lei ou por vontade das partes. e III. se a pessoa jurídica tiver administração coletiva. Márcia é . não pode exprimir sua vontade. culturais ou de assistência. III – Se a administração da pessoa jurídica vier a faltar. Mário é pródigo.A respeito das pessoas jurídicas analise: I – As autarquias. Márcia. por causa transitória. a requerimento de qualquer interessado. QUESTÃO 33 (MPU – Tec-Área –Administrativa – fevereiro de 2007) De acordo com a classificação dos bens adotada pelo Código Civil brasileiro. Maria. III e IV. 8 – Consideram-se bens móveis. 10 – São infungíveis os móveis que podem substituir-se por outros da mesma espécie. II e IV. qualidade e quantidade. os direitos reais sobre imóveis e as ações que os asseguram. Mariana e Marcos. II – Em regra. para efeitos legais. B – I. os partidos políticos e as organizações religiosas são pessoas jurídicas de direito publico interno.

isto é.Ter capacidade de fato é ter aptidão para praticar todos os atos da vida civil e cumprir validamente as obrigações assumidas. por sentença judicial. por deficiência mental. 18 . Mariana. d) pessoa jurídica de direto privado. c) associação. um conjunto de normas sobre normas. QUESTÕES 26. tem o discernimento reduzido e marcos conta com dezessete anos de idade. 19 .excepcional. ou afastar a separação patrimonial entre a sociedade e seus membros. D – Mariana. para a concessão realizada pelos pais.A Lei de Introdução ao Código Civil é também o Estatuto do Direito Internacional . 17 . (ESAF/ASSISTENTE JURIDICO/99) Assinale a opção falsa. o juízo pode desconsiderar de ofício a personalidade jurídica e determinar a extinção dessa empresa.A emancipação voluntária se dá por concessão conjunta dos pais ou por aquele que detiver a guarda do menor ou. É absolutamente incapaz de exercer pessoalmente os atos da vida civil: A – Maria. sendo suas normas aplicáveis apenas ao Direito Civil. b) pessoa jurídica de direito público interno de administração direta. 16 . que estes estejam em pleno exercício da autoridade parental e a anuência do emancipado. e) fundação particular. B – Mário. 27 E 28 DA PROVA (PROCURADOR MUNICIPAL DE VITÓRIA UNB/CESPE – PMV / A respeito da pessoa natural e jurídica. E – Marcos. 13 . Exige-se. ou seja. Para a emancipação do menor que se encontrar sob tutela. 14 . exige-se sentença judicial. 15 No caso de abuso da personalidade jurídica. além do instrumento público. julgue os itens que se seguem.INSS é a) pessoa jurídica de direito público interno de administração indireta. C – Márcia. seja por si mesmo seja por assistência ou representação.A Lei de Introdução ao Código Civil é uma lex legum.A Lei de Introdução ao Código Civil é parte componente do Código Civil. sem desenvolvimento mental completo. ainda.(ESAF/AFTN/98) O Instituto Nacional do Seguro Social . quando os sócios de uma empresa causarem prejuízos a outrem pelo mau uso de sua autonomia patrimonial.

C – toda pessoa tem direito ao nome. D – é válida. segurança e estabilidade do ordenamento jurídico-positivo. para depois da morte. o cônjuge sobrevivente. salvo se ela dispuser de outra forma. ou altruístico. no todo ou em parte. preservando as situações consolidadas em que o interesse individual prevalece.possui vigência temporária no curso da vacatio legis. 24 – Em regra se revogada é restaura se a lei revogadora perder sua vigência. os direitos de personalidade são intransmissíveis e renunciáveis. 20 .Privado.A Lei de Introdução ao Código Civil disciplina o direito intertemporal. poderão os interessados requerer que se declare a ausência e se abra provisoriamente a sucessão. . o sobrenome e a alcunha. B – passando-se 2 (dois) anos.não pode ter seu desconhecimento como alegação para escusa de seu descumprimento. e reclamar perdas e danos. se não deixou representante. 28 – (OAB-MS-2005) Sobre a ausência. 26 . sem que se saiba do ausente.nova. a disposição gratuita do próprio corpo. A – decorrido 1 (um) ano da arrecadação dos bens do ausente. não revoga nem modifica a lei anterior.A Lei de Introdução ao Código Civil contém critérios de hermenêutica jurídica. para assegurar a certeza. 23 . em se passando 3 (três) anos. assinale a alternativa correta. B – em se tratando de morto. terá legitimação para requerer que cesse a ameaça ou a lesão a direito de personalidade. que estabeleça disposições gerais ou especiais a par das já existentes. 21 . 25 . 27 – (OAB-MS-2005) Em relação ao direito de personalidade assinale a alternativa correta: A – com exceção dos casos previstos em lei.começa a vigorar em todo o país trinta dias depois de oficialmente publicada. ou qualquer parente colateral até o quinto grau. com objetivo científico. nele compreendidos o nome. (CESPE/TCU/95) A lei 22 . ou se ele deixou representante ou procurador.

A – apenas o ser humano é dotado de personalidade.D. como se o ausente fosse falecido. logo que passe em julgado se procederá à abertura do testamento. não podendo adotar qualquer das formas empresárias. são dotados de personalidade. C – a sentença que determinar a abertura da sucessão provisória só produzirá efeitos 12 (doze) meses depois de publicada pela imprensa. visto que lhe falta o intuito especulativo. que unem seus fundadores e os novos associados que. D – vinte anos depois de passada em julgado a sentença que concede a abertura da sucessão provisória. poderão os interessados requerer a definitiva e o levantamento das cauções prestadas. mediante redação de um estatuto. . com ou sem capital. assim como as pessoas jurídicas. ou. que podem ser alterados. por escrito. em matéria de comoriência. deverão submeter-se aos seus comandos. D – N. quando nela ingressarem. A – o direito brasileiro. 30 – (OAB-SP-2005) Relativamente às associações civis é incorreto afirmar. poderão os interessados requerer que se lhes abra provisoriamente a sucessão. com ou sem intuitos lucrativos. pois seus membros deliberam livremente. C – apenas o ser humano com capacidade plena é dotado de personalidade. em prol de um mesmo ideal. 29 – (OAB-MG-2005) Sobre a personalidade. já que seus órgãos são dirigentes. conhecimentos. objetivando um fim não econômico ou econômico. acata o princípio da simultaneidade. se os deixou.A. atividades. e ao inventário e partilha dos bens. lançado no registro competente. em passando 4 (quatro) anos. mas. ao se congregar. B – todos os seres humanos.nem procurador. contendo declaração unânime de vontade dos associados de se congregarem para formar uma coletividade. A – as associações civis constituem um conjunto de pessoas que colimam fins ou interesses não econômicos. C – a associação deverá ser constituída. se existir. 31 – (TRT-22ª REGIÃO-2000) Assinale a alternativa incorreta. é correto afirmar que. B – o ato constitutivo da associação consiste num conjunto de cláusulas contratuais vinculantes. coloca em comum serviços. D – a associação é um contrato pelo qual um certo número de pessoas.

morais. 35. religiosas. D – desde a concepção. já que inexiste. C – com a maioridade aoS 21 anos. e) estão corretas as alternativas c e d. posto a salvo os direitos do nascituro. d) quando não revestir a forma prescrita em lei. previsão de sua aplicação. pai de “Y”. D – pode ser instituída por escritura pública ou mesmo por testamento. C – privado. “X” e “Y” . b) quando praticado por pessoas emancipadas pelos pais. aos 18 anos.ª REGIAO-2000) Assinale a proposição correta. com base no Código Civil. B – com a maioridade. científicas ou literárias é correto afirmar que são pessoas jurídicas de direito.B – o absolutamente incapaz por razão de idade deve ser representado nos atos da vida civil. 33 – (Juiz Federal) A fundação: A – não pode ser instituída por disposição de última vontade. D – misto. 32 – (TRT-9. C – implica um “universitas personarum”. No direito civil . 36. B – só pode ser instituída por lei. afirmar que é nulo o negócio jurídico: a) quando praticado por pessoas relativamente incapazes. Quanto à capacidade de praticar atos da vida civil. E – desde o nascimento com vida. ou seja. a plena capacidade de direito. viúvo. 34 – (TRT-1.ª REGIÃO – 2000) Em relação às sociedades civis. E – alternativo. a possibilidade de adquirir direitos e contrair obrigações conquista-se: (ESTA QUESTÃO ESTÁ ATUALIZADA DE ACORDO COM O NOVO CÓDIGO CIVIL) A – com a maioridade. aos 16 anos. podemos. D – a desconsideração da personalidade jurídica é matéria doutrinária e jurisprudencial. c) quando praticado por pessoas absolutamente incapazes. “X”. B – público. C – os partidos políticos são pessoas jurídicas de direito privado. no ordenamento jurídico positivo brasileiro. resolve empreender viagem com o único filho. A – natural.

c) uma biblioteca. c) onde estiverem os filhos menores. considerar-se-á domínio seu: a) onde coabitar o cônjuge feminino. b) um cavalo de corrida. É exemplo de um bem coletivo: a) uma casa e seus utensílios. d) qualquer destes ou daqueles. Portanto. 38. afastando-se a hipótese de comoriência. . Sabe-se que “Y” deixou a mulher com quem era casado pela comunhão parcial de bens e um filho de 5 anos de idade. não puderem exprimir sua vontade. segundo conclusão de perícia. b) os pródigos. nos autoriza a concluir que a transmissão de bens somente beneficia a esposa de “Y”. c) os ébrios habituais ou alcoólatras e os velhos acima de 90 anos. respectivamente. b) viverem os cônjuges e existirem filhos menores não emancipados. absolutamente incapaz de herdar. 39. que é herdeiro deste. d) um avião e seus tripulantes. Se uma pessoa natural tiver diversas residências onde alternadamente viva ou vários centros de ocupações habituais. os maiores de 18. faleceu primeiro do que “Y” e deixou bens a partilhar. e) não ocorreu morte simultânea. ou seja. São assistidos e representados na prática de atos da vida civil. caso em que os bens de “X” foram transmitidos automaticamente para seu filho “Y” e com sua morte para seus herdeiros na forma das normas legais do Direito das Sucessões. d) a comoriência ocorrida na hipótese. c) os filhos forem menores de 21 anos.falecem em acidente automobilístico. a) ocorreu a comoriência e não se transmite bens entre comorientes. b) a esposa de “Y” é herdeira de todos os bens. b) o Distrito Federal. sendo que “X”. 40. d) os menores púberes e os que por causa transitória. Um bem de família dura enquanto a) conviverem os cônjuges. c) ocorreu a comoriência e os bens de “X” são diretamente transmitidos para o filho de “Y”. em face do filho deste ser menor impúbere. 37. pois não há comoriência. d) viverem os cônjuges e existirem filhos legítimos. a) os menores impúberes e os pródigos.

“X”. Consideram-se imóveis para os efeitos legais: a) o direito à sucessão aberta. por se tratar de erro. d) voltarão a ser imóveis quando reempregados. 43. Poderão demandar a nulidade dos negócios jurídicos simulados: a) os terceiros lesados pela simulação. será considerado o seu domicílio: a) todos indiretamente. c) cada um deles para os atos ali praticados. São exemplos de bens indivisíveis e infungíveis: a) uma mesa e um livro antigo de autor famoso falecido e de edição esgotada. b) o ato ou negócio jurídico é nulo de pleno direito. às vésperas de separar-se judicialmente de sua mulher. Tendo a pessoa jurídica de direito privado diversos estabelecimentos em lugares diferentes. b) os direitos reais sobre objetos móveis e as ações correspondentes. c) não perdem o caráter de imóveis. 44.a. nota promissória de alto valor. b) uma pepita de ouro e o dinheiro. 46. respectivamente. a) o ato ou negócio jurídico foi simulado. 42. emite em favor de um amigo íntimo. para nele mesmo se reempregarem: a) perdem o seu caráter imobiliário.41. respectivamente. Diante de tal fato. sem que o referido título representasse dívida alguma. .d. b) necessariamente a sua sede administrativa. é nulo de pleno direito. Portanto. c) os direitos de autor. pois produz efeitos entre “X”e o amigo. c) um livro e o dinheiro. 45. d) o usufruto. O materiais provisoriamente separados de um prédio. d) o ato ou negócio jurídico é ineficaz. d) o dinheiro e um livro. pode-se afirmar que. b) os representantes do Poder Público mesmo que não haja interesse do Poder Público no negócio. d) n. b) tornam-se infungíveis. c) o ato ou negócio é anulável.

não podendo ser ratificado. c) em 11 de janeiro do ano seguinte. e) 45 dias após a sua publicação. b) nulo. Quanto à natureza jurídica do contrato de compra e venda.c) o promotor de justiça ou o procurador da república. no Governo Fernando Henrique Cardoso. podendo a nulidade absoluta ser argüida por qualquer pessoa a qualquer tempo. 49. dolo. d) 90 dia s após a sua publicação. é correto afirmar que a) é um ente com personalidade civil desde a sua concepção. a lei começa a vigorar em todo País a) 30 dias depois de oficialmente publicada. O contrato viciado por erro. 47. 51. b) 60 dias após oficialmente sancionada. d) um negócio jurídico não-consensual. 48. c) a e b estão corretas. onde só os interessados diretos podem argüir a nulidade relativa. lesão. coação . podendo ser ratificado pelas partes. Salvo disposição em contrário. enquanto não ocorrer a decadência. tendo se dado a sua vigência no País a) em 15 de novembro do mesmo ano. b) no dia de sua publicação. e) é uma pessoa relativamente incapaz. d) a e b estão erradas. d) qualquer pessoa que tomar ciência do fato. d) é uma pessoa juridicamente considerada. b) a gestação é mero pressuposto da personalidade civil. todos os atos da vida civil. b) um negócio jurídico bilateral e gratuito. por si só. podemos afirmar que se trata de. mesmo que não lhe caiba intervir. e) n. O atual Código Civil brasileiro converteu-se em lei no dia 10 de janeiro de 2002. . a) um negócio jurídico unilateral e gratuito.a. pois não se trata de pessoa natural ou física juridicamente conceituada. c) pode exercer. c) um negócio jurídico bilateral e oneroso. 50. estado de perigo ou fraude contra credores é: a) anulável.d. Quanto ao nascituro e aos seus direitos.

d) não-consumíveis e não-fungíveis. 54. tendo o seu casamento anulado posteriormente aos 17 anos de idade. b) os pródigos. c) não-fungíveis e não-consumíveis. 52.c) 90 dias depois de oficialmente publicada. c) uma forma de suprimento judicial de idade. d) tutelada. b) absolutamente incapaz. 55. e) necessariamente no dia da sua publicação. por sentença. Os bens que não podem ser substituídos por outros da mesma espécie. A mulher com 16 anos completos e que seja casada. d) 45 dias depois de oficialmente publicada. e) todas as alternativas acima estão erradas. b) uma emancipação sob condição. 53. c) absolutamente capaz. . c) somente pode ser concedida pelo juiz. os maiores de 18 e menores de 21 anos. qualidade e quantidade e aqueles que não se destroem de modo imediato com a sua utilização são. estando de boa-fé. respectivamente: a) consumíveis e não-fungíveis. b) deve ter a anuência dos pais. d) os maiores de 16 anos e menores de 18 anos e os psicopatas. pois o casamento é uma forma de emancipação.a. d) pode ser concedida por escritura pública. a) incapaz relativamente à prática de certos atos. a emancipação. Não são assistidos e nem representados na prática de atos ou negócios jurídicos a) os menores impúberes e os ausentes. 56. é considerada. Não estando os pais no exercício do poder familiar. e) o exercício do poder familiar não é pressuposto para os pais concederem emancipação aos filhos. A colação de grau em curso de ensino superior é: a) uma forma de emancipação expressa. a) pode ser concedida pelo tutor. d) uma forma de emancipação tácita. b) fungíveis e não-fungíveis. e) n.d. c) os toxicômanos e os velhos. e) os surdos-mudos que puderem exprimir a sua vontade e os cegos.

coação. durante o qual o credor tinha o direito de exigi-la. 60. c) erro. e) n. são vícios do consentimento: a) erro. c) o Palácio do Planalto e o Palácio do Buriti. Quanto aos bens acessórios. é correto afirmar que. e) pela prescrição.d. dolo. coação e estado de perigo. São absolutamente incapazes. b) os pródigos.57. lesão e estado de perigo. c) pela jurisdição. e) simulação. d) os que por enfermidade ou deficiência mental. São exemplos de bens públicos de uso comum do povo: a) as praças e as repartições públicas.d. dolo. b) pela decadência. a) pela procrastinação. 58. c) os que mesmo por causa transitória não puderem exprimir sua vontade. . erro e fraude contra credores. d) pela competência. d) os bens considerados dominiais ou dominicais. exceto: a) os menores de 16 anos.a. b) as de mero deleite ou recreio e as que têm por fim conservar a coisa ou evitar que se deteriore. c) as que aumentam ou facilitam o uso da coisa e as que têm por fim conservar a coisa ou evitar que se deteriore. é correto afirmar que são benfeitorias úteis e necessárias. Dá-se a extinção da dívida pelo decurso de prazo. . d) n.a. b) as praças e as ruas. judicialmente. 61. d) erro. fraude contra credores e lesão. Quanto aos defeitos ou vícios do ato ou negócio jurídico. coação e fraude contra credores. respectivamente: a) as que têm por fim conservar a coisa ou evitar que se deteriore e as que aumentam ou facilitam o uso da coisa. não tiverem o necessário discernimento para a prática desses atos. b) dolo. 59. do devedor. simulação. em conformidade com o Código Civil brasileiro. .

os pródigos e os toxicômanos. os que . (OAB/SP 124) Relativamente ao ausente é correto afirmar: a) se o ausente aparecer nos dez anos seguintes à abertura da sucessão definitiva terá direitoais bens existentes no estado em que se encontrarem. é correto afirmar: (A) a impossibilidade inicial do objeto não invalida o negócio jurídico se cessar antes de realizada a condição a que ele estiver subordinado. depende de forma especial para produzir efeitos. apenas a requerimento do Ministério Público. No que concerne ao negócio jurídico. não subsiste se o seu autor fez reserva mental de . os que. em regra. por enfermidade ou deficiência mental. os excepcionais sem desenvolvimento mental completo. os que por enfermidade ou deficiência mental não tiverem o necessário discernimento para os atos da vida civil. Quanto às fundações é correto afirmar que: a) uma união de pessoas. c) é formada por um complexo de bens livres. ébrios habituais. 64. (32). (OAB/SP 125) São absolutamente incapazes os menores de: a) 16 anos. religiosas. d) só poderá ser constituída por testamento. os sub-rogados em seu lugar. c) 16 anos. mesmo por causa transitória. e nomear curador. (C) a manifestação de vontade. não puderem exprimir sua vontade. poderá declarar a ausência. b) uma união de pessoas com as finalidades morais. em regra. c) é impossível a declaração da ausência quando houver mandatário constituído antes do desaparecimento. b) o Juiz. (B) a validade da declaração de vontade. não tiverem necessário discernimento para os atos da vida civil. os ausentes. ou o preço que os herdeiros ou demais interessados houverem recebido pelos bens alienados depois daquela época.62. d) declarada a ausência. os interessados poderão requerer a sucessão definitiva dos seus bens. b) 18 anos. 63. ao término de 5 anos contados da arrecadação dos bens do ausente. assistenciais e culturais. os que não puderem exprimir sua vontade em razão de causa permanente. TJUPE-Técnico-Judiciário TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Concurso Público para provimento de cargos de Técnico Judiciário FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Maio/2007 65. d) 16 anos.

C . devem ser interpretados de forma extensiva. II e IV. III.o silêncio importa anuência. se não comprovar culpa da vítima ou força maior. Aquele que ressarcir o dano causado por seu descendente relativamente incapaz poderá reaver o que houver pago daquele por quem pagou. D . em regra. desde que comprovada a culpa de sua parte. não subsiste se o seu autor fez reserva mental de não querer o que manifestou. É responsável pela reparação civil. inclusive quando o negócio jurídico exigir declaração de vontade expressa. é correto afirmar: A . o empregador pelos atos praticados pelos seus empregados. no exercício do trabalho que lhes competir. E . inclusive quando o negócio jurídico exigir declaração de vontade expressa. O dono ou detentor do animal ressarcirá o dano por ele causado. O incapaz responde pelos prejuízos que causar. . II e III. Considere as afirmativas abaixo sobre responsabilidade civil. (D) II e III.não querer o que manifestou.os negócios jurídicos. (C) I. (E) III e IV. É correto o que se afirma APENAS em: (A) I. (34). (B) I. IV. I. em regra. (E) os negócios jurídicos. III e IV. (32). 67. (D) o silêncio importa anuência. B . ou em razão dele. No que concerne ao negócio jurídico.a impossibilidade inicial do objeto não invalida o negócio jurídico se cessar antes de realizada a condição a que ele estiver subordinado. que trazem algum benefício. 66. depende de forma especial para produzir efeitos. II.a manifestação de vontade.a validade da declaração de vontade. devem ser interpretados de forma extensiva. que trazem algum benefício. se as pessoas por ele responsáveis não tiverem obrigação de fazê-lo ou não dispuserem de meios suficientes.

. de uma pessoa. em regra. (1) A lei concede personalidade ao nascituro. 74. (B) os que. (5) O Código de Defesa do Consumidor adotou a inversão do ônus probatório. 69. (33). a qual termina no instante em que o indivíduo morre. O prazo de prescrição (A) pode. ou à maneira de os exercer: (A) os que. mesmo por causa transitória. 73. no ato de contratar. que formam o seu passivo. (E) os menores de dezesseis anos. 70. (4) Define-se o patrimônio como o complexo de relações jurídicas.68. UnB / CESPE – Defensoria Pública / AL Prova Objetiva Concurso Público – Aplicação: 8/2/2003. para eximir-se de uma obrigação. a certos atos. 72. não tiverem o discernimento necessário para a prática de atos da vida civil. (3) A despersonalização da pessoa jurídica autoriza o juiz a ignorar a autonomia da pessoa jurídica e atingir o patrimônio dos sócios. ser alterado por acordo das partes. São incapazes. (E) pode ser interrompido mais de uma vez por protesto cambial. (C) os excepcionais. (2) A lei não exclui de sua proteção o menor púbere que. (6) As pessoas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos respondem objetivamente pelos danos causados por seus funcionários a direitos particulares. (C) iniciado contra uma pessoa não continua a correr contra o seu sucessor. (B) é de dez anos. pois a incapacidade é circunstância objetiva e independe da vontade do agente. apreciáveis economicamente. 71. relativamente. por enfermidade. minta acerca de sua idade. (D) os indivíduos com dezessete anos de idade. Em relação ao direito civil. julgue os itens a seguir. vinculando as responsabilidades destes frente a atos ilícitos ou abusivos cometidos pelos representantes da pessoa jurídica. impondo ao juiz a utilização desse critério em todas as ações cíveis que envolvam relação de consumo. não puderem exprimir sua vontade. emancipados pelos pais. (36). quando a lei não lhe haja fixado prazo menor. nele incluindo-se os créditos e excluindo-se os débitos. 75. (D) não pode ser renunciado pelas partes. sem desenvolvimento mental completo. havendo expressa vedação neste sentido.

riscos para o direito de outrem. (D) os que. (A) os excepcionais.º 4. marroquino. (TJ RS – 2003) 81. por sua natureza. dolo e simulação. 77. então. celebrar contrato. (B) dolo. desejando com ela contrair matrimônio. lesão e simulação. perante a LICC. (10) Em tema de responsabilidade civil. .657/1942). Se Juan Carlos. paraguaia. (C) coação. domiciliado na Espanha. (C) os que. Se João. apaixonar-se por Gabriela. São anuláveis os negócios jurídicos quando os defeitos nas declarações de vontade emanarem de. (TJ RS – 2003) 82. quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar. tenham o discernimento reduzido. relativos à Lei de Introdução do Código Civil (LICC — Decretolei n. então. (27). no Brasil. Considere a seguinte situação hipotética. falecer ao visitar parentes no Japão. perante a LICC. já casado perante a legislação brasileira. UnB / CESPE – AGU Grupo I Concurso Público – Aplicação: 31/3/2002. argentino. perante a LICC. 78. independentemente de culpa. não tiveram o necessário discernimento. deverá seguir a lei japonesa. brasileiro. deseja registrar no Brasil o seu segundo casamento realizado no Marrocos. (E) os maiores de 16 (dezesseis) e menores de 18 (dezoito) anos de idade. estado de perigo e fraude contra credores. 79. (A) erro. brasileiro. será aplicada a lei brasileira para os impedimentos dirimentes e a lei argentina para os impedimentos impedientes. e ambos estiverem domiciliados no Brasil. o Código Civil vigente prevê a obrigação de reparar o dano. com Vinícius. então. a sucessão. 80. por deficiência mental. será aplicada a lei brasileira em face do princípio locus regit actum. Nesse caso. São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil.76. com Marta. alemão naturalizado brasileiro. em regra. sem desenvolvimento mental completo. Mário. (28). brasileira. por deficiência mental. será possível tal registro em face do princípio da territorialidade moderada adotado no Brasil. Se Marcos. (B) os pródigos. perante a LICC. Julgue os itens abaixo.

(C) O Juiz não pode suprir. excede manifestamente os limites impostos pelo fim social desse direito. ao exercer um direito do qual é titular. no referentemente ao tema INVALIDADE DO NEGÓCIO JURÍDICO (art. c) É nulo o negócio jurídico quando tiver ele por objetivo fraudar lei imperativa. dolo e fraude contra credores. sem estabelecer prazo para pleitear a anulação. (D) Não corre a prescrição contra os relativamente incapazes. c) Comete ato ilícito aquele que. excede os limites da boa-fé.(D) simulação. (A) A decadência convencional pode ser alegada pela parte a quem aproveita. e) O negócio jurídico nulo não convalesce pelo decurso do tempo. (TJ RS – 2003) 83. (E) ignorância. assinale. d) A prescrição só pode ser alegada pelo próprio titular do direito em via de ser por ela atingido. d) Não comete ato ilícito aquele que. a alternativa INCORRETA: a) O fato de ser indeterminável o seu objeto anula relativamente o negócio jurídico. 29. ainda que não tenha havido. mas o Juiz não pode suprir a alegação. de sua parte. erro e estado de perigo. ao exercer um direito do qual é titular. antes de ser proferida sentença de mérito na ação em que deve ser ela argüida. 166). (TJSC – 2003) 2ª Questão: É correto afirmar-se que. c) O protesto cambial não interrompe a prescrição. b) Comete ato ilícito aquele que causa danos a outrem. 85. . b) A prescrição só pode ser alegada. será este de 4 (quatro) anos. (E) Quando a lei dispuser que determinado ato é anulável. sem cominação de sanção. a contar da data da conclusão do ato. (TJSC – 2003) 3ª Questão: Assinale a alternativa correta: a) Os prazos de prescrição podem ser alterados por acordo das partes. b) É nulo o negócio jurídico quando a lei proíbe-lhe a prática. pela parte a quem aproveita. (TJSC – 2003) 1ª Questão: Sob o prisma do Código Civil em vigor. de acordo com o Código Civil atualmente em vigor: a) Comete ato ilícito aquele que. salvo se favorecer a relativamente incapaz. mesmo atuando com omissão. não causa danos de qualquer espécie a outrem. a alegação de prescrição. e) Todas as alternativas são incorretas. (B) Os prazos de prescrição podem ser alterados pelas partes. Assinale a assertiva correta. d) O negócio jurídico nulo não é suscetível de confirmação. ação ou omissão voluntária. negligência ou imprudência. 86. de ofício. 84.

80 – ERRADA. 59 – E. 78 – ERRADA. 51 – D. 46 – D. 60 – C. 64 – C. 18 – CORRETO. 77 – ERRADA. 67 – A. 41 – C. 82 – B. 49 – C. 85 – C. 20 – CORRETO. 24 – ERRADO. 30 – D. 44 – A. 13 – ERRADO. 58 – C. 47 – E. 87 – B. 36 – E. 76 – CORRETA. 25 – ERRADO. 29 – B. 37 – D. 75 – CORRETA. 33 – D. 54 – A. 66 – D. c) a fundação pode ser criada por testamento particular. 61 – B. 5 – B. (MP MG – XLII – 2003) 41 . 87. 81 – C. 53 – C. 72 – CORRETA. 23 – CORRETO. 4 – ERRADO. 3 – ERRADO. 79 – CORRETA. 34 – B. 15 – ERRADO. 42 – A. 7 – ERRADO. 35 – E. 70 – ERRADA. 9 – ERRADO. 38 – C. . 19 – CORRETO. 65 – A. 56 – C. 16 – A. 86 – E. b) não vicia o negócio jurídico a coação exercida por terceiro. e) a prescrição corre contra os menores relativamente incapazes José Luiz Oliveira de Abreu Professor de Direito Civil BONS ESTUDOS Gabarito 1 – ERRADO. 73 – ERRADA. 8 – ERRADO. 62 – C.e) Todas as alternativas são incorretas. 28 – A. 48 – C. 31 – D. 40 – D. 52 – E. 83 – A.É INCORRETO dizer que. 17 – ERRADO. 71 – ERRADA. 55 – C. 68 – B. d) o negócio jurídico nulo não pode ser ratificado pelas partes. 27 – D. 11 – CORRETO. 69 – C. a) a simulação é causa de anulabilidade do negócio jurídico no Código Civil de 1916 e de nulidade no de 2002. 26 – CORRETO. 50 – B. 2 – CORRETO. 74 – ERRADA. 63 – A. 21 – CORRETO. 10 – ERRADO. 14 – ERRADO. 45 – A. 12 – A. 6 – D. 84 – A. 43 – C. 39 – B. 32 – C. 22 – ERRADO. 57 – B.