You are on page 1of 4

CASO PRÁTICO Em janeiro de 2005, Antonio da Silva Júnior, 7 anos, voltava da escola para casa, caminhando por uma

estrada de terra da região rural onde morava, quando foi atingindo pelo coice de um cavalo que estava em um terreno à margem da estrada. O golpe causa sérios danos à saúde do menino, cujo tratamento se revela longo e custoso. Em ação de reparação por danos patrimoniais e morais, movida em janeiro de 2009 contra o proprietário do cavalo, o juiz profere sentença julgando improcedente a demanda, ao argumento de que Walter Costa, proprietário do animal, “empregou o cuidado devido, pois mantinha o cavalo amarrado a uma árvore no terreno, evidenciando-se a ausência de culpa, especialmente em uma zona rural onde é comum a existência de cavalos”. Além disso, o juiz argumenta que já teria ocorrido a prescrição trienal da ação de reparação, quer no que tange aos danos morais, quer no que tange aos danos patrimoniais, já que a lesão ocorreu em 2005 e a ação somente foi proposta em 2009. Como advogado contratado pela mãe da vítima, Isabel da Silva, elabore a peça processual cabível.

nos autos da AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS. RG. CPF. profissão. tempestivamente. estado civil. ADVOGADO OAB RAZÕES DE APELAÇÃO Ação de Reparação de Danos Processo nºXXXXXXXXXX Juízo de OrigemXXXXXXXXXX Apelante: ANTÔNIO. bem como a inclusa guia de recolhimento das custas relativas ao preparo. representada por sua genitora ISABEL DA SILVA Apelado: WALTER COSTA . Diante do exposto requer a este juízo. vem a este juízo. estado civil. nacionalidade. representado por sua genitora Isabel da Silva. Termos em que pede deferimento Local e data. Processo nºXXXXXXXXXX ANTÔNIO DA SILVA JÚNIOR. apresentando as razões em anexo. profissão. que move em face de WALTER COSTA. na forma do Art. menor impúbere. CPF. residente e domiciliada na Rua (endereço completo) por seu advogado infra-assinado com endereço profissional (endereço). nacionalidade. dando-se vista ao apelado para oferecimento das contrarrazões e remessa dos autos para ulterior apreciação pelo egrégio Tribunal de Justiça do Estado. bem como. 520 1ª parte CPC. residente e domiciliado na Rua (endereço ). RG. se digne em receber o presente recurso nos efeitos devolutivo e suspensivo. interpor recurso de: APELAÇÃO para o egrégio Tribunal de Justiça do Estado. seu regular processamento.EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE FEIRA DE SANTANA.

quanto à contagem e prazo. quer no que tange aos danos patrimoniais. ATHAYDE NERY DE FREITAS. movida em janeiro de 2009 contra o proprietário do cavalo.. quando foi atingindo pelo coice de um cavalo que estava em um terreno à margem da estrada. em janeiro de 2005.Egrégio Tribunal. já que a lesão ocorreu em 2005 e a ação somente foi proposta em 2009. contra a qual se insurge o apelante tendo em vista o error in judicando. (Ap. ao argumento de que o apelado.. in DOMS 1149. Vejamos as jurisprudências a seguir: O dono ou o detentor do animal é o responsável pela reparação do dano por este causado. como previsto no Artigo 936 CC/2002. como forma de justiça. 10. tendo 15 (quinze) dias contados a partir do primeiro dia útil após a data da publicação. Fsp. Portanto.) .. 242 e 508 do CPC. é incabível a decisão do juiz com relação à sentença de prescrição trienal da ação de reparação. 29. proprietário do animal. quer no que tange aos danos morais. DA TEMPESTIVIDADE Esclarece o apelante que a interposição da presente apelação encontra-se em conformidade com o que prescreve os artigos 184. o juiz argumenta que já teria ocorrido à prescrição trienal da ação de reparação. Portanto. caminhando por uma estrada de terra da região rural onde morava. O golpe causou sérios danos à saúde do menino. Em ação de reparação por danos patrimoniais e morais. a ele competindo provar qualquer das excludentes da responsabilidade objetiva do Código Civil. A sentença foi publicada em. Na responsabilidade objetiva não é necessária a verificação de culpa. DOS FATOS O apelante. A responsabilidade do dono do animal é objetiva e não pode ser afastada pela simples vigilância ou guarda cautelosa do animal. o juiz profere sentença julgando improcedente a demanda. evidenciando-se a ausência de culpa. pelo que busca a reforma da sentença proferida. Merece a reforma da sentença recorrida. Além disso. p. DOS FUNDAMENTOS A vítima possuía 07 (sete) anos na data do ocorrido e certo é que a prescrição não corre contra os absolutamente incapazes. 19283. Rel.8. cujo tratamento se revela longo e custoso.83. MT. TJMS. voltava da escola para casa. especialmente em uma zona rural onde é comum a existência de cavalos”. 7 anos. posto que proferida contrariamente à prova dos autos e sem qualquer amparo legal. “empregou o cuidado devido. I c/c 3º CC/2002. Des. pois mantinha o cavalo amarrado a uma árvore no terreno. a sua responsabilidade não pode ser afastada. conforme descrito nos Artigos 198. mesmo que o proprietário tenha tomado o devido cuidado com o cavalo.

e lhe dê provimento para reformar integralmente a sentença recorrida. Rel.) A responsabilidade civil objetiva exige três pressupostos. são eles: conduta. condenando o apelado nos exatos termos da exordial. 46700. cabe ao dono provar que o guardava e vigiava com cuidado preciso(Ap. sem determinada conduta o dano não ocorreria. 3ª CC TJSC. Nestes termos. o dano é encontrado na violação à saúde do menor. ADVOGADO OAB ERMIRO FRANCISCO DAMIÃO NETO Estudante de Direito . O autor comprova com clareza a existência dessas três situações. 3) A intimação do Ministério Público.8. WILSON GUARANY. o nexo causal é evidenciado quando o dano físico causado ao menor ocorreu devido a negligência do proprietário do animal. posto que presentes os requisitos de admissibilidade. pede deferimento Local e data. a conduta que constitui ato ilícito é comprovada com a negligência do proprietário do cavalo. 2) A intimação do apelado para oferecer suas contra razões.Para livrar-se da responsabilidade de indenizar dano causado a outrem por animal de sua propriedade. que o deixou solto em um terreno à margem da estrada. 4) A condenação do apelado ao ônus da sucumbência.89. in ADV JUR 1989. Des. 15. o qual teve que se submeter a um tratamento longo e custoso.633. DO PEDIDO Diante do exposto requer a este Egrégio Tribunal 1) Conheça do recurso ora interposto. 31. p. dano e nexo causal. V. 728.