ÍNDICE
NÚMERO 06 - OUTUBRO/NOVEMBRO 2012

Apresentação

O Festival Geia de Literatura

Festival Geia de Literatura: um espaço de crescimento
Clipe Mary Del Priore São Luís

O Festival Geia de Literatura e o Projeto Professor Pesquisador

Voluntário: uma camisa que nos cabe muito bem!
Palestra de Mary Del Priore em São Luís Palestra de Mary Del Priore em São José de Ribamar
Participantes

Clipe Mary Del Priore São José de Ribamar

Encontro com Acadêmicos
O Festival Geia de Literatura

Oficinas para estudantes Oficinas para professores Teatro Prêmio Geia de Monografia

Sebastião Moreira Duarte

Festival Geia de Literatura: um espaço de crescimento Joaquim Gomes

Leitura na Praça Feira de Livros Depoimentos
Programação

Expediente

APRESENTAÇÃO

A sexta edição da revista Plural é dedicada ao FESTIVAL GEIA DE LITERATURA, realizado a cada ano, na última semana de agosto, na cidade de São José de Ribamar, distante 30km de São Luís. Inspirado no evento literário de Parati, no Rio de Janeiro, oferece a estudantes, professores e a todos que participam de suas atividades a oportunidade de aprimorar conhecimento e desenvolver habilidades de liderança, trabalho em grupo, pesquisa e criatividade. Durante os três dias do evento, intelectuais, escritores, romancistas, cronistas e poetas estão em contato direto com a população, participando de palestras, debates, feira de livros, oficinas literárias, concursos e competição entre escolas, valorizando a cultura e a tradição do Maranhão. Um pouco de cada uma das ações desenvolvidas durante o Festival poderá ser apreciada nesta edição, que apresenta inúmeros vídeos com o desempenho dos participantes. Aos patrocinadores – Vale, Alumar, Grupo Mateus, Mardisa e Toyolex Autos – e colaboradores – Prefeitura de São José de Ribamar, Sistema Mirante e Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís –, nossos agradecimentos.

Jorge Murad Presidente do Conselho Deliberativo Instituto Geia
Sumário
3/3

O FESTIVAL GEIA DE LITERATURA

Sebastião Moreira Duarte

A cidade de São José de Ribamar pertence ao santo mais popular dos maranhenses e, há oito anos, também pertence ao Festival Geia de Literatura. Um e outro são causa do maior movimento de público no que se havia convencionado ver apenas como uma “tranquila estação balneária”.

O Santo tem-se encarregado de manter o aspecto de pequena vila –convite à quietação do espírito, brisa leve a soprar das praias, sol claro, mar aberto, e casas que sugerem um quadro de pintura naïve, um “ótimo astral”, como por lá se ouve dizer – a um aglomerado urbano que, entre bairros e povoa4/8

Sumário

Foto: Beatriz Maia

antes de tudo. talismã e atalaia do imenso litoral maranhense. com a presença de autores celebrados. Para realizar tal objetivo. se promovesse maior aproximação entre o universo dos produtores literários. em primeiríssimo plano.dos. do outro. entrou em contato com a Foto: Albanir Ramos Sumário 5/8 . desenvolvidos. o Instituto Geia. apenas certificado do apoio das empresas que o integram. desde 2005. nicho da devoção popular. e a população juvenil. ou sobre eles lançasse luz. mas um encontro de gerações. em seu vasto espectro. que tem acontecido. mas fugindo aos moldes do gênero. nos três dias úteis finais da última semana de agosto. de promover o mercado editorial e seus arredores. noutros lugares. a mais visível e diretamente receptiva. Atendendo às condições e necessidades locais. de um lado. no qual. As características daquele retiro natural foram sugestão a que aí se realizasse o Festival Geia de Literatura. dominado pelo santuário. soma hoje para mais de 160 mil habitantes. que está nas escolas do Ensino Médio e nos últimos anos do nível Fundamental. De Literatura se tem chamado o Festival ribamarense. cujo nome e prestígio polarizam ações e atenções de todo os participantes. no sentido. Ali. desde o primeiro momento. inverteram-se aqui os vetores: um evento que não se voltasse para os literatos. não há como fugir ao que a paisagem imediata impõe à imaginação: São José de Ribamar é o promontório que se alteia sobre a baía. e pela estátua do Padroeiro.

Sessão de leitura Imagem Institucional Peça Infantil Imagem Institucional Palestra de Valéria Silva Prefeitura Municipal de São José de Ribamar – através de suas Secretarias de Educação e de Cultura – e. De um lado. passados já oito anos – é o verem-se venerandos “imortais” sentados em meio 6/8 Sumário Imagem Institucional . no incentivo de novas vocações para o mundo das letras. tem caracterizado as relações entre os que escrevem e seu público. cenáculo mais distinto de representação da intelectualidade maranhense. com vantagens evidentes para a Educação e a Cultura. pretendia-se assegurar a sua continuidade. com a Academia Maranhense de Letras. desfazendo-se aquela aura de “venerabilidade” e distância que. na pessoa daqueles que mais se têm destacado na sua prática. abrindo-se espaço para o maior conhecimento e melhor apreço de sua obra. simultânea e significativamente. E assim. mas com uma intenção pedagógica. pois. de ambos os lados: buscava-se a valorização da literatura em si mesma. ensejava-se o diálogo entre dois polos geracionais. um acontecimento novo – e ainda emocionante. ontem e hoje. pelo exemplo vivo daqueles que a fazem. tratava-se de pôr em relevo a importância da cultura literária. De outro lado. em companhia das universidades e instituições de ensino superior de São Luís. de ordinário.

E não falta o teatro. germina e cresce. ou explicando passagens e episódios que os pequenos leitores já haviam lido como exercício preparatório para o Festival. Sem deixar de ser de Literatura. E como toda semente que. contando-lhes os segredos de elaboração da própria obra. com a presença e o autógrafo de seus autores. por um Desafio de Literatura (em parceria com a Faculdade Atenas Palestra da Mary Del Priore Imagem Institucional Feira de Livros Imagem Institucional Palestra de Laura Amélia Damous 7/8 Sumário Imagem Institucional . professores universitários têm oferecido cursos. há quatro anos. à medida que passaram os anos. O empreendimento não deixou de chamar a atenção de outros municípios. lançada em boa terra. Começando por não se restringir aos três dias em que se torna “acontecimento público”. conferências e debates.a jovens estudantes. deixando-se sabatinar sobre os mistérios da criação literária. Enquanto isso. a feira de livros e o lançamento de livros. para seus colegas professores da rede escolar do Município e para a população em geral. o Festival é antecedido. ou trabalhos práticos. foi expandindo seu rol de realizações. o Festival Geia. que têm mandado representações para dele participarem. enriqueceu-se progressivamente com um elenco de ações. que têm ajudado a elevar o desempenho estudantil.

Plenamente alcançados. a disputar o Prêmio de Monografias Acadêmicas. Em paralelo a essa programação. são convidados a participarem do Concurso Professor Pesquisador. Para Ribamar. e no qual são premiados os projetos pedagógicos que visem a alcançar melhor qualidade para as escolas em que trabalhem. apurado e proclamado em escala nacional. na “hora da festa”. University of Alabama. enquanto isso. Para esse segmento. se enfrentarem numa ruidosa Gincana interescolar. no quanto possível). e de formato semelhante. neste ano. e Mary Del Priore. estiveram conosco os historiadores Laurentino Gomes. pela verificação do melhor desempenho das escolas ribamarenses. que neste ano se realiza pela terceira vez (com a colaboração da Faculdade Pitágoras. PhD em Literatura Latino Americana. membro da Academia Maranhense de Letras.Maranhense – FAMA). Os professores. realizado no interior das escolas ribamarenses. além disso. feita para alunos de nível médio (que também leram previamente uma obra do/da autor/a) e repetida no dia seguinte. para os participantes do evento. A Capital maranhense. a ela agregou-se uma Olimpíada de Matemática. versando temas de literatura e ciências sociais. de São Luís). entre outros indicadores. Sumário 8/8 . também implementado há três anos.Sc Administração Universitária. O Festival Geia de Literatura chega à sua oitava edição como empreendimento já sedimentado no calendário cultural de São José de Ribamar e de São Luís. tem ficado com o privilégio da avant-première do Festival: a palestra de uma autoridade de nome nacional e internacional. seus objetivos se medem. no ano passado. no outro lado da Ilha. nas quais os alunos se dedicam a ler e estudar uma ou mais obras de escritores (maranhenses. University Illinois. para. Sebastião Moreira Duarte M. acorrem também alunos de instituições universitárias de São Luís.

Festival Geia de Literatura: um espaço de crescimento Joaquim Gomes O Festival Geia de Literatura. na última semana de agosto. Durante três dias. aborda um aspecto que entendo ser o mais valioso de todos. Pela mobilização que produz e por falar de literatura. por iniciativa do Instituto Geia. o gosto pela leitura. Sumário 9 / 12 Ginásio Patronato São José onde se realiza o Desafio de Literatura Imagem Institucional . nos últimos oito anos. promove o que há de mais cultural no estado do Maranhão. realizado anualmente na balneária cidade de São José de Ribamar. a comunidade escolar do município de São José de Ribamar.

em quatro grandes áreas do evento. bem como a realização de oficinas. supervisores e alunos. oferece. E. Um mundo de faz de conta que acaba por encerrar o comportamento desses jovens no futuro. A arte da palavra por meio da literatura. a saber: Oficinas e Minicursos. Sumário 10 / 12 Imagem Institucional Imagem Institucional Imagem Institucional . por fim. no centro da cidade. com exposição de livros. performances. diretores. o Desafio de Literatura (em edições anteriores. oferecidos a professores e alunos. denominado de Gincana). durante esses três dias. participa do Festival Geia de Literatura. e. como não poderia deixar de ser. dividido nessas duas categorias. a cidade respira arte. voltadas para o público acadêmico. plantas nativas do Maranhão. sessões de autógrafo e premiações. por isso. palestras e uma agenda bastante diversificada na Praça da Igreja. teatro. área de participação exclusiva do professor. O certo é que. sessão de comunicação de monografias. respectivamente. que envolve toda a rede escolar do município – ensino fundamental e médio. em que são apresentados e avaliados os trabalhos de pesquisa. Professor Pesquisador.formada por professores. o Festival. ainda. em que este tem a oportunidade de divulgar o seu trabalho na escola em que atua.

notadamente do Desafio de Literatura.posto que a literatura é a representação da matéria da vida. É com a leitura de Arthur Azevedo. de companheirismo. para citar alguns dos escritores trabalhados durante o Desafio. quando o tempo estiver exigindo a participação dessa geração nos ditames sociais. de maneira mais acentuada. Por enquanto. O texto literário é tudo isso e muito mais. assim como tantos outros que serão apresentados. o homem de amanhã. Como integrante da equipe de organização do Festival. uma modalidade de realização que aprisiona o homem em sua totalidade. que é por meio da educação que se elevam as pessoas e se edifica uma cidade. Marina Colassanti. a alegria da participação. o espírito de luta. O reflexo só será percebido. no futuro. É da reunião desses sentimentos que esses alunos forjarão. Aluisio Azevedo. a vontade de ganhar e o amor pela Escola. que é possível sonhar com uma vida melhor. a tristeza pela falta de coroação. que se pode pensar nas mudanças sociais que tanto a sociedade recla11 / 12 Sumário Imagem Institucional Imagem Institucional Imagem Institucional . Humberto de Campos. sinto o quanto esse evento produz de bom para esses jovens. o que fica é o entusiasmo. Um homem que sabe que é misto de emoção e razão.

Joaquim Gomes Mestre em Teoria Literária pela Universidade Estadual Paulista de São José do Rio Preto-SP. de exaltação. Sendo assim. O espírito mágico que preenche e contagia as escolas. Sumário 12 / 12 Imagem Institucional . posto que já vivenciaram essa atmosfera. civilizada. tornando-se uma pessoa mais ética. porque sei que esses meninos-jovens olharão para cada cantinho de sua terra com uma esperança de fazer melhor e de disseminar o conhecimento. É por isso que acredito nesse projeto. cidadã. de somar conquistas. e professor da Faculdade Atenas Maranhense. durante o Festival. com eventos dessa envergadura. o Festival Geia de Literatura é motivo de louvor. é só uma parte do resultado daquilo que a leitura é capaz de fazer.ma.

somente a partir das últimas décadas do século XX pôde perceber o quanto importante é a troca de competências. 13 / 19 Sumário . ninguém se educa a si mesmo. Acostumada a uma educação rígida.Paulo Freire (1921-1997). a sociedade brasileira levou muito tempo para compreender o processo de ensino-aprendizagem. em que os jesuítas eram os responsáveis pelo frágil sistema escolar. mediatizados pelo mundo” Paulo Freire Trata-se de um olhar completamente revolucionário sobre o ato de ensinar. ao longo de séculos de dominação portuguesa. os homens se educam entre si. reacionária. mas também para todos aqueles que atuam na educação (no sentido mais amplo da palavra). isto é. escreveu em seu livro Pedagogia do Oprimido: “Ninguém educa ninguém. de práticas e experiências no mundo da escola. referência não só para a Pedagogia.

o poder de escrever as páginas mais memoráveis da literatura brasileira. a escola brasileira. de José Lins do Rego. há muitos exemplos para dissuadi-los. do escritor norte-americano Edgar Rice Burroughs (1875-1950). na medicina. ao contrário. A partir daí. diretores e alunos). ou o Sérgio. as ideias progressistas passaram a definir o trabalho do professor na sala de aula. tivesse o poder de. teve uma visão mais ampla do que se configura como ensino-aprendizagem. como a personagem Tarzan. Não que ele. uma vez que jamais teve condições financeiras de frequentar uma escola que o pudesse projetar para uma carreira na advocacia. sozinho. caso o conhecimento fosse passado de um homem a outro pelo ensino tradicional. seria um completo desconhecido mesmo na sua época. a educação que teve o menino Carlos. focando mais na construção do saber do que na transmissão do conhecimento. etc. de O Ateneu. Basta aqui citar apenas dois: Machado de Assis e Humberto de Campos. em que os processos pedagógicos. só teve seu método questionado a partir dos anos 80. no romance Doidinho. aqueles conteúdos que os seus discípulos deveriam digerir. com seus agentes (professores. de Raul Pompeia. técnicos pedagógicos. tais como Sumário 14 / 19 . tornou-se um dos escritores brasileiros mais estudados nas universidades brasileiras e um dos prosadores nacionais mais conhecidos em grandes centros do saber espalhados pela Europa. Mas. O que ocorreu com o autor de Memórias Póstumas de Brás Cubas foi um longo processo de amadurecimento intelectual que ele conseguiu a custa de muito esforço e muito contato com grandes intelectuais de sua geração. sozinho. como se um soberano estivesse diante de seus súditos ou seus escravos. Para aqueles que ainda pensam que o mais eficaz método de ensino é ainda o da escola do século XIX. aprender a ler os grandes clássicos que mais tarde o influenciariam e também. Machado de Assis. América espanhola e Estados Unidos. através de uma ditadura do saber.Desta forma. em que um mestre do alto de sua autoridade determinava. na magistratura.

no contato que teve com os referidos intelectuais. tornou-se um dos prosadores mais lidos do seu tempo. João Ribeiro. entre outros. José de Alencar. Não o ensinaram. como Coelho Neto. de história. para citar apenas alguns nomes. com a leitura que estes fizeram de seus textos. para isso. No contato com grandes intelectuais. por exemplo). de literatura. Sumário 15 / 19 Imagem Institucional . sem falar do aprendizado com a leitura de livros de filosofia. ainda que. nem ensinou os homens de letras mais moços que ele. Como Machado. com os diálogos travados com os mais jovens (como Arthur Azevedo. Teve que percorrer um longo caminho até poder escrever os seus primeiros textos. um José de Alencar (brilhante estudante de Direito da Faculdade de São Paulo) ou um Castro Alves (estudante das duas Faculdades de Direito do Brasil no século XIX). Manuel Antônio de Almeida. etc. o autor de O Monstro e outros contos não teve as mesmas oportunidades que teve um Gonçalves Dias (indo estudar em Coimbra).o editor Paula Brito. Mas. houve ensino-aprendizagem de todos os lados. O que se disse do autor de Dom Casmurro pode ser referido também a um outro escritor não menos fecundo que aquele: trata-se do maranhense Humberto de Campos. tivesse que sacrificar a própria saúde. Quintino Bocaiúva. Olavo Bilac.

O tema foi escolhido por uma comissão de professores universitários: Jomar Morais: vida e obra.Trago tudo isso à baila para refletir algumas questões acerca do Concurso Professor Pesquisador que o Festival Geia de Literatura organiza na cidade de São José de Ribamar. humanas. Terminado o Festival. etc. Dessa forma. O primeiro deles e mais importante era que uma temática voltada para um escritor abarcava apenas os professores de Língua Portuguesa (quando muito algum docente de Artes ou de História).). 2010. a proposta era incentivar os professores da rede municipal de ensino da referida cidade à pesquisa. a comissão avaliou alguns percalços. o Festival Geia de Literatura pela primeira vez abriu a possibilidade para todos os docentes das mais variadas áreas do conhecimento (exatas. Na ocasião. um professor de Matemática. Como incluir. por exemplo. podemos observar os seus verdadeiros objetivos – muito além de simplesmente premiar os docentes pelo trabalho desenvolvido. deixando de fora do projeto todos os outros agentes educacionais. Porém. a partir de 2011. O Concurso Professor PesquisaEntrega do Prêmio do Concurso Professor dor foi criado no evento literário de Pesquisador de 2010. a ideia que pode passar é que se trata de apenas um incentivo a professores que desenvolvem atividades extra-classe relacionadas às suas atividades docentes. quando se penetra um pouco mais no âmago desse projeto. Assim. ou de Ciências? A referida comissão aprovou uma alteração na proposta do concurso. na sétima edição do Festival Geia de LiImagem Institucional Sumário 16 / 19 . Observando superficialmente esse concurso.

é necessário que se reflita um pouco sobre os fatores positivos do concurso. como uso de jornais na escola. contendo descrição. o público-alvo. de que maneira a comunidade escolar de São José de Ribamar pode se enriquecer. premiou o professor Domingos Sávio Holanda da Silva. que apresentou o seguinte trabalho: O índio na sociedade atual – resgate da história indígena em São José de Ribamar. com o desenvolvimento deste tipo de prêmio. bem como uma avaliação do projeto como um todo. vencedor do Concurso Professor Pesquisador 2012. já com o formato definido em torno de projeto escolar. e. isto é. entre outros. Antes de mais nada. O vencedor. em linhas gerais. Em 2012. Entrega do Prêmio do Concurso Professor Domingos Sávio Holanda da Silva. quando a escola propõe aos alunos que escrevam pe17 / 19 Pesquisador 2011. houve uma série de trabalhos contemplando vários aspectos ligados ao ensino.O docente deveria apresentar um projeto executado (ou em execução) numa escola. teratura. durante o evento. os objetivos propostos e alcançados. expor. é importante salientar que. Dito isso. feira de ciências. na sua oitava edição. Imagem Institucional Imagem Institucional Sumário . no ato de sua inscrição. tratou da relação entre o Egito antigo e algumas características da América. por escrito e documentada. o Festival. professor de História Hélio Marinho de Souza Neto. culturalmente.

o objetivo do Concurso Professor Pesquisador não é formar novos nomes para compor um (futuro) Panteão Maranhense do início do século XXI. O objetivo é valorizar o docente que cria as melhores condições para que o corpo discente construa o seu próprio conhecimento. Porém os professores de Artes e. a construir(em) maquetes sobre cidades. Muito menos formar um novo Humberto de Campos. reflita melhor sobre a história. Estimulando-os a analisar(em) o continente africano. no seio da escola sobretudo. etc. estão desenvolvendo o seu verdadeiro papel na escola: estimulando o aprendizado. numa 5ª. não simplesmente transmitindo conhecimento.. nem tampouco formar autodidatas nas ciências. de Língua Portuguesa têm incentivado em todos os níveis de ensino esse tipo de produção textual. a exemplo de grandes inventores que ilustraram a genialidade humana. não tem por finalidade formar contistas dentro da sala de aula. Pode até não vir a se tornar um contista. sobre as ciências. a estudar(em) a linguagem dos jornais. sobretudo. Segundo os livros didáticos. Todos devem estar cientes. tal atividade pode despertar o sentido criativo de cada aluno. etc. Sumário 18 / 19 . Finalmente. os docentes. sobre captação de água de rios para o consumo. mas certamente passa a entender melhor a construção dos textos. maneje melhor a linguagem. É o que acontece quando os professores incentivam os seus alunos a serem agentes na construção do seu próprio conhecimento. nem quando incentiva a criação de pequenos poemas rimados. série. aprimore o seu intelecto. para encerrar. de fato.quenos contos. deseja formar poetas na sociedade em que está inserida.

2001. organizador do Festival. Dino Cavalcante Sumário 19 / 19 . São Paulo: Cortez. 9ª ed. Portanto o professor deve olhar o ensino muito mais como um mestre que. _____________. Rio de Janeiro. cria as condições necessárias para o ensino. de todas as classes sociais. Referências FREIRE. com técnicas pedagógicas. Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade Estadual paulista e Professor do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão. 22ª ed. 1981..). A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. Pedagogia do Oprimido. o Geia. sobretudo. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Paulo. esse modelo de ensino-aprendizagem. que a criança e o adolescente. 3ª ed. também mudaram o seu comportamento ao longo das últimas quatro ou cinco décadas. O texto na sala de aula. João Wanderley (Org.que a sociedade evoluiu. Editora Paz e Terra. Valorizando esse professor e. São Paulo: Ática. GERALDI. Secretaria de Educação Fundamental. cumpre um dos seus mais importantes objetivos. 1988. Brasília : MEC/SEF. 1998.

é vislumbrar a relevância do ocorrido e refletir sobre o mesmo. adquirindo a qualidade de ser memorável.VOLUNTÁRIO: UMA CAMISA QUE NOS CABE MUITO BEM! Contar uma história é selecionar os momentos de maior significado para que quem a ouça ou leia consiga sentir a experiência daquele que a conta. Inúmeros foram os momentos onde entrei em contato com aquilo que mais tenho o prazer de ter presente em minha Sumário 20 / 24 Imagem Institucional . História que anseia fixar-se na memória. Já conhecia o Festival Geia desde suas primeiras edições. Assim é minha história com o Festival Geia de Literatura e toda a gratificante experiência que venho tento desde a tarde de 28 de agosto de 2008. sinônimo fiel de inesquecível.

Estes . ocorrida em 2007.vida: a Literatura. veio a ser meu professor. sentado e inquieto nas cadeiras. e José de Ribamar Neres. na tarde de 28 de agosto de 2008. grande estudioso da literatura e exímio contador de histórias. e ser agente integrante na realização daquele Festival. Uma valiosa observação: descobri depois que dia 28 de agosto é o dia Nacional do Voluntário! Quem acredita em coincidência não verá nada de fascinante nisso. na 3ª edição do Festival. exposta com clareza e contundência pelos conferencistas. profícuo estudioso de nossa literatura. Até então participava do Festival Geia do lado de fora das cortinas.e muitos outros que vim a conhecer por ali.desde então. porém. mas Imagem Institucional Sumário 21 / 24 . o qual. explodiu a vontade de atuar também no palco. como Antônio Martins e José Dino Cavalcante. Sebastião Moreira Duarte. mais tarde. que foram: Raimundo Marreiros. mestre e amigo no curso de Letras na Universidade Federal do Maranhão . o qual tive a ousadia de já ter remetido à sua análise alguns dos meus poemas. Jamais esquecerei a conferência “As lições de Cazuza na obra de Viriato Correa”. tanto pela profunda sensibilidade que o livro apresenta. quanto pelos conferencistas em si. são sempre convidados aos eventos literários aos quais tenho o prazer de integrar a organização.

Por que não vestir essa camisa?! Confesso que no momento pensei mais na camisa em sentido literal do que propriamente na integração na equipe: queria aquela camisa como lembrança daquele Festival! Conheci o pessoal da coordenação do Instituto Geia no dia seguinte. último dia do Festival. onde ocorre a Feira de Livros e onde ganhei a camisa de voluntário de 2008. que guardo desde então como símbolo de como toda a minha história como voluntário começou. Sempre observava de um lado para o outro os voluntários. 7.352. Em meio à empolgação. contei a eles que desejava participar do Festival como voluntário e que iria procurá-los no ano seguinte. com suas costumeiras camisas brancas que trazem estampada no peito o brasão do Geia. ajudando na efetiva e bem sucedida realização do evento. “o garoto que correu Sumário 22 / 24 Imagem Institucional .sem saber que esta data fora instituída pela Lei Nº. com dedicação e compromisso. na Praça da Matriz. Um ano se passou e ali estava eu. Confissão ouvida talvez mais como apenas uma exultação efusiva de quem é presenteado com uma camisa. como dia Nacional do Voluntário e começar a relação com o Instituto Geia nesse dia nunca me parecerá casual. seriam transformadas em ações. mas foram palavras que a partir dali. de 28 de agosto de 1985.

e que por sua vez realizado sem muito compromisso. Foi quando propus a formação de um corpo de monitoria. Em sua caminhada. cresceu e precisou de mais voluntários comprometidos com a causa. colocando-me como voluntário do Festival! Em 2009 fora o mesmo ano que se iniciara a Gincana Geia do Conhecimento. como demonstra o surgimento dos Concursos “Professor Pesquisador” e “Prêmio Geia de Monografia” –. que Joseane Maia deixou sobre minha responsabilidade. que toma consciência do mundo em sua volta. e mais uma vez o Geia cresceu – fato constante. o ser humano encontra necessidades que vão além do lucro capital. Muitos taxam o trabalho voluntário como apenas um “trabalho realizado sem remuneração”. mas sim remuneração de valores e satisfação em ajudar em uma causa. É próprio do ser. ser um agente transformador de Sumário 23 / 24 Imagem Institucional Imagem Institucional . mas também formando verdadeiros voluntários profissionais. E o que me dá maior orgulho: voluntários que firmam boas relações de amizade.atrás da camisa”. corpo de voluntários que desde então vem não apenas crescendo. Ideia tão simplista quanto errônea. a necessidade de sentir-se útil a um bem maior. sentir-se engajado em uma causa.

mas todas as razões passam pelo fato de ser uma experiência enriquecedora para o crescimento interior e satisfação do ser humano. Grupo de voluntários que cada ano vem fazendo um trabalho que se supera. que é a formação de jovens leitores conscientes do mundo ao seu redor. e tais valores os monitores voluntários do Geia possuem em abundância. torna-se presença constante. Gladson Fabiano de Andrade Sousa Sumário 24 / 24 . A prova desta satisfação em ser voluntário está no fato que nenhum voluntário participa somente uma vez do Festival. pois saem de sua rotina para dedicar seu tempo ao Festival Geia de Literatura. entusiasmo e. que é o imenso espírito de equipe. vou participar!”. onde há amizade. Cada um encontra as razões próprias para voluntariar-se. mas a todo e qualquer ser humano. mal termina um Festival e já vem informando: “próximo ano não se esqueça de mim. É e imensamente gratificante ver tanto a alegria e entusiasmo dos jovens que assistem às palestras do Festival quanto entrar em contato direto com a efusão de conhecimento e dedicação destes jovens nas gincanas. compromisso. uma vez que passa por tal experiência. Valores estes fundamentais não somente a voluntários. certamente ali o Instituto Geia cumpre uma de suas mais importantes missões.sua realidade. trabalho feito com dedicação. respeito e amor ao que faz. Quem imaginaria que vestiria tão bem aquela camisa que me foi “presenteada” em agosto de 2008?! Voluntário é uma camisa que cai muito bem a todos! Vistam também esta camisa! Graduando do curso de Letras da Universidade Federal do Maranhão e monitor voluntário do Instituto Geia. o que mais tenho o prazer em notar nestes voluntários. espírito de união.

PARTICIPANTES DO VIII FESTIVAL GEIA DE LITERATURA Albanir Ramos Grupo de Teatro da Escola Maria Amélia Bastos Formado por alunos especias do Ensino Fundamental e do EJA Peça: A Bailarina. Sumário 25 / 38 . A Turma da Mônica.

Gerente do Desenvolvimento Regional de Itapecuru e membro do Conselho Universitário da Universidade Federal do Maranhão. Graduada em Língua Portuguesa e Literaturas e Língua Espanhola e Literaturas pela Universidade Federal do Maranhão. Membro da Comissão Julgadora do III Prêmio Professor Pesquisador Antônio Martins Filólogo. atuando nas áreas de Literaturas Brasileira e Portuguesa. Fiema: vinte anos de lutas e vitórias. Secretário da Cultura do Estado do Maranhão. membro da Academia Maranhense de Letras e da Academia Brasileira de Filologia. Atualmente é membro e presidente da Academia Maranhense de Letras. graduado em Direito pela Universidade Federal do Maranhão. é considerado um dos maiores pesquisadores da Língua Portuguesa. Em 1975. Presidente do Conselho Estadual de Cultura. TEMA: A biografia de João Lisboa Benedito Buzar Graduado em Direito pela Faculdade de Direito do Maranhão. Exerceu os cargos de: Secretário de Educação e Cultura da Prefeitura Municipal de São Luís. Encontro com acadêmicos Sumário 26 / 38 . Publicou Melhores Contos de Artur Azevedo. Noel Rosa Língua e Estilo. Especialista em Crítica Literária pela Universidade Estadual do Maranhão. em parceria com Castellar de Carvalho. Eleição de Chateaubriand no Maranhão e outros. da Maratur e do Sioge. passou a editar as obras de Artur Azevedo. Chão do tempo e A herança de João de Barros e outros estudos. É professora substituta na Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Do Sarneysmo ao Vitorinismo. Doutor em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publicou os livros A greve de 51.Aldenora Márcia Chaves Pinheiro Carvalho Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal do Maranhão.

Membro da Comissão Julgadora do IV Desafio de Literatura Sumário 27 / 38 .FUNARTE.UFMA. Especialista em Língua Portuguesa e Literatura pela Faculdade Santa Fé. Aprendendo o Latim com facilidade e Os sentimentos femininos nas obras shakesperianas. Peça: Atrapalhaças Dino Cavalcante Graduado em Letras pela Universidade Federal do Maranhão . Realiza projeto de circulação nacional com os espetáculos “Palita no Trapézio” e “História de Todos os Dias” com patrocínio do Ministério da Cultura . é professor do Departamento de Letras da UFMA. Ministrou os cursos A sintaxe da Língua Latina. Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade Estadual Paulista. Foi contemplada com Bolsa FUNARTE de criação de números circenses e circulou pelo Projeto “SESC-Amazônia das Artes” por toda a região norte do Brasil. ambos em parceria com José Neres. Leciona na rede de ensino médio particular de São Luís e nas faculdades UNICEUMA e FAMA. Tem dois livros publicados: Os epigramas de Arthur e O discurso e as ideias. Membro da Comissão Julgadora do III Prêmio Professor Pesquisador Evandro Abreu Figueiredo Filho Graduado em Letras pela Faculdade Atenas Maranhense . Peculiaridades da Língua Latina. Desenvolve atualmente pesquisas na área de literatura maranhense. atuação e intervenção na cena urbana. investigando a partir das técnicas do teatro de rua a ocupação.FAMA.Companhia MiraMundo Fundada em 2012. propõe-se a pesquisar a cena no espaço aberto.

com alunos do 3º ano da U.ABHR. Atua como pesquisadora voluntária no projeto de pesquisa da Faculdade Atenas Maranhense “Literatura e cinema: diálogos intersemióticos”. PEÇA: Pluft. é pós-graduada em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira pela Faculdade Santa Fé. OFICINA: Brincando com as letras. Pesquisadora na Comunidade Remanescente Quilombola de Juçatuba.I. tecendo conhecimento Grupo de Teatro da Escola Municipal Liceu Ribamarense II Grupo formado por alunos do 6º ano da Escola Municipal Liceu Ribamarense II. Está envolvida com a pesquisa sobre o livro Lavoura Arcaica de Raduan Nassar e sua adaptação para o cinema e com o projeto de poesia “São Luís em canto e versos’’. licenciada em Língua Portuguesa e Língua Estrangeira (Inglês) pela Universidade Federal do Maranhão. atuando nas áreas de ensino fundamental em escolas públicas e particulares. coordenado pela professora Kaylla Ferreira Pinheiro.Fernanda da Cruz Cerdeira Graduanda em Letras pela Faculdade Atenas Maranhense. tem experiência em prática de ensino. Barjonas Lobão. o fantasminha Sumário 28 / 38 . nos campos das religiões de matriz africana e discussões de gênero e pesquisadora da Associação Brasileira de História das Religiões . Professora nas redes de ensino pública de São José de Ribamar. apresenta peça baseada no livro de Sandra Aymone – O livro que queria ser um brinquedo. OFICINA: São Luís em canto e versos Flávia Leite Gomes Graduada em Letras.

Membro da Comissão Julgadora do IV Desafio de Literatura Iraci da Silva Cabral Pedagoga e especialista em Educação Ambiental e Gestão Participativa de Recursos Hídricos pelo Instituto Federal de Educação. PEÇA: O aprendiz de feiticeiro Hilma Machado Lima Graduada em Letras pela Universidade Estadual do Maranhão. exerce o cargo de Secretária Adjunta de Ensino no município de São José de Ribamar. Ciência e Tecnologia do Maranhão-IFMA. Coordenadora Ambiental do SENAI.Grupo de Teatro do Curso de Letras do Uniceuma Formado por alunos do Curso de Letras do Uniceuma. é coordenado pelo professor Evandro Abreu Figueiredo Filho. OFICINA: Fábrica de Letras Isabela Ribeiro Silva Graduanda em Biologia pelo Instituto Federal de Educação. Encena peças inspiradas em clássicos da literatura. Ciência e Tecnologia do Maranhão-IFMA. Atualmente trabalha no Parque Ambiental da Alumar como educadora ambiental. OFICINA: Fábrica de Letras Sumário 29 / 38 .

publicou Brevíssima Canção do Amor Constante.UFMA e pós-graduado em Literatura Brasileira pela Pontifícia Universidade Católica/MG. OFICINA: A literatura maranhense contemporânea em sala de aula Membro da Comissão Organizadora do IV Desafio de Literatura Membro da Comissão Julgadora do II Prêmio Geia de Monografia Laura Amélia Damous Formada em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão. Exerceu as funções de Diretora do Teatro Arthur Azevedo. Os Epigramas de Artur (2000). OFICINA: Criação Literária Membro da Comissão Organizadora do IV Desafio de Literatura José de Ribamar Neres Graduado em Letras pela Universidade Federal do Maranhão . Poema de Desamor (2003). Publicou Negra Rosa e Outros poemas (1999). Traje de Luzes Arabesco e Sumário 30 / 38 . A mulher de Potifar (2002).Joaquim de Oliveira Gomes Graduado em Letras pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA. É membro fundador da Academia Vianense de Letras. Restos de Vidas Perdidas(2006) e 50 Pequenas Traições. é professor da Rede Estadual de Educação e da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA. Arco do Tempo. leciona Literatura Maranhense na Faculdade Atenas Maranhense. Mestre em Teoria Literária pela Universidade Estadual Paulista de São José do Rio Preto-SP. além de crônicas e artigos científicos. Publicou o livro infantil O Jabuti que falava inglês. Estratégias para matar um leitor em formação (2005). Poeta. é membro da Academia Maranhense de Letras. Superintendente de Interiorização da Cultura e Secretária de Cultura do Estado do Maranhão.

UVA.IESMC. Miguel de Cervantes . TEMA: A poesia maranhense contemporânea Macilda Sena dos Santos Graduada em Letras e pós-graduada em Magistério Superior. física e matemática. e “Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras”. Coordenador da Comissão Julgadora da III Olimpíada de Matemática Marcelo Henrique Leão Pinheiro Graduado em Física pela Universidade Católica de Pernambuco e Especialista em Estatística. Atualmente é professor das seguintes faculdades: Universidade Estadual Vale do Acaraú . Membro da Comissão Julgadora da III Olimpíada de Matemática Sumário 31 / 38 . Faculdade Pitágoras. Membro da Comissão Julgadora do IV Desafio de Literatura Manoel Machado Amorim Graduado em Matemática pela Universidade Federal do Maranhão. especialista MBA executivo em Gestão Tecnológica e Inovação pela Fundação Getúlio Vargas. Desenvolve trabalhos na área de prática de laboratório na área de informática. leciona Língua Portuguesa e Literatura na rede pública estadual de ensino e Língua Portuguesa e Inglesa na Faculdade Atenas Maranhense-FAMA. Participou da obras “Poesia Maranhense do Século XX”. Faculdade São Luís e da Pós-graduação da Universidade Regional do Cariri – URCA. Atualmente é professor de Matemática na Secretaria de Estado da Educação do Maranhão e da Faculdade Pitágoras. de Assis Brasil.Cimitarra. Foi professor da Universidade Estadual do Maranhão UEMA. de Nelly Novaes Coelho.

no Curso de Direito. TEMA: Coletânea de versos Maria do Socorro Pereira da Costa Graduada em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Federal do Maranhão. Coordena o Programa Alfa e Beto na Secretaria Municipal de Educação do Município de São José de Ribamar. Pós-Graduada em Língua Portuguesa. o Projeto “Direito e Clássicos da Literatura: análises literárias e experiências teatrais como incentivo à leitura e domínio da oratória”. Pós-Graduada em Língua Portuguesa e Literatura pela Faculdade Atenas Maranhense.FAMA. Juntando Pedaços. TEMA: Novo acordo ortográfico no Brasil: “obrigatoriedade e aplicabilidade nas produções textuais”. nossa Cidade. e São Jose de Ribamar. Poesia para a Vida.Maria da Glória Batista Lima Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA e licenciada em Matemática na Universidade Estadual do Maranhão . Membro da Comissão Julgadora do IV Desafio de Literatura Marineis Merçon Graduada em Pedagogia. Educadora Ambiental do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável – CIEDS. É editora da Revista “Estudos Multidisciplinares” da UNDB onde desenvolve. pela Faculdade Atenas Maranhense . OFICINA: Elaboração de Projeto Pedagógico Marilene Pereira da Silva Graduada em Letras pela Universidade Estadual do Maranhão. Professora de Português e Metodologia da Pesquisa da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco .UNDB. pela UEMA. Pé na Estrada. Suas obras literárias são: Meu Boi.UEMA. nosso Povo. Sumário 32 / 38 . nosso Santo.

jornalista. Encontro com acadêmicos Sumário 33 / 38 . outorgado pela Fundação Joaquim Nabuco. Publicou. Subsídios para a história do Maranhão (1978). Ingressou na magistratura em 1994. Membro da Comissão Julgadora do IV Desafio de Literatura Milson Coutinho Graduado em Direito pela Universidade Federal do Maranhão . Michelle Bahury Graduada em Letras pela Universidade Estadual do Maranhão. professor universitário. entre outros. O Príncipe Maldito. é historiador. e a Universidade Salgado de Oliveira. O Maranhão no Senado (1986). Publicou História da Criança no Brasil. História das Mulheres no Brasil. e o Prêmio Jabuti. na França. Ganhou o Prêmio Casa Grande & Senzala.Mary Del Priore Especialista em História do Brasil. Memórias dos cento e oitenta anos do Tribunal de Justiça-1813/1993 (1993). É professora de Língua Inglesa de escola pública estadual e de Literatura Estrangeira na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e na Faculdade Atenas Maranhense (FAMA) para o curso de Letras. Histórias Íntimas: sexualidade e erotismo na história do Brasil e A Carne e o Sangue. A revolta de Bequimão (reedição. Lecionou História em várias universidades brasileiras. O Poder Legislativo do Maranhão (1981). a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. tais como a Universidade de São Paulo. concluiu o doutorado em História Social na Universidade de São Paulo e pós-doutorado na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales. com especialização em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa.UFMA. membro da Academia Maranhense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. 2004). História do Amor no Brasil.

meu colibri Sumário 34 / 38 . Lançamento do livro Beija-flor. OFICINA: Produção textual Rafael Quevedo Graduado em Filosofia e Letras pela Universidade Federal do Maranhão. Tem publicado poemas em jornais local. É professor de Literatura na Faculdade Atenas Maranhense.Mônica da Silva Cruz Graduada em Letras pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). onde também orienta projeto de pesquisa em Literatura e Cinema. doutora em Lingüística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho(UNESP/Araraquara). As aventuras de um cachorro viajante (2002) e São José de Ribamar Lendas em versos II (2003). Atualmente. Secretária do Movimento Ecológico Regional de Saúde com Arte – MOVERSARTE. Publicou São Luís em Poesias (1997). Membro da Comissão Julgadora do III Prêmio Professor Pesquisador Perla Alves Silva Graduada em Letras pela Faculdade Atenas Maranhense – FAMA. Membro da Comissão Julgadora da IV Desafio de Literatura Raimunda Pinheiro de Sousa Frazão Graduada em Teatro pela Universidade Federal do Maranhão. Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Espírito Santo e Doutor em Literatura pela Universidade de Brasília. é professora do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). São José de Ribamar Lendas em versos (1998).

Membro da Comissão Julgadora da III Olimpíada de Matemática Rarilson Saraiva da Silva Estudante do curso de Biologia pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão-IFMA. OFICINA: Elaboração de Projeto Pedagógico Sumário 35 / 38 . OFICINA: Fábrica de Letras Rosania Mendonça Ferreira Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA e pós-graduanda em Psicopedagogia e Docência do Ensino Superior no Centro de Ensino Universitário do Maranhão É educadora ambiental do SENAI. Atualmente.Raimundo Martins Reis Neto Graduado em Matemática pela Universidade Federal do Maranhão. é professor do Departamento de Matemática da Universidade Estadual do Maranhão . OFICINA: Fábrica de Letras Rosemeri Teixeira Barros Graduada em Comunicação Social – Relações Públicas pela Universidade Federal do Maranhão. Estagiário do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI no Parque Ambiental da ALUMAR. Articuladora Social do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável – CIEDS. empresa prestadora de serviços ao Parque Ambiental da Alumar. especialista em Fundamentos de Matemática e mestre em Ensino da Matemática pela Pontifícia Católica de Minas Gerais.UEMA e professor da Faculdade Pitágoras no Curso de Engenharia.

OFICINA:Avaliação escolar sob perspectiva de Jussara Hoffman Sumário 36 / 38 . redação e análise crítica de obras literárias para vestibulares e concursos. Didática. Anotações sobre linguagem (2000). Atua nas seguintes áreas: formação de professor. Mestra em Educação. Épica americana: O Guesa. De sua obra. Palavra cadente (2001). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela UFMA (2001). Professora da FAMA. crítico textual e editor. é professor aposentado da UFMA. Ler para aprender. Bandeira Poética de São Luis.Sebastião Moreira Duarte Membro da Academia Maranhense de Letras. destacam-se os títulos O périplo e o porto (1990). Penumbra (1998). Desenvolve trabalho de leitura. Encontro com acadêmicos Suly Rose Pereira Pinheiro Graduada em Pedagogia pela UFMA(1996). publicou Alegorias. exerceu a cátedra universitária em diversas instituições brasileiras e estrangeiras. Coordenador da Comissão Julgadora do II Prêmio Geia de Monografia Sônia Almeida Especialista em Semiologia Aplicada ao Ensino de Língua e Literatura. Tribuzzi. licenciado em Filosofia e Pedagogia. Gênero e Educação e Metodologia da Pesquisa. e o Canto GeneraI. de Pablo Neruda (1992). Estudos sobre o mosaico (1992). de Sousândrade.Mestra em Educação pela UFPA (2010). Aula de redação: uma viagem transdisciplinar (2004). professora do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão e membro da Academia Maranhense de Letras. Mestre em Administração Universitária pela Universidade do Alabama e Doutor em Literatura Latino-Americana pela Universidade de Illínois. A épica e a época de Sousândrade (2002).

Licenciamentos Ambientais. Dirigiu A Comédia do Coração. Gestão Ambiental da Área Portuária. Bento e o Boi (teatro. 1979). A Via Sacra. TEMA:Resíduos sólidos Waldemiro Viana Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Maranhão. Publicou. 2005). de Paula Gonçalves. É responsável pela Gestão de Resíduos Sólidos. de Pedro Bloch. A Ilha (novela. de Artur Azevedo. Exerceu os cargos de diretor da Divisão de Serviços Patrimoniais da UFMA e de diretor-executivo da Fundação Sousândrade. 1987). contos. 1975). TEMA: O escritor e o teatro Lançamento do livro Crônicas Valéria Silva Graduada em Engenharia Ambiental pela Universidade FUMEC – Fundação Mineira de Educação e Cultura. dramaturgo e crítico teatral. Trabalha no Consórcio de Alumínio do Maranhão – ALUMAR. do Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís. entre outros. Caminho sem Tempo (teatro. Dicionário de Teatro (reedição. 1998). Sol dos Navegantes (contos. Encontro com acadêmicos Membro da Comissão Julgadora do II Prêmio Geia de Monografia Sumário 37 / 38 . diretor. O Rei da Vela. A questionável amoralidade de Apolônio Proeza. Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. de Owald de Andrade e Capital Federal. é membro da Academia Maranhense de Letras. O mau samaritano. de E. e montou as peças O Natal na Praça. de Henry Ghéon. Prêmio Artur Azevedo. Histórias de Amar e Morrer (Prêmio Domingos Barbosa da Academia Maranhense de Letras. é membro da Academia Maranhense de Letras. 1978). Os Inimigos não mandam flores. de Henry Ghéon. Auditora Interna do Sistema de Gestão Integrada – SGI.Ubiratan Teixeira Ator. de Ghelderod. Publicou Graúna em roça de arroz.

Diretora do Centro de Criatividade “Odylo Costa. OFICINA: Fábrica de Letras Zelinda Lima Pesquisadora da Cultura Popular Maranhense. Lançamento do livro Pecados da Gula Sumário 38 / 38 . Publicou os livros Rezas e Benzimento: a Fé do Povo e Pecados da Gula.Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Maranhão. Coordenadora Executiva da Exposição Itinerante Brasil + 500. com experiência em Educação Ambiental pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA). prestando serviço no Parque Ambiental da Alumar. Assessora da Secretaria de Cultura do Maranhão.Wemerson Rodrigo Filgueiras Fonseca Graduado em Geografia . reeditado pelo Instituto Geia. Educador Ambiental pelo SENAI. filho”. Exerceu os cargos de Diretora do Centro de Cultura Popular “Domingos Vieira Filho”. Presidente da Empresa Maranhense de Turismo.

Ensino Médio LOCAL CURSO PRÉ-VESTIBULAR MUNICIPAL Peças de Teatro: • A bailarina .Grupo de Teatro do Liceu Ribamarense II • O aprendiz de feiticeiro .Alunos especiais do Ensino Fundamental da Escola Municipal Maria Amélia Bastos • A turma da Mônica .Grupo de Teatro do UniCeuma II Prêmio Geia de Monografia Sumário 39 / 41 . o fantasminha .Alunos especiais do EJA da Escola Municipal Maria Amélia Bastos • Pluft.Ensino Fundamental • IV Desafio de Literatura .PROGRAMAÇÃO FESTIVAL GEIA DE LITERATURA LOCAL GINÁSIO PATRONATO SÃO JOSÉ DE RIBAMAR • Palestra de Mary Del Priore • IV Desafio de Literatura .

Grupo de Teatro do UniCeuma LOCAL Palestras: • Coletânea de versos .Maria da Glória Batista • Resíduos sólidos .LOCAL Palestras: LICEU RIBAMARENSE • Novo acordo ortográfico no Brasil: obrigatoriedade e aplicabilidade nas produções textuais .Valéria Silva • Encontro com os acadêmicos Sônia Almeida.Ubiratan Teixeira • A biografia de João Lisboa .Marineis Merçon • A poesia maranhense contemporânea .Laura Amélia Damous Peça de Teatro: • O aprendiz de feiticeiro . Waldemiro Viana. Milson Coutinho e Benedito Buzar LOCAL Palestras: • O escritor e o Teatro .Companhia MiraMundo III Concurso Professor Pesquisador SECRETARIA DE TURISMO LICEU RIBAMARENSE II Foto: Beatriz Maia Sumário 40 / 41 Foto: Beatriz Maia .Antônio Martins Peça de Teatro: • Atrapalhaças .

Maria do Socorro Pereira da Costa e Rosemeri Teixeira Barros • Fábrica de Letras .Joaquim de Oliveira Gomes • Elaboração de projeto .Flávia Leite Gomes • Criação literária: o conto . Isabela Ribeiro Silva.Ubiratan Teixeira Lançamento do livro Teatro escolhido – Fernando Moreira Lançamento do livro Pecados da Gula. Rosania Mendonça Ferreira e Wemerson Rodrigo Filgueiras Fonseca • São Luís em canto e verso .Suly Rose Pinheiro • A literatura maranhense contemporânea em sala de aula . de Zelinda Lima Foto: Beatriz Maia Sumário 41 / 41 .Iraci da Silva Cabral.Perla Alves Silva • Brincando com as letras.Fernanda Cerdeira e James Dias • Avaliação escolar sob perspectiva de Jussara . tecendo conhecimento .LOCAL Oficinas: CASA PAROQUIAL • Produção Textual . Rarilson Saraiva da Silva.José Ribamar Neres LOCAL • • • • PRAÇA DA MATRIZ Sessão de Leitura Infantil Lançamento do livro Crônicas .

nº 1.geiaplural. sala 102. não refletindo a opinião da revista nem do Instituto Geia.br www. Q. contato@geiaplural.org. localizada na Av.org. Sumário 42 / 42 . 121.br ISSN: 2238-4413 As opiniões e conceitos emitidos pelos autores são de exclusiva responsabilidade dos mesmos. Plural é uma publicação bimensal editada pelo Instituto Geia.075-440 Fonefax: +55 98 3227 6655.EXPEDIENTE Editor: Jorge Murad Edição: Instituto Geia Gerente Executiva: Josilene Maia Editoração Eletrônica: Aline Durans Capa: Aline Durans Vídeos: Albani Ramos Edição de Vídeos: Rogério Lima Desenvolvedor Web: Helder Maia Colaboradores: Dino Cavalcanti. São Luís–MA CEP 65.Colares Moreira. Gladson Fabiano de Andrade Sousa. Cel. Sua publicação tem o propósito de estimular o debate e refletir as diversas opiniões do pensamento atual. Joaquim Gomes e Sebastião Moreira Duarte.

Companhia Energética do Maranhão CIGLA .Cia. Ind.geia.org.br EMPRESAS ASSOCIADAS Agropecuária e Industrial Serra Grande Alpha Máquinas e Veículos do Nordeste ALUMAR Atlântica Serviços Gerais Bel Sul Administração e Participações CEMAR . Galletti de Laminados Ducol Engenharia Grupo Mateus Lojas Gabryella Mardisa Veículos Moinhos Cruzeiro do Sul Niágara Empreendimentos Oi Rápido London SempreVerde Televisão Mirante UDI Hospital VALE Sumário 43 / 43 .

Sumário 1/1 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful