Curso Profissional de Marketing Ano lectivo: 2011/2012 Disciplina: Economia Módulo 4

Portefólio Moeda de Papel

Trabalho realizado por: Carlos Matos, Nº2 Cátia Marques, Nº5 Mariana Valente, Nº10 Mónica Campos, Nº11

Marília Teixeira

Índice Introdução……………………………………………………………………………………………3 Conceito de moeda………………………………………………………………………………4 Funções da moeda……………………………………………………………………………… 5 Troca direta ……………………………………………………………………………………… 6 Troca indireta………………………………………………………………………………………7 Evolução da moeda …………………………………………………………………………….9 Evolução dos tipos de moeda ………………………………………………………10/11 Euro………………………………………………………………………………………………………12 Algumas moedas já utilizadas em Portugal …………………………………13 Conclusão.8 Inconvenientes da moeda-mercadoria ………………………………………….……………………………………………………………………………………………14 2 .

é um factor fundamental. com o fim de proporcionar o conhecimento acerca da evolução da moeda. satisfazendo as suas necessidades básicas. Esperamos que o trabalho seja do agrado de todos. tanto como as suas necessidades mais supérfluas. A Moeda (dinheiro). através do poder de compra.Introdução Este trabalho destina-se à disciplina de economia. 3 . pois permite ao indivíduo usufruir da sociedade.

a moeda não é mercadoria. que admite a moeda como instrumento de Economia Política. criado pelo Estado. o institucional. mas apenas instrumento financeiro. Nesse caso. criado pelo Estado. devendo ser de metal fino e produzida como qualquer outra mercadoria. a moeda é usada como mercadoria. nas relações de troca. mas é tomada pelo seu valor nominal. 4 . a moeda não constitui valor económico. como símbolo. Já no conceito nominalista. a serviço das finanças públicas. com poder liberatório. A este conceito estatal sobrepõe-se outro. a serviço dos interesses da coletividade.Conceito de Moeda No conceito metalista. Para esse realismo monetário. com poder liberatório. os saldos comerciais e a produção do metal fino é que determinam a quantidade de moeda em circulação.

a moeda que expressa o valor dos bens e serviços.é possível guardar moeda com vista adquirir bens ou serviços no futuro. Meio de pagamento . permite adquirir os bens e os serviços.sendo aceite por todos. 5 . Reserva de valor .Funções da moeda Medida de valor .

Na troca directa existiam grandes obstáculos. por exemplo.Troca direta É a troca direta.  A divisibilidade ou fraccionamento dos bens. aquele que deseja vender bananas para adquirir sapatos. de moeda. 6 .  O elevado número de transacções.  A atribuição de valor aos bens. tais como:  A dupla coincidência de desejos. ou seja. precisa de encontrar alguém que possua sapatos e queira trocálos por bananas.  O transporte dos bens. que tem a desvantagem óbvia de exigir dupla coincidência de fins entre comprador e vendedor. que terminam por adquirir a qualidade de meio comum de troca. Com o passar do tempo e com a intensificação dos intercâmbios. aparecem espontaneamente certas mercadorias dotadas de grande aceitação geral.

A história regista os mais variados tipos de mercadoria-moeda. tais como gado (em latim. donde pecuniário). o que facilita muito o comércio. 7 . anzóis. durabilidade e facilidade de transporte e estucagem desses metais. No curso do tempo o uso monetário do ouro e da prata prevaleceu. sal (daí salário). pecus. divisibilidade. na qual o referido produtor de bananas troca a sua mercadoria por dinheiro e depois dinheiro por sapatos. homogeneidade. tabaco etc. conchas. pedras.Troca indireta A troca indireta. dada a raridade.

Evolução da moeda Desde as primeiras civilizações até meados do século VII a. reprodutibilidade e possibilidade de prestação de serviços. O homem descobriu. Com o intuito de facilitar mais ainda as transações comerciais. com o tempo. Entretanto. como locomoção própria. O gado bovino era uma excelente moeda de troca devida suas várias utilidades para quem trocava. pois este ocupava menos espaço. como ferramentas e armas. a moeda em forma de bilhete feito de papel só surgiu no período da Idade Média. para a época. 8 . Com o tempo o formato. que era muito mais fácil carregar ouro em barra (a princípio) do que carregar mercadorias para se fazer trocas.C. o sal também foi utilizado como moeda de troca devido à sua dificuldade de obtenção. Assim como o gado. que naquele tempo era muito utilizado na fabricação de utensílios. Entretanto. tamanho e composição das moedas foram sendo aprimorados até que se chegassem ao formato da moeda que conhecemos nos dias de hoje. e grande importância na conservação dos alimentos. não existia a noção de dinheiro como estamos habituados a ver e lidar nos dias correntes. tudo foi mudando e as mercadorias que eram utilizadas como moedas foram perdendo a sua força assim que o homem descobriu a possibilidade de trabalhar com o metal. As pessoas adquiriam alimentos e objetos através de trocas. então.

9 .Inconvenientes da moedamercadoria  Haver falta de moeda. pois era um bem útil e era utilizada para fins não monetários.  O seu fraccionamento.  A deteriorização. nem sempre era fácil ou conveniente. porque por vezes era difícil conservá-la no tempo.  O transporte também nem sempre era fácil e prático.

Cada sociedade adoptava como moeda os bens relacionados com a sua actividade principal. o peixe estragava-se e o sal não era duradouro porque sofria com a humidade. conchas. cereais. etc. Assim.Evolução dos tipos de moeda Moeda-Mercadoria: Nas sociedades primitivas muitos foram os bens utilizados como moeda: gado. peixes. o gado. búzios. sal . Para superar estes inconvenientes foi-se generalizando . tal facto dificultava as trocas de menor valor. como moeda. os pescadores utilizavam. os agricultores os cereais. Vantagens da utilização dos metais como moeda:     Facilidade de transporte Durabilidade Divisibilidade Maior aceitação 10 . a utilização de metais como moeda. peixes ou sal. Moeda Metálica: Como a moeda-mercadoria apresentava várias desvantagens visto que: o gado não era divisível. conchas. os pastores. etc.

A moeda-escritural tem-se desenvolvido em todo o mundo. O papel-moeda. dadas as suas enormes vantagens ao nível da divisibilidade. A moeda-escritural resulta.Papel-moeda: O papel-moeda. da circulação dos depósitos à ordem. foi assumindo diferentes espécies em função do grau de vinculação à moeda metálica. conservação e transporte. 11 . assim. constituída por notas de banco. Moeda Escritural: Esta moeda resulta dos depósitos feitos pelos particulares e pelas empresas nos bancos e traduz-se nas movimentações de valores monetários feitas pelos bancos por simples jogos de escrita nas contas dos seus clientes. constituída por notas de banco. intervindo na maior parte dos pagamentos efectuados. pois à quantidade de notas em circulação equivalia igual valor de ouro ou prata retido nos cofres dos bancos. começou por ser moeda representativa.

e como moeda escritural desde 1 de Janeiro de 1999. 20 e 50 cêntimos e de 1 e 2 euros. 12 .Euro O euro (€) é a moeda oficial de 16 dos 27 países da União Europeia. 200 e 500 euros e moedas de 1. 10. O euro existe na forma de notas e moedas desde 1 de Janeiro de 2002. Um euro divide-se em 100 cêntimos. 100. 5. Cada moeda em circulação tem uma face comum e uma face que depende do país para que foi cunhada. 50. 10. 2. 20. existindo notas de 5.

Algumas moedas já utilizadas em Portugal  Reais pretos  Índio de prata  Espadim de prata  Tostões de prata  Cruzado de ouro  Português de ouro  Cruzado de prata  Centavo de bronze  Escudo 13 .

a vontade do homem de adequar o seu instrumento monetário à realidade da sua economia. concluímos a nossa apresentação. esperamos que tenham gostado. a Moeda. mas acima de tudo aprendido algo novo sobre o objecto que faz o mundo girar.Conclusão A moeda surgiu de uma necessidade e a sua evolução reflecte. Assim. a cada momento. 14 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful