You are on page 1of 37

AVISO

CONCORRÊNCIA N.° 001/2003
A Prefeitura do Município de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de
Transportes, comunica que se encontra aberta licitação, na modalidade
CONCORRÊNCIA, sob o n.° 001/2003, do tipo melhor proposta em razão da
combinação dos critérios de maior oferta pela outorga da concessão com o de melhor
técnica.
OBJETO:
Outorga de concessão onerosa para exploração de estacionamentos rotativos em
vias e logradouros públicos para veículos automotores e similares, através de
parquímetros eletrônicos multivagas.
PRAZOS:
Os envelopes n°s 01 (um), 2 (dois) e 03 (três) deverão ser entregues na Secretaria
Municipal de Transportes, Rua Treze de Maio 1.376, 5°andar - fundos – Bela Vista,
São Paulo, até às 9h30 do dia 31de Outubro de 2003.
A sessão pública de abertura do envelope n. ° 01 (um) - DOCUMENTOS DE
HABILITAÇÃO - terá início às 10h do dia 31de Outubro de 2003.
Os interessados poderão ter acesso à íntegra do Edital através do site da Secretaria
Municipal de Transportes, na internet, no endereço:
http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/transportes/licitacoes/0001 podendo,
alternativamente, obter o CD - ROM correspondente na Secretaria Municipal de
Transportes, no endereço supra citado, a partir do dia 16 de Setembro de 2003,
mediante entrega de um exemplar de CDR-80 sem qualquer uso.
JULIANA BATISTELA GUIMARÃES
Presidente da Comissão Especial de Licitação
p.1 / 36
EDITAL DE LICITAÇÃO
ÍNDICE
1. CAPÍTULO I - DO OBJETO DA CONCESSÃO..........................................................4
2. CAPÍTULO II - DO PRAZO.........................................................................................4
3. CAPÍTULO III - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO..........................................4
4. CAPÍTULO IV - DO PROCESSO LICITATÓRIO........................................................6
5. CAPÍTULO V - DA VISITA TÉCNICA.........................................................................7
6. CAPÍTULO VI - DA GARANTIA DA PROPOSTA.......................................................8
7. CAPÍTULO VII - DOS DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO.......................................8
8. CAPÍTULO VIII - DO CONTEÚDO DO ENVELOPE Nº 02 - PROPOSTA TÉCNICA
.............................................................................................................12
9. CAPÍTULO IX - DO CONTEÚDO DA PROPOSTA COMERCIAL - ENVELOPE Nº
03 ........................................................................................................15
10. CAPÍTULO X - DO JULGAMENTO DA LICITAÇÃO..............................................18
11. CAPÍTULO XI - DO RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES.............22
12. CAPÍTULO XII - DOS RECURSOS........................................................................24
13. CAPÍTULO XIII - DAS OBRIGAÇÕES DA CONCESSIONÁRIA............................25
14. CAPÍTULO XIV - DAS OBRIGAÇÕES DO PODER CONCEDENTE....................28
15. CAPÍTULO XV - DO REAJUSTE DAS UE’S..........................................................30
16. CAPÍTULO XVI - DAS FONTES DE RECEITAS COMPLEMENTARES...............30
17. CAPÍTULO XVII - DOS BENS REVERSÍVEIS.......................................................31
18. CAPÍTULO XVIII - DA CONSTITUIÇÃO DA EMPRESA CONCESSIONÁRIA......31
19. CAPÍTULO XIX - DA ENCAMPAÇÃO....................................................................32
20. CAPÍTULO XX - DA RESCISÃO CONTRATUAL...................................................32
21. CAPÍTULO XXI - DA EXTINÇÃO DA CONCESSÃO.............................................32
22. CAPITULO XXII - DAS PENALIDADES.................................................................34
23. CAPITULO XXIII – DA GARANTIA DO CONTRATO.............................................34
24. CAPITULO XXIV – DO VALOR DO CONTRATO..................................................34
25. CAPITULO XXV - DO CONTRATO........................................................................35
26. CAPITULO XXV – DAS DISPOSIÇÓES FINAIS....................................................36
p.2 / 36
EDITAL DE LICITAÇÃO
CONCORRÊNCIA
001/2003
A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, por meio da SECRETARIA
MUNICIPAL DE TRANSPORTE, torna público, para conhecimento de quantos
possam interessar, que fará realizar licitação objetivando selecionar empresa e/ou
consórcio para outorga da concessão a título oneroso, da exploração de
estacionamentos rotativos em vias e logradouros públicos para veículos automotores
e similares, através de parquímetros eletrônicos multivagas, cujas vagas estão
distribuídas em 02 (dois) lotes, no Município de São Paulo, balizado pela Lei
Municipal n. º 12.523 de 28 de novembro de 1.997, que visa dar a esse serviço uma
característica sistêmica, racionalizando sua operação e exploração, tornando-o mais
eficiente, melhorando a sua qualidade para os usuários e contribuindo para melhoria
da qualidade de vida da população da cidade de São Paulo.
A licitação será realizada na modalidade Concorrência, de âmbito nacional, do tipo,
melhor proposta em razão da combinação dos critérios de maior oferta pela outorga
da concessão com o de melhor técnica, para exploração, mediante concessão.
A presente licitação é regida pelas disposições da Lei Municipal n. º 12.523 de 28 de
novembro de 1.997, Lei Municipal nº 13.278 de 07 de janeiro de 2002, Decreto
Municipal nº 41.772, de 08 de março de 2002, Decreto Municipal nº 37.292 de 27 de
janeiro de 1.998, alterado pelo Decreto nº 37.540 de 27 de julho de 1998; e também
pela Lei Federal nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; Lei Federal nº 9.074, de 07 de
julho de 1995; Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, e
demais normas aplicáveis, em especial às cláusulas e condições fixadas no Edital.
A sessão de abertura dos ENVELOPES n.º

01 - Documentos de Habilitação, realizar-
se-á no mesmo local, às 10h do dia 31 de Outubro de 2003.

A presente licitação foi precedida de audiência pública, nos termos do Art. 39, da Lei
Federal n. º 8.666/93 e suas alterações, divulgada no Diário Oficial do Município de
21 de Maio de 2003, e realizada em 05 de junho de 2003.
p.3 / 36
1. CAPÍTULO I - DO OBJETO DA CONCESSÃO
1.1. O objeto é a concessão a título oneroso, da exploração de estacionamentos
rotativos em vias e logradouros públicos para veículos automotores e similares,
através de parquímetros eletrônicos multivagas.
1.2. As vagas de estacionamento a serem exploradas através do objeto em
referência estão divididas em dois lotes, conforme definido no – “Termo de
Referência” deste Edital.
1.3. A descrição e a especificação dos serviços de Estacionamento, os bairros onde
serão implantados o sistema rotativo, bem como as condições, formas de
operação e demais dados técnicos necessários para a elaboração da Proposta
Técnica, constam do deste Edital.
2. CAPÍTULO II - DO PRAZO
2.1. O prazo da concessão será de 15 (quinze) anos, contados da data da
assinatura do contrato, podendo ser prorrogado por até mais 15 (quinze) anos.
2.2. A prorrogação prevista no item deixará de ser efetivada na hipótese de o
concessionário não apresentar satisfatório padrão de desempenho na
prestação do serviço ao longo do período contratual, devidamente aferido em
avaliações periódicas pelo Poder Concedente, e, ainda, observada a
inexistência de manifestação contrária de uma das partes.
2.3. O prazo máximo para implantação e início de operação da 1ª etapa do
estacionamento rotativo será de até 180 (cento e oitenta) dias contados a partir
da data de emissão da Ordem de Serviço, conforme estabelecido no subitem
1.4.1. do - Termo de Referência.
3. CAPÍTULO III - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO
3.1. Será vedada a participação de empresas:
3.1.1. declaradas inidôneas ou suspensas do direito de licitar e contratar, por
ato do Poder Público;
3.1.2. em processo de concordata, de falência deferida ou autofalência;
3.1.3. estrangeiras não estabelecidas no Brasil;
3.1.4. cujos dirigentes, gerentes, sócios ou componentes do seu quadro
técnico sejam diretores ou servidores da Secretaria Municipal de Transportes e de
suas entidades para-estatais ou que o tenham sido nos últimos 02 (dois) anos
anteriores à data desta Concorrência;
3.1.5. cujas propostas façam quaisquer referências a propostas de outras
Licitantes, ou ainda envelopes da mesma empresa ainda não abertos pela Comissão
de Licitação, sob pena de inabilitação.
p.4 / 36
3.2. Será permitida a participação de consórcio com, no máximo, 2 (duas)
empresas.
3.2.1. A participação de empresas em consórcio deverá atender ao disposto
nos incisos I a V e §§ 1º e 2º, do artigo 33 da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações, ao
artigo 19 da Lei Federal nº 8.987/95 e alterações, assim como as seguintes
condições:
3.2.1.1. É vedada a participação de empresa consorciada nesta
licitação através de mais de um consórcio ou isoladamente.
3.2.1.2. O instrumento de compromisso público ou particular de
constituição do consórcio deverá, obrigatoriamente, ser
subscrito pelos consorciados, sob pena de inabilitação, bem
como assinalar as respectivas proporções de participação
das empresas consorciadas e:
3.2.1.2.1. indicar o líder e conferir-lhe amplos poderes
para representar as consorciadas, ativa e
passivamente, em todos os atos necessários
durante o processo licitatório;
3.2.1.2.2. estipular que a empresa líder do consórcio
representará, com exclusividade, as demais
empresas consorciadas no decorrer da
licitação, podendo, inclusive, assumir obrigações
pelas demais, sem prejuízo da responsabilidade
solidária das empresas consorciadas;
3.2.1.2.3. estipular o compromisso de as empresas
integrantes do consórcio constituírem uma
Sociedade de Propósito Específico, caso
vencedores do certame, nos termos do item .;
3.2.1.2.4. As empresas consorciadas serão responsáveis
solidariamente pelos atos praticados em
consórcio, durante fase de licitação e também
durante a execução do respectivo contrato,
nesta última hipótese em regime de
solidariedade com a empresa Concessionária a
ser constituída pelos membros do consórcio.
3.2.2. Quanto à apresentação da documentação:
3.2.2.1. Cada empresa do consórcio deverá atender, individualmente,
toda a documentação solicitada nos itens ., ., ., ., . e ;
3.2.2.2. Na comprovação da qualificação técnica, serão considerados
os somatórios dos quantitativos das certidões de acervos
técnicos e dos atestados de responsabilidade técnica
apresentados pelas empresas constituintes do consórcio,
devendo cada empresa consorciada comprovar a execução
dos serviços descritos no item e subitens.
3.2.2.3. Na comprovação do item . será admitido o somatório dos
valores de cada consorciado, acrescido de 30% (trinta por
p.5 / 36
cento), conforme o disposto no artigo 33, inciso III da Lei
Federal nº 8.666/93 e alterações.
3.2.2.4. A comprovação do cumprimento do disposto no item e no
Capítulo V, item ambos deste Edital, poderá ser feita por
qualquer dos consorciados;
3.2.2.5. Os índices econômico-financeiros exigidos no item ., deverão
ser comprovados individualmente por cada empresa
integrante do consórcio.
3.2.2.6. São documentos integrantes deste Edital, para todos os seus
efeitos, os seguintes Anexos, conforme abaixo:
Anexo I Termo de Referência
Anexo II Minuta do Contrato
Anexo III Carta de Credenciamento
Anexo IV Declarações do Licitante
Anexo V Mapas de Estacionamento Rotativo
Anexo VI Carta Proposta Comercial
Anexo VII Declaração do Ministério do Trabalho
4. CAPÍTULO IV - DO PROCESSO LICITATÓRIO
4.1. A presente licitação será dividida em 03 (três) etapas, a saber:
4.1.1. Habilitação;
4.1.2. Proposta Técnica;
4.1.3. Proposta Comercial.
4.2. Os envelopes contendo, separadamente, os Documentos de Habilitação,
Proposta Técnica e Proposta Comercial serão recebidos em sessão pública, no
dia 31 de Outubro de 2003, às 10h, no endereço estipulado no preâmbulo
deste Edital.
4.3. Após o horário estabelecido, não será recebida nenhuma espécie de
documento, tampouco serão permitidos acréscimos ou modificações nos
elementos em exame.
4.3.1. As Proponentes deverão apresentar 03 (três) envelopes opacos,
indevassados e fechados, identificados como segue:
p.6 / 36
CONCORRÊNCIA Nº 001/2003
ENVELOPE Nº 01 - DOCUMENTO DE HABILITAÇÃO
Razão Social ou Denominação da Proponente
4.3.2. Todos os documentos deverão ser apresentados em uma via, sendo
que os documentos originais poderão ser substituídos por fotocópia autenticada, nos
termos do artigo 32 da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações.
4.3.3. Todas as cópias deverão ser numeradas e rubricadas pelo
representante legal da Proponente.
4.3.4. Juntamente com os envelopes, a Proponente deverá apresentar carta,
em papel timbrado, assinada por seu representante legal em que credenciará seu
representante, o qual poderá manifestar-se durante o procedimento licitatório por
meio de:
4.3.4.1. Procuração por instrumento público outorgado pela empresa
Proponente que lhe confere poderes para representar a
mesma no processo licitatório e ainda desistir de recursos.
4.3.4.2. No caso de sócio ou titular da Proponente, a comprovação
de sua qualidade e de poderes, se fará por meio do contrato
social e última alteração, onde conste o nome do
representante na sociedade.
4.3.4.3. As Proponentes poderão indicar, no mesmo instrumento,
outros representantes para que se manifestem durante o
procedimento licitatório na ausência ou impossibilidade dos
titulares o fazerem. Tais representantes deverão se
identificar através de documentos comprobatórios
reconhecidos.
4.3.4.4. A não indicação de representante legal impedirá a
Proponente de se manifestar durante as sessões.
5. CAPÍTULO V - DA VISITA TÉCNICA
p.7 / 36
CONCORRÊNCIA Nº 001/2003
ENVELOPE Nº 02 - PROPOSTA TÉCNICA
Razão Social ou Denominação da Proponente
CONCORRÊNCIA Nº 001/2003
ENVELOPE Nº 03 - PROPOSTA COMERCIAL
Razão Social ou Denominação da Proponente
5.1. A Proponente interessada em apresentar proposta, deverá realizar visitas
técnicas nos locais de implantação do estacionamento rotativo, e declarar tal
conhecimento, conforme item contido no - Declarações do Licitante, que
deverá ser apresentado com os demais documentos exigidos para habilitação –
Envelope n.º 01, conforme preceitua o item 7.4.4 deste Edital.
6. CAPÍTULO VI - DA GARANTIA DA PROPOSTA
6.1. Até 48 (quarenta e oito) horas antes da data aprazada para recebimento e
abertura das propostas, as Proponentes deverão apresentar garantia do
cumprimento das obrigações decorrentes de sua participação na Licitação, no
valor de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais)
6.1.1. A garantia poderá consistir em caução em dinheiro ou títulos da dívida
pública, seguro-garantia ou fiança bancária.
6.1.1.1. Na hipótese de apresentação de garantia na modalidade
fiança bancária, esta deverá obedecer ao modelo constante
nas Portarias SF nºs 21/96, de 30/03/96 e 18/00, de
12/04/00.
6.1.2. As garantias vigerão até a data de celebração do Contrato, quando as
mesmas serão devolvidas às Proponentes.
6.1.3. A garantia será restituída nos seguintes casos:
6.1.3.1. Integralmente, caso a Proponente seja inabilitada após o
julgamento dos recursos que vierem a ser interpostos ou
tenha a sua proposta desclassificada.
6.1.3.2. Para as demais participantes, na assinatura do contrato de
Concessão.
7. CAPÍTULO VII - DOS DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO
O Envelope nº 01 deverá conter:
7.1. Declaração da Proponente afirmando a inexistência de fato superveniente
impeditivo de sua participação neste certame;
7.2. Declaração expressa e incondicional de concordância com todas as condições
deste Edital e seus Anexos, conforme modelo do - Declarações do Licitante.
7.3. Documentação relativa à Habilitação Jurídica:
7.3.1. Procuração especificada no subitem ., deste Edital;
7.3.2. Ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor e suas
alterações, devidamente registrado, em se tratando de sociedades comerciais, e, no
caso de sociedades por ações, acompanhado de documentos de eleição de seus
administradores, que comprovem que seu ramo de atividade satisfaz o objeto desta
Concorrência;
p.8 / 36
7.3.2.1. Inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades civis,
acompanhada do ato de nomeação da diretoria em exercício;
7.3.2.2. Decreto de autorização, em se tratando de empresa ou
Sociedade Estrangeira estabelecida no País, e ato de
registro ou autorização de funcionamento expedido pelo
órgão competente, quando a atividade assim o exigir;
7.4. Documentação relativa à Qualificação Técnica:
7.4.1. Registro ou inscrição da empresa participante na entidade profissional
competente - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - CREA,
onde se localiza sua sede, com respectivos comprovantes de pagamentos das
Anuidades referentes ao exercício de 2003, da Proponente e de seus Responsáveis
Técnicos.
7.4.1.1. Somente serão considerados responsáveis técnicos os
profissionais graduados e inscritos no CREA - Conselho
Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.
7.4.2. Comprovação da capacidade técnica deverá ser feita em nome da
Empresa Licitante, por meio de Atestado(s) Técnico(s), com o devido registro do
CREA, por meio de Certidão de Acervo Técnico (CAT), emitido por pessoa jurídica
de direito público ou privado estabelecida(s) em território brasileiro, demonstrando
que a Proponente executou ou esteja executando serviços de exploração, gestão e
administração de estacionamentos rotativos, em vias e logradouros públicos, através
de equipamentos eletrônicos multivagas expedidores de comprovantes, em
municipalidade do território brasileiro, com um número mínimo de 1.000 (mil) vagas
efetivamente operadas ou em operação em um mesmo município, no qual serão
considerados serviços de maior relevância técnica e valor significativo que deverão
constar, obrigatoriamente, dos atestados os abaixo descritos:
7.4.2.1. Projeto de implantação e instalação, operação, manutenção
preventiva e corretiva de, no mínimo, 35 (trinta e cinco)
parquímetros eletrônicos multivagas, expedidores de
comprovantes;
7.4.2.2. Execução de projetos e implantação de sinalização vertical e
horizontal em vias e logradouros públicos Municipais;
7.4.2.3. Serviços de fiscalização para controle de horários de
permanência dos veículos estacionados nas vias públicas;
7.4.2.4. Serviços de relações públicas para divulgação e campanha
publicitária do Sistema Rotativo;
7.4.2.5. 7.4.2.5. Serviços de informação e orientação ao usuário
7.4.2.5.1. No(s) atestado(s) referido(s) no item . e subitens
deverá(ão) constar a cidade onde o sistema foi
implantado, o número de parquímetros e o
tempo de operação;
7.4.2.5.2. Não será aceita a comprovação de aptidão
mediante documento emitido pela própria
Proponente ou por quem possa, direta ou
p.9 / 36
indiretamente, ser beneficiário dessa
comprovação.
7.4.3. Declaração da Proponente, assinada pelo seu representante legal
com procuração ou devidamente identificado para tanto no seu estatuto/contrato
social, de que atenderá às exigências mínimas relativas à implantação das
instalações, equipamentos e pessoal técnico especializado, essencial para o
cumprimento do objeto da licitação, bem como que realizou visitas técnicas aos
locais de implantação do estacionamento rotativo definidos no - Mapas de
Estacionamento , conforme Declarações do Licitante - -, sob as penas da lei.
7.5. Documentação referente à Qualificação Econômico-Financeira:
7.5.1. Último balanço patrimonial já exigível e demonstrações contábeis, na
forma da lei, que comprovem a boa situação financeira da empresa, por meio da
apresentação dos índices contábeis abaixo, sendo vedada a sua substituição por
balancetes ou balanços provisórios, podendo ser atualizados por índices oficiais,
quando encerrados há mais de 03 (três) meses da data da apresentação da
proposta, conforme o disposto no artigo 31, inciso I, da Lei Federal nº 8.666/93 e
alterações.
7.5.1.1. a comprovação de que trata o subitem anterior poderá ser
feita através do Livro Diário (nº do Livro, Termo de Abertura e
Encerramento), inclusive cópias autenticadas das folhas que
contém o balanço patrimonial e as demonstrações contábeis
extraídas deste Livro, com evidência de registro da Junta
Comercial ou publicação da imprensa, de acordo com a
personalidade jurídica da empresa licitante, devidamente
assinadas pelo seu titular ou representante legal e pelo
contador.
7.5.1.2. A boa situação financeira será considerada através da
constatação do índice de Liquidez Corrente (LC), Liquidez
Geral (LG) e Solvência Geral (SG) e Índice de Endividamento
(IE), de acordo com as fórmulas e condições indicadas
abaixo:
LC = AC / PC ≥ 1,5
LG = (AT + RLP) / (PC + ELP) ≥ 1,5
SG = AT / (PC + ELP) ≥ 1,5
IE = (PC + ELP)/AT ≤ 0,4
Onde:
AC.....................................................................................Ativo Circulante
PC................................................................................Passivo Circulante
AT.............................................................................................Ativo Total
RLP...................................................................Realizável a Longo Prazo
p.10 / 36
ET.........................................................................................Exigível Total
ELP.......................................................................Exigível a Longo Prazo
IE........................................................................Índice de Endividamento
SG....................................................................................Solvência Geral
LG.......................................................................................Liquidez Geral
LC..................................................................................Liquidez Corrente
7.5.1.3. Comprovante de que prestou a garantia a que alude o
Capítulo VI deste Edital, com base no inciso III do artigo 31
da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações. A garantia deverá
ser prestada nos moldes previstos pela legislação em vigor e
por este Edital, no valor de R$ 1.000.000,00 (um milhão de
reais) até 48 (quarenta e oito) horas antes da data de entrega
dos envelopes, na Secretaria de Finanças - SF, podendo ser
retirada pelos licitantes após o término do procedimento
licitatório, que se dará com a assinatura do respectivo
contrato de concessão, observado o disposto nas Portarias
SF nºs 21/96, de 30/03/96 e 18/00, de 12/04/00.
7.5.1.4. As Proponentes com sede fora do Estado de São Paulo,
deverão apresentar, juntamente com as certidões negativas
exigidas, declaração passada pelo Foro de sua sede,
indicando quais os Cartórios ou Ofícios de Registro que
controlam a distribuição de falências e concordatas. Não
serão aceitas certidões passadas com mais de 60 (sessenta)
dias contados da data da expedição pelo Cartório, em
relação à data da realização da Concorrência, salvo para
aquelas que especifiquem prazos superiores de validade.
7.5.1.5. Certidão negativa de falência ou concordata, expedidas pelo
distribuidor da sede da pessoa jurídica, ou de execução
patrimonial, expedida no domicílio da pessoa física, com data
não superior a 30 (trinta) dias da data da apresentação da
proposta;
7.5.1.6. Comprovação de possuir capital social mínimo, registrado e
integralizado, até a data da abertura do Envelope de
Documentação - Envelope nº 01, no valor de R$
10.000.000,00 (dez milhões de reais), por meio de Certidão
da Junta Comercial do Estado onde se encontra a sede da
Proponente.
7.6. Documentação referente à Regularidade Fiscal:
7.6.1. Prova de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica
(CNPJ/MF);
p.11 / 36
7.6.2. Prova de inscrição no cadastro de contribuintes municipal ou estadual,
conforme o caso, relativo ao domicílio ou sede da Proponente, pertinente ao seu
ramo de atividade e compatível com o objeto contratual;
7.6.3. Prova de Regularidade com a Fazenda Federal, Estadual e Municipal,
do município sede da Proponente, ou outra equivalente, na forma da lei;
7.6.3.1. Para a comprovação de regularidade com a Fazenda Federal
deverá a Proponente, nos termos no inciso VI, do artigo 36,
do Decreto Municipal nº 41.722/02, apresentar:
7.6.3.1.1. Certidão de Tributos e Contribuições Federais,
expedida pela Secretaria da Receita Federal;
7.6.3.1.2. Certidão negativa da Dívida Ativa da União,
expedida pela Procuradoria da Fazenda
Federal.
7.6.3.1.3. As Proponentes com sede fora do Município de
São Paulo, caso não estejam cadastradas como
contribuintes, deverão apresentar declaração,
firmada pelo representante legal, sob as penas
da lei, do não cadastramento e que nada devem
à Fazenda do Município de São Paulo,
relativamente aos tributos relacionados com a
prestação licitada.
7.6.3.2. Prova de regularidade relativa à seguridade social (CND) e
ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS),
demonstrando situação regular no cumprimento dos
encargos sociais instituídos por Lei, dentro do prazo de
validade;
7.6.3.3. Declaração de que a Proponente se encontra em situação
regular perante o Ministério do Trabalho, nos termos do
inciso V do artigo 27 da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações,
conforme modelo do Anexo VIII.
7.6.3.4. Os documentos exigidos nos itens acima deverão estar
dentro de seus prazos de validade.
8. CAPÍTULO VIII - DO CONTEÚDO DO ENVELOPE Nº 02 - PROPOSTA TÉCNICA
8.1. O envelope nº 02 deverá conter a Proposta Técnica, que deverá atender aos
requisitos especificados neste Edital e em seus anexos.
8.2. A Proponente deverá apresentar a proposta técnica relativa às atividades que
pretende desenvolver para prestar o serviço adequadamente, atendendo às
condições deste Edital e do que estabelece o artigo 6º parágrafo 1º, da Lei
Federal nº 8.987/95 e deverá ser apresentada contendo, necessariamente,
p.12 / 36
todos os itens a seguir especificados devendo compor o Projeto Técnico, os
seguintes itens:
8.2.1. Operação do Sistema de Estacionamento Público Rotativo:
8.2.1.1. A Proponente deverá apresentar descrição detalhada do
processo de operação, conforme previsto no – Termo de
Referência, abordando, pelo menos, os seguintes tópicos:
8.2.1.1.1. O “Ssistema de Gerenciamento da Qualidade”,
que definirá o controle a ser adotado, suas
atribuições e sua relação com os usuários e
autoridades, expresso também na forma de um
“Manual da Qualidade para o Sistema de
Gerenciamento dos Estacionamentos
Rotativos”, elaborado com base em normas
ABNT ISO 9000:2000, ISO 9001:2000 e outras
pertinentes
8.2.1.1.1.1 O Manual da Qualidade deverá ser
estruturado até o início da
operação da 1ª etapa, ou seja, em
até 180 dias a partir da data de
emissão da Ordem de Serviço.
8.2.1.1.2. Metodologia de implantação de zonas de
estacionamento indicando os correspondentes
limites de tempo de utilização das vagas, com
base no Edital, e análises técnicas dos locais
onde será implantado o estacionamento
rotativo;
8.2.1.1.3. Descrição completa da metodologia, meios de
coleta, processamento e armazenamento de
dados, bem como da forma de elaboração e
apresentação de relatórios estatísticos e
administrativos;
8.2.1.1.4. Descritivo do sistema de distribuição do(s)
meio(s) eletrônico(s) de pagamento, incluindo os
necessários créditos, e respectiva metodologia a
ser adotada;
8.2.1.1.5. Descritivo do processo de manutenção dos
equipamentos a serem utilizados no projeto,
assim como de infra-estrutura física, de equipes,
de materiais e suprimentos;
8.2.1.1.6. Critérios de projeto e dimensionamento das
áreas de estacionamento público a serem
implantadas;
8.2.1.1.7. Elementos típicos de projeto viário e de
sinalização vertical e horizontal a serem
implementados;
8.2.2. Recursos Humanos para o Sistema de Estacionamento Rotativo:
p.13 / 36
8.2.2.1. A Proponente deverá apresentar o organograma das
estruturas Técnico-Administrativa e Operacional previstas
para a implantação e execução do projeto.
8.2.2.2. Deverá indicar um Responsável Técnico (RT), pelos
serviços, o qual, necessariamente, deverá ser profissional de
nível superior, registrado no Conselho Regional de
Engenharia, Arquitetura e Agronomia – CREA, e com
formação compatível aos concernentes do objeto do
presente certame.
8.2.2.3. Deverão ser apresentados os curricula dos membros de nível
superior das equipes técnico-administrativa e operacional,
previstas no item ., com as respectivas declarações de
aceitação de participação na execução do contrato nas
respectivas funções a eles designadas.
8.2.2.3.1. As Proponentes deverão indicar a equipe
mínima, mencionada no item ., que será
responsável pela execução do objeto,
apresentando seus curricula, devidamente
assinados, e as funções que exercerão, com
comprovação de experiência, sendo
considerada satisfatória para o cumprimento
deste item:
-Coordenador Geral: 05 (cinco) anos;
-Supervisor de Implantação: 03 (três) anos;
-Supervisor de Operação: 03 (três) anos;
-Supervisor de Manutenção: 03 (três) anos;
-Supervisor de Atendimento: 02 (dois)
anos.
8.2.2.3.1.1 A comprovação se dará pelo tempo
de formação, sendo necessária, no
mínimo, experiência específica de
01 (um) ano em serviço similar aos
concernentes ao objeto do
presente certame.
8.2.3. Cronograma de Implantação para o Sistema de Estacionamento
Rotativo:
8.2.3.1. Apresentar Cronograma de Implantação considerando as
etapas de implantação de equipamentos, sinalização
horizontal e vertical, a formação de equipes, o treinamento,
campanhas de informação aos usuários e a ativação do
sistema, conforme previsto no .
8.2.4. Campanha Publicitária Informativa para o Sistema de Estacionamento
Rotativo:
8.2.4.1. Descrição e detalhamento das etapas de campanha
publicitária detalhando como será operado o estacionamento
p.14 / 36
rotativo na área correspondente, a operação dos
equipamentos, o sistema informativo ao público usuário
orientando quanto ao seu uso, sinalização gráfica horizontal
e vertical e, tipos de infração e penalidades a que estarão
sujeitos seus veículos em caso de infração.
8.2.5. Tecnologia de Equipamentos para o Sistema de Estacionamento
Rotativo.
• 8.2.5.1A Proponente deverá apresentar os dados
técnicos dos equipamentos (parquímetros multivagas
eletrônicos) a serem instalados na área do estacionamento,
indicando as características técnicas que permitam avaliar
a tecnologia utilizada, o grau de automação, bem como a
forma de instalação. Os equipamentos deverão,
obrigatoriamente, atender às especificações contidas no –
“Termo de Referência“, sendo que o não atendimento de
todos os itens implicará na desclassificação automática da
Proponente.
8.2.6. Sistema de Informatização para o Sistema de Estacionamento
Rotativo:
8.2.6.1. A Proponente deverá apresentar projeto contemplando o uso
dos recursos de informática com as inovações tecnológicas
que estiverem disponíveis no mercado para permitir a
transparência e a eficiência no controle e gerenciamento dos
serviços, os quais serão auditados pelo Poder Concedente,
devendo abranger:
• a administração dos serviços de forma a produzir
relatórios gerenciais e estatísticos a partir do
processamento dos dados gerados nos parquímetros
eletrônicos e demais equipamentos do projeto;
• a administração econômico-financeira do sistema, de
forma a produzir relatórios que demonstrem o número, a
identificação e o valor de todas as operações do sistema,
elemento básico para o cálculo da parte a ser pago ao
Poder Concedente;
• a informatização dos serviços de fiscalização
realizados em conjunto com o agente público, abrangendo
a coleta de dados e emissão de notificação por tempo de
tolerância, ou conexão com o sistema central a ser definida
pelo Poder Concedente.
8.2.7. A Proponente deverá apresentar no Envelope nº 02 os atestados, na
forma e com as exigências nomeadas no item . deste Edital, comprobatórios para
efeito da pontuação prevista nos itens . e .
9. CAPÍTULO IX - DO CONTEÚDO DA PROPOSTA COMERCIAL - ENVELOPE Nº 03
p.15 / 36
9.1. O Envelope nº 03 deverá conter a Proposta Comercial, que deverá atender a
todas as especificações contidas neste Edital e em seus anexos.
9.2. A Proposta Comercial deverá ser apresentada conforme o modelo contido no
devendo ser digitada pela Proponente, assinada por seu representante legal,
com as páginas rubricadas e numeradas, considerando-se, para formulação do
cálculo do valor a ser repassado ao Poder Concedente, todos os itens abaixo
descritos:
9.2.1. Deverão ser computadas todas as despesas, tais como impostos,
mão-de-obra, alimentação, transporte, uniformes, benefícios, materiais e
equipamentos necessários à realização dos serviços, fornecimento dos meios
eletrônicos de pagamento, custos com a distribuição por meio dos postos de venda,
despesas com sinalização gráfica vertical e horizontal, encargos das Leis
Trabalhistas e Sociais, todos os custos diretos e indiretos, taxas, remunerações,
despesas fiscais e quaisquer outras necessárias não especificadas neste Edital, mas
julgadas essenciais ao cumprimento do objeto dos serviços ora licitados.
9.2.2. Considerar-se-á, para todos os efeitos legais, que os valores da
receita bruta da Proponente serão suficientes para satisfazer seus compromissos
com o contrato e para efetuar o repasse do valor proposto ao Poder Concedente a
título de outorga pela concessão, bem como o valor do ressarcimento de custos
previsto no ítem e subitens, sendo que não será aceita qualquer reivindicação para
redução do repasse ao Poder Concedente.
9.2.3. A Carta Proposta Comercial - , deste Edital, deverá ser preenchida
pela Proponente, contendo todas as informações ali previstas, assinada pelo
representante legal da proponente, com poderes para firmá-la, sem rasuras ou
entrelinhas, sob pena de desclassificação.
9.2.4. O valor a ser repassado mensalmente ao Poder Concedente, nos
moldes do disposto na Lei Municipal nº 12.523/97, será proposto na forma de
percentual sobre a receita bruta total apurada pela arrecadação do sistema de
estacionamento rotativo e pagamentos de avisos de irregularidade, excluindo-se o
valor de ISS, o valor correspondente aos custos de ressarcimento definidos nos itens
e , e o valor referente a multas de trânsito pagas ao Poder Concedente, lavradas
sobre Avisos de Irregularidade emitidos e não pagos à Concessionária, conforme
fórmula constante do item.
9.2.4.1. O percentual de repasse que integra a fórmula descrita no
item , deverá ser de, no mínimo, 7% (sete por cento) da
receita bruta total apurada, excluidos os valores
mencionados no item .
9.2.5. O percentual referido no item deverá ser apresentado apenas e tão
somente com uma casa após a vírgula. Eventuais valores indicados após a segunda
casa serão desconsiderados.
9.2.6. Os preços – Unidades de Estacionamento (UE´s) - que a Proponente
se obrigará a cobrar dos usuários nos locais de estacionamento sob sua operação e
controle são apontados no item deste Edital e no item 2.1 do - Minuta do Contrato,
devendo ser reajustados conforme o disposto no “CAPÍTULO XV - DO REAJUSTE
DAS UE’S” deste Edital, vedada a sua cobrança às gratuidades previstas na
legislação vigente à época da apresentação da proposta e outras que venham a ser
instituídas pelo Poder Concedente.
p.16 / 36
9.2.7. Os valores referentes às Unidades de Estacionamento (UE´s) e aos
Avisos de Irregularidades serão pagos diretamente pelo usuário à Concessionária,
pelos diversos processos de pagamento previstos.
9.2.8. A Concessionária deverá ressarcir o Poder Concedente de todos os
custos relacionados aos agentes de fiscalização de trânsito e da atividade
administrativa de polícia, conforme art.17, do Decreto Municipal n.º 37.292, de
27/01/98.
9.2.8.1. Os custos referidos no item englobam todos os
mencionados no item e subitens, incluindo os decorrentes
das necessárias inovações tecnológicas, bem como da
manutenção e apoio técnico imprescindíveis à efetiva
prestação dos serviços, de competência da entidade a quem
couber a organização, o gerenciamento e a fiscalização da
presente concessão.
9.2.9. A Proponente deverá emitir Aviso de Irregularidade (AI) para os
veículos que excederem o período máximo estabelecido para aquela via ou
logradouro público pelo Poder Concedente ou que não possuírem o devido
comprovante de aquisição do tempo de estacionamento, conforme preceitua o item
3.4.1 do - Termo de Referência..
9.2.9.1. O valor do Aviso de Irregularidade (AI) será correspondente
ao preço público de 20 (vinte) Unidades de Estacionamento -
UE’s, que deverá ser pago no prazo máximo de 30 (trinta)
minutos, conforme preceitua o artigo 10, §1º do Decreto
Municipal 37.540/98.
9.2.10. O percentual a ser repassado pela Proponente ao Poder Concedente
será de, no mínimo, 7% (sete por cento), sendo que a Comissão de Licitação, a seu
critério, poderá exigir a comprovação da viabilidade econômico-financeira da
proposta, através de diligência à Proponente
9.2.11. A proposta, formulada de acordo com o deste Edital, deverá ser
acompanhada da demonstração da viabilidade econômico-financeira de execução do
objeto, em documento devidamente assinado pelo representante legal da
proponente, contendo, obrigatoriamente, sob pena de desclassificação, as seguintes
informações acerca do valor do repasse ofertado em sua proposta:
9.2.11.1. Plano operacional detalhado, incluindo equipe técnica com
seus cargos, funções e salários, quantidades de bens móveis
e imóveis a serem utilizados, com respectivos valores,
detalhamento de todos os encargos, impostos e taxas
incidentes, bem como dos custos operacionais,
investimentos e todas as demais despesas que componham
a proposta comercial, compatíveis com a proposta técnica;
9.2.11.2. A composição de todos os custos unitários utilizados para a
formação da sua Proposta Comercial.
9.2.12. Os valores a serem repassados mensalmente ao Poder Concedente,
em conformidade com o que estabelece o item e seguintes deste Edital, serão
apurados de acordo com a seguinte forma:
p.17 / 36
VRM = (K x RTA) – ISS – M
AI
– Rs
Onde:
VRM = Valor do Repasse Mensal;
K = Percentual de repasse ao Poder Concedente de, no mínimo,
7% (sete por cento);
RTA = Receita Bruta Total Apurada no Sistema, relativa à
arrecadação do serviço de estacionamento rotativo e Avisos de
Irregularidade
ISS = Valor de ISS pago pela Concessionária ao Poder Concedente
M
AI
= Valor de dedução referente a Multas de trânsito pagas ao Poder
Concedente, lavradas sobre avisos de irregularidade emitidos e não
pagos
Rs = Valor de Ressarcimento de custos relacionados à fiscalização
de trânsito e da atividade administrativa de polícia (pessoal e custos
associados, equipamentos, veículos, insumos, manutenção e apoio
técnico).
9.2.13. A U.E. - Unidade de Estacionamento corresponde a um período de
tempo de 30 (trinta) minutos e possui valor de R$ 0,90 (noventa centavos de real),
conforme determinado pela Resolução de Diretoria - CET nº 052/01, de 09 de Maio
de 2001, podendo ser reajustada conforme previsto no “CAPÍTULO XV - DO
REAJUSTE DAS UE’S”.
9.2.14. A Carta Proposta Comercial deverá especificar o seu prazo de
validade, o qual não poderá ser inferior a 60 (sessenta) dias da data da entrega da
mesma.
9.2.15. A proposta comercial da Proponente vencedora do certame, bem
como os demais documentos referidos neste capítulo, que deverão estar contidos no
Envelope nº 03, serão partes integrantes do contrato de concessão.
10. CAPÍTULO X - DO JULGAMENTO DA LICITAÇÃO
10.1. Julgamento da Documentação de Habilitação:
10.1.1. A Comissão Especial de Licitação examinará os DOCUMENTOS DE
HABILITAÇÃO, verificando a existência e a suficiência dos mesmos.
10.1.2. Serão inabilitadas as Proponentes que apresentarem documentação
incompleta, em desacordo com o solicitado, com borrões, rasuras, entrelinhas,
emendas, ressalvas ou omissões, ou não atingirem os índices exigidos no item .
10.1.3. Serão inabilitadas as Proponentes que tenham sido declaradas
inidôneas ou proibidas de contratar com a Administração Pública Federal, do Distrito
Federal, Estados e Municípios, nos termos dos incisos III e IV do artigo 87 da Lei
Federal nº 8.666/93 e alterações.
p.18 / 36
10.1.4. Serão inabilitadas as Proponentes que estejam cumprindo a
penalidade de suspensão temporária de participar de licitações ou de contratar com a
Administração Pública de qualquer esfera de governo.
10.2. Julgamento da Proposta Técnica:
10.2.1. A Comissão Especial de Licitação examinará a PROPOSTA TÉCNICA
e atribuíra uma Nota Técnica (NT) representada pelo somatório das informações,
conforme exigido nas disposições do capítulo VIII, obedecendo o seguinte critério:
Item
Atendimento
Satisfatório Parcial Não Atendido
Operação de Sistema de Estacionamento
Público Rotativo
15 pontos 0 pontos
Recursos Humanos para Sistema de
Estacionamento Rotativo
5 pontos 0 pontos
Cronograma de implantação para o Sistema de
Estacionamento Rotativo
N/A 0 pontos
Campanha Publicitária Informativa para o
Sistema de Estacionamento Rotativo
5 pontos 0 pontos
Tecnologia de Equipamentos para o Sistema de
Estacionamento Rotativo
10 pontos 0 pontos
Sistema de Informatização para o sistema de
Estacionamento Rotativo
10 pontos 0 pontos
N/A - não aplicável
10.3. A Comissão Especial de Licitação examinará a PROPOSTA TÉCNICA e
atribuirá Nota Técnica dos Atestados apresentados, em conformidade com o
disposto no item ., conforme quadros I, II e III a seguir:
QUADRO I
QUANTIDADE DE CIDADES OPERADAS POR ESTACIONAMENTO ROTATIVO
ELETRÔNICO MULTIVAGAS EM VIAS PÚBLICAS
Até uma cidade 10 pontos
Até duas cidades 20 pontos
Até três cidades 30 pontos
Até quatro cidades 40 pontos
Acima de quatro cidades 50 pontos
QUADRO II
EXPERIÊNCIA EM OPERAÇÃO CONTÍNUA DE ESTACIONAMENTO ROTATIVO
EM VIA PÚBLICA POR SISTEMA ELETRÔNICO MULTIVAGA
Menos de 1 ano 10 pontos
De 01 a 02 anos 20 pontos
p.19 / 36
De 02 a 03 anos 30 pontos
De 03 a 04 anos 40 pontos
Acima de 04 anos 50 pontos
QUADRO III
NÚMERO TOTAL DE VAGAS OPERADAS POR SISTEMA ELETRÔNICO
MULTIVAGA EM VIA PÚBLICA
1000 vagas 10 pontos
1001 a 2000 vagas 20 pontos
2001 a 3000 vagas 30 pontos
3001 a 4000 vagas 40 pontos
4001 a 5000 vagas 50 pontos
Acima de 5000 vagas 100 pontos
10.4. A pontuação máxima que poderá ser obtida pela Proponente será de 300
(trezentos) pontos, conforme tabela a seguir:
Item Pontuação Máxima
Operação do Sistema de Estacionamento
Público Rotativo
30 pontos
Recursos Humanos para o Sistema de
Estacionamento Rotativo
10 pontos
Cronograma de implantação para o Sistema de
Estacionamento Rotativo
10 pontos
Campanha Publicitária Informativa para o
Sistema de Estacionamento Rotativo
10 pontos
Tecnologia de Equipamentos para o Sistema de
Estacionamento Rotativo
20 pontos
Sistema de Informatização para o sistema de
Estacionamento Rotativo
20 pontos
QUADRO I
50 pontos
QUADRO II
50 pontos
QUADRO III
100 pontos
10.5. A Nota Técnica Equivalente - NTE de cada Proponente será calculada através
da seguinte fórmula:
p.20 / 36
NTE = (NTp / MNT) x 100
Onde:
NTE = nota técnica equivalente da Proponente
NTp = nota técnica da Proponente
MNT = maior nota técnica entre todas as Proponentes
10.6. Serão desclassificadas as Proponentes que obtiverem Nota Técnica igual a 0
(zero) em qualquer item do quadro do item .
10.7. Julgamento da Proposta Comercial:
10.7.1. A Comissão Especial de Licitação examinará a Oferta da Proponente
e atribuíra uma Nota Comercial Equivalente (NCE).
10.7.2. A Nota Comercial Equivalente – NCE – de cada Proponente será
calculada através da seguinte fórmula:
NCE = 80 + 20 (OC / MO)
Onde:
NCE = Nota Comercial Equivalente da Proponente
OC = Oferta da Proponente
MO = Maior oferta apresentada dentre todas as Proponentes
10.8. Julgamento das Propostas Técnica e Comercial.
10.8.1. A Comissão Especial de Licitação, após a obtenção das Notas
Técnica e Comercial, procederá da seguinte forma:
10.8.1.1. Considerando o prescrito no inciso II, parágrafo 2º, do artigo
46 da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações, atribuir-se-á peso
0,5 (cinco décimos) para a Proposta Técnica e peso 0,5
(cinco décimos) para a Proposta Comercial, que comporão o
cálculo da Média Ponderada - MP para fins de julgamento.
10.8.1.2. A média ponderada será obtida através da seguinte formula:
NF = ' (NTE x 0,50) + (NCE x 0,50)}
Onde:
NF = Nota Final
NTE = Nota técnica equivalente da Proponente
NCE = Nota Comercial Equivalente da Proponente
10.8.2. Será considerada a aproximação de duas casas decimais.
p.21 / 36
10.8.3. Depois de calculadas as Notas Finais (NF) de todas as Proponentes,
estas serão classificadas em ordem decrescente, da maior para a menor nota, sendo
vencedora a Proponente que obtiver a maior Nota Final (NF).
10.8.4. Caso haja empate entre as Proponentes, quando da determinação
das Notas Finais (NF), será realizado sorteio, nos termos do artigo 45, parágrafo 2º
da Lei Federal nº 8.666/93, a se realizar em sessão pública, para a qual as
Proponentes serão convocadas.
10.8.5. Fica assegurado à Comissão Especial de Licitação o direito de
realizar diligências, a qualquer tempo, exigindo que a Proponente apresente
esclarecimentos ou complementação da instrução do processo, vedada, contudo, a
solicitação de qualquer documento que, originalmente, deveria constar da proposta.
11. CAPÍTULO XI - DO RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES
11.1. A Comissão Especial de Licitação lavrará atas circunstanciais, registrando
todos os fatos praticados no decorrer do processo de concorrência pública.
Quaisquer observações somente poderão ser registradas em ata quando forem
formuladas por escrito, das quais a Comissão de Licitação fará a leitura para
conhecimento geral.
11.2. No dia, hora e local determinados no preâmbulo deste Edital, em sessão
pública, a Comissão Especial de Licitação receberá os Envelopes nºs 01, 02 e
03, que serão rubricados pelos membros da Comissão e pelos representantes
das Proponentes presentes, constituídos na forma prevista neste Edital e que o
queiram fazer. Não serão recebidos, em hipótese alguma, envelopes depois da
hora aprazada.
11.3. A ausência de representante credenciado da Proponente impedirá que haja
manifestação em sua defesa.
11.4. O processo será realizado da seguinte forma:
11.4.1. Primeira Fase - Habilitação:
11.4.1.1. Consistirá na abertura dos Envelopes contendo a
documentação relativa à habilitação das concorrentes e sua
apreciação.
11.4.1.2. A abertura do Envelope 01 - Documentos de Habilitação,
observará os seguintes procedimentos:
11.4.1.2.1. Após o recebimento dos Envelopes nº 01 -
Documentos de Habilitação, serão observados
os seguintes procedimentos:
11.4.1.2.2. A Comissão de Licitação fará a abertura dos
Envelopes nº 01, rubricando todos os
documentos neles contidos em conjunto com as
Proponentes, que assim desejarem;
11.4.1.2.3. Cada Proponente, através de seu representante,
poderá fazer a verificação do conteúdo dos
envelopes das demais concorrentes, rubricando
os documentos do envelope nº 01;
p.22 / 36
11.4.1.2.4. Nesta mesma sessão, a critério da Comissão de
Licitação, poderá ser analisada a documentação
contida no Envelope nº 01. Após análise por
parte da Comissão de Licitação e dos
Proponentes, será lavrada ata da sessão de
entrega e abertura dos Envelopes nº 01, onde
se fará a narrativa dos fatos ocorridos nesta
sessão, e na qual será marcada data para a
próxima sessão, que consistirá na divulgação
dos resultados da fase de habilitação.
11.4.1.2.5. Na hipótese de interposição de recursos contra
a habilitação ou inabilitação, será aberto prazo
para a manifestação das demais Proponentes
quanto aos mesmos, na forma do artigo 109 da
Lei 8.666/93 e alterações.
11.4.1.2.6. Após homologação do resultado do julgamento
dos recursos interpostos, pela autoridade
competente, os Envelopes 02 e 03 serão
devolvidos inviolados às Proponentes
inabilitadas, sendo marcada a data da sessão
de divulgação, bem como a data de abertura do
Envelope n.º 02.
11.4.2. Segunda Fase - Proposta Técnica:
11.4.2.1. Iniciar-se-á a Segunda fase com a abertura do Envelope 02,
referente às Propostas Técnicas das Proponentes de acordo
com os critérios de julgamento estabelecidos neste Edital.
11.4.2.2. Será verificada a autenticidade do Envelope 02 através da
observação das rubricas colocadas por ocasião da entrega
efetuada na Primeira Fase.
11.4.2.3. O Envelope 02 será aberto e seu respectivo conteúdo
rubricado, folha por folha, pelos membros da Comissão de
Licitação e pelos representantes das Proponentes, se assim
o desejarem.
11.4.2.4. Após a abertura do Envelope 02, os trabalhos serão
suspensos, a fim de que a Comissão de Licitação possa
proceder à análise e julgamento dos mesmos, determinando,
nesta oportunidade, novo dia, hora e local para divulgação do
resultado.
11.4.2.5. Divulgados os resultados da classificação das Proponentes
desta Segunda Fase, será aberto prazo para eventual
interposição de recursos.
p.23 / 36
11.4.2.6. Havendo recurso, será aberto novo prazo para que as
Proponentes manifestem-se sobre as alegações das
recorrentes, apresentando as respectivas contra-razões.
11.4.2.7. Em não havendo recursos, ou após a análise das contra-
razões, a Comissão de Licitação emitirá novo julgamento,
sendo remetido o processo licitatório ao Secretário Municipal
de Transportes, para homologação ou não da decisão.
11.4.3. Terceira Fase - Proposta Comercial
11.4.3.1. A abertura do Envelope 03 – Proposta Comercial, observará
os seguintes procedimentos:
11.4.3.2. Será verificada a autenticidade do Envelope 03 através da
observação das rubricas colocadas por ocasião da entrega
efetuada na Primeira Fase.
11.4.3.3. Cada Envelope 03 será aberto e seu respectivo conteúdo
rubricado, pelos membros da Comissão de Licitação e pelos
representantes das Proponentes, que assim o desejarem.
11.4.3.4. Após a abertura do Envelope 03, os trabalhos serão
suspensos, a fim de que a Comissão de Licitação possa
proceder à análise dos mesmos, determinando, nesta
oportunidade, novo dia, hora e local para a divulgação do
resultado final da presente concorrência, conforme critérios
de julgamento estabelecidos neste Edital.
11.4.3.5. Após o resultado final da concorrência, será aberto prazo
para eventuais recursos e contra-razões das Proponentes,
de acordo com o prescrito em lei, sendo que posteriormente
será encaminhada ao Secretário Municipal de Transportes,
para homologação do resultado final.
11.4.3.6. A Comissão de Licitação divulgará os resultados das etapas
de HABILITAÇÃO, PROPOSTA TÉCNICA e PROPOSTA
COMERCIAL, através de publicação no Diário Oficial do
Município de São Paulo.
12. CAPÍTULO XII - DOS RECURSOS
12.1. Das decisões proferidas pela Comissão Especial de Licitação, caberá recurso
por parte dos participantes desta concorrência, nos termos do artigo 109 da Lei
Federal nº 8.666/93 e alterações.
12.2. O recurso a que se refere esse item deverá ser interposto no prazo de 05
(cinco) dias úteis, contados da data de divulgação das decisões da Comissão
de Licitação. Será publicada no DOM a interposição dos mesmos, sendo que
os demais Licitantes poderão impugná-los também no prazo de 05 (cinco) dias
úteis.
12.3. Os recursos e a impugnação deverão observar os seguintes requisitos:
p.24 / 36
12.3.1. serem datilografados ou impressos por qualquer processo eletrônico e
devidamente fundamentados;
12.3.2. serem assinados por representante legal da licitante.
12.4. Na fluência dos prazos para interposição do recurso ou impugnação, o
processo ficará na Secretaria da Comissão, onde as licitantes poderão obter
vistas dos autos.
12.5. O recurso e o pedido de reconsideração, interpostos fora do prazo, não serão
conhecidos.
13. CAPÍTULO XIII - DAS OBRIGAÇÕES DA CONCESSIONÁRIA
13.1. A Concessionária está obrigada a acatar as disposições legais e
regulamentares e instruções complementares estabelecidas pelo Poder
Concedente, bem como colaborar com as ações desenvolvidas pelos
prepostos responsáveis da fiscalização do serviço e em especial:
13.1.1. colaborar com a autoridade no cumprimento do tempo de
permanência dos veículos nas vagas, conforme determinação do Poder Concedente,
passando-lhe a identificação dos veículos infratores das normas de estacionamento
rotativo remunerado em vigor;
13.1.2. manter os operadores uniformizados e exercer sobre eles fiscalização
quanto à aparência e ao comportamento pessoal cuja responsabilidade é única e
exclusiva da Proponente;
13.1.3. cobrar os serviços de acordo com os valores estipulados pelo Poder
Concedente para a U.E. - Unidade de Estacionamento vigente e Avisos de
Irregularidade, respeitadas as condições previstas neste Edital;
13.1.4. prestar as informações necessárias aos usuários, através de local(is)
e serviço telefônico de atendimento ao público apropriado(s), capazes de suprir a
demanda da operação;
13.1.5. implantar e manter atualizados nos parquímetros eletrônicos, os
dados regulamentares referentes aos serviços, tais como: valor da Unidade de
Estacionamento, limites de tempo, valor do Aviso de Irregularidade e forma de
pagamento do mesmo, e horários de serviço, orientações sobre o correto uso do
equipamento e demais informações necessárias à correta utilização do serviço, bem
como outras porventura determinadas pelo Poder Concedente;
13.1.6. manter atualizado o sistema de controle operacional dos
Estacionamentos, exibindo-o sempre que solicitado pela Fiscalização;
13.1.7. solicitar autorização do Poder Concedente, para implantação, nos
Estacionamentos, de atividades não especificadas neste Regulamento;
13.1.8. assumir integral responsabilidade pela boa e eficiente execução dos
serviços públicos concedidos e implantação do Projeto, de acordo com as normas do
contrato, deste edital que regeu a licitação correspondente e seus anexos e da
legislação específica, devendo manter os trabalhos sob sua supervisão, mesmo na
hipótese de sub contratação de serviços acessórios e complementares;
p.25 / 36
13.1.9. submeter à aprovação do Poder Concedente o projeto executivo a ser
implantando indicando as vagas e os respectivos detalhes necessários, podendo o
mesmo ser implantado de forma gradual. A Proponente, após a implantação do
projeto, deverá submetê-lo à aprovação e liberação do Poder Concedente;
13.1.10. coordenar a execução dos serviços, de comum acordo com o Poder
Concedente, mantendo a continuidade dos serviços e evitando qualquer tipo de
interrupção ou paralisações;
13.1.11. fornecer equipe Técnico-Administrativa e equipe de operação,
conforme descrito na proposta, comprometendo-se a manter a qualidade dos
serviços durante a vigência do contrato;
13.1.12. elaborar e entregar, ao Poder Concedente mensalmente, relatório
consolidado dos serviços executados, valores arrecadados e das obras necessárias,
indicando as que são de responsabilidade do Poder Concedente;
13.1.13. prestar serviço adequado, obedecendo às normas técnicas aplicáveis
pelo Poder Concedente, e legislação de trânsito pertinente, colaborando com as
autoridades na adoção de medidas que visem a eficácia do Projeto de
Estacionamento Rotativo;
13.1.14. manter em dia o inventário e o registro dos bens vinculados à
Concessão;
13.1.15. cumprir e fazer cumprir as disposições constantes nas Ordens de
Serviço e demais determinações apresentadas pelo Poder Concedente, bem como
todas as normas legais que disciplinam os serviços de Estacionamento Rotativo e as
cláusulas contratuais da presente Concessão;
13.1.16. permitir aos encarregados da fiscalização do Poder Concedente livre
acesso em qualquer época, às obras, aos equipamentos e às instalações integrantes
do serviço, observando programação prévia de visita em horário normal de
expediente, sempre acompanhado de representante da Concessionária;
13.1.17. observar, nas suas contratações com terceiros, as disposições de
direito privado, a legislação trabalhista, não se estabelecendo qualquer relação
jurídica entre os terceiros e o Poder Concedente;
13.1.18. assegurar que seu corpo técnico, ao exercer suas funções, observe os
seguintes requisitos:
13.1.18.1. usar total isenção no controle efetuado;
13.1.18.2. usar de cortesia e polidez nas relações com o usuário;
13.1.19. indicar um representante, por ocasião da assinatura do contrato, que
se incumbirá do relacionamento com o Poder Concedente.
13.1.20. adotar todas as providências necessárias para a cumprimento da
implantação dos dois lotes previstos no item 1.4 do Termo de Referência - , em
especial os prazos estabelecidos para a implantação do primeiro lote, indicados no
item 1.4.1 do referido Anexo.
13.1.21. manter nos locais de prestação dos serviços, durante a fase de
implantação e, também na fase de operação do sistema, livro próprio para anotação
de todos os fatos ocorridos durante a execução dos serviços.
p.26 / 36
13.1.22. a Concessionária se obriga a manter pelo prazo mínimo de 12
(meses), a contar do início de operação da 1ª etapa do novo sistema, todos os
empregados vinculados à operação do atual sistema de estacionamento rotativo da
Prefeitura Municipal de São Paulo, designados pelo Poder Concedente.
13.1.22.1. Os salários iniciais que deverão ser pagos pela
Concessionária aos empregados que lhe forem transferidos,
não serão inferiores aos percebidos por eles como
empregados do órgão gerenciador.
13.1.23. aceitar, respeitado o equilíbrio econômico-financeiro do contrato, as
modificações consideradas necessárias à circulação de veículos e pedestres dentro
da área de abrangência do Projeto.
13.1.24. responsabilizar-se pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais
e comerciais resultantes da execução dos serviços objeto do presente Edital, bem
como por todas as despesas necessárias à realização dos serviços, custos com
fornecimento de equipamentos e materiais, mão-de-obra e demais despesas
indiretas. A inadimplência da Proponente, com relação aos encargos não transfere
ao Poder Concedente a responsabilidade por seu pagamento e nem poderá onerar o
contrato.
13.1.25. responsabilizar-se pelos danos causados diretamente ao Poder
Concedente ou a terceiros, decorrentes de culpa ou dolo na execução do contrato,
não implicando essa responsabilidade em prejuízo para a fiscalização ou o
acompanhamento pelo Poder Concedente, no desenvolvimento dos serviços objeto
do contrato.
13.1.26. manter seu registro no Conselho regional e Engenharia, Arquitetura e
Agronomia – CREA, bem como o registro do responsável técnico, de acordo com o
estabelecido no edital.
13.1.27. impor controle rigoroso para que o período máximo de permanência
no Estacionamento do Rotativo seja de acordo com o máximo permitido na área
conforme estabelecido no Projeto.
13.1.28. atender prontamente as instruções e observar rigorosamente todas as
disposições emanadas pelo Poder Concedente, a quem compete a supervisão e
fiscalização de todo desenvolvimento dos serviços.
13.1.29. apresentar sempre que solicitada, a documentação relativa à
comprovação do adimplemento de suas obrigações trabalhistas, inclusive
contribuições previdenciárias e depósitos do FGTS de seus empregados.
13.1.30. efetuar, nas condições estipuladas no Contrato e neste Edital e seus
anexos, o pagamento das importâncias relativas aos repasses mensais, devidas ao
Poder Concedente, através de depósito bancário, na Conta Corrente, por ela
indicada.
13.1.31. executar e conservar a sinalização vertical e horizontal na malha
delimitada para o Estacionamento Rotativo, serviços estes que correspondem a
sinalização específica do Estacionamento Rotativo não devendo ser confundido com
a sinalização habitual de trânsito.
13.1.32. efetuar, sempre que necessário, a reposição e troca dos consumíveis
das máquinas emissoras de tíquetes.
p.27 / 36
13.1.33. implementar serviços de fiscalização para controle de horários dos
tíquetes.
13.1.34. prestar serviço adequado a todos os usuários, mediante a cobrança
de UE’s fixadas, entendendo-se por serviço adequado, aquele que atende ao
interesse público e corresponde às exigências de qualidade, continuidade,
regularidade, eficiência, atualidade, generalidade, modicidade, cortesia e segurança.
13.1.35 A Concessionária terá 15 (quinze) dias úteis, após o vencimento do o mês de
operação, para apresentar a contabilização referente ao percentual destinado
como pagamento ao Poder Concedente. No prazo de até 18 (dezoito) dias
úteis, o Poder Concedente deverá aprovar e autorizar o pagamento do
percentual devido.
14. CAPÍTULO XIV - DAS OBRIGAÇÕES DO PODER CONCEDENTE
14.1. Serão obrigações do Poder Concedente:
14.1.1. cumprir e fazer cumprir as disposições regulamentares dos serviços e
as cláusulas contratuais da Concessão;
14.1.2. determinar, quando aplicável, as modificações consideradas
necessárias à circulação de veículos e pedestres, respeitado o equilíbrio econômico-
financeiro do contrato;
14.1.3. autorizar, a seu critério, a subcontratação de atividades acessórias e
complementares, desde que isso não implique em transferência da prestação do
serviço público concedido, em perda de seu custo ou em detrimento de sua
qualidade;
14.1.4. exigir, a qualquer tempo, substituição de componente(s) da equipe
técnica, em caso de ficar demonstrado que o(s) mesmo(s) não esteja(m) cumprindo
satisfatoriamente o trabalho a ele(s) atribuído(s);
14.1.5. homologar reajustes e proceder à revisão das UE´s na forma prescrita
em lei, nas normas pertinentes e no contrato;
14.1.6. aplicar as penalidades regulamentares e contratuais;
14.1.7. intervir na prestação dos serviços nos casos e condições previstas em
lei;
14.1.8. extinguir a Concessão nos casos previstos em lei e na forma prevista
no contrato;
14.1.9. zelar pela boa qualidade dos serviços prestados, recebendo,
apurando e solucionando queixas e reclamações endereçadas à Concessionária por
usuários, não atendidas pela mesma, cientificando-a , em até 30 (trinta) dias, das
providências a serem tomadas;
14.1.10. estimular o aumento da qualidade, produtividade, rotatividade,
preservação do meio ambiente e conservação dos equipamentos;
14.1.11. proporcionar as condições adequadas e necessárias para execução
dos serviços contratados, de acordo com os termos do contrato.
p.28 / 36
14.1.12. indicar um representante que se incumbirá do relacionamento com a
Concessionária;
14.1.13. para todas as fases de implantação, proceder à análise e aprovação
dos projetos a serem implantados, submetidos pela Concessionária ao Poder
Concedente, autorizando, em seguida, o início da operação.
14.1.14. liberar as áreas objeto do contrato, deixando-as totalmente
desembaraçadas administrativa e juridicamente, livres de elementos estranhos ao
sistema, dentro do prazo de 60 dias a partir da data da emissão da ordem de serviço.
Neste período, e em até no máximo 180 dias após a emissão da ordem de serviço,
os serviços existentes continuarão a ser executados pelo Poder Concedente. Findo
este período, e com total cooperação do Poder Concedente, a Concessionária
assumirá total responsabilidade pela execução e custos correspondentes à
operação, tanto nos locais onde o estacionamento rotativo seja operado com Cartões
de Zona Azul, quanto naqueles em que já existam parquímetros multivagas em
funcionamento.
14.1.15. contribuir significativamente para que todas as ações decorrentes da
execução do contrato sejam bem geridas, monitoradas e controladas;
14.1.16. julgar, regular e regulamentar eventual caso omisso do Contrato e dos
documentos que o integram;
14.1.17. fornecer à Concessionária, quando solicitado, Atestado Técnico,
descrevendo e especificando os serviços executados de acordo com o objeto do
presente Edital, conforme Artigo 30, § 4º da Lei 8666/93 e alterações;
14.1.18. efetuar a fiscalização do serviço concedido.
14.1.19. efetuar a fiscalização de trânsito e as atividades administrativas de
polícia do serviço concedido, por meio de efetivo, na proporção de um agente de
trânsito para cada 200 (duzentas) vagas, além de equipamentos, veículos, insumos,
manutenção, apoio técnico e outros recursos relacionados à atividade.
14.1.19.1. O número de agentes por vaga poderá ser alterado pelo
Poder Concedente, em função das necessidades de
fiscalização, da metodologia e da tecnologia nela
empregados.
14.1.19.2. O poder concedente utilizará de todos os equipamentos e
e bens materiais necessários à efetiva fiscalização do serviço
concedido e exercício do poder de polícia, de acordo com as
normas aplicáveis à matéria.
14.2. A fiscalização do Poder Concedente anotará, em livro próprio, as visitas
efetivadas, defeitos e problemas constatados, bem como os atrasos no
cronograma, consignando eventuais determinações à Concessionária;
14.3. Ao Poder Concedente caberá a regulamentação do valor da Unidade de
Estacionamento - U.E. a ser praticada na cidade de São Paulo.
14.4. O Poder Concedente poderá determinar, a qualquer tempo, a implantação do
uso de papel moeda, cartão de crédito e sistema de aquisição de crédito via
telefonia celular e/ou outro meio de pagamento não contemplado neste Edital,
mediante apresentação de projeto detalhado com a determinação de custos e
especificação dos serviços e equipamentos necessários à sua implementação,
de comum acordo com o Concessionário, sendo que ao mesmo será concedido
p.29 / 36
prazo para a referida implementação, respeitado o equilíbrio econômico-
financeiro da Concessão.
15. CAPÍTULO XV - DO REAJUSTE DAS UE’S
15.1. Ao Poder Concedente caberá a atualização das UE’s a serem praticadas na
cidade de São Paulo, que deverão ser reajustadas anualmente pelo IGP-M e
publicadas no Diário Oficial do Município de São Paulo - DOM, de acordo com
a seguinte fórmula:
IGPM
1
UEr = UEo x ____________ , onde
IGPMo
UEr = UE reajustada;
UEo = UE da data base Maio/01
IGPM
1
= Índice referente ao segundo mês anterior ao mês de aplicação do
reajuste;
IGPMo = Índice referente ao segundo mês anterior ao mês base Maio/01
16. CAPÍTULO XVI - DAS FONTES DE RECEITAS COMPLEMENTARES
16.1. Os Avisos de Irregularidades não pagos pelos usuários nos prazos previstos
deverão ser encaminhados ao Poder Concedente para a elaboração das
multas.
16.1.1. A Proponente vencedora efetuará a dedução, no valor de repasse
mensal ao Poder Concedente, referente a cada multa lavrada e recolhida aos cofres
da Prefeitura, sobre Avisos de Irregularidade emitidos e não pagos, de acordo com a
fórmula:
M
AI
=
N x UE 20 x
100
K
- 1
]
]
]

,
`

.
|
onde:
M
AI
= Valor de dedução referente a multas de trânsito pagas ao Poder
Concedente, lavradas sobre Avisos de Irregularidade emitidos e não
pagos
K = Percentual de repasse ao Poder Concedente
UE = Unidades de Estacionamento
N = Número de multas pagas à Prefeitura do Município de São Paulo,
lavradas com base em Avisos de Irregularidade emitidos e não pagos.
p.30 / 36
17. CAPÍTULO XVII - DOS BENS REVERSÍVEIS
17.1. A reversão ocorrerá ao fim do termo contratual, incluindo-se a prorrogação
prevista, definindo-se como reversíveis os bens móveis que deverão ser
imediatamente postos à disposição do Poder Concedente, obedecidos os
termos da Lei Municipal 12.523/97, Decreto Municipal 37.292/98, alterado pelo
Decreto Municipal n.º 37.540/98 e da Lei Federal nº 8.987/95.
17.2. Os Bens Reversíveis pertinentes ao objeto desta Concorrência, poderão ser
oferecidos como garantia de execução ou caução em negócios atinentes à
concessão e por prazo não superior a esta.
18. CAPÍTULO XVIII - DA CONSTITUIÇÃO DA EMPRESA CONCESSIONÁRIA
18.1. A Proponente vencedora deverá constituir uma Sociedade de Propósito
Específico, com sede ou filial no Município de São Paulo, para assumir a
Concessão.
18.2. As Proponentes individuais ou membros integrantes de consórcio deverão,
obrigatoriamente, participar da empresa que será constituída para assumir a
Concessão.
18.2.1. A Proponente vencedora deverá submeter à aprovação do Poder
Concedente minuta dos atos constitutivos da Concessionária dentro de 10 (dez) dias
após a homologação do resultado da Licitação e assinar o Contrato dentro de 30
(trinta) dias após a aprovação da minuta, sob pena de caducidade de seus direitos à
Concessão e perda da garantia de proposta oferecida.
18.2.2. Ocorrendo a hipótese de caducidade prevista no item ., o Poder
Concedente poderá, a seu exclusivo critério, revogar a licitação ou convocar as
demais Proponentes na ordem crescente de classificação das ofertas.
18.3. A Concessionária poderá se constituir sob a forma de sociedade anônima ou
sob a forma de sociedade por quotas de responsabilidade limitada.
18.4. Se a Concessionária se constituir sob a forma de sociedade por quotas de
responsabilidade limitada, o contrato social deverá prever: Conselho de
Administração, Conselho Fiscal, diretoria, auditoria externa independente e
elaboração das demonstrações financeiras de acordo com as regras
estabelecidas na Lei Federal nº 6.404/76 e alterações, e sua publicação
obrigatória.
18.5. No caso de cessão ou transferência de ações ou cotas a terceiros, os sócios da
SPC deverão submetê-la à aprovação do Poder Concedente.
18.6. A empresa a ser constituída terá como objeto social a prestação dos serviços,
conforme objeto do Contrato, e prazo igual ao prazo de duração da concessão.
18.7. A denominação da Concessionária será livre, mas deverá refletir sua qualidade
de Concessionária da exploração dos serviços concedidos.
18.8. Não poderão ser computadas, como aportes de capital, as despesas realizadas
pela Proponente vencedora até a outorga da Concessão.
p.31 / 36
18.9. O exercício social da Concessionária deverá coincidir com o ano civil.
18.10.A participação de capitais estrangeiros na Concessionária obedecerá às leis
brasileiras em vigor.
18.11.Ocorrendo casos eventuais de perdas que reduzam o patrimônio da sociedade
a um valor inferior à terça parte do capital social, este deverá ser aumentado,
no prazo assinalado pelo Poder Concedente, sob pena de caducidade da
Concessão.
19. CAPÍTULO XIX - DA ENCAMPAÇÃO
19.1. Em caso de encampação ou declaração de caducidade, nos termos da Lei
Federal nº 8.987/95, ou por ocasião do término do contrato sem renovação do
mesmo por parte do Poder Concedente, e a Proponente não conseguir auferir
os custos com a implantação do sistema, dos equipamentos de emissão de
tíquete de estacionamento e terminais de carga e recarga, publicidade, etc,
haverá indenização dos bens reversíveis em proporção ao prazo da Concessão
conforme valores que serão apurados na proposta apresentada.
19.2. A encampação dar-se-á quando, durante o prazo da Concessão, por motivo de
interesse público, mediante Lei autorizativa específica e após o prévio
pagamento de indenização, na forma do disposto no artigo 36 da Lei Federal nº
8.987/95, o Poder Concedente assim determinar, cabendo prévia defesa à
Proponente.
20. CAPÍTULO XX - DA RESCISÃO CONTRATUAL
20.1. Sob pena de rescisão automática, a Concessionária, não poderá transferir ou
subcontratar, no todo ou em parte, as obrigações assumidas, sem o
consentimento expresso do Poder Concedente.
20.2. Constituem motivos para a rescisão de pleno direito do contrato,
independentemente de interpelação judicial, aqueles previstos nas Leis
Federais nºs 8.987/95 e 8.666/93 e alterações.
21. CAPÍTULO XXI - DA EXTINÇÃO DA CONCESSÃO
21.1. Constituem motivos para a extinção da Concessão, além das hipóteses
previstas nos Capítulos anteriores, a caducidade e a falência ou extinção da
empresa concessionária, nos termos do artigo 35, Capítulo X, da Lei Federal nº
8987/95
21.2. A inexecução total ou parcial do contrato acarretará, a critério do Poder
Concedente, a declaração da caducidade da Concessão ou a aplicação das
sanções contratuais previstas no Capítulo XXII deste Edital.
p.32 / 36
21.3. A caducidade da Concessão poderá ser declarada, pelo Poder Concedente,
quando:
21.3.1. A Concessionária descumprir cláusulas contratuais ou disposições
legais concernentes à Concessão, bem como não cumprir as penalidades impostas
por infrações, nos devidos prazos;
21.3.2. A Concessionária não atender à intimação do Poder Concedente
dentro do prazo de 30 (trinta) dias da data da intimação, no sentido de regularizar a
prestação dos serviços;
21.3.3. A Concessionária for condenada, com sentença transitada em julgado,
por sonegação de tributos, inclusive contribuições sociais;
21.3.4. O serviço concedido for prestado de forma inadequada ou deficiente,
tendo por base as normas e critérios definidores da qualidade do serviço;
21.3.5. .A Concessionário paralisar o serviço ou concorrer para tanto,
ressalvados os casos fortuitos ou de força maior;
21.4. A declaração de caducidade da Concessão deverá ser precedida da verificação
da inadimplência da Concessionária em processo administrativo, assegurando
o direito do contraditório e ampla defesa.
21.5. Não será instaurado o processo administrativo de inadimplência antes de
comunicados, à Concessionária, os descumprimentos contratuais havidos,
dando-lhe um prazo máximo para corrigir as falhas e transgressões apontadas
e para o enquadramento nos termos contratuais.
21.6. Instaurado o processo administrativo e comprovada a inadimplência, a
caducidade será declarada por ato do Poder Concedente, independentemente
de indenização prévia, que poderá ser calculada no decorrer do processo.
21.7. A indenização acima tratada será devida na forma do prescrito no artigo 36 da
Lei Federal nº 8.987/95 e do contrato, descontado o valor das multas
contratuais e dos danos causados pela Concessionária e deverá ser paga
quando da rescisão do contrato em moeda corrente, à vista.
21.8. Declarada a caducidade, não resultará, para o Poder Concedente, qualquer
espécie de responsabilidade em relação aos encargos, ônus, obrigações ou
compromissos com terceiros ou com empregados da Concessionária.
21.9. A transferência da Concessão ou controle societário da Concessionária, sem
prévia anuência do Poder Concedente, acarretará a caducidade da Concessão.
21.10.A Concessão extinguir-se-á automaticamente com o término do prazo
estabelecido na Cláusula Quarta da Minuta do Contrato - , ocasião em que se
encerrará a relação entre as partes, incluindo-se a eventual prorrogação.
21.11.Ao final do prazo contratual, o Poder Concedente poderá assumir
imediatamente os serviços e instalações destinadas à Concessão e poderá
fazer uso de todos os bens afetos à prestação dos serviços públicos de
estacionamento rotativo eletrônico, que reverterão ao Poder Concedente. Os
referidos bens deverão estar em perfeitas condições de uso.
21.12.Caso o contrato venha a ser prorrogado, os bens reverterão ao Poder
Concedente somente ao final do prazo de Concessão, incluindo-se a eventual
prorrogação.
p.33 / 36
21.13.A reversão, no advento do termo contratual, far-se-á com a indenização das
parcelas dos investimentos dos bens ainda não amortizados, que tenham sido
realizados ou adquiridos com o objetivo de garantir a continuidade e atualidade
dos serviços.
22. CAPITULO XXII - DAS PENALIDADES
22.1. Em caso de inexecução total ou parcial dos serviços, a Concessionária estará
sujeita às penalidades previstas na Minuta do Contrato - , bem como às
conseqüências previstas na Lei Federal n.º 8.666/93, alterações, e demais
legislações e normas aplicáveis.
22.2. Se a Proponente adjudicada recusar-se a assinar o contrato dentro do prazo
estipulado pelo Poder Concedente, por qualquer motivo, ser-lhe-á aplicada a
pena de perda da garantia de proposta, garantido o direito de defesa prévia do
interessado, independentemente de outras penalidades previstas em lei.
22.3. Além das penalidades previstas na cláusula décima da Minuta do Contrato, a
extinção da concessão por caducidade terá como conseqüência a perda, pela
Concessionária, da garantia de contrato efetuada nos termos do item deste
edital.
22.4. As penalidades são independentes e a aplicação de uma não exclui a de
outras.
22.5. A multa aplicada à Concessionária deverá ser paga no prazo estabelecido pelo
Poder Concedente.
22.6. A critério do Poder Concedente, as multas e juros de mora poderão ser
descontados da Garantia do Contrato, a qual deverá ter seu valor recomposto
imediatamente após a realização do débito.
22.7. Nenhuma penalidade será aplicada à Concessionária na eventualidade de
ocorrência de fatos que estejam fora do seu controle tais como: greve dos
trabalhadores da Concessionária, atrasos devido à greve de fabricante dos
equipamentos, greve ou atraso imprevisto dos correios em ambos os países
(Brasil e origem), atrasos na alfândega, falha da Municipalidade em aprovar
novas áreas para a instalação de equipamentos ou para aprovação de uma
área para iniciação dos serviços, ou qualquer outra falha para a qual não
contribua direta ou indiretamente a Concessionária.
23. CAPITULO XXIII – DA GARANTIA DO CONTRATO
23.1. A garantia do contrato será prestada, anualmente, nos termos do artigo 56 da
Lei 8.666/93 e alterações, correspondendo a 2 % (dois por cento) do valor
estimado para a arrecadação prevista durante o primeiro ano apresentado na
proposta comercial. Após o primeiro ano de contrato, haverá complementação
da garantia , devendo ser observada a arrecadação prevista para o período,
considerado eventual reajuste da U.E. - (Unidade de Estacionamento).
24. CAPITULO XXIV – DO VALOR DO CONTRATO
p.34 / 36
24.1. Estima-se o valor global desta licitação em R$550.673.315,47 (Quinhentos e
cinqüenta milhões, seiscentos e setenta e três mil, trezentos e quinze reais e
quarenta e sete centavos), equivalentes ao resultado financeiro da operação de
60.000 (sessenta mil) vagas do 1º e 2º lotes do Estacionamento Rotativo
através de parquímetros eletrônicos multivagas, durante o período de 180
meses.
25. CAPITULO XXV - DO CONTRATO
25.1. A Proponente vencedora do certame licitatório deverá, no prazo máximo de 30
(trinta) dias corridos, contados a partir da data da convocação do Poder
Concedente, assinar o contrato de Concessão a ela adjudicado,conforme
Anexo II, parte integrante deste Edital.
25.2. O prazo para a assinatura do contrato poderá ser prorrogado, por igual período,
quando solicitado por escrito durante seu transcurso, desde que ocorra motivo
justificado e aceito pelo Poder Concedente.
25.3. É facultado ao Poder Concedente, quando o convocado não assinar o termo de
contrato ou não aceitar ou retirar o instrumento equivalente no prazo e
condições estabelecidos, convocar as Proponentes remanescentes, na ordem
de classificação, para fazê-lo em igual prazo e nas mesmas condições
propostas pelo primeiro classificado, inclusive com os preços atualizados de
conformidade com o ato convocatório, ou revogar a Licitação, de conformidade
com o disposto no artigo 81 da Lei Federal nº 8.666/83 e alterações.
25.4. O prazo da presente Concessão será contado a partir da emissão da
respectiva Ordem de Serviço, que conterá as orientações necessárias ao início
da implementação do primeiro lote de vagas de estacionamento, conforme
definido no Termo de Referência - .
25.5. Fica vedada a subcontratação de partes ou de todo o objeto do contrato, bem
como a sua subconcessão, sem expressa autorização do Poder Concedente.
25.5.1. A subconcessão poderá ser admitida após realização de processo
licitatório na modalidade concorrência, sendo que o subconcessionário se sub-rogará
todos os direitos e obrigações da subconcedente, nos termos do artigo 26 da lei
Federal 8987/95
25.6. As alterações contratuais somente serão efetuadas de acordo com o previsto
no artigo 65 da Lei Federal nº 8.666/93 e alterações.
25.7. Quaisquer tributos ou encargos legais criados, alterados ou extintos, bem como
a superveniência de disposições legais ocorridas após a data da apresentação
da proposta, de comprovada repercussão nos preços contratados, implicarão
em revisão destes para mais ou para menos conforme o caso.
25.8. O prazo para assinatura do contrato será de até 10 (dez) dias úteis, contados
da data de publicação pelo Poder Concedente, prorrogáveis por igual período,
a critério do mesmo.
25.9. O prazo para retirada da ordem de serviço será de 5 (cinco) dias corridos,
contados a partir da emissão da mesma.
p.35 / 36
26. CAPITULO XXV – DAS DISPOSIÇÓES FINAIS
27.
27.1. O Poder Concedente publicará, após a homologação da presente licitação, ato
regulamentando as disposições concernentes ao período de transição entre a
emissão da primeira Ordem de Serviço até a efetiva implementação da primeira
fase do primeiro lote de vagas, bem como a coexistência do sistema de
estacionamento rotativo objeto deste certame com o Sistema de Zona Azul
atualmente em vigor neste Município e, ainda, dispondo sobre a possível
criação de condições específicas para vias e logradouros públicos possuidores
de características diferenciadas e serviços que, por suas especificidades,
prescindem de regulamentação especifica, como, por exemplo, o uso de
carros-fortes e caçambas metálicas.
27.2. A proposta técnica não poderá conter referência a preço, devendo descrever
detalhadamente os serviços objeto desta concorrência , de acordo com as
especificações e demais informações adicionais constantes deste Edital e de
seus Anexos, bem como descrever as garantias e responsabilidades das
Proponentes sobre eles.
27.3. Quaisquer esclarecimentos em relação a eventuais dúvidas de interpretação do
presente Edital deverão ser dirigidos à Comissão Especial de Licitação.
27.4. As consultas de esclarecimentos deverão ser formuladas, por escrito, à
Presidente da Comissão, no endereço indicado no preâmbulo deste Edital, até
10 (dez) dias corridos antes da data final consignada para a entrega das
propostas.
27.5. As impugnações ao presente Edital deverão ser encaminhadas à Comissão
Especial de Licitação, de acordo com o que estabelece o artigo 41 da Lei Federal
nº 8.666/93
27.6. Os esclarecimentos prestados pela Comissão Especial de Licitação serão
publicados no Diário Oficial do Município - DOM, e, ainda, disponibilizados no
site da Secretaria Municipal de Transportes na internet, no endereço:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/transportes/index.asp
27.7. A cada manifestação da Comissão Especial de Licitação será atribuído um
número seqüencial, a partir do n° 01, que se incorporará a este edital sob a
forma de aditivo.
27.8. Os documentos necessários à concorrência poderão ser apresentados em
original ou cópia autenticada por Tabelião de Notas, ou por publicação em
órgão da imprensa oficial, ou ainda por membro da Comissão Especial de
Licitação; neste caso, a Proponente deverá munir-se da via original dos
documentos para conferência por parte da Comissão Especial de Licitação.
27.9. As propostas vinculam as Proponentes aos seus termos, sendo que a proposta
da Proponente vencedora fará parte obrigatória do contrato a ser firmado.
27.10.Os casos omissos neste edital serão resolvidos pela Comissão Especial de
Licitação.
27.11.A participação nesta Concorrência implica na aceitação plena e irrestrita dos
termos deste Edital.
p.36 / 36
27.12.A Administração se reserva o direito de, a qualquer momento e a seu exclusivo
critério, mediante motivação expressa, revogar ou adiar a presente licitação,
sem que isto possa gerar para as Proponentes qualquer tipo de indenização.
São Paulo, 12 de Setembro de 2003.
Juliana Batistela Guimarães
Presidente da Comissão Especial de Licitação
p.37 / 36