You are on page 1of 15

1

Sumário

5.2 - A rebelião jovem ..................................................................................................7 5.3 - Solidariedade operária..........................................................................................7 5.4 – No século XX .......................................................................................................7 6.0 – A reforma do ensino de 1º e 2º grau / objetivos, estruturas e conteúdos ..........8 7.0 – Seletividade da Escola Brasileira......................................................................10 8.0 – Armas para a revolução ...................................................................................11 9.0 – Sofrimento e Humilhação..................................................................................11 10-0 – Atrever-se a lutar, atrever-se a vencer...........................................................12 11-0 – O início do fim.................................................................................................14 Bibliografia............................................................................................................... 15

1.0 - Começo Guerra Fria – 1960 uma década rebelde tensão na América Entre as décadas de 50 e 60 os Estados Unidos e a União Soviética disputavam o poder do planeta, enquanto os Estados Unidos dominavam a América e a Europa Ocidental com o seu poder econômico a União Soviética controla o leste europeu e estimulava a revolução comunista na China, na Coréia e no Vietnã. Eram tempos da guerra fria. O Brasil acabou sendo influenciado pela economia, política e cultura poderosa dos nossos vizinhos Estados Unidos principalmente no que se diz a respeita ao gênero musical como jazz, Fox trote e nosso famoso rock in roll muito tocado nas

As forças conservadoras e anticomunistas temerosas do desenvolvimento de uma economia nacionalista. suas famosas calças jeans apertadas e suas jaquetas de couro pretas. 2. Essa guerra tinha como objetivo de cerca e prender os guerrilheiros da Vanguarda Popular Revolucionário que atuavam naquela região no caso nove brasileiros em fase de treinamento para derrubar o governo. grupo de estudantes de toda América latina denunciavam a exploração do império Estado Unidos “Ianque”. helicópteros e carros do exercito brasileiro logo se deram por conta estava começando uma guerra. Equador e Brasil. Não Pagaremos dividas externas fora empresas estrangeiras gritavam estudantes em El Salvador essas vozes ecoavam em toda América latina Peru.2 rádios brasileiras daquela época. Em 1962 a União Soviética ameaçou a instalar misses em Cuba para se defender Cuba das pressões norte-americanas. o populismo já se encontrava desgastado. Nessa mesma década houve uma onda de manifestação com a revolução cubana. Ainda nos 60 mesmo mais exatos em Washington teve uma surpresa.0 . Porem nessa época Cuba teve grandes progressos na área da saúde e principalmente na educação. aliou-se a União Soviética e rompeu com Estados Unidos. No Brasil o rock in roll também fazia bastante sucesso com Erasmo Carlos. Não se esquecendo do cinema com jovens atores conhecido dos anos 50 e 60 em Hollywood como James Dean e Marlon Brando vestidos com roupas que deixavam a mulheres enlouquecidas. o grupo guerrilheiro que dois anos antes assumiria o poder em Cuba declarou-se socialista. Já na década de 70 em meados de abril na cidade do Vale do Ribeira. e importantes reformas sociais e agrárias a instituição .O golpe militar no Brasil Durante o governo de João Goulart (1969). plantadores de bananas viviam aparentemente em um dia como o outro. Wanderleia e o rei Roberto Carlos talvez um dos nomes mais importante da Jovem Guarda. Guatemala. quando dê repente próximo ao povoado de Capelinha. ouvirão um zumbido de motores bem forte eram aviões.

habitacional e assistência medica cresceram grandemente. beneficiando as multinacionais que se apoderaram de quase todos os setores da economia nacional ao mesmo tempo o Brasil ultrapassou os cem bilhões de divida externa. publicas ou privatizadas e concede ao presidente da republica poderes para atuar como executivo e legislativo. A reação da ditadura é terrível. favorecendo a concentração de riqueza em poucas mãos. A propriedade de terra foi negada aqueles que nela trabalhavam a renda rural distribuída desigualmente afetaram as condições de vida da população. A doutrina de segurança nacional justifica todo tipo de repressão. milhões de pessoas foram levadas a migrar para outras cidades que já estavam sobrecarregadas sem as mínimas possibilidades de uma vida digna.3 de uma “nova cuba”. camponeses. Em dezembro de1968 o Ato institucional nº 5 (AI-5) retira todas as garantias individuais. Na economia acontece a desnacionalização e consequente vinculação ao capitalismo internacional e a desigualdade. que visava tal governador. prejudicando as pequenas e medias empresas. . Como consequência os índices de mortalidade infantil e as doenças contagiosas e a precariedade alimentar. as manifestações políticas são vigorosamente contidas. indignação e revolta tomava conta de alguns setores da sociedade brasileira.0 . Intelectuais renomados saíram às ruas do Rio de Janeiro e São Paulo com faixas contra o golpe. dessa forma perdem força os grupos que lutavam para serem ouvidos os. sob controle do serviço nacional de informação (SNI). exílio e assassinato. Com o enriquecimento do regime. modelo de industrialização excludente. tortura. operários. Em fevereiro de 1969 o decreto lei numero 477 proíbe os professores alunos e funcionários das escolas todo e qualquer tipo de manifestação de caráter político e todas as escolas passaram a ser observadas por agentes dos órgão de informação do governo. desde censura ate prisão. estudantes. Artistas e jornalistas repudiavam os militares apesar da censura.Resistência A repressão e o medo. 3. depõe tal presidente e estabelecem a ditadura militar.

. em 1. Filosofia. Resultado dessa luta foi a duplicação de vagas na universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro). segundo o acordo MEC – Usaid. 4.A reforma do ensino superior Uma das lutas históricas dos estudantes brasileiros era o aumento do numero de vagas nas escolas superiores publicas. empenhada em transformar as universidades publicas e gratuitas em instituições privadas e pagas. em março de 1964. medicina e Arquitetura das grandes cidades do Sudoeste e do Sul o pais coordenaram centenas de greves e passeatas.º de abril de 1964. Acordo MEC-USAID: assinado em 23 de junho de 1965 entre o ministério da Educação e Cultura (MEC) e a Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID).Censura A Lei da Imprensa de 1967 oficializou a censura a noticias. Como forma de protesto. fotos e ilustrações de revistas e jornais sendo ofensivas à imagem do regime militar. A liberdade de expressão chegou ao máximo no governo Médici entre 1969 e 1973. concedeu uma única entrevista à imprensa. determinava a privatização das universidades publicas brasileiras. passaram a ser vistos como “subversivos” e suas manifestações foram severamente reprimidas. a introdução de novo currículos e uma metodologia de ensino voltada principalmente para a formação técnica e a preparação de mão de obra para a indústria.4 Mas foram os estudantes universitários que assumiram o primeiro plano das manifestações politicas contra a ditadura. a politica educacional do novo governo. as letras de canções e os roteiros de cinema e televisão foram alvo constante. continuaram em sua luta. alguns jornais substituíram os textos proibidos por outros banais – receitas culinárias. 3. No seu mandato. por exemplo. Os alunos das faculdades de direito. Com o regime militar. Também os textos de teatro e literatura. preparada com antecedência.1 .1 . Para fugir ao veto o compositor Chico Buarque de Holanda criou um nome artístico falso (Julinho de Adelaide). Protestavam contra a liberdade democrática.

tornavam-se “excedentes”. em 1968. A instituição regular dos cursos de pós-graduação (de mestrado e concomitante instituição da carreira universitária aberta. tendo pouca participação da comunidade universitária. e o governo buscou neutralizar a luta dos estudantes através de iniciativas de ordem burocrática: . através da lei nº 5. procedeu a Reforma Universitária. comuns a estudantes de diversos cursos. Trabalho realizado pela Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo (ADUSP).5 As vagas eram limitadas. aumentar verbas e recursos. livre. do sistema de créditos. Não era essa a reforma que os estudantes e professores reclamavam: “Abrir vaga. criar cursos básicos pa integração de toda a Universidade. quando começou a pratica a Reforma Universitária. com a introdução A introdução dos exames vestibulares unificados e dos ciclos básicos. da influencia norte-americana em assuntos educacionais brasileiros. semestrais. instaurar os departamentos com seus colegiados. na faculdade de Filosofia da USP. que se tornaram famosos com o nome de Acordo MEC-USAID. em parte.” A reforma apaixonante que discutiam dia e noite. cursos parcelados. mostrando como o Reitor era o Rei Sol. doutorado). no inicio de 1984. Muitos passavam no vestibular.540 de 28 de novembro de 1968. mediante acordos assinados entre o nosso Ministério da Educação e a Agência Interamericana de Desenvolvimento dos Estados Unidos. irradiando sua luz em todos os outros órgãos da Universidade. Universidade critica. mas não podiam ingressar por falta de vagas. Principalmente a partir de 1969. Universidade em unidades. Tais mudanças. O Governo Federal ao invés de atender. bem como os cursos de curta duração. por fim no domínio da cátedra. ampliar o corpo docente. Fora a Universidade elitista e de classe!. aberta. A reforma universitária promovida pelo governo possibilitou a intensificação do domínio da burocracia do poder centralizado dentro da universidade brasileira. que foram as seguintes: a) b) c) d) e) A extinção da cátedra e sua substituição pelo departamento e a O abandono do modelo da faculdade de Filosofia e a organização da Currículos flexíveis.

Situação modificada em 1982. procurando desviar os alunos das escolas superiores. eliminando a nota mínima. com mais eficiência burocrática. Se antes 1969 a maioria das vagas eram publicas e gratuitas. permitindo a liberdade dos estabelecimentos oferecerem ou não habilitações profissionais.º e 2. Ciências e Letras. através de um diploma técnico. • Com a reforma do 1. professores e lideres religioso estão à frente dos protestos contra a ditadura. tornaram-se optativas. • A organização da universidade em unidades. dificultou a integração e a vida universitária. hoje são particulares e pagas. Os dirigentes da UNE convocaram e comandaram uma passeata que reuniu 100 mil manifestantes no centro do Rio de Janeiro.º graus . não mais em torno da Faculdade de Filosofia. • Através da organização em departamentos. o governo tornou o 2. não existiam os excedentes. 1968.º grau obrigatoriamente profissional. A rebelião jovem . Nas férias de julho os universitários cercaram o edifico do Ministério da Educação. Cenas de violência seguiam de ambos os lados. o mesmo tentou com a organização em semestres. Só seriam aprovados a quantidades de vagas. as matérias filosóficas. em muitas com sobras de vagas. • Multiplicaram as vagas em escolas superiores particulares.6 • Instituiu o vestibular classificatório. A “perigosa” UNE O incidente da morte do estudante Luis de Lima morto pela policia militar mobilizou a opinião publica nacional. enquadramento de um modelo empresarial. No XXX Congresso da UNE a polícia invadiu o local da reunião e prendeu estudantes e principais lideres. o ano em que vivemos em perigo Os estudantes acompanhados por trabalhadores sindicalistas. em 1971.

fugindo a convocação da guerra do Vietnã. A Reforma do Ensino de 1º e 2º Graus No ensino brasileiro. Um dos graves problemas da educação escolar brasileira é a sua alta seletividade. vivendo em comunidades de jovens livres e solidários. o exame de admissão era obstáculo que impedia a continuidade dos alunos nos estudos. avançamos muito pouco. a Evolução das Matrículas do ensino primário. aumentou em 45 anos 10. Operários e estudantes também se solidarizaram nas comemorações de 1º de maio naquele ano de 1968.7 Em 1968 os jovens por acreditarem no sonho de um mundo novo optaram por não participar da sociedade de consumo. a maioria das brasileiras continuam excluídas das oportunidades educacionais. .702. no ano de 1940 a 1985. A juventude apostava na eficácia de ações armadas contra a ditadura que dominava boa parte do continente. os operários (metalúrgicos) geraram paralisações nas cidades de Contagem e Osasco. Solidariedade operária Contagiados pela mobilização estudantil. O saldo destes protestos foi negativo para os grevistas: centenas foram presos e a diretoria do sindicato dos metalúrgicos de Osasco destruída. Em 1978. a solução desses problemas depende em parte à construção de um país melhor para todas brasileiras. em 45 anos 1. conseguiram ingressar no ensino superior em 1989 com uma queda em relação aos que ingressaram em 1978. A taxa de analfabetismo ainda se mantém elevada: no Brasil em 49 anos diminuiu em 37.60%. a escola continua excluindo a grande maioria dos alunos que iniciaram o 1º grau. já no médio. No século XX Educadores e grupos continuam enfrentar sérios problemas no campo educacional.9%.37%.425. No superior de 1960 a 1989 aumentou em 29 anos 1.

agrícola e normal desapareceram. A Igreja e a Ditadura Em 1964 existiam três tendências no clero brasileiro. Conteúdo A reforma de 1971 aumentou o número de matérias obrigatórias e prejudicou outros que podem favorecer discursos críticos como filosofia. Objetivos O ensino de 1º e 2º graus tem por objetivo geral proporcionar ao educando a formação necessária ao desenvolvimento de potencialidade. antes a frequência era 15% e elevou par a 90% a matrícula da população na escola. a lei está longe de por em prática. abrindo as portas do ginásio aos egressos do ensino primário. psicologia deixou de ser ministrados no 2º grau. Em 1971.8 Na década de 60.ginásios. Em 1971. preparação para o mercado de trabalho e para o exercício de cidadania. vida social. comércio. deram o prosseguimento dos estudos primários e ginásios. duração de 8 anos. para ingressar na faculdade tinha que prestar o concurso vestibular. sociologia. auto – realização. industrial. o ensino de 2º grau tornou profissionalizante auxiliar técnico 3 anos e técnico 4 anos. com escolaridade única de oito anos. No entanto. com a unificação do exame de admissão. foram implantados quase cem grupos de escolares. A maioria dos alunos do ginásio não chegou ao 2º grau. . Em 1969. ou seja. houve outra reforma do ensino 1º e 2º graus. Estrutura A reforma de 1971 modificou a estrutura de ensino: • • • Antigo primário (4 a 6 anos) e antigo ginásio ficou 1º grau com Os cursos profissionais no antigo ginásio.

A Esquerda em Crise A vitória dos militares em 1964 instaurou uma crise no principal partido de esquerda. e o plano revoltou até uns do chefe da F. Em 1968. foram punidos e perderam a patente. o Partido Comunista Brasileiro o PCB. era admirado pelos sargentos por sua lealdade. não me formei para isso! O quê faço aqui dentro? Virei Capitão-do-mato? Lamarca. padres favoráveis ao golpe militar e as forças sociais. freira. cercar estudantes no centro.. sugeriam que se fosse preciso uso da violência para combater a miséria.A. a Força Aérea Brasileira acompanhava a manifestação estudantil no Rio de Janeiro. O Capitão Carlos Lamarca. O caso veio a público mais tarde. .. Terceira: era revolucionário e identificado como “comunista” formados por leigos. políticos da oposição e cassados irrecuperáveis com o fim de lançá-los ao mar. “Passou para o outro lado” concluíram os militares e sua foto aparecia estampada em cartazes como terrorista procurado. Terroristas: Procuram-se Os militares e a elite conservadora justificaram a repressão crescente como resposta à radicalização. mas na década de 50 e 60 enfraqueceu por disputas internas e semiclandestinidade o “partidão” como era chamado na grave crise. Os progressistas da Igreja participaram ativamente das manifestações estudantes e operárias. estrangeiros. que fracassou completamente. só conseguiu voltar em 1946 e 1947. seguia as orientações do Papa João XXIII e do Concílio Vaticano. Em 1935 tentou uma grande rebelião político-militar. Seu objetivo era utilizar os aviões para missões de sequestro das principais lideranças estudantis.9 Primeira: mais conservadora formada pela hierarquia da igreja: bispos. padres. descontente desertou do exército.B. ele dizia “reprimir operários. Segunda: reformistas.

Existem tendências e perspectivas. a partir da organização de educadores e comunidade.10 A Luta Armada A vitória da guerrilha em Cuba mostra aos militares da esquerda brasileira o caminho a seguir: luta armada clandestina contra a ditadura. Esse golpe foi recebido como sendo um alívio para os americanos que ficaram mais satisfeitos de ver o Brasil não seguir o mesmo caminho de Cuba onde tinha a guerrilha que era liderada por Fidel Castro que tinha tomado o poder. não chega a 2ª série do ano seguinte. Sofrimento e humilhação . Em 1989 cinco milhões de crianças de sete a catorze anos estavam fora da escola. Depois de ter passado um tempo após o golpe vieram então os atos institucionais que eram artificialismos que foram criados para dar legitimidade jurídica a ações políticas contrárias à constituição brasileira o que culminou numa ditadura. Devido à repressão alternativa verdadeiramente revolucionária contra o regime e a opressão capitalista era a luta de armas na mão. Quase a metade dos alunos matriculados na 1ª série. '' Seletividade da escola Brasileira. '' A exclusão da escola verifica-se já durante o 1º grau. A responsabilidade por exclusão cabe às precárias condições socioeconômicas. 19% dos brasileiros com quinze anos ou mais são analfabetos e 82% dos que iniciam o 1º grau deixam a escola antes de chegar ao 2º grau. aproximadamente 18% dos que iniciam o 1º grau conseguem terminá-lo. A realidade educacional não é nada promissora. elevando-se o índice de repetência nas primeiras séries. que nos levam a prever dias melhores para a educação brasileira. Armas para a revolução. anos de chumbo da ditadura militar – Sem eira nem beira A ditadura militar foi um dos períodos mais conturbados da história do Brasil e esse tipo de governo teve inicio em abril de 1964 depois de um golpe que havia sido dado pelas Forças Armadas.

Ele tinha intenção de arrebanhar os camponeses do interior brasileiro. Lamarca dispersou os combatentes menos preparados e treinou os 9 restantes para resistir o cerco policial.conhecido por sua crueldade e por ser um dos chefes do Esquadrão da morte. Os prisioneiros criavam formas de resistir às atrocidades que sofriam e a solidariedade era a principal. as humilhações aos presos eram métodos usados para tirar a capacidade de reflexão.era companheira de Lamarca.trafico de drogas e a partir de 1969 empenharam-se em combater os crimes de natureza política. Conseguiram fugir.sendo que uma delas Yara Yavelberg .o comunista Carlos Marighela foi abatido a tiros pela policia de São Paulo .um dos tiros foi disparado pelo delegado Sérgio Paranhos Fleury. Lamarca colocou seu plano em pratica em novembro de 1969 no Vale Ribeira. Na tarde do dia 24 de janeiro de 1969. junto a três companheiros de farda e 63 fuzis FAL. Carlos Lamarca fugiu do quartel de Quitaúna. Um sonho verde e amarelo Carlos Lamarca achava que “Ao povo oprimido só lhe resta um caminho: o da luta armada longa e paciente”. O grupo de Lamarca era composto por 11 homens e 3 mulheres.dois morreram no interrogatório.11 Em 4 de novembro de 1969. Os envolvidos no sequestro de Charles Elbrick foram presos. Darcy Rodrigues José Lavecchia foram encontrados por tropas do governo quando observavam a movimentação dos mesmos.eles criavam falsas historias para poder enganar os torturadores e assim proteger seus companheiros.grupo de extermínio do qual participavam policias de um grupo especial da policia do Rio de Janeiro que eram envolvidos com o crime organizado. Os choques. Organizavam cursos. roubados do exercito e por longos meses ficou escondido. Quando conseguiam comunicar-se entre sim. contavam historias e cantavam para sobreviver com dignidade.assim como fizeram os comunistas cubanos e vietnamitas.uma estudante de psicologia. mas foram . dedicando-se a leituras e contatos com diversas organizações.um enlouqueceu e o restante foram trocados por estrangeiros sequestrados no decorrer do ano de 1970.

depois de ter sido impiedosamente caçado. mas ao deparar com uma barreira policial. Decidiram seguir a pé.em 31 de maio de 1970.José Lavecchia.no Rio de Janeiro .capturaram uma viatura do exercito e disfarçados. o caminhão onde se encontravam Lamarca.abriram fogo contra os militares. Quatro soldados morreram no tiroteio e após outro enfrentamento. Em setembro . A realidade mostraria que estava certa.Em troca de sua liberdade . O recurso ao sequestro de diplomatas estrangeiros era eficiente na medida em que chamava a atenção da opinião pública internacional para a tortura no Brasil. Dois companheiros de Lamarca desapareceram na escuridão e julgando que eles estivessem mortos. No dia 11 de junho de 1970. outro fator contribuía de forma decisiva para a derrocada da esquerda revolucionária :no inicio dos anos .Fernando Gabeira e todos os implicados nos sequestros anteriores. Além da perseguição policial e da propaganda política.foi a vez do próprio capitão ser assassinado no interior da Bahia .os sobreviventes do vale do Ribeira participaram do sequestro do embaixador alemão Ehrenfried Von Holleben.mas foram surpreendidos por tiros de metralhadora. ficou atolado na estrada. é conceber os próximos passos’’. Durante a fuga.entre os quais Darcy Rodrigues .exigiram a soltura de quarenta presos políticos. Atrever-se a lutar.atrever-se a vencer ‘’Vencemos a batalha. Em outro ponto da floresta.finalmente conseguiram escapar para a capital.sentenciou Lamarca.12 capturados novamente. Lamarca ordenou o justiçamento do oficial Paulo Mendes Junior. que foi morto a coronhadas na cabeça. Vencidos pela fome e pelo cansaço. Caminharam por 15 dias com o exercito em seu encalço. Carlos Lamarca exigiu a rendição dos inimigos e seguiu em fuga desabalada levando consigo como refém o tenente Paulo Mendes Junior.onde coordenava outra ação revolucionária . mais 14 soldados foram gravemente feridos. após uma semana. seus companheiros e o refém. Lamarca e o restante do grupo resolveram sair do Vale do Ribeira. em agosto de 1971 Iara Yavelberg suicidou-se para não ser presa. agora.

BRANCO. NINGUÉM SEGURA A JUVENTUDE DO BRASIL Assim falava a canção que tocava no rádio em 1970. Primeira campanha ‘’Numa guerra.EU TE AMO. a ditadura endereçava aos militares de esquerda. ‘’Ninguém segura este país ‘’era o slogan mais frequente da propaganda oficial que . Comprava carros. quando o Brasil conquistou o tricampeonato mundial de futebol. Era o milagre econômico.alguns jovens recrutas com apenas seis meses de quartel . Um pouco de economia Desde o governo Castelo Branco (1964-1967) o governo procurava controlar a inflação e retomar o crescimento da economia.EU TE AMO. EU TE AMO .eram alvo fácil dos militares do PC do B. Em poucos anos.MEU BRASIL.O medo e a . eletrodomésticos e aparelhos de som.enquanto censurava as noticias sobre tortura e repressão . A classe média parecia muito bem. numa guerrilha .AMARELO. É através dos outdoors. Os soldados convocados para acabar com a guerrilha do Araguaia. Ele tinha razão. por volta de meados da década de 70 a própria classe média já começou a sentir os efeitos negativos do ‘’milagre’’brasileiro. A tensão é muito grande’’.se encarregava de divulgar maciçamente os índices econômicos de controle de inflação e crescimento da economia. dizia-se.AZUL ANIL.é muito difícil segurar as pessoas.MEU BRASIL . Controle de salários .explicava um oficial. financiava a casa própria e abria poupança para garantir o futuro.aumento geral de impostos e desvalorização da moeda foram algumas das medidas que permitiram aos empresários dispor de recursos para investimentos.13 70 o país retomou o crescimento econômico o que fortaleceu a imagem do governo aos olhos de boa parte da população . MEU CORAÇÃO É VERDE . O ‘’MILAGRE ‘’ECONOMICO EU TE AMO .escondidos na mata espessa e traiçoeira .

os soldados despeja vam sua ira contra os roceiros .e o general Antonio Bandeira chegou a servir de intermediário num conflito entre fazendeiros e posseiros. e as mulheres.’’E ninguém acreditava que os ‘paulistas’ fossem nada daquilo que os oficiais diziam: os homens. Permanece obscuro o motivo exato que levou á retirada do grosso das tropas após dois meses de cerco. O Início do Fim Termina a ditadura militar.publicava pela primeira vez informações precisas sobre a movimentação de tropas no ARAGUAIA .’’mas a presença dos terroristas por aqui até que foi uma benção.testemunha dos fatos .’Deus me perdoe ‘’-disse um vereador de Araguaia ao repórter -.revelaria depois um morador .14 tensão eram tão intensos que. ‘’Mas ninguém nem sabia o que era terroristas ‘’. Nessa segunda campanha. assaltantes de banco. e remédios foram distribuídos á população . aumento das diferenças sociais trazendo grande preocupação à . tinha suas vantagens ‘. apenas soldados profissionais –tropas de elite . sindicatos e o restabelecimento de eleições diretas para Presidência da Republica. Uma guerra que.não encontrando guerrilheiros .Uma falha da censura permitiu ao público ouvir os ecos daquela ‘’guerra silenciosa’’. No lugar de recursos. inicia uma constituição garantindo uma reestruturação dos partidos.cabeludos.considerados cúmplices dos’’terroristas’’.entre as quais alguns espiões disfarçados como viajantes hippies. Apenas os arquivos confidenciais do governo poderiam hoje esclarecer esse ponto. os militares trataram de incorporar a estratégia do inimigo:conquistar o apoio através de atividades assistenciais .porque chamou a atenção do exercito e dos governos estadual e federal para essa região’’.prostitutas em São Paulo’’. barbudos.mal vestidos.o jornal O ESTADO DE SÃO PAULO . para alguns. descontrole da inflação e desempregos. Segunda campanha Dia 12 de setembro de 1972 :num excepcional furo de reportagem . Ainda com reflexos da economia de uma ditadura militar o país passa por dificuldades para negociação da dívida externa.

médio e superior).128 . Reformaram-se os três níveis de ensino (fundamental. professor de direito constitucional. de um ex-aluno da época da ditadura. Uma elite se formava. Grandes modificações foram feitas no setor educacional. A preocupação era em cursos rápidos. Alguns conseguiam frequentar as aulas no período noturno e alguns poucos conseguiam chegar à universidade. membro de uma família extensa (21 irmãos). porém não havia a preocupação da qualidade de ensino. Nelson Série Educação – História da Educação no Brasil – Editora Ática 7ª edição São Paulo: cap 9: Ditadura Militar (1964 – 1985) paginas. formou-se em direito e mais tarde doutor. Os governantes precisam revisar os modos de ação para não cometerem os mesmos erros. milhares de crianças não conseguiam ter acesso à escolarização básica Milhares de jovens deixavam a escola para ingressar no mercado de trabalho. venceu. BIBLIOGRAFIA Piletti. 114 . Resolveu quebrar todos os paradigmas e cursar o nível superior em uma faculdade federal. Morando na periferia de São Paulo. sofrendo alguns preconceitos da época. aumentaram a rede física e o número de vagas nas escolas. passando no vestibular com louvor. milhões de brasileiros continuavam analfabetos e. a cada ano. com certeza o nosso país teria alcançado objetivos de excelência no conhecimento acadêmico. Citando um grande exemplo. o mesmo apoio familiar que este aluno teve. negra. Hoje ocupando a cadeira do Patrono Ruy Barbosa na academia de Letras de São Paulo Bom seria que todos os brasileiros tivessem tido esta determinação exemplar.15 população.