You are on page 1of 3

O dinheiro O dinheiro tem o poder de igualar na diferença, o dinheiro é uma forma lidar com a diferenciação, u caracteriza as grandes cidades

. De certa forma, não existe uma grande diferença entre o dinheiro e a atitude blasé. O dinheiro é um elemento que tenciona a diferenciação, mas é o elemento dinheiro que garante uma certa igualdade. Não existe iguadade para simmel , mas existe um horizonte de igualdade. O dinheiro é portanto a forma da vida metropolitana, pois é ela que garante de forma central uma equalização, nivelamento. A igualdade porem não precisa ser normativa. Simmel discute sobre a igualdade e as formas de igualdade. O status, o bem estar, a ostentação nada mais do que representa a diferenciação. O dinheiro permite outra relação com a cultura subjetiva. Simmel escolhe o dinheiro a partir das relações entre sexo. A compra das mulheres não se pratica necessariamente nos estágios(?) A problematização vai se dar a medida que o dinheiro nivela. A igualdade de simmel não é pensada de forma ideal, mas vai ser pensada na sua concepção concreta, da maneira com que usamos o dinheiro, falado por exemplos nesses casamentos nos quais se compram a mulher. Esses casamentos nivelam pra cima também a mulher. O FATOR DE NIVELAMENTO OBJETIVA AS RELAÇÕES SOCIAIS. Em certas sociedades antigas, comprar uma mulher antes de chegar ao poder compra da mulher – não é somente um ato machista e safado, mas simplesmente a atitude de nivelar pra cima a mulher. A mulher que vai valer muito dinheiro é a mulher cobiçada. O dinheiro estabelece qualificações sobre a mulher. Portanto o dinheiro dá valor entre os sexos, mensura a qualidade. (ler pág. 41/42) Simmel não está preocupado com os sexos , mas com a mudanças que acontecem quando as mulheres passam a poder comprar , possuem seu poder de compra e qual o impacto dessa mudança no

ou seja. porém objetivar. E por causa desse nivelamento por cima. A filosofia do dinheiro nivela . . tem o poder de tornar igual. A questão da diferença é sempre desqualificada pois ela é sempre atribuída ao indivíduo. Em durkheim a idéia é que os diferentes tem que se complementar. diferencia e diminui as diferenciações. Simmel concorda inteiramente com Marx nas questões de troca. LER DELEUZE o filósofo mais importante além de FUCAULT que justamente que retoma uma pouco pensar sobre uma filosofia da diferenciação e o papel da diferenciação na repetição (reprodução) . Durkheim se premde apenas das diferenciações de tarefas. nivelar por cima as relações sociais. Do ponto de vista subjetivo. Mas o que é de mais interessante é a capacidade de diferenciar que o dinheiro possui. O pragmatismo é uma delas. issp impõe a cultura subjetiva da cultura objetiva. troca. Então existe uma espécie de movimento (que não descarta desigualdades internas) que as camadas subalternas tentam constantemente subir. A divisão do trabalho é interessante para durkheim por que ela aponta o sentimento de complementariedade. as classes emergentes OBJETIVAM compartilhar semelhança entre os indivíduos mais ricos e se diferenciar dos mais pobres. O nivelamento por cima se escreve no objetivo de compartilhamento do indivíduo. simmel não concorda. O dinheiro torna quem mais o possui como um objetivo de semelhança. ) apesar de não tratarem da mesma forma ambos convergem em que o dinheiro age no sentido de ação recíproca. O DINHEIRO É UM FATOR DE NIVELAMENTO POR CIMA. O poder nivelador do dinheiro é quase incontrolável.nivelamento social. ( aproximar esse texto e na mercadoria de Marx ganha ponto. A medida que o nivelamento é intensificado pela nova modalidade de ação recíproca. Existem algumas referencias básicas que precisamos conhecer.

A cultura objetiva do dinheiro toma o espaço da cultura subjetiva.Não existe a necessidade de todos sermos necessariamente complementares. Problemática por poder gerar “a tragédia da cultura”. diariamente negociando diferenças. Mas a moda da a sensação de diferenciação mas na verdade ela também nivela. Ao mesmo tempo a diferenciação permite afirmar que a sociedade é formada de seres plurais. Ou seja que nada mais é do que a dominação e negação da cultura objetiva pela cultura subjetiva. A discussão de simmel vai anunciar um outro modelo de discussão na qual os diferentes necessitam de acordos. apenas é uma forma social problemática. Simmel não faz critica ao dinheiro. Ele observa que esse nivelamento é diferente do nivelamento da moda. E essas diferenças não são intercomplementares. Os conflitos sociais mostram como estamos sempre. .