You are on page 1of 5

Sistema de Gestão de Documentos Ficha de Informação Segurança de Produto Químico

SODA CÁUSTICA ESCAMAS

FISPQ Pág. 1/5
Publicação: 27/07/11

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA
Identificação do Produto: Nome comercial: Soda cáustica em escamas. Nome químico: Hidróxido de sódio. Sinônimos: Soda cáustica em escamas ou fundida. Identificação da empresa: Buschle & Lepper S/A. Endereço: Rua Inácio Bastos, 1000. Telefone: (47) 3461 - 2700 Fax: 47 3461 2770 E-mail: qualidade@buschle.com.br http://www.buschle.com.br Telefone de emergência: (47) 3461 - 2700 Empresa de atendimento de emergência: SOS Cotec - DDG 0800 01 11 767 ou DDG 0800 70 71 767 Principais aplicações do produto: É usado nos processos de fabricação de intermediários químicos, sais de sódio em geral, corantes e pigmentos, vidros, produtos farmacêuticos, cosméticos, produtos para tratamento de água e limpeza institucional, e refinação de óleos vegetais.

2. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS
Perigos mais importantes: Corrosivo. Efeitos adversos à saúde humana: Pela sua ação corrosiva, o contato acidental com os olhos e pele, causarão queimaduras sérias, podendo chegar à perda da visão. A ingestão causa queimaduras no sistema digestivo. A inalação causa irritação nas vias aéreas, resultando em tosse, sensação de engasgo, queima da garganta e edema pulmonar. Efeitos ambientais: Afeta os cursos d’ água, solo, fauna e flora. Perigos físicos e químicos: Reage violentamente com ácidos fortes, portanto, deve-se evitar o contato. A adição de água ao produto concentrado libera calor e pode causar fervura e respingos do produto quente e cáustico. Sistema de classificação: GHS e Nº ONU. Classificação de Perigo: Sistema ONU Sistema GHS Tabela D 20 Tabela D 29 1823 Categoria 1C Categoria 2 Corrosivo Perigo Cuidado

Causa queimadura severa à pele e danos aos olhos

Pode ser nocivo em caso de ingestão e por penetração nas vias respiratórias

Métodos especiais de combate: Não aplicável. Métodos para limpeza e remoção: Após contenção recolher o derramamento para tambores apropriados. Se o produto tiver sido ingerido realizar lavagem gástrica com soro fisiológico. Providenciar socorro médico imediatamente. esgotos.0 4. Notas para o médico: Desinfetar o local. Inalação: Remova a pessoa para local arejado. 6. Informações adicionais: Neutralização: Utilizar ácidos diluídos como: clorídrico ou acético. córregos ou cursos d’água. procedendo à devida identificação para o transporte. 1310 . (%) HIDRÓXIDO DE SÓDIO NaOH 40 95. 5. Contato com a pele: Remover as roupas e calçados contaminados e lavar o local com água em abundância por no mínimo 15 minutos. Ações que devem ser evitadas: Não neutralize a área afetada com nenhum produto químico. .73 . gerando riscos ambientais. contendo o produto para não atingir bueiros. Ao se fazer o uso de água para o combate em local próximo ao armazenamento do produto.2 Fórmula Química Peso Molecular (g/mol) Conc. fazer curativo e. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Substâncias Perigosas Presentes C. Após encaminhar para atendimento médico. Meios inadequados de extinção: A soda cáustica é altamente solúvel em água. deite o paciente de lado para evitar que aspire resíduos. MEDIDAS DE COMBATE A INCÊNDIO Recomendação Geral: Produto não inflamável. também pode causar impactos indesejáveis.A. manter as pálpebras abertas para garantir a irrigação dos olhos e dos tecidos oculares. MEDIDAS DE CONTROLE PARA DERRAMAMENTO OU VAZAMENTO Precauções pessoais: Siga as instruções contidas no item 8. observando os riscos da reação que pode ser violenta. MEDIDAS DE PRIMEIROS SOCORROS Contato com olhos: Lavar imediatamente os olhos com água corrente em abundância por no mínimo 15 minutos. Meios adequados de extinção: Produto não inflamável. Precauções para o meio ambiente: Isolar a área atingida pelo acidente. 2/5 Publicação: 27/07/11 3. entretanto é possível que ocorra espontaneamente.S. Fazer a eliminação de acordo com as regulamentações locais. Durante a lavagem. Promover o recolhimento do material a seco (sem uso de água). Perigos específicos da combustão do produto químico: Não aplicável. Notar que o uso do agente neutralizante. aprox. Procedimento de emergência: Somente pessoas treinadas devem participar do atendimento da emergência. Acompanhar o paciente por no mínimo 05 dias (Vide item 2). Não use neutralizante. Ingestão: O vômito não deverá ser provocado. Pessoal técnico habilitado deve acompanhar este procedimento. Se houver dificuldade na respiração. Informe o órgão ambiental local. faça respiração artificial e providencie socorro médico imediatamente. pode haver diluição formando uma solução alcalina que pode se infiltrar no solo ou meios aquáticos. Após encaminhar para atendimento médico. Proteção dos socorristas: Siga as instruções contidas no item 8.Sistema de Gestão de Documentos Ficha de Informação Segurança de Produto Químico SODA CÁUSTICA ESCAMAS FISPQ Pág. Perigos específicos que podem ser encontrados durante o combate: Não aplicável.

9. Portanto. 3/5 Publicação: 27/07/11 7. calçado de segurança. nunca usar vasilhames ou recipientes destes materiais. MANUSEIO E ARMAZENAMENTO Manuseio: Manusear os recipientes e embalagens fazendo uso dos EPI´s adequados. Chuveiro de emergência e lava olhos devem existir próximos aos postos de trabalho. Considerar a existência de reação exotérmica quando diluída na água. Produtos perigosos da decomposição: Não aplicável. PROPRIEDADES FÍSICO . 8. Cor: Branco. Manter o produto longe de ácidos a fim de evitar possíveis reações violentas. Parâmetros de controle: Limites de exposição ocupacional: TLV da ACGIH 2 ppm (valor teto) LT da NIOSH 2 ppm (valor teto) PEL da OSHA 2 ppm (valor teto) Os seguintes equipamentos de proteção individual devem ser usados durante o manuseio do produto: Proteção do sistema respiratório: Utilizar máscara semifacial. Roupas e jaleco em PVC são necessários para evitar contato com a pele. ESTABILIDADE E REATIVIDADE Estabilidade: Em condições normais de armazenamento é estável. podendo ocorrer aumento de temperatura. Materiais/substâncias incompatíveis: Alumínio. Condições que devem ser evitadas: Temperaturas altas e contato com metais. Ponto de fulgor: Produto não inflamável. metais e outros produtos orgânicos. Reatividade: Reage violentamente com ácidos. zinco. Pressão de vapor: 42 mmHg (solução de 90 a 95% de NaOH em peso a 1000°C).QUÍMICAS Estado físico: Sólido (em escamas ou blocos). Solubilidade em água: 109 g em 100 g de H2O. Manter os recipientes de soda em escamas fechados e adequadamente identificados. Armazenamento: Armazenar em local fresco e ventilado. pH: 12. pois o produto é altamente higroscópico. afastado de materiais incompatíveis. A soda cáustica em escamas deve ser empilhada em páletes com no máximo 60 sacos.7 (solução de 0. álcool e glicerol. em área coberta e piso sem umidade. Ponto de ebulição/intervalo de ebulição: 1390°C (solução de 90 a 95% de NaOH em peso). Ponto de fusão: 318°C. 10. e até algumas explosões da mistura do ar com hidrogênio liberado na reação da incompatibilidade. Proteção dos olhos: Óculos de segurança. Odor: Inodoro. Precauções especiais: Aumenta o risco de queda por escorregamento em superfícies molhadas onde o produto esteja presente. Densidade aparente: 2. aldeídos. estanho e cobre.Sistema de Gestão de Documentos Ficha de Informação Segurança de Produto Químico SODA CÁUSTICA ESCAMAS FISPQ Pág. O couro e a lã também reagem com a soda cáustica. Proteção do corpo: Luvas de PVC ou outro material impermeável.138 g/cm³. .1 M). CONTROLE DE EXPOSIÇÃO/PROTEÇÃO INDIVIDUAL Controles de engenharia: Utilizar ventilação exaustora onde houver geração de nevoas ou de poeiras.

LC50: Não determinado. Devem ser encaminhados para aterro industrial devidamente licenciado por órgão ambiental. Efeitos específicos: A situação de saúde pode ser agravada em função da superexposição. INFORMAÇÕES SOBRE TRANSPORTE Regulamentações nacionais: Produto perigoso para o transporte conforme a Resolução da ANTT nº 420 de fevereiro de 2004. Neutralizar o efeito do produto e recolhê-lo para disposição adequada. aplicam-se as seguintes normas e legislações.044 de 18/MAI/1988. Toxicidade aguda: Se ingerido pode causar queimaduras severas e perfurações no tecido da boca. córregos. Transporte marítimo: Vide legislação específica. esôfago e estômago. 96. que trata da regulamentação do transporte de produtos . 12. INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS Toxicidade para os animais: LD50: oral 140-340 mg/kg (rato) e 500 mg/kg (coelho). 4/5 Publicação: 27/07/11 11. Transporte terrestre: Vide legislação específica. CONSIDERAÇÕES SOBRE TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO Resíduos: Não descartar o produto em esgotos. dando o mesmo destino dado aos resíduos. cursos d´água. Potencial bioacumulativo: Não aplicável. Em contato com a pele provoca queimaduras severas e destruição dos tecidos. Decreto Lei nº.35 mg/kg (coelho). Recuperar os resíduos e embalá-los antes do descarte final. Identificar os recipientes contendo os resíduos. 13. Identificação ONU: 1823 Classe de risco: 8 Número de risco: 80 Observações Especiais para o transporte: Nome apropriado para embarque: Hidróxido de sódio sólido. O Órgão Ambiental deve ser avisado. Outros efeitos adversos: Não aplicável. Se inalado causa irritação nas vias respiratórias e tosse podendo até causar pneumonia química. REGULAMENTAÇÕES Referências regulamentares brasileiras: Para o transporte rodoviário da soda cáustica. DBO5: Não aplicável para produto inorgânico. 14. 15. Embalagem usada: As embalagens usadas devem ser descontaminadas e dispostas como restos de produtos. garganta. Mobilidade no solo: Produto sólido.Sistema de Gestão de Documentos Ficha de Informação Segurança de Produto Químico SODA CÁUSTICA ESCAMAS FISPQ Pág. Em contato com os olhos causa severas queimaduras resultando danos aos olhos e até cegueira. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Ecotoxicidade: O impacto ambiental é altamente tóxico tanto para a água como para o solo. dermal 1. DQO: 310 mg/g. não é esperado a adsorção no solo. terrenos. etc. Toxicidade crônica: A inalação de gotículas ou poeiras do produto pode gerar diversos níveis de irritação ou até de dano nos tecidos das vias respiratórias. Toxicidade para peixes: TLm 96 h: 125 mg/l água turva – Gambusia affinis TLm 96 h: 125 mg/l água continental – Gambusia affinis Persistência e degradabilidade: Nenhum dado disponível sobre o produto. Transporte aéreo: Vide legislação específica.

NBR-7502 da ABNT. que normaliza o conjunto de equipamentos para emergências no transporte de produtos perigosos. Resolução nº. 420 de 12/FEV/2004. os regulamentos legais existentes. OUTRAS INFORMAÇÕES Outras considerações especiais: Recomenda-se a leitura desta FISPQ antes do manuseio do produto. que trata de instruções complementares ao regulamento do transporte terrestre de produtos perigosos. não eximindo os usuários de suas responsabilidades em qualquer fase do manuseio e do transporte do produto. Manual Básico de Rotulagem de Produtos Químicos (Associquim/Sincoquim) . que normaliza os símbolos de riscos e manuseio para o transporte e armazenagem de materiais. Nenhuma garantia é dada sobre o resultado da aplicação destas informações. Manuais Técnicos da ABICLOR (Associação Brasileira da Indústria de Álcalis e Cloro Derivados) 2. 2007. venda. Manual de Autoproteção para o Manuseio e Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos (PP9) . que normaliza a terminologia utilizada no transporte de produtos perigosos. NIOSH Manual of Analytical Methods 5. As informações constantes neste documento foram retiradas de material disponibilizado pelo fabricante. sendo necessário registro para compra. Os dados e informações transcritas neste documento são fornecidos de boa fé e se baseiam no conhecimento científico disponível no momento e na literatura específica existente. . Fonte de informação: referência usada: 1. NR – 15 (MTE) 6. transporte e distribuição do produto em todo território nacional. Este documento deve ser mantido disponível a todos os envolvidos no manuseio do produto. NBR-7503 da ABNT.9ª Edição. Produto controlado pela Polícia Federal. Prevalecem em primeiro lugar. segurança e meio ambiente. 16.Sistema de Gestão de Documentos Ficha de Informação Segurança de Produto Químico SODA CÁUSTICA ESCAMAS FISPQ Pág. O treinamento sobre o produto é de suma importância para o manuseio seguro do mesmo. 5/5 Publicação: 27/07/11 perigosos.Agosto/1998 3. NBR-7500 da ABNT. que normaliza as informações para produtos químicos sobre saúde. que normaliza a classificação do transporte de produtos perigosos. NBR-9735 da ABNT. Manual de Produtos Químicos Perigosos da CETESB 4. NBR-14725-1/2/3/4. NBR-7501 da ABNT. que normaliza a ficha de emergência para o transporte de produtos perigosos – características e dimensões.