Lista de Exercícios SD Alguem formata isso direito por favor!

1º) i) Sistemas de computação de propósito geral; computadores pessoais,executam software genérico, ênfase na relação custo/desempenho ii) Computadores servidores; baseados em computadores de propósito geral, porém com ênfase em determinados aspectos: confiabilidade escalabilidade throughput iii) Supercomputadores Específicos uma dada aplicação simulaçção solução matemática de problemastica problemassismologiasismologiaaerodinâmicaaerodinâmica meteorologiameteorologia iv) Sistemas embutidos.· Especificos a uma dada aplicação · ênfase em energia/potencia e custo/desempenho · Sistemas transformacionais · Sistemas reativos · Sistemas de tempo real 2º) i) Processadores de propósito geral; conjunto de instruções genérico ii) ASICs;

implementam um grupo de funções de acordo com as características de uma dada aplicação, aumento de tempo e de custo ao projeto
Hardware dedicado, grande desempenho iii) Core-based ASICs; São Cores elaborados a partir da disponibilização de um ASICs os quais podem ser configurado por projetistas. iv) ASICs pré-difundidos; fabricantes fornecem ferramentas que permitem a configuração de conexões em circuitos integrados semi--acabado v) ASIPs;

processadores especializados às necessidades de um produto específico ou

uma família de produto , menores e mais simples que os processad ores padrão de mesmo nível tecnológico (silício gasto onde realmente importa), freqüências mais altas de clock com menor consumo de energia.
vi) Processadores de lógica programável.

FPGAs, EEPROMs, , PLAs.

3. O que significa especificação de um sistema digital? È a descrição do propósito de um sistema e suas abrangências e limitações.

área, consumo, potência, dissipada, throughput , programabilidade, manutenabilidade)
(

4. O que significa metodologia de projeto de um sistema digital? O que, como, a hierarquia, e as ferramentas do que será executado. Em outras palavras, é um passo a passo do projeto de um sistema digital. 5. Qual a ênfase de cada nível de representação de um projeto (comportamental, estrutural e física)? Para a realizção de um projeto é necessário a integração de vários profissionais dedicados a 3 níveis distintos: Comportamental,

enfatiza a funcionalidade do sistema, isentando-a de qualquer forma de implementação. Pode incluir especificações temporais, ou seja, como o sistema deve atender às especificações. Estrutural, representa os componentes que implementarão a funcionalidade do sistema, assim como as interconexões entre os mesmos, sem entrar em detalhes sobre suas

características físicas (dimensionalidade), ou seja, quais os componentes serão usados para que o sistema funcione; Física: representa a dimensionalidade dos componentes da arquitetura, representa mas não a funcionalidade dos mesmos. As características físicas de um componente, envolvem sua localização, dimensões, peso, consumo de energia e potência dissipada.
6) 6. O que diferencia os níveis de abstração de um projeto (processador, RTL, lógico e transistor) Transistor: nível mais baixo dos sistema, por operar com sinais elétricos; Portas Lógicas: tem nível mais dos transistor. Opera com um conjunto de transistores. Registradores: associação de portas lógicas ( flip-flops). Está em um nível mais alto que as portas lógicas. Processador: é uma associação de transistores, registradores e portas lógicas. No que se baseia a metodologia de captura e simulação? E a metodologia de descrição e síntese?

7) No que se baseia a metodologia de captura e simulação? E a metodologia de descrição e síntese? Baseada na captura (entrada de dados no computador) de uma representação esquemática, para propósitos de simulação, realizar uma verificação funcional. A metodologia de captura e simulação é dividida em etapas: Especificação dos requisitos do projeto, projeto arquitetural, Projeto lógico, captura do diagrama do circuito, simulação e síntese. Sistema inicialmente descrito através de uma representação comportamental no nível lógico ou no nível de transferência entre registradores. Tal descrição comportamental é, então, automaticamente sintetizada por ferramentas de EDA. A duas sínteses para as descrições comportamentais no nível lógico e RTL, são ela síntese lógica e comportamental respectivamente. 8) resposta: A máquina de Moore possui uma função que gera uma palavra de saída (Que pode ser vazia) para cada estado da máquina. Já a máquina de Mealy é um Autômato finito modifica de forma a gerar uma

palavra de saída para cada transição entre os dados. Neste tipo de máquina de estados estas palavras de saída dependem do estado atual e do valor das entradas. Exemplos: Para a máquina de Mealy uma boa aplicação é um projeto de dialogo entre um programa (de computador) e o seu usuário, o dialogo é comandado pelo programa ou pelo usuário. Um bom exemplo de Moore é um programa analisador, só estado finais tem saídas não vazias.

10) Metodologia de coprojeto hardware/software enfatizam a importância de uma especificação bem detalhada (senão completa) nas etapas iniciais, antes que outras decisões de projeto tenham sido tomadas, tipo escolha de seu modelo conceitual e escolha de sua linguagem de especificação. Modelo conceitual é um sistema formal constituído por um conjunto de objetos e de regras de composição entre os objetos, características desejáveis: ausência de ambigüidade, boa cobertura, facilidade de alteração, facilidade de compreensão e facilidade de tratamento. A linguagem de especificação permite transformar um modelo conceitual em uma especificação que possa ser tratada por ferramentas de EDA (Electronic disign Automation). 11) Abordagem unificada pressupõe a existência de uma linguagem de especificação unificada em nível de sistema, com a qual fosse possível a descrição de sistemas digitais dos mais variados tipos. A abordagem heterogenia usa ferramentas e modelos já existentes. A heterogenia é mais viável atualmente por aproveitar a diversidade de estilo de projeto e o mair número de ferramentas. 12) gargalo em um computador é trafego de vários sinais por um barramento, ocorrendo congestionamento. Exemplo: em uma rede entre dois computadores há um que possui uma placa de rede de 10Mb/s e outro com uma placa de 100Mb/s, caso precisem trocar informações, trabalharão a 10Mb/s, caso ambos tivessem placas de 100Mb/s, trabalhariam a 100Mb/s. 13) i) simulações funcionais em alto nível, independente de qualquer forma de implementação. ii) a partir de requisitos de velocidade, complexidade e flexibilidade, separa-se cada parte para seu “modelo” especifico, componentes que apresentam complexidade ou que exijam flexibilidades são implementados em software, operações que tenham requisitos críticos de velocidade de execução são implementados em hardware. iii)separa cada componente para hardware ou software. iv)síntese de hardware determina o número de processadores e seu esquema de interconexão. Síntese de software sintetiza o código para a comunicação entre processadores e os demais dispositivos. Síntese de interface em relação ao hardware cria os latches, decodificadores de endereços. Em relação ao software gera código de entrada e saída e código de sincronização.

v) os resultados da simulação são utilizados para verificar se o projeto atende as especificações da aplicação. vi) avalia os resultados da simulação para ter uma estimativa de área, consumo, dentre outros fatores. 14) Particionamento hardware/software é separar o que será implementado no hardware e no software. Alto custo em hardware ou programabilidade visando configuração de parâmetros ou expansão futura de funcionalidade, são associadas para implementação em software. Operações que tenham requisitos críticos de velocidade de execução são associadas para implementação em hardware. 15) Simulação faz o hardware sumulado rodar o software gerado

16) conjunto de ferramentas e representação para auxilio ao projeto como modelagem, simulação, geração de códigos, estimativas e síntese. O Quartus II faz parte desta metodologia pois realiza todas essas especificações tratadas anteriormente. 17) Conjunto de dados e instruções relacionando suas funções temporais de suas instruções pelos blocos estruturais da arquitetura projetada. Analisando seus resultados das simulações realizadas. 18) Não exige manipulação de dados complexos, pode ser implementada a partir de uma arquitetura derivada da FSM. A FSM de Moore não necessita de um sinal de entrada na função de saída, ela gera uma saída para cada estado da máquina, a FSM de Mealy tem um sinal de entrada tanto para a entrada quanto para a saída, dependendo do sinal de entrada em conjunto com a função de saída para gerar o sinal de saída, as duas arquiteturas usam registradores entre os estados para gravar temporariamente seus valores entre cada estado. 19) Sistemas nos quais operações pré-definidas são repetidas para diferentes conjuntos de dados, fornecidos periodicamente ao sistema. 20) Quando a arquitetura associa uma ULA (unidade lógica aritmética) exclusiva para cada operação realizada sobre um fluxo de dados ou quando um sinal de clock é responsável pelo posicionamento de dados em cada estágio do pipeline, não necessitando da unidade de controle. 21)

22) Este uniprocessador de propósito geral é constituído de uma unidade de controle para controlar cada estado da FSM do processador, esta maquina de estado finita segue a arquitetura de Mealy, os sinais de entrada para a unidade de controle são enviadas de um registrador de status e logo depois são enviados para um registrador de controle, o qual envia os sinais de para cada estado do processador. 23) A principal diferença entre as arquiteturas RISC e CISC esta no conjunto de instruções, a CISC tem um conjunto de instruções mais complexo, aumentando assim o tamanho do hardware e com isso o custo da produção, alem do tempo gasto para realizar uma operação. A arquitetura RISC tem um conjunto menor de instruções mas uma velocidade de processamento maior que CISC.

24) No inicio da década de 70, computadores usavam memória de núcleo magnético para armazenar o código do programa, memória cara e lenta, o processo de compilação era lento e a saída gerada não era otimizada, código grande equivale a projeto caro. A tecnologia empregada no projeto de circuitos no inicio de 70 alcançavam densidades muito baixas em relação às atuais, na média de 100 a 3000 transistores. Como a memória era mais lenta que o processador era necessário menos acessos a memória e aumento das instruções para diminuir complexidade no compilador. Com o melhoramento da velocidade da memória e o aumento de 3000 para 100.000 transistores o projeto necessitava de uma maior velocidade de processamento, utilizando a técnica de pipeline para aumentar velocidade, com isso problemas apareciam na CISC como variações no ciclo de clock de instrução para instrução, com isso surge a arquitetura RISC no intuito de reduzir o tamanho do ciclo de clock, diminuir número de ciclos gastos por instrução e implementar o pipeline com uma maior eficiência. 25) Porque utiliza algumas instruções CISC e outras RISC deixando o processador compatível com qualquer código. Porque muitos programas tinham seus códigos voltados para uma implementação CISC, como uma um modelo base, se só tivesse instruções em RISC iriam perder mercado, um grande problema para qualquer negocio. 26) É um conjunto de instruções para cada estágio do pipeline, como busca da instrução, decodificação, busca de operandos, execução e armazenamento de rezutados. 27) Um compilador serve para traduzir sentenças de programação escritas em uma linguagem de alto nível em código na linguagem assembly, para que o processador “entenda” o programa. 28) 1ª : usa o endereço armazenado em PC para ler a instrução da memória e colocar no registrador de instrução (IR). 2ª : IR é utilizado pelo circuito de seleção de endereço para determinar a posição da primeira palavra de controle referente a instrução na memória microprogramada. 3ª : endereço desta primeira palavra de controle é armazenado no registrador MPC. 4ª : a palavra de controle é lida da memória microprogramada e, então, utilizada no datapath, em operações como, transferência de dados entre registradores. 5ª : concorrentemente ao passo 4, o registrador MPC é incrementado para selecionar a próxima palavra de controle da instrução. 6ª : repete-se os passos 4 e 5, até o final da execução da instrução. 29) 1ª : instruções distintas podem apresentar um número diferente de palavras de controle. 2ª : a memória microprogramada é relativamente lenta comparada aos demais componentes da arquitetura, impondo ciclos de clock longos. 3ª : dificuldades dos compiladores em mapear construções da linguagem de alto nível em instruções complexas da máquina CISC, por causa de diferenças entre tais construções e o conjunto de instruções disponível. 4ª : projetistas de compiladores utilizavam um conjunto maior de instruções simples para representar uma dada construção na linguagem de alto nível.

30) São circuitos combinacionais alimentados por registradores carregados por um sinal de clock. A cada ciclo de clock uma unidade de controle realiza suas operações, em quanto uma executa a outra decodifica e outra busca tudo no mesmo pulso de clock, aumentando a velocidade do processador. 31) Para aumentar a velocidade de processamento e diminuir problemas quando houvesse um hazard de controle, dados ou estrutural, como em um desvio incondicional. 32) Porque o acesso a memória era um problema, pois as memórias trabalhavam em uma velocidade menor em comparação aos outros componentes da arquitetura, acessa pouco a memória colocando os dados em registradores. São elas store e load. 33) Modos de endereçamento: o modo de endereçamento CISC é realizado entre memórias sem endereçamento pelos registradores, direto na memória. A RISC usa modos de endereçamentos simples e só realiza dois acessos a memória, os outros são pelos registradores, diminuindo o lento fluxo de dados entre memória e processador. Suporte para HLLs: como a CISC tem um maior hardware, estas instruções são realizadas pelo hardware em quanto na RISC o software realiza operações mais complexas. A CISC tenho um conjunto maior de instruções no intuito de diminuir o código e elevar o ciclo de clock em quanto a RISC reduz o conjunto de instruções aumentando o código. 34) Fluxo de instruções corresponde a qualquer seqüência de instruções executadas por uma dada unidade de processamento, fluxo de dados é uma seqüência de dados referenciados por um dado fluxo de instruções. · A arquitetura SISD tem um sistema convencional com uma única CPU e podem ter mais de uma unidade funcional. · A arquitetura SIMD executa uma mesma instrução sobre diferentes fluxos de dados. · A arquitetura MISD é composta de vários fluxos de instruções atuarem sobre um único fluxo de dados. · A arquitetura MIND são máquinas que executam vários fluxos de instruções sobre diferentes fluxos de dados, ao mesmo tempo. 35) A arquitetura SISD comporta um único fluxo de instrução, o qual é executado serialmente, instrução após instrução, todas sob a supervisão de uma única unidade de controle. EX: Estações de trabalho.
36) Os processadores vetoriais são máquinas que possuem um conjunto de processadores que operam de forma paralela e síncrona, executando normalmente a mesma função. Os processadores de uma máquina vetorial são chamados de Unidades de Processamento (EP) e trabalham sob a supervisão de uma única Unidade de Controle (UC). As máquinas vetoriais representam a classe de arquitetura SIMD (Single Instruction Multiple Data) da classificação de Flynn.

37) Na memória compartilhada há um único espaço de endereçamento, um mesmo endereço pode ser acessado por diferentes unidades de processamento, a memória é usada para comunicação implícita. Na não compartilhada há múltiplos espaços de endereçamento, endereço exclusivo para cada unidade de processamento, um mesmo módulo de memória pode ser subdividido em vários espaços de endereçamento. 38) A memória distribuída é implementado em vários módulos, cada qual próximo a uma unidade de processamento, pode ser compartilhada ou não compartilhada. As memórias centralizadas são memórias

eqüidistantes das unidades de processamento, independente de ter sido implementada em um ou vários módulos, pode ser compartilhada ou não compartilhada. 39) Sim 40) Máquinas vetoriais uniprocessadoras possuem um único processador vetorial, em quanto na multiprocessadoras usam vários processadores vetoriais. 41) A memória é pipelinizada quando vários bancos com igual número de endereços, com acesso paralelo aos dados presentes no mesmo endereço em diferentes bancos (vetor de dados), os componentes de cada vetor de dados são transferidos serialmente para registradores vetoriais, através do pipeline de memória. Faz a conexão com vários membros da arquitetura (processador, cachê), ao mesmo tempo. 42) Processadores matriciais executam a mesma instrução ao mesmo tempo, sobre itens de dados provenientes de diferentes memórias, realizando o trabalho em conjunto com processador de controle e processador front-end. 43) Até hoje não se conhece qualquer máquina comercial que tenha sido construída com esta arquitetura. 44) Multiprocessadores tem espaço de endereçamento único, independentemente da memória ser centralizada ou distribuída, as unidades de processamento acessam a memória compartilhada através de uma rede de interconexão. Em multicomputadores são usados múltiplos espaços de endereçamento, cada nó de processamento possui um módulo de memória de acesso exclusivo ás unidades de processamento do nó, em que um nó de processamento não pode acessar diretamente posições de memória de outro nó. 45) Os multiprocessadores UMA a memória é centralizada em quanto nós multiprocessadores NUMA a memória é distribuída, sendo que na arquitetura NUMA pode aver um conjunto entre memória principal e cache ou somente cache. 46) A arquitetura COMA (cache-only Memory Architecture), as memorias locais são organizadas como cache. A arquitetura CC-NUMA ( cachê coherency NUMA), existe um hardware especifico para coerência entre caches. 47)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful