You are on page 1of 2

O Evangelho Pragmático

Assim como o Pragmatismo tem sua origem nos estados Unidos, há no meio Religioso outro Fenômeno que vem da mesma fonte esse é o Avivalismo. O Avivalismo tem como base o pragmatismo, pois tem como instrumentos norteadores a prática, a experiência e a vantagem, ou seja. Se você vai abrir um negócio ele tem que ser vantajoso, se você vai criar uma família, isso exige uma serie de atitudes praticas e obviamente vantajosas, o mesmo se aplica quando estamos fundando uma Igreja. Nesse modelo de evangelho a preocupação das lideranças não é com os padrões estabelecidos por Jesus, mas o que funciona. Não importa o que a Bíblia diz, mas sim a minha experiência pessoal. Um sociólogo americano escreveu um livro cujo título é: “O culto do Narcisismo”. Essa afirmação implica que os americanos são pessoas se endeusam, e isso é facilmente identificado nos movimentos Avivalistas, movimentos estes que são a fonte inspiradora de movimentos Avivalistas Brasileiros por exemplo. O que acontece é que a piedade e a santidade deixam de ser referenciais pelos quais julgamos se um movimento é ou não é do Espírito, o critério que se adota é: “Funciona? Vai me fazer feliz? Vai me ajudar a criar minha família? Vai consertar o meu casamento?”. Todas essas questões são importantes, à luz das Escrituras, mas não são as mais importantes.

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. 2Timoteo 3.1-5
Os Movimentos Avivalistas que estão sendo disseminados no Brasil são essencialmente americanos e trazem com eles de certa forma uma filosofia pragmática incutida em alguns de seus conceitos. Ser pragmático, ou ser pratico, em algumas questões pode ser até interessante, mas quando falamos de pragmatismo na Igreja ou no Evangelho, corremos o risco de colocar em segundo plano uma série de princípios fundamentais, e eleger como único ponto relevante a Funcionalidade. Muitos dos movimentos que se intitulam “avivados” hoje, estão na verdade aplicando uma visão pragmática e narcisista ao evangelho, ou seja: a adoração ao “eu” e a preocupação única da satisfação própria e a busca do que de fato eu posso me beneficiar com o evangelho. O Pastor de um desses movimentos afirmou: “A Reforma errou porque foi centralizada em Deus e não no homem, como devia ser”. O que está acontecendo é que o Amor, a Santidade, a Compaixão, a Justiça entre outro princípios deixaram de ser referencia, e a preocupação principal das pessoas tem sido: “Isso Funciona? Vai me fazer feliz? Vai me ajudar a criar minha família? Vai consertar o meu casamento?” Essas questões são importantes sim, mas não são as mais importantes. Identificadas estas influencias na Igreja Moderna, façamos um questionamento a fim de avaliarmos o quão Pragmatizada e Narcisista esta a nossa fé. Quem é o nosso Kuryos, Nossa satisfação pessoal ou Jesus Cristo? A que fomos chamados, para viver em busca de nossas realizações, ou para tomarmos cada dia nossas cruzes? Qual é nossa regra de fé e Prática, a Bíblia ou nossas próprias experiências?

Há uma frase de Lutero que Diz: “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas escrituras deve ser rejeitado, ainda que faça chover milagres todos os dias” Será que é assim que pensamos hoje, ou será que o mais importante é o que vai dar certo e vai encher os nossos templos? Os Movimentos “Avivalistas” de nossos dias estão introduzindo cada vez mais esta filosofia Pragmática nas Igrejas e isso tem acontecido de forma sorrateira, e tem passado despercebida talvez pela maioria dos Cristãos, cabe á aqueles com discernimento e sabedoria vinda de Deus ensinar e corrigir o povo. O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.

Oseías 4.6 Wellington Luiz da Silva