Concerto

Serão apresentados três fragmentos de três óperas em duas guitarras românticas inspiradas em guitarras utilizadas no período em que estas obras foram escritas. As adaptações escolhidas foram escritas pelo grande virtuoso italiano do séc. XIX, Mauro Giuliani. Mauro Giuliani é reconhecido com um dos grandes guitarristas virtuosos do século XIX. Nascido em Itália em 1781, cedo mudou-se para Viena onde os seus recitais e publicações lhe valeram uma fama igual a qualquer grande compositor ou intérprete activo na capital austríaca de então. Mauro Giuliani privou e colaborou com Rossini, Beethoven, Hummel , entre outros. Em 1813 tocou na estreia na sétima sinfonia de Beethoven (violoncelo) e em 1815 foi o artista oficial nas celebrações do Congresso de Viena. Quatro anos depois regressa a Itália, acabando por e fixar em Roma, em 1823 faz uma série de viagens a Nápoles acabando por encontrar aí uma grande aceitação junto da corte dos Bourbon. Morre em 1829.

3 óperas em 2 guitarras

Eduardo Baltar Soares
Guitarras inspiradas no modelo Lacôte, Paris, 1810 construídas por Carlos Abreu (Aveiro).

Tiago Cassola Marques

Notas de Programa
EDUARDO BALTAR SOARES Nasceu no Porto. Iniciou os estudos musicais com Mário Barbosa Alves. Prosseguiu a sua formação no Conservatório de Música de Vila Nova de Gaia, onde concluiu o curso de guitarra com as mais elevadas classificações e o 1º. Prémio de Formação e Execução Musical, no Conservatório de Música do Porto e no Conservatório Superior de Música de Salamanca, onde obteve o Título Superior de Guitarra de uma forma notável. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Estudou Guitarra com Ricardo Barceló, Hugo Geller e Dimitri van Halderen, Música de Câmara com Olga Prats, Alberto Rosado e Pilar Montoya, Composição e Análise com Fernando Lapa. Obteve o 1º. Premio no II Concurso Legato (Porto) e foi premiado no I e III Concurso

programa

Embora os temas operáticos sejam uma constante na produção musical de Mauro Giuliani (em 1810 publica o Op.72 – 8 variações sobre La Molinara e na década de 20 elabora uma série de composições dedicadas a Rossini (Rosiinianas)), só depois da sua morte são publicadas as transcrições escolhidas para este programa. O seu objectivo era proporcionar a audição destes trechos de uma forma mais frequente: sem a necessidade de uma orquestra cria-se a necessidade da criação de uma escola guitarristica tremendamente virtuosa.

W. A. Mozart Overture La Clemenza de Tito

Internacional Concello de Gondomar (Pontevedra).
Actuou em diversas cidades de Portugal e Espanha, em respeitados ciclos de concertos, como na Bienal de Artes de Cerveira, Temporada de Concertos da F. C. Gulbenkian,

Festival Musica de Primavera da U.S.A.L., Ciclo de Concertos Jovenes Intérpretes Pérez Comendador-Leroux, entre outros, oferecendo recitais a solo ou de música de câmara
nas mais diversas formações, como duos de guitarra, flauta, canto, quarteto de cordas. Tocou com o Remix Ensemble dirigido por Peter Rundel, e como solista com o Taller de

Intermezzo
G. Donizetti Duetto L’esule di Roma

Musica Contemporânea del C.S.M. S., dirigido por Zsolt Nagy.

La Clemenza de Tito é uma ópera séria baseada
em um texto de Metastasio. Foi encomendada por Domenico Guarnieri para celebrar a coroação de Leopoldo II como rei da Boémia. Alguns biógrafos dizem que Mozart a completou em 18 dias, na sua estreia o Rei mostrou-se bastante impressionado, contudo a sua esposa Maria Luísa qualificou-a de
TIAGO CASSOLA MARQUES É natural de Aveiro. Inicia os seus estudos musicais no Conservatório Calouste Gulbenkian de Aveiro tendo como professores Miguel Lélis e Carlos Abreu. Muda-se para a Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa na classe de guitarra de Paulo Amorim, e de música de câmara de Gabriela Canavilhas e de António Wagner Diniz, e frequentando ainda os cursos livres de análise de Eurico Carrapatoso. Paralelamente recebeu aulas particulares com Dejan Ivanovic. Em Setembro de 2008 obtém o Grado Superior de Guitarra no Conservatório Superior de Música de Salamanca (Espanha) com o Maestro Hugo Geller, assistindo a aulas de música antiga com Pilar Montoya, música contemporânea com Alberto Rosado, música de câmara com Dimitri van Halderen, história da música com Juan Carlos Asensio, entre outros. Em 2005 foi bolseiro do programa Erasmus no Conservatorio di Musica di Perugia (Itália), com o Maestro Leonardo De Angelis. Recebe master-clases de Ricardo Gallén, Roberto Aussel, Joaquín Clerch, Claudio De Angelis, Àlex Garrobé, Fábio Zanon, Paulo Vaz de Carvalho, entre outros. Em 2003 foi solista com a Orquestra de Cordas do Conservatório Nacional de Lisboa. Actua frequentemente quer em recitais a solo como em formações de música de câmara com canto, flauta, quarteto de cordas e quarteto e duo de guitarras em ciclos musicais em diversas cidades de Portugal, bem como já apresentou concertos em Espanha e Itália. É igualmente membro fundador de diversos grupos tais como Alma Nua – Canto & Guitarra, Selva di Suono – quarteto de guitarras, Capella Antiqua – coro de câmara, ou Morning Singers – grupo vocal.

Intermezzo
G. Rossini Sinfonia Il Barbieri di Seviglia

porcheria tedesca.
L’esule di Roma é um melodrama heróico em dois actos escrito por Domenico GIlardoni e estreado do Teatro San Carlo de Nápoles.

Il Barbieri de Seviglia (sic) é uma ópera bufa em
dois actos. O Libreto é baseado na comédia de Pierre Beaumarchais Le Barbier de Sèville e a sua abertura foi originalmente escrita para a ópera

Aureliano in Palmira. Toda a música foi feita em
três semanas e a sua estreia em 1816 foi um desastre total.