You are on page 1of 16

VERSÃO TRADUZIDA:

Drogas Causa alucinações TDAH em crianças;


Psychiatry empurra para alucinogénios Lucro
NaturalNews) Nova pesquisa publicada na revista Pediatrics revela
que o TDAH medicamentos prescritos para milhões de crianças
estão a causar-lhes a experiência assustadora alucinações.
Crianças sobre estas drogas alucinações que cobras e insetos
foram rastrear toda a eles, diz Reuters, e alguns meninos tomando
os medicamentos outras experiências bizarras psicóticos efeitos
secundários, tais como pensar que funcionou em um muro e caindo
ao solo, mesmo quando não estava presente parede.

TDAH droga, evidentemente, são poderosas psicotrópicas mente-


alterando-se produtos químicos que muitas vezes são
molecularmente idênticos aos rua drogas. A indústria da psiquiatria
é praticamente propriedade da Big Pharma, que espera que a droga
a cada criança, adolescente e adulto com pelo menos uma mente-
alterando medicação.

As drogas revistos neste estudo incluem: Ritalina e Focalin XR


(Novartis), Adderall XR e Daytrana patch (Shire), Concerta
(Johnson & Johnson), Strattera (Eli Lilly), Metadate CD (Celltech
Farmacêutica) e Provigil (Cephalon).

Os pesquisadores notaram que apenas crianças, tendo estes


fármacos sofreu alucinações. Que tomaram placebo não tinha
alucinações, e os filhos que deixaram de tomar medicamentos
TDAH viram cessar as suas alucinações.

Reuters relata que "... FDA instou investigadores médicos para


discutir os potenciais efeitos secundários com os pais e crianças
para ajudar a aliviar a sua ansiedade se esses sintomas devem
ocorrer." Então, em vez de colocar os seus filhos fora destes
medicamentos, a FDA pensa que os pais e as crianças só precisam
de "falar sobre as alucinações" para aliviar a sua ansiedade.

E se isso não bastasse, suponho eu, existem drogas anti-


ansiedade que pode tomar tanto, a fim de evitar ficar muito tenso
com o facto de os seus filhos estão em alucinogénios.

Parar a loucura!

Estou indo para a direita vir e dizer o óbvio: Estas crianças estão
fora tropeçar em alucinogénias, mente-alterando-se rua drogas.
Isto não é "tratamento" de algumas verdadeiro problema da saúde,
é uma massa legalizada drogando-campanha que está
permanentemente prejudicar os cérebros das crianças enquanto
doente ganhar lucros para Big Pharma.

O psiquiátrica pílula empurradores conseguiram transformar uma


geração de crianças em druggies, que agora estão demonstrando
os mesmos sintomas como um drogado rua burnout. E em vez de
tentar obter miúdos OFF estes medicamentos, a FDA, Big Pharma e
modernos psiquiatras estão a fazer tudo ao seu alcance para
colocar mais crianças sobre estas perigosas, alucinogénios!
Que continua presente na América, hoje, é escandaloso. Em uma
nação que gasta bilhões de dólares sobre a chamada "guerra
contra as drogas" - ver a droga Guerra Relógio em
http://www.drugsense.org/wodclock.htm - ignorar a drogar massa de
suas próprias crianças com drogas alucinógenas rua relabeled
como "remédio" é injusto.

Se há realmente uma guerra contra as drogas, razão por que a


guerra não é o maior alvo de todos os empurradores droga? Big
Pharma pôs mais crianças sobre as drogas do que em qualquer
esquina crack revendedor poderia sempre esperar para conseguir.
Na verdade, toda a indústria de medicina psiquiátrica é pouco mais
do que uma droga legalizada rede que esconde por trás do jargão
da "medicina" e "terapia".

Mente-numbed pais para levar as crianças drogadas

Não é só a indústria que é a culpa em tudo isto, quer: Pais que


permitem que seus filhos sejam drogadas com essas drogas
alucinógenas TDAH são tanto uma parte do problema. No mesmo
famílias onde os pais são inflexível da criança, restringindo o seu
uso de maconha ou álcool, eles literalmente alimentação que
mesmo garoto dose após dose da droga alucinogénia rua sobre os
conselhos de medicina psiquiátrica um charlatão quem está sobre a
tomar a partir de Big Pharma.

O que eles estão pensando? Diga não à droga, mas sim para
alucinogénios psicotrópicos se corromper um psiquiatra diz que seu
filho precisa deles?

De alguma maneira, quando a velocidade é marcado no âmbito das


marcas da Big Pharma, ele escapa todo o pensamento racional por
parte dos pais, médicos, farmacêuticos e medicamentos guerra
zelotas. É um dos maiores setores da droga alucinogénia comércio
na América, e ainda vai completamente despercebido por quase
todos.

Minha última canção de hip-hop tem um tiro na mente-alterando-se


com algumas medicações perturbador, censura letras. Ouvir "ISRS
- SSRLies" aqui: http://www.naturalnews.com/SSRIs_S_ ...

A feia verdade sobre a Guerra contra a Droga

A guerra contra as drogas, é claro, nunca foi realmente sobre a


droga em que termina o primeiro lugar. Era sobre a eliminação da
concorrência para a Big Pharma, zelando miúdos saia genéricos
no mercado negro para obter drogas e de marca Big Pharma
drogas. Para legitimar esta massa drogando das crianças, o setor
de psiquiatria moderna foi criado, com todos os seus imaginários
(alucinações?) Distúrbios e disfunções usado para confundir a
opinião pública com aparentemente inteligentes-sonantes jargão
técnico.

É tudo apenas de droga empurrando psychobabble, naturalmente.


Distúrbios como TDAH são puramente ficcional, sem qualquer base
na realidade, o cérebro e apontou retração por psiquiatras que
afirmam TDAH provoca raquitismo crescimento é na verdade o
resultado das anfetaminas drogas que colocar as crianças em. É
bem documentado que drogas como Ritalina causa definhado
cresceu e tamanho reduzido cérebro
(http://www.naturalnews.com/021944.html).

O grau de charlatanismo presentes na indústria psiquiátrica hoje é


simplesmente chocante. E pensar que mainstream médicos
defender esta charlatanismo é ainda mais provas de que a medicina
moderna tem nada a ver com a ciência real, é tudo baseado em um
culto de Farmacologia onde todas as drogas são consideradas boas
e necessárias, independentemente da montanha de evidências
mostrando-lhes de ser perigoso e medicamente inútil.

Isto é onde eu tenho a desafiar todos os chamados "doutores" lá


fora, que atacam a medicina natural. Estes doutores e auto-
proclamada charlatão observadores estão, de facto, entre os
maiores quacks de todos. Porquê? Porque eles não são céticos,
no mínimo, cerca de medicina psiquiátrica!

Os cépticos são quacks

Onde está o ceticismo sobre este caseiro marca de empurrar droga


legalizada? Onde estão todas as perguntas inteligentes exigente
prova de que o TDAH é uma verdadeira doença e não apenas algo
feito até vender mais drogas? Os doutores estão mudos quando se
trata de medicina psiquiátrica, e no seu silêncio eles mostram-se
quacks.

Lógica, razão e todas as provas científicas são atirados para fora


da janela sobre o tema dos transtornos psiquiátricos. O mais
racional-sonantes cépticos são instantaneamente transformado em
psychobabble-spouting quacks que defender o indefensável - a
massa de crianças drogando com poderosas drogas alucinógenas
rua como "tratamento" para algumas doenças imaginárias.

Claro, os cépticos vão atacar meditação, cristais, oração, a


intenção, chiropractic cuidados e até mesmo medicina herbária (os
quais podem ser cura, pela maneira), mas quando se trata de tonto
solta lógica da medicina psiquiátrica inventar doenças e drogar-se
as crianças com anfetaminas alucinógenas, eles engolir a coisa
toda, sem piscar um olho!

Tanta coisa para a credibilidade dos chamados doutores e


charlatão busters. Acontece que eles estão quacks si. Eles
simplesmente subscreveram a sua própria forma de charlatanismo:
Drogas e cirurgia para todos!

O quacks estão em crack, e eles estão apoiando um setor que


mãos a velocidade para as crianças. Entretanto, a guerra contra as
drogas enche as prisões com pessoas que fumavam um pouco de
erva, enquanto ignorando completamente o psiquiátrica pílula
empurradores. Louco, né? Estou começando a pensar sobre as
drogas de todos!
Basta lembrar, pais: Se você quiser vender drogas para miúdos,
basta obter aprovação FDA primeiro. Mantem a DEA off sua volta e
engana os pais em seu pensamento alucinogénios são "medicina".

Sobre o autor: Mike Adams é um defensor a saúde dos


consumidores com uma paixão para ensinar as pessoas como para
melhorar a sua saúde Ele já escreveu e publicou milhares de
artigos, entrevistas, orienta os consumidores, e livros sobre temas
como a saúde eo ambiente, chegando a milhões de leitores com
informação que é salvar vidas e melhorar a saúde das pessoas ao
redor do mundo. Adams é um honesto, jornalista independente e
não aceita dinheiro ou comissões sobre os produtos de terceiros ou
que ele escreve sobre as empresas que ele promove. Em 2007,
lançou EcoLEDs Adams, um fabricante de energia eficiente luzes
LED que reduzir fortemente as emissões de CO2. Ele é também o
CEO de um grande sucesso e-mail newsletter software empresa
que desenvolve software utilizado para enviar e-mail campanhas
permissão para assinantes. Adams voluntários para servir o seu
tempo como o diretor executivo do Consumidor Wellness Center,
uma 501 (c) 3 organização sem fins lucrativos, e regularmente
prossegue ciclismo, natureza fotografia, capoeira e Pilates.
Conhecidos sobre o "líquido como o« Health Ranger, 'Adams partes
sua ética, missão e declarações pessoais de saúde em estatísticas
www.HealthRanger.org

http://translate.google.com/translate?u=http%3A%2F%2Fwww.natur
alnews.com%2Fphototour_mystery_meat_1.html&langpair=en%7Cp
t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&oe=UTF-8&prev=%2Flanguage_tools

Página original na internet:


http://www.naturalnews.com/phototour_mystery_meat_1.html

--------------------------------------

Cuidado com os medicamentos sintéticos!


Cuidado com os “medicamentos controlados”, prescritos pelos
psiquiatras!
Fuja de psiquiatras e psicólogos...
Diga NÃO às “drogas!”

---------------------------

DENÚNCIA DO JORNAL DA BAND SOBRE A


INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
REPORTAGEM COMPLETA

Primeira reportagem da Série: “RECEITA MARCADA ”

02 de julho de 2008 (Quarta-feira)

No dia 02 de julho de 2008, o Jornal da Band apresentou uma


reportagem (será apresentada uma série de reportagens sobre
o tema), denunciando a indústria farmacêutica. O vídeo da
reportagem pode ser visto, acessando o link abaixo:

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=92062&CN
L=1

“Exclusivo, comida boa, hotéis de luxo, passeios com a família,


esses são alguns dos presentes que os laboratórios distribuem em
todo o país, para que médicos indiquem os seus remédios aos seus
pacientes. Na primeira reportagem da série “Receita Marcada”, o
Jornal da Band denuncia o prejuízo ao consumidor com esta
relação entre a indústria farmacêutica e a classe médica.”

“Convites para simpósios em hotéis de luxo no Brasil e no exterior


com tudo pago, jantares regados a muita comida e bebida alcoólica,
brindes e sorteios de eletro-eletrônicos; desde o primeiro ano da
faculdade de Medicina, os alunos já são assediados por
funcionários da indústria farmacêutica.”

“A gente recebe uma amostra grátis aqui, faz uso de uma coisa ou
outra, que, no final, o medicamento chega muito caro no mercado.”

“O orçamento mensal de Dona Regina foi prejudicado, o médico da


pensionista receitou um remédio que custa R$87,00 para
hipertensão, e disse que ela não poderia comprar o genérico.”
“Eu vou mudar de médico para ver se o outro tem a mesma
opinião.”

“O importante é que ele (o médico) mencione na prescrição dele, o


nome do genérico, e diga ao paciente que “este é o genérico”, e
existem muitas opções, e este tipo de franqueza, de informação, é
uma obrigação ética do médico.”

“A maioria das pessoas confia na prescrição médica”. “A marca


você segue o que o médico manda.”

“É disso que os laboratórios se aproveita: do desconhecimento.


Para vender os remédios, a indústria farmacêutica conta com
equipes, que visitam com freqüência, os médicos nos consultórios.
Além de oferecer amostras grátis, os chamados ‘propagandistas’
dão PRESENTES aos profissionais da medicina. Este homem, que
é propagandista há quatro anos, conta como é a relação com os
médicos:

-- O que que um médico pede em troca, para prescrever os


medicamentos do laboratório?
-- Muitas vezes o médico pede jantares, que o laboratório pague
alguns congressos e pague algumas viagens.

“Esta prática é muito mais comum do que se imagina nos


consultórios médicos. Segundo a Organização Mundial de Saúde
(OMS) 75% dos remédios prescritos não são adequados. A cada 42
minutos, uma pessoa é intoxicada, pelo uso indevido de
medicamentos no Brasil; muitas vezes, o paciente nem precisa
tomar remédios.”

“Nossa equipe acompanhou um jantar, promovido por um


laboratório, nesta churrascaria em São Paulo. Foram convidados 60
médicos, alguns deles levaram parentes.” (...)

“O laboratório que organizou o jantar, não promoveu uma palestra


com especialista médico, apenas apresentou um de seus produtos.
Esta prática é proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária
(ANVISA). Depois do jantar, todos os médicos agradeceram a
cortesia.” (...)
“Em maio, o Laboratório Novartis, patrocinou um Congresso sobre
osteoporose, de sexta a domingo, neste resorte em Florianópolis.
Passagem aérea e hospedagem de graça, e um desconto especial
para os acompanhantes de 50 médicos. Na manhã de sábado, eles
assistiram a 4 palestras. O restante do fim de semana foi livre. Na
maioria das vezes, os profissionais convidados são os que mais
indicam os medicamentos do laboratório que patrocina o evento.
Para verificar a venda dos produtos, e quem prescreveu, a indústria
farmacêutica negocia cópias das receitas médicas com as
farmácias.” (...)

“E quanto mais consumo, mais dinheiro para a indústria


farmacêutica. O setor fatura por ano R$ 28 BILHÕES DE REAIS NO
PAÍS, 30% são investidos em marketing.”

“Em nota o Laboratório Novartis, que patrocinou o congresso em


um hotel de luxo em Florianópolis, alega que o evento teve cunho
científico, e que o objetivo do encontro foi atualizar os profissionais
de saúde.”

“E amanhã, o Jornal da Band vai mostrar como os propagandistas


agem em hospitais, Universidades e farmácias. Até amostras de
remédios com tarja preta, que são proibidos, portanto, são
oferecidos aos médicos.”

Fonte:
Jornal da Band – 02/07/2008, primeira reportagem da série “Receita
marcada”.

Para assistir ao vídeo da reportagem, utilize o link abaixo:


http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=92062&CN
L=1

---------------------------------------------

DENÚNCIA DO JORNAL DA BAND SOBRE A


INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
Segunda reportagem da Série: “RECEITA MARCADA”
“LABORATÓRIOS PROMOVEM SORTEIOS PARA MEDICAÇÃO
DE SEUS REMÉDIOS”

O vídeo desta reportagem pode ser visto no link abaixo:

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=92261&CN
L=1

03 de julho de 2008 (Quinta-feira)

“Exclusivo, laboratórios sorteiam computadores, DVDs e até


automóveis entre médicos, para que eles receitem seus
medicamentos para pacientes. Uma estratégia “ilegal” flagrada por
nossa reportagem. Na série “Receita Marcada” você também vai ver
como agem os propagandistas da indústria farmacêutica em
hospitais, e até em Universidades. Amostras de remédios com tarja
preta, de uso “controlado”, também são oferecidas aos médicos.”

“Eles estão nos corredores dos hospitais, na porta dos consultórios,


nas universidades de Medicina. É só o médico ter um intervalo, que
os propagandistas dos fabricantes de remédios, aparecem com
amostras grátis, panfletos e brindes de todos os tipos: rádio-relógio,
livro, caneta, pen-drive e até bichinho de pelúcia. Este ortopedista,
caminha pelo corredor do Hospital de Clínicas de São Paulo, o
maior da América Latina, com uma caixa de medicamentos que
ganhou. Esta médica sai com uma sacola cheia de presentes.”

“Eu ganhei canetas, amostras (de remédios) e toalha.”

“Alguns chegam a pedir de tudo em troca da prescrição: “Tem um


médico que queria reformar o consultório. Ele falou: “Olha, eu
queria reformar o consultório, o que o laboratório vai me dar?”

“Este propagandista disse que a relação com grande parte dos


médicos, é de pura troca de interesses: “Na realidade, o
propagandista vê o médico como uma fonte para gerar capital de
vendas para o laboratório. O médico já olha como uma fonte de
interesse particular.”

“Riad Younes, Diretor do Hospital Sírio Libanês, diz: “São


relacionamentos, são patrocínios, são ajudas, que podem,
teoricamente, influenciar a decisão do médico, e esta decisão não é
mais independente e é aí que mora o problema.”
“A distribuição de amostras grátis de remédios de tarja preta é
ilegal, ainda assim, esta propagandista confirma que entrega
medicamentos controlados aos médicos:

-- “O que for liberado de amostra de tarja preta tem que constar o


carimbo no protocolo e a quantidade.”

-- “Então o propagandista pode levar (amostra de tarja preta)?”.

-- “Pode.”

“Os funcionários do Laboratório Ápice, fizeram um vídeo para contar


a rotina de trabalho; a paródia, que circula pela internet, fala da
relação com os médicos.” – “O médico amigo, que pediu
investimento, cobrou o patrocínio pra poder ir pro evento. A verba
está regada e o cara me pediu.”

Rodrigo Hidalgo (São Paulo): “Além da distribuição de brindes os


laboratórios investem em sorteios de produtos caros, o que é
proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Fabricantes já sortearam entre os médicos que participaram de
congressos e simpósios como este no país, computadores
portáteis, aparelhos de TV e até carros.”

“E em um evento, promovido pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia


Digestiva, em São Paulo, esta empresa definiu um estratégia para
chamar a atenção dos profissionais da medicina:

-- “Vai ter sorteio de que?”

-- “DVDKaraokê. Amanhã faremos o último sorteio. Vocês querem


preencher?”

“A Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica, acredita que o


desvio de conduta dos médicos não é comum:

-- “O importante é que são casos que devem ser trados com focos
em cima destes casos, e não se pode generalizar para a atividade
de toda a indústria e de todos os profissionais médicos.” (Ciro
Mortella, Presidente da Federação Brasileira da Indústria
Farmacêutica).
“Para tentar acabar com as práticas ilegais, a Anvisa vai mudar a
regulamentação do setor:

-- “Por exemplo, a amostra grátis, ela fica proibida de ser distribuída


em congressos médicos. E o espaço previsto por lei, para receber e
utilizar esta amostra grátis, é o seu consultório”. (Maria José
Delgado – Gerente Fisc. Prop./ ANVISA)”

“Enquanto isso, negociações proibidas continuam. Nesta farmácia,


a nossa equipe conseguiu, o que devia ser confidencial, a relação
de médicos que prescrevem medicamentos de tarja preta:

-- “Posso te passar, né? As receitas do dia-a-dia. Posso te passar o


número do CRM, ta?”

Fonte:
Jornal da Band, 03 julho 2008, segunda reportagem da série
“Receita Marcada”.

O vídeo desta reportagem, pode ser vista no link abaixo:


“Laboratórios promovem sorteios para a medicação de seus
remédios”.

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=92261&CN
L=1

-------------------------------------

Link do vídeo da primeira reportagem da série “Receita Marcada”,


abaixo:
“Denúncia do Jornal da Band sobre a indústria farmacêutica”.

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=92062&CN
L=1

-------------------------------------

DENÚNCIA DO JORNAL DA BAND SOBRE A


INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
Terceira reportagem da Série: “RECEITA MARCADA”

“título...”

04 de julho de 2008 (Sexta-feira)

( ... )

... procurou outra opinião médica, e descobriu que Pedro não


precisa tomar o medicamento.”

“Ainda estou nesta prática, mais do amor mesmo, do carinho, da


atenção.”

-- Então, é o jeito dele?


-- É o jeito, tem que saber entender ele.

“O remédio (Ritalina) é controlado, e só pode ser vendido com este


tipo de receita, de cor amarela. Mas é fácil encontrar a droga, sendo
vendida livremente pela internet. No Brasil nos últimos quatro anos,
houve um aumento de 930% na venda da Ritalina. Em São José do
Rio Preto, no interior de São Paulo, 12 mil comprimidos foram
vendidos por mês em 2007. Segundo o Ministério da Saúde, a
cidade é uma das que mais prescrevem o medicamento.”

“Eu acho que houve um excesso de rótulos, muitas crianças que


não se adequavam ao comportamento em sala de aula, eram
rotuladas de crianças com déficit de atenção.” (Maria do Rosário
Laguna – Sec. Mun. Educação)

“Segundo especialistas, o crescimento do consumo do remédio,


está ligado ao marketing agressivo dos fabricantes. Cerca de 70%
das crianças que tomam o remédio não tem a doença.”

“A indústria farmacêutica na minha opinião, cria as doenças, para


que, os sujeitos possam então consumir medicamentos, para de
certa forma apaziguar, ou diminuir estes sintomas provocados por
esta doença”. (Kátia Forli Bautheney – Psicanalista/USP)

“Para chamar a atenção para a eficácia do produto, e induzir o


tratamento, os dois laboratórios que fabricam o “Cloridrato de
metilfenidato” divulgam pesquisas encomendadas e opiniões
médicas sobre o assunto. Este artigo diz que uma cada três
crianças com o transtorno é reprovada na escola. Quem informa, é
o Laboratório Janssem-Cilag Farmacêutica, que produz o
“Concerta”, concorrente da ritalina. Este é o mais novo estudo
científico sobre o tema(*), produzido pelo Instituto de Psiquiatria da
Univerdade Federal do Rio de Janeiro. Quem patrocinou o trabalho,
foi o Laboratório Janssem-Cilag Farmacêutica. Quem toma o
medicamento sem precisar, sofre com os efeitos colaterais.”

“Cefaléia, alteração do sono e alteração do apetite, são


relativamente comuns.” (Fábio de Nazaré – Neurologista)

“Este menino toma Ritalina de segunda a sexta-feira para se


concentrar na sala de aula.”

-- “E sábado e domindo? Quando você não toma, como é que você


fica? (repórter)
-- “Agitado”. (Pablo Barboza, 8 anos)
-- “Faz o que?”
-- “Fico brincando”.

“Para vender mais, os laboratórios facilitam o acesso ao remédio.”

“O famoso Ritalina o acesso é fácil. Você consegue em qualquer


carro de representante.”

“Os norte-americanos consomem 90% da produção mundial da


Ritalina. Nos Estados Unidos, o assunto é tratado como uma
epidemia. O governo tem promovido campanhas nas escolas, para
informar que nem todas as crianças precisam tomar o
medicamento. O Brasil, caminha no sentido contrário”.

“Hoje em dia prevalece, na minha opinião, na indústria


farmacêutica, aquilo que a gente chama brincando de “capitalismo
selvagem”, a “ganância”, o “lucro a qualquer custo”. (Raul Gorayeb
– Psiquiatra/ UNIFESP).

“Em nota, o Laboratório Janssem-Cilag, fabricante do “Concerta”,


afirmou que não interfere nos resultados das pesquisas científicas
que patrocina. Já o Laboratório Novartis, do remédio Ritalina, não
se pronunciou”.

___________________
(*) publicado no “Jornal Brasileiro de Psiquiatria”. Nome do artigo:
“Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na
prática clínica”; Editor convidado: Paulo Mattos. /Patrocinador deste
trabalho: Janssem-Cilag Farmacêutica.
J. bras. psiquiatr. vol.56 suppl.1 Rio de Janeiro 2007
Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) na prática
clínica
Attention deficit hiperactivity disorder (ADHD) in the clinical practice

Fonte:
Jornal da Band – 04 julho 2008 – sexta-feira – Terceira reportagem
da série “Receita Marcada” – Denúncia do Jornal da Band sobre a
Indústria Farmacêutica.