É impressionante vermos o grande aumento do número de pessoas “evangélicas” – sim usarei as aspas todas as vezes que escrever essa

palavra acredito que estamos usando-a sem saber seu real significado – em nosso país, haja vista que fomos colonizados pelos portugueses que eram predominantemente católicos (nada contra quem seja apenas um fato histórico), e que as instituições “evangélicas” têm cerca de 150 anos de existência em nosso país dos últimos anos o crescimento é realmente fabuloso. Mas então me pergunto o que faz uma instituição religiosa – por que no meu entendimento Igreja só existe uma, que é formada por Cristo e todos os que Nele foram salvos – ser considerada “evangélica”? O termo se refere aos evangelhos escritos no Novo Testamento da Bíblia Sagrada, são os livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, o significado da palavra é “boas novas”. Então esses autores escreveram sobre as boas novas ao mundo que era o nascimento, a vida, a morte e ressureição de Jesus Cristo o Filho de Deus, o próprio Deus encarnado para nos reconciliarmos com Ele. Mas o que tudo isso tem relação com chamar ou não às instituições religiosas de “evangélicas”, pelo simples fato de que para ser chamada de tal esta instituição tem como regra básica ensinar e viver de acordo com o que os evangelhos nos ensinam. Sabemos hoje que já existem outras denominações como pentecostal, tradicional, neopentecostal e etc., mas todas elas são ditas “evangélicas” então, todas deveriam seguir estes preceitos. Chegamos ao ponto crucial agora, nos evangelhos estão escritos vários aspectos sobre Jesus, o Cristo, seus ensinamentos, estilo de vida. O mais importante foi que Ele nasceu para nos redimir com Deus e que isto seria feito através de Sua morte e posterior ressureição. Estes são os dois fatos mais importantes dos evangelhos e não digo isto por conta própria, é só percebermos a narrativa de tais livros eu sempre culminam na missão de Jesus. Será que nossas instituições religiosas “evangélicas” que tem muitas vezes auditórios lotados estão ensinando sobre a morte e ressureição de Jesus, sobre como estes fatos são essenciais na vida do cristão, de que não adianta aprender de Jesus se não tiverem em conta esses fatos. Aprender como ele viveu é muito bom e necessário também, mas inútil sem saber que Jesus foi morto para nos reconciliar com Deus e isso só se deu por que foi ressuscitado e hoje se senta a destra do Pai e o mais importante é que qualquer dia ele voltará para buscar aqueles que são seus. Aonde vamos hoje e ouvimos uma pregação de que Jesus está voltando. Se lermos o livro de Atos dos Apóstolos na Bíblia Sagrada vemos que os cristãos daquela época aguardavam a volta de Jesus ansiosamente, viviam seus dias como se fosse o último e faziam de tudo para que mais pessoas ouvissem das boas novas do evangelho. Hoje dar as boas novas é convidar alguém a ir a sua instituição ouvir o pregador falar sobre como podermos ser felizes aqui, como conquistar a vitória, ou obter sucesso. Mas Jesus disse que passaríamos por aflições aqui, que seriamos como estrangeiros, que a felicidade e vida completa seriam com Ele na Glória.

Não podemos nos deixar iludir com promessas de vidas confortáveis aqui. ansiosos pela volta de Jesus. anunciando suas boas novas e vivendo como nos ensinou. devemos viver assim como viviam os primeiros crentes. . Isto sim é ser Evangélico.