Projeto de Monografia

Tema

A desmaterialização de documentos: uma contribuição da Tecnologia da Informação Verde para sustentabilidade ambiental

Objetivo

O objeto central do presente trabalho é pesquisar sobre a desmaterialização de documentos e a sua contribuição para a sustentabilidade ambiental. No entanto, não basta especificar o objeto central. É preciso evidenciar também que a desmaterialização de documentos será examinada em confronto e no contexto brasileiro da produção de papel, da importação e exportação de papeis, bem como no campo da pertinência técnica da utilização dessa ferramenta. Nessa perspectiva, a desmaterialização de documento será visualizada como um campo de debate, não como uma questão resolvida.

Delimitação do trabalho

A desmaterialização de documentos está afeta ao campo da denominada Tecnologia Verde. Portanto, a presente pesquisa não se propõe a refletir sobre o amplo campo de incidência da Tecnologia Verde e os seus reflexos no meio ambiente de qualidade. Não por ser inconcebível um empreendimento de tal monta, mas porque o objetivo proposto é perquirir sobre a contribuição da desmaterialização de documentos para a sustentabilidade ambiental. De sua vez, em se tratando de qualidade ambiental, a ferramenta denominada desmaterialização de documentos está inserida no contexto do desmatamento de florestas e produção de papel. Mesmo nessa área, há várias ferramentas que contribuem para a qualidade do meio ambiente. Esta pesquisa, no entanto, não se ocupará com essas outras ferramentas, mas, apenas, com a desmaterialização de documentos. A exclusão dessas outras ferramentas do campo de visão desta pesquisa não tem o condão de desconsiderar a importância de cada uma delas no processo de reflexão sobre o

equilíbrio ambiental. Antes, essa exclusão observar uma questão de natureza técnica, que tem por fim delimitar o tema, objetivando tornar a pesquisa menos complexa e menos extensa.

Hipótese da pesquisa

A hipótese deste trabalho é que a desmaterialização de documentos, no Brasil, promove e contribui para o meio ambiente ecologicamente equilibrado. Contudo, por certo, a desmaterialização de documentos, por si só, não conduz à conclusão de que o uso dessa ferramenta contribui para o equilíbrio ecológico do meio ambiente. Por isso, esse trabalho se propõe a pesquisar em que circunstâncias o uso dessa ferramenta afeta positivamente a qualidade ambiental.

Problematização

O desenvolvimento econômico e a sustentabilidade ambiental do planeta compõem um binômio que tem sido objeto de preocupação dos governos mundiais, dos empresários e da sociedade em geral. No início dos debates sobre esse tema, nutria-se o entendimento de que as propostas consistentes em preservar a qualidade do meio ambiente eram inimigas do sistema capitalista e que, portanto, pugnavam pela estagnação do processo de desenvolvimento econômico. A realização de pesquisa, a constante busca alternativa dos meios de produção, a participação da sociedade organizada, o desenvolvimento tecnológico, dentre outros, contribuíram e tem contribuído para afastar a visão equivocada a respeito do equilíbrio entre as partes que compõem o binômio acima aludido. No caso brasileiro, o poder constituinte originário conferiu status constitucional à questão do meio ambiente. Assim, o meio ambiente ecologicamente equilibrado é um direito de todos, sendo imposto ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.1 Em igual medida, a Constituição Federal deixou assente que o desenvolvimento econômico, dentre outros princípios,
1

Art. 225 da CF. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

deve observar a defesa do meio ambiente, com tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de dos processos de elaboração e prestação.2 Com isso, a sociedade brasileira, por meio de seus representantes, no âmbito do Poder Legislativo responsável pela promulgação da atual Constituição Federal, manifesta a esperança possível da convivência harmônica entre o desenvolvimento econômico e o meio ambiente ecologicamente equilibrado. É nesse contexto que se insere o desenvolvimento científico e tecnológico, na condição de área do saber humano capaz de dar concretude a esperança da sociedade brasileira materializada em nosso texto constitucional. Em busca desse equilíbrio entre capital e meio ambiente, é que tem lugar o presente trabalho: desmaterialização de documentos. Na verdade, as áreas de contribuição científica e tecnológica para a qualidade ambiental do planeta são várias, tais como: produção de PCs e notebooks, desperdício eletrônico, expansão do nível de vida do produto, reutilização e a desmaterialização de documentos. De sua vez, a desmaterialização de documentos está diretamente relacionada com o desmatamento, visto que o papel é produto direto da celulose, que é extraída das árvores. Nesse contexto, então, o componente desmatamento está vinculado à temática do equilíbrio ecológico do planeta. Ocorre que há várias ferramentas capazes de diminuir o desmatamento e, por consequência, contribuir para um meio ambiente de qualidade. São exemplos dessas ferramentas: recuperação de papéis recicláveis, utilização do bagaço de cana-de-açúcar para produção de papel ecológico, florestas cultivadas e desmaterialização de documentos. A presente pesquisa ocupa-se apenas com a ferramenta denominada desmaterialização de documentos. A hipótese está centrada no entendimento de que essa ferramenta, por promover o desuso de papel, contribuiria para o desmatamento e, de consequência, seria mais um componente capaz de promover o meio ambiente ecologicamente equilibrado.

2

Art. 170, inciso VI, CF. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios: (...); VI – defesa do meio ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação.

Na consecução desta pesquisa, não se pode perder de vista que, no Brasil, a celulose destinada à fabricação de papel de imprimir e escrever é 100% originada de florestas cultivadas. Essas florestas seguem rigorosamente os padrões ambientais estabelecidos no Código Florestal e, portanto, constituem os denominados corredores ecológicos, os quais, em muito, afetam positivamente a qualidade do meio ambiente. Posto, então, esse quadro, o problema da presente pesquisa consiste em perscrutar: o Brasil é auto suficiente na produção de papel por meio das florestas cultivadas? A balança comercial brasileira tem sido deficitária no item

importação/exportação de papeis? Qual a influência das respostas a essas duas perguntas para a utilização da ferramenta denominada desmaterialização de documentos? Em que aspectos a desmaterialização de documentos poderia contribuir para a sustentabilidade ambiental?

Referencial teórico

O presente trabalho se inscreve para o debate sobre a temática referente ao uso da ferramenta denominada desmaterialização de documento, na condição de instrumento da tecnologia da informação, na área de Tecnologia Verde, capaz de contribuir para a sustentabilidade do meio ambiente. Nesse contexto, então, o presente trabalho se consubstancia em um diálogo com autores que se dedicam à discussão dessa temática, a fim de comprovar ou não a hipótese da presente pesquisa.

Justificativa

A sustentabilidade ambiental é um tema de interesse do planeta. Desde a década de 70 do século passado que os primeiros passos nessa direção vêm sendo dados. O Brasil tem sido palco de aprofundadas discussões a respeito dessa temática. O Rio 92 e, recentemente, o Rio + 20 demonstram a positiva participação do Brasil em sediar essas conferências. Em outro giro, o desenvolvimento tecnológico, que, a cada dia, surge com uma novidade, pode em muito contribuir para o planeta nessa área. Nesse contexto, então, conhecer, compreender e utilizar as ferramentas tecnológicas disponíveis nessa área é matéria que interessa a todos: governo, autoridades, empresas, academia, sociedade

organizada e a população em geral. Nisso reside a relevância e a atualidade do presente trabalho.

Estrutura do trabalho

Depois será feito, se aceito.