You are on page 1of 15

INTRODUÇÃO

GRAMÁTICA E EXERCÍCIOS § 1: não necessidade de pronomes pessoais para identificação da pessoa do verbo (cp. Português e Inglês). § 1, n. 3: I. explicar o que é sujeito, predicado, predicado nominal e predicativo do sujeito. (a) outros ex.: Estáfila é a escrava. → Staphyla serua est. Fedra é a filha. → Phaedra flia est. Euclião é avarento. → Eucli aurus est. II. outros ex.: Tu és Estáfila. → t Staphyla es. | És Estáfila. → Staphyla es. Eu sou Euclião. → ego Eucli sum. | Sou Euclião. → Eucli sum. Eu sou avarento. → ego aurus sum. | Sou avarento. → aurus sum. … | Somos Fedra e Estáfila. → Phaedra et Staphyla sumus. … | Sois pai e filha. → pater et flia estis. … | São o velho e a escrava. → senex et serua sunt.

III. outros ex.: Há/Existe uma escrava. → est serua. Há/Existe uma escrava na casa. → est serua in aedibus. * Há/Existe uma escrava na família de Euclião. → est serua in famili Euclinis. Há/Existem uma escrava e um velho. → sunt serua et senex. Há/Existem uma escrava e um velho na casa. → sunt serua et senex in aedibus. → com sentido de ‘estar’: serua in aedibus est. → A escrava está na casa. * serua et senex in aedibus sunt. → A escrava e o velho estão na casa. in aedibus (Euclinis) sumus. → Estamos na casa (de Euclião).

SEÇÃO 1A
TEXTO • TRADUÇÃO Personagens da peça: Demêneto: Demêneto é um velho, avô de Euclião. escravo: o nome do escravo é Davo. escrava: o nome da escrava é Pânfila. cozinheiro e flautista. (O escravo entra no palco/entra em cena. Fica parado diante da porta de Demêneto e grita. Por que grita? Grita porque está chamando a escrava.)
ESCº ESCª

Ei, Pânfila! Eu, Davo, te chamo/estou te chamando! Quem me chama? Quem está gritando?

ESCº ESCª

Eu, Davo, estou te chamando. O que é? Por que me chamas?

(O escravo aproxima-se da porta, mas a porta está fechada. Por isso, o escravo bate à porta.) Ei, tu, escrava! Eu estou batendo à porta, mas tu não abres: a porta está fechada. (abre a porta) Por que estás gritando? Eu corro para cá e para lá, tu porém gritas. Eu estou ocupada, tu porém estás ocioso. Não és um escravo, mas um patife/canalha. ESCº Eu não estou ocioso, Pânfila. Pois hoje Demêneto, o meu senhor, dá a filha em casamento: são as núpcias da filha!
ESCº ESCª

(Demêneto, senhor do escravo e da escrava, entra em cena.)
DEM.

Por que estais gritando, Davo e Pânfila? Por que estais parados? Por que estais ociosos? Pois hoje são as núpcias de minha filha. Por que não entrais em casa e preparais as núpcias? (O escravo e a escrava entram na casa e preparam as núpcias. Entram em cena o cozinheiro e a flautista. Demêneto vê o cozinheiro e a flautista.)
DEM. DEM. COZ. E FLAUT.

Ei, vós, quem sois? Pois eu não vos conheço. Somos o cozinheiro e a flautista. Vimos/estamos vindo para as núpcias da tua filha. Por que não entrais em minha casa e preparais as núpcias?

(O cozinheiro e a flautista entram na casa de Demêneto.) (Demêneto carrega uma coroa e perfume. Carrega também uma panela. A panela está cheia de ouro.)
DEM.

Ai! Hoje estou preparando as núpcias de minha filha. A família [criadagem] inteira se apressa. Os meninos [criados] e as meninas [criadas] correm para cá e para lá, eu chamo cozinheiros e flautistas. Agora a casa está cheia de cozinheiros e flautistas, e todos os cozinheiros e flautistas são ladrões. Ai! Sou um homem perdido/arruinado, ou melhor, o mais perdido/arruinado dos homens. Pois tenho uma panela cheia de ouro. Eis! Estou carregando uma panela. (o velho mostra a panela) Agora escondo a panela sob a roupa. Pois tenho muito medo. (aspira o ar) Pois o ouro cheira; e os ladrões farejam o ouro. Porém o ouro não cheira, se está escondido sob a terra. Se o ouro está escondido sob a terra, não temo nenhum cozinheiro, nenhuma flautista, nenhum ladrão. Portanto escondo secretamente a panela embaixo da terra. Alguém por acaso/Será que alguém está me olhando/observando? (Demêneto olha ao redor. Ninguém está presente. Portanto Demêneto não vê ninguém.)
DEM.

Bom! Estou só. Mas primeiramente me aproximo do Lar e ofereço perfume e uma coroa, e suplico.

(Aproxima-se do Lar. Oferece perfume e uma coroa. Em seguida suplica ao Lar.)
DEM.

Ó Lar, proteção de minha família, peço-te e imploro. Eu sempre te corôo, sempre te dou perfume, sempre sacrifício e atenção. Tu, em troca, dás boa sorte. Agora levo/trago a ti uma panela cheia de ouro. Porém estou escondendo a panela sob a roupa, a família nada sabe a respeito da panela. Mas hoje são as núpcias da (minha) filha. Cheia está a casa de cozinheiros e flautistas. Ou melhor, estão cheias (é) de ladrões. O ouro cheira. Por isso eu temo os ladrões. Ó Lar, peço-te e imploro. Protege a panela! (O velho aproxima-se da lareira. Próximo à lareira há um buraco. Esconde a panela no buraco.)
DEM.

Eis. O ouro está salvo, salvo também eu. Pois agora tu possuis a panela, Lar.

GRAMÁTICA E EXERCÍCIOS §§ 2 e 3: Indicativo Presente Ativo – 1ª e 2ª Conjugações 1. Começar com Português: a) conjugar um verbo regular de 1ª (amar) e um de 2ª (vender) conjugação; b) destacar raiz verbal de desinências pessoais: 1ª s. 2ª s. 3ª s. 1ª p. 2ª p. 3ª p. am-o ama-s ama-∅ ama-mos ama-is ama-m vend-o vende-s vende-∅ vende-mos vende-is vende-m

c) chamar atenção para processo empregado na conjugação: junção de raiz + desinência pessoal. d) atentar para o que distingue a 1ª da 2ª conjugação: vogal temática, i.e., a vogal pela qual termina a raiz verbal → 1ª conj.: verbos com raiz em a- / 2ª conj.: verbos com raiz em e-. 2. Explicar conjugação latina comparando com a portuguesa. §§ 4 e 5: Subst. Fem. de 1ª Declinação e Subst. Masc. de 2ª Declinação a) pegar exemplos no texto de palavras, tanto de 1ª quanto de 2ª decl., que apareçam nos três casos a serem estudados; b) proceder a análise sintática dos trechos escolhidos, fazendo ver que as terminações das palavras variam de acordo com sua função sintática (mas antes explicar rudimentos de análise sintática); Exemplos: i. Sujeito × Objeto Direto (Nominativo × Acusativo) - 11: seruus ad inuam appropinquat, sed inua clausa est. seruus igitur inuam pulsat. - 12: ego inuam puls, at t nn apers: inua clausa est. - 13: inuam aperit. - 6: clmat quod seruam uocat. - 20: in aeds intrant seruus et serua … = in scaenam intrant coquus et tbcina. - 20: Dmaenetus coquum et tbcinam uidet. = 26: Dmaenetus cornam et unguentum1 portat. - 26: aulam quoque portat. × aula aur plna est. plural: - 18: nam hodi nptiae filiae meae sunt. × cr nn in aeds intrtis et nptis partis? = 20: … et nptis parant. - 28: ego coqus et tbcins uoc. × … et cnct coqu et tbcinae frs sunt. ii. a. Adjunto Adnominal Restritivo [restringe, especifica substantivo, às vezes c/ sentido de posse] (Genitivo)
1

Avisar que algumas palavras terminadas em -um podem estar no nominativo e ser sujeito de oração. - 31: aurum enim olet. | - 32: s aurum sub terr latet.

Ex.:

- 3: seru nmen est Dauus. - 4: seruae nmen est Pamphila. - 6: ante inuam Dmaenet stat et clmat. - 16: nptiae filiae sunt! - 17: Dmaenetus, dominus seru et seruae, in scaenam intrat. - 25: coquus et tbcina in aeds Dmaenet intrant. - 38:  Lar, ttla meae familiae, … ii. b. (Genitivo Partitivo [indica o todo do qual se extrai uma parte]) - 26: aula aur plna est. = 30. - 28: nunc aeds plnae sunt coqurum et tbcinrum. = 41. iii. Sujeito × Predicativo do Sujeito (Nominativo × Nominativo) - 3 (Intr.): Phaedra flia Euclinis est. - 11: sed inua clausa est. - 13: ego occupta sum, t autem tisus es. seruus (t) nn es, … - 18: cr (us) tis estis? - 23: (ns) coquus et tbcina sumus. - 28: … et cnct coqu et tbcinae frs sunt. - 29: homo perditus sum, … - 44: …, saluus quoque ego (sum). exemplos forjados: - Pamphila serua est. - Dmaenetus auus Euclinis est. (= 2) - Dauus seruus Dmaenet est. - Pamphila occupta est, Dauus autem tisus est. (= 13) - Dmaenetus dominus seru et seruae est. (= 17) c) mostrar 1ª e 2ª declinações, explicando o que é declinação e caso: i. maioria dos substantivos em Port. terminados em -a são femininos: escrava, cozinheira, casa, etc. → idem em Latim: serua, tbcina, inua, flia, aula. ii. maioria dos substantivos em Port. terminados em -o são masculinos: escravo, cozinheiro, etc. → em Latim terminados em -us: seruus, coquus, dominus. d) Funções sintáticas: e) Função sintática:
SUJEITO

/ OBJETO DIRETO

ADJUNTO ADNOMINAL RESTRITIVO

i. analisar as seguintes frases: - O escravo vê a filha. / O escravo de Demêneto vê a filha da flautista. A.A.R. A.A.R. ii. A.A.R. → em Português: prep. DE + substantivo

→ em Latim: substantivo vai p/ caso GENITIVO assim: seruus Dmaenet fliam tbcinae uidet. plur.: seru dominrum filis tbcinrum uident. iii. alertar para casos diferentes com terminações iguais: Ex.: As filhas da flautista amam o avô. → fliae tbcinae auum amant. Os escravos de Demêneto carregam as panelas. → seru Dmaenet auls portant. f) Função sintática:
PREDICATIVO DO SUJEITO

i. analisar as seguintes frases: - Pânfila é uma escrava. / Pânfila está ocupada, Davo está ocioso. ii. em que caso fica a palavra que exerce função de sujeito? → nominativo em que caso fica a palavra que exerce função de predicativo do sujeito? → NOMINATIVO

assim: Pamphila serua est. / Pamphila occupta (est), Dauus tisus est. iii. NOMINATIVO acumula duas funções: SUJEITO e PREDICATIVO são citadas quando aparecem fora de uma estrutura sintática. iv. ressaltar diferença entre O.D. e P.S.: - Davo chama o cozinheiro (de Demêneto). → Dauus coquum (Dmaenet) uocat. - Davo é o cozinheiro (de Demêneto). → Dauus coquus (Dmaenet) est. § 6: Preposições: ad / in a) PREPOSIÇÃO: – palavra invariável; – preposta ao substantivo; – cumpre diversas funções: - forma obj. ind.: Maria deu um presente a Pedro. (em Português) - forma adj. adn. restr.: Maria é a esposa de Pedro. - forma adjuntos adverbiais: de companhia: Maria passeava com Pedro. de modo: Maria trabalha com calma. de instrumento: Maria escreve a máquina. de lugar: M. foi a Jaú. M. está em Jaú. M. veio de Jaú. b) Características da Preposição Latina em comparação com a Portuguesa: – é invariável (não varia quanto a número, caso, gênero, etc.); – também é posta diante do substantivo (com raríssimas exceções); – funções: × objeto indireto; × adj. adn. restritivo (função exercida pelo caso genitivo); – adjuntos adverbiais. c) Duas preposições formadoras de adjuntos adverbiais de lugar: AD / IN.
DO SUJEITO.

Além de ser o caso em que as palavras

AD: – significado: ‘para junto de / em direção a / para’ – rege unicamente o caso ACUSATIVO • Exemplos: - seruus ad inuam appropinquat (1A, 11) - senex ad focum appropinquat. (1A, 43) - ad nptis fliae tuae uenmus. (1A, 23) - sed prius ad Dmaenetum appropinqu … (=1A, 35) - nunc ad t aulam aur plnam port. (1A, 39) IN: – 1º significado: ‘para dentro de / para’ – rege o caso ACUSATIVO • Exemplos: - seruus in scaenam intrat. (1A, 6) - senex aurus aulam in foueam portat. - dominus coqus et tbcins in scaenam uocat. – 2º significado: ‘dentro de / em’ – rege o caso ABLATIVO • Exemplos: - sunt in famili Euclinis paterfamilis, et Phaedra … (Introd., 6) - in foue aulam clat. (1A, 43) - dominus et seruus in scaen stant/sunt. - aurum in aul latet.

SEÇÃO 1B
TEXTO • TRADUÇÃO (No palco, Euclião dorme. Enquanto dorme, o Lar entra em cena e narra uma história.) Espectadores, eu sou um Lar familiar. Sou o deus da família de Euclião. Eis a casa de Euclião. Na casa de Euclião, há um grande tesouro. É o tesouro de Demêneto, avô de Euclião. Mas o tesouro está numa panela e está escondido embaixo da terra. Pois eu guardo secretamente a panela na casa. Euclião nada sabe a respeito do tesouro. Por que estou guardando o tesouro em segredo até agora? Conto a história. Euclião não é um velho bondoso, mas avarento e mau. Por isso, não prezo Euclião. Além disso, Euclião não se importa comigo. Nunca me suplica. Perfume nunca dá, coroa, nenhuma, atenção, nula. Mas Euclião tem uma boa filha. Pois Fedra, a filha de Euclião, se preocupa comigo e dá muita atenção, muito perfume, muitas coroas. Por isso prezo muito Fedra, a boa filha de Euclião. Mas Euclião é pobre. Portanto a filha não tem dote algum. Pois o velho nada sabe da panela do avô. Agora, porém, visto que Fedra é bondosa, dou a Euclião a panela cheia de ouro. Pois visito Euclião em sonho e mostro a panela. Vede, espectadores.
LAR

(Euclião está dormindo. O Lar conduz à cena a imagem do avô. Euclião fica espantado.)
EUC.

Estou dormindo ou estou acordado? Grandes deuses! Estou vendo a imagem de meu avô, Demêneto. Salve, Demêneto! Ai! Quão mudado de lá… dos infernos, evidentemente, entra em casa. Olha! Demêneto

carrega uma panela. Por que carregas uma panela, Demêneto? Eis! Demêneto olha ao redor e murmura consigo. Agora apressa-se em direção ao altar do Lar. O que estás fazendo, Demêneto? Faz um buraco e coloca a panela no buraco. Por Hércules, é espantoso. Mas o que há na panela? Grandes deuses! A panela está cheia de ouro. IMAGEM DE DEM. Bom. Agora meu ouro está salvo. EUC. Não acredito, Demêneto. Nenhum ouro há em casa. O sonho é falso. Pobre é o que eu sou e continuo pobre. (Euclião acorda …)
EUC.

Ai, pobre de mim! Eu sou o mais arruinado dos homens. Sou pobre, mas os deuses apresentam falsos sonhos. Vejo meu avô em sonho. O avô carrega uma panela cheia de ouro. Coloca secretamente a panela sob a terra ao pé do Lar. Entretanto, não acredito. O sonho é falso. Por que o Lar não se preocupa comigo? Por que me engana? (Euclião se aproxima do Lar. Subitamente, porém, vê um buraco. Euclião rapidamente retira muita terra do buraco. Finalmente aparece uma panela.)
EUC.

O que tens, ó Lar? O que guardas sob os pés? Oh! Estou vendo a panela. Sem dúvida, o sonho é verdadeiro. (Euclião tira a panela do buraco. Olha dentro e vê o ouro. Fica pasmo.)
EUC.

Viva! Bravo! Estou de posse do ouro! Não sou pobre, mas rico! (subitamente fica cabisbaixo) Mas, no entanto, por Hércules, um homem rico sempre tem muitas preocupações. Os ladrões entram às escondidas na casa. Pobre de mim! Agora tenho medo dos ladrões, porque possuo muito dinheiro. Ai! Como o Lar me atormenta! Pois hoje me dá muito dinheiro, (e) ao mesmo tempo muitas preocupações; por isso, hoje sou o mais arruinado dos homens. E então? Ah! Tenho um bom plano. Será que alguém está me observando? (Euclião esconde o ouro sob a roupa e olha em redor. Não vê ninguém. Por fim, aproxima-se do Lar.)
EUC.

A ti, Lar, trago a panela cheia de ouro. Tu, guarda e esconde a panela!

(Euclião coloca novamente a panela no buraco; em seguida, amontoa muita terra em cima da panela.)
EUC.

Bom! O ouro está salvo. Mas estou preocupado. Por que, porém, estou preocupado? Estou preocupado porque um grande tesouro dá muitas preocupações, e me aflige muito. Pois em casa de homens ricos entram muitos ladrões; por isso cheia de muitos ladrões é a casa dos homens ricos. Pobre de mim! GRAMÁTICA E EXERCÍCIOS §§ 7, 8 e 9: Substantivos Masc. e Fem. de 3ª Declinação Palavras de 3ª decl. usadas nos textos Introdução, 1A e 1B: aedis, is homo, inis ds, dtis honor, ris drma, atis imago, inis Eucli, nis Lar, Lris fr, fris nmo, nullius nmen, inis pater, tris pes, pedis senex, senis uestis, is

1. Gêneros: masculino, feminino (e neutro): salientar que o gênero é independente da terminação.

Ex.: Port. o dente / a lente 2. Abrange palavras com raízes terminadas em: i. consoantes: diversas terminações no nom. s. ii. vogal -i-: nom. sing. masc. e fem. em is (aedis, uestis) e raramente em s (nubes, uulpes) 3. Genitivo singular: 1ª decl.: -ae 2ª decl.: - 3ª decl.: -is • Salientar importância de saber a forma de nominativo sempre acompanhada da forma de genitivo a fim de que se saiba a que declinação a palavra pertence: seruus, seru × corpus, corporis serua, seruae × drma, drmatis 4. Como declinar: [ forma de gen. s. – desinência de gen. s. = raiz ] ↓ [ raiz + desinências casuais ] Ex.: aedis, aedis → aedis – is = aed- → aed- + em, , e, s, s, ium, ibus = aedem, aed, aede, … 5. Algumas formas de nom. s. das palavras de tema consonantal (§ 9, item 3) (a) líquidas (b) dentais (c) guturais (d) nasal: -in- / -n-

6. Regra para aplicação das diferentes desinências de Genitivo Plural: -um / -ium. Classificação: – parissilábicas: nº de sílabas no nom. s. = nº de sílabas no gen. s.: aedis, aedis / uestis, uestis – imparissilábicas: nº de sílabas no nom. s. ≠ nº de sílabas no gen. s.: fr, fris / pes, pedis / rex, regis • VM: imparissilábicos com raiz terminada em uma só consoante: Ex.: fr, fr-is → fr-um / pes, ped-is → ped-um / rex, reg-is → reg-um / ds, dt-is → dt-um praed, praedn-is → praedn-um / homo, homin-is → homin-um • IVM: parissilábicos e imparissilábicos com raiz terminada em duas ou mais consoantes: Ex.: aedis, aed-is → aed-ium / uestis, uest-is → uest-ium / ciuis, ciu-is → ciu-ium mas: senex, sen-is → sen-um nox, noct-is → noct-ium / ars, art-is → art-ium / urbs, urb-is → urb-ium mors, mort-is → mort-ium / gens, gent-is → gent-ium / mons, mont-is → mont-ium § 11: Substantivos Neutros de 2ª Declinação Substantivos Neutros de 2ª Decl. usados nos textos 1A e 1B: aurum,  mtrimnium,  cnsilium,  sacrificium,  1. Latim possui três gêneros: masculino, feminino e neutro. somnium,  unguentum, 

– origem da palavra “neutro”: utrum: um e outro, ambos, os dois. ne + utrum: nem um nem outro, i.e. nem masc. nem fem. 2. 1ª decl.: substantivos 2ª decl.: substantivos femininos (flia, ae; serua, ae) masculinos (nauta, ae; poeta, ae) masculinos (flius, ; seruus, ) femininos (humus, ; ficus, ) neutros (aurum, ; unguentum, )

3. Declinar um subst. masculino e um subst. neutro e comparar as formas díspares e as similares:
SINGULAR PLURAL SINGULAR PLURAL

nom. voc. acus. gen. dat. abl. nom. voc. acus. gen. dat. abl.

domin-us domin-e domin-um domin- domin- domin- fili-us fil fili-um fil / fili fili- fili-

domin- unguent-um domin- unguent-um domin-s unguent-um domin-rum unguent- domin-s unguent- domin-s unguent- fili- fili- fili-s fili-rum fili-s fili-s somni-um somni-um somni-um somn / somni somni- somni-

unguent-a unguent-a unguent-a unguent-rum unguent-s unguent-s somni-a somni-a somni-a somni-rum somni-s somni-s

4. Forma dicionarizada dos subst. neutros de 2ª decl.: unguentum,  aurum,  somnium,  ou i 5. Exemplos de uso: • Frases extraídas do texto 1A: - Dmaenetus cornam et unguentum portat. (26) → Dmaenetus corns et unguenta portat. - aurum enim olet; et frs aurum olfactant. aurum autem nn olet, s sub terr latet. s aurum sub terr latet, nllum coquum, … (31-32) - … semper tibi unguentum d, semper sacrificium et honrem. (38-39) → … sacrificia et honrs. - ecce. saluum aurum est, saluus quoque ego. (44) • Frases extraídas do texto 1B: - unguentum numquam dat, … (6) → unguenta numquam dat, … - bene. nunc aurum meum saluum est. (18) - nllum in aedibus aurum est. somnium falsum est. (19) → somnia falsa sunt. - sed d falsa somnia mnstrant. (21) - nempe somnium urum est. (27) → nempe somnia ura sunt.

- intr spectat et aurum uidet. (29) - aurum posside! (30) - bonum cnsilium habe. (34) → bona cnsilia habe. § 10: Adjetivos de 1ª e 2ª Declinação (1ª Classe): mult-us -a -um Adjetivos de 1ª classe usados nos textos Introdução, 1A: aurus, a, um occuptus, a, um bonus, a, um tisus, a, um cunctus, a, um perditus, a, um nllus, a, um Adjetivos de 1ª classe usados no texto 1B: anxius, a, um malus, a, um falsus, a, um mrus, a, um magnus, a, um multus, a, um 1. plnus, a, um saluus, a, um slus, a, um

muttus, a, um urus, a, um

Subst. 1ª decl. (-a) são, na maioria, femininos → Adj. 1ª decl. (-a) são, na totalidade, femininos. Subst. 2ª decl. (-us) são, na maioria, masculinos. → Adj. 2ª decl. (-us) são, na totalidade, masculinos. Subst. 2ª decl. (-um) são, na totalidade, neutros. → Adj. 2ª decl. (-um) são, na totalidade, neutros.

PORTUGUÊS • CONCORDÂNCIA entre adjetivos e substantivos: faz-se em gênero (masc. e fem.) e número (singular e plural). Exemplos de concordância entre substantivos de 1ª e 2ª decl. e adjetivos de 1ª classe: Nota: – Adjetivos de “1ª classe” em Português: belo – Substantivos de “1ª declinação” em Português: garota, menina, moça – Substantivos de “2ª declinação” em Português: garoto, menino, moço a) s. m.: O belo garoto despertou a paixão da menina. — p. m.: Os belos garotos despertaram … análise: - garoto: substantivo masculino singular - belo: adjetivo masculino singular p. f.: As belas moças conseguiram o emprego de modelo. — s. f.: A bela moça conseguiu … análise: - moças: substantivo feminino plural - belas: adjetivo feminino plural LATIM • CONCORDÂNCIA entre adjs. e substs.: faz-se em gênero (masc., fem. e neutro), número (sing. e pl.) e caso. Exemplos de concordância entre substantivos de 1ª e 2ª decl. e adjetivos de 1ª classe: a) nom. s. m.: seruus tisus ad scaenam appropinquat. nom. p. m.: seru tis ad scaenam appropinquant. nom. s. n.: somnium falsum Phaedram uexat. nom. p. n.: somnia falsa Phaedram uexant.

nom. s. f.: serua occupta nptis hodi parat. nom. p. f.: seruae occuptae nptis hodi parant. b) acus. s. m.: Dmaenetus possidet magnum thsaurum. acus. p. m.: Dmaenetus habet mults serus. acus. s. n.: senex bonum cnsilium habet. acus. p. n.: senex bona cnsilia habet. acus. s. f.: Phaedra multam pecniam possidet. acus. p. f.: Phaedra mults crs habet. c) gen. s. m.: serua domin aur semper hc et illc cursitat. gen. p. m.: seruae dominrum aurrum semper hc et illc cursitat. gen. s. n.: aula est plna mult aur. gen. p. n.: Mercurius est deus somnirum falsrum. gen. s. f.: flia bonae seruae coquum timet. gen. p. f.: fliae bonrum serurum coquum timent. d) abl. s. m.: coquus aulam in magn foc clat. abl. p. m.: … in magns focs … abl. s. n.: auus Dmaenet in somni fals apparet. abl. p. n.: … in somnis falss … abl. s. f.: aurum in foue magn latet. abl. p. f.: … in foues magns … PORTUGUÊS Exemplos de concordância entre substantivos de 3ª decl. e adjetivos de 1ª classe: Nota: – Adjetivos de “1ª classe” em Português: belo – Substantivos de “3ª declinação” em Português: homem, imagem, senhor, cor, rapaz, pai, mãe, corte, morte, pé, fé a) s. m.: O homem avarento ama o dinheiro acima de tudo. — p. m.: Os homens avarentos amam … análise: - homem: substantivo masculino singular - avarento: adjetivo masculino singular s. m.: s. m.: s. m.: s. m.: Seu João é um senhor idoso. — p. m.: Seu João e seu Joaquim são senhores idosos. O rapaz tem um corte profundo na mão. — O rapaz tem cortes profundos por todo o corpo. Vimos um frondoso pé de goiaba. — Vimos frondosos pés de goiaba. Essa menina tem um pai severo. — p. m.: Essas meninas têm pais severos.

s. f.: A imagem milagrosa da santa curou o enfermo. — p. f.: As imagens milagrosas das santas curaram … análise: - imagem: substantivo feminino singular - milagrosa: adjetivo feminino singular s. f.: s. f.: s. f.: s. f.: A cor bela dos teus olhos me cativou. — p. f.: As cores belas do quadro me impressionaram. O velho teve uma morte rápida. — p. f.: Todos eles tiveram mortes rápidas. Paulo era um homem de muita fé. — O Brasil é um país de muitas fés. Essa menina tem uma mãe severa. — p. f.: Essas meninas têm mães severas.

LATIM Exercícios de concordância entre substantivos de 3ª declinação e adjetivos de 1ª classe: a) senex _______________ aurum bene clat. — sens _______________ aurum bene clant. (aurus, a, um) imgo _____________ in somni apparet. — imagins _____________ in somni apparent. (falsus, a, um) homo ______________ Larem nn crat. — homins ______________ Larem nn crant. (malus, a, um) est ibi aedis _______________ frum. — sunt ibi aeds _______________ frum. (plnus, a, um) b) flia Euclinis dtem ________ nn habet. — fliae Euclinis dts ________ nn habent. (magnus, a, um) ns _______________ frem timmus. — ns _______________ frs timmus. (nullus, a, um) nmo intrat in aedem _______________. — nmo intrat in aeds _______________. (clausus, a, um) hominem _______________ d amant. — homins _______________ d amant. (bonus, a, um) c) Dmaenetus est homo _______ honris. — Euclinis aeds sunt plnae __________ frum. (multus, a, um) inua _______________ aedis clausa est. — inua _______________ aedium clausa est. (magnus, a, um) flia senis ___________ dtem nn habet. — fliae senum ___________ dts nn habent. (aurus, a, um) d) nn est aurum in aede __________ frum. — nn est aurum in aedibus ___________ frum. (plnus, a, um) Lar aurum sub pede ____________ tenet. — Lar aurum sub pedibus ____________ tenet. (magnus, a, um) cr aulam cls sub ueste _____________? — cr aulam cls sub uestibus _____________? (tuus, a, um) § 12: Substantivo Irregular de 2ª Declinação: deus,  1. Pedir que alunos fechem a apostila (a fim de não serem influenciados). 2. Declinar o subst. deus,  como se fosse regular: nom. voc. acus. gen. dat. abl. 3. Corrigir formas erradas (sublinhadas): de-us de-e de-um de- de- de- de- de- de-s de-rum de-s de-s

voc. sing. → deus nom. e voc. pl. → d dat. e abl. pl. → ds gen. pl. alternativo → deum

§ 13A: Vocativo

PORTUGUÊS – Você pegou as chaves do carro? → análise sintática: sujeito?: você predicado?: pegou as chaves do carro as chaves do carro?: objeto direto – Antônio, você pegou as chaves do carro? → análise sintática: sujeito?: você predicado?: pegou as chaves do carro objeto direto?: as chaves do carro e Antônio?: VOCATIVO VOCATIVO: - termo usado para chamar o ser (pessoa, animal, coisa) ao qual nos dirigimos; - refere-se sempre à 2ª pessoa do discurso (tu, você, vós, vocês); - termo independente tanto do sujeito quanto do predicado. Exemplos: – Aonde foste ontem, Maria? sujeito?: tu (oculto) predicado?: aonde foste ontem aonde?: complemento adverbial de lugar ontem?: adjunto adverbial de tempo e Maria?: VOCATIVO sujeito?: vocês predicado?: fechem a porta a porta?: objeto direto e meus camaradas?: VOCATIVO suj.?: a ordem pred.?: é a base do governo e meus amigos?: VOCATIVO

– Ô meus camaradas, fechem a porta.

– “A ordem, meus amigos, é a base do governo.” (M. de Assis)

LATIM Exemplos: – cr nn intrs? sujeito?: t (oculto) predicado?: cr nn intrs

– cr nn intrs, flia? sujeito?: t (oculto) predicado?: cr nn intrs e flia?: VOCATIVO – ego tisus nn sum, Pamphila. [1A, 15] sujeito?: ego predicado?: tisus nn sum tisus?: predicativo do sujeito e Pamphila?: VOCATIVO

–  Lar, t r et obsecr. [1A, 42]

sujeito?: ego (oculto) predicado?: t r et obsecr. e Lar?: VOCATIVO

– specttrs, ego sum Lar familiris. [1B, 1] sujeito?: ego predicado?: sum Lar familiris Lar familiris?: predicativo do sujeito e specttrs?: VOCATIVO Procedimento Explicativo: • aparecimento de uma nova função sintática: VOCATIVO • funções sintáticas já vistas e seus casos correspondentes: - sujeito → nominativo [seruus appropinquat.] - predicativo do sujeito → nominativo [seruus est tisus.] - objeto direto → acusativo [senex coquum timet.] - adjunto adnominal restritivo → genitivo [serua Dmaenet clmat.] • e a função sintática VOCATIVO, é desempenhada por que caso? → CASO VOCATIVO • declinar flia (s.), Pamphila (s.), Lar (s.) e specttr (s. / p.) nom. acus. gen. dat. abl. filia filiam filiae filiae fili Pamphila Pamphilam Pamphilae Pamphilae Pamphil Lar Larem Laris Lari Lare spectator spectatorem spectatoris spectatori spectatore spectatores spectatores spectatorum spectatoribus spectatoribus

• identificar a que declinação pertence cada uma das palavras acima: filia → 1ª Pamphila → 1ª Lar → 3ª spectator → 3ª • observar os vocativos dos exemplos em Latim dados acima e fazer notar a identidade de forma entre caso vocativo e caso nominativo, deduzindo daí a seguinte regra: vocativo = nominativo • usar substantivos masculinos de 2ª decl. segundo a regra acima deduzida. Exercício: - cr aulam ports, __________? (Dmaenetus) [1B, 14-15] - cr clmtis, __________? (Dauus et Pamphila) [1A, 18] - nn cred, __________. (Dmaenetus) [1B, 19] - quid habs,  __________? (Lar) [1B, 27] • - comparar respostas dadas pelos alunos com as passagens do texto; - fazer notar o desvio em relação à regra antes formulada; - identificar declinação e gênero a que pertencem as palavras que se desviam daquela regra; - reformular regra: vocativo = nominativo, exceto para subst. masc. 2ª decl. no singular; - mostrar paradigma dos substantivos masculinos de 2ª declinação (p. 14). • exercício para aplicação da regra reformulada: - cr aurum cls, __________? (Dmaenetus/Marcus) - __________, dominus t uocat. (Dauus/Brutus) - cr nn intrs, __________? (flius/Tullius)

• ler tópico gramatical §13A (p. 22) e corrigir resposta da última frase, completando a regra do vocativo.