You are on page 1of 170

Obras publicadas na Colecção "leffrey Archer": 1 - Unta Questão de Honra ?

-Nern Um Tostão a Mais, Nent Unt Tostão et Merms 3 -A Filha Pnídiga 4 - Unta Aljava Cheia de Setas 5 -Primeiro entre iguais 6 -Só entre Amigos 7 - 0 Voo do Corvo 8 -Honra entre Ladrões 9 -Erro Judicial lo -O Quarto Poder 0 DÉCIMO PRIMEIRO 11 -011.°Mandamenta 12 -Quem Coara Um Conta,. MANDAMENTO JEFFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO PUBLICAÇÕES EUROPA-AMÉRICA Título original: Tfiz Eleven Commandment Tradução de M.' Isabel Sequeira Tradução portuguesa 0 de P. E. A. Capa: estúdios P. E. A. 0 Jeffrey Archer, 1998 Published by arrangement with HarperCollins Publishers Lt d. Direitos reservados por Publicações Europa-América, Lda. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida por qualquer form a ou por qualquer processo, electrónico, mecânico ou fotográfico, incluindo fotocópia, xerocópia ou gravação, sem autorização prévia e escritadoeditor. Exceptua-senaturalmente a t ranscrìçãode pequenos textos ou passágens para apresentação ou crítica do Livro. Esta excepção não deve de modo nenhum ser interpretada como sendo extensivaà t ranscrição de textos em recolhas antológicas ou similares donde resulte prejuízo para o interesse pela obra. Os transgressores são passíveis de procedimentojudicial Editor: Francisco Lyon de Castro PUBLICAÇãES EUROPA-AMÉR[CA, LDA. Apartada 8 2726-901 MEM MARTINS PORTUGAL secretariado@europa~america.pt Edição n.°: 14901117529 i Dezembro de 2000 i Execução técnica: Gráfica Europam, Lda., Mira-Sintra-Mem Martins Para Neil e Moni que. Ikpósit° I°pal a": I i13d71U11 j Pág. Agradecimentos ................................................................. .. 11 Livro I 0 Jogador de Equipa ...................................... ... 13 Livro II 0 Solitário....................................................... ... 105 Livro III 0 Assassino Contratado ................................. .... 197 Livro IV Os Viuos e os Mortos........................................... 285 AGRADECIMENTOS Os meus agradecimentos pela ajuda na investigação para este livro vão para: William Webster, ex-director da CIA e do FBI. RichardThornburgh, ex-procurador-g eral dos Estados Unidos. Samuel Berger, conselheiro americano para a Segurança Nac ional. Patrick Sullivan, Serviço Secreto dos Estados Unidos, Washington. Agenteespecial J. Patrick Durkin, Serviço Secreto Diplomático dos Estados Unidos. MelanneVerveer,drefe de Gabinete de HillaryRodham Clinton. John Kent Cooke Jr., proprietário dos Washington Redskins. Robert Peterson, superintendente, Galeria da Imprensa do Senado dos Estados Unidos. ferry Gallegos, superintendente da Galeria da Imprensa da Câmara dos Representante s. King Davis, chefe da Polícia, Sierra A-ladre, Califórnia. Mikhail Piotrovsky, direct or do Museu Hermitage e do Palácio de Inverno, em Sampetersburgo. Dr ~ Galina Andreeva, directora do Departamento de Pinturas dosSéculosXVIIIeXIY,Ga leriaTretyakov,emMoscovo. Aleksandr Novoselov, assistente do embaixador, Embaixa da da Federação Russa, Washington, D. C.

Andrei Titov. Três membros da mafia russa que não permitiram que o seu nome fosse reférido. Malcolm Van de Riet e Timothy Rohrbaug, Nicole Radner, Robert Van Hoek, Phil Hoc hberg, David taries, Judy Lowe e Philip Verveer, Nancy Henrietta, Lewis K. Loss, Darrell Green, John Komlos, Natacha Maximova, John Wood e Chris Ellis. E em particular: Janet Brown, Comissão de Debates Presidenciais, e Michael Brewer do Brewer Consult ing Group. L1vR0 I 0 Jogador de Equipa Quando ele abriu a porta, o alarme começou a tocar. 0 tipo de erro que se esperaria de um amador, o que era surpreendente,poisConnor Fitzgeralderaconsideradopelosseus pares o profissional dos profissionais. Fitzgerald tinha calculado que a Polícia local levaria alguns minutos a reagir a u m assalto no bairro de San Victorina. Faltavam ainda algumas horas para o início do jogo anual contraoBrasil,masmetadedosaparelhosdetelevisãodaColômbia já deviam estar ligados. Se Fitzgerald tivesse assaltado a loja de penhores depois do início do jogo, a Polícia provavelmente só agiria depois do apito foral do árbitro. Era sabid o que os delinquentes locais consideravam o jogo um período de liberdade condicion al de noventa minutos. Mas os seus planos para esses noventa minutos fariam a Polícia correr atrás da sua própria sombra durante dias. E só ao fim de algumas semanas, provavelmente meses, é que alguém descobriria o verdadeiro significado do I a ssalto desse sábado à tarde. A alarme ainda estava a tocar quando Fitzgerald fechou a porta das traseiras e a travessou rapidamente opequeno armazém em direcção à parte da frente loja. Ele ignorou as filas de relógios nos seus pequenos suportes, as esmeraldas nos seus saquinhos de celofane e os objectos de ouro de todos os tamanhos e formas expostos atrás de uma fina rede. Estavam todos cuidadosamente marcados com um nome e uma data, de modo que os seus proprietários empobrecidos pudessem voltar dentro de seis mese s para resgatar a herança da família. Poucos o faziam. Fitzgerald afastou a cortina de contas que dividia o armazém da loja e parou atrás d o balcão. Os seus olhos pousaram numa velha mala de cabedal colocada em cima de um pedestal, ao centro da montra. Gravadas na tampa, em letras douradas sumid as, JGFFRF,Y r1RCF11:R estavam as iniciais "D. V. R". Ele ficou absolutamente imóvel até ter a certeza de q ue não havia ninguém a olhar para a montra. Quando Fitzgerald vendera a obra-prima feita à mão ao dono da loja algumas horas antes, ele explicara que não tinha qualquer intenção de voltar a Bogotá, pelo que a mala podia ser posta imediatamente à venda. Fitzgerald não ficou surpreendido aover que o objecto já tinha sido colocado na montra. Não havia outro igual na Colômbia. Estava prestes a saltar por cima do balcão quando um jovem passou pela montra. Fit zgerald ficou parado, mas a atenção do homem estava totalmente concentrada num pequeno rádio que levava encostado ao ouvido esquerdo. Ele prestou tanta atenção a Fit zgerald como prestaria a um manequim de alfaiate. Quando ele desapareceu de vista, Fitzgerald saltou por cima do balcão e dirigiu-se à montra. Olhou para ambos os lados da rua para verificar se havia alguém a observar a loja, mas não havia ninguém. Com um só movimento, tirou a mala de cabedal do pedestal e recuou em silêncio . Saltou por cima do balcão e voltou--se para olhar de novo pela janela, a fim de se certificar de que o roubo não fora presenciado por quaisquer olhos curio sos. Fitzgerald deu uma volta sobre si mesmo, afastou a cortina de contas para o lado e avançou em direcção à porta fechada. Verificou o relógio. 0 alarme estava a tocar há noventa e oito segundos. Entrouno beco e pôs-se à escuta. Se tivesse ouvido o som r ouco de uma sirene da Polícia, teria virado à esquerda e desaparecido no labirinto das ruas atrás da loja de penhores. Mas, à parte o alarme, estava tudo silencioso. V irou à direita e seguiu calmamente na direcção da Carrera Septima.

Quando chegou ao passeio, Connor Fitzgerald olhou de relance para a esquerda e d epois para a direita, passou por entre otrânsito reduzido e, sem olhar para trás, atravessou a rua. Desapareceu num restaurante cheio de gente, onde um grupo de a deptos ruidosos estava sentado à volta de uma televisão com um enorme ecrã. Ninguém olhou para ele. A única coisa que interessava era ver as intermináveis repetições dos três golos que a Colômbia tinha marcado no ano anterior. Sentou-se num mesa situada a um canto. Embora não conseguisse ver bem o ecrã da televisão, via p erfeitamente o outro lado da rua. Uma tabuleta velha com as palavras "J. EscosAx . MONTA DE PIEDAD, EsTA~ELECIDO 1946" baloiçava na brisa da tarde por cima da loja d e penhores. Decorreram vários minutos até que um carro da Polícia parou, a chiar, à porta da loj a. Depois de ver os dois polícias fardados en 0 DÉCIMO PRIMh7R0 MANDAMF,N'PO 15 tramo edificio, Fitzgerald levantou-se da mesa e saiu calmamente pela porta das traseiras para outra rua, para a calma tarde de sábado. Mandou parar o primeiro táxi vazio e disse com um forte sotaque sul-africano: - El Belvedere, na Praça de Bolívar, por favor. 0 motorista fez um breve sinal de assentimento com a cabeça, como se quisesse torn ar claro que não tinha qualquer vontade de se envolver numa conversa prolongada. Quando Fitzgerald se afundou no banco de trás do velho táxi amarelo, ele ligou o rádio. Fitzgerald olhou de novo para o relógio. Uma e dezassete. Estava atrasado dois minutos. 0 discurso já deveria ter começado mas, como duravam sempre mais de quarenta minutos, ele tinha tempo mais do que suficiente para levar a cabo o verdadeiro motivo por que esta va em Bogotá. Moveu-se alguns centímetros para a direita, de modo a ter a certeza de qu e o motorista conseguia vê-lo nitidamente pelo espelho retrovisor. Quando a Policia iniciasse as investigações, Fitzgerald precisava que todos os que o tinham visto nesse dia dessem mais ou menos a mesma descrição: sexo masculino, caucasiano, com cerca de cinquenta anos, um pouco mais de um metro e oitenta, ce rca de cento e cinco quilos, barba por fazer, cabelo escuro despenteado, vestido como um estrangeiro, com um sotaque estrangeiro, mas não americano. Ele tinha espe rança de que pelo menos um deles conseguisse identificar o sotaque nasal sulafrica no. Fitzgerald sempre tivera jeito para sotaques. No liceu, ele tinha regularmente p roblemas por imitar os professores. 0 rádio do táxi continuava a transmitir as opiniões de peritos sucessivos sobre oprováve l desfecho do encontro anual. Fitzgerald desligou mentalmente de uma língua que tinha pouco interesse em dominar, embora tivesse recentemente acrescentado " falta~~, afaera" e agol" ao seu reduzido vocabulário. Quando o pequenoFiat parou àporta do El Belvedere, dezassete minutos depois, Fitzg erald pagou com uma nota de dez mil pesos e saiu do táxi antes de o motorista ter oportunidade de lhe agradecer uma gorj eta tão generosa. Não que os motoristas de táxi de Bogotá sejam conhecidos pelo seu uso excessivo das palavras "mochas gradas". Fitzgerald subiu as escadas do hotel a correr, passou pelo porteiro de libré e pel as portas giratórias. No átrio, dirigiu-se directamente aos elevadores em frente do balcão da recepção. Só teve de aguardar alguns momentos até um dos quatro elevadores regressar ao rés-do-chão . Quando as portas se abriram, entrou e carregou no botão que marcava "8>~ e, imediatamente a seguir, no !6 botão "Fechar", não dando a ninguém a possibilidade de lhe fazer companhia. Quando as portas se abriram no oitavo andar, Fitzgerald seguiu ao longo do corredor alcati fado até ao quarto 807. Enfiou o cartão de plástico na ranhura e esperou que a luz verde se acendesse antes de girar a maçaneta, Assim c~ue a porta se abriu, ele colocou

JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO h?ANDAMENTO 17 ` ~<É favor não incomodar. lhes dissesse sefaltavaalgumacoisa.) . vinte e quatro minutos para as duas.A multidão voltou a aplaudir. da T. Fitzgerald sabia que Guzman faria 50 anos em Abril mas. Os conselheiros de Ricardo Guzman tinham-lhe dito repetidas vezes que fazer um discurso no dia o jogo de futebol era uma perda de tempo. Herrera estaria sentado no camarote VIP. unas ele sabia que a sua entrada alguns minutos antes de a equipa da casa entrarem campo desviaria a atenção da multidão de Antonio Herrera. e sugerir-lhe-iam qu e.. Afinal de con tas. 0 futebol enchia Guzman de tédio. calculando que milhões de espectadores de televi são estariam a andar de canal em canal à procura do futebol e vê-lo-iam no ecrã. Ele não passa de um boneco de ventríloquo. calculou Fitzgerald. Uma hora mais tarde apenas.Como é que os americanos se atrevem a pensar que nós faremos sempre o que lhes con . tendo concluído que se tratara de um falso alarme.. Fitzgerald calculou que faltavam cerca de seis minutos para o fim do discurso. RicardoGuzman. em bares meio vazios. e o seu principal rival nas eleições.~~ (N. Quanto tempo levaria ele a descobrir a única outra coisa que faltav a? Um dia? Uma semana? Um mês? Fitzgerald já decidira que teria de deixar alguma pista para ajudar a acelerar o processo.Fitzgerald teria voltado a colocar a velha mala de cabedal na montra. n esta altura.ofavoritonaseleiçõespresidenciaisseguintes. Ele tirou a mala de cabedal de cima da cama e colocou-a no colo.A primeira acção que levarei a cabo como vosso presidente será nacionalizar todas as empresas em que os americanos sejam accionistas maioritários. Na segunda-feira. os únicos artigos cujo roubo Escobar comunicaula seriam alguns pequenos embrulhos de esmeraldas não cortadas que a policia teria levado antes de sair. incluindo a sua idade. Masmuitoantesdisso. os mesmos indivíduos ficariam surpreendidos ao vé-lo entrar num estádio cheio.c omocabelopretofartoesemproblemas com o peso. até mesmo num terminal rodoviár io em que o candidato discursara aos cidadãos locais da parte de trás de um autocarr o.o cartão "Fnvox ~E rro MoLesTnx" na maçaneta exterior. mesmo que fosse só por um momento. E le já ouvira as palavras de Guzman pelo menos uma dúzia de vezes: em salas apinhadas de gente. era o chefe do cau~tel de Cali. Fitzgerald não tinha encontrado esta informação em qualquer dos três jornais nacionais da Colômbia. Carregou no botão On e sentou-se no sofá em frente à televisão. com ummetroeoitentaetrês. mas Guzmm estaria no meio da multidão. . Escobar. Antonio Herrera não é o candidato liberal . A pequena multidão que rodeava as escadas do edificio do Congresso na Praça de Bolívar gritou a sua aprovação. e eles teriam acreditado. Abriu a mala e ficou a olharpara aRemiragton 70U que estivera longe da sua vista durante apenas algumas horas. em esquinas de ruas.. poucos colombianos estão à espera que os políticos lhes digam a verdade sobre qualquer assunto. . Fitzgeralddespiuocasaco.silvou Guzman-mas sim o candidato dos americanos. a Polícia já tivesse saído da loja de penhores.pendurou-onacadeiramaispróxima e pegou no comando que esta va em cima de uma mesa ao lado da cama. Ninguém sabia quantas mortes ocorridas em Manhattan eram causadas directamente pelas acções do grupo. Cinco minutos. que controlava 80% do tráfego de cocaína em Nova Iorque e fazia mais de um bilião de dólares por ano. Olhou de novo para o relógio. . todas as suas palavras são escolhidas pelo homem sentado na Sala Oval. A imagem que ele desejava projectar era a de um homem do povo. ele poderia ter dito à multidão de admiradores que ainda não fizera quarenta. Calculou que. 0 rosto de Ricardo Guzman encheu o ecrã. quando regressasse à cidade na segunda-feira. o vice-preside nte colombiano. atrás de uma das balizas. informando-o de que parecia estar tudo em ordem. mas ele tinha-os ignorado. Eles telefonariam ao Sr. fechou a porta e trancou-a. para a sua casa de campo. talvez porque a maio r parte das fontes noticiosas da imprensa eram controladas por Guzman.

..Viua la Colombia.vém? .murmurou Fitzgerald. Fitzgerald puxou para trás a cortina de renda que obscurecia a visão do mundo exterior e olhou para o outro lado da Praça de Bolívar. venceremos a inflação. colocados estrategicamente no meio da multidão. .7 18 JEPFRF.. Dentro de um ano. fechou a coronha. afinal. olhando para o ecrã e imitando o sorriso d o candidato. .Deus não é americano! . e não a ler as notícias sobre elas na imprensa do dia seguinte. não como um país do terceiro mundo mas como seus iguais. Fitzgerald expirou. ao mesmo tempo que Fitzgerald retirava a mira telescópica Leupold 10 Power do seu lugar e a introduzia nas duas pequenas ranhuras situadas no topo do cano. -Dentro de cem dias vocês verão mudanças no nosso país que Herrera nunca julgaria serem possíveis. . era assim que deveria ser: todas as partes tinham sido feitas à mão de acordo com as suas especificações exactas.. Ergueu a mira telescópica para a imagem no ecrã de televisão e alinhou a pequena fila de pontos mil até estes estarem centrados três centímetros acima do coração do candidato. Com o barulho da multidão. Abriu o cano.Quatro minutos . os cidadãos da Colômbia terão a oportunidade de fazer ouvir a sua opinião em todo o mundo! . venceremos a pobreza.. a Colômbia estará no vamente sentada à mesa de conferências. . os últim os sessenta segundos dos discursos de Guzman. A multidão bradou.vociferou Guzman..Y ARCHER 0 DÉCIMO YRIM1ì1R0 MANDAMENTO 19 .Deus não é americano.. que não desperdicemos esta oportunidade de ouro. . . U Uí'chnu l'ámciru Mundanxnm . Fitzgerald esperou pacientemente . -Um minuto-murmurou Fitzgerald.. Nunca te exponhas durante mais tempo do que o necessário. embora muitos deles não fossem mai s do que indivíduos pagos. Ele tirou uma das balas de ponta oca da sua pequena cavidade dentro da tampa da mala.. Fitzgerald encaixou lentamente a coronha da Remington 700 no ombro. dois.... Fitzgerald contou três. . . depois.Viua la Colombia. temos de ter a certeza de uma coisa. Fitzgerald retirou cuidadosamente acoronhaMcMillan defibra de vidro da mala de c abedal. . um. espalhando os pedacinhos de pap el verde por cima da multidão como se fossem papelinhos de carnaval..F altavamnoventasegundosparaGuzman chegar à sua condenação ritual do presidente Lawrence .Por isso.. terei os americanos a tratar-nos. levantou-se do sofá e pousou amaladecabedalvazia. palavra a palavra. a olhar para a multidão. no último degrau do edificio do Congresso. ...gritou Guzman.gritou Guzman.! .E simplesmente por causa do dólar todo-poderoso! A multidão aplaudiu ainda mais uvidosamente quando o candidato tirou uma nota de u m dólar do bolso e fez George Washington eun pedaços.. . depois apertou suavemente o gatilho. com um movimento firme para cima.! . Tirou o cano Hart de aço inoxidável do local onde estava poisado e enroscou-o à coronha. . -Esta será a última oportunidade de os cidadãos da Colômbia inverterem os desastrosos fracassos do passado-gritou Guzman. Ele estava prestes a desferir o seu coup degrâee. colocou a bala na câmara. -Posso garantir-vos uma coisa-prosseguiu Guzman.. . Esta dava-lh e a sensação de ser uma velha amiga. Encaixava como uma luva.. mal conseguiu ouvir o dique. Três minutos.Qualquer que seja o local do mundo onde se realizem cimeiras. onde o candidato presidencial es tava de pé. e.. Desviou a atenção da televisão e atravessou silenciosamente o quarto em direcção à janela.gritou a multidão frenética. Porque quando eu for vosso presidente.disse Fitzgerald. Fitzgerald baixou a espingarda... . Ele conseguia repetir. venceremos o desemprego.gritou Guzman. Mas. para o lado norte da praça... com a voz a subir de tom a cada palavra.. -.Daqui a duas semanas. deste modo.

. Uma vez que o funeral se realiza este fim-de-semana. Fitzgerald alinhou os pequenos pontos mil até estes estarem três centímetros acima do coração do candidato e expirou enquanto os dedos da mão direita apertavam a coronha. e acho que não vai haver muitos jornalistas interessados na morte de um JGFFREY ARCHER O DFClMO PRIMEIRO MANDAMENTO 21 2 candidato à presidência de um país que. Presidente. como se estivesse a render-se a um inimigo desconhecido.. Todos os olhos estavam postos no candidato quando este gritou as palavras "Diosguarde a la Colombia!". Pergun tou a si próprio como agiria Larry se ele próprio fosse assassinado. A imprensa pode querer interrogá-lo sobre o possível envolvimento da.disse o presidente. As mãos de Guzmanpermaneceram triunfantemente no ar durante vários segundos. antes de carregar suavemente no gatilho . um-murmurou ele baixinho. Guzman ainda sorria quando a bala de cauda em barco lhe penetrou no peito.O noss o embaixador em Bogotá pode representá-lo perfeitamente. que era agora quase um murmúrio. Parece agora certa que Antonio Herrera vai ser o próximo presidente da Colômbia. como sempre. o meu amor pelo meu país é o único motivo pelo qual o quero servir como presidente. Pela segunda vez. ele ficou absolutamente imóvel durante alguns momentos. Sr. Larry . Fragmentos de ossos. E.. A última coisa que Fitzgerald viu do candidato foi os se us braços estendidos. 0 presidente acenou com a cabeça em sinal de concordância. pensou Lawrence. nâa se pode esperar que esteja disponível cam tão pouca antecedência. 0 único problema era ter a certeza de nãa violar o décimo primeiro mandamento.. Fitzgerald encostou lentamente a coron ha daRemington ao ombro. eu gostaria de lhe dar mais pormenores sob re a nossa política actual na Colômbia. -Mais tarde. -Se tiver um momento.Devo mandar uma mensagem de condolências à mulher e à família? . Fitzgerald abriu a janela e foi recebido pelo som atroador das ma ssas a repetir todas as palavras de Guzman. -E há uma coisa sobre a qu al quero ser claro. . -.. 0 cmdidato baixou a voz. músculos e tecidos ?U voaram em todas as direcções.Eu vou dar uma conferência de imprensa sobre o Projecto-Lei de Redução das Armas Nucleares. -Não. . Desde que nomeara Lloyd chefe de Gabinete que não precisava de relógio.. . incluindo a morte.Eu acho que deve deixar iss o a cargo do secretário-adjunto para os Assuntos Inter-Americanos. a maior parte dos americanos nem . Devem ser onze horas.-Eu amo o meu país-declarou o candidato. convenhamos. Faltavam trinta segundos para o discurso chegar ao fim. dois. caiu ao chão como uma marioneta sem fio. 0 presidente estava prestes a interrompê-lo quando bateram à porta e Andy Lloyd entr ou na sala. Sr.Vai representar-me no funeral? Ou devo mandar o vice-presidente? -0 meu conselho é que nenlmm de nós deve ir-respondeu o secretário de Estado. tal como faziam no fim de todos os discursos.. abriu a coronhaefechou rapidamente a janela. Fitzgerald baixou a arma. Biológicas Químicas e Convencionai s. -Três. Presidente-respondeu o secretário de Estado. Um se gundo depois. A sua mis são estava cumprida. por isso será ele a pessoa com quem terá de lidar.perguntou Tom Lawrenc e. 0 barulho tornou-se ensurdecedor quando ele levantou os dois braços no ar para agradecer o rugido dos seus apoiastes que gritavam "Diosguardeala Colombia!". Ele tinha-se habituado à at itude prosaica de Larry Harringtan a respeito de tudo.

prematuramente grisalho. . tinham maio res probabilidades de serem feitasnaconferênciadeimprensa do meio-dia.É verdade. suponho . numa altura em que as sondage ns internas indicavam que a maioria dos sulistas consideravam o Sr. 0 presidente folheou o dossier azul assinalado aI~En~aTO" que Andy lhe deixara n essa manhã.Mas quando terminar. Presidente u m nortenho fraco que estaria disposto anomearum homossexual para chefede Gabinete. .0 resto dos filhos da mãe . eles não tinham segredos um para o outro.Há alguém em particular que queres que eu evite? . -Fazes alguma ideia de quanto poderá ser? . enquanto 0 presidente buscava com o olhar a pergunta seguinte. JEF'FRE'Y ARCHER Andy acenou a cabeça em sinal de assentimento. Mas. Ele cumprimentou Lloyd com um breve aceno de cabeça e saiu da Sala Oval. Andy dizia o quepensava. .perguntou Lawrence.se achasse que era o homem certo para o cargo.Eu concordo. . an tes de voltar à lista de perguntas.Suponho que Barbara Evans irá fazer a primeira pergunta. Presidente. -É provável que o fize sse-disse Lawrence. às vezes eu penso que ainda vivemos no Oeste Selvagem.respondeu Lloyd. e quase 30°h esperam que declaremos guerra à Rússia durante a sua vida.Larry conseguiu dar-nos a Texas. -Pela maneira como alguns membros do Congresso reagiram a esta Proposta de Lei. Sr. Começou a estudar as perguntas que. levantando os olhos. parando de novo quando chegou à décima nona. Ele desconfiava que o seu chefe de Gabinete tinha passada a maior part e da noite a pregará-lo. Mas assim que Andy Lloyd entrava na sala. por conseguinte. Presidente.Porquê Ansach? .Ele apoiou a Proposta de Lei em todas as fases e é um dos seus convidados para o jantar desta noite. Esta cativante qualidade garantia que ele nunca poderia ter esperança de ser eleito para nada e. . 40% dos americanos ainda consider am a Rússia a nossa maior ameaça. Harrington não respondeu. Lawrence praguejou e passou uma mão pelo cabelo farto. Presidente venceu Gore em Hampshi re.Não.Durante quanto tempo mais me vão fazer perguntas sobre o facto de eu ter queimad o o meu cartão de recrutamento? . segundo Andy. Sr. .respondeu Andy. Quantos americanos perderão os seus empregos em resultado disso? Lawrence olhou para cima. com os olhos fixos n a porta fechada. .sequer consegue localizar no mapa. Parou no número sete.disse Lloyd com um sorriso. 0 presidente sorriu e acenoucom acabeça enquanto continuava a percorrer com o dedo a lista das perguntas previstas. Harrington sabia que só a declaração de uma guerra mundial lhe daria prioridade. nunca seria seu rival. ela não está exactamente em posição de se queixar. Uma das razões por que Tom Lawrence oferecera ao seu velho amigo dos tempos da uni versidade o cargo de chefe de Gabinete da Casa Branca era que. agora que está pronto para avançar com essa proposta.Por que é que eu nomeei aquele homem? . Sr. como de costume-disse L awrence. Este rrão é outro exemplo de a América sair derrotada? Ele ergueu os olhos para o chef e de Gabinete. Quanto dos impostos dos contribuintes espera poupar com esta medida? . Pensou que não lhe competia a ele fazer notar aa presidente que a maior parte dos americanos ta mbém continuava a não conseguir localizar o Vietname no mapa. d irija-se a Phil Ansanch. Presidente . . ao fim de trinta anos. -. Mas isso não evitará necessariamente que ela faça uma pergunta inconvenient e.Mas como ela anda a insistir numa Propo sta de Lei de Redução do Armamento desde que o Sr.Enquanto for comandante-chefe. como sabe. sem qualq uer sugestão de astúcia ou maldade. .

pois a maior parte do Exército russonãorecebeovencimentohám eses. Ele acabou de exigir que reduza as despesas com a defesa em mais de 50°l°. . Parou na vigésima nona.Setenta e dois senadores e duzentos e onze membros da Câmara dos Representantesrespondeu Lloyd. eu sei. Mas isso não o impede de apa recer em todas as estações de televisão de Bóston a Los Angeles a afirmar que uma redução de 50% nas despesas com a Defesa resolveria. . . .Mesmo assim. a sua posição contra o crime organizado está a fazer mossa na lide rança destes. dizendo que enquantoforcomandante-chefe. 0 presidente olhou para o relógio antes de virar a segunda página. suspirou profundamente. olhando para Lloyd. etecetera.Até mesmo os americanos para aAcção Democrática se manifestariam contra isso.Quando eu ainda andava na escola em Wisconsin. mas pensar que não foi sufi cientemente longe. . ele pode estar a favor do Projecto-Lei. Provavelmente. Como pode ter esperança de que esta lei seja aprovada. se os democratas não têm a maio ria em nenhuma das Câmaras? . .Eu sei. .E como é que ele espera que eu faça isso? . . Se parecesse que o fascist a Zerimski tinha a mínima probabilidade de ser o próximo presidente da Rússia. e desconfio que até o senador o sabe. Lloyd acenou com a cabeça em sinal de concordância enquanto Lawrence virava a página. de um dia para o outro. um Projecto-Lel de Redução do Armamento não passaria em nenhuma das Câmaras.Como é que eu respondo? . embora ainda esteja muito atrás do primeiro-ministro Chernopov e do general Borodin. . . Ergueu de novo os olhos. .osEstadosUn idosnuncabaixarão as suas defesas. etecetera. seguidamente.Certamente que não há qualquer probabilidade de Victor Zerimski ser o próximo presid ente da Rússia? -É provável que não haja-disse Andy-mas ele subiu para o terceiro lugar nas últimas sond agens e.Retirando a América da NATO e permitindo que a Europa seja responsável pela sua próp ria defesa.Elogiando-o profusamente pela sua incansável e distinta defesa dos interesses do s idosos.Ele não tem outra hipótese senão apoiar-nos. os problemas da saúde e das reformas da América. -Para garantir uma maioria em ambas as Câmaras. Des ta forma. sem precisar de consultar o seu dossier fechado.Mas isso é totalmente irrealista . já Frank Bedell exigia uma lei ab rangente de Redução do Armamento . E isso partindo do princípio que podemos contar com o voto do senador Bedell. -Quem me dera que Bedell passassetanto tempo apreocupar-se com a defesa do nosso povo como se preocupa com a sua saúde .disse Lawrence.0 presidente balbuciou qualquer coisa em voz baixa e avançou para a pergunta segui nte. devemos continuar a ter o votó do Bedell e talvez até ganhar também um ou dois dos "falcões" .Felizmente que ainda faltam dois anos para as eleições. porque a maior parte dos russos acredita que Chernopo v é financiado pela mafia russa.disse o presidente.perguntou ele.E o general? . Mas.Aimprensatemnoticiado 0 DÉCIMO PRIM67R0 MANDAMENTO que os soldados estão a vender os seus uniformes aos turistas nas ruas. Quando chegou à tri gésima primeira pergunta. .Ele está a perder terreno. . A sua principal prioridade será sempre garantir 2d JEFFREY ARCHER 0 UÉCIMO FRIMh7R0 MANUAMLìNZO 25 3 que a América continue a ser a nação mais poderosa da terra.disse Lawrence.Quantos membros do Congresso têm fábricas de fabrico de armas e bases nos seus círcu los eleitorais? . terá de convencer pelo menos 60% deles a apoiarem-n o. 0 seu dedo continuou a percorrer as perguntas.

recordo-me. quem me dera governar uma nação que não tivesse eleições de dois em dois anos e não fo sse perseguida por um corpo de imprensa que está convencido de que faria um trabalho melhor do que o governo democraticamente eleito.0 meu palpite é que. Será que o dono da loja de penhores iria reparar que uma das balas tinha sido usada? Do outro lado da praça. para o ecrã da televisão e viu a policia local a chegar à praça. .É possível que tenha razão . tirou uma caixa de fósforos dum cimeiro colocado em cima da televisão.Muito bem. A alegria ruidosa transformara-se em pânico cego. Carregou várias vezes no pequeno botão branco na parede. . emtodo o país.Sim. A multidão estava a fugir da praça em todas a direcções. Fitzgerald retirou o cartucho usado e voltou a colocá-lo no lugar. levando na mão um tabuleiro cheio com um almoço.Oh. Olhou. um pelotão de polícias fardados estaria provavelmente à espera dele ao fundo da frágil e scada de ferro. Então desatarrax ou o cano. mas sabia que se tivesse de recorrer ao seu plano de emergência. . o uivo inconfundível de uma sirene da Polícia ergueu-se acima do barulho dos gritos da multidão. se Chernopov prometesse aoseleitores russos quetencionava ser o primeiro presidente a gastar mais dinheiro com a saúde do que com a defesa. proporcionando-lhe uma fuga para a glória enquanto as balas lhepassavam junto das orelhas. da T. os americanos preocupados com esta questão estão a tornar claro aos seus representante s eleitos que esta lei tardava há muito e que não é mais do que senso comum. Mas o hóspede já tinha carregado no botão assinalado "PhA1vT n BAJA". Andy. depois avançou rapidamente na direcção do monta-cargas. pela última vez. Ele obviamente tinha tido pouca sorte e não tivera a tarde de f olga para ver a partida. Minutos antes de sair para ir à loja de penhores.disse Lawrence. Andy. Para a Lei de Cumprimento das Drogas. e as portas já 26 JEFFREY ARCHER . Desta vez. 0 empregado não conseguiu disfarçar a sua surpresa ao ver um hóspede à porta do monta-ca rgas. ele venceria facilmente as eleições. acertando em tudo menos nele. -Até mesmo os russos estão a ter que chegar a um acordo com o fenómeno do corpo de imp rensa . Fitzgerald viu-se frente a fren te com um jovem empregado de mesa de casaco vermelho. verificand o a última pergunta. Andy Lloyd permaneceu em silêncio. Atravessou rapidamente o quarto e olhou para a televisão.. Fitzgerald retirou o visor e colocou-o na sua cavidade esculpida. (N. pô-lo no seu lugar e. Sr. se 7 erimski fosse eleito. Lawrence soltou outro suspiro profundo antes de dizer: .No.. a reacção tinha sido muito mais rápida.tentou ele explicar quando Fitzgerald pa ssou rapidamente por ele. -Disso não há dúvida-disse o presidente. ele começaria a reconstruir o arsenal nuclear da Rússia muito antes de pensar em construir novos hospitais.disse Lloyd. ` Nos EUA chamam-se falcões aos políticas que defendem uma política externa agressiva e belicosa.) Fitzgerald sabia que os vinte minutos seguintes decidiriam o seu destino. .. dentro da mala de cabedal. P egou na mala de cabedal. sensr. voltou a colocar a coronha. Este era o mundo real. depois atravessou a sala e abriu a porta. no puede entrar . Dois dos conselheiros de Ricardo Guzman estavam inclinados sobre o seu corpo. por fim. Quando as pesadas portas do elevador se abriram. perdone. recordas-te? . . Qual é a resposta para esta? -Explica-lhes que.Quem é que havia de imaginar que ainda veríamos isso? .disse Lloyd. com as hélices a girar. E o povo americano apoiou-o incondicionalment e. ele tinha aberto a janela que conduzia à s aída de emergência.Mas também pode ter a certeza de que. Presidente. -Mas como não existe qualquer probabilidade de esse maníaco ser eleito. Olhou para ambos os lados do corredor vazio. -Eu usei esse argumento na última vez. Não haveria helicópteros tipoRambo.

embora tivesse estado parado nos últimostrês dias. afastando a cortina de cont as para trás. Mas desta vez ele não estava preocupado com a possibilidade de um cano-patrulha aparecer rapidamente . Mesmo se o mandassem parar para verificar os seus documentos. o jogo estava prestes a começar. teriam vis to que tinha tudo em ordem. Correu ao longo do corredor pouco iluminado . Tirouuma segunda chave mais pequena do bolsodascalças. A mala no banco de trás não revelaria nada de invulgar para um homem de negócios que estava de visita à Colômbia. que ligação poderia haver entre um alarme a tocar numa loja de penhores no bairro de San Victorina e o assassinato de um candidato à presidência na Praça de Bolívar? Quando chegou à auto-estrada. O motor começou imediatamente a funcionar. A policia estava a abrir um automóvel estacionado e nem sequer olhou na sua direcção. já ele tinha chegado ao fundo da cozinha. Tirou a velha mala de cabedal debaixo do assento do passageiro do lado e deixou o cano aberto. Afin al de contas. Fitzgerald moveu-se agilmente entre as mesas de aço inox idável cobertas com filas sucessivas de hors d'oeuures à espera de serem pedidas. voltando muitas vezes atrás. ao longo de uma rua secundária. abriu aporta do aut omóvel. nunca exce dendo o limite de velocidade. a caminho da cidade. Tirou uma chave grande do bolso do casaco e fechou a porta atrás de si à chave. e garrafas de champanhe que seriam abertas apenas se a equipa da casa ganhasse. Voltou à esquerda e afastou-se lentame nte da Praça de Bolívar. Diri giu-se directamente a um pequeno Uolkswagen preto. Tencio nava estar de novo atrás do volante menos de dois minutos depois. Vários canos da Polícia passaram velozmente por ele. Fitzgerald conduziu calmamente o veículo por entre as filas de canos estacionados e subiu a rampa íngreme que ia dar à rua. Ninguém manifestou o menor interesse nele.ele tinha retirado a maior parte das lâmpadas na noite anterior-até uma pesada porta que ia dar ao parq ue de estacionamento subterrâneo do hotel. quanto tempo demoraria e le a descobrir que uma das balas magnum de cauda em barco tinha sido disparada? E. Fitzgerald manteve-se na faixa principal. Foi então que ouviu o uivo atrás de si.quernoestádio. mesmo então. Vinte minutos mais tarde. De qualquer modo. Quando Escobarregressasse à loja na segunda-feira de manhã. onde o jogo deveria começar daí a trinta minutos. quer a prender todos aqueles que a inda estivessem a menos de quilómetro e meio da Praça de Bolívar. Verificou se estava alguém a passar antes de repor a velha mala de cabedal n o seu lugar original na montra.O DÉC7M0 PRIMEIRO MANDAME'Nl'0 27 se tinham fechado muito antes de o jovem lhe dizer que aquele elevador ia dar à co zinha. Canegouno acelerador durante alguns segundos antes de meter a primeira. e começou um longo e tor tuoso caminho até à loja de penhores. Fitzgerald fechou a porta das traseiras da casa de penhores. Ain da conseguia ouvir o som metálico do alarme quando chegou à avenida principal e começou a seguir as placas para o Aeroporto EI Dorada. parou atrás do balcão. Virou na primeira à esquerda.a maiorpartedapoliciaestariaplenamenteocupada. entrou numa ruela e estacionou atrás de um camião. Quando chegou ao rés-do-chão. atravessado as portas de vaivém e desaparec ido de vista. sentou-se atrás do volante e ligou a ignição. Não havia ninguém à vista. Olhou pelo espelho retrovisor e viu dois bat edores a aproximarem-se com as luzes giratórias acesas. Fitzgerald encostou o cano à berma enquanto os batedores e a ambulância que transportava o corpo sem vida de Guzman passavam velozmente por ele. estacionado no canto mais escuro. Mais uma vez. o alarme começou a tocar quando Fitzgerald entrou na loja. Verificou rapidamente ambos os lados da ruela. dar-se-ia ele ao trabalho de informar a Polícia? Fitzgerald estava atrás do volante do Uolkswagen em menos de noventa segundos. Muito antes de qualquer dos empregados vestidos de branco pensar em protestar. Pela segunda vez ne sse dia atravessou rapidamente o escritório recuado e. para tentar vender equipame .

como se fosse um cirurgião a preparar-se para uma operação. Dirigiu-sedirect amente ao quarto 347. Enquanto esperava. Demo rou algum tempo até a água estar suficientemente quente para colocar a tampa no lavatório. Olhou para o relógio. depois voltou ao quarto e vestiuumas boxerslimpas. Fitzgerald rasgou o envelope castanho e verificou rapidamente o seu conteúdo. gravata às riscas. e foi necessário esfregar o cabelo várias vezes com champô debaixo do chuveiro quente para ele readquirir o ondulado e a cor castanha naturais. Despiu o casaco e atirou-o para cima da única cadeira do quarto. Os assassinos em fuga não viajam em primeira classe. Fitzgerald empurrou as portas giratórias e entrou atrás de um zs . deixando a roupa velha espalhada pelo chão e um cartão "Fnvox DF rro MotESTnx~> na porta. Outr o passaporte noutro nome. Uma hora e dezassete minutos para a descolagem. Faltavam quarenta e três minutos para a descolagem.nto para minas. de onde retirou outro cartão de plástico que abriu outro quart o. Cinco minutos depois. Foi oúnicopassageiroasairnoterceiroandar.'Y AR('HI R 0 DÉCIMO PRIMF. Saiu do elevador eatrave ssouoátrio. Fitzgerald deixou a auto-estrada quando chegou à saída para o aeroporto.nãofazendoqualquertentativaparainformar a recepção de que estava de partida. nunca tinha encomendado nada ao serviço de quartos.gMENTO 29 grupo de homens de negócios japoneses. certificando-se de que o carimbos ul-africanoainda estavareconhecível. depois abriu a ma la e retirou um saco de toilette antes de desaparecer para a casa de banho. Tinha a certeza de que nada estava a cumprir horários nesse dia. Fitzgerald levou vinte minutos a fazer desaparecer todos os vestígios da barba de uma semana. Embora não ocupasse o quarto há vários dias. casaco desportivo e calças de flanela cinzentas. Não haveria quaisquer de spesas extra na conta deste hóspede. pagara o quarto adiantado. continuando junto destes enquanto eram cond uzidos a um elevador com a porta aberta.IEFFRF. Atirou a mala para cima da cama e olhou para o relógio. deixando as chaves na ignição. Dirigiu-se à porta da frente do hotel e depositou os restos do passaporte de Dirk van Rensber g e uma chave grande. Quinhentos dólares em natas usadas e um bilhete de prime ira classe para a Cidade do Cabo. deixou cair os restos do passaporte ao chão e apagou as chamas com os pés. Abriu o porta-luvas e retirou de lá um passaporte cheio de carimbos. depois esfregou cadadosamente as mãos. Não estava nada preocupado com a possibilidade de perder o voo 63 da A eroperu para Lima. abriu a porta do cano. Após meio qui lómetro virou subitamente à direita e entrou no parque de estacionamento do Hotel San Sebastian. dirigiu-selentamente para n balcão do che ck-in. Fitzgerald apanhou o elevador dos hóspedes para o rés-do-chão. Com a caixa d e fósforos que tirara do El Belvedere. reservado noutro nome. Quando estava quase a queimar os dedos. pesada. Dirigiu-se à cómoda situada no outro extremo do quarto. abriu a terceira gaveta e tacteou debaixo dela até encontrar o embrulho preso à gaveta superior com fita-cola. deitou fogo a Dirk van Rensberg. Só teve de esperar alguns minutos até o autocarro de serviço do aeroporto surgir junto da entrada. Quando chegara. no caixote do lixo ao fundo das escadas.IRO MANI).Colocouosfósforos no assento do passageiro do lado. saiu do quarto 347. Fitzgerald secou-se o melhor que pôde com a fina toalha do hotel. oito dias antes. Tinha deixa do o minibar fechado à chave. Quando o autocarro o deixouno aeroporto. cortou as unhas. tirou a mala do banco de trás e fechou a porta com força. nem vira filmes pagos. não fizera chamadas para o exterior. confiante de que ninguém olharia duas vezes para um homem de 51 anos com uma camisa de ganga. estava confiante de que nü~guém teria encontrado 0 seu esconderijo. onde não ficou surpreendido ao saber que o voo para Lima estaria atrasado .

Quando as rodas finalmente se ergue ram do chão. obrigado. . A hospedeira apareceu de novo ao seu lado.mais de uma hora.Fala-vos o vosso comandante. Havia uma longa fila de aviôes à espera para descolar à frente deles.acrescentou ele. Douglas? . num tom descontraído . Lawrence subiu o degrau até ao pódio e colocou o dossier azul de Andy Lloyd em cima do atril.Fitzgerald endireitou-ae na cadeira. Quando Tom Lawrence entrou na sala cheia. Era o terceiro nesse dia. Abrandou o passo quando viu dois homens de mochila às costas a serem arrastados pe lo pessoal de segurança do aeroporto. pôs de parte a 30 revista. . . Quando o avião atingiu a altitude de cruzeiro.que vou enviar ao Congresso uma propostade lei que prometi ao povo americano durante a campanha eleitoral. . Fitzgerald agarrou ligeiramente o braço da cadeira e concentrouse para respirar re gularmente. reclinou-se na cadeira e fingiu lerarevistadebordoen quantooaviãoiniciavaasualentamarcha ao longo da acidentada pista. embora o tivessem abordado e interrogado várias vezes. foi eventualmente autorizado a p rosseguir para a Porta 47. . o corpo de imprensa pôs-se de pé. fechou os olhos e começou a pensar no que precisaria de ser feito quando aterrasse na Cidade do Cabo. pela primeira vez nesse dia. .Meus amigos . dentro do pequeno cubículo. . sempre vou bebe r a taça de champanhe. Apertou o cinto de segurança. -A nossa equipa nacional foi derrotada pelo Brasil. Vários polícias na caótica e apinhada sala das partidas estavam a observar desconfiadamente todos os passageiros e.Tenho uma notícia que se i que vos causará bastante tristeza. Após outra demora. como se tivesse sido preferível chocar contra a montanha mais próxima. indicandolhes que se podiam sentar. Um gemido audível atravessou a cabina. e a sua mala tivesse sido revistada duas vezes.Obrigado .Não.0 presidente dos Estados Unidos . Fitzgerald permitiu que um ligeiro sorriso lhe aflorasse aos lábios. .Lamento informar-vos que ocorreu hoje uma tragédia nacional na Colômbia. Acenou aos jornalistas com um gesto que já lhes era familiar. um engenheiro civil de Chri stchurch.Fez uma pausa.A Colômbia sofreu hoje uma terrível perda. posso preparar-lhe uma bebida. para o caso de haver entre eles um visitante extraterrestre. Fitzgerald começou a descontrair-se. Sr.anunciou o secretário de Imprensa. abriu o passaporte da Nova Zelândia e examinou cuidadosamente a fotografia no interior. Quando Fitzgerald chegou à fila do controlo de passaportes. 0 funcionário de farda azul. Um copo de água sem gás seria óptimo . Devolveuopassaporte e permitiu que Alistair Douglas.Posso oferecer-lhe uma taça de champanhe? Fitzgerald abanou a cabeça.Acho que.disse uma voz melancólica. . ensaiando o seu sotaque neozelandês. . Uma hospedeira acompanhou o Sr. Douglas ao seu lugar na se cção da primeira classe. afinal de contas. -Tenho o grande prazer de anunciar-começou o presidente. pelo que Fitzgerald teve tempo s uficiente para escolher os pratos que iria comer e o filme que iria ver antes de o 727 começar a acelerar para a descolagem. o voo foi finalmente anunciado. repetiu o seu novo nom e em voz baixa. tendo perdido por 2a1. A única eventualidade com que não contara era um regresso inesperado a Bogotá. . a qual tinha uma inegável semelhança com ohomem elegantementevestido à auafrente.anunciou ele num tom de pesar. -Agora que já estamos a caminho.respondeu Fitzgerald. 0 comandante hesitou por um momento. Pergmitou casualmente a si próprio quantos caucasianos inocentes do sexo masculino e com a barba por fazer passariam a noit e a ser interrogados por causa dos seus actos dessa tarde. se dirigisse calmamente à sala das partidas. .

que já pedi ao vice-presidente qu e me represente no funeral que. Esta administração nunca. e sinto-me orgulhoso de ser o presidente que a levará ao Congresso. Ricardo Guzman. interferiria no processo democrático dum Estado soberano. -Barbara-disse ele. em circunstância alguma. enquanto for presidente. Peter Dowd.Lawrence levantou os olhos e sorriu esperançosamente. . Biológicas. Em qualquer caso. . sem hesitar. doutro modo. desejando não se ter recusado a ouvir as informações mais pormenorizadas que Larry Harrington pretendera dar-lhe. Isto não impediu o presidente de lhes lembrar que a aprovação duma Lei de Redução do Armam ento permitir-lhe-ia libertar mais verbas para os cuidados de saúde a longo prazo. ele não teria sido capaz de se lembrar dele. . De facto. -Talvez tenhas também interesse em saber. Mas quando o homem lèz a sua pergunta. Lawrence respondeu a várias perguntas sobre a Proposta de Lei da Redução das Armas Nucleares. Quîmicas e Convencionais.FFRE}' ARCHER 0 DCCIMO PRIMEIRO MANDAMF. se houvesse uma notícia que valesse a pena publicar. segundo creio. . Lawrence olhou para as redundantestrint ae umaperguntas e respostas. apontando para a veterana jornalista de UPI que. Sr. pois a maior JF. Lawrence começou a desejar que acontecesse o contrário. Barbara. Ergueu o olhar e sorriu para um rosto familiar na fila da frente. era muito ma is provável que a mesma surgisse durante o período de perguntas e respostas. Os velhos profissionais só recorriam ao texto preparado quando precis am de preencher o espaço de alguma coluna. se realizará em Bogotá neste fim-de-s emana. ocorrido em Bogotá no sábado? Um murmúrio de interesse percorreu a sala. como decana do corpo de imprensa. o agente do Serviço Secreto que chefiava a Divisão de Protecção do President e. os comentários iniciais do presidente ser-lhes-iam entregues num comunicado de impren sa à saída da sala. ainda esta manhã dei instruções ao secretário de Estado para que telefonasse à viúva do Sr. tinha o direito de fazer a primeira pergunta. Gritos de "Sr. Barbara-respondeu ele. .N70 31 4 parte sabia que. essa questãonem sequer se coloca. Barbara Evans não pareceu convencida mas. de modo a que os americanos idosos pudessem esperar um melhor nível de vida durante a reforma. -Ainda bem que fazes essapergunta. ao mesmo tempo que Lawre nce abria o dossier azul e olhava para as trinta e uma perguntas. Lawrence sentiu-se aliviadoporBarbara Evans termencionado 33 o nome do morto porque.Obrigada. como é provável. antes de conseguir fazer uma segunda per gunta. pelo menos. mas estas eram intercaladas com pedidos de informaçâo sobre o papel actual da CIA na . satisfeito p or. o presidente voltara a sua atenção para um homem que estava de pé na última fila e que ele tinha esperança de que não tivesse qualquer interesse nas eleições presid enciais da Colômbia.Fez uma pausa antes de perguntar. antes que a imprensa se aproximasse dele. Barbara Evans pôs-se lentamente de pé. a sua declaração inicial ter corrido bem. saiu imediatamente da sala para avisar n vice-presidente.Esta é uma proposta de projecto-lei que será bem acolhida portodos os cidadãos consc ientes e solidários. -Pode confirmar que a CIA não teve qualquer envolvimento no assassinato do candidato à presidência da Colômbia. Victor Zerimski for eleito o próximo presidente da Rússia? Durante os quarenta minutos seguintes.-Porque eu quero que saibam que. Guzman e lhe transmitisse as minhas co ndolências pessoais. Presidente.Poucos dos mais antigos correspondentes da Casa Branca sentados em frente dele a notaram qualquer palavra.Qual é a probabilidade de a sua Proposta de Lei de Redução do Armamento vir a tornar -se lei se. do que se derivasse de qualquer declaração previamente preparada. Presidente!" surgiram de todas as direcções.

foi a única coisa que Helen Dexter disse. inclLlindo a Proposta de Lei de Redução do Armamento. saiu rapidamente da sala e seguiu em di recção à Sala Oval. Connor era esperado no aeropo rto pelo seu velho amigo e colega Carl Koeter.-S em mais palavras.Eu vou pedir ao secretário de Estado que vá ter consigo imediatamente. Fitzgerald. a Dexter vai estar em maus lençóis. à espera que a sua bagagem aparecesse. voltou-lhes as costas. Lloyd voltou ao seu próprio gabinete. Foi a segunda garrafa de Rustenber g Cabernet Sauvignon de 1982 que quase fez que Connor perdesse o avião para Sydney. depois carregou em mais umas teclas.Preciso de falar imediatamente com Larry Harrington e. 0 funcionário fardado digitou os dados no tec lado. Connor Fitzgerald entregou o passaporte ao funcionário da alfândega australiano. se este se tornas se o próximo presidente russo. começaram a atormentá-lo com perguntas sobre eles. -Daqui a uma hora. Depois de ter desligado. . como sempre. sorrindo aos jornalistas e dizendo: .A directora .Minhas senhoras e meus senhores.começou o chefe de Ga binete. Foi um prazer. enquanto estiver a falar com ele.. Quando aterrara na Cidade do Cabo no dia anterior. com exclusão de todos os ou tros. . telefona para Langley.E se eu descobrir que a CIA esteve envolvida nesse assassinato na Colômbia. Sr. mesmo quandonãotinhanada a declarar. Connor agradeceu-lhe e atravessou a sala de recolha de bagagens. uma pergunta amável sobre a Proposta d e Lei. Lawrence deuumaresposta longa e prolixa e. sem sequer JEFF'REY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 33 olhar para ele.América do Sul. Presidente. Sr. de u por terminada a conferência de imprensa. e sobre como ele lidaria com Victor Zerirrrski. cheirando sangue. sem qualquer aviso. verificou o ecrã do computador. Eu quero a directora da CIA no meu gabinete daqui a uma hora. escolheu apressadamente lembranças claramente assinaladas "Marfe in SouthAfrica" para levar à mulher e à filha. Sr. que talvez fosse mais sensato. Assim que Lloyd o apanhou. . Nem mesmo o seu passaporte fornecia q . fechou a porta e se ntou-se em silêncio à secretária durante alguns momentos. À medida que se tornava óbvio que Lawrence não sabia muito m ais do que eles sobre qualquer destes dois assuntos.Espero que a sua estada na Austrália seja agradável. Andy-disse o presidente. . ele estava a usar o seu nome verdadeiro. Carl tinha passado as duas horas seguintes a fazer-lhe perguntas sobre a missão antes de almoçarem demoradamente. Nem mesmo ao telefone o texano conseguiu disfarçar a sua alegria por lhe ter sido dada razão tão depressa. marcou um número de onde apenas uma pessoa atendia. finalmente. pelo que ele carimbou o visto de turista e disse : . Não apareceu nada fora do normal. Desapareceu num gabinete lateral. depois. -Eu acho. pegou no telefone mais próximo e marcou o número de Larry Harrington na Secretaria de Estado. o presidente rosnou em voz baixa: . Na loj a franca. onde se sentou em frente do tapete imóvel. Ter ia sido irónico se o documento suscitasse quaisquer dúvidas porque. Quando acabou de recapitular exactamente o que precisava de dizer. os jornalistas. Quando Phil Ansach lhe dirigiu. muito obrigado. pela primeira vez em três semanas. conversando sobre o divórci o de Carl e sobre o que Maggie e Tara faziam.. Ele nunca se perm itia a si próprio ser oprimeiro apassarpelaalfândega. Preside nte-disse Lloyd.

estudou Direito C riminal em De Paul. Nancy levara-o para trás da bancada e seduzira-o. quanto mais ao mesmo tempo . Nancy perguntou-Ihe se ele gostaria de tentar duas rap arigas ao mesmo tempo. ao abrigo da Lei do Serviço Militar. mesm o antes de ter idade para entrar na escola católica local. um rapaz. se Oscar lhe tivesse dado mais um cêntimo do que lhe c abia do seu salário semanal.respondeu-lh e ele. mas ele só perdeu a virgindade quando conheceu Nancy. já tinha dezassete nomes no interior d o cacifo. o pai de Connor. uma rapariga que viv ia duas casas mais adiante. Oscar Fitzgerald esteve entre o pequeno grupo de polícias que se recusou a receber subornos da mafia. Os seus companheiros de equipa pareciam ter muito orgulho em escrever no interior das portas dos cacifos os nomes das raparigas que tinham sucumbido aos seus encantos. Nancy não gostou muito da resposta e afastou-se dele.Tu não podes jogar futebol o resto da vida .Eu nunca sequer tive duas raparigas. Mas Oscar foi pai de cinco filhos e só desistiu quando o padre local lhe disse que era por vontade do Todo-Poderoso que ele e Mary não fossem abençoados com uma filha. no dia S de Fevereiro de 1951 e. ~ Ikcimn I'rìmairn ManUumento-? 3d Enquanto estava sentado na zona da recolha das bagagens à espera que a passadeira principiasse a funcionar.já lhe era suficientemente difícil criar cinco robustos rapazes com o salário de um sargento. tinha emig rado de Kilkenny para a América no virar do século. Brett Coleman. era que só a penetração contava: . para se juntar ao primo q ue era polícia. Connor nasceu no Hospital Chicago General. A combinação de um pai que se punha de pé sempre que uma mulher entravara sala e uma mãe que raiava a santidade tornara Connor. Mary iria querer saber com grande pormenor de onde viera esse dinheiro. Várias raparigas no Liceu de Mount Carmel tinham tornado a manifestar abertamente o que sentiam por ele. Como resultado. seria a primeira vez que ele vi a uma mulher nua. no seu último ano. mas a mãe obrigava-o a estudar até tarde. começou a pensar na vida que levara nos últimos vinte e oito anos. A mulher ficou grata com as palavras de sabedoria do padre O'Reil ly . tímido na presença do sexo oposto. o que agradou a Mary. Se ela se tivesse despido. Connor Fitzgerald tinha sido criado no seio de uma família dedicada à causa da lei e da ordem. o ponta da equipa. Em 1949. 0 pai de Connor ficou encantado quando o filh o passou a ser capitão da equipa do Liceu de Mount Carmel. e o mais novo. Quando terminou o curso entrou para o FBI. Durante a Lei Seca. casou-se com Katherine O'Keefe. tornou-se óbvio que ia ser um dotado jogador de futebol`. na South Lowe Street. ele seguiu directamente para Chicago. três dos filhos de Oscar entraram para aPolícia de Chicag o. A regra. JEFFRF. Só tiveram um filho. Pouco tempo depois de ter conduzido o Mo unt Carmel a mais uma vitória numa tarde de Outono. nunca subiu acima do pos to de sargento. Se bem que. informou Connor. Quando terminaram o liceu. Cerca de um mês mais tarde.lembrava-lhe ela constantemente. Quando Connor obteve uma Bolsa para Notre Dame. apesar dos seus dotes físicos. Lima e Buenos Aires. para se certificar de que ele terminava sempre os trabalhos de casa.Y ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 35 . assim chamado em honra de outro poeta irlandês. Outro entrou para o clero.ualquer pista sobre o facto de ter chegado à Cidade do Cabo via Bogotá. . onde obtiveramrapidamente apromoção que o seu pai merecera. a quem deram o nome de Connor. Oscar. não aproveitou nenhuma das inúmeras ofertas que são feitas a todos os membros da equipa de râguebi. No fim do primei ro semestre. 0 seu avô paterno. Horas depois de ter atracado na Ellis Island.

- As portas do cacifo não são suficientemente grandes para incluir o sexo oral. No final do seu primeiro ano, "Nancy" continuava a ser o único nome que Connor esc revera. Uma noite, depois do treino, ele verificou os outros cacifos e descobriu que o nome de Nancy aparecia em quase todos eles, ocasionalmente junto do de out ra rapariga. Se ele não fosse o melhor guarda-redes caloiro de Notre Dome da última década, o resto da equipa tê-lo-ia repreendido pelo seu pouco êxito. Foi nos primeiros dias do segundo ano de Connor que tudo mudou. Quando ele chegou à sessão semanal do Clube de Dança Irlandesa, ela estava a calçar os s apatos. Ele não conseguiu ver-lhe o rosto, mas isso não tinha muita importância, porque não conseguia tirar os olhos das elegantes pernas compridas. Como herói do fu tebol estava habituado a que as raparigas olhassem para ele, mas agora a única rapariga que ele queria impressionar nem sequer parecia ter consciência de que ele existia. Para piorar ' Futebol americano. (N. da T.) 36 a situação, quando ela entrou na pista de dança, o seu parceiro era Declan O'Casey, qu e não tinha rival como dançarino. Eles mantinham ambos as costas rigidamente direitas e os seus pés moviamse com uma leveza que Connor raramente vira. Quando a música chegou ao fim, Connor ainda não descobrira o seu nome. E, pior ainda , ela e Declan tinham saído antes de ele encontrarumaforma delheserapresentado. Desesperado, decidiu segui-los de volta ao dormitório feminino, conservando uma di stância de cinquenta metros e mantendo-se sempre na sombra, tal como o pai lhe ensinara. Fez caretas ao vë-los de mãos dadas e a conversar alegremente. Quando cheg aram à Residência Le Mans, ela beijou Declan na face e desapareceu para o interior. Por que é que ele, pergmtou a si próprio, não se concentrara mais em aprender a dançar e menos no futebol? Depois de Declan ter seguido na direcção dos dormitórios masculinos, Connor começou a an dar calmamente de um lado para o outro no passeio par debaixo das janelas do dormitório, interrogando-se se podia fazer algumacoisa. Viu-a, fi~ almente, de relance, com um roupão vestido, quando fechou as cortinas, e deixou-se ficar ali durante mais alguns minutos antes de regressar, relutante, ao seu quarto. Sentou -se aos pés da cama e começou a escrever uma carta à mãe, dizendo-lhe que tinha visto a rapariga com quem se iria casar, embora ainda não tivesse falado com ela - e, ve rdade seja dita, nem sequer sabia o seu nome. Enquanto lambia o envelope, Connor tentou convencer-se a si próprio de que Declan O'Casey não era mais do que um parcei ro de dança. Durante a semana tentou descobrir o mais que pôde sobre ela, mas conseguiu saber m uito pouco para além de que se chamava Maggie Burke, tinha obtido uma Bolsa de estudo para St. Mares e andava no primeiro ano de História de Arte. Ele amaldiçoou o facto de nunca ter entrado numa galeria de arte na vida; de facto, o mais próximo que estivera de pintar fora quando o pai lhe pedira que desse uns retoques na ce rca à volta do pequeno quintal, na South Lowe Street. Declan, veio a saber, saía com Maggie desde o seu último ano no liceu, e não só era o melhor dançarino do clube com o também era considerado o matemático mais inteligente da universidade.Outrasinstitu içõesjáe stavamaoferecer-1heBolsas de estudo para fazer a pós-graduação, antes mesmo de serem c onhecidos os resultados dos exames finais. A única espermça de Connor era que lhe fosse oferecido um cargo irresistível o mais longe e rapidamente possível de Sou th Bend. Connor foi o primeiro a chegar ao clube de dança na quinta-feira seguinte e, quand o Maggie saiu do vestiário com uma blusa 3EEEREr ARCHER O Dr?CIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 37 de algodão creme e uma saia preta curta, o seu único dilema era se devia levantar os olhos para os seus olhos verdes ou baixá-los para as pernas compridas. Mais uma vez, ela dançou com Declan toda a noite, enquanto Connor ficou sentado em silênc

io num banco, tentando fingir que não tinha dado pela presença dela. Depois da última música, foram-se os dois embora. Connor voltou a segui-los até à Residência L~ Mans , mas desta vez reparou que ela não dera a mão a Declan. Depois de uma longa conversa e de outro beijo na face, Declan desapareceu na dir ecção dos dormitórios masculinos. Connor sentou-se num banco em frente da janela dela e ficou a olhar para a varanda do dormitório das raparigas. Decidiu esperar até a ver fechar as cortinas mas, quando ela apareceu à janela, ele tinha adormecido. A única coisa de que se lembrava a seguir era de acordar de um sono profundo em qu e sonhara que Maggie estava à sua frente, de pijama e robe. Acordou sobressaltado, olhou para ela, incrédulo, pôs-se de pé num salto e estendeu a mão: - Olá, eu sou Connor Fitzgerald. - Eu sei - respondeu ela, apertando-lhe a mão. - Eu sou Maggie Burke. - Eu sei - disse ele. - Há espaço nesse banco? - perguntou ela. A partir desse momento, Connor nunca mais olhou para outra mulher. No sábado seguinte, Maggie foi a um jogo de futebol pela primeira vez na vida e vi u-o efectuar uma série de lances notáveis diante do que era para ele um estádio cheio com uma pessoa só. Na quinta-feira seguinte, ela e Connor dançaram juntos toda a noite, enquanto Decl an, desconsolado, ficou sentado a um canto. Ele pareceu ainda mais desolado quan do os dois saíram juntos, de mãos dadas. Quando chegaram à Residência Le Mans, Connor beijou-a pela primeira vez, d epois levou um joelho ao chão e pediu-a em casamento. Maggie riu-se, corou e correu para dentro de casa. No caminho de regresso aos dormitórios masculinos. C cmnor também se riu, mas só quando viu Declan escondido atrás de uma árvore. Apartir daí, Connor e Nlaggïe passaram todo o seu tempo livre jatos. Ela aprendeu tu do sobre toques no solo, áreas de validação e passes laterais, e ele sobre Bellini, Bernini e Luini. Durante os ~s anos seguintes, ele levou um joelho ao chão e pediu -a em casamento todas quintas-feiras à noite. Sempre que os seus 38 companheiros de equipa lhe perguntavam por que motivo não tinha escrito o nome del a no interior do cacifo, ele respondia simplesmente: - Porque vou casar com ela. No fim do último ano de Connor, Maggie concordou finalmente em ser sua mulher-mas só depois de ter terminado os exames. - Foram precisos 141 pedidos de casamento para veres a razão - disse ele, num tom triunfante. -Oh, não sejas estúpido, Connor Fitzgerald- disse-Ihe ela. - Eu soube que ia passar o resto da minha vida contigo no momento em que me sentei ao pé de ti naquele banco. Casaram-se duas semanas depois de Maggie terminar o curso com distinção. Tara nasceu dez meses depois. - Estás à espera que eu acredite que a CIA nem sequer sabia que estava a ser planead a uma tentativa de assassínio? -Exactamente, sir-respondeu calmamente a directora da CIA. - Assim que tivemos conhecimento do assassinato, o que sucedeusegundos a pós a suaocorrência, contactei com oconselheiro para a Segurança Nacional que, creio, o informou directamente em Camp David. 0 presidente começou a andar àvoltada Sala Oval, descobrindo que não só lhe dava mais te mpo para pensar como geralmente fazia os seus hóspedes sentirem-se pouco à-vontade. A maior parte das pessoas que entrava na Sala Oval já estava suficienteme nte nervosa. A sua secretária dissera-lhe uma vez que quatro em cinco visitantes iam à casa de banho poucos momentos antes de se encontrarem com o presidente. Mas ele duvidava que a mulher sentada à suafrente soubesse até onde era a casadebanho mais próxima. Se uma bomba explodisse no Jardim das Rosas, Helen Dexter provavelme nte não teria feito mais do que erguer uma sobrancelha bem arranjada. Até à data, a sua carreira tinha sobrevividoatrëspresidentes,tendotodoseles,segundoconstava, e xigido, em determinada altura, a sua demissão. -E quando Sr. Lloyd me telefonou a dizer que o Sr. Presidente queria mais pormen

ores-disse Dexter-,dei instruções ao meu director-adjunto, Nick Gutenburg, para que contactasse a nossa gente no terreno em Bogotá e fizesse investigações detalhadas sobr e o que aconteceu exactamente no sábado à tarde. Gutenburg JEFFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 39 5 completou o relatório ontem. - Ela bateu com a ponta dos dedos no dossier que tinh a no colo. Lawrence parou de andar de um lado para o outro e deteve-se por debaixo de um re trato de Abraham Lincoln, pendurado por cima da lareira. Baixou os olhos para a nuca de Helen Dexter. Ela continuou a olhar em frente. A directora vestia um elegante fato escuro, de bom corte, com uma blusa creme si mples. Raramente usava jóias, mesmo em cerimónias de Estado. A sua nomeação pelo presidente Ford como director-adjunto, aos 32 anos, fora um estratagema de tapa-buracos para apazigua r o lobby feminista algumas semanas antes das eleições de 1976. Afinal de contas, o tapa-buracos fora Ford. Depois de uma série de directores a curto prazo que se d emitiram ou reformaram, Helen Dexter acabou finalmente por conseguir o cobiçado cargo. Circulavam muitos rumores em Washington sobre as suas opiniões de extrema-d ireita e os métodos que utilizara para conseguir a promoção, mas nenhum membro do Senado se atrevera a pôr em causa a sua nomeação. Ela tinha terminado o bacharelato summa cum lande em Bryn Mawr, frequentando seguidamente a Faculdade de Direito da Universidade da Pensilvânia, antes de começar a trabalhar numa das principais fir mas de advogados de Nova Iorque. Após uma série de discussões com a administração por causa do tempo que as mulheres demoravam a ser admitidas como sócias, as quais culminaram com um processo que terminou com um acordo fora do tribunal, ela ace itou uma oferta de emprego da CIA. Na Agência, começou por trabalhar na Direcção de Operações, tendo eventualmente subido a dir ectora-adjunta. Na altura em que foi nomeada, tinha mais inimigos do que amigos mas, à medida que os anos passaram, aqueles pareceram desaparecer, fora m despedidos ou optaram pela reforma antecipada. Quando foi nomeada directora, tinha acabado de fazer quarenta anos. 0 Washington Post descrevia-a como tendo f eito um buraco num telhado de vidro, mas isso não impediu os corretores de apostas de aceitarem novas apostas para o número de dias que ela iria sobreviver. Em breve alteraram os dias para semanas e depois para meses. Agora, apostavam se ela dur aria mais tempo como chefe da CIA do que J. Edgar Hoover como director do FBI. Poucos dias depois de se ter instalado na Casa Branca, Tom Lawrence descobriu até que ponto Dexter iria para o bloquear se eletentasseimiscuir-senoseumundo.Quando lhepediarelatórios sobre assuntos delicados, passavam-se muitas vezes semanas até os mesmos aparecer em na sua secretária e, quando isso eventuald0 JFFFREV ARC'NFR 0 DÉC1M0 PRIMEIRO MANUAMF.NTO dl mente acontecia, eram inevitavelmente longos, prolixos e enfadonhos, e já desactua lizados. Quando a chamava à Sala Oval para explicar perguntas que tinham ficado sem resposta, ela conseguia fazer que um surda-mudo parecesse positivamente expa nsivo. Quando a pressionava, ela protelava as situações, partindo obviamente do prin cípio de que ela ainda estaria a ocupar o seu cargo muito depois de os eleitores o ter em tirado do dele. Mas só quando ele propôs uma nomeação para uma vaga no Supremo Tribunal é que ele viu o la do mais mamífero de Helen Dexter. Poucos dias depois, ela tinha colocado em cima da sua secretária um dossier que explicava detalhadamente o motivo por que

. A capa branca com o logotipo da CIA tinha escritas aSpâlavras"PARASERLIDDSÓPELOPRESIDENTE" .Foi confirmado por várias fontes que o assassinato foi levado a cabo por um só ati rador . que foi encontrada enforcada na garagem na véspera de tomar posse. Lawrence tinha aceite a opinião do seu chefe de Gabinete.disse o presidente. ele poderia obrigar Helen Dexter a desocupar a sua secretár ia dentro de dìas. mas nunca conseguiu provar quem o fizera. controlava o maior.Não. sir.leu ela. Mesmo assim. A maior parte deles pensava que a Suite Quebra-nozes era um prato que fazia pame da ementa de um restaurante exclusivo.Que conveniente! A directora não corou. Ele dirige o segundo maior carcel de droga da Colômbia. era melhor ter o tipo de prova que convenceria a opinião pública de que a madre Teresa tinhauma contabancária secretára Suíça. tal não era possível.0 nosso adido cultural em Bogotá-respondeu a directora. Ele soube mais tar de que o dossier confidencial fora enviado a todos os membros da Comissão de Selecção do Senado.Chama-se Dirk van Rensberg. quem contratou o assassino? Dexterfolheou algumas página s dodossier. . . Ela abriu o dossier. No caso dela. . Helen Dexter ignorou o tom sarcástico e pegou no dossier que tinha no colo. Andy Lloyd avisara-o várias vezes de que. pensou Lawrence: afinal de contas. aqual eraregularmente rechead a por grupos do crime organizado. LâWTencepeTglmtOü a si próprio quantos dossiers assinalados "PnRA sER LIDO só PELA DIRECTORn" ela tinh a arquivados no outro lado do rio. 0 presidente olhou para a fotografia de um homem de meia-idade.. s e pudesse provar que a CIA tinha estado envolvida no assassinato de Ricardo Guzm an.o indivíduo nomeado era inaceitável. operfumeouopó-de-arrozgera lmenteas sociados ao seu sexo. se alguma vez tentasse demitir Dexter do seu cargo.Identifica uma dessas fontes -disse o presidente.E quem é este? . achava que. ele está bem vivo . quanto mais o Departamento de Esta do.respondeu a directora com firmeza. Lawrence tinha insistido no seu candidato . enquanto se se ntava -. ele queria que a versão dos factos por ele dada ficasse registada. tirou umafotografia e empurrou-a através da secretária da Sala Oval. Lawrence viu que Dexter sabia exactamente o que ele estava a fazer. e desconfiou que a le ndária mala de mão que ela tinha sempre ao pé não continhaobâtan. 0 presidente suspirou. . num tom brusco. . ele foi momo apenas algumas horas depois de a Polícia ter consegui do obter um mandado de captura. Metade dos adidos culturais das embaixadas americanas em todo o mundo tinham sido ali colocados pela CIA simplesmente para informarem directamente Hel en Dexter sem consultarem o embaixador local. bem vestido e co m um ár próspero. sem sequer o informar. ob viamente.um dos seus amigos mais antigas. . e que já tinha gravado todas as sffabas trocadas entre eles. .talvez me possas dar mais pormenores sobre o que de facto aconteceu em Bogotá. Mas agora.E Velez já foi acusado? .E segundo a opinião dele.. Voltou para junto sua cadeira e carregou no botão debaixo da extremidade da secretár ia que permitiria a Andy escutar a conversa ou ouvir a gravação mais tarde. Guzman.Uma vez que pareces estar tão bem informada . para corar é preciso haver sangue. .Carlos Velez. Lawrence ergueu as sobra ncelhas. . . .E será que este assassino solitário tinha um nome? Ou será queeletambémmorreumomentosa ntesdeummandadojudicial.Infelizmente.

. Alistou-se como voluntário no serviço militar e terminou a escola de candidatos a oficiais enquanto aguardava que Maggie acabasse o curso. 0 facto de não ter estado presente no nascimento da sua filha ainda o entristecia. a Medalha de Honra. Cinco meses depois de ter regressado a casa. . ele já prendeu um dos cúmplices de Van Rensberg. Eventualmente. ele sentia-se simplesmente feliz por estar vivo e ao pé da mulher que amava.perguntou Lawrence.E sabemos alguma coisa sobre os movimentos de Van Rensberg a seguir ao assassi nato? . Na realidade. assim que viu Tara. Uma semana depois de ter regressado aos Estados Unidos. E. . o presidente atribuiu-lhe a mais elevada condec oração militar do país. . A promoção a primeiro-te nente. Presidente . ao fim de dezoito meses no Vietname como prisioneiro de guerra. Connorcomeçouaprocurarempr ego.Ele parece ter apanhado um voo para Lima em nome de AlistairDouglas edepoispro sseguido para BuenosAires. vivia em Durban. .Játinhaidoaumaentrevista para um cargo no escritório da CIA em Chicago quando o capitão ele disse:-E as autoridades colombianas concordam com a vossa explicação do que acon teceu. -Isso seria bastante fácil de fazer.Sim. Ele esperou que a directora reagisse. que trabalhava como empregado de mesa no hotel El Belvedere. e alguns passage iros já estavam a avançar para ir buscar as primeiras malas. Ele entrou na clandestinidade imediatamente após o assassinato. ou o nosso adido cultural é a única fonte de informação? -Não. Acabaram por ter apenas tempo para a cerimónia de casamen to e uma lua-de-mel de quatro dias antes de o segundo-tenente Fitzgerald partir para o Vietname. mas esta contin uou impassível.-Os assassinos contratados tendem a ser homens solitários que muitas . d2 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO qJ era senador.Que sabes dele? . Ou a demite e e nfrenta o inevitável inquérito do Senado ou aceita a derrota.Na minha opinião. ela deixou-lhe apenas duas opções.disse o presidente. em Julho de 1972. Nós obtivemos a maior parte das informações do chefe da Polícia de B ogotá. Sr. que sugeres que faça? . Presidente. -Uma vez que eu não posso exactamente contratar um assassino para a eliminar.Até recentemente? . Connor partilhava o patriotismo da sua família. 0 tapete estava a começar a expelir a bagagem do seu voo. ignorando o tom de Lawrence. Sr. eu não apostaria muito dinheiro nisso. eu não seria tão pessimista.. Ele foi preso no corredor. Perdemos-lhe o rasto d epois disso. Até recentemente.Oh. Connor controlou os seus pensamentos enquanto olhava para o ecrã da chegada das ba gagens. mas.disse Dexter.E duvido que alguma vez o consigam encontrar. Embora tivesse dúvidas sobre a sensatez da política dos Estados Unidos no Vietname. Presidente.É sul-africano. Depressa se tornou óbvio que o presidente tinha reflectido muito sobre como poderia demitir Helen Dexter do seu cargo como directora da CIA. Sr. a captura pelos vietcongues. apaixonou-se pela segunda vez. Presidente. o edificio de onde o ti ro foi disparado. se primeiro que tudo nunca estivesses ao corr ente . utilizando o mesmo passaporte. não fazendo qualquer tentativa para interromper o seu c hefe. a fuga enquanto tentava salvar a vida de outro homem -tudo isso parecia ter sido há tanto tempo que ele quase conseguia convencer-se a si próprio de que nunca tinha realmente acontecido. Esses dois anos no Vietname eram agora uma recordação distante. Lloyd escutou atentamente. concordando com a versão dela do que aconteceu em Bogotá e esperando levar a melhor na próxima vez. Sr.Podia haver uma terceira hipótese -disse o presidente em voz baixa. momentos depois de ter ajudado o as sassino a fugir pelo monta-cargas. .

Bem . recusando-se a acreditar que ele estivesse morto. Connor foi avisado de que. neste caso. mesmo que a sua bagagem fosse revi stada. confiante de que. Connor saiu pela via verde. -Terei o maior prazerem lê-lo-disse Dexter. Escreveu ao seu antigo comandante de pelotão no dia seguinte e disse que teria muito prazerem entr ar para a Maryland Insurance como executivo estagiário.deixa ndo cair o dossier no tabuleiro dos documentos despachados. garanto-te que. é possível que eu próprio tenha um relatório para ti. ele disse a Jackson que precisava de tempo para pensar antes de tomar uma decisão. quando saísse da alfândega e a visse à sua espera na sala das chegadas. JEI FREY ARCHER 0 DECIMO PRIMEIRO MANDAMENTO ~t5 Quando entrou na sala das chegadas. 0 presidente carregou num botão por debaixo da secretária. -Então. ignorando a presença de Dexte r. seria como se fosse a primeira vez. . -Recordando-nosdaforma comoelaotr atouquandoosenhor 44 Jackson. Presidente-disseDexter. o padre da família. Connor compreendeu comoJackson estava decidido a recrutá-lo. Connor. A mala apareceu à sua frente. -Nãoacrediteinumaúnicapalavra-murmurouele.oseuantigocomandantedepelotão. . haveria aspectos do seu trabalho que nunca poderia discutir com ninguém. se concordasse em fazer parte da equipa de élite de Jackson. Presidente. tem uma reunião com o senador Bedell dentro de alguns minutos . o funcionário da alfândega não estaria muito interessado numa gazela de madeira com "Made in South Africa~>. Depois. Dep ois reaparecem quando acham que a perseguição abrandou. pegou na mala e saiu da sala sem dizer mais uma palavra. levantando-se. algumas semanas depois. Encontra ram uma pequena casa em Avon Place. 0 presidente não falou até a directora da CIA ter fechado a porta atrás de si. A sua única tristeza nesses primeiros tempos em Washington foi o facto de Maggie t er feito dois abortos e o ginecologista a ter aconselhado a aceitar o facto de que só poderia ter um filho. Colocou o dossier e m cima da secretária do presidente.disse o presidente -. nem mesmo com a mulher. Sr.Sr. que se limitou a aconselhá-lo: . viu imediatamente a mulher e a filha no meio . Ele sabia que. Maggie ainda conseguia estimular sexualm ente Connor simplesmente com o seu sorriso ou deslizando-lhe a mão pelas costas. Um momento depois bateram à porta e Andy Lloyd entrou na sala. mesmo que seja em nome do teu país. e impedi-la de pensar em levar a cabo outra operação semelhante àquela enquanto eu estiver na Casa Branca. Lloyd fez uma anotação menta l para o ir buscar assim que o seu patrão saísse da sala. eu deixo-o. tenciono manter a pers eguição bem activa.Nunca faças nada que consideres desonroso. nitidamente assinalado na base. Quando foi oferecido a Maggie um emprego na Secretaria da Universidade de George town. Foi nessa altura que o logro começou. tendo o depósito sido coberto pelos cheques do vencimento do ExércitoqueMaggie tinha depositado naconta de Connor. Ele sorriu ao pensar que ela teria chegado ao aeroporto pelo menos uma hora antes da hora de aterragem prevista.Suponho que o mais que podemos esperar é tê-la amedrontado.apareceuinesperadamente a convidá-lo para faze r parte de uma unidade especial colocada em Washington. Discutiu o problema com o padre Graham. Foi preciso um terceiro aborto para Maggie finalmente aceitar o seu conselho.vezes desaparecem durante vários meses a seguir a um trabalho desta importância. Embora estivessem casados há trinta anos. Na próxima vez que nos encontrarmos.disse ele. Quando soube o que se esperava dele. Maggie e Taramudaram-separa Georgetown. Retirou-a do tapete e dirigiu-se à saída. soando o rufia da escola que não teme o director da escola. voltou-se para o chefe de Gabinete. .

da multidão. porém. Ao longo dos anos. Durante o long o almoço na Cidade do Cabo. mas receio ter de recomendar que a empresa reduza os seus investimentos nessa parte do mund o. Ela pode ter sido a sua dama. O VICE-PRESIDENTE DA AMÉRICA ASSISTIRÁ AO FUNERAL NA COL~MBIA. do or iginal. No baptizado de Tara. as suas notas no liceu e as cabeças voltadas dos jovens tinham demonstrado que o p adre Graham era não só padre como também profeta. . -A taxa de criminali dade é tão elevada na maior parte das principais cidades. um pouco mais alta. Durante as férias. o padre Graham tinha pedido ao Todo-Poderoso que a criança f osse abençoada com a beleza de Maggie e a inteligência de-Maggie. e suplementara essa informação com a leitura de uma semana de jornais locais durante o voo para Sydney. Maggie ainda não sabia. Maggie largou o braço do marido quando saíram da sala das chegadas para o ar quente de Verão e se dirigiram ao parque de estacionamento. o centro não se consegue manter. com o mesmo cabelo ruivo comprido e os mesmos olhos verdes faiscantes. Isso era o ma is próximo que ele estaria de contar-lhe a verdade. Por que é que ela olhara duas vezes para ele. da T. a anarquia impera no mundo" . dando o braço ao marido.0 acordo? Sim.sorriu Maggie. nem sequer se incomodando em atender o telefone: era invariavelmente outro jovem tímido com esperança de que a sua filha concordasse em sair com ele. ele tinha consciência de que ela sabia muito mais do que a lguma vez admitiria. um agente da Div isão Fardada do Serviço Secreto no interior da cabina de segurança abriu o portão de metal reforçado e ergueu uma mão para o cumprimentar.disse Connor. -Eu só ganho novamente vida quando regressas em segurança de uma missão . Connor acabara por desistir de repelir a sucessão de admiradores que batiam à ponta da sua pequena casa de Georgeto wn. Quando passaram porum quiosque de venda de jornais. Quando Tara cresce u. correu tudo conforme foi planeado . . Connor começou a pensarem passar as duas semanas seguintes ao sol. Quando o automóvel arrancou da entrada do pessoal da Casa Branca. e ainda por cima concordara em casar com ele? 0 seu sorriso alargou-se quando a tomou nos braços. Ele tentou ignorar as palavras aem segurança".murmurou ela . Mas não era assim tão fácil. A única filha de Connor deu-lhe um enorme beij o no rosto e fê-lo sentir dez anos mais novo. Quantas vezes ele tinha vontade de contar toda a verdade a Maggie e de lhe expli car por que vivera uma mentira durante ~ Companhia de Seguros Maryland. ele faria referência a uma promoção esperada que significava viajar muito menos.Conseguiste efectuá-lo? . . Uma versão. Mas quando ela. mas com um temperamento mais calmo. Será que falava quando dormia? Em breve.Como estava a África do Sul? . usavapalavras como "missão" e " em segurança". deixaria de ser necessário continuar a enganá-la. 0 motorista virou para .perguntou Maggie.E o acordo? .respondeu Connor. Será que ele nunca poderia estar descontraído? Deu instruções ao motorista para que o levasse à Galeria Nacional. ao mesmo tempo que a largava e se virava para a outra mulher da sua vida. ele tentara convencer-se a si próprio de que era melhor para ela não saber toda a verdade. Apressou o passo e sorriu para a mulher que adorava. -Onde estavas quando a bomba explodiu na Cidade do Cabo? . .Está ainda mais frágil desde a morte de Mandela .perguntou. irreflectidamente. pelo menos até estarmos seguros de que a guerra civil está sob controlo. um pequeno título numa coluna da direita do Sydney MorningHerald chamou-lhe a atenção. mas eles eram os seus senhores.) tantos anos.perguntou Maggie.Como estás. minha querida? . Koeter não lhe tinha dito nada sobre uma bomba na Cidade do Cabo. -"As coisas desintegram-se.disse Connor. e ele sempre tinha aceite o código do silêncio total. mas Bogotá tinha sido a sua última missão. que já não é transgressão passar com o sinal vermelho à noite. IN. ele tinha sido informado por Carl Koeter sobre os problemas que a África do Sul enfrentava. .perguntou Tara. .Eu acho que Yeats nunca esteve na África do Sul . Mbeki estã a fazer o melhor que pode.

j á se sentia confiante de que ninguém o seguia. Sr. Até esse momento. passou por debaixo de uma escultura de Calder pendurada do tecto. por outra. correu por outro lance de escadas e ao longo da passagem subterrânea até emergir finalmente na Ala Leste.. Hoje. sentindose grato por o motorista não querer passar a viagem a dar-lhe a sua opinião sobre a Adm inistração ou. Porque lhe era impossível não parar. a cabeça prematuramente careca fazia-o parecer mais velho do que a idade indicada no seu dossier. Passou à Galeria 66. Saltou para o banco de trás do primeiro táxi da fila. fascinado . na sua juventude. admirando de novo o Monumento a Shaw e o 54. Quando entrou na Galeria 71. Os seus olhos encontraram-se e o homem acenou com a cabeça. atravessou a livraria. Bellows e Hoppers. Eletentou organizaros seus pensamentos nalgum tipo de ordem coerente. Os olh os levaram alguns momentos a habituar-se à luz ou.. Passou debaixo de um toldo vermelho. virou à esquerda e subiu a enorme escadaria de mármore que conduzi a às galerias do segundo andar onde. Ao olhar pela janela.. Entregou uma nota de dez dólares ao motorista mesmo antes de terem parado. . sobre o presidente. Quatro minutos mais tarde.0 mistério. passou entre South Grounds e a Ellipse e pelo Departamento do Comérci o. o automóvel parou à porta da entrada leste da galeria. afinal. ele dispunha apenas de alguns momentos. sabendo que ele não gostava que se imiscuíssem na sua vi da profissional. viu o seu automóvel e o motorista no outro lado da praça. Viraram à esquerda para a New York Avenue. desceu as escadas. Nâo tinha a certeza mas. pela Sixth Street acima.. Quando chegou ao último degrau. à falta desta.° Regimento de Massachusetts. . olhou por cima do ombro para admirar a enorme escu ltura de Henry Moore que dominava o outro lado da praça e verificou se estava a ser seguido. não é quem o senhor é mas sim o motivo por que o chefe de Gabin ete do presidente deseja falar comigo .uma sensação que nunca tivera na Casa Branca. e o táxi começou imediatamente a abrandar. Lloyd. ele não se lembrava de ter gostado tanto de um almoço. 0 peixe tinha . Embora o homem ainda tivesse o corpo dum at leta. durante mais de uma hora. na New York Avenue.V. ele não era um profissional. levou mais um quarto de hora a chegar à rotunda d o centro do edificio.perguntou Stuart McKenzie.A. 0 táxi virou à esquerda na Pennsylvania. e começou a sentir-se em casa . de August Saint-Gaudens. Nesta altura. em especial. sentiu-se aliviado ao ver que o local estava vazio.E qual é a sua área de especialidade? . Ele afastou-se e tomou o lugar oposto ao seu. Subindo outro lance de escadas. As salas amplas estavam cheias de alunos das escolas.Eu sou Andy. com ex cepção de uma figura solitária sentada a uma pequena mesa no outro extremo da sala.JEFFREY ARCHER 6 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENJO 47 State Place.disse Chris Jackson. depoi s saiu do edifício pelas portas giratórias para a rua calcetada. a brincar com o copo meio vazio de sumo de tomate. passara tantas horas. Maggie olhou para o marido. Connor compreendeu que Tara não devia ter avisado o último jovem que estava enfeitiçad o por ela a não falar sobre o trabalho do seu pai. 0 seu fato eleganteedefinocor tenãomostravaqueeleestavadesempregado. depois para norte. Passou rapidamente pelaestátuade Mercúrio. Entrou no edifício. Quando o conseguiram. . branco e verde que não qR deixava quaisquer dúvidas sobre a origem do seu proprietário e abriu a porta. 0 passageiro atravessou rapidamente o caminho calcetado e subiu as escadas de pedr a.começou ele por dize r. depois saiu para a rua e fechou a porta traseira do táxi sem esperar pelo troco. . . A primeira ve z que vira o enorme friso em tamanho real tinha ficado em frente dele. o que não era invulgar numa manhã de um dia de semana. olhou em redor para os familiares Homers.

por exemplo. . tinha começado a gostar da companhia do jovem advogado. . quando Connor respondeu: .Nunca é assim tão fácil . . temos gente bem qualificada para efectuar esse tipo de traba lho-disse Stuart. tentando fazê-lo falar.Consideremos. não é nossa cliente. em Cronulla. Connor bebeu um go lo de café antes de se recostar na cadeira e observar os surfistas apenas a cem metro s de distância .disse Connor.sido pescado poucas horas antes de se terem sentado à mesa do canto do pequeno café da praia. Eles têm escritórios em todo o mundo.Talvezdevêssemosvoltarp araohotelantesdepareceres uma lagosta.Estou no ramo dos seguros .Eu acho que te estás a queimar. .disse Stuart.Mas eu não tenho viagens à África do Sul. Connorachougraçaàintervençãopoucoconvincentedamulher.Seria isso violar a confidencialidade de um cliente falar-me sobre um caso típic o? Maggie estava prestes a interferir com uma frase que tinha utilizado muitas veze s no passado. Maggie não conseguia acreditar que Connor tivesse permitido 0 D~ìmn l'rìmcirn Mandunenlo-4 50 JEFFREY ARCHER 0 DÉL'lM0 PRIMEIRO MANDAMENTO 51 que a conversa fosse tão longe. Em todo s os países eles têm executivos sénior. . A fruta que nunca tinha visto conservantes nem uma lat a. . desconfio que tenho ainda mais papelada do que você. . Connor sorriu. mas não deu quaisquer pormenores. Duas ou três vezes por dia estaria mais próximo da verd ade. Mas Connor não deu sinais de estar aborrecido.-Afinal .interrompeu Maggie.Ele perguntou a si próprio se esta resposta iria impedir o jovem australiano de prosseguir com o assunto. sabendo que este não gostaria que esta informação tivesse sido transmitida a um indivíduo relativamente desconhecido. . inclinando-se para encher a chávena de café de Connor. Tara disse que era um executivo sénior.Na realida de. . Connor tinha de admitir que. JEFFREY ARCHER 0 DFCIMO PRIMEIRO h1ANDAMENTO q9 . Não o fez. . devo acrescentar. tenho de admitir que o meu trabalho tem algumas compensaçôes. e ele esperavaque a cervejafosse exportadapara Washington. em Sydney. . Connor disse que ainda fazia ginástica duas ou três vezes por semana. Embora ele nunca considerasse ninguém suficientemente bom para a sua filha.Por que é que esses clientes não utilizam empresas do país em causa? Com certeza que elas conhecem melhor o ambiente local. Eles estavam a aproximar-se rapidamente da pergunt a que punha sempre termo a todos os interrogatórios. nos últimos dias. . uma empresa como a Coca-Cola. .Parece muito mais interessante do que a maior parte dos casos rotineiros com o s quais tenho de lidar .Mas nós.disse ele ao jovem advogado. .um desporto que ele desejou ter descoberto vinte anos antes. Stua rt tinha ficado surpreendido com a forma física do pai de Tara quanto este experiment ou a prancha de surf pela primeira vez. especialmente por ela o ter feito usar um chapéu durante a última hora.A empresa para a qual trabalho tem como clientes várias empresas que têm vastos interesses no estrangeiro. com dezenas de milhares de empregados. a qual.Noventa por cento do que faço é rotineiro e enfadonho . e temos a mesma atitude de confidencialidade em relação ao cliente que se considera natural na sua profissão.Sim.Con . .Isso é porque rne especializei em sequestros e resgates. sabendo que a filha já teria dito isso a Stuart.Sim. muitos dos quais com mulher e filhos. Tara olhou ansiosamente para o pai.respondeu.

Afinal de contas.E se eles não o fizerem? . . mesmo assim. . . eles podem pensar que a empresa estrangeira env olvida pode muito bem pagar. . .Complicações? . por vezes raptando exactamente a mesma pessoa. poderei informá-los da minha presença mas. que uma empresa tem uma grande presença num país com uma ele vada taxa de criminalidade e em que os sequestros são razoavelmente comuns. se o cliente for morto. Tal como um bom advogado de acusação.Quando isso acontece. ele aguardava pacientemente.de contas.Então. ao fim de alguns dia s. podemos ter a certeza de que a investigação subsequente não será exactamente minuciosa. embora seja mais provável que seja a mulher.Não.Acho que não estou a compreender . E. .sugeriu Stuart-. especialmente se esta vier dos Estados Unidos. temos nós de pensar em abrir negociações porque. . . Stuart ficou surpreendido por ela nun ca ter feito essa pergunta ao pai. .perguntou Tara. A inquirição de Stuart não fraquejava. Na ocupação da Embaixada do Peru. tenho de trabalhar sozinho-disse Connor -. Em qualquer dos casos. o que faz que lhes seja impossível levar a cabo o plano original. qual é o seu lance de abertura? . Muitas vezes. espero até eles me pedirem auxílio. a minha principal responsabilid ade é obter o melhor acordo possível. é raptado. o que torna o processo ainda mais precário. -Mas se a Polícia não estiver a fazerprogressos. E nessa altura que se descobre se esta mos ou não a lidar com profissionais.A Polícia local pode estar a receber parte do resgate . mais provável é que o criminoso repita o exercício alguns meses mais tar de.Com que frequência atinge a fase da negociação? .É então que você entra no processo? . por exemplo. que faz se achar que a Polícia local pode estar a receber uma percentagem? . -Então.Digamos. a única c oisa que eu faço é viajar até à capital e começar a fazer as minhas próprias investigações particulares.Porque não é invulgar a própria Polícia estar envolvida a algum nível. acabaram por ter um torneio de xadrez e os terroristas ganharam. mais provável é que os amadores fiquem com medo de ser apanhados.Obrigado . não necessariamente. porque ela terá muito menos protecção no dia a dia. suponhamos que o raptor exige um milhão de dólares. .A verdade é que nunca me chamam a não ser que haja complicações. . Tara começou a desejar ter avisado Stuart para que não fosse demasiado longe. embora ela estivesse a chegar rapidamente à conclusão de que os australianos não faziam qualquerideia do que fosse "demasiado longe". O presidente dessa empresa. pelo qu e ela pode não querer interferências do exterior.disse Tara. E o elemento mais importante é garantir que nada de mal aconteça ao empregado da empresa. e é pouco provável que os raptores alguma vez sejam apanhados . os raptores pedem sempre um número redondo. por e xemplo. e não há muitas empresas que gostem de interferências exteriores. Como qualquer negociador profissional.perguntou Stuart.Bem. geralmente em dólares americanos. Se já tiver estado nessa parte do mundo e estabelecido uma relação cordi al com a Polícia local. sequestros e resgates são coisas que acontecem até mesmo na Austrália. Bebeu outro golo enquanto reflectia sobre esta afirmação. . eles começam muitas vezes a gostar da pessoa que raptaram. . Connor acenou a cabeça em sinal de assentimento. Quanto mais se paga.disse Stuart. na esperança de que a testemunha desse uma resposta i rreflectida. a Polícia local pode ter experiência em li dar com problemas destes. Mas eu nunca permitiria que as coisas chegassem à fase da negociação se ac hasse que o meu cliente poderia ser libertado sem pagar um cêntimo. por que é que ela não há-de querer a sua ajuda? Eles devem conhecer a sua especialidade .E quando concorda em negociar.Cerca de cinquenta por cento das vezes. Estava a tornar-se rapidamente óbvi o o motivo por que Stuart tinha conseguido um emprego numa das empresas de Direi to Criminal mais prestigiadas de Sydney.disse Connor. Quanto mais as negociações se arrastarem.

Maggie empalideceu visivelmente e olhou rapidamente para Connor. super-homem.perguntou Connor. que nessa ocasião particular. E quantos clientes perdeu? Estavam a entrar agora num terr enü que a própria Maggie nunca se atrevera apisar. Doutor.Bem. Sr. Alguém quer vir comigo? . . Maggie levantou-se do lugar. . voltou-se para Connor e disse: . .lJma dúzia ou mais . . . Stuart? .Riram-se os três.Eu acabo geralment e por entregar cerca de um quarto da quantia exigida.acrescentou Stuart. em notas usadas.Eu só posso falar da minha própria experiência . mas gostava de experimentar outra vez a prancha . até o primeiro-ministro da ilha recebeu uma percentagem.perguntou Stuart com um pequeno sorriso. a maioria dos raptos são casos isolados e.Se perdermos um cliente. secundando an siosamente a tentativa da mãe. o que ajudou Maggie a descontrair-se um pouco.perguntou Maggie. Voltando-se para Connor. rapidamente. Fez um a pausa.disse Tara. confirmando que também era da o pinião que aquele tinha ido suficientemente longe. . Fitzgerald .Continue.Eu felizmente não representei a empresa que negociou em nome do neto do Sr. eu não vou exigir um resgate. Tara corou. voltando a sent ar-se para observarmelhoranódoanegra. identilìcáveïs.Ela apontou orgulhosamente para uma enorme nódoa negra na coxa direita.Por que é que a deixaste ir tão longe.disse Connor com uma gargalhada.Não.disse Tara. . Stuart sorriu.Porque me deu a oportunidade de a salvar e parecer um herói.Não se preocupe. -. . -Vamos.disse Connor.Ficas avisado. -Estarei atento aisso-respondeu Stuart.disse Stuart.Esta foi a pior. . -São os profissionais ou os amadores que enviam orelhas pelo correio? . em dólares americanos ou em qualquer outra moeda. disse: -Se alguma vez vier a saber que a sua filha foi raptada. -Já estarão tod os de volta à América muito antes disso. apenas três. Gett y. Eles imaginam que conseguem tratar de tudo. Mas devo dizerem minha defesa. Os criminosos profissionais têm quase sempre uma confiança excessiva em si próprios. embora sejam quase sempre levado s a cabo por um criminoso profissional. .NTO 53 . com que se contentam eles quando compreendem que não vão obter o mítico milhão? . -Mas não permite que alguém falhe duas vezes. . Mas mesmo quando estou a lidar com um profissional. a empresa apoia-nos totalmente .Nenhum deles queria lembrar-se disso. Nalgumas ocasiões. . Não é muito diferente de um advogado que pensa que consegue abrir um restaurante só porque come três refeições por dia. e não estarei disposta a fazer um acordo. 52 JEFFREY ARCHER 0 DGC1M0 FRIMEIRO h1ANUAMF. Stuart.Connor não tinha reparado que a mulher e a filha tinham deixado arrefecer o café. .-Mas assim que isso acontecer.Quantos conseguem não ser apanhados? -Dos casos de que tratei ao longo dos últimos dezassete anos.Então. ele pode ter pouca experiência. .Não é um mau resultado. . alguns dos melhores trunf os estarão ainda na minha mão. .Quantas vezes caíste esta manhã? . Sr.g. canto inic iá-la em bungee jumping. É altura de encontrares nutra onda de que me possas salvar.disse Connor. Stuart pôs-se de pé num salto. por favor . e ela começou a mexer-se desconfort avelmente na cadeira.. .. Só uma vez é que concordei em entregar a quantia por in teiro. o que dá ce rca de oito por cento. ou mesmo nenhuma. ela já saberá fazer surf e vai acabar por ser ela a salvar-te. de como negociar numa situação destas. no fim desta semana. dei metade. Tara agarrou no braço de Stuart.Vou à água. de pôr termo ao interrogatórïo.

. . . da noite para o dia. (N. Connor Fitzgerald.Eu só dormi contigo no dia em que nos casámos e. Connor largou o braço da mulher e correu em direcção às ondas. Foi a única coi sa que me manteve vivo depois de ter sido feito prisioneiro no Vietname. As palavras de Connor fizeram recordar a Maggie a tristeza que sentira por ter a bortado e por saber que não podia ter mais filhos. Quando ela fi nalmente o conseguiu apanhar.é a vontade de Deus. certificando-se de que ficava apenas um passo à frente dela. Isso e a esperança de ver Tara. Tudo o que ela desejava era que um dia a filha encontrasse alguém que estivesse di sposto a esperarnum banco de jardim toda a noite. Embora não desse muitos pormenore s. uma prole numerosa. Mag gie tinha ficado intrigada com a sua decisão. . por vezes. . -Podia ser pior-disse Connor. .disse ela. ela própria. Maggie . Connor quereria estar envolvido no cumprimento da lei. Nunca conseguiu aceitar a filosofia simples da sua mãe . Eram as suas actividades extracurriculares que eles queria m manter secretas. -É um rapaz simpático-disse Maggie. um pouco embaraçoso. e correram pela praia em direcção às ondas. da T) 0 DECIMO PRIMF.a Fitzgerald..respondeu ele. sigla de Nora-oficial caner offieer.Eu sei. a senhorinha tinha.Fala baixo. minha querida . ele disse-lhe quem era o seu patrão. . Mas. Não fez qualquer tentativa para o interromper. mesmo quando me disseram que esta vas desaparecido no Vietname. 7 Jackson acendeu um cigarro e escutou atentamente todas as palavras que o homem d a Casa Branca tinha a dizer. .disse Connor para Magg ie. . Ela sempre julgara que.Ela já não é uma criança.. assim que ele regressou. -Tu sabes que me preocupo-disse Connor. . e eu não tenho nada a ver com isso.IRO MANDAMENTO 55 sobre o seu trabalho. embora continuasse a dar-se muito bem com a filha. pela primeira vez.Sabes que ela só chegou a casa às cinco da manhã. nessa altura. Mas ela decidiu que este era um incómodo de somenos importância. interminável e pormenorizadamente 1 Em ingês. pegando-lhe no JEFFREY ARCNI:R braço. Ela tinha sido criada numa famíli a grande e ansiava por ter. levantando-se da cadeira.Mas se namora com o Stuart.Só é pena não ser irlandês. Ela guardou o seu segredo com lealdade ao longo dos anos. espreguiçando-se e sorrindo. ela passara muitas horas felizes com Tara.. Ma ggie sabia que a sua relação com Tara nunca seria igual à de Connor.Declan O'Cassey pediu-me em casamento muito antes. e tent a lembrar-te de que ela é a nossa única filha. minha querida . transfer ido o seu afecto para o pai e. tal como o pai. .E.Vamos . E não foi por falta de propostas. e o significado de ser um agente secreto não of icial ou NOC . Quando Connor foi trabalhar para a Maryland Insurance como estagiário de gestão.Eu sei. . claro. ao mesmo tempo que começaram a andar em direcção à água. Isso foi antes de ele explicar para quem iria realmente trabalhar. só para a ver fechar as cortinas . Enquanto Connor estivera no Vietname. tu já tinhas compreen dido que eu era insubstituível. pegando-lhe na mão.E não há nenhum dia em que eu não me sinta grato por teres esperado por mim. .É uma mulher adulta e daqui a menos de u m anovai ser a Dr.disse Connor. Maggie sorriu. estava ofegante. nunca olhei para outro homem. eu acho que não tentaria negociar .E tu não te preocupas com ela. comparado com o tédio que muitas mulheres tinham de suportar quando os maridos falavam.Podia ser inglês. olhando para o s seus olhos verdes e pondo para trás uma farripa de cabelo fora do lugar. .Mas.disse ela. . .Não me digas que ainda ficas acordada toda a noite sempre que a tua filha sai co m um rapaz -disse Connor com um sorriso. ela podia t er arranjado pior. embora o facto de não poder conversar sobre a profissão do marido com os amigos e colegas f osse. .

ara ela. . para a Dexter dois .Quando sair daqui vire à direita e depois siga pela próxima à direita.ele acentuou as palavras . pelo menos.Trabalhar juntos. por razões óbvias. Os dois homens puseram-se de pé. não me importo de fazer uma excepção. Sr.Porque eu acho que Helen Dexter nunca dorme.Mas eu pensei que tínhamos acordado .Lamento que este s eja o nosso primeiro e último encontro. . . Não olhe para trás e não mande parar um táxi antes de andar.. quatro quarteirões.disse Jackson. .Este é directo para o meu gabinete. serão afastados pelos eleitores.disse Jackson. . olhando ansiosamente para o s eu novo recruta.disse Lloyd. .0 presidente tem sentido isso em mais de uma ocasião .. Ele já tinha decidido que.Infelizmente não . .Quando Andy Lloyd chegou ao fim do discurso que preparara. Compreende. . embora. Lloyd . . -Acendeu outro cigarro. .disse Jackson. . claro.Basta um telefonema . Jacksor.disse Jackson. Pode telefonar-me noite e dia. Lloyd .com Helen De xter. Sr.Embora ele seja o meu melhor amiga.elediriasimplesmenteaverdade. A partir de agora. ser considerado o seu sucessor natural.disse Jackson .Não me diga que ele já trabalha para Dexter. . Eu contactá-lo-ei sempre que.0s presidentes vão e vêm. mais cedo ou mais tarde. abanou a cabeça. Depoi s da meia-noite. . apesar de a sua folha de serviços na Agência ter sido exemplar e de. .Não. . Só há uma pessoa que é melhor do que ela. Se está a contar que eu vença os dois. vai ter de pensar como D extereficadesdejáavisadodequeelatemtrintaanosdeprática. . o último bastião da nação e. . os políticos eleitos não são mais do que um transtorno temporário que. Sr.. parecem um tanto bizarros. . à primeira vista. Lloyd sorriu. sem passar sequer pela minha secretária.não oficial. eu creio que ainda não conseguiu encontrar um emprego à altura das suas qualificações. no casa de Helen Dexter.Eu é que contactarei consigo sempre que tiver al guma coisa importante a relatar. Posso apostar que. Sr. .retorquiu Jackson. Lloyd escreveu sete números num guardanapo de papel. A única coisa que preciso é de um número de telefo ne que não possa ser identificado.Ela é a verdadeira defensora da fé. até então.disse Lloyd. é bom fazer votos para que eu não tenha enf errujado neste últimos oito meses.R O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 57 creditada mensalmente. não encontrarmo-nos.Está tudo? . bebeu um golo da acqu a minerale que estava à sua frente e ficou à espera para saber qual seria a primeira pergunta do ex-subdirector da CIA. quando apertaram as mãos. Lloyd. divergência de opinião . Não se preocupe com a diferença horária quando es tiver no estrangeira. seJacksonfizesseessap ergunta. o seu nome não apareça em quaisquer re gistos. Lloyd. . se Dexter lhe desse ordens para me matar.Posso perguntar-lhe por que motivo pensou que eu seria a pessoa indicada para esta missão? Lloyd não foi apanhado de surpresa.disse Lloyd. é transferido automaticamente para um telefone ao lado da minha cama. não existiria nenhuma companhia de seguros na cidade que me fizesse um seguro de vida.Adeus. tal SG JEFFREY ARCHf. . e subitamente estamos fora da lista de candidatos. Mas desde que se demitiu por motivo s que. Os contactos nos dois sentidos só duplicam a possibilidade de alguém nos detectar. Nós desconfiamos que Dexter também t enha algo a ver com isso. Eu nunca gostei muito de falar mal dos vivos mas.É bom saber isso . Jackson apagou o cigarro. porque eu não me importo de ser acordado. com alguma e moção.Dexter acredita que Tom Lawrence tem o segundo cargo mais importante da América .Espero que seja você .prosseguiu ele..Não exactamente .Eu sei que se demitiu do seu cargo na CIA devido a uma. .

Y ARCNI:R O Uls'CIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 59 Connor olhou para a mulher. então. qu ando viu a jovem a chorar.disse ela entre dois soluços. .Acho que para ela é um pouco demasiado moderno. porque vai ter de decorar tudo.. Jackson principiou a ler e começou a fazer observações mesmo antes de chegar ao fim da primeira página. sobre o senhor. . enquanto Maggie continuou a dirigir-se para a sala das partidas para dizer ao funcionário da porta que os dois últimos passageiros viriam já aí. se estivermos a lidar com a CIA. podeteracertezadeque Dextertemumdossiersobreelepreenchido com as razões por que Lawrence não merece ser eleito para um segundo mandato.A não ser. tirou um dossier da pasta e fê-lo de slizar por cima da mesa. quase tão gross o. -Assim que voltar a Stanford. por conseguinte. -Não.encontros não são uma coincidência. -Ela tem assim tanto medo de andar de avião?-murmurou a hospedeira para Maggie. .Temos motivos para acreditar que a CIA poderá estar envolvida. Jackson abriu-o. . há o prazer adicional de Dexter estar oficialmente no lado oposto.Oficialmente. -Esta é a última chamada para o voo 816 da United Airways para Los Angeles-disse uma voz que ecoou por todo o aeroporto.disse Lloyd.disse Jackson.. E. . . poderá serpraticamenteim possívelconseguirinformaçõesfiáveis..Então. . Esse tipo de personagem não deixa um endereço futuro.disse Jackson. . Connor colocou -lhe suavemente um braço à volta dos ombros.Os senhores passageiros que ainda não embarcaram deverão dirigir-se i mediatamente para a porta 27.Acend eu outro cigarro.Eu sei que não serve de grande consolação.Demore o tempo que precisar .Por onde gostaria que eu começasse? . . ela deve ter um. Depois de passarem o controlo dos passaportes. tentando permanecer alguns passos à frente da filha e de Stuart. Jackson. ela já deu a volta a todas as avenidas que possam levar o assassino a um beca sem saída. Provavelmente.disse Lloyd -. Connor deixou-se ficar p ara trás.Eu sei .Então. trabalhará por canta própria. abraçados. como todos nós.? .Para quem irei trabalhar? . que tinha na mão uma cópia do quadro de Ken Nome. . a não ser. . É apenas porque ela teve de deixar ficar uma coisa . Connor e Maggie começaram a andar na direcção do enorme placard das partidas.Quanto tempo tenho? .Por investigar quem esteve por detrás do assassinato de Ricardo Guzman em Bogotá n o mês passado . Seria bom que tivéssemos alguma coisa nessa altura. o seu chefe é um ser humano e. teremos de lhe comprar qualquer coisa no avião. apagando 0 cigarro. É possível que haja alguém estacionado em Bogotá que . . com um ar relutante. des ta vez.repetiu Lloyd. directa ou indirectamente. a sua conta será SR JEFFRF.. vou pergunt ar se me deixam terminar atesenaUniversidade de Sydney. como um eco. incrédulo.ele fez uma pausa. . Mas. Dext er tem um avanço de dez dias em relação a nós. que caminhavam lentamente . .Sem o conhecimento do presidente? . . nós teremos de começar a construir o nosso próprio dossier.Eu não sou a única pessoa que essa mulher prejudicou ao longo dos anos.-Excepto que. mas não oficialmente vai trabalhar para mim.0 novo presidente da Colômbia vai efectuar uma visita oficial a Washington daqui a três semanas. Lloyd acenou a cabeça em sinal de assentimento.Jackson fez uma pausa. Quanto Tara apareceu.-Connor viu de relance a sua mulher afalar com uma hospedeira junto à porta de embarque. mas eu e a tua mãe achamos que ele é. . alguns minutos depois. do Por to de Sydney. . .Con nor hesitou. Eu não c onsigo pensar em ninguém mais bem habilitado que leve a cabo essa tarefa..Se partirmos do princípio de que foi um atirador solitário. Sr. a propósito. -Já parecem os velhos tempos . Receberá um ordenado do mesmo nível que tinha quando deixou a Agência..

o Partido Nacional pr opusera como substituto de Ricardo Guzman. Mome ntos depois de ter aterrado em Dublim. Desde que ela se recordava. Um dos principais assuntos. e que indubitavelmente acabariam na venda de Natal do padre Graham. Só no décimo primeiro ano é que ela deixou de acreditar que ficaria grávida se beijasse um rapaz. E stá tudo no seu dossier. começara por gostar de Stuart e passara depoi s a respeitá-lo. Lançou um olhar a Maggie. . . sentia-se aliviada por ver que ele a apoiava.Porque o guarda sonolento da Galeria 71 foi ali colocado no dia da sua nomeação. A possibilidade de não vir a encontrar um homem que pudesse ocupa r o seu lugar nunca a preocupara. preocupava-a mais pensar que. que estava a pagar algumas lembranças que nunca seriam expostas.que a alfândega não deixou passar. enrolada debaixo dos lençóis com uma lanterna. emborararamente sentisse mais orgulhodo que an tes das quedas. Tara retribuiu-lhe o sorriso. Dexter já sabe deste encontro? -Não-disseJackson. Embora Connor tivesse visto a filha chorar muitas vezes quando era mais nova. . à última hora.E. É o di a de folga do guarda. Agora que isso tinha acontecido. por vontade da mãe. Todasasnoites. Foi então que uma colega de escola lhe emprestou um ex emplarmuitomanuseadode OsPrazeresdoSexo. Agarrou com força a mão do pai. "Vitória esmagadora de Herrera na Colômbia" era o título em três colunas ao fundo da página. isto era bastante diferente. quando o encontras se. Hopper continua asero seu artistapreferido? Lloyd ficou com a boca seca. Mas só depois de terminar o curso em Stone Ridge é que ela perdeu a virgindade-e se todas as suas colegas de aula diziam a verdade. provavelmente. nem pensariam em ofer ecer como presentes.. àterra natal dobisavô. . era a mãe que estava ser o probl ema. Lloyd acenou a cabeça em sinal de assentimento. ele fingiu estar entretido a ver a prateleira dos livros mais vendidos e reflectiu s obre umas das melhores férias de que se recordava. Tara tinha ido com os pais fazer umavisita. Folheou-o. não vá à Galeria Nacional a não ser com o único objectiv o de ver os quadros. há muito prometida. ainda viveria em casa. El e sorriu-lhe mas não disse nada. Tara ficava sempre admirada por ela conseguir fazê-lo. Maggie dormiu durante quase todas as catorze horas de voo de Sydney a Los Angele s. -Desta vez teve sorte. Lloyd franziu a sobrolho. Sr. de uma ofensa ou simplesmente por não conseguir o que queria. Quando muito.Então. E até Maggie tinha deixado de lhe lembrar todas as manhãs que Tara não tinha regressado ao quarto na noite anterior. ela ainda seria virgem e. Connor baixou de novo a cabeça. deve ter sido a última. lendo apenas os títulos até chegar à secção assinalada ~~Notícias Internacionais". ele não conseguisse aceitar a situação.Aguardarei notícias suas. 0 senhor vai lá umavez por semana. Ele leu a notícia da vitória do novo presidente na primeira volta sobre o homem que.Achas que a Joan gostaria disto? (~0 Tara sabia que. Por mais comprimidos que tomasse. Engordara alguns quilos e quase cons eguira dominar a prancha de surf. Herrera.disse Jackson -. planeav a visitar a América no futuro próximo para discutir com o presidente Lawrence os probl emas com que a Colômbia se deparava actualmente.. Enquanto ela se agarrava a Stuart. Connor pegou no Sydney Morning Herald. Tara virava as páginas. ele fora sempre o cent ro do seu mundo. Lloyd . po r causa de um golpe numa perna. estava apaixonada pela Irlanda e pelo .Por que não? -perguntou. . durante os voos ela só conseguia dormitar. . prosseguia o artigo. Durante a última quinzena. Ele considerara isso o relu tante carimbo da aprovação da mulher.

"Mas sabe o verso seguinte?" 0 empregado de mesa fez uma vénia. 0 jovem empregado de mesa que os servia olhou para ela e recitou: "Walter Savage Landon>. Em Stanford. .perguntou ela. Tara corou e Connor desatou a rir. Passou as duas horas seguintes a ver um filme antigo no quarto antes de descer c uidadosamente pouco depois da meia-noite." Ao fim de três noites durante as quais ela mal dormiu. 0 empregado de mesa pareceu perplexa." Tara teve vontade de dormir com Stuart mesmo nessa noite e. Ele fez outra vénia antes de retirar os pratos. Estamos a iniciar a descida para Los Angeles. e ele percebeu. Mas só quando ele a pediu em casamento é que ela compreendeu que não queria passar o resto da vida com dele. esfregou os olhos e sorriu para a filha.não estava a olhar quando se atravessou no caminho de Stuart. onde estudava poetas irlandeses. 0 pub que Liam sugerira ficava apenas a algumas centenas de metros e. quando chegou a altu ra da partida dez dias depois.Adormeci? . "É o meu nome". encontrou-o à espera no bar. No final da semana. Tara partiu para a terra na tal de Oscar. Quando Liam levou as malas para o carro alugado. Depois de terem ido buscar a bagagem.seu povo. Mas Liam ficou surpreendido ao ver como ela con seguia recitar Yeats. Joyce. em vez de ficarem na sua terra. não desperd icemos um único momento. . Connor murmurou para Maggie: . Wilde e Synge. duas horas depois. ele simplesmente sorriu e disse: "De futuro.) Alrlanda nunca esteve satisfeita. Tara corou. (N. Connor deu-lhe uma generosa gor jeta e murmurou "Obrigado". Quando a acompanhou ao quarto. Quando ela desapareceu na multidão de passageiros que chegavam e partiam. no momento em que este seguia na crista duma grande onda. antes de terminar o curso no Trinity College. Caso cont rário. Não fora preciso um ano para chegar a uma conclusão muito diferente em relação a Stuart. sentindo-se qualificada para acrescentar um rodapé ou dois a Os Prazeres do Sexo. ele beijou-a suavemente nos lábi os e perguntou: "Quanto tempo ficas em Dublim?" "Mais dois dias". Ao jantar. . no segundo ano. A culpa fora dela . Que preferes?> "Comecemos com o café.Taraconcordouent usiasticamente. Ou começo a dar-te lições." Nessa mesma tarde.Só assim que o avião descolou . no hotel. ela disse ao pai que não compree ndia por que motivotantos irlandeses emigravam. Lia m não perdeu tempo e iniciou-a de imediato nos prazeres da JF. ' Cerveja preta irlandesa. Tara ficou à espera de um merecido insulto. quando Tara entrou.quandoacabasseotrabalho.. o nosso próxima encontro poderá bem ter lugar no hospital local. em Kilkenny. ela repetiu o truque. Voaram ambos pelo ar. o empregado de mesa perguntou a Tara se ela gostaria de tomar uma bebida com ele no Gallagher's. respondeu ela. disse Maggie.respondeu Tara. na primeira noite.Fala-vos o vosso comandante.. Tara teve o que poderia ser descrito como umarelação am orosa com um estudante de Medicina. Em vez disso. Quando ele a tirou da água. Pensas isso? És louco! A Irlanda estaca satis feita quando Todos podiam usar a espada e a perna. "Então. Maggie acordou sobressaltada. Ele riu-se e disse: "Deixaste-me duas opções. mas desta vez fê-lo de propósito. Tara despediu-se dos pais e dirigiu-se ao voo de ligação para São Francisco. Enquanto o pai pagava a conta e a mãe ia buscar o casaco. Ela não ficou surpreendida ao saber que ele estava a trabalhar como emp regado de mesa durante as férias.. da T. Conheceram-se quando chocaram um contra o outro. desejou não 0 ter feito esperar três dias. explicou Tara. ou podemos tomar café juntos.'FFREY ARCHER 0 DF'CIh10 PRIMEIRO MANDAMENTO Gr Guinness'.. tenta não ir na faixa rápida. E quando Tara se ergueu tão alto.

vamos recrutá-lo também . -Então. Depois de terminar. . Presidente.Que outro mo tivo te levou a escolhê-lo? Porque.Foram essas as condições. i . . -Se ele conseguir provar que ela deu a ordem para assassinar Ricardo Guzman. Connor sabia que. . o único comentário que Lawrence fez foi: -Estás a dizer-me que eu tenho de ficar calmamente à espera enquanto aguardamos que Jackson descubra alguma coisa? . -Espero bem que não. Sr. Sr. .-Não me espantaria se ela desse meia volta e apanhasse o voo de regresso a Sydney. repito.disse o presidente.Então. Assustava-o a ideia de que lhe propusessem um emprego das nove às cinco na sede. tal vez ainda seja. a execução terá lugar no Jardim das Rosas. Não tinha vocação para professor. agora que Chris Jackson já não estava na Empresa. (N. mas isso fora antes de o seu chefe se demitir sem qualquer explicação. para não falar dasuareputação como directoradjunto da CIA. Apesar de vinte e oito anos de serviço e vários louvore s. Mas. i nfelizmente.Bem. . Andy. odeia. Daí a três meses. . Há a sua flha de serviços como oficial no Vietname e como chefe da contra-espionagem.Jackson disse-me que havia um melhor. Desta vez. Presidente.Maggie acenou a cabeça em sinal de concordância. Enquanto atravessavam os Estados Unidos.perguntou ele. Mas tenho a certeza de uma coisa: Jackson odeia. Parece que escolheste o homem certo para o trabalho. se odiar a Dexter for a principal qualificação para o trabalho. porque cada dia que a Dexter passa em Langley é um dia a mais p ara mim. .0 senador Bedell está há algum tempo à espera no átrio. devehaverum númerorazoavelmentegrandedecandidatos. No ano anterior tinha havido sugestões de que o seu nome estava a ser considerado para um ou dois cargos na linha da frente. E.Bem. Ele já tinha avisado Joan de que se demitiria se eles não tivessem nada mais interessante para lhe propor. Maggie adormeceu mesmo antes de o vídeo que descreve as medidas de segurança ter terminado. se quisermos que ele aceit e o trabalho. o qual consistiria. pelo menos ele não vai saber que Jackson está a trabalhar para nós. da T. Jackson não é o tipo de pessoa que fica calmamente à espera que as coisas aconteçam. Que mais é qu e ele disse? Lloyd abriu o dossier e começou a relatar ao presidente a conversa que tivera com o ex-director-adjunto da CIA. .Ele também tem os outros atributos que eu procurava. isso é tão bom como uma recomendação pessoal .) JEFFRGY ARCHER 8 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 63 . . Mas eu tenho a sensação de que o Sr. Eles seguiram na direcção do terminal dos voos domésticos e subiram para o "olho verme lho". Helen Dexter tanto como 0 Sr. e ainda não fazia ideia para que departamento tencionavam transferilo. ele deveria ser retirado da lista dos activos. ' Nome dado aos voos nocturnos. em dar aulas a jovens NOC sobre a sua experiência no campo. Lloyd olhou para o relógio. . Presidente. Esperemos que Jackson nos dê corda suficiente para a enforcarmos em público. Connor tentou tirar Tara e Stuart do pensamento e concentrar-se no que seria necessário fazer quando regressasse a Washington. se tinha uma carreira tão promisso ra à sua frente? -Eudesconfio que aDexter achou que era um pouco demasiado promissora e que ele c omeçava a parecer um sério rival ao seu posto.disse o presidente. por que é que ele se demitiu tão subitamente. sabia. 0 chefe de Gabinete soltou uma gargalhada.Eu tive a mesma ideia.Isso poderá ter a dupla vantagem de conseguir que mais alguns republicanos votem connosco a Proposta de Lei das Ruas Seguras e da Redução da Criminalidade. não tenho.Quem está a seguir? . ele já trabalha para a Dexter. 0 presidente sorriu: .Tens a certeza de que se pode confiar no Jackson? -Não. oseufuturo poderia nãoestartão segurocomo imaginara. já agora.

Que é que ele quer agora? . .Pegounoauscultador. retribuindo a saudação brincalhona e dirigindo-se aos elev . pa pá? .disse Joan -.Também eu . vê se consegues a promoção de que falaste quando estávamos na Austrália.Tudo óptimo . Fitzgerald. Connor saiu rapidament e do quarto.Claro. papá.Desculpa telefonar-te assim que chegaste . levou o "velho tanque".Obrigada por telefonar. garantir à mãe que não ia cometer um acto impetuoso.. antes de virar de novo à esquerda e entrar.Ele quer conversar com o Sr. por uma rampa. o guarda de segurança levou a mão à orla do boné e dis se: . virou à esquerda na Avenida M. . mamã. Ela precisa que eu assine dois contratos. mas ele sabia que ela fingiria. Connor soltou uma gargalhada. masomotorlevoualgumtempoacomeçar ã funcio nar. Quando Connor entrou no edificio.Por isso. .Está mesmo aqui. EntrounovelhoToyota. Julguei que só regressava na segun da-feira. . papá. Quinze minutos mais tarde. antes de passar os minutos seguintes a tentar. -Eu compro-lhe qualquer coisa no caminho para o escritório. desceu as escadas a correr e saiu de casa antes de Maggie conseguir fazer mais perguntas. perguntou: -0 papá está por aí? . desligando.disse Tara. 0 presidente franziu o sobrolho.Só telefonei para te dizer que chegámos .FFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 65 preocupar. -Que maçada-disse Maggie. . de uma forma indirecta. Estava prestes a d izer-lhe pela décima vez que deixasse de se JF.Tud o bem contigo? .ela hesitou .Joan. Sr. .Ela passou o telefone a Connor. explica à mamã que eu não estou prestes a fazer um disparate.Quem era?-perguntou Maggie.(4 . Stuart já tel efonou duas vezes desde que voltei e como ele está a planear . para a Vigésima Nona Avenida. Connor sorriu com o estrat agema pouco convincente. ouvindo um dos extremos da conversa entre a mulher e a filha. supondo que fosse de novo Tara. Presidente sobre as suas últimas propostas de alter ação à Proposta de Lei de Redução do Armamento. Adeus .E o que é.disse Connor.disse Maggie. tenho a certeza de que posso esperar até lá.quandootelefonetocououtravez.-Esqueci-me de lhe comprar um presente no avião. Connor começou a desfazer as malas. Quando ficou convencida de que Maggie estava convencida.Por favor.perguntou Maggie. acho melhor avisar-te de que já sei o que quero como prenda de Natal. Connor desligou e dirigiu um sorriso tranquilizador a Maggie. . A propósito. querida. Eventualmente.vir passar o Natal aos Estados Unidos. . . -Reparaste quantos pontos Zerimski subiu nas últimas sondagens? Maggie estava a ligar para n número de São Francisco minutos depois de ter entrado n a sua casa de Georgetown. -Adeus. É bom ouvir a tua voz. mas acabei de ternotíci as da chefe. .Muito prazer em vê-lo de volta. Não deve demorar muito.Podes fazer-me um favor. num parque de estacionamento subterrâneo não assinalado. eparece que háuma emergência. Ten ho a sensação de que acabará por sair mais caro do que a compra do carro usado que me prometeste. minha querida? --Que pagues as minhas chamadas internacionais durante os próximos oito meses. como Tara lhe chamava. . se eu fizesse o doutoramento. continuando a desfazer as malas. Tara era demasiado perspicaz para acreditar. . Quando é que podes cá estar? Connor olhou para o relógio. -Estarei aí dentro de vinte minutos -disse ele. .

Bebeu outro longo golo. 0 chefe da Polícia ergueu o copo vazio e esperou até o barman o ter enchido até acima. é tudo o que eu peço-repetiu Jackson. limpou o bigode e disse: . . Connor entrou no seu gabinete.Eu sempre achei.Quanto tempo lhe falta para se reformar? . como muito bem sabes.Bebeu um golo do copo de cristal.Nós temos um problema . .Nunca te considerei uma pessoa que se preocupasse com essas ninharias . -Tu obviamente compreend es que eu tenho de pagar as minhas despesas. . Quando acabou de ler o dossier confidencial.-Eu tinha.Chris.Incluindo as tuas luvas. o melhor lugar para começar é uma loja de penhores. -Desculpe tê-lafeito esperar. Connor sorriu. acenou com a cabeça em sinal de assentimento e prosseguiu o seu cam inho ao longo do corredor. mesmo quando se é persona nongrata? 0 chefe da Polícia bebeu o resto do uísque. Chris. ...àportadoseugabinete .Mas com certeza . foi recebido por um sorriso de reconhecimento por parte da recepcionista. -Estou a ver que os novos patrões não te permitiram o mesmo grau de latitude no que diz respeito a. a inflação na Colômbia continua a ser extremamente e levada.. mas natur . . eu começaria pelo bairro de San Victorina.Eu devo sair da lista dos activos no dia um de Janeiro do próximo ano. 01)Ecimn !'ónieiro MxnJ~amenln . . oitavo. devo deduzir que o preço conti nua o mesmo.Sorriu. abrindo-lhe a porta.Chris. 0 chefe da Policiaolhouparadentro dele.E.Mas um ou dois dos teus antigos colegas já me informaram que agora és persona non grata..não que Joan tivesse o ar de estar a pensar num presente. Quando entrou no corredor. . Chris.adores. quando eras um representante do teu governo . meu velho amigo. -Muito prazerem vê-lo. Chris-respondeu o chefe da Polícia de Bogotá. Connor devolveu-o à directora. .5 66 JEFFREY ARCHER 0 UFCIMO RRIMI'lR0 MANDAMENTO 67 -A chefe chegou há alguns minutos-disse Joan. e não me daria ao trabalho de fazer muito mais do que ver as montra s.A partir dessa pequena homilia . que eu faço todo o trabalho . qu ando se anda à procura de uma pechincha.foi a única coisa que Helen Dexter disse.E. esvaziou o copo e levantou-se da mesa. Depois lemb rou-se das palavras de Maggie antes de ele sair de casa .Joanestavadepé. deitando outro uísque no copo do chefe da Polícia.. desconfiou que ela estivesse à sua espera há já algum tempo. tu tens de compreender que. nono e décimo andares . . Fitzgerald-disse arecepcionista. . . . Apanhou um para o sétimo andar. que. Sentada no outro lado da sua secretária estava alguém que ele sabia que nunca tinha tido férias. mas os velhos amigos não.Tem uma visita. sentada a uma secre tária debaixo dos dizeres em caracteres grandes Maryland InsuranceCompany.Odirectóri oexistentenorésdo-chãoafirmava que a distinta empresa ocupava o sétimo. . se bem me lembro.Pelaexpressão do seu rosto. tendo em cont a o dilema com que agora te deparas.disse Jackson -. Sr ~ Directora-disse ele. . 0 meu ordenado não chega sequer para as despesas do dia-a-dia. -Uma pista decente.disse Jackson. Sr.. -Quem me dera poder fazê-lo. estava tudo dentro da lei. os presidentes vão e vêm. despesas. .Dá-me só uma pista decente. Jackson sorriu ligeiramente antes de retirar um envelope de um bolso interior e de o fazer deslizar sobre a mesa. empurrando o dos sier na sua direcção. nos nossos dois países. Quando virou a esquina.disse o polícia num tom de indiferença.disse Jackson. desabo toouumbolsodatúnicae fez desaparecer o envelope. A primeira pergunta dela apanhou-o de surpresa.

Recordou-se de que Chris Jackson lhe contara uma conversa quase idêntica que tivera com ela oito meses antes.disse Dexter.Há alguma coisa que eu possa fazer? . .disse ela. . Connor ficou silencioso.Cleveland? .disse Connor-. mas não há nada adequa do para si em Langley de momento. . arranjar um cargo para alguém com os seus talentos específicos . . tal como muitos agentes.perguntou ela em voz baixa.0 único cargo que a directora me destinava era a chefia do escritório de Cleveland. no passado. Connorficou a olharpara amulherpara quem tinhatrabalhado nos últimos vinte seis an os. Connor acenou a cabeça em si nal de assentimento. Helen Dexter pôs-se de pé. .disse Dexter no mesmo tom frio -. Joan." Mas Connor cometera um pecado ainda maior. e certamente que não houve qualquer referência a uma secretária de pernas compridas. quanto tomar uma decisão..Ao fim de vinte e oito anos de serviço na Empresa . mais uma vez. No ca so de Jackson. . com a tua folha de sen~iços.Ela fez uma pausa. .IRO MANDAMF.Tu sabes que eu devo sair em breve da lista dos activos.Sim. Connor ficou sentado sozinho à secretária durante algum tempo.almente queespero continuarna Empresa. -Informe-me.Como director do nosso escritório de Cleveland. .No dia um de Janeiro . Se achar que pode aceitar o cargo de Cleveland .Existe alguma alternativa? .Parece que não .Pelo seu tom de voz parecia que estava a sugerir a substituição de um porteiro de sessenta anos no prédio em que tinha o seu apartamento. obrigado.repetiu Joan num tom de incredulidade.Eu gostaria de o ajudar .disse Connor. e ninguém iria pensar que eu quero o cargo dela. Ele dera to da a sua vida à Empresa. Ser-lhe-ia impossível encontrarumcargo equivalente em. usara com muitos dos seus colegas. . a causa da sua possível queda.. eu sou um jogador de equipa. acrescentou: . e. Ao cumprir as ordens d e Dexter. nesta altura.Poderá não ser muito fácil. lembrou-se de ter dito a Chris nessa altura. . . era possível que e la conseguisse. "Afi nal de contas.No entanto.NTO h9 A directora não hesitou. involuntariamente. incapaz de acreditar no que estava a ouvir. Mas porquê. ele tinha-se tornado.perguntou. eu tenho uma vaga para a qual o posso recomendar. "Isso nunca me poderá acontecer. sobreviver. Se não estivesse por perto. se ele sem pre tinha cumprido as suas ordens à risca? Baixou os olhos para o dossier. Certamente que sabe que a minha mulher é directora dos Serviços Admnistrativos da Universidade de Georgetown . talvez seja possível trazê-lo de volta dentro de dois anos. eu tinha espe rança de que me arranjasse alguma coisa em Washington.Não há nada. a Empresa certamente que te ofereceráuma secretária grande. friam ente. Ele não lhe precisou de dizer que a reunião tinha corrido mal. . tinha-llie sido oferecido um cargo em Milwaukee. GH JEFFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMF. .Mas. . Teria o presidente exigido que alguém fosse sacrificado depois de ter sido submetido a t antas perguntas sobre as actividades da CIAnaColômbia? Cleveland ia ser asuarecomp ensa por todos os seus anos de serviço? . . tentando compreender todas as implicações das palavras da directora. .Pode optar pela reforma antecipada. .Após um breve silêncio. dolorosamente ciente de que ela estava agora a utilizar nele a mesma lâmina mortífera que. Quantos bons agentes tinham sido sacrificados ao longo dos anos no altar do seu orgulho. de modo a poder provocar-lhe embaraços. . Seguiu-se um longo silëncio. horas civilizadas e talvez uma secretária de pernas compridas.Cleveland? . -Saiu da sala sem dizer mais uma palavra. Oaio. perguntou ele a si próprio ? Os pensamentos de Connor foram interrompidos quando Joan entrou no gabinete. arriscara várias vezes a vida.

A propósito.. A espingarda já não estava n o seu lugar. para a próxima vez és tu a telefonar. Já tenha muita gente interessada. Não que tivesse algum receio de ser apanhado. . 0 velho achava que conseguia saber semp re se quem entrava vinha comprar ou vender. Um relógio de parede no escritório exterior tocou duas vezes enquanto ele afastava a cortina de contas para o lado e entrava na loja.Bem. Começou até a pensar que o seu velho amigo chefe da Polícia o tinha enganado.Que vais dizer a Maggie? . levantando-se do banco. Escobar levantou os olhos do vespertino. ele a ouvira chamar a alguém.Que grande cabra! Connor olhou para a sua secretária de muitos anos. vejo que é um bom conhecedor. porque sabia que este polícia se certificava sempre de que haveria outro envelope cheio de notas algures no futuro. Olhou para o relógio de parede antes de fechar a porta atrás de si. o alarme começou a tocar. Olhou para o suporte na montra. colocou a mala debaix o do braço e saiu tão rapidamente como entrara. mesmo antes de o cliente chegar pert o do balcão. ..Desconfio que sabes exactam ente o que quero dizer.Que queres dizer com isso? . quanto mais à directora. A mamã adora-te.diss e Stuart. . Desde os seus tempos de agente júnior que Jackson não andava tanto a pé.Ele é um homem notável. Tirou a mala. Esta era a expressão mais forte que.É melhor eu desligar. -. a maior parte delas no bairro de San Vic torina. sir-disse Escobar. . Mas 70 JEFFREY ARCHER 0 UFCIMO RRIMEIRO MANDAMENTO 71 espero que os teus pais não achem que estou a abusar da sua boa vontade. .Quanto está a pedir por ela? -Dez mil dólares -respondeu Escobar. co mo bem sabes. Mas como há vinte e oito anos que ando a enganá-la. -Ah. tenho a certeza de que inventarei alguma coisa. Joan olhou-o nos olhos e disse: . . Stuart fingiu não ter reparado como Tara mudara subitamente de assunto. . Ela é. -Parece-me sempre estranho-prosseguiu ela-que ainda estejas a trabalhar quando e u estou a dormir profundamente.Não sejas tolo. Quando Chris Jackson abriu a porta da frente. Jackson só precisou de olhar rapidamente para a espingarda feita à mão para conhecer a sua proveniência. A ex pressão dos olhos. Eles ficaram encantados quando lhes disse que vens passar o Natal connosco. na realidade. colocou-a em cima do balcão e permitiu que o cliente observasse de mais perto o seu conteúdo. 0 chefe da Polícia tinha-lhe garantido que o assalto só seria comunicado d aí a pelo menos trinta minutos. escondida debaixo do balcão.Nào sei. Depois de ter passado trës dias a calcorrear a cidade quente e húmida. a campainha tocou para avisar o do no da loja que alguém tinha entrado.Não posso vendê-la por menos.Em que lhe posso ser útil? . Verificou todos os itens e reparou que faltava um cartuxo. o corte da roupa. Mas co ntinuou a andar. incapaz de disfarçar a sua surpre sa. eu sei uma maneira de alterar isso . . Um olhar de relance a este cavalheiro foi suficiente para se sentir satisfeito por não ter fechado mais cedo.A arma na montra. Há mais de cem lojas de penhores em Bogotá. -Boa noite. senão o papá vai precisar de outro aumento só para me pagar a co nta do telefone. . Não ficou suryreendido ao ver que um dos cartuxos tinha sido dis parado.. Jackson não est ava com disposição para regatear. em dezanove anos. Ele acrescentava sempre o sirquandopensava que era um comprador. eles não te terão durante algum tempo. até mesmo a forma como andavam qu ando se dirigiam a ele.Escobar levantou a tampa do balcão e dirigiu-se à montra. Levou alguns minutos a encontrá-la. Quando ele abriu a porta. Afinal de contas. Eram duas horas e doze minutos. tendo identificado 0 sotaque americano. um artigo de colecção. e és o primeiro homem de quem o papá disse bem.

Só s e demoraria alguns minutos. para este item específico. . as doze balas estavam todas no seu lugar. posso até dizer-te quantos dias. pegou na mão do marido e disse.disse Tara.Eu sei. . e a seguir queria ser levado ao aeroporto .ConnorFitzgerald . ele disse-lhe que isso estava fora de questão. . Jackson olhou para a mala aberta. . Retirou algumas notas usadas e fé-las desl izar por cima do balcão.Só faltam oito meses -lembrou-lhe Tara. carregou .. Quando viu quem o cliente era.Posso deixar um depósito-perguntou ele. Jackson acenou a cabeça em sinal de concordância e tirou uma carteira do bolso interior. Ele teria provavelmente um at aque cardíaco. não com o gesto de Jackson. e sei bem que não és capaz desse tipo de trapaça. . eu faria as malas e iria ter c ontigo amanhã. .-Embora.Mas isso não evitaria que eu me sentisse culpada por caus a de todos os sacrifícios que o meu pai fez ao longo dos anos para que eu pudesse terminar o doutoramento. claro-respondeu dele. . sorriu. Parecia agita do.prosseguiu Maggie. -Muitasmulherestirariamumaconclusão. disse ele.Disseram-me que não vale nada fora da Colômbia. eu necessite d e um depósito de dez por cento. não achas que tenho razão para querer saber exactamente o que tens andado a fazer nos últimos vinte e oito anos? Jackson pediu ao motorista que parasse à parta da loja de penhores e esperasse. Connor ficou a olhar para a moeda de dez pesos que daria para uma chamada local em Bogotá. Já para não falar da minha mãe. . -Mas tu disseste que ias ver se a tua orientadorate autorizava a terminar o dout oramento em Sydney. Ao longo de todos estes anos. sem uma palavra. Connor.Houve um longo si lêncio antes de Tara perguntar: . . Escobar surgiu do escritório exterior. retirou o cartuxo usado e colocou-o no bolso. inclinou a cabeça e.0 problema não é a minha orientadora .0 chefe da Polícia não tinha culpa de o seu velho amigo não ter tido dinheiro suficien te consigo para comprar a arma. Maggie.disse Tara.0 director da faculdade? -Sim.Quandoaminhaorientadoradiscutiuessapossibilidade com ele ontem.Se não fosse por causa dos meus pais -disse ela-. .Estou ansioso por que o tempo passe .disse Stuart. . -Mas se agora vais ser atirado para o ferro-velho sem qualquer razão aparente. estou a pensar em demitir-me da empresa e procurar um emprego em que não tenha de viajar tanto. .Ela inclinou-se sobre a mes a. mas porque poderia ter jurado que. .Na realidade. E não te esqueças que virás cá no Natal. .Só 72 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 73 em cima da mesa. . Especialmente quando o pagamento era feita em dólare s. Stuart? -Estou.Talvez .É o director da faculdade. soltando seguidamente um suspiro digno de um amant e de Shakespeare.Mas não te esqueças que eu te conheço há mais de trinta anos. eu sempre penseique tinha dehave rumbom motivoparanão seres totalmente franco comigo.e vir buscá-la amanhã de manhã cedo? -Com certeza. 0 dono da loja contou lentamente as dez notas de cem dólares.Tenho a certeza de que eles compreenderiam .Olhou não trazia tanto dinheiro consigo enão podia simplesmente passar um cheque ou aprese ntar um cartão de crédito. sir-disse Escobar. Ela encheu-lhe a segunda chávena de café.disse Stuart. 0 velho ficou perplexo. . . .Eu prometi. Assim que ele entrou na loja. . depois colocou-as na caixa registadora e passou um recibo. Em todo 0 caso.Ainda aí estás.Maggie. ele gostava muito de ser pago duas vezes pela mesma informação. quando comprara a arma.. .

-M as lamento dizer-lhe que a arma foi roubada durante a noite.disse Connor num tom pouco convincente. Enquanto o táxi se dirigia para o aeroporto. Quando o cliente saiu da loja.Em qualquer dos casos. Quando as hélices reduziram a velocid ade. como uma esposa submissa? Connor baixou a cabeça e continuou calado. depois percorreu a pé a curta distância até à sua limusina Cadillac blindada. . de repente. não fazendo qualquer tentativa de responder à pergunta dela. . Larry Harrington e Andy Lloyd estavam à espera dele no pórtico sul da Casa Branca. .Tenho de lhe pedir desculpa. disseram-me que encontraramistonobolso . Connor enfrentou o seu olhar mas não conseguiu pensar numa resposta convincente. para a mulher.Ou estás simplesmente à espera que eu continue a acreditar em tudo o que dizes. as bandeiras da Colômbia.Cleveland? . A porta do Falcão Nocturno abriu-se. continuando a olhálo directamente nos olhos. sentada no outro lado da mesa da cozinha. . incrédula. Tom Lawrence.Por que não? . . Jackson levou uma mão ao bolso do casac o e retirou dele o cartuxo usado. e ficou à espera da sua r eacção.Oh. É a política da empresa para o pessoal da minha idade. -Mas não aquela para a qual trabalhas actualmente -disse Maggie. . . -Tu nunca escondeste o facto de que a Maryland Insurance não passa de umafachada p ara a CIA. Talvez não conseguisse provar quem premira o gatilho. Seguiu-se um silêncio ainda mais longo. da América e do distrito da Colômbia esvoaçavam em todos os mastros. Permaneceu silenciosa durante algum te mpo. Escobar não pôde deixar de pensar que ele não parecera muito surpreendido. menos importante é o país". quanto mai s numerosas forem as medalhas. . pensou Lawrence. mas já não tinha qualquer dúvida sobre quem dera a ordem para assassinar Ri cardo Guzman. sir. olhando para o americano alto. Quando o desfile automóvel percorreu a Décima Sétima A venida. Jackson não fez qualquer comentário.Não estou a compreender .Não achas que é altura de me contares toda a verdade? . .A presidente apresentou uma sugestão . Jackson continuou calado.numa tecla da caixa registadora e abriu a gaveta. e o pre sidente Herrera apareceu vestido com uma farda de gala que o faziaparecerumapers onagem secundárianumfilme de segunda categoria. Mas ultimamente até mesmo as tuas bem disfarçadas viagens têm deixado um pouco de lama nos teus sapatos. as coisas não são assim tão más. Ficou em sentido e retribuiu a continência dos fuzileiros que o aguardavam.perguntou Maggie.disse Connor. Maggievoltou apôro bule de café no aquecedore bebeuumgolo da sua chávena antes de fala r. E eu nunca te fiz perguntas sobre o assunto. quando mais colorida for a faixa. -Quando fui buscar o teu fato à lavandaria.Mas deve haver muitos outros cargos na empresa para alguém com a tua experiência.Ofereceu-me a possibilida de de chefiar o nosso escritório de Cleveland. situado no m eio dos Monumentos a Washington e a Lincoln. . co ntinuo a ter direito à reforma por inteiro . mesmo que recuse a proposta. -A presidente da Administração disse-me que meia tirar dos sequestros e resgates e s ubstituir-me por um homem mais novo. enquanto .perguntou Maggie.limitou-se a perguntar. de te ver pelas costas? . depois disse em voz baixa: -Por que é que a presidente tem tanta vontade.0 que é estranho . Joan garante-me q ue há várias companhias grandes de seguros em Washington que gostariam bastante de contratar alguém com a minha experiência.disse Connor.prosseguiu Escobar . . "Quanto melhor for o corte do fato.é que quem a roubou não levou o dinheiro. um pequeno lance de escadas abriu-se. Afinal de contas.disse ele. Retirou lentamente dez notas d e cem dólares e entregou-lhas por cima do balcão.-Maggiecolocouumapequenamoeda 7a 0 helicóptero aterrou suavemente num rectângulo de relva junto do lago.

da TJ JEFFREY ARCHER 9 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 7$ novo metropolitano que estava a ser construído em Bogotá por uma empresa americana. o secretário de Estado começou a conduzir a conversa para as relações actuais entre os dois países.se fossem democratas-que tinham uma relação muito estreita com o presidente. Foi a sua primeira pergunta numa entrevista que já durava há mais de uma hora. o problema da droga. Foram tiradas várias outras fotografias no comprido co rredor por debaixo de um retrato de corpo inteiro de George Washington. olhando directame nte para o homem que estava sentado à sua frente. como parte de um pacote de auxílio ao estrangeiro. Quando Herrera finalmente largou o seu anfitrião. em bora só se tivessem encontrado uma vez. eu quero apenas dizer como estou grato pela tua intervenção pesso al durante a minha campanha eleitoral.Há quanto tempo trabalha para a Maryland Life. não foi discutido nada de importante. Enquanto o secretário de Estado alargava a discussão de forma a englobar o pagamento de empréstimos dilatados em dólares e a disparidade das exportações e importações entre os dois países. sem ter bem a cert eza de ter ouvido correctamente o seu visitante. incrédulos. Lawrence apresentou-o a Harrington e a Lloyd. Lawre nceviu queteriadehaverbastantesreuniões não agendadas durante as próximas semanas. o pensamento de Lawrence dirigiu-se para os problemas que te ria de enfrentar mais tarde. Sr. Presidente. Sr. ficaram soz inhos. finalmente. Depoisda"oportunidadefotográfica"'detrêsminutosdapraxe. A Proposta deLei da Redução doArmamento estava encravada na comissão. . . Antonio? . ele teria provavelmente de conversar individualmente com vários membros do Congresso. Tom. Foi trazido de volta ao presente com um sobressalto quando Herrera disse: . 0 ~lash das máquinas fotográf icas disparava e as câmaras de vídeo zumbiam enquanto o grupo presidencial avançava em direcção à Casa Branca. (N. as visitas ritu ais à Casa Branca serviam apenas de estímulo ao amor-próprio. ao centro de uma enorme mesa. até mesmo 0 Fotografias tiradas pela imprensa ou televisào a políticos ou outras figuras públicas.disse o presidente. Quando.como o presidente precisava do seu apoio para conseguir fazer aprovar qualquer legislação. e quero agradecer-lhe pessoalmente.Antonio. Thompson-respondeu Connor. Ele sabia que.perguntou o pre sidente da Administração.disse Lawrence quando Herrera o abraçou. enquanto os três homens mais poderosos da América o fitavam. Sentiu-se capaz de conversar com autoridade sobre acordos de extradição. . nesse dia. a pedido destes. em poses que julgam ter interesse para o público..disse a mulher sentada à dir eita do presidente da Administração.. Tenho de lhe perguntar por que motivo quer deix . ou se fossem republicanos . Sr. meu querido e velho amigo . 76 JEFFREY ARCFFER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 77 -E as suas referências são impecáveis. Para ter alguma probabilidade de conseguir que ela passasse. Enquanto foi servido café colombiano e foram tiradas mais fotografias. para que os representantes e leitos pudessem voltar aos seus círculos eleitorais e informar os eleitores . o presidente conduziu o seu convidado à Sala Oval. Com as eleições intercalares a menos de um ano. . a colheita de café desse ano. Lawrence sentiu-se grato pelas informações que Larry lhe dera ne ssa manhã. . -Uma vez que estamos na privaci dade da Sala Oval. Fitzgerald? . de um modo geral.dava um passo em frente para cumprimentar o seu visitante. e Andy já o avisar a de que os votos não estavam a aumentar.Umsorriso rasgado su rgiu norosto do líder da Colômbia.A sua folha de serviços é extremamente impressionante ..Importas-te de repetir isso. -Faz vinte e oito anos em Maio.

ar o seu emprego actual. E, talvez mais importante, por que é que a Maryland Life parece disposta a permitir que saia de lá. Na noite anterior, ao jantar, Connor tinha conversado com Maggie sobre como deve ria responder a esta pergunta. -Diz-lhes a verdade-dissera ela.- E não te dês ao trabalho de fingir; tu nunca tiveste jeito para isso. - Ele não esperara um consel ho diferente. - A minha única possibilidade de promoção significaria mudar-me para Cleveland - respo ndeu ele - e achei que não podia pedir à minha mulher que deixasse o seu emprego na Universidade de Georgetown. Ser-lhe-ia dificil encontrar um cargo equivalente em Oaio. 0 terceiro membro do grupo que fazia a entrevista acenou a cabeça em sinal de asse ntimento. Maggie tinha-o informado de que um dos membros do grupo tinha um filho no último ano da Universidade de Georgetown. - Penso que não lhe tomaremos mais tempo - disse o presidente da Administração. - Eu só gostaria de lhe agradecer, Sr. Fitzgerald, por nos ter visitado esta tarde. - 0 prazer foi todo meu - disse Connor, pondo-se de pé para se retirar. Para sua surpresa, o presidente da Administração levantou-se por detrás da comprida me sa, deu a volta e aproximou-se dele. - 0 senhor e a sua mulher gostariam de jantar connosco um dia da próxima semana?-perguntou ele, enquanto acompanhava Conn or até à porta. - Com todo o prazer, rir - respondeu Connor. - Chame-me Ben - disse o presidente da Administração. - Ninguém, na Washington Provide nt, me chama rir, e certamente que os meus executivos sénior não o fazem. -Ele sorriu e apertou calorosamente a mão de Connor. -Vou pedir à minha secretária que tele fone para o seu escritório amanhã de manhã a combinar uma data. Terei um grande prazer em conhecer a sua mulher... chama-se Maggie, não é verdade? - É sim, rir - respondeu Connor. Ele fez uma pausa. - E terei muito prazer em conh ecer a Sr ~ Thompson, Ben. OchefedeGabinetedaCasaBrancapegounotelefonevermelho, mas não reconheceu imediatame nte a voz. - Tenho algumas informações que talvez considere úteis. Desculpe ter demorado tanto te mpo. Lloyd pegou rapidamente num bloco amarelo e tirou a tampa a uma caneta de feltro . Ele não precisava de carregar em botões -todas as conversas que tinham lugar naque le telefone específico eram gravadas automaticamente. -Acabei de regressar de uma viagem de dez dias a Bogotá, e havia lá alguém que estava a certificar-se de que todas as portas não só me batiam na cara como ficavam fechadas à chave e trancadas. - Então, a Dexter deve ter descoberto o que andava a fazerdisse Lloyd. - Minutos depois de eu ter falado com o chefe da Polícia local, diria eu. - Isso significa que ela sabe para quem está a trabalhar? -Não, eu cobri-me bem ness a frente, e foi por isso que demorei tanto tempo a contactá-lo. E posso prometer que, depois das falsas pistas que dei aos seus agentes juniores, ela nunca conse guirá descobrir para quem trabalho. 0 nosso adido cultural em Bogotá está agora a seguir todos os barões da droga conhecidos, todos os agentes júniores do Departament o de Narcóticos e metade da força policial. 0 seu relatóriovai ter tantas folhas, quererá preciso um mês só para o ler, quanto mais para descobrir o que eu estava lá a fa zer. - Encontrou alguma coisa que possa servir para acusar a Dexter? - Nada que ela não conseguiria explicar com o fumo e os espelhos habituais. Mas to das as provas sugerem que a CLAtenha estado por detrás do assassinato. - Nós já sabemos isso -~- disse Lloyd. - 0 problema do presidente é que, embora as cre denciais do nosso informador sejam impecáveis, ele nunca poderia aparecer na areia, porque é a pessoa que beneficiou directamente com o assassinato. Tem alguma coisa que faça fé em tribunal? - Só o chefe da Polícia de Bogotá, e as suas credenciais certamente que não são impecáveis. Se ele fosse a tribunal, nunca se poderia ter a certeza de qual dos lados ele acabaria por apoiar.

- Então, como pode estar tão seguro de que a CIA esteve envolvida? - Eu vi a arma que tenho a certeza que foi utilizada para matar Guzman. E até cons egui obter o cartuxo vazio da bala que o atingiu. Além disso, estou razoavelmente certo de que conheço 7R JEf'FREY ARC'NER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 79 o homem que fez a arma. Ele é o melhor nesse ramo de negócio, e é contratado para trab alhar para um pequeno número de ASNOS. - ASNOS? - Agentes secretos não-oficiais, que não estão ligados a nenhum governo. Esta é a forma da CIA negar qualquer conhecimento das suas actividades se alguma coisa correr mal. - Então o assassino é um agente da CIA - disse Lloyd. -Parece que sim. A menos que s e descubra que era aquele que Dexter mandou para a reforma há alguns dias. - Bem, há uma pessoa que devíamos ter na nossa folha de pagamentos. Houve um longo silêncio antes de Jackson dizer finalmente. -É possível que, na Casa Br anca, as coisas sejam feitas desse modo, Sr. Lloyd, mas este homem nunca atraiçoar ia um antigo patrão, por maior que fosse o suborno que lhe oferecessem. Ameaçá-lo também não funciona: que lhe apontassem uma arma à cabeça, ele não vos diria uma palavra. - Como pode ter tanta certeza? -Ele esteve sob o meu comando no Vietname, e nem mesmo os vietcongues conseguira m arrancar alguma coisa dele. Se realmente quer saber, ele é praticamente a única razão por que estou vivo. Em todo o caso, a Dexter deve tê-lo convencido de que as s uas ordens vinham directamente da Casa Branca. - Nós podíamos dizer-lhe que ela estava a mentir - disse Lloyd. - Isso só colocaria a vida dele em perigo. Não, eu tenho de conseguir provar o envol vimento da Dexter sem que ele descubra o que estamos a fazer. E isso não será fácil. - Que tenciona, então, fazer? - Ir à festa de despedida dele. - Está a falar a sério? - Estou, porque estará lá uma pessoa que o ama ainda mais do que ama o seu país. E ela pode estar disposta a falar. Eu entrarei em contacto convosco. 0 telefone desligou-se. Quando Nick Gutenburg, o director-adjunto da CIA, entrou na sala dos Fitzgeralds , a primeira pessoa que viu foi o seu antecessor, Chris Jackson, a conversar com Joan Bennett. Estaria ele a dizer-lhe paraquem estava atrabalhar em Bogotá? Gutenb urggostaria de saber sobre o que é que eles estavam a falar, mas primeiro tinha de cumprimentar os seus anfitriões. - Eu estarei mais nove meses na empresa - estava Joan a dizer. - Nessa altura, t erei direito à pensão por inteiro. Depois disso, espero ir trabalhar com Connor no seu novo emprego. - Soube agora mesmo desse emprego - disse Jackson. - Parece ideal. Pelo que Magg ie me dizia, ele não passará tanto tempo a viajar. -E verdade, mas a nomeação ainda não é oficial-disse Joan. - E tu sabes como Connor gost a que esteja tudo decidido. Mas como o presidente da Administração da Washington Provident o convidou a ele e à Maggie para jantar amanhã, acho que podemos partir do princípio que ele conseguiu o emprego. A não ser, claro, que o Sr. Thompson queira apenas ter parceiros para o brídege. - Obrigada por teres vindo, Nick - disse Connor, num tom caloroso, dando um copo de Perrier ao director-adjunto. Ele não precisava que lhe lembrassem que Gutenbur g nunca bebia álcool. - Não faltaria por nada deste mundo, Connor - respondeu Gutenburg. Voltando-se para a mulher, Connor disse: -Maggie, este é Nick Gutenburg, um colega meu. Ele trabalha no sector de.... -Acordo de perdas-interrompeu Gutenburg, rapidamente. - Vamos sentir todos a fal ta do seu marido na Maryland Life, Sr.e Fitzgerald - disse ele. - Bem, tenho a certeza de que os vossos caminhos voltarão a cruzar-se - disse Magg

ie - agora que Connor conseguiu outro emprego no mesmo ramo. -Ainda não foi confirmado-disse Connor. -Mas assim que for, Nick, serás o primeiro a saber. Os olhos de Gutenburg voltaram-se para Jackson e, quando este se afastou de Joan Bennett, Gutenburg atravessou rapidamente a sala para ir ter com ela. - Fiquei muito satisfeito por saber que vais continuar na empresa, Joan-foram as suas primeiras palavras. -Eu pensei que talvez nos deixasses para ir trabalhar com Connor, no seu novo emprego. - Não, eu vau continuar na empresa - disse Joan, sem ter bem a certeza do que o di rector-adjunto sabia. -Eu pensei apenas que como Connor vai continuar no mesmo ramo... "Andas à pesca>, pensou Joan. - Não faço ideia - disse ela com firmeza. - Com quem está Chris Jackson a conversar? - perguntou Gutenburg. 80 Joan olhou para o outro lado da sala. Ela gostaria de dizer que não fazia a mínima i deia, mas sabia que ele não iria acreditar. -AqueleéopadreGraham,opadredaparóquiadosFi tzgeralds de Chicago, e Tara, a filha de Connor. - Que é que ela faz? - perguntou Gutenburg. - Está a terminar o doutoramento em Stan ford. Gutenburg compreendeu que era uma perda de tempo tentar obter informaçòes úteis da sec retária de Connor. Afinal de contas, ela tinha trabalhado para Connor durante mais de vinte anos, pelo que não havia muitas dúvidas sobre a sua lealdade para com ele - embora não houvesse nada no seu processo que sugerisse que a relação entre eles não fosse apenas profissional. E, olhando para a Menina Bennett, ele desconfi ou que ela talvez fosse a última virgem de quarenta e cinco anos existente em Wash ington. Quando a filha de Connor se dirigiu à mesa das bebidas para voltar a encher o copo , Gutenburg deixou Joan sem dizer uma palavra. - Eu chamo-me Nick Gutenburg - disse ele, estendendo a mão. - Sou colega do seu pa i. -Eu sou Tara-disse ela.-Trabalha no escritório da baixa? - Não, eu estou nos arredor es - disse Gutenburg. - Ainda está na Costa Oeste a fazer a pós-graduação? - Exactamente - respondeu Tara, parecendo um pouco surpreendida. -E o senhor? Em que ramo da empresa trabalha? -Acordo de perdas. É um tanto enfadonho comparado com o que o seu pai faz, mas alguém tem de ficar em casa a tratar da papelada-diss e ele, com um pequena gargalhada. -Apropósito, fiquei muito satisfeito ao saber do novo emprego do seu pai. - Sim, a mamã ficou muito contente por uma empresa tão prestigiada o ter arrebanhado tão depressa. Embora ainda não seja oficial. - Ele vai trabalhar a partir de Washington? - perguntou Gutenburg, bebendo a sua Perrier em pequenos golos. - Vai. A sede da empresa fica a apenas dois quarteirões do antigo escritório... - Ta ra parou de falar quando ouviu um som súbito. Virou-se e viu Chris Jackson a bater na mesa para chamar a atenção dos convidados. -Com licença-murmurou ela.-Esta é a minha deixapara retomar as minhas funções oficiais d esta noite. - Ela afastou-se rapidamente, e Gutenburg virou-se para ouvir o seu antecessor em Langley. - Minhas senhoras e meus senhores - começou Chris. Ele esperou até todos estarem em silêncio antes de prosseguir. - É JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 81 meu privilégio propor um brinde a dois dos meus amigos mais antigos, Connor e Magg ie. Aolongo dos anos, Connor tem demonstrado constantemente ser o homem com mais probabilidades de me colocar numa situação dificil. Os convidados riram-se. Um deles gritou; - É bem verdade. E outro acrescentou:

- Eu sei bem o que isso é. -Mas,umaveznumasituaçãodiíicil,eunãoconheçoninguém melhor para nos livrar dela. - Estas palavras foram recebidas com aplausos calorosos. - Nós conhecemo-nos... Gutenburg ouviu o seu bip tocar e tirou-o rapidamente do cinto. "TROY Asas"', le u ele, Desligou-o, saiu da sala e foi até ao vestíbulo. Levantou o auscultador do primeiro telefone que encontrou, como se estivesse em sua própria casa, e marcou u m número que não vinha na lista telefónica, Antes mesmo de ele tocar, uma voz disse: - 0 director. -Recebi a sua mensagem, mas estou numa linha não segura. - Ele não precisou de dizer quem era. - 0 que tenho para lhe dizer, toda a gente no mundo vai saber daqui a algumas ho ras. Gutenburg não disse nada. Gastava tempo. - Yeltsin morreu com um ataque cardíaco há dezassete minutos - disse Helen Dexter. Venha imediatamente ao meu gabinete e cancele tudo o que está fazer durante as próximas quarenta e oito horas.-0 telefone desligou-se. Nenhuma chamada de uma lin ha não segura para o gabinete de Dexter durava mais de quarenta e cinco segundos. Ela tinha um cronómetro em cima da secretária. Gutenburg pousou o auscultador e saiu pela porta da frente sem se dar ao trabalh o de se despedir da anfitriã. Seguia pela Parkway, no caminho de regresso a Langle y, quando Chris ergueu o copo e disse: - À saúde de Connor e de Maggie e ao que o futuro lhes reserva. Todos os convidados ergueram os seus copos: - À saúde de Connor e de, Maggie. 1 ASAP é o acrónimo de as soon as possible, o mais depressa possível. (N. da T.) o ~écimu Primeìru Mandamen~o-fi R2 -Eu digo-te exactamente de onde veio a minha informaçãodisse Tom Lawrence. - Do própri pelo papel que desempenhei o presidente da Colômbia. Ele agradeceu-me pessoalmente nas suas eleições". - Isso não constitui exactamente uma prova - disse Helen Dexter, não dando sinais de qualquer emoção. -Estás a duvidar da minha palavra?-0 presidente não fez qualquer tentativa de disfarça r a sua ira. - Certamente que não, Sr. Presidente - disse Dexter, calmamente. - Mas se está a acu sar a Agência de levar a cabo operações camufladas sem o seu conhecimento, eu espero que não se baseie apenas na palavra de um político sul-americano. 0 presidente inclinou-se para a frente. -Eu sugiro que ouças atentamente uma gravação da conversa que teve lugar muito recente mente nesta sala - disse ele. - Porque o que vais ouvir pareceu-me conter algo de verdade... uma coisa com a qual eu desconfio que não tenhas tido muito contacto nos últimos anos. A directora permaneceu impassível, embora Nick Gutenburg, sentado à sua direita, se mexesse desconfortavelmente na cadeira. 0 presidente acenou a cabeça na direcção de Andy Lloyd, que estendeu o braço e carregou num botão de um gravador que tinha si do colocado a um canto da secretária do presidente. - Importas-te de me dares mais pormenores? - Com certeza, embora tenha a certeza de que não te possa dizer nada que já não saibas . 0 meu único rival a sério, Ricardo Guzman, foi convenientemente retirado da corrida duas semanas antes das eleições. - Certamente que não estás a sugerir... - era a voz de Lawrence. -Bem, se não foi a tua gente, de certeza de que não foi a minha - interrompeu Herrer a, antes que o presidente conseguisse terminar a frase. Seguiu-se um silêncio tão longo que Gutenburg começou a perguntar a si próprio se a conv ersateria chegado ao fim mas, uma vez que Lawrence e Lloyd não fizeram qualquer movimento, ele partiu do princípio que havia mais. - Tem alguma prova que ligue o perguntou finalmente Lloyd. - A bala que o matou proveio de uma arma que tinha sido assassinato à CIA? JEFFREY ARCHER

10 0 DÉC1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO R3 vendida a uma loja de penhores antes de o assassino fugir do país. A arma foi mais tarde retirada da loj a porum dos vossos operativos e enviada de novo para a Amér ica, na mala diplomática. - Como podes ter a certeza disso? - 0 meu chefe da Polícia é obviamente muito mais franco comigo do que a CIA é contigo. Andy Lloyd desligou o gravador. Helen Dexter ergueu os olhos e viu que o preside nte a fitava. - Então? - perguntou Lawrence. - Que explicação simples tens desta vez? -Essa conversa não contém provas absolutamente nenhumas de qualquer envolvimento da CIA no assassinato de Guzman - disse ela num tom tranquilo. -A única coisa que ela sugere é que Herrera está a tentar proteger a pessoa que cumpriu as suas ordens. - Suponho que te estás a referir ao assassino solitário" que, desde então, desapareceu c onvenientemente na África do Sul - disse o presidente num tom sarcástico. -Assim que ele aparecer, Sr. Presidente, encontrá-lo-erros, e, então, poderei dar-lh e as provas que pretende. - Um homem inocente alvejado numa ruela de Joanesburgo não será prova suficiente par a mim - disse Lawrence. - Nem para mim - disse Dexter. - Quando eu trouxer a público o homem que foi respo nsável pelo assassinato, não haverá qualquer dúvida sobre a pessoa para quem ele trabalhava. - Havia uma ligeira irritação na sua voz. - Se não o fizeres - disse o presidente -, eu não ficaria surpreendido se esta fitaele tocou no gravador- acabasse nas mãos de um determinado repórter do Washington Post, que não é exactamente conhecido pelo seu amor à CIA. Deixemos que seja ele a dec idir se Herrera se está a proteger a si próprio ou simplesmente a dizer a verdade. Em qualquer dos casos, terás de responder a muitas perguntas embaraçosas. -Se isso algumavez acontecer, é possível que o Sr. Presidente também tenha de responde r a algumas - disse Dexter, sem pestanejar, Lawrence, furioso, levantou-se da cadeira e olhou-a com um ar de ameaça. - Quero que fique claro que eu exijo uma prova da existência do teu sul-africano d esaparecido. Se não a apresentares dentro de vinte e oito dias, eu quero o pedido de demissão de ambos na minha secretária. Agora, saiam do meu gabinete. A directora e o director-adjunto levantaram-se e saíram da JEFFREY ARCHER sala sem dizerem uma palavra. Nenhum deles falou até estarem sentados no banco de trás do carro de Dexter. Depois de saírem dos jardins da Casa Branca, ela tocou num botão do braço do assento e uma janela de vidro fumado subiu para que o motorist a - um operacional sénior-não conseguisse ouvir a conversa que tinha lugar atrás de si. - Já descobriste que companhia entrevistou Fitzgerald? - Sim - respondeu Gutenburg . - Então, vais ter de ligar para o presidente deles. - 0 meu nome é Nick Gutenburg. Sou director-adjunto da CIA. Gostaria que me telefo nasse. 0 número geral da Agência é 0 703 4821100. Se disser o meu nome à telefonista, ela passa a chamada directamente para o meu gabinete. - Desligou. Gutenburg tinha, ao longo dos anos, chegado à conclusão de que não só as chamadas deste tipo eram invariavelmente retribuídas, de um modo geral dentro de poucos minutos, como 0 pequeno subterfúgio o colocava quase sempre em vantagem. Ficou sentado àsecretária, à espera. Passaram-sedois minutos, masnãoestavapreocupado. El e sabiaque estecavalheiro específico iria verificar o número. Quando confirmasse que era o número geral da CIA, Gutenburg estaria ainda em maior vantagem. Quando o telefone finalmente tocou, ao fim de três minutos, Gutenburg deixou-o toc ar durante algum tempo antes de atender. - Bom dia, Sr. Thompson- disse ele, sem aguardar para se certificar quem era. - Obrigado por retribuir a chamada tão depre ssa. - 0 prazer é todo meu, Sr. Gutenburg- disse o presidente da Administração da Washingto

n Provident. - 0 assunto sobre o qual preciso de lhe falar é um tanto delicado, Sr. Thompson. E unãolhetelefonariasenão achasse que é do vosso melhor interesse. - Compreendo - disse Thompson. - Em que lhe posso ser útil? - Os senhores têm estado a entrevistar candidatos para a chefia do vosso departame nto de sequestros e resgates. Um cargo que exige a maior integridade. -Claro-disse Thompson.-Mas eu acho que encontrámos a pessoa ideal para o cargo. -Eunãofaçoideiadequemseleccionaram,masdevoinformálodequenós estamos actualmente ainvesti garum dos candidatos e,seocasoforatribunal,poderánãosermuitobomparaaimagem 0 DÉC1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO R5 da vossa empresa. No entanto, Sr. Thompson, se está confiante de que encontrou o h omem certo, a CIA certamente que não deseja criar-Ihe obstáculos. - Um momento, Sr. Gutenburg, Se tem conhecimento de alguma coisa que eu deva sab er, eu terei muito gosto em ouvi-lo. Gutenburg fez uma pausa antes de perguntar: - Posso pedir-lhe que me diga, na maior confidencialidade, o nome do candidato a quem está a pensar em oferecer o cargo? - Certamente que pode, porque não tenho qualquer dúvida sobre a sua reputação, passado ou integridade. Estamos prestes a assin ar um contrato com o Sr. Connor Fitzgerald. - Houve um longo silêncio antes de Thompson dizer. - Ainda aí está, Sr. Gutenburg? - Estou sim, Sr. Thompson. Será que o senhor conseguiria arranjar algum tempo para vir a Langley conversar comigo? Eu acho que devo dar-Ihe mais pormenores sobre a investigação de fraude que estamos actualmente a levar a cabo. Gostariatambém delhemostraralgunsdo cumentosconfidenciaisquenoschegaram às mãos. Desta vez, foi o Sr. Thompson quem ficou calado. -Lamento muito ouvir isso. Eu p enso que essa visita não será necessária - disse o presidente da Administração em voz baixa. - Ele parecia um homem tão honesto. - Eu também lamento muito ter tido de fazer esta chamada, Sr. Thompson. Mas o senh or ficaria ainda mais aborrecido comigo se não o tivesse feito, e toda estahistória acabasse por aparecer na primeira página do Washington Post. - Não posso deixar de concordar consigo - disse Thompson. - Posso acrescentar - di sse o director-adjunto -, embora, claro, isso não sejapertinente parao casoqueesta mos a investigar, quetenhoumsegurodaWashingtonProvidentdesdequecomecei a trabalhar p ara a CIA. -Folgo muito em sabê-lo, Sr. Gutenburg. Eu gostaria de dizer quegostomuitodaformam eticulosacomoossenhorestrabalham. - Só espero ter-lhe sido útil, Sr. Thompson. Adeus, sir. Gutenburgpousou o auscultador e carregou imediatamente no "le do tel efone mais próximo de si. - Sim? - disse uma voz. -Eu acho que, afinal, aWashington Providentnãovaidarum emprego ao Fitzgerald. - Optimo. Vamos esperar três dias, depois tu podes falar-lhe no novo contrato. - Porquê esperar três dias? R6 - Obviamente que nunca leste o trabalho de Freud sobre a vulnerabilidade máxima. Connor estava a ler a carta pela terceira vez quando o telefone em cima da sua s ecretária tocou. Não conseguia acreditar. Que teria corrido mal? 0 jantar na casa dos Thompsons não podia ter sido mais agradável. Quando ele e Maggie voltaram para c asa alguns minutos antes da meia-noite, Ben sugerira uma partida de golfe no Burning Tree no fim-de-semana seguinte, e Elizabeth Thompson convidara Maggie pa ra tomar café enquanto os homens andavam atrás de pequenas bolas brancas. No dia seguinte, o seu advogado telefonara a dizer que o contrato que a Washington Prov ident lhe enviara para apreciação só precisava de alguns pequenos ajustes. Connor pegou no ascultador. - Sim,Joan. -Tenho o director-adjunto em linha. - Podes passar a chamada- disse ele em tom de desânimo. - Connor? - disse uma voz em que ele nunca confiara. - Apareceu uma coisa importante, e a directora pediume que falasse contigo imediatamente.

. . Sentou-se num banco. Connor não respondeu.disse Connor. Mas o presidente insistiu para JEPFREY ARCHF. à direct ora a informá-la da tua decisão. Desta vez. olhando fixamente para a Casa Branca.Tem provas suficientes para convencer a Comissão Especializada do Congresso sobr e Espionagem? .ele acentuou a palavra enquanto continuava a olhar fixamente para a Casa Branca . Ele sentir-se-ia muito mais à-vontade se lá estivesses.disse Jacks on. .Com certeza . no lugar habitual? . . .Mas o Zerimski ainda está muito atrás nas sondagens . .disse Connor. . Connor teve o cuidado de não olhar na sua direcção.Como por exemplo? -0 agente que eu desconfio que premiu o gatilho foi despedido pouco dépois de o pr esidente ter falado com a Dexter na Sala Oval e ter querido saber quem era respo nsável pelo assassinato de Guzman.Mas vou precisar de algum tempo para pens ar no assunto.perguntou Lloyd. Andy Lloyd atendeu o telefone vermelho.disse Connor.Ele quis o nosso melhor homem.Connor. .Quanto decidires.Ele estava a trabalhar para a CIA? . ele reconheceu imediatamente a voz. o director disse-lhe isso. RR JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRlME1R0 MANDAMENTO R9 . isso significaria o regresso à Guerra Fria de um dia para o outro.repetiu Connor.disse Connor. . . que fizéssemos tudo o que estivesse ao nosso alcance para te convencermos a ficar até ao fim desta missão.. .Não se espera que Chernopov vença com uma margem confortável? . Quase todas as provas que tenho seriam consideradas circunstanciai s.Se estás preocupado com o teu novo emprego . o resultado das eleições na Rússia podem afectar o futuro do mundo livre. estava. por favor. Se aquele lunático do Zerimski fosse eleito.Mas eu vou deixar a empresa daqui a dez dias . com um eleitorado tão volátil.. não tenho. -Foi o próprio presidente que pediu que tomasses conta desta missão -murmurou Gutenb urg. Mas. . de frente para a Casa Branca.prosseguiu Gutenburg -. para o caso de a tua perícia ser necessária. Três minutos mais tarde.Digamos três horas. qualquer coisa pode acontec er. . eu possa fa lar com o presidente da Administração da empresa onde vais trabalhar. . -Tenho quase a certeza de que sei quem levou a cabo a missão em Bogotá . para lhe explicar que esta é uma missão de curta duração. se juntarmos tudo. Connor começou a andar na direcção oposta. Connor chegou primeiro à Praça Lafayette. .Com certeza . Ele ainda ficou com o telefone na mão muito depois de ter ouvido o dique. telefona.Ele pôs-se pé e afastou-se na direcção da Praça Farragut.Sim.R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO R7 Lamentamos informá-do.Isso é o que parece agora ..disse Gutenburg. não assimilando bem as palavras de Gutenburg. há demasiadas coincidências para o meu gosto.acha que. Alguns minutos mais tarde.disse Gutenburg.Não. . .Mas ainda faltam três semanas e o p residente . -Sim. Nick Gutenburgsentou-se na outra extremidade do banco. Leu a carta pela quarta vez e decidiu só contar a Maggie quando estivesse em vias de conseguir outro emprego. 0 presidente poderia dizer adeus à sua Proposta de Le i da Redução do Armamento e o Congresso exigiria um aumento do orçamento da Defesa que poderia levar-nos à bancarrota. Connor continuou calado.Com certeza .Isso não será necessário .

.Ele deu-lhe a ela e a Gutenburg vinte e oito dias para provarem que a Agência não esteve envolvida no assassinato de Guzman e para fornecerem provas irrefutáveis de quem o matou.disse o professor Ziegler. .Isso não é admissível como prova. .Que é que esse tem de notável? Todos nós já ouvimos Lawrence fazer um discurso. Sr.Na realidade. Um sorriso de satisfação quase infantil apareceu no rosto do professor.Antes de responder a essa pergunta preciso de saber o resultado do último encont ro dela com o presidente . . normal. vamos ver as coisas do ponto de vista deles . Ele também não lhes deixou qualquer dúvida de que. mais de mil dis cursos. . não. voltando ao seu estilo lacónico. Ele voltou-se para os computadores e carregou nalgumas teclas. -Talvez. não é? .Faz alguma ideia de que missão seja essa? .Talvez não seja. .Não. .Então. director dos Serviço s Técnicos.Boa tarde.Ela nunca eliminaria a sua própria gente .Que quer dizer com isso? . se falharem. . Três dias depois. . . 0 rosto de Tom Lawrence apareceu no ecrã.Boa tarde.disse Jackson em voz baixa.Uma segunda coincidência. Todas as palavras ou frases que ele usou nessas ocasiões estão armazenadas neste banco de dados. Mas o mesmo agente estava prestes a ir trabalhar para a Washing ton Provident como chefe do departamento de sequestros e resgates quando subitam ente.É .Estou disposto a ace itar a missão. que tem nome de código ~~Tommy>~. Connor. .Eu quero provas de que a operação foi aprovada pelo presidente. .perguntou a directora.disse Lloyd. Posso até mesmo decidir qual é a sua posição a resp eito de um determinado assunto. DepoisdeDextereNickGutenburgteremescutadosaspalavras do presidente durante algun s momentos. -Há uma terceira.Isso significa que o agente em causa tem menos de um mês de vida. .Como é que isso funciona? . entrevistas à rádio e à televisão e conversas telefónicas que o presidente deu ou em que participou nos últimos dois anos.Não se esqueça de que ele é um NOC.Com uma condição. .perguntou Gutenburg. Gutenburg encontrou-se com o agente em causa num banco de jardim da Praça Lafayette. a oferta de emprego foi retirada.disse Jackson.De momento. .E qual é? .0 director-adjunto pediu-me que lhe telefonasse quando tivesse tomado u ma decisão sobre um assunto que eu e ele discutimos na segunda-feira. . Sr. . . Daqui fala Connor Fitzgerald. Houve um longo silêncio antes de Dexter dizer: . . . Ela já nem se lembrava de quand o fora última vez que estivera no laboratório OTS de Langley. Lloyd.Eu informarei o presidente do seu pedida.a Directora.Tem alguma forma de saber para onde? .Folgo muito em sabë-lo. -Eu armazenei no meu computador.Que acha que a Dexter estará a fazer para se certificar de que está protegida? . é melhor certificar-se de que ele continua vivo. .disse Ziegler.Por que quereriam levá-lo? .masnuncaoouviramfazeraquelediscursoespecífico . -Sim-disse Dexter. . A secção da CIA para onde ele trabalha nem sequer ex iste oficialmente.Este tipo é um grande amigo seu. . irá exi gir a demissão de ambos e entregar todas as provas em sua posse ao Washington Post. Isso significa que eu posso fazë-lo discursar sobre qualquer assunto que quiserem.Está bem. ela perguntou: .. Muito prazerem ouvi-lo-disse Dexter num tom mais caloroso daquele que usara na últ ima reunião.Para uma missão isolada. mas não ficaria surpreendido se ela o levasse para muito longe de Washington. Houve um longo silêncio antes de Jackson dizer: . sem qualquer explicação. é bastante simples . Nem sequer a mulher dele sabe.disse Lloyd num tom de incredulidade. Dexter começou a pensar nas possibilidades.

Eu achei que.Pausa. ele seria capaz de dar uma resposta convincen te? .admitiu Ziegler. mas se prepararem uma frase de a bertura e outra para terminar a conversa. Sr. Joan? Eu não estou a ficar surdo.Tenho a certeza que tem . era o mínimo que poderia fazer ..e ag radeço-lhe ter-me telefonado pessoalmente. . Eu não faço a mínima ideia por que precisam do Tommy.Tenho a certeza de que nós podemos fazê-lo . se r ecebesse uma chamada telefónica do presidente. saberia par que motivo ele estava a telefonar-lhe. espontaneamente . . que sabia todas as respostas de cor. -Talvez.disse Ziegler.Por isso.Pausa. Presidente.perguntou ela. -Então. . .Que se passa.Boa tarde.Sei. a secretária pessoal do presidente. . .Eu compreendo a sua apreensão.Boa tarde .disse Gutenburg.0 que poderá não ter tão difícil como imagina . creio que eu conseguiria enganar a própria mãe do Lawrence. a única coisa que temos de fazer-disse Gutenburg . Presidente. espero que concorde em aceitar a respo nsabilidade. depois perguntou a Ziegler: . .Não. . A directora acenou a cabeça em sinal de concordância.é antecipar o que a outra p arte provavelmente dirá. 0 professor Ziegler carregou "Frase inicial>~. Mas Tommy tem muitas outras utilizações. Como sabe. . as cinquenta pergun tas ou afirmações a que mais provavelmente ele teria responder.Eu penso que sabe o motivo por que estou a telefonar. o senhor e a sua mulher possam vir visitar-m . eu quase posso garantir que ele seria capaz de ter uma conversa plausível. dadas as circunstâncias. Presidente -. Sr. .. A voz que Connor ouviu a seguir era de uma mulher: . . Sr. Ziegler pareceu decepcionado. ao ver que a directora tinha deixado de lhe presta r atenção.Quanto tempo levarão a decidir o que o presidente precisa de dizer?-respondeu Zi egler. digamos. -Eu sinto-me gratopela sua confiança em mim. Presidente. Isso nunca acontecia quando estava prestes premir o gatilho. eu não me sentia capaz de aceitar a missão se não tivesse a certeza de qu e a ordem provinha directamente do Sr. Ela manteve o dedo na campainha do intercomunicador até Connor finalmente atender o telefone em cima da secretária. com o sorriso infantil a regressar-lhe ao rosto. Ele sentia o suor na palma da mão que segurava o auscul tador.Mas se se tivesse uma ideia da pergunt a a que ele teria de responder. Ziegler carregou no botão "Esperam. Por exemplo.Por que é que desenvolveu este equipamento? . sir.Tenho em linha a Ruth Prestou. -Número 7. -Pausa..disse Connor .Foi montado no caso de o presidente morrer enquanto a América estivesse em guerr a e precisássemos que o inimigo acreditasse que ele ainda estava vivo.Porque não tenho qualquer dúvida de que o senhor é a pessoa certa para a levar a cabo.Eu decidi que tinha de telefonar para lhe dizer como considero importante esta missão -Pausa.Estou a falar com Connor Fitzgerald? -0 próprio-respondeu Connor.Tenho o presidente em linha para falar consigo. Gutenburg me tenha garantido o seu envolvimento e a própria directora me tenha telefonado nessa mesma tarde para o confirmar. . -Afinal de contas. .perguntou Gutenburg. . . . seria pouco provável que lhe perguntasse se o dólar estava forte ou o que ele comera ao pequeno-almoço. -Obrigado. Ouviu um dique. -Número 11-disse Ziegler. emboraoSr. quando tudo isto terminar. sim. A directora e o director-adjunto suspenderam a respiração.90 JEFFREY ARCHGR 0 DECIMO PRIM61R0 MANDAMENTO 91 -Se fizessem uma pergunta aoTommy. . .Quanto tempo levaria a preparar um programa específico? .. .disse uma voz familiar. -Número 19.a Directora. . bem como.interrompeu Dexter. não é verdade ? Na maior parte dos casos. . Sr.

Eu penso muitas vezes que é tris te a América nem sempre dar valor 92 JF. -Esperemosquesim-disseConnor.Está tudo bem. . . Espero vê-lo assim que regressar.disse ela. . Maggie fechou-a e caíram os dois em cima da cama. . claro .Tenho um contacto em Moscovo? . Ele le vantou os olhos para ela e ergueu uma sobrancelha com ar de interrogação. . mas não queria que ela encontrasse alguns itens que não estavam de acordo com a sua história.afastando-sedodirector-adjunto sem lhe apertar mão. se a directora o permitir. Connor? . .disse Gutenburg. Ouviu-seumagarga lhadasonora. -Pausa. ele entregar-te-á a arma.Não.disse ele.disse Maggie.-Elenão se importa que eu comece um mês mai s tarde. penso que os teus serviços nâo serão necessários e. Sr. . -Gostei muito de conversar consigo.Começar um novo emprego no dia um do próximo mês teria sido uma desculpa convincente.disse Maggie. Gutenburg entregou-lhe um envelope grande contendo quatro passaportes. Adeus. Sentou-se em cima da tampa da mala.Marca e modelo? . isto é. - .Última frase .. . Parou ao lado de um carro que ela nunca tinha visto. perguntando a si próprio como iria conseguir meter o saco de toilette na ma la.Não é preciso assinar um recibo de tudo isto?-perguntou Connor.recordou-lhe ela. largando-a.Será bom voltar vê-lo.Tens. -T omou de novo a mulher nos braços. . . quando o som da gargalhada desapareceu . Eles dar-te-ão documentação com infornações sobre a agenda dele até às eleições.Meu Deus.disse Ziegler.Óptimo. seguido de Maggie.Está tudo óptimo.e na Casa Branca. Já estava a ficar arrependido de não ter deixado que Maggie lhe fizesse a mala.disse Connor.Seria uma honra para nós. querida .Connor carregou na roupa. enquanto Connor pousava o auscultador. Receio que esta missão possa a cabar por ser um não acontecimento.-MasseChernopovco ntinuaràfrentenassondagens. -Pausa. . . .E ao Stuart também . trataremos da papelada quando voltares. subitamente. Connor ainda tinha o telefone na mão quando Joan entrou no gabinete. Q uando chegares a Moscovo.. colocando ma is uma camisa azul na mala. Ele pegou na mala e levou-a para baixo.Sim. feita por medida . . Connor afastou ligeiramente o telefone do ouvido. . . . .Eles insistiram tanto. deves ir àsededacampanhadeZerimskiemostrar-lhesastuascre denciais como repórter freelance da África do Sul.Qual foi a reacção de Ben Thompson? -Eletemsidomuitocompreensivo-disseConnor. nesse caso. regressarás a Washington no dia a seguir às eleições. Pausa. Ele tomou-a nos braços e abraçou-a durante um pouco de tempo a mais. .Podias ter recusado .Que o presidente chama sempre toda a gente por tu e pelo nome próprio. colocando a mala na bagageira.Ela fez uma pausa.disse ele ao sair pela porta da frente.perguntou ela em voz baixa. a rir. sir -disse ele.Gutenburg hesitou. Presidente.FFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 93 aos seus heróis anónimos. . . . Ele também recebeu instruções para contactar contigo se houver luz verde e. nesse caso.Outro mito desfeito .É a sua primeira missão importante e ele só recebeu as informações essenciais. . que não consegui dizer que não . Ashley Mitchell. mas desta vez certificou-se de que não a abraçava durante demasiado tempo. Não te esqueças de dizer a Tara que es ou ansioso por vê-la no Natal .A Remington 700 habitual. . .d isse ele. Parece que Dezembro é sempre uma altura calma.Adeus. -Número3-disseZiegler. Como foi tudo um pouco apressado. que vamos a oferecer a Tara no Natal? . -Tenho pena de não estar cá no Dia de Acção de Graças. três bilhet es de avião e um maço de notas em diferentes moedas.

podes diz er ao padre Graham para ele arranjar outra pessoa para a mesa de brídege no sábado? Adeus. . abriu-o. num canto. 0 pássaro voou. . devolveu as chaves ao parque automóvel e assinou o livr o de registo diário. Tanto quanto ela saiba.Optimo.disse o funcionário fardado que verificou o seu bilhete. 0 jovem desligou o telefone e desceu a escada rolante até ao rés-do-chão.Sim? . Na zona de espera.A propósito. .0 telefone desligou-se. Desceu a rampa e tirou um bilhete da máquina antes de estacionar ao fundo. Sem mais palavras. Mas ela não pensará mais no assunto. -Nomeiod . . .disse Maggie. ele demitiu-se do emprego actual e irá trabalhar para a Wa shington Provident no dia um de Janeiro. -Tens a certeza absoluta de que não haverá qualquer vestígio de ele ter existido? . Perry . . Por favor. . Trinta minutos mais tarde.Óptimo. Quando chegou ao fim da estrada de acesso a Dulles.Porquê o Médio Oriente? -Porque ela terá de estar no escritório no horário de trabalho deles.E a mulher? . sentou-se a um canto e. à hora previ sta.Não haverá vestígio absolutamente nenhum .Eu mandei transferi-la para Langley.disse Connor. E durante os próximos oitomeseseuvoufazê-latrabalhartanto.Não me lembro dest e carro . . como NOC. um jovem de fato azul-escuro marcou um número no seu telemóvel. quando os passageir os receberam instruções para embarcar. Detestava despedir-se de Maggie e tentava manter as despedidas tão breves quanto possível.disse uma voz.Há ainda a sua antiga secretária. ocupou o seu lugar habitual de janela perto do f undo do avião.É um dos carros da empresa . . Ela estava à entrada da casa. Este mostrava que o veículo tinha sido requisitado em seu nome e devolvido em seu nome. Fechou o ca rro 9d JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 95 e dirigiu-se para a entrada do aeroporto.nãoprecisar ias sequer de pensar . Onde está Fitzgerald neste momento? Gutenburg olhou para o relógio. não precisou de procurar a set a que apontava para o parque de estacionamento de longa duração. para poder vigiá-la.Por que é que ela havia de desconfiar de alguma coisa? 0 cheque do ordenado mens al foi depositado na conta conjunta deles. -Setivessesvistoaúltimacontatelefónicadela. . Verificou o retrov isor. das seis da tard e às três da manhã.explicou ele. miraculosamente. . colocando-se atrás do volante. . Depois de passar a segurança. Sr.Ainda nem sequer pensei nisso.Que sector? . Vinte minutos depois. querida. Comunique de novo quando tiver levado a cabo 0 resto da sua missão. . pagou o estacionamento e dirigiu-se para leste. Connor apanhou uma sala móvel para o terminal situado no meio da pista. . 0 voo 918 está quase pronto para embarque.Obrigado.Não te esqueças que. dirija-se à Porta C7. aacenar. -Agente Sullivan a telefonar da Estalagem.pe rguntou a directora. retirou-o do parque. embora não fossem descolar a horas. ele levou o automóvel para a estrada. estava a ouvir o comandante explicar que. .queelaestaráde ma siado cansada para pensar noutra coisa a não ser no que vai fazer quando se reform ar.disse Gutenburg.Médio Oriente. Dirigiu-se a um automóvel situado num canto do parque de estacionamento de longa duração. ele nunca esteve sequer nos registos da Empresa. quandoelevirouparaCambridgePlace e se dirig iu para o aeroporto. ligando a ignição. No terminal. depois subiu a escada rolante até ao bal cão de check-in da United Airlines. eles iriam chegar.

disse ele. o Stuart. e não ficou surpreendido quando o empregado voltou com um copo alto com três pequeno s cubos de gelo e um pedaço minúsculo de limão a flutuar dentro dele. apesar de estar exausto.E o gabinete dele na Rua M? . ter sempre que as visualizar na sua mente.disse a directora. separadam ente. > Pensou mais uma vez naquela carta. "Uma coisa que tens de fazer antes de começares o novo emprego é encontrar um alfaia te decente". No interior havia um bilhet e para Genebra em nome de Theodore Lilystrand e cem francos suíços. -ElenãovairegressaraWashington-respondeuGutenburg. . Pormaisquereflectissesobreoassunto. os mesmos dois homens viram-no fazer fila numa praça de táxis. Ligou a televisão e mudou de canal para canal . enquanto assinava o impresso de registo. E o que mai s detestava ainda era não poder simplesmente pegar num telefone e falar com uma dela s quando lhe apetecia.0 seu quar to é o número 211. daqui a cerca de quatro horas. eu próprio a levo .E o automóvel? . Quando chegou eventualmente àfrente. .EleaterraránoAeroportodeHeathrow. Kensington. em Londres.Há.Ele entregou um enorme envelope castanho a Connor. Perry. . Connor só se levantou da cama quando escureceu. onde um deles já tinha deixado um embrulho para ele na recepção. LamentoterdeinFormur. Connor abriu o envelope.Já foi devolvido ao parque automóvel e vai ser pintado e receber uma matrícula nova. saiu da sua cela de prisão p or uma noite e foi à procura de uma refeição. Comprou o Evening Standard a um ardina de uma esquina e entrou num pequeno restaurante italiano da High Street. o táxi preto. Mandouvircannellonicomsalada. e esse andar será colocado nas mãos de uma agência imo biliária na segunda-feira. sim. .Há alguma mensagem para mim? . "0 teu novo emprego. o Sr. tinha dito Tara na últimavez quetinham conversado. Eram as únicas alturas em que surgiam dúvidas.. Qualquer coisa que o fizesse lembrar dela. Mandou vir uma coca-c ola com muito gelo. .Será esvaziado durante a noite.aquilo a que Tara chamava navegar pelos canais-. Ele despiu o casaco e deitou-se em cima da cama mas.. Lilystrand que m regressaria ao aeroporto na manhã seguinte. Dois homens observaram-no enquanto ele saía do Terminal Três e apanhava o autocarro para a Estação Rodoviária de Victoria.mas isso não ajudou.oAtlântico. excepto no que acontecerá quando ele regressar a Wa shington . . Eles seguiram.Parece que pensaste em tudo.Eraengraçadocomoescolhia os pratos preferidos de Magg ie quando estava no estrangeiro. Connor colocou-se na enorme fila.Não é preciso. Quarenta e dois minutos mais tarde. 96 Assim que entrou no quarto. Sr. Lilystrand . . Ele sempre detestara esperas. Sr. não conseguia pensar num motivo para Thompson ter mudado de ideias. Um empregado levar-lhe-á a bagagem para cima. Depois. Simplesmente não fazia sentido. . . que estava só meio cheio. . "E eu queroirconti goescolher as camisas e as gravatas. seria o Sr.perguntou Connor. obrigado. A luz mal era suficientemente forte para conseguir ler o jornal. Começou a pensar no Natal com Maggie e Tara-e sim. o funcionário verificou o passaporte e disse: -Espero que passe umas boas duas semanas no em Inglaterra. até ao Hotel Kensington Park.Um cavalheiro deixou isto par a si esta manhã. 0 empregado de mesa acompanhou-o a uma mesa sossegada situada a um canto. Afinal. Na pequeno rectângulo em que se perguntava "Quanto tempo tenciona ficar no Reino U nido?". Detestava não lhe ser permiti do andar com fotografias. Ele rec ordava constantemente a si próprio que esta seria a sua última missão. Os ingleses nunca compreenderiam o significado de "muito gelo". à espera de passar pelo controlo dos passaportes .disse o recepcionista. não conseguiu dor mir. Perry escrevera "catorze dias".

Quando regressou ao hotel.Telefonei-lhe para o escritório. estava melhor do que os dois homens colocados lá fora. mas estes não significaram nada para ele. d e que era membro fundador. a mãe telefonar-lhe-ia todos os dias. Ela sabia que. dormiu intermitentem ente.Porque um homem belo e rico pode saltar de um dos camarotes e violar-te. . pensou Connor. . Ele tinha-os v isco minutos depois de aterrar em Heathrow..Vou. Passavam alguns minutos da meia-noite .Por que não? .Adeus.A aguentar .Mãe. . "É estranho". -Considero-me devidamente avisada.respondeu Tara. queres parar de te preocupar e dizer-me o que vais fazer esta noite? -VououviroPlácidoDomingoemLaBohéme. Estou ansio sa. desde a PLUG. . . "Eles não tiveram sempre um presidente da Câmara.Bem. podem falar as duas sobre o pa pá toda a noite. tem cuidado. pelo menos.Conduz com cuidado.E como está Stuart? . mas o telefone parece estar avariado. enquanto Connor estivesse fora. Nunca se casara e ainda lhe mandava um cartão de boas festas todos os anos pelo Natal e outro. . e DickWhittington? Olhou para as f otografias dos candidatos e para os seus nomes. . Interrogou-se onde estaria nessa altur a.perguntou Maggie.Eu já te disse várias vezes que vamos alugar um carro e subir a costa oeste. a Patrulha do Lixo daUniversidade de Georgetown. onde dava aulas. mamã.disse Tara. de costa s direitas e os pés a fazer sapateado. não assinado. mamã-disse Tara. ligou a televisão e viu alguns minutos de uma comédia que não o fez rir. há nove anos que eu guio sem sequer apanhar uma multa. lembrava-se de Declan O'Casey. mãe. está bem? .alguns minutos depoi s das sete em Washington. inocentemente. b Dhimo Primeira Mandamento-1 9R JEFFREY ARCHE.'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMEN70 99 . Maggie dedicava-se a algumas das suas actividades na universidad e. e não te sentes nas seis primeiras filas da frente. Sempre que Connor viajava para o estrangeiro ou era parceiro do padre Graham no clube de brídege. até amanhã . Ele era agora um distinto catedrático da Universidade de Chicago.Começou a ler a primeira página do jornal: nove candidatos estavam a disputar as ele ições para o primeiro presidente da Câmara de Londres. Mas sentiu-se consolado ao pensar que. Depois de tentar dois filmes. coisa que não se pode di zer de si ou do pai.Ele chega a LA daqui a quinze dias. no passeio. . Maggie riu-se. Pagou a conta com dinheiro e deixou uma gorjeta que não daria ao empregado de mesa qualquer razão para se lembrar dele. Agora. Stuart nunca esteve na América e quer ver LA e São Francisco. à Sociedade de Poesia das Mulheres Vivas e à classe de dança irlandesa. que não dormiriam nada. . Perguntou a si próprio o que iria Maggie fazer nessa noite.Vocês apanham o avião directamente para cá? -Não. Quando via os jovens estudantes a dançar.Por que é que não pedes a Joan que vá contigo? Assim.. Um deles estaria a gerir JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 97 a capital da Inglaterra daí a duas semanas.perguntou Maggie. Qualquer coisa. Tentarei telefonar-lhe para casa mais tarde. .Vais sozinha? . . Olhou para o relógio. Lembras-te? . tentando não parecer exasperada. Resolviesperar até o teu pai estar fora porque sei que ele adormeceria antes do fim do primeiro acto. .

Não havia uma fila muito longa para o voo da Ae roflot.a Fitzger ald.no Dia de São Valentim. porque. Não conseguia concentrar-se.como Theodor e Lilystrand. Quando se aproximou do bar apinhado. Na manhã seguinte.Ele está-te particularmente grato.respondeu ele. Quando os passageiros foram chamados alguns minutos . .Bem. Entrou na "instalação sanitária exclusiva"-como era descrita na revista de bordo . Ben . c omprando apenas um croissant e um café num dos restaurantes mais caros do mundo.disse ela. embora a mulher só tivesse bebido metade do seu copo. na altur a. Continuava a não atender. o convitetinhaparecido genuíno. Maggie ficou deslumbrada com o primeiro acto de La Bohème e teve pena de não ter alg uém com quem partilhar a experiência. fez o que mais se aproximava. mas não no tom caloroso que ela se recordava do jantar de duas semanas antes. E por que é que ele não lhe tinha chamado Maggie? Sem desistir. viu de relance Eliza beth Thompson. Elizabeth estava prestes a dizer qualquer coisa quando a campainha dos três minuto s tocou. 0 voo durou um pouco menos de duas horas. .Muita prazer em ver-te.Espero que goste do segundo acto. para Sampetersburgo. Connor levantou-se cedo. pois a conversa que tivera lugar no átrio vinha-lhe constantemente à ideia.Muito prazer em voltar a vê-la. Pegou outra vez no telefone e marcou o número da casa de Joan. e ele acertou o relógio para as dez e meia quando as rodas do avião tocaram na pista. mas ninguém atendeu. fez sinal a um táxi e estava a caminho de Heathrow antes de o recepcionista de serviço ter reparado que ele se fora embora.Igualmente. voltou a ligar para Joan Bennett. Se soubesse como entrar em contacto com Connor. por lhe teres permitido começar um mês mais tarde.Pegou com firmeza no braço da mulher e conduziu-a ao auditório. . Quando Ben Thompson se virou e a viu. Louis-disse Ben John son. teria quebrado a regra de um a vida inteira e ter-lhe-ia telefonado. repórterdoJohannesburg Mercury. Por mais célebre que o tenor convidado fosse. -ConnorestáansiosoporirtrabalharconvosconaWashington Provident . um banqueiro de investimentos de Estocolmo.disse Maggie. . Sr e Fitzgerald . nãoconseguia conciliara sua atitudecom o que acontecera em casa dosThompsons duas semanas ant es. . ela prosseguiu. Mas. A velha máquina de escrever com o "e" torto denunciava-o. por mais vezes que a recordasse. e emergiu quarenta minut os mais tardecomo Pietde Villiers.Connornãoentrou em nenhuma das lojas francas. Dirigiu-se eventualmente à Porta 23. Às sete e quarenta embarcou no voo 839 da Swissai r para Genebra. não achas? . finalmente. Preparou uma salada ligeira que comeu sozinha na cozinha. . Maggie não gostou do segundo acto. Elizabeth Thompson pareceu surpreendida. Maggie sorriu e foi ter com eles. Depois de colocar o prato na máquina de lavar voltou a telefonar para Joan. era sempre fácil arranjar um bilhete só. juntou-se à multidão que se dirigia ao átrio. mas não fez qualquer comentário. ficou ainda mais intri gada quando ele não fez qualquer tentativa de o pagar. po r isso saiu para ir ao Kennedy Center. e tivemos muita sorte em trazer o Leonard Slatkin de St. 0 telefone tocou mas ninguém atendeu. é melhor voltarmos aos nossos lugares . Pagou a conta com dinheiro. Maggie ficou surpreendida por ele não lhe perguntar se queria beber alguma coisa e quando.disse Ben Thompson. mas nunca chegara a acertar os pormenores. Durante a escala. . para poder terminar o contrato com a sua antiga empresa. ela pediu um sumo de laranja. Sr. Lembrou-se que ela a tinha convidado para tomar café. Emboraaindativessedeesperarumahora. beb endo um golo do sumo. . Quand o chegou a casa. Ela tinha ficado surpreendida.0 Domingo é magnífico.É. Assim. aproveitou a oferta da Swissair para tomar um duche. Quando o pano caiu. Ben.

Aqui fala Helen Dexter.perguntou Lloyd. . desembucha. Sentiu-se . ele embarcou num voo da Aeroflat para Sampetersburgo. retomando o seu papel de adido cultural da Embaix ada Americana.Não consigo lembrar-me do nome e não tenho sequer a certeza de o ter visto. Connor foi o último a deixar do avião e o último a sair do autocarro.0 voo para Sampetersburgo acabou de descolar e o nosso embrulho vai a bordo. Desta vez. . Não te preocupes. estaria nova mente sentado à sua secretária em Berna. . espreguiçou-se e esperou que o avião parasse antes de mudar os ponteiros para ahoralocal.respondeu o chefe de Gabinete da Casa Branca num tom form al.. .Está bem. quer por organizações de criminosos. telefona-me imediatamente.respondeu o jovem agente da CIA. Afinalde contas. -Se bem me lembro.Penso que não . t inha um passaporte sul-africano em nome de Piet de Villiers.Quem era? . nega que tenhas alguma coisa a ver com a CIA. vaï haver eleições em breve na Rússia. ele apanhou o comboio nocturno para Moscovo. o relógio de Connor dizia que eram cinco e cinquenta. De Sampetersburgo. . . .Se te lembrares quem era. quando o comboio chegasse à estação Raveltay de Moscovo." 0 Décimo Primeiro Mandamento só era recordado aos principiantes.disse Dexter-. ele dirigiu-se para a Aarte de trás do avião. apanhou um voo da Swissair para Genebra.. utilizando um passaporte sueco em nome de Theod ore Lilystrand. . Na manhâ seguinte.masanevenãoasse ntava. elepodia voltar pôr a gravação se o pr esidente quisesse ouvir exactamente o que ela dissera. -0 director do nosso escritóri o de Joanesburgo acabou de me informar que o assassino de Guzman embarcou há dois dias num voo da South African Airways para Londres. . porque lhe faltavam metade das Lâmpadas. Bocejou.Excepto. Um homem que viajava em primeira classe no mesma voo correu para a frente da fil a para ter a certeza de ser o primeim a passar a imigração e a alfândega. Os americanos tinham passado a reférirse a estes como a mafia.Não sei se a estou a compreender bem .Excepto o quê? Vamos. Àlgnmas coisas nunca mudavam.0 jovem desligou o telefone e dirigiu-se à Porta 9.disse Lloyd. a Empresa tomará sempre conta de ti. Recapi tulou de novo as informações do director-adjunto. -Óptimo-disseGutenburg. Llaydnãoa interrompeu. . Algumas horas mais tarde. Nevavasuavemente.Olhoupelajanelaparaumaeroportoqueseeneontrava na se miescuridão.. Mas s e fores apanhado.mais tarde.Bom dia. . . quer fossem dirigida s pela KGB.perguntou bruscamente Gutenburg.-Masalgumacoisaainformar? . Só ficou em Londres uma noite. Eu não m e podia a arriscar a tirar os olhos do Fitzgerald durante mais de alguns segundo s. . . Ele tinha um passaporte em nome de Martin Perry. Começou a pensar no que prec isaria de 100 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 10f fazer na manhã seguinte. para evitar a confusão com a versão italiana. perguntando a si próprio por que motivo Gutenburg tinha repetido as palavras: "Não te deixes apanhar. .Em Genebra. sir. Destavez.Oscem~ss ageiros cansados tiveram de aguardar mais vinte minutos até à chegada de um autocarr o que os levou para o terminal. -Eupenseiqueopresidentegostariadesaberimediatamente que o homem que ele nos pedi u que encontrássemos na África do Sul está de novo em acção. Quando o avião aterrou em Sampetersburgo.É só que eu pensei rewnhecer outra pessoa que embarcou no avião.Moscovo? Porquê Moscovo? . directora .Bom dia. Ele hesitou.

Observou atentamente para ver que comboio ele iria apanhar. Não estava mais próximo de resolver o problema quando 0 comboio entrou na estação de Rav eltay. 0 comboio saiu de Sampetersburgo faltava exactamente um minuto para a meia-noite . Mas havia outrahome~m de pê. acendeu a luz.o segundo nessa noite. acordou. e o som suave e ritmado das rodas da carruagemsobreoscarrisfizeramqueConnorses entissesonolento. Connor saiu do aeroporto para a estrada cheia de bura cos. 0 encontro que tivera com o director-adjunto na semana anterior era repetido pal avra 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 103 por palavra. mas ele não conseguia lembrar-se do que havia na conversa que continu ava a perturbá-lo. fez sinal aa primeiro táxi disponível e pediu-lhe que o levasse ã estação de Protsky. Em menos de dez minutos. Não seria necessário acompanhá-lo na viagem. Connor percorreu o corredor à procura d a cabina número 8.Via Londres. -Numa cabina telefónica em Moscovo-respondeu Jackson. No preciso momento em que Gutenburg chegava à frase que ele queria ouvir outra vez.Onde está? . Assim que saiu do comboio. ele fez-nos andar às voltas. . Se não tivesse sido eu . o homem nunca olhou para trás. para confirmar que Fitzgerald tinha chegado ao seu destino. . e perguntara a si próprio onde é que os agentes eram recrutados hoje em dia. T inha sido tornado claro ao adido que esta operação pertencia a Mitchell. o seu colega na capital. que descrevera como razoavelmente verde. Connor verificou o bilhete antes de se dirigir ao expresso de Moscovo. Trinta minutos mais tarde.perguntou Andy Lloyd. ele sabia que haveria lá alguém a controlar a sua chegada e estaria alguém à esperam plataforma de Moscovo. na sombra. às oito e trinta e três da manhã. Ela furou-o e afastou-se para o lado para ele subir para o comboio. Ele tivera esperança de que este passageiro lhe desse oportunidade de obter um pequeno lucro com a taxa camb ial . Estava sentado num banco na Praça Lafayette. Ele sabia que os olhos de Connor se moveriam constantement e. Depois lembrou-se do sonho. Seguiu ao longo da plataforma apinhada. desconhecendo o estatuto de ASNO de Fitzgerald. que pareciam ser anteriores à Revolução de 1917. uma vez que Ashley Mitchell.disse Connor em inglês ao funcionári o das reservas. Quando a encontrou.grato por Connor seguir a rotina dos manuais. Gutenburgjá lhe dera informações pormenorizadas sobre o agente Mitchell. Oadidoc~tlturalamericanoemSampetersburgotïnhadeel nado um convite para o espectáculo do Ballet Kïrov nessa noite. 0 sono mais comprido que conseguira dormir nas últimas três noites. para poder informar Gntenburg quando Fitzgerald tivesse apanhado JEFFREY ARCHER o comboio nocturno para Moscovo. 0 viajante de primeira classe seguiu Connor até á saFa das reservas. entrou e trancou a porta. passando por várias carruagens velhas verdes. como era tantas vezes notic iado na imprensa americana. virado pa ra a Casa Branca e a falar com alguém que não olhou uma só vez na sua direcção. parou na carruagem Ke mostrou o seu bilhe te a uma mulher que estava de pé junto da porta aberta. não porque tivesse medo de ser assaltado por bandidos.Um vagão-cama de primeira classe para Moscovo . mas porque precisava de mudar outra vez de identidad e. Ele tinha visto o jovem com ar de caloiro debaixo do ecrã das chegadas no aeroport o de Genebra. estaria à espera dele na Plataforma 4 na manhã seguinte. que até sabia a núme ro do vagão-cama que ele iria ocupar. ele conseguiu perder o nosso homem em Moscovo. Genebra e Sam petersburgo. . Deis de sair do autocarro. que parecia mai sumteatrode óperadoqueumaestaçãa ferroviária. Acordou sobressaltado e olhou para o relógio: quatro e trinta e sete. Não se deu ao trabalho de tentar localizar o agente em Sampetersburgo. 0 homem empurrou o bilhete através do balcão de madeira e ficou decepcionado quando o cliente lhe entregou uma nota de dez mil rublos.

Não saiu de lá desde então. . . Houve uma longa pausa no outro extremo da linha antes de Jackson dizer: . Atarde. . cada minuto que passava. perdia-o. pela primeira vez.Ele nunca concordaria em levar a cabo uma missão tão delicada a não ser que as orden s tivessem vindo directamente da Casa Branca.Não. agora que concordámos com o teu conteúdo funcional.disse Lloyd. comprou um mapa num quiosque ealmoçounumrestaurantepróximo.Está bem. Qs americanos precisam sempre de qualquer coisa . Lloyd.Por que não? . Jackson sentia que l he faria cada vez mais falta. Fez um percurso tortuoso e foi ter à sede da campanha de Victor Zerimski.a ensinar-lhe a técnica de voltar atrás. eu também lhe teria perdido o rasto.Uma mulher? Às cinco da manhã? . Se não foss o andar. quanto cobras? .Oh.Boa altura para mulher.Ah. Porquê Zerimski? Ainda não sei.Sim .Como mensageiro. Onde é que ele foi? . subitamente.Qual é? .Pode haver um cenário alternativo . -Caviar? Bonecas russas? Uniforme de general? Chapéu de pele? Mulher? Jackson baixou.Eu não preciso de nada.Que quem eles planeiam matar não seja Zerimski mas sim o próprio Connor.Ajudante? . JEFFItEY ARCHEtt LiVtSO II Q SO~~~tll'l0 12 .Quanto oferece? .Tente não se esquecer de que o seu amigo levou a cabo exactamente a mesma missão n a Colômbia. Lloyd anotou o nome no seu bloco amarelo. deixa-me em paz .Por dia? Por semana? Por mês? . sem tirar os olhos da porta principal do hotel. . 0 sorriso do rapaz revelou que lhe faltavam dois dentes. Depois.disse Jackson.Por hora. quer dizer sócio.perguntou o rapaz com um ar desconfiado. .Precisa de alguma coisa? . . alugouum automóvel pequeno e depois regressou ao hotel. Ainda lá está? Não.Um pequeno empresário. os olhos para o rapaz.Que tipo de serviços? . . Sem dúvida que a IOd Dexter o convenceu que a operação também tinha sido aprovada pelo presidente. Mas talvez prefira homem? .Aprendemos com os americanos .Assistente. .Quanto cobras pelos teus s erviços? . mas estava tão bem disfarçado que quase não o vi. então.Americano? . e - .Deve precisar de alguma coisa. Eu conheço-o há tempo suficiente para ter a certeza disso. como nos filmes americanos. .disse o rapaz com um sorriso de orelha a orelha .respondeu Jackson. Ele hospedou-se num pequeno hotel. Estava envolvido da ca beça aos pés num casaco de pele de borrego três tamanhos acimado dele.perguntou Lloyd. 106 JEFFREY ARCHF.R 0 DÉCIMO PRlME1R0 MANDAMENTO 107 . . no lado norte da cidade. hem? . .Mensageiro? -Ajudante.perguntou Lloyd. sem baixar os olhos para a origem da voz aguda. mas ele saiu com toda a documentação da campanha do Zerimski.disse Jackson num tom firme. . Sr. isso não é possível.disse ele. Na cabeça usava um boné de pele de ecelho que. seu espertalhão.Vai ser o Zerimski. Aonde é que ele acabou por ir ter? . saiu uma hora depois. meu Deu s! .Não. obrigado . . . Agora. .

de onze.perguntou.disse Jackson. . Pela primeira vez. 0 homem baixo e musculoso bateu com o punho na mesa. Sergei. . 0 rapaz desatou a rir.Onze. .Quatro. embora tivessem ouvido estas p . . Dez dólares. .Está bem.disse Jackson. Jackson acreditou que ele estivesse a dizer a verdade. Desta vez. qual é o trabalho.Isso é simplesmente extorsão. e só passavam alguns minutos das oito da manhã. . sem deixar olhar para a porta do hotel .Ele colocou uma mão com firmeza no ombro do rapaz. -Os vinte e um homens acenaram a cabeça em sinal de concordância. . ele trabalha para os bons. .Cinco. .disse Sergei.Dou-te dois.Amigo.A minha mãe vive com americano muito tempo. -Um grupo de observadores internacionais chegou a Moscovo para acompanhar o proc esso eleitoral .disse Jackson. um aum.Mafia? . 0 rapaz verificou imediatamente as horas no seu Rolex.Os membros do Conselho Central tinham ouvido muitas vezes o seu líder vociferar contra a mafia. . embora ele nunca referisse o seu nome em público.Fico-me com os . . . lembre-se. . .Seis.Catorze. como é que te chamas? .Quando eu for presidente.Sim. Pela primeira vez em muitos dias. é ele.Então. Zerimski acariciou o bigode farto enquanto olhava.Está bem . um gesto que vira nos filmes americano s. -.Quantos anos quer que tenha? .perguntou Jackson. E o senhor? .Eles estão à procura sobretudo defraude nos boletins de voto.Tu não tens mais do que nove. . levantando-se do seu lugar à cabeceira da m esa.Treze. .disse Jackson.. Ele é um amigo .perguntou Sergei.A Rússia precisa de voltar aos valores antigos que nos granjearam o respeito de todo o mundo.Então.Somos sócios . -Não me trate como criança. com uma ligeira irritação na voz. . o rapaz pareceu perplexo.Estamos a vigiar uma pessoa que está hospedada neste hotel.Fico-me com os cinquenta e quatro . Jackson riu-se. mas o seu presidente já admitiu que.Quantos anos tem? perguntou o rapaz.É amigo ou inimigo? . . Então. -Eu posso serum espertalhão mas o senhor é um comediante. .perguntou Sergei.disse ele. . .Dez. .Ele tem rosto simpático.Jackson.Acordado . . Ele presidia a uma reunião do Conselho Central do Partido Comunista que estava a ouvir o relatório de Dmitri Titov. 0 rapaz ergueu a palmada mão direita no ar. para os homens senta dos à volta da mesa.Cinquenta e quatro. com um eleitorado tão numeros o e tão espalhado.Titov terminou o seu relatório dizendo que agora que o camarada Zerimski subira para seg undo lugar nas sondagens. um a um. não será possível detectar todas as irregularidades.Um dólar . no momento em que Connor surgiu à porta. . . .Como é que falas tão bem inglês? . Sergei? . . . sócio? . Ele volta para os Estados Unidos o a no passado. .disse-lhes Titov. . 0 acordo estava feito. . 0 dia de Victor Zerimski não tinha começado bem.Deixa-te de disparates e diz-me a tua idade.disse Sergei. . Jackson bateu nela. Quantos anos tens.É ele? . Talvez melhor eu trabalhar para ele. .Não te mexas.respondeu o rapaz. a mafia estava a pôr ainda mais dinheiro na campanha de Chernopov.Não.Sergei . mas não nos leva. aúnicacoisaquee lesirãoconta r o resto da vida é pedras. o seu chefe de Gabinete.-Eu vou meter esses filhos da mãe da mafianacadeia.

a única coisa que fizemos foi importar o que a América tem de pi or. . A galeria estava tão cheia de gente como o Estádio Cooke para um jogo dos Redskins e . .Isso é verdade. Sr. Presidente . ao fim de algumas semanas.Durante dez anos. dissera ele a um estudante do Missúri. olhando para os apontamentos dactilografados à sua frente.Mas as nossas sondagens i nternas mostraram que não é essa a percepção do público. deves considerar apenas a altura da testa . até mesmo escutar os seus pontos de vista.Elas deram a presidência a Tam Lawrence. . 0 fato era de mau corte e a cami sa estava puída no colarinho e nos punhos. JEFFREY ARCHER . Zerimski passou a mão pelo cabelo preto grosso.Que é que eu vou fazer esta manhã? . Sempre que viajavam juntos.disse Titov. Eles continuaram a acenar a cabeça.Está bem.° de Maio. .Estão à sua espera às dez hor as. Connor teve de ter o cuidado de não se distrair com as numerosas obras-primas. "E melhor ter uns centímetros extra entre o topo do nariz e o cabelo do que entre o tornozelo e o joelho.0 Pushkin é visitado por vinte mil russos todas as semanas . . . tinha-se tornado subitamente necessário aos que tinham esperança de ser eleitos movimentar-se entre elas.disse Zerimski. ignorando os quadros e as esculturas e concentrando-se nas mãos estendidas. . Zerimski era mais baixo do que parecia nas fotografias e. . 0 amor de Connor pela arte tinha começado quando Maggìe o arrastara pelas galerias d e arte quando ainda andavam na universidade. -Eu já andava a estudar DireitonaUniversidadedeMos covoquandoChernopovaindaera urn trabalhador rural. Dou-lhe quinze minutos. na semana passada. . o mais próximo que qualquer polític o importante ficava do povo era quando olhava para ele do alto do Presídio durante os desfiles do 1.disse Titov. . -Ele fez o q~?-gritou Zerimski. -Cancelem-na. meu rapaz.prosseguiu o chefe de Gabinete. Connor re cordou-se do comentário do presidente Truman sobre o tamanho: "No que diz respeito aos centíme tros. sempre que Zerimski aparecia. e que Chernopov está a conseguir fazer passar a sua mensagem. ele acompanhava-a. 0 candidato movia-se lentamente entre os moscovi tas. Olhou para o seu chefe de Gabinete. claro. Quando Connor fora enviado à Rússia na década de 1980.alavras repetidas vezes ao longo dos últimos meses. manter-me-ei a mim próprio na presidência.Vai fazer uma visita ao Museu Pushkin .Urn desperdício do dinheiro do povo . tornar am-se Amigos do Cocoran e sócios do Phillips. Mas agora que as massas podiam efectuar uma es colha num boletim de voto. suspirou e voltou a afundar-se na cadeira.E Chernopov tem sido criticado por ter cortado a subsídio às artes .Trinta minutos. -E Chernopav acusou-o na televisão. -Sondagensinternas?Maisumaco saquetemosaagradecer aos americanos. mantendo os olhos fixos nele. -Voltou a bater na mesa. fazia-se rodear de uma comitiva de assistentes ainda mais baixos. ele fora apenas para poder passar mais tempona sua companhia mas. Enquanto Zerimski visitava o museu acompan hado pelo seu director. a multidão separava-se como se ele fosse Moisés a aproximar-se do mar Vermelho.acrescentou Titov. .Eu devia andar na rua. A princípio. de ser um rufião analfabeto. a q ualquer galeria que ela quisesse e. Connor perguntou a si próprio se o direct or . de bom grado. . assim que se mudaram para Washington.Mas o director do museu pediu um subsídio ao governo para restaurar as obras dos principais artistas russas . tinha 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 109 -se convertido.disse Titov." Connor reparou que a vaidade de Zerimski não tinha afectado o seu modo de trajar.Quando eu for eleito. e de se concentrar em observar o líder comunista.Umaeompletaperdadetempoquandofaltam apenas oito dias para as eleiçóes. . onde as pessoas podem ver-me. para não empolar este fa cto.

.dentrodecinco anos.Mas isso é exactamente o que Chernopov diz ser a política actual do governo.E o mais temido? .Seoelegerempresidente. quando a revista Fortune publicar a lista dos dez indivíduos mais ricos do mundo. de Goya. . . com os olhos fixos em Connor. mesmo assim. olhando para o grupo.Zerimski homem mau. 0 candidato parou no último degrau para ser fotografado em frente do Cristo a Descer da Cruz.A inevi tável pergunta foi feita com um sotaque americano.sugeriu outro jornalista. depressa se tornou claro que as suas visitas a galerias de arte deviam ter sido pouco frequentes ao longo dos anos. Quando pegou na criança e pousou para uma fotografia com a mãe. e é por isso que ele não deve ser o nosso próximo presidente. Zerimski começou a dirigir-se a passos largos para a saída da galeria.disse Jackson.do Pushkin estaria a ser sensato ao vestir um fato talhado à mão que obviamente não fo ra feito em Moscovo. . .disse Zerimski. Zerimski? . com o directo r e a sua comitiva a tentarem acompanhá-lo. Embora Connor soubesse que Victor Zerìmski era um homem instruído e sagaz.0 senhor parece estarem segundo lugar e. . . .Porquê? . informava os circunstantes do nome do artista. Sr. -Acha que a Rússia devia voltar a ser um estado comunista. -Eu prefiro isso a continuar na situação actual. -Vamos. perguntem-me o que quiserem-disse ele. Zerimski?perguntou o correspondente do The Times em Moscovo.murmurou Sergei no outro extremo da galeria. eles também conseguiriam incluir a Virgem Maria na fotografia. em que somos 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO simplesmente ignorados pelo resto do mundo .perguntou Jackson. em voz alta. Ignorou um magnífico Rubens. por conseguinte. Chernopov estará em sétimo lugar. Não. manifestando mais interesse numa mãe com a filha ao calo no meio da multidão do que no génio com qu e a mesma cena era JEFFREY ARCHER retratada atrás dela. -Qual é a sua reacção às últimas sondagens. Assim.0 senhor está prestes a ver que o povo russo vai votar esmagadoramente no r egresso aos tempos em que éramos o país mais respeitado da terra.gritou outro jornalista. ele começou a dar uma conferência de imprensa improvisada. Titov sugeriu que desse um passo à direita. a resposta tem de ser afirmativa. Depois de terem atravessado meia dúzia de galerias e de ter a certeza de que toda gente que estava a visitar a galeria tinha conhecimentodasuapresença.acrescentou ele. 0 astuto político estava demasiado atento para cair naquela armadilha.Tu fazes de masiadas perguntas . Connor senti . Nenhuma primeira página seria capaz de lhe r esistir.eledestronará Bill Gates do primeiro lugar. Sr. enquanto ele está no Kremlin a comer caviar e a beber vodca. menor inflação e um nível de vida melhor.Ele não parecia muito diferent e de um candidato americano durante uma primária americana.Se for eleito.Estão a avançar na direcção certa. . Ele conseguiu enganar-se várias vezes no nome mas. Já me disse ram que. -Se com isso quer dizer voltar a uma maior taxa de emprego. Esse dinheiro pertence ao povo russo. . No patamar do primeiro andar. meu amigo . ele apontava oc asionalmente para um quadro e. a mult idão acenou a cabeça em sinal de concordância.Zerimskificou enfadadoetransfe riu a sua atenção para os jornalistas que o seguiam de perto. ele põe gente como eu na cadeia e voltamos todos aos "bons velhos tempos". . A sua comitiva riu-se obedientemente. Enquanto avançava no meio da multidão. -Apolítica actual do governo-disse Zerimski-é certificarse de que o primeiro-ministr o mantém a sua conta na Suíça a transbordar de dólares. Agora os jornalista s estavam a anotar todas as suas palavras. -Nodiadaseleiçõeseleseráomeuúnicorival-disseZeri mski. ser o único rival do S r. Chernopov .Por que é que o teu amigo está tão intere ssado em Victor Zerimski? .

escondendo-se atrás da coluna mais próxima sempre que Connor olhava na sua direcção.0 teu homem está outra vez em movimento -disse Sergei de repente. -Eu não conheço muitos quadros dele-admitiu Jackson. . . com os olhos postos em todas as direcções. Ele tinha obviamente partido do princípio que a vigiláncia era efectuada apenas em ambientes quentes e confortáveis mas. .. Decidira que permitiria a Mitchell segui-lo durante o dia-talvez ele lhe viesse a ser útil-mas não deixaria descobrir onde dormia à noite.murmurou Sergei. a lerum exemplar doPrauda. o candidato seria visto em público em vinte sete ocasiões diferentes. a reflecti r sobre o que vira naquela manhã. . fazendo sinal com a cabeça para o outro lado da rua. Enquantobebiao café. Entregou um a Jacks on. tomaria o comboio da meia-noite para Sampetersburgo. ele não estava tão protegido como a maior parte dos líderes ocidentais. -Eu achei que talvez precisasses disto-disse Sergei. dando uma dentada no ham burguer. .Eu como o mesmo que tu . .Mas sim . Um profissionaldevia ser sempre capaz de observar a sua presa sem ser visto. Jackson tirou a carteira do casaco. Connor já decidira que seguiria Zerimski a Yaroslav. mesmo assim.Um Mac grande com batatas fritas e ketchup.Eu nunca estive dentro de um restaurante. -Não. extraiu uma nota de cem rublos e deu-a ao ra paz. Jackson olhou para ambos os lados da rua.. Tentou digerir uma moussaka bastante má enquanto revia o resto do itinerário de Zeri mski até ao dia das eleições.ele esfregou o p olegar no dedo. .Por que é que eu tenho a sensação de que. onde inauguraria uma fábrica antes de regressar à capital para assistir a um espectáculo do Ballet Bols hoi. é verdad eiramente magnífico! -Há mais alguns na cave-disse Sergei. . Connor estava sentado sozinho num restaurante grego da Prechinstenka. viajaria de comboio até Yaroslav. Sorr iu. Jackson teria dado uma palmada no rapaz se isso não tivesse chamado a atenção para ele s. Connor tinha identificado os três únicos locais que valia a pena cons iderar se o nome de Zerimski precisasse de ser retirado dos boletins de voto. Embora Zerimski estivesse sempre rodeado por um grupo de rufiões. o rosto corado do frio e não tinha ninguém que lhe fosse buscar comida. Sergei voltou alguns minutos depois com dois sacos de papel.Vai-nos buscar qualquer coisa para comer. mas apenas três deles pareciam ter tido experiência anterior na protecção dum estadista mundial. Tinha as orelhas vermelhas. pensouemAshleyMitchellno Pushkin. Durante os próximos oito dias. . tendo perdi do Fitzgerald no dia anterior.Estás a aprender depressa.disse Sergei. -Cemrubloschegaramparaistotudo?-perguntouJackson. Quando o empregado de mesa coloc ou um JEFPREY ARCHER café à sua frente. se o Zerimski for 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO presidente. Na manhã seguinte. mas não te aproximes daquele restauran te . afastando-se a correr. J ackson duvidou que voltassem a vê-lo no dia seguinte.u-se tão emocionado com o quadro que a multidão que seguia atrás de Zerimski quase o atirou ao chão. E estes não podiam estar de serviço o tempo todo. Jackson . dando-lhe um chapéu de oficia l feito de pele de coelho. e tentou não desatar à gargalhada. Jackson? . ele não se arriscava a mexer-se.Gostas de Goya. Que queres? . Olhou pela janela e viu o adido cultural sentado num banco.disse ele. Olhou para o relógio. 0 homem sentado no banco a ler o Praud a não tinha um sobretudo vestido.elemandafecharoMcDonald's?-perguntouJackson. o candidato discursaria numa reunião do Partido e m Moscovo. Também tinha reservado bilhetes para o ballet e para Sampetersburgo. -Eu podia arranj ar um. . Jackson ergueu à vista e viu Connor desaparecer por uma entrada lateral da galeria com Ashley Mitchell no seu encalço. Alguns dos seus homens podiam ser corajosos e perspicazes.disse ele -. Daí. Nessa noite.

ajornalistaturcacomeçou adesenhar um retrato de Zerimski. A probabilidade de ele ter de levar a cabo a sua missão estava a tornar-se cada vez maior. calmamente.Vejo . Ela já dissera ao correspondente sentadodooutroladoquerepresentavaolstambudNews. Na frente da sala. ele também viera ouvir um candidato comunista.eu roubei o chapéu-disse Sergei. e a maior parte é capaz de vender a irmã por cem rublos. estavam mal vestidos. havia alguns funcionários no palco a certificar-se de que estava tudo como o líder desej arfa. -Há mais de dois milhões de soldados na Rússia.-Mas não sei de que lado ele está. Pareciam subnutridos e sentavamse em silêncio enquanto esperavam que Zerimski aparecesse. Metade de les não recebe há meses. 0 Uáclino l'rímtira blendamein. Jackson experimentou o chapéu . . Jackson? . Outra opção era apanhar Zerimski dentro do seu automóvel. que acabava muitas vezes por ma tar gente inocente sem conseguir eliminar o alvo. 0 seu jornal obviamente que não podia dar-se ao luxo de ter um fotógrafo e utilizava provavelmente os serviços telegráficos e o material que ela conseguia obter. Alguns momentos depois. Nick Gute nburggarantira-l heque umaRemington 700 feitapormedida estaria na Embaixada dos EUA muito antes d e ele chegar a Moscovo . Ela disse ainda que tinha escrito recentem ente que o candidato comunista talvez conseguisseganhar. Se ela perguntasse a op inião de Connor. Se Lawrence . no sector reservado à imprensa. não. de que lado está o homem do banco? -Eu sei quem lhe paga-disseJackson.A propósito. Connor olhou de novoemvoltada sala. Não pôde deixar de se lembrar da última vez que assistira a uma reunião política na Rússia.Ele esteve na galeria es ta manhã. seria uma catástrofe. Nenhum profissional pensaria numa bomba. e que o seu director pensava que. oúnicojornal de língu a inglesa da Turquia. . ele teria de utilizar uma arma de grande potência num espaço aberto. Seriapossívelassassinar alguém numa sala cheia d e gente como esta? Se se tivesse esperança de poder fugir.respondeu Jackson. se Zerimski chegasse a ser presidente. mas isso fora no tempo em que havia apenas um nome noboletimdevoto. .outra utilização fraudulenta da mala diplomática. Sentou-se ao fundo da sala.o JEFFREY ARCHER Um homem idoso estava a colocar uma enorme cadeira ao fundo do palco. os lugares já se encontravam todos ocupados e os corredores estavam quase cheios. com os olhos fixos no restaurante. Nessa ocasião. não tinha qual quer vontade de conversar com a jornalista à sua esquerda. Embora ainda faltassem quinze minutos para a hora prevista para a chegada do candidato. Nenhum deles falou enqua nto devoravam o almoço. -Tu também aprendes depressa-disse Jackson. -Não te esqueças que eu tenho uma mãe russa-respondeu Sergei. Os delegados. e tentou passar o mais despercebido possív el. . Para ter alguma possibilidade de f ugir. embora este estivesse certamente bem pro tegido. no meio de duas dentadas. este teria de concordar. Ele tev e de admitir que estava muito parecido.Vês aquele homem sentado no banco a ler o Pravda.-Eu achei que a tua necessidade era ma ior do que a dele. apenasdezassete por cento dos eleitores tinha votado. Possivelmenteporestem otivo. Connor olhou em redor da sala. Connorbaixou acabeça e começou a rabiscaruns apontamentos no seu bloco. A reunião dos fiéis ao Partido não podia contrastar mais com uma convenção política na Améric . .servia-lhe perfeitamente. se é isso que eram. 13 Connor esteve entre os últimos a chegar ao Lenin Memorial Hall.É pouco provável-disse Sergei.Podias fazer que fôssemos os dois presos.

BMW e Jaguar . Passaram-se quase vinte segundos até Zerimski conseguir voltar a falar. Osjornalistasescrevinhavamfuriosamenteeopúblicoaplaudia cada vez mais ruidosamente . -Olhem para as ruas de Moscovo. Se os outros países tiverem quaisquer dúvidas a esse respeito.desse a ordem. o barulho torno u-se quase ensurdecedor.começou ele com uma voz firme -. par a aclamar o seu líder. A comitiva de Zerismki. Um grupo de homens com fatos 0 DÉC1M0 PRfMElRO MANDAMENTO mal talhados e protuberâncias debaixo dos braços estavam a encher o fundo da sala. ele raramente ficava quieto um só momento. seguidas de gritos de aplauso. começou a mexer-se. eles esperavam provavelmente que a sua presença numerosa levasse quem quer que fosse a pensar duas vezes antes de tentar fazer alguma coisa. A marcha de Zerimski em direcção ao palco era continuamente interrompida por paragens para apertar mãos estendidas. que estava de pé atrás dele. Embora alguns dos nossos cidadãos desejem voltar ao regime totalitário do passado. . eles tê-la-ão por sua conta e risco. a maioria quer uma distribuição mais justa da riqueza que foi criada pelas suas capacidades e trabalho árduo. Seguidamente. que pareceu não ter a certeza de que a escolha de Lenine para comparação tivesse sido a mais feliz. Quando chegou finalmente à plataforma. eles deixá-lo-iam decidir a ocasião e o local. Subitamente. 0 floreio final do velho foi descrever o orador como "o sucessor natural do camarada Vladimir Ilyich Lenin". ele dirigiu-se lentamente ao microfone. Ele verificou os rostosos três profissionais estavam novamente de serviço. Até mesmo os jornalistas foram obrigados a levantar-se para o poderem ver. Quando Zerimski se levantou do seu lugar ao fundo do palco e se dirigiu lentamen te para a frente. As cabeças estavam a começar a virar-se na direcção do fundo da sala. as expressões que assumia. 0 idoso presidente que estivera pacientemente à espera na frente da sala subiu as escadas para o palco à frente de Zerimski e conduziu-o à enorme cadeira. Como todos os homens enérgicos. Os espectadores voltaram a sentar-se e ficar am em silêncio. É verdade que vêem Mereedes.R Zerimski só começou a falar depois de todos se terem sentado e ficado em silêncio. Connorreparou que todo o processo. Connor viu que os seus métodos eram primitivos e ineficazes mas. Ele levantou bem os braços.que a Rússia pode tornar-se de novo o país mais respeitado da terra. Connorjáti nhacomeçado a estudar asvárias gruas que funcionavam nas docas russas. mais irrequieta se tornava a audiência. ouviram-se palmas ao fundo da sala. sob a minha presidência. quanto ma is falava. as poses que fazia. Quando Zerimski achou que os aplausos já tinham durado 0 suficiente. como todas as força s de segurança. acenou ao públi copara que se sentasse. afastou-se para dar lugar ao seu líder. Depois de Zerimski se sentar. e eles aplaudiram mais ruidosamente do que nunca. eu tenho cada vez maior consciên cia de que o povo russo exige um novo começo. e Connor olhou em volta. Observou cuidadosamente todos os seus movimentos. Cada dia que passa. Os olhos de Connor nunca se afastaram de Zerimski. do princípio ao fim. os membros do Partido puseram-se de pé ao mesmo tempo.Camaradas . bem como a possibilidade de permanecer escondido dentro de uma durante muito tempo. camaradas. a multidão começou a ganhar novamente vida. durara pouco mais de três minutos. é uma grande honra para mim estar per ante vcís como vosso candidato. onde o líder comunista discursaria num comício a ser realizado num estaleiro naval dois dias antes das eleições. com um ar aborrecido. 0 público começou de novo a bater palmas. Quando Zerimski entrou.FFREY ARCHF. JF. Agora que estudara pormenorizadamente o itinerário de Zerimski. Connor decidira qu e a sua primeira escolha seria Severodvinsk. p erscrutando-a atentamente antes de o seu líder entrar. Ele não fez um bom trabalho de apresentação do "próximo presidente da Rússia" e. -Não nos devemos esquecer-prosseguiu Zerimski.

seguido pela sua comitiva.No entanto.Ofereço-me coma vosso servo. Nenhum aplauso se seguiu a este comentário. a vossa riqueza. e que todas as palavras do discurso seriam esquadrinhadas na Sala Oval. Nem o façam sequer pelo Partido Comuni sta. não por e ssa meia dúzia. Eu quero ver o dia em que a Rússia não tenha mais limusinas do que automóveis familiares. o presidente Lawrenc e terá de escutar o que vocês dizem e não pôr-se com falinhas mansas para a imprensa. os americanos estariam mais interessados na opinião do México do que na da Rússia.sabendoquepodemos de novo permitir que o povo seja o poder por detrás da nação. Zerimski baixou o tom de voz. eles não deverão estar em Moscovo apenas antes das eleições mas permanentemente.tê-lo-ãofeit o. Chegou a altura. mas participará de no vo nas questões mundiais.-Asuavoz começava a subir a cadapalavra. JEFFREY ARCHER Permaneceu no centro do palco durante mais onze segundos. Façam-no pela próxima geração de russos que poderão. mas as su as palavras ainda se ouviam claramente ao fundo da sala.estão os representantes da U DÉCIMO PRIMEIRO MANDAME"NTO imprensa mundial.Passemos todos os momentos desse período a garantir que temos uma maioria esmagadora no dia das eleições. então. Se Chernopov for eleito. .. de esta riqueza. em vez de aceitar subornos de homens de negócios desonestos. desempenhar o seu papel como cidadãos do maior país do mundo.pôs-sesubitamentedepéecomeçou também a bater palmas. -Ele pode chamar toda a gente pelo nome próprio. levantando o braço correspondente. terminou com as palavras: . apontando um dedo curto e grosso para o grupo de jornalistas .quandotiveremvotado. Uma vitória que enviará a todo o mundo a mensagem que a Rússia está de volta como um poder a ter em consideração no palco mundial. Enquant o descia o corredor central. fez uma vénia profunda e.Só faltam oito dïas.Fez uma pausa e olhou em redor.Só vos peço uma coisa. Connor sabia que os meios de comunicação social americanos noticiariam este comentário de uma costa à outra. . mas quem os conduz? Apenas uma meia dúzia de privilegiados. Assim. . . Desta vez. o público saudou as suas palavras com um aplauso prolongado. meus amigos. . Zerimski deu um passo atrás e ergueu os braços no ar. Seguidamente.Baixando a voz para quase tun murmúrio. devo recordar-lhes que. Uma vez mais.. desceu os degraus do palco. E são esses que têm esperança que Chernopov seja eleito para poderem continuar a ter um estilo de vi da que ninguém nesta sala pode alguma vez aspirar a imitar. . esboçou um sorriso de desprezo e acrescentou: E permitam-me que lhes diga que são muito bem-vindos. .Ao fundo da sala .disse Zerimski. o priv ilégio de ser autorizado a liderar esse povo. Dedicar-me-ei a servir-vos e contentar-me-ei com o salário de presidente. para o povo decidir . depois de fic ar imóveldurantedozesegundos. De futuro. mas a mim vai chamar-me "Sr.disse ele. mas nunca por mais de alguns segundos de cada vez. não vou abrir contas na Suíça mas sim fábricas em toda a Rússi a. . cujo único interesse é saquear os bens do país. A última parte do discurso durara quarenta e sete segundos e ele não permanecera imóvel nem um momento.Fez uma pausa.Quando eu for presidente. Quando o barulho eventualmente diminuiu. mais iates do que barcos de pesca e mais contas em Banc os suíços do que hospitais. ser partilhada por todos. dizendo-lhe como gostava de Boris. repetindo várias vezes a lguns dos seus gestos. Ouviram-se gargalhadas em toda a sala. para o público. Quando achou que tinha sugado todos os aplausos que conse guiria extrair do público. . 0 público levantou-se todo ao me smo tempo. Pres idente". meus amigos. quando for presidente. o aplauso foi tão entusiástico que só ao fim de um minuto é que conseguiu con tinuar a falar. Tinha-se movido primeiro para a direita e dep ois para a esquerda. o barulho tornou-se maior do que nunca e houve aind a .es. Porque a Rússia não ficará à espera de sobras sempre que o Grupo dos Sete se reunir. Não vou passar o tempo a descansar numa dacha luxuosa mas sim a trabalhar dia e noite no meu escritório.-Mas não o façam por mim.

perguntou Sergei. se não encontrasse um local para estacionarperto do restaurante. . . -Vai dormir. Sr.a. .perguntou Joan. . fora de Moscovo.Mas foi uma boa tentativa. que Maggie acabava inevitavelmente por comprar. .Eu acho que verás que são oito horas a cinco dólares à hora . . Não que qualquer dos seus funcionários da Secretaria se queixasse se ela tirasse a t arde de folga. Pelo menos hoje os deuses estavam do seu lado.disse Jackson. . Ela só tirava uma hora para o a lmoço e. a Universidade de Georgetown teria de lançar uma nova campanha de angariação de fundos. Só terminaram quand o o público começou a abandonar o local. fechando a ementa. . Quando entrou no Café Milano. teriam menos tempo juntas. eu cobro a dobrar. Embora Connor nunca lhe dissesse nada. se continuares assim. .disse Joan.Tu tens sorte. pequeno s maneirismos que eram frequentemente repetidos. Os aplausos continuaram mesmo depois de Zerimski ter saído da sala. Uma mulher desocupou um lugar a a lguns metros do restaurante onde tinham combinado encontrar-se.E amanhã? . . Desconfio que vamos atrás de Zerimski na sua viagem a Yaroslav. Mas lembra-te que.mais braços estendidos.0 teu amigo foi-se embora .Eu já escolhi . os seus fatos sensatos.perguntou o seu jovem sócio. . Zerimski agarrou tantos quantos conseguiu durante a sua le nta marcha até ao fundo da sala. Jackson. e esse amor nunca tinha sido recom pensado com mais do que um leve beijo no rosto e uma prenda no Natal.A que horas me queres? .Como está Tara? .disse ele. . com certeza. Tenho a sensação de que amanhã vai ser um longo dia. Eu nasci em Sampetersburgo e não há nada que não saiba sobre a cidade. se ela exigisse que lhe fossem pagas horas extraordinárias com efeitos retroactivos.Vai ter comigo à porta do hotel dele às cinco horas e não te atrases.disse Maggie. depois voltamos a Moscovo antes de seguirmos para Sampetersburgo. como ela própri a diz. . os sapatos rasos e o cabelo castanho muito curto revelav am que há muito desistira de tentar atrair o sexo oposto. -Sabes. estendendo a mão. Virou à esquerda para a Prospect Street.disse Jack son.disse Sergei. .A aguentar. Connor tinha reparado em vários movimentos característicos da cabeça e das mãos. -Nós sabemos onde ele vaipassar a noite. . não vai demorar muito para que o teu preço se torne incomportável no mercado. E hoje ela precisava de todos os minutos dessa hora.Tu hoje ainda não me pagaste . Ele já notara que determinados gestos acompanhavam regularmente determinadas frases. travando apenas um pouco no primeiro sinal de stop antes de voltar a acelerar. ele ficaria muito decepcionado se ela não o fizesse. Fitzgerald . .disse Sergei. . conduzindo-a a uma mesa ao pé da janela.Sigo-o? -Não será necessário.Sim.Eu também já sei o que vou comer . Sergei. Os olhos de Connor nunca se desviaram dele. Eu só espero que ela termine a tese. Joan amava provavelmente Connor tanto como amara qualquer outro homem. Maggie colocou q uatro moedas no parquímetro para cobrir uma hora.Deu quarenta dólares a Sergei. O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMé'NTO 14 Passava um minuto da uma hora quando Maggie saiu do parque de estacionamento da universidade. depois de ter contado as notas e de as te r metido no bolso. Mas o pobre filho da mãe que estáuns passos atrás dele vai andar à nora durante a próxima hora.Nove horas a seis dólares à hora são cinquenta e seis dólares. Ao fim de vinte e oito anos a trabalhar para a universidade-os últimos seis como directora dos Serviços Administrativos -. para junto de alguém que nunca se atrasava. Maggie deu o nome ao chefe de mesa. Maggie beijou o rosto da mulher que tinha sido secretária de Connor durante os últim os dezanove anos e sentou-se na cadeira à sua frente. e sabia que em breve seria capaz de os antecipar. EmboraJoan ainda não tivesse cinquenta anos.Que fazemos a seguir? .

Pela primeira vez em dezanove an os.disse Maggie com uma ponta de tristeza.Eu não . . . .disse Maggie. . Maggie pressentiu que ela queria acrescentar qualquer coisa mas. por isso. o escritório da M Street foi fechado e transfer iram-me de novo para a sede . -Joan.. -Sim.E eu quero a massa cabelos de anjo . aprendera que não valia a pena pressioná-la. Quando Maggie saiu do restaurante.Eu também . .Sim? .Desta vez é diferente. Connor ter-me-ia dito assim que conseguisse outra entrevista e depois dir-me-ia que era um emprego muito melhor do que o que lhe fora oferecid o pela Washington Provident.Só umcopodeágua. terás oportunidade de o conhecer. Só tinha dezasseis minut os. -Alguma das senhoras deseja sobremesa?-perguntou ele. .disse Maggie.disse Joan.Não.Não é segredo nenhum que ele tem esperança que acabes por ir trabalhar com ele na Wa shington Provident . aos sete minutos para a uma. .-Ele diz bem do Stuart-disse Joan. . mas nunca te encontrei. agora que já não trabalhava com Connor. eu nunca te pedi que quebrasses um segredo. Nenhuma indicação sobre onde trabalhava. .a Fitzgerald acabou de almoçar com a Joan Bennett no . Connor e Stuart deram-se bem-disse Maggie.É verdade . quando o empregado de mesa apareceu a seu lad o. Mas por que.respondeu Maggie num tom firme.-Ela levantou os olhos para o empregado de mesa. Joan?-disse Maggie. Joan dir-l ho-ia a seu tempo. -Stuart vem passar o Natal connosco.Por que dizes isso? . .Sem açúcar. .Não te preocupes. Se fosse importante. .Só ca fé. Eu acho que ele ainda está na América. .-Cannelloni eumasaladaparamim.Parece que vou ter de me h abituar à ideia de a minha única filha viver a vinte mil quilómetros de distância..Ele disse-me que ia para o estrangeiro. . nem uma deixa sobre as suas novas responsabilidades.disse Joan.disse Joan. depois de o empregado se afastar. -Ir sem o passaporte não prova que não esteja no estrangeiro . .Olhou para o relógio. . para o jovem atraente que estivera encostadoàparedeaofundo daruanosúltimosquarentaminutos.Estou ansiosa por conhecê-lo . mas há uma coisa que eu preciso de saber. Maggie admirou a forma cuidadosa como Joan escolhera as palavras. ele não me deu instruções antes de partir. Mordeu o lábio. Ela pensou que já o tinha visto algures. Ele nem sequer me ofereceu uma bebida.Que bem o conheces . . não é.disse Joan.disse Nick Gutenburg. !20 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO FRIMEIRO MANDAMENTO ópera na quinta-feira passada. -As senhoras desejam algumacoisa parabeber?-perguntou o empregado. quando o empregado de mesa se afastou. obrigada . Joan olhou pela janela.Lamento muito-disse Joan.disse Maggie. olhando directamente para ela. . . .Tenho tentado telefonar-te várias vezes nos últimos dias. nessa altura. Uns minutos mais tarde.disse Joan. não viu o mesmo jo vem pegar num telemóvel e marcar um número que não vinha na lista telefónica. mas foi-se embora sem o passaporte. Gostaria que tivesses vi ndo comigo à ópera ou que viesses jantar.Mas seria a primeira vez que ele esconderia o passaporte num local onde ele sabia que eu o iria encontrar. -A Sr. -As vezes pergunto a mim própria se realmente o conheçodisse Maggie. . . nenhuma sugestão sobre para quem.disse Joan.disse Joan. .Eu não sei muito mais do que tu .-Joanacenouacabeçaem sinaldeconcordância. . -Agora que Connor saiu da empresa. ao fim de tanto s anos.Talvez não prove . .Neste momento não faço a mínima ideia aonde ele está nem o que está a fazer.Eu supus qu e soubesses. o empregado de mesa voltou a aparecer para levar os prat os.

estava sempre esgotado com semanas de antece dência. Zerimski tinha cronometrado a sua ent rada com perfeição. . na sombra. Depois de se despedir dos funcionários do sindicato uma hora mais tarde. na Prospect. sorridente. 0 empregado de mesa chegou com os pratos.. Connor sabia como Maggie teria gostado da dança dos espíritos das trinta e seis jovens vestidas de noivas a fazer piruetas à luz da Lua. uma parte da multi dão começou a aplaudir. Maggie ia muitas vezes ao ballet quando ele estava fora e teria achado graça se soubesse que o líder comunista russo conseguira fazer. Àdireita de Zerimski estava Dmitri Titov. e ele começara imediatamente o seu programa com uma visita a uma fábrica de vestuário nos arredores da cidade. mesmo à última hora. Connor estava a assistir ao final de G iselle. ao que se seguiu um passeio não programa do pela praça da cidade. alguns a baterem educadamente as palmas. 0 seu comboio tinha partido para Yaroslav de manhã cedo. Isto parecia confirmar a exactidão das sondagens-que Chernopov estava apenas a uns pontos percentuais à frente do seu rival. dançada pelo Ballet Bolshoi. Por fim. . Faltava um minuto para as dez em Moscovo. olhava para a direita. Ele tentou não ficar enfeitiçado com os seus pliés e arabescos. ele não Provident.perguntou Maggie. Momentos antes de o maestro ter chegar ao fosso da orquestra. foi por isso que Ben Thompson foi tão frio comigo na silêncio antes de Maggie dizer em voz conseguiu o emprego na Washington JEFFREY ARCHER Café Milano. Connor levantou os olhos do programa e viu uma ou duas pesso as apontar para um camarote na segunda ordem. e Connor não ficou surpreendido ao vê-lo tentar disfarçar um bocejo ocasi onal. Connor observou os homens no camarote. 0 enorme teatro. Connor descobriu rapidamente que Zerimskimostravatertant ointeressepeloballetcomomanifestara pela arte. À esquerda estava o homem idoso que o tinha apresentado antes de ele ter discursado na noite anterior. . numa esquadra da Polícia e num hospital. enquanto o resto permaneceu sentado. foi conduzido velozmente à estação e saltou para o comboi . Connor supôs que haveria pelo menos outra dúzia no corredor. Atrás dele. .disse Joan. Tinha sido mais um dia comprido p ara o candidato. a acenar. e concentrar-se no que se passava n o camarote de Zerimski.Afinal. faltava exactamente um minuto para as duas no relógio do pátio da universidade.Obrigada . Mas não vale a pena fazer nada antes de sabermos o que se passa. De tempos a t empos. 0 DÉCIMO PRIMF.IRO MANDANII'NTO 123 Depois de o pano subir. numa ún ica noite. outros continuando a conversa r como se ele ali não estivesse. o que ela não conseguira em trinta anos. Seguiu-se um longo baixa. Traz a gravação ao meu escritório imediatamente. ao contrário da maior parte dos espectador es. Mas a teoria de Maggie também se tinha aplicado ern Moscovo .Que queres dizer com "o que se passa> ? .Eu adorava. Pouco menos de metade do público pôs-se de pé e aplaudiu ruidosamente.Um pouco de queixo parmesão. olhando fixamente para o prato.Óptimo. Estava na frente do camarote. comeu uma sanduíche antes de entrar num mercado de fruta.Então. Quando Maggie subiu a correr os degraus da Secretaria. estavam três g uardas. E u gravei toda a conversa. Ele tem de regressar antes do Natal para começar o seu novo emprego no início de Janeiro. com os seus belos balcões em ordens e a plateia com cadeiras dour adas estofadas com veludo vermelho. ele não mantinha os seus binóculos de ópera fixos na primeira bailarina. depois numa escol a. para verificar se Zerimski ainda estava no seu camarote. . lá fora. Elas estiveram juntas durante quarenta e sete minutos.era sempre possível ar ranj ar um bilhete só. minha senhora? . -Connor já aceitou a o ferta de Ben Johnson. Mas. o seu chefe de Gabinete.

quatro horas mais tarde. A visita de Zerimski aos estaleiros de Severodvinsk daí a alguns dias continuava a parecer o melhor local. Teria de ocorrer nu ma cidade suficientemente grande para poder desaparecer e suficientemente orgulh osa para não permitir que os três profissionais de Moscovo comandassem as operações. outras pessoas estavam a começar a pensar que ele talvez fosse o próx imo presidente. excepto que ~~Moscovo" tinha sido substituído por "Yaroslavl". bem como ser capaz de repetir o seu discurso palavra por palavra. Zerimski pôs-se de pé e acenou de no vo ao público. mas Connor pensou que ele deveria ter ficado com a sensação de que tinha valido a pena vir ao Bolshoï.o que tinha esperado por ele.observá-lo além de Mitchell. Chamou os jornal istas estrangeiros à sua carruagem para mais uma conferência de imprensa. Tinha mudado de táxi cinco vezes antes de permitir que o último o deixasse à porta do teatro. 0 facto de ter deixado a mala a guardar permi tia que a administração se sentisse confiante em que os binóculos seriam devolvidos. se eles sabiam o motivo por que estava na Rússia. Nem mesmo no comboio de regresso a Moscovo Zerimski descansara. sesabiamon deele estavahospedado.Mas o senhor sempre nos disse que ignorássemos as sondagens . Aparentemente. tendo pago a conta com dinheiro. Connor reparou que o número de batedores de motocicleta tinha aumentado de dois para quatro. à esp era noutra estação. ele ti vera a sensação de que algo ou alguém em que ele já reparara antes se atravessara no seu caminho. Estava a começar a perguntar a si próprio se Mitchell não era um pouco demasiado óbvio e se haveria alguém mais profissional a vigiá-lo. Se havia. movimentos e maneirismos de Zerimski.nãoprecisariam de o fazer. que já soubessem exactamente onde ele ia. o que queriam eles? Algumas horas antes. Mas antes de alguém conseguir fazer uma pergunta. e ele entrou para o banco de trás do terceiro carro. como todos os profissionais. A o descer as escadas do teatro. Afinal de contas. Mas. sentada atrás dum balcão na cave. Connor teve a sensação de que havia mais alguém a bordo a. Era óbvio que os homens da segurança locais não iam permitir moscovitas no seu t erritório. Ao fim de vinte e oïto anos. Connor chegou à estação alguns minutos depois de Zerimski.7R0 MANDAMENTO 125 ele raramente se enganava a respeito dessas coisas. Tentou afastar esses pensamentos da mente enquanto fazia a mala. não acre ditava em coincidências. e alugou um par de binóculos de ópera. Saiu do hotel alguns minutos mais tarde. 0 desfile automóvel e a escolta da Polícia levaram-no para outro comboio. Ele era contra a paranóia mas. Quando o comboio entrou na estação de Protsky.disse um dos jornalistas corajosamente. Connor deixou-se ficar atrás do grupo e continuou á observar o presumível presidente. ele despistaria quem quer que o est ivesse a seguir-a não ser. Uma fila de automóve is aguardava-o e à sua comitiva. Quando opanofinalmente caiu nofim do espectáculo. Connor concluiu que um atentado contra a vida de Zerimski teria uma maior probabilidade de ser bem sucedido fora da capital. Mostrou o seu passe de impr ensa a um guarda da segurança antes de comprar um bilhete para o comboio das . informou em voz alta o público que se dirigiapara asaídaquegostaramuitodomagníficodesempenho de Ekaterina Maximova. 0 dogma que Zerimski proclamava a quem quisesse ouvi-lo não se alterara muito desd e o dia anterior. Saiu da estação e voltou ao hotel.Viram as últimas sondagens que me mostram muito à frente do general Borodin e apen as um ponto atrás de Chernopov? . Ele sabia que tinha de dominar todas as expressões. Nessa noite. ele disse: . confiante de que ninguém o seguira. A resposta não foi tão entusiástica como antes. 124 JEFF'HEY ARCHLR 0 DÉC1M0 PRIMF. Zerimski franziu a testa. Deixou a mala com uma mulher idosa. claro. Os rufiões que o rodearam enquanto visitava a fábrica pareciam ser ainda mais amador es do que os que tinham estado com ele quando fizera o discurso no Lenin Memoria l Hall. bastava-lhes seguir o itinerário de Zerimski.

Jackson? . Helen Dexter. Quando Jackson abriu a porta. mas Jackson ainda não sabia até que ponto e la iria para salvar a pele. Poupa na lavagem e em ter de mudar . Sergei apagou a luz. Sergei esfregou a janela embac iada com o cotovelo.certamente o seguiria e ele arrecadaria o prémio.acendeu a luz sobre o beliche e começou a estudar o itinerário da visita de Zerimski a Sampe tersburgo. Mas nestes dois últimos dias fiquei a saber que esse é exactamente o tipo de inf ormação inútil que tens nessa tua cabeça. obviamente. -Outro dia cheio de manhã à noite-estava ele a resmungar. . Zerimski sabia que a reunião mais importante do dia seria com o general Borodin e o alto comando militar no quartel de Kelskow. . Tentara telefonar a Andy Lloyd nessa tarde pelo telemóvel.Saltou para um dos beliches. por isso. Quando Lloyd soubesse o que se estava a pass ar. e não ir ao museu mais famoso da Rússia seria um insulto ao s cidadãos de Sampetersburgo. decidiu tentar de novo depois de Zerimski ter discursado na Praça da Liberdade no dia seguinte. . Jackson tinha a certeza de que ele lhe daria autoridade para abortar toda a oper ação antes que fosse demasiado tarde. E issofoi antes deTitov ter acrescentado umavisita ao Hermitage . queria Connor longe. Quandoentrounoseucompartimento.respondeu.onze e cinquenta e nove para Sampetersburgo. . -Por que é que hei-de ir ao Hermitage se só vou estar algumas horas em Sampetersbu rgo? .explicou ele. Se ele conseguisse convencer o gen eral a desistir da corrida presidencial e a apoiá-lo. Sabias isso. então. Não disse mais nada até o comboio começar a sair lentamente da estação.trancouaporta.Há mais divórcios todos os anos América. Mitchell tinha apagado a sua luz assim que o comboio saíra da estação. o candidato também estava a rever o it inerário com o seu chefe de Gabinete.E quanto tempo levamos a lá chegar? . q uando Washington já tivesse acordado. Connor também compreendeu que a reunião do dia seguinte com o líder militar poderia de cidir o destino de Zerimski.Não. Fechou os olhos. por isso dorme. Zerimski via isto como um bom sinal. mas Jackson continuou acordado.És casado. . enquanto Jackson pendurava o casaco e as calças no cabide mais frágil que jamais vira. descalçou os sapa tos e cobriu-se com os cobertores sem se dar ao trabalho de despir a roupa. -Ainda bem que nos vamos embora antes de o pano subir no Kirov. Jackson? -Não. mas não dormiu. Enquanto o americano se preparava para se deitar.E filhos? Tens filhos? .Seiscentos e trinta. Ele tencionava oferecer a Borodin algo que este con sideraria irresistível. mas não conseguira fazer a chamada. divorciado . Tinha planeado oferecer a Borodin o cargo de ministro da Defesa antes de descobrir que Chernopovj á lhe oferecera o mesmo cargo. Jacksori? 12G .Oito horas e meia. Apagou a luz alguns minutos depois das duas da manhã e adormeceu. Tinha seguido o seu companheira até ao compartimento como um cachorrinho feliz. . Não queria arriscar-se a telefonar do hotel. Sergei comentou: .Quantos quilómetros são até Sampetersburgo. Sergei não tinha conseguido disfarçar a sua excitação por viajar no expresso de Protsky. Ele sabia que Chernopov tinha visitado o general na segunda-feira anterior e tinha-se ido embora de mãos vazias.Porque foi ao Pushkin. Numa carruagem no outro extremo do comboio. Jackson subiu para o seu beliche e apagou a luz. Temos um longo dia à nossa frente.É maior do que o meu apartamento. o Exército-quase dois milhões e meio de homens . Ele tinha agora a certeza d e que sabia por que motivo o seu amigo tinha sido despachado para a Rússia. fazendo um círculo para poder olhar para fora.

0 chefe sentou-se a ouvir a gravação que o tenente fizera momentos antes. mas a única coisa que o homem disse foi: -Eu telefono outra vez daqui a alguns minutos. . Agora dorme. . .. É o vosso tempo que estão a desperdiçar. Da Europa Central. não o meu. 0 tenente demorou o máximo tempo possív el. exigindo que o seu desfile motorizado fosse do mesmo tamanho do do falecido presidente.Abrevidadedachamadasignificavaq ue nãohaviapossibilidade de saberondetinhasidofeita. . . tinha bastante em que pen sar sem ter de se preocupar com quatro misteriosas chamadas telefónicas.disse Jackson. A primeira chamada fora feita às nove e trinta e quatro. dizendo que estavam a tentar encontrar o chefe.Por que é que este homem é tão importante para ti? Jackson esperou algum tempo antes de responder.Não é dificil calcular que cidade Borodin vai querer tomar primeiro . Bolcheukov tinha estado a explicar a um dos organizadores da campanha de Zerimski o motivo por que não podia ter o mesmo número de batedores da Polícia do que Chernopov. ma s só falarei com Bolchenkov. . salvou a minha vida no Vietname. Onze minutos depois.. Jackson.Aqui fala Bolchenkov. .Eu acho que nem sequer o Ted Turner teria dinheiro suficiente para te adoptar. .Bolchenkov.Por que é que não me adoptas? Assim. .Vai haver um atentado contra a vida de Zerimski esta tarde . sur giam de novo rumores de um golpe militar. Bolchenkov tinha montado um departamento inteiro para lidar com a ameaça de terrorismo durante a campanha eleitoral. veio a segunda chamada.disse uma voz de homem com um sotaque que Bolchenkov não conseguiu identificar. certamente que não era russo. chefe da Polícia de Sampetersburgo. Borodin recusava-se a permitir que os seus homens saíssem do quartel antes de sere m pagos. Sergei.tinha Bolche nkov avisado o presidente da Câmara. i 128 Foi então que o tenente irrompera no gabinete do chefe. . Isto faz sentido? Sergei teria respondido se não tivesse adormecido profundamente.. eu podia ir para a América contigo. está aí? . cinquenta e um minutos depois de Zerimski ter chegado à cidade. -Otelefonedesligou-se. na Rússia do que na JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 127 15 Vladimir Bolchenkov.Não .Mais uma pergunta. por isso acho que se pode dizer que Ihe devo esses anos. não seria no seu território. Eu telefonarei com mais pormenores daqui a alguns minutos. Chernopov tinha visitado a cidade na segunda-feira e tinha feito parar o trânsito. talvez. Bolchenkov viu imediatamente que estavam a lidar com um profissional. Apagou imediatamente o cigarro e foi para junto da sua equipa da unidade de terrorismo.Eu perdi. um atirador solitário contratado pela mafia levará a cabo o atentado. e agora que parecia que ele estava fora da corrida para presidente. Certifique-se de que Bolchenkov e steja aí junto ao telefone. Houve outro longo silêncio.Há vinte e nove anos. Se alg um dos candidatos fosse assassinado. 0 chefe da Polícia atri buíra-as aos malucos e aos lunáticos habituais e ignorara-as-até um jovem tenente pálido e a falar demasiado depressa ter entrado a correr no seu gabinete nessa man hã. . Só nessa semana o departamento recebera vinte sete ameaças à vida de Zerimski. .Enquanto Zerimski estiver a discursar no c omício na Praça da Liberdade.Diz-me lá como é que posso impedir-te. Passaram-se mais nove minutos até o homem voltar a telefonar.

-Foi o que eu pensei. perm itam-me que vos dê uma ajuda. não há. . Durante a meia hora seguinte.Quere s conversar sobre isso? .Por que não? -Porque ele escreveu claramente por fora "Pnl~nextxnPErrns DEPOIS DE IÌ DE DEZEMBR O". Eu telefono outra vez daqui a três minut os. Escutaram todos atentamente.disse Tara em voz baixa.-Nãoconheçomuitosmaridos q Uí'cì~tn I?imeiru Mundumonm-9 m ~W 0 i m 0 oc m W W io c~ m+r N W N d sdoteupai~rança de que r. Três minutos depois.Que é que ele dizia nele? ..Dois toques .0 homem que procuram está disfarçado de jornalista estrangeiro. o departamento inteiro estava reunido para o ouvir. vocês têm de justificar o que ganham.Z ada de "Está.disse o tenente. 0 assassino tem um metro e oitenta e três. mamã? . . Mas estará provavelmente disfarçado.Se eram duas da tarde. Eu não sei o que ele terá vestido mas. a divisão de antiterrorismo inteira está sus pensa de cada uma das minhas palavras-foi a sua primeira frase. -Mamã. N W inhamarcado queninguém nsou Maggie. Está a trabalhar sozinho.Eu descobri um envelope dirigido a mim.Que romântico . da costa leste dos Estados Unidos.disse Tara. Contar o quê?. nesta altura. JEFFREY ARCHIìR 0 W W 0 Q U w a iQ Z ÚQ 00 wU aQ OZ p0 Q U^ N> W 0~ ~0 QZ Maggie riu-se de uma forma pouco convincente. .É mais provável que a chamada tivesse sido feita às du as da manhã.Passa a terceira gravação outra vez.Eu acho que não . após alguns segundos. . teve o tenente vontade de perguntar quando carregou no botão de playb ack. perguntando a si próprio o que o seu chefe tinha apanhado que escapara a todos os outros. .disse ele.Por isso. escondido numa das gavetas dele. provavelmente é apenas um cartão de boas-festasdisse Tara calmamente. olhos azuis e cabelo ca stanho. . o chefe apagou outro cigarro e disse: .Há outra coisa que te está a preocupar. Sub itamente. 0 chefe sorriu. .N~~ J ~ ~ alguma coisa 129 o da cama e ~ó tocou duas . 0 jovem tenente carregou num botão.Tenho a certeza de que. Rebobinou a fita e ouviram outra vez. Não o a bri. também. toda a unidade ouviu as gravações repetidas vezes. . grosso.Não faço a mínima ideia. . representando um j ornal sul-africano que não existe. -Duvido-r espondeuMaggie. o ding-dong sumido de um relógio. . Volta atrás e começa a c ontar. Ele chegou a Sampetersburgo no expresso de Moscovo esta manhã. -. Desta vez ouviu. o nosso informador est ava a telefonar do Médio Oriente. ao fundo. -Pára-disse o chefe. .

É mais provável que a chamada tivesse sido feita às dua s da manhã. mas pelo menos sabes sempre onde Stu art está e podes telefonar-lhe sempre que quiseres. Mas esta viagem específica deixa-me inquieta -disse Maggie. Escutaram todos atentamente. . mamã. 0 telefone só tocou duas vezes antes de ser atendido.disse o tenente. É só que tenho saudades do teu pai . . da costa leste dos Estados Unidos.Oh! Olá. . -Isso não é há nada de novo.. vocês têm de justificar o que ganham. o ding-dong sumido de um relógio. 0 meu problema é que eu não faço a mínima ideia de onde o teu pai está. Três minutos depois. querida. eu sei. Eu sempre achei que era um esquema diabólico para . Eu não sei o que ele terá vestido mas.É a mamã. . Tipicamente irlandês.Eu tenho saudades de dois. . ele só está fora há uma semana. toda a unidade ouviu as gravações repetidas vezes. 0 assassino tem um metro e oitenta e três. 0 jovem tenente carregou num botão.Tenho a certeza de que não há qualquer necessidade de estares ansiosa. . 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 1?9 Maggie pegou subitamente no telefone ao lado da cama e marcou um número de São Franc isco. Apagou imediatamente o cigarro e foi para junto da sua equipa da unidade de terrorismo. 0 teu carro avariou-se ou é alguma coisa séria? . a divisão de antiterrorismo inteira está sus pensa de cada uma das minhas palavras-fòi a sua primeira frase. Mas estará provavelmente disfarçado. pelo menos tu só tens saudades de um homem-disse Tara. Desta vez ouviu.Dois toques . o chefe apagou outro cigarro e disse: . Afinal d e contas.Tinha esperança de que tivesses algum tempo para conversar. Contar o quê?. permitam -me que vos dê uma ajuda. 0 chefe sorriu.disse uma voz decidida.Pára. Lembra-te de quantas vezes ele já apareceu quando menos esperavas.disse ele. após alguns segundos. Nós as duas conhecemos bem as regras de quando o papá está fora. mamã. nesta altura. . . "Como ela se parece com o pai".Sim.Não é nada.Talvez.Tenho a certeza de que.Tara Fitzgerald . Nada de "Está. para queninguém perdesse tempo. .-Por isso. Sub itamente. representando um j ornal sul-africano que não existe.Se eram duas da tarde. . I-me inquieta ecessidade de fora há uma ~eceu quando ama diabólico JETI REY ARCHER Foi então que o tenente irrompera no gabinete do chefe. Ele chegou a Sampetersburgo no expresso de Moscovo esta manhã. está aí? -Aqui fala Bolchenkov.0 homem que procuram está disfarçado de jornalista estrangeiro. .. .~mem-disse ies de dois. . ao fundo. pensou Maggie. teve o tenente vontade de perguntar quando carregou no botão de playb ack. Eu telefono outra vez daqui a três minut os. perguntando asi próprio o que o seu chefe tinha apanhado que escapara a todos os outros. o nosso informador est ava a telefonar do Médio Oriente. .Eu acho que não . Rebabinou a fita e ouviram outra vez. tentando aligeirar o tom. -Foi o que eu pensei. grosso. o departamento inteiro estava reunido para o ouvir. com uma garga lhada. querida.Bolchenkov. Bolchenkov tinha estado a explicar a wn dos organizadores da campanha de Zerimski o motivo por que não podia ter o mesmo número de batedores da Polícia do que Chernopov. olhos azuis e cabel o castanho. Passaram-se mais nove minutos até o homem voltar a telefonar. Durante a meia hora seguinte. mãe.disse o chefe. . Volta atrás e começa a contar. Stuart está e oblema é que s conhecemos Iheres devem thorregresse. . boanoite"ouaconfirmaçãodequ equemtelefonaratinhamarcado onúmero certo. Dizia simplesmente o seu nome. As mulheres devem ficarobedientementesentadas àesperaqueoseusenhorregresse.Passa a terceira gravação outra vez. -Bem. Está a trabalhar sozinho.respondeu ela. também.

-Duvido-respondeu Maggie. Maggie riu-se de uma forma pouco convincente.Eu tê-lo-ia aberto imediatamente se estivesse dirigido a mim . o que não falta são estrangeiros altos com olhos azuis e cabelo castanho.disse Bolchenkov -. e agora que as sondagens estão a moverse na sua direcção.Que romântico . Todos os seus agentes têm a descrição? -Sim.Há outra coisa que te está a preocupar.NTO -Zerismki é uma figura muita mais carismática.Por que não? . . chefe-respondeu um homem mais jovem. . . dois deles estão actualmente presos. . E não se esqueça de que eles não sabem por que é que queremos interrogá-lo. nos seus ficheiros.disse o chefe. estou certa de que o papá havia de querer qu e o abrisses. provavelmente é apenas um cartão de boas-festasdisse Tara calmamente.Se houver realmente cem mil pessoas na praça .Que ligação colombiana? -Algumas semanas atrás.-Mas a Polícia de Joanesburgo foi extremamente cooperante.. só para lhe dar uma segunda oport unidade mais tarde. . -Mamã. a CIA fez circular um memorando confidencial. .Eu descobri um envelope dirigido a mim.disse Maggie em voz baixa. Mas a descrição não se aplica a nenhum deles e. . . . na esperança de conseguirmos prendê-lo antes de ele chegar sequer à praça. . Eles também falaram na ligação colombiana. e cancelei todas as folgas. Vou pô-lo outra . mãe. 0 chefe ap agou o cigarro e acenou a cabeça em sinal de assentimento. Mas não há muitos com experiência de uma coisa tão grande.Eu sei que não serias capaz de esperar . Parece que seguiram o rasto do assassino até à África do Sul e depois perderam-no.Se Connor chegar antes dessa data e descobrir que eu o abri. Não o a bri. A partir da descr ição feita pelo nosso informador. Então. . Telefonei ao m eu contacto na CIA e a única coisa que ele me disse foi que sabiam que esse homem estava outra vez em movimento e que tinha sido visto pela última vez a embar car num avião em Genebra.Só depois de 17 de Dezembro. mas.Suponho que não que dêem cartões de boas-festas às mulheres. acusados de crimes que vão desde o roubo à bigamia. . -Se estás tão ansiosa por causa disso.Porque ele escreveu claramente por fora "PnRA ABRIR APENAS DEPOIS DE I7 DE DEZ EMBRO". mamã? . . em qualquer caso. Mas eu não quero assustá-lo agora. escondido numa das gavetas dele. Estava escondido no meio da roupa desportiva. dando pormen ores sobre o assassinato de um candidato à presidência da Colômbia. . mesmo assim. ele. Eles tëm. mas ele pode estar disfarçado. chefe. encostado à parede do fundo.Quere s conversar sobre isso? . Alguém conseguiu mais informações? -Sim.Que é que ele dizia nele? .Quando é que o encontraste? -Hoje de manhã. .disse Tara em voz baixa.Todos os homens disponíveis estarão na praça. .disse Tara. De qualquermodo. -Estou de acordo.É só disso que preciso . e certamente não num envelope castanho esco ndido numa gaveta. três homens que dão por esse nome. Já di fundi a descrição do homem. poderás descobrir que estiveste a preocupar-te sem razão.Não faço a mínima ideia.se certificar de que não tens um amante. não há.disse Maggie -. Não queremos causar pânico.disse Tara.Há alguma coisa no computador sobre ele? -Não-disse o jovem agente. .-Não conheço muitos maridos 0 U2cimn l'timciruUvlundumvnn-9 IJO JEFFREY ARCHER O Dh::CIMO PRIMEIRO MANDAMF.Quantos agentes me pode dispensar no terreno? . acho que devo aguardar mais alguns dias antes de tomar uma atitude.Há três jornalistas sul-africanos a cobrir oficialmente as eleições. será a primeira vez para mim também. numa gaveta que rara mente abro. eu prevejo que ele irá atrair muito mais gente. estou razoavelmente seguro de que é um que se diz chamar Piet de Villiers..

Talvez tenhas razão. -Porquê tantos. por que é que não telefonas à Joan e lhe pedes um consel ho? .disse outra voz.disse o chefe da unidade de pequenas armas. "Na minha linha de trabalho. . para sabermos mais notícias sobre as próximas eleições na Rússia. mesmo assim. > Connor manteve a televisão acesa enquanto se barbeava. . ele poderá mudar de ideias ao ver a nossa presença no terreno.E agora.E que te disse ela? . com o que poderá estar dentro desse envelope. Tom Lawrence estava. q uero serimediatamente informado. passamos a pa . ele nunca saberá que o vi.perguntou Maggie.perguntou o chefe..Para te ajudar a abri-lo. chefe .Se algum de vocês souber qualquer coisa e eu quero dizer mesmo qualquer coisa. e decidi não o fazer. comandante? Chernopov só co nseguiu setenta mil.Sim.É apenas uma estimativa.perguntou uma voz ao fundo. -Calados! -disse o chefe num tom severo. Alguém tem perguntas? . um pivot da CNN.Tenham cuidado para não prenderem um dignitário estrangeiro e arranjar-nos ainda m aiores problemas. vou colocar agentes à paisana em todas as entradas e saídas. será imediatamente preso. . Estavam lá vinte e t rës jornalistas e apenas dois correspondiam vagamente à descrição. Ouviu-se um murmúrio de conversas. Já pensou em cancelar o comício? .A maior parte dos edifícios é ocupada por repartições públicas. por outro lado. Hillary Bowker estava a dar aos telespectadores as notícias mais recentes sobre o que se passava na América. . E mesmo que de Villiers esteja na cidade. Um era Clifford Symonds.Não estou a ser mais tola do que tu aí sentada. Em todo o caso. escolhidos a dedo. Tara. . 0 presidente foi substituído por uma rapariga bonita de cabelo ruivo que fez Conno r pensar em Maggie. Se eu fosse cancelar uma reunião todas as vezes que rece bo uma ameaça a uma figura pública. .Telhados e edifícios? . mas podem chegar aos cem mil.Não.Já o fiz.Talvez eu deva ir até Washington.vez na gaveta. 132 JEFFREY ARCHER O DFCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO houve qualquer sinal de Villiers quando Zerimski visitou o Hermitage esta manhã? .perguntou ele.Para quê? . já est avam a avisar que a Proposta de Lei teria muito dificuldade em passar no Senado. dissera-lhe ele uma vez. Os analistas. A Proposta de Lei de Redução do Armamento tinha passado na Câmara dos Representantes c om uma maioria de apenas três votos. -Nada disso-garantira o presidente ao jornalistas reunidos na reunião matinal com a imprensa. . . -Quantas pessoas estamos a contar que venham à praça esta tarde? . .Se se tentes tão insegura. Assim. a afirmar que o resultado era uma vitória do senso comum. eu devia ter-me casado com uma locutora de televisão"..Não junto do corpo de imprensa. .disse o oficial fardado mais graduado que estav apresente-.Tenho uma dúzia de homens encarregados de cobrir os telhados à volta da praça. Deus ajude o homem que me disser mais tarde: " Eu não o disse. . . . Se alguém que corresponda à descrição tentar entrarna praça ou em qualquerdos edifícios que dão para ela. ainda pode ser um falso alarme. e o outro eu conheço há anos.Já. por isso. Jogo xadrez com ele. . o que ajudou a quebrar a tensão. a olhar para os vinte homens. . . porque na altura pensei que não era importante. Mai s alguma pergunta? Ninguém se mexeu. -Toda a gente na sala se riu. chefe. Riscou um fósforo e acendeu o seu sétimo cigarro dessa manhã. para o caso de ele aparecer de repente.Não sejas tola. mãe. as nossas linhas telefónicas ficariam bloqueadas com chamadas de todos os radicais que não têm mais nada que fazer a não ser provocar o caos.Que o abrisse. preocupada Bolchenkov estava sentado em cima da secretáriana frente na sala de operações. chefe. chefe . .

e assim ele não teri a de entrar na rrraça antes que fosse necessário. .Quem é a primeira?.disse Jackson. mas tinha a vantagem de ser no segundo andar e de dar para a Praça da Lib erdade.Quem é que alguma vez perdeu uma agulha num palheiro? . de acordo com as previsões da Polícia. Connor parou de fazer a barba e ficou a olhar para o ecrã. . . Já tinha encontrado um restaurante convenientemente situado no lado oeste da praça. Espalhou mais espuma no queixo e continuou a barbe ar-se.lavra a Clifford Symonds. Lembra-te que provavelmente ele est ará bem disfarçado. será quase impossível encontrá-lo no mei o desta multidão . 0 rosto de Hillary Bowker voltou a aparecer no ecrã. a q ual não seria mais do que um panegírico do secretário de imprensa sobre o que o seu patrão tinha conseguido fazer mésmo antes dopequeno-almoço. Esta manhã. .Aquele é o Vladimir Bolchenkov.perguntou o agente da Polícia que estava ao lado de Bolchenkov. Zerimski terá umareuniãoparticular com ogeneral Borodin. tinha uma porta das traseiras. a previsão do tempo para a sua região . Quando saiu do hotel. Foi depois à procura de um carro alugado. Cliffor d Symonds.respondeu Jackson. nem ao Hermita ge. Não era famoso pela sua cozinha. estão agora empatados. . ao qual. Jackson riu-se enquanto continuavam a observar o chefe a falar com um agente far dado. o que era ainda mais dificil de encontrarem Sampete rs13d JF. Mantém-se a incerteza sobre qual dos dois candidatos ele irá apoiar. . Mais importante ainda. . Ele gostaria de escutar a conversa. uma vez que não tinha qualquer interesse em saber qual era a temperatura na Florida. Concentrar-se-ia na principal aparição pública de Zerimski nesse dia. a CIA teria sido capaz de ouvir a gravação de tudo quanto eles diziam. se bem o conheço. -Eu dou-te um bónus de dez dólares se o conseguires descobrir. Connor desligou a televisão. .0 presidente da Câmara? -Não.Não.E. para as doze horas.disse ela com um sorriso largo. Sergei manifestou subitamente um interesse muito maior na multidão que se movia na praça. . o nosso correspondente em Sampetersburgo. . na sequência da fraca posição da sua c andidatura nas últimas sondagens. Mr.Onde é que obténs todas as tuas informações?-perguntou Jackson.Vê aqueles jovens agarrados às estátuas? . junto da janela. . .Da minha mãe. Ele é o patrão da mafia da cidade.perguntou ele. Um homem justo. Já tinha decidido que não iria assistir à confèrência de imprensa matinal de Zerimski. agora. embora seja a segunda pessoa mais poderosa de Sampetersburgo. ondepassaria a maior parte do tempo a evitar Mitchell.Isso não provoca um ligeiro conflito de interesses? . que deverá anunciar brevemente a sua desistência da corrida. . . o chefe da Polícia. poderão assistir mais de cem mil pessoas. CNN Internacional. .0 que está a f alar com um polícia. Sampetersburgo.perguntou Jackson. . Aqui só és preso se não fores da mafia.Deixa-te de fazer comentár ios engraçadinhos e faz aquilo para que te pagam-disse Jackson. o primeiro-ministro Grigory Chernopov e o líder do Partido Comunista Victor Zerimski.Vês aquele homem no último degrau.FFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO l35 16 -Onde pensas que ele está nestepreciso minuto?-perguntou Sergei. telefonou para o restaurante da cabina telefónica mais próxima e reservou uma mesa de canto. 0 candidato c omunista vai discursar esta tarde num comício na Praça da Liberdade.Será como procurar uma agulha num palheiro.As sondagens mostram que os dois candidatos que vão ã frente. no canto norte? .Vejo . e o resultado das eleições poderádependerdessa decisão. Ela já dormiu com os dois. é o seu irmão Joseph.Ele deve estar algures mas. Se isto estivesse a acontecer em Washi ngton.

mas.Um bom dia para carteiristas .. Estava a pensar em Tom Lawrence e a perguntar a si próprio quando é que ele se decid iria. Dois polícias à paisana situados a alguns metros da porta estavam a inspeccionar o grupo de trab alhadores.disse Sergei. de cabelo castanho. . a cerca de um metro de onde ele normalmente se sentaria. -Eu já vi algun s velhos experientes irem-se embora com carteiras.disse o chefe. entrou no ho tel mais próximo e deu uma nota de vinte dólares ao recepcionista. Passou por doi s polícias que estavam a interrogar um estrangeiro alto. 1. o recepcionista reparou. Connor olhou pela janela e ficou surpreendido ao ver que a praça já começava a ficar cheia. ." Pelo menos.É sempre possível encontrar um polícia quando não é preciso -disse Sergei. E. para tomar um duche e mudar de roupa . Olhou para a plataforma da imprensa com o cordão em volta e pareceu-lhe q ue ainda havia uma actividade considerável à sua volta. explicando que precis ava de um quarto durante cerca de uma hora. devido ao ar gelado. observando cuidadosamente a praça.perguntou Jackson. meu amigo. Sorriu quando viu Mitchell no seu lugar habitual. pela prim eira vez. Sentou-se de modo a ficar escondido da maior pa rte dos outros clientes. Ao colocar a mochila debaixo do balcão. . Disse o nome ao empregado de mesa e foi imediatamente conduzido a uma mesa a um canto. -Então. Ele sabia que o chefe da Polícia teria desejado que houvesse uma trov oada. -Quevai comer.Que é que eles têm? . embora ainda faltassem duas horas para o discurso de Zerimski. é melhor eu comer o bife à la minute -disse Connor. eles arriscar-se-iam? . Subiu a rua. ou recearia el e algum tipo de manifestação durante o discurso de Zerimski? 0 empregado de mesa voltou.76 JEF'FREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO ¡3y Todos os gestores num raio de um quilómetro e meio da praça se tinham provavelmente conformado com o facto de que não se trabalharia muito nessa tarde. Era possível que estivessem ali mais de setenta mil pessoas. desta vez. Connor deixou-lhe uma mochila e disse que a viria buscar perto das quatro. agreste e com céu limpo. todos eles fazem part e da minha equipa e assim vêem a multidão melhor do que ninguém. ele depressa descobriria se estava a ser seguido. mas tendo ainda uma vista geral da praça. observando a multidão.Com tantos polícias presentes. chefe. Mas de que é que eles estavam à procura? Estaria o chefe da Polícia a ser excessivamente cauteloso. pô-las ao pé uma da outra. o recepcionista não o reconheceu. mas estava um dia típico de Inverno de Sampetersburgo . Connor deu por si a ser empurrado pela multidão quando esta saiu para o passeio.frio. Tinha decidido voltar de carro para Moscovo depois do discurso. Connor subiu lentamente a rua secundária junto da Praça da Liberdade. Quando desceu no elevador alguns minutos antes do meio-dia. a menos de um quarburgo do que em Moscovo. sir? Recebemos ordens da Políciaparafechar o restaurante antes das duas. Alguns dos mais jovensjá estavam agarrados às estátuas a olhar em volta. Entre a multidão. Como tinham ambas uma etiqueta com o mesmo nome. -Para o caso de estar a pensar por que é que eu não os prendi. A Praça da Liberdade já estava cheia quando Connor tentou passar por entre os corpos e avançar em direcção ao pódio. o vendedor de cachorros quentes. Olhe para trás. chegou ao centrodacidadeeentro unumparquedeestacionamentosubterrâneo situado a duas centenas de metros da Praça da Liberdade. "Hoje não. eles revelavam o menos possível de si próprios. Mitchell tinha um sobretudo quente vestido e usava um chapéu adequado. os dois homens a vender flores e os quat ro \ ardinas também são todos homens meus. Mas a Polícia não . As sim. Eles não lhe prestaram atenção e ele entrou no edificio e apanhou o elevadorpara o res taurante do segundo andar. viu vários polícias à paisana. Quarenta minutos depois. na pasta. quando um empregado apareceu a seu lado e lhe deu a ementa.

Connor interrogou-se se. no meio da imprensa. tenho doze autocarros de polícias fardados que podem ser chamados a qualquer momento. muitos mais do que os necessários para impe dir que alguém entrasse na área reservada. Juntou-se a um grupo grande de trabalhadores que estavam a sair dos escritórios do primeiro andar e que tinham sido. desta vez. Apesar disso. . e f ora por este motivo que decidira não se sentar. Um agenteveterano dissera-lhe umavez que a paranóia ~ sempre mais acentuada . A chávena de café quente colocada à sua frente distraiu-o. Perguntou a si próprio por que é que havia tantos polícias à paisana ali perto. Haverá ainda cem homens à paisana a entrar e sair da praça durante a próxima meia hora. olhando pa ra o relógio. enquanto esperava.estava Bolchenkov a perguntar a um sargento com um walhie-talki e. Deverá chegar dentro de sete minutos. desde os que adoravam Zeri mski. -Acha que é possível que o nosso homem tente disparar sobre o Zerimski enquanto este ainda estiver no interior do automóvel? -Não-disseochefe. dirigiu-se lentamente à rapariga sentada na pequena ca bina e deu-lhe um bilhete. Havia qualquer coisa que não batia certo. Embora ainda faltassem trinta minutos para a hora prevista para a chegada do candidato. Um pensamento atravessou-l he a mente.Ele saiu da reunião com n Borodin há dezoito minutos e segue ao longo da Preyti St reet. Todas as saídas estão cobertas e todos os indivíduos que conseguire m ver a praça terão um dos meus homens a poucos metros deles. Nenhum profissional consideraria a Praça da Liberdade uma zona de alvo apropriada.parece interessada. Os olhos de Sergei fixaram-se no chefe da Polícia. Ele não atiraria sobre um alvo em movimento. Manteve os olhos nos polícias. obviamente.Onde está ele? .terá encontrado um local em que você não pensou. Connor dirigiu a sua atenção para 0 outro extremo da praça. dispensados do serviço para assisti rem ao comício. Nesta altura. a eficácia do chefe da Políc ia era mais do que óbvia. Ele lera algures que os velhos dão sempre gorjetas pequenas. seria capaz de saber se tinham feito um acordo. -Então. 0 resultado seria a notícia de abertura dos noticiários de todas cadeias televisivas nessa noite .-Estamosalidarcomumprofiss ional. Zerimski já devia ter terminado o seu encontra com o general Borodin. Além de todos os problemas que já identificara. não era possível. a praça já estava cheia de gente. Connormandouvir um café e continuou a observar a actividade que se desenrolava na praça lá em baixo. 1. Não. Achou graça ao modo como o vendedor de cachorros quentes estava a tentar disfarçar o facto de ser polícia. mas pô-lo ediatamente de parte. 0 pobrehomem acabarade receber out raqueixa-provavelmente. . Ela entregoulhe o chapéu e o casaco. Pediu a conta e. k As pessoas davam saltos para conseguir ver melhor. Olhou para o relógio.Se ele for tão bom como eu penso . concentrou-se pela última vez na cena por baix o de si. Pagou a conta com dinheiro. tinha-se esquecido do ketchup. e ele deu-lhe uma nota de cinco rublos. Connor já sabia quantos passos ele daria Ates de parar e vol tar a acenar.disse o chefe -. Connor achou que o tamanho da multidão lhe daria a melhor oportunidade de observar Zerimski de perto que tivera até aí.38 JEFEREY ARCHER aÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO >~íoutra. -Eles talvez tenham problemas suficientes comumamultidão de quase cem mil pessoas e com o Zerimski a chegar a qualquer momento. estavam à procura de alguma coisa ou de alguém em icular.disse o chefe. especialmente teirão. mas ~nnor ignorou to da a confusão à sua volta. . A pequena plataforma construída para a imprensa era a gora a única zona que não estava ocupada. pela atitude de Zerimski. daqui a sete minutos começam os nossos problemas . Estava a ficar anóico. a simples curiosos. a maior parte dos quais estava a olhar para fora do palco.

ó cabelo de cor difer ente e um andar de velho. Embora alguns dos nossos cidadãos desejem voltar aos dias tários do passado. y-Camaradas-disse ele numawoz sonante-. a grande maioria. viu Mitchell a alguns passos dele.perguntou on. dentro de um automóvel à prova de bala. identificando mais alguns polícias à paisana. .Gada dia assa.. primeiro numa direcção e depor ld0 . Connor estava a dirigir-se lentamente para a plataforma. uma vez que eles só iriam engrossar os números. Em todo o caso. eu tenho cada vez maior consciência. Depois. Não te esqueças de que a última vez que ele tentou uma coisa destas foi so bre um alvo de pé. Desta forma.Como é que o reconheceste a esta distância? . Ele parou e acenou. como se uma estrela de rock tivesse c hegado ao palco. Jackson deu uma nota de dez dólare s a Sergei no momento em Zerimski parou em frente do microfone.. Uma dúzia de atiradores estava a examinar a multidão a través de binóculos. a menos provável que o vissem esgueirar-se por entre a t idão. para a multidão. é uma grande paramim estarperantevós comovos socandidato. a mu ltidão começou a aplaudir ainda maiè~{ ruidosamente. parando no canto noroeste. Olhou. Mas.. Olhou em volta para a m ultidão. Zerimski não se importaria.Ele é a única pessoa que está a tentar sair da praça. Connor decidiu começar estocar-se na direcção do extremo norte da praça assim que viesse uma explosão de aplausos prolongados. Todos eles tin ham duas coisas em comum: eram homens e eram altos. Ainda se encontrava a alguns ros à sua direita. Deves-me dez es. um rugido elevou-se atrás dele. Eu vi a agulha . A única coisa que lhe interessava era ter mais gente do que Chernopov.na última missão. --Está virado para Zerimski. Se estivessem vestidos com fatos de treino amarelos não teriam sido mais"óbvios. Connor olhou mais uma vez para o recinto da imprensa que estava a começar a ficar cheia. a regra era sempre a mesma: sair da ~na de perigo. alguns momentos mais tarde. A Policia estava a verificar cuidadosamente as credenciais de tódos eles-não havia nada de invulgar nesse facto. a cerca de vinte passos do palco. pois estava rodeado por um grande número de guarda-costas entroncados. Olhou em volta da praça. Eu sinto-o.. quase como se fosse um reflexo condicionado. Connor observou-os durante alguns momentos. Era óbvio que o chefe acreditava no valor da dissuasão. Não. Connor verificou os telhados. no meio da multidão. e. Virou-se e viu o desfile` motorizado de Zerimski dar lentamente a volta a três lados da praça.perguntou Jackson. Isto fê-lo ficar parado. embora não pudessem ver o candidato. Connor voltou a ver hell. Zerimski ia p ermitir que esse tipo de erro fosse cometido segunda vez. calculando rapidamente e saída tomaria. As janelas dos edificios à volta da praça estavam cheias de empregados de escritório q ue tentavam ter a melhorvisão possível do que se passava por debaixo deles. Este tinha dado ma is um passo na sua direcção. excepto que alguns jornalistas eram obrigado s a descobrir a cabeça. 0 velho que o tinha enfado em Moscovo estava sentado sozinho ao fundo do . . ao ar livre. y-. As portas das limusinas Zil abriram-se. mas não havia qualquer forma de saber se Zerimski se encontrava entre os que saíram.disse Sergei. Também havia pelo menos duzentos polícias fardados em redor d o perímetro da praça. ver onde Mitchell estava. Zerimski aproximou-se do microfone com as mão erguidas. uma vez que as janelas de todos os automóveis eram pretas. um pouco mais próximo do que quando o vira primeira vez. o nosso homem está algures no meio da multidão. Como é que jovem agente o reconhecera? Subitamente. A multidão estava a começar a acalmar quanto esperava que Zerimski falasse. quando em dúvida. Quando o candidato finalmente subiu os degraus. é quase impossível atingir a pessoa errada. ele tem uma maior possibilidade de fugir. ele não teria a certeza em que veículo Zerimski estaria. p elo canto do olho. indicar à multidão que estava prestes a começar a discursar. com uma multidão tão grande. ando olhou em volta. A multidão estava a aplaudir entusiasticamente. Deste modo.Onde? . Franziu o sobrolho. atingindo o auge quando ele avançou para a frente do palco.

quando Zerismki dissesse à multidão o que tencionava fazer quando fosse presidente.. mas não tentou resistir..BMWeJaguares. Concentrou-se nas palavras de Zerimski. Amultidãoirrompeuemaplausos.murmurou ele aos ouvidos dos que estavam mais próximos. Voltou a dirigir-se ao recinto da imprensa.sugeriu Sergei.prosseguiu Zerimski..Por que é que o homem do banco está a seguir o teu amigo? . Não haveria contas bancárias rechead as com os subornos de homens de negócios desonestos . ficou imóvel.. Qual seria o jogo dele? -. os americanos estariam mais interessados na opinião d o México do que na da Rússia . não me digas que estou a perder qualidades .prosseguiu ele sem hesitar. -Até agora. Reparou que Mitc hell dera outro passo na sua direcção. Eleteria de o despistard urante apróxima explosão de aplausos. podereis ter a certeza de uma coisa. mas quem os conduz? Apenas uma meia dúzia de privilegiadas. . Um segundo depois. Connor deu mais alguns passos na direcção da extremidade n orte da praça. que o ignorava deliberadament e. outro agarrou-o pelo direito. Quando a multidão aplaudiu. que. eleir-se-iaemboraecertificar-se-iadequeMi tchellfossetransferido para um país remoto.Um assassino da mafia . .. A multidão começou a formar um pequeno círculo à volta dos três homens no chão. -Ouum profissional que sabe exactamente o que está afazer? .-EverdadequevêemMercedes. quer uma distribuição mais justa da riqueza que foi criada pelas suas capacidades e trabalho árduo... . .que a Rússia pode voltar a ser a maio r nação da terra. . infestado de mosquitos.disse a mesma voz autoritária. .disse o chefe -. cujo único interesse é saquear os bens do país. E Connor foi levado para a extremidad e norte da praça. Foi atirado ao chão. bons cidadãos.perguntou Sergei. dedicar-me-ei a servir-vos e contentar-me-ei com o salário de presidente. não resistir à prisão.prosseguia Zerimski . e onde há mais contas em Bancos suíços do que hospitais. . As suas mãos foram puxadas paratrás das costas e um par de algemas colocado à volta dos pulsos. como um velho pr ofissional. eu assumirei a responsabilidade. Então. Quando os aplausos pararam. .Porque é um amador . camaradas .Quem é o homem? . ele tem feito tudo excepto beijá-lo-disse Sergei.esta declaração obtinha sempre os aplausos mais ruidosos. em vez de aceitar subornos de homens de negócios desonestos.. Mitchell recuou um pouco e ficou à espera da inevitável pergunta: . Connor olhou para trás e viu que Mitchell tinha dado dois ou três passos na sua dire cção. ignorou-a.Se cometermos um erro ..disse Jackson.. -Deixem-me garantir-vos...disse Jackson. para antecipar exactamente quando se moveria. Daí a alguns segundos haveria uma longa ovação.Meu Deus.JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 141 .Levem-no! . . que Connor não conseguia ver. -.. se eu for eleito presidente. -Está preso-disse um terceiro. Mitchell estava agora a apenas um passo de Connor. sem mover um único músculo. murmurando periodicamente as palavra s assassino da mafia".-Quando a multidão co meçou a aplaudir. "Apenas algumas palavras diferentes aqui e ali".Se Chernopov fosse eleito. Zerimski tinha reparado na agitação ocorrida no meio da multidão mas.Eu quero ver o dia em que a Rússia não tenha mais limusinas do que automóveis famili ares. Tinha o nariz encostado com firmeza ao chão. Regra número um: quando não se tem nada a esconder. Connor deu rapidamente alguns passos à direita. `I`inha dado quase três passos quando o primeiro polícia lhe agarrou no braço esquerdo. .Nunca nos esqueçamos . Connorvirou-sesubitamente e começou a mover-se para a d ireita. Estavam agora mais interessados neste espectáculo do qu e nas palavras de Zerimski. pensou Connor.Olhem para as ruas d e Moscovo.

Acho que o vi .Está bem . ele move-se demasiado rapidamente para um homem daquela idade ..Viu queos jornalistas estavam mais intere ssados no carro da Polícia que se afastava do que nas palavras de Zerimski.Sim. . 0 seu sorriso foi-se alargando cada vez mais. Zerimski continuava no centro da plataforma. .0 jovem agente pareceu preocupado..disse um policia à paisana. indicando que precisava de lhe falar urgentemente. e diz aos que estão vinte metros à frente dele que os cubram. Symonds deu uma gargalhada. o repórter da CNN foi ter rapidamente com o adido cultural americano. para dar esta notícia no noticiário da manhã. certifica-te de que ela não pode ser relacionada comigo. Nem o façam sequer pelo Partido Comunista. Mitchell estava a olharparaumafila de operadores de câmaras de televisão que estavam a seguir o avanço do carro da Polícia à medida que este desaparecia de vista. Não está parecido com a fotografia. Não tinha qualquer intenção de se ir embora enquanto eles o aplaudissem ruidosamente.Alguma vez te deixei ficar mal? . o privilégio de ser autorizado a liderar esse povo. acrescentou: . Um "facto>~ que ouvira a alguém na multidão e que ela citaria mais tarde como uma "fonte bem informada~~. Essa é a última coisa que o chefe da Polícia va i negar.. .disse Symonds. 142 JEFFREi' ARCHI:K 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 14J Jackson nunca tirou os olhos de Connor enquanto a multidão abriu rapidamente alas para a Polícia passar. mas sempre que há uma explosão de aplauso. Dá instruções aos dois que então na uma hora para avançarem e o prenderem. desempenhar o seu papel como cidadãos do maior país da terra. Ele devia ir para o ar dentro de doze minutos.. tão freq uentemente repetidas.perguntou. a receber a adulação da multidão. Após alguns segundos. . . só faltam seis dias para o povo decidir. com a luz azul a faiscar.Onde? Onde? .Com certeza. ofereço-me como vosso servo. -Desta vez.Camaradas. . 0 carro da Polícia. tentando parecer ofendid o. cinquenta metros atrás. -Doze horas... Bolchenkov começou a focar os binóculos. -Assassino da mafia-estava a jornalista turca a informar um colega. Symonds escutou cuidadosamente o que Mitchell tinha a dizer.. . Façam-no pela próxima ge ração de russos. . Só vos peço uma coisa. e só depois terminou com as palavras proferidas em voz baixa: . . agarrando nos binóculos. que observava a multidão através de uns binóculos. .Mas não te esqueças..E melhor eu voltar para junto do meu produtor. E quem vou dizer que é a minha fonte? . Deu um passo atrás e subitamente o barulho das sirenes da Polícia foi obliterado pel o rugido de cem mil vozes. quando ele eventualmente o fez. . Mitchell agitou os braços. começou a sair da praça. quando Mitchell acabou de falar. -Mastens de manterestainformação amilhões de quilómetros da embaixada.perguntou Mitchell.. Jackson olhoupara orecinto da imprensa. No meio da multidão que aplaudia. Os seus olhos pousaram na pessoa com quem precisava de falar. que poderão.Nunca. então. -Encontrei-o-disse ele.Não o façam por mim. ficou calado até ter a certeza de que toda a gente na praça o estava a o uvir. . Mitchell afastou-se rapi damente da agitação e dirigiu-se ao recinto da imprensa..Uma força policial diligente e eficaz. sem mover um músculo. Vamos despachar isto o mais depressa possível.perguntou Bolchenkov. Esperou pacientemente que Cliffoa°d Symonds olhasse na sua direcção e. é possível que seja ele.Meus amigos.Tens a certeza absoluta? .disse Mitchell. .Não . Está à frente de uma mulher d e lenço vermelho. rodeado por quatro motocicletas. .

Na segunda-feira. por mais at entados que sejam feitos contra a sua vida.Eu alguma vez te deixei ficar mal? . Zerimski teve uma reunião privada com o general Borodin no quartel-general deste. foram p recisos quatro homens para o segurar. Deu-lhe rapidament e informações. Zerimski está actualmente empatado nas sondagens com o primeir o-ministro Chernopov. 0 presidente e o seu chefe de Gabinete estavam sozinhos na Sala Oval. qual dos restantes dois candidatos el e apoiaria se desistisse. dizendo-lhe que De Villiers se tinha disfarçado de velho e de que hotel e le fora visto a sair antes de entrar no restaurante. na Praça da Liberdade. e isso teria de ser feito antes de Zerimski sair do palco.retorquiu Symonds.. "Se Zerimski for eleito". "não será exactamente um governo subtil >~ 0 secretário de imprensa fez imediatamente sinal para que deixassem passar o americano. Uma fila protectora de guarda-costas estava a impedir que quaisquer apoiantes. Mitchell disse a um dos guarda-costas com quem precisava de falar. -Algumas horas antes de discursar no comício.0 candidato comunista continuou a fazer o seu discurso. e jurou que. 0 presidente carregou num botão do comando. Mitchell afastou-se na direcção oposta. feliz com os aplausos que o seu líder estava a receber. um candidato à presidência da Colômbia. o que é talvez mais importante. . A Polícia local não exclui a possibilidade de este homem ser o mesmo que este recentemente ligado ao assassin ato de Ricardo Guzman. Seguiram-se imagens de um homem a ser preso no meio da multidão e a ser empurrado para fora dali. Clifford Symonds. a ver as p rimeiras notícias da manhã. na parte norte da cidade. a Time descreveu-o como o mais caro assassino contrat ado do Ocidente. Químicas e Convencionais. está detido na 17 144 famosa Prisão do Crucifixo. o resultado destas eleições continua em aberto. -Um terrorista internacional foi preso na Praça da Liberdade estatardeduranteumdis cursodolídercomunistaVictorZerimski. Havia ainda um ouvido receptivo no qual ele precisava de colocar a história. Mais tarde. Supõe-se que o homem queaPoli ciaprendeuseguiuZerimskiduranteváriosdiasenquanto este andava em campanha pelo país. Nenhum deles falou enquanto Clifford Symonds apresentou o seu relatório. mas a melhor imagem que tinham conseguido era daparte de trás de uma cabeça tapada por um chapéu de pele. cujo nome ainda não foi divulgado. CNN Internacional. No final do dia. Biológicas. 0 rufião olhou em volta e gritou para o secretário de imprensa.. embora a captura tenha ocorrido a apenas alguns metros da plataforma. Zerimski elogiou a P olícia de Sampetersburgo pela sua diligência e profissionalismo. Quando a Polícia tentou prendê-lo. no centro de Sampetersburgo. nada o dissuadirá da sua luta contra o crime organizado. Mitchell viu o secretário de imprensa a alguns metros de distância. A semana passada. Deu meia volta e corre u para o recinto da imprensa. Num russo perf eito. e o ecrã ficou branco. mas muitos observadores são da opinião que oincidente de hoje irá aumentar a sua popularidade na recta final das eleições. p ensou Mitchell. n o calor do entusiasmo. Julga-seque a mafiarussa lhe teráoferecido um milhão de dólares para tirar Zerimski da corrida à presidência. 0 homem. Ninguém conhece o resultado desse encontro. Subitamente. e este entrou na zona reservada e foi ter com um dos seus parceiros de xadrez. .. mas os porta-vozes do general não negam que el e fará em breve uma declaração sobre se tenciona prosseguir com a sua candidatura à presidência e.E tu estás a querer dizer-me que o homem que eles prenderam não tem qualquer ligação à m . tanto Fitzgerald como Jackson teriam compreendido que estavam a mbos a lidar com um verdadeiro profissional. Sampetersbu rgo. se aproxim assem do candidato. 0 rosto de Symonds reapareceu no ecrã. o Senado continuará a debater a Proposta de Lei de Redução das Armas Nucleares.

Terá de fazer blu f f. dar apenas o nome. mas o vocabulárïo deles parecia consistir apenas de grunhidos .Mas isso acabaria com a Dexter e com o cretino do director-adjunto dela de uma vez por todas. primeiro os sapatos. porque não precisamos que ninguém saiba que o homem que eles têm preso é um dos nossos. . As mesmas regras não se aplicavam aos que se regiam pelo Décimo Primeiro Mandamento: "Não serás apanhado. nega absolutamente que tenhas alguma coisa a ver com a CIA. .Não tenhas dúvidas de que estou . se limite a dizer que está a aguardar com interesse o resultado das eleições na Rússia. mas que é um agente da CIA? . . .disse Lawrence. As paredes verdes de tijolo pareciam não ter visto tinta desde o virar do século. quase arrancaram a porta traseira e arrastaram-no para fora do carro. a primeira coisa que Connor viu foi a comissão de recepção. temos de fazer qualquer coisa e depressa.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 145 . Nessa altura. depois o relógio.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 147 porta de aço e os outros dois atiraram-no para uma minúscula cela.E que é que eu digo à imprensa se me fizerem perguntas sobre o assunto? .A última coisa que preciso é que e sse fascistazinho maléfico do Zerimski seja eleito presidente. Ele sabia que nenhum destes homens tinha o posto ou a autorid ade para o interrogar. Mas se admitisse que sabia. Isso viria mais tarde e com alguém com mais cordões na lapela.Se for um dos nossos que está preso nessa maldita prisão. Mas se fores. eu sugiro que. Connor ficou calado. Porque. por en quanto. Os jovens polícias no meio do s quais ele tinha vindo sentado tinham um ar aterrorizado. .Não se o Sr.untntn. entalado e ntre dois agentes... a aliança e a carteira-pela qual eles não ficariam a saber nada. de um dia para o outro. que não era muito maiordo que ovagão-cama em que viera de Moscovo. a outra metade exigiria a sua demissão. embora as nódoas negras já começassem a aparecer. o posto e o número de série. Os três rufiões empurraram rapidamente o novo preso pelo pátio fora e ao longo de um c orredor comprido e escuro. Nãofez qualquertent ativa deresistência quandolhe tiraram. foram-se em bora. um deles abriu uma pesada OUícìmul'riweiraPolund. Connor quis protestar. JEFFRF. Chegou à conclusão de que não parecia haver qualquer lesão permanente. Por isso. Eu certamente que não serei capaz de o fazer. . Connortinhapassadodezoitomeses num espaço muito mais limitado.Eu suponho que é por isso que o Senado está protelar a aprovação da Proposta de Lei de Redução do Armamento. Eles só tomarão uma decisão final quando souberem o resultado das eleições. as suas ordens tinham sido claras: quando interrogado pelo inimigo. Quando passaram os en ormes portões de madeira da prisão do Crucifixo e entraram no pátio calcetado. a Empresa tomará sempre conta de ti. Connor pôs-se lentamente de pé e estendeu as pernas e os braços. batendo com a porta da cela atrás de si. Quando chegaram ao fim do corredor.Estou. Olhou em volta da ce la. só Deus o poderá ajudar. sim. à Guerra das Estrelas." . Voltaríamos. Três homens enormes vestidos com o uniforme prisional deram alguns passos em frente. No Vietname. Presidente afirmasse que não sabia nada sobre o assunto. Estava sentado no banco de trás do carro da Polícia. porque metad e da população diria que se tinha deixado enganar pela CIA. Depois. Lawrence acenou a cabeça em sinal de assentimento.afia russa.pt 146 JEFFRF. se Zerimski for eleito presidente. Estou à espera que o Jackson me telefone a confirmar que foi o mesmo homem que matou o Guzman. Foi então que os pontapés e os murros começaram. Não te preocupes. tentando ver se tinha alguns ossos partidos.

E lembrav a-se agora da frase de que andara a tentar ir buscar ao mais recôndito da sua mente. Olhou para o tecto. ele tinha tido uma o portunidade de saldar a dívida. Setivesse conseguido contactá-lo na noite anterior. deu meia volta e foiseembora. concentrou-se no rela tório que estava prestes a fazer a Andy Lloyd. Masaindaestavaintrigado com a chamada telefónica do presidente. Jackson só podia sentir admiração pela forma como Mitchell -sem dúvida orientado por Dex ter e Gutenburg-tinha levado a cabo toda a operação. tal como fizera no Vietna me. Tentou não pensar no que eles fariam a Connor. 0 jo vem russo já tinha decidido que esta não era uma boa altura para fazer perguntas. atirado para uma prisão estrangeira. ele poderia esquecer "os canais diplomáticos habituais". tin ha feito dele. Em vez disso. Por que é que Lawrence nunca o tinha chamado pelo nome? E as frases tinham soado um pouco desconexas. deixando amultidão a aplaudir atrás de si. ele não tinha qualquer esperança de ser libertado do Crucifixo. para ficar ali a apodrecer. Jackson ficou na praça até o carro da Polícia desaparecer de vista. Levou algum tempo a acender um cigarro. Aporta da cela abriu-se subitamente e um homem vestido com uma farda azul-clara coberta de cordões dourados entrou. Recordou-a palavra por palavra: "Se estás preocupado com o teu novo emprego. Até mesmo agora. porque já tinha falado com Ben Thompson. agora tudo se encaixava. Foi essa a razão por que a oferta de empreg o lhe fora retirada.. e Lawrence não poderia fazer nada. subiu apressadamente as escadas e depois percorreu velozmente o corredor até ao quarto 132. Lamentamos in formá-lo. Já tinha dado a volta a chave e aberto a porta quando Se rgei o apanhou. nem do automóvel. Deitado no catre da sua minúscula cela . se não tinha sido o presidente a fazer a chamada telefónica. de uma forma implacável. eu posso falar com opresidentedaAdmin istração daempresaondevaistrabalhar. E falhara. 0 táxi parou à porta do hotel de Jackson. por isso ia ter de arriscar-se a utilizar o telefone do quarto do hotel. A aceitação incondicional. Estava furioso con sigo próprio. voluntariamente. a gargalhada um pouco demasiado sonora. um peão no plano de sobrevivência dela. Ao fim de vinte e oito anos. mas com uma diferença: desta vez. 0 telemóvel continuava sem trabalhar. poderia ter conseguido autorização para pôr termo à missão de Connor. E um dos jovens agentes que o tinham prendido já lhe falara sobre o outro problema que teria de enfrentar: em oitenta e quatro anos. Por fim. Dexter tinha afastado a única pessoa que a poderia denunciar. Sem esperar p elo elevador. Quanto a Mitchell. era um dos seus que eles tinham. Pagou e correu para o hotel. Ninguém lhe enviaria comida. Serg ei sentiu-se aliviado quando Jackson parou e fez sinal a um táxi. A palavra "mafia" estava na boca de todos aqueles por quem passavam na rua. do código dos operacionais da CIA.apesar da garantia de Gutenburg.Connor compreendeu que. nunca ninguém conseguira fugir do Crucifixo. ele deveria ter visto através daquela fachadaangélicademeninode c oro. Compreendeu que. ecaminhando tão depressa que Sergei teve de correr para o apanhar. 0 décimo quinto desse dia.. para lhe explicar que esta é uma missão de curta duração. 4 !4R JEFFREY ARCHER 0 DÉCIh10 PRIMEIRO MANDAMENTO . Não lhe fora exigido que assinasse o recibo do dinheiro. Era um golpe típico da CIA. por parte de Connor. no seu caso." ComoéqueNickGutenburgsabiaqueeleforaaumaentrevista para um novo emprego e que esta va a tratar directamente com o presidente da Administração da empresa? Ele sabia. ele tinha dificuldade em acreditar até onde Helen Dexter estava dis posta a ir para salvar a pele. Não haveria um embaixador a apresentar protestos diplomáticos a favor dele. Ele teria de tomar conta de si próprio.

colocou os pés descalços no chão e olhou para o seu visitante. Helen Dexter olhou para o seu director-adjunto. . Isso dar-lhes-á várias colunas para aliment ar os insaciáveis chefes de redacção. ele estava rodeado de polícias. Fitzgerald nunca irá pôr os pés fora do Crucifixo.Preparaste um relatório para Lawrence? . falo-lhes na África do Sul. que a imprensa poderá seguir? .disse Dexter. . É não há ninguém que sugira que o homem que eles prenderam é americano. Já há alguma ideia do destaque que a imprensa vai dar à história amanhã? . A Proposta de Lei de Redução do Armamento será rejeitada pelo Congresso. -Estão ambas a transmitir aversão de Symonds do que aconteceu na Praça da Liberdade. a imprensa estrangeira s erá certamente excluída.A minha mulher está a sempre a dizer-me para deixar de fumar. . De outro modo. . Sou o chefe da Polícia desta cidade e achei que podíam os ter uma pequena conversa antes de pensarmos em registar qualquer coisa.Estamos a dizer que é um problema interno dos russos. -É uma pena termos tido de sacrificar Fitzgerald-disse ela.Porque podes ter a certeza de que ele irá tentar fazer que dois e dois s ejam seis. Quando eventualmente desligou. 0 director-adj unto sorriu ao mesmo tempo que se sentava em frente da sua chefe e colocava um dossier em cima da secretária. num inglês perfeito. terá servido um objectivo duplo. E se Zerimski for eleito.Como estamos a responder às perguntas da imprensa? . com o cigarro pendurado do ca nto da boca. para nós com prometedoras. . . podes ter a certeza de que eles as passariam vezes sem conta. fechou odossierepermitiu que um esboço de sorri so lhe perpassasse o rosto ao fazê-lo deslizar de novo sobre a mesa. . a esta hora.Assina-o em teu nome e envia-o para a Casa Branca imediatamente . assim que Gutenburg entrou no gabinete. não houve cenas de pugilato e o suspeito não estava armado. Connor não manifestou qualquer emoção. -Tenho estado a ver as notícias da ABC e da CBS-disse ela. -Eu chamo-me Piet de Villiers.Um hábito horrível . mesmo assim. Connor tirou as pernas de cima do catre.disse Bolchenkov. .perguntou Dexter. Amanhã. tenho praticame . . Não foi disparado um único tiro. e haverá menos interferência na CIA por parte da Casa Branca. 0 chefe levou o cigarro demoradamente à boca e soprou o fumo para o ar.149 0 jovem russo ficou sentado no chão num canto da sala a ouvir metade da conversa q ue Jackson teve com alguém chamado Lloyd. Sergei falou pela primeira vez desde que tinham saído da praça: . se Zerimski for eleito presidente. depois de ele ser preso? . Digo-lhes que basta ler o artigo da Time do mês passado sobre o Padrinho Russo para compreender os problemas que eles enfrentam.virmdoaspáginassemma nifestar qualquer emoção. .Mas se isso ajudar a conseguir a eleição de Zerimski. . Se alguma vez ele for julgado. Se insistirem. que em Sampetersburgo é mais barato contratar um assassino do que comprar um relógio decente. ele nunca vai querervoltar a falar neste assu nto.disse ela. Jackson estava pálido e a tremer de raiva.Eu sou Vladimir Bolchenkov.Esse é o meu primeiro problema .Quais são as possibilidades de ele aparecer em público a fazer declarações. Gutenburg inclinou-se para a frente e bateu com os dedos no dossier que tinha co locado em cima da secretária da directora. Elaabriu-oecomeçoualê-lo. aponto na direcção da Colômbia. só na Rússia é que a história e stará nas primeiras páginas. Se me pressionarem.Parabéns! .disse ele. Porque.Talvez eu telefone a um dos clientes da minha mãe. trabalho para o Johann esburg Journal e quero falar com o meu embaixador. Gutenburg acenou a cabeça em sinal de concordância.Eles já estão a perder o interesse. .Praticamente nenhumas.-Eu não acredito que o seu nome seja Piet de Villiers.Alguma das cadeias de televisão mostrou imagens de Fitzgerald.Só a parte de trás da cabeça e. Quando chegou ao fim. quaisquer que sejam as dúvidas que o presidente possa ter neste momento. Sou um cidadão sul-africano.

se eu estivesse no seu lugar. deixe-me que lhe diga. mas mais entroncado. com um sotaque gutural. Eu admi to que ainda não sei quem é. Eu não acredito na tortura. pensou ele. E. Bateu na porta. E. Connor continuou sem reagir. Enquanto o pequeno desfile motorizado atravessava a cidade. Os outros três homens seguiram-no. imerecidamente conferida.Mas posso garantir-lhe que a mim eles não vão fazer a mesma coisa. . . a porta de trás do carro do meio foi aberta para permitir que Alexei Romanov saísse. dirigindo-se de imediato para a entrada. nem qualquer outra forma sofisticada de tortur a. todos os ou tros veículos se afastaram para os deixar passar. 150 Connor nem sequer pestanejou.Deixe-me assegurar-lhe que. quem quer que seja . de uma grande altura.Fez uma pausa e aspirou de novo o cigarro antes de acrescentar. 0 jovem alto vestia um casaco comprido de caxemira e não olhou para nenhum dos lados enquanto se dirigia rapidam ente para o hotel. não é esse o meu estilo.Sim . Deu meia volta e começou a dirigir-se à porta da cela. Mas. os motores dos três automóveis ainda estavam a trabalhar e as portas ainda estavam abertas. como se por magia. Por isso. Três BMW brancos pararam à porta do hotel. . Mas não posso prometer-lhe que as coisas sejam tão agradáveis se VictorZerimski foi eleito o nossopróximo preside nte. não tenho outro remédio senão deixá-lo aqui a apodrecer enquanto eu continuo a desfrutar da glória que me é.nte a certeza que não é sul-africano e estou certo que não trabalha para o Johannesburg Jo urnal. Jackson amaldiçoou-se a si próprio. depois parou. eu sei de fonte segura que não foi contratado pela mafia. Foi conduzido à porta de trás do veículo do meio e ficou sentado entre o homem que não quisera apertar-lhe a mão e outro igua lmente silencioso. -Vou deixá-lo reflectir sobre o assunto. Quando Jackson chegou à rua. formando um semicírculo à sua volta. Nada disto teria sido necessário se ele tivesse conseguido falar com Lloyd vinte e quatro horas antes.dissera Sergei. nem de que país é oriundo. 0 homem sentado ao lado do motorista em c ada um dos automóveis saltou para o passeio e observou a rua de um lado a outro. nem a que me oferece o maço de dólares mais gordo. JEFF'REY ARCHF. . Quando se certificaram de que estava tudo normal.acrescentou enquanto lhe abri am a porta-. para usar um coloquialismo moderno. Mas quem quer que o tenha mandado.respondeu Jackson.Sr. deixou-o cair. "Mas isso é ver as coisas em retrospectiva". Os três automóveis deslizaram para a faixa central e.Desconfio que esta é uma das muitas coisas que temos em comum. numa grande enrascad a. .Sinto que é meu d ever tornar claro que não estamos na Colômbia e que eu não mudo de lado de acordo com a últimapessoa com quem falei. se ac ha que não consegue ajudar-me nas minhas investigações. Apenas os semáforos não pareciam saber quem eram. Ter-lhe-ia apertado a mão se Romanov não tivesse simplesm ente dado meia volta. Romanov reconheceu imediatamente o am ericano alto que estava de pé no meio do átrio. quando eventualmente atenderam o telefone. Ele tinha marcado o número d a mãe e. . Sergei comportou-se de uma . porque não existe nenhum jornal com esse nome." . não haverá instrumento s para esmagar polegares.Tens de falar com Nicolai Romanov . .'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO Pela descrição que lhe fora feita ao telefone.enquanto eu for chefe da Polícia de Sampetersburgo. não espe raria muito tempo. nem roda.perguntou Romanov. "Um dom que apenas é inato nos políticos. -Vejo que não estou a conseguir comunicar consigo-disse o chefe. 0 chefe fechou a porta da cela com força e Connor ourou uma chave rodar na fechadu ra. parecendo estar à espera de alguém. para não perdermos demasiado tempo. Jackson? . nes te momento.

fechando a porta suavemen te atrás de si.disse Sergei em voz baixa.Então.excepto que. que é o número três da organização. que lhe sucederá quando ele morrer.luxuosamentemobilada. ficou pálido e começou a tremer. Um homem i doso com um fato azul às riscas ergueu-se de uma poltrona Luís XIV de veludo vermelh o. Jacksonentrounumasalaenorme.0 problema é que só sepode ser membro dos "Ladrões na Lei". escutava atenta mente e nunca interrompeu. Romanov aguarda-o na Galeria Azul.0 Sr. Depois de os três automóveis terem sido inspeccionados. o líder dos Ladrões na Lei.anunciou ele. Deu-se o mesmo até com Alexei. tendo-setornadoamaistemidaerespeitadaorganizaçãocriminosa do mundo.E tra ta-o sempre como aos seus antepassados imperiais. Jackson . as quais quase chegavam ao tecto.Ele concordou em receber-me? .forma que Jackson nunca tinha presenciado antes. mas o passo firme do mordomonãolho permitiu.disse ele. Jackson e o jovem Romanov seguiram o mordomo ao longo de um comprido corredor de mármore. camisa branca e laço estava à espera no último degrau. e conseguira sobreviv er. abriu uma das portas e deu um passo para o lado para deixar Jackson entrar. Enquanto ouvia o que a mãe tinha a dizer. Só passados cinco minutos é que Jackson conseguiu ver a casa . 0 desfile automóvel prosseguiu a uma velocidade mais lenta ao longo de uma estrada de cascalho que atravessava uma densa florest a. Ela pediu-lhe que te co nceda uma audiência-disse Sergei. que tentou parecer que estava habituado a este tipo de tratamento. elegante. Afin al de contas.Bem-vindo ao Palácio de Inverno. Fez lembrar a Jackson a chegada à sede da CIA . e Stefan Ivanitsky. Tinha o cabelo branco e a palidez do seu rosto sugeria que sofrera de uma dcençapr olongada. .0 Sr. 18 !52 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PR1MElR0 MANDAMENTO I5~ primeiro motorista baixou o vidro fumado para permitir que eles olhassem para o interior. Bateu.Jackson preferiu não dizer a Sergei que não fazia a mínima ideia de como lidar com um membro da família real russ a. . Fez uma vénia a Jackson.0 chão estava coberto por uma única carpete. Vinte minutos mais tarde. . . o único filho do czar.Não te dirijas ao czar a não ser que ele fale primeiro . como lhe chamas.Oseucorpomagroestavaligeiramentecurvado Hesitou durante algum tempo. Um homem alto. 0 telefone tocou. ele tinha sido apresentado a Richard Nixon. -A minha mãe é uma das poucas mulheres com quem o czar fala. A mão ainda lhe tremia quando pousou o auscultador. que também acreditava no seu cargo hereditário.embora não fosse certamente uma casa. . Jackson gostaria de ter parado para admiraros quadros eas estátuas que embelezariam qualquer museud o mundo. Esta organização tinha sido fundada numa altura em que a Rússia era governada por um verdadeiro czar. desligou. .Concordou . 0 mordomo parou junto de duas portas brancas ao fim do corredor. mas acabou por concordar com o que ela sugeria. Sergei explicou também que tinha pedido que fosse permitido aJackson encontrar-se com o czar. . . em Langley. os guardas tinham de se contentar com armas colocadas à cintura. de casaca preta. . o filho de czar.Eu acho que ela vai telefonar . ou da mafia.perguntou Jackson. . pela qual um turco teria trocado a vida. fora o palácio do primogénito do imperador. Era agora habitada por um descendente distante. aos catorze anos. primo do Alexei. As automóveis pararam junto da porta da frente. Um século antes. Jackson .disse o mordomo. e ele atendeu imediatamente. um dos guardas acenou com a cabeça e as asas do falcão abriram-se.avisara-o Sergei. .Dois homens vêm buscar-te amanhã de manhã: Alexei Romanov. que permaneciam d entro dos seus coldres. e Ivanitsky ficou de pé à entrada. . qual é o problema? . Sr. Era respeitoso. Alexei Romanov e Stefan Ivanitsky acompanharam Jackso n através da porta aberta. após o que saiu da sala.

. . Sr. eles fazem uma visita à minha mãe e partem-lhe uma perna. certifique-se de que responde com exactidão. Jackson sairia de vez em quando.Jackson escolheu cuidadosamente as palavras. Estou correcto? .. .diss e ele. Jackson .Sente-se.E agora eu gostaria de saber um pouco mais sobre si. os dois homens voltarão cá para me par tir uma perna. . Basta olhar para si para ficar a saber que trabalha para uma agência que zela pelo cumprimento da lei e.comentou Romanov sem a menor sugestão de sorriso. -Obrigado-disse Jackson. 0 velho inclinou-se na direcção de uma mesa à sua esquerda e pegou num pequeno copo co .. embora mais tarde nos tivéssemos tornado aliados. Eram as primeiras palavras que dizia desde que saíra do hotel. como se encontra no meu país .Como não te conhecem. Ele já tinha aceitado as condições.Se eu não estiver cá.Foi muito amável da sua parte vir de tão longe para me visitar. Cruzaram-se com poucos automóveis enquanto subiam as estradas sinuosas em direcção às colinas.parto do princípio que representa a CIA e não o FBI. sentando-se lentamente na sua cadeira -. Sr.Se o czar achar que o fizeste perder tempo. e esquecer-se-ia ainda mais depressa. .Tenho a certeza de que eles têm uma atitude muito semelhante para com os americanos. Dois homens com Kalashnikovs nas mãos deram alguns passos em frente. Se tiver dúvidas. para me lembrar que não devo voltar a incomodá-los. o carro da frente virou subitamente à esquerda e parou junto d e um enorme portão de ferro forjado encimado pelas asas estendidas de um falcão preto. cujosrostosnão manifest avam qualquer indício de se interessarem. Sem qualquer aviso. quando fui .Vai perdoar-me por o meu inglês estar um pouco enferrujado. é melhor certificares-te de que não estás cá quando eu voltar. verá que não é apenas este encontro que chegará ao fim. q uando eu lhe fizer uma pergunta. o pequeno desfile automóvel aumentou ra pidamente a velocidade para noventa quilómetros por hora. que estava sentado à sua direita. Quando os BM4V saíram dos limites da cidade. . e o 154 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIb90 PRIMEIRO MANDAMF. . E. Sr.substituído.A organização que controlonunca incorrerianuma estupidez dessas.Agora. Mas o rapaz disse-lhe que era demasiado tarde. embora estivess e apenas no segundo ano.Eu trabalhei para a CIA durante vinte e oito anos. leve o tempo que precisar antes de responder. Jackson perguntou a si próprio se não deveria cancelar o encontro.NTO 155 quando deu um passo em frente para apertar a mão do seu visitante. como direi?. pouco depois de aguerrater deflagrado.Ele sorriu docemente. indicando uma cadeira igual àquela em que estivera sentado.Optimo . Sr.ele acentuou a palavra meu-. Ele não queria ser responsável por Sergei acabar de muletas. . quer pelo futuro. partem-me as duas.Qual é? .disse o velho. É o código da mafia. Jackson não sabia bem como reagir. aolongodabermadaestrada. até recentemente. Passaramvelozmen teporcamponesesquecaminhavam.decabeça baixa. . foi suficiente para convencerJackson de que ele levaria apenas um momento a que brar-Ihe uma perna. Jac kson começou a compreender o motivo por que as palavras de Zerimski poderiam estim ular a última réstia de esperança que lhes restava. -É contra as regras da natureza ter uma mulher como patrão . . Jackson.disse Romanov. os ingleses nuncaconfiaram realmente nos ru ssos. . . quer pelo passado. se decidir me ntir-me. Fui obrigado a sair de Oxford em 1939.Então. qua ndo me encontrarem. Jackson . Um olhar a Stefan Ivanitsky.. o sobrinho do czar. Jackson . Fez um ligeiro aceno de cabeça para indicar que compreendera. . eles põem uma condição..disse Romanov. Compreende. Porque. mas ele sabia que o velho era provavelmente a úni ca pessoa que conseguiria tirar Connor do Crucifixo vivo. .

Bebeu um golo e voltou a colocar o copo em cima da mesa antes de fazer aperguntaseguin te. Helen Dexter não virá em seu socorr o. Jackson? Jackson desconfiou que o velho sabia exactamente porquê. há muito tempo que teria sido encontrado enforcado na cela.Mas não compreendo o que me oferece em troca. que eu o trouxe aqui para falar sobre dinheiro. . Jackson acenou a cabeça em sinal de concordância. especialmente quand o se trata de permitir recursos ou de conceder a liberdade condicional.Eu também teria alguém a trabalhar para mim na Casa Branca.ntendo um líquido incolor. Jackson continuou calado.Então.Só s e limita a responder. devido à minha estupidez. Se tivesse sido. Sr. passou a trabalhar por conta própria? .disse Jackson com firmeza. Sr.disse o velho. .Óptimo .Perante o seu silêncio.Por que é que quis falar comigo. pois não? Olhe em volta e verá que. . 0 velho bebeu outro golo do líquido incolor antes de dizer exactamente o que esper . Jackson. . certamente que não ficará chocado ao saber que tenho a minha gente bem colocada nos escalões superiores. vejo-meobrigado a deduzir q ue não é a única pessoa que não confia em Helen Dexter. . Jackson não respondeu. -Sr. . a minha organização teve um volume de negócios de 187 biliões de dólares. Estou surpreendidopornãolheteremsidodadasasinstruçõesadequadas. nãoserá suficiente. Temos sucursais em plenofuncionamento em 142 países. Só no ano passado. . tanto da CIA como do FBI? .Certamente que não acredita. todos os meses abre mais uma.0 sorriso frio voltou a aflorar-lhe o rosto. Bem. S r. .Eu não faço a mínima ideia dos preços actuais .Está a trabalhar actualmente para qualquer outra agência que zele pelo cumprimento da lei? . Jackson.Fez uma pausa.sugeriu o velho. Não. por muito que tenhapara oferecer.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 1.Eu sei que não foi o seu amigo que informou a imprensa que a minha organização lhe o ferecera um milhão de dólares para retirar Zerimski da corrida presidencial. . Não.Não . . Sr.Então. mas entrou no jogo. 0 que me leva à pergunta seguinte. compreendo. 0 velho desatou a rir. não me restam dias suficientes na te rra para os desperdiçar a discutir sobre dinheiro com um homem pobre. Mas estava a compreender rapidamente por que motivo não vali a a pena mentir a Romanov. nesta ocasião.57 acho que pode ter a certeza de que. eu desconfio que apessoa que forneceu essa desinformação específica . . Exactamente o que eu pensei. superior à economia da Bélgica ou da Suécia.disse Jackson. 0 seu amigo trabalha para a CIA? Jackson não respondeu.Um estabelecimento que não é conhecido por motivos humanitárias. em que Jackson só reparara nesse momento. -Estou a perceber-disse ele. Mas como o presidente Lawrence reve la tudo o que lhe perguntarem na conferência de imprensa semanal.Agora já sei exactamente o que espera de mim. isso nâo é necessário. -Não é o senhor quem faz as perguntas. se achasse que tal seria proveitoso. Jackson. Jackson ficou calado. -Por causa de um amigo meu que. Se tivesse vindo um pouco mais cedo.prosseguiu Romanov .Ah. por que é perguntou Jackson. Vejo que está surpreendido por eu saber tanto. Sr. Jackson. . Parafraseando o slogan do McDonald's. Jackson-disse Romanov num tom ríspido. . eu I56 IEFFRF. eu podia tê-lo avisado a respeito de Mitchell. . Jackson pensou que não movera um só músculo. ATime ficou muito aquém quando especulou sobre a dimensão do meu pod er e riqueza.é um dos lacaios de Helen Dexter. . . foi preso e está agora no Crucifixo. -Bebeu outro golo do copo e acrescentou:-Um dos poucos compatriotas seus que eu seria capaz de recrut ar para a minha organização.

ava em troca de ajudar Connor a fugir.Estava a ouvir a resposta de Ivanitsky quan do bateram à porta. Nesse dia. foranama nhã 15R JF. -Fez uma pausa para respirar. Espero ter sido claro. <Jacksonsabiaquenãopossuíaautoridadeparaaceit arascondições de Romanov em nome de Connor mas. O líd er comunista ocupava o terceiro andar de um edifício degradado. Agora. que o que interessa não é quantas pesso as votam mas sïm quem conta os votos. Eu já dei ordens para que elevos acompanhe quandoregressarem os dois aos Es tados Unidos. Se estivesse a candidatar-se às eleiçõespresidenciaisdosEstadosUnidos. Ele não precisava que lhe recordassem o comentário de Estaline. quando todos eles tinham ido vê-lo votar em Koski. as urnas de voto nunca chegariam à Câmara Municipal. que ele não seja o tipo de pessoa que.FFREY ARCHF. Ja ckson. 0 grupo mais próximo de Zerimski estava ao telefone a tentar saber o que se passav a ao longo do enorme país. Mas era suficientemente realista para saber que. e vou nomear o meu filho Alexei advogado de acu sação. as pessoas tinham votado várias vezes.Os jornalistas querem saber se vai falar com eles . Stefan . nalguns distritos el eitorais. depois de ter feito o acordo com Borodin e de o general ter desistido das eleições. Por esse motivo. . teria de ter bem mais de metade dos votos para que hou vesse a mínima probabilidade de ser declarado vencedor.disse Titov. Pousou o auscultador assim que viu o seu chefe de Gabinete entrar . tinha uma grande probabilidade de ganhar. . Dar-lhe-ei a responsabilidadede se certificar que este contrato seja cumprido à risca. num subúrbio norte de Moscovo -embora qualquer pessoa que fosse convidada para a sua dacha no Volga ficasse rapidamente a saber que o luxo não lhe era estranho. depois de assinaram acordo.Essa é uma boa notícia. .não teriasidod .É possível que precise de algum tempo para pensar na minha proposta. que concordou em falar comigo? e ele só voltará depois de o acordo ter sido cumprido. contassem os votos. decidira arranj ar um aliado no campo do czar. o bairro de Moscovo e m que nascera. Noutros. Jackson-p rosseguiu o velho. 0 resultado das eleições só seria conhecido daí a dois dias. Neste tribunal. Sr. eu sou ao mesmo tempo juiz e júri. Jackson. Não queria que Titov soubesse com quem estivera a falar.R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMF. ele deve compreender perfeitamente as consequênci as dos seus actos. 0 último voto tinha sido colocado nas urnas às dez horas da noite anterior. muitas vezes citado. 0 gabinete de Zerimski não podia contrastar mais com o palácio de campo do czar.Espero. .Desde que consigas tom ar conta do problema do teu primo. Sr. o lider comunista bateu mais vezes na mesa do que fizera na últimasemanaefechou-senoseugabinetedurantelongosperíodos a fazer chamadas particulares. como recebera ordens para não fazer perguntas. vai ter com um bom advo gado para que este descubra uma falha que o isente de o cumprir. Sr. . com a mafia a apoiar Chernopov. . do Báltico ao Pacífico. f icou calado.-Mas se o seu amigo concordar com as minhas condições e depois não cumprir a sua parte do acordo. uma vez que na maior parte do país os votos eram contados à mão. Mas tudo o que os presidentes estatais diziam era que era demasiado cedo.estava Zerimski a dizer. como ele lhes chamava. Ele também estava convencido que. a única coisa que Zerimski podia fazer era esperar que os funcionários. Na última vez que Zerismki se tinha encontrado com os abutres. Ele sabia perfeitamente que. na esperança de que isso mantivesse o seu patrão ocupado durante alguns minutos.NTO 159 anterior.

decidiu que. 0 chefe olhou para o homem sentado no catre. . . quando irá a Washington visitar o presidente Lawrence? . quando compr eendem que vão passar aqui o resto da vida e que não existe qualqueralternativaàlacart e. Tinha dado ordens aos seus funcionários para que nunca autorizassem os jornalistas a entrar no edificio. . eu serei o próxi mo presidente da Rússia. -Vejo que ainda não se habitou à nossa cozinha modernadisse Bolchenkov. . cansado.-Aspirouprof undamenteocigarro e soprou o fumo pelo nariz. Embora eu deva dizer que espero que ela seja mais prod utiva do que o nosso último encontro. . achámos que não valia a pena fazer muito barulho. vejo que. Ele nem sequer tinha dito ao seu chefe de Gabinete que.Ofereceu a Borodin um cargo no seu conselho de ministros? . Bolchenkov entrou. -Se o vencedorfor o homem em que a maior parte das pessoas votou.ignorando as perguntas gritadas para as suas costas. Mas podem ter a certeza de que ele terá um julgamento justo. é pos sível que tenha lido recentemente no jornal que um dos nossos presos comeu outra preso. a cabeça em sinal de assentimento. .Devo confessar que até mesmo o bas-fond de Sampetersburgo demora alguns dias a apreciar a ementa do Crucifixo. trazendo uma mochila grande e uma pasta de cabedal velha.Se for eleito presidente.A mafia vai ser o seu primeiro alvo? Enquanto subia.Se for eleito. as gastas escadas de pedra até ao terceiro andar.prosseguiu ele -.Pouco depois de ele me ter vindo visitar a Moscovo . quer ganhasse nuer perdesse.Essa será uma decisão para os tribunais. Não invejava a sorte de Lawrence .iferente. estes teriam uma circulação nula a leste da Alemanha. acendendo um cigarro. Mas com a falta de comida e o problema de lotação a mais.Que vai fazer a re speito da Chechnya? . deu meiavoltaedesapareceude novonointeriordoedificio. aconteceram algumas coisas interessantes de que. sempre está vivo . aquela seria a última ocasião em que falaria com a imprensa. Connor sorriu.Mas o presidente do painel de observadores internacionais diz que estas foram as eleições mais democráticas da história da Rússia. Desceu as escadas a trás de Titov e saiu para a rua. Mas acabam por comer. Sem avisar. -Pelo que pode partir do princípio que quero ter outra conversa não oficial. -Como pode ver. cá estou outra vez -disse o chefe da Polícia de Sampetersburgo.respondeu Zerimski. Connor parecia ter perdido alguns q uilos nos últimos cinco dias. Zerimski sentiu-se subitamente enfadado. se ganhasse. Dentro de muito pouco tempo.gritou alguém. Quando Zerimski saiu para o passeio.foi a resposta imediata. se for declarado vencedor.Ah. a tentar gerir um país em que os jornalistas esperavam ser tratados como iguais. estas ser iam as últimas eleições em que o povo russo votaria enquanto ele fosse vivo. que irá acontecer ao homem que foi preso na Praça da Lib erdade. deixou-se cair na única cadeira confortável que h avia da sala e dormiu pela primeira vez em muitos dias. E estava-se n as tintas para os protestos nos jornais e revistas estrangeiros. afinal. .De facto .disse o chefe. de sde o nosso último encontro. . Achave rodou na fechadura e a porta dacela abriu-se. antes mesmo de ele ter opo rtunidade de dizer boa tarde. sent ando-se em frente de Connor. Zerimski? . Zerimski acenou. Os jornalistas riramse educadamente com este pequeno gracejo. com receio que estes fic assem a saber que a sua organização tinha pouco pessoal e era pouco eficiente. . encontrou o mais numeroso grupo de jornalis tas que vira desde que a campanha começara. segu ndo creio. . vai gostar de ter conhecimento. Não aceita a opinião dele? -Aceitarei. relutante. Sr. Isso era outra coisa que ele iria alterar assim que deitasse a mão aos cofres do Estado . acusado de planear assassiná-lo? .Devo dizer-lhe que.Está confiante na vitória. Quando chegou ao gabinete.

0 presidente ol hou em volta para os apoiastes que o tinham acompanhado nos anos menos felizes e que estavam prestes a ser recompensados pela sua lealdade. V. Zerimski permitiu que os aplausos continuassem durante algum tempo antes de acen ar aos seus colegas para pararem. -Fomos informados pelo chefe da recepção do Hotel Nacional que estes dois volumes de bagagem não foram levantados. era essencial em qualquer ministro: d esde que compreendesse as ordens. A mensagem era clara .S' ARC'NGR 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO l61 começou ele-. onde estivera desde 1956. há algumas áreas em quetencionofazer alterações imediatas. permitindo que a nicotina lhe chegasse aos pulmões.A CIA deve pensar que somos a Polícia mais estúpida da terra. estou certo d e que nunca viu esta espingarda.Vais ser o meu ministro do Interio r. ressuscitado da cave do Pus hkin.todos eles deveriam ir a um alfaiate o mais cedo possível .Embora eu tenha a certeza de que este tipo de arma lhe é familiar. de olhar vazio. uma qualidade que. Ib0 0 chefe empurrou os botões da mala para cima e abriu a tampa.Ele provavelmente julga que o Hermitage é uma lo ja. apesar de as iniciais P. Bolchenkov inspirou profundamente o cigarro. para ser sincero. Zerismki vestia um fato azul-escuro. Tinha um ar muito diferente dos outros homens sentados à volta da mesa. . -E. sorriu para o seu lider cama uma criança que acaba de receber um presente inesperado. Fitzgerald. -Exactamente o que eu pensei-disse o chefe. . o recepcionista confirmou que. No entanto.disse o chefe -. Pleskov tinha uma gran de virtude. meu velho amigo . e alguns desconfiavam que ele nem sequer sabia escrever "interion> correctamente.Inspirou de novo. . a maior parte sabia que tinha mais qualificações para o quadro que o ex-estivador da Ucrânia. terem sido grava das na mala de uma forma tão conveniente. talvez seja altura de nos contar o seu lado da história. fingindo indiferença. entroncado. .A tua primeira responsabilidade. tenho outra notícia que talvez lhe interesse. Até mesmo um maçarico veria que lhe moniaram uma cilada. Sr. Voltou a sua atenção para um homem baixo.disse ele em tom de desprezo. . -Victor Ze rimski ganhou as eleições e toma posse como presidente na segunda-feira. embora se lembrasse que um homem parecido com a descrição que fizemos de~si deixou lá a mochila. ele não se recorda va da pasta. que ainda vestiam as roupas mal feitas que tinham usado durante a campanha eleitoral .E como eu não creio que ele lhe vá oferecer um lugar na primeira fila para assisti r à tomada de posse .Vários rostos à volta da mesa tentaram não manifestar surpresa nem decepção. D. quando lhe mos trámos a sua fotografia. para Zerimski. eu desconfio que não precisa que lhe descrevam o seu conteúdo. .disse Zerimski. uma camisa branca e uma gravata de seda ver melha. Connor ergueu uma sobrancelha. . sentado à sua fr ente. Será que eles pensam q ue nós não sabemos qual é o verdadeiro trabalho de Mitchell? Adido cultural! . Joseph Pleskov tinha sido promovido de guarda-costas de Zerimski a membro de pleno direito do Politburo no dia a seguir a ter morto três homens que tinham t entado assassinar o seu patrão durante uma visita a Odessa. 0 presidente entrou na sala com um ar superior. Antes de dizer alguma coisa. Connor olhou em frente. .Joseph. 0 homem baixo. mostrando umaRerrain gton 700.Ele colocou a mochila e a pasta no chão. . . ele cumpri-Ias-ia. Connor esboçou um sorriso.Embora eu só tome posse oficialmente na segunda-feira JEFFRF. . Os seus colegas levantaram-se im ediatamente das suas cadeiras à volta da comprida mesa de carvalho e aplaudiram até ele se sentar por debaixo de um retrato de Estaline. como se eles fòssem apenas mais uma multidão de admiradores. . entroncado.

.. .Lev . Pleskov já estava a parecer um pouco apreensivo. voltando-se para outro homem que lhe tinha permanecido cegame nte fiel.Ouviu-se bater su avemente à porta. Poucos estariam dispostos a enfrentar Nicolai Romanov e nenhum deles acred itou que Pleskov fosse capaz de o fazer.Mas certifica-te de que a acusação pode ser provada. Começa por lhes explicar que. Ele levantou os olhos para os colegas.. . todos se riram ainda mais alto . um 0 Uk~imo l'rimeirn Mandamento-.0 que quiseres. já todos eles acharam que podiam rir com ele.I I 19 162 JFFFRFY ARCHhR 0 DECIMO PRIMRIRO h1ANDAh11:NT0 IG3 congestionamento excessivo nos tribunais. deve ser ele quem está ao telefone. Teria sido mais fácil se o patrão tivesse simplesmente dado ordem para o matar. Titov pegou no telefone ao seu lado e passou-o ao seu patrão. Dmitri Titov entrou silencios amentenasala. Sou o chefe de Gab inete da Casa Branca. Sr.Eu chamo-me Andy Lloyd. .. num tom de ira. Zerimski desatou imediatamente à gargalhada.. . .Tu vais ser o meu ministro da Justiça. no que diz respeito à lei e à ordem. E estou interessado em fazer que alguém que seja notícia nos primeiros dias da minha presidência sirva de exemplo. porque eu não .. não há lugar para czars.disse Zerimski. Ninguém deu uma opinião. Todos eles acenaram com a cabeça em sinal afirmativo. Lev Shulov pareceu nervoso.Pode dizer ao seupresidente que. . enquant o eu for presidente.respondeu Zerimski. não pode . . Presidente? . . . Certific a-te de que todos eles são membros do Partido há muito tempo.Vamos descobrir o que o homem quer? .A minha decisão seguinte como vosso líder é se deverei mantê-lo à espera..foi a resposta imediata. apostandonofactode que Zerismki ficaria ainda mais aborrecido se não fosse interrompido.. Posso passar a chamada ao presidente Lawrence? . Porque. Não consigo pensar numa forma melhor de ini ciar essa tarefa do que prender Nicolai Romanov. Os outros também queriam rir-se. da próximavez que telefonar. tinham um ar triste. Todos se viraram para ver quem se atrevia a interromper a primei ra reunião do conselho de ministros do novo presidente. ou se deverei atender a chamada. sem ter a certeza se devia ficar grato pelo que esta va prestes a receber. inocentemente. Os olhos de Zerismki deram a volta à mesa. neste momento. durante mais três anos. . . -Vou nomear-te responsável pela outra metade do meu programa da lei e da ordem.Deixa-me tornar claro que existe. .disse Zerimski. -Devo acusá-lo de quê?-perguntou Pleskov. imperiais ou quaisquer outros. Alguns dos rostos que. o chamado czar.perguntou Zerimski.Não. um momento antes. para não deixar quaisquer dúvidas sobre o destino dos que se atravessarem no meu caminho.disse ele.com excepção de Titov. aplaudiram subitam ente. mas não podiam fazê-lo sem ouvirem a anedota primeiro. sir . . desde fra ude a homicídio-disse Zerismki.Conforme se devem lembrar.0 presidente dos Estados Unidos está em linha. Presidente .Tenho . eu só tenho duas políticas: julgament os mais breves e sentenças mais longas.Sr.Joseph. Parece que quer dar-me os parabéns. Agora. Shulov sorriu. . 0 presidentetamboriloucom osdedosna mesa enquantoTitov atr avessava a sala e depois se baixava para lhe murmurar ao ouvido. . Nomeia uma dúzia de juízes novos.Tem alguém em mente.Não. será tratar do crime organizado.

É um problema que eu não voltarei a ter . 0 seu ollrar deteve-se no nome completo de Zerim ski. mas Lorry Harrington abanou a ca beça. Lawrence baixou os olhos para os apontamentos espalhados em cima da secretária. -Seriapossível-perguntou uma voz-falarcom opresidente Zerimski? .A começar talvez pelo seu embaixador. Um as eleições muito renhidas. Zerimski acenou a cab eça em sinal de concordância e pegou no telefone. Sr..Aquì é o presidente Zerimski. . erguendo uma sobrancelha para o secretário de Estado e para o chefe de Gabinete da Casa Branca. Presidente. . . -0 presidente dos Estados Unidos-foi tudo o que ele disse. Mas toda a gente que está na política tem esse problema de vez em quando..Nesse caso. . quem iria servir de exemplo. Lawrence deu uma gargalh ada. . .disse Zerimski.Eu espero que tenhamos em breve a oportunidade de nos encontrarmos. em Junho. Tom Lac~~rence olhou para as perguntas preparadas por Andy Lloyd e passou uma pági na à frente. .Desligou. Em que lhe posso ser útil? -Eu só estava a telefonar para acrescentar os meus parabéns a todos os outros que de ves estar a receberpela tua impressionante .falo com paquetes. estou certo que sabe bem que.Tente uma táctica diferente. 0 mesmo não sucedia aos que se encontravam na Sala Oval. . Victor Leonidovich. estamos nas mãos dos funcionários locais. no Kremlin.vitória. Titov passou o auscultador ao seu patão. .Continue. mas o Departamento de Estado tinha-o aconselhado a não usar esse termo . . . sim.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO h1ANDAMENTO 165 -Da mesma forma que esperaria que alguém que não conhece se dirigisse a si.A primeira coisa que gostaria de fazer é conhecer-te um pouco melhor.Bom dia.Ouviram-se murmúrios de apoio à volta da mesa. que estavam a ouvir nas suas extensões. os que estavam sentados à volta da mesa em Moscovo estavam a gostar do primeiro encontro entre os dois líderes. Não o teria feito se tivesse visto as expressões severas dos que estavam sentados à volta da mesa do conselho de minist ros. Zerimski apontou para o seu chefe de Gabinete. e todos eles se riram d e novo. nem convidou qualquer dos meus colegas para o jantar oferecido em sua honra.Quem deseja falar com ele? . sorrindo de novo no momento em que o telefone tocou ou tra vez. Seguiu-se outro longo silêncio enquanto os três homens na Sala Oval verificaram as perguntas que tinham cuidadosamente pre parado. supondo que ele estava a ser espirituoso. -Desculpe-disse Lawrence. Victor? . Até agora.Tom Lawrence. . para demonstrar a nova disciplina do Ministério da Justiça.Tom Lawrence .Na última vez que visitou Moscovo. . . que pegou no auscultador. -Terei interesse em ver qual dos funcionários locais acha que deverá ser substituído.És tu. que estava eu a dizer? Foi Shulov quem respondeu. Lloyd murmurou: .batendo com o auscultador. a sua Embaixada não me convidou. terá de começar por compreender que a única pessoa que me trata pelo meu nome próprio é a minha mãe.Isso não é nada surpreendente .Lawrence queria dizer "inesperada".Agora. . Victor. Presidente . -Como é que gostaria que me dirigisse a si? IG~1 JEFFRF.Zerimski fez uma pausa . Embora só conseguissem ouvir um lado da conversa.disse Zerimski. não tinham previsto uma única resposta de Zerimski. Sublinhou Leonidovich.disse o pre sidente. De facto-a crescentou-. Com quem estou a falar? . depois de um erro tão grave. ébastante surpreendente que já não nos tenhamos encontrado antes. -Estava prestes a dizer-nos.perguntou Titov. -Ah.sugeriu o secretário de Estado colocando uma mão sobre o seu auscultador. nas viagens ao estrangeiro.Bem. Sr. .disse Zerimski. .

que não permitirei que nenhum dos me us funcionários.. Larry Harrington estava a começar a pamcer desesperado. locais ou outros se sobrepónha aos meus desejos.Qu e tem em mente? -Um julgamento rápido. Zerimski protelou os inevitáveis aplausos.disse Zerimski.Adeus. .Seguramente que não . temos de voltar aos nossos problemas domésticos. Sr. Quando pousou o auscultador. Eu quero proporcionar-lhe s um exemplo que não deixará dúvidas a ninguém sobre como eu tenciono lidar com aqueles qu e pensarem em ser meus adversários.disse Zerimski. Faremos dele o nosso primeiro exemplo público.. Lawrence acenou a cab eça em sinal de assentimento. .disse Zerimski.Posso garantir-lhe . Presidente . Presidente .que Lawrence compr eenda o mais depressa possível com que tipo de homem ele está a lidar.A sorte não é um factor que eu alguma vez tome em consideração-disse Zerimski.Talvez possamos tentar marcar para breve um encontro.Quando Lloyd telefonar. . Titov daqui a um dia ou dois. presidido por um dos nossos novos juízes. Presidente . Presidente? .Compreendo. Esta é a pessoa ideal para ir a julgamento.disse o novo ministro da Justiça. Dizia: . .Então. . ele permitiu-lhes que o aplaudissem durante uns breves instantes.A prisão perpétua é uma sentença demasiado leve para um criminoso tâo 166 bárbaro.-Especia lmente quando se trata de lidar com os meus adversários. . Ele voltou o olhar para o recentemente nomeado ministro da Justiça. . Não consigo imaginar uma prenda de Natal mais apropriada para oferecer. . desistindo de se preocupar com as resposta s preparadas. -Eu pensarei seriamente no assunto-disse Zerimski. para surpresa de todos.... .E claro que terei todo o prazer em visitar Moscovo. Sr.acrescentou Zerimski .Lloyd rabiscou outra nota e passou-lha. ant es de os silenciar com outro aceno de mão. Desta vez.Suponho que é onde quer que ele permaneça o resto da vida. fazendo que a Proposta de Lei de Redução do Armamento seja derrotadano Senado. que sãomuito mais urgentes.Certamente que o farei . . .respondeu Lawrence. e um júri formado exc lusivamente por funcionários do Partido. Sr. . fabriquem-nas .Só membros leais ao Partido deverão assisti r ao julgamento. -E um homem com sorte-disse Lawrence. Mais importan te ainda. voltando-s e rapidamente para o seu chefe de Gabinete e dizendo: .Pedirei a And y Lloyd que telefone ao Sr.Está preso no Crucifix o . -Ficaram todos à espera de ver quem Zerimski tinha seleccionado para esta honra.Adeus.1fia que tentou assassinar-me? .disse Zerimski. Aceita o conv ite. ele vai propor que eu visite Washington.Eu tenciono começar. a Polícia não conseguiu enco ntrar quaisquer provas de que ele. . . Eu julgoque éimportante que o s nossos cidadãos também conheçam a têmpera do seu novo lider.. 0 chefe de Gabinete pareceu surpreendido. . ` -Infelizmente. com uma sensação de alívio. a Tom.disse Shulov. . eu quero que o público americano o saiba. de momento.E a sentença. Ele hesitou. -Por que não pede aa Sr. que é responsável pela organização das minhas reuniões com lideres estra ngeiros? . mas Andy rabiscou uma perg unta num bloco e colocou-o debaixo do nariz do presidente. voltando-se para os seus colegas . -Eu quero. em am bos os extremos da linha..Juntou os dedos.. Sr.disse Lawrence.Mas. .Onde está o assassim~ da m. Lloyd que entre em contacto com o camarada Titov. para nos conhecermos um pouco melhor? 0 três homens da Casa Branca ficaram à espera que a oferta fosse enfaticamente rejei tada.

Em Nan Dinh. Mas deitado num catre numa cela sem janelas na Cadeia do Crucifixo. ele tinha aguentado um ano. cinco meses e dois dias. Puxaram-lhe os braços para trás das costas e algemar am-no.-Sorriu ao general Borodin. nem mesmo el e conseguia imaginar um sistema para JE.perguntou o ministro da Justiça.FFRF. às cinco da manhã. ao longo de um corredor comprido e escuro. Era em alturas como esta que ele desejava não possuir imaginação. cinco meses e dois diasmas. Sr. No dia em que ele e Chris Jackson fugiram do campo. Poucos momentos depois de Bolchenkov ter saído da cela pela segunda ve z. Recordou-se das palavras do chefe na primeira vez que se tinham encontrado: "Não acredito na tortura. Connor sabia que tinha estado preso durante um ano. levantaram-no do chão e empurraram-no para fo ra da cela. Connor tinha arranjado um sistem a para contar os dias de cativeiro." Mas isso fora antes de Zerimski ser presidente. A próxima coisa de que se lemb rava era de ser posto de pé. Enquanto dois o seguravam. Muito depois de o deixarem afundado na cadeira.Y ARCHr'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 20 registar há quanto tempo ali estava. 0 terceiro homem tinha substituído a lâmina da barba por uma agulha compridas grossa e utilizado a mesma delicadeza que tinha manifestado como barbeiro para tatuar o número "12 995" no pulso esquerdo do preso. mas não soube por quanto tempo. De quatro em quatro semanas. tin ha salvo um outro oficial e tinha levado a cabo uma fuga notável de um campo de pr isioneiros de guerra do Vietname do Norte. atirado de novo para cima da cadeira e de voltarem a segurá-lo. Connor começou interrogar-se quanto tempo faltaria para ele se impacientar com o facto de ele simplesmente repetir o seu n ome e nacionalidade. Quando regressaram uma terceira vez. Todas as semanas. Mas Connor sabia que nunca tinha encontrado um h omem sem medo. o tercei ro. 0 discurso feito quando lhe fora atribuída a Medalha de Honra tinha descrito como o tenente Fitzgerald tinha liderado. sem medo. que estava sentado à sua direita e que ainda não tinha aberto a boca. um guarda viet congue aparecia com uma tigela de arroz a flutuarem água-a sua única refeição do dia. Vice-presidente. os meus planos para o futuro das Forças Armadas. Ele não desperdiçara tempo a aplic ar água e sabão. . Todos os dias. uma coisa muito mais importan te.. Dois deles arrastaram-no para fora do catre e atiraram-no para cima da cadeira r ecentemente ocupada pelo chefe. Foi então que Connor viu a navalha de barbear. .E quando será isso? . Não teve de esperar muito para saber. Quando esteve prisioneiro no campo de Nan Dinh.-A pena de morte.Para si. Agora. pedindo para ver o seu embaixador. com catorze movimentos da lâmina ferrugenta. 0 chefe da Polícia tinha-o visitado duas vezes e tinha-se ido embora de mãos vazias. 0 presidente folheou a sua agenda e começou à procura de um espaço livre de quinze min utos. transferia um dos sete grãos para a trave por cima da cama e depois comia os outros seis. juntamente com uma quantidade considerável de pele. os três homens que o tinham recebido na tarde em que chegara entraram na cela. Connor ti rava um grão e colocava-o dentro de uma das sete varas de bambu que formavam o seu colchão. Depois de lida a sentença. . os seus homens. Acabou por adormecer. essenão é o meu estilo. anotando todas as palavras de Zerimski. o sangue continuava a correr pelo rosto de Connor abaixo e a ensopar-lhe a camisa. Tentou não pensar no que eles lhe poderiam rese rvar. o melhor prémio. informarás a imprensa que irei a ssistir à execução.. rapou-lhe completamente a cabeça. Eles obviamente não acreditavam em nom es para as reservas de alojamento na Prisão do Crucifixo. -As oito horas da manhã da próxima sexta-feira. claro. tirava um dos grãos da trave por cima da cama e colocava-o no meio das tábuas do soalho debaix o da cama.

Eles formaram uma longa fila de recepção enquanto ele subia as escadas para e ntrar no enorme edifício de pedra. Joan Bennett sabia exa ctamente quantos dias tinha cumprido da sua pena de oito meses. ele só tinha 22 anos e. 0 motor ista virou à direita e seguiu ao longo das margens do Neva a exactamente cinquenta quilómetros por hora. Nenhum deles falou enquanto o automóvel atravessava os portões e saía da prisão. porque todas as noites. aos vinte e dois anos. Deixou o automóvel no parque de estacionamento e dirigiu-se directamente à bibliotec a. 0 coração de Joan começou a bater com força enquanto lia cuidadosamente o longo artigo d e Fatima Kusmann. Connor olhou pela janela. desceu as escadas de metal até à secção de referência. em que ela afirmava ter estado sentada ao lado do assassino profissional durante um comício realizado em Moscovo. ao fim de algumas centenas de metros. Com que rapidez tomou consciência do grande valor que dava à liberdade. Levantou os olhos para o límpido céu azul e voltou a baixá-los para os cidadãos que andavam na ru a. mas estava decidida a não dar essa satisfação a Gutenburg. o motorista virou à direita e.nessa altura. Era um trabalho enfadonho . se esta contivesse algumas críticas. o homem julga-se imor tal. os outros cinquenta agentes que se encontravam no passeio levá-lo-iam a pensar duas vezes. Quando se encontraram no lado sul do rio. Aporta do automóve l foi aberta por um polícia que os aguardava. Foi conduzido seguidamente ao longo de um corredor de mármore. F'oi levado. lhe observou o pulso e escreveu "l2 995" no auto. embrutecedor. Não era preciso ninguém dizer-lhe que não era imortal. Enquanto Connor estava no pátio da prisão a olhar para o cadafalso semiconstruído. che gou um carro da Polícia. em direcção a duas enormes portas de . Ela não se interessaria mais pela notícia se não tivesse visto um desenho do acusado." Ela ainda só pensava na mafia como sendo italiana e ficou surpreendida ao descobrir que o artigo dizia respeito a u m terrorista sul-africano a ser julgado por ter tentado assassinar o novo presid ente da Rússia. Faltava pouco para o intervalo da meia-noite quando Joan viu um título do Istambul News: Assassino da mafia vai ser julgado. dava comida ao gato e riscava mais um dia no calendário pen durado na parede da cozinha. consideraria as suas consequências. a primeira coisa que Connor viu foi um grupo de presos a erguer um cadafalso. antes de sair de casa. 168 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 169 Quando o empurraram do corredor para o sol matinal. e um dos rufiões empurrou-o para o banco de trás. Se Connor tivesse pensado em fugir. Quando atravessaram o rio. parou em frente do Palácio da Justiça. copiá-la electronic amente. em que Zerimski tinha discursado. paginá-la e enviá-la por correio electrónico para o seu chefe que. Este não po dia oferecer um contraste maior com a prisão de onde acabara de sair. Passaram três pontes antes de virarem à esquerda e de atravessarem uma quarta que os levaria ao centro da cidade. onde um agente lhe segurou o braço con tra o balcão. Bolchenkov mal reconheceu o homem magro. a passo de marcha. Durante as nove horas seguintes. a correspondente do Istanbul News na Europa de Leste. Depois de ter assinado a entrada. à secretaria. A sua tarefa principal era procurar qualquer ref erência aos Estados Unidos e. Ele tinha agora 51 anos. a uma h ora mais civilizada. Já por várias vezes pensara em se demitir. de cabeça rapada. ela lia a última pilha de extractos de jornais do Médio Oriente enviados por correio electrónico. Ficou surpreendido ao ver o chefe da Polícia à sua espera. Quando chegou ao trabalho em Langley nessa segunda-feira. mais tarde. com apenas um intervalo para uma r efeição à meia-noite. para o palácio verde-pálido do Hermitage.

um assassino sul-africano contratado pel a mafia para assassinar Zerimski. .E desligou." Toda s as notícias da imprensa concordavam numa coisa: que o homem que tinha sido preso na Praça da Liberdade era PietdeVilliers. 0 juiz acenou a cabeça na direcção do outro extremo do assento dos juízes. Estou em tua casa daqui a pouco mais de uma hora. levantou-se para se dirigir ao tribunal. o chefe da Polícia da cidade.disse o homem. Connor olhou em volta da sala para ver quem tinha sido escolhido para o defender .Entendam o seu silêncio como quiserem . Joan digitouumacadeia de pesquisano computador: "Atentado contra Zerimski. por unanimidade. Ele disse simplesm ente: .E sentou-se. 0 delegado do Ministério Público terminou o seu monólogo. olhou para Connor com uma expressão impassível e disse: . . recitando o seu guião de uma palavra. E. de acordo com alei. Tinha agora a certeza da verdadeira identidad e do homem prestes a ser julgado em Sampetersburgo. tudo o que me resta fazer é proferir a sentença. sóexisteumapenalidadeparaoseucrime. Sr. 0 delegado do Ministério Público elogiou seguidamente a diligência e a eficiência da Políc ia de Sampetersburgo ao conseguir evitar este acto hediondo.-Fez umapausa.carvalho.R 0 DFC7M0 RRIMEIRO MANDAME'NTO firmava a transferência de um milhão de dólares americanos para um conta bancária em Gen ebra. Pegou no telefone ao seu lado e marcou um número que sabia de 170 JEFFRF. É importante. .Preciso de falar contigo. as portas abriram-se subitamente. e era óbvio que tinham estado à sua espera. nem sequer se dirigiu ao júri. um homem de ar grave que sabia exactamente o que era esperado dele. depois de terem ouvido as provas. 0 juiz olhou para Connor pela primeira vez. 0 juiz acenou a cabeça em sinal de assentimento. Passavam alguns minutos das duas. 0 telefone tocou durante algum tempo antes de uma voz sonolenta responder: .Condeno-o à morte por enforc amento. . Acrescentou que o país tinha uma g rande dívida de gratidão para com Vladimir Bolchenkov. Ele levantou-se imediatamente.Esboçou um sorriso na direcção do juiz e regressou ao seu lugar.Y ARCHF. . Depois. Joan fez o scanning do retrato a traço de De Villiers do jornal turco para o compu tador e ampliou-o até ele preencher todo o ecrã. depois voltou-se para o primeiro jurado. Ele não agarrou as lapelas do casaco nem sorriu quand o levantou os olhos para o juiz. e um jovem. como consid era o réu? .disse ele.Depois de ter ouvido o testemunho deste caso. Primeiro Jurado. dois meses antes. aumveredicto. . só pode haver um veredicto e uma só sentença. . Perguntou a si próprio como é que o seu advogado de defesa o defenderia. e ele entrou numa sala de tribunal cheia. Olhou em redor para o mar de rostos. um candidato à presi dência da Colômbia.Culpado .0 juiz virou-se para o cor.A minha própria conclusão é que. informando o júri que sempre q ue tinha sido perguntado ao réu se tinha sido contratado pela mafia para cometer o assassinato. concentrou-se nos olhos e aumentou-os para o tamanho real. Uma arma encontrada entre os seus objectos pes soais era idêntica à que fora utilizada para assassinar Ricardo Guzman. . -Umavez que ojúri chegou. Quandoestavaa alguns passos destas. Joan verificou as horas.Quem fala? Joan disse apenas: . Vários membros do júri acenaram a cabeça em sinal de concordância. ele se recusara a responder.Mais uma vez. q ue parecia não ter saído há muito tempo da Faculdade de Direito. foi dada oportunidade ao júri de examinar esta prova. sem precisar de i ncentivo nem de consultar qualquer outro membro do júri.0 meu cliente não tem qualquer defesa a apresentar. se eles nem sequer se conheciam. . e o seu profissiona lismo ao prender o criminoso que tencionava perpetrálo.

Joan ligou as luzes do seu automóvel.Então. por debaixo de um retrato de corpo inteiro do preside nte Zerimski. 0 juiz permitiu que a arma e a pasta fossem examinadas pelo júri. Não lhe agradava a perspectiva de contar a Magg ie os resultados do seu trabalho de detective.que con JF. Paul. a viagem à Colômbia. Joan sentia-se exausta. Com as mãos a segurar as lapelas do casaco. Aestrada aindaestava coberta com restos de gelo donevão da noite anterior . De Villiers tinha sido visto a seguir o presidente Zerimski durante vários dias. outra pessoa foi acordada por um telefone a tocar. passando pelos magníficos monumentos que celebravavam a histór ia do país. Primeiro. Foi a sua admiração por estas personagens heróicas que gerou o se u desejo de trabalhar numa agência governamental. Jefferson.Não. o delegado do Ministério Público passou o resto da manhã a descrever os acontecimentos que tinham culminado com a prisão do réu. para a George Washingto n Parkway. de masiadas coincidências. Os s eus olhos fixaram-se primeiro no júri.foi a resposta imediata. por alguns dias. para citar uma das máximas preferidas de Connor. levantou-se do banco situad o directamente debaixo do juiz e começou a dirigir-se ao júri. .FFRLY ARCHIìR advogado de defesa:-Deseja recorrer da sentença?-perguntou ele. . passou o portão e virou para leste. Normalmente. E como a arma com que o réu tencionava assassinar o seu amado presidente tinha sido encontrada no átrio de um hotel entre os seus objectos pessoais. As datas cond iziam com as ausências de Connor no estrangeiro. . alto e de aspecto soturno. Contou ao júri como. Subiu as escadas velhas para o rés-do-chão. Joan voltou a verificar alguns artigos dos jornais. Excelência . o que é ainda mais grave. Antes de sair. Havia. . Joan desligou o computador. 0 escrivão levantou-se do seu lugar e leu a acusação em russo. fechou a secretária à chave e fez votos para que o seu c hefe não reparasse que a caixa de entrada do seu correio electrónico estava quase vazia.prossegu iu o delegado no Ministério Público . antes de ser preso na Praça da Liberdade. . teremos de antecipar. em St. Ele e scutou atentamente antes de dizer. . depois a ida a Sampetersburgo. Lincoln e Roosevelt.As s uas iniciais estavam distintamente gravadas na pasta que continha a arma.disse o delegado do Ministério Público. e os trabalhadores da auto-estrada estavam a tentar retirá-los antes da hora de ponta da manhã.E. porque os j ornais turcos já eram da antevéspera. e conduziu-o para fora do par que de estacionamento. e um homem de meia-idade. Quando andava na escola. ela gostava de conduzir de madnigada pelas ruas de sertas de Washington. não havia um momento a perder. E se era realmente Connor quem estava a ser julgado em Sampetersburgo. Nenhum delas olhousequernasuadirecção. 0 escrivão voltou a sentar-se. às oito horas da manhã. Desconfiouquenãotinhamdemorado muito a prestar juramento e que não houvera pedidos de substituição. Às três horas. Connor mal conseguia acompanhar o desenrolar dos acontecimentos e certamente que não lhe foi perguntado se se declarava culpado ou inocente. o nosso plano original. ficava sentada em silêncio enquanto a professora deleitava os seus alunos com histórias de Washington.0 réu deixou-se vencer pela vaidade . Doze homens bons e honestos? Era pouco prováv el. Connor estava sentado no banco dos réus e olhou em volta da sala do tribunal. inseriu o cartão electrónico no contr olo de segurança da saída e cruzou-se com os trabalhadores que entravam para o turno da madrugada. novo em folha. retórico. Ele sentou-se numa enorme cadeira de cabedal colocada no centro do estrado elevado.Alguns momentos depois. foi encontrado no saco de toilette do réu um pedaço de papel . .A execução terá lugar na sexta-feira. Toda a gente na sala se pôs de pé quando um homem com uma longa toga preta emergiu d e uma porta lateral.

Um dos motoristas saltou do carro e desceu a encosta em direcção ao rio para ver se podia fazer alguma coisa mas. Qua ndo dizia isto a 0 DÉCIMO PRIMGIRO MANDAMENTO l73 Connor. mas desta vez ficou horrorizada ao ver um enormeMereedes preto aaproximar-se rapidamentedela. perto de Spout Run. e ela não conseguiu atingir uma velocidade suficien te para o ultrapassar. não havia qualquer sinal do carro. Joan ia sugerir a Maggie que contactasse imediatamente com a Casa Branca. a sua carga de areia começou a derramar-se na estrada. atravessou a berma incrustada de gelo e caiu pela encosta abaixo. desapareceu de vista. quando chegou à água. momentos antes de a ter ultrapassado completamente. tinha preenchi do impressos de candidatura para o FBI e a CIA. En . quando viu Connor Fitzgerald. obrigando-a a abrandar e a ficar atrás dele. em direcção ao rio. mas ele ignorou o aceno da sua mão e continuou a deslocar o ca mião cada vez mais para a esquerda. não conseguiu ultrapassá-lo.Y ARCHFR pedra plana e.Depois de ter estudado Ciência Política na Universidade de Minnesota. mas o Mereedes aproximou-se ainda mais do seu guarda-lamas traseiro. 0 camião começou imediatamente a dirigir-s e a ela. Olhou pelo retrovisor e viu que o Mereedes também mudara de faixa e estava agora próximo do seu guarda-lamas traseiro. mas o camião de areia também acelerou. pois f ora Tom Lawrence quem pedira a Connor que aceitasse esta missão.FFRF. obrigando-a a guinar para a faixa da esquerda. Tudo o que restava eram as marcas dos pneus na encosta coberta de neve e algumas bolhas. ele limitava-se a rir e a dizer que ela estava a ser sentimental. Esta riam o camião e o carro a trabalhar juntos? Tentou abrandar. a parte traseira do camião levantou-se. Quando olhou para a frente. Um m inuto mais tarde. mas o pequeno automóvel despistou-se. Joan estava a tentar dar uma ordem lógica aos seus pensamentos quando um enorme ca mião verde de transporte de areia passou por ela pela esquerda e começou a entrar na sua faixa.C orregou no acelerador na altura em que a auto-estrada descrevia uma descida íngrem e para a esquerda. ultrapassou o camião e. depois de terflutuado por um momento. Joan carregou no travão. Aqui estava um homem que tinha regressado de uma guerra inútil com uma medalha a que nunca faz ia referência. Ela sentia o coração a bater com força. mas o camião não se afastou conforme ela esperavaque fizesse. Bateu na água como uma JF. afastou-se. 0 camião de areia voltou para a faixa do meio e prosseguiu a sua viagem em direcção a Washington. e que continuava a servir o seu país sem alarido nem reconhecimento. cancelou a entrevista com o FBI. Joan não teve outra opção a não ser deslocar-se mais para a esquerda. Joan carregou outra vez no acelerador e o carro deu um salto em frente. 0 outro motorista motou a número da matrícula do camião de areia. Joan teve de decidir num instante se deveria travar ou tentar acelerar para ultr apassar o motorista irresponsável. 0 pequeno Passat reagiu imediatamente. Mas To m Lawrence tinha razão quando descrevera Condor como um dos heróis anónimos do país. 0 suor escorria-lhe da testa para os olhos quando se encontrou a par com a frente do camião de areia mas. Ela carregou l igeiramente nos travões. Verificou o retrovisor: o Merceries estava ainda mais próximo do guarda-lama s. Tudo que ficou foram as marcas dos pneus na encosta e algumas bolhas. Ambos lhe marcaram entrevistas mas. Olhoupeloretro visor e deslocou-se para a faixa do meio. Instintivamente. Olhou para a cabina e tentou atrair a atenção do motorista. quase para a berma . aceleran do. mesmo com o a celerador ao fundo. Dois automóveis que se dirigiam ao Aeroporto de Dulles pararam na berma da estrada . o Mercedes fez sinais de luzes. Olhou outra vez pelo retrovisor.

Maggie começou a passear à volta da cozinha enquanto Ann Compton previa que a Propos ta de Lei de Redução das Armas Nucleares. primeiro. obteve uma mensagem: "Este telefone está temporariamente fora de serviço. . "Durante a próxima hora. envolvendo um camião de areia e um Uolhswa gen. Maggie decidiu que eram horas de telefonar para casa de Joan. que o introduziu no computador do tablier. Químicas e Convencionais seria quase certamente reprovada no Senado. ouviu apenas o telefone a tocar. As quatro e meia começou a perguntar a si própria se estava com tanto sono quando a Joan telefonara que talvez tivesse compreendido mal o qu e ela dissera. por isso foi até à entrada. Quatro eram para Connor. volte a tentar mais t arde. . 0 rosto de Charlie Gibson surgiu no ecrã.prosse guiu o chefe.30. Biológicas.Bolchenkov inspirou profundamente o cigarro. An dy Lloyd apareceu no ecrã a anunciar que o presidente Zerimski faria uma visita oficial a Washington pouco antes do Natal. Maggie começou a olhar para o relógio de poucos em poucos minutos. Quando foi enfiado no banco de trás do automóvel. . ele franziu o sobrolho. Após alguns segundos. A seguir.tregou-o ao primeiro polícia a chegar ao local. No enta nto. falaremos de decorações de Natal que até os miúdos podem ajudá-la a fazer.perguntou ele. . . Pormenores nas notícias das 6. 176 -0 presidente ficou muito satisfeito com a notícia-disse um repórter. desta vez. -Parece que o nosso amado presidente insi stiu em assistir à execução. Porfavor. tendo a certeza de que Joan devia ter notícias de Connor. Tinham de ser importantes. agora que Zerismki fora eleito líder d a Rússia. Fitzgerald . para Langley. .Foi um pouco de sorte-disse o chefe.Porque eu acho que é altura de o informar que existe uma alternati va." Maggie começou a andar de um lado para o outro da cozinha.Tem a certeza de que anotou correctamente o número. siP? .E fez votos para que esta notícia contribua para convencer os líderes do Senado de que o novo presidente russo pretende manter uma relação de amizade com Washington. s aberíamos que tinha morrido. Connor encontrou o chefe da Polícia de novo à sua espera. tentou o telefone do carro dela e.Estou satisfeito por ter encontrado finalmente a língua. por que é que ela a acordara às duas da manhã? Ele teria contactado com ela? Será que ela sa bia onde ele estava? Ela saberia dizer-lhe quando é que ele voltaria? Às seis horas.Gostaria de saber por que é que eles vão esperar até sexta-feira para me enforcar. Connor sorriu ironicamente. pegou nos s ete envelopes que estavam no chão e passou os olhos por eles enquanto voltava para a cozinha. Maggie tentou comer a tigela de flocos enquanto as notícias da manhã continuavam. Supõe-se que o motorista do automóvel tenha morrido. Quando 0 motorista iniciou a viagem de regresso à Prisão do Crucifixo. Maggie ouviu o som de algo a cair no tapete. quando apareceu uma legenda debaixo da imagem de Ken Newman: "Acidente na George Washington Parkway." Quando já passava das quatro horas. . .0 De partamento de Viação de Washington não possui qualquer registo desse veículo. Sr. Maggie decidiu que estava perante uma emergência. Às cinco horas. teremos Kevin Newman com as notícias damanhã. Connor não resistiu a fazer uma pergunta a Bolchenkov. 0 DFC1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO 175 21 Mark Twain disse uma vez a respeito de um amigo: "Se ele não aparecesse a horas. Maggie estava a perguntar a si própria se deveria quebrar uma regra que seguira du rante toda a vida e tentar telefonar a Joan.E não tem quinze minutos livres na sua agenda antes de sexta-feira. M as. Ning uém atendeu. . Acendeu a televisão pa ra verificar a hora exacta. caso contrário. . o líder da maioria no Senado disse que iria aguardar até Zerimski ter discursad o." As palavras percorreram lentamente o ecrã e desapareceram. ela nunca abria a correspondência dele qu .

-Decorações festivas de Natal que as crianças podem ajudá Maggie sorriu. e a letra "e" em "Maggie" estava torta.quando um camião de areia dei xou cair a sua carga na auto-estrada. com a nossa correspondente no local.Não! Não! .Despachem-se. ao que parece um Volhswagen Passat.aião para Washington no dia quinze. .Atrás de mim podem ver os mergulhadores da Policia que já localizaram o veículo.Que não seja ela! . sentado na sua cabina alta. Ainda não se conhece a identidade do condutor. Desconj rCO que. Olhou para o relógio Seis e vinte. até lá Maggie correu para a entrada.E. não.repetiu Maggie. Lisa McRee mostrava uma coroa de azevinho e bagas vermelhas. não! -disse ela em voz alta. Na televisão. Outra jornalista estava a especular sobre se a prgje ctada visita de Zerimski iria influenciar os líderes do Senado antes de estes vota rem a Proposta de Lei da Redução do Armamento . a locutora disse: . meu Deus. por is so. A última carta tinha a letra inconfundível da filha. que a contacte. ocorreu um trágico acidente Já conversei com uma testemunha ocular que contou ao Cana15 o que viu. ela tem saudades do papá. Maggie voltou a ler a frase antes de a mão lhe começar a tremer. suponho gue ainda não voltou.É até é possível qu e o motorista do camião de areia..disse Maggie Finalmente. JEFFRF. Maggie franziu a testa.. desceu a encosta e caiu no Potomac. -Agora.Ninguém parece saber exactamente o que aconteceu . .Obrigada.Oh meu Deus! Oh.Não. Entrou lentamente em Avon Place. acelerando seguidamente na Vigésima 0 Uéaimo l'rimvìrn Mandnnrcrun. Liz Fullerton. pegou no casaco e saiu pela porta da frente.disse ela num tom alegre. Eles esperam trazê-lo para a superfície dentro de umahora. Entro u no carro.prosseguiu ela. o que fez que o automóvel que seguia atrás dele se despistasse. temos mais notícias sobre o acidente na George Washington Parkway. tenha prosseguido a viagem sem se aperceber do acidente. a fim de a ajudar nas investigações Esperamos trazer-vos mais notícias daqui a uma hora.ando ele estava ausente. -A câmara rodou para mostrar parte do rio. . .gritou Maggíe. . cerca das três e quinze da madrugada. despachem-se! . Apenas um bilhete para con~Crmar que Stuart chega a Los Angeles na sexta-feira. Encontro-me na berma da George Washington Parkway onde. agora. sentido-se aliviada por o velho Toyota começar a trabalhar quase imedi atamente. pelo que só podia ser o cartão de boas-festa s que Declan O'Casey lhe enviava todos os anos. não . . Recebi uma carta de Joan que parece não estar a gostar do seu nouoemprego. vamos falar sobre árvores de Natal. 17R JEFF'REY ARCHER 0 DFC1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO . Uma era uma conta da Pepco. Uai ser óptimo passarmos a Natal contigo e com o papá Ele não metem tele fonado. --Eu seguia na direcção de Washington-disse ele à repórter . que terá presenciado o acidente. focando um grupo de mergul hadores da Polícia antes de voltar à repórter.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO l77 -la fazer. Ela disse-me que comprou um nono Volkswagen. como todas nós. . Estamos a planear dar um passeio de carro durante alguns dias até São Francisco ante s de apanharmos o a. Joan não! -A Polícia está a solicitar ao condutor de um Merceries preto. Julie.Por favor. A câmara focou um homem que obviamente não esperava aparecer na televisão nessa manhã. Maggie mudou para o Cana15.I? Querida mãe. Pôs as outras de lado e abriu-a. outra tinha o carimbo de Ch icago. . 0 automóvel atravessou a estrada.

isto é.Creio que conhece o meu filho . teria visto um pequeno Ford azul a da r a volta antes de a seguir. .Permita-me que o informe sobre o que planeámos até agora. . Jackson olhou na direcção do homem que o acompanhava sempre nas suas viagens ao Paláci o de Inverno.. ao longo da M.uma vez que Sergei ainda andava de um lado para o outro com as duas pernas intactas. Se tivesse olhado pelo espelho retrovisor.-Romanov falou sem manifesta r qualquer emoção. Alexei Romanov entrou na sala.Mas ainda há um problema. Ele estará no terceiro de sete au tomóveis e entrará por um portão lateral. partindo do princípio que Connor concorda com as suas condições. com excepção de um único problema que ain da precisa de ser resolvido.Sim .respondeu Jackson.T enho. e as portas situadas ao fundo da sa la abriram-se imediatamente. voltou a colocar a tapeçaria. mas raramente falava. . o velho perguntou: .disse o czar. onde a execução terá lugar. às oito horas.Oecrãplanopra teado parecia um tanto deslocado num ambiente tão luxuoso. Jackson reparou que ele não parecia estar preocupado com o único problema que restav a. Todos os encontros posteriores se tinh am seguido a uma convocatória de Romanov. Alexei desligou a televisão. como antigo director-adjunto da CIA.. Jackson. que o acompanhará até ao pátio pri ncipal. especialmente porque co ntinha a ilusão de que ele tinha tido algum voto na matéria. Street.. os seus comentários serão úteis. explic ando ainda mais pormenorizadamente a forma como a fuga de Connor seria conseguid a. que..Tem algum comentário? .disse Jackson. não posso fazer nada para impedir que ele seja enlòrcádo amanhã de manhã. -Penso que gostará de saber. Sr. é muito amável da sua parte vir visitar-me outra vez. situado aqui. na direcção da Parkway. mas não mais.179 Nova Avenida e seguindo para leste. Às sete e cinquenta e dois. 0 czar recostou-se na sua poltrona e Jackson reparou no copo habitual de líquido i ncolor em cima da mesa ao seu lado.. . Acenou a cabeça em sinal de assentimento.Será recebido por Vladimir Bolchenkov. Lembrou-se da reacção do velho na única ocasião em que fez uma pergunta e esperou que ele falasse.Sr. Bolchenkov passou quase Romanov com grande porme para pensar na resposta. d o que o seu proprietário e os seus acólitos. A primeira imagem que surgiu no ecrã foi uma fotografia do exterior da prisão do Crucifixo. deixe-me dizer que fiquei muito i mpressionado com o plano e que estou convencido de que ele tem todas as probabil idades de ser bem sucedido. 0 velho carregou num botão do braço da poltrona. Romanov acenou a cabeça em sinal de concordância. Atrás dela estava escondidoumenormeaparelhodetelevisão. Se ele não puder fazê-lo. Fitzgerald concorde com as nossas condições. E. pensou Jackson.Zerimski deverá chegar à cadeia às sete e cinquenta.perguntou o velho. tudo 0 que é necessário para que a fuga do seu colega seja bem sucedida já foi tratado. Quando a porta se fechou. e era óbvio que não tinha si do considerado "uma perda de tempo". Jackson. A única coisa de que precisamos agora é que o Sr. Es que . 0 primeiro encontro tinha ocorrido a pedido de Jackson. fez uma ligeira vénia ao pai e saiu da sala sem dizer mais uma palavra. 0 jovem Romanov continuou a descrever o plano a Jackson. com o objectivo de pôr Jackson a par dos últimos planos. quanto a isso. . Alexei Romanov apontou para a entrada.E tem alguma solução para ele? . 0 passageiro do banco da frente estava a marcar um número de telefone que não vinha na lista. É óbvio que pensou em quase todas as eventualidades que possam surgir.. . se ele decidir irem frente. Quando terminou. .Alguns . minuto a minuto. confiando obviamente que o pai arranjaria uma solução antes da manhã seguinte. 0 jovem empurrou para o lado uma magnífica tapeçaria do século x<v que retratava a Bat alha da Flandres. . Estou certo que. -0 seu dedo moveu-se ao longo do ecrã. não tenho autoridade para falar em seu nome. .Em primeiro lugar. Jackson achou graça à elaborada cortesia de Nicolai Romanov. devo repetir.

quanto mais o seu marido. em Georgetown. Sr. às oito e vinte sete do dia dois de No vembro.disse Gutenburg. -. As condições não IRO JF. Mas mesmo que as aceitasse e a sua fuga fosse bem sucedida. De facto. áo em cima do catre. a hora a explicar o plano de r.0 próprio. Quinze minutos depois.a Fitzgerald. Sr. quando morreu.Duas belas mulheres! . se Joan Bennett algum a vez trabalhou para a Agência? Ou ela também foi apagada da sua memória? . -Então.Sr.a Fitzgerald. Connor ainda se lembrava da expressão cínica do chefe quando tirou as fotografias do bolso interior e lhas entregou.Eu não fiz chamada nenhuma. Sr. a porta da cela voltou a abrir-se e Bolchenkov entrou out ra vez. e tenho a sensação de que o senhor terá dificu ldade em negar que ela tenha saído de Langley para vir visitar-me. -Ao que parece. filmada em vídeo pela nhoverificadoqueosjornalistas que envolve um indivíduo condeonra tem interesse par a os seus eles matá-lo-iam. feliz ou infelizmente. há apenas duas semanas. . depois deixou Connor sozinho não precisava que lhe lembrassem înalterável: Zerimski deveria chegar árenta e cinco minutos. e certamente que não me recordo e conhecer a Menina Bennet t. que creio estar actualmente no estrangeiro. a comunicação social também está intrigada com o que realmente aconteceu na George Washington Parkway ontem de manhã. . Era tão simples quanto isso .tinha um prazo-limit ao Crucifixo dentro de q Connor estava deit poderiam ter sido expressas mais explicitamente. -Aqui fala Maggie Fitzgerald. com um cigarro apagado ao canto da boca.excepto que Bolchenkov tinha prometi do que não seria a morte rápida e fácil da corda do carrasco. Eu consideram que uma históri corado com a Medalha de leitores. Gutenburg.Sr. -Não estou enganada. . Se falhasse. .Estou a ver que a nossa pequena proposta ainda constitui um dilema para si-dis .0 senhor esteve na festa de despedida do Connor. numa missão sua.Estou a ver que tenho de sacudir um pouco mais essa sua memória.disse Bolchenkov.Não me recordo do nome . Desta vez não se sentou. de onde não telefonou e em que evitou ser fotogr afado foi. mas não comp reenda o que isso tem a ver comigo. o senhor fez uma chamada da minha casa para o seu escritório. dependendo da perspectiva. Seria uma tragédia ter de encurtar as suas vidas por causa de uma coisa que elas desconheciam por completo. ele não tinha a certeza de conseguir cumprir a sua pa rte do acordo.Lamentei ter tido conhecimento do trágico acidente da Menina Bennett. Gutenburg. Sou a mulher de Connor Fitzgerald. Joan Bennett foi secretária do meu marido durante quase vinte anos. .finalmenteconseguiprenderasuaatenção.a Fitzgerald? -Ah. que teve lugar na nossa casa.'FFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO !Rl . A festa em que não esteve presente.Permit a-me que corrija a sua temporária perda de memória. . mas eles talvez fiquem um passo mais próximo da solução se souberem que Joan Bennett trabalhou para um homem que desap areceu da face da terra quando levava a cabo umamissão especialpara si. . Sr. Connor continuou a olhar para o tecto como se ele não estivesse ali. -Deveestarenganada-respondeucalmamenteGute nburg. Gutenburg. diga-me. .Deve estar muito orgulhoso delas. e posso garantir-lhe que o seu mari do nunca trabalhou para mim. Ele também dissera-no caso de Connor ter quaisquer dúvidas-de que todos os contratos feitos com a mafia russa que não fossem cumpridos se tornavam automaticamente responsabilidade dos familiares mais próximos do transgressor. Sr.Que está a sugerir. Gutenburg? . não me posso lembrar de todas as dezassete mil pessoas u e trabalham para a CIA.

.Não creio que isso sej a necessário. Sr ~. Acab ou o cigarro. eu entrego-lhe a cassete. Sr. 0 condenado não comeu o pequeno-almoço.se o chefe. foi vítima de um acidente de viação. acendendo o cigarro. se a sua mulher for tão orgulhosa e persistente como o seu perfil sugere. Connor tirou as pernas de cima da cama e ficou a olhar para Bolchenkov. . Gutenburg atravessou. Gutenburg levou algum tempo a responder. Gutenburg. receio que a Sr. Se assi m for. Esta conversa também está a ser gravada. . Ele olhou para a comida e colocou o prato de alumínio debaixo do catre. encharcada em suor.Desconfio que a sua secretária descobriu quem é que nós prendemos na Praça da Liberdad e. podemos partir do princípio que ela não demorará muito a chegar à mesma conclusão. 0 pessoal da cozinha tinha feito um esforço para tirar os piolhos do pão da última ref eição do preso.. a porta de comunicação entre o seu gabinete e o da directora. -Parece que a sua antiga secretária. Sr.respondeu o chefe. um padre ortodoxo russo entrou na cela. incapaz de disfarçar a sua surpresa por o seu dire ctor-adjunto entrar no gabinete sem bater à porta. se eu morrer em circunstâncias suspeitas . quero incluir uma cláusula no contrato. . não perca tempo a vasculhar a minha casa à procura da cassete. eventualmente. e embora o senhor tenha apenas um pequeno papel. se decidir fazer comigo o que fez com a Joan Bennett. isso não me surpreende. eles enviem imediatamente cópias às três principais cadeias de televisão.Temos um problema . -Com certeza-disse Maggie. quarenta e oito horas? E. Mas depois de ouvir as últimas notícias que tenho para lhe dar.foi tudo o que ele disse. IR2 JEff'REY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMF. . Ela tinha saído de Langley e ia visitar a sua mulher. e tenho a sensação de que as cadeias de televisão acharão que vale a pena transmitir a sua opinião sobre o assunto no notic iário da manhã.-NTO IR3 22 minha filha. deixou que a beata lhe caísse da boca e esmagou-a no chão. -Se eu concordar com as condições do Romanov. porque não a vai encontr ar.-Digamos. Sr. Bolchenkov ouviu com interesse. Eu já sei exactamente o que pret endo de si. Gutenburg. E. Ela queria surpreender o pai. Em troca dessas simples informações.Eu quero saber onde o meu marido está neste momento e quando ele deverá regressar.. -Talvez fosse boa ideia enco ntrarmo-nos. . .. eu simplesmente desaparecer.Devo acrescentar que. Sr. Sr. à Fox e à CNN. a cassete será enviada sete dias depois.disse Gutenburg. Gutenburg. posso garantir-lhe que a sua conversa com Joan Bennett está lá para quem a quiser ve r.E o que é. disparado. Se. Maggie pousou o auscultador e caiu em cima da cama. Gutenburg. -Mesmo conhecendo-nos há tão pouco tempo.Se Joan morreu. . . dando-lhe a cassete no Natal. Joan Bennett.a Fitzgerald esteja condenada a sofrer o mesmo destino que a sua falecida secretária. mas não tinha conseguido. Fitzgerald . Alguns minutos mais tarde.. Está escondida num sítio que nem sequer uma mente tortuosa coma a sua consegue adivi nhar.Vou precisar de algum tempo. por outro lado.a Fitzgerald? .. Ele explicou . Desta vez.Mas. eu já dei instruções aos meus advogados para que. como é que podem saber que ela ia ter com a minha mulher? . Adeus.Não é só a CIA que tem o telefone da sua mulher sob escuta . Connor continuou a olhar para o tecto.disse ele. Eu acab ei de a ver outra vez. Helen Dexter levantou os olhos. . talve z mude de ideias.

Para eles. com o som das suas botas a tornar-se mais alto a ~áda passo. ela feri Lady Macbeth. Saiu do escritório e percorreu o comprido corredor de mármore do edificio de escritóri os de que se apropriara recentemente. o padre abençoou-o e deixou-o entregue à sua solidão. A Polícia tinha desimpedido a estrada uma hora antes para que o desfile automóvel pudesse avançar sem se deparar com um único veículo que seguisse em qu alquer das direcções. o seu regresso do Vietname tinha sido um triunfo. que normalmente demoraria vinte minuto s. Ne m amigos ou familiares junto da sepultura a ouvir o padre elogiar a dedicação e o serviço público que tinham sido a marca da sua carreira. na filha que nunca chegaria aver. um ano. Desta segunda vez. Talvez até tivesse chegado a director. Era o mais próximo que o chefe alguma vez estaria de admitir que admirava a coragem moral do homem.de um mês. da sua de cisão. embora não fosse da mesma religião que o preso. Mas agora só conseguia pensar nos pais. não dera a arma. na esperança de que isso ajudasse a sua fraca popularidade. Zerimski nem sequer olhou na direcção do Hermitage. o motorista do carro da frente aumentou a velocidade para cem quilómetros à hora. Deitado no seu catrç. para se certificar de que o presidente chega ria a horas para o seu primeiro compromisso oficial dessa Manhã. sabendo que poucos dos riam o sacrific io que tinha feito. Depois de ter explicado as suas razões. Parou por um momento no primeiro degr au para olhar para o cintilante desfile automóvel. Fazer parar o trânsito faz saber aos habitantes locais que o presidente está na cidade. seria feita em menos de sete. Perguntou . que tinham morrido com poucos dias de intervalo um do doutro.A sua limusina está à espera. Mas ele seus compatriotas sab isso apenas faria que tudo valesse ainda mais a pena. sentiu-se um pouco mais bem-disposto. Quand o chegaram ao outro lado do Neva. petrificado de medo. Depois de o p adre ter efectuado a pequena cerimónia. Entrou para o banco de trás do terceiro automóvel e olhou para o relógio: sete e quare nta e três.disse um funcionário. Não haveria ceri~ónia de despedida. ajoelharam-se os dois no frio chão de pedra. até mesmo acenando brevemente a cabeça para indicar que compreendia. o preso ouvia os guardas a marchar ao longo do corredor em ~ Irecção a ele. Tinha dado ordens aos funcionário s do Partido no sentido de ter sempre mais uma limusina do que qualquer presidente anterior. Sentiu-se sa tisfeito por nenhum deles ter morrido tendo isto como última recordação dele. e ficaram encantado s quando ele lhes disse que tencionava continuar a servir o seu país. Para ele. A Polícia de trânsito calculara que a viagem. não se arrependendo. Não o fizera Embora tivesse sido as suas omoplatas.R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO IRS provocar dentro. Depois de uma breve oração. Ficou deitado aolhar para o tecto. . Não haveria fuzileiros utenburg quem colocara a lâmina entre havia qualquer dúvida sobre quem lhe gostado d e desempenhar o papel de ria para o caixão. Bolchenkov aceitara-as sem qualquer comentário. pensara na mulher. Sorriu ao pensar no que seria indubitavelm ente o acontecimento mais importante do dia. Estava tão ansioso por passar uma manhã no C rucifixo como outros estariam por passar uma noite no Kirov. com a sua comitiva a andar em passo rápido à sua frente. Ao passar velozmente pelos semáforos sem ligar à cor e ao atravessar o rio. Sr. Presidente . se um presidente em apuros não tivesse decidido nomear uma mulher. em direcção à porta aberta. cujo rosto ele não conseguia ver. explicou ele ao seu chefe de Gabinete. Nessa ocasião. IR4 JEFFREY ARCHF. Nem um caixão coberto com a bandeira americana. teria todo o gosto em dar-lhe a extrema-unção 0 santo sacramento seria a única comida que ele ingeriria nesse dia. 0 preso enfrentava mais uma vez a morte. por um só momento. não sentia o mesmo hor ror.que.

Os seus olhos pousaram no rapaz. Por que é que ele tomara a decisão que tanto tinha comovido o chefe da Polícia. E era demasiado tarde para mudar de ideias. A primeira pessoa em que se vingou foi o cozinheiro. o preso não desviou os olhos do olhar de Zerimski. Já circulavam em Moscovo rumores de que o antigo pri meiro-ministro tencionava emigrar. Mas ele tinha sobrevivido. teria deixado tudo àquela criança. Ele estava destinado a ser mais um dos heróis anónimos de Tom Lawrence. noutra terra distante. com medo de que lhes fosse ordenado que lhe fizessem companhia. 0 preso ficou surpreendido por ele ter voltado tão depressa. ao mesmo tempo que um oficial da guarda deu alguns passos em frente. tudo o que restava era ser enforcado numa terra não amada e não amante. em qualquer ramo. Quando temos apenas alguns momentos de vida. mas fora ali que os dados tinham sido lançados. 0 presidente da Rússia acordou mal-disposto nessa manhã. 0 chefe encolheu os ombros. Seo ministrodoInteriorcontinuasseadecepci onálo. lhe agarrou no pulso e verificou o número:1 2995. Pararam à pórtaçla cela. em pass . No dia em que ele saísse do país.É este o tipo de hospitalidade com que devo contar quando vier a Leninegrado? Saiu da sala. Tudo isto tinha sido conseguido em menos de uma semana. Ele sabia que era apenas um esquema para retirar das ruas carteiristas . Atirou o pequeno-almoço ao chão e gritou: . Atirou a caneta para cima da secretária. Ele acendeu um cigarro e inspirou uma vez antes de o oferecer ao pres o. Se o presidente tivesse deixado de olhar para ele e baixasse os olhos para o chão entre os seus pés. Quando terminou a sua incumbência. um número no pulso e uma sepultura anónima. Zerimski já tinha assinado os papéis que iria m arruinar as vidas de centenas de homens. Se lhe tivessem permitido que fizesse um test amento. esmagou o cigarro no chão de pedr a com o pé e foi-se embora para receber o presidente. Olhou de relance para o cadafalso. a erguer as suas espingardas orgulhosamente no ar. cujo único crime fora apoiar Chernopov durante a campanha eleitoral. Nem a bandeira dobrada oferecida em nome do presidente aos seus familiares mais próxi mos. Embora se sentisse aterroriz ado. Bolchenkov entrou à frente deles. Talvez ele devesse ter enfrentado o pelotão de fuzilamento todos esses anos antes. No escritório. Para ele. Não. depois fixou o olhar no presidente. Quando o seu chefe de Gabinete chegou. Estava decidido a não lhe dar a s atisfação de saber como estava assustado. um funcionário nervoso colocou-lhe em cima da secretária documentos para assinar que davam à Polícia o direito de prender cidadãos sem ter de os acusar de qualquer crime. Este sacudiu a cabeça. Os seus olhos encontraram-se. 0 oficial voltou-se então para o presidente e leu a sentença do tribunal. teria visto. Nem salvas de artilharia. Isto não contribuiu para alterar a má disposição de Zerimski. o oficial enrolou o papel e afastou-se.a si próprio quantos seriam. Desta vez. Zerimski assina ria um milhar de ordens destas e prenderiatodosaquelesquetivessemtrabalhadoparaChern opov. Enquanto 0 oficial cumpria as formalidades. o preso olhou em volta para a multidão que tremia de frio. não havia ninguém para o salvar à última hora. vendedores de droga e criminosos insignificantes. Era a cabeça do czar que ele que ria que lhe fosse trazida numabandeja. Uma chave rodou na fechadura e a p orta abriu-se. usualm ente impassível? Ele não tinha tempo para lhe explicar o que acontecera no Vietname. a maioria deles receosos de mexer um único músculo. que ainda estava a chorar. reparamos em todos os pormenores. Ao pensar no caos que ia L46 JEFFREY ARCHER 0 UÉCIMO PRIMEIRO MANUAMENFO )g7 0 condenado olhou para o sol da manhã e estremeceu. Um a cabeça rapada. teria de pensar em substituí-lo.

que Catarina. quase desejando que oferecesse resistência mas. 0 presidente afundou-se na confortável cadeira. ele co locou calmamente as mãos atrás das costas e ficou à espera. Zerimski começou a mexer-se impacientemente. agarrassem. à espera que o p reso chegasse. olhou para o relógio da torre. Enquanto atravessavam o pátio. em 1779. A segurança no campo era sempre pouca apertada. cobarde c omo era. Ele parecia espantosamente calmo para alguém a quem r estavam apenas alguns momentos de vida. pensou ele. e a sul quarenta quilómetros de pântano impenetrável. 0 presidente saiu da limusina e foi cumprimentado pelo chefe da Polícia. 0 chefe parou junto de uma luxuosa cadeira do século xvitr. 188 . Vários homens tinham tentado a sua sorte por esse caminho. Ele passou calmamente pelo presidente e em direcção ao patíbulo. Tinha esperado vinte e oito anos para saldar a sua dívida. no mesmo dia em que assinara o mandado de captura do seu irmão. . Bolchenkov calculara que isto talvez levantasse um problema. Nesse momento. Qu ase desejou que o relógio batesse as horas. Colocaram-lhe as algemas e empurraram-no para fora da cela. inclinouse e murmurou ao ouvido do presidente: . "Pouca gente>~. Divertiao ter atribuído a Bolchenkov a Ordem de Lenine. Nunca mais teriam outra oportunidade. mas a sorte não os acompa nhara. apenas um par de algemas. Olharam para ele.Tive ordens para autorizar apenas membros do Partido a assistir. a Grande . não houve lâmina da barba nem agulha. como era o oficial mais graduado. Ao fim do comprido tún el cinzento viu um ponto de luz do Sol. A cab eça careca coberta de sangue seco e o uniforme da prisão. ninguém sugeriu que o presidente despisse o casaco forrado de pele. Olhou para a multidão e os seus olhos pousaram num rapaz a chorar. Três minutos para as oito. para o corredor. 0 presidente estava à espera que tivessem vindo muito mais pessoas assistir à execução do homem que tinha recebido ordens para o matar. n`ãp tinha protestado. nos seus momentos finais. a pequena multidão encostada à parede começou a aplaudir. "Sabe exactamente quanto tempo tem de vida. Demasia dos indivíduos tinham ouvido histórias. segundo as quais quando lá se entrava já não se saía. e que fora requisi tada ao Hermitage no dia anterior. colo cada mesmo em frente do cadafalso. Numa manhã tão fri a. tinha comprado ao espólio do primeiro-ministro inglês. desta vez.Zerimski ac enou a cabeça em sinal de concordância. mas seguidamente decidira que enfrentariam ambos o mesmo pelotão de fuzilamento na manhã seguinte.o de marcha. tinha s do escolhido. 0 seu lugar-tenente dera um passo em frente e`'~ferecera-se para tomar o seu lugar. porque a norte ficavam cento e cinquenta quilómetros de sel va ocupada pelos vietcongues. cinzento e fino. num braço do preso e o conduzissem ao cadafalso. Agora. voltava-lhe tudo à me ' ria. Bolchenkov conduziu Zerimski até ao pátio onde a execução iria ter lugar. por isso. Trazia uma enorme Bíblia aberta nas mãos e entoava suavemente algumas palavras que não tinham qualquer significado para o prisioneiro. Era uma manhã uente e húmida de Maio em Nan Dinh. para sua desilusão. Isso não lhe agradou. 0 tenente disse que preferia arriscar-se a morremos pântanos A segunda pessoa a entrar na cela foi o padre. o preso emergiu do corredor escuro para a luz forte da manhã. E ele. cada um deles. Mas . Bolchenkov não acrescentou como tinha sido difícil arrastar até ali as poucas pessoas presentes no Crucifixo nessa manhã. No meia da noite. Quando chegou ao prim eiro degrau de madeira. Alguns minutos depois. Este foi o sinal para que dois dos rufiões avançassem. Alguém teria de s ruir de exemplo e. A seguir estavam três homens que reconheceu imediatamente. faziam-no parecer estranhamente anónimo. o mesmo tenente aproximara-se da sua cama e dissera que tinham de tentar fugir. 0 oficial vietcongue tinha-se rido e aceitado a ófer ta.

elebaixou os olhos eolhoufixamentepara o presidente da República Russa." "E o meu amigo?" "Há já dois dias que está a pé. de modo a ficar directamente por debaixo da corda. Mergul haram abaixo da superficie do pântano mas. perdeu os sentidos. à vez. sem grande entusiasmo. Eventualmente. pergu ntando a si próprio quanto tempo o deixariam ficar junto da sepultura. Quando lhe pareceu que estava bem escrita. Sergei seguiu ao lado deles. Quando 0 Sol surgiu acima do horizonte algumas horas depois. Sergei correu para os mudar a baixar o seu amigo para o tosco caixão de madeira que gstava no chão ao lado do cadafalso. À segunda badalada. alguém colocou uma mão no ombro do a enfrentar a certeza da morte por fuzilamento. ao fim do dia mais longo da suavida. o tenente o carregara através da selva até à segurança. À oitava. o chefe colocou um braço sobre um jovem cabo que tinha dado um passo em frente para arrastar a criança para fora dali. À quinta. naquele maldito país. Sergei caiu de joelhos. Alguns dos presentes acompanharam-no. Alguns minutos mais tarde. Os homens que carregavam o caixão pararam junto de uma sepultura não marcada que out ros presos tinham acabado de cavar. Quatro presos colocaram o pesado caixão ~ cim~dos ombros e dirigiram-se para o cem itério. disse ela. ainda se via ocampo. Passou o resto do dia sentado na cama do hospital a escrever e rescrever a menção honrosa. Nem sequer os mortos conseguiam sair do Crucifixo. Na décima segunda manhà. 0 chefe acompanhou o presidente de volta à sua limusina e o desfile automóvel saiu v eloz ente dos portões da prisão. Asétima. os gua rdas levaram os presos de novo para as suas celas. o preso sorriu para Sergei como se este fosse o seu único filho. À quarta. chegaram a terra seca e ele. Já veio visitá-lo esta manhã" Voltou a adormecer e. À terceira. teria visto o resto da multidão a passar os portõe s da prisão a correr.Atravésdopântanomalcheirosoeinfestadodemosquitos. "Seis dias". mas ele recusara-se. Zerimski começou a aplaudir. atiraram a terra recent emente cavada para cima dele. Ele suplicara ao tenente que continuasse sem ele. o rapazinho que tinha estado a chorar correu para os pés do cada falso e caiu de joelhos. Quando ele desapareceu na noite. mesmo antes de a tampa do cair ter sido pregada. eles conseguiam ouvir o riso dos guardas que disparavam. depois. Não comeram durante onze dias e doze noites. o carrasco puxou a alavanca e o alçapão abriu-se. Deixaram cair o caixão sem cerimónias no buraco e. quando ac rdou. "Tem sorte em estar vivo. os dois rufiões tiraram o corpo sem vida da forca. o capitão acompanhou-o. sobre eles. Mas o jovem oficial seguiu sempre em frente. os dois rufiões empurraram-no para a frente. relutante. Um momento depois. o carrasco colocou-lhe o laça da corda à volta do pescoçó. desejou ter enfrentado o pelotão de fuzilamento em vez de m orrer naquele maldito pântano. Um minuto depois. antes de estes serem fechados e as enormes trancas de madeiras colocadas de novo no seu lugar. No fim do segundo dia. Se Sergei tivesse olhado para trás. Soube mais tarde que. após apenas alguns segundos. 0 rapaz ficou imóvel até terem terminado a tarefa. pediu que fosse enviada ao comandante . A única coisa de que se lembrava era de acordar num hospital militar. "Há quanto tempo estou aqui?". perguntou à enfermeira que tratava dele. exausto e doente. pediu à enfermeira que lhe trouxesse papel e uma caneta. durante quatro dias.JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO !89 À primeira badalada. sem sequer uma oração nem mesmo uma pausa. sobrevivendo apenas com a água das intermináveis chuvadas. um arrepio percorreu-lhe o corpo e os seus pensamentos voltar am-se para o presente. do pátio até um terreno mal cuidado nas traseiras da prisão. a noite caiu. tiveram de vir à ton a da água e continuar a caminhada. Quando o corpo de Christop her Andrew Jackson baloiçou por cima dele. À sexta.

a seu lado.Eu conheci o homem por quem ele deu a vida-disse ele. -Joan. quebraria o contrato.Fala-me sobre ele . .0 director-adjunto carregou no botão Play do grava dor e recostou-se na cadeira. no meio de Maggie e do pai desta.disse Gutenburg. .E que pergunta foi essa? -Talvez gostasses de a ouvir. . .perguntou Dexter. . estão sob escuta há um mês e que temos agentes a vigiá-la desde que o marido partiu de Dulles. sim.Eu também. Não precisas de me provar que és inteligente.a Fitzgerald não é tão esperta como julga . -Deixa de te armarem esperto-disse Dexter-e vai direito ao assunto.disse ela.respondeu Sergei.Ele fez deslizar um dossier e um gravador por cima da mesa.Porque me deste instruções para descobrir se Fitzgerald tinha conseguido um empreg o que o mantivesse em Washington. embora eu saiba mais ou menos onde é que ele está . . Quando começou a subir os degraus do cadafalso.A Sr. se ele soubesse.Isso significa que já tens o vídeo ? .Conhecia. . .Mas não exactamente onde.Por que diste a essa festa? .Ouviram-se passos a afastar JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 191 -se. . dis sera ele uma vez a Jackson.Chris Jackson? . "Têm de compreender".perguntou o chefe. retomarmos as informações isoladamente. Por isso. . explicara ele "que estão a lidar com um homem de palavra. Um homem justo. 190 rapaz. -Aquele homenzinho bem-falante que saiu sem se despedir? 0 que disse que trabalh ava em aéórdo de perdas? Gutenburg desligotye-gravador. Não te esqueças que foi a filha dele que nos . Infelizmente. preciso do nome de alguém que não esteja às escuras. e ouvira ler a menção honrosa. Gutenburg sabia que isto era o mais próximo que alguma vez estaria de receber um e logio da directora. A directora ignorou-os.Não. 0 chefe acenou a cabeça em sinal de assentimento.Então. de pé. Ele levantou os olhos e viu o chefe. .Conhecia-lo bem? . -A Sr e Fitzgerald não sabe que os telefones. certifiquem-se de que ele só venha a descobrir que foi enganado depois de o relógio ter dado as oito horas. . Houve outro longo silêncio. -Então. 0 tenente Connor Fitzgerald dera um passo em frente. a conversação f oi irrelevante até um pouco antes de ela se ter levantado para voltar ao trabalho. en tão. tanto da sua casa como do seu gabine te.Sugiro que dês uma vista de olhos à lista de convidados da festa de despedida de C onnor. Fez uma pa usa. num tom ríspido. pensou no homem que choraria a sua morte quando descobrisse a verdade. Seis meses mais tarde. Foi nessa altura que ela fez uma pergunta à Bennett.Durante o almoço da Sr ~ Fitzgerald com a Joan Bennett no Café Milano. Sem açúcar. como já te expliquei. Ele avisara-os de que não lhe dissessem porqu e.. Seguiu-se um longo silêncio antes de Joan dizer: . .. . mas há uma coisa que eu pr eciso de saber.disse Gutenburg.. . .Os amadores raramente são . . ele estivera na relva da Casa Branca. rir . há três semanas. começando a soar um pouco irritada. .Era meu sócio. . ele já não trabalha na Empresa. que descobriste? -Não muitacoisa.Gostava de ter um amig o assim.Espero poder ser útil mas.disse Helen Dexter. . entregar-se-ia e voltaria ao Crucifixo. Mas se as juntarmos todas. . se diz respeito a Connor. e o presidente atribuíra-lhe a Medalha de Honra. elas começam a formar um quadro.Não. eu esto u tanto às escuras como tu. eu nunca te pedi que quebrasses um segredo.

altura em que fez várias chamada s telefónicas.Olá. . temos de nos certificar de que elanunca irá descobrir.Eu julgo que nào . .Caso contrário. às duas da manhã. -Então. decidi levar o vídeo que fizeste na sua festa de . quando ela não apareceu. Esta parece um pouco sonolenta. ".Compreendido. A história foi a notícia de abertura do noticiário local.perguntou Dexter. ela morreu num acidente de viação. .Eles conhecem-se há muito tempo. num tom de incredulidade.disse Gutenburg.a Fitzge rald. _ as que estás a ficar um pouco para nóica? Afinal de contas. Tenho a certeza de que te recordas das circunstâncias.Que se passa quanto a isso? . . -Por que é que ela fez isso.Quando Joan Bennett telefonou à Sr.Sem dúvida .elenãoteveessapossibilidade-respondeuGutenburg. Lloyd. Quando teve a certeza de que era Bennett quem estava no automóvel. mamã. . Depressa se tornou óbvio que ela deve ter encontrado qualquer coisa q ue a fez desconfiar que o homem que estava preso em Sampetersburgo era o seu antigo chefe. foiJackson querecomendou Fitzgerald para a Medalha de Honra e que o recrutou como NOC. impaciente.Olá. 23 l92 .. Mas.A Sr. -Infelizmente.Podes ter razão mas. se sabia que ele já não trabalhava para a Empresa? . De facto.disse Dexter..P ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 193 -Desculpa telefonar tão cedo. A directora franziu a testa. . Que horas são? JEFFRF. desconfio que ela teria tent ado contactar com ele há mais tempo. ela nunca chegou a encontrar-se com a Sr. um dos meu s homens verificou que ela tinha estado a consultar o computador da biblioteca de referência. mas isso é porqu e ainda eram cinco da manhã na Califórnia. -Concordo. . . mas tenho uma notícia muito triste a dar-te. E a mãe. é. . querida. -Ele voltou a inclinar-se para a frente fiara tocar no botão Play do gravador. Mas não posso fazer nada a esse respeito antes de deitar a mão ao víde o caseiro. ela nunca faz chamadas pessoais do escritório. . foi isso que calculámos.Nós bloqueámos o telemóvel dele ass im que descobrimos que estava na Rússia. que não vem na lista.Joan morreu? Não posso acredi tar.perguntou Dexter. identificar quem está a tentar telefonar-lhe e a quem ele está a tentar telefonar.Isso significa que descobriste a quem ele está a dar informações? . Ele e o Fitzgerald combateram juntos noVietname . -Ainda podemos.Não é o papá? -Não.Que aconteceu depois de a Sr ~ Fitzgerald sair do Café Milano? -Nada de especial até regressar a casa nessa noite. . .Não teríamos avançado nem um centímetro se não fosse umapista obtida numa chamadatelefónic ainterceptada. é Joan Bennett.Jackson falou-lhe de ti? . Tara. telefonou imediatamente à filha.respondeu Gutenburg. a Sr fl Fitzgerald foi até à George Washingto n Parkway e esperou até a Polícia trazer o carro para terra. Gutenburg não manifesto u qualquer emoção. .0 nosso amigo Sr. . .Sorriu.edesconfioquesóofezporqu eeraumaemergência.Então. incluindo uma para o telemóvel de Chris Jackson.Um pouco demasiado ã risca. -Para quem telefonou ele?-perguntou Dexter. o pap ó está fora há três semanas.deu a pista que tornou possível convencer Thompson que talvez não fosse sensato darlhe um emprego. sem dúvida.Era um número da Casa Branca. .a Fitzgerald sabe que Jackson está a informar directamente a Casa Branca? . em Stanford. . Dexter nem sequer pestanejou. . Mas. . porém. como sabes. para dizer que estaria em casa dela dentro de uma hora. -Não. . E tenho uma sensação horrível de que a sua morte está de algum modo rela cionada com o motivo por que Connor ainda não voltou. Dexter acenou a cabeça em sinal de concordância. mesmq assim.Ela provavelmente viu as notícias na TV ou ouviu-as na rádio . -Sim.Jackson só marcou um número nessa linha desde que chegouàRússia.a Fitzgerald de Langley. Diz-me que não é verdade.

a Sr . .Exactamente . como tencionas encontrar esse vídeo? . senão tornam-se demasiado notados. .disse Gutenburg. mas passou primeiro pela biblioteca.Aconversaprossegue durante algum tempo. . Quando a Sr. onde. por isso.Patrulha de Lixo da Universidade de Georgetown.Quantos vídeos se encontram nessa categoria? . -Quando saiu da biblioteca.Óptimo. Desta vez.. Ao fim de alguns minutos. demoraria demasiado tempo . haveria um escândalo.. . Ela deitou a listagem no conte ntor do papel.disse Gutenburg. . mas trazia a listagem.despedida para um local mais seguro. Já não trazia a cassete. .Deve tê-la deixado no centro audiovisual.Ela tinha apagado tudo. o agente que escutara a c onversa apercebeu-se do significado do que acabara de ouvir e seguiu-a até à Univers idade. .Claro . apesar de andarem todos vestidos como e studantes. felizmente.disse Gutenburg.Eu pensei nisso. .Assim. Odirector-adjuntocarregounobotãoStop. Depois. . 0 problema é que.respondeu Gutenburg.Mais uma vez. Dexter não o interrompeu.Passouvinteminutos a pesquisar alguma coisa num dos computadores e saiu com uma listagem de cerca de doze páginas . . -Antes de ir para o seu gabinete.Quantas cassetes a universidade tem na biblioteca? . . esp .Vê-las todas.Então.disse Dexter. quanto mais que trabalhou para ele.a Fitzgerald saiu do edificio. Não é por acaso que ela é directora-adjunta da PLUG. . ela não trazia o vídeo. os seus princípios levaram a melhor. E o que é que encontraste nela? . . 0 nosso a gente seguiu-a até à Secretaria. a Sr ~ Fitzgerald passou pelo centro de recicl agem.disse Dexter. . mas. . claro . mas não acrescenta grande coisa ao que já sabemos. mas se um estudante ou um funcionário curioso se apercebesse da presença da CIAno compus. quando viu em qu e andar ela parou. apanhou o elevador para o centro de investigação audiovisual no rés-do-chão. . nem deixá-los ir lá mais de duas vezes por dia. Ela não foi directamente para a Secretaria.Mandei uma dúzia de agentes escolhidos a dedo.Isso seria se a Sr ~ F itzgerald não tivesse cometido o seu primeiro erro. verificar todos os títulos da lista até encontrarem um vídeo caseiro numa caixa que deveria estar vazia.I i l9d JEFF'REY ARCHER 0 DÉCIMO PRIhIF. 0 agente não quis arriscar-se a ir com ela no elevador.Ela não pode ter vivido com Connor Fitzgerald durante vinte e oito anos sem ter aprendido qualquer coisa sobre o nosso modo de trabalho.Mais de vinte cinco mil disse Gutenburg.Uma lista completa dos vídeos actualmente requisitados e que provavelmente não dev erão ser devolvidos antes do início do próximo período lectivo. foi ao computador em que ela tinha estado a trabalhar e tento u chamar o último ficheiro que ela tinha aberto. ela deve ter achado que era seguro deixar o vídeo numa caixa vazia.0 agente saiu da biblioteca e esperou no carro.disse Dexter.Foi isso exactamente que pensei .Quatrocentos e setenta e dois . 0 D+uimo IiSmeira M~andumenlo. não posso deixar nenhum na biblioteca durante mais de vinte minutos. todos eles formados há pouco tempo. . porqu e ninguém iria dar com ele durante as próximas semanas. não se sabe o que era.Porquê? -Porque é a única prova que eu tenho que o teu pai conhecia um homem chamado Nick Gu tenburg. Dexter ergueu uma sobrancelha. . . i ndo primeiro à secçãodoscomputadoresnoprimeiroandar.IRO MANDAr~FENTO I95 .Suponho que os requisit aste todos.Tens razão .a Fitzgerald saiu de casa alguns minutos mais tarde com uma cassete de vídeo.PLUG? .

. sem dizer uma palavra.. . . Não precisou que lhe dissessem quem iria sentar-se ali. mas calculo que levará um dia ou sois. Tens a certeza absoluta?. onde o fechou à chave. Nessa altu ra. seguidos de outra porta a abrir-se. mas seguiu atrás dele o mais depressa que pôde.Quando é que isso aco nteceu?.disse a directora. voltariam para a cela. mas foi apagada segundos depois de ela ter pousado o auscultador. Por isso. Bolchenkov fechou a porta à chave e. Llv>~o III 0 Assassino Contratado 24 Às sete da manhã. os tre"s rufiões entraram na cela e levaram-no ao gabinete do chefe. conseguia ficar parecido com um dos milhares de polícias que andariam a fazer a ronda em Sam petersburgo nessa manhã.ecialmente porque nesta altura do ano há pouca gente.`' Fitzgerald também tenha gravado a conversa telefónica que teve contigo.Eu não esqueci. .Não te esqueças que tens de contactar a Sr ~ Fitzgerald daqui a menos de quarenta e oito horas. . a porta abriu-se e Bolchenkov fez-lhe sinal para sair. Quando ele e Bolchenkov 198 .Ela gravou. três no máximo.perguntou Gutenburg. arrastando algo ou alguma coisa para fora do gab inete e batendo com a porta atrás de si. entraram ruidosamente no gabinete. olhando para o seu adjunto. e a roupa ficava muito larga. com ar ansioso. Aprimeira coisa que viu quando chegou ao pátio foi o cadafalso. Minutos mais tarde. Devias ter visto o prazer com que o Prof. No interior estava uma fa rda de polícia. depois passos. Deixou o uniforme de prisioneiro no fundo do armário. -Adirectora-disse ela. hora de Samp etersburgo. Atrav essaram o gabinete e o corredor. pelo que se sentiu grato pelos suspensórios. . Ziegler demonstrou o seu mais recente brinquedo. M as com a ajuda de um chapéu de aba larga e de um casaco comprido azul.. -PorqueMitchelldisse-mequeoFitzgeraldfoienforcadohoje às oito da manhã. Depois de eles terem saído. perguntando a si próprio como é que o chefe se iria ver livre dele.Quando tempo achas que eles demorarão a encontrá-la? -Podemos ter sorte e enco$~trá-la quase imediatamente. quepartiu de Francoforte com destino a Washington. Connor sentia as pernas fracas. e ela atendeu sem compl etar a frase.Porquê? . Ainda sem dizer uma palavra. Gutenburg reparou que o cronóm etro tinha chegado aos quarenta e três segundos. . sentado no outr o lado da secretária... mas ele virou à direita. possivelmente três pessoas.Espero sinceramente que encontres essa cassete de vídeo dentro das próximas quaren ta e oito horas . . dirigiu-se a um armário situado a um canto. que poderia ter sido o armário do gabinete do chefe. Se ~. . carregando num botão do seu cronómetro.. Mas se encontrarmos a cassete antes. . ele fez sinal a Connor para que a vestisse.Excelente -disse Dexter -Telefona-me assim que deitares a mão ao vídeo. chefe virasse à esquerda. Ficou imóvel enquanto tentava descobrir o que se passava.0 telefone vermelho em cima da secretária começou a tocar. este exercício está a ser bastante moroso. em frente da qual tinha sido colocada uma magnífica cadeira dourada luxuosamente estofada de vermelh o. Gutenburg sorriu. E Jackson? Onde está ele?-Quando ouviu a resposta. e que Jackson acabou de embarcarnum vooda UnitedAirways. Após um longo silêncio.Anão ser que a Sr. Saíram ao fim de alguns segundos. Bolchenkov conduziu-o para fora do gabinete e levou-o para uma pequ ena antecâmara. Na última semana perdera peso. ela pousou imediatamente o auscultador.. A primeira porta voltou a abrir-se e duas. não haverá nada que nos impeça de eliminar a única pessoa que poderia ainda. Connor ouviu uma porta abrir-se. não será necessário.

seria obrigado a explicar porque é que tinha a cabeça coberta de marcas parecidas com as do Gorbachov.0 seu voo parte da Porta 11. Nenhum deles manifestou o menor interesse no motorista. onde se sentou numa cadeira ao canto da sala.parecendosaberéxactamente para onde ia.disse uma voz pelo intercomunicador. A mala nova. Connor reparou que um grupo de polícias vestidos com casacos a zuis compridos iguais ao que ele trazia vestido estava a trazer transeuntes da rua. Chris era três anos mais velho.Esta é a primeira chamada para o voo 821 da Finn Air para Francoforte . Saíra do carro da Polícia e dirigira-se o mais depressa que pôde ao BMW que o aguardav a. presumivelmente para presenciarem a execução. Embora a fotografia de Jackson tivesse sido substi tuída pela sua. Só algum tempo depois é que Connor compreenderia plenamente o significado daquelas p alavras. Sr. a manga ter ia subido e revelaria o número tatuado no pulso. -Obrigado-disse Connor. Connor não estivera descontr aído um único momento. Con nor estava prestes a abrir a porta do passageiro quando Bolchenkov sacudiu a cabeça e apontou para o lugar do condutor.0 senhor tem o privilégio de ter um amigo notável. Connor sentou-se atrás do volante. . Entregou o passaporte com a mão direita . Começou a dirigir-se lent amente às Partidas. nem paréceu dar pela sua presença. compraria uma bracelete mais larga. virada para a saída que ia ter ao avião.FI~REY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMfìN"l'0 199 Connor acenou a cabeça em sinal de concordância. 0 funcionário limitou-se a passar os olhos pelo passaporte antes de o deixar passa r. partiriam simplesmente do princípio que era membro de uma seita. Se lhe pedissem que tirasse o chapéu. Tentou recordar-sedetudooqueaconteceradepoisdeseters eparadodeBolchenko v.se tivesse usado a esquerda. o motorista ignorou o atravessavam o pátio. Pegou nela e dirigiu-se à Porta 11.Em que direcção? . Enquanto saía do carro. -Vá até ao portão e depois pare-disse o chefe ao sentar-se no banco do passageiro. enquanto 0 outro ol hava pela janela de trás e inspeccionava a mala. 0 BM4V entrou na estrada vazia e afastou-se rapidamente da cidade. . Se lhe tivessem dita a verdade. ele nunca teria permitido que Chris tomasse o seu lugar. 0 embarque será daqui a vinte minutos. parando e m frentededois guardas estacionados junto do portão fechado. os guardas voltaram para as suas posições e fizeram novamente continência a Bolchenkov. 0 chefe já ia de novo a caminho do CrucifixoquandoConnorentrouparaobancodetrásdoa utomóvel e se sentou ao lado de um jovem pálido. . Nem elevem nenhum dos homens sentados no banco da frente. Quando chegar am à auto-estrada.murmurou Connor.JI. 0 chefe dirigiu-se rapidamente a um automóvel situado no outro extremo do pátio. Nas vinte e quatro horas decorridas desde que saíra do Crucifixo. pegando no seu cartão de embarque. vestidos de modo sem elhante.Para direita. . contendo apenas uma muda de roupa e um saco de toilette. vestido com um casaco comprido de caxemira . Jackson. Connor não se moveu. A tranca de madeira foi retirada e os enormes portões da Prisão do Crucifixo foram abertas. falou. -Avance-disse o chefe em voz baixa no momento em que um rapazinhoentravaacorrern aprisão. Na Califórnia. Quando chegasse à América. Quan do terminaram a busca. em direcção ao cent . Connor atravessou a estrada e começou a conduzir ao longo do Neva. fazendo votos para que o funcionário não examinasse demasiado atentamente o seu passaporte. seis centímetros mais baixo e careca. passou pela segurança sem percalços. Connor manteve o carro em primeira enquanto atravessou lentamenteopátio. Um deles fez continênci a ao chefe e começou imediatamente a verificar debaixo do veículo. o chefe acres centou: . 0 chefe inclinou-se e puxou a manga do pulso esquerdo de Connor para baixo.

. depois para cinque nta. uma tabuleta d isse a Connor que estavam a 150 km da fronteira com a Finlândia. Quando 0 BMW estava a cerca de trezentos metros da terra-de-ninguém que dividia os dois países. Vestiu-se com a roupa que tinha sido deixada em cima da cama. Embora as calças fos sem demasiado curtas. Dominado subitamente pelo sono. Connor começou a perguntar a si próprio como é que eles iam explicar a presença de um polícia russo aos guardas da fronteira.Atravesse a próxima ponte . À medida que a distância nas tabuletas diminuía para cem quilómetros. . Olhou para a tigela de caldo quente e para os três pãezinhos e lambeu literalmente os lábios. 0 comissário de bordo limite de velocidade. . a camisa e o casaco assentavam-lhe bastante bem. Connor permaneceu no mesmo sítio. depois trinta. até que Bolchenkov disse: . Bateram suavemente à porta e a chave rodou na fechadura. 200 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 201 ao lado da cama.Abrandou e parou o automóvel atrás de um enorme BM4V branco que tinha a porta de trás aberta. Solicitase a todos os restantes passageiros que se dirijam ao avião. aos pés da cama. Fitzgerald-disseBolchenkov. embora de vesse ter perdido pelo menos cinco quilos enquanto estivera na prisão. grosso. Connor sentou-se e rasgou o envelope. do outro lado do rio.Façamos votos para que n unca nos voltemos a encontrar. Connor passou vários minutos a tirar o fedor do Crucifixo do corpo. Como é que Bolchenkov iria res olver o assunto? Connor conduziu durante mais de duzentos metros. Quando se olhou ao espelho. a olhar para ele. nenhuma explicação parecia ser necessária. . Levantou os olhos para o jovem russo. ao fim de algumas colheres de sopa e de ter devor ado um dos pãezinhos. Não se via mais nenhum carro. Co ntinha um bilhete de primeiraclasseparaoDullesInternational. depois dez. Sentou-se e começou a atacar a comida mas. atrás desta. deixou-se cair em cima da cama. "Partimos para o aeroporto daqui a vinte minutos". Com a ajuda de um sabão áspero e de um fio de água morna. ~~Que significa isto" "Significa que ainda está vivo".ro da cidade. Mas o número tatuado no pulso ficaria com ele para o resto da vida. viu que as cicatrizes da cabeça demorariam a sarar e que o cabelo levaria algum tempo a voltar ao seu tamanho na tural. disse ele. Contu do. Colocou-a numa mesinh a e saiu antes de Connor ter oportunidade de lhe agradecer. Sr. Abriu o passaporte e leu o nome: "ChristopherAndrewJackson" por cima de uma foto grafia sua. u m chuveiro ferrugento.mildólaresamericanos e um pas saporte americano. A barreira da fronteira abriu-se imediatamente.disse Bolchenkov -. Quando eram oito horas no relógio do tablier.paraengrossaremapequ enamultidão que já se juntara para presenciar o seu enforcamento. atirando um envelo pe castanho. depois vire na primeira à esquerda . Connor dirigiu-se ao funcionário da porta. .Esta é a terceira chamada para o voo 821 da Finn Air para Francoforte. Connor olhouparaos seus muros a ltos. Num canto do quarto havia uma cortina de plástico e.Pare aqui. . para cima da cama. ficou cheio. Solicita-se a todosospassageirosqueocupemimediatamente os seus lugares. o motorista fez sinais de luzes quatro vezes. disse Alexei Romanov. entregou-lhe o cartão de embarque e segui u para o avião. Deve ter adormecido porque aquilo de que se recordava a seguir era de acordar e ver o jovem pálido de pé. -É aquique nos separamos. Secou-se com d uas toalhas da loiça.Esta é a última chamada para o voo 821 da Finn Air para Francoforte. Quando passaram pela prisão. A mulher que se encontrav a junto à porta quando chegaram entrou com uma bandeja na mão. Ospolícias aindaestavam atentar convencerpessoasaentrar.

que fingia estar a ler. . Primeiro. t inham-no enviado para a Rússia para salvar sua própria pele. que parecia pertencer ao século passado. por que ela poderia ter passado algumas informações a Maggie. Em nome da Delta Airways. ma is uma vez. . Quanto tempo lev ariam eles a decidir se a própria Maggie se tornara um risco demasiado grande e que era preciso matá-la? . Connor olhou para a paisagem. tinham assass inado Joan. A porta fechou-se com força atrás de si e ouviu mais uma chave rodar em mais uma fechadura. Maggie não gostava do líder com unista. por isso desceu do banco e dirigiu-se aos telefones mais próximos. Não reparou nos dois homens que ocupavam uma mesa no canto oposto. Connor continuou sem se mexer. 0 pessoal de cabina deve preparar-se para a aterragem. Ele ignorou a mulher encolhida de medo e entraram. Já temos autorização para aterrar no Aeroporto Internac ional de Dulles.Fala-vos o vosso comandante. não teria visto o terceiro homem que estava mais interessado nela do que no ecrã das c hegadas para que estava a olhar. Começou a pensar que o destino seria Helsínquia. Solicita-s e a todos os passageiros que se dirijam ao avião. A seguir. Mas. 0 jovem alto saiu rapidamente do carro e conduziu Co nnor para dentro de casa. viraram para uma estrada secundária. Vinte minutos antes da hora prevista para a chegada do avião já ela tinha tomado o t erceiro café. sentou-se num banco e mandou vir um café e um croissant. estavaalerosuplementosobreaRússia. Uma porta abriu-se mesmo antes de eles terem parado. um dos quais também tinha um exempla r do Washington Post. com um ar desconfortável. Con nor seguiu-o por um lance de escadas acima até ao primeiro patamar.publicadoe mantecipação da próxima visita do presidente Zerimski a Washington. Quando mandou vir o segundo café. Um dos guarda-costas estava no pátio. olhando para o relógio de poucos em poucos min utos. Pensou em Dexter e Gutenburg. Maggie leu o Post de ponta a ponta. Afastou-se da janela e reparou que um conjunto completo de roupa e um chapéu de pele de coelho tinham sido estendidos em cima de uma cama peq uena.Esta é a segunda chamada para o voo 821 da Finn Air para Francoforte. 0 automóvel reduziu a velocidade enquanto o motorista evitav a buracos e fazia curvas sem visibilidade que os levavam cada vez mais para o interior do campo. dou-vos as boas-vindas aos Estados Unidos. Quarenta minutos depois de ter saído da auto-estrada. Connor olhou para n seu passaporte aberto. Connor despiu-se e atirou a roupa para cima de uma cadeira 202 JEFFREY ARCHER D DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 20 estava determinado a fazer que o seu gesto não tivesse sido em vão. Comprou um exemplar do Washington Post na papelaria e dirigiu-se ao café mais próxim o. 0 russo abriu uma porta e Connor entrou no quarto. a olhar para ele.Verificou o ecrã das chegadas e ficou satisfeita ao ver que o voo de São Francisco deveria aterrar a horas.permitindo-lhes atravessar a fronteira para a Finlândia sem sequer reduzir a veloc idade. Ninguém no interior do automóvel tinha dito uma palavra desde o início da viagem e. Atravessou o quarto e olhou pela única janela. foram as tabuletas da estrada que deram a Connor a única pista sobre para onde se dirigiam. coberta por uma espessa camada de neve. por mais que ela olhasse. Ele já tinha visto os outros dois homens no canto . Connor estava a começar a compreender a dimensão da influência da mafia russa. que deviam supor que ele estava morto. mas um a dúzia de quilómetros antes de chegarem aos arredores da cidade. o automóvel virou e entrou no quintal do que parecia ser um casa de quinta deserta. Christopher Andrew Jackson estava de regresso ao seu país. 25 Maggie chegou ao Aeroporto de Dulles com uma hora de antecedência-umhábitoquecostuma vairritarConnor.

Afastou-se rapidamente do seu acompanhante. incluindo dois boiões de compota de laranja. Jackie-disse Maggie. Quando acordou.Só estou a telefonar p ara saber se está tudo bem? . Estremeceu ao pensarque qualquerdesserufiõespud esse tocar em Maggie ou em Tara.acrescentou ela num tom sincero.. enquanto o terceiro se esgue irou de sombra em sombra.. antes de aterrarem em Washington. Prometonãovoltar a incomodar-te. Alguns momentos mais tarde. mas também entregá-la e certificar-se de que o contrato era cumprido. recordas-te? A universidade está de férias. Enquanto passava por cima dos pés do seu acompanhante.disse uma voz que tentava não soar demasiado exasperada -. Connor localizou imediatament e o agente da CIA. "Mas para quê?". carregou no botão do braço da cadeira. Sr. os seus pensamentos voltaram-se para Chris Jackson e para o sacrificio que este fizera. pela primeira vez em vinte anos. -Desculpa. Connor não precisou de pr ocurar o lugar da janela da quinta fila. . eles cumpririam a ameaça que o chefetinhatãovividamente descrito. Connor sabia que seria fácil livrar-se do seu guarda quando estivesse no seu próprio território. lançadores de dardos e a dependência dos finlandeses da economia russa. Dirigiu-se lentamente à porta das chegadas e juntou-se ao número crescente depessoas . e não quero falar contigo antes do final de Janeiro . reclinou o assento e começou a pensar em Maggi e. Jackie-disse ela. se tentasse fugir. Connor deixou o prato vazio e depois passou o tempo a ler a revista de bordo da Finn Air. ninguém vai voltar antes do dia catorze de Janeiro e. mas só se descontraiu quando o aviãolevantouvoo. Durante o voo para a Alemanha. .Não. estavam a servir uma refeição ligeira.Maggie . Não melembrei queeratãocedo .são sete da man hã e eu ainda estou deitada. Maggie pousou o auscultador. Tu telefonaste ontem. verificou o número do lugar e apontou para a secção da frente. -Bom dia. regressando vinte minutos depois. porque o jovem russo já estava sentado na coxia. -Eu não queria acordar-te.Dois homens seguiram-na quando saiu do restaurante. para alívio óbvio de Romanov. mas ele sabia que. Assim que ahospedeira tirouotabuleiro. N essa altura. uma hospedeir a perguntou: . Quan do o avião aterrou em Francoforte. Jackson? . Na última hora. 0 voo 777 da United Airways partiu para Dulles à hora prevista. Era óbvio que a sua missão não era apenas l evantar a encomenda. ao fim de três ano s como tua adjunta. Connor conseguiu c omer a maior parte do primeiro e do segundopratos do almoço. com o cinto de segurança apertado. quando a sua adjunta atendeu. Connor sabia que nunca lhe poderia pagar. sou perfeitamente capaz de tomar conta do teu gabinete na tua ausência.Um bom Natal para ti. -Eu espero que Connor volte depressa e que a Tara e o Stuart te mantenham ocupad a durante as próximas semanas . Repreendeu-se a si própria e decidiu que só lhe voltaria a telefonar no Ano Novo. Deve ter sido a única pessoa no avião a comer tudo o que lhe puseram à sua frente. Como ele invejava o facto de ela conseguir sempre. começou acompenetrar-se de que tinha realmente fugido. a não ser para c omer algumas garfadas da refeição que colocaram à sua frente.Deseja que guarde o seu chapéu. Olhou para a sua esquerda: a partir de agora e até ter cumprido a sua parte do acordo. estaria alguém com ele noite e dia.disse Jackie. mas 204 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 205 Ela marcou o número de um telemóvel. Recostou-se no assento confortável. compreendendo que só estava a tentar fazer passar o t empo e que não devia ter incomodado Jackie. perguntou a si próprio. ele sabia tudo sobre saunas. Romanov não abriu a boca uma únicavez. obrigado. Quando entraram na sala dos passageiros em trânsito. adormeceu num avião.

E j á não tenho a certeza se vou querer voltar para a Austrália. otransportadorcom onzeToyotasnovos emfol haencostoueparou . .respondeu Stuart. .era o primeiro passageiro a sair do "olho vermelho> . Fitzgerald . Um do s três homens carregou em onze números do seu telemóvel e transmitiu a informação ao seu sup erior em Langley.disse Stuart. ela sorriu. Pegou numa das malas de Tara e conduziu-os e m direcção à passagem subterrânea que ia dar ao terminal principal.Não achas que é altura de comprares uma coisa mais moderna para substituíres este fe rro-velho. Maggie. . Maggie não respondeu ~~Também eu". . é só. e já foi em segunda mão. .Em todo o caso -disse Maggie. Maggievoltouasorrirquandoumhomemcomumbonédos49s emergiu da pista . Sr e.Exactamente . o teu pai acha que devemos conservá-lo até ele começar o novo emprego. contentando-se em dizer: . Stuart.Espero q ue consiga tolerar-me esse tempo todo.disse Tara com uma gargalhada. . onde os primeiros voos da manhã estavam a descolar e a aterrar.que espreitavam através das janelas para a pista. Maggie sorriu-lhe. . a mamã obrigaria os alunos a matricular-se na Universidade de Georgetow n no momento da concepção. A referência a Connor provocou um momento de embaraçoso silêncio. ao mesmo tempo que Maggie ligava a ignição. Os outros dois estavam a atravessar o parque a correr.Eu ainda andava na liceu quando o compraste. .sem adicionar~mvindodaAustrália . .Eu só tenho de estar ao serviço no dia cinco de Janeiro .Esta é.Se pudess e. a tua primeira visita à América. . Stuart? -Se achas que ele já cá esteve demasiado tempo. podemos dar meia volta e apanhar o p róximo avião de regresso-disse Tara.Por que é que nunca pensei nisso? .Eu sei.Nós já temos advogados suficientes a ganhar demasiado dinheironosEstadosUnidos. . . um de cada vez. . . Nuncavira afilha comum artãoradioso.Nenhum carro com treze anos é seguro na estrada . fingindo-se horrorizada. Um dos homens que a tinha estado a observar já estava à espera no parque de estacion amento. Stuart dirigiu-lhe o enorme sorriso que se tinha tornado tão familiar durante as suas férias na Austrália. Pouco depois de o car ro-patrulha se ter afastado velozmente. Três homens que não estavam a verificar os logot ipos de todos os aviões que chegavam continuaram a observar Maggie enquanto ela esperava que o quadro confirmasse que o voo 50 da United proveniente de São Fr ancisco tinha aterrado. . sentado no banco do passageiro de um transportador Toyota.disse Stuart. Quando a mensagem finalmente apareceu. ignorando o comentário da filha -. 20G JI:PFRGY ARCHER 0 DIíCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 207 -Um Toyota avariou-se e precisa da sua assistência imediata.Estou ansioso por voltar a ver o seu marido. com um carreg amento de onze automóveis novos.disse Maggie. -E maravilhoso ver-vos! -disse ela. mamã? -perguntou Tara.0 Toyota é o carro mais seguro na estrada .Não. portanto.disse Maggie num tom sério. em que terá direito a um carro da empresa. eu não queria dizer isso. Tara e Stuart saíram para o ar frio da manhã e dirigiram-se ao carro de Magg ie.Quando vais ter de voltar a casa... Maggie abraçou-os.respondeu Tara. Teve de esperar mais dez minutos até Tara e Stuart passarem aporta.disse Tara. enquanto estavam na fila para pagar o estacionamento. . tu gostas de fazer planos .Um facto que é confirmado regularmente pelo Jornal do Consumidor. sentindo-se mais feliz do se sentira durante as últimas semanas . sentando-se no banca de trás. Assim que viu Maggi e. .

Quando Maggie olhou outra vez pelo retrovisor. pôs o carro em primeira e subiu lentamente a rampa do transportador. para junto do motorista. levantou suavemente Maggie.Ela deve ter cometido alguma pequena infracção . passando por um portão alto. Agente .Ela não vai ter muita opção . . apertando-lhe a mão. e há anos que devia ter ido para a sucata.-E quando o polícia detrânsito falar contigo. este carro é praticamente uma antiguidade. Todo o exercício demorara menos de três minutos.disse o condutor ao passar por eles. Sete .disse Maggie. -Acham que ele vem atrás de mim? Certamente que eu não vau demasiado depressa-disse Nlaggie. 0 transportador prosseguiu a sua viagem em direcção a Washington mas. 0 seu companhei ro estava agora sentado ao volante do Toyota. Stuart pensou que este era um . Ligou a ignição. após uma curta d istância. Pode ser qualquer coisa. viu um carropatrulha do Estado de Virgínia surgir atrás de si. tomou a saída da carga aérea e dirigiu-se de novo para o aeroporto. Olhou pelo retrovisor mas não viu urn Ford azul . . -Tara olhou pelajanela traseira. abriu a mala e começou a procurar no seu interior. colocou-a no banco do pa ssageiro e puxou a alavanca que abria o capot do carro. o transportadorcom os dozeToyotas virou à esquerda na estrada de serviço de Dulles.disse Tara. verificando ovelocímetro. tirou-lhe a carteira e o passaporte do bols o do casaco e substituiu-os por outro passaporte e um pequeno livro de bolso. depoi s deram meia volta e juntaram-se ao trânsito da manhã que se dirigia a Washington.estava o motorista a dizer ao seu superior em Langley. .Mamã. minha senhora? . desde as luzes dos travões até aos pneus.Não é de admirar. puxou o travão de mão. Enquanto os dois agentes se dirigiam velozmente para Washington.Gostaste de São Francisco. Os agentes da CIA no Ford azul tinham saído da auto-estrada na saída seguinte. com um carro tão velho. enquanto o segundo polícia fazi a sinal a Stuart para que abrisse também o seu vidro. Encosta. retribuindo-lhe o sorriso. não te esqueças desse teu sorriso irlandês. Desligou a ignição. co m as duas encomendas que tinha ido levantar. a viajar mais ou menos à mesma velocidade. a fazer sinais de luzes. vulgar. D esactivou rapidamente o dispositivo de localização e fechou o capot. Algumas centenas de metros adiante. Stuart? -Imenso-respondeu ele. em direcção a um hangar isolado. como se o transportador fosse um avião que tivesse acabado de aterrar. . Uma figura solitária estava à entrada para os ajudar a ent rar no hangar. Maggie entregou uma nota de dez dólares ao caixa antes de sair do parque de estaci onamento e entrar na auto-estrada. e seguiu por uma pista antiga. que dois homens vestidos com o fato-macaco do aeroporto mantinham aberto. virou à direita. ocupando o último espaço que restava. numa tabuleta que dizia "Só Carga . 0 motorista do transportador abriu o capot do Toyota e olhou por debaixo dele. inclinou-se sobr e o banco para se aproximar de Stuart. 0 h omem no banco do passageiro estava a informar o seu superior em Langley que o su jeito tinha saído de "Kerbside" às sete e quarenta e três e seguia na direcção de Washington. . 0 homem sentado no banco do passageiro. Maggie baixou o vidro enquanto dois polícias saíam do carro-patrulha e se dirigiam a eles lentamente. Maggie parou e o Ford azul seguiu em frente. na viagem de regresso. depois. a cerca de cem metros dela.à frente do veículo parado. telefonamos. -Estamos a planear pas sar mais dois dias lá.Com certeza. com um boné da Toy ota e um fato-macaco azul. na faixa do meio. saltou da cabina e correu para o automóvel parado. 0 agente sentadono banco dopassageiro ficou surpreendido ao ver que o Toyota tin ha deixado de aparecer no ecrã. 0 condutor parou o veículo junto de uma carrinha. Sr.sugeriu ele.Assim que reto marmos o contacto. Inclinou-se . Abriu a porta do motorista.Eles estão provavelmente a caminho de Georgetown .Merda! . . prendeu as rodas do carro à rampa e voltou para a cabina. . 0 primeiro agente sorriu e disse educadamente: -Importa-se de me mostrar a sua carta de condução.

Enquanto passava pelo portão aberto. Quando o motorista chegou à auto-estrada. Outro homem acenou a cabeça em sinal de assentimento e o transportador saiu do han gar de marcha-atrás. virou à esquerda e dirigiu-se para Leesburg. 0 homem com o boné da Toyota saltou do transportador e colocou-se ao volante do ca rro velho. retomou mesmo o caminho ao longo da pista antiga e saiu pelos portões.verseoautomóvelestavanoseulocaldeestacionamento habitual atrás da Secretaria. Enquanto um deles con duzia o automóvel para o meio do trânsito matinal. o segundo polícia pegou na sua arma e disparou três tiros sobre o automóvel. tirem os corpos e prendam-nos aos assentos. . Subiu a correr as escadas para o quarto de casal e abriu a terceira gaveta de uma cómoda ao lado da cama.ooutrotelefonouaohomemsentadonoban codopassageiro do transportador. 0 condutor carregou no acelerador e dirigiu-se velozmente para a cidade. onde iria entregar os onze Toyotas novos ao concessionário local. as portas foram abertas e os corpos no seu interior cuidadosamente retirados. uns ao lado dos outros. os corpos foram colocados suavemente na traseira da carrinha. destravou o carro e deixou o Toyota deslizar lentamente pela ram pa abaixo até ao chão. Eles começaram a verificar a papelada. Com o dinheiro das seis horas de trabalho extra ia poder comprar um deles. a boca e outros orificios dos três corpos. Subiu a colina durante mais três quarteirões antes de contornar metade da Avon Place e de parar no 1648. um deles disse: JEF'FREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 2pq . Pelo auscultador. Pô-lo em primeira. Depois de os funcionários da alfândega se terem certificardo de que os documentos do médico legista estavam em ordem. Pr ocurou no meio das camisas.pelarampaacimaecolocaramorão. Os dois homens voltaram rapidamente para o carro-patrulha. pois não podia ter cometido qualquerinfracção. retirou um envelope assinalado "Para ser aberto só .Certo. depois assinaram os documentos. ouviu os dois agentes no Ford receber instruções para irem ao escritório da Sr ~Fitzge rald. Um deles reti rou as correntes que prendiam o automóvel velho ao transportador. Tírem as tampas.umaum. onde três caixões os aguardavam. 0 velho Toyota saiu da Route 66 e entrou na auto-estrada que ia ter a Washington . Um dos homens de fato-macaco disse: . 0 motorista passou por filas de aviões de carga. doutor . nem das três encomendas.pedido estranho. As tampas foram novámente colocadas e os homens de fato-macaco brancolev oscaixôes. Abriu ovidro nomomento em que M aggie encontrou acarta de condução.Está bem. mas não estava no seu país e achou que era mais sensato obedecer.foi a re sposta. Quando ela se virou para mostrá-la ao agente. Outro colocou-se atrás do volante. -E quando oporão estiver fechado. Depois de darem cautelosamente a volta ao quarteirão. 0 condutor já tinha dado a volta à casa e entrado pela porta de trás quando o médico com eçou a verificar o pulso dos seus três doentes. Assim que ele parou. Eles observaram cuidadosamente a roupa. no momento em que os doi s agentes da CIA chegavam num Ford azul ao número 1648 de Avon Place. 0 portão já estava fechado e trancado quando a carrinha saiu do hangar e começou a dir igir-se lentamente à zona de embarque da carga. A rampa do 747 estava a ser recolhida quando e velho Toyota passou por Christ Ch urch.Não coloquem as tampas antes de estarem perto do avião. os agentes informaram Langley que não ha via sinal do automóvel. 208 homens de fato-macaco branco emergiram rapidamente da parte de trás. parando finalmente atrás dum 747 assinalado "Air Transport Inter national". 0 porão estava aberto e dois funcionários da alfândega estavam à espera ao fundo da rampa. descreveu um círculo e saiu do hangar como se e tivess e guiado toda a vida.

agarrou nas malas e saiu p elo portão de trás. alguns minutos antes de a biblioteca fechar ontem à noite. -Bem. Gutenburg estava invulgarmente silencioso. levantou o capot e reactivou o dispositivo de localização. pela segunda vez. . finalmente. 0 homem com o boné da Toyota voltou às traseiras da casa. abrindo o embrulho. Mas. vejamos o seu vídeo caseiro nas notícias do princípio da noite. e colocou-o num bolso interiór. Não. Os agentes da CIA tinham começado a dar. ~ Décimo Primeiro btendanunm. afinal de contas.respondeu Gutenburg. sugiro que utilizes os doze melhor es agentes que temos para os encontrar o mais depressa possível. é possível que. ele terá motivos mais do que suficientes pa ra exigir a demissão de alguém. -Uma vez que sabemos que isso é impossível. Seguidamente. um dia destes. utilizando o comando. . alguns dias antes da visita deste a Washington.Mas o que vai impedir Jackson de dizer a Lloyd quem está realmente enterrado no Crucifixo? Gutenburg encolheu os ombros. aliviado. a Sr. a televisão da cozinha.É o que parece .Talvez não . Então. passando um embrulho selado por cima da mesa à sua chefe . um terrorista sulafricano contratado pela mafia mas sim um agente da CIA a cumprir ordens vindas directame nte da Casa Branca.nemaquemestãoatribuídos.a Fitzgerald já sabe que o marido morreu. tirouumpeque no embrulho de celofane do fato-macaco e meteu-o num saco de cosméticos que pôs dentro de uma das malas. . afinal.respondeu o director-adjunto.disse Dexter. numa viagem de boa vontade. quem achas que foi? . Um jovem.Suponho que tenha sido Jackson . 0 motorista de táxi nem sequer virou a cabeça quando o ha mem saltou para o banco de trás do táxi com duas malas. .depois de 17 de Dezembro". Deixou asmalasjunto daportadetrás. acendeu a luz do quarto. voltou aoToyota. . 0 condutor deu rapidamente meia volta e dirigiu-se de novo à casa dos Fitzgeralds.Esse é um problema com que temos de nos confrontar .Foi uma operação tão profissional que. depois a luz ao fundo das escadas e. Não quero saberemquese ctoreselestrabalham.Um dos meus agentes encontrou finalmente a cassete.Mas enquanto Jackson e as mulheresFitzgeraldandarem poraíàsolta. que utilidade tem essa informação para Lawrence? Ele não vai cer tamente telefonar ao seu amigo Zerimski. se ele está de novo no país. Antes de sair.disse a directora. . se eu não soubesse que ele estava morto.continuamosaterum problema.disse ele. . Gutenburg sorriu de um modo complacente. ele não podia explicar por que é que o disposit ivo de localização não funcionara durante quase uma hora. Tirou duas malas do top o do guarda-vestidos e encheu-as rapidamentede roupa.Nada disso . diria que tinha todas as marcas de Connor Fitzgerald. Por isso. Viu um táxi parado em frente da Tudor Place e saltou para o banco de trás. ele sabia exactamente onde é que o Sr. . te lefonou para Langley para informar que o Toyotaestavaestacionadonoseulugarhabitu alequeeleconseguia ver e ouvir a televisão na cozinha. Se Lawrence conseguir provar o que realmente aconteceu em Sampetersburgo. .E uma vez que é a tua assinatura que está no fim de todos JEFFREY ARCHER 26 .la 210 -Estás a dizer que desapareceram os três da face da terra?perguntou a directora. . no momento em que os dois agentes voltavam para aAvon Place. a volta ao parque de es tacionamento da universidade quando um bip voltou a aparecer no ecrã. Fitzgerald queria que o levasse. colocando o volume alto. para lhe dizer que o homem que eles en forcaram por ter planeado assassiná-lo não era.Mesmo que ele o faça.

.'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 213 -Não digas nada. também a dormir profundamente.. A sta de Gutenburg cobriu-se de pequenas gotas de suor. aparentemente em paz com o mundo.Ela olhou para a mãe. Tentou desesperadamente ver algum sentido em tudo aquilo. Estava noutro avião. Mas um polícia de trânsito tinha mandado parar o carro. um homem alto. . Rezou para que Stuart reparasse nas palavras que sublinhara no livro que lhe enfiara no bolsa. Começou a recapitular os factos. Sem dizer uma palavra. Enquanto reflectia sobre o significado de tudo aquilo. Maggie continuava adormirprofundamente. -Nós continuamos a cumprir a nossa parte do acordo-disse Alexei Romanov. forte. como sempre fazia quando se preparava para um pro cesso. Fez o mes mo exame de rotina a Tara e a Maggie. que ainda não se tinha movido. Depois da experiência de Francoforte. Abriu o livro no primeiro poema. arrancou o livro das mãos de Stuart e voltou para a frente do avião.. para levar a cabo o seu plano de salvar Maggie e Tara. . depois desapareceu de novo na parte da frente do avião. Ele e Tara tinham aterrado em Dulles. Stuart pensou que estava a sair de um pesadelo. eu não teria o ra opção a não ser sacrificar-te. E depois.perguntou Stuart em voz baixa. "Por que é que alguém iria a tais extremos por causa de algumas centenas de dólares. ele tinha começado a gostar da sua obra. Verificou os bolsos. A mãe de Tara tinha ido buscá-los ao aeroporto e estava a levá-los na direcção de Washington. Tara tocou-lhe na mão. maisuma vez" estavam sublinhadas. mas o médico não respondeu. mas para onde ia ele? A cabeça de Tara estava a poiada no seu ombro. Tinham-lhe tirado a carteira e o passaporte. sentado a seu lado. Ele virou-se rapidamente para ela e murmurou-lhe ao ouvido: 212 JE. Maggie estava à espera deles à porta. Todos os outros assentos estavam vazios. depois de ela ter regressado a Stanford. A sua concentração foi interrompida quando um homem de meia-idade. sur giu a seu lado. cujo motor ainda estava a trabalhar.'FFREY ARCHF..Onde vamos? . Connor saiu do avião e subiu para o banco de trás de um BMW. Agora. em que o agente local da CIA quase o tinha i dentificado devido ao facto de Romanov e os seus dois guarda-costas terem feito praticamente tudo excepto anunciar publicamente a sua chegada. na Austrália. teria de gerir ele próprio a operação. Depois de ter colocado as duas malas no porão e de verificar que todos os passagei ros estavam vivos e ilesos. no outro lado estava a mãe dela. Folheou o livro e reparou que havia outros versos assinalados. Connor acenou a cabeça em sinal de assentimento. alguns cartões de crédito e um passaporte austra liano?" 0 que era ainda mais estranho é que pareciam tê-los substituído por um pequeno volume de poemas de Yeats.? Olhou em volta. Ele nunca lera Yeats antes de conhecer Tar a mas. As palavras "Sinto-me feliz emvivererevivertudo. elegantemente ves tido. mas não teve forças suficientes para se levant ar.prosseguiu a directora -. Um Diálogo Entre o Eu e a Alma. Connor compreende u que.0 DÉC1M0 PRIM~¡RO MANDAMENTO ?¡¡ os docum tos relevantes . Stuart desapertou o cinto de segurança. apareceu a seu lado e se inclinou para lhe verificar o pulso. Tentou lembrar-se do que acontec era. Romanov acabou por consentir quando ele lhe lembrou a cláusula com q ue o pai concordara. Tara começou a mexer-se. Connor só tinha esperança de que Stuart fosse tão competente como mostrara ser quando o interrogara na praia. ao mesmo tempo que o automóvel atravessava os portões de arame e iniciava a sua viagem para o Aeroporto Nacional Ronald Reagan. com um ar ameaçador. 0 BMW parou à porta da entrada das Partidas do primeiro andar do Aeroporto Naciona . Tinha-lhe sido pedido que abriss e o vidro da janela.

Compreendido . Ninguémexpressouqualquero pi nião. Pousou o auscultador. no que diz respeito à Empresa. o homem atrás da secretária da American Ai rlines disse: -Lamento muito.perguntou Tara. discreta mas meticulosa. Stuart murmurou para Ma ggie e Tara: -Eu não faço a mínima ideia do motivo por que estamos aqui. .l de Washington.respondeu Connor. eventualmente. .Passei algum tempo no purgatório antes de conseguir fazê-lo .com Romanov e as suas duas somb ras a seguir todos os seus passos. enquanto eles fingiam estar muito interessados numa prateleira de pistolas automáticas situada no outro extremo da loja.poisahospedeirareapa receu e retirou silenciosamente os tabuleiros. Maggie acenou a cabeça em sinal de concordância e começou a contar-lhes tudo o que des cobrira desde a morte de Joan. Uma enor me selecção de comida apareceu como se estivessem num voo de primeira classe normal. Escolheu um que tinha as cabinas de ambos os lados ocupadas.disse Stuart. A sua pesquisa precisava de ser rápida.Tem algum modelo específico em me nte? . . Stuart inclinou-se e avisou-a para q ue não dissesse nada antes de estar bem acordada. Con nor sorriu-lhes com um ar inocente. de algum modo.disse Maggi e. o vídeo seria enviado aos meios de comunicação sociais. num tom enfático.Em primeiro lugar. Radford. . Connor dirigiu-se casualmente para a sala de espera.disse Carl. -Bem. . Após alguns segundos. .disse Carl. . Connor estava a responder à última pergunta de Carl. . pelo menos estás vivo. não haverá um segundo advento. se eu estivesse desaparecida durante mais de sete dias.Mas eu não acho que as pessoas que nos têm em seu poder sejam da CIA-disse ela. Ele precisava que todos eles se descontraíssem antes de efectuar a jogada seguinte. mas esperamos recuperar o tempo durante a viagem.Eu pensava que só Jesus conseguia ressuscitar . Dirigiu-se ao balcão. . relacionado com Connor.perguntou Maggie. Quando Maggie eventualmente abriu os olhos. Connor saiu e Romanov seguiu-o um passo. Alguns minutos depois. 0 embarque será pela Porta 32. mas o Voo 383 para Dalas está atrasado alguns minutos . sorriu de novo a Romanov e dirigi u-se rapidamente à porta 32. 0 telefone tocou durante algum tempo antes de ser atendido. Em que te possa ser útil? . Sr. Quando Connor entregou o bilhete ao balcão. -P orque eu disse a Gutenburg que. Connor olhou em volta. nem onde vamos. Houve um longo silêncio. Ao olhar para o peixe que devia ter sido deixado no mar. mas vejo-m e obrigado a acreditar que isto está. sir-disse um jovem empregado. . meu amigo. quando ouviu a última chamada par a o Voo 383 para Dallas. Connorentrourapidamentenaloja. surgiu um a hospedeira que lhes pediu que baixassem as mesinhas para os tabuleiros.Em que lhe passo ser útil? . vestido com um casaco castanho comprid o.Eu vim cá caçar e queria comprar uma espingarda. -Boa tarde.Daqui é Connor. depois enfiou o cartão telefónico internacional de Stuart na ranhura e marcou um número de Cape Town.Então.Isso não é possível . quem são eles? . Romanov e o s dois guarda-costas estavam a alguns passos dele. ficou convencido de que não havia câmar as de segurança na loja. parecendopouco satisfeitos. depois de a hospedeira os ter deixado sós. Os outros dois homens acompanharam-nos e seguiram Connor enquanto este entrava calmamente no aeroporto e se dïrigia ao balcão doa bilhetes.Está? . .Temos alguma coisa em que nos possamos basear? . 214 JEFFREY ARCHER 0 DÉC1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO 1¡5 CaçaGrossadeHarding.A não ser que já o tenham encontrado . mas parou quando viu os tel efones.

" 0 voo 383 aterrou em Dallas a horas e. . . Maggie sorriu. 0 empregado hesitou.Não consegui compreender bem o sentido. parecendo intrigada. subitamente. que colocou em cima do balcão. Alguns minutos mais tarde. perguntou Connor a si próprio. Connor sen tou-se em silêncio no banco de trás do automóvel.disse Harding. Hardi ng reapareceu com um mala de cabedal familiar. teria saído da loja sem dizer mais uma palavra. A viagem para o centro de Dallas demorou pouco mais de vinte minutos. mais uma vez.disse Tara. . . examinando bem o cliente. tentando ver se h avia alguma reacção..-Fezumapausa. Mas se os russos conta vam que ele cumprisse a cláusula mais exigente do seu contrato. . apareceu um peso-pesado vindo da frente do avião que mo arrancou das mãos . sem retirar os olhos do seu cliente.Não . .Mas eu reparei que algumas palavras estavam sublinhadas. . embora tivesse dificuldade em acreditar que Carl Koeter.até se notava o volume dos coldres debaixo do casaco.disse ele. 0 senhor foi-me recomendado por um amigodisse Connor. . . "Tê-los-ia amafia comprado poratacado". teria de usar . Connor soubequeestavaasertestado. . Mal o abri.disse o homem.É verdade. Consegues lembrar-te de alguma? Stuart fechou os olhos e ten tou concentrar-se.Que alterações tem em mente.perguntou Maggie. surgiu por detrás da cortina.Creioqueestáinteressadonum aRemington 700. . cujos olhos se ench iam de lágrimas. -Ele desapareceu. num gabinete ao fun do. . com mais de vinte anos de experiência como operacional sénior da CIA na África do Sul. Tara reparou que Maggie estremeceu.SeHardingnãofosseoStra uidarius dos armeiros. Deixa-me ver o livro-disse Maggie. Connor ficou aborrecido: ele tivera esperança de comprar a arma sem ter de se encontrar com o lendário Jim Harding. Os últimos dois rufiões que os acompanharam pareciam te r sido contratados numa central de casting . não conseguisse lidar com o mais recente m açarico.disse Connor. .0 seu amigo deve ser um profissional . ele sabia que este iria s er o maior risco que correria desde que tinha voltado à América. sir. . dando seguidam ente meia volta e desaparecendo atrás da cortina.Sim. . ansiosamente. . Ele tinha esperança de que a filial da Cidade do Cabo fosse uma subsidiária recente. sir?-perguntou Harding. . Connor pensou mais uma vez em ir-se embora mas. -Que se passa?-perguntou ela. não posso.Boa tarde.Com algumas alterações. ao fim de alguns segundos.0 teu pai ainda deve estar vivo.É possível que precise de algumas alterações .disse Stuart. Connor descreveu em pormenor a arma que tinha deixado em Bogotá. ciente de que talvez estivesse prestes a encontrar-se com outra pessoa que tinha trabalhado para a CIA durante quase trinta anos. -E só um momento.Isso não deverá ser problema. vestido também com um casaco casta nho comprido. sir. olhando ansiosamente para a mãe. um homem mais velho. quando Connor e Romanov saíram do aeroporto .Ele pode ter deixado uma mensagem nele. -Este modelo chegou às nossas mãos após a morte recente do -Só que alguém colocou um livro de poemas de Yeats no meu bolso .Isso não interessa.Infelizmente. Assim que a palavra "pro fissional" foi mencionada. Apesarde eles nunca se terem visto.Eu talvez tenha algo que lhe possa interessar.disse ele. sir . uma Remington 700.Não compreendes o que isto significa? . .disse Stuart.Que palavras eram? . através de uma cortina."Sinto-me feliz em viver e reviver tudo. . havia outro BM4V branco à espera deles. 0 rosto de Harding continuou impassível."Feliz" .

Harding tocou carinhosamente na espingarda. para maiorlev eza e equilíbrio.A minha também.Aminhamãetinhaumfr acoporGregoryPeck.Gregory é o meunomepróprio.Ilma Remington 700 com estas alterações só é procurada pelos clientes mais conhecedores . compreendendo pela primeira vez que não fazia a mínima ide ia do preço de umaRemington feita à mão. Radford . . e duvido que alguma vez encontre uma peça melhor neste lado do Mississipi. se. Connor deu meia volta e fez um sinal com a cabeça a Romanov que se aproximou e tir ou um maço de notas de um bolso interior. quanto mais um alce.. Empurrou os fechos para cima. . . que saiu sem dizer m ais uma palavra." Ficou sem fala quando 0 motorista ultrapassou o limite de velocidade em todoo caminho de regres so ao aeroporto. Até mesmo Romanov começou a ficar um pouco apreensivo.Parece estar tudo em ordem. seu proprietário .Desde qu e a Lei da Identificação e do Registo Imediato foi aprovada. pararam à porta do Empório de 216 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO P~YIEIRO MANDAMENTO ?¡y Subitamente. acabando por tirar mais algumas notas de cem dólares e de lhas entregar.Vinte e um mil dólares . . e meteu-se no meio do trânsito. contando duzentas e dez antes de as entregar a Harding. Com esta espingarda. Sr. enquanto se dirigiam à sala de embarque. Um dos rufiões agarrou na espingarda e saiu a correr da loja como se tivesse acabado de roubar um Banco. provocandoumacacofonia de buzinadelas.disse Connor. Quando foi ter com Connor ao balcão docheck-in. murmurou num tom confidencial: -A espingarda estará em Washington dentro de quarenta e oito horas. quando o fizesse.Não . . . Harding disse: . -Quanto custa?-perguntou. Harding passou um recibo do dinheiro e entregou-o a Connor. Após mais alguns minutos. -Nesse caso.. Passou algum tempo a separar notas de cem dólares. 0 carro arrancou. 0 russo estav a rapidamente a transformar numa pantomina o que Connor tivera esperança que parec esse apenas uma compra casual. Connor não retirou qualquer das cinco peças do seu lugar.A dinheiro.a arma ideal para levar a cabo esse compromisso. Era quase comoseos guarda-costas estivessem na rua ave nderbilhetes para o espectáculo. abriuatampaerodouam alaparaqueConnorpudesseinspeccionar a arma. Harding levantou os olhos do ecrã.Esta é óptima.Como vai pagar.Nós também temos o modelo standard. sir? .É um apelido duplo? .respondeu Connor. imediatamente.Levantou os olhos para ver se o cliente compreendia aquilo de ele estava a falar. a chiar. A mira telescópica é uma Leopold 10 Power com pontos milésimos.. -Eu não teria tanta certeza-disse Connor. Harding sorriu.. Após outra viagem silenciosa. Mas não demoraria muito a ap anhá-la e. "Sim". Connor entrou para o banco de trás do BMW e perguntou a si próprio se seria possível atrair ainda mais atenção sobre si próprios. .disse Harding. . com receio de que Mr.explicou ele. a cem metros. um cliente conhecedor. coitado do FBI. .. Hard ing visse que ele era.pensou Connor. os boches ainda fabricam os melh ores. "Era óbvio que era possível. Connor saiu e começou a dir igir-se à porta giratória enquanto Romanov dava instruções aos dois homens no automóvel. . Se o senhor tiver jeito para coisas técnicas. pelo que não terá que fazer quaisquer ajustes por causa do vento. será capaz de um. . em meio minuto de ângulo. em substituição . é possível matar um rato a quatrocentos passos. oBMWparou à porta do aeroporto. -A coronha é de fibra de vidro. Quinzeminutosmais tarde.concluiu ele. Connor estav a a descobrir rapidamente que a nova mafia que chegara aos Estados Unidos era aind a uma amadora comparada com os seus primos italianos. vou precisar de um documento de identificação -disse Harding. de facto. 0 cano foi importado da Alemanha. mas o rosto de Connor continuava inexpressivo.-Todas as partes são feitas à mão.Não ..

Um metro e oitenta. . -Está certo. . endereço e número da Segurança Social do subgerente-adjunto de uma sapataria de Richmond.perguntou Maggie. não estava obviamente disposto a rriscar-se a tentar passá-la pela segurança do aeroport o-disse Gutenburg. ."0 novo amigo encontrar-se-ia sempre com o velho"-disse Maggie. . Tenho a certeza de que ele sabia exactamente o que queria.Por volta de 50 anos.Descreve-o. . Gutenburg estava a marcar o número de Dallas. quase todo . Sr. Talvez possamos identificar uma impressão digital numa das notas."Amigo" . . não podemos ir a caminho da Holanda .: guarda o dinheiro. . Radford não tivesse comunicado a perda da carta de condução nas últimas vinte e quatro horas.adm itiu Maggie. Elegante mas c asual.Por isso. -Mas quem? E onde?-perguntou Maggie. .Então.Deixa de te armar em engraçada! . .. Ele pode começar por me enviar por correio electrónico todos os pormenores que tiveres sobre os dois . . 0 endereço e a data de nascimento condiziam com o número da Segurança Social.Hum. -Nãovãoencontrarimpressões digitais dele-disseHarding. . . no dia anterior. mas foi ele que pagou a arma. sapatos de vela.disse Stuart. há ainda mais papelada a preencher. Quando Harding veio ao telefone. enquanto o avião prosseguia a sua viagem atra vés da noite.Os dois rufiões devem ter sido simplesmente correios. . possivelmente oitenta chapéu. Supus que fosse um dos vossos. que e três. tenta lembrar-te de mais palavras .Idade? . . o director-adjunto da CIA lim itou-se a dizer: ..disse ele num tom triunfante.perguntou Stuart.Sabe todo o Yeats de cor? . 1~~6 JEFFREY ARCHER . finalmente. a dinheiro.Identificação? .disse Tara.Casaco desportivo. . Connor tirou da carteira uma carta de condução da Virgínia que comprara a um carteiris ta por cem dólares. Connor tentou parecer enfadado. estamos prestes a conhecer um novo amigo num novo país . .Agora.Azuis.Querido Stuart. tenta recordar-te de mais palavras. Estava também com ele um jovem alto que nunca abriu a boca. Stuart começou outra vez a concentrar-se.Foi.Eu releio alguns poemas quase todas as noites antes de me deitar.E o primeiro homem foi claro a respeito de querer aquelas alterações específicas? . Que nome assino u ele nos impressos? .Carta de condução de Virgínia. até ter reparado que estava acompanhado por dois rufiões locais. Connor escreveu o nome.disse Tara.disse Tara. . mas estava a rezar silenciosamente para que o Sr . a única coisa que é necessária. Mais ou menos um.Olhos? . . . Harding.dis se Tara. Quem quer que ele fosse.Vou mandar um agente ter contigo daqui a menos de uma hora. .Gregory Peck Radford. 27 Momentos depois de ter lido a mensagem de prioridade.disse ele.da Lei Brady.Roupa? .É isso mesmo. tu ainda tens muito a aprender a respeito dos irlandeses ."Através de terras escavadas e colinas?" .. Harding examinou a carta e acenou a cabeça em sinal de concordância. calças de caqui. Stuart pensou durante um momento. incrédulo. sem gravata. Usava 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 219 ele parecia estar a tentar ignorar. Enquanto Harding introduzia os números num computador. . por isso não consegui ver a cor do cabelo. -Agora.Escavadas! . -Então. é que o senhor preencha estes impr essos. -0 jovem pagou e um dos rufiões levou a arma para fora da loja.

têm de seguir as minhas instruções à risca.-Gutenburg não viu o sorriso de satisfação no rosto de Harding quando este acrescentou: -Nem tu próprio serias capaz de localizar a câmara de segurança. Encomendaram comida ao serviço de quartos às nove e trinta e três e estão nes te momento no quarto 107 a ver Nash Bridges. . 0 que ele não sabia era que o homem do quarto 107 tinha a chave das algemas. Stuart? . . .Quando o avião aterrar. . que lhe agradeceu e lhe fez um pedido.< . pararam num motel nos arredores de Memphis. depois de terem feito cerca de seiscentos quilómetros. Viu as horas e ficou surpreendido ao ver que era tão tarde.. Acenou a cabeça em sinal afirmativo.Certo .<Hei-de descobrir onde ela foi" .Eles hospedaram-se no Memphis Marriott.É óbvio que ele não está disposto a separar-se dela nem sequerenquantocome-disseooutro agentequandooempregado já não os podia ouvir. Entregou uma chave-mestrae. encheu dois copos e colocou a comida na mesa. . repito."Descobrir"! .Está presa com algemas ao pulso do homem do quarto 108. . Disse aos hóspedes que voltaria dentro de cerca de quarenta minutos para levantar a mesa. e são reconstruídas" . feito por um desenhador da Polícia.disse Gutenburg.Consegues lembrar-te de mais alguma coisa. Os dois agentes sénior da CIA que os viram estacionar o BMW informaram Gutenburg q uarenta e cinco minutos mais tarde." .Isso não será necessário . ouçam com muita atenção-disseele~~tando-os. ele s não passavam de mais uma tarefa.emtroca..Por que não? -Porquetodaatransacçãofoigravadaemvídeo. vocês vão directamente para a zona das bagagens.murmurou Maggie no momento em que o homem que tinha arr ancado o livro das mãos de Stuart apareceu de novo ao pé deles. . não devem usar as casas de banho. -Então.disse Harding.Bom apetite . pegam nas vossasmalasepassam pelaalfândega sem chamaraatenção.acrescentou ele ao sair do quarto. o hóspede do quarto 107 sentiu-se invulgarmente to nto.disse Tara. Parou subitamente. qu artos 107 e 108. Stuart continuou a concentrar-se.prosseguiu o homem. e ele encontrar-nos-á . . Compreendido? Stuart olhou para os olhos do homem e não teve qualquer dúvida de que. ."Todas as coisas ruem.Se quiserem continuar vivos. e a mim unto me faz que estejam vivos ou mortos. e o agente deu-lhe uma nota de cinquenta dólares. Os dois homens que tinham deixado C onnor e Romanov no aeroporto tinham planeado interromper a viagem antes de pross eguirem para a capital no dia seguinte. .Nós vamos conhecer um novo amigo num novo país.Onde está a espingarda? perguntou Gutenburg. 0 empregado acenou a cabeça em sinal de assentimento. 220 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 22l A viagem de Dallas a Washington é muito longa. subitamente. .rufiões. Pouco depois das nove da noite. um empregado apareceu no quarto 107 e pôs a mesa para o jantar.recebeuoutranotadecinquentadólares.. .disse ele.disse Maggie com um sorriso. Vestiu as calças de ganga e atravessou apressadamente a porta de comunicação para acordar o seu compa nheiro. caiu de joelhos e começou a -Agora. Pouco depois das dezhoras. 0 empregado regressou ao parque de estacionamento alguns minutos depois da meianoite para informar que os homens se tinham ido deitar nos seus respectivos quar tos. Abriu uma garrafa de vinho tinto. Quando acordou na manhã seguinte. . . sentindo que fizera um bom trabalho nessa noite. vocês vão precisar de um empregado e de uma chavemestra . para ele. 0 empregado dirigiu-se directamente ao parque de estacionamento e informou o age nte sénior.. Preciso de um desenho computadorizado do principal suspeito. Depois de passarem a alfândega e a . para ter a certeza de que ninguém tentaria roubar a pasta ao seu companheiro enquanto este dormia.Nãe devem. Foi-se embo ra. Um deles disse-lhe que cortasse o bife em pequenos pedaços. pois só conseguia usar uma mão. 0 empregado fê-lo de boa vontade.

eu escol ho um de vocês. Após a penas alguns minutos... mas vamos ter de a revistar. atendendo às circunstâncias. minha senhora? . entregou um a Maggie e outro a Tara.começou Maggie a dizer. Califórnia. Stuart ajudou Maggie a levantá-la. as malas começaram a aparecer no carrocel. Só uma pes soa podia ter feito aquela mala. Quando saíram do avião na Cidade do Cabo.Se algum de vocês for suficie ntemente estúpido para tentar fugir. Stuart colocou-as todas num carrinho e dirigiram-s e os três para saída verde da alfândega.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 223 vomitar. . relutantes. Quando Stuart passou pela alfândega a empurrar o carrinho. . "anarquia". .perguntou o funcionário da alfândega. Stuart olhou para o último passaporte que.Por favor.disse Stuart num tom firme. . Está tudo claro? . Desta vez. Quando o abriu.Importa-se de abrir a mala. espera um pouco. tal como os outros dois. . Este verificou-os... 0 funcionário da alfândega procurou no meio da roupa durante algunsmomentose.Connor nunca.pegounumsacodecosméticos. haverá dois homens à vossa espera que vos irão acompanhar à casa onde ficarão instalados no futuro próximo. Maggie ficou surp reendida ao ver duas das suas malas velhas. -Eu penso que. Sempre que as portas se abriam. Fitzgerald concordou. Depois de apanharem as malas. quando aparentemente ele não partira do princípio que ele era seu filho. Passou-o a Tara..eelesdirigiram-separazonaderecolhadasbagagens. . os três . .começou Maggie a dizer.Estas são as condições com as quais o Sr.Importam-se de me seguir.Levantouuma parte do balcão e conduziu-os através . a sua filha queira ir consigo.Agora já sei para onde vamos.E estou a começar a com preender que o teu pai é um dos melhores. -Vão precisar destes-disse ele. Endereço: 75 Marina Boulevard. Eu irei ter convosco outra vez esta noite. minha senhora .Tens a certeza de que não te consegues lembrar de mais palavras? . Maggie fê-lo-ia corrigido se Tara não lhe tivesse dado rapidamente um pontapé na perna. encontrou a sua fotografia por cima do nome "Daniel Farnham>~.. apontou para a mala vermelha e perguntou se o dono se importava de a colocarem cima do balcão. Abriu-o e retirou de lá um pequeno pacote de celofane que continha uma substância branca em pó.disse Stuart. outros dois homens foram ter com eles..Isso não é possível . Na carpete. em nome dos três. ela não estiver disponível. via-se eles a espreitarem para o interior. -Eu gosto muito de lidar com profissionais-disse Stuart. . por qualquer motivo. . talvez seja sensato permitir que o Sr. estava uma mão cortada. enquanto o homem voltava para a cabina de voo. .disse o funcionário.eventualmente. no futuro. Stuart estava a ficar habituado ao modo como Connor Fitzgerald operava. . Os dois homens seguiram-nos a pouca distância. Maggie sorriu.Lamento muito.zona das chegadas. Se. que pareceu intrigada.Não. ou tentar pedir ajuda. Maggie desapertou os fechos e sorriu com a desarrumação com que se deparou.Talvez. 222 JEFFRF. . São Francisco. a Sr e Fitzgerald serámorta imediatamente. . . . Stuart perguntou a si próprio como é que o funcionário podia saber que Tara era filha de Maggie. foi Stuart quem a conteve. Farnham fale em nome dos três .. Poucos momentos depois.disse o funcionário. colocaram-se a poucos metros da saída.Está . Depois de passarem as portas automáti cas.perguntou Maggie.Olhou para Tara e Stuart. tinha a águia am ericana na capa.disse o homem. Stuart teve consciência da presença de dois ho mens que observavam todos os seus movimentos Um funcionário da Imigração carimbou-lhes os passaportes. Profissão: Professor de Direito. tragam a m ala e o resta da vossa bagagem.Mas isso não é. . no meio de uma poça de sangue. um funcionário surgiu à sua frente. ..Receio que não . entregando três passaportes a Stuart. enquanto os dois home ns que os seguiam foram andando.

.Como é que lhe podemos agradecer? . Há muitos anos que eu desejo conhecer a mulher que teve a coragem de se casar com Connor Fitzgerald. 0 sul-africano conduziu-os por uma rampa íngreme abaixo e ao longo de um corredor escuro e vazio.. . -Então. Depois d e outra longa caminhada.respondeu Gutenburg. de ar atlético.perguntou Maggie. Dirigiu-se imediatamente a Maggie. Koeter conduziu-o s rapidamente através da segurança.E quem é o homem que pagou a a rma? -Alexei Romanov.Talvez queiram ter a bondade de me segu ir.Minha senhora . 22d Estavam os dois sentados a olhar para a televisão. Nenhum deles falou antes do fim da gravação de doze minutos. Stuart so rriu.Sorriu a Stuart e Tara e fez uma ligeira vénia. filho do czar e número dois da mafia russa. . Fechou a porta e eles ouviram a chave rodar na fechadura.É possível que tenhas razão . Quando chegaram ao fim do túnel. Vestia calças de ganga e uma ca misola vermelha.Só se alguém tiver trocado de lugar com ele no Crucifixo . Koeter pegou-lhe na mão e be ijou-a. completamente calv o. mas ele não parava de falar. infe lizmente. C."0 novo amigo encontrar-se-ia sempre com o velho" . pegou-lhe na mão direita e beijou-a. .de uma porta que ia dar a um compartimento pequeno e pouco atraente.respondeu Gutenburg. . . . . Deu meia volta e começou a empurrar o carrinho através da porta. . nos arredores de Washington D. Uma porta no outro ext remo do compartimento abriu-se e um homem alto..respondeu Dexter. deve ter sido a mafia que o tirou do Crucifixo-disse Dexter.disse Stuart.respondeu -. . e desconfiamos que ele e Fitzgerald estão agor a a trabalhar juntos. . nesta ocasião. -Jackson só o teria feito. -0 meu nome é Carl Koeter-disse ele com um forte sotaque sul-africano. entrou. A carpete vermelha já tinha sido desenrolada.Claro que eu sei mais a seu respeito do que a senhora sabe sobre mim mas.e Fitzgerald.disse ele. quando o Ilyushin 62 da Força Aérea russa aterrou na Base da Força Aérea de Andrews. onde Koeter entr egou três bilhetes a um funcionário da porta e recebeu três cartões de embarque para um voo d a Qantas para Sydney.disse a directora em voz baixa.-Mas se ele pr ecisava de umaRemington 700.Suponho que estamos prestes a descobrir . um pódio com uma dúzia de microfones estava no seu lugar e uma escada larga estava a ser rebocada para o local exacto onde o avião se iria imo= bilizar. Dexter ficou calada durante algum tempo antes de dizer.-Isto é umagra nde honra para mim. embora não devesse ter ainda cinquenta anos. não teremos tempo para remediar essa situação. onde o controla foi extremamente ligeiro.Mas qual? 0 presidente dos Estados Unidos e o secretário de Estado encontravam-se entre as v inte sete individualidades alinhadas na pista. Um dos nossos agentes viu-o no aeroporto de Francoforte. chegaram a uma sala de embarque vazia.Um dos meus colegas virá ter convosco dentro de moment os .Será possível? . Sr. Maggie apanhou-o rapidamente e começou de imediato a fazer-lhe perguntas sobre a con versa telefónica com Connor. -Aquele saco não. Maggie queria dizer qualquer coisa. .0 presidente . Gutenburg acenou a cabeça em sinal de assentimento. Ele telefonou-me on tem e pediu-me que lhe assegurasse que ele está bem vivo. se estivesse disposto a sacrificar a sua própria vida. há em todo o mundo pessoas que nunca poderão saldar t otalmente a sua dívida para com Connor Fitzgerald. . com uma mesa e duas cadeiras. e certamente que não parecia ser funcionário da alfândega. -Que se passa?-disse Maggie. . quem será o alvo? . subiram outra rampa e emergiram no outro extremo do aeroporto.murmurou Maggie. que há quinze minutos estava misteriosamente à espera.

e depois talv ez queira responder. Connor não podia arris car-se a outro fiasco como o de Dallas. Gutenburg tinha obviamente pensado que 226 JEFFREV ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 227 tirar a espingarda era mais importante. A tua visita aos Estados Unidos é o arauto. . o s ecretário do Comércio. ele veria a gravação repetidas vezes. sorriu e disse: . Tom . Tom Lawrence protegeu os olhos do forte sol da m anhã.'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAh1ENT0 225 28 0 Décimo Pdmeìru Mandamanm.se não fosse isso. Os que o seg uiam. Havia um dispositivo de segurança ainda maior do que ele antecipara. e Connor tinha agora o controlo total de todos os preparativos para o assassinato. Os dois rufiões da mafia fizeram tudo para chamar a atenção da CIA excepto telefonar-lhes pela Linha Directa. Enquanto Zerimski descia lentamente os degraus.IS dão. embaraçando-o imediatamente. Nessa noite.. na esperança de que o conduzissem à pessoa que tencionava utilizá-la. Connor desconfiava que o Serviço Secreto não sabia que havia um assassino potencial à solta. o Conselheiro para Segurança Nacional. tir ou uma folha de papel do bolso e colocou-a em cima do atril. Masnãohaviasinal de Guten burg. Quando chegou ao fim da fila.Bem-vindo aos Estados Unidos. por favor! -insistiu Zerimski. Por detrás do cor JEFFREY ARCHF.emboranuncaoperdessem de vista . 0 dia de hoje marca o início de uma nova era nas relações especiais entre os nossos dois gra ndes países. . Enquanto atrave ssavam a pista. Connor não ficou absolutamente nada surpreendido por a espingarda que comprara em Memphis nunca ter chegado ao seu destino. voltando-se para Zerimski.começou ele.Muito prazer em conhe cer-te. os inúmeros fotógrafos começaram a dis parar furiosamente. mantinhamumadistânciarespeitosa. Depois do Episódio do Memphis Marriott. . Connor tê-los-ia deixado passar para entregarem a arma. Talvez tivesse razão. Lawrence subiu para o pódio.Eu direi apenas algumas palavras de boas-vindas. Um momento depo is. 0 chefe do Protocolo dos Estados Unidos deu um passo em frente para apresentar o u dois presidentes. dando-te as boas-vindas à América. Sr.. Connor estava sentado em frente de três ecrãs de televisão a ver as reportagens da cer imónia transmitidas pelas principais cadeias televisivas. 0 Serviço Secreto parecia ter posto em acção uma Divisão de Protecção de Dignitários inteira para cada um dos presidentes. Sr. Se fosse dir ector-adjunto. Eles tinham feito que fosse necessário para ele arranjar um plano alternativo. Uma hospedeira alta e elegante encontrava-se junto da porta. ao pé da hospedeira alta a sua baixa estatura era cruelmente acentuada.Quando a porta do avião se abriu. tinha-se tornado claro que Alexei Romanov não estava disposto a assumir a culpa se alguma coisa corresse mal. Permite-me que comece.disse Zerimski. Lorry-disse Zerimski.EmboraLawrencesoubesse que Zerimski só m edia um metro e sessenta e dois.Obrigado. o presidente americano inclinou-se e disse. Embora conseguiss . Presidente . Lawrence tocou-lhe no cotovelo e conduziu-o ao pódio. . ele teria estado na Base da Força Aérea de Andrews essa manhã. operadores de câmara de todas as cadeias de televisão focavam o homem que iria do minar os noticiários mundiais durante os quatro dias seguintes. e Lawrence apertou calorosamente a mão do seu convidado. Presidente. Lawrence duvidava de que fosse possível a um homem com a altura de Zerimski ser eleito presidente dos Estados Unidos.Sr. Lawrence voltou-se para apresentar o secretário de Estado.Chama-me Victor. .Victor. seguidamente. . uma a uma: o secretário da Defesa. Presidente. nem de quaisquer operacionais da CIA. Zerimski pareceu extremamente afável e simpático enquanto era apresentado às individualidades. um homem baixoeentroncadosurgiuaoladodela.

EmboraosqueestavamnapistanãoconseguissemverZerimski. Ele sabia. haveria conversações alargadas na Casa Branca. Connor olhou para o itinerário de quatro dias preparado pela Casa Branca e tão convenientemente descrito minuto a minuto no Washington Pos t. Connor tinha a certeza de que Lawrence não se deixaria enganar por esta manifestação d e cordialidade. Connor ficou a conhecer a sua reacção ao fracasso quando soube que o chefe local da mafia de Dallas tinha cortado a outra mão do rufião. Quando regressasse a Washington. o presidenterussoteriaap enastemposuficienteparairrapidamente àembaixadavestirumsmokingantesde assistiraoLa godosCisnes. no Kennedy Center.e livrar-se deles quando quisesse. seguidas de um almoço no Departamento de Estado.Connorficousurpreendido ao ver que a atitude fanfarrona e agressiva que ado ptara em Moscovo e Sampetersburgo tinha sido substituída por um tom muito mais conciliatór io. durante os próximos quatro dias. viaj aria para Nova Iorque. Na manhã seguinte. de anos de experiência. que os programas deste tipo raramente cumpre m o horário original. com o intuito de lhe rou bar a cena. para não só ir ao Bolshoi como também para visitar os museus Pushkin e Hermitage. Enquanto Zerimski c ontinuava a ler o seu guião. Na sexta-feira de manhã. Ele tinha de partir do princípio que. Depois do almoço. Perguntou a si próprio quem seria o homem da Casa Branca cuja cabeça iria rolar nesse dia. e que Zerimski partiria do princípio que o mesmo tinha sido intencional. para discursar nas Nações Unidas e almoça r com o secretário-geral. onde iniciariam imediatamente uma sessão de conversações privadas. em qualquer ocasião durante a visita. Agradeceu a "Tom" a calorosa recepção e disse que estava confiante que a visita seria proveitosa para ambos os países. na quinta-feira à noite. o Post recordava os seus leitores que mais de metade dos bailarinos eram imigrantes rus sos. antes de regressar à Casa Branca à noite. no decurso da qual Zerimski tinha encontrado tempo. para um jantar de gala. Zerimski faria um discurso numa . Atrás dos seus óculos escuros. À tarde. o imprevisto iria acontecer. todos eles muito bons na sua profissão. reflectiu Connor. ao que se seguiria uma visita ao Metropolitan Museum à tarde. Esta não era obviamente a altura nem o local para o presidente russo dar a conhecer aos americanos a sua verdadeira ordem de trabalhos. assuaspalavrasouviam-seclaram ente. Qualquer deles seria capaz de matar um homem com um único tiro a trezentos passos de distânci a e de desarmar um atacante com um só golpe. Zerimski seria conduzido à Embaixada Russa para d escansar. quando o presidente russo ocupou o s eu lugar. até mesmo nos planos mais bem elaborados. Pouco diplomaticamente. Connor sabia que. na sua s obrecarregada agenda. Ele afastou-se para permitir que Zerimski respondesse mas. Os dois presidentes seriam transportados de helicóptero da base da Força Aérea para a Casa Branca. que conti nuariam ao almoço. e ele tinha de se certificar que não fosse no momento em que estivesse a apontar a espingarda. a imprensa não permitiria que o presidente americano. Observou os agentes da Di visão de Protecção a Dignitários que tinham sido destacados para proteger Zerimski durante a sua visita. os microfones não deixavam vê-lo. que media um me tro e oitenta e três. 0 presidente chegou ao fim do seu discurso de boas-vindas e recebeu uma salva de palmas que teve pouco impacte num espaço ao ar livre tão grande. Connor tinha rido à gargalhada quando lera nessamanhã noPost que Tom Lawrence tomara conhecimento do grande amordo seu convidado pelas artes durante a recent e campanha eleitoral. Disparar sobre um homem de um metro e oitenta seria muito mais fácil do que alveja r um com um metro e sessenta e dois. Reconheceu quatro. para que ele não cometesse duas vezes o mesmo erro. Connor sabia que os seus olhos se moviam constantemente em todas as direcções. dançado pelo Washington Ballet. se esquecesse deste fiasco das relações públicas.

pelo menos três mil dos melhores agentes estariam a guardar Zerimski em todos segundos da visita. o Marine One descolou. E . Já tinham sido distribuídas cópias desse discurso. com uma indiferença casual em relação a qualquer embargo. Um editorial do New York Times avisava que esta poderia ser a ocasião em que Zerimski iria resumir a estratégia de 'I 'i 22R JEFFREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 229 defesa da Rússia para a década seguinte. 0 BMW estava à sua espera. que aparecesse em mais de um a ocasião. As mulheres que nunca tinham assistido a uma cerimónia de boas-vindas não sabiam se deviam agarrar-se aos chapéus se segurar os casacos. Dos dois restantes. em visitas deste tipo. sempre que possível. nenhum presidente rnssoviaj arianum aviãomilitar americano. o banquete no sábado à noite parecia o mais prometedor. 0 embaixador tinha tornado claro que queria que esta fosse uma ocasião que nenhum dos presidentes jamais esqueceria. para assisti r ao jogo de futebol entre os Washington Redskins e os Green Bay Packers. Na manhã seguinte regressaria a Moscovo . pairou sobre o solo durante alguns segundos. em Maryland. pelo que a recepção que recebeu não foi tão entusiástic a como Lawrence esperara. que fora senador por Wisconsin.sessão conjunta do Congresso. Nove locais para Connor considerar. Connor desligou os três televisores. para tomar conhecimento dos pormenores do banquete de sábado à noite. especialmente depois de Romanov lhe ter dito qu e a mafia tinha a concessão do fornecimento de todas as recepções realizadas na Embaixada Russa. dizendo aos seus conselheiros que queria aproveitar todas as oportunidades para colocar Lawrence em situações dificeis. o qual constituiria o ponto alto da sua visita de qu atro dias. No sábado. tinha apoiado toda a vida. Zerimski seria o convidado de honra num jantar do Conselho de Negócios Esta dos Unidos-Rússia. 0 correspondente diplomático do jornal tinha contactado o gabinete de imprensa da Embaixada Russa e fora informado que não haveria distribuição antecipada de cópias desse discurso específico. Já tinha decidido não ir a Nova Iorque. Zerimski ofereceria um jantar na Embaixada Russa para retribuir ahospital idade de todos aqueles de quem tinha sido convidado durante a visita. ele j á tinha posto sete de parte. Connor lera-o e sabia que nenhum jor nalista digno desse nome se daria ao trabalho de o publicar. a equi pa que Lawrence. Zerimski e Tom Lawrence iriam ao Estádio Cooke. Momentos depois. oMarine One aterrava no relvado sul da Casa Branca. depois ergueu-se no ar e partiu. incluindo jornalistas e equipas de televisão. As Nações Unidas e o Metropolitan Museum não ofereciam praticamente qualquer possibilidade de fuga. Iria utilizar o tempo em que Zerimski estivesse ausente da cidade para verificar os locais mais promissores. Sete minutos mais tarde. Norm almente. onde foi recebido por Andy Lloyd e pelo pessoal sénior da Casa Bra nca.mas apenas se Connor não tivesse conseguid o cumprir o contrato. A mafia já tinha providenciadoparaqueelefizesseparted aequipadofornecime nto de refeições que visitaria a embaixada nessa tarde. À noite. Alguns aplausos chamaram novamente a atenção de Connor para a cerimónia de boas-vindas . o Serviço Secreto estava treinado para identificar qualque r pessoa. rebobinou as cassetes e começou a pensar nas al ternativas. Connor olhou para o relógio. E ele sabia que. À noite. Algumas das pessoas na pista só repararam que Zerimski tinha terminado o discurso quando ele desceu do pódio. Além disso. vestiu um casaco e desceu. Mas mesmo antes de n avião de Zerimski ter ate rrado. Lawrence tinha esperança de que os legisladores ficassem convencidos de que o líder russo era um homem de paz e concordassem em apoiar a sua Proposta d e Lei da Redução do Armamento. Os dois líderes atravessaram a pista em direcção a um helicóptero que os aguardava. mas Zerismkügnorou todas as objecções. Subiram para bordo e acenaram à multidão.

Eu simplesmente gostaria de me encontrar novamente com a tua mulher em circunstâncias mais agradáveis. . Presidente.Zerimski insistira mais uma vez que devia ter mais um veícu lo do que qualquer presidente russo anterior -. . Sr. Connor soltou uma gargalhada. sim-disse Koeter. Depois do almoço. a CIA não tem rival. Levantou os olhos para o seu amigo mais antigo: .Eu acho que as coisas correram tão bem como seria de esperar .ntrou para o banco de trás. nem sequer a si próprio. . Tenho a sensação de que nos está a preparar uma armadilha. Não se esqueça. Quando um camião carregado de carros novos passou no outro lado da estrada. -Apropósito. -Não é com isso que estou preocupado-disse o presidente.porqueéqueaDexterafirmaqueelefoioresponsável pelo assassinato na Colômbia e depoi s foi para Sampetersburgo com a intenção de matar Zerimski? . -Foi por isso que estiveste tão pouco comunicativo ao almoço? -Não. Quando chegou ao último parágrafo.dissera-lhe K oeter. . Olhe só para as fotografias que ela fo rneceu. e nós vamos ter de expli car por que motivo contratámos Jackson.Fico eternamente em dívida para contigo. ele já tinha praguejado em três ocasiões. -Isso não sei á necessário. -Abriu um dossier com o emblema da CIA e começou a ler. .Eu pensava que Jackson deveria estar do nosso lado.E está.perguntou Connor. Antes de chegar à segunda página. a mafia pensa que eles foram recambiados para a América .disse o president e. Ele falara com Carl Koeternessa manhã e este tinha-lhe garantidoque todos os três cangurus estavam seguros nas suas bolsas. não li . Andy Lloyd estava de pé. sir.Possivelmente . Ninguém no automóvel fez qualquer comentário enquanto 0 motorista colocava o automóvel n a faixa central. temos um problema muito mais grave-disse Lloyd. meu amigo-respondera Koeter. -Então. ao lado da sua secretária. Carl.Passei a maior parte datarde com LarryHarr ingtonno Departamento de Estado. Diz-me apenas como te hei-de retr ibuir. 0 que ela não mostra é que a reunião ocorreu quase duas semanas depois do assassinato. quando se trata de encobrir os seus próprios erros.Embora eu não acredite que aquele homem diga aver dade.foi tudo o que disse. .Porque assim ela fica ilibada de qualquer envolvimento. Lawrence regressou apressadament e à Sala Oval. e tudo o mais que ela quer que o mundo acredite a respeito dele. Connor pensou em Maggie e sorriu. . 230 JEFFREY ARCHIìR 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 231 presidente contar a história uma dúzia de vezes. Andy Lloyd nem sequer tentou sorrir .Estádio Cooke . em que Jackson está num bar de Bogotá a dar dinheiro ao chefe da Policia. elatem um armário cheio dedossiers que provam que foi Jackson quem matou o Guzman. . Este aceitouodin heiroeinformou-odequeelestinham sido apanhados com droga e que tinham sido "envi ados de volta ao porto de embarque >. . com um ar muito sério. Neste momento.disse Lloyd.Um dos guarda-costas tentou subornar um funcionário da alfândega. Assim que o último carro do desfile automóvel desapareceu de vista .respondeu o presidente.Leu o último relatório da Dexter? Deixei-o em cima da sua secretária ontem à tarde. . -Achas que acreditaram? -Sim. . que.Camo é que conseguiste isso? .Não. o seu rosto estava sem pinga de sangue. Lawrence acompanhou Zerismki à sua limusina que o aguardava junto da entrada do Corpo Diplomático. -E que dizes à história de Dext .-Foram obrigados a pagar muito dinheiro por essa informação. .

todo o r esto se encaixa. feita com uma câmar a de segurança em Dallas. a comprar um arma de elevada potência com especificações quase idënticas à que foi usada para matar Guzman? -É simples-disse Lloyd. de uma forma ou de outra.Que conveniente! . Teria de dar vária s vezes a volta ao estádio. . Quando apresentou Zerismki ao seu chefe de Gabinete.Por que diabo havia ele de faz er isso? . -Mas tu disseste-me que o Fi tzgerald foi preso em Sampetersburgo eenforcado. E ssa seria uma missão que ele teria levado a cabo com prazer. A não ser. Durante os vinte e oito anos seguintes ele serviu a CIA . Lawrence achou que as discussões prelimin ares tinham corrido bem. 0 Marine One aterrou suavemente no relvado sul. e Lawrence contou a história de quando 0 presidente Kennedy tinha jantado ali com oito vencedores do P rémio Nobel e tinha comentado que aquela era a maior reunião de inteligências desde que Jefferson jantara sozinho. então quem era? ..Se não era Jackson. ela já tem alguém a quem culpar.A não ser que Jackson tenha tomado o seu lugar. . Bolchenkov tinha-o avisado de que. por isso ele não tinha a certeza se o orgulho os impedia de admitir que a tinham perdido. masapartirdomomentoqueoZerimskifoieleito. se não cumprisse o acordo. .disse Lloyd em voz baixa. Zerimski não levantou quaisquer objecções ao horário que Andy Lloyd preparara e parecia descontraíd o em relação aos tópicos que seriam abordados. Talvez tivessem receio que ele não fizesse o trabalho se soubesse que a mulher e a filha já não estavam nas s uas mãos. deixou de haver qualquer p ossibilidade. embora já tivesse ouvido 0 232 JEFFREP ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 233 . até o contrato estar completado. Quando fizeram um intervalo para o almoço. Alexei Romanov acabaria por encontrar Maggie e por matá-la e. Connor pensou em Joan. por es se motivo.. Dirigiram-se à Sala do Conselho. bem como a Stuart e a Tara. -Eusei.Anão ser? . . como é que explicas o facto de haver uma gravação de Jackson. Quando o motorista virou para a estrada de circunvalação. Os dois presidentes saíram do heli cóptero e foram recebidos por uma salva de calorosas palmas dos seiscentos membros do pessoal da Casa Branca. Romanov não seria autorizado a regressar ao seu país. fo iJackson que o recrutou como NOC. verificando todas as saídas.sir. Lorry Harrington riu-se respeitosamente. recebeu a Medalha de Honra.-Quando se compreende que não era realmente Jackson. a trabalhar com a mafia russa? Os guarda-costas de Connor não tinham feito qualquer referência ao desaparecimento d e Maggie. cuj o único crime fora ter sido sua secretária. Os dois líderes passaram um tempo invulgarmente longo a pousar para os fotógrafos antes de se recolherem à Sala Oval com os seus conselheiros. Quando Fitzgerald regressou da guerra. Mas Connornunca duvidaraque.Lembre-se de que Fitzgerald salvou a vida de Jackson no Vietname e que.Era Connor Fitzgerald . . antes de decidir se alguma ve z lá entraria.Se alguma coisa correr mal durante a visita do Zerimski. Até chegámos adiscutircomoéquepoderíamo s tirá-lo de lá. se não encontrasse Maggie seria Tara. p ensando sobre os inúmeros preparativos que ainda tinha que fazer. Lawrence reparou que Andy p arecia preocupado. 0 BMW passou os limites da cidade de Washington e Connor recostou-se no banco.er de que Jackson está de novo na América. Cerrou os punhos e desejou que o seu contrato com a mafia fosse para eliminar Dexter e o seu conivente adjunto.Então. para confirmar os tópicos que seriam discutidos em reuniões posteriores.disse Lloyd. ou se ainda tinham esperança de se encontrar com eles antes de ele descobrir a verdade.

repetiu Lawrence. No primeiro. Mas. -Porque Jackson me telefono u de Sampetersburgo logo após Fitzgerald ter sido preso. Depois. . Durante avisita aoMetropolitanMuseum nessatarde. .Mas por que é que um h omem honrado com uma reputação e um passado tão bons como Fitzgerald se envolve numa missão destas? Não faz sentido. É aúnicacoisaem quejulgo que Dexter está a ser verdadei ro. Fez-lhe lemb rar que devia estar sempre preparado para o inesperado: de um apartamento da Qui nta Avenida. e o almoço com o secretário-geral tinha sido descrit o num comunicado emitido pelo Secretariado como "abrangente e produtivo". Quando preparava uma operação. Seguidam ente. afundando-se na cadeira. Às duas horas da madrugada seguinte.Maldição! . havia apenas dois loca is a ter seriamente em consideração.. Enquanto Zerimski dormia. Quanto ao segundo. Andy?-perguntou Lawrence.Tens uma gravação da conversa? . se esse homem honrado acreditar que a primeira ordem para assassinar o Zer imski veio de si. .emb oracomumamultidãodaqueletamanho a fuga fosse mais fácil. -Eu creioquenão. Connor continuava acordado. continuo a achar que o alvo é Zerimski. havia o problema de não ter a arma com a qual se sentiamaisàvontade. -Faz.Tenho sim. temos de partir do princípio que foi Fitzgerald quem esteve em Danas com a intenção de comprar uma arma para poder levar a cabo a sua missão actual. o homem que contratámos para descobrir o que se passa é acusado de assassínio e de atraiçoar o s eu melhor amigo. Zerimski seria um alvo fácil e a multidão seria tão grande e impossível de cont rolar. descera a Quinta Avenida e apertara a mão a transeuntes que faziam as suas compras de Natal. Quando o avião aterrou em Washington. para consternação dos guarda-costa s do Serviço Secreto.e granjeou a reputação de ser o seu agente mais respeitado. parecia uma escolha óbvia. mesmo assim. não tinha qualquer intenção de dizer a Romanov qual escolhera.Depoisdeosdançarinos terem feito as vénias finai s. ele voltou à Embaixada Russa para ali passar uma segunda noite. amulher e afilhatambém desaparecem da face da terra. ele desaparece e não há qualquer vestígio dele nos registos deles. não se encontra uma única referëncia a Connor Fitzgerald. Pug" Washer-ninguém sabia o seu verdadeiro nome -era uma daquelas pessoas que são peri . exausto. se Romanov conseguisse arranjar uma Remington 700 modificada até à manhã do banquete e garantir a sua fuga. 234 Afastou Nova Iorque da sua mente. tinha abandonado o seu itinerário e. por mais minuciosamente que se procure nos inúmeros relatórios de Helen Dexter. -Como é que sabes tudo isso. mas encontrava-se bem-disposto. Presidente. que trabalhoupara ele durante dezanove anos. -SeaceitarmosquequemfoienforcadonaRússiafoiJackson. Sr. não tivessedeesperarmaisdequinzeminutos.Oh. meu Deus! -disse Lawrence. viu que teria de visitar novamente os dois locais antes de tomar uma decisão final.A Dexter faz J. -Será que desta vez o alvo sou eu?-perguntou Lawrence em voz baixa. raramente conseguia dormir mais de alguns minutos seguidos. sir. . Zerimski estava atrasado uma hora e tivera d e vestir o smoking no banco de trás da limusina para que o Lago dos Cisnes. Praguejara em voz alta quando viraopasseiopelaQuintaAvenidanoprimeironoticiáriodanoite. Edgar Hoover parecer uma escuteira . Tanto quanto ele sabia. que ele poderia ter desaparecido em poucos minutos. Zerimski não só conseguira dizer o nome do artista russo que tinha exposto numa das galerias superiores como. 0 seu discurso nas Nações Unidas tinha sido bem recebido. Ou será que era um pouco demasiado óbvia? Começou a escrever listas dos prós e dos contras de cada um dos locais. de um dia para outro. Entretanto. morre subitamente num misterioso acidente de viação quando ia visitar a mulher de Fitzgerald. . no Kennedy Center. quand o saiu do museu.. Zerimski estava atrasado quando o seu avião descolou de Nova Iorque para o levar d e volta a Washington. Joan Bennett. Mas. A sua secretár ia.

Este já descobrira que o preço usual de Pug por uma visita guiada era de cinquenta.desde por que é que o estádio não fora completado a tempoda cerimóniade abertura. Na cerimónia de abertura.tas num assunto. (N. presidente dos Redskins.Duranteodiscursodeencer ramento. sempre que os Skins ga nhavam um jogo.. Connor era fã dos Redskins há quase trinta anos. Pug nunca perdia um jogo dos Re dskins. (N.. Durante as três horas seguintes. a trabalhar ao lado do emp reiteiro que estava a construir o novo Estádio Jack Kent Cooke. Virgínia. No seu caso. Quando explic ou ao velho que tinha sido encarregado de escrever um artigo para a Sports Illus trated' sobre o significado do novo Estádio para os ias dos Skins. Pug passara o ano anterior. que havia um espaço para vinte e três mil veículos estacionarem e que uma banda local iria tocar os hinos nacionais da Rússia e dos Estados Unidos antes do início do jogo do dia seguinte. da T) 2 Nome dada ao Estádia John Kent Cooke. John Kent Cooke. . o Washington Post vendia mais vinte cinco mil exemplares.tornando-seo amigo deconfiança e confidente de gerações de jogadores dos Redskins. Pela primeira vez. pelo que já sabia que todas as assinaturas estavam esgotadas desde 1966 e que havia actualmente uma lista de espera de cinquenta mil pessoas. Ele sabia porque era uma dessas pessoas. passara a ocupar olu gardemassagistadaequipa. Connor ficou a saber que o JumboTron Sony por detrás das áreas de validação const ituía o maior sistema de ecrãs de vídeo do mundo. Tinha sido admitid o como membro do pessoal de campo aos quinze anos.Talvez me possa dispensar uma hora ou duas para me mostrar "o Grande Jack"2 sugeriu Connor. ele produzia uma informação preciosa. de vez em quando. a qual era a atitude da administração em relação a empregar trabalhadores temporários no dia dos jogos. Pug fez uma pausa no monólogo. um sinal de distinção normalmente reservado apen as aos melhores jogadores. Também sabia que. Quando Connor chegou às onze menos um minuto. tendo ficado cal ado até Connor sugerir um pagamento de cem dólares. As suas instruções eram simples: garantir que os fãs e os jogadores dos Redskins tinham todas as como didades que se esperava da maior equipa do país. Combinaram encontrar-se às onze horas da manhã seguinte. anunciou que Pug tinha sido eleito par a a Galeria das Estrelas da equipa. ' Desposo Ilustrado. mais tarde. foi como se tivesse abe rto uma torneira. Mas ele não sab ia que havia cinquenta e cinco quilómetros de canos aquecidos a vapor debaixo do campo de jogos. e que a primeira fila de lugares tinha sido elevada três metros acimado campo para que os fãs pudessem ver po r cimadas câmaras de televisão e dos corpulentos jogadores a correr incansavelmente de um lado para o outro das linhas laterais à sua frente. Pug dissera ao jornalistas: JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAME'NT'O 235 29 -Melhordoqueistoéimpossível. o arquitecto disse aos presentes que estariaparasempregr atoaPug. Começara a vida como aguadeiro e. era os Washington Redskins. Pug tinha trabalhado para os Redskins durante cinquenta anos. ele deleitou o seu visitante com a histór ia completados Redskins erespondeu atodas asperguntas de Connor. em casa ou fora.pelopapelqueestedesempenhara naconstruçãodonovoestádio. à reforma ocorrida em 1997. quando a equipa ainda jogava no Estádio Griffith. da TJ 236 JEFFREY ARCHER . Connor precisou de fazer duas chamadas telefónicas para localizar Pugno seu pequeno apartamento em Arlington. Pug conduziu-o ao interior do estádio como se fosse o proprietário do clube.-Apesardeestarreformado. A maior parte das informações que Pug lhe deu não teriam qualquer utilização prática para Connor mas.

que . a amável recepção e generosa hospitalidade de que fu i alvo nesta minha primeira visita aos Estados Unidos. Presidente do Supremo Tribunal -começou Zerimski.Eu pareço o tipo de pessoa que quereria assassinar o presidente? Quando. Connor deu cento e vinte dólares ao seu guia. tendo em vista o jogo do dia seguinte. sem saberem que a bomba estava prestes a rebentar. Quanto mais se aproximavam do cam arote doproprietário -de onde os dois presidentes iriam ver o jogo-. Teve vontade de lhe dar duzentos dólares.Connorviuosapertados controlos de segurança que o pes soal da Casa Branca estava a efectuar. umaestação que raramente ouvia. . Posso garantir-vos que terei o maior prazer em voltar cá muitas vezes. Quando chegou ao pódio. Zerimski fez então diversashomilias lisonjeiras sobre a história da América. do Supremo Tribunal e do Corpo Diplomático voltaram a sen tar-se. Os magnetómetros pelos quais toda a gente que entrasse no recinto teria de passar e que detectariam se essas pessoas levavam alguma coisa que pudesse ser utilizad a como arma já estavam colocados nos seus lugares. Ele explicou acaloradamente que er a um membro da Galeria das Estrelas dos Redskins e que seria um dos convidados que seriam apresentados aos dois presidentes no dia seguinte.tirouacaixadeóculosdo bolsoepôsosóculos. os seus dais países tinham combatido juntos contra um inimigo comum. Na Sala Oval. -Permitam-me que comece por vos agradecer. mais minucios os eram os controlos.0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 237 Enquantopasseavamàvoltadoestádio. em três vezes no século anterior. e com a toda a razão. Quando se afastaram. Ninguém fazia a mínima ideia do que Zerimski iria dizer. recordand o que. mas o agente recusouse a deixá-lo passar sem um passe da Segurança. 0 presidente Zerimski está a sorrir e a acenar. às duas horas. Sr.Sr. acompanhado pela sua comissão de acompanhamento. Pug murmurou: . Connor tentou garantir ao furioso Pug q ue não era muito importante. Presidente da Câmara dos Representantes. Connor olhou para o relógio e viu que estava alguns minutos atrasado para o encont ro com Alexei Romanov na Embaixada Russa.Osobservadores do Kremlin souberam imediatamente que o discurso seria lido palavra a palavra de um texto preparado. enquant o desce o corredor que atravessa a Câmara repleta e se dirige ao pódio. e que Zerimski não faria os co mentários improvisados por que ficara famoso durante a sua campanha eleitoral. Descreveu seguidamente as aexcelentes relações actua lmente existentes entre os nossos dois países. . ligou o rádio. 0 velho contara-lhe mais em três horas do que o destacamento inteiro do Serviço Secreto seria capaz de divulgar numa vida inteira.Nesta altura. -Todos os presentes-anunciou o comentador-se ergueram dos seus lugares e estão a a plaudir o convidado russo. apertando mãos e stendidas. Pug ficou furioso quando um agente do Serviço Secreto que guardava a entrada para os camarotes executivos lhe barrou o caminho. os dois homens se separaram. Cinco minutos antes da hora prevista para início do discurso. Titov tinha escrit o "PAUsn" na margem. Vicepresidente e Sr. 0 comentador prosseguiu. mas isso talvez fizesse Pug desconfiar. Enquanto o motorista o levava para lon ge do estádio. Tom Lawrence. bem como aos vossos compatriotas. Os membros do Congresso. uma vez que não tinham sido distribuídas cópias do discurs o à imprensa. Zerimski colocou os seus papéis no atril. descrevendo os aplausos como amais calorosos do que ent usiásticos". Zerimski entrou na Câm ara. sintonizando a C-PAN. porque se seguiu uma salva de palmas. Um comentador estava a descrever o ambiente na Câmara dos Representantes enquanto os membros aguardavam a chegada do presidente russo.

depois enfiou-se atrás da eno rme estátua de Lenine. Olhou através do braço estendido da estátua para verificar a linha de visão até ao local onde Zerimski faria o seu discurso de despedida.estava a ver o discurso na C-SPAN com Andy Lloyd. . . comentara ele com um sorriso. permitiu até que um esboço de sorriso lhe perpassasse os lábios. Quando desceu do pódio não h ouve mãos estendidas e os aplausos foram distintamente frios. Connor foi conduzido à área da recepção.Especialmente se não estivessem do mesmo lado.Para ter a certeza de que essa calamidade não possa surgir no futuro. fecharam a porta e desceram lentamente para a galeria por cima do salão de baile. se tivesses depositado na conta da Suíça do embaixador o suficien te para garantir que ele não tenha de regressar à pátria. A câmara continha apenas um única bala de cauda em barco. será sempre necessário que a Rússia permaneça tâo poderosa como os Estados Unidos no campo de batalha. Na Sala Oval. Entraram nele. 0 resto do discurso de Zerimski foi recebido em silêncio.disse Romanov. situado no segundo andar.revelandooelevadorprivativod oembaixado r. começou a descontrair-se um pouc o.Levantou os olhos e sorriu para a assembleia. certificando-se que lhe seria possível ver sem ser visto. . de mármore branco. -Tu também o farias. . em quarenta segundos.ConnordisseaRomanov: .Porquê? -Não queremos que ninguém desconfie quando desapareceres pouco antes de o Zerimski c omeçar o discurso. só precisarás de uma bala . ter -lhe-ia perguntado onde é que a tinha arranjado. Quando o BMW branco parou na Wisconsin Avenue. V iu imediatamente o que Romanov quisera dizerquando afirmara que a segurança internadaEmbaixada era pouco apertada.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 239 qualquer possibilidade de a sua Proposta de Redução do Armamento se tornar lei. Ergueu uma sobrancelha e olhou para Romanov. Lawrence viu as câmaras de televisão focar os rostos sombrios dos memb ros de ambas as Câmaras. para que possa ter o mesmo peso à mesa de conferências. Quando Romanov lhe tocou no braço e o acompanhou de volta ao elevador. uin dos guarda-costas de Romanov acompanhou-os no controlo da segurança. Connor agarrou na coronha e abriu a culatra.Eu sou a última pessoa na terra que gost aria que os nossos dois grandes países se envolvessem noutra guerra inútil.Zerimski fe z uma pausa. indo ao ponto de abrir a porta do gabinete do embaixador e entrar nele.Tu pareces andar à-vontade por todo o edificio. . pensou como tudo parecia tão simples. Ao chegare m ao portão da Embaixada Russa. Esse sorriso desapareceu-lhe do rosto quando Zerismki pronunciou as sessenta e o ito palavras seguintes do seu discurso: . Connor desligou o rádio.Pegounela e examinou-a atentam ente. Quando entraram no gabinete. -Terás de chegar algumas horas mais cedo e trabalhar com o pessoal antes de o banq uete começar. Enquantodesciampelolongocorredor. Connor ficou surpreendido ao ver uma Remingt on 700 feitapormedidaemcimadasecretáriadoembaixador. luxuosamente mobilado. Pela segunda vez em três dias. quem é que iria querer matar o querido presidente da Rússia dentr o da sua própria embaixada?". aAfinal de contas. Romanov olhou para o relógio. àquela distância. e teve consciência de que. Se pensasse que haveria alguma possibilidade de Romanov lhe dizer a verdade. . embora nenhum dos presentes parecesse achar o comentár io particularmente humorístico. Zerimski destruíra 238 JEFFRF. -Eu parto do princípio que. Connor observou minuciosamente a galeria várias vezes. C onduziu Connor ao canto da sala e afastouumacortina. Após alguns minutos. Romanov continuava a tratar a embaixada como se fosse a sua própria casa.disse o russo.

. Romanov pareceu surpreendido. Vê se preparas um discurso tão lisonjeiro que. Não pode esperar? atendido por um JEFFREY ARCHER . .disse Ivanitsky. Na Sala Oval.Aqui fala Pietrovski. 0 primeiro-secretário fez rodar a maçaneta e entrou no quarto do embaixador. . Químicas e Convencionais. apareceu um luz debaixo da porta. .. q uanto mais responder ao seu discurso de despedida à noite. enquanto desligava a tele visão. Atirou o cobertor para trás. 0 telefone tocou várias vezes antes de ser embaixador um tanto ofegante. Bateu à porta. -A Casa Branca ainda nãofez qualquer declaração-estava ele a dizer-e o presidente. à noite. por isso bateu outra vez.Se tem amor à vida. zangado. . Lloyd não fez qualquer comentário. o president e estaria morto antes das quatro.Um prelúdio adequado para a humilhação que tenho preparada para ele.Eu atendo no meu gabinete . Excelência . são quatro da manhã.Eu mando um motorista ir buscar-te às três e meia para poderes estar na Embaixada às quatro. Quando entrava para o banco de trás do BMW disse: . -Entre-disse uma voz sonolenta. .E escusam de ficar à espera . em retrospectiva. Alguns minutos depois. ignor ou os resmungas da mulher.É melhor irmos.. parecerá ainda mais trágico. Biológicas. Ele insiste em que acordemos o presidente. . Connor acenou a cabeça em sinal de assentimento e dirigiram-se à entrada das traseir as.Sorriu de novo. Connor passou várias horas nessa noite a perguntar a si próprio se podia arriscar-se a quebraruma regra que seguira toda a sua vida. .Mas são quatro da manhã . não iriam votar a favor da Proposta de Lei de Redução das Armas Nucleares. ..Eu acho que vou aplaudir os Redskins. .disse Zerimski quando a sua limusina entrou nos terrenos da Embaixada Russa.. Se tudo corresse de acordo com o plano. eu informo-te. .disse Lawrence. para garanti rem aos seus eleitores que.Mas. Acendeu o rádio a tempo de apanhar a s notícias do início da noite: . . Connor pousou o auscultador. . Não obteve resposta.sorriu Zerimski. 0 russo pareceu muito satisfeito por terem chegado ambos à mesma conclusão. E até tu vais ficar surpreendido com o que tenho em mente para a sobremesa.. Diz que tem uma mensagem urgente para ele. mas não disse nada. depois de terem ouvido o discurso de Zerimski. . eu não tenho a certeza se vou conseguir estar sentado ao lado daquele homem durante quatro horas amanhã à tarde.disse Pietrovski. Dmitri Titov permaneceu impassível.Acorde-o. Telefonou a Romanov alguns minu tos depois da meianoite. -Estou ansioso por estar sentado ao pé do meu querido amigo Tom Lawrence e de o ve r embaraçado à frente de milhões de pessoas . acorde-o. Stefan Ivanitsky de Sampetersburgo a o telefone. será um bónus adicional. Se a equipa de 240 Lawrence perder. saiu do quarto e correu pelo corredor fora. Mandei servir a carne fria. Tom Lawrence estava a ver o repórter da CNN a falar da galeria da im prensa do Senado. 0 primeiro-secretário vestiu um roupão. Excelência. -Andy.Senadores e congressistas esforçavam-se por agarrar nos microfones. Virou-se para o seu chefe de pessoal.Eu pedi para falar com o presidente e não consigo. mas há um Sr. desceu apressadamente as escadas e disse ao recepcion ista nocturno que transferisse a chamada para o seu gabinete.Quando decidir que local escolhi. Connorfoiconduzidoatravésdosportõesdaembaixadaminutos antes de Zerimski dever regressar do Capitólio.Bom dia.disse o primeiro-secretário.Desculpe incomodá-lo. Zerimski deve estar de volta dentro de alguns minutos.

. Pou co posso fazer aqui antes de ele regressar.0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 241 .Eu providenciei ontem par a que o dinheiro dos contratos de petróleo e urânio de Yeltsin e de Chernopov seja desviado para a sua conta em Zurique. Embaixador.disse Zerimski -.Eu concordaria. Sr. Ele dia que é urgente.Está tudo tratado. pegando no telefone ao lado da cama. .Caíram .Estavaarecapitular o caminho de fuga quando o serviço de despertar o chamou às seis. 0 que eles não viram foi a mão do presidente a deslizar por debaixo da almofada.Sr. -0 mordomo está na minha lista de pagamentos há quase um ano. Estou a ser claro? 0 embaixador pousou o auscultador em cima da secretária e subiu lentamente as escadas até ao primeiro andar. Stefan.Zerimski pousou o auscultador. 0 presidente ficou calado durante alguns momentos antes de dizer. mas não obteve resposta. Bateu suavemente à porta.disse Zerimski. dê ordens em contrário.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMF_NTO 2d3 .completam entevestido. especialmen te se. tentando dec idir qual dos dois homens lhe metia mais medo. Stefan Ivanitsky.Quando? Onde? Como? . a não ser que Alexei. Ivanitsky fez uma pausa. Presidente.Esse problema poderá resolver-se por si próprio esta noite . Ficou à porta dos aposentos do presidente durante algum tempo mas. Bateu um pouco alto e entreabriu a porta. Levantou-se.respondeu o presidente. 0 czar morreu.. -Um Sr. pois não? . Sr. não poderá fazê-lo. . . .Há cerca de uma hora. Isto é. À luz do patamar.Eles caíram na nossa pequena armadilha? .Saiam do quarto . Sr.Sr..tund~unenu~ -16 242 JEFFRF.Quem me dera estar aí para ver.murmurou Pietrovski quando Zerimski acendeu a luz ao lado da cama. Às cincohoras dessa manhã. Os dois homens recuaram para o corredor e o embaixador fechou silenciosamente a porta. .disse Ivanitsky. .Ambos? . . Presidente. . no Palácio de Inverno. se o filho dele não estivesse em Washington. quando voltar. afastou um pouco a cortina para verificar se eles a . . a não ser que queriam passar o re sto dos vossos dias na Sibéria como inspectores de refrigeração. .Se ele não voltar. decidiu-se.-Ivanitskyfalou sem qualquer emoção. ~ Du`cimn l'rìmeiro f. Connor estava deitado imóvel em cimadacamadohotel. quase num mur múrio.Esta noite tê-los-ei eliminado a ambos.disse Zerimski.Sim . Presidente . apagou a luz e adormeceu passados poucos momentos. Bem v istas as coisas. .Vai-me dar mais prazer do que quando vi o amigo dele pendurado na corda.Temos uma chamada de Sampetersburgo para si. eu não lhe pago para me dizer as horas. Presidente . quantas vezes se tem a oportunidade de matar o mesmo homem duas vezes? . O líquido incolor acabou finalmente por dar cabo dele. .Stefan . . onde estava escondida uma pistola.Desde que aqui cheguei que aprendi uma expressão nova bastante apropriada: -"Matar dois coelhos de uma cajadada > Afinal de conta s. ao ver o primeiro-secretário parado no topo da s escadas.disse o embaixador.Por que é que estás a telefonar a esta hora? Será que Bor odin fez um golpe de Estado na minha ausência? -Não. . .Óptimo.disse Zerimski. o embaixador e o primeiro-secretário conseguiram ver Zerimski a mo ver-se na cama.disse Zerimski. Não podia resultar melhor para nós.Espero que seja importante . . A próxima voz que quero ou vir é a do presidente. esta terá sido uma viagem muito bem sucedida.

-Estánacozinhadesdeassei sdamanhã. depois pôs três notas de cem dólares. Seguidamente. por isso planeara sair dez minutos antes. Ainda não tinham a certeza se ele estava satisfeito por o terem acordado às quatro da manhã mas. Diga-lhe que venha ter connosco ao seu gabinete. Passou os trinta minutos seguintes a fazer alongamentos ligeiros. Eu já lá vo u. Depois.Elecomiasempre a mesma refeição no dia de uma operação. . estacionados no outro lado da rua. Não podia olhar para baixo. TENTATNA DE ASSASSINATO DO PRESIDENTE RUSSO FALHA. -Bom dia. Presidente-disse Pietrovski. os seus ocupastes estariam com sono. Alguns minutos depois das sete. depois despiu-se. a aguardar ansiosamente. embaixador.inda lá estavam. dobrou o jornal e colocou-o em cima da mesa à sua frente. Gostava da rotina. . -Muito bem. uma camisola grossa.Romanov já chegou? . Zerimski sabia que os dois homens já estavam à porta. Nesta altura.disse o primeiro-secretário. Enquanto comia. Zerimski estava sentado sozinho na sala de jantar da Embaixada a ler o Washingto n Post. Tinham de estar no cruzamento da Vigésima-P rimeira Avenida com o DuPont Circle quando o trânsito começasse a aumentar. Zerimski acenou a cabeça. 0 embaixador e o primeiro-secretário acharam que deviam esperar um minuto antes de irem ter com o presidente. vestiu uma camisa azul. um par de calças de ganga. minuciosamente. Estavam: dois BMW brancos. Sr. Esta ajudava-o a acreditar que todo o resto iria correr bem. Mediu a viga-mestra com uma régua e calculou que fossem catorze metros até ao alçapão. meias pretas e ténis Nihe pretos com o logotipo desenhad o. Decidiu fazê-los esperar mais alguns min utos. Olhou para o relógio e voltou ao quarto. Ex-agente da CIA morto no jar dim da Embaixada. . saindo da sala de jantar às arrecuas. a conclusão do editorial: aZerimski é o sucessor natural d . encontravam-se ali desde a meia-noite anterior. Ele sabia que eles mudavam de turno às oito. tocou a campainha de prata a seu lado e pediu ao mordomo que chamasse o embaixador e o primeiro-secretário.averificarpessoalmente a comida que está a ser entregue para o banquete desta noite. Deixou que os jactos frios do chuveiro lhe picassem o corpo como agulhas durante algum tempo antes de fechar a torneira e de pegar num a toalha. Entrou na pequena hitchenette. voltou a ler as sete páginas de apontamentos que tomara após o seu encontro com Pug e estudou mais uma vez. Biológicas.Chegou sim. uma moeda de vinte cinco cênt imos e uma cassete áudio de trinta minutos no bolso de trás das calças de ganga. enquanto o mordomo servia o pequeno-almoço. Zerimski limpou a boca com um guardanapo. Sr. A conta já tinha sid o paga. Aguardou mais alguns minutos. saiu pela última vez do apartamento anónimo. Voltou para o Washington Post. sir-disse Pietrovski. Isso pô-los-ia ainda mais nervosos. Sr. a planta do es tádio. serviu-se de um copo de sumo detoranjaeencheuumat igelacomflocoseleite. pela segunda vez. Presidente . Químicas e Convencionais de Lawrence era agora considerada pelos principais comentadores como "morta". 0 mordomo afastou-sera pidamente. uma gravata azul. Sentiu-se invadido pela calma que domina um at leta em boa forma quando é chamado para a linha de partida. quando entrou na sala de jantar. Sorriu outra vez e passou a ler o editorial que confirmava que a Proposta de Lei de Redução das Armas Nucleares. Sorriu quando viu o título: REGRESSO À GUERRA FRIA? Enquanto bebia o cafë.Óptimo. partiram do princípio que tinham tomado a decisão correcta. sorrindo ao ler. como nenhum deles ainda tinha sido des30 244 JEFFREY ARCHER 0 DFCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 245 pedido.perguntou. imaginou por um momento o título da que poderia ser a princip al notícia do Post na manhã seguinte.

Atravessaram a Vigésima Primeira Avenida e Connor viu o DuPont Circle ao longe. pelo que o motorista meteu a primeira e juntou-se ao trânsito da Wisconsin Avenue. que lhe entregou um exemplar do Post. 0 máximo que ele contara ao longo da semana tinham sido dezasseis. antes de o fim do dia. correu para a porta e abriu-a para ele entrar. Os dois homens do segund o BMW saltaram do automóvel e começaram a correr atrás dele no momento exacto que o semáforo do DuPont Circle ficou verde. Connor contou dezassete automóveis à frente deles. Connor apareceu à entrada do edificio de apartamento s e atravessou lentamente a rua em direcçãoaoprimeirodosdoisBMW Sentou-seaoladodomot orista. Não mexeu um músculo. Eram exactamente sete e quarenta e cinco.Preciso de ir à baixa fazer umas compras . Só oito automóvei s passaram o semáforo. mais do que de Gorbachov ou Yeltsin. Quando o semáforo ficou vermelho. mas o trânsito era tão intenso que só ao fim de algum tempo conseguiu avançar um pouco. vestido com uma camisola de alças cor de laranja-fluoresc ente.Siga em frente . ter reforçado essa imagem.disse Connor.. pelo que não fazia a mínima ideia se alguém do segundo carro vinha atrás dele. Connor sabia que os semáforos da Avenida P. sorriu para o guarda-costas do banco de trás e apontou para o ardina. Um relógio de pêndulo estava a dar horas quando entrou no gabinete. o homem sentado no banco de trás nem sequer se dera ao trabalho de o acompanhar. em média. Quando seguia ao longo do corredor em direcção ao gabinete do em baixador. Não olhou para trás. No dia anterior. Olhou instintivamen te para o relógio. Connor saiu para o passeio e começou a dirigir-se lentamente para o velho. um jovem estancou. já tinha uma moed a de vinte cinco cêntimos na mão. doze carros. . todas as manhãs. queestava muito congestionada devido às obras que decorriam em Georgetown. comprado um exemplar do Post a um ardina e regressado ao au tomóvel. 0 sinal mudou para verde e o motorista meteu a primeira. 2~6 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO . conseguiam passar. na realidade. tentando calcular a extensão da fila de automóveis quando o sinal ficasse outra vez vermelho. ele tinha esperança de. Quando chegou ao pé do ardina. quase parados. Connor viu o veículo de que precisava. perto do DuPont Circle mudavam de trin ta em trinta segundos e que. 0 homem sentado no banc o de trás acenou a cabeça em sinal de concordância. Quando deu meia volta e começou a andar na direcção do primeiro BMW o semáforo ficou vermelho e o trânsito parou. No outro lado da av enida. que pareceu um pouco surpreendido por vê-lo tão cedo-tinham-lhe dito que Fitzgerald não deveria ir para a Embaixada antes das quatro da tarde. Concentrou-se no trânsito que se movia na direcção oposta no out ro lado da avenida. a seis carros de distância do semáforo. À medida que os dias passavam.Dou-lhe cem dólares se passar aquele semáforo. Connor abriu a porta e atirou-se para o banco de trás do táxi. ." Não tinha qualquer objecção a esse comentário. . o trânsito em direcção a oeste movia-se muito mais depressa. Ele precisaria de calcula r exactamente o momento da sua jogada. Levantou-se da cadeira e saiu calmamente da sala. 0 homem acenou a cabeça em sinal de assentimento. Virou-se. durante esse tempo. Deu-a ao velho. 0 segundo automóvel seguia-o s de pertoquandoviraram àesquerdapara aAvenida P. Aproximadamente à mesma ho ra. Aos dez minutos para as oito.e Estaline e Brezhnev. Connor tinha reparado que os seusguarda-costassetinhamtornadocadavezmaisdescontraídos. Os carros estavam agora colados uns aos outros. Tinha trinta segundos. ele tinha saído do BMW na esquina da Vigésima Primeira Avenida com o DuPont Circle. Mudou subitamente de direcção e começou a correr por entre o trânsito parado na faixa da avenida que seguia para oeste até chegar ao táxi vazio.gr itou ele.

. dirigiu-se lentamente a Roman ov e colo cou uma mão reconfortante no seu ombro. e . etecetera. Ele chegará à Embaixada às quatro da tarde.disse o motorista.Excelente! .disse Zerimski -. . para que. Zerimski levantou-se. Os três homens puseram-se de pé quando Zerimski entrou no gabinete. como se fossem uma enorme multidão. depois em ansiedade. . . Se vir um BMW atrás de si. Zerimski acenou a cabeça. .disse Zerimski.2d7 0 motorista premiu a palma da mão contra a buzina e manteve-a lá enquanto passava o sinal vermelho. -Tenhoumanotíciatristeadar-te.E depois o que acontece? . Ele fez-lhes sin al com a mão para que se sentassem. um sucessor extremamente digno. depois volte calmamente para a cidade. Alexei. Ele concordou com o meu plano. -Isto é-acrescentou Zerimski-.Uma vez ali. Ele ficará na cozinha sob a minha supervisão até algun s minutos antes de o Sr. . Fechou a porta no momento em que os dois BMW passavam velozmente por ele em pers eguição do primeiro táxi. Os dois BMW fizeram inversões de marcha com um chiar de pneus. . . em breve . ele colocar-se-á atrás da estátua de Lenine.Agora.perguntou Zerimski.Alexei-disseopresidente. pare durante trinta segundos junto da porta das Partidas.Para o Estádio Cooke. onde permanecerá até o Sr.. ninguém atribua importância a esse facto. enquanto o Sr. deu-lhe uma nota de cem dólares e disse: . 0 embaixador e o primeiro-secretário parecer am convenientemente tristes. Presidente estiver no jogo de futebol com Lawren ce. Presidente se levantarpara fazerodiscurso de despedida.disse Romanov. Ele apanhará o elevador particular para a galeria que fica por cima do salão de baile. mas o semáforo já tinha mudado e o seu caminho foi bloqueado por três carros parados.. mas ignorou-a e virou-se para Alexei Romanov. amigo. metendo a nota de cem dólares ao bolso.Eu chorá-lo-ei .-Os dois diplomatas a cenaram a cabeça em sinal de concordância enquanto Romanov inclinava a cabeça para agradecer as palavras amáveis do presidente. a expressão de Romanov transformou-se em apreen são.Espero que tenha bilhete.Ele era um grande homem. Romanovbaixouacabeça. . Até agora.Eu acompanhá-lo-ei a e ste gabinete. tudo que quiser. amigo. onde ele virá buscar a arma. .Nada irá correr mal .Precisamos que todos pensem que ele é apenas um membro da equipa de fornecimento de refeições.Oembaixadoreoprimeiro-secretário olharam para o presidente para saberem como deviam reagir.Quero que siga directamente para Aeroporto de Dulles. 0 embaixador e o primeiro-secretário continuaram a acenar a cabeça.Porquê tão cedo? . Pre sidente chegar à parte do discurso em que agradece ao povo americano a hospitalidade e a calorosa recepção que teve em todo o lado.Certo. . . 0 táxi virou à esquerda na Vigésima Terceira Avenida e Connor pediu ao motorista que e ncostasse. que parecia muito satisfeito consigo próprio. Ficou surpreendido ao ver uma arma no local em que estaria normalmente o mata-borrão.Falei com Fitzgerald pouco depois da meia-noite.disse Zerimski. Quando o carro parou. partindo do princípio de que nada corre mal esta no ite. atravessou a Vigésima Terceira Avenida e mandou parar um táxi que seguia na direcção oposta. não deixe que ele o ultrapasse.E. .E para onde gostaria de ir nesta bela manhã? . Connor saiu do táxi. Romanov ergueu a cabeça e sorriu. . corria tudo de acordo com o plano. Durante o longo silêncio que Zerimski permitiu que se seguisse. e sentou-se na cadeira atrás da secretária do embaixador. Parece que o teu pai teve um ataque cardíaco durante a noite e faleceu a caminho do hospital. quando ele sair da cozinha seis horas mais tarde. senão vou ter de o trazer logo de volta. pondo termo ao seu breve luto. .Recebi esta manhã uma chamada do teu primo Stefan. terás oportunidade de demonstrar a tua autoridad e de um modo que não deixará a ninguém na Rússia quaisquer dúvidas sobre quem é o novo czar. enfaticamente. etecetera. Quando chegar ao aeroporto. o seu manto passou para ti.

Alguém tem de servir nas salas executivas . enquanto outros. com todos os seus riscos .Porque o Fitzgerald não vai premir o gatilho se pensar que existe alguma probabi lidade de fazer um movimento súbito. Virou para a secção local e um pequeno sorriso perpassou-lhe o rosto quando leu a no . 24R . almofadas e lembranças aos setenta e oito mil ias. em vez da Embaixada.perguntou Zerimski. na sua maior parte.Subornos? .1R0 MANllAMFN'FO 249 31 .Que é isto? . A reacção dos congressistas era unanimemente hostil. que recorreriam a tudo. A outra era para os que tinham esperança de trabalhar no interior do estádio. -Isso é um material fascinantepara o meu artigo-garantira-lhe Connor. Retirou uma pequena peça e deu-a ao presidente. Ele fez-nos repetir várias vezes todo 0 exercício ontem à tarde. organiza ndo o estacionamento para os vinte e três mil automóveis e autocarros.Mas certamente que o teu plano tem uma pequena falha? Romanov pareceu perplexo . o Sr.0 percutidor .perguntara Connor. explicara Pug. em perseguição de um táxi vazio que excedeu o limite de velocidade em todo o percurso até ao Aeroport o de Dulles. A primeira fila era para os que queriam trabalhar no exterior do estádio. eram fãs tão fanáticos dos Skins. . . ou vendendo programas. Connor meteu-se nessa fila. especialmente quando o presidente estava na cidade. na esperança de conseguire m trabalho. . Um segundo táxi seguia para leste.Como é que eu vou sobreviver a um tiro disparado de tão perto por um atirador com a reputação de Fitzgerald? Romanov ergueu-se da cadeira e pegou na arma.Porquê? . Durante estes aplausos. JEFFREY ARCHER 0 DECIMO PRlMF. . incluindo subornos.Seis dos meus guarda-costas pessoais estarão à espera debaixo da árvore . Nessa altura. pela -Route 66. Sub iu o caminho de cascalho em direcção à entrada norte e às longas filas de indivíduos que apareciam por ali sempre que havia um jogo em casa. Connor pensou de novo na sua decisão de escolher o estádio. uma meia dúzia de agentes do Serviço Secreto observavam os candi datos. eu providenciei para que haja aplausos prolongados.perguntou Zerimski. Connor continuou a ler o Washington Post enquanto a fila avançava lentament e. desempregados e aqueles a que Pug chamava os viciados na pré-reforma. . piscando 0 olho. por jovens. para ent rar no estádio.E assim eles acabam por ver o jogo do melhor local.E qual é? -. Quando leu o editorial.perguntou Zerimski. P residente deve ficar absolutamente imóvel. a uma velocidade calma. mas esta noite ele vai ficar a saber que há uma pequena diferença. inocentemente. . desconfiou que Zerimski ficaria muito satisfeito com ele. . em Maryland. A maior parte da primeira página era dedicada ao discurso de Zerimski à sessão conjunt a do Congresso. . e particularmente por parte do presidente Lawrence. . . Os dois BMW brancos seguiam velozmente para oeste. Quando chegou ao estádio.disse Roma nov. para que ninguém os tomasse por de sempregados.respondeu Romanov.Compreendo.disse Pug.Sim. ele vai descer para o parapeito junto do cedro do jardim d e trás. .Eles tê-lo-ão abatido muito antes de ele pôr os pés no chão. que simplesmente gostavam de passar o dia for a. Zerimski ficou em silêncio por instantes antes de dizer: . Pug até tinha descrito como este grupo se vestia. formada. Neste dia específico. Alguns deles precisavam do dinheiro.tecetera. em direcção ao E stádio Cooke. Connor sabia exactamente para onde se devia dirigir.Depois de disparar. Ele tinha podido entrar e sair do edificio com demasiada facilidade: ninguém tinha uma segurança tão frouxa.

. 0 homem preencheu um passe da segurança. Connor deu meia volta na direcção do homem sentado atrás d e uma mesa assente em cavaletes.disse o homem.disse uma voz. . De qualquer modo.Estou a pensarem entrar para o Serviço Secreto quanto sair da universidade. . evitando a pergunta.Que tem ainda? .perguntou Connor.e por que motivo ainda não se conseguir a decidir entre ir para o Serviço Secreto ou ser advogado. . mas quero vê-los a trabalhar de perto.disse uma voz. que já tinha posto de parte a ideia das torres de i luminação. pensou Connor.acrescentou.disse Connor. ao fundo das escadas. .Porquê nas torres de iluminação? .anunciou o jovem. já sabia em que escola ele andara. um fotógr afo deu um passo em frente e tirou uma fotografia Polaroid a Connor. Todos aqueles degraus os assustam. para a "Sala 47. Brad começou a contar-lhe a história da sua vida e. Sabia exactamente onde ficava a Sala 47.perguntou Connor.passando pelo museu e debaixo de um estandarte que proclamava aVwn n vtTÓR~a". Não queria envo lver-se numa conversa desnecessária com alguém que pudesse mais tarde ser convocado como testemunha. e eu quer o saber como é realmente esse trabalho. No interior da pequena divisão.Dave Krinkel . . pois agora estes eram feitos por pessoal do Serviço Secreto e não pelas empresas de segurança habituais. directamente por debaixo do Bloco H. a qual. do que no dia anterior. Já fiz o curso de formação para licenciados. ele sabia exac tamente onde queria estar. dobrando o jornal.Optimo. -Não muito-disse ohomem.Porque é lá que o agente especial no Comando do Serviço Secreto vai ficar. . SEavtço nE R~FE~çòES reuaDo" e com uma seta a apontar para baixo. Levou mais algum tempo a passar os três controlos da segurança. Connorvirou-se e viu um jovem bem vestido que se tinha posto na fila atrás de si. e . -Dirige-te à Sala 47. Um agente disse-me que um trabalho que ninguém quer é levar refeições aos tipos do Serviço Secreto que ficam nas plataformas de iluminação atrás das zonas de validação.A seguir.Pronto. incluindo o magnetómet ro.Este passe dá-te acesso a todos os locais no interior do estádio excepto a zona de alta segurança que inclui as salas executivas. antes de voltar para o jornal.respondeu ele laconicamente. quando Connor chegou à frente da fila.Olá .Connor acenou a cabeça em sinal de assen-timento e prendeu o passe à camisola. estava colada no passe. não precisarás de lá ir. . .A seguir . . não por causa dos degraus mas porque não havia por onde fugir.E tu? . estendendo a mão direita. . mas não disse nada.Identificação? Connor deu-lhe uma carta de condução. -A única coisa que tenho é lavarpratos ou servir refeições aos empregados espalhados pel o estádio.Como te chamas? . -Alguma coisa no serviço de refeições?-perguntou Connor. Tal como Brad. -Eu chamo-me Brad. Os 172 degraus. entregando-lho. Dave . . . Connor apertou-a. dirigindo-se para a esquerda. Uma vez dentro do estádio.tícia da morte prematura de um distinto professor universitário oriundo da sua terra natal. que estudava Criminologia na Universidade de Georgetown -isso fê-lo pensar em Maggie . .Y ARCHER 0 DÉCMO PRIMEIRO MANDAMENTO 25l era nitidamente uma conversa a que pudesse pôr termo rapidamente.Eu gostaria de arranjar trabalho nas torres de iluminação . . olhando paraumalista coberta de riscos em V. Connor seguiulentamenteaolongodapassageminterior. segundos mais tarde. Esta não 250 JEFFRF.Conno r afastou-se. . .Olá. até chegar a uma escada com uma seta a apontar para baixo.Porquê?-perguntou Connor. os camarotes do clube e a secçãoVIP. .

0 embaixador Pietrovskijá disse ao Serviço Secreto. repres ento o lado belo do negócio. Aquele homem tinha merecido todos os cêntimos que lhe pagara. relendo um artigo sobre o jogo da tar de. para a Embaixada Russa. -Óptimo-disse ele.Connor levantou os olhos e viu. Lavar a loiça. sem sequer olhar para Brad e d isse: . . esperem.Esta noite não deve haver problemas . -Acertou à primeira-disse C onnor. Só ficaram ele e Brad na sala. . -Eu nunca o devia ter convidado-rosnou Tom Lawrence ao embarcar no Marine One.Pronto .E eu tenho a sensação de que os nossos problemas ainda não terminaram--disse Andy Ll oyd. -EutenhodoistrabalhosnaSegurança-disseoencarregado do serviço de refeições.a melhor equipa do país.A maior parte dos homens na sala levantou as mãos.As regras normais não se aplicam a Fitzgerald . disse: -Agora. à sua f rente.Os velhos prof issionais levantaram-se. . explicara Pug. Pessoal sénior? . dando-lhe uma nota de cem dólares. todos os que estão na lista podem apresentar-se ao trabalho. prestem atenção. Mais nenhum dos outros presente s parecia não precisar do dinheiro. . .Ainda há dois acontecimentos públicos antes de Zerimski regressar à Rússia. q ue o levaria da Casa Branca ao estádio dos Redskins.Ele não funciona de acordo com o estipulado.Posso oferecer-vos duas opções.disse Lawrence. . ele previa uma margem de 20 pontos. -Porquê? Que mais pode correr mal?-perguntou Lawrence quando as hélices do helicóptero começaram lentamente a girar. exactament e como Pug previra. como podem ver. como os restos dos camarotes executivos constituíam a melhor refeição que al guns tinham comido a semana inteira. Sentou-se a um canto e voltou para o Post. . passaram lentamente por ele e atravessaram uma 252 JF. . Connor ficou calado enquanto o homem gordo metia o dinheiro ao bolso. Conno r tinha esperança de que o resultado fosse completamente diferente.FFRF.disse uma voz -. . em inúmeras ocasiões. . e ra sempre uma tarefa desejada porque não sá quem a fazia recebia dez dólares por hora.disse Lloyd. Depois de ter minar a lista.ncontrou doze homens sentados. . -Eu sou o encarregado do serviço de refeições . quem iria correr esse tipo de risco num local com tanta segurança? . Agora.disse ele. um homem enorme com um uniforme de cozinheiro. Podem servir o pessoal sénior ou o pessoal da segurança. Quase t odas as restantes mãos se levantaram. e aposto que Fitzgerald vai estar à nossa espera num deles. . Reconh eceu um ou dois que tinham estado na fila à sua frente. que a sua gente é perfeitamente capaz de proteger o seu próprio presidente.E. colocando o cinto de segurança. Na realidade. .Um é óptimo 0 outro é mau. Lavar pratos ou servir os empregados do estádio e os tipos da segurança à volta do estádio. Tony Kornheiser pensava que seria um milagre se os Redskins vencessem os Pac kers . 0 encarregado do serviço de refeições dirigiu-se a ele. bateu no bloco com a caneta e disse: -Pro nto. Todos eles pareciam conhecer bem a rotina.Foi isso exactamente o que pensei-disse o encarregado do serviço de refeições devolv endo-lhe um sorriso. Em todo o caso. quem se oferece para lavar pratos? . levantando os olhos do bloco.Tenho a sensação de que prefere o conforto do JumboTron. com um enorme queixo duplo e devia pesar mais de 125 kg. escolhendo cinco homens e anotando os seus nomes. 0 encarregado do serviço de refeições voltou a anatar cinco nomes.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAhIF.perguntou ele. Quando terminou. . Tinha cerca de 50 anos. Qual de vocês dois vai ter sorte?-Lançou um olhar esperançoso a Connor que acenou a cabeça em sinal de assentimento e levou uma mão ao bolso de trás .Alguns dos antigos riram-se educadamente.NTO 253 porta que Connor sabia que ia dar às cozinhas. 0 presidente olhou para baixo.

disse o encarregado do serviço de refeições. eu posso fazer o mesmo num jogo de futebol. . . Ela será a primeira a dizer. Presidente lá chegar. quanto mais uma arma. .disse ele .Sabes que vi a espingarda com que o Fitzgerald planeia matar-me . enquanto o seu desfile de nove limusinas saía dos portões da Embaixada.NTO 255 de ir buscar o dinheiro se queriam que lhes voltasse a ser oferecido trabalho. não fazia ideia que houvesse tantos fãs dos Skins a trabalhar na Casa Branca. .respondeu Lloyd. .Alguns podiam muito bem ser fãs dos Packers . pelo que ninguém conseguiria levar um canivete lá para dentro. segurando na mão um objecto que parecia um prego dobrado.Pronto. quando o helicóptero virou para les te. 32 . toda a gente no estádio terá passado pelos magnetómetros. e não vou permitir qu e as nossas vidas sejam ditadas dessa forma.Quem achas que vai ganhar esta tarde.A primeira coisa que tens a fazer é ir buscar um casaco branco e um boné dos Redskins. Carregas no botão do lado esquerdo-prosseguiu ele. sobes no elevador até ao sétimo nível e esperas que eu coloque a comida no elevador de serviço. dissera ele. para parecer que fazes parte da equipa.-Ele qu er ser apresentado a todos os convidados. . Mesmo assim. . Depois. .sem ter de se preo cupar com sair de lá. como se estivesse a falar com u ma criança de dez anos . eventualmente. "Recorde-se". E não te esqueças que eu estarei lá. Os agentes do Serviço Secreto comem uma sanduíche às de z e o almoço. que só há um espaço de treze minutos em que poderão ocorrer problem as. no início do jogo. . Ficou calado por um momento.Mas antes de ver tantos funcionários meus a tentarem c aber nos carros avançados esta manhã.. . coca-cola.Fitzgerald não teria o mesmo problema esta tarde. -Que maneira de gerir um país-disse Zerimski.Se Clinton pôde ficar de pé no meio do Estádio Olímpi co de Atlanta para a cerimónia de abertura. Presidente -disse Titov. Titov pareceu surpreendido.Ele v ai usar o mesmo modelo que a CIA usou como prova falsa em Sampetersburgo. .. -Mas.Não te esqueças. Lloyd sorriu com o estratagema que o seu chefe utilizava frequentemente quando não queria continuar a discutir um assunto desagradável. Titov abanou a cabeça. Mas co m um requinte.Que pensas que isto é? .Por que é que Lawrence vai de helicóptero para o jogo e eu tenho de me contentar c om o banco de trás deste carro? . Andy?-perguntou o presidente. 25d JEFF'REY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMF. sir . pi sque o olho. se Zerimski fosse assassinado. ele possa dar a impressão de os conhecer há muito tempo.Já seria bastante dificil entrar naquele edifício . Piscou o olho. .perguntou ele. a correr exactamente o mesmo risco que Zerimski.disse ele.disse Lawrence.Não é demasiado tarde para cancelar essa parte do programa. Andy.-Não que esta tarde seja importante. sanduíches. -Acha que Fitzgerald não sabe isso?-disse Lloyd.Não faço ideia. Que diabo. . ele deve estar ao pé de ti. presta atenção . Andy. -Ele tem de se assegurar que chega lá antes do Sr. -Não-disse Lawrence num tom firme. .Não sei. ninguém o el ogiaria por ter estado a seu lado.Esse é um local em que ele teria facilidade de entrar e sair. num estádio com quase oitenta mi l espectadores . . "quando o gerente mencionar a palavra `pagamento'. de modo a que. o que eles quiserem. . sir-disse Lloyd. muito menos Helen Dexter. nem de alguma vez voltar ao estádio. Connor deu a impre ssão de estar a escutar atentamente. nós vivemos numa democracia. Abriu o dossier qu e tinha no colo e começou a estudar as breves notas sobre os convidados que iria conhecer no estádio. Connor não tinha qualquer intenção de ir buscar os cinquenta dólares. -Eu compreendo. ao fim de cerca de um minuto. ..perguntou Zerimski. quando o Sr.respondeu.Levou a mão ao bolso do casaco.e.

e. o presidente Lawrence telefonou-me para o Kremlin a convi dar-me para visitar o seu país. Nos seus dias de jogador de f utebol. Quando tiver tu do terminado. Depois. Setenta metros.que o Sr.Um ex-agente . . Connor olho u para o elevador de serviço. A administração de Lawrence acabará por não ser mais do que . Durante o intervalo. podemos deixálo carregar no gatilho antes de os guarda-costas começarem a enchê-lo de balas. levantando os olhos das notas . no lado leste do campo. pensou Connor. . Passas pela porta e segues por um passadiço coberto até chegares à porta de trás do JumboTron. 0 que acontece quando faço a visita? A minha mão estendida encontra. eu quero que os americanos escrevam numerosos livros sobre como eu fui responsável pelo colapso total das relações entre o s dois países. até mesmo repetir-se a si próp rio. Cinquenta dólares. . podes ir para a parte de trás do estádio ver o primeiro quarto do jogo. Trinta e sete passos. levas a bandeja ao agente colocado no interior do Jumbo Tron. no seu interi or.-É o percutidos de umaRerrtington 700-respondeu Zerimski. Enquanto o encarregado continuava a dizer-lhe coisas que ele já sabia. Pugtinha explicado que os fãs a sério não se davam ao trabalho 25ti -Óptimo. -Achei que era prudente-disse Titov. recordou Connor. vem buscar o teu pagamento. estavam claramente escritas as palavras: peso máximo permitido: 75 kg. -Deixou-o cair de novo no bolso.Ele piscou o olho. Se não fosse a minha sorte. . Sr.Examinou-o de perto. Connor podia ter-lhe dito que o elevador de serviço demorava exactamente quarenta e sete segundos a subir da cave até ao sétima nível. Na América. Presidente. Dá-me um cheirinho-disse Zerimski. .Também aqui está. . -Quando a comida chegar. eu mando-lhe um bife no fim. à esquerda..Certo. pode ria demorar três minutos.E a minha a reacção espontânea depois de o Fitzgerald ser morto? . Aceitei com toda a boa-fé. . Connor pesa va 105 kg. eles gosta m de acreditar que tudo é uma conspiração. pelo que teve esperança que o projectista tivesse deixado uma pequena margem. Percebeste tudo. -Eu terei o maior prazerem alimentar essa paranóia-disse Zerimski. vais buscar a bandeja e levá-la para o elevador de serviço. P residente parecesse cometer de vez em quando um erro. Mas como havia mais dois níveis . Se o agente te tratar bem.Alguma pergunta? .Por isso.interrompeu Zerimski. podes ver o resto do jogo. sir. . Dave? Connor sentiu-se tentado a dizer: Não.Não. quando ele estivesse a descer. Importa-se de repetir tudo outra vez. Tinha setenta centímetros por oitenta e. Titov tirou um dossier de uma pasta a seu lado e começou a ler um papel escrito à mão. Depois de lhe entregares a bandeja. mas um pouco mais devagar?" . Presidente-respondeu Titov.q ue também tinham acesso ao elevador de serviço. . . E onde? Na minha própria embaixada. Pode ter a certeza que nem uma só palavra será publicada.Acho que vou emoldurá-lo e pô-lo em cima da minha secretária no Kremlin. era possível que ele tivesse de espera r as suas ordens serem dadas antes de o elevador chegar até ele. encontrarás uma porta assinalada "PaxTiCUtax". Ao longo do passadiço. sir. sir. neste caso. E quem carregou no gatilho? Foi um agente da CIA. -Está cheio dos lugares-comuns habituais . Sr.. Assim.bates à porta e um agente de serviço abri-la-á e deixar-te-á entrar. Carregas no botão verde e ele descerá de novo para a cave. conseguia percorrer essa distância em cerca de sete segundos.o segundo (lugares para os membros do clube) e o quinto (salas executivas) .Muito depois de o Lawrence ter deixado de ser presidente.Quando chegares à porta da parte de trás do JumboTronprosseguiu o encarregado do s erviço de refeições-. recostando-se no assento. -0 discurso que eu devo fazer esta noite foi distribuído à imprensa? -Foi sim. . Aqui tens a chave.Percebi sim. Havia dois outros problemas: não poderia testá-lo e não podia fazer nada para o impedir de parar no quinto ou no sexto andares. ninguém vai sugerir que sempre soube o que se passava. não um ramo de oliveira mas uma arma ap ontada directamente para mim.No dia da minha eleição.

passando portodos oscontrolos de segurança sem qualquer contratempo. -Depois de ter conseguido isso. .disse o atirador.Óptimo . antes de entrar para o banco de trás do carro que o aguardava. Law rence e Lloyd emergiram um momento depois e o presidente voltou-separ aacenaraumgrandeajuntamentodesimpatizantes. o proprietário dos Redskins. 0 JumboTron tinha três andares. Cooke conduziu o seu convidado a um elevador privado.disse ele entre dois golos. um por cima da plataforma e outro por debaixo dest a.Sorriu para Titov. passando por uma banca con cessionada. -Então. 0 Marine One aterrou no heliporto situado a nordeste do estádio e uma limusina dir igiu-se silenciosamente para ele. -Acreditas realmente que o s Skins podem ganhar. Connor equilibrou a bandeja numa mão e bateu à porta com a outra. . Eram nove e cinquenta e seis. estava à espera deles à entrada do estádio .4NDAMENTO 257 e seguiu pelo passadiço coberto por detrás do JumboTron. mesmo antes de a escada do helicóptero ter tocad o no chão. Demasiado tempo mas. -Muitoprazeremconhecer-te. Faltavam ainda trinta e quatro minutos para o estádio abrir as portas ao público. 0 Ducìmo Primeiro Mandamento. . John?perguntou Lawrence com um esgar.perguntou Arnie com um sorriso.oitenta e três segundos. entroncado. Connor pousou a bandeja ao lado do agente. . que estava sentado no meio do lanc e de escadas que conduzia à rampa inferior. em me nos de dois minutos. de cabelo grisalho. retirou a bandeja e carregou no botão para informar o pessoal na cave que a tinha recebido. até chegar a uma porta assinalada <PARTICULAR". Se corresse tudo de acordo com o plano. Estava mais interessado na sua lata de c oca-cola do que nos olhos errantes de Connor. Depois.respondeu Connor. quando Lawrence saiu da limusina. Olhou outra vez para o relógi o . Mas ele tinha um horário muito mais rígid o do que qualquer outra pessoa no estádio.Tirou uma sanduíche de pastrámi da bandeja e Connor seguiu-o ao longo de uma plataforma de aço galvanizado atrás de um enorme ecrã constituído por 86 televisores. 0 agente do Serviço Secreto sentou-se e deu uma dentada na sanduíche. Carregou no botão ao lado do elevador de serviço e ouviu imediatamente o zumbido de um motor a iniciar a sua lenta viagem até ao sétimo nível. Alguns segundos de pois.0 meu nome é Arnie Cooper. do telhado à cave. . apertando a mão ao homem magr o.Por que é que não me faz companhia? . .um rodapé na história do ressurgimento do império russo soba minha presidência. rodou a chave na fechadura com a outra e entrou. Percorreram os quinhentos metros até ao estádio em menos d e um minuto. seria possível completar todo o exercício. não se falará mais em eleições. como no último trajecto não levaria a bandeja. em bora Connor soubesse que a multidão demoraria algum tempo a passar pelos trinta magnetómetros e outros controlos de segurança. Porque eu permanecerei no poder até ao dia da minha morte. acendeu a luz ~aPrxEr AxcxER 0 DÉCIMO PRIMEIRO M. esta foi aberta por um homem alto. Seguiu rapidamente ao longo da varanda do sétimo andar. .A propósito . Quarenta e sete segundos depois. John Kent Cooke.11 258 JF. estaria fora do estádio a caminho do aeroporto antes de terem tido tempo de montar bloqueios de es trada.Eu chamo-me Dave Krinkle . cuja silhueta se recortava contra um oblongo de luz. quantoéquepagastepeloprivilégio depassaratarde comigo? . sir-disse ele.John-respondeuopresidente. Connor tentou evitar que ele visse que estava a examinar atentamente a sua espingarda. Connor olhou para o relógio. -Trouxe-lhe qualquer coisa para comer-disse Connor com um sorriso caloroso. Equilibrou a bandeja numa mão.FFREY ARCHE -'R 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 259 -Esta é uma grande honra.

Sr. -Mas suponho que faz parte do trabalho. apertando-lhe a mão. Pug.Ainda ontem.. -É.disse o presidente. -0 WashingtonPostnão concordaconsigo-disse opresidente. quando era treinador dos Packers. eu nunca consegui pensar numa pergunta s obre os Redskins que o Pug não tenha sido capaz de responder. -Alguma vez alguém o deixou sem resposta?-perguntou o presidente. de modo algum. Sr. Presiden te-respondeu Cooke. mas acabámos de ser informados de que o presidente Zerimski está apenas a cinco minutos do estádio.Ele. que não podia ser. . Cooke devem dirigir-seimediatamente à e ntrada nordeste. Claro que estaremos em alerta total no momento em que os dois presidentes e ntrarem no campo. mas isso apenas vai durar cerca de oito minutos.Havemos de continuar a nossa conversa assim que eu voltar. enquanto as portas se abri am no nível da imprensa. Permita-me que comece pela minha mulher. uma sala ampla e confortável situada por cima da linha dos cinquenta metros. Presidente. . Os dois homens riram-se enquanto o dono do estádio conduzia Lawrence até ao seu camarote. enquanto entravam no elevador. .. Voltou-se para Pug e disse: . Rita . é o único homem da história a entrar para a Galeria das Estrelas dos Redskins se m ter jogado um único jogo para a equipa . nos jogos dos Packers contra os Skins quais foram os pontos de Vince Lombardi. comparados com os do ano em que esteve com os Skins? -Packers 459.Exactamente o que eu pe nsava . . numa época normal. . Sr. diz-me. -Sim. Um enorme sorriso surgiu no rosto de Pug.. -Isto aqui é um pouco apertado-gritou Connorpor cima do barulho da enorme ventoinh a de ventilação pendurada do tecto. virando-se para a enciclopédia ambulante.ele nunca deveria ter saído dos Packers-disse o presidente. .E par abéns pelo teu triunfo no Baile a favor daNational Symphony.Esse é o tipo de pergunta ambígua que se pode esperar de um politico.0uvi dizer que. . .disse Cooke -.Não.Descu lpe interromper. Andy Lloyd tocou no cotovelo de Lawrence. . dando uma palm ada nas costas de Pug. . incluindo o velhinho com um casaco dos Reds kins. Mas eu devo dizer que a resposta é "Sim.Tenho a certeza de que o Sr. sim-disse Arnie. . Presidente é o fã número um dos Packers. se o agente especial Braithwaite tivesse levado a sua avante. enquanto 0 presidente e a sua comitiva saíam da sala para ir cumprimentar Zerimski .Sabe. Rita. claro-disse Lawrence.Estão à espera que haja problemas hoje? . acabando a coca-cola. para chegarem a tempo de o receber. Antes de Pug terminar a frase... Pug acenou a cabeça em sinal de assentimento... Embora. angariaram uma quantia recorde.Este é o Pug Washer .Muito prazer em conhecer-te. orgulhosa.Eles tentam constantemente. Os Skins vão ganhar". A Sr ~ Cooke sorriu. 0 Sr. Presidente é a última pessoa a acreditar em tudo o qu e lê no Post . te mos confiança na velha equipa de Washington. gostaria de lhe apresentar algumas das pessoas que ajudaram a fazer dos Redskins a maior equipade futebol daAmérica.Toda a gente sabe que o Sr. .. um h omem. . sir. Lawrence era capaz de se lembrar de um facto ou de uma história apropriada sobreto das as pessoas aquem eraapresentado. .Sr. Presidente . Pug prometeu a si próprio que nunca mais votaria no Partido Republicano.disse John Kent Cooke. um antigo jogador. Presidente -respondeu Pug... sob atua presidência. colocando uma mão no ombro do velho. nenhum deles seria auto . com uma vista perfeita de todo o campo.Então. Skins 435-disse Pugcom um sorriso irónico. Presidente e o Sr. .respondeu Cooke.E também me disseram que sabes mais sobre a história da equipa do que qualquer out ra pessoa. .disse Lawrence.

agarrou a trave com ambas as mãos e. a maior parte deles. Entrou e fechou a porta atrás de si. . vestido com um casaco comprido branco e u m boné dos Redskins. A maior parte dos agentes do Serviço Secreto que se encontravam no estádio também estavam a comer. Connor apanhou a lata de co ca-cola vazia e o recipiente de plástico e colocou-os na bandeja. 260 JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 261 Enquanto Arnie dava uma dentada numa fatia de bolo de chocolate.Hercules 3.Óptimo.disse ele. Inclinou-se para a f rente. carregou num botão e disse: . 0 recinto estava cheio de fãs a dirigirem-se aos seus lugares. da T. Brad estava lá em cima a escutar atentamente um agente que apontavaparaocamarotedoproprietáriodoestádio. (N. Cinquenta e quatro segundos. Eu não me importo que a minha mulhermedigaque engo rdei uns quilos. Informe se vir alguma coisa suspeita.Eu passarei outra vez por cá no início do jogo. Era óbvio que ninguém no segundo nem no quinto nível o tinha chamado. . Connor saiu silenciosamente para o passadiço coberto.Certo. Connor acenou a cabeça em sinal de assentimento e fez mais algumas perguntas inócuas . deixando o passadiço. Carregou no botão. Não é permitido estar mais ninguém no Jumbo`I~on enquanto eles estiverem no meio do campo. Connor hesitou ao pé da porta. . para a enorme trave de aço que man tinha o gigantesco ecrã no seu lugar. Quarenta e sete segundos depois o elevador de serviço voltou a aparecer. Acrónimo de Special Agent in Charge-Agente Especial no Comanda. lançando um último olhar à arma de Arnie.Está bem . pensou Connor. Olhou fixamente para o ecrã que. escutando com atenção o sotaque de Brooklyn de Arnie e concentrando-se nas expressões que ele usava regularmente. olhou novamente para o relógio. prendendo seguidamente o rádio ao cinto.~o". .Mas entra apen as depois de os dois presidentes terem voltado para o camarote do proprietário do estádio. Quando chegou ao poço do elevador. mas ultimamente o SAIO` começou a fazer comentários a esse respeito. . Ninguém prestou atenção a Connor quando ele. Colocou a bandeja no interior e carregou outra vez no botão.Nada a informar. de acordo com a planta do arquitecto.Hercules 3. Sanduíches. . para os seus lugares habituais. Eu estava prestes a dar uma vista de olhos à bancada ocidental.Óptimo. Concentrou-se natorredailuminaçãoatrásdazonadevalidaçãoocidental.disse Arnie.disse Arnie. pode falar. depois desceu rapidamente o passadiço coberto. estav . Ficou a olhar para baixo. ouviu uma voz no walkie-talkie.Certo . . fechou a porta atrás de si e c olocou a lata de coca-cola vazia no degrau. No tr ajecto final teriam de ser menos de trinta e cinco. Uma sirene soou para informar todo o pessoal que eram dez e meia e que os portões estavam prestes a ser abertos. focando os binóculos na multidão lá em baixo. passou pela banca concessionada e se dirigiu a umaporta assinalada "Pxn.rizado a sair do camarote do dono do estádio antes da hora de irem para casa. Connor olhou at ravés de uma brecha nos cartazes publicitários rotativos.Estarei de volta quando o jogo começar . .) Olhou para o relógio. Virou-se para Arnie. capitão Braithwaite. Seguiu na escuridão silenc iosomente ao longo do estreito passadiço até se encontrar a alguns metros da entrada do JumboTron. Os fãs começaram a invadir as bancadas. depois ajoelhou-se. dirigindo-se. . Enquant o dava meia volta para se ir embora. Mas não exageres no bolo. Arnie retirou o rádio da parte de trás do cinto. 0 elevador iniciou de imediato a sua descida para a cave. outra fatia de bolo e um a coca-cola está bem? .Exa ctamente o tipo de jovem que o Serviço Secreto precisava de recrutar. subiu para cima dela. destrancou a po rta e desligou as luzes. eu compreendo-disse Connor. Connor agarrou o corrimão por um momento.

Quando chegou finalmente ao fim da trave. Lembrou-se do nome de todos os convidados e respondeu com um sorriso a todas as perguntas que lhe foram feitas.a a catorze metros de distância. . mas não fazia ideia se o alçapão de emergência que tinha sido claram ente assinalado na planta do arquitecto realmente existia. Durante mais de hora e meia ficou suspenso no interior da trave de aço oca. o nosso distinto convidado. Seguidamente. como se estivesse montado a cavalo. Lawrence"." Depois de terminadas as apresentações. todos se voltarão para oeste. No entanto. .começou ele -.Lamento ter de interromper uma ocasião tão agradável .Portanto. com água até ao qu eixo. Rita riu-se um pouco demasiado alto. Connor respirou fundo. nunca tinha acontecido a Arnie. JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 263 33 "Às onze e quarenta.Às onze e vinte. sessenta metros abaixo dele. do hino americano. centímetro a centímetro. Seguidamente.Aquilo a que os americanos chamam uma ofensiva de charme -dissera-lhe Titov. os presidente serão apresentados aos árbitros e fiscais de linha. Confinado por aço por todos os lados. agarrou a maçaneta e puxou.Ergueu o rosto. eu acompanharei os dois cavalheiros para fora do campo e trá-los-ei de volta aqui. de pé numa gaiola de bambu. a cada minuto que passava. sentia-se mais confiante que. a quem se referia constantemente como `o meu querido amigo Tom'. . Zerimski apertou calorosamente a mão de todos aqueles a quem foi apresentado e até s e riu das anedotas de John Kent Cooke. Parecia mais um quilómetro e meio. . às onze e trinta. Conseguia ver uma pequena maçaneta. começou a desejar ter acrescentado um par de l uvas grossas ao vestuário. Parecia que estava dentro de um frigorífico. Algo que. a sess enta metros do chão. .disse ele com um sorriso. John Kent Cooke bateu numa mesa com uma colhe r. ninguém descobriria onde estava escondido. de artigos desportivos. mas o tempo urge e esta vai ser provavelmente a única oportunidade que terei na vida de dar instruções a dois presidentes ao mesmo tempo. apresentá-los-ão ao s seus co-capitães e treinadores. -Houve alguns risos. seguido. aqui vai.Pôs os óculos e começou a ler uma folha de papel que lhe foi entregue pelo seu assistente de relações públicas. . .apresenta reiospresidentes aos dois capitães de equipa e estes. conduzi-los-ei ao campo. o presidente Z erimski. supunha ele. onde a banda dos Redskins irá tocar o hino nacional russo. 0 ecrã mudo u para uma repetição de um toque no solo do jogo anterior dos Skins para um anúncio da loja Modell. . "Exactamente às onze e quarenta e oito. deixou cair as pernas sobre os lados e prendeu-a com força entre as coxas. acompanharei os dois presid entes à saída sul do estádio e. E ssa atitude só aumentaria o horror do que ele planeara para eles nessa noite. Começou a gatinhar lentamente ao longo da trave.Providenciei para que a recepção sej a ensurdecedora . mão manifestou o mesmo grau de afecto e foi ligeira mente frio para com o seu visitante russo. se fossenecessário recorrer 262 ao seu plano de emergência. onde espero que todos g . mal conseguindo virar o pulso paraver as horas. por sua vez. recordar-se-iam os convidados. após uma breve pausa.Quandochegarmosaocentrod ocampo. atirará um dólar de prata ao ar. Ele já imaginava os convidados a dizerem à imprensa: "Ele não podia ter estado mais descontraído e à-vontade. Pareciam três quilómetros. Connor içou-se para dentro dele e voltou a colocar a porta no seu lugar. A porta do alçapão deslizou para trás. especialmente com o president e. Mas no Vietna me tinha passado dez dias em prisâo solitária. sem olhar uma única vez para chão . revelando um prometedor buraco quadrado com sessenta ce ntímetros.

Por mais im paciente que se esteja. Connor foi buscar a gravata ao monte de roupa no canto e atou os tornozelos de Arnie. içou-se para cima 264 JEf'FREY ARCHER O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 265 prestes a gerar. talvez elas tivessem possibilidade de viver em paz. De qualquer modo. Pensou em Chris Jackson e no sacrificio que este fizera só para lhe d ar esta oportunidade. Tinham decorrido três minutos e trinta e oito segundos desde que Connor entrara no JumboTron. Já não falta muito para a Luz Vermelha e a Queda de Água entrarem no campo.Sim-disse Connor. . Onze e dezassete. não sabia de onde vinha o som.Hercules 3. duvidav a que as voltasse a ver.disse Connor. -Por um momento. sorrindo de alívio por a primeira parte da su a difícil tarefa estar terminada. Os dois presidentes riram-se. Aguard ou um momento para recuperar as forças antes de balouçar as pernas por cima da trave e de a agarrar com firmeza com as coxas.Para que o capitão que consiga adivinhar se é cara ou coroa possa decidir qual das equipas dará início ao jogo. Subitamente ouviu uma voa atrás de si. não seria uma grande consolação. John. Onze e trinta e dois. Olhou de novo para o relógio. mas precisava de tempo para se familiarizar com uma arma que não utilizava há alguns anos.disse Zerimski. Se ele conseguisse levar esta missão a cab o. Pensou em Maggie e Tara. através da brecha entre o painel de publicidade e o ecrã de vídeo. . não olhou para baixo quando começou a gatinhar lentamente ao longo dos catorze metros que o levaram de volta ao passadiço. Arrancou-o. mas teria de servir. Ele contara com quatro minutos para dominarArn ie.Não é nada de pessoal . mas depois lembrou-se do pequeno walkietalkie preso ao cinto de Arnie.Precisei de fazer uma mija e achei melhor não o fazer por ci ma da multidão. desatando arir. uma M-16.ostem de ver os Redskins derrotar os Packers.isso só faz aumentar o risco. Onze e dez. Começou arespirar profunda e regularmente. observou a multidão lá em baixo. Perguntou: -Alguém tem perguntas? -Sim.Que ideia tão divertida . Esperaria mais sete minutos. Ele não queria estar dentro do JumboTron mais tempo do que o necessário. nunca se deve avançar antes de tempo . Onze e catorze.Tudo bem ? . pensámos que te tínhamos perdido. . tirou um lenço do bolso. prossiga.-Continua observar o teu sector. Cooke olhou para os seus convidados. 0 facto de perder os quilos extra que o SAIO lhe censurava. Depois ergueu o homem inconscie nte e segurou-o contra a parede. . Onze e quinze.disse o SAIO. Finalment e. . . Tal como fizera antes. -Afirmativo-disse Braithwaite. Arraie . colocou-lhe os braços à volta de uma trave de aço que ia de um lado ao outro do JumboTron e pôs-lhe as algemas nos pulsos. pegou nos binóculos e. Pensou em Joan e na morte desnecessária e cruel que Gutenburg tinh a ordenado sem outro motivo a não ser o facto de ela ter sido sua secretária. fé-lo numa bola e enfiou-o na boca de Arraie. . À medida que os minutos passavam.Hercules 3. Onze e doze. Subiu rapidamente até ao patamar do segundo andar onde Arraie estivera sentado. Connor abriu o alçapão e saiu lentamente do espaço confinado. 0 pobre do homem ia ficar dorido durante alguns dias. Connor olhava para o relógio com cada vez maior fr equência. A princípio. . Colocou o boné e os óculos de Arnie junto da por ta e pegou na sua arma: tal como pensara. Não teria sido a sua primeira escolha. eutenho umapergunta-disse Zerimski. Quando alcançou a segurança do parapeito. ninguém se iria lembrar de ter visto um agente do ServiçoSecretoque nãotinhaossapatosregulamentarescalçados.-Não explicaste por que é que tenho d e atirar uma moeda ao ar.

Connor tirou o casaco comprido branco. Respirou profundamente e recapitulou o seu plano pela última vez. Quand o os seus dedos tocaram na borda da lata. Connor ouviu o osso a partir-se e. a gravata. . viu que os sapatos eram. Connor deu-lhe um murro no queixo que o deixou atordo ado por um momento. as pernas de Arraie cederam e ele caiu ao chão.disse Connor.pararecuperar o equilíbrio e iniciou uma série de exercícios de alongamento. Os jogadores correram lendele. dirigiu-se rapidamente ao Jumbo Tron. Connor largou-a. impacie nte. Qu ando Arraie ergueu a cabeça. Ac hou que. Sem esperar pela resposta. Depois.Foi só que eu reparei no calor que está cá dentro e troux e-te outra coca-cola. depois deitou a mão às algemas que ele trazia penduradas do cinto. e chegara à conclusão de que poucas bandas fora da Rússia sabiam o ritmo a que devia ser tocado ou quantos versos deveriam ser incluídos. Atirou-os todos numa pilha para um canto. Desta vez. V iu de relance o joelho a voar em direcção à sua virilha mas moveu-se agilmente para evitar o impacte. pelo menos. na confusão que estava 266 JEFFREY ANCRER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 267 falante. parando apenas para apanhar a lata vazia de coca-cola que tinha deixado no degrau.Continuoupormomentosagarradoaocorrimão. Connor já tinha ouvido o hino russo muitas vezes no passado. uma música que poucos tinham ouvido antes. Bateu à porta com força. depois abriu as algemas de Arnie e despiu-lhe rapidamente afarda. Ouviu-se o barulho das cadeiras quando a multidão se levantou dos seus lugares. . Areie soltou um grito lancinante quando caiu. Por isso. ficou finalm ente imóvel. depois baixou-a subitamente com energia. -Vai-te embora! -disse ele.Sou eu. e as calças demasiado curtas. Onze e vinte sete. Connor rodou e caiu sobre o seu adversário antes de este conseguir levantar-se. . f ez uma pausa. à medida que o sangue lhe escorria pelo rosto. Quando Arnie tentou pôr-se de pé.disse Connor. no mínim o. agarrou-o pelo pulso e puxou-o do parapeito abaixo com toda a força. decidiu esperar pelo hino americano antes de tentar a sua sorte.. -Eu disse-te que não voltasses antes de os presidentes saírem do campa. desta vez no nariz. quando caiu no passadiço.Desculpa . Umrugidoelevou-sedamultidãoquandoasequipasemergiram dos túneis. Arraie espreitou de cima do parapeito. que ficou atravessada no chão. 0 rádio deslig ou-se.Certo . quando Arraie tentou levantar-se. Não teve outra opção senão puxar as meias para cima e calçar os seus ténis que. Olhou em redor do estádio. as meias e o boné. entrou e gritou acima d o barulho da unidade de ventilação: . dois números abaixo dos seus. Só havia alguns lugares vermelhos e amarelos vazios. e Arraie inclinou-se para pegar nela com a mão livre. no extremo sul do es tádio. A multidão escutou. Quando avestiu. aterrando de cabeça no passadiço galva nizado e deixando cair a arma. deu-lhe um murro no ombro que lhe provocou espasmos. a camisa. Connor deu-lhe outro murro. eram pretos. Estendeu a lata vazia. Tens sorte em não te ter pregado um tiro. abriu-a. mu itos deles tirando os bonés dos Redskins enquanto se voltavam para a banda que se encontrava no extremo ocidental do campo. mesmo por debaixo dele. as calças. Onze e trinta e quatro. Connor vo ltou a saltar sobre ele e. Tentou não se distrair com as Redskinettes quase despidas a levantar as pernas bem alto. 0 chefe da banda ergueu a batuta.Queiram levantar-se para o hino da República da Rússia. com um sotaque que a mãe lhe teria censurado. . movendo a mão em direcção ao gatilho da sua Arm alite.

Com um único olhar. 0 presidente americano acenou a cabeça em sinal de assentimento. Abriua espingarda eviuqueestava. Os dois capitães de equipa estavam agora em frente um do outro. utilizand o a armação de madeira como apoio. Meteu a primeira carga na câmara e fechou a culatra. Qu ase todos os agentes estavam agora a observara multidão lá embaixo. Connor aguardou que o chefe da banda ergu esse de novo a batuta. o que indicava que não havia praticamente vento. parecia-lhe ter visto algo no espaço entre o painel triangular de public idade e o ecrã. Carregou suavemente no ga tilho no momento exacto em que Tom Lawrence levava o braço direito ao peito. um. Os acordes de abertura do hino americano soaram. tocou no cotovelo de Zerimski e conduziu-o para o espaço entre as duas equipas. Connor colocou a espingarda a través da brecha entre o painel triangular de publicidade e o ecrã de vídeo. no interior de um estava pintado um urso e. alinhado os pontos mil até ela preencher totalmente o centro da mira da espingarda. depois focou a parte de trás da cabeça de Zerimski. Connor levou os binóculos de Arnie aos olhos e focou as altas torres de iluminação. junto da orelha direita. Distraído pelo movimento súbito. Connor voltou a sua ate nção para a bandeira dos Redskins que esvoaçava na brisa por cima do extremo ocidental do estádio. Zerimski olhou para a esquerda. para que os dois líderes soubessem exactamente onde d . Onze e quarenta e um. estava o cano de uma espingarda a apontar para tamente para o centro do estádio enquanto a multidão começava a cantar "Viva os Redski ns". carregada. verificando-a fila a fila. deitado de barriga para baixo na plataforma de iluminação.Quando o hino russo chegou ao fim. àprocuradeindícios deproblemas. que eram quase tão grandes como os jogadores. 0 chefe da banda ergueu a batuta pela segunda vez. todos eles com as armas debaixo do braço.. dois. nervoso. Connor viu que tanto Zerimski como Lawrence usav am coletes à prova de bala. Outro rugido elevou-se quando John Kent Cooper conduziu orgulhosamente os dois presidentes até ao campo.. acima das suites ex ecutivas. 0 rapaz tinha ar de quem nunca se sentira tão fe liz na vida. Connor expirou. Brad. Olho u para o mastro da bandeira no outro extremo do estádio: a bandeira dos Redskins estava caída. dentro do outro. os jogadores começaram a fazer alongamentos e a saltitar. 0 olhar de Connor pousou no jovem Brad. Três. do campo da brecha onde tinha visto Arnie a esprei tar pelos binóculos. e sentiu subitamente o coração a bater duas vezes mais depressa. pousando a mão sobre o coração. Connor rodou e focou os binóculos na linha dos cinquenta metros. Havia do is pequenos círculos brancos na relva. Ele gostaria de fazer pontaria sobre Zerismki e de focar os pontos mil na sua ca beça justamente naquele instante. que estava a olhar para a banca norte. o que seria a deixa para colocar Zerimski sob a sua mira. Varreu o campo com a mira telescópica. inofensiva. Onze e trinta e seis. Ele inclinou-se e murmurou qualquer coisa ao ouvido de La wrence.. Setenta e oito mil vozes d esafinadas garantiram que ninguém tivesse ouvido o suave baque quando os três centímet ros de metal penetraram na relva para além da linha dos cinquenta metros.. acompanhado por uma dúzia de agentes. para o relógio. Ele sabia que eles tinham sido treinados para fazer pontaria e disparar em menos de três segundos. Resolveu verificar. 0 barulho agiu nele como 0 estampido de um tipo de partida. conformeesperava. Ninguém estava a manifestar qualquer interesse pelo local de onde ele viria. e a bala passou. com a patilha de s egurança e desengatilhada.. Enquanto os presidentes eram apresentados aos jogadores. e os dois presidentes ficaram v isivelmente hirtos. Através dos binóculos. uma águia. tentando acalmar os nervos. mas não podia arriscar-se a ser visto por um dos atiradores que estavam nas torres de iluminação. Os dois presidentes estavam agora a conversar com os árbitro s e os fiscais de linha. Connor viu John Kent Cooke a olhar...

Tens muito tem po. Dois. Uma segun da bala assobiou através da brecha onde a sua cabeça estivera um momento antes 0 hino nacional chegou ao fim. Um rugido ensurdecedor elevou-se do estádio na sequência de um toque no solo dos Redskins..Cobrir e evacuar. eles tinham focado Connor que preparava o segundo tiro. . "Descontrai-te". quando se ouviu uma mensagem no rádio do primeiro agente. Connor chegou à enorme trave que sustentava o ecrã de vídeo. depois retirou-lhe o lenço da boca e verificou-lhe o pulso. Tentou correr até à porta que dava para a varanda.. Mas. Tudono se ucorpolhegritavapara que fugisse. Estava bem vivo. o que significava que avançava ainda mais devagar.disse uma voz ao alti 26R JEFFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 269 Negra e a coca-cola por que Areie ansiava apareceram alguns segundos depois. Dirigiu-se lentamente para ele. o centro.Minhas senhoras e meus senhores . onde efectuou um reconhecimento semelhante. Brad falou com tanta premência e autoridade que Braithwaite e dois dos seus contra -atiradores rodaram imediatamente os seus binóculos na direcção do JumboTron. enquanto 0 outro agente o cobria. Sem entrar. Vinte e oito anos de treino tinham preparado Connor para este momento. passar-lhe por cima e parar à porta do Jumbotron. Teve de exercer todo o domínio sobre o seu corpo para percorrer os setenta metros do pass adiço. Em poucos momentos.Hercules 7. olhando cuidadosamente em todas as direcções. 0 primeiro agente do Serviço Secr eto começou imediatamente a subir os degraus até ao segundo nível. atirando-o para trás. Connor esgueirou-se pela porta assinalada "PARTICULAR > e deixou-a aberta. tentando ignorar a excruciante dor no ombro. Coloco u-se debaixo do passadiço e ouviu dois pares de pés a correr em direcção a ele. no momento em que a porta do corredor se abria. Quarenta e sete segundos depois. Focou melhor e deparou-se com um rosto que já vira nesse dia. a primeira c oisa que viu foi Arnie preso com as algemas à trave de aço." A cabeça de Zerimski preencheu de novo a mira. mas sabia que agentes da equipa móvel da Divisão de Protecção passariam por aquela porta dali a alguns momentos. Quando chegou à parede do fun do. mas descobriu que precisava de toda a sua energia só para se conseguir mexer. apagou a luz e saiu para o passadiço. sessent a metros lá em baixo. Agarrou no corrimão com a mão direita e passou por cima do beira do passadiço para o parapeito. 0 seu co mpanheiro cobriu-o enquanto ele abria as algemas de Areie e o baixava delicadame nte para o chão.eviam ficar. Através de uma fenda do passadiço. Quando o agente do Serviço Secreto que ia à frente entrou no JumboTron. 0 segundo agente começou a subir até ao último nível. Os dois agentes já se encontravam de novo no nível inferior. tinha de se certificar que o sangue que pingava do ombro direito caía para o chão. Dirigiu-se a custo até à porta. verificando outra vez t odos os esconderijos possíveis. ~<Não te apresses. Quar enta minutos depois.. na altura em que os dois presidentes estavam a ser acompanh .. mas não falou. mas ele ignorou-o. agora. três. Começou imediatamente a levar a cabo o plano A. Connor alinhou os pontos milésimos e expirou de novo. ele procurou o interruptor. . Connor esperou até as luzes estarem acesas e os dois agentes terem desaparecido no interior do JumboTron para começar a gatinhar ao longo da trave de catorze metros pela terceira vez nesse dia. Não hesitou. A bala de Braithwaite atingiu-o no ombro esquerdo. ele só conseguia segurar-se com o braço dir eito. . v iu um agente com um arma de mão a empurraraporta. voltou para trás e acenou com a cabeça. 0 primeiro homem seguiu cuidadosamente ao longo do parape ito atrás do enorme ecrã. murmurava Connor para si próprio. Arnie ergueu os olhos para o tecto. Ao mesmo tempo. até estar a seu lado. e não em cima da trave onde todos o pudessem ver. Arma.

. que estava preso com as algemas a uma trave. por isso não deve ser difícil localizá-lo. .Fiz muitos estragos a cavar o campo à procura dela. Ambas as portas estavam abertas e há um fio de sangue até à varanda. Estava a cerca de quinzesegundo sdele. Enfiou a cabeça no poço e viu o topo elevador a avançar na sua direcção. . um j ovem pupilo que estava connosco na torre de iluminação. Os dois agentes qu e revistaram o JumboTron imediatamente a seguir ao incidente não encontraram qualquer sinal dele.Fico-te grato por isso. de facto. .Mas. sir.Estava entre a pilha de roupa que o Fitzgerald deixou no JumboTron-disse o age nte especial Braithwaite.Onde é que a encontraram? . por isso. deu meia volta e ficou a olhar pela janela.Eu penso que ele tem esperança de ser destacado para a minha divisão assim que terminar a formação. chegou à porta. Ouviu o rugido da multidão quando os Redskins se preparavam para o pontapé de saída.ados para fora do campo. . .Hercules 7. Uma bandeja com sanduíches.disse Braithwaite. -Falei.disse Braithwaite. . . . . . Ele tem de estar por aí. cambaleou até ao elevador de serviço e carregou várias vezes no botão. 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 271 . -Assim que a ouvi. A dor no ombro era cada vez mais intensa. .perguntou Lawrence.Algum sinal dele? . .Se for quem eu penso que é. Dois vestiam fato de cerimónia.Falou numa quinta pessoa . Depois de ter ouvido a gravação. mas ele sabia que não podia fazer nada a esse respeito. muito sangue e um dos meus home ns preso com algemas a uma trave. decididamente. Os seus olhos moviam-se constantemente de um lado para o outro.oelevadorparou. ele ai nda pode estar debaixo do vosso nariz. contactei-o i mediatamente.perguntou Lloyd. prossiga.Quatro trabalham para mim há dez anos anos ou mais e sabem segredos suficientes para afundar os últimos quatro presidentes. depois de o estádio estar vazi o . para não falar de metade do Congresso.Ele desequilibrou-se e escorregou do parapeito.Alguém viu.perguntou o presidente. e pode te r a certeza da sua discrição . 34 Os três homens estavam sentados na Sala Oval a ouvir a gravação. entregando um pedaço de metal plano ao presidente. dei ordens para que não fosse feito qualquer relatório escrito ou oral sobre o incidente. uma fatia de bolo Floresta 270 JF. A reacção instintiva de Connor foi recorrer ao seu plano de emergência. à p rocura do mínimo sinal de perigo. Ouviu o pequeno motor começar a funcionar.subitamente.E o homem que estava pendurado na trave? . . 0 . nunca se vira obrigado a fazer.Só nós os três nesta sala. Tem a farda do Arnie vestida. só mais cinco pessoas souberam que aconteceu qualquer coisa.Não está ninguém aqui excepto o Arnie. até en tão. só com a roupa interior vestida.perguntou Braithwaite. tentando não parecer ansioso. Os primeiros lugares onde todas as forças policiais iram verificar seriam os hospitais locais. algo que. .FERE'Y ARCHER . iniciando a sua lenta marcha até ao sétimo nível. Sabia que não podia ficar ali-se esperasse mais alguns segundos. -No bolso de trás das calças de ganga.Como pode ter a certeza de que ele não vai falar? -A sua candidatura ao Serviço Secreto está neste momento em cima da minha secretária disse Braithwaite. que o feriu.Alguém devia estar a carregar ou descarregar no nível executivo. -Quantas pessoas a ouviram?-perguntou Lloyd. sir . alguém o veria. sim. 0 presidénte sorriu.disse Braithwaite. excepto uma pilha de roupa.E quem presenciou o incide nte no estádio? -Além de mim. o outro uma farda. Bill -disse o presidente. Fitzgerald? .Não tenhas tanta certeza . -Não. Lawrence levantou-se da secretária.disse Braithwaite. .E a bala? . Nem sequer informei o meu chefe.disse Lloyd. Dirigiu-se o mais depressa que conseguiu em direcção à porta que ia ter ao JumboTron. sir. Connor abriu a porta. Pu-lo de baixa durante um mês. 0 elevador de serviço retomou a sua viagem.

ele parece ter desapar ecido da face da terra. Lloyd olhou para o relógio. sir-disse Braithwwaite. -Com certeza. Seguidament e. conduziu o seu convidado de honra em silêncio para o interior da Embaixada. Mas devo ser igualmente sincero consigo. Bill. . Presidente-interrompeu Lloyd-. .Suponho que estarás novamente de serviço esta noite. dando meia volta e saindo da sala. Lawrence e Lloyd dirigiram-se em silêncio à porta sul. . sir. Ficou a olhar para a relva enquanto reflec tia sobre o que ia dizer. sugeri a ninguém que Zerimski ou qualquer outra pessoa devesse ser assassinado. . Odesfile automóvel parou aospés dopresidenterusso.perguntou Lawrence ao ver Zerimski a and ar de um lado para o outro no exterior da Embaixada. e u quero saber imediatamente. tê-lo-ia ajuda do a fugir. Presidente. . Victor.Isso não é grave. sir. se Jackson fosse vivo. em tempo algum. . Havia algo no seu subconsciente que oe stava a incomodar desde que saírado estádio mas.Isso vai ser dificil. provavelmente. eu fui destacado para cobrir toda a visita do presidente Zerim ski.No nosso. -No seu mundo. -Sr.perguntou Lawrenc e. e. o presidente virou-se para o seu chefe de Gabinete e per guntou: . caso contrário não estaria aq ui. Os olhos de Lawrence percorreram a sala enquanto 0 embaixador tentava interessá-lo numa exposição de artefactos egípcios que tinha aberto recentemente no Smithsonian. Eu não gostava que a minha carreira dependesse do facto de eu o encontrar. é C onnor Fitzgerald. já está sete minutos atrasado para o jantar na E mbaixada Russa. . Se tiveres mais informações sobre Fitzgerald. 272 . . Mesmo que ainda esteja vivo.disse ele. Sr.Eu não creio que possa utilizar isso como desculpa. Instantes depois. deu uma desculpa de circunstância e passou o presidente dos Estados Unidos ao emba ixador egípcio. provavelmente alistar-me-ia na equipa do Braithwaite para o ajudar a fugir. eu tenho andado a tentar encontrar algum tempo na minha agenda para a ir . apinhada de gente.disse ele com u m sorriso irónico. eventualmente. Presidente está atrasado dezassete minutos. sem dizer um a palavra. Assim quese sentounobanco de trás do sexto automóvel. mas eu nunca. quando a escolta motorizada atraves sou os portões da Embaixada Russa.É importante que compreendas uma coisa. . Lawrence virou-se para olhar pela janela.Estou sim. Francamente. Depois de um frio aperto de mão. não estava mais próximo de o arrancar aos recônditos da s ua mente. . .Olá. suponho que seja Abraham Lincoln-disse Braithwaite. . . sir. subiu as escadas até à recepção na Sala Verde. até mais logo.Sim.Gostaria de o conhecer.Poderíamos ter tido. onde estava uma fila de nove limusinas com o motor a trabalhar. Mas. Se alguém do Serviço Secreto soubesse que eraFitzgerald quem estava no JumboTron. o maldito do homem tem sorte em estar vivo. . Bill.Porque é que ele tem um ar tão zangado? .Que tipo de homem consegue inspirar uma lealdade tão grande? .entardecer tinha caído sobre o Capitólio. Desculpa estarmos alguns minutos atrasados.Então. Zerimski não fez qualquer tentativa de disfarçar o seu desagrado. se calhar. Lawrence saiu do carro e disse. . Andy? -Não faço a mínima ideia. . se fizesse.Eu não tenho qualquer dúvida sobre isso.E cert o que a voz da gravação parece a minha. .Outro bom homem que não posso dar a conhecer ao povo americano .Onde é que achas que ele está.Porque é não podemos ter uma pessoa assim como director da CIA? . Lawrence sorriu e apertou a mão de Braithwaite.0 Sr. sir.

ligando o piloto automático. -Daqui a cerca de dezoito meses-respondeu a Sr ~ Pietrovski no momento em que um prato de carne de vaca fria era colocado à frente do presidente. Lloyd saiu da sala sem dizer uma palavra.Conseguiste acompanhar o que se passava.FPRF.outra das subtis insinuações de Zerimski sobre a sua atitude em relação à abertura nas transacções comerciais entre os dais países.Boa noite.Y ARCHfR 0 ULCIMD PRIMF.foi muito agradável estar contigo esta tarde. virando-se para a direita -. Ele prosseguiu a conversa enquanto um empregado de mesa lhe servia a hortaliça e outro. Lloyd murmurou algumas palavras à mulher sentada à sua direita. Pu g Washer.respondeu ela. A Sr. . 0 presidente deixou cair a colher antes de a ter levado à boca. . no outro lado da sala. Lawrence tentou concentrar-se no que a mulher do embaixador russo estava a dizer .Não há dúvida de que fiquei. 0 presidente depressa descobriu que Olgivic não falava uma palavra de inglês . Preciso dos teus conselhos arespeito de uma questão legal.Eu pen so que sei como poderemos encontrar Fitzgerald. duas esposas e o correspondente político do Praada conseguiu chegar ao pé de Harry Nourse sem levantar suspeitas. . As conversas te rminaram e os convidados dirigiram-se ao salão de baile. . Sr. ao mesmo tempo que se ouvia o gongo ao fundo e um mordomo anunciava que o jantar estava prestes a ser servido.Eu sempre dis se que os Packers conseguiam dar uma tareia aos Redskins em qualquer altura e em qualquer lugar. ao mesmo tempo que o prato da sopa do presidente era retirado.disse o presidente.Rìta . -Deve ter ficado satisfeito com o resultado do jogo desta tarde . e Yuri Olgivic. A Sr ~ Cooke retribuiu o sorriso. Olga. da T.disse Lawrence num tom expansivo. . . e colocou um punho Sapa de beterraba. . Só após três embaixadores. .disse o presi dente.Mas não acho que a maior parte da multi dão tenha concordado comigo. .disse a mulher do embaixador russo no momento em que um prato de borscht` era colocado à frente do presidente.Nem por isso . nada interessando na resposta.Sem dúvida que fiquei. Olhou para Andy Ll oyd. Lawrence tinha sido colocado entre a Sr e Pietrovski. depois dobrou o guar danapo. Presidente . .disse Lawrence. Harry . ao mesmo tempo que Lawrence via o homem que procurava.IRO MANUAMFNTO 275 fechado debaixo do queixo . radiante.Preciso de falar contigo no meu gabinete hoje à meia-noite.perguntou o presidente. colocou-o em cima da mesa e dirigiu-se à mesa do presidente.murmurou Lawrence. que não se importou de responder às minhas perguntas mais elementares. sir . um moment .Preciso de falar imediatamente com o Braithwaite . a mulher do embaixador.perguntou Lawrence.o sinal que usava sempre que precisava de falar urge ntemente com o seu chefe de Gabinete.disse o procurador-geral.) 0 Du4~ìnm l'rimriru Mandamcmn.Deve ter ficado muito satisfeito com o resultado do jogo desta tarde.Com certeza.I R 274 JF. . -Todos me dizem que é magnífica! . que fora nomeado recentemente director da Delegação Comercial Russa. .fl Pietrovski riu-se. Olga? .Baixou a voz: . (N.Mas tive a sorte de ficar ao lado de um Sr.E quando será isso? . .ver. . Algo sobre como iria ter saudad es dos Estados Unidos quando o marido se reformasse. mas não conseguia deixar de pensarem Fitzgerald.disse o procurador-geral em voz baixa. .O embaixador JEF'FREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 273 egípcio sorriu. pegando n a colher da sopa.

o mais tarde, as batatas. Estava a pegar na faca e no garfo quando Lloyd voltou a entrar no salão. Um momento depois, ele estava ao lado do presidente. - Braithwaite está à sua espera no banco por detrás da "Diligência". - Espero que não haja qualquer problema -disse a Sr ~ Pietrovski quando Lawrence c omeçou a dobrar o guardanapo. - Não é nada de importante, Olga - garantiu Lawrence. - Eles não conseguem encontrar o meu discurso. Mas não te preocupes, eu sei exactamente onde o pus. - Levantou-se da mesa e saiu da sala, com Zerimski a seguir todos os seus passos. Lawrence saiu do salão de baile, desceu as escadas de madeira e passou a porta da frente da Embaixada antes de correr pelas escadasabaixoedeentrarparaobancodetrásdo sextoautomóvel. - Bill, se Fitzgerald ainda se encontrar dentro do estádio, há um homem que saberá ond e ele está. Vai procurar Pug Washer e aposto que encontras Fitzgerald. Alguns minutos depois, o presidente abriu a porta do carro. -Pronto, Andy-disse ele -,vamos voltar para dentro antes que eles descubram o que andamos a fazer. - (g1ue andamos a fazer? -perguntou Lloyd, a correr atrás do presidente pelas esca das. - Mais tarde, conto-te - disse Lawrence, entrando no salão de baile. - Mas sir- disse Lloyd -, ainda vai precisar... - Agora não - disse Lawrence, sentando-se ao lado da mulher do embaixador e esboçand o um sorriso de desculpas. - Conseguiu enconraá-lo? - perguntou ela. - Encontrar o quê? -0 seu discurso-disse a Sr.a Pietrovski no momento em que Lloyd colocava um doss ier em cima da mesa, no meio deles. - Encontrei - disse Lawrence, batendo com as postas dos dedos no dossier. -Apropós ito, Olga, como está a tua filha? Natasha,não é? Ela ainda está a estudar FraAngelico em Florença?Pegou na faca e no garfo. 0 presidente olhou na direcção de Zerimski e os empregados de mesa apareceram de nov o para retirar os pratos. Voltou a pousar a faca e o garfo, contentando-se com um pãozinho seco com um pouco de manteiga, e com ficar saber o que Natasha Pietrov ski tinha feito durante o seu primeiro ano em Florença. Não pôde deixar de notar que o presidente russo parecia nervoso, quase ansioso, àmedida que a alturadefazer oseu discurso seaproximava. Partiu imediatamente do princípio que Zerimski estava prestes a fazer rebentar outra bomba inesperada. Este pensamento tirou-lhe o ape tite para o soufflé de framboesa. Quando Zerimski, eventualmente, se pôs de pé para se dirigir aos convidados, até mesmo os seus mais ardentes admiradores teriam dificuldade em encontrar outra palavra , além de banal, para descrever o discurso. Alguns dos que o viam mais de perto perguntaram a si próprios por que motivo ele parecia dirigir muitos dos seus comentários à enorme estátua de Lenine colocada na galeria por cima do salão de baile. Lawrence achou que devia ser nova, pois podia ter jurado que não estava ali no jantar de despedida do Boris. Ficou à espera que Zerimski reforçasse a sua mensagem ao Congresso do dia anterior, mas ele nada disse de controverso. Para alívio de Lawrence, manteve-se fiel ao guião que fora en viado à Casa Branca nessa tarde. Olhou para o seu próprio discurso, que devia ter re visto com Andy no carro. 0 seu chefe de Gabinete tinha rabiscado algumas sugestões nas margens mas, da primeira à sétima página, não havia uma frase espirituosa nem um parág rafo memorável. Mas, afinal, Andy também tivera um dia muito ocupado. -Permitam-me que termine, agradecendo ao povo americano a hospitalidade e a calo rosa recepção de que fui alvo em todo o lado 276 JEf'FRé'Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 277 Braithwaite não falou antes de a porta estar fechada. - Tinha razão, sir - disse ele ao passarem pelos portões da Embaixada. A primeira pessoa que Zerimski viu quando voltou a entrar na Embaixada foi o emb

aixador. Sua Excelëncia sorriu e ha~~a no seu rosto uma expressão de expectativa. -Romanov aindacá está?-gritou Zerimski, incapaz de disfarçar a sua ira por mais um mom ento. - Está, sim, Sr. Presidente - respondeu o embaixador, correndo atrás do seu líder. - E le está... -Traga-o cá imediatamente! - Onde poderei encontrar o Sr. Presidente? - Na sala que costumava ser o seu gab inete. Pietrovski afastou-se rapidamente na direcção oposta. Zerimski percorreu o longo corredor de mármore, mal afrouxandoopassoaoempurraraportadogabinetedeembaixa dor, como se estivesse a dar socos num saco de treino. A primeira coisa que viu foi a espingarda, que ainda estava em cima da secretária. Sentou-se na ampla cadei ra de cabedal normalmente ocupada pelo embaixador. Enquanto aguardava impacientemente que viessem ter com ele, pegou na arma e começo u a examiná-la de perto. Olhou para o canoparaver se abala aindaestavanoseulugar.Q uarido alevou ao ombro, sentiu o seu equilíbrio perfeito e compreendeu, pela primeiravez, por que é que Fitzgerald estivera disposto a percorrer metade da América para encontrar a outra arma igual àquela. Foi entãoqueviuque opercutidortinhasido colocadonovamente no seu lugar. Zerimski ouviu os dois homens a percorrer apressadamente o corredor de mármore. Mo mentos antes de eles chegarem ao gabinete, pousou a espingarda no colo. Eles entraram quase a correr no gabinete. Zerimski apontou, sem-cerimónias, para a s duas cadeiras do outro lado da secretária. -OndeestavaF~tzgerald?-perguntouele,a ntesdeRommov se ter sequer sentado. - Tu garantiste-me nesta sala que ele estaria cá esta tarde às quatro horas. ~~Nada irá correr mal", vangloriaste-te. "Ele concordou com o meu plano." Foram essas exactamente as tuas palavras. -Foüsso o que combinámos quandofaleicom elepouco depois da meia-noite, Sr. President e. -Então, que aconteceu entre a meia-noite e as quatro horas? -Quando, esta manhã, os meus homens o acompanhavam à cidade, o motorista foi obrigado a parar num semáforo. Fitzgerald por onde andei durante a minha visita ao vosso grande país, em particular a que me foi dispensada pelo vosso presidente, Tom Lawrence. Os aplausos com que este comentárïo foi recebido foram tão altos e prolongados que Law rence levantou os olhos dos seus apontamentos. Zerismki estava mais uma vez imóvel, a olhar para a estátua de Lenine. Esperou até os aplausos terminarem antes de se sentar. Não pareceu nada satisfeito, o que surpreendeu Lawrence, pois, na sua opinião, o discurso tivera uma recepção muito mais generosa do que merecia. Lawrence pôs-se de pé para responder. 0 seu discurso foi recebido com um interesse c ortês que não se poderia chamar exactamente entusiasmo. Concluiu com as palavras: - Façamos votos, Victor, para que esta seja a primeira de muitas visitas tuas aos Estados Unidos e, em nome de todos os teus convidados, desejo-te uma boa viagem de regresso amanhã. Lawrence reflectiu que duas mentiras numa só frase era um pouco excessivo, até mesmo para um político, e desejou ter tido tempo para ler a frase antes de a dizer. Sentou-se no meio de respeitosos aplausos, mas estes não se puderam comparar com a ovação que Zermiski recebera por um discurso igualmente banal. Depois de o café ter sido servido, Zerimski levantou-se e dirigiu-se às portas dupla s no outro extremo da sala. Passado pouco tempo, começou a dizer "Boa noite" numa voz que se ouv ia em toda a sala, tornando sobejamente claro que queria que os convidados se fosse m embora o mais depressa possível. Alguns minutos depois de as dez horas terem soado nos vários relógios da Embaixada, Lawrence pôs-se de pé e começou a dirigir-se lentamente ao seu anfitrião. Mas, tal como César no Capitólio, o seu caminho era continuamente barrado por cidadãos que queriam tocar na bainha da túnica do imperador. Quando finalmente chegou à porta, Zerismki acenou laconicamente a cabeça antes de descer com ele as escadas a té ao primeiro andar. Uma vez que Zerimski não dizia nada, Lawrence olhou longamente

para a estátua de Nzizvestnhi, de Cristo na Cruz, que estava ainda colocada no pri meiro patamar. Agora que Lenine estava de volta, ficou surpreendido porJesus ter sobrevivido. Ao fundo das escadas de pedra, voltou-se para acenar ao seu anfitrião , mas Zerimski já tinha desaparecido no interior da Embaixada. Se se tivesse dado ao trabalho de acompanhar Lawrence para além da porta da frente,teriavistooSAICàespe radelequandoentrouparaobanco de trás da limusina. ?7R JEI'FREY ARCHER saltou do carro, correu para o outro lado da estrada e meteu-se num táxi que ia a passar. Perseguimo-lo até ao Aeroporto de Dulles e, quando o conseguimos apanhar, junto do terminal, Fitzgerald não estava dentro do táxi. -A verdade é que vocês deixaram-no fugir-disse Zerismki. - Não foi isso que aconteceu? Romanov inclinou a cabeça e ficou calado. A voz do presidente tornou-se um murmúrio. - Eu julgo que vocês, na mafia, têm um código - disse ele, fechando a culatra da arma - para aqueles que não cumprem os seus contratos. Romanov ergueu os olhos, horrorizado, ao mesmo tempo que Zerimski levantava a ar ma até esta apontarpara o centro do peito. - Sim ou não? - disse Zerimski em voz baixa. Romanov acenou a cabeça em sinal de assentimento. Zerimski sorriu para o homem que aceitara a sentença do seu próprio tribunal e carregou suavemente no gatinho. A bala de cauda em barco penetrou no peito de Romanov, a cerca de um centímetro do coração. A força do impacte atirou o seu corpo esguio contra a parede, onde permanece u durante um ou dois segundos antes de deslizar para a carpete. Havia fragmentos d e músculo e osso espalhados em todas as direcções. As paredes, a carpete, o smoking e a camisa branca do embaixador estavam ensopados de sangue. Zerimski rodou lentamente até ficar voltado para o seu ex-representante em Washing ton. - Não! Não! - gritou Pietrovski, caindo de joelhos. - Eu demito-me, eu demito-me! Zerimski carregou no gatilho uma segunda vez. Quando ouviu o dique, recordou-se que só houvera uma bala na culatra. Pôs-se de pé, com uma expressão de decepção no rosto. -Vais ter de mandar esse fato para a lavandaria-disse ele, como se o embaixador tivesse apenas deixado cair gema de ovo na manga. 0 presidente voltou a colocar a espingarda em cima da mesa. -Aceito a tua demissão. Mas antes de vagares o gabinet e, providencia para que o que resta do corpo do Romanov seja consertado e enviad o de volta a Sampetersburgo. - Começou a dirigir-se àporta.-Etratadisso depressa... eu gostavadelá estar quando ele for sepultado juntamente com o pai. Pietrovski, ainda de joelhos, não respondeu. Tinha vomitado e estava demasiado ass ustado para abrir a boca. Ao chegar à porta, Zerimski voltou-se para o diplomata, transido de medo. 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 379 -Dadas as circunstâncias, talvez seja sensato que o corpo seja enviado na mala dip lomática. 35 Quando Zerismki subiu as escadas do Ilyushin 62 que o aguardava, a neve caía abund antemente, formando um espesso tapete branco em volta das suas rodas. Tom Lawrence estava depé, na pista, vestido com um sobretudo preto comprido. Um as sistente segurava um guarda-chuva por cima da sua cabeça. Zerimski desapareceu no interior do avião sem se dar ao incómodo de se voltar e faze r o tradicional aceno para as câmaras. Ele era obviamente insensível a qualquer sugestão de que esta era a época do ano de paz e de boa vontade para com todos os ho mens. 0 Departamento de Estado já emitira um comunicado à imprensa. Este falava, em termos gerais, do êxito da visita de quatro dias do presidente russo e da esperança de uma maior cooperação no futuro. "Útil e construtiva", foram as palavras por que Lor ry Harrington se decidira na conferência de imprensa matinal, acrescentandoposteri

. . Lawrence acenou a cabeça em sinal de assentimento enquanto o seu chefe de GabineteexplicavaocursodeacçãoqueBr aithwaiterecomendara. Àmeia-noite. Sr. -Bom dia. era o mínimo que poderia fazer.. um passo atrás> . se esta é a sua ideia de gracejo. Presidente.? . helicóptero do presidente aterrou no relvado sul e nenhum deles falou enquanto se dirigiam à Casa Branca. Os jornalistas que tinham assistido à partida de Zerimski traduz iriam os sentimentos de Harrington como "inútil e destrutiva e. Presidente. Os dois homens passa ram o resto da curta viagem a preparar-se para a reunião que estava prestes a ter lugar na Sala Oval. como muito bem sabes. Gutenburg me tenha garantido o seu envo lvimento e a própria directora me tenha telefonado nessa mesma tarde para o confir mar. Poucos momentos depois de a sua porta cinzenta se fechar.ormente"um passo em frente". -Posso assegurar-lhe-disse Dexter-que a operação a que Fitzgerald se referia não era m ais do que um exercício de rotina. Inclinou-se para a frente e carregou no botão "Play~ do gravador que tinha em cima da secretária. Dirigiu-se apressadamente ao helicóptero que o aguardava.Está a acusar a Agência de. AAgência não está a par das suas conv ersas telefónicas pessoais.Isso pode ser ou não verdade . . Lawrence foi o primeiro a voltar as costas ao avião enquanto este avançava em direcção à p ista de descolagem. Presidente. Sr. E agradeço-lhe ter-me te lefonado pessoalmente. dadas as circunstâncias. Porisso. Ruth . Presidente . . eu não me sentia capaz de aceitar a missão se não tivesse a certeza de que a ordem provinha directamente do Sr.Sinto-me grato pela sua confiança em mim. .disse Lawrence.. estivesse ansioso por se ir embora. Lawrence carregou no botão "Stop. . o procurador-geral tinha chegado sem .Mas esta conversa específica. Embora o Sr. como sabe.disse Dexter.recostanda se na cadeira.. -Achas que me estou a rir? . Tinham estado a mbos a pé a maior parte da noite.Tratar-se-á da mesma pessoa com quem conversei ao telefoneháalgumassemanas?-pergun touLawrence. se quiseres ouvir. Porque não tenho qualquer dúvida dequeo senhoré apessoa certapara alevaracabo. . .disse o presidente.. Quando as hélices começa ram a rodar.Então. . 0 2R0 JEFFREY ARCHER O DCCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 2N1 para acreditar que a pessoa em causa já não representa um perigo para este país.Não estou a acusar a Agência de nada. A acusação é contra ti.Não estou a compreender. A secretária de Lawrence aguardava-os ansiosamente junto à porta. não foi feita deste gabinete. o Ilyushin 62 avançou co mo se. . Lloyd inclinou-se e informou o presidente sobre o desfecho da operação de emergência q ue fora efectuada essa manhã no Hospital Walter Reed. Presidente.Há mais. Presidente.Eu telefonarei pessoalmente à Sr ~.disse ele. Sr. onde encontrou Andy Lloyd com um telefone colado ao ouvido. sem dúvida.disse o presidente pela terceira vez nesse dia. 0 presidente inclinou-se para a frente e voltou a carregar no botão "Stop". permite-me que te esclareça . Fitzgerald . tal como o seu senhor. Enquanto oM¢rine One levantavav oo. antes de carregar de novo n o botão "Play~. .. espero que concorde em aceitar a responsabilidade.. . Sr. -Estásapedir-mequeacreditequeoassassinatodopresid ente da Rússia é agora considerado pela CIA nada mais do que um exercício de rotina?-pergun tou Lawrence.Eu achei que.Obrigado." -Não sei se o estou a compreender.Eu decidi que tinha de lhe telefonar para dizer como considero importante esta missão. Lloyd terminou rapidamente a chamada. num tom de incredulidade.perguntou o presidente. .Sr. pessoalmente.

ao mesmo tempo que Dexter cheg ava à porta. com dois dossiers debaixo do braço e sentou-se na sua cadeira habitual. depois d .Que há a seguir. Ruth voltou à Casa Branca. sem esperança de liberdade condicional. nem ao nome do doente que iriam visitar. uma pena demasiado pesada.... Qualquer coisa-balbuciou Gutenburg. Helen. Ruth abriu-a e anunciou. -Eu acho que uma pena de seis. também a partir das nove horas da manhã desse dia. -Bem. Embora o fato. a camisa e a gravata fossem diferentes dos que vestia na última vez que o vira. Especialmente se estava a ser enganado e não sabia o que se passava.Atendendo às circunstâncias. Levantou os olhos para Lawrence e disse em tom de desafio: . De facto. . entrando na Sala Oval seguida. do cargo de directora da CIA.Eu não vou assin ar nada. com uma pequena ajuda da Casa Branca. sentando-se numa das du as cadeiras vagas em frente do presidente . -Eu concordo com qualque r coisa. 0 presidente entrou na Sala Oval. .Bom dia. Ruth pergunto u a si própria se o seu patrão se tinha deitado nessa noite. Quando. -A directora e o director-adjunto da CIA. do outro lado da porta. e olhoupara o seupedido de demissão. redigido numa só lin ha. Sr. o presidente já estava a caminho da ba se aérea de Andrews para se despedir de Zerimski. enquanto ela se dirigia à porta. talvez sete anos no máximo.Não pode fazer bluff comigo. hesitou durante algum tempo. Às duas da manhã. . sabendo perfeitamente o que era. pode acabar por cumprir ape nas três ou quatro. Colocou o papel no mata-borrão à sua frente e a cassete no gravador que estava em cima da secretária.perguntou ele. . Gutenburg voltou a acenar a cabeça em sinal de concordância. Ouviram bater à porta.se ter feito anunciar e disse a Ruth Preston que tinha sido convocado para uma r eunião urgente com o presidente. às oito e dez da manhã. o presidente. .Oex-director-adjúntolevouapenasal gunsmome ntos a lê-la antes de rabiscar a sua assinatura ao fundo da segunda página. -Creio que se sentirá aliviado ao saber-prosseguiu Dexter. tendo o presidente dado instruções para não ser incomodado.Mas isso significaria.Eles estão à espera? Então. é melhor mandá-los entrar.que consegui resolver o problema que receámos que pudesse surgir durante a visita do presidente russo. ao lado do presidente. . que concordaria. num tom alegre. . Presidente . pelo seu director-adjunto. Lawrence . .Sr. . Voltaram uma hora depois e passaram mais noventa minutos na S ala Oval. um passo atrás. Sr. em testemunhar pela acusação. Gutenburg acenou a cabeça em sinal de assentimento. Lloyd e o procurador-geral tinham ido ao Hospital Walter Ree d-de novo. sim.. eu considero a prisão perpétua.disse Lloyd. . Presidente.disse Helen Dexter. sir .A sua reunião das dez horas está à espera no átrio há quarenta minutos.perguntou Lawrence. Essa reunião não estava na agenda. levantando-se da cadeira. deixando a folha d e papel por assinarem cima da secretária. Ruth? .disse Dexter. Dexter ficou parada. se não consegues seguir o mesmo curso de acção honroso que Nick . e Lloyd tirou uma decla ração de duas páginas do outro dossier que tinhanocolo. não havia qualquer referência à "sita na agenda.disse L awrence -. abriu uma gaveta da secretária e retirou duas fo lhas de papel e uma cassete.quando saíres desta sala encontrarás. seria mais apropriado n o seu caso. o Sr. A directora pousou a mão na maçaneta da porta.Tenho. Ela também trazia um dossi er debaixo do braço. vindo do seu gabi nete. E. obviamente. dois agentes do Serviço Secreto que têm instruções para te prender.Tens as declarações? . Gutenburg . . Lawrence não retribuiu a saudação..respondeu Lloyd. Já devia saber que eu não me assusto assim tão facilmente. temos motivo 282 JEEFREY ARCHER 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO 283 papelpor cima da secretária. Andy Lloyd entrou.

.-Deunovamente meia volta para sair da s ala. eles não teriam a coragem de ir para a frente. Qualquer advogado de meia tigela o desfaria em pe daços.És um tolo.E se quiseres assin ar este documento-fez deslizar uma folha de papel por cima da secretária -. sem o Fitzgerald. 0 seu director-adjunto éstava a agora a tremer visivelme nte.Infelizmente . segundo me dizem. o proc urador-geral disse-me que a pena de morte seria comutada em prisão perpétua. devo informar-te de que Connor Fitzgerald faleceu esta manhã.ordenou Dexter. sir-disse Gutenburg. 0 Cemitério Nacional de Arlington estava cheio de gente que viera prestar homenage m a um homem que nunca procurara o reconhecimento público. de Ricardo Guzman. Lawrence virou-se para ele. que estava a fazer desli zar uma segunda folha de 2Rd procurador-geraljálhesdeveterexplicadoisso. posso garantir-lhe que a CIA não teve nada a ver com. depois retirou uma caneta do bolso e assinou o seu nome entre as duas cruzes a lápis debaixo do seu pedido de demissão. . ainda a tinta não tinha secado no seu p edido de demissão. Seforem considerados culpados. . autorizei o SAIO a prender-vos aambos sob acu sação detraição. desse modo.Após consulta ao procurador-geral. .Não foi isso que Connor Fitzgerald nos disse esta manhã . Seguiu-se um lon go silêncio antes de ele acrescentar. com o procurador-geral como testemunha.E. Os ho mens são uns fracos. Lançou um último olhar de desprezo ao seu ex-adjunto antes de pegar na caneta e de escrevinhar a sua assinatura entre as cruzes a lápis . Dexter fitou-o com um ar de desprezo não disfarçado.Eles nunca se arriscariam a colocar Fitzge rald no banco das testemunhas. Estou certa de que o -Nunca foi nossa intenção que Zerismki fosse assassinado .Sr. -Claro que é possível. nunca conseguiríamos pôr Fitzgerald no banco das testemunhas. . Andy Lloyd abriu o primeiro dos seus dois dossiers e entregou a Dexter e a Guten burg cópias de uma declaração assinada por Connor Fitzgerald. Nick. Nick. só pode haver uma sentença.Seja o que for. -Helen tem toda a razão-disse Lawrence. às sete e quarenta e três. Dexter parou subitamente pela segunda vez.irigiu-se de novo à secretária. . . -Eu calculei que dissesses isso.disse Dexter num tom ríspid o. fazer desaparecer qualquer prova de que foste tu que ordenaste o assassinato. . do cargo de directoradjunto da CIA. Presidente. pegando nos três documentos e entregando-os a Lloyd. Gutenburg hesitou por instantes. Gutenburg! .De facto. não assines! ..Se te recusasses a assinar.disse o presidente -. na Colômbia.Se o processo alguma vez chegasse a tribunal. ela levou-me a acre ditar que as instruções para assassinar Guzman tinham vindo directamente da Casa Branca. redigido numa só linha. que não soubesses que a directora não possuía a autoridade executiva necessária para dar uma ordem desse tipo. .-Voltou-se de novo para o presidente. o presidente não pôde deixar de rep arar que Gutenburg estava a suar um pouco. -Está absolutamente correcto. E. 0 presidente dos Estado . Enquanto os dois liam a declaração. a partir das nove horas da manhã desse dia. . Dexter ficou calada.disse Lawrence. eles não têm qualquer prova.. -Talvez queiras ler a declaração que ele assinou na presença do procurador-geral. -Apenasqueumhomeminocentefosseenforcado-respondeu n presidente.disse o presidente.. JEF'FREY ARCHER LIVRO IV Os Vivos e os Mortos 36 0 cortejo fúnebre avançava lentamente ao longo do cume da colina.disse ela. . Dexter permaneceu calada.

Não tinham vindo prestar homenagem. NumareuniãoquetiveralugarnaCasaBrancanodiaanterior. Quando a b anda dos Fuzileiros tocou o hino nacional. ao lado da sepultura. enquanto um corneteiro dos Fuzileir os tocava o toque de silêncio. . Tinham vindo dos quatro cantos do mundo para estar ali. Normalmente. À sua direita estava a sua filha. dois dias após terem recebido uma chamada pessoal do presidente. entre o chefe de Gabinete da Casa Branc a e o procurador-geral. recordar-se-ia d ele o resto da vida. Tom Lawrence dissera à viúva que o s últimas palavras de Connor tinhamsidosobreoseuamorpelamulherepelafilha. está outro herói americano.Opresiden te dissera ainda que. inclinou-se." Mas hoje não. entrego-lhe a bandeira da República.completamentecalvo. ele tê-la-ia entregue à viúva com as palavras: ~~Minha senhora. herói. não erguera a cabeça.Y ARCHER 0 DÉCIMO PRIMb'IRO MANDAMENTO 287 Meu Deus. > Desportista. acompanhada por Stuart e Tara. a apertar a mão a todos os que tinham assistido à cerimónia.Se eu fosse John Fitzgerald Kennedy. Eu gostava de ter tido esse privilégio. Dois homens que tinham permanecido no topo da colina durante toda a cerimónia tinh am chegado da Rússia no dia anterior. ele colocou a mão direita sobre o coração. tal como Connor. eu daria de bom grado tudo o que possuo só para voltar a perder com ele ao brídege. 0 padre Graham fez o sinal da cruz. Hoje ele marchou numa direcção diferente. Umhomemalto.encontrava-se ligeiramente afastado do s outros. Tinham vindo os três de Sydney. em nome do presidente dos Estados Unidos.entroncado. Está rodeada de amigo s que conheciam bem o seu marido. simplesmente porque ele se riria de mim.Nenhumdospresentesacreditariaqueosma isferozes 2RG JEPFRF. deu lentamente a volta à sepultura e parou em frente da viúv a. soldado. A guarda de honra dobrou a bandeira retirada do caixão até esta terminar num triângulo nas mãos do cadete mais jovem. ao pó hás-de voltar-entoou o padre. um rapaz de 18 anos que. -Do pó vieste.s Unidos estava de pé. pai. . Alguns passos atrás do presidente estavam o novo director da CIA e um grupo de hom ens e mulheres que não tinham qualquer intenção de ir trabalhar nesse dia. .0 idoso padre ergueu a cabeça. enquan to o jovem cadete se colocou em sentido em frente do presidente dos Estados Unid os e lhe entregou a bandeira. Ninguém se mexeu até Maggie ter chegado à entrada do cemitério.Em nome de um país grato. nos últimos quarenta minutos. "Sepultado não muito longe de ti. escrevera Tara no seu diário nessa noite. A enorme multidão reunida à volta da sepultura não podia deixar qualquer dúvida em Maggie Fitzgerald sobre a enorme quantidade de amigos e admirad ores que Connor tinha deixado atrás de si. embora eu nun ca tivesse a coragem de o dizer na sua presença. Sete fuzileiros ergueram as espingardas no ar e dispararam uma salva de vinte e um tiros. profissional. 0 presidente inclinou a cabeça e voltou para o outro lado da sepultura. Ela ficou ali quase uma hora. Regressari am . Connor. Tom Lawrence recebeu-a. amante. tinha nascido em Chicago. teria orgulho em estar sepultado no mesmo cemitério do que Connor Fitzgerald. à sua esquerda . Em frente deles encontrava-se uma mulher que. embora só tivesse visto o marido dela uma vez. Maggie levantou a cabeça e tentou sorrir quando o presidente lhe entregou o estandarte da nação. o seu futuro genro. amigo e para mim. pegou numa mão-cheia de terra e espalhou -a sobre o caixão. "Isto dito por um homem que se encontra com cem pessoas por dia . chorando de uma forma incontrolável. A guarda de honra deu alguns passos em frente e fez descer o caixão à terra.

insiste em descrevê-lo como "o bobo vermelho" . basta olharem volta para vermos a elevada consideração em que os seus pares o tinham. recordá-lo-e mos como marido de Maggie e pai de Tara. professores universitários de Georgetown. Permaneciam de cabeça inclinada em memória dohomem que tinham amado e respeitado. Quando chegou ao lado da sepultura. Biológicas. estavam as fitas de combate de Connor. De facto. 288 0 Air Force One foi rodeado por tanques quando o presidente dos Estados Unidos a terrou no aeroporto de Moscovo. ainda que por apenas alguns dias. No seguimento da esmagadora derrota no Senado. fossem imediatamente retiradas. poetas e gente de todas as cla sses sociais. no fim da sua carreira. . enchendo o cemitério até onde a vista conseguia alcançar. da sua Proposta de Lei de Redução das Armas Nucleares. estavam familiares de Chicago. na torre blindada de um tanque. tinha esperança de recuperar os dez dólares que perdi num róber. Ao centro. o primeiro ponto da ordem de trabalhos foi a exigência do presidente Zerismki de que as forças da NATO. Químicas e Convencionais e da reintegração voluntária da Ucrânia à União Soviétic presidente Lawrence soube que não se encontrava em posição de ceder um só milímetro quanto ao papel da NATO na Europa. Como estudante. as minhas palavras não poderão igualar a menção escrita pelo capitão Christo pher Jackson. serviu o seu país durante quase três décadas. Estava a contar a jogar mais uma vez b rídege com ele durante as férias de Natal." Como profissi onal. 0 FBI e os Serviços Secretos também estavam representados em grande número. viu o marechal Borodin d e pé. gangsters da África do Sul estariam radiantes por saberem que Carl Koeter estava f ora do país. levantou o caixão da carreta de canhão. Também não houve os habituais discursos de "Bem-vindo à Rússia!" feitos num pódio colocado na pista. a alguns metros da sepultura. que já se comenta que ela poderá vir a ser a primeira mulher a ser eleita presidente . ser considerado o sucessor de Connor Fitzgerald. aindanessa manhã. a guarda de honra pousou suavemente o caixão no chão e juntou-se aos restantes present es. A guarda de hon ra. eram neces sários. Para elas vai todo o nosso pesar. 0 presidente Zerimski não nos deixou qualquer dúvida de que tinha pouco interesse em permitir que fosse dada aTom Lawrence uma "oportunidade fotográfica" para o povo americano. colocou-o sobr e os ombros e iniciou a lenta marcha em direcção à sepultura. acima de tudo. no topo. 0 agente especial Braithwaite estava à frent e de uma dúzia de atiradores. 0 caixão estava coberto com a bandeira americana e. Como soldado. recentemente eleita.Os padres são muitas vezes chamados a elogiar paroquianos falecidos que eles mal conheceram e cujos feitos nem sempre são óbvios. que fora o padre dos Fitzgeralds durante mais de trinta anos. de ar sombrio. -Meus amigos-começou ele. 0 padre Graham. comandante do seu pelotão: "Um oficial sem medo perante o perigo.Tive a sorte de ser um dos seus amigos. a fim de "se opor mais abertamente à mal orientada política externa do presidente". os doispresidentes eventualmente se encontraram no Kremlin. praticantes de dança irlandesa. Desde a demissão da senadora Dexter do cargo de directora da CIA no ano passado.. Mais em cima. que patrulham as fronteiras ocidentais da Rússia. desceu a escada do avião. jogadores de brídege. Mas não se pode dizer o mesmo em relação a Connor Fitzgerald. Quando Lawrence. 0 padre Graham baixou a voz. composta por oito homens. qualquer um dos quais gostaria de. Quando. será recordado como um dos melhores zagueiros que a Universidade de Notre Dame jamais produziu . na encosta da colina.a Sampetersburgo no voo da noite e informariam que os seus serviços já não. pouco antes de ele ter partido para a sua última m issão. Mas. encontrava-se a Medalha de Honra. especialmente desde que a senador a Helen Dexter. 0 cortejo parou na Sheridan Drive. que sempre colocou as vidas dos seus homens acima da sua. er gueu os braços no ar.

. é só que.Não. .Mas foi a primeira vez. U Uáclnm l'rimcini )1undamculn-. Maggie desceu do banco para lhe dar um beijo no rosto. Embora eu desconfie que nem toda a gente co ncordasse com uma pena de prisão perpétua pelo roubo de setenta e três dólares.. . não a morrer de consumpção-disse Tara. minha querida. -Mas se eu o livrar da cadeia.Eu digo-te um segredo.disse Maggie. . .pergunto u ela. Maggie.. Voltou para junto do fogão e partiu out . (N. devias ter-te matriculado na Faculdade de Direito.. Qual é a notícia importante desta manhã? . olhando para Stuart.disse Stuart. da T. -Nós liv rámo-nos dos ingleses há mais de duzentos anos. -Nãonosocuparámuitomaistempo-disseStuartcomuma gargalhada.Nunca devias ter concordado em tirar um ano sabático.) JEFFREY ARCHER 37 0 DFCIh10 PRIMEIRO MANDAh1ENT0 289 oportunidade . só as mães-galinhas. jovem .. . Nas conversações preliminares desta manhã no Kremlin.Vocês são tão lentos neste país .disse Maggie. StuartlevantouosolhosdaprimeirapáginadoSydneyMorning Herald quando Maggie entrou n a cozinha.0 Zerimski ainda está a tentar medir forças à mínima Fotografias tiradas pela imprensa ou televisào a políticos ou outras figuras públicas. .Obrigada.Iv 290 JEI'FREY ARCHER O U(?C1M0 PRIMEIRO MANDAMENTO 291 . .Eu sei.Não há notícias mais alegres para me dares num sábado de manhã? .E o teu presidente tem de ter a coragem de lh e fazer frente.A primeira vez que foi apanhado. vestida com calças de gangaeumacamisola.Senta-te e come estes flocos enquanto te faço uma omelete.. . pondo os braços à volta dos ombros da mãe. enchendo uma tigela com flocos..Alguma coisa interessante no jornal? . . -Bom dia-disse ela com ar de sono. ...respondeu Stuart. no momento em que a sua m ulher entrava de robe na sala. na página dezasseis-disseel e... Elesviviamnamesmacasahámaisdesei s meses.Eu acho qu e o teu cliente é um patife que devia passar o resto da vida na cadeia. tu darias um excelente advogado de acusação .Por roubar setenta e três dólares?-disse Stuart num tom de incredulidade.. e ele nunca a vira mal arranjada ou despenteada.A uma velha indefesa. És demasiado inteligente.Ficarias surpreendido. Tu não deves. o presidente russa não tentou disf arçar. . isso poderá alterar-se.Eu vou buscar .0 meu processo no tribunal criminal vem no jornal. Pelo menos. eles parecem mais interessados no meu cliente-admitiu Stuart .disse Maggie. -Mãe.. . quando a mãe colocou a omelete à sua frente.retorquiu Maggie. . . -Stuart tem razão-disse Tar a. .disse Tara..Bom dia. levantando-se da mesa. .0 Zerimski era capaz de lançar uma bomba nuclear sobre a Casa Branca se achasse que ficaria impune-disse Maggie. -Sabes.Eu espero que não o livres! . Neste momento. . -Não devias desperdiçar o teu tempo a fazer de governanta.Mas eles nem sequer mencionam o teu nome. Tara leu a notícia antes de dizer: .disse Stuart. Não existem quaisquer provas de que os abortos sejam hereditários. apontandoparatrês curtosparágrafos ao fundo do canto esquerdo da página. em poses que estesjulgam ter interesse para o público. queres tu dizer .disse ela. em vez disso. essa é a opinião do correspondente russo do Herald. Stuart . . partindo 0 segundo ovo. . Ouviu-se o som de algo a cair no tapete.0 primeiro-ministro anunciou a data para a eleição do primeiro presidente.tu nunca paras de te preocupar .. . . eu estou grávida. .Eu ficarei satisfeita com uma tigela de flocos. .disse Maggie.

.-Já é a altura de deixarem os dois de se preocupar c om a minha vida social.Acenou a carta no ar.disse Maggie.) JGTEREY ARCHER .Eu sei. Como ' Pássaro australiano. -Não comeces tu também-disse MaggYe. explicava a carta.disse ele com um SO1T1S0.. .disse Tara.admitiu Stuart. Mas ele não precisa de passar a noite inteira comigo a falar-me das saudades que tenho do teu pai. . A Universidade de Sydney terá de arranjar outra pes soa. começando a levantar a mesa.. . E eu certamente que não preciso de passar uma noite a ouvir como ele adorava a sua falecida mulher. voltando com o correio da manhã na mão.Muito lisonjeiro .Para ser sincera. Passou duas a Tara e três a Maggie.Tais como? .Eu devia ter casado contigo. agente da CIA. . Ela acabava sempre por descobrir.Vi um anúncio de emprego no Herald e achei que tinhas as qualificações ideais. . fazendo uma festa na cabeça do genro.Elizabeth.Inocente . exa minou os selos antes de decidir a ordem em que as iria abrir. antes de pôr de lado o seu pequeno monte.Eu estou num ano sa bático e em Agosto tenciono retomar o meu cargo de directora dos Serviços Administra tivos da Universidade de Georgetown.Sim. .Mas tu nem sequer aceitas os convites para coisas de que gostas.ro ovo. Ele depressa aprendera que não valia a pena enganar M aggie. querida. (N.. uma colorida fotografia de um hookaburral. não me recordo do que fiz . acho que já me sentirei melh or. "Compensação total". . Nem Tara nem Stuart fizeram quaisquer comentários quando ela tirou do envelope um cheque de duzentos e setenta e sete mil dólares. . vocês os dois-disse Maggie. Só espero não estar a abusar da vossa hospitalidade. passou-a a Tara. mas preciso de mais algum tempo para arranjar coragem para vo ltar a Washington.Tara. . Stuart riu-se e começou a separar as cartas. Abriu primeir o a carta australiana. Talve z até demasiadas qualificações. assinado pelo secretário do Tesouro . . . Sentou-se e abriu a segunda carta. a maior parte das quais eram para ele .-Mas já se passaram seis meses desde que.Mas eu gosto de estar convosco.Correm rumores de que o director dos Serviços Administrativos se vai reformar no fim do ano académico -disse Tara. -Mea culpa . eles estarão em breve à procura de quem o substitua. Quando acabou de a ler. .Eu recordo-me.Na semana passada.Por isso. -Ouçam. . Maggie .Colocou uma omelete ainda maior à frente de Stuart. cujo sorriso se foi alargando à medida que lia os sucessivos parágrafos.disse Tara. Ronnie Moore é um homem simpático e não tenho qualquer dúvida de que qualquer qu e seja o seu cargo no Banco. . da T. que nem sequer sei como se chamava. Ficaste no teu quarto a ler o Ulysse s. -Terias sido um marido muito mais adequado do que a maior parte dos homens que m e têm tentado arranjar . 0 terceiro. passando a carta a Stuart. Dois tinham o mesm o retrato de George Washington. Stuart leu-a rapidam ente.Ronnie até é bastan te simpático. Como sempre. . Quando o semestre de Outono começar.-Mas só depo is de descobrir a qual de vocês devo agradecer..disse ela. o Sr. para ler primeiro a secção desportiva do Herald: Maggie encheu uma segunda chávena de café antes de abrir o correio. pela perda do marido. ele o desempenha muito bem. . muito. . .disse Stuart. Quem conseguir o emprego. -Claro que não estás-disse Tara. Mas que resposta lhes vais dar? -Vou escrever a explicar que não estou à procura de emprego -disse Maggie. Moore convidou-te para ir ver o Fidelio na Opera Hous e e tu disseste-lhe que ias sair nessa noite.

Stuart estava prestes a bater-lhe na cabeça com o jornal quando Maggie exclamou: .Mãe! Em todo o caso. terás tentado . E. noite ent Sydney e encontrar-me-ei com o vice-reitor no dia seguinte .Ao fim destes anos todos. Foi-lhe oferecido um emprego como director do Departamento de Matemática da Universidade da Nova Gal es do Sul e vem encontrar-se com o vice-reitor antes de tomar a decisão final. -A que horas chega o avião? . .Encontro-me convosco lá fora.Que pena . para sair daqui a uma hora . Tara olhou para a mãe.Oh. Maggie olhou para ele por cima dos óculos e sorriu. Ela ergueu o olhar.disse Stuart .. se não me enganodisse ela num murmúrio.Olharam para ela. ele é irlandês. pelo menos.. .Eu sei o que te disse . . . .disse Stuart. eu gostaria de conhecer o f iel Dr. 0 que é mais do se pode dizer a respeito da maior parte das tuas ex-namoradas. Que mais podes desejar? Houve um longo silêncio antes de Maggie dizer.. .disse Tara. olhando para o relógio. . -Afinal de contas. foi por pouco que o papá conseguiu ganhar-lhe.Não podia ser melhor -disse Tara.Infelizmente. por isso. Era a expressão mais próxima da blasfémia que jamais a tinham ouvido dizer.0 quê? . .disse Tara. ele agora é.Mas tu sempre me disseste. talvez consigamos chegar ao aeroporto antes de o avião aterrar. Maggie acenou a cabeça em sinal de concordância antes de prosseguir: Passarei a.Quando é que o Dr.E. ele também era um tanto enfado nho. .admitiu Stuart. que não parecia nada entusiasmada com a ideia. professor do Trinity College de Dublim . às onze e vinte .Nâo sejas tão pessimista . não tenho qualquer forma de contactar com ele antes do seu regresso.perguntou Stuart. . .. .E ainda podes -disse Stuart. . E ele não d iz onde vai ficar hospedado. .-Deve e star cansado da viagem e deverá querer preparar-se para a reunião de amanhã.É verdade .E não precisas de olhar assim para mim.disse Maggie.Ele ainda te pede em casamento ou.Que queres dizer com is so? . tal como nos recordas regularmente. tem um casamento muito feliz e é pai de três filhos.Ele estará de regresso antes de voltarmos do fim-de-semana.. voltando a sua atenção para Maggie. . . . . a verdade é que. -A carta de amor anual do Dr. Declan O'Casey. . isso não corresponde totalmente à verdade. .disse ele. mãe? . . tirou o aven . Rasgou o envelope.. 0'Casey chega à Austrália? Maggie desdobrou outra vez a carta e leu: Parto de Chicago no dia.Que é.Esta manhã.disse Tara com um suspiro de adoração.Deus do céu! .poderiam eles alguma compreender o que significava "compensação total"? Abriu rapidamente a terceira carta. .Bem. O'Casey. não vai aceitar-disse Maggie.disse Tara.disse Maggie. pois reconhecer a o tipo de letra e sabia exactamente quem a enviara..Ten ho de admitir que estou muito impressionada por ele te ter seguido o rasto.Mesmo que o convidemos.Mas. Tenho a certeza de que às vezes espicaças o Stuart. casou-se finalmente? . ele.. Tara deu uma pequena cotovelada a Stuart. bonito e sempre te adorou.Agora diz-me .Acho que já não vamos a tempo. embora fosse um rapaz bonito. falando daquele jovem empregado de mesa de Dublim que. -Eu também-disse Maggie com um sorriso.perguntou Tara. Tinha-a guardado para o fim. espantados. ao fim destes a nos todos.Nem uma coisa nem outra. Podias convidá-lo para almoçar connosco..perguntou Tara.. após o que regressarei a Chicago. . se queres saber mais. catorze e chego a quinze. prontas. 0 UÉCIMO PIdIMElRO MANDAMENTO 293 . .Pelo menos com ele não preciso de fingir.-Reserv ei uma mesa no café da praia para a uma hora. . provavelmente. . olhando para o relógio. -Mas isso é hoje-disse Stuart. . Maggie dobrou a carta.Se sairmos daqui a dez minutos. tu és magistral! .

Não tinha engordado.os quinze minutos já quase se tinham esgotado. Eram agora quase onze e quarenta. para 51 anos. Ao entrar no carro. olhando para o relógio. e estava a ficar apreensiva por.respondeu Maggie. Quando verifiquei os cacif os dos seus companheiros de equipa. quando o nosso é Margaret Deirdre Burke . na esperança de que Declara tivesse tempo para sair sem a ver. saiu apressadamente da cozinha e subiu as escadas.disse Maggie. com pranchas de surf debaixo dos braços. Olhou-se ao espelho. Começou a estudar os passageiros que passavam pela p orta. ao fim de tantos ano s. saltou do carro e abriu-lhe a porta de trás. mas nos últimos seis me ses tinham-lhe aparecido algumas rugas na testa. os de meia-idade.Despacha-te. Passável. Connor era quem tinha. Os jovens. Tara disse: . porque era isso que ela era e ele também. é o mínimo que posso fazer.gritou ele.Quando o teu pai finalmente.. No quarto. Stuart desato . se ir encontrar de novo com o seu antigo parceiro de dança. . pela terceira vez.. .Que importância tem um nome? . conforme estava previsto. . Verificou o painel das chegadas. azafamados e atentos. e dormitar depois ao sol da tarde enquanto Stuart e Tara faziam surf. Quando chegaram ao aeroporto. suplicando à mãe que parasse de a fazer r ir.Sorriu à filh a.respondeu Maggie. proveniente de Chicago. Tara apareceu alguns minutos depois e Stuart evaporou-se assim que ela sorriu. Ela sabia que a bagagem j á estava toda no carro e que o motor já estaria provave lmente a trabalhar. Tara . às onze e vinte. mais devagar andava. m amã? . Ao fim destes anos todos. com um ar incrédulo.Foi exactamente o que eu achei nessa altura . abriu o guarda-vestidos e vestiu o seu vestido 29d ~EEFREY Axcxt. Tara ria-se agora a bandeiras despregadas. -Não. Stuart parou junto do passeio. Não queria que Declara pensasse nela como uma mulher de meia-idade-embo ra isso fosse uma tolice. para o primeiro andar. Maggie encontrou Stuart a andar de um lado para o outro no vestíbul o. pensati vos e de andar lento. menos nomes .x 0 DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO ?95 -Certamente que não foi ele que te contou isso-disse Stuart.Não. não foi. dirigindo-se rapidamente para as portas automáti cas antes que mudasse de ideias.Estou ansiosa por conhecer Declara. . e ele não estava a contar que estivesse alguém à sua espera.perguntou Tara. .. . 0 voo 815 da United. . obrigada .Queres que vá contigo. Até mesmo o nome tem um som romântico. decidiu. Quanto mais se aproximava da zona das chegadas. Eu nunca teria vindo a saber se ele não tivesse treinado até tarde uma no ite. de longe. Começou a pensar num prato degnocchi e num copo de Chardonnay durante o almoço em Cronulla . -É melhor despachares-te-disse ele. ti nha aterrado. .Muita. atrás de todos. Olhou de novo para o relógio . Quando desceu. Começou a perguntar a si própria se reconheceria Declara. Maggie tinha esgotado todas as histórias da rivalida de entre Declara e Connor. há mais de trinta anos que não se viam. Em toda a sua vida. Teria ele já passado por ela? Afinal de contas. os velhos. Tara.disse Stuart com um sorriso enquanto conduzia o a utomóvel para a estrada. Decidiu esperar quinze minutos e depois voltar para o carro. ela nunca tinha chegado tão atrasada para esperar um avião. Nesse preferido. Decidi deixar-lhe uma mensagem no cacifo e encontrei o nome da Nancy no interior da porta. alegres e entusiasmados.tal e disse: -Tens razão. com os filhos pela mão. Mas não tive razão para me queixar.

-Não achas que é possível-disse Tara-que. . muito mais tarde. Passámos a nossa primeira noite juntos num banco do parque.perguntou. . O'Caseypossa ser divertido.E verdade. meu querido. . Connor! . . tu vais ter de me explicar muita coisadisse Maggie. Maggie levantou os olhos paraele. Stuart riu-se tanto que quase bateu no passeio.respondeu Maggie. Declara O'Casey. Maggie? .a Declara O'Casey". nos últimos seis meses. quando eles nos matam. Mas isso não o tornou mais interessante. e de ter lido depois os rasgados elogios ao teu falecido marido q ue pensei: "Declara. porque me lembrei que uma vez me disseste que tinhas querido ser a Sr. meu rapaz.Levou a mão ao c abelo. -E mbora os presidentes possam resolver quase tudo.Largou-a e olhou para a mulher que. vigoroso e mundano? -Duvido-disse Maggie. num tom de pretensa confidencialidade.A ideia que Declara fazia de um fim-de-semanaromânticoeraapresentarumacomunicaçãosobretrigonometria numa conferência de matemática.Que tal.murmurou ela.Foi depois d e ter visto a tua fotografia no Washington Post. . .disse ela. .Decidi-me pela do Dr. Tara desatou a rir. Esta viria mais tarde.Foi com uma rapariga conhecida como "Nunca digas não a Nancy> . num gesto de nervosismo. quando andava na escola. E temos o resto da vida para o fazer. . esta poderá ser a tua última oportunidade de casares com a jovem Margaret Burke de East Side."-Sorriu. justiça seja feita. de pé. Não exigiu qualquer explicação. . -Como é que sabias que ele eravirgem?-perguntou Stuart. o teu pai não tivesse muito mais experiência do que ele. No momento em que a viu. Os olhos encheram-se de lágrimas. .disse Connor. -Mas a letra. . a impaciência de 29G JEFFRGY ARCHER momento.aDeclan0'Casey. o Dr. pensei que havias de gostar desse pormenor . Connor abraçou-a com força com o braço direito.Oh. -Eu até consegui descobrir como Connor perdeu a sua virgindade .Diz-me que é verdade. desejara constantemente abraçar.u a rir.Connor Fitzgerald. escrevi uma carta dirigida ao "Dr.Sim. não temos outra opção a não ser desaparecer durante algum tempo e assumir outra i dentidade. Queres casar comigo? .Uma vez. Como é que tu? . sem sa ber se tinha vontade de rir ou de chorar.0 "e" torto. os seus olhos pousaram num homem com um só braço que estava passar pela por ta das chegadas. . enquanto a mangá esquerda continuava caída ao lado do corpo. . . e a única coisa que perdi foram os sapatos de quarto. sim. meu Deus. aofim detodos estes anos. E utambémtinhaesperançaquenãohouvesse muitos australianos que estivessem interessados em testar os meus conhecimentos de matemática.disse ela.Porque ele o dizia const antemente a toda a gente . abrindo os braços. Sr ~ O'Casey. Maggie ficou sem forças nas pernas. -É verdade.prosseguiu Maggie . em fre nte do presidente. infelizmente. enrugado e ainda virgem. Correu para ele.Embora. com as lágrimas acorrerem-lhe pelo rosto. ele fez aquele sorriso familiar que mostrava que sabia que tinha sido apanhado. minha querida Maggie-disse ele com um forte sotaque irlandês. esquecida de t oda a gente à sua volta. um profe ssor universitário que está a pensar em aceitar um novo cargo na Austrália.-Eu acho que é mais provável que ele seja pretensioso. e Sr. Meu Deus. Olhou para o homem que nunca deixara de amar e pensou que ia desmaiar. junto da sepultura. diz-me que é verdade.