You are on page 1of 12

HISTÓRIA DA HOMEOPATIA NO BRASIL

Organizado por Mário Antônio Cabral Ribeiro - Médico Homeopata, Presidente da AMHB – gestão 2006/2008 INTRODUÇÃO A homeopatia tornou-se, pela eficácia de sua possibilidade terapêutica e pelo mérito daqueles que a aplicaram, uma opção procurada pelos médicos brasileiros e demandada pela população. O Brasil hoje é um dos países com maior número de médicos homeopatas do mundo. Não somente em quantidade, mas em qualidade, graças aos bons cursos de formação, aliados a uma boa atuação da Associação Médica Homeopática Brasileira e de suas federadas, e também a uma boa relação com os farmacêuticos homeopatas, que possibilitam tratamentos oferecendo medicamentos com boa padronização de preparação, na formulação prescrita e com fonte de matérias-primas e tinturas mães confiáveis. Isto não aconteceu por acaso! Houve muito esforço, trabalho e dedicação por parte de muitos homeopatas brasileiros que por este ideal trabalharam incansavelmente. Vamos lembrar um pouco da história deste país maravilhoso, que ressurge como uma nação que muito pode, e que deve caminhar um pouco mais para poder frutificar tudo o que pode.

UM POUCO DA HISTÓRIA DO BRASIL Este é um país de dimensões continentais, o 4º em tamanho contínuo. Atualmente com uma população estimada em cerca de 170.000.000 habitantes. Foi originalmente povoado por centenas de nações indígenas ligadas a dois troncos lingüísticos mais divulgados, o Tupi e o Guarani. Deles herdamos alimentos como a farinha de mandioca e o milho e os hábitos de dormir em redes e de tomar banho todo dia. Nosso país continental foi invadido pelos europeus a partir de 1500, completando este ano 506 anos. Foi a princípio colonizado pelos portugueses, e desde então teve início uma série interminável de saques de bens naturais: escravizando índios e, em um segundo momento, africanos, para a extração de pau-brasil, o cultivo de cana-de-açúcar litorânea e a garimpagem das minas de diamante e de ouro dos sertões. Depois de 1808, com a abertura dos portos, quando a família real portuguesa (Dom João VI) veio para o Rio de Janeiro, fugindo de Napoleão Bonaparte, o Brasil passou a ter comércio internacional e foi se instalando como Nação. Teve sua independência (!) proclamada em 1822, pelo então príncipe Dom Pedro I, que consolidou uma monarquia no país até 1889, findada com a proclamação da República. Transformou-se em uma nação baseada no modelo norte-americano, incluindo a inspiração de seu nome: Republica Federativa dos Estados Unidos do Brasil. Páginas tristes, como as guerras de Canudos na Bahia, do Contestado em Santa Catarina e Paraná e a do Paraguai, marcam o acesso tumultuado à República. Essencialmente um país agrícola, na primeira metade do século XX o Brasil contou com europeus e japoneses fugindo das grandes guerras, inicialmente utilizados em substituição aos escravos e posteriormente seguindo uma política que visava ao ‘branqueamento da raça brasileira’. Em algumas cidades de Santa Catarina ainda fala-se o alemão como língua corrente. A industrialização se iniciou somente depois da quebra da bolsa de Nova York (1929). Sob a palavra de ordem de ‘crescer 50 anos em 5’, Juscelino Kubitschek trouxe ao país nos anos 60 a primeira fábrica de automóveis – a Volkswagen -, acelerou o crescimento urbano e fez erigir, com suor e braços nordestinos contratados para a imensa obra, uma nova capital. Nas duas últimas décadas o Brasil tem se destacado no cenário mundial tanto no aspecto econômico como no político, como uma nação de futuro: principal economia da América Latina, forte exportador de minério de ferro, soja e aviões, auto-suficiência em petróleo, um aço competitivo, o mais informatizado sistema eleitoral do mundo, e um turismo procurado por suas montanhas, festas religiosas, culinária ímpar e um litoral indizível. Nosso acervo de bens culturais inclui o forró, frevo, candomblé, feijoada, tapioca e

que foi o Dr. negros. Frederico Emílio Jahn.para formar a base de uma comunidade industrial de máquinas a vapor. como comprovou Darcy Ribeiro. essa feliz mescla dos intercruzamentos sucessivos entre índios. desestimulando novos alunos a terem contato com o conhecimento homeopático. Hahnemann. surgiram os primeiros fatos oficiais em relação à Homeopatia. que ministrava aulas na Faculdade de Medicina e Cirurgia da Bahia. aportou.multicoloridos artesanatos. no Organon da Arte de Curar. sobre a proposta Terapêutica de Hahnemann. Um deles.Vale do Sahy CHARLES FOURIER Fourier soube compreender a tempo que o processo industrializador conduzia para um universo da simulação. fato que os aproximou. novas informações sobre a Homeopatia no Brasil. da repetição compulsiva e da abolição da diferença. Por volta de 1836. ansiando que esta ciência ganhasse o máximo de terreno possível no mundo. ainda em 1810. serviu. de base para o aprendizado do primeiro médico homeopata do Brasil. conforme as propostas sociais de Charles Fourier. Sendo Hahnemann. Esta tese. europeus e asiáticos. Dr. cidadão suíço imigrado. que chegou ao Rio de Janeiro em 1829. Um ano depois. quando Samuel Hahnemann ainda estruturava as diretrizes da medicina homeopática. Duque-Estrada (Domingos de Azevedo Coutinho de Duque-Estrada). A HOMEOPATIA NO BRASIL Logo no início do século XIX. com estes materiais construiu a mais gigantesca utopia de todos os tempos. Alguns homeopatas estrangeiros se estabeleceram no Brasil antes da chegada do francês Benoït Jules Mure. a barca francesa Eole. é seu povo criativo. no Rio de Janeiro. através de suas cartas a José Bonifácio. Dr. feita por um médico que não exerceu a Homeopatia. José Bonifácio de Andrada e Silva (o Patriarca da Independência) conheceu a teoria homeopática por meio de cartas com Hahnemann. Neste ano. no Rio de Janeiro. Miguel Angel de La Cruz Vives Charles Fourier . empreendendo uma cruzada a favor do natural frente ao artificial. como ficou conhecido. um grande químico da época. a Academia Imperial de Medicina publicou artigos que tratavam sobre a doutrina homeopática falseando e deturpando as colocações feitas por Samuel Hahnemann. detinha vasto conhecimento naquela área. do polimorfismo do desejo frente à homogeneidade da ordem instituída. veio ao Brasil implantar uma colônia societária que fazia parte de um plano . Phalanstero de Charles Fourier Bento Mure. O Prof."phalanstero" . Porém o maior patrimônio brasileiro. José Bonifácio era um naturalista dedicado com destaque na mineralogia. autor do Manual Homeopático. editado em 1826. fazia considerações descabidas e maledicentes sobre esta. da multiplicidade e a diferença frente à estandardização da produção e o consumo. Outros foram: Thomaz Cochrane. a bordo da qual estavam Benoit Jules Mure e mais de cem famílias francesas. em 1811. que em 1836. apresentou-lhe a Homeopatia. Antônio Ferreira França. Phalanstero de Bento Mure . defendeu tese em medicina. editado em 1843. como fazia habitualmente a seus correspondentes. Benoit Jules Mure Em 1840. médico escocês formado pela Universidade de Londres. e o francês Emílio Germon. posteriormente.

de l école du Dr. p. fora da França. A partir da recuperação de sua saúde.1863) Em 1837. Mure em Egypte.E é precisamente nestes tempos anti-utópicos que vivemos que se faz mais imprescindível reabrir o debate sobre a utopia e que adquire um renovado valor o delírio onírico de Fourier frente al positivismo triunfante. Este período da vida de Mure coincide com o seu ingresso no movimento fourierista. Neste local. fundou um dispensário que posteriormente foi convertido em Academia Real de Medicina Homeopática. pois viera recomendado a Manuel de Araújo Pôrto-alegre. 1861.000 mil francos. na França. Liet. no sétimo mês de gestação e com um quarto de um dos pulmões. Manual homoeopathique à l usage des familles suivi de la liste et des propriétes des médicaments brésiliens et autres. foi curado pelo Conde Sébastien des Guidi que introduzira a Homeopatia em Lyon. ao que parece. Mure. quando tuberculoso. como médico homeopata. por Silvestre Pinheiro Ferreira. Este último. Neste período. Mure clinicou e difundiu a Homeopatia através de suas curas "miraculosas". o Dr. Foi salvo pela Homeopatia em 1833.12). na convivência com a elite operária que formava então uma das alas da dissidência do movimento fourierista. Gênes-Via Galata Casa Ponte. e. ele "recebia. Quando retornou à França em 1839. chegou no dia 21 de novembro. membro das Sociedades Histórica e Literária do Rio de Janeiro. onde a praticou de 1830 a 1863. na residência do Cônsul brasileiro em Paris a associação assumiria um aspecto oficial. entre outras coisas. formou-se em medicina em Montpellier. Em 1840. Ali havia encontrado um ambiente favorável para a discussão e divulgação de suas idéias Montpellier porque os fourieristas abriram espaço em suas publicações para que Mure pudesse expor livremente os seus princípios. Benoït Jules Mure. em 1809. com as cem famílias. mais de mil doentes por semana" ( Mme. com seus colaboradores. em 22 de dezembro. era membro da Academia de Ciências de Lisboa e. que ficou conhecido no Brasil como Bento Mure. na divisa do Paraná com Santa Catarina. Após ter recebido licença do Governo Imperial e ter escolhido o local para a implantação de sua colônia. Bento Mure partiu. entre eles Jamain e Derrion. vinha de uma família de comerciantes lioneses e pode contar com o suporte material necessário para a realização de estudos na área da medicina. mais propriamente na Lapa. fundou. onde. comemoração da Homeopatia no Brasil. dirigiuse à Sicília e à Malta. foi que em Mure despertou a idéia da realização. em Paris. Em 21 de setembro. Vve. conforme informações de Sophie Liet. Dr. que veio a abraçar a Homeopatia através de seus ensinamentos. Conde Sébastien Des Guide (1769 . engajando-se no grupo da dissidência denominado Union Harmonienne. a bordo do navio Caroline para colonizar a península do Sahy. célebre cirurgião brasileiro. viera entretanto. Mure voltou-se completamente para a propagação da nova medicina e movido por este intuito com fins humanitários despendeu toda a sua fortuna estimada em torno de 500. futuro Barão de Santo Ângelo. Em Palermo. imbuído pelo desejo missionário de difundir a homeopatia. en Italie et en France. com o fim não de difundir a homeopatia no Brasil. conheceu o Dr. Souto Amaral. no encontro dos rios São Francisco e Sahy. o dispensário da rue de la Harpe. Silvestre Pinheiro publicou um "Projeto de Associação para o melhoramento data escolhida para a . de um projeto de colonização nos moldes propostos por Charles Fourier. A princípio não teve grandes dificuldades em penetrar no ambiente que pudesse favorecer a concretização de seus objetivos. em 21 de janeiro de 1840 compuseram os estatutos da associação Union Industrielle. Mure nasceu em Lyon. Para lapidar esta idéia uniu-se a outros membros da Union Harmonienne. Mure. Nesse ambiente. mas de realizar um projeto de fundo social. Em sua curta estada no Rio.

O deputado Andrada Machado. Prometia.. 1940. Pelo lado dos operários. Jolly.. que "para nós. mais do que a terra do Saí. um amigo. A importação da África além de horrível e impolítica como é. de propriedade do francês Junius Constâncio Villeneuve. O contrato que estabelecia as condições para a realização da colônia foi assinado pelo Secretário de Estado dos Negócios do Império e por Benoit Mure e aprovado por Decreto em 11 de dezembro de 1841. que era grande proprietário de terras e já sentia os efeitos da escassez da mão de obra para cultiválas. o rápido desenvolvimento tecnológico para um país de economia agrária e de base escravocrata. Mure já estava a caminho do Saí. onde discutiu brevemente a constituição do pensamento utópico desde Thomas Morus até os chamados reformistas do século XIX. que Mure havia fundado antes de partir para o Brasil. 64). o próprio imperador D. "O Falanstério do Saí".. Um projeto de colonização do porte que Mure visava. todo projeto de colonização é importante. por exemplo. em Santa Catarina. que entre Silvestre Pinheiro e Benoit Mure havia um elo de ligação: ambos pareciam dominados pela paixão de transformar o mundo. enquanto Derrion e Jamain o esperavam no consulado.. como fez.( "Diário íntimo do Engenheiro Vauthier". Pedro II. as famílias de colonos e os bens de mais 20 associados que abandonara no Rio de Janeiro. havia a convicção de que Mure teria vindo ao Brasil como mero representante da sociedade e portanto.) "tenho outros pontos de vista que não o de ser proprietário e minha vida passada responde pela minha vida presente (. Henrique. Mure receberia inicialmente um adiantamento de 10 mil réis para criar uma infra-estrutura para a instalação dos imigrantes.000 francos.. juntamente com o sr. mas de um suporte material considerável e este obstáculo só poderia ser superado por um bom trabalho de convencimento e de propaganda entre as autoridades do país. Mure defendeu-se argumentando que: "obter terras para guardar jamais foi meu pensamento" (.. chegavam ao Rio de Janeiro os primeiros 100 colonos com suas famílias e foram recebidos num clima de festa. Derrion e Co. Todo dinheiro que Mure viesse a receber do governo deveria ser restituído em parcelas a serem cobradas a partir do terceiro ano de instalação da colônia. pela criação de uma colônia industrial que funcionaria com o trabalho de imigrantes franceses altamente qualificados. argumentava. faziam parte da sociedade Union Industrielle. munidos de um certificado de idoneidade moral emitido pela polícia francesa. Os primeiros desentendimentos entre o grupo manifestaram-se logo na chegada ao Rio de Janeiro. um dos redatores do Jornal do Commércio. em suma. Mure que. Devemos abrir os olhos e saber que é impossível continuar por braços escravos. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. mas inclusive. Eles viriam ocupar as duas léguas quadradas de terras devolutas da Península do Saí. Vemos portanto. Com tudo isso logo encontrou quem defendesse ardorosamente as suas idéias. Mure chegou a propor um acordo com os colonos e a retificação do contrato perante o cônsul francês. tendo inclusive. é sabido que não pode continuar à vista de tratados"(Boiteux.da sorte das classes industriosas". Jamain. porque de certo nos sujeitaria a importar cada vez mais uma população inimiga. dei-lhe o suor do meu corpo e as angústias da minha alma durante um ano" (. favoreceu a divulgação dos projetos de Mure. que tomavam parte do grupo fourierista de Lyon chamado Union Harmonienne. 1944.183).) já dei à colonização. Porém. em defesa de Mure. E sabia mesmo. que teve inteligência para perceber a fragilidade do sistema político-econômico brasileiro. pois conseguiu de presente 4 léguas de terra na península do Saí. Estes operários de origem lionesa.) ( Carta do Dr. mas enfim sabe usar da língua e palavras melífluas". Ali ficara acordado o seguinte: viriam para o Brasil aproximadamente 500 operários franceses. A amizade com Francisco Antônio Picot. e operários como Derrion. Na chegada do grupo. com uma mercadoria avaliada em 60. não poderia ter adquirido. não apenas da sua iniciativa pessoal. p. . Em 14 de dezembro de 1841. Mure prometia retirar o Brasil do atraso em que se encontrava. enquanto procurava terras no Brasil para a execução do projeto da colônia. p. Isto porque. as terras em seu próprio nome. adotou um discurso extremamente sedutor que atraiu num curto espaço de tempo não só os políticos da Corte. As conquistas de Mure causavam um certo despeito num compatriota e também fourierista. Era Louis Léger Vauthier que assim referiu-se a Mure em suas memórias: "é um charlatão. E Mure. os operários na França. Estes tiveram que recorrer à ajuda do Ministério para chegar ao Saí.. e mais o vultoso adiantamento de 60 contos de réis por parte do governo. Mure à Jamain de 27/05/1841).. estavam reformulando os estatutos da Union Industrielle. meses antes do desembarque dos colonos. dependia naturalmente. Mure recusou-se a aceitar os novos estatutos que passou a chamar de Arnaud. veio a notícia para o Dr. que no Recife exercia a profissão de engenheiro. Florianópolis. 12. mudado sua sede e excluído o seu nome e o de Jolly.

Quando desde meados de 1843 abandonou a colônia. Em vista da falência do projeto. a montagem de uma serraria. o cultivo de grãos. diplomado em Lisboa. A Escola devia ainda proporcionar um ensino teórico (história da Homeopatia. Dos 400 ou 500 operários que pretendiam fazer chegar ao Brasil apenas 236 entraram no Saí e destes. seja pela inexperiência de operários urbanos em trabalhos agrícolas ( e eles estavam em plena selva!). com o objetivo de propagar a homeopatia em favor dos pobres. Em dezembro de 1843. Vicente José Lisboa (1º secretário) e Domingos de Azevedo Coutinho Duque-Estrada (2º secretário). à Rua São José. Bento Mure. Além destes postos de atendimento. já agora instalado na residência de Bento Mure. como no Palmital. como a abertura de estradas. durante reunião anual do Instituto Homeopático do Brasil. Mure instalou o Instituto Homeopático do Sahy. sob orientação do Dr. Eram principalmente os médicos homeopatas. fundou o Instituto Homeopático do Brasil. João Vicente Martins. parte dos imigrantes que deveria vir da França foi impedida de deixar o país. cursos de terapêutica. Assim. da Bahia e do Rio de Janeiro. o Dr. oferecendo serviços nas fazendas das redondezas. a quem abandonara. foi apresentado. O temperamento irrequieto de Benoit Mure. prática à cabeceira dos leitos e preparo de remédios). Através do Jornal do Commércio. em seguida. junto com Vicente José Lisboa. Inicialmente. juntamente com a aprovação do estatuto do Instituto. onde também havia os que tentassem implementar o projeto fourierista. e João Vicente Martins. posologia e farmacologia) e prático ( experiências no homem são. onde existiam vários consultórios médicos destinados à propagação da nova ciência através de atendimento a pacientes. o primeiro passo seria o da divulgação da nova ciência e. dedicou-se a dar continuidade às atividades que iniciara já em 1841. no Rio de Janeiro. A primeira diretoria do Instituto Homeopático do Brasil ficou constituída por Benoit Jules Mure (presidente). e arduamente defendida pelo próprio editor do jornal. Ele próprio já havia sido sainsimoniano e inclusive. outros dirigiram-se ao Rio de Janeiro. ocorreu em março do ano seguinte (1844). Antes de voltar para o Rio de Janeiro. que abria espaço permanente para as matérias polêmicas de João Vicente Martins e para os homeopatas da época. Bento Mure era ambicioso e desde o princípio projetava equiparar a homeopatia no Brasil ao patamar Dr. de uma padaria. os colonos chegaram a realizar trabalhos. além da preparação dos medicamentos homeopáticos. teria contraído matrimônio com uma filha de Bazar. Thomaz da Silveira. A solenidade de inauguração. quase os únicos. Para isso. parece que uma parte considerável teria se retirado para Montevidéo. chefe daquela sociedade. Tanto no Saí. porém. como médico homeopata. fez com que seus empreendimentos não rendessem os frutos esperados e o grupo foi se dissolvendo. Muitos voltaram para a França. criaram mais 26 locais de assistência ambulatorial. médico militar. que atendiam à população carente e escrava nesta época. Sua imagem era denegrida através dos professores e grandes doutores em medicina. João Vicente Martins em que era praticada no exterior. No período posterior a 1840. a sociedade contou com 72 sócios fundadores. seja pelos desentendimentos. em 12 de janeiro de 1845. José da Gama e Castro. pelo Dr. e uma Escola Suplementar de Medicina. divulgava já em 1841 o projeto para a formação de um Instituto Escola Homeopático. Dos desentendimentos iniciais ficaram cicatrizes que nunca se dissiparam e o grupo dissidente acabou formando uma outra colônia situada a algumas léguas do Saí. um plano de criação de uma Academia de Medicina Homeopática e Cirurgia. mas houve também quem preferisse permanecer na região. não permitiu que se deixasse abater pelos insucessos do Saí. convertido à Homeopatia por ele. Os estatutos foram redigidos e foi então . o da criação de uma Escola capaz de formar médicos homeopatas e formá-los dentro dos princípios Hahnemannianos puros. com o objetivo de preparar médicos já diplomados na arte homeopática. num lugar chamado Palmital. a Homeopatia foi largamente discutida pela imprensa.O principal motivo da contrariedade de Mure foi o de ver a adesão de sansimonianos no novo grupo. em 1842. nº 59. principalmente no jornal do Comércio. no local do primeiro consultório homeopático na cidade do Rio de Janeiro.

Este obtivera o diploma em medicina em 1833 pela Faculdade de Medicina da Corte e em 1840 elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. localizada no mesmo endereço do consultório central (rua São José. porém para conservar as suas posições praticava a alopatia. em reunião extraordinária do Instituto Homeopático. de que a antiga medicina viria a transformar-se pelo conhecimento da nova ciência e pelos resultados apresentados pela prática da homeopatia. na sua opinião. a Escola Homeopática do Brasil é autorizada. A contribuição do Dr. O problema da educação em si. 59. out. Além de uma discussão teórica. desde 1845. 59). fundaram também uma farmácia homeopática denominada Botica Homeopática Central. Para difundir os progressos da homeopatia no Brasil.fundada e inaugurada. nº 59. endereço onde funcionava o consultório homeopático. Amparada pelo aviso da Secretaria dos Negócios da Justiça. 1847). partindo da crítica aos métodos tradicionais de ensino praticados pelo mundo civilizado. divulga-se pela revista. Segundo números fornecidos por Sophie Liet. que teve os seus estatutos modificados em 1847. No mesmo lugar do consultório funcionava ainda. Bernardo José da Gama (Visconde de Goiana). que teria recebido 3 mil doentes no prazo em que o de Nova York recebera apenas 100. O principal motivo da cisão foi que Duque Estrada não podia admitir que "a nobre ciência médica" viesse a ser praticada pelo povo. a Sociedade Hahnemanniana. fundada em fevereiro de 1846 por Bento Mure. tendo à frente dessa iniciativa Benoit Jules Mure e João Vicente Martins. Dizia ter rompido com a medicina tradicional. pessoas sem conhecimento. o seu colega admitia que só poderiam praticar a nova ciência os diplomados em escolas regulares de medicina. diga-se de passagem. Como tudo isto dependia da aceitação do caráter científico da homeopatia Mure tratou de propor a criação do Instituto Panecástico do Brasil. desde as bases. quando Mure reuniu várias pessoas numa sala da casa da rua São José. para executar até mesmo as tarefas mecânicas às quais estavam habituadas. que Mure alimentava a esperança de reconstruir. mais de . Mure para a definitiva implantação da homeopatia no Brasil é inegável. 17). uma questão relevante para os que visavam uma emancipação do operariado. que foi sua aluna. Era uma sociedade científica que visava o "exame e o aperfeiçoamento teórico e prático da homeopatia" (A Sciência. à Rua São José. Em 13 de abril deixou o país. Mure estava convicto. que funcionava com autorização do Governo Imperial. o Instituto difundia a homeopatia através da instalação de outros consultórios pela Corte e interior das províncias do Rio de Janeiro e São Paulo. a conferir certificados de estudo aos homeopatas que concluíssem seu curso. set. Enquanto Mure defendia a maior liberdade possível no exercício da homeopatia. mantendo-se Benoit Jules Mure na presidência da instituição. Além dos consultórios. inclusive. o Conselheiro Candido José de Araújo Vianna. considerada a primeira instalada no Brasil. Vê-se portanto. atendia por mais de três horas por dia. e para secretários João Vicente Martins e Francisco Alves de Moura. Em setembro de 1847. chamada A Sciência. Mure teria deixado. Em 10 de janeiro de 1846. Em seus primeiros anos de existência. Por esta época há o rompimento entre Mure e Duque Estrada (1812-1900). e o acompanhou posteriormente ao Egito. Manoel Duarte Moreira. Em março de 1848. e com a direção de Bento Mure. foram eleitos membros da diretoria do Instituto: Pedro de Araújo Lima (Marquês de Olinda). de 3/10/1846. 1847). o Dr. Mure e seus companheiros fundaram uma revista. e substituir à autoridade e ao pedantismo os direitos da razão humana" ( A Sciência. o que se deu em 3 de maio de 1847. pelo Governo Imperial. que o consultório homeopático da rua São José. a Escola Homeopática do Brasil (primeira escola de formação homeopática). que começou a circular em 1847. O objetivo do Instituto Panecástico seria o de "propagar os princípios da emancipação intelectual do imortal Jacotot. havia se tornado. 3. mal preparadas inclusive. as formas de conhecimento e entre os escritos que nos legou acha-se uma proposta curricular de ensino para o Brasil. Mure demite-se da presidência e. mas que não permitia aos seus diplomados o exercício da clínica. de 27/3/1846 e pela lei que estruturou o ensino no Brasil. Do próprio Instituto deveriam sair os fundos para a criação de um colégio normal. por exemplo. só na província do Rio de Janeiro. Nas obras do próprio Fourier há passagens em que abre uma discussão sobre o assunto. a revista divulgava também dados interessantes sobre o movimento homeopático que tomava impulso no país. em 8 de abril faz publicar um artigo sobre seu afastamento por motivo de doença. e a Casa de Saúde Homeopática na chácara do Marechal Sampaio (Largo do Castelo. o que seria feito em duas sessões anuais. tinha três mesas de consulta que no prazo de uma semana chegam a atender a 100 pacientes. uma em 11 de janeiro e outra em 3 de julho.

A sua obra intitulada "Prática elementar da homeopatia". constatando-se. Alguns anos depois. e no seu consultório central. Por ocasião da epidemia de febre amarela que afetou várias cidades do Brasil em 1850. Entre novembro de 1848 e março de 1849. no qual a industrialização direcionou a evolução sócio-politico-cultural. por interesse de mercado. o espaço para o desenvolvimento das ciências individualizadoras foi muito restringido. Neste período. a homeopatia encontraria o espaço merecido. Em julho de 1849. o período áureo da homeopatia entrou em decadência: primeiramente. em reunião de 26 de outubro de 1851 o Instituto Homeopático do Brasil manteve seu título de "presidente perpétuo fundador" e elegeu Alexandre José de Mello Moraes. quando chegou a oferecer medicamentos homeopáticos ao Imperador Pedro II. os congressos médicos homeopáticos brasileiros mantiveram uma média bianual. e no restante do império. Os dissabores experimentados no Brasil não chegaram a dissuadi-lo da idéia de implantar um projeto social. Além disso. presidente perpétuo efetivo. Mure também formou mais de 500 alunos que passaram a praticar a homeopatia em toda a América do Sul. uma lacuna de 24 anos na organização dos congressos médicos homeopáticos no Brasil. e com esse fim dirigiu-se ao Egito. mas de acordo com teorias formuladas por ele próprio as quais deu o nome de Armanase. sendo então ameaçado de deportação por sua insistência e crítica ao tratamento utilizado pela medicina alopática. 50. que enfraquecidas. entre os companheiros que lhe eram afins. mandando vir da França irmãs de caridade. os rumos da geração de conhecimentos e do emprego destes no desenvolvimento. a direcionar. Devido à decisão de Benoit Jules Mure de não voltar mais ao Brasil. não mais conforme os princípios de Fourier. posteriormente. foi instalada a primeira Irmandade de São Vicente no Brasil. onde sob as margens do rio Nilo pretendia estabelecer uma colônia. exerceu influência fundamental sobre os membros da Igreja Católica para a fundação. O Instituto. em conseqüência da tentativa de assassinato que sofrera e o deixara vários meses entre a vida e a morte. não tendo obtido resposta. deixando a cargo do doente a escolha pelo tratamento alopático ou homeopático. oferecendo medicamentos homeopáticos para tratamento da febre e propondo que fossem criados hospitais onde estes pudessem ser ministrados. através de João Vicente Martins. teve uma tiragem de mais de 10. onde houve uma melhora no que se refere à saúde dos escravos. sucumbiram. que na língua sagrada da Índia antiga significa "o império da inteligência". oferecendo tratamento gratuito aos pobres recolhidos na enfermaria de São Vicente de Paulo. uma das primeiras congregações de caridade instituídas na França. nos Estados Unidos da América após o relatório Flexner em 1910 (sob a influência de Rockfeller II) e. o seu primeiro secretário João Vicente Martins dirigiu-se à Câmara dos Deputados em fevereiro de 1850. . houve uma ruptura e a formação de duas novas instituições: o primeiro Instituto Hahnemanniano do Brasil e a Congregação Médico-Homeopática Fluminense. e com isso. no Brasil. escritor. as fundações ligadas às grandes corporações passaram. Ali. João Vicente Martins escreveu artigos nos jornais alertando a população para o perigo de uma epidemia de cólera. em 4 de março de 1858. jornalista e médico homeopata da Bahia. Porém.25 dispensários. no Brasil. Somente em 1950 foi organizado o “II Congresso Brasileiro de Homeopatia”. órfãos ou velhos abandonados. com uma baixa da mortalidade de 10% para 2 ou 3%. para tratamento da doença na Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. a instituição pedia auxílio à população pelos jornais. fundada e mantida pela Sociedade Portuguesa de Beneficência. conjecturava. Em 1848. No mês seguinte. A partir deste. em 1859. portanto. quando fazia os preparativos para voltar ao Brasil morreu. através da distribuição de verbas. da Irmandade de São Vicente de Paulo. encaminhou novo oferecimento. por divergências com o Dr. bem como. o Instituto atuou no Rio de Janeiro. com o objetivo de darem o "exemplo vivo da caridade cristã" pelo socorro aos doentes pobres.000 exemplares e serviu para a aplicação nas plantações de cana de açúcar. A Homeopatia e a industria ligada às grandes corporações Após a I Guerra Mundial. Duque Estrada.

quando já não existe mais conotação de modismo e sim de uma realidade. se estendeu para além dos homens de ciência e atingiu a população em geral. realiza-se o primeiro concurso público para médicos homeopatas no Hospital do Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Rio de Janeiro. Das discussões encabeçadas pelos grandes pólos homeopáticos do país. de 4 de junho de 1980. O TRABALHO DA AMHB O trabalho contínuo da AMHB vem sendo consolidado através das atividades da diretoria e de suas várias comissões. foi aprovada a Parte Geral da Farmacopéia Homeopática Brasileira. até os nossos dias. Consubstanciou-se uma denominação que vinha desde o Código Sanitário do Império.RJ. recebeu novo impulso. Assim. retornando num ritmo crescente em termos de prestígio. a Homeopatia. a consciência sobre as questões relacionadas com os ecossistemas e com a valorização do ser. Figura importante desta articulação foi o Dr. além da tradição de divisão entre os homeopatas e da discussão entre os unicistas e os pluraristas. notoriedade e demanda por parte dos pacientes e dos colegas médicos interessados. com base no artigo 6 do referido decreto e foi publicada ainda em 1977. respaldadas pelas diretrizes do seu Conselho de Delegados eleitos por suas respectivas entidades federadas. Dali saíram reforçados incipientes grupos para a difusão da Homeopatia em todo o Brasil. . O renascimento da Homeopatia no Brasil a partir da década de 70 No final da década de 1970. houve uma grande conquista da Homeopatia brasileira. o reconhecimento de um velho-novo campo do conhecimento médico. Em 1986 a VIII Conferência Nacional de Saúde recomendou a introdução de práticas alternativas de assistência à saúde no âmbito dos serviços de Saúde. no Brasil. nos primeiros 10 anos. desde a metade do século passado. receituário e venda de produtos utilizados em homeopatia. em 1975.477. a partir do XIII Congresso Brasileiro de Homeopatia e I Encontro Nacional de Estudantes Interessados em Homeopatia (I ENEIH). Desde então diversos serviços públicos em vários estados brasileiros têm realizado concursos para médicos homeopatas.556/77 . no Rio de Janeiro em abril de 1977. Também em 1977 a Homeopatia passou a ser reconhecida como uma especialidade farmacêutica. Em 198_.552. Esta passou a buscar formas de entendimento do processo de doença que se distanciassem da compartimentalização apresentada pela visão do especialismo médico. a AMHB teve dificuldades em atuar como instituição pois as associações estaduais não tinham a organização e articulação políticas necessárias para fazê-la funcionar. A Ciência Homeopática que vinha. Alberto Soares de Meirelles. contrastando com o fato de dois anos antes. nasceu na data de 24 de Novembro de 1979 a Associação Médica Homeopática Brasileira – AMHB que é a atual representante de todos os médicos homeopatas do país. regulamenta a manipulação. de 25/11/1976 (suplemento nº 4 do Diário Oficial de 6/1/77).000. No ano de 1980. A Farmacopéia Homeopática Brasileira teve publicação autorizada pelo Ministério da Saúde através do Processo nº 4. Não podemos deixar de destacar dentre outros. O Decreto nº 57. Porém. Em 1982 o CFM estabelece as instruções para obtenção do Título de Especialista em Homeopatia. de 8/7/1952. Com o tempo os homeopatas foram amadurecendo estas questões. foi também duramente abalada em sua evolução. com isto. em 1886. possibilitando ao usuário o acesso democrático de escolher a terapêutica preferida. tornou obrigatório o ensino de Noções de Farmocotécnica Homeopática nas Faculdades de Farmácia do Brasil. ganhando força e se expandindo no cenário mundial. a Homeopatia é beneficiada. ter sido eliminada a Homeopatia do currículo da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. de 20/12/1965. um movimento de contestação também da classe médica. que favoreceram a Homeopatia em nosso país. através da resolução CFM nº 1.841. Neste cenário.A Lei nº 1. grandes figuras de nossa cultura ligadas à Homeopatia como Monteiro Lobato e Rui Barbosa. que foi o reconhecimento pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) da Homeopatia como Especialidade Médica. insatisfeita com a forma de atenção médica ensinada pela medicina dita “oficial”. por ter sido afastada das Universidades (pólos de irradiação do conhecimento e formadores da opinião social). produzindo. Pelo Decreto nº 78.

Desde então. ainda em 1988. A Homeopatia nas Universidades Também nas universidades brasileiras observamos aos poucos a retomada da inclusão da Homeopatia em suas faculdades de farmácia. segundo as 5 regiões do Brasil e já se encontravam amadurecidas várias associações estaduais federadas a ela. com o exercício da medicina homeopática reconhecido pelos pacientes. Rio Grande do Sul. separando-os daqueles que realmente queriam aprender uma nova terapêutica. Ela tem atuado ao discutir e buscar soluções para o ensino médico da Homeopatia. a AMHB ficou responsável pela orientação do Departamento de Homeopatia da AMB e participa com um representante nas reuniões do Conselho de Especialidades da AMB. na área de graduação. Até 1990 a exigência era de somente 450 horas/aula. Previdência Social. sendo 450 horas/aula teóricas. passando os cursos para 1200 horas/aula com a produção de uma monografia ao término do curso. finalmente a AMHB passa a ter força. na qual foram fixadas as primeiras diretrizes para implantação do atendimento médico homeopático nos serviços públicos e para a implementação da prática homeopática nas unidades federadas do SUS (antigo SUDS). Educação. Desde esta época o pleiteante ao título de especialista em homeopatia tem que ter um curso de no mínimo 1200 horas/aula. que mostrou a existência de disciplinas de Homeopatia em nível de graduação. médicos e veterinários para suprir a demanda pelo tratamento por esta especialidade em nosso país. a AMHB realiza anualmente prova para Título de Especialista em Homeopatia em convênio com a AMB / CFM. A Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação (CIPLAN). por seu intermédio automaticamente está se beneficiando do convênio que existe entre a AMB e o Conselho Federal de Medicina (CFM). Estando a AMHB conveniada com a AMB. de uma certa maneira. Assim. Trabalho e Planejamento. Isto alavancou a Homeopatia no Brasil. para os médicos. Em 29/6/1990 realizou-se a primeira prova elaborada pela AMHB. Também. Antigamente os cursos eram mais informativos (alguns deformativos) agora são formativos. para a concessão do Título de Especialista em Homeopatia. realizada em 2002. medicina. Tinha 5 vice-presidências. Por esse motivo ficou sob a responsabilidade da AMHB a elaboração das provas para a obtenção do Título de Especialista em Homeopatia. Desde então. Com isto deixa de ser uma terapêutica alternativa para se transformar em uma especialidade médica. 450 horas/aula de prática e 300 horas/aula para o desenvolvimento de monografia com apresentação ao final do curso. A FARMÁCIA . pelo convênio firmado a AMB juntamente com a AMHB passam a conferir o Título de Especilista em Homeopatia aos médicos que preencherem as condições estabelecidadas no regulamento próprio. saindo deste Congresso com uma diretoria que passou a colocar em prática todos os objetivos de uma associação nacional de médicos homeopatas. A Constituição Brasileira de 1988 estabelece a incorporação das medicinas alternativas como recursos terapêuticos válidos e elegíveis como direito de cidadania. com estes cursos e sua crescente expansão. vem promovendo o incremento do espírito associativo dos médicos homeopatas e estimulando o seu desenvolvimento científico. Atualmente não passam de 500. em 18 universidades em 12 estados. Para isso. A AMHB com uma maior exigência de formação. Atualmente a AMHB. conta com uma federada por estado. consolidando o seu trabalho nestes 10 anos de procurar reunir todas as tendências existentes entre os médicos homeopatas. Ainda em 1988. bem como para o atendimento da população carente de nosso país. Em 8/6/1989 foi assinado o convênio entre a Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB) e a Associação Médica Brasileira (AMB). "peneirou" aqueles que vinham somente por curiosidade. publicou a Resolução 04/88 de 08/03/1988. em 20 estados do território nacional. entidade de federadas. Propiciou que surgissem novos e bons médicos. a AMHB passa a ser reconhecida oficialmente pela Associação Médica Brasileira (AMB) e a fazer parte do Conselho de Especialidades Médicas da AMB. está se assegurando a formação suficiente de profissionais farmacêuticos. que abrangia os Ministérios da Saúde. odontologia e medicina veterinária como foi apurado em uma pesquisa. e os cursos de formação para obtenção de Título de Especialista por prova realizada pela AMHB e aquelas realizadas pela ABFH e AMVHB. colegas alopatas e outros homeopatas. de diversas formas.No XIX Congresso Brasileiro de Homeopatia de 1988 em Gramado. Naquela época se apresentavam 1000 médicos por ano buscando se especializar em homeopatia.

o XXI CBH com a participação de 1170 homeopatas. Em 1992 foi realizado em Belo Horizonte / MG. o Primeiro Encontro Nacional dos Farmacêuticos Homeopatas. Em 1988. principalmente mulheres (95%) acabaram abrindo suas próprias farmácias. a entrada de laboratórios estrangeiros de medicamentos homeopáticos no Brasil. A maioria deles é oferecida por associações estaduais. As receitas aqui são aviadas com os medicamentos sendo manipulados praticamente no momento da venda. pela AMHMG. no Rio Grande do Sul. Nos últimos 10 anos. sua boa relação com os médicos homeopatas desde o início do desenvolvimento da Homeopatia em nosso país e o grande número de farmácias homeopáticas aqui existentes têm impedido e podem continuar a impedir. A ação da ABFH tem sido muito importante na padronização das medicações. Existem também cursos de entidades privadas. quando aconteceu também o I ENEIH (Encontro Nacional de Estudantes Interessados em Homeopatia). Em 1977 foi realizado o XIII CBH. A Homeopatia ainda não é reconhecida como especialidade pela ABCD. mas este processo encontra-se em andamento. participaram cerca de 1000 homeopatas. o XXIV CBH. modo de aviação. o que resultou no fato de nenhum grande laboratório conseguir se instalar no Brasil. Muitos farmacêuticos. em Brasília / DF. é bom lembrar a atuação de nossos colegas mais próximos: os farmacêuticos homeopatas. Em 2000 foi no Rio de Janeiro o XXV CBH. o XIX CBH foi realizado em Gramado. Em maio de 1989 foi realizado. no Rio de Janeiro. dependendo de nossa convicta vigilância. o “I Congresso Brasileiro de Homeopatia Verterinária”. antecedendo os mesmos. médicos veterinários. A ODONTOLOGIA A Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas Homeopatas – ABCDH promove os Congressos Brasileiros de Homeopatia em Odontologia.Neste contexto de fortalecimento da homeopatia. a Associação Médico Veterinária Homeopática Brasileira. Nestes últimos congressos realizaram-se. Esta também foi responsável pela confecção do MANUAL DE NORMAS TÉCNICAS em farmácia homeopática. contribuindo para a manutenção do bom nível da Homeopatia em nosso país. que desde os meados dos anos 80 têm formado cada vez mais especialistas. marco no retomado do crescimento da Homeopatia no país. Em 1996. São promovidos pela AMHB e realizados pela federada local. participaram 1200.ABFH. o XX CBH foi realizado em Vitória / ES. Em 2002 em Natal / RN e o último em 2004. tivemos também a estruturação do Título de Especialista em Farmácia Homeopática conferido através de Prova de Titulação realizada pela ABFH. Em 1990. CONGRESSOS MÉDICOS A AMHB tem organizado congressos nacionais a cada 2 anos. OS CURSOS EM TODO O PAÍS Existem vários cursos de formação em Homeopatia para médicos. no Rio de Janeiro. novamente em Gramado / RS. A VETERINÁRIA Os veterinários brasileiros já contam com a intensa atividade de sua entidade nacional. o XXIII CBH em Campo Grande / MS. em sua maioria de formação unicista. No XIX Congresso Brasileiro de Homeopatia surgiu o germe da criação de uma associação de classe dos farmacêuticos homeopatas. fonte das tinturas. fóruns de DEBATES sobre temas específicos em cada área: Pesquisa Ensino Saúde Publica Farmácia . Em 1990 foi fundada a Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas . Em 1994. etc. que em agosto de 2003 promoveu em São Paulo / SP. farmacêuticos e dentistas no Brasil. A boa organização dos farmacêuticos homeopatas brasileiros. o contrário do que aconteceu na Europa. o XXII CBH ocorreu em Curitiba / PR. supervisão de preparação. Em 1998.

Esta campanha também visa a incentivar a formação de farmácias homeopáticas e a contratação de médicos homeopatas. Matheus Marim. A Presidência da Liga Medicorum Homeopatica Internacionalis é exercida pelo médico brasileiro. entretanto poucas cidades no Brasil oferecem esta especialidade médica como opção. Encontra-se possibilitada a sua expansão pela reforma sanitária vigente no país.br. HOMEOPATIA PARA TODOS Homeopatia para todos é uma campanha promovida pela AMHB. lhe predispunha ao adoecimento. que procura mudar o modelo assistencial atual. e tendo muito mais a ver com as condições e a índole do povo brasileiro. devido aos seus traumas que estão por trás de sua biopatografia. Santa Catarina. em face da constatada falência do mesmo. solicitação de exames laboratoriais e solicitação de exames radiológicos. ensino e saúde pública. a abordagem clínica e patogenesias. . sua biopatografia.amhb. escutando o relato de suas moléstias juntamente com sua história de vida. e que quebra o cíclico adoecer (medicina preventiva). em Salvador / Bahia com 540 participantes. referências para atendimento de urgência. dentre outras causas. sendo 120 estrangeiros. Isto é o que a homeopatia pode propiciar. contribui para o estabelecimento de uma estreita e profícua relação médico-paciente. referências para outras especialidades. A maioria das federadas também tem o seu. como também pelo seu baixo custo. ajudando a melhorar o sistema de atenção médica nacional. Essa relação é um fator de extrema relevância no tratamento homeopático. O fortalecimento da relação médico-paciente tem sido visto como uma meta a ser buscada para a melhoria da assistência à saúde e maior impactação dos serviços prestados pelo Estado na saúde das comunidades. conviver com aquilo que antes era insuportável. sendo um dos pilares da satisfação com o atendimento observado nos usuários. ao sujeito tratado com êxito. A Homeopatia tem sua importância na saúde pública não somente pela vantagem de sua forma de tratamento. Foram contemplados como temas principais. e que. como o demonstram o Programa de Saúde da Família. Permite assim. Outro fator de diminuição da relação custo/benefício através do atendimento homeopático advém do que esta tem como proposta de bom resultado na evolução do tratamento: a transformação do sujeito.Em outubro de 1999. Corrado Giovanni Bruno. Tivemos os 4 fóruns: de farmácia. através de encontro do sujeito consigo mesmo. em Florianópolis. foi realizado no Brasil o Congresso da Liga Medicorum Homeopatica Internacionalis. e a Coordenação de Pesquisa pelo médico brasileiro Dr. com 8 h cada. Foi um sucesso! Atualmente. por sua eficácia e baixo custo dos medicamentos. a maior parte latino-americanos (o custo maior para a participação no evento resultou em um número menor de participantes). conforme demonstram pesquisas realizadas em serviços com atendimentos com a Homeopatia. através de sua Comissão de Saúde Pública juntamente com o Ministério da Saúde. Isto é o que vem a ser uma verdadeira cura para a Homeopatia. precedendo o Congresso. busca de soluções e estratégias. Evidenciamos o menor custo deste tratamento. dando real valor a todos os seus sofrimentos. com discussões. quando algo a este se remetia. o que vai estimular mais médicos a estudarem a Homeopatia. sendo a causa mantenedora de sua susceptibilidade. O próximo Congresso Brasileiro de Homeopatia será realizado no período de 03 a 07 de setembro de 2006. ter acesso. através da medicina pública. de susceptível às noxas exteriores que o adoecem. pesquisa. que está sendo feita para se levar a Homeopatia a um maior numero de pessoas. A AMHB tem seu site http://www. A diminuição da relação custo/benefício no Sistema Único de Saúde Brasileiro pode ser alcançada com a expansão do atendimento no SUS através da terapêutica homeopática. o Dr. A Homeopatia faz parte da política oficial de saúde pública desde a década de 80. no SUS em alguns municípios no Brasil. pela diminuição no que se refere às referências para internação. em agente de sua história e transformador do ambiente sócio-políticoeconômico em que vive e de acordo com os seus desejos.org. possibilitando-lhe uma mobilização interna de seus traumas o que o faculta a acessar o quê de sua história se tornou para si mesmo insuportável. A profundidade da anamnese homeopática que exige um aprofundamento em toda a história do paciente. Ao mesmo tempo com a reunião da LIGA.

Podemos atender a demanda ao atendimento homeopático pela população. 1991. In: Livro do 1° Congresso Brasileiro de Homeopatia. de 25 de setembro de 1918. (BN) . junto com o desenvolvimento da Homeopatia aqui e no mundo todo. ainda que por demais pequeno em relação ao nosso país. Rio de Janeiro.540. desenvolvida dentro do Ministério da Saúde. 1928. (BCCBB) . 3. ano XVIII. p. O fornecimento do medicamento homeopático à população atendida pelo SUS através desta terapêutica pode ser operacionalizado através da implantação de farmácias municipais. Madel Therezinha. Annaes de Medicina Homoeopatica. Os benefícios que a expansão do atendimento homeopático pode oferecer à população e contribuir em termos de eficiência para o SUS podem ser avaliados através de pesquisas feitas no serviço. jan.GALHARDO. em todos os municípios onde exista o profissional médico homeopata disponível para este trabalho e uma demanda pela população por esta terapêutica. Brasília: MEC/ Departamento de Divulgação. ajustando-se a oferta do serviço de acordo com a disponibilidade de profissionais médicos e a demanda por parte desta população. Metropole. HUCITEC/ EdUSP.Pinto) .83-85. através de convênios firmados com farmácias de reconhecida competência técnica para o fornecimento destes. ou em caráter provisório. v. 1976. Presidente da AMHB – gestão 2006/2008 FONTES . Instituto de Medicina Social/UERJ.Galo. Atualmente esta proposta encontra-se em vias de ser assinada pelo excelentíssimo Ministro da Saúde. A arte de curar e a ciência das doenças: história social da homeopatia no Brasil.Médico Homeopata. O trabalho homeopático desenvolvido até agora. São Paulo.d. Tese (Concurso de Professor Titular) .. 1919. 1968. (BCOC) . Francisco Bruno. (UNIRIO-Alf. criando serviços de atendimento com esta terapêutica nos Centros de Saúde do SUS. Rio de Janeiro. s.1. José Emygdio Rodrigues. Rio de Janeiro: UERJ.FEDERAÇÃO DAS ESCOLAS FEDERAIS ISOLADAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. n. (BN) .REGIMENTO Interno da Faculdade Hahnemanniana (Escola de Medicina e Cirurgia). propiciou. 1922.Departamento de Planejamento e Instituições de Saúde. v. Os custos para a montagem e gerenciamento destas farmácias não é grande.LOBO. Catálogo.SANTOS FILHO.LUZ. História da homeopatia no Brasil. e que já foi aprovada pelo Conselho Nacional de saúde. Trabalho organizado por Mário Antônio Cabral Ribeiro . que poderão confirmar as análises já feitas e também ampliar a sua abrangência. (BCOC) . (BN) . Lycurgo de Castro.2. Rio de Janeiro. O ensino da medicina no Rio de Janeiro: homeopatia. Ivone – Historiadora Unicamp. A introdução da homeopatia no Brasil . História geral da medicina brasileira.Decreto nº 3. órgão do Instituto Hahnamanniano do Brazil. assim como também não o é o custo para a produção dos medicamentos. no SUS. a proposta de uma Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares para o Sistema Único de Saúde. Rio de Janeiro: Typ.