You are on page 1of 36

CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO

DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA

6ª Aula Direito do Trabalho (Teoria e Questões FCC) Aula 06 (09/10): Do salário e da remuneração: conceito e distinções; composição do salário; modalidades de salário; formas e meios de pagamento do salário; classificações; parcelas salariais; garantias salariais. 13º salário. Da equiparação salarial; do princípio da igualdade de salário; do desvio de função. Vamos dar início a nossa aula de hoje! 6.1. Do Salário e da Remuneração: a) Conceito: Salário é a contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em dinheiro, seja em utilidades (salário in natura). A remuneração é a soma da contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em dinheiro, seja em utilidades, com a quantia recebida pelo empregado de terceiros, a título de gorjetas.

Remuneração ═ salário + gorjeta Segundo entendimento sumulado do TST, as gorjetas integrarão a remuneração do empregado, quando cobradas na nota de serviço ou espontaneamente ofertada pelos clientes. Porém, não servirão de base de cálculo para as parcelas do aviso prévio, do adicional noturno, das horas extras e do repouso semanal remunerado. Súmula 354 TST As gorjetas, cobradas pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas espontaneamente pelos clientes, integram a remuneração do empregado, não servindo de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio, adicional noturno, horas extras e repouso semanal remunerado.

www.pontodosconcursos.com.br

1

CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA

É importante ao conceituarmos o salário, falar do Princípio da irredutibilidade salarial, estabelecendo que o salário não poderá ser reduzido, salvo por acordo ou convenção coletiva. Este princípio está previsto no art. 7º, VI da Constituição Federal. Art. 7º VI da CF/88 - Irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo; b) Distinções: Conforme estudamos no conceito acima descrito, vocês puderam observar que a remuneração é o salário acrescido das gorjetas pagas ao empregado. Observem abaixo as distinções entre a remuneração e o salário: → Remuneração (salário + gorjeta) → Conceito de salário: É a contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em dinheiro, seja em utilidades (in natura). → Gorjetas: Gorjeta é o pagamento indireto realizado em dinheiro e por terceiros. O parágrafo 3º do art. 457 da CLT estabelece que serão consideradas gorjetas, além da importância fixa estipulada na nota de serviço, a importância espontaneamente dada pelos clientes ao empregado. → Remuneração: É a soma da contraprestação paga diretamente pelo empregador, seja em dinheiro, seja em utilidades, com a quantia recebida pelo empregado de terceiros, a título de terceiros. Art. 457, caput da CLT Compreendem-se na remuneração do empregado, para todos os efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, como contraprestação do serviço, as gorjetas que receber. “Remuneração é a soma do pagamento direto com o pagamento indireto, este último entendido como toda contraprestação paga por terceiros ao trabalhador, em virtude um contrato de trabalho que este mantém com o empregador” (Vólia Bonfim Cassar).

www.pontodosconcursos.com.br

2

CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA

Conforme já mencionado, segundo entendimento sumulado do TST (Súmula 354 do TST), as gorjetas integrarão a remuneração do empregado quando cobradas na nota de serviço ou espontaneamente ofertada pelos clientes. c) Denominações: A doutrina traz algumas denominações para o salário e, para facilitar o estudo de vocês, elaborei um quadro esquemático, observem abaixo: Tipos de Salário: Salário Básico: Salário In Natura:

É a contraprestação paga É a parte do salário que é paga pelo empregador ao em utilidades, com empregado poderá ser em habitualidade dinheiro somente ou parte em dinheiro e parte em Habitualidade + Gratuidade utilidades. Para o trabalho × Pelo trabalho 30% do salário deverão ser pagos em dinheiro.

Sobre-salários:

Salário Complessivo:

É o pagamento englobado É a prestação que integra o complexo salarial como sem discriminação das verbas complementos do salário quitadas ao empregado. básico. Vedado Arts. 457,parágrafos 1º e 2º (Súmula 91 do TST) da CLT.

Súmula 91 do TST SALÁRIO COMPLESSIVO Nula é a cláusula contratual que fixa determinada importância ou percentagem para atender englobadamente vários direitos legais ou contratuais do trabalhador.

www.pontodosconcursos.com.br

3

Porém. na qual o empregado recebe em bens econômicos.Para os efeitos previstos neste artigo.Os valores atribuídos às prestações in natura deverão ser justos e razoáveis. § 1º . II . por força do contrato ou do costume. do seu valor terão que ser em dinheiro. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. vestuário ou outras prestações in natura que a empresa.br 4 . para todos os efeitos legais. em cada caso.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Do Salário In natura: É a forma de pagamento. compreende-se no salário. III . nas demais. em percurso servido ou não por transporte público. não serão consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: I .pontodosconcursos. mensalidade.vestuários. anuidade. para a prestação do serviço. em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. os dos percentuais das parcelas componentes do salário mínimo (arts. apurando-se.educação. uma vez que 30%. o real valor da utilidade. A CLT permite o pagamento em utilidades. § 2º . compreendendo os valores relativos a matrícula. como alimentação. necessariamente. livros e material didático. 81 e 82). não podendo exceder.com.transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno. habitação etc. Súmula 258 do TST Os percentuais fixados em lei relativos ao salário "in natura" apenas se referem às hipóteses em que o empregado percebe salário mínimo. www. fornecer habitualmente ao empregado. nem todo o salário pode ser pago em utilidades. habitação. 458 da CLT Além do pagamento em dinheiro. equipamentos e outros acessórios fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho. Art. a alimentação.

de 1984.seguros de vida e de acidentes pessoais.br 5 . A portaria 3.com. tem caráter salarial. V .A habitação e a alimentação fornecidas como salárioutilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder.(VETADO). prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. que é a forma de pagamento na qual o empregado recebe em bens www.previdência privada. Art. VII . para todos os efeitos legais. respectivamente. integrando a remuneração do empregado. 463) e considera não efetuado o pagamento em moeda estrangeira (art.281. A CLT exige o pagamento em moeda corrente do País (art. 463 da CLT A prestação.pontodosconcursos.assistência médica. § 4º . autoriza as empresas situadas em perímetro urbano.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA IV . do salário será paga em moeda corrente do País. hospitalar e odontológica. a 25% (vinte e cinco por cento) e 20% (vinte por cento) do salário-contratual.Tratando-se de habitação coletiva. Súmula 241 do TST O vale para refeição. em estabelecimento de crédito próximo ao local de trabalho. 463. com o consentimento do empregado. Já vimos que o salário poderá ser pago em utilidades. o pagamento dos salários e remunerações das férias através de conta bancária aberta para esse fim em nome de cada empregado. d) Forma de Pagamento: O salário deve ser pago em dinheiro. fornecido por força do contrato de trabalho. VI . parágrafo único). o valor do salárioutilidade a ela correspondente será obtido mediante a divisão do justo valor da habitação pelo número de cohabitantes. § 3º . a utilização da mesma unidade residencial por mais de uma família. ou em cheque emitido diretamente pelo empregador em favor do empregado. em espécie. vedada. em qualquer hipótese. do Ministério do Trabalho.

salvo no que concerne a comissões. a alimentação. 460 da CLT Na falta de estipulação do salário ou não havendo prova sobre a importância ajustada.Terá força de recibo o comprovante de depósito em conta bancária. § 1º . Art. mediante sua impressão digital. compreende-se no salário. assinado pelo empregado. fornecer habitualmente ao empregado.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA econômicos e que nem todo o salário pode ser pago em utilidades. 464 da CLT O pagamento do salário deverá ser efetuado contra recibo. 463 da CLT A prestação.br 6 . fizer serviço equivalente ou do que for habitualmente pago para serviço semelhante. aberta para esse fim em nome www. A lei (CLT.O pagamento do salário realizado com inobservância deste artigo considera-se como não feito. vestuário ou outras prestações in natura que a empresa. Dispositivos da CLT referentes ao salário: Art. deverá ser efetuado. por força do contrato ou do costume. uma vez que 30% necessariamente do seu valor terão que ser em dinheiro. Esta é a figura denominada salário em utilidades ou in natura. Art. para todos os efeitos legais. em espécie. o mais tardar. não sendo esta possível. Art. drogas. não deve ser estipulado por período superior a 1 (um) mês. qualquer que seja a modalidade do trabalho.com. 458) dispõe que “além de pagamento em dinheiro. art. Parágrafo único .Quando o pagamento houver sido estipulado por mês. percentagens e gratificações. a seu rogo Parágrafo único . na mesma empresa. 459 da CLT O pagamento do salário. até o quinto dia útil do mês subseqüente ao vencido. do salário será paga em moeda corrente do País. o empregado terá direito a perceber salário igual ao daquela que. em se tratando de analfabeto.pontodosconcursos. ou.

as parcelas que são consideradas salariais incluem-se no salário do empregado. Se essa data limite for ultrapassada. 457 da CLT Compreendem-se na remuneração do empregado. 457 da CLT. Art.pontodosconcursos. observado o disposto no artigo anterior. para todos os efeitos legais. observem abaixo: Art. dentro do horário do serviço ou imediatamente após o encerramento deste. além do salário www. § 1º . salvo quando efetuado por depósito em conta bancária. e) Parcelas Salariais: Conforme estabelece o art.br 7 .O pagamento de comissões e percentagens só é exigível depois de ultimada a transação a que se referem. § 2º . com o consentimento deste. em estabelecimento de crédito próximo ao local de trabalho. a partir do dia 1º. 466 da CLT . já as parcelas não salariais não se incluem no salário do empregado. é exigível o pagamento das percentagens e comissões que lhes disserem respeito proporcionalmente à respectiva liquidação.Nas transações realizadas por prestações sucessivas.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA de cada empregado.com. 465 da CLT O pagamento dos salários será efetuado em dia útil e no local do trabalho. Súmula 381 do TST O pagamento dos salários até o 5º dia útil do mês subseqüente ao vencido não está sujeito à correção monetária.A cessação das relações de trabalho não prejudica a percepção das comissões e percentagens devidas na forma estabelecida por este artigo. Art. incidirá o índice da correção monetária do mês subseqüente ao da prestação dos serviços.

§ 3º .Integram o salário não só a importância fixa estipulada. como também aquela que for cobrada pela empresa ao cliente. Há duas importantes Súmulas a respeito da matéria. b) as comissões. como § 1º . Súmula 318 do TST Tratando-se de empregado mensalista.Considera-se gorjeta não só a importância espontaneamente dada pelo cliente ao empregado. § 2º .CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA devido e pago diretamente pelo empregador. diárias para viagens e abonos pagos pelo empregador. enquanto perdurarem as viagens. www. contraprestação do serviço. Observem atentamente as parcelas que integram e as que não integram o salário do empregado: Integram o salário do empregado: a) a importância fixa estipulada. a 101 e a 318 do TST: Súmula 101 do TST Integram o salário. assim como as diárias para viagem que não excedam de 50% (cinqüenta por cento) do salário percebido pelo empregado.Não se incluem nos salários as ajudas de custo. gratificações ajustadas. no mês. e destinada à distribuição aos empregados.pontodosconcursos. as gorjetas que receber. percentagens. c) as percentagens. as diárias de viagem que excedam a 50% (cinqüenta por cento) do salário do empregado. como adicional nas contas.com. a qualquer título. for superior à metade do salário mensal. somente sendo devida a referida integração quando o valor das diárias.br 8 . como também as comissões. pelo seu valor total e para efeitos indenizatórios. a integração das diárias no salário deve ser feita tomando-se por base o salário mensal por ele percebido e não o valor do dia de salário.

CLT). GRATIFICAÇÕES: Por gratificações devemos entender tudo o que for fornecido ao empregado por liberalidade do empregador. Como exemplo de adicionais podemos citar os adicionais por horas extraordinárias (art. 469 da CLT). e) as diárias para viagem que excedam a 50% do salário do empregado. CLT). muito abordada em provas de www. CLT) e por transferência de local de serviço (art. parágrafo 1o. conforme poderemos observar na Súmula 253 do TST. perigosos (art. sem que haja imposição legal neste sentido. 192. ou seja. Não se incluem nos salários: a) as ajudas de custo. ou seja.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA d) as gratificações ajustadas. assim. A seguir conceituarei as formas especiais de salário: ABONOS: Abono significa adiantamento em dinheiro. 59. As gratificações integram a remuneração base dos empregados para todos os efeitos dela emanados e. significa algo que se acrescenta. COMISSÕES: É a retribuição com base em percentuais sobre os negócios que o vendedor efetua. por serviços noturnos (art.pontodosconcursos. dos depósitos do FGTS. das férias. antecipação salarial.br 9 . ADICIONAIS: Adicional. f) os abonos pagos pelo empregador. 73. sendo um acréscimo salarial que tem como causa o trabalho em condições mais gravosas para quem o presta. salário por comissão.com. CLT). insalubres (art. 193. da indenização. b) as diárias para viagem que não excedam a 50% do salário recebido pelo empregado. são computadas para o cálculo da remuneração do repouso.

Trata-se do denominado princípio da intangibilidade salarial. das férias e do aviso prévio. Repercute. desde que esta possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de dolo do empregado. ele estará sendo negligente. ainda que indenizados. o desconto será lícito. ou seja.com.Em caso de dano causado pelo empregado. § 2º . de dispositivos de lei ou de contrato coletivo. Quando um médico empregado. salvo quando este resultar de adiantamentos. Ao passo que. dispositivo de lei ou norma coletiva. salvo adiantamento. Súmula 253 do TST A gratificação semestral não repercute no cálculo das horas extras.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA concursos públicos. 462 da CLT Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado. f) Descontos Legais: O salário não poderá sofrer desconto.É vedado à empresa que mantiver armazém para venda de mercadorias aos empregados ou serviços destinados a proporcionar-lhes prestações in natura exercer www. sem deter os conhecimentos necessários para tal ele foi imperito. Quando ocorrer dolo do empregado. a imperícia e a negligência. realizar uma cirurgia de alto risco. Já quando ocorrer culpa do empregado que acarrete o dano ao seu empregador o desconto somente será lícito quando esta possibilidade haja sido acordada entre o empregado e o seu empregador.quando o empregado que porteiro abandonar por períodos ainda que pequenos a portaria para bater papo com amigos.pontodosconcursos. pelo seu duodécimo na indenização por antigüidade e na gratificação natalina. contudo. Exemplificando: Quando o empregado que for motorista dirigir em alta velocidade acarretando um acidente de trânsito ele foi imprudente.br 10 . São modalidades de culpa a imprudência. a intenção de causar o dano ao empregador o desconto salarial será lícito independentemente de ter sido acordado entre o empregado e o seu empregador tal possibilidade. Art. 462 da CLT. conforme estabelece o art. § 1º .

É importante citar a lei 10. de previdência privada. ou de entidade cooperativa. salvo se ficar demonstrada a existência de coação ou de outro defeito que vicie o ato jurídico. financiamentos e operações financeiras. § 4º . não afrontam o disposto no art. 462 da CLT.1 do TST É lícito o desconto salarial referente à devolução de cheques sem fundos.820/2003 que em seu artigo 1º estabelece a possibilidade de os empregados autorizarem de forma irrevogável e irretratável o desconto em folha de pagamento dos valores referentes ao pagamento de empréstimos.Sempre que não for possível o acesso dos empregados a armazéns ou serviços não mantidos pela empresa. § 3º . cultural ou recreativo-associativa de seus trabalhadores. para ser integrado em planos de assistência odontológica. também e citar a Súmula 342 do TST e a OJ 251 da SDI-1 do TST: Súmula 342 do TST Descontos salariais efetuados pelo empregador. sem intuito de lucro e sempre em benefícios dos empregados. por tarefa e por produção.Observado o disposto neste Capítulo.br 11 . É importante lembrar.pontodosconcursos. por qualquer forma. visando a que as mercadorias sejam vendidas e os serviços prestados a preços razoáveis. de seguro. g) Composição e modalidades do salário: A doutrina considera como modalidades de salário o salário por tempo. médicohospitalar. é lícito à autoridade competente determinar a adoção de medidas adequadas. quando o frentista não observar as recomendações previstas em instrumento coletivo.com.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA qualquer coação ou induzimento no sentido de que os empregados se utilizem do armazém ou dos serviços. em seu benefício e de seus dependentes. observem os conceitos abaixo: www. OJ 251 da SDI . é vedado às empresas limitar. a liberdade dos empregados de dispor do seu salário. com a autorização prévia e por escrito do empregado.

se ocorrido antes desta data. Corresponderá a uma gratificação de 1/12 (um doze avos) da remuneração por mês trabalhado. de 13/07/1962.br 12 . e alterações posteriores. O empregador não está obrigado a pagar o adiantamento do Décimo Terceiro a todos os empregados no mesmo mês. Art. 13º Salário: A gratificação de Natal. Será devida a todo empregado. o dia. O empregado tem o direito de receber o adiantamento da primeira parcela junto com suas férias. de 03/11/1965.com. VIII da CF/88 Décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria. A base de cálculo da remuneração é a devida no mês de dezembro do ano em curso ou a do mês do acerto rescisório. como décimoterceiro salário. regulamentada pelo Decreto 57. ou fração do mês igual ou superior a 15 dias. o avulso.155. O pagamento semanal. inclusive o rural. safrista.2. Sendo assim.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Salário por tempo: é aquele pago em função do tempo no qual o trabalho foi prestado ou o empregado permaneceu à disposição do empregador. 7 º. o doméstico. www. Salário por produção: Esse tipo de salário é aquele calculado com base no número de unidades produzidas pelo empregado. desde que o requeira no mês de janeiro do ano correspondente. 6. a quinzena e o mês em que o trabalho foi prestado. O Décimo Terceiro é devido por mês trabalhado. quinzenal ou mensal é efetuado calculando-se o total das unidades multiplicado pela tarifa unitária. também conhecida. A gratificação de Natal foi instituída pela Lei 4090. Salário por tarefa: É aquele pago com base na produção do empregado em determinado período de tempo.pontodosconcursos. é um direito constitucionalmente assegurado a todos os trabalhadores urbanos e rurais a partir da CF/88. a semana. será considerada a hora.

Não terá direito ao Décimo Terceiro o empregado que for dispensado por justa causa.A fração igual ou superior a 15 (quinze) dias de trabalho será havida como mês integral para os efeitos do parágrafo anterior.090/62: Art. e II . independentemente da remuneração a que fizer jus.pontodosconcursos.com.Ocorrendo rescisão. 4º . 3º . § 1º .No mês de dezembro de cada ano. Art. calculada sobre a remuneração do mês da rescisão. na cessação da relação de emprego por motivo de aposentadoria. do ano correspondente.na extinção dos contratos a prazo. pelo empregador. do contrato de trabalho.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA A gratificação de Natal será ainda devida na extinção do contrato por prazo determinado. 1º desta Lei. ainda que verificada antes de dezembro.br 13 . ainda que a relação de emprego haja findado antes de dezembro. § 2º .As faltas legais e justificadas ao serviço não serão deduzidas para os fins previstos no § 1º do art. www. por mês de serviço. Art. Art.na cessação da relação de emprego resultante da aposentadoria do trabalhador. sem justa causa.Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.A gratificação corresponderá a 1/12 avos da remuneração devida em dezembro. e no pedido de dispensa pelo empregado. 1º desta Lei. a todo empregado será paga. uma gratificação salarial. o empregado receberá a gratificação devida nos termos dos paragrafos 1º e 2º do art. 2º . 1º . Observem o que diz a Lei 4.A gratificação será proporcional: I . entre estes incluídos os de safra. § 3º . revogadas as disposições em contrário.

3. Diferença de tempo de serviço na função não superior a dois anos entre o paradigma e o paragonado. Há ainda três orientações Jurisprudenciais que tratam do tema. 461 da CLT. Mesmo empregador. Mesma localidade (município ou região metropolitana). Inexistência de quadro organizado em carreira. Simultaneidade na prestação de serviços. Assim.pontodosconcursos. Contemporaneidade na prestação de serviços. Trabalho de igual valor (mesma produtividade e igual perfeição técnica). a todo trabalho de igual valor. preenchidos os requisitos do art. Da Equiparação Salarial: A equiparação salarial será devida entre dois empregados que tenham cargos diferentes. prestado ao mesmo empregador. Os principais requisitos da equiparação salarial são: Identidade de funções (não importa a denominação do cargo).br 14 . O paradigma não poderá ser empregado readaptado. 461 da CLT Sendo idêntica a função.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA 6. a equiparação salarial será possível entre o paragonado e o paradigma. A Equiparação Salarial é um tema muito abordado nas provas e os seus requisitos estão elencados na Súmula 6 do TST e no Art. desde que eles desempenhem as mesmas funções na empresa e que todos os outros requisitos da equiparação salarial estejam presentes. na mesma www. Art. 461 da CLT e da Súmula 6 do TST.com. conforme abaixo transcritas.

não obsta reclamação fundada em preterição. para os fins deste Capítulo. 461 da CLT. § 4º . § 2º .Para efeito de equiparação de salários em caso de trabalho igual.No caso do parágrafo anterior. Súmula 6 do TST I .pontodosconcursos. será o que for feito com igual produtividade e com a mesma perfeição técnica. conta-se o tempo de serviço na função e não no emprego. nacionalidade ou idade. as promoções deverão ser feitas alternadamente por merecimento e por antigüidade.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA localidade. apenas. dentro de cada categoria profissional.Trabalho de igual valor. autárquica e fundacional. Súmulas e Orientações Jurisprudenciais que tratam da equiparação salarial: Súmula 127 do TST Quadro de pessoal organizado em carreira.Os dispositivos deste artigo não prevalecerão quando o empregador tiver pessoal organizado em quadro de carreira. III .Para os fins previstos no § 2º do art. hipótese em que as promoções deverão obedecer aos critérios de antigüidade e merecimento. § 1º . entre pessoas cuja diferença de tempo de serviço não for superior a 2 (dois) anos.O trabalhador readaptado em nova função por motivo de deficiência física ou mental atestada pelo órgão competente da Previdência Social não servirá de paradigma para fins de equiparação salarial. enquadramento ou reclassificação.com. II . aprovado por ato administrativo da autoridade competente. § 3º . só é válido o quadro de pessoal organizado em carreira quando homologado pelo Ministério do Trabalho.br 15 . desempenhando as www. aprovado pelo órgão competente excluída a hipótese de equiparação salarial. excluindo-se.A equiparação salarial só é possível se o empregado e o paradigma exercerem a mesma função. dessa exigência o quadro de carreira das entidades de direito público da administração direta. corresponderá igual salário. sem distinção de sexo.

a mesma denominação.com. 461 da CLT. OJ 297 da SDI-1 do TST O art. VI . VIII . 173.Desde que atendidos os requisitos do art. IX .CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA mesmas tarefas. ao tempo da reclamação sobre equiparação salarial. V . ao mesmo município.A cessão de empregados não exclui a equiparação salarial. reclamante e paradigma estejam a serviço do estabelecimento. a prescrição é parcial e só alcança as diferenças salariais vencidas no período de 5 (cinco) anos que precedeu o ajuizamento. XIII. ou não. comprovada-mente. sendo juridicamente impossível a www. da CF/1988. VII . inciso XIII. em princípio.É do empregador o ônus da prova do fato impeditivo.pontodosconcursos. desde que o pedido se relacione com situação pretérita. 461 da CLT. § 1º. conforme disposto no art. se esta responde pelos salários do paradigma e do reclamante. veda a equiparação de qualquer natureza para o efeito de remuneração do pessoal do serviço público. pois. não importando se os cargos têm. equipara-se a empregador privado. da CF/1988. pertençam à mesma região metropolitana. exceto se decorrente de vantagem pessoal ou de tese jurídica superada pela jurisprudência de Corte Superior. cuja aferição terá critérios objetivos. da CF/1988.Na ação de equiparação salarial.O conceito de "mesma localidade" de que trata o art. OJ 353 da SDI-1 do TST À sociedade de economia mista não se aplica a vedação à equiparação prevista no art. 37. é irrelevante a circunstância de que o desnível salarial tenha origem em decisão judicial que beneficiou o paradigma.É desnecessário que. II. modificativo ou extintivo da equiparação salarial. X . 37. embora exercida a função em órgão governamental estranho à cedente. 461 da CLT refere-se.Presentes os pressupostos do art. ao contratar empregados sob o regime da CLT. ou a municípios distintos que. IV . que pode ser avaliado por sua perfeição técnica.br 16 . é possível a equiparação salarial de trabalho intelectual.

5º da Constituição o qual determina que todos deverão ser tratados de forma igual perante a lei sem distinção de qualquer natureza. cujo exercício pressupõe habilitação técnica. realizada pelo Conselho Regional de Enfermagem.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA aplicação da norma infraconstitucional prevista no art. preconizado no art.proibição de diferença de salários.pontodosconcursos. O www. OJ 296 da SDI -1 do TST Sendo regulamentada a profissão de auxiliar de enfermagem. Assim. entre empregados que exerçam as mesmas funções. Na verdade devemos interpretar esta igualdade salarial preconizada no art. XXXI . 7º da CF/88 decorrem do Princípio da Isonomia. independentemente. o gerente de uma empresa poderá receber mais do que o empregado que não exerça tal função. idade.br 17 . uma vez que a igualdade que prevalece é a igualdade real ou substancial. de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo. 461 da CLT quando se pleiteia equiparação salarial entre servidores públicos. Art. impossível a equiparação salarial do simples atendente com o auxiliar de enfermagem. cor ou estado civil. Assim. além de outros que visem à melhoria de sua condição social: XXX . XXX da CF/88. 5º como uma igualdade real ou substancial.proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência. 7º. Do princípio da Igualdade Salarial: A igualdade salarial para trabalho de igual valor é um princípio constitucional que está expresso no art. de terem sido contratados pela CLT. dar tratamento igual aos iguais. e esta igualdade deverá existir em razão dos salários e também em razão das funções exercidas. Os incisos XXX e XXXI do art.com. com as mesmas condições técnicas há que prevalecer a igualdade salarial. 7º da CF/88 São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. ou seja.

SM o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região. quando o empregado for admitido em determinada função deverá. Neste caso ocorrerá o desvio de função e o empregado terá direito a receber as diferenças salariais. b) 35% (trinta e cinco por cento) do salário mínimo fixado para a região.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA gerente tem atribuições distintas do empregado. ser reenquadrado para outra função. ele deverá cumpri-lo. conforme orientação jurisprudencial do TST (OJ 125 da SDI. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd= Sm – P.pontodosconcursos.1 do TST DESVIO DE FUNÇÃO.452/43. QUADRO DE CARREIRA O simples desvio funcional do empregado não gera direito a novo enquadra-mento. c) 40% (quarenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. Há situações na qual o empregado exerce na empresa atribuições de nível superior hierárquico. ao preencher os requisitos descritos no plano ou no quadro de carreira para a promoção. Sendo assim. Questões FCC comentadas: 1. mesmo que o desvio de função haja iniciado antes da vigência da CF/1988. www. em que Sd representa o salário em dinheiro.br 18 . (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 24ª Região) Quando o empregador fornecer in natura uma ou mais das parcelas do salário mínimo. d) 45% (quarenta e cinco por cento)do salário mínimo fixado para a região. o que não irá impedir que o empregado receba o mesmo salário do que o gerente caso comprove que exerce as mesmas funções e preenche todos os requisitos previstos no art. mas apenas às diferenças salariais respectivas. descritas no quadro de carreira e está enquadrado em funções de nível inferior. DICA: Desvio de Função Quando o empregador adota o plano de cargos e salários ou institui o quadro de carreira. De acordo com o Decreto-lei n 5. o salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a a) 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região.1 do TST). OJ 125 da SDI. 6. 461 da CLT para ter direito à equiparação salarial.com.4.

www.com. nas demais. mas esta não poderá exceder 25% do salário contratual. mas esta não poderá exceder 25% do salário contratual. (C) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. (B) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. em que Sd representa o salário em dinheiro. É importante esclarecer que a Súmula 258 do TST estabelece que os percentuais fixados em lei relativos ao salário in natura referem-se às hipóteses em que o empregado recebe salário mínimo. a empregadora (A) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. (D) não poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. expressa vedação legal neste sentido.P. Comentários: Letra B (art. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd = Sm .CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA e) 50% (cinqüenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. Comentários: Letra a. uma ou mais das parcelas do salário mínimo.pontodosconcursos. in natura. 458. 2.br 19 .O salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região. o real valor da utilidade. (FCC – Analista Judiciário – Execução de Mandados – TRT 15ª Região – 2009) A empresa X pretende fornecer alimentação para seus empregados como salário utilidade. Súmula 258 do TST Os percentuais fixados em lei relativos ao salário "in natura" apenas se referem às hipóteses em que o empregado percebe salário mínimo. (art. mas esta não poderá exceder 20% do salário contratual. Neste caso. havendo. apurando-se. Parágrafo único . (E) só poderá fornecer a alimentação como salário utilidade se houver previsão em norma coletiva. de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. parágrafo 3º da CLT). mas esta não poderá exceder 30% do salário contratual. Sm o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região. 82. parágrafo único da CLT) Art. 82 da CLT Quando o empregador fornecer.

não servindo de base de cálculo para o adicional noturno. adicional noturno.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Pagamento em utilidades é a forma de pagamento na qual o empregado recebe em bens econômicos. Ambos terão direito à integração das gorjetas recebidas na remuneração. compreende-se no salário. a 25% (vinte e cinco por cento) e 20% (vinte por cento) do saláriocontratual. do seu valor terá que ser pago em dinheiro. www. 3. vestuário ou outras prestações in natura que a empresa. para todos os efeitos legais. Porém. (B) Robson. Art. integram o seu salário servindo de base de cálculo para as horas extras. dentre outras verbas. nem todo o salário poderá ser pago em utilidades.pontodosconcursos. § 3º . 458 da CLT Além do pagamento em dinheiro. dentre outras verbas.A habitação e a alimentação fornecidas como salário-utilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder. como alimentação. apenas. integram o seu salário. servindo de base de cálculo. para as horas extras. habitação. apenas elas não servirão de base de cálculo para as parcelas de aviso prévio. uma vez que 30% necessariamente. a alimentação. (C) Robson e Roberval integram os respectivos salários.com. (FCC/Analista Executor de Mandados/TRT-16ª Região/2009) Robson e Roberval são garçons de restaurantes diferentes.horas extras e repouso semanal remunerado. servindo de base de cálculo. etc. A CLT permite o pagamento em utilidades. por força do contrato ou do costume. Robson recebe gorjeta cobrada pela sua empregadora Ana nota de serviço e Roberval recebe apenas gorjetas ofertadas pelos clientes. não servindo de base de cálculo para o adicional noturno. habitação. respectivamente. (D) Robson e Roberval integram os respectivos salários. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas.br 20 . Neste caso. apenas. (E) Robson e Roberval integram os respectivos salários. para o aviso prévio. fornecer habitualmente ao empregado. Comentários: Letra E. as gorjetas de (A) Robson.

também. não servindo de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio. do aviso prévio e na gratificação natalina. das férias e do aviso prévio. 5. das férias e do aviso prévio. a título de diárias para viagens.23ª Região/2007) Segundo entendimento sumulado do TST. em virtude da morte www.br 21 . (C) não repercute no cálculo das horas extras.00 (quinhentos e um reais). Repercute. a gratificação semestral (A) não repercute no cálculo das horas extras. Gratificações são liberalidades do empregador que pretende incentivar o empregado e quando elas forem pagas com habitualidade terão natureza salarial. a título de ajuda de custo. Em um determinado mês.Juiz do Trabalho/TRT. Comentários: Letra A. bem como na indenização por antigüidade.com. na indenização por antigüidade e na gratificação natalina.11ª Região/2007) Um empregado recebe salário mensal de R$ 1. pelo seu duodécimo. do aviso prévio e na gratificação natalina. das férias.pontodosconcursos. bem como na indenização por antigüidade. horas extras e repouso semanal remunerado 4. integram a remuneração do empregado. cobradas pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas espontaneamente pelos clientes. esse empregado recebeu. contudo. das férias. mas repercute. ainda que indenizados. das férias. do aviso prévio e na gratificação natalina. R$ 501.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Súmula 354 TST As gorjetas. mas repercute. R$ 600. (E) repercute no cálculo das horas extras. (FCC . pelo seu duodécimo na indenização por antigüidade e na gratificação natalina. ainda que indenizados. pelo seu duodécimo. Súmula 253 do TST A gratificação semestral não repercute no cálculo das horas extras. (B) não repercute no cálculo das horas extras. adicional noturno. (FCC/Analista Judiciário-TRT.00 (mil reais). das férias e do aviso prévio. A gratificação semestral não poderá integrar as horas extras. o aviso prévio e as férias conforme estabelece a Súmula 253 do TST porque ela é paga duas vezes por ano. exceto se indenizados. ainda que indenizados.000.00 (seiscentos reais). (D) não repercute no cálculo das horas extras. ainda que indenizados. exceto se indenizados. na indenização por antigüidade e na gratificação natalina. bem como na indenização por antigüidade.

SM o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região. b) 35% (trinta e cinco por cento) do salário mínimo fixado para a região.701. em que Sd representa o salário em dinheiro.br 22 . d) 45% (quarenta e cinco por cento)do salário mínimo fixado para a região. (R$ 1.00 Comentários: Letra C.201.301.com.00) b) as comissões.000. 6. Integram o salário do empregado: a) a importância fixa estipulada. Nesse mês.00 (E) R$ 1. o salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a a) 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região.701.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA de um parente (auxílio-funeral).00 (B) R$ 1.501. e) as diárias para viagem que excedam a 50% do salário do empregado.452/43.pontodosconcursos.00 (duzentos reais). (R$ 501. www. a título de horas extras. sendo assim o salário dele será de R$ 1. portanto. De acordo com o Decreto-lei n 5. Observem o destaque abaixo. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd= Sm – P.00) irão integrar a remuneração do empregado.00 (C) R$ 1. o salário desse empregado foi (A) R$ 1. d) as gratificações ajustadas.00) f) os abonos pagos pelo empregador. As horas extras habitualmente prestadas (R$ 200.00.200. (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 24ª Região) Quando o empregador fornecer in natura uma ou mais das parcelas do salário mínimo. c) 40% (quarenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. e R$ 200. c) as percentagens.00 (D) R$ 2.

a habitação correspondendo a 25% e a alimentação de 20%. o real valor da utilidade. respectivamente. e) 20% e 25% do salário contratual. Comentários: O gabarito da questão fornecido pela banca foi a letra D. respectivamente. d) 25% e 20% do salário contratual. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd = Sm . Sm o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região. relativos ao salário in natura referem-se às hipóteses em que o empregado recebe salário mínimo. nas demais. Comentários: Letra a.pontodosconcursos. a alimentação de 25% e a habitação de 20%. respectivamente. (art. in natura.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA e) 50% (cinqüenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. É importante esclarecer que a Súmula 258 do TST estabelece que os percentuais fixados em lei. 7. O empregado rural terá direito a um adicional noturno de 25%. uma ou mais das parcelas do salário mínimo. respectivamente. em que Sd representa o salário em dinheiro.com. (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 23ª região 2007) A habitação e alimentação fornecidas como salário utilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder a) 50% do salário contratual b) 50% e 30% do salário contratual. apurando-se.P. www. c) 30% e 50% do salário contratual. 82 da CLT Quando o empregador fornecer. parágrafo único da CLT) Art.br 23 . O empregado urbano terá direito a um adicional noturno de 20%. Súmula 258 do TST Os percentuais fixados em lei relativos ao salário "in natura" apenas se referem às hipóteses em que o empregado percebe salário mínimo.O salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região. Parágrafo único . 82.

(B) I.Corretas. As comissões. para todos os efeitos legais. ressalto que a Letra d. parágrafo 1º da CLT). 457. Está correto o que se afirma SOMENTE em (A) II. os dos percentuais das parcelas componentes do salário mínimo. compreende-se no salário. II. a 25% (vinte e cinco por cento) e 20% (vinte por cento) do salário-contratual.Técnico Judiciário/TRT – Campinas/2009) Considere as seguintes assertivas a respeito da remuneração: I. porque o art. em cada caso. A assistência odontológica prestada diretamente pelo empregador não é considerada salário in natura. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. IV. O seguro de vida e de acidentes pessoais fornecidos pelo empregador não são considerados salário in natura. Comentários: Letra A IIncorreta. III e IV . vestuário ou outras prestações in natura que a empresa. As gorjetas cobradas diretamente pelo empregador na nota de serviço servem de base de cálculo para o repouso semanal remunerado. habitação. fornecer habitualmente ao empregado. Art. As gorjetas não servirão de base de cálculo para o repouso semanal remunerado (Súmula 354 do TST). caso se trate de empregado urbano e caso seja empregado rural o correto seria a letra E. II e III. § 1º – Os valores atribuídos às prestações in natura deverão ser justos e razoáveis. www. a alimentação. IICorreta (art. 458 da CLT – Além do pagamento em dinheiro. percentagens e gratificações ajustadas integram o salário do obreiro.pontodosconcursos. (D) III e IV. não podendo exceder. respectivamente. 8.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Sendo assim. por força do contrato ou do costume. (E) I e IV. (FCC.br 24 . (C) II e III. III. § 3º – A habitação e a alimentação fornecidas como salárioutilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder. 458 estabelece isto.com. III e IV.

gorjetas fornecidas espontaneamente pelos clientes. www. hospitalar e odontológica. V – seguros de vida e de acidentes pessoais. para a prestação do serviço. livros e material didático. IV – assistência médica. anuidade. adicional noturno. em percurso servido ou não por transporte público. as gorjetas (A) integram a remuneração de Raimunda. mas fornecidas espontaneamente pelos clientes. Neste caso. para todos os efeitos legais. por força do contrato ou do costume.br 25 .pontodosconcursos. em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. a alimentação. equipamentos e outros acessórios fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho. (C) integram a remuneração da Raimunda e servem de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio. 9. além do seu salário mensal.com. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. compreendendo os valores relativos a matrícula. vestuário ou outras prestações in natura que a empresa. III – transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno. não servindo de base de cálculo apenas para o repouso semanal remunerado. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. habitação.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Art. II – educação. não serão consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador I – vestuários. (B) não integram a remuneração de Raimunda. mensalidade. compreende-se no salário. 458 da CLT – Além do pagamento em dinheiro. fornecer habitualmente ao empregado. VI – previdência privada. horasextras e repouso semanal remunerado. § 2º – Para os efeitos previstos neste artigo. uma vez que não são cobradas pelo empregador na nota de serviço. (D) integram a remuneração de Raimunda. (FCC/ Analista Judiciário Execução de Mandados – TRT 2ª Região/2008) Raimunda é garçonete no restaurante do TIO TITO e recebe. não servindo de base de cálculo apenas para as parcelas de aviso-prévio.

A gratificação semestral não repercute no cálculo do aviso prévio (Súmula 253 do TST). IV.Gorjetas oferecidas espontaneamente pelos clientes.com. D) II e IV. B) I e III. Comentários: Letra C I. adicional noturno. III e IV. 10. horas extras e repouso semanal remunerado Súmula Nº 139 do TST Enquanto percebido. (FCC – Analista Judic. adicional noturno.Gratificação semestral. cobradas pelo empregador na nota de serviço ou oferecidas espontaneamente pelos clientes. das férias e do aviso prévio.Gorjetas cobradas pelo empregador na nota de serviço.Adicional de Insalubridade. Súmula 253 do TST A gratificação semestral não repercute no cálculo das horas extras. IV. integram a remuneração do empregado. – Exec. não servindo de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio. horas-extras e repouso semanal remunerado. de Mandados – TRT 7ª Região/2009) Considere para o cálculo do aviso prévio as verbas abaixo I. C) III. 354 do TST) III.pontodosconcursos. II. Comentários: Letra E (Súmula 354 do TST) Observem que resolvemos muitas questões de prova que abordam a Súmula 354 do TST.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA (E) integram a remuneração de Raimunda.O adicional de insalubridade integrará o cálculo do aviso prévio. a) I. mas não servem de base de cálculo para as parcelas de aviso prévio. Há questões de prova que abordam a Súmula 354 do TST juntamente com a Súmula 253 do TST como aconteceu na prova do TRT/CE. II.br 26 . ainda que www.As gorjetas oferecidas pelos clientes seja espontânea ou não também não irá servir de base de cálculo para o aviso prévio (S.(Súmula 354 do TST) Súmula 354 TST As gorjetas. III. o adicional de insalubridade integra a remuneração para todos os efeitos legais. observem a questão abaixo. E) II e III.

como economia salarial do laborista. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. III. Vestuários fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho. previdência privada. assistência médica. Repercute. compreendendo os valores relativos a matrícula. 458 da CLT Além do pagamento em dinheiro. NÃO são considerados salário in natura as utilidades fornecidas pelo empregador indicadas APENAS em (A) II e IV.com.mensalidade. Em caso algum será permitido o pagamento com bebidas alcoólicas ou drogas nocivas. (E) I e IV. livros e material didático. a alimentação. vestuário fornecido aos empregados e utilizado no local de trabalho. www.compreendese no salário. (FCC . na 11. para a prestação do serviço. O veículo será considerado salário utilidade porque a assertiva I fala que o empregado irá utilizá-lo.pontodosconcursos. anuidade. no final de semana. em estabelecimento de ensino de terceiros. educação em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. II e III. contudo. (D) II. fornecer habitualmente ao empregado. Art. transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno. Relembrando: Não são consideradas como salário as seguintes parcelas: seguro de vida. Educação.br 27 . Assistência médica e hospitalar. por força do contrato ou do costume. (B) I e III. habitação. IV.Técnico Judiciário TRT-GO – 2008) Considere: I. hospitalar. vestuário ou outras prestações in natura que a empresa. pelo seu duodécimo indenização por antigüidade e na gratificação natalina. II. utilizado inclusive nos fins de semana e período de férias. para todos os efeitos legais. Veículo fornecido ao empregado pelo serviço desenvolvido. (C) I. III e IV. odontológica. Comentários: Letra D.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA indenizados.

c) Alimentação e habitação fornecidas habitualmente ao empregado. em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. V . para a prestação do serviço.previdência privada. hospitalar e odontológica.br 28 . II .Para os efeitos previstos neste artigo.pontodosconcursos. 12.transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno. não serão consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: I . e) Assistência médica.com.vestuários. (FCC – Técnico Judiciário – TRT-PI-2004) São consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: a) Alimentação e equipamentos de proteção individual. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. Comentários: Letra C. VI .educação. devem ser fornecidas de forma habitual e pelos serviços prestados pelo obreiro.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA § 2º . As utilidades para serem consideradas salário. livros e material didático. b) Alimentação e educação em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. anuidade. mensalidade. hospitalar e odontológica. IV . em percurso servido ou não por transporte público. d) Equipamentos de proteção individual e assistência médica.assistência médica. III . equipamentos e outros acessórios fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho.seguros de vida e de acidentes pessoais. www. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. compreendendo os valores relativos a matrícula.

que não são consideradas salário in natura. a todos os empregados. e) Sempre no mês de dezembro. considera-se salário in natura.pontodosconcursos. a todos os empregados. (FCC – Técnico Judiciário – TRT-SP-2004) Quando fornecido habitualmente ao empregado. a metade restante. preferencialmente. de um a só vez.br 29 . ele não será considerado salário in natura. O parágrafo segundo do art. c) Entre os meses de fevereiro a novembro. d) No mês de dezembro. a critério do empregador. 458 traz exceções. 458 da CLT.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Caso as mesmas sejam oferecidas para a prestação dos serviços não serão consideradas salário-utilidade mesmo que sejam concedidas de forma habitual. por força do contrato ou do costume. As outras assertivas trazem as exceções do parágrafo 2º do art. b) Entre os meses de fevereiro a novembro. c) Seguro de vida e acidentes pessoais. com antecipação da metade do valor devido a todos os empregados. É importante ressaltar que quando o vale-refeição for fornecido pelo PAT. b) Condução destinada ao deslocamento para o trabalho. 14. (FCC – Analista Judiciário – TRT-PI-2004) O pagamento da gratificação de natal pelo empregador aos empregados deverá ser efetivado: a) Entre os meses de fevereiro a novembro. com antecipação da metade do valor devido a todos os empregados. d) Vale-refeição. 13. e) Previdência privada. de uma só vez. ser parcelado em até duas vezes. Comentários: Correta a letra “d”. a metade restante. podendo.e até o final do mês de dezembro. www. que não serão consideradas salário-utilidade mesmo que sejam concedidas de forma habitual e pelos serviços prestados. a todos os empregados de uma só vez.com. obrigatoriamente.e até o dia vinte de dezembro. a) Telefone celular e respectivas despesas.

de uma só vez./2008) João. o empregador pagará. as comissões. Comentários: Correta a letra “E”. as percentagens. Juca e Jean. metade do salário recebido pelo respectivo empregado no mês anterior. João recebeu ajuda de custo. as diárias para viagem e os abonos pagos pelo empregador.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Comentários: Correta a letra “a”. § 1º O empregador não estará obrigado a pagar o adiantamento. (D) Joana e Juca.” 15. (FCC/TRT-SP/Técnico Judic. Joana recebeu abono de férias de 15 dias. as gratificações ajustadas. a todos os seus empregados. integram o salário as verbas recebidas apenas por (A) Joana. 2º da lei 4. no mesmo mês.-Área Adm. (E) Juca e Jean. sempre que este o requerer no mês de janeiro do correspondente ano. § 2º O adiantamento será pago ao ensejo das férias do empregado.pontodosconcursos. (C) João e Joana. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. Integram o salário do empregado: a importância fixa estipulada. como adiantamento da gratificação referida no artigo precedente. Atenção: as que excedem a 50% incluem-se nos salários.749/65 “Entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano. ______________________________________________________ www.com. Art. Joana. Juca e Jean. (B) João. Não se incluem nos salários: as ajudas de custo e as diárias para viagem que não excedam a 50% do salário recebido pelo empregador.br 30 . Juca e Jean são empregados da empresa Primavera. Juca recebe diária de viagem que excedem 50% de seu salário e Jean recebe gratificação ajustada com seu empregador.

br 31 .452/43. e) 50% (cinqüenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. SM o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região. D 14. www. E 6. (FCC – Analista Judiciário – Execução de Mandados – TRT 15ª Região – 2009) A empresa X pretende fornecer alimentação para seus empregados como salário utilidade.pontodosconcursos. E 4. (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 24ª Região) Quando o empregador fornecer in natura uma ou mais das parcelas do salário mínimo. B 3. A 2. A 7. o salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a a) 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região. de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. (D) não poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. em que Sd representa o salário em dinheiro. A 5. De acordo com o Decreto-lei n 5. d) 45% (quarenta e cinco por cento)do salário mínimo fixado para a região.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA Gabarito do aluno: 1. (C) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade.5. a empregadora (A) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. D 12. C 13. 2. havendo. mas esta não poderá exceder 30% do salário contratual. (B) poderá fornecer a alimentação como salário utilidade. A 15. C 11. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd= Sm – P. Questões FCC sem comentários: 1. mas esta não poderá exceder 20% do salário contratual. C 6. Neste caso. A 9. b) 35% (trinta e cinco por cento) do salário mínimo fixado para a região. E 10. expressa vedação legal neste sentido.com. D 8. c) 40% (quarenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. mas esta não poderá exceder 25% do salário contratual.

integram o seu salário servindo de base de cálculo para as horas extras. (D) não repercute no cálculo das horas extras.00 (quinhentos e um reais). mas esta não poderá exceder 25% do salário contratual. pelo seu duodécimo. do aviso prévio e na gratificação natalina.00 (mil reais).br 32 . (C) Robson e Roberval integram os respectivos salários.000.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA (E) só poderá fornecer a alimentação como salário utilidade se houver previsão em norma coletiva. esse empregado recebeu. exceto se indenizados. (E) Robson e Roberval integram os respectivos salários. das férias. ainda que indenizados. servindo de base de cálculo.Juiz do Trabalho/TRT. na indenização por antigüidade e na gratificação natalina. (B) não repercute no cálculo das horas extras. (C) não repercute no cálculo das horas extras. não servindo de base de cálculo para o adicional noturno. ainda que indenizados. (FCC/Analista Executor de Mandados/TRT-16ª Região/2009) Robson e Roberval são garçons de restaurantes diferentes. (FCC/Analista Judiciário-TRT. apenas.pontodosconcursos. mas repercute.00 www. também. mas repercute. pelo seu duodécimo. do aviso prévio e na gratificação natalina. exceto se indenizados. 4. das férias. para o aviso prévio. dentre outras verbas. do aviso prévio e na gratificação natalina. para as horas extras. (E) repercute no cálculo das horas extras.11ª Região/2007) Um empregado recebe salário mensal de R$ 1. Neste caso. das férias e do aviso prévio. bem como na indenização por antigüidade. bem como na indenização por antigüidade. a gratificação semestral (A) não repercute no cálculo das horas extras. dentre outras verbas.23ª Região/2007) Segundo entendimento sumulado do TST. Em um determinado mês. 3. ainda que indenizados. não servindo de base de cálculo para o adicional noturno. Robson recebe gorjeta cobrada pela sua empregadora Ana nota de serviço e Roberval recebe apenas gorjetas ofertadas pelos clientes.com. das férias e do aviso prévio. as gorjetas de (A) Robson. 5. na indenização por antigüidade e na gratificação natalina. R$ 501. a título de diárias para viagens. (FCC . das férias. R$ 600. integram o seu salário. (B) Robson. (D) Robson e Roberval integram os respectivos salários. apenas. bem como na indenização por antigüidade. servindo de base de cálculo.

d) 45% (quarenta e cinco por cento)do salário mínimo fixado para a região.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA (seiscentos reais). respectivamente.200. a título de ajuda de custo. 8.Técnico Judiciário/TRT – Campinas/2009) Considere as seguintes assertivas a respeito da remuneração: I. respectivamente. Nesse mês. em que Sd representa o salário em dinheiro. em virtude da morte de um parente (auxílio-funeral).00 6.501. e) 20% e 25% do salário contratual. c) 40% (quarenta por cento) do salário mínimo fixado para a região.00 (E) R$ 1.00 (D) R$ 2. e R$ 200. o salário desse empregado foi (A) R$ 1.301. respectivamente. 7. d) 25% e 20% do salário contratual. a título de horas extras.00 (duzentos reais). As gorjetas cobradas diretamente pelo empregador na nota de serviço servem de base de cálculo para o repouso semanal remunerado. e) 50% (cinqüenta por cento) do salário mínimo fixado para a região. De acordo com o Decreto-lei n 5. SM o salário mínimo e P a soma dos valores daquelas parcelas na região.com.201. (FCC.452/43. www. (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 24ª Região) Quando o empregador fornecer in natura uma ou mais das parcelas do salário mínimo. o salário em dinheiro será determinado pela fórmula Sd= Sm – P.00 (C) R$ 1. c) 30% e 50% do salário contratual. b) 35% (trinta e cinco por cento) do salário mínimo fixado para a região.br 33 . (FCC – Analista Judiciário – Área Administrativa – TRT 23ª região 2007) A habitação e alimentação fornecidas como salário utilidade deverão atender aos fins a que se destinam e não poderão exceder a) 50% do salário contratual b) 50% e 30% do salário contratual. o salário mínimo pago em dinheiro não será inferior a a) 30% (trinta por cento) do salário mínimo fixado para a região.701. respectivamente.00 (B) R$ 1.pontodosconcursos. portanto.

E) II e III. não servindo de base de cálculo apenas para as parcelas de aviso-prévio. Está correto o que se afirma SOMENTE em (A) II.Gorjetas oferecidas espontaneamente pelos clientes. – Exec. não servindo de base de cálculo apenas para o repouso semanal remunerado. (FCC . Veículo fornecido ao empregado pelo serviço desenvolvido. O seguro de vida e de acidentes pessoais fornecidos pelo empregador não são considerados salário in natura. percentagens e gratificações ajustadas integram o salário do obreiro. adicional noturno. (FCC/ Analista Judiciário Execução de Mandados – TRT 2ª Região/2008) Raimunda é garçonete no restaurante do TIO TITO e recebe. D) II e IV. III e IV. além do seu salário mensal. III e IV. utilizado inclusive nos fins de semana e período de férias. (B) não integram a remuneração de Raimunda.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA II. II e III. mas não servem de base de cálculo para as parcelas de aviso prévio. para a prestação do serviço.br 34 . (FCC – Analista Judic. III. IV.pontodosconcursos. (C) II e III. gorjetas fornecidas espontaneamente pelos clientes. IV. 10. horasextras e repouso semanal remunerado. 11. (C) integram a remuneração da Raimunda e servem de base de cálculo para as parcelas de aviso-prévio. de Mandados – TRT 7ª Região/2009) Considere para o cálculo do aviso prévio as verbas abaixo I.Técnico Judiciário TRT-GO – 2008) Considere: I. adicional noturno.Adicional de Insalubridade. horas-extras e repouso semanal remunerado. a) I. C) III. (D) III e IV. (D) integram a remuneração de Raimunda. (E) integram a remuneração de Raimunda. 9. A assistência odontológica prestada diretamente pelo empregador não é considerada salário in natura. as gorjetas (A) integram a remuneração de Raimunda. III. B) I e III. II. As comissões. uma vez que não são cobradas pelo empregador na nota de serviço. www.Gratificação semestral.com. como economia salarial do laborista. II. Neste caso. (E) I e IV. (B) I. Vestuários fornecidos aos empregados e utilizados no local de trabalho.Gorjetas cobradas pelo empregador na nota de serviço. mas fornecidas espontaneamente pelos clientes.

(E) I e IV. b) Alimentação e educação em estabelecimento de ensino próprio ou de terceiros. 13. anuidade.mensalidade. livros e material didático. prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. b) Condução destinada ao deslocamento para o trabalho. (C) I. a) Telefone celular e respectivas despesas. (FCC – Analista Judiciário – TRT-PI-2004) O pagamento da gratificação de natal pelo empregador aos empregados deverá ser efetivado: a) Entre os meses de fevereiro a novembro. (FCC – Técnico Judiciário – TRT-PI-2004) São consideradas como salário as seguintes utilidades concedidas pelo empregador: a) Alimentação e equipamentos de proteção individual. Assistência médica e hospitalar. considera-se salário in natura.pontodosconcursos. e) Assistência médica. NÃO são considerados salário in natura as utilidades fornecidas pelo empregador indicadas APENAS em (A) II e IV. e) Previdência privada. Educação. em estabelecimento de ensino de terceiros. com antecipação da metade do valor devido a todos os empregados.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA III. (B) I e III. www. d) Vale-refeição. c) Alimentação e habitação fornecidas habitualmente ao empregado. c) Seguro de vida e acidentes pessoais. 12.com. por força do contrato ou do costume. (D) II. II e III. compreendendo os valores relativos a matrícula. III e IV. IV. d) Equipamentos de proteção individual e assistência médica. a metade restante.br 35 . prestada diretamente ou mediante seguro-saúde. hospitalar e odontológica. 14. (FCC – Técnico Judiciário – TRT-SP-2004) Quando fornecido habitualmente ao empregado.e até o dia vinte de dezembro.

(C) João e Joana. ser parcelado em até duas vezes. integram o salário as verbas recebidas apenas por (A) Joana. Continuem focados em seus objetivos! Muita luz! Abraços. d) No mês de dezembro. podendo. (E) Juca e Jean.com. preferencialmente.-Área Adm. Deborah Paiva www. com antecipação da metade do valor devido a todos os empregados. a todos os empregados de uma só vez. (B) João.e até o final do mês de dezembro. Juca recebe diária de viagem que excedem 50% de seu salário e Jean recebe gratificação ajustada com seu empregador. Joana. Juca e Jean são empregados da empresa Primavera. (D) Joana e Juca./2008) João. Joana recebeu abono de férias de 15 dias. a metade restante. João recebeu ajuda de custo. 15. Juca e Jean.pontodosconcursos. De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho. a critério do empregador. a todos os empregados. obrigatoriamente. Juca e Jean.br 36 . de uma só vez. de um a só vez. A nossa aula de hoje chegou ao final! Bons estudos. e) Sempre no mês de dezembro. c) Entre os meses de fevereiro a novembro. (FCC/TRT-SP/Técnico Judic. a todos os empregados.CURSO ON-LINE – DIREITO DO TRABALHO – TRT 8ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA E ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA – EXECUÇÃO DE MANDADOS PROFESSORA DÉBORAH PAIVA b) Entre os meses de fevereiro a novembro.