You are on page 1of 2

Há algum tempo atrás, um professor me fez refletir sobre uma questão.

É uma pergunta em que todos debatem, em vários cantos do mundo, em relação a "salvem o planeta". Poucos chegam a concretizar o assunto, outros já nem pensam direito. Muitos podem discordar da minha opinião. Mas, por que primeiramente pensam em salvar o planeta? Irei dividir a minha opinião em duas partes, a primeira, em como manter o planeta, e a segunda, concluindo o que eu acho. Antes que comecem a se perguntar o por que deste questionamento, eu posso explicar. O nosso planeta terra, há aproximadamente 4,6 bilhões de anos atrás, se formou através de impactos de meteoros, gás e poeira cósmica, gerados pela grande explosão do big-bang. Já passou por inúmeras transformações, eras, períodos, etc. E até hoje, tudo o que ocorre, no processo evolutivo do planeta, é normal. E independente do que aconteça, seja os impactos de materiais vindos do espaço a transformações geológicas naturais, ou até mesmo danos causados pelo homem, o planeta irá permanecer da mesma forma. Não existe essa de "acabar o mundo" ou "salvar o mundo", são duas questões totalmente contraditórias de pensar. Nem que nós pudéssemos achar um meio que diminuísse este efeito, não iria adiantar. Por isso, eu venho à questão principal. A gente tem que pensar primeiramente em “nos” salvar. Evitar a poluição ao máximo, economizar luz, dar valor a água potável que nós possuímos e poupar nossas florestas. Usar meios de energias renováveis como a solar, a eólica entre outras. Claro que, perante as muitas descobertas, inovações e ao avanço da tecnologia e indústria, é difícil conseguir controlar a poluição. A valorização dos meios principais para o nosso viver, é um dos motivos para nos mantermos. Uma violação contra as leis da natureza, no caso da poluição e destruição das florestas faz com que, para nós, antecipe um fim da vida, ou seja, irá nos aniquilar pouco a pouco. Entre esses desastres causados pelo homem, a maioria das espécies em um futuro distante pode ser extinta. Ao contrário do planeta, que apesar de ter sofrido modificações e alterações, vai continuar com a mesma rotina, se recuperando em um tempo de uma longa escala, aguardando um próximo vestígio de seres a vivenciar dentro do globo, no qual onde não conseguirem se manter, pode se tornar letal. O planeta, não depende de nós para viver, é totalmente ao contrário. Deveríamos pensar primeiramente em nossa sobrevivência. Enquanto nós conseguirmos manter uma vida saudável é sinal de que nosso planeta estará também. Não sei se dá para partir uma reflexão no meio deste texto. Mas gostaria que se conscientizassem sobre a poluição, gasto de energia, desperdício da água potável. São coisas simples do dia a dia em que nós podemos, cada um fazer sua parte e colaborar com o

meio ambiente. Porque se nós descuidarmos, os locais tendem a ficarem ruins para a nossa vivência, impedindo as moradias e deixando o planeta impróprio para a existência de vida, contribuindo assim para a extinção de muitas espécies, incluindo a nossa. Antes que convertam as minhas palavras, eu quero deixar esclarecido que a terra é um planeta incrível, que não precisa ser “salvo”. Cabe a cada um de nós saber manter a salvo a espécie humana, pois, se nós não estivermos aqui, como iremos apreciar a beleza do nosso planeta?