You are on page 1of 52

A GLOBALIZAÇÃO E O ADVENTO DA

SOCIEDADE DO CONHECIMENTO
ASPECTOS HISTÓRICOS, CULTURAIS, SOCIAIS E
ECONÔMICOS.

Autor: José Carlos Rassier – Sociólogo,
Especialista em Gestão pública,
Diplomado pela CEPAL - ONU na área
do Desenvolvimento e atual Diretor
Executivo da
ABM – Associação Brasileira de
Municípios
1 . FENÔMENO DO MITO DO PROGRESSO:

Primeiramente cabe registrar que os mitos
sempre acompanharam a humanidade. A noção
do mito do progresso para todos, a noção do
bom selvagem de Rousseau, o mito da eficácia
das transformações no comparativo econômico e
social.

Os mitos cumprem uma função no imaginário
social e na necessidade humana de revigorar
crenças, mas também expressam idéias e os
diversos modos de ver o mundo e de nele
interagir.
Segundo Sygmunt Bauman / Professor das
Universidades de Leeds / Varsóvia / Polônia.
... O mito do conceito da globalização deve ser
desmistificado, pois o processo é contraditório,
ao mesmo tempo que une a terra pela
compressão do tempo/espaço operacionalizada
pela extraordinária velocidade da Revolução
Tecnológica e Científica, ... também separa e
segrega um número gigantesco de seres
humanos...
In - O mal estar da pós-modernidade - Editora J.
Zahar, pg. 7, RJ - BR. 1999.

A) Em termos de economia política é quase
impossível admitir-se como regra geral a
hipótese de que todos podem ganhar da mesma
forma. O mais aceitável é que todos podem em
diferentes níveis obter vantagens e que muitos
podem perder de diferentes formas. Os
processos sócio-econômicos apresentam
sinergias internas e externas.
B) A teoria do desenvolvimento vigente na década
de 60/80 do século 20, priorizava os indicadores de
crescimento econômico, medindo apenas renda per
capita e o volume do PIB.
Em oposição a esta visão surge outra noção a partir
de vários estudos e pesquisas que resultaram na
Teoria do Desenvolvimento Sustentável, que passou
a priorizar outros indicadores.

C) PNUD. Programa das Nações Unidas para o
Desenvolvimento / ênfase na qualidade do
progresso, em termos de acesso a saúde,
educação, direitos sociais, qualidade de vida,
respeito ao meio ambiente. Noção de que o
desenvolvimento implica em condições de
crescimento econômico, mas que devem estar
presentes condições de sustentabilidade social,
econômica, humana e ambiental.

Amartya Sen / Prêmio Nobel de
economia de 1998.
... a base material do processo de desenvolvimento
e fundamental, mas deve ser considerada como um
meio e não como um fim em si. Além da capacidade
produtiva deve se atingir a melhoria da qualidade de
vida... isto só e possível com a expansão da
liberdade ...
1.1. EM QUE MUNDO VIVEMOS. - ONDE OPERA
A GLOBALIZAÇÃO. ASPÉCTOS
DEMOGRÁFICOS ESTIMADOS – ONU

- Segundo Dados Estatísticos em 1950 o mundo
tinha 2,5 bilhões de habitantes. A ONU prevê que
a população mundial estará ao redor 8,9 bilhões
em 2050 e de 10,5 bilhões em 2100. Este
crescimento demográfico estará concentrado em
alguns paises, como a Índia, a China, o Paquistão,
a Nigéria, o Congo, e a Indonésia.

12

10

8

6

4

2

0
Em 1950 Em 2050 Em 2100
- Metade da população mundial já vive nestes
paises, que ocupam cerca de 13% da superfície da
terra, demonstrando desequilíbrio no crescimento
demográfico mundial. Os 48 paises menos
desenvolvidos terão sua população triplicada até
2050, como Congo, Burkina Faso, Angola, Nigéria e
Libéria.

- A América Latina deve saltar dos atuais 519
milhões para algo em torno de 806 milhões em
2050.
Exemplo: Brasil de 170 milhões para cerca de 220
milhões.

- Até 2050 vários paises da Europa deverão sofrer
declínio populacional, com as seguintes previsões.
Rússia 28%, Itália e Hungria 25%, Espanha, Suíça e
Áustria 20%, França e Noruega cerca de 10%.

- Os Estados Unidos deverão ter crescimento
populacional de cerca de 40% até 2050 e o Japão e
a Alemanha deverão perder cerca de 14%.
-Melhores cuidados médicos e sanitários deverão
elevar a expectativa de vida nos países
desenvolvidos e em desenvolvimento. Sendo de 80
anos nos países intermediários, 88 nos mais ricos.
Na América Latina a média deverá oscilar entre 78
anos.

OBS: - IMPACTO DEMOGRÁFICO HISTÓRICO -
DOIS TERÇOS DAS PESSOAS QUE ATINGIRIAM
65 ANOS, ESTÃO VIVAS HOJE.

-Segundo KELLAWAY, 2002, referindo aos
problemas demográficos dos Estados Unidos,
informa que existem 45 milhões de pessoas com
idades entre 35 a 44 anos e 37 milhões com
variação entre 25 a 34, ou seja, O POTENCIAL DE
INOVAÇÃO esta ativo, pois profissionais jovens tem
um papel mais intenso na criação e difusão de
novos conhecimentos.
- Outra alteração nos próximos anos será a
crescente combinação decorrente do aumento da
população idosa, com impactos nos sistemas de
saúde e de previdência, com populações
relativamente muito jovens em áreas de intenso
processo tecnológico, gerando demandas e modos
de vida diversos.

REALIDADE SÓCIO ECONÔMICA - RENDA E
POBREZA
- Segundo dados do Banco Mundial, Washington,
31.08.05, a América Latina reduziu sua capacidade
de infra-estrutura, com gastos inferiores a 2% do
PIB, diminuindo sua capacidade de competitividade.
Exemplo, no acesso a água potável esta em média
cobrindo apenas cerca de 82% da população.
- Segundo dados do Relatório de Desenvolvimento
da ONU, as nações de baixo desenvolvimento estão
investindo em media 4% do PIB em armas,
enquanto os paises da Europa não ultrapassaram
2% em 2003.
- RDH / ONU, aponta que na área da educação as
nações de baixo desenvolvimento destinaram 4,8%
do PIB para a educação, as de desenvolvimento
médio 5,3%. 2003
- A Noruega país de melhor índice de
desenvolvimento humano em 2003, gastou 2% do
PIB em armas e 7,6% em educação. O Chile gastou
em armas 3,5% do PIB e a Colômbia 4,4%. 2003.
- RDH/ ONU, Índice de GINI - Combinação de pouca
e concentrada riqueza e muita pobreza nos últimos
trinta anos, demonstra que os piores países em
termos de Índice de Desenvolvimento de 1975, são
os mesmos de 2005. Dados com base em 2004.
- RDH / ONU - 1 bilhão de pessoas em todo o
mundo sobrevivem com renda de até 1 dólar dia. As
500 pessoas mais ricas do mundo ganham 416
milhões de vezes que os mais pobres. 2,5 bilhões
de pessoas vivem com renda de até 2 dólares por
dia, cerca de 40% da população mundial. 2003.
- RDH / ONU - Pequenas reduções nas taxas de
analfabetismo são insuficientes para incorporar
pessoas ao processo produtivo e social. Nos cinco
mais ricos não há analfabetos absolutos, enquanto
nos paises africanos quase 30% da população está
em situação de absoluta ignorância. 2003
2. A GLOBALIZAÇÃO COMO FENÔMENO
O mundo passa por mudanças profundas em todos
os sentidos. São mudanças não apenas pontuais,
mas sim a transformação e a passagem para uma
nova era, que muitos estudiosos advogam tratar-se
da conjugação do fenômeno da globalização
associado à emergência da Revolução Tecnológica
e ao advento da sociedade do conhecimento. Um
mundo em mudanças porém permeado pelo
aumento das desigualdades e das assimetrias, com
impactos profundos na direção da economia, na
organização da vida social e no sentido dado a
identidade cultural e a noção de pertencimento.
Existem conceitos variados sobre o fenômeno da
globalização. Vamos focar algumas das visões mais
recorrentes, devendo-se reconhecer que se usam
termos quase correlatos para explicar a atual fase,
senão vejamos:

OBSERVAÇÃO: - O termo globalização é uma
criação dos americanos, a expressão mundialização
é dos franceses, enquanto alguns pesquisadores
usam a expressão internacionalização para definir
tudo o que ocorre além das fronteiras nacionais.

OBSERVAÇÃO: - Aprendemos em sociologia que
um conceito para dar conta de sua finalidade
metodológica não deve apresentar muitos
significados distintos.

a) Globalização – processo econômico e
social que estabelece relações de integração entre
regiões, países, pessoas, empresas, com o fito de
expandir ideais, negócios, atividades diversas.
Fenômeno associado à noção de Aldeia Global,
Sociedade de Consumo de Massas.
b) Globalização – processo que assegura a
difusão da informação e das transações em tempo
real, com a interligação dos mercados, no bojo da
Revolução Tecnológica e Científica, que se serve do
processamento, difusão e transmissão da
informação, definindo o surgimento de uma nova era
histórica para a humanidade.

Segundo o estudioso americano, Bello, W

... Globalização e um processo hegemônico,
fenômeno multidimensional, envolvendo
aspectos ideológicos, culturais, econômicos,
sociais e políticos...

- In Globalization and social movements- new
elements for discussion
Bello, W 2001. The Futurein the balance / Food First
Books / Oakland, California.
OBSERVAÇÃO: - Globalização - Comunicação e
redes de informação em tempo real.
Exemplos:
...“a notícia do assassinato do presidente norte-
americano Abraham Lincoln, em 1865, levou 13 dias
para cruzar o Atlântico e chegar a Europa. A queda
da Bolsa de Valores de Hong Kong (outubro-
novembro 1997) levou 13 segundos para cair como
um raio em São Paulo, Tóquio, Nova York ou
Buenos Aires e Santiago ”…
In Clóvis Rossi – Folha de São Paulo
“ O furacão financeiro que veio da Ásia, passou pela
Europa, Estados Unidos e chegou a América Latina,
apresentou pelo menos uma vantagem didática.
Muitas pessoas, num nível nunca imaginado,
receberam a informação. Isto é uma demonstração
de como opera a globalização financeira e seus
efeitos imediatos. Mesmo que muitos não saibam
onde fica a Tailândia, um resfriado neste lugar, pode
provocar uma gripe na América… especialmente se
fizer uma escala em Nova York… “. In- Celso Pinto –
Editorial da Folha de SP.
c) Globalização visão histórica – distintas
globalizações
Muitos historiadores e economistas voltados para a
economia política, afirmam que o processo de
globalização teve sua origem nos séculos XV e XVI
com o advento do descobrimento das novas terras e
do nascimento do novo mundo. As descobertas
marítimas teriam sido o primeiro impulso externo
significativo do mundo europeu, devido à saturação
dos mercados internos, diante da necessidade de
comercializar mercadorias excedentes, de buscar
novas e mais baratas matérias primas.
Outros estudiosos preferem tratar da globalização
como algo mais recente, que ganhou impulso nas
décadas de 70/80 do século 20, quando a
Revolução Tecnológica e Científica se acentuou
com a integração da tecnologia da informática a
tecnologia da informação, ao uso da energia
atômica, aos primeiros estudos sobre engenharia
genética, uso da microeletrônica, robótica, etc.…

OUTROS AINDA AFIRMAM
OUTRAS DIMENSÕES DA
GLOBALIZAÇÃO
... setorialmente ocorreram várias
globalizações. A globalização
cultural pela hegemonia da cultura
helenística do século V a.C ate o
século II d.C. A difusão do
cristianismo no mundo ocidental e
nas novas terras também foi uma
espécie de globalização
religiosa...
... Mais recentemente ainda no começo do milênio
anterior ocorreu a maior de todas as globalizações
históricas, a formação do império romano. O latim se
tornou a língua franca de todo o mundo de então, o
denarium, foi uma espécie de moeda única, o direito
romano moldou as instituições e os engenheiros
romanos desenvolveram e exportaram a tecnologia
de infra-estrutura ... aquedutos, portos, estradas,...
In. A Economia Política da Globalização, kocher,
Bernardo, RJ 2000 / UFRJ/BR
d) Globalização não é um processo único,
mas uma mistura complexa de um conjunto de
processos.
In - As conseqüências da modernidade, Antonhy
Giddens. Ed. Unesp. 1991,
ALGUNS DOS IMPACTOS CAUSADOS PELA
GLOBALIZAÇÃO
3. IMPACTOS CULTURAIS
... Los media humanos electrónicos postliterarios
contraen el mundo al tamano de una aldea o tribu en
la que todo sucede a cada uno al mismo tiempo,
todos saben a cerca de, y por tanto partincipan en,
todo lo que esta sucediendo en el minuto que esta
passando. La televisión ofrece esta cualidad de
simultaneidad a los eventos en la aldea global.
In Carpenter y McLuhan, 1960. / Luiz Mauricio
Cuervo / Socio/Economia de la Globalización,
CEPAL.

a) Com o advento da sociedade de massa
(mass society) no contexto da Aldeia Global,
produziram-se alterações significativas na vida
cultural. O que vem a ser cultura ? Existe uma
cultura global ou uma imposição de normas e formas
de pensar o mundo.
OBSERVAÇÃO: - Ruth Benedicth, antropóloga
americana, diz que:

“cultura é a lente pela qual os homens vêem o
mundo “.

No sentido clássico do conceito sociológico
podemos dizer que cultura é o conjunto acumulado
de símbolos, idéias e produtos materiais associados
a um sistema social, seja de uma sociedade inteira
ou de pequenos grupos. A cultura possui aspectos
materiais e imateriais. O que os homens fazem na
sociedade é o que torna visível a influência da
cultura.
Dicionário de Sociologia, pg. 59 - Allan G. Johnson -
Jorge Zahar Editores - 1997-RJ.BR
... certamente o modo como nos tornamos
propensos a pensar o pensamento considerado
lógico ou aceitável ( pela educação e pela cultura ),
DETERMINA nossa ação prática.

OBSERVAÇÃO - Jean Piaget dizia:

“… os fenômenos humanos são biológicos em suas
raízes, sociais em seus fins e mentais em seus
meios…”.
ALGUNS DOS EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO
CULTURAL

b) Surgem novas necessidades de consumo e
hábitos. O numero de televisores por 1.000 pessoas
duplicou entre 1980 e 1995.

c) Ocorre uma homogeneização cultural /
mundo unipolar/ modos de vida. A maior indústria
americana está na área de entretenimento. Os
filmes de Hollywood faturaram somente em 1977
cerca de 30 bilhões de dólares.

d) Acentuam-se as
resistência tribais versus
globais – perda da noção de
identidade e em alguns
casos reforço a noção de
pertencimento local
a) Predomínio da língua inglesa como referência
para o mundo dos negócios, das produções
cinematográficas, das principais teses científicas
acadêmicas, do mundo virtual e da difusão
tecnológica.

f) Acentuado etnocentrismo cultural / quem produz
a cultura produz a visão de mundo
OBSERVAÇÃO: - Inglês como língua para todos e
não de todos.
• IMPACTOS ECONÓMICOS E
TECNOLÓGICOS

C) Fim da noção do Estado Nacional e extinção das
fronteiras nacionais / ampliação dos mercados e
liberação dos fluxos mercantis.

B) Constituição de Blocos Econômicos (União
Européia, Mercosul, Nafta, Pacto Andino, APEC
NAFTA...) Liberação e regionalização do
comércio.
D) Surgimento do Pós Fordismo, em oposição à
administração científica de Taylor e Fayol e ao
processo de produção em série de Ford. –
JAPANIZAÇÃO e ou TOYOTIZAÇÃO DOS
PROCESSOS PRODUTIVOS.

E) Mudanças significativas no mundo do trabalho, –
DESEMPREGO ESTRUTURAL.
DECLARAÇÃO DA OEA

.... Reafirmamos nosso compromisso com a
Declaração da OIT sobre os princípios e direitos
fundamentais do trabalho...
10. Reafirmamos nossa convicção de que o trabalho
honrado e o instrumento mais eficaz para a
melhoria das condições de vida...

13. ... Em muitos lugares o aumento do
desemprego, a deterioração das condições de
trabalho e a queda do poder aquisitivo
contribuem para o agravamento das
desigualdades...

14. ... Reparamos que as políticas implementadas
em nossos países ante o processo de
globalização não logram manter ou reativar o
nível de empregabilidade esperados...
Assim sendo...,
... Reconhecemos a necessidade de implementar as
ações em matéria de geração de postos de
trabalho expressadas nas Declarações das
Cúpulas das Américas e recomendamos...

... Os governos devem assumir com o apoio da OIT
o emprego / trabalho como uma preocupação
central...

FONTE: OEA / Organização dos Estados
Americanos
CIDI/ Conselho Interamericano de Desenvolvimento
Integral

In XIII Conferencia Interamericana de Ministros do
Trabalho
Setembro/2003 Salvador Brasil
F) - RECONCETRAÇÃO DA PRODUÇÃO DE
SABERES TECNOLÓGICOS
Na Comunidade Européia cerca de 30% dos
estudantes universitários estão nas áreas de
engenharia, microeletrônica, robótica, mecânica,
precisão, biotecnologia, no Brasil o numero não
chega a 3%.

Nos Estados Unidos, Alemanha e Japão existem 25
profissionais da era tecnológica para grupo de
1000 trabalhadores, enquanto no Brasil não
chega a 1. O quadro da América Latina e ainda
mais grave.

In. Desafios Tecnológicos e Impactos Sócio
Econômicos. Frederico Jayme Katz e Abraham
Sicsu. UNICAMP. SP.
G) - Produtos com ciclo de vida cada vez menor e
baseados em intensa tecnologia
H) - Padronização dos produtos e estratégia
unificada de marketing destinada a criar e
reforçar a marca global junto aos consumidores
( tênis Nike, Big Mac, etc.) …

I) - Sistemas de produção descentralizadas –
Produção Flexível, com plantas móveis, com o
benefício e o uso das vantagens comparativas
internas dos países ( mão de obra barata, acesso
a recursos e matérias primas, sistemas cambiais
e fiscais, etc.…)

J) - Novo papel das empresas transnacionais e
novos padrões de estratégias e políticas
indústrias nos territórios

L) - Sistemas de gestão baseados em novas formas
de Administração / Kan Ban, Just in Time, Total
Quality Control – TQC – Reengenharia Produtiva

M) - Internacionalização do Capital – capitais
voláteis em tempo real, fusão de empresas e o
surgimento de conglomerados globais para
operar com escala mercadológica.
5. ASPECTOS SOCIAIS

A) Crescimento do desemprego estrutural. A
globalização não beneficia a todos da mesma
forma. Uns podem ganhar, outros certamente
vão perder, outros vão perder ou ganhar pouco
ou muito. Esta é a regra do jogo. Em relação ao
trabalho a mão de obra menos qualificada é
descartada, fica como reserva de mão de obra, o
que reduz em termos médios o valor real dos
salários em todo o mundo. Os países apenas
exportadoras de matérias primas e recursos não
agregados com tecnologia de ponta são os que
mais perdem em seus mercados internos, pois a
importação de produtos tecnológicos, reduz a
infra-estrutura interna de produção e impacta a
mão da obra e o nível de emprego.
B) Reconcentração da riqueza – Segundo Relatório
da ONU sobre o IDH – Índice de
Desenvolvimento Humano, comprova-se que a
globalização está concentrando mais a riqueza,
entre pessoas, empresas e países. Questões de
economia política podem explicar em relação aos
países o fenômeno de forma simples.

- Os paises mais ricos continuam a subsidiar sua
agricultura, basicamente de minifúndio e com
forte agroindústria, inviabilizando as exportações
dos mais pobres ou reduzindo drasticamente o
seu volume, além de apresentarem barreiras de
toda ordem, como fitosanitarias.
- Os países mais desenvolvidos continuam a
controlar as patentes e as invenções, questão
central num ambiente de produto-conhecimento,
valor, custo, benefício, enquanto os países
pobres apenas são receptáculos destes produtos
e não dispõem muitas vezes de capacidade
técnica, operacional e científica para a produção
de determinados produtos.

Exemplo: Caso de epidemia e produção de vacinas.
Dentre outros.

J) Redução dos benefícios sociais – reforma dos
sistemas de previdência, reformas fiscais,
reformas trabalhistas, precarização dos sistemas
de proteção social.

D) Redução dos níveis de mobilidade social
Vide dados estatísticos da ONU CEPAL que
apontam que

... No ano de 2004, 96 milhões de pessoas, ou seja
18,6% da população da América Latina, se
encontrava em situação de pobreza absoluta,
enquanto o número de pobres, incluindo os
extremos, estão em 222 milhões, ou seja, 42,9%
do total de habitantes da América Latina...

WFP / programa Mundial de Alimentos / ONU. Fome
e Desnutrição nos paises. CEPAL. 2005. Pg. 8.

E) Crescente hegemonia dos processos
tecnológicos associados à produção.
... A terra, o trabalho e o capital foram durante
séculos os principais fatores de produção
agrícola, mas a incorporação de ciência,
tecnologia e informação ao seu processo
produtivo, tem conduzido o setor a horizontes
jamais imaginados...
... o aumento da extensão da área de cultivo deixou
de ser o elemento exclusivo de crescimento
agrícola, uma vez que o uso intenso de
tecnologia aumentou a produtividade...

... a terra se transformou em terra/matéria, para
terra/mercadoria...

In. Milton Santos, o Espaço Dividido. RJ, Ed.
Francisco Alves, Coleção Ciências Sociais, 1986.

F) Mudança da matriz de custos operacionais que
invertem a lógica dos fatores de produção e dos
custos tradicionais/.
- Segundo dados do Banco Mundial de 2002, cerca
de 2/3 dos gastos das principias empresas
transnacionais, responsáveis por mais de 70%
das operações econômicas, se dão na área de
serviços, tais como: seguros, serviços contábeis,
segurança, softwares, design, marcas e
desenvolvimento de patentes, pesquisas.
In. Relatório do Banco Mundial, 2002. NY /
Assimetrias Econômicas e Sociais

G) Poucos países, onde residem cerca de 15% da
população global, produzem todas as tecnologias
e inovações em curso. Uma segunda parte esta
apta a adotar estas tecnologias e cerca de 1/3
vive tecnologicamente marginalizada.
In. Elian Lucci, A Era Pos Industrial e a Sociedade
do Conhecimento. Ed. Saraiva. SP. 2001.
6. ASPECTOS POLÍTICOS INSTITUCIONAIS

A) Surgimento da teoria do Estado Mínimo como
modelo de gestão do aparelho público de estado,
com redução do nível da atividade estatal,
incremento as privatizações, desregulamentação
a nível nacional das economias, liberação dos
mercados.

B) Crescente perda de credibilidade dos processos
políticos em substituição a visão economicista.
Perda de poder por parte dos estados nacionais,
crise do Welfare State ou Estado do Bem Estar
Social.

C) Fragmentação dos territórios com o surgimento
de novos países. O local, o regional, o nacional,
enquanto territórios reproduzem relações de
poder em escalas diferenciadas conformadas às
estruturas simbólicas e econômicas
hegemônicas.
D) Supremacia da economia de mercado sobre a
política da economia. Dimensão política e social
do capital globalizado.

E) Multipolarização das áreas de influência globais.
Divisão Internacional do Trabalho. Hegemonia
dos países do G7, com alta influência dos
Estados Unidos, Japão, Alemanha e a
emergente China.

F) Conflitos étnicos, políticos, multiculturais,
religiosos / ocidente / oriente.
1. ADVENTO DA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO –
UMA NOVA VISÃO SOBRE A CIÊNCIA, A
EDUCAÇÃO E SEUS USOS

a) Redimensionamento do conceito de tempo e de
espaço como conseqüência da evolução
tecnológica associada à informação em tempo
real.

b) Conceito de Giddens

... sociedade do conhecimento impõe as
pessoas à necessidade de que cada vez mais
possam filtrar, interpretar, modificar e corrigir
o pensamento. Pessoas abertas a formular
novas e possíveis relações sociais, de
trabalho, de interação, com novos valores e
paradigmas...
In. As Conseqüências da Modernidade. UNESP. SP.
1991
c) Teoria da Complexidade informa que a
complexidade é HOLOGRAMÁTICA, OU SEJA,
NÃO SE PODE ATRAVÉS DE UM ÚNICO
PARÂMETRO TER A DIMENSÃO COMPLETA
DA REALIDADE.

d) A REALIDADE É PRESSUMIDA E COMPLEXA
EM SI MESMA.

e) OS FENÔMENOS NÃO SÃO COMPLEXOS SE
O OBERVADOR NÃO OS VÊ ASSIM.
CONTAR UMA BROMA:

1. Caso Argentino; Comam ervas, milhares de vacas
não podem estar equivocadas –

2. Caso Brasileiro, uma senhora que se negou a
vender toda a sua produção numa feira, alegou a
cliente que não teria mais nada para fazer
durante o resto do dia

f) - Capital físico que era vital a sociedade industrial,
perde lugar para o capital humano, conjunto de
capacitações que as pessoas adquirem e
desenvolvem como habilidades
g) - Sociedade do Conhecimento, está ancorada no
saber a aprender a pensar. O que pode ser
pensar ...

... Pensar é aprender a ser livre, responsável e
honrado.

... Pensar é esforço e inconformismo, para com o
mundo e consigo próprio.

... Pensar é duvidar e criticar, não de forma
presunçosa, senão pelo desejo do bem comum

... Pensar é ter o tempo de poder fazê-lo

... Pensar não é repetir ou reproduzir

... Pensar é ativar o que de nobre há no ser humano

... Pensar é sentir e intuir
... A frase de Descartes não é toda certa, pois não
se trata de apenas penso, logo existo, e sim,
penso, logo vivo.

... Viver é encontrar seu próprio caminho

... e evitar permanentemente a tentação do fácil

... o fácil é não pensar....

Extraído de El Cafe de Los Filosofos Muertos,
Vittorio Hosle e Nora K. Anaya. Madrid. 1998.pg.9.
CONCLUSÕES E OBERVAÇÕES GERAIS

1. A INFORMAÇÃO É HORIZONTAL. O
CONHECIMENTO SE ESTRUTURA
HIERARQUICAMENTE, ENQUANTO A
SABEDORIA DEVE SER UM CONJUNTO.
SABEDORIA CONSTITUI EM SABER
MANEJAR INFORMAÇÕES E
CONHECIMENTOS DE FORMA SISTÊMICA E
FLEXÍVEL

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

1. ‘... EQUIVOQUE-SE RAPIDAMENTE, AINDA A
TEMPO PARA MUDAR DE IDÉIA... “

2. PENSAR O GLOBAL, MAS AGIR NO LOCAL.
GLOCALIZAÇÃO E SUAS INTEIRAÇÕES
SISTÊMICAS. RELATIVAR POSIÇÕES / CADA
PONTO DE VISTA PARTE DE UM PONTO.
3. DIFERENCIAR PLANO DE PROCESSO. PLANO
É ESTÁTICO, PROCESSO É ABERTO.
ATITUDES REFLEXIVAS SOBRE O QUE
ESTAMOS FAZENDO, COMO E PORQUE /
QUAIS SÃO OS MEIOS E OS FINS
PROPOSTOS.

4. VALORES E PRINCÍPIOS SÃO REGRAS
BÁSICAS DE UMA SOCIEDADE BASEADA NO
DESENVOLVIMENTO E NO CONHECIMENTO

5. QUATRO PILARES DA NOVA EDUCAÇÃO NA
SOCIEDADE DO CONHECIMENTO:

A) APRENDER A CONHECER

B) APRENDER A FAZER

C) APRENDENDO A VIVER EM CONJUNTO

D) E APRENDENDO A SER.

( In/ Comissão Internacional Educação / ONU. Dr.
Jacques Delors.)
A) APRENDENDO A CONHECER, SIGNIFICA
TREINAR OS MÉTODOS PARA DISTINGUIR O
REAL DO QUE PODE SER ILUSÓRIO,
OBJETIVANDO ALCANÇAR A QUALIDADE DO
QUE PODE SER TRANSMITIDO. ESPÍRITO
CIENTÍFICO, PRESSUPÕE PERMANENTE
QUESTIONAMENTO EM RELAÇÃO AOS
FATOS, AS IMAGENS, AS REPRESENTAÇÕES
E AS FORMALIZAÇÕES EM GERAL. FAZ-SE
NECESSÁRIO ESTABELECER AS PONTES
ENTRE AS DIFERENTES DISCIPLINAS E
EFETUAR UMA ABORDAGEM
TRANSDICIPLINAR

B) APRENDENDO A FAZER, IMPORTA NA
ESPECIALIZAÇÃO DE UMA ÁREA TÉCNICA
CIENTÍFICA, POREM COM ATITUDES
CRIATIVAS E PRÓ-ATIVAS, PARA
COMPRENDER AS MUDANÇAS E PODER
ANALISÁ-LAS
C) APRENDENDO A SER. SABEMOS QUE
EXISTIMOS COMO MATÉRIA BIOLÓGICA,
MAS PRECISAMOS TRANSCENDER A
DICOTOMIA, ESPÍRITO MATÉRIA. EDUCAÇÃO
ABERTA PARA A TOTALIDADE DO SER
HUMANO E NÃO APENAS PARA UMA DE
SUAS PARTES.
6.- NA ERA DO CONHECIMENTO, APRENDIZADO
OU INOVAÇÃO PERPETUA, AS HABILIDADES
E CAPACITAÇÕES ADQUIRIDAS E A
GERAÇÃO DE NOVOS CONHECIMENTOS E O
QUE SEPARA PESSOAS, PAÍSES E
ORGANIZAÇÕES
7.- DESENVOLVIMENTO DE CIÊNCIA E
TECNOLOGIA IMPORTAM EM
INVESTIMENTOS EM SISTEMAS COM BASES
EM PESSOAS EDUCAÇÃO E
INFRAESTRUTURA

8.- CRESCE A DISTÂNCIA ENTRE A ERA DO
CONHENCIMENTO/ PÓS MODERNIDADE E A
ERA DE UM TEMPO PASSADO/
MODERNIDADE.COMPLEXIDADE DOS
SABERES E DOS FAZERES.
9.- DISTINGÜIR CADA VEZ MAIS INFORMAÇÃO
DE CONHECIMENTO.
... UM CONJUNTO DE COORDENADAS DE UM
NAVIO SÃO AS INFORMAÇÕES, A
HABILIDADE PARA USAR ESSAS
COORDENADAS TRATA-SE DE
CONHECIMENTO...
In. Na era do Capital Humano. Richard Crawford.

10.- EXCESSO DE INFORMAÇÃO PRODUZ
ESQUECIMENTO. UMA PESSOA DO MUNDO
ATUAL PODE TER ACESSO A UM CONJUNTO
DE INFORMAÇÕES QUE UM SUJEITO DA
IDADE MÉDIA PODERIA LEVAR A VIDA
INTEIRA PARA OBTER APENAS 30%. EVITAR
O STRESS INFORMATIVO.
11.- DIANTE DA INOVAÇÃO, NAS SUAS
DIMENSÕES TECNOLÓGICAS,
ORGANIZACIONAIS, INSTITUCIONAIS E
MATERIAIS, FAZER CIÊNCIA IMPLÍCA EM
DISTINGÜIR O MODO, DA MODA. EXIGE NA
ATUALIDADE NOVOS MARCOS CONCEITUAIS
PARA TAMBÉM DISTINGÜIR AS VARIÁVEIS
TRANSITÓRIAS E AS PERMANENTES.

OBSERVAÇÃO: AS IDÉIAS DO PASSADO NOS
AJUDAM A COMPREENDER O PRESENTE,
MAS TEREMOS QUE DE ALGUMA FORMA
APRENDER A CONSTUIR AS IDEIAS AÇÕES
QUE PODERÃO GOVERNAR O FUTURO.
PENSAMENTO FINAL PARA REFLEXÃO

O FUTURO NÃO É RESULTADO DE ESCOLHAS
ENTRE CAMINHOS ALTERNATIVOS
OFERECIDOS PELO PRESENTE, MAS UM
LUGAR QUE É CRIADO PRIMEIRO NA
MENTE E VONTADE, DEPOIS NA AÇÃO.

O FUTURO NÃO É UM LUGAR PARA ONDE
ESTAMOS INDO, MAS AQUELE QUE
ESTAMOS CRIANDO.

OS CAMINHOS QUE CONDUZEM A ELE NÃO
SÃO ENCONTRADOS AO ACASO, MAS
CONSTRUÍDOS, E A AÇÃO DE CONSTRUÍ-
LOS MODIFICA AMBOS, O CONSTRUTOR E
O DESTINO.

JOHN SCHAAR
OBRIGADO.

Contatos:

JOSÉ CARLOS RASSIER
rassier@abm.org.br
Tel. (61) 3226-9520

EGP - ABM