You are on page 1of 6

ELETROTERAPIA

LASER AsGa (infravermelho, invisível, comprimento de onda 904 nm) Estimulam fotorreceptores, citocromos q estão presentes em células mitocondriais e na membrana celular. Incrementa a fosforilação oxidativa mitocondrial e por conseqüência aumenta a síntese de ATP necessária para a bomba NaK expulse o sódio extra que desequilibram o potencial da membrana, com a normalização do potencial ocorre aumento do numero de mitoses causando ação regenerativa favorecendo a revascularização. Mudança significativa na síntese de DNA-RNA. ENERGIA LASER A 904 nm, o laser é fornecido de modo pulsado por causa do calor produzido na junção dos cristais de diodo. A taxa na qual a energia laser é produzida é medida em joules por segundo, conseqüentemente em watts (1w=1J/s). A maioria dos lasers usados na fisioterapia possui potencia de saída em miliwatts. Quando a radiação é aplicada em ângulos retos e em contato com a superfície, a reflexão é mínima, portanto, a penetração é maximizada. Embora as radiações divirjam de alguma forma no tecido com a distancia e considerável espalhamento, a área tratada deve ainda ser pequena. DEFINIÇÃO Amplificação luminosa pela emissão estimulada de laser. Refere-se a produção de um feixe de radiação que se diferencia da luz comum pelas seguintes características: • • Monocromaticidade: possui um comprimento de onda específico único e desta forma uma freqüência definida. É produzida uma única cor. Coerência: a radiação laser não possui apenas o mesmo comprimento de onda, mas tbm a mesma fase, o q qr dizer q os picos e vales dos campos elétrico e magnético ocorrem todos ao mesmo tempo = coerência temporal. Além do mais eles tão viajando todos na mesma direção = coerência espacial. A distancia na qual os comprimentos de onda permanecem em fase é chamada extensão de coerência. Ela varia de menos de um milímetro a centenas de metros. Colimação: como conseqüência da coerência espacial os lasers se mantem em um feixe paralelo. Como a radiação não diverge, a energia é propagada por distâncias muito longas.

comprimentos de onda diferentes poderiam ter um efeito “tudo ou nada” (limiar fotônico) em células especificas. no futuro. por sua vez. que podem fornecer um modo.1999). e a extensão da dor e do edema é diminuída. de se alvejar estas células. Fatores adicionais envolvidos na aceleração da cicatrização de tecidos por laser podem incluir um aumento considerável na formação de colágeno. Desta maneira. maior celularidade e mais fibroblastos melhor organizados na freqüência de pulso de 700Hz. histaminas. CONTROLE DE DOR A ação primária da aplicação do laser p/ o controle do edema e da inflamação dá-se mediante a interrupção da formação dos substratos intermediários necessários p/ produção dos mediadores químicos inflamatórios: quininas. Outro fator importante é a freqüência de pulso (Hz). então elas podem ser estimuladas pela luz vermelha. Isto. INDICAÇÕES Cicatrização das feridas Redução da dor Aumento da força de coesão da cicatriz Diminuição da inflamação Cicatrização do osso e consolidação de fraturas . (há uma sugestão q 16Hz é uma freqüência de pulso efetiva p/ a cicatrização de tecidos). por causa disso. CICATRIZAÇÃO DOS TECIDOS “utilizando infravermelho pulsado conseguiu resultados positivos na proliferação de fibroblastos” (Jaegeer. Aperfeiçoa a permeabilidade da membrana celular. Maior contração do ferimento. Sem estes mediadores químicos. prostaglandinas. vasodilatação e síntese de DNA e aumento na produção de RNA. a ruptura do estado homeostático do corpo é minimizada. Um dos maiores determinantes da cicatrização acelerada de ferimentos é provavelmente o comprimento de onda. vários tipos de células tem fotorreceptores diferentes em suas membranas. o fluxo do líquido nos espaços intracelulares seria reduzido.EFEITOS DA RADIAÇÃO LASER NOS TECIDOS Acredita-se que a luz vermelha é absorvida por citocromos na mitocôndria da célula e como todas as células possuem estes citocromos. possivelmente afetada a permeabilidade da membrana celular. que regula a pressão osmótica-hidrostática intersticial. durante o trauma tecidual.

resultando em uma disfunção celular que poderia incluir uma perda da divisão celular. O sódio tende a se acumular na célula. por causa de uma diminuição na bomba de sódio durante o processo inflamatório. CALOR: aumenta o metabolismo – aumenta os produtos do metabolismo – dilatação de pequenos vasos sanguíneo – aumenta o fluxo sanguíneo local Efeito fisiológico do OC pulsado O mecanismo de sua efetividade teoricamente ocorre a nível celular. aumento da filtração e da difusão através de diferentes membranas. a bomba de sódio é reativada. .vasodilatação – eliminação da linfa levando aumento da capacidade de reabsorção dos líquidos. O OC pulsado repolariza as células danificadas. relaxamento muscular. dilatação dos vasos sanguíneos. CALOR: diminui a viscosidade – aumenta a extensibilidade do colágeno – diminui a rigidez articular – alongamento do tec fibroso. alteração do limiar de dor e aumento da recuperação da lesão. Aumento da temperatura tecidual. CALOR: aumenta o metabolismo – aumenta a atividade celular – aumenta reparo da cicatrização. permitindo. Teoria da somação: Em freqüências baixas da aplicação = o efeito atérmico persiste mais que o calor . elevação da taxa metabólica tecidual. desse modo. corrigindo. alterações nas propriedades físicas dos tecidos fibrosos. A transferência da energia se dá pelo método capacitivo (campo elétrico alternado entre 2 placas capacitivas) Efeitos fisiológicos do OC contínuo (térmico) Os efeitos fisiológicos do OC contínuo e do microondas são sobretudo térmicos. que a célula recupere o balanço iônico normal. Aumento da temperatura dos tecidos – aumento da circulação . (segundo PRENTICE). Qdo um campo eletromagnético é induzido. da proliferação e da capacidade regenerativa. criando-se um ambiente negativamente carregado. mudanças nas reações enzimáticas. As células lesadas sofrem por uma despolarização. relacionando especialmente ao potencial da membrana celular. resultando da vibração molecular de alta freqüência. a disfunção celular. Campo eletromagnético. aumento do fluxo sanguíneo.a freqüência de repetição baixa e intervalo largo – não produz calor.ONDAS CURTAS Eletroterapia de alta freqüência. diminuição da rigidez articular.

CP: modulada em curto período. MF: monofásica fixa. diminuição da permeabilidade das membranas lipoprotéicas. derivação dos fluidos dessa região. O MO não penetra tão profundamente qto o OC. Corrente alternada de 50 Hz retificada em semi-onda. Analgesia pela teoria das comportas da dor. usa-se um campo magnético alternado para gerar o campo eletromagnético. LP: modulada em longos períodos. ocorrência tbm na permeabilidade da membrana celular. remoção de irritantes pelo aumento da circulação. DIFERENÇAS ENTRE O OC e o MO: • • • O MO produz um campo elétrico q gera calor em virtude da resposta dipolar dentro da membrana celular. mesclada com uma segunda forma de MF. forma de corrente MF. diminuição da excitabilidade tecidual diminuindo a taxa metabólica do tecido e reduzindo a dor (efeito analgésico por elevação do limiar da dor). O OC produz campo magnético. O aquecimento é causado pela vibração intramolecular das moléculas que são altas em polaridade. em fases sucessivas. supressão da dor por meio de endorfinas e encefalinas estimuladas neurologicamente. os intervalos diminuem = a partir de um certo ponto (freqüência maior q 82hz) a temperatura final não atingirá 0 e o calor começará a aparecer. sem intervalos.Ao aumentar a freqüência. Diminuição da inflamação e do edema devido ao aumento da ação de bombeamento muscular e da circulação local. (PRENTICE). MICROONDAS Método indutivo. retificada em onda completa. Eletrodo positivo (vermelho) Coagulação. CORRENTE DIADINÂMICA DE BERNARD – CDB’S DF: difásica fixa. variando sua amplitude entre 0 e o valor estipulado no equipamento. o OC pode ser colocado em contato com a área de tto. . usando-se uma bobina. corrente alternada de 100Hz. cuja a fase está deslocada em uma semi-onda. É exigido um espaço entre a pele e o aplicador do MO. em formas de corrente MF e DF.

A. Aumenta o fluxo sanguineo Aumenta a liberação de Na OH Aumenta o pH. bom como p/ cicatrização do tecido.Analgesia: por dissociação iônica Excitabilidade diminui Estimulo mto forte p/ deflagar um P. a vibração aciona as partículas do meio. A resposta da cavitação e a correnteza acústica pode ser a síntese de colágeno. .A. Todas essas respostas ajudam no processo de cicatrização. serotonina e histamina que farão a limpeza do tecido lesado iniciando o processo de reparo. aumento da atividade dos fibroblastos. Diminui o pH (aumenta a liberação de HCl) Eletrodo negativo (preto): Ocorre liquefação (acumulo de líquidos nessa região). ULTRA-SOM Converte corrente elétrica em vibrações mecânicas. Esse efeito facilita o transito de cálcio. aumento da permeabilidade das membranas lipoprotéicas (favorecendo maiores trocas entre o meio intra e extracelulares. essencial p/ o tecido de granulação. potássio e de outros íons p/ dentro e fora da célula. aumento dos líquidos extracelulares (linfa e sangue). Efeito atérmico: Fluxo de bolhas nas correntes acústicas provocam alterações da permeabilidade da membrana celular e das taxas de difusão através da membrana celular. Efeito térmico: Analgesia e efeito antinflamatório através do efeito das ondas sonoras que farão microtrauma na região aumentando a permeabilidade da membrana celular liberando assim. A histamina provoca uma vasodilatação ocorrendo um incremento da microcirculação eliminando substancias algogênicas. (PRENTICE) Estimulação Excitabilidade aumenta Estimulo mínimo pra acontecer a P. produzindo ondas por compressão e descompressão. como tbm aumento na fuga leucocitária e melhorando as trocas gasosas ao nível tecidual) e aumento da excitabilidade tecidual aumentando o metabolismo de forma inespecifica.

Efeitos sobre a circulação: dilatação capilar. aumentado o fluxo sanguíneo. aliviando a câimbra muscular. remove o acido lático. Aumenta a flexibilidade e a coordenação.MASSAGEM EFEITOS FISIOLÓGICOS: Estimulação mecânica dos tecidos por meio de pressão e alongamento. e tbm o limiar de dor. diminui a excitabilidade neuromuscular. facilita a cicatrização e restabelece a mobilidade articular. dispersão dos produtos residuais e aumento de sangue novo e oxigênio. . estimula a circulação melhorando o transporte de energia pra os músculos. aplicados ritmicamente. Efeitos sobre a dor: através das comportas da dor e da liberação de beta-endorfinas.