You are on page 1of 6

GEOGRAFIA – COLÉGIO TIRADENTES – PROFESSOR WELTHER

FONTE: http://www.google.com.br – VISITADO DIA 01/04/2012

As ondas de força provocadas por tal movimentação são transmitidas às outras camadas componentes da massa do planeta até atingir a superfície na forma de tremores. escala esta utilizada para medir a força dos terremotos. a “casca” do nosso planeta.Placa Africana . que estão situadas nestas áreas.6 graus na Escala de Richter. esfera. assim como o núcleo terrestre. dificilmente notados pelo observador casual. recebem maior impacto destes terremotos.Placa Antártida .Placa de Cocos . Regiões habitadas. A ruptura no solo faz com que. os terremotos também ocorrem com igual freqüência (na casa dos milhares). Isto ocorre. Muitos vulcões se formam nestas regiões de convergência entre placas.Placa Norte-americana . em constante movimento. portanto. está sempre em movimentação.Placa das Caraíbas . Estas placas tectônicas estão em constante movimento. mas sim irregular e composta por placas tectônicas. o magma terrestre escape. dando “esfera rochosa”). Mas certas regiões da Terra possuem maior propensão que outras a sofrer terremotos de grande intensidade.Introdução O planeta Terra é coberto por uma camada formada por terra e rochas chamada de crosta terrestre ou litosfera. inevitavelmente chocam-se. Estas placas não são fixas.Placa de Nazca . rocha. o terremoto de maior intensidade já registrado foi o de Valdivia. no EUA. atingindo a superfície. Isto se explica por tais regiões estarem exatamente em cima de alguma das placas tectônicas. pois estamos distantes das zonas de impacto entre placas. As placas tectônicas estão. do México.Placa Sul-americana Terremoto ou sismo é um fenômeno que acontece devido à movimentação que ocorre no núcleo do planeta Terra. imerso em altas temperaturas.Placa do Pacífico . De acordo com os geólogos. e devido a este movimento. em 1960.Placa Australiana . de 9. no Chile. Até hoje. muitas vezes. e o estado da Califórnia. . e “sphaira”. existem 52 placas tectônicas em nosso planeta.Placa Indiana . Tais placas constituem a litosfera terrestre (do grego “lithos”.Placa Juan de Fuca . como o arquipélago japonês. O Brasil está situada na parte interna da Placa Sul-Americana. ou seja. os tremores de terra sentidos em nosso país são considerados de grau baixo. áreas da China. pois estão sob o magma (rocha fundida de alta temperatura). Os tremores iniciam-se no núcleo do planeta e chegam até as chamadas “placas tectônicas“. Assim temos as áreas que ficaram famosas por terremotos igualmente letais e intensos.Placa da Arábia .Placa de Scotia . São 14 grandes placas e 38 de tamanho menor. Muitos terremotos são ocasionados pela energia liberada pelo choque entre estas placas. Como o núcleo terrestre.Placa das Filipinas . A grande maioria dos sismos são de intensidade mínima. exercendo pressão umas nas outras.Placa Euroasiática . Esta crosta não é lisa e uniforme. Principais placas tectônicas: . As porções de terra que localizam-se exatamente na área em que as placas se chocam receberão um sismo muito maior do que uma porção de terra localizada em qualquer outra área das placas.

As rochas são assim comprimidas. de obra exclusivamente humana. Outro aspecto importante é notar que um tremor em si não causa as tragédias que acostmamos acompanhar pela imprensa. Além dos dois tipos de terremotos naturais. temos microtremores que prenunciam a erupção iminente daquele vulcão. combustíveis fósseis e a construção de canais aquíferos de irrigação e abastecimento. é o resultante de erupções vulcânicas. MOVIMENTOS DAS PLACAS TECTÔNICAS Mapa com as placas litosféricas do mundo . porém menos comum. A falta de infraestrutura. Como exemplo temos os sismos resultantes da procura e extração de minerais. no fim. temos também um terceiro: os sismos induzidos.Os terremotos ocorrem principalmente sobre as arestas das placas tectônicas. Um segundo tipo de terremoto. de maneira direta ou indireta. provocados pela acumulação de magma ao largo da câmara magmática do vulcão. a construção desordenada de prédios. e quando a força de tal compressão é liberada. residências e pontes são. Um ambiente preparado para receber tal fenômeno natural privará seguramente o sacrifício inútil de vidas humanas. o componente letal de todo terremoto.

O atrito entre elas guarda muita tensão. Movimento de deslizamento: é responsável. Um exemplo dessa falha é a de San Andreas. em certos casos. as camadas de rochas elásticas dão origem às cadeias de montanhas. A placa mais densa mergulha para baixo da menos . 1 . com essa característica de formação temos as cordilheiras dos Andes e o Himalaia. em diversas vezes vulcânicas. que corta a costa da Califórnia e o litoral oeste do México. que pode causar terremotos. as placas litosféricas deslizam e às vezes colidem entre si em uma velocidade que oscila entre 1 e 10 cm/ano. ocorre pelo fato de uma placa se locomover sobre a outra.Placas convergentes 1 Essas são as placas que vão uma de encontro à outra. 2 . a seguir os principais: Movimento de convergência: ocorre quando duas placas se chocam e a borda de uma fica debaixo da outra até chegar ao manto. Movimento de afastamento divergentes: consiste no distanciamento entre duas placas. Os movimentos realizados por elas são distintos e variados.De acordo com a teoria tectônica de placas. Movimento de colisão e soerguimento: corresponde ao choque entre duas placas litosféricas.Falhas Transformantes São as criadas por duas placas que deslizam uma ao lado da outra. formando uma lacuna que é preenchida com fragmentos de rochas oriundas do manto em estado líquido. pelos abalos sísmicos.

um produto típico de movimento descendente ou epirogenético negativo é a bacia.Orogênese Os processos orogenéticos resultam da interação entre a placa descendente e as margens continentais ativas. onde existem muitos ou todos os processos formadores de montanhas. 7. todas foram uma vez terremotos montanhosos. usado antes do conhecimento da tectônico de placas. mudanças na configuração da drenagem. Uma faixa orogênica é uma região alongada da crosta.Montanhas produzidas por Falhamentos . terremotos. 4 Placas convergentes 2 Quando as placas têm a mesma densidade. erupções vulcânicas. as placas convergentes são as únicas que se afastam. até hoje. os Alpes. aos processos de construção de montanhas continentais e envolve também atividades associadas. por exemplo. é resultado do choque entre as placas EuroAsiática e Indiana. As regiões onde esse tipo de choque ocorre são suscetíveis a terremotos. uma grande cordilheira. como a Serra do Mar. Pilhas de rochas sedimentares. história. foram no paleozóico. Nos movimentos ascendentes encontramos platôs e soerguimentos continentais. Um orógeno ou faixa orogênica é uma longa e relativamente estreita região próxima a uma margem continental ativa (zona de colisão de placas). 7. elas acabam dando origem a cadeias montanhosas. tais como os Andes. continental. como o Himalaia ou os Alpes de Hoje. a bacia de Michigan. tais como dobramento e falhamento das rochas. o Himalaia e outros. avanço do mar sobre porções continentais. por exemplo. Entende-se como orogenia os processos tectônicos pelos quais vastas regiões da crosta são deformadas e elevadas. preenchida por sedimentos. nasceram do choque entre duas dessas placas. são aí encontradas. tamanho e origem. por exemplo. É o caso do choque entre uma placa oceânica e (mais densa) e outra. As orogenias diferem em idade. intrusões de plútons e metamorfismo. ou algumas formas marcantes do relevo brasileiro. muitas vezes totalizando vários quilômetros de espessura. como. Quando essas placas se comprimem. embora se apresentem como morrarias destituídas do esplendor das grandes cadeias montanhosas. O termo também refere-se. É o termo antigo. Porém. intensamente dobrada e falhada durante os processos de formação de montanhas. A Formação das Cordilheiras Continentais 7. nos Estados Unidos.2 . variação do nível de base de erosão. o platô do Colorado. por exemplo. ou seja. como. O Himalaia. a oceânica de Nazca e a continental Sul-Americana. para formar os grandes cinturões montanhosos.Epirogênese Algumas das conseqüências da movimentação epirogenética são: Variação do nível do mar.densa. 3 Placas divergentes Diferente das demais. Os Apalaches. que está afastando a América do Sul da África. dando origem a ilhas vulcânicas. em que o dobramento figurava como uma das principais características e cujas causas eram desconhecidas. ou a do Parnaíba no Brasil. O oceano Atântico é coryado por uma falha desse tipo. chocam-se e se comprimem. aparecimento de planos de erosão em vários níveis e terraciamento dos vales fluviais. uma depressão geralmente de expressão regional.1 . Os Andes. elas fazem o movimento das placas convergentes 2. entretanto.6 . Pela falha aberta na crosta pode escapar magma.

onde se dá o deslizamento de massas rochosas. pelos abalos sísmicos conseqüentes. são encontradas em áreas sujeitas às mais complexas perturbações. às vezes com intercalações magmáticas. não temos exemplos de elevações produzidas por dobramentos recentes. levantados e expostos à erosão. como também pelas altitudes. muito antigo.com/geografia/os-movimentos-das-placas-tectonicas. significando a ação conjunta dos vários e complexos esforços tectônicos orogenéticos. que por sinal perdura até os nossos dias. pois encontra-se arrasado quase até a raiz. 7. constituída de rochas metamórficas perturbadas e de estrutura bastante complexa. Devido a estabilidade tectônica do nosso país. de onde divergem as dobras. como a Serra do Mar. como também um abaixamento irregular. podendo verificar-se a elevação de blocos numa região baixa. Podem ocorrer flexuras . não somente em área. Cárpatos. As cadeias de montanhas originadas pelos dobramentos possuem vários caracteres em comum. acompanhadas de intensa atividade vulcânica nos processos de formação destas cadeias. O aspecto peculiar a estas cadeias orogenéticas é o da sua construção bilateral. Cáucaso e o Himalaia.htm . entretanto. Pelo fato de se associarem freqüentemente as falhas. Os dobramentos seguem sucessivas fases no tempo. Tais dobramentos.São várias as possibilidades da formação de elevações e montanhas motivadas por falhas. Porém. apresentando formas suaves. mas faltam as deformações plásticas. como acontece com as montanhas dos Apalaches. movimentando massas antigas.brasilescola.pelas suas dimensões. é mais sujeita a ação magmática. podendo gradativamente passar para regiões dobradas. juntamente com Apininos. ou ainda pode dar-se o levantamento geral dos blocos uns mais do que os outros. As montanhas formadas por falhamento podem associar-se às cadeias de dobramento. sendo às vezes altamente desastrosos. A zona central. mas não necessariamente simétricas na intensidade do grau de dobramento. têm relação com o fenômeno do dobramento. arcos suaves e sucessivos. ocupam hoje uma área cuja extensão é consideravelmente menor do que originalmente. Regiões já há muito tempo fixas e estáveis podem sofrer um rejuvenescimento tectônico parcial. Como exemplo clássico desse tipo de estrutura. podem ser citados os Alpes. mostram a estrutura já delineada. Assim.7 . Os dobramentos realizam-se em duas direções opostas. que é. No continente americano citaremos os Andes e as montanhas rochosas fazendo parte da área perturbada pelo tectonismo cenozóico. ou abatimento em áreas elevadas formando as fossas tectônicas. grande e complicados dobramentos. motivo pelo qual freqüentemente se encontra afetada por intenso metamorfismo e intrusões magmáticas. por vezes até de quilômetros de extensão. distante de suas raízes.Montanhas Produzidas por Dobramentos As mais famosas cadeias de montanhas do mundo. em certos lugares ocorrem deslocamentos quase horizontais como falhas de empurrão. As montanhas de falhamento são caracterizadas pelo deslocamento principal no sentido vertical. tanto do ponto de vista geográfico como do sincronismo. As montanhas de serra do Espinhaço. manifestando ao contrário grande assimetria. FONTE:http://www. Essas cordilheiras ainda formam. entre as quais. grandes massas sedimentares marinhas. normalmente.