O SAGRADO NO COTIDIANO OCIDENTAL: CORPO MÍSTICO E ÊXTASE RELIGIOSO1 Cláudia Neves da Silva2 Fabio Lanza3 1 INTRODUÇÃO Os temas corpo

místico e êxtase religioso integram parcela significativa do mundo religioso ocidental e são abordadas neste artigo. É dada ênfase, neste estudo, aos assuntos mencionados no contexto das religiões cristãs católica e as pentecostais. Busca-se confirmar que o vínculo entre a doutrina do corpo místico católico e o êxtase religioso reside no fato de se reforçarem e perpetuarem as religiosidades na sociedade contemporânea ocidental. Os conceitos analíticos sobre a temática religiosa são plurais e não há consenso a respeito deles entre os autores especializados. Em razão disso, definir o que é religião se mostra um exercício teórico parcial, provisório e arbitrário4. Com vistas a superar esse obstáculo epistemológico do campo das Ciências Sociais e da História, foi adotada a contribuição de Otto Maduro, que delimita o referido conceito como:
[...] uma estrutura de discursos e práticas comuns a um grupo social referentes a algumas forças (personificadas ou não, múltiplas ou unificadas) tidas pelos crentes como anteriores e superiores ao seu ambiente natural e social6, frente às quais os crentes expressam certa dependência (criados, governados, protegidos, ameaçados, etc.) e diante das quais se consideram obrigados a um certo comportamento em sociedade com seus “semelhantes”7 (MADURO, 1983, p. 31).

Dessa forma, os estudos sobre a temática das religiosidades e suas instituições implicam reconhecê-las, compreendê-las e interpretá-las, considerando-se o processo histórico-social e o fato de serem permeadas pelos conflitos instituídos nas

1

Elaborado a partir da apresentação oral dos autores em mesa-redonda no Encontro Regional do GT Religiões e Religiosidades/ANPUH ocorrido na UEL/Outubro-2009. 2 UEL, Universidade Estadual de Londrina (Paraná), Doutora do Departamento de Serviço Social, e-mail: claudianeves@sercomtel.com.br, componente do Laboratório de Estudos das Religiões e Religiosidades UEL. 3 UEL, Universidade Estadual de Londrina (Paraná), Doutor do Departamento de Ciências Sociais, e-mail: lanza1975@gmail.com, componente do Laboratório de Estudos das Religiões e Religiosidades UEL. 4 Ver MADURO, 1983. 6 “Poderíamos dizer: cronologicamente anteriores, axiologicamente superiores (e ontologicamente anteriores, superiores e, de algum modo, diferentes de si mesmos e de seu ambiente natural e social).” (Nota de rodapé do próprio autor, preservada a numeração original da obra). 7 “Consideramos, então, qualquer fenômeno social (discurso, rito, conflito, etc) como religioso na medida, e somente na medida, em que tenha sido produzido no seio de um tal conjunto de práticas e discursos, e conserve – implícita ou explicitamente – uma referência afirmativa discernível a tais forças “sobrenaturais” e “sobrehumanas”. (idem à nota anterior).

documentos e discursos não são importantes na relação daquele que crê em Deus. A primeira discussão. ficando excluído o sentido de uma reunião de fiéis. no clero. (MANOEL. nos movimentos. Esses cuidados teóricos são relevantes porque indicam alguns pressupostos para o desenvolvimento da abordagem a seguir. sobre o corpo místico. 53). a expressão é entendida na perspectiva institucional-hierárquica. p. 10). 144). na comunicação dos mesmos sacramentos. expressão do contato direto com o divino. . Ainda com essa perspectiva inicial. nas pastorais. No caso estudado. ao se discutir a ideia de corpo místico. Tal fenômeno recebeu grande visibilidade com o movimento pentecostal. 2 A CONCEPÇÃO DE CORPO MÍSTICO SOB A PERSPECTIVA CATÓLICA: CONCEITO E CONTROVÉRSIAS Preliminarmente. 2004.diferentes formas de organização social. o êxtase religioso. O segundo debate se voltará para a perspectiva que privilegia a emoção individual e coletiva. nas ordens religiosas. É significativo destacar que. na participação do mesmo sacrifício e na observância das mesmas leis. D‟Ângelo: É a Igreja que se manifesta externamente na profissão da mesma fé. na sua composição social e em outros aspectos (GRAMSCI. tendo em vista as formulações históricas cristalizadas por meio dos seus documentos e doutrinas. tem como Cabeça Suprema o Romano Pontífice que a guia a fim de obter o que ela pretende (D‟ÂNGELO. p. atribuiuse fundamental relevância à Igreja Católica enquanto organização e instituição inserida num [. há necessidade de delimitar o termo Igreja Católica.] momento histórico.. cujo corpo doutrinário e teológico privilegia a vivência íntima com Deus. deve-se perceber que as diferenças na Igreja Católica são encontradas tanto nas visões teológicas quanto em sua organização. Deus se faz presente na vida do crente.. e essa nova forma de auto-entendimento permanecerá em vigência até ser substituída por outra. segundo eles. do “povo de Deus”. Para que seja visível a todos. p. 1991. 1978. a qual contempla dois trajetos para discutir os temas propostos: corpo místico e êxtase religioso. isto é. origem das centenas de Igrejas Pentecostais no Brasil. Utilizando a formulação de Pe. Para seus líderes espirituais. pelo batismo no Espírito Santo. gerada nas suas próprias contradições internas e externas. estabelece suas tarefas e estratégias de ação e reordena sua política interna em função de seu projeto político e pastoral externo. é feita a partir de uma ótica institucional católica. a hierarquia eclesiástica) define um conceito de Igreja. onde o Papa (entenda-se.

.] verdadeira tábua de salvação [. Encíclica Papal e artigos de componentes do clero ou militantes tradicionalistas católicos. "não viver neste corpo único. Dentre as polêmicas que envolvem sua biografia. 1936-1939 (MANOEL.5 A postura do Vaticano. ou da Fé. de 1943. 2004). pois.. Eugenio Maria Giuseppe Pacelli (1876-1958) foi o último pontífice e artífice que trabalhou com os princípios e ideais oriundos do Concílio Vaticano I (1870). Oliveira chegou a afirmar que o pronunciamento papal sobre a doutrina da Igreja. reforçava a ideia de que a Igreja Católica. é. Com esse recorte. p. Em seu governo papal. e o “silêncio do papa” frente ao nazismo e ao holocausto dos judeus.. De ordinário. interpolações de terceiros.pliniocorreadeoliveira. Essa relevância pode ser observada em virtude do cuidado despendido na elaboração e na divulgação do documento. e a cuidadosa divisão do texto em partes. A Encíclica Corpo Místico (1943) tratou de temática de suma importância para a Igreja Católica e reafirmou inúmeras características institucionais que se perpetuaram ao longo dos séculos. Este cuidado transparece sobretudo através de dois indícios: a tradução diretamente feita pelo próprio Vaticano. Acesso em: 07 out. o debate sobre o corpo místico tem como ponto de partida a Encíclica Papal Mystici Corporis de Pio XII. sofria com os inúmeros perigos oriundos da expansão do socialismo soviético e com a consolidação da modernidade secular e liberal. privilegiaram-se análises e informações vinculadas a fontes oficiais com dados extraídos do sítio oficial do Vaticano.Por conta disso. houve ainda o envio de sua felicitação aos espanhóis pela vitória do General Franco na Guerra Civil Espanhola. 2009. (OLIVEIRA. assim como a Civilização Ocidental. não só para o português como também para outros idiomas provavelmente. nem do seu único Espírito divino". 1). 1943. . títulos e subtítulos de forma a evitar.htm>.] Afastar-se da senda da verdade. sob pretexto de maior clareza. Apresentando uma biografia controvertida.. a infalível autoridade do mesmo e a incondicional adesão à Igreja era a: [. reconhecida por Plínio Corrêa de Oliveira (político e católico conservador brasileiro). consta a assinatura do Tratado de Latrão ― em 1928. com o Estado Fascista de Mussolini enquanto Cardeal e Secretário da Cúria Romana. 5 Disponível em: <http://www. a Santa Sé só toma estas precauções com documentos de grande valor.info/LEG%20431024_MysticiCorporisChristi. em que não quer de modo algum deixar aberto o menor e mais longínquo pretexto para deformações.

pois. 1).. à Teologia da Libertação. com uma estratégia centrada mais no discurso do que na ação. admirar e amar ainda mais a Santa Igreja Católica. Para isso. fazem sair do Corpo Místico os que erram.. p. Plínio Corrêa de Oliveira. que. de que as Concordatas são exemplos. Como não compreender. devem ser entendidas sob a ótica institucional explicitada acima. . ao expressado pela Igreja representava os suspiros da perspectiva ultramontana abalada e arquivada pelas mudanças decorrentes do Concílio Vaticano II que se realizou entre 1962-1965. na América Latina. 1943. além de. por meio do desenvolvimento dos programas da Ação Católica. (MANOEL. A discussão sobre o conceito de corpo místico e a proposta do Papa Pio XII. o infalível Papa. Que de pior? (OLIVEIRA. Família e Propriedade. A adesão do fundador da Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição. mais premente.] Não sei de coisa mais urgente. a conversão da doutrina em política. 2004. que acabaram por gerar as contradições que levaram ao Concílio Vaticano II e. (OLIVEIRA. Compreendendo a origem dessa relevância. em certas questões. Manoel (2004) apresenta três períodos históricos que indicam as mudanças e permanências dessa fase: 1º momento: de Pio VII (1800 – 1823) a Pio IX (1846-1878). deu passos decisivos para o estabelecimento de uma política de intervenção católica na realidade concreta. [. produzindo este resultado paradoxal: afastam. depois da luminosa e claríssima doutrina ensinada pelo Santo Padre Pio XII sobre o Corpo Místico de Nosso Senhor Jesus Cristo. que corresponde à consolidação da doutrina conservadora. p. como a ideia de democracia. 2º momento: pontificado de Leão XIII (1878-1903). 3º momento: de Pio X (1903-1914) a Pio XII (1939-1958). por meio de sua encíclica. mais atual. p. é possível notar os elementos doutrinários e institucionais dos discursos conservadores católicos na segunda metade do século XX e XXI. bem como pela historicização dos momentos vivenciados por essa instituição nos séculos XIX e XX. do discurso em práxis. Tratou-se de difundir uma adesão incondicional à Igreja enquanto corpo místico de Cristo e a seu guia maior na Terra. 12). do que inculcar nos fiéis uma ardente devoção à Santa Igreja. Essa leitura de Plínio Correa de Oliveira é uma síntese da importância ultramontana dada à Encíclica Corpo Místico. demonstrar menos restrições. 1943. 1).Os erros sobre o Corpo Místico acabam. em 1960. que é a própria Igreja Católica! A Igreja Católica é o maior tesouro que Nosso Senhor deu aos homens. sem abandonar a doutrinação contra o mundo moderno.

. em sua introdução. de forma abstrata e descompassada com a realidade sociocientífica do século XX. valorização da colegialidade episcopal etc. com posições políticas à esquerda. p.. no entanto. “numa interpretação comum. No plano ad intra da instituição. muitas vezes no cotidiano há uma mistura e não é raro alguém assumir posturas conservadoras em assuntos religiosos e progressistas em assuntos seculares. “a doutrina do Corpo Místico de Cristo. 1). que é a Igreja” (1943. com suas respectivas visões de mundo e eclesiais: conservadores. Desafios da Igreja Católica e política no Brasil. ou setores. Ele assentou. Acesso em: 07 out.. A inspiração de Pio XII está em Leão XIII. apostólica Igreja romana – 6 Disponível em: < http://www. p. a comprovação da análise de Manoel (2004) quanto ao último período pré-Concilio Vaticano II. 2003. entre outros aspectos. da disciplina. In: Instituto Nacional de Pastoral (org. Muitas características clássicas conservadoras estavam na doutrina e na prática da Igreja. reacionárias. o naturalismo vulgar que não vê nem quer reconhecer na Igreja de Cristo senão uma sociedade puramente jurídica. A análise do contexto indicado por Pio XII reforça a ideia de que o catolicismo oficial e vinculado à hierarquia romana vivia uma transição do Ultramontanismo para uma configuração progressista 7. por outro lado grassa por aí um falso misticismo que perverte as Sagradas Escrituras.] [devido às] circunstâncias atuais da humanidade” (1943. ´progressista´ corresponde à defesa de reformas profundas. fundamentalistas.). enquanto por um lado perdura o falso racionalismo que tem por absurdo tudo o que transcende e supera a capacidade da razão humana. por exemplo – acabaram por forçar mudanças doutrinárias e mesmo teológicas. São Paulo: Paulinas. democráticas.. e progressista pode significar a defesa de orientações modernas. A Carta Encíclica Mystici Corporis: o corpo místico de Jesus Cristo e nossa união nele com Cristo6 trouxe. e com ele outro erro parecido. p.. a sua diretriz de que a Igreja Católica é a “verdadeira Igreja de Cristo – que é santa. Segundo Pio XII. 2) A autocompreensão expressada por Pio XII coloca a doutrina e a instituição católica acima de qualquer suspeita e questionamento. Luiz Eduardo W. 2004.A partir dessa compreensão e desse recorte temporal.html>. torna-se viável debater sobre a doutrina católica expressa por intermédio do Papa Pio XII em 1943. 12). 461). centrado no Vaticano II e em Medellín. 7 Colaborando para uma maior distinção conceitual. 1943. com posições políticas à direita. 2009. do tradicional. sem que isto esgote todo o repertório de posições de ambas as partes. conservador pode significar a defesa de orientações tradicionalistas. fixação no Vaticano I. p. Presença pública da Igreja no Brasil (1952-2002).” (MANOEL.va/holy_father/pius_xii/encyclicals/documents/hf_pxii_enc_29061943_mystici-corporis-christi_po. ou vice-versa. p. mas a atuação “do laicato e seu maior engajamento junto à população e seus problemas. pretendendo remover os limites intangíveis entre as criaturas e o Criador (PIO XII. há forte incidência negadora da modernidade e o reforço da doutrina do corpo místico – a Igreja: [. moderados e renovadores" (WANDERLEY.vatican. por isso. de inovações. 1) é algo importantíssimo.] de fato. „conservador‟ corresponde à defesa da manutenção da ordem. Alguns preferem uma terminologia que caracterize alas. . católica. especialmente “a parte relativa à Igreja Militante [. integristas.

Toda essa formulação é muito bem aceita por quem aderiu à Igreja e crê nesses discursos. governar e administrar os sacramentos não têm força e vigor sobrenatural para edificar o corpo de Cristo. inúmeros fragmentos reforçam o referido dogma: A Igreja é um “corpo”: corpo único..nada há mais nobre.. (PIO XII.] na Igreja os membros não vivem cada um para si. como para o crescimento progressivo de todo o Corpo [. tanto para mútua consolação.. ou não foram dele cortados pela legítima autoridade em razão de culpas gravíssimas [. A construção desse discurso político e religioso católico tem como pilar a concepção pautada no mistério da cruz. nem mais excelente.] É assim que o Apóstolo descreve a Igreja quando diz: „como num só corpo temos muitos membros. p. p.] Por conseguinte os que estão entre si divididos por motivos de fé ou pelo governo.... nem se separam voluntariamente do organismo corpo. inclusive porque estes servem de instrumental para legitimar a “verdadeira fé” e desqualificar os que se opõem à instituição. indiviso. o qual está ligado diretamente à cabeça de Cristo. 1943. p. Destacar esse princípio estabelecido pela Igreja é de fundamental relevância. nem mais divino do que o conceito expresso na denominação „corpo místico de Jesus Cristo” (PIO XII.. tendo em vista sua permanência até os dias atuais do século XXI..] De fato a missão jurídica da Igreja e o poder de ensinar. 4 apud PIO XII. assim muitos somos um só corpo de Cristo. governá-los . visível [. mas sim de um corpo visível cuja hierarquia é liderada pelo Papa. Segundo essa autocompreensão. 3).. igualmente pelo seu sangue a Igreja enriquecida daquela abundantíssima comunicação do Espírito que divinamente a ilustra desde que o Filho do homem foi elevado e glorificado no seu doloroso patíbulo [.] Se nosso Salvador por sua morte foi feito cabeça da Igreja no pleno sentido da palavra. 1943. Ao longo da Encíclica..] Corpo composto “orgânica” e “hierarquicamente” [... O excerto apresentado a seguir expressa quanto existe de permanência dos valores vinculados à Idade Média europeia e ocidental e de negação da cultura moderna. em que é forjado o conceito do corpo místico de que Cristo é própria instituição Católica. e os membros não têm todos a mesma função. senão porque Cristo pendente da cruz abriu à sua Igreja a fonte das divinas graças com as quais pudesse ensinar aos homens doutrina infalível. mas socorrem-se e auxiliam-se uns aos outros. A Igreja é o corpo “de Cristo” [. não se trata de um corpo abstrato e invisível. 4). e todos e cada um membros uns dos outros‟ (Rm 12. 1943. não podem viver neste corpo único nem do seu único Espírito divino. Como membros da Igreja contam-se realmente só aqueles que receberam o lavacro da regeneração e professam a verdadeira fé. 3).

o divino Redentor governa o seu corpo místico de modo visível e ordinário por meio do seu vigário na terra” (PIO XII. torna evidentemente crível o que dela não vemos. O mesmo. disponível em: <http://www. Por isso mesmo. exclamava: “Um grande profeta surgiu entre nós e Deus visitou seu povo” (Lc. se o milagre tornava crível a afirmação de Jesus que Ele era Filho de Deus. 16). sobre a Igreja. José Maria. não é ainda entender o sobrenatural. 6).htm>. A crise de Regensburg: uma comédia em III Atos.html>. pode-se dizer da Igreja. proporcionalmente.org. 1943. Alemanha. Condenações e demonstrações de apoio acompanharam o cenário de assassinatos. haja vista sua ligação “exclusiva” com Jesus Cristo. (PIO XII. A visibilidade essencial da Igreja não suprime a fé. 7.pdf>. p. Acesso em: 07 out. 2009. Pio XII diz ainda. o Pe. Os sinais evidenciam tão-somente que o mistério da Igreja merece certamente a nossa fé. Pio XII (século XX) e. por Bento XVI (século XXI8) expurga as possibilidades de alteridade e reconhecimento de outras instituições religiosas. entendendo por aí que aquilo que da Igreja vemos. e inundá-los com a chuva das graças celestes. Este evento. ver o discurso oficial de Bento XVI em: <http://www. a Igreja Católica nomeou para si o mandato infalível e com o poder de atribuir as graças celestiais a todos aqueles que podem compor o corpo místico de Cristo.permanencia. era ela crível: objeto de fé e não de ciência. que “seu governo [não] se limita a uma ação invisível. que a doutrina católica reforçada por Leão XIII (século XIX). . 9 “Cap. 2009. veja claramente que ali existe algo de milagroso. Acesso em: 07 out. Ao contrário. A evidência vem pois desabrochar num ato de fé. entretanto. 1943. Publicado originalmente como artigo na Revista Eclesiástica Brasileira”. é o Corpo quase diáfano de um Deus escondido e incompreensível” . são “notas de credibilidade”. Maurílio Penido afirmou: “Creio na Santa Igreja Católica”. professamos no Símbolo. Disponível em: <http://www. prolongamento de Cristo.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2006/september/documents/hf_benxvi_spe_20060912_university-regensburg_po. p.br/portalmidia/polifonia/acrisederegensburg. atentados e atritos diplomáticos que seguiram inflamando as relações já instáveis entre o Islã e o Ocidente Judaico-Cristão” (PULGAS. A Igreja é um mistério de fé. Cristã e de Poder Secular.uff. justifica-a. destacar-se-ia pelas suas repercussões na Comunidade Islâmica. A vida sobrenatural que. fundamentando-a os israelitas de vontade reta.vatican. crê-lo. ao presenciarem os milagres de Jesus. anima a Igreja revela-se no exterior apenas o bastante para que todo homem. procurando com intenção reta. que seria parte da agenda de sua viagem apostólica a sua terra natal. Reforçando essa premissa no artigo “A visibilidade da Igreja”. Para maior aprofundamento. Constatar a intervenção divina. recentemente. No mesmo documento. dizem os teólogos.salutarmente por meio de pastores divinamente iluminados.br/revista/teologia/penido3.7). Mas. Razão e Universidade: Recordações e Reflexão na Universidade de Regensburg. ou extraordinária. de O Corpo Místico. excluindo os condenados por ela e os cristãos reformados no seio do protestantismo. Assim. 8 “Em 12 de setembro de 2006. mais um dentre tantos discursos que faria. interna e abscôndita. então. devemos aceitá-lo. em compensação não fazia de modo algum penetrar os arcanos dessa filiação divina. Pode-se dizer. Papa Bento XVI proferiria sua polêmica palestra Fé. Na bela expressão de um grande eclesiólogo: “A Igreja é a morada 9 viva.

é a ênfase na manifestação da fé que se expressa pelo êxtase religioso.. tanto com o papado de João Paulo II (final do século XX). 251). eles retomaram a hegemonia [. a partir de 1975. Em contrapartida. que contém a palavra de Deus.] os conservadores foram derrotados no Concílio Vaticano II. mas. que é o ser mais ameaçado de extinção (BOFF. p. nos mistérios religiosos (dogmas) e na supremacia da instituição e de seu líder (o papa) sobre as demais organizações humanas e suas formulações. voltaram a lutar por espaço. a hegemonia dos grupos católicos mais conservadores. Boff indicou que: [. p. o que se pode verificar nas Igrejas Pentecostais. pois a divindade e seu filho Jesus Cristo se tornam presentes de forma real e ativa na vida do crente. Mesmo que. É preciso libertar o planeta. mediante o Espírito Santo.O discurso religioso do catolicismo oficial se baseia na associação do conceito de corpo místico com a fé verdadeira. e somente a partir dela os dirigentes espirituais elaboram seus discursos. Nesse sentido. até conseguir eleger seu candidato.. os rituais litúrgicos tenham incorporados novas tecnologias de comunicação e apresentação das lideranças religiosas. considerado mais íntimo. de corpo e alma. Mas a libertação que ela busca é apenas da mente e do coração.] Para vencer na CNBB. mais especificamente o homem pobre. muitas vezes. 1995. é a fonte de inspiração e modelo para a leitura do mundo. E o homem. quanto com Bento XVI (início do século XXI). a essência que conduz o processo religioso é marcada pelas ideias conservadoras e tradicionais inspiradas na doutrina católica.. Com João Paulo II. não da sociedade e do mundo. Visando à manutenção de sua força. em 1962. não há a necessidade de intermediários. 8-9). Observa-se que parte da hierarquia da Igreja Católica se vê como um precioso legado de seu próprio passado (ROMANO. a um ritual e crença . 1979. o Vaticano passou a garantir. logo vem à mente a idéia de uma experiência religiosa vivenciada por aqueles que se entregam. A Renovação Carismática tem o mérito de tirar o monopólio do ritual e da palavra das mãos do clero.. o Papa levou anos nomeando bispos do seu grupo. que nasceram no rastro do movimento pentecostal. Nesse tipo de contato com Deus. 3 ÊXTASE RELIGIOSO: A BUSCA PELA EXPERIÊNCIA DO ENCONTRO COM O DIVINO Ao falar de êxtase religioso. A Bíblia.

. Nessa perspectiva. Se até poucos anos atrás denominações religiosas cristãs não estimulavam a vivência extática. Jung. De acordo com a teologia pentecostal.] descobrimos que ele pode ser um ponto de chegada ou de passagem para estados novos de consciência. há um significado social que vai além do ritual e da emoção. como e em quem ele se manifesta? Por que ele ocorre? Na busca por um significado para a experiência extática. ou seja. os quais se centram na prática da oração. Em seus estudos. é fundamental ela ser compreendida em seu próprio cenário. atualmente. observa-se que. há um incentivo. por parte de alguns líderes religiosos para a prática dessa experiência em encontros e reuniões com esse fim. presentes e . Refere-se aqui às igrejas surgidas no rastro do movimento pentecostal. cuja teologia é construída tendo por base a bênção do Espírito Santo e o seu sinal. católica e protestantes históricas. Êxtase é um dos estados de nossa consciência” (SANTOS. até vertiginoso. algumas indagações se formaram: qual é a natureza e o significado do êxtase religioso? Onde. Mendonça (2008) e Silva (2006). com o reforço da espontaneidade. porém é um curto espaço para comentá-la a partir de todos os contextos. Em tempo: é preciso destacar que a análise terá como enfoque o êxtase religioso no universo cristão. p.religiosa. Santos (2004) aprofundou a análise do fenômeno a partir do ângulo da psicologia analítica de Carl G. das igrejas em que a atração principal é o êxtase religioso nos cultos. discreto. 2004. A situação decorre do crescimento. não obstante o êxtase religioso acontecer em diferentes períodos históricos. econômico onde é vivenciada. pois. porém não se deixando de enfocar também a perspectiva histórica e a antropológica. Deus está presente em tudo e em todos os lugares e tempos. entrando em transe. diferentes sociedades e religiões.. cultural. estaria em ligação direta com o divino. indispensável analisá-la tendo em vista o momento histórico. A respeito do tema. Tal experiência ocorre em diferentes religiões e culturas.. assim como a cura e a libertação das forças malignas. voltando–se [.] para os estados alterados de consciência que compõem o espaço imaginário e simbólico entre o exercício da razão e a vivência do êxtase [. esses autores vêem o êxtase como um fenômeno religioso que se associa a outras situações e definições subjacentes. De acordo com Santos. caso das tradicionais..13). a glossolalia. seguindo os passos de Lewis (1977). da subjetividade e da emoção. é verdade. Pensa-se no indivíduo que. fatos passados. a abordagem de análise sociológica foi feita. mais especificamente na sociedade brasileira contemporânea. o contexto social.

ainda. no centro de toda a criação e tendo por vocação explorar todas as riquezas da natureza. nesse caso.” (LEWIS. 15). p. o vício naquela família.]” (informação verbal)10. unindo vida corporal. Deus alcança o âmago de quem crê. é Jesus que traz a salvação.]. estando. 1977. 2000). O maligno é quem levaria a mulher e o homem a saírem dos trilhos de Deus. o autor destaca que tal experiência extática deve ser relacionada com o contexto social onde é vivenciada. o ciúme. dor. É Jesus que vence o diabo. Ao se propor a entender o êxtase religioso. no norte da África e na América do Sul.. entronizado na família [.futuros estão relacionados em uma verdadeira fusão.. Entretanto. ocasionando uma vida de penúria. regiões geográficas e culturais. Tudo o que não presta. Para essa revelação e contato estreito com Deus.. não há a necessidade de intermediários. mediante o Espírito Santo. desse modo. sexual e psicológica (MAGALHÃES. Fora dessa liberdade. levando-o a uma experiência pessoal e exclusiva e a uma vivência íntima com aquele que lhe dará um novo sentido à vida. ambos somente são considerados daquela forma na medida em que permanecerem sujeitos a Deus: “ele só é livre na servidão ao seu Deus”. Necessita-se. apresentar as condições sociais singulares que favorecem o desenvolvimento da “ênfase mística na religião” e investiga a manifestação extática em comunidades asiáticas.. pois Ele e seu filho Jesus Cristo se manifestariam de forma real e ativa na vida do crente. 4 O ÊXTASE E SUA RELAÇÃO COM A REALIDADE Para melhor entendimento da manifestação extática e para demonstrar que esta se deu em diferentes épocas. miséria. A teologia pentecostal prega que o homem e a mulher são criados à imagem de Deus.] é Jesus que cura. só há escravidão e o seu fim. . Escuta-se em uma celebração religiosa o pastor afirmar: “Muitos chegaram a Jesus viciados. Ele sai e vai embora [. porque carrega em si a marca da cultura e da sociedade em que aparece. O autor propõe. o diabo está lá. 10 Frase enunciada em culto ao qual se assistiu em outubro de 2007 em uma igreja pentecostal. investigar como o fenômeno é entendido e utilizado nas diversas condições sociais nas quais é produzido: “o uso que é feito da experiência extática varia de acordo com as várias condições sociais em que ocorre.. cabendo ao Espírito Santo levar tudo e todos a sua plenitude.. quebrados [. faz-se necessário recorrer a Lewis (1977).

em estudos do campo religioso judaico do século VIII a. frustração e impotência. 2008). com um abraço ou aperto de mão e palavras acolhedoras. Sentir-se acolhido e pertencente a um grupo social ajuda a fortalecer-se para enfrentar as dificuldades e obstáculos do dia a dia. Não ter condições de possuir e apropriar-se das riquezas materiais da comunidade e de utilizar os serviços sociais que deveriam ser ofertados pelo poder público. teve por finalidade analisar o fenômeno intuitivo no antigo Oriente Próximo. é um processo comum na busca de inspiração profética” (SILVA. tem. p. buscando-se adquirir todos os bens à disposição. “que o êxtase. uma vez que dele necessitam como estratégia para chamarem a atenção dos grupos dominantes [.. o autor destaca que este texto reforça a ideia de que “o êxtase tem uma maior incidência entre as camadas mais baixas da população. econômico e político e que apresenta uma intencionalidade. não se pode haver restrição a uma perspectiva exclusivamente antropológica ou psicológica. fundamentado em um enfoque histórico-social de versículos do Antigo Testamento (1Sm 19. ir a um local onde há a valorização das emoções passou a ser uma possibilidade de encontrar respostas para situações da dura realidade da vida. 18-24).. Em sua análise. 2008).Outro aspecto que interessa destacar do texto de Lewis (1977. a compreensão do movimento extático. Tal conjuntura oferece identificação entre aqueles que vivenciam problemas. as atitudes e os desejos individuais e coletivos são regulados pelas exigências do mercado. como um estado psíquico excepcional.]” (SILVA. sociocultural. dessa forma. porque se levou em consideração a premissa que o êxtase religioso é fruto de seu ambiente religioso. Em . 35) é o fato de ele afirmar que os líderes religiosos buscam o êxtase quando visam a “fortalecer e legitimar a sua autoridade”. É onde não existe censura a quem expresse sentimentos como tristeza. Em virtude disso. onde se é recebido por pessoas na porta da igreja com sorriso nos lábios. sentimentos e experiências semelhantes. A escolha desses autores não foi aleatória. Para complementar o embasamento que se obteve com Lewis.C. ou seja. como resultado. O autor escolhido. p. as necessidades humanas. alegria. p. notando. Na sociedade hodierna. Os indivíduos nessa situação sofrem também com a exclusão dos espaços sociais frequentados por quem atende às expectativas do mercado (SILVA. Silva (2006). 2006. pesquisou-se. mas não o são.. 56). Nesse contexto é que o tema deve ser estudado e compreendido. no material documental com o qual trabalhou. 69). entendido no sentido mais amplo da palavra. dor. É o local onde se encontram homens e mulheres de habitus similares (SILVA. 2006.

você invoca o nome do senhor e é 11 12 Palavras enunciadas em culto ao qual se assistiu em abril de 2007 em uma igreja pentecostal.. em nome do Senhor!” (informação verbal)13. Como pregou o dirigente espiritual: “dias melhores virão. por um lado.O crente tem que ter a marca do crente.]. Jesus vem. com todas as propriedades que lhes são socialmente inerentes. segundo Bourdieu (2004. regido por uma forte emoção. O Espírito Santo sabe tudo que tem em nós. à entrega de si e da vida a um deus triunfante. saúde. ou seja. . os quadris – e cujas letras simples. nessas ocasiões.. preocupado e interessado em cada um em particular. falam do poder de Jesus Cristo e da fé. a superação das aflições: “muitos chegaram (ao culto) angustiados. Espírito Santo sabe o número do meu CPF. com refrões repetitivos e compreensíveis. observou-se o pastor falar: “Jesus toma o corpo do crente. de expor as fragilidades e é também o momento do êxtase. porque nós somos bem-aventurados” (informação verbal)12. porque há a certeza de que Jesus Cristo cura e liberta do inimigo que impede a vitória. Frases proferidas em culto ao qual se assistiu no mês de maio de 2007 em uma igreja pentecostal. com hinos alegres e vibrantes que mexem com todo o corpo dos fiéis – as mãos. foi separado. os crentes vão à igreja em busca de consolo e conforto para enfrentar a dor e os sofrimentos físicos e emocionais.. suas ansiedades. suas dificuldades. Eu quero Deus na minha vida” (informação verbal)14. Nós necessitamos invocar..” Resumindo: as pessoas vão à procura de entenderem porque se encontram em uma posição social que lhes gera dívidas e impossibilidade de adquirir bens de consumo ou mesmo alimentos. Conclamam-se todos. 14 Palavras enunciadas em culto ao qual se assistiu em outubro de 2007 em uma igreja pentecostal.. o culto é a expressão coletiva de fé e louvor. Como foi possível verificar nas visitas a algumas igrejas. pode ficar.. porque conhece seus problemas. por outro. alegria. e se compadece como um pai atencioso e amoroso. Eu não! Quero prosperidade. Nesse sentido.um culto. da minha identidade. é o momento de fazer os pedidos. “Jesus chega e destrona o diabo [.Deus conhece teus problemas. de existir como de fato existem... 13 Texto enunciado em culto a que se assistiu em abril de 2007 em uma igreja pentecostal. É o momento em que todos aplaudem e cantam. que não julga e muito menos condena seus filhos: “O irmão foi escolhido por Deus.. em suma. que todos têm que reconhecer.” (informação verbal)11. porque você está servindo a Deus [.. quando estão todos os fiéis reunidos. p.]. se.Você quer ficar na miséria. os fiéis: “contam com ela (religião) para que lhes forneça justificações de existir em uma posição social determinada. os braços... mas já estão aliviados. 48). as pernas. A celebração religiosa.

128-129) coloca que: [. ora e louva vai aumentando a ponto de atingir o clímax com todos os presentes respondendo e orando também em voz alta. com letras de fácil compreensão e ritmos contagiantes. do desemprego. gestos repetidos. e os problemas emocionais e afetivos. mas a racionalidade não é abandonada. para a compra da casa ou do carro. invariavelmente falando de um Deus que ouve a cada um dos seus filhos e da necessidade da entrega total e plena a Jesus Cristo: “Se você está em Cristo. são temas comuns das orações os problemas de saúde.salvo.] técnicas como o movimento do corpo. O choro.esquece os problemas lá fora. e a emoção é o resultado do sentimento religioso. Estar em êxtase não é atitude irracional. os cultos são desprovidos de rituais complexos e ausentes de gestos carregados de significados simbólicos (tão comuns nas celebrações das igrejas tradicionais) e. orações. Além desses.. diabetes e outras doenças graves e crônicas. Nas igrejas pentecostais. p. as mãos na cabeça e todos repetindo a frase que o líder religioso diz em alta voz. pedidos para a oferta e o dízimo e testemunhos dos que encontraram Jesus Cristo e mudaram de vida. é espontânea e guiada pelo clamor a Deus para a solução de problemas financeiros. vem corroborar o que Santos (2004) afirmou: o êxtase religioso é um dos estados alterados da consciência e. como a cura do câncer. facilmente compreensíveis aos fiéis.” (informação verbal)16.. Mendonça (2008. Há hinos. em que o grau de alteração de consciência. vivenciado na experiência de sentido (p. “somos forte... não somos fracos”. porque o senhor se fez presente no nosso meio” (informação verbal)15. embora variável de indivíduo para indivíduo. A partir do que foi observado nos cultos por estes autores. assim como a oração de cada um dos presentes. nesse estado: As emoções são percebidas. Texto falado em culto a que se assistiu no mês de setembro de 2007.. É por meio da razão que o julgamento das ideias religiosas se estabelece. a razão está lado a lado com a emoção. 15 16 Frases ditas em culto a que se assistiu em maio de 2007 em uma igreja pentecostal. você terá vitórias. portanto. cânticos ritmados e orações de intensidade crescente podem levar ao êxtase coletivo. .. é viável dizer que os líderes religiosos conduzem as celebrações de modo a estimular as emoções: daí as músicas serem vibrantes. A oração comandada pelo pastor e seus auxiliares. A exaltação do líder espiritual que em alta voz clama. Destaque para a pregação da palavra ministrada pelo pastor. 14). configura o culto extático.

. Disse o pastor . nos dias atuais ele é acessível a todos aqueles que assim o desejam. ansiedade. Para ter a adesão de todos os presentes. outros oram em voz baixa. isto é. como educação. cor. “especialistas religioso”. que quer vencer. e é uma busca que em si promete momentos de euforia e bem-estar”. são feitas para que o público atinja o êxtase. todos se sentam. a atitude extática é semelhante. individual e coletivo. e os presentes também vão baixando a voz. os braços. Interpretam-se esses eventos como êxtase porque. como Silva (2006) apresentou em seu texto historiográfico.. Há realmente um êxtase. a percepção que o fiel tem de que lhe é concedido experimentar variada sensações e a percepção do líder. gestos e lágrimas contidas. são utilizados os mesmos recursos para o aparecimento do êxtase como descreveu Santos (2004. Vários minutos se passam e então. sexo. como já mencionado. A intensidade da voz do líder aumentando e a platéia acompanhando-o é o ponto alto das celebrações nas igrejas pentecostais. aqui também o êxtase religioso é uma forma de se colocar contra a ordem estabelecida. dessa maneira. e não somente no céu. A música fica quase inaudível. É uma possibilidade de se fortalecer perante as dificuldades do dia a dia e. dor e/ou alegria. saúde. não querendo mais ouvir sermões que falam de um deus inquisidor e censurador. acreditam serem ouvidos e atendidos por um deus forte e poderoso. a expressão facial e a corporal transformam-se. gesticulando e chorando. todo o corpo demonstram que há uma conexão com o sagrado. após a morte. Interessante atentar-se a que o corpo de fieis. falando. habitação. diminuindo os gestos corporais. p. As mãos. ao se voltar para Deus.] a necessidade e o desejo pela emoção. que tinha uma incidência maior entre os profetas. a fala se torna mais suave.” Há também uma diferença do estado original dos participantes para o estado que demonstram durante a oração. Apesar disso. excluídos do acesso aos bens e serviços sociais. que não faz distinção de classe social. o dirigente vai abaixando a voz. que se coloca ao lado daquele que crê. Diferentemente do êxtase religioso no Antigo Oriente Próximo. As pessoas vão à igreja em busca de um deus vitorioso e transbordante de alegrias e bênçãos. Como disse Santos (2004. tem a ver com a racionalidade da pessoa. sentem receber a vitória e a recompensa já aqui na terra. “o êxtase religioso tem a mesma conotação: é pessoal.As orações conduzidas pelo líder. p. que quer saúde. Homens e mulheres em precárias condições materiais de sobrevivência. atribuir sentido a sua existência e à divindade. fala-se no Deus forte. dando lugar a um expressão de angústia. 111). daquele que quer mudar a sua vida. 184): “[. Muitos dos presentes passam a impressão de estarem em transe – olhos fechados. independentemente da cultura ou da religião.

os quais também insistem em afirmar que a falta de Deus leva o homem a cometer erros e a não ter bens materiais e saúde. ele tem um milagre para você” (informação verbal)17. 6 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES 17 Discurso proferido em culto de setembro de 2007. Refletindo sobre as novas configurações da religiosidade. e a ele agradecerá. brigas familiares. seja ela social. tendo-se a liberdade individual e de escolha como essenciais para a conquista da felicidade no plano terreno. desde que isso se adéqüe aos seus objetivos. no desejo de ser feliz.. o homem que deseja as bênçãos de Deus deve afastar-se de toda a maldade e do mau pensamento. não poderia ser transformada. é preciso lembrar que se buscam. não cabendo a necessidade ou a obrigação de dedicação e filiação a uma luta ou causa. reconhecendo-o como o autor. Para os que estão em situação econômica desfavorável. a sua própria crença. na satisfação e no prazer. as enfermidades e de dar sentido à vida. comerciais e de trabalho. o interesse religioso funda-se no fato de terem uma vida correta e perfeita. não o atribuirá a si mesmo. relações fundadas no afeto. Você tem um Deus que cuida de você [. política ou ambiental. ele vai cumprir [.. e nela as relações sociais. mas vez por outra acometida por problemas sem justificativas – doenças. senão a Deus. no mundo e mesmo no universo. nos dias de hoje.]. É uma concepção de vida e fé reforçada sistematicamente pelos dirigentes religiosos. diligência e boa fortuna. a sua habilidade. mas reconstruída a partir de alternativas variadas de viver e pensar possibilitam ao indivíduo compreender qual o seu lugar na família. morte. Sob esse ponto de vista. Importante destacar a importância que a humanidade confere à postura de viver o presente. porque não estaria diretamente ligada ao cotidiano e os resultados só se dariam em longo prazo.em sua pregação: “O que Deus te prometeu. Segundo esse novo modo de pensar e agir. a busca pela religião baseia-se na promessa e na esperança de superar o caos diário. Uma espiritualidade reelaborada por meio do sentimento de que a sociedade.] Deus não esqueceu de você. mostra-se como a possibilidade de contato com o divino e o possível encontro de respostas para as angústias e necessidades humanas. para os dois grupos.. Já para os indivíduos que pertencem aos grupos mais privilegiados economicamente. o sofrimento. E o êxtase religioso. .. cada pessoa escolheria a sua própria religião. o agora. Se algo de bom lhe suceder.

demonstrada pelo crente em sua maneira de viver. portanto. na maioria das vezes. Desse modo. De qualquer maneira. e cada pessoa ter uma experiência própria. comerciais e de trabalho. em oposição ao observado na Igreja Católica. Pode-se afirmar. não obstante o surgimento e o incentivo à Renovação Carismática. mas tem caráter individual. Contudo. nos últimos 30 anos do século XX e nesta primeira década do século XXI. uma nova visão de si e do mundo. A nova condição. visto que tanto a doutrina do corpo místico. racionalizando o encontro com o sagrado. um novo “renascer em Cristo”. é possível observar o reforço e a perpetuação das religiosidades na sociedade contemporânea. a esperança. por parte de membros da hierarquia. as igrejas que atenderam a essa busca tiveram o número de fiéis crescendo de forma vertiginosa. onde é permitido e legítimo expor as emoções e angústias. a partir do lugar que ocupa na sociedade. Por conseguinte. rompendo com as coisas do mundo. REFERÊNCIAS . o que provoca. no indivíduo. Essa situação foi verificada nas igrejas que registram menos de cem anos de existência. no mundo e mesmo no universo. Este se sente mais forte e em uma nova condição diante da própria vida e dos demais. observou-se. as lágrimas e as alegrias daquele que é batizado. pode ser reconstruída a partir de alternativas variadas de viver e pensar. que a doutrina do corpo místico católico começa a subsidiar novas manifestações frente ao desafio colocado pela demanda societária atual. diferentemente do que ocorre com a Igreja Católica. bem como em outras perspectiva o incentivo às manifestações do êxtase religioso nos templos pentecostais. é compreendida pelos membros das igrejas como um novo nascimento. a busca de homens e mulheres por espaços onde não haja limites à experiência do emocional. haveria êxito do indivíduo em compreender qual o seu lugar na família. reprimidas no dia a dia. A espiritualidade tem sido reelaborada por meio do sentimento de que a sociedade. Ser batizado no Espírito Santo e expressar este batismo podem representar a luta.A experiência da fé não é única. e nela as relações sociais. Ao longo de centenas de anos de existência. haja vista ser possível vivenciá-la de diversas formas. tal instituição consolidou sua hierarquia. quanto o êxtase religioso são faces do cotidiano religioso ocidental. “estratificando-se” e normatizou e ritualizou a manifestação da fé por meio da publicação de Encíclicas e Bulas.

Thoma Aq. Cad. São Paulo: Ed. 67-102. C.pliniocorreadeoliveira. Concepção Dialética da História. 2008 WANDERLEY. A. A. Rio de Janeiro. Pontifícia Studiorum Universitas A. 25 maio 1995. E. São Paulo: Paulinas. GRAMSCI. A. Vaticano: [s. MANOEL. PIO XII. São Paulo: Perspectiva. Leonardo Boff ataca a nova direção da Igreja. São Paulo: Perspectiva. In Urbe. R.). MADURO. Disponível em: < http://www. J. p. A economia das trocas simbólicas. 1991. 24 out. 2003. C. D‟ÂNGELO. P. 2. As ações assistenciais promovidas pelas igrejas pentecostais no Município de Londrina (1970 – 1990)..htm>. 1983. n. Brasil: Igreja contra Estado: crítica ao Populismo Católico. Êxtase religioso. C. pentecostais & ecumênicos: o campo religioso e seus personagens. Maringá. 2 ed. S. 461. . A.. Presença pública da Igreja no Brasil (1952-2002). desafios. 1977. Mystici corporis: o corpo místico de Jesus Cristo e nossa união nele com Cristo. 2004. Entre a razão e o êxtase: experiência religiosa e estados alterados de consciência. dez. Acesso em: 07 out. O.]. 181 p. 55-77. 1. SANTOS. M. São Paulo. Universidade Estadual Paulista.info/LEG%20431024_MysticiCorporisChristi. Paulo. Desafios da Igreja Católica e política no Brasil.br/ultimoandar/download/UA_14.pucsp. 2004. de 1943. In: Instituto Nacional de Pastoral (org. ROMANO. Folha de S. C. BOURDIEU. Pe. Petrópolis: Vozes. São Paulo. L. R. 2000. MAGALHÃES. perspectivas. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de História. 5 ed. 2008. C. SILVA. 14. p. SP: Kairós. Via Teológica. LEWIS. O Espírito Santo como tema central da teologia: conflitos. 12. PR: EDUEM. I. A. 1978. p. Legionário. 1943. SILVA. São Paulo. F. Protestantes. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo. 2006. 1991. Civilização Brasileira. P. jun. Êxtase e sociedade no Antigo Oriente Próximo.BOFF. Religião e Luta de Classes. G. Tese (Doutorado em Direito Canônico). I. n. 2004. L. SP. Curitiba. 2007. Acesso em: 30 mar. Roma. 585. Disponível em: <http://www. O ministério próprio e típico do leigo: sua função pública na Igreja e pela Igreja. Assis. W. p. OLIVEIRA. N. 2009. n.pdf >. O pêndulo da História. MENDONÇA. Último Andar. 1979. Mystici Corporis Christi. M. Loyola. n.