You are on page 1of 7

UFSJ – Universidade Federal de São João Del Rei CAP - Campus Alto Paraopeba

ELETROQUÍMICA

Curso: Engenharia de Bioprocessos Período: 3° Nomes: Poliana Gomes Sabino Data: Matrícula: 104200026 Disciplina: Química Analítica Experimental

Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 2 . cuja a equação é a seguinte: Onde o T é a temperatura de trabalho. [1] Quando os eletrodos são ligados a um aparelho elétrico. “a” é a concentração inicial de solução. “n” é o número de elétrons variados no processo de oxidação ou redução. liberando elétrons e o cátodo utilizando esses elétrons liberados. se aceita um elétron seu número diminui. O eletrólito deve ser um condutor iônico. Se um átomo ou íon doa elétrons em uma reação. A corrente que circula no meio reacional pode ter duas origens: • • No próprio meio. [3] 2. reduz-se.Físico – Química Experimental Eletroquímica Scheila Cardoso Albuquerque 1. OBJETIVO Observar a espontaneidade das reações de oxidação e redução. O termo pilha é empregado para se referir a um dispositivo constituído de dois eletrodos e um eletrólito que são dispostos de maneira a produzir energia elétrica. INTRODUÇÃO 104200012 A eletroquímica é o ramo da química relativa ao estudo dos aspectos eletrônicos e elétricos das reações químicas. Nessas condições pode-se calcular uma diferença de potencial da pilha. quando então se tem uma pilha eletroquímica. Os elementos envolvidos em uma reação eletroquímica são caracterizados pelo número de elétrons que têm. Gerada por uma fonte elétrica externa. [2] O número de oxidação de um íon é o número de elétrons que este aceitou ou doou quando comparado com seu estado neutro (que é definido como tendo número de oxidação igual a zero). flui uma corrente pelo circuito. bem como montar uma pilha de cobre e zinco (Pilha de Daniell). seu número de oxidação aumenta. quando então se tem uma célula eletrolítica Uma pilha útil é aquela na qual o potencial gerado tem alguma vantagem sobre o custo da pilha. Nernst desenvolveu uma equação capaz de adaptar potenciais padrões ás condições experimentais. que é dada pela diferença entre os potenciais padrões de redução do cátodo e do ânodo: Como as condições padrões determinadas experimentalmente são raras de acontecer. F é a constante de Faraday e R é a constante universal dos gases. é necessário que a diferença entre os potencias do ânodo e do cátion seja grande: o agente redutor deve ter potencial negativo e o oxidante deve ter potencial positivo. Para obter-se um bom potencial. pois o ânodo oxida-se espontaneamente.

Preparou-se 50 mL de solução de CuSO4 1.Condutores metálicos (fios de cobre) .Voltímetro .CuSo4 . foi colocado um chumaço de algodão nas extremidades do tubo. .Preparou-se 50 mL de solução de ZnSO4 1.Encheu-se um tubo em U com solução saturada de KCl e. 25 mL da solução de sulfato de zinco(II).Algodão Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 3 . foi montado o sistema conforme o esquema da figura abaixo: . tomando cuidado para não deixar entrar bolhas de ar. técnicas e procedimentos Preparo de soluções .Mergulhou nesta solução um prego (previamente limpo com a palha de aço).Pipetas graduadas .1 Materiais: . Montagem da pilha de cobre e zinco (Pilha de Daniell) .Colocou.Colocou em um béquer a solução de Zn(II) e mergulhou uma lâmina de cobre. .Prego .Garra . PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL 3.Colocou-se em um tubo de ensaio pequena quantidade da solução de cobre (II).Béquer de 50 mL 3. .ZnSO4 .Observou-se e anotou os resultados.Físico – Química Experimental Eletroquímica 3.Solução saturada de KCl 3. .Observou-se as condições iniciais de reação e anotou algumas evidências de transformação.Palha de aço .Tubo em U para a ponte salina . Esse procedimento foi necessário para preparação da ponte salina. em um béquer.2 Reagentes e indicadores: .0 mol/L. . em seguida.0 mol/L. .Então. . .Lâminas metálicas (cobre e zinco) .Eletrodo de cobre . 25 mL da solução de sulfato de cobre(II) e em outro. Verificação qualitativa da tabela de potencial de oxidação.Eletrodo de zinco .3 Métodos.

reduzindo seu potencial positivo. Isto ocorre quando o ferro metálico oxida (reage com o oxigênio do ar). que está num composto químico como o sulfato de cobre CuSO4.Leu-se a diferença de potencial no voltímetro. RESULTADOS E DISCUSSÕES Potencial de oxidação ferro . ou seja.Físico – Química Experimental Eletroquímica . representando-se apenas a transformação do ferro: [2] Fe2+ → Fe3+ + 1eRedução do cobre Redução é a situação onde um átomo recebe elétron (cargas negativas). por exemplo. Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 4 . formando a ferrugem: 2 Fe° + O2 → 2 Fe2+O2Ou ainda uma situação intermediária. O átomo de cobre. perdeu 2 elétrons para "entrar" no composto: Cu2+(SO4)2-. .Fechou-se o circuito intercalando o voltímetro entre os eletrodos (ligou o eletrodo de zinco ao terminal negativo e o eletrodo de cobre ao terminal positivo do voltímetro). aumentando o potencial positivo do íon formado.Após a leitura. onde a ferrugem inicial continua oxidando com o ar: 4 Fe2+O2. A representação simbólica desta transformação é dada por: Fe° → Fe2+ + 2eObserve que se representa o ferro antes (Fe°) e depois (à Fe2+) de perder seus 2 elétrons. tem valência 2+. foi desligado o voltímetro e retirou-se os eletrodos das soluções. 4. .cobre Oxidação do ferro Oxidação é a situação onde um átomo perde elétrons.+ O2 → 2 Fe23+ O32Ou.

como o ânion sulfato O2 + 4e. Fe° + Cu2+(SO4)2. [1] PERGUNTAS . de menor potencial.à 2O2-. quando ganham elétrons. Portanto. voltando a ser um átomo "metálico": Cu2+ + 2e. O cobre é um metal nobre e o sulfato ferroso (FeSO4). PILHA DE COBRE E ZINCO . possui o ferro . indo para a solução com o sulfato. Como os metais nobres são metais menos reativos. ou quando o oxigênio ganha elétrons do ferro 5 .34 V Pode-se perceber que o potencial de oxidação do ferro é maior que o potencial do cobre. não há opção senão reduzir-se. adquirem valência negativa. Como conseqüência.à Cu° Os elementos não metálicos. No caso da reação entre o ferro e o sulfato cúprico (cobre de Nox = 2+) temos: EFe/Fe2+ = +0.Explique o que ocorreu baseando-se no potencial da reação.Escreva a equação que descreve a reação química. .→ Cu° + Fe2+(SO4)2As semi-reações são: Reação de oxidação: Fe° → Fe2+ +2eReação de redução: Cu2+ + 2e. Foi possível ver isso através do acumulo de Fe2+ na superfície do prego. Ao cobre.44 V ECu/Cu2+ = -0.Escreva as equações das semi-reações que ocorrem nos eletrodos (catodo e anodo) e a reação global.Qual é o fenômeno que ocorreu na superfície do metal? Durante o experimento.→ Fe° .que é um metal mais reativo que o cobre. portanto não ocorrerá reação. somente há reação quando o ferro puder oxidar-se (metálico). ao mergulhar o prego na solução de cobre se observou a oxidação do ferro instantaneamente pela solução de cobre. por exemplo). O ferro metálico perde elétrons e os transfere ao íon cobre do sulfato. o íon cobre reduz-se a metal e o ferro oxida-se a íon. Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 (SO4)2-. Quando o fio de cobre é mergulhado na solução de ferro não ocorre reação. eles não conseguirão deslocar (reagir) com qualquer outro metal mais reativo existente numa substância (como o ferro do sulfato ferroso.Físico – Química Experimental Eletroquímica Pode-se "forçar" o íon cobre bivalente positivo a "receber" de volta os 2 elétrons.

O valor do potencial feito experimentalmente foi entre 1.0.028 que são valores bem próximos do valor calculado com base nos potenciais teóricos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1] ATKINS. No entanto como o potencial do zinco é menor. Princípios de Química.Com o auxilio da Tabela de Potencial de Redução.76) DDP = 1. 5.Eºânodo DDP = +0. Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 6 . sabe-se que o cobre irá reduzir.→ Zn(s) E = +0. Os experimentos foram executados com bastante proveito. calcule a diferença de potencial (Δεº) da pilha. sua reação permanece igual. Foi possível compreender a influência da associação de elementos. Cu2+(aq) + 2e. Loretta. Porto Alegre: Bookman.34 – (.Compare o valor experimental com o teórico. 6.34 V E = -0. Peter e JONES. Portanto o potencial final será: Δεº = 1. CONCLUSÃO Através dos experimentos realizados foi possível observar melhor como ocorrem as reações de oxirredução.1 V . 2006.020 e 1. e os resultados obtidos estavam dentro do esperado. 3ª edição.Físico – Química Experimental Eletroquímica Equação global: Zn0 (s) + Cu2+ (aq) ↔ Zn2+ (aq) + Cu0 (s) Semi equações: Zn2+ (aq) + 2e– → Zn0 (s) Cu2+ (aq) + 2e– → Cu0 (s) . assim. das concentrações das soluções e da condutividade elétrica no conceito de pilhas. ele será a espécie que irá oxidar então sua reação será invertida e o sinal do potencial também será convertido.1 V Pode-se também calcular o potencial utilizando a fórmula da DDP: DDP = Eºcátodo .76 V Como o maior potencial indicada a espécie que irá reduzir.→ Cu(s) Zn2+(aq) + 2e.

Rio de Janeiro: LTC Livros Técnicos e Científicos S. 2. Engenharia de Bioprocessos – 3° Período de 2011 7 . Química Geral.São Paulo: Pearson . Gerard.Eugene.LeMay. James E. Theodore L.. Jr. .2007. [3] BRADY. BRUSTEN.Química: A Ciência Central 9ª edição .A. 2ªedição. vol. Bruce E. H.Físico – Química Experimental Eletroquímica [2] BROWN. 1986. e HUMISTON.