You are on page 1of 20

Wallace Alex

E lá vamos nós
De novo…
...Um sorriso. o típico sorriso que nos faz esquecer, dos momentos tristes. o sorriso de quem ri de si mesmo. Seguimos adiante..
Wallace Alex 30/01/2013

Wallace Alex

Na Praça

É lua cheia e toda noite fica muito mais bonita em uma noites como estas, basta olhar... e seja lá qual você tem a indelevel sensação de estar bem. Doces e simples são os prazeres da vida. Sentado na praça, vendo a lua cheia de...amor.

O viajante De tempos em tempos, devido aos modismos ou quem sabe a Tv. Uma palavra toma vulto entre nós. Felicidade... é justamente aquilo que não nos ensinam na escola. Até hoje ainda não vi nenhum professor formado em felicidade dando aulas. Há quem diga que é um estado de espírito. Nesse caso você encontra essa felicidade em você mesmo, aprende com as pessoas a seu lado. A felicidade se irradia...pode ser. Há quem diga que a tal felicidade deva ser encontrada a qualquer preço, pode ser...neste caso ao invés de felicidade teríamos o feliz porque seria um só. há notícias pasmem...de que um inventor brasileiro conseguiu enlatar a tal felicidade, vendendo cada latinha a 1,99 cada. Começou na central do brasil passou pela bolsa de valores ficou rico. E hoje viaja pelo mundo. Verdades ou mentiras não sabemos... Mas, este é o único caso que passou pelos 3 estágios anteriores.. O estado de espirito, o feliz e o viajante. Poema Político Díficil é escrever um poema político. Sem se complicar nunca,

Wallace Alex

sorrir as alianças, retroceder aos infortúnios da oposição. e de passo em passo. Realizar um milagre. O milagre de agradar à todos, sem perder a si mesmo. Conquistar cada milímetro necessário a nossa vivência diária. Partilhar com os companheiros e os não tão companheiros os espólios da conquista. Assim mantemos todos perto, os bons, os não tão bons e os desesperados! (sorrisos) Ser cidadão é como diria Aristóteles ser general de seu próprio exército, legiões de homens sós conduzindo suas parcas forças com graça e dignidade. Avaliando o momento. Em silêncio...cada pequena centelha cresce e se transforma em chama, uma chamada abrasadora que deveria ser o estado.

Giz E tudo começou com...pedaço de giz. As expectiativas do primeiro dia de aula, que leva cada criança a imaginar, um novo mundo. O que fazer, com quem falar, onde sentar... como escrever. E uma uma senhora bondosa, com ares de cansada, foi sabe lá como a escolhida. árdua tarefa a de alfabetizar, árdua mas gratificante, onde mais o sorriso sincero de quem aprende é tão verdadeiro. Poucas serão as vezes em que encotrarás, tal felicidade. A primeira lição o bom dia!! A primeira tarefa, foi escrita em um imenso quadro negro. Em sua mente toda a didática necessária, para fazer gentis crianças tornarem se sonhadoras... Em suas mãos um pedaço de giz. E foi assim que tudo começou...da magia da primeira aula, da professora bondosa, do bom dia, até... até quando se cerrem nossos olhos.

Boa Companhia Das gotas de chuva que chegam ao fim em nossas janelas,

Wallace Alex

Enquanto do outro lado da mesma janela nossos ares embaçam o vidro e nossas visões. O telefone toca, Alguém nos convida para festas que não queremos ir. Das gotas de chuva que caem transformando o dia, chuvosos dias... Prefiro ficar do lado fora. Não quero visões, tão pouco vidros embaçados. E se o telefone toca, Se nos convidam para festas, Não atendo...prefiro ficar do lado de fora com a chuva no rosto, mas uma boa companhia.

Universos Paralelos Universos pararelos, teu vestido estrelado demarca as curvas de teu corpo. Este estrelado vestido é um véu, adorável simples e contém em ti a beleza desta noite. A beleza de teu corpo, vagando entre luas e em teus mundos tão distantes. Eu como sempre navegante. Jamais sonhei chegar tão distante, longe dos portos seguros. Stella maris constante, creio que vivemos em universos...paralelos. Na hora do Sol Dezembro!! Na hora sol... Também venho saudar-te.... Dezembro de tantas artes e festas.... Qeu em teu dias, possamos ir bem mais além de nossas expectativas... Além de seus 31 dias. A quem diga que serão apenas vinte e dois dias. Por causa de uma profecia maia...um tanto mal interpretada. Mas se um ciclo termina no vigésimo segundo dia.... um novo se inicia no vigésimo terceiro. Se ouverem explosões que sejam das luzes dos fogos, comemorando a chegada do verão.

Wallace Alex

Em mais uma noite feliz... Porque é assim, a mudança é a lei da vida. Então compre o seu presente, Monte a árvore de natal. E na hora da virada, procure estar próximo ao mar.

Fogo

É através da janela que a luz entra num aposento. Se, em épocas difíceis, se quer esclarecer alguém, deve-se começar pelo que é mais evidente e claro, para então prosseguir a partir daí. Finda o dia. A luz do sol poente lembra,o aspecto condicionado e transitório da vida.Nesta falta de liberdade exterior,os homens com freqüência perdem também sua liberdade interior. A transitoriedade da existência ou os impele,a uma euforia desenfreada,a fim de gozar a vida enquanto ela dura ou se deixam levar pela tristeza. E desperdiçam um tempo precioso, lamentando a aproximação da velhice. Ambas as atitudes são erradas. Para o homem superior é indiferente que a morte esteja próxima ou distante. Ele aprimora-se, aguarda sua sorte e assim consolida seu destino.

Entre o Mar e o Céu

Entre o mar e o céu.... A linha do horizonte. O lugar exato onde o céu e a terra se tocam. O ponto zero do que chamamos infinito, Bem ao alcance de nossos olhos... Na linha do horizonte não há palavras. Tudo é possível, bem ali.

Wallace Alex

Na linha do horizonte, ao alcance dos olhos, onde não há palavras, mar, céu e... Algumas vezes o silêncio fala!

Meu Sol Bem de longe vi teu brilho... bem de longe, vim atrás de ti. deixei meus afazeres, desfazeres porque te vi. E de longe, bem de longe fui atrás de ti. E na praia do Arpoador, entre o céu e o mar. Encontrei meu lar. E de longe, muito longe contemplava teu brilhar, fiquei sentado na areia. num canto qualquer só pra te admirar. E apanhado como que de surpresa, Ouvi uma salva de palmas! somente pra ti saudar! é bem verdade! Que tu sol, és a estrela, que faz minha estrela brilhar.

Fósforos E aconteceu que era um novo dia. como todos os novos dias, que a cada manhã se iniciavam. Ao abrir os olhos, percebeu!

Wallace Alex

Exatamente isso! Percebeu... Que tudo que estava ao seu redor girava, Somente ele, Permanecia com os pés no chão. no chão de terras que não voltam mais... Fincou os pés nos ares, como fazem todos os radicais, levantou- se abruptamente, à procura de fósforos, queimou lentamente as montanhas de papel de suas lembranças, de suas más lembranças. Sem olhar para trás. Pos na face um sorriso. O sorriso do despertar das Auroras, de todas as manhãs. Firmou ainda mais, seus pés nos ares. Eis que tornou à alegria, sem motivo aparente, no tac tic das horas... Levanta-te vento norte, e vem tu, vento sul. Já é hora. Vou abrir as portas de meus jardins, para que se derramem seus aromas... sobre tuas asas.

Janeiro As novas, velhas águas de janeiro. trazem de volta a chuva, também os dias cinzas e...os dias claros. Entre s canções e os livros de todos os dias...

Wallace Alex

Entre um rosto e outro na calçada. Um novo passo na estrada, Assim bons amigos tornam se ainda melhores. Dos sorrisos das risadas, sem motivo, Vindas do nada . A cada gota de chuva. Tudo em seus mínimos detalhes. reproduzem a sinfonia dos dias, perfeitos e imperfeitos. Tais quais como devem ser.

Areias Seguro nas mãos os grãos de areia, as areias das praias, donde sentado fito o mar. E o amo em silêncio, bem sabem as areias, que de tempos em tempos... as gentis ondas me arrebatam... todos os grãos Em cada grão uma infinita possibilidade, nas areias dos tempos e das praias, seguro um punhado com as mãos, como se teu doce beijo estivesse ali... contido. em cada pequeno fragmento, destes grãos de areia. Que de tempos em tempos as gentis ondas do mar... Me arrebatam. As mesmas ondas donde, sentado fito o mar...Mares.

Wallace Alex

Casas Bati palmas as portas de sua casa! por diversas vezes chamei teu nome. Eram dias chuvosos, era um chuvoso dia... E vi de longe uma sombra nas janelas, sombras nas janelas que portas não abriam! Enquanto que todo molhado, olhei para os lados... Em casa alguém havia, mas a porta não abria. Então, virei as costas e... me pûs a caminhar. E ao longo da estrada. Percebi...chamei na porta errada. ah!! isso não é nada. é que já cessou a chuva. e caminho em uma rua... Não é minha e não é sua! Mas há...muitas casas pra chamar. é muito longa esta estrada. Quem sabe em alguma parada, em porta ou janela destas casas. Um belo sorriso, A mão afavél, carinho, afeto. Tudo aquilo que sonhamos encontrar.

Sem Máscaras Para não deixar fugir meus pensamentos... os aprisionei em folhas, juntei seus pedaços, fragmentos. todos em uma folha qualquer, partes de muitos momentos de mim mesmo.

Wallace Alex

E os condensei em parcas palavras. Como os muitos pedaços de um espelho da vida. Em seus fragmentos um quebra cabeças, cada uma das palavras... parcas e aprisionadas, em uma folha... Refletida em pequenos pedaços. fragmentos de sorrisos, as vezes contidos, outras vezes não. Bem no meio da selva pedra. ainda posso ouvir os uivos de outras feras, crianças da noite, talvez... que me importam! Enquanto que sob a luz da lua, caminho silêncioso. deixei também para trás, os reflexos e as parcas palavras... Sem máscaras...caminho.

Novo dia Sem buscar a semântica, iniciei outro novo dia, um canto, sem prantos e a estória de todos os sorrisos, contidas em jardins de flores. entre amores, pudores, dissabores, mas sobre tudo flores, E assim... Outra vez mais jardins, regiões distintas de um mesmo lugar. Em que estou, em que vou estar. todos eles sou, todos eles ar. E assim vi cair, os últimos grilhões que me prendiam...

Wallace Alex

Pra fazer você Sorrir Bem mais que cinco ou seis retas, bem mais que doces aromas e sabores, canções ou cantigas... que sem um justo motivo, nos fazem dançar. A alegria simplesmente vem... quando menos se espera. Bons pensamentos e belíssímos lugares. Um dia de sol, Uma taça de vinho... Um toque de satisfação. Tudo para fazer você sorrir... ao fim deste poema. Em poucas palavras, a alegria diáfana de um homem... imperfeito.

A luz de Velas A sútil indiferença dos dias, jogos ao qual nos habituamos a jogar. Mestres em um tabuleiro de xadrez, em que as peças são os dias, nossas vidas e escolhas. Quero você em um jantar a luz de velas e doces e gentis palavras, que são ditas...nos momento certos, nos errados e intrinsecos, em que dois são um. Uma respiração, capricho, atenção e sobretudo, olhos nos olhos, que nos fazem ainda que por um instante. Sentir.

Wallace Alex

Fim de Tarde Com a bela tarde e a música de fundo, somente olhares e teus gestos simples, parecem perfeitos, sinuosas curvas de uma estrada nova e silenciosa. onde paisagens se revesam, e tornam a voltar por tuas curvas, teu belo rosto, me faz lembrar que vale ter chegado até aqui! E ao fim da tarde, já não há mais música somente olhares, entre olhares. E a fragância de teu corpo, pelo ar.

Logo, Eu! Estou pensando em palavras para descrever, Em palavras para escrever, instantes em que a mente põe se a vagar... não há pensamentos. Então em insigths mudos, penetro pelos campos e rios, tudo converge. A um ponto infimo, que não tenho certeza, se quer existiu no universo, Das certezas e incertezas, Um dia após outro... os meses, os dias, São teus sorrisos, as horas e o dia a dia. Nestes momentos, sopram os ventos em todas as direções, E ainda estamos aqui. Até as ondas dos mares, cantam uma mesma música para mim. A ponto de assobia-la por entre as ruas.

Wallace Alex

Logo, eu... Que vivo de olho nas estrelas. Logo, eu... Poeta de calçada, de pensamentos soltos, enquanto passa a multidão, eu penso, deixo de pensar, descrevo, deixo de escrever. Mas assobio por entre as ruas, a música que ondas dos mares cantam para mim.. logo, eu!

Moinhos de Vento Seus espiritos assombravam os moinhos de vento, era a própria encarnação de valores e valentia, tudo conforme descrito os antigos livros, de sabedoria que alguém os ensinou a ler. "A sabedoria da palavra não é palavra de sabedoria..." diziam os doutos versados, em macumbas biblicas. todos eram quixotes, tão pouco davam se ao luxo de questionar! seu próprio extâse. Eu a obsevar...coisas a saber, Que só alguns escudeiros ousam, querer fazer. E quando falam os cavaleiros, os quixotes... nos fiéis escudeiros, nada mais fazemos que calar. E ao seus próprios olhos, Eles entraram no reino dos Céus, desafiando a gravidade. E desde aqui seguimos adiante... "Só para mim nasceu dom quixote e eu para ele: Ele para praticar as ações e eu para escrevê-las. Somos um só (...)" Saavedra

Wallace Alex

Sons do Silêncio A matemática me atrai... e se tudo é número, você percebe que em silêncio, o homem pode tocar a música da alma, 1,2,3,5,8,13,21... Médias harmônicas Usando alguns acordes e... cheio de sua própria inspiração. É que alcançamos os sons do silêncio!

Strawberry Fields Forever Se podemos fechar nossos olhos a qualquer instante, podemos também manter nossas bocas fechadas, assim toda a felicidade fica sob controle, e todos os risos, e todos os fatos, desabafos de nós mesmos, Jamais sairão de nossas bocas fechadas. Então que se todas as bocas, todos os olhos, bem longe de todos os arco-íris, de todos os campos de morango, e de todas as margaridas. Entre um segundo lembrei! lembrei-me, Que não podemos impedir os rios de chegarem aos mares, Tão pouco a brisa. Não podemos impedir de beijar nossos rostos. Assim, fechamos os olhos para o que não queremos ver. mas abrimos janelas... Janelas para os espelhos da alma! E por trás de cada olhar cerrado, por trás de cada boca muda!

Wallace Alex

Surgem os sonhos! E assim, estou sempre, eu, por trás de toda. E qualquer palavra. Abracadabra Vê que até aqui me acompanha minha estrela!

365 Mundos Em poucas palavras, escrever de trás pra frente, cada tonta coisa que não quero fazer, Eis que um sopro, escrever de trás pra frente, fazer não quero, uma palavra é um sopro, um amigo mudo, um ensinamento a dois compartido com o silêncio. O Silêncio é meu professor. e sua sabedoria me castiga, e assim cada dia, a cada dia, Criei um novo mundo, todos os dias, 365 mundos em um universo, de mim mesmo. Que as salas estejam vazias, que me importa! a pláteia muda, é só um poema! Enquanto passeio triunfante, por todas as avenidas.

Wallace Alex

Sonhos

Estranhos sonhos se confundem no dia com os meus... Estes sonhos, que não são meus sonhos, não são meus risos, A teia da vida, algumas vezes nos prega algumas peças... Sob os olhos dos outros, seria melhor que tivessemos vivido, os outros sonhos. Aqueles sonhos que não são os meus. Prefiro ouvir Ramones, Gosto de ler, Estar próximo ao mar. Sentir o vento no rosto. Nada mais que uma vida tranquila. Num mundo tão cheio de tradições. Quem sabe...quem sabe, compre uma luneta. Só pra observar as constelações, de todas as estrelas, donde jamais poderei estar. ah! sim! a estrela flamigera no peito, longe, bem longe de todas as religiões. Que não sejam meus círculos. E discos voadores...

Ao Vento Como a água que brotava dos manancias, sem saber como, nem porque! Assim brotavam as palavras, poemas e textos... eis porque gosto de escrever. É nesse momento que como vento, sopro em qualquer direção, direções que pouco importam, um raio, um relâmpago... com palavras entre céus e mares,

Wallace Alex

triunfei sobre cada um destes. Alguns os chamam poemas, Quanto a mim...apenas transcrevo. momentos de tudo e nada. Dos quais faço parte. Fragmentos, elementos Afinal somos poeira das estrelas.

Filmes de Cinema Corpos bem torneados, passeiam pela avenida. entre pessoas se entremeiam olhares, por toda parte há vida! Assim caminhei por entre as palmeiras, buscando as pedras do Arpoador. E do ponto mais alto, avisto os mais belos pontos, os mais belos corpos. Nada como uma ráfaga de vento e uma cerveja gelada. Bem no meio de todas essas revoluções, caminhavam um hindu e um hari-krishna, lado a lado na calçada. Toda essa gente tão diferente, mulatas, loiras e morenas. Faziam o dia valer a pena. como nos filmes de cinema, passeando no calçadão.

Paisagens As paisagens, iam e vinham sucedendo-se uma a uma, ao meu lado. Algumas belas, outras nem tanto.

Wallace Alex

Mas todas mudas... Volta e meia, via um pássaro, entresaltando árvores, parecendo buscar algum fruto. Pelo menos foi que me pareceu. Poderia ser também outro viajante. Querendo ver o mesmo por do sol. Em uma praia a muito distante. Mas que sei...eu? Que sabemos nós! Nas mãos um livro de Jung, parecia indicar direções certas, para soluções abstratas... ou será que seriam certas direções, para abstratas soluções. Ah! me perdoem o mal português, mas tudo que se passa, depende de compreensão, também interpretação. Um sorriso! Assim peguei uma foto qualquer de alguém que nasceu no médio oriente, estava de braços abertos e me lembrou o Cristo Redentor! Meu doce Rio de Janeiro. Então a primeira parada é também litoral... Então vejo o mar e um mesmo pássaro, que já havia visto em outro lugar. Lembrei de umas palavras... "La torre que se remonta en el aire"

Wallace Alex

Radinho Um rádio na janela, destes que contam todas as verdades em uma estação AM... E todas as notícias tem notória importância. Para quem passa bem ao lado da janela. E o radinho preto fazia um enorme sucesso. Quando tocava alguns pagodes e sertanejos bem a beira da calçada. Confesso que até eu... por vez ou outra, já cantei um sucesso da blitz. Tipo...você não soube me amar. Um sorriso. o típico sorriso que nos faz esquecer, dos momentos tristes. o sorriso de quem ri de si mesmo. Seguimos adiante… “Saber de onde se vem, Saber para onde se vai, Saber a quem deveis prestar contas.” ...Vê então que aqui me acompanhou minha Estrela.

Wallace Alex