You are on page 1of 7

O cursinho que mais aprova na

FGV

CEAG – 15/Novembro/2009
RACIOCÍNIO CRÍTICO 01. Historicamente, em todos os casos em que a sociedade foi obrigada a suportar um nível de mera subsistência para alguns de seus membros, os sacrifícios foram feitos pelos que tinham menor poder econômico e político. Isso aconteceu durante a Revolução Industrial, na Inglaterra. Em 1750, a classe operária vivia perto do nível de subsistência; seu padrão de vida (medido em termos de poder aquisitivo dos salários) deteriorou-se na segunda metade do século XVIII. A evolução dos padrões de vida da classe operária nas primeiras décadas do século XIX é tema controvertido entre os historiadores. O fato de muitos estudiosos eminentes encontrarem evidência para argumentar que o padrão de vida não aumentou, ou até mesmo baixou, nos leva à conclusão de que, se houve qualquer aumento naquela época, deve ter sido, quando muito, diminuto.
Adaptado de: História do Pensamento Econômico, de E. K. Hunt, 1981.

02. O uso de uma nova tecnologia pode diminuir a quantidade de energia utilizada no processo produtivo de chapas de aço, tal como demonstrado pelo caso da empresa MCP. Hoje, a produção de chapas de aço por quilowatt-hora na empresa MCP é o dobro do que era há dez anos, muito embora as características das chapas tenham permanecido as mesmas. Qual das seguintes frases contém uma afirmação coerente com as informações dadas pelo trecho anterior, sobre a produtividade de chapas de aço? a) O custo total de produção de chapas de aço caiu pela metade em dez anos. b) Hoje se gasta menos energia na empresa MCP do que há dez anos. c) Graças à nova tecnologia, podem-se vender chapas de aço com margens de lucro maiores que há dez anos. d) A quantidade de energia utilizada no processo produtivo da empresa MCP dobrou nos últimos dez anos. e) Se a quantidade de energia utilizada no processo produtivo de chapas de aço permaneceu a mesma de dez anos atrás, então o número de chapas de aço produzidas dobrou.
Resolução: De acordo com o enunciado, a produção de chapas de aço por quilowatt-hora é, hoje, o dobro do que era há dez anos. Isso significa que, se a quantidade de energia utilizada permaneceu a mesma, então a produção das chapas dobrou. Alternativa E

Com base no texto acima, podemos afirmar que: a) A classe operária viveu sob condições pouco confortáveis durante a segunda metade do século XVIII, mas essa situação se inverteu substancialmente já no início do século XIX. b) A Revolução Industrial, afinal, beneficiou a classe operária inglesa, que na segunda metade do século XVIII, já havia ultrapassado os níveis de subsistência em que viviam em 1750. c) Não há consenso entre os historiadores acerca da tendência dos padrões de vida da classe operária inglesa nas primeiras décadas do século XIX. d) Quaisquer aumentos aparentes nos padrões de vida dos operários ingleses nas primeiras décadas do século XIX foram, na realidade, diminuições. e) As privações sofridas pela classe operária inglesa ao longo do século XVIII foram compensadas por incrementos em seu padrão de vida ao longo das primeiras décadas do século XIX.
Resolução: No texto, afirma-se que a evolução dos padrões de vida da classe operária nas primeiras décadas do século XIX é tema controvertido entre os historiadores, portanto não há consenso sobre o assunto. Alternativa C

03. Pesquisas demonstram que muitos artistas possuem casas em cidades litorâneas, principalmente por uma questão de vaidade. Um dado artista ‘A’ possui casa na praia, mas um dado artista ‘B’, não. Podemos concluir que: a) b) c) d) e) O artista ‘B’ é mais seguro de si que o artista ‘A’. O artista ‘A’ é mais vaidoso que o artista ‘B’. O artista ‘A’ é menos vaidoso que o artista ‘B’. O artista ‘B’ pode ser mais vaidoso que o artista ‘A’. Ambos os artistas, ‘A’ e ‘B’, se importam com vaidade.

Resolução: O fato de o artista “B” não ter casa na praia, não é condição necessária para que ele não seja vaidoso. Alternativa D

CPV

CEAGmai2009

1

assinale a única alternativa correta: “Muitos homens com amigos ricos não são bem-sucedidos na política. d) Se um homem tem amigos ricos. ñP Da frase: "muitos homens com amigos ricos não são bem sucedidos na política. dependendo demais do gás natural como alternativa energética quando a produção global de petróleo atingir o pico. e) A dependência excessiva do gás natural poderia provocar nova crise energética. mas não suficiente. 2002. Dado que a seguinte frase é verdadeira. Parcela substancial dos esforços reside na exploração e no desenvolvimento do gás natural. as companhias energéticas e elétricas podem estar criando uma segunda crise de energia. gerando riscos sem precedentes para a civilização humana e a própria Terra. Com base no conteúdo do texto apresentado. agrave a já perigosa elevação da temperatura na Terra. bem como o emprego do óleo pesado. é correto afirmar que: a) O gás natural é o único substituto do petróleo. Resolução: De acordo com o texto: "infelizmente. capazes de agravar a já perigosa elevação de temperatura na Terra. Infelizmente. b) Ter amigos ricos é condição necessária. De acordo com o texto.. b) A possibilidade de elevação da temperatura da Terra não tem influência nas decisões sobre escolhas de alternativas energéticas. c) Ter amigos ricos não é condição necessária para um homem ser bem-sucedido na política. ambientais e políticas. b) O uso mais intensivo do carvão não deve agravar a já perigosa elevação de temperatura na Terra. e) Se um homem tem amigos ricos. então não será bemsucedido na política. c) O uso intensivo do carvão. da areia de alcatrão e do xisto — todos combustíveis fósseis “sujos” e emissores de CO2." Alternativa E O texto seguinte serve de base para as questões 05 e 06. c) A escolha de areia de alcatrão e xisto como fontes de energia poderia auxiliar a proteção da biosfera. para um homem ser bem-sucedido na política. há quem preconize o uso dessa energia. Resolução: Embora o uso mais intensivo do carvão. d) O óleo pesado é uma alternativa à já perigosa elevação de temperatura na Terra.. a mudança para combustíveis mais sujos pode levar a uma colisão frontal entre a geopolítica e a proteção da biosfera. Alternativa D AR sP Resolução: Da frase: "todo homem bem-sucedido na política tem amigos ricos. Adaptado de: A Economia do Hidrogênio. Embora a trilha do gás natural possa conduzir a um beco sem saída. Os governos e as companhias energéticas já estão se mexendo para diversificar seus mananciais de energia. entre outros combustíveis. é correto dizer que: a) Não há defensores do uso mais intensivo do carvão. e) Os governos e as companhias energéticas já estão imunes aos golpes militares nos países do Oriente Médio. da areia de alcatrão e do xisto é uma alternativa imune a crises econômicas.o cursinho que mais aprova na FGV 04. então será bemsucedido na política. as companhias energéticas e elétricas podem estar criando uma segunda crise de energia. a) Ter amigos ricos é condição suficiente para um homem ser bem-sucedido na política. d) Embora possa levar a uma colisão frontal entre a geopolítica e a proteção da biosfera. CEAG – 15/11/2009 2 05. o uso intensivo do carvão é uma alternativa para mitigar a dependência do petróleo bruto. de Jeremy Rifkin. do óleo pesado. CPV CEAGmai2009 . As consequências dos golpes militares nos países do Oriente Médio. Alternativa B 06. podem ser sentidas muito além do abastecimento em postos de gasolina. mas todo homem bem-sucedido na política tem amigos ricos”. Há quem preconize o uso mais intensivo do carvão. que ocorrerá logo em seguida à do petróleo bruto e poderá ser devastadora para a economia global." conclui-se que ter amigos ricos é condição necessária para ser bem-sucedido na política. justamente na época em que a produção global de petróleo está prestes a atingir o pico." conclui-se que ter amigos ricos não é condição suficiente para ser bem-sucedido na política. dependendo demais do gás natural como alternativa energética quando a produção global de petróleo atingir o pico.

b) Há muitas boas escolas de negócio e há falta de empresários qualificados. d) Pode haver muitas boas escolas de negócio. o professor já estará em férias. então. poderá entregar as notas aos alunos antes de entrar em férias. não há falta de empresários qualificados. b) Atualmente. d) Atualmente. Qual dentre as alternativas abaixo. c) Há poucas escolas de negócio e não há falta de empresários qualificados. Assinale a alternativa que representa uma interpretação correta da seguinte frase: “Todo jamaicano é um exímio corredor dos 100 metros rasos”. igual número de crianças vive nas proximidades do centro de Goiânia e em bairros de periferia.3 CEAG – 15/11/2009 o cursinho que mais aprova na FGV 09. Dada a seguinte afirmação: Se há muitas boas escolas de negócio em um país. que poderia ser resumida do seguinte modo. Se o ritmo de abertura de novos negócios não é acelerado. e) Não há relação entre quantidade de escolas de negócio e qualificação de empresários. d) Os alunos já fizeram suas avaliações. Resolução: Novamente. d) Algum jamaicano pode ser mau corredor dos 100 metros rasos. maior habilidade. c) Um indivíduo que não seja exímio corredor dos 100 metros rasos pode. se verdadeira. se não há falta de empresários qualificados no país. mesmo assim. não encontrados nas proximidades do centro de Goiânia. se o professor não está de férias. são lugares propícios à prática de futebol. assim. Quanto mais perto de lugares propícios ao jogo de futebol as crianças vivem. então. os alunos não receberão as notas de suas avaliações. mais crianças vivem nas proximidades do centro de Goiânia do que em bairros de periferia. Alternativa C 07. e) Não há jamaicanos que não sejam exímios corredores dos 100 metros rasos. Alternativa A CPV CEAGmai2009 . Resolução: A estrutura das afirmações é a seguinte: A®B e B®C onde A = há muito boas escolas de negócio em um país B = não há falta de empresários qualificados C = o ritmo de abertura de novos negócios é acelerado As sentenças lógicas equivalentes são: não C ® não B e não B ® não A que corresponde à alternativa A.” Sendo a afirmação acima verdadeira. e) Nas proximidades do centro de Goiânia. c) Entre crianças. ser jamaicano. pode-se concluir que: a) Não há muitas boas escolas de negócio e há falta de empresários qualificados. Resolução: Se todo jamaicano é um exímio corredor dos 100 metros rasos. Resolução: A ideia que enfraquece a afirmação sobre a prática de futebol pelas crianças de Goiânia é a de que. poucas vivem em bairros próximos ao centro da cidade e muitas vivem em bairros de periferia que têm terrenos baldios. o ritmo de abertura de novos negócios é acelerado. é muito difícil encontrar lugares propícios à prática de futebol. Por sua vez. b) Caso o professor corrija as avaliações antes da data prevista. Alternativa A 08. podemos concluir que: a) Enquanto o professor não entrar em férias. mais enfraquece a ideia contida no parágrafo anterior? a) Os terrenos baldios. a habilidade para jogar futebol independe do tempo de prática e de seu local de residência. não há jamaicanos que não o seja. mais tempo podem dedicar-se a esse esporte. então não recebemos as notas. adquirindo. jogar futebol é uma habilidade que não depende de prática e de local. Se recebemos as notas. b) Ser jamaicano não é condição suficiente para que alguém seja exímio corredor dos 100 metros rasos. “Quando recebermos as notas de nossas avaliações. Em Goiânia. entre elas. Logo. temos uma questão de causa e consequencia. e) O professor corrigirá as avaliações dos alunos antes de entrar em férias. então o professor está de férias. entre as crianças com mais habilidade para o futebol. a) Todo exímio corredor dos 100 metros rasos é jamaicano. c) O professor esperará entrar em férias para corrigir as avaliações dos alunos. Alternativa E 10.

à medida que o operário se especializa. c) A população de X está toda concentrada em um terço de seu território. e) A população total de X é maior que a população total de Y. Qual dentre as alternativas abaixo. mais enfraqueceria a proposta da comissão? a) A qualidade do terreno de ambas.o cursinho que mais aprova na FGV 11. na cidade Z. além de X e Y. d) Independente da cidade escolhida para abrigar a produção. têm áreas totais semelhantes. Em vão as leis e os costumes retiraram ao seu redor os obstáculos. engenheiros. dentre as opções abaixo. ele permanece imóvel. amplos espaços em X. representantes de ambas as cidades participarão dos processos produtivos. Resolução: Como a pecuária extensiva requer amplos espaços contíguos de terra. Em meio ao movimento universal. como afirma o texto. o esquema que melhor representa a relação entre esses grupos. Mas. O que devemos esperar de um indivíduo que passou vinte anos de sua vida fazendo cabeças de alfinete? A que outra coisa mais sua inteligência poderá aplicar-se. nenhum advogado é também engenheiro. a um lugar do qual nunca mais sairá. Assim. abrindolhe mil caminhos diferentes para a fortuna: um sistema industrial mais forte do que as próprias leis e costumes condenou-o a uma tarefa e. palmeirenses e são-paulinos. perde a capacidade geral de aplicarse à direção do trabalho. o operário torna-se cada vez mais fraco. Considere os seguintes grupos ou conjuntos. Duas cidades. aprende a executar esse trabalho com perícia peculiar. Quando um artesão se dedica sempre e exclusivamente à fabricação de um único objeto. representativos de características de indivíduos moradores em uma cidade Z: advogados. ele deixa de pertencer a si mesmo para pertencer ao ofício que escolheu. uma comissão de planejamento composta por representantes de ambas propôs que toda a produção pecuária extensiva fosse desenvolvida no território da cidade Y. é semelhante. havendo. e pode-se afirmar que nele o homem se degrada. ao mesmo tempo. sendo verdadeira. Sabendo que. em uma palavra. X e Y. não possuem intersecção. A pecuária extensiva requer amplos espaços contíguos de terra. Alternativa A 13. Com o avanço do princípio da divisão do trabalho. palmeirenses e são-paulinos. mas os demais pares possíveis podem possuir intersecção. ele se torna mais hábil e menos industrioso. a) CEAG – 15/11/2009 4 12. e não no território de X. o argumento que enfraqueceria a proposta da comissão é o de que a população de X está concentrada apenas em 1/3 de seu território. a cada dia. frequentemente. mais limitado e menos independente: a arte faz CPV CEAGmai2009 . para a prática de pecuária extensiva. assim. escolha. e que nenhum palmeirense é também sãopaulino. senão a procurar um modo melhor de fazer cabeças de alfinetes? O próprio corpo desse homem terá adquirido hábitos fixos que nunca mais perderá. enquanto a população de Y está espalhada igualmente por todo o seu território. b) A produção pecuária poderá ser vendida para moradores de outras cidades. mas a densidade demográfica em X é maior que em Y. Alternativa C b) c) d) e) Resolução: Podemos fazer o seguinte esquema de conjuntos advogados engenheiros palmeirenses são-paulinos Os pares de conjuntos: advogados e engenheiros.

surgem homens ricos e cultos para explorar indústrias até então administradas por artesãos canhestros ou ignorantes. algumas loiras são bonitas. por serem especialistas em fabricação. Joseph Priester. Desse modo. podemos afirmar que: a) De acordo com as leis e os costumes. os homens ricos exploram as indústrias e conseguem abrir seus horizontes intelectuais. Nenhum piracicabano é louco. nenhum louco é piracicabano. pode ser representado de acordo com o seguinte esquema: lheres bonitas mu eres surfista ulh s m progressos. O mesmo produto satisfaz necessidades diferentes. Alguns alunos são noruegueses. Os argumentos I e III. mais individualistas. Algumas mulheres surfistas são loiras. a cerveja é a chance de férias momentâneas.com. à medida que descobrimos que os produtos industriais são menos caros e melhores. No Japão. c) Com o advento da divisão do trabalho. Os argumentos II e III. Considere os seguintes argumentos: I. Todas as mulheres surfistas são bonitas. nos japoneses essa característica era evidente. e) Artesãos mais dedicados à fabricação de um objeto tendem a ser mais industriosos. O argumento II. Nesse aspecto. Logo. os artesãos não devem trocar de ofício. nenhum aluno é médico. os patrões. sobre horizontes mais vastos. à medida que o operário restringe cada vez mais sua mente ao estudo de um único detalhe. as estratégias de venda não se baseiam no consumidor. asiáticos costumam pensar coletivamente. Em contrapartida. d) No contexto de avanço do princípio da divisão do trabalho a que o texto se refere. conseguem comercializar produtos mais baratos e melhores que as indústrias.umtoquedemotivacao. com a difusão da manufatura e a acumulação dos capitais. Adaptado de: A. com música e sol. XIX. o patrão paira. mas a “como posso me divertir e ter prazer”. de Tocqueville. II e III. Nada a ver com família. b) Os artesãos. Alguns médicos são noruegueses. o melhor apelo para vender produtos é “isso fará sua família mais feliz” ou “seus ancestrais ficariam contentes com essa compra”. mas em quem está à sua volta.br 14. Logo. E. O consumo é um elo identificador. Estados Unidos e Brasil são bem similares. irmãos ou tataravôs. bebendo a mesma cerveja que colegas. uma especialização. respondeu: A maior diferença está na relação entre coletivo e individual. todos os dias. Perguntado sobre como as motivações de consumo diferem de país a país. Resolução: Nos moldes de produção em série. verdadeiro. ancestrais ou pertencer a algum grupo. Com base no texto acima. Logo. a natureza do trabalho de operários é braçal. um trabalho braçal alienante. pode-se dizer que são válidos: a) b) c) d) e) CPV Somente o argumento II. III. Adaptado de www. Por outro lado. pois nada se afirma nas premissas sobre a intersecção entre o conjunto de alunos e o conjunto de médicos. consumir determinada marca significa pertencer ao grupo. Os argumentos I e II. II. Alternativa D O argumento III. ela eleva a dos patrões. mas o artesão regride. Os argumentos I. pode ser representado de acordo com o seguinte esquema: piracicabanos loucos mu lh s loira es er Alternativa B 15. Ao analisar comerciais de cerveja pelo mundo. O consumo de japoneses é motivado pela oportunidade de se relacionar com os outros.5 CEAG – 15/11/2009 o cursinho que mais aprova na FGV Resolução: No argumento I. enquanto a ciência industrial degrada continuamente a classe operária. os comerciais são sempre na praia. CEAGmai2009 . a conclusão é falsa. professor de Marketing da Michigan University. Por exemplo. Já no Brasil. houve diminuição da alienação da força de trabalho operária. enquanto a de patrões é intelectual. Assumindo que as premissas são verdadeiras. séc. o trabalho é dividido e o operário restringe-se a uma única habilidade. Os atores bebem cerveja junto a colegas de trabalho ou família. verdadeiro.

Resolução: O autor expõe o caso de uma moça que só conseguiu financiamento por ter carteira de trabalho e por possuir renda comprovada. uma TV simples e uma geladeira. e) lojas populares que vendem a perder de vista devem ser banidas da sociedade em que vivemos. pela primeira vez teve acesso a crédito. c) não se deve consumir. e) A importância relativa dos fatores motivacionais de consumo de cerveja coincide nos Estados Unidos e no Japão. consumo exagerado. Havia uma sala. O que se via ali não era a figura pecaminosa do esbanjador. então não x". novos e reluzentes. Consumo e Cidadania.] Dá-se uma conotação moral ao ato de consumir. a) As relações entre coletivo e individual nada influenciam a maneira como consumidores respondem aos comerciais de cerveja.. Alternativa D CEAG – 15/11/2009 6 16. consumo escorchante. B4. a) os juros escorchantes tornam o ato de consumir moralmente incorreto. O sentido de “consumo conspícuo” (sublinhado na última frase do texto apresentado) é mais próximo de: a) b) c) d) e) consumo moral. tendo acesso a bens de consumo. devem levar em conta o contexto social em que a venda será realizada. não dispondo de renda. assinale a alternativa correta. então o filme B não teve grande audiência. experimentava o gosto da cidadania.. além de o autor criticar quem disser que o filósofo tem “gastos excessivos”. Mesmo pagando juros extorsivos. E a condenação é justamente sobre quem. Folha de S.o cursinho que mais aprova na FGV De acordo com o discurso de Joseph Priester. até então: o ato de receber. b) Assim como os brasileiros. 27/04/2005. então a novela A não é boa. O filósofo é ele e seus livros. se isso implica pagar juros. os japoneses priorizam prazer e diversão em detrimento de identificação com colegas de trabalho ou família. O texto seguinte serve de base para as questões 16 e 17. depois. d) lojas populares que vendem a perder de vista não cobram juros. mas a alegria genuína de quem. um quarto e um banheiro. Mas ai de quem ousar recriminá-lo por gastos excessivos com livros. CPV CEAGmai2009 . Uma sentença lógica equivalente a “Se a novela A é boa. De acordo com a opinião expressa pelo autor no texto acima. Os contrastes entre usos e costumes determinam o consumo de cada sociedade. Quem não passou por privações pode se dar ao luxo de uma vida asceta. tendo carteira de trabalho e renda comprovada. então o filme B teve grande audiência” é: a) Se a novela A não é boa. na periferia. c) A novela A é boa ou o filme B teve grande audiência. assim. b) é relevante ter carteira de trabalho assinada e renda comprovada para ter acesso a crédito. um cafezinho. Resolução: O texto analisa os valores sociais de diferentes culturas. em cima de uma outra construção. Entramos em uma casa construída por eles próprios. Alguns anos atrás. Recebeu-nos dignamente. acima apresentado.. e) A novela A é boa ou o filme B não teve grande audiência. Alternativa B 17. serviu um refrigerante e. Aí não é consumo conspícuo. Fomos à tarde para buscála. na forma de negação. Paulo. E percebemos o orgulho que ela tinha em praticar algo inédito. consumo de livros.. é alimento para o espírito. b) Se o filme B não teve grande audiência. d) O melhor apelo para vender produtos depende do contexto social em que a venda será realizada. a babá de minha filha quis levá-la à sua casa. A sala estava irrepreensível. Tudo adquirido em uma dessas lojas populares que vendem a perder de vista. A moça conseguiu comprar porque. de uma frase do tipo: "Se x. com móveis baratos. [. p. As estratégias de marketing. Alternativa C 18. Resolução: A setença lógica equivalente. d) Se o filme B teve grande audiência. tem que se submeter aos juros escorchantes como única forma de acesso aos bens de consumo. Alternativa B Luís Nassif. então a novela A é boa.] Resolução: O sentido de “consumo conspícuo” é mais próximo de consumo exagerado. consumo controlado. c) Comerciais de cerveja bem-sucedidos nos Estados Unidos também serão bem-sucedidos no Japão. [. Foram de ônibus. então y" é : "Se não y.

Logo. certamente. Sabe-se que cada um pediu um suco diferente dentre os seguintes: mamão. sabendo não só que Sandra tomou suco de mamão. Cláudia não tomou suco de caju. Acreditamos que o candidato que estudou de acordo com as diretrizes divulgadas pela GV em seu manual não teve dificuldade de ter um bom desempenho nessa prova. Com base no enunciado e nas mesmas restrições da questão anterior. Mateus tomou suco de tangerina. graviola.7 CEAG – 15/11/2009 o cursinho que mais aprova na FGV 20. Carolina e Mateus — foram a uma casa de sucos. Cláudia. Carolina tomou suco de graviola. mamão Sandra Pedro Claúdia Carolina Mateus sim não não não não melancia graviola tangerina não sim não não não não não sim não não não não não caju não não não Resolução: De acordo com a tabela: mamão Sandra Pedro Claúdia Carolina Mateus sim não não não não melancia graviola tangerina não sim não não não não não não não caju não não não Mateus tomaria suco de tangerina apenas se Carolina tomasse suco de graviola. com questões envolvendo raciocínio de causa e consequência. 19. Sabendo que Sandra tomou suco de mamão. assinale a única alternativa verdadeira. III. Se Carolina tomou suco de graviola. Carolina tomou suco de caju. Resolução: Completando a tabela. então Mateus tomou suco de tangerina mas. então. melancia. Se Sandra tomou suco de mamão. São dadas as seguintes restrições acerca dos sucos que tomaram: I. Sabendo-se que Carolina não tomou suco de graviola. Alternativa E COMENTÁRIO DA PROVA DE RACIOCÍNIO CRÍTICO Mais uma vez. Mateus tomou suco de tangerina. Mateus tomou suco de caju. então Mateus não tomou suco de tangerina. Apenas se Carolina tomou suco de graviola. Com certeza Mateus tomou suco de graviola. Com certeza Mateus tomou suco de caju. mas também que Cláudia não tomou suco de tangerina. união e intersecção de conjuntos e interpretação de textos. Pedro não tomou suco de melancia. Alternativa A CPV CEAGmai2009 . Cinco amigos — Sandra. Mateus não tomou suco de tangerina e Carolina não tomou suco de graviola. Cláúdia não teria mais nenhuma opção de suco. Pedro. II. nesse caso. tangerina e caju. a) b) c) d) e) Carolina não tomou suco de graviola. então Pedro tomou suco de melancia. a prova de Raciocínio Crítico foi muito bem feita. Carolina tomou suco de graviola. restandolhe apenas a opção "caju". a) b) c) d) e) Mateus tomou suco de graviola.