You are on page 1of 5

O nome "barroco" (provavelmente derivado de barueco, a palavra espanhola que designava uma pérola de forma irregular) foi atribuído

nos finais do XVIII e possuía alguma intenção pejorativa, uma vez que nessa altura este período era ainda considerado como a fase de decadência do renascimento. Só nos inícios do século XX este estilo é reconhecido como um dos mais importantes da história moderna. Desenvolvida durante o século XVII, num ambiente dominado pelos progressos científicos, pela consolidação das grandes monarquias

absolutistas, pelo movimento da contrarreforma da igreja católica e pela expansão protestante nos países nórdicos, a arte barroca prolongou-se pelo século XVIII em muitos países. O estilo barroco nasceu em Itália, a partir das experiências maneiristas de finais do século XVI e expandiu-se rapidamente para outros países europeus, atingindo mais tarde as colónias espanholas e portuguesas da América Latina e da Ásia. Apesar das diferentes interpretações que se verificaram nos diferentes países e regiões, determinadas por diferentes contextos políticos, religiosos e culturais, este estilo apresentou algumas características comuns, como a tendência para a representação realista, a procura do movimento e do infinito, a importância cenográfica dos contrastes luminosos, o gosto pelo teatral, a tentativa de integração das diferentes disciplinas artísticas.

Arquitetura Durante o período barroco, duas tipologias protagonizaram as pesquisas formais e construtivas: o palácio e a igreja. Os arquitetos barrocos entendiam o edifício de forma integrada, como se fosse uma grande escultura, única e indivisível. A sua forma era ditada por complexos traçados geométricos (muitas vezes baseados em formas curvas e em ovais) que imprimiam qualidades dinâmicas aos espaços e às fachadas. Paralelamente abandonaram-se os rígidos esquemas compositivos

baseados nas ordens clássicas.O Barroco nasceu em Itália, mais

As guerras na Alemanha e a invasão Turca da Áustria condicionaram grandemente a introdução do estilo barroco nestes países. iniciada em 1675. projetada por Baldassare Longhena e para os trabalhos de Guarino Guarini. Esta pintura em trompe l'oeil. como a Capella della Santa Sindone. Por esta razão. para além da transformação estilística.especificamente na Roma Papal seiscentista. neste período. constituiu um dos mais notáveis edifícios construídos neste período pela extrema complexidade e dinâmica da planta. de forma a integrar organicamente os espaços arquitetónicos. projeta em 1665 por Borromini. fontes e um enorme canal. o mais monumental. A pequena igreja de San Carlo alle Quatro Fontane. dos quais se destaca o da Catedral de S. o Barroco alemão e austríaco foi desenvolvido mais tardiamente e. mais original e Piero da Cortona. . Borromini. autor de muitos projetos para reconstrução das igrejas de Londres. em Turim. aplicada em paredes e tetos constituiu uma das mais originais contribuições do Barroco. Artes plásticas e decorativas No campo pictórico assistiu-se. ao alargamento dos géneros e das próprias dimensões da pintura. Três arquitetos protagonizaram o desenvolvimento deste estilo: Gian Lorenzo Bernini. Este estilo encontrou a sua máxima expressão no Palácio de Versalhes. de Veneza. Fora de Roma. Paulo. destaque para a igreja de Santa Maria della Salute. de inspiração borrominiana.O Barroco francês assumiu características simultaneamente mais monumentais e clássicas. O seu afastamento relativamente à estética italiana foi afirmado com recusa do projeto de Bernini para a ampliação do Louvre. embora se fundamente em modelos italianos. pela total subversão das regras tradicionais e pela forma ondulante das paredes. que integra um vasto palácio e um enorme jardim estruturado por longos eixos e pontuado por estátuas. a sua exuberância decorativa denuncia conceitos já próximos do estilo Rococó. projetada pelo arquiteto Louis le Vau e pelo jardineiro André le Nôtre. uma residência real construída nos arredores de Paris por Louis XIV. Em Inglaterra este estilo foi protagonizado por Sir Christopher Wren.

ligada à frívola vida da . ao caravagismo de sentido intimista da pintura de Georges de La Tour opõem-se a vertente mais classicista dos trabalhos de Nicolas Poussin e o caráter cenográfico das pinturas de Charles le Brun para o Palácio de Versalhes. o rococó tentou recuperar uma cultura mais íntima e sensível. diferenciando-o do Barroco que. de 1645.Em Espanha a pintura atingiu um elevado nível artístico. pintor mais introvertido. bastante diferentes entre si: Peter Paul Rubens. em 1629. realizou a sua obra prima. sensual e teatral. caracterizadas pelo virtuosismo técnico e pela tentativa de captar o movimento em momentos fugidios. por Bartolomeu Murillo e por Francisco Zurbarán. "As Meninas". famoso pelas pinturas religiosas nas quais os contrastes entre a luz e sombra na modelação dos corpos e dos espaços introduz uma atmosfera dramática de intensa espiritualidade. caso das peças "Apolo e Dafné". Só muito recentemente se reavalia este movimento. protagonizada por Diego Rodríguez da Silva e Velásquez. autor de uma pintura vigorosa. e Rembrandt van Rijn. em muitos países. A escultura barroca encontrou o seu paroxismo nas obras do italiano Gian Lorenzo Bernini. um termo depreciativo inventado por críticos numa época que desvalorizou este período artístico. Em França. se desenvolveu em simultâneo com o Rococó. francamente empregues por este estilo). como a concha. Velásquez. executou inúmeros auto-retratos inspirados na linguagem intensa e dramática de Caravaggio. pintor oficial da corte e um dos mais originais artistas barrocos. Rococó IntroduçãoArquiteturaArtes plásticas e decorativasIntrodução O nome Rococó derivou do termo francês rocaille (que designava os motivos ornamentais.A pintura barroca flamenga afirmou-se através do trabalhos de dois artistas.Procurando afastar-se da austeridade e monumentalidade que a cultura iluminada de Louis XIV exportou para toda a Europa. realizada entre 1622 e 1624 ou no "Êxtase de Santa Teresa".O mais influente pintor deste período foi o italiano Caravaggio.

sob a forma de presépios. eram francamente iluminadas por vãos cada vez mais elegantes. As igrejas. De entre os inúmeros templos construídos nesta altura destacam-se a abadia de Ottobeuren de Johann Fisher. surgindo geralmente no interior de igrejas e de palácios.corte e elegeu como fundamento estético a supremacia da sensação. cuja técnica foi importada da China nesta altura. As salas. criaram-se novas tipologias residênciais aristocráticas. Abandonando a solenidade e monumentalidade barroca. Artes plásticas e decorativas A escultura rococó. De entre os edifícios erguidos neste período destacam-se a ala poente do Palácio de Queluz. é de pequena escala (à exceção de poucas esculturas monumentais em bronze). A produção da porcelana. em Praga. Outros materiais. expandindo-se por toda a Europa. Apresentava formas sofisticadas e galantes e as temáticas abordadas ligavam-se geralmente à vida cortesã. as grandes transformações estilísticas e formais da arquitetura manifestaram-se essencialmente ao nível dos edifícios civis.Se a Inglaterra e a Itália contribuiram muito pouco para o desenvolvimento deste estilo. A progressiva especialização funcional dos diferentes espaços determinaram a tendência para se pensar cada sala autonomamente. na Alta Baviera. embora na Alemanha fosse frequente a estatuaria sacra. da forma caprichosa e do ornamento. Fundindo o requintado carácter rocaille com a monumentalidade barroca. reservavam para o interior toda a complexidade espacial e exuberância decorativas próprias deste estilo. ornamentadas por delicadas e densas molduras. desenhada pelo francês Robillon.Em Portugal a arquitetura rococó não atingui um nível artístico comparável ao dos restantes países europeus. como a madeira e a porcelana eram muitas vezes utilizados para a execução de peças mais pequenas. painéis e medalhões que encerravam pinturas e espelhos. numa síntese que se designou por Gesamtkunstwerk (obra de arte total). este estilo procurava integrar na arquitetura elementos escultóricos e pictóricos. urbanas e rurais. conheceu um grande desenvolvimento. Um dos exemplos notáveis deste tipo de escultura foi realizado pelo português Machado de Castro. que respondiam a necessidades de intimidade e de conforto que os grandes palácios não admitiam. contrariamente à barroca que assumia geralmente uma escala pública e monumental. Em França foi criada a Real . Um dos géneros mais difundidos neste período foi o retrato. eliminando-se frequentemente as regras compositivas de sentido geral e dissociando-se o carácter dos espaços interiores da imagem exterior dos edifícios. as regiões alemãs e austríacas envolventes dos alpes destacaram-se na criação de uma arquitetura rococó de carácter religioso. Arquitetura Em França. um conjunto de igrejas construídas para Lisboa após o terramoto de meados da centúria e uma série de pequenos edificios civis e religiosos projetados por André Soares para a região de Braga. apresentando geralmente um exterior simples. obra dos irmãos Zimmermann e a monumental igreja da abadia de Wierzehnheiligen na Baviera. a pequena igreja de peregrinação In der Wies. normalmente realizado em mármore. de Balthasar Neumann. as igrejas do arquiteto Dientenhofer.

a paisagem e o retrato. Sem as limitações técnicas da escultura em pedra. as peças de porcelana assumiam formas ainda mais carpichosas e sinuosas. teve como protagonistas os franceses Largillière. . foram as cenas cortesâs (género no qual se destacaram os pintores Watteau e Fragonard). destacou-se pela produção original de paisagens urbanas. O mais conhecido e internacional dos pintores da escola veneziana foi. respondendo cada vez mais a objetivos decorativos e ornamentais. Os temas preferênciais deste período. A pintura rococó apresentava tendência para a valorização da mancha colorida em detrimento da linha.A pintura veneziana. Este último. que alcançou nesta época um grande reconhecimento. Nattier ou Chardin e os ingleses Hogarth. Joshua Reynolds e Thomas Gainsborough. Canaletto (famoso pela minucia e rigor das representações) e Francesco Guardi (este mais veloz e impressionista). um campo temático em que se afirmaram Piero Longhi. para as composições baseadas em traçados ondulantes e para o predomínio dos elementos ornamentais. bastante difundido. no entanto. Giambattista Tiepolo que se especializou na pintura de grandes frescos. Foram então realizados muitos retratos a pastel.Manufatura de Sévres e em Espanha a Fábrica do Buen Retiro. técnica pictórica que admitia uma grande rapidez e liberdade de execução.