Jornal Capital

Pág.: 4

24/07/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

06/08/2012

JORNAL DE HOJE – NOVA IGUAÇU – RJ
Geral

07/08/2012

1/1

Energia sustentável
Transformar o Rio de Janeiro em uma referência mundial em energia sustentável é o principal objetivo da parceria entre o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro, da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), e o programa “Rio Capital da Energia”, do Governo do estado. O assunto foi ontem, durante reunião da Câmara Setorial de Infraestrutura e Energia do Fórum. “Queremos contribuir de forma efetiva, trazendo novos parceiros para esse movimento. Nosso objetivo é, dessa forma, somar ideias ao programa do Executivo, que pretende promover a produção da energia verde e a inovação tecnológica”, afirmou a secretária-geral da entidade, Geiza Rocha.

Jornais & Revistas – matéria retirada da Internet

www.videoclipping.com.br

Jornal Capital

Pág.: 4

20/08/2012

O FLUMINENSE - RJ
Política

Pág.: 6

01/09/2012

1/1

www.videoclipping.com.br

Jornal Capital

Pág.: 4

04/09/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

17/09/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

15/10/2012

MONITOR MERCANTIL - RJ
Negócios & Empresas

Pág. 4

17/10/2012

1/1

www.videoclipping.com.br

DIÁRIO DO VALE – VOLTA REDONDA - RJ
Cartas dos Leitores Pág. 2

18/10/2012

1/1

www.videoclipping.com.br

O SÃO GONÇALO - RJ
Polìtica

Pág. 3

25/10/2012

1/1

www.videoclipping.com.br

Notícia em Destaque
Cidade

Pág.: 8

25/10/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

28/10/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

26/11/2012

Jornal Capital

Pág.: 4

10/12/2012

Boletim Fecomércio-RJ
Pág.: 2 e 3

maio-junho/2012 1/2

Boletim Fecomércio-RJ
Pág.: 2 e 3

maio-junho/2012

2/2

Sescon-RJ

Pág.: 16

01/09/2012

Sescon-RJ

Pág.: 5

01/09/2012

A Lavoura

Pág.: 67

01/11/2012

NetPetrópolis
www.netpetropolis.com.br

Internet

09/03/2012

Programa Rio em Foco traz debate sobre Temas da Conferência RIO+20 Os três grandes temas da Conferência Rio+20: desenvolvimento sustentável, economia verde e erradicação da pobreza serão debatidos no programa Rio em Foco, que vai ao ar nesta segunda-feira (12/03), às 22h, na TV Alerj (canal 12 da NET). Para o presidente do Conselho Empresarial do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) Haroldo Mattos Lemos, a política de meio ambiente no Brasil teve avanços importantes. Ele citou como exemplo a lei dos crimes ambientais, a política nacional de recursos hídricos e o aumento significativo das áreas protegidas, principalmente na Amazônia. Mas salientou que, desde a Conferência de Johannesburgo, os avanços foram menores, inclusive na questão das áreas protegidas. “Dentre os avanços brasileiros, também podemos citar a Carta da Terra, a Declaração das Florestas, a Agenda 21 e a Declaração do Rio. A Conferência Rio+20 pretende fazer com que as decissões da cúpula do desenvolvimento sustentável aconteçam, para que possamos operar o desenvolvimento sustentável e não apenas regulamentar esses princípios”, disse a outra participante do programa, a deputada Aspásia Camargo (PV). A secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, declarou que as discussões da Rio+20 não podem ficar restritas apenas aos chefes de Estado. “É fundamental que toda a sociedade civil participe. Só assim será possível garantir que sejam tomadas medidas concretas durante o encontro”, finalizou. O Rio em Foco terá reprises no sábado (17/03), às 17h, e no domingo (18/03), às 20h. Abaixo, a relação dos demais canais a cabo onde a TV Alerj é transmitida e as orientações para sintonizar pela parabólica: Niterói - 03 Nova Friburgo - 97 Teresópolis – 41 Três Rios – 96 Volta Redonda – 13 Angra dos Reis – 14 Barra Mansa – 96 Cabo Frio – 34 Campos dos Goytacazes – 10 Itaperuna – 99 Macaé – 10 Petrópolis – 95 Resende – 96 São Gonçalo – 12 Paty do Alferes – 96 Informação para recepção via parabólica: - Satélite Brasilsat - B4 at 84° W - Taxa de Símbolos = 3,0 MSps Frequência Banda-C = 3816,0 MHz - FEC = 3/4 - Frequência Banda-L = 1334,0 MHz - Polarização= Horizontal.

JusClip
www.jusclip.com.br

Internet

04/06/2012

TURISMO DE AVENTURA É TEMA DO PROGRAMA RIO EM FOCO Pesquisa realizada por empresas alemãs identificou o segmento do Turismo de Aventura como um dos principais interesses dos visitantes que virão para a Copa e as Olimpíadas. O Rio em Foco desta segunda-feira (04/06), que vai ao ar às 22h na TV Alerj (Canal 12 da Net), mostra como as empresas de turismo do estado do Rio estão se preparando para atender a esta demanda e se articulando para oferecer mais segurança aos clientes. “Conseguimos nos unir e, em parceria com o Ministério do Turismo e com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), desenvolvemos um conjunto de normas para regulamentar o setor”, explica o coordenador da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) no Rio de Janeiro, Gustavo Werneck. O programa apresenta também as ações que de capacitação que estão sendo empreendidas pelo Sebrae-RJ, em parceria com o Ministério do Turismo e da Abeta, para estruturar roteiros integrando o Turismo de Aventura e a gastronomia e hotelaria locais. O primeiro local escolhido foi o Parque Nacional da Serra dos Órgãos. “Mobilizamos neste projeto 22 empresas do setor e vamos a partir dele construir um modelo e uma cartilha de estudo de caso para disseminar a experiência”, explica Marisa Freitas, do Sebrae-RJ. Apresentado pela jornalista Geiza Rocha, o Rio em Foco, programa do Fórum Permanente de Desenvolvlimento Estratégico do Estado tem reprises no sábado (09/06) às 17h, e domingo (10/06) às 20h. Abaixo, a relação dos demais canais a cabo onde a TV Alerj é transmitida e as orientações para sintonizar pela parabólica: Niterói – 03 Nova Friburgo – 97 Teresópolis – 41 Três Rios – 96 Volta Redonda – 13 Angra dos Reis – 14 Barra Mansa – 96 Cabo Frio – 34 Campos dos Goytacazes – 10 Itaperuna – 99 Macaé – 10 Petrópolis – 95 Resende – 96 São Gonçalo – 12 Paty do Alferes – 96 Informação para recepção via parabólica: – Satélite Brasilsat – B4 at 84° W – Taxa de Símbolos = 3,0 MSps – Frequência Banda-C = 3816,0 MHz – FEC = 3/4 – Frequência Banda-L = 1334,0 MHz – Polarização= Horizontal

Folha do Interior
www.folhadointerior.com.br

Internet

06/07/2012

Reunião do Rio Capital da Energia acontece hoje na Firjan Rio, – Nesta sexta-feira, a partir das 15h30, na sala BRD do 12º andar da Firjan, será realizada mais uma reunião do comitê executivo do Rio Capital da Energia. Lançado para valorizar a liderança nacional do estado no setor, o programa está aberto a novas adesões de empresas, universidades e associações interessadas em propor projetos de energia sustentável. A disponibilização de crédito é um instrumento do programa, que foi apresentado ao Fórum de Desenvolvimento Estratégico, na Alerj, nesta quinta-feira. A reunião desta sexta-feira é aberta a interessados em aderir ao programa. O comitê executivo é formado por representantes dos 32 integrantes do Rio Capital da Energia. Criado pela secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, o Rio Capital da Energia tem como base o fato de o estado hoje concentrar cerca de 80% da produção de petróleo nacional, 42% de gás natural, possuir as únicas usinas nucleares do país, a maior concentração de usinas térmicas a gás e ainda uma série de novos projetos para geração e em inovação tecnológica na área de energia. Nesta quinta-feira, a coordenadora do programa e assessora da secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Maria Paula Martins, apresentou o Rio Capital da Energia ao Fórum de Desenvolvimento Estratégico, na Alerj. Membro do Departamento de Engenharia, o representante da UFF na reunião demonstrou que, da parte da universidade, há interesse em aderir imediatamente ao programa. O representante do Clube de Engenharia no encontro também adiantou que a entidade deverá ser mais um integrante do programa. O Rio Capital da Energia já tem uma carteira com 35 projetos, com recurso totalizando R$ 500 milhões. Os projetos foram divididos a partir de quatro pilares da estrutura do programa: a eficiência energética, a inovação tecnológica, a economia de baixo carbono e a massificação do conceito de energia sustentável. A ideia é que cada um desses pilares possa ser replicado em quatro setores estratégicos: transporte, indústria, construção e comércio/serviços. Mais informações sobre o programa podem ser obtidas no portal www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br.

Acontece
www.jacontece.blogspot.com.br

Internet

06/07/2012

PROGRAMA RIO CAPITAL DA ENERGIA É APRESENTADO PARA FÓRUM DA ALERJ Promover a eficiência energética, a inovação tecnológica e a energia verde são os pilares do programa “Rio Capital da Energia”, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. Ele foi apresentado, nesta quinta-feira (05/07), em reunião da Câmara Setorial de Infraestrutura e Energia do Fórum do Desenvolvimento Estratégico do Estado, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A coordenadora do programa, Maria Paula Martins, afirmou que 35 projetos já têm um cronograma definido. “A lista soma investimentos já assegurados de, pelo menos, R$ 500 milhões, mas a carteira de projetos é dinâmica e novos deles serão acrescentados ao longo dos meses”, destacou. O programa “Rio Capital da Energia” pretende mobilizar a sociedade e concentrar recursos em torno do setor energético, fazendo do estado uma referência mundial na energia sustentável. Durante a apresentação, a coordenadora lembrou a vocação do estado para a produção de energia. “Aqui, estão concentrados 80% da produção de petróleo nacional, 42% de gás natural, as únicas usinas nucleares do País e o maior número de usinas térmicas a gás, além de novos projetos para geração e inovação tecnológica”, ressaltou, citando a instalação de painéis fotovoltaicos no Maracanã, os ônibus movidos a diesel-GNV e a instalação de sinalização de trânsito com energia solar em Armação dos Búzios, dentre outros. Segundo o presidente da Associação Brasileia de Energia Alternativa e Meio Ambiente, Ruberval Baldini, esta é uma iniciativa louvável, já que a articulação e a motivação feitas pelo Governo estadual podem ser determinantes para o sucesso do programa. Ele lamentou, no entanto, o pouco espaço da oferta de energias solar e eólica entre os projetos. “É preciso uma quebra de paradigma nesta questão. É tempo de colocarmos as alternativas em prática, como a micro geração (pequenas inciativas de geração de energia) e as energias solar e eólica. Os investimentos estão concentrados em fontes do século passado. Já passou da hora de pensarmos como século XXI, em um conceito sustentável de energia”, defendeu Baldini. Maria Paula reiterou a vontade de estabelecer parcerias. “Nosso papel é unir esforços. Dessa maneira, encurtamos o trabalho estabelecendo um atalho para chegar aos resultados. Vou incorporar o que foi debatido e ter reuniões com esses representantes. Esse é um programa que está apenas começando”, afirmou a coordenadora. A reunião, presidida pela secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, teve a participação dos representantes do Inmetro, Orlando Bandeira; do Clube de Engenharia, Carlos Ferreira; da Associação Comercial do Rio, Sergio Peres Vianna; da Hobeco Sudamericana, Luciana Oliveira; e da Universidade Federal Fluminense, Geraldo Tavares, além do diretor da Enersud – desenvolvedora de equipamentos para a geração de energias renováveis – , Luiz César Pereira. (Texto do Priscilla Daumas)

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Educação como legado

Internet

23/07/2012

O Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro mantém permanentemente na agenda o tema legado dos megaeventos esportivos e tem buscado aprofundá-lo em diversas ocasiões. O que fica cada vez mais claro é que se não aliarmos às transformações de infraestrutura, que estão ocorrendo, o legado social, pouco avançaremos. Além de debater, buscamos modelos e projetos que possam servir de exemplo para esta construção. É preciso sabermos onde queremos chegar, para traçarmos as melhores rotas. Numa destas intervenções, conhecemos o projeto Memória Olímpica, que reúne numa mesma proposta Educação, Esporte, Olimpismo e Internet. No portal www.memoriaolimpica.com eles disponibilizam uma série de informações sobre os jogos e sobre a participação dos atletas brasileiros; no contato dos atletas com as crianças de escolas públicas municipais eles ensinam os princípios olímpicos e paralímpicos de forma lúdica; e através do trabalho voluntário vão plantando sementes que podem florescer num curto espaço de tempo. Na segunda-feira que vem, dia 30, às 22h, vamos mostrar um pouco deste projeto no Rio em Foco, programa do Fórum na TV Alerj (canal 12 da NET). O que mais me chamou atenção é que este projeto está mostrando na prática como mobilizar as futuras gerações. E mais: o potencial da educação física como ferramenta de inclusão social para milhares de jovens. Mais do que formar atletas de alto rendimento, o esporte pode incutir princípios fundamentais que colaboram no relacionamento entre os alunos, afastam perigos como o das drogas e abrem novos horizontes.

Alerj
www.alerj.rj.gov.br

Internet

26/07/2012

ALERJ RECEBE HOMENAGEM DA ADESG A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) foi homenageada, nesta quinta-feira (26/07), pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg), com um almoço no Clube da Aeronáutica, no Centro da cidade. O encontro teve como tema os poderes legislativos do Brasil e o deputado Luiz Paulo (PSDB) representou o parlamento fluminense. "Eu estou aqui representando o presidente da nossa Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), que está no exercício de governador do Estado. E hoje temos uma oportunidade importante pela troca de experiências entre a Alerj e a Adesg, afinal nós também temos uma escola do legislativo. Essa relação é muito boa para ambas às partes, já que a Adesg estuda os problemas do nosso País e o parlamento é um dos três poderes constituídos", explicou Luiz Paulo. Durante o almoço, o presidente da Adesg, Pedro Luiz Berwanger, comentou sobre os laços entre as duas instituições e ressaltou o bom trabalho do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro. "Nós temos um excelente contato com a Alerj, tanto através do presidente Paulo Melo, como também através do Fórum de Desenvolvimento. Nós participamos do das discussões e vemos um trabalho de muito valor, não só para o Rio de Janeiro, como também para outros estados, que podem levar novas ideias para suas regiões", elogiou Berwanger. (texto de Raoni Alves)

Jusclip ce www.jusclip.com.br

Internet

26/07/2012

ALERJ RECEBE HOMENAGEM DA ADESG A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) foi homenageada, nesta quinta-feira (26/07), pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG), com um almoço no Clube da Aeronáutica, no Centro da cidade. O encontro teve como tema os poderes legislativos do Brasil e o deputado Luiz Paulo (PSDB) representou o parlamento fluminense. "Eu estou aqui representando o presidente da nossa Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), que está no exercício de governador do Estado. E hoje temos uma oportunidade importante pela troca de experiências entre a Alerj e a Adesg, afinal nós também temos uma escola do legislativo. Essa relação é muito boa para ambas às partes, já que a Adesg estuda os problemas do nosso País e o parlamento é um dos três poderes constituídos", explicou Luiz Paulo. Durante o almoço, o presidente da Adesg, Pedro Luiz Berwanger, comentou sobre os laços entre as duas instituições e ressaltou o bom trabalho do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro. "Nós temos um excelente contato com a Alerj, tanto através do presidente Paulo Melo, como também através do Fórum de Desenvolvimento. Nós participamos do das discussões e vemos um trabalho de muito valor, não só para o Rio de Janeiro, como também para outros estados, que podem levar novas ideias para suas regiões", elogiou Berwanger.

Acontece
www.jacontece.blogspot.com.br

Internet

30/07/2012

ALERJ RECEBE HOMENAGEM DA ADESG ASCOM(Texto: Raoni Alves) A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) foi homenageada, nesta quinta-feira (26/07), pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG), com um almoço no Clube da Aeronáutica, no Centro da cidade. O encontro teve como tema os poderes legislativos do Brasil e o deputado Luiz Paulo (PSDB) representou o parlamento fluminense. "Eu estou aqui representando o presidente da nossa Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), que está no exercício de governador do Estado. E hoje temos uma oportunidade importante pela troca de experiências entre a Alerj e a Adesg, afinal nós também temos uma escola do legislativo. Essa relação é muito boa para ambas às partes, já que a Adesg estuda os problemas do nosso País e o parlamento é um dos três poderes constituídos", explicou Luiz Paulo. Durante o almoço, o presidente da Adesg, Pedro Luiz Berwanger, comentou sobre os laços entre as duas instituições e ressaltou o bom trabalho do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro. "Nós temos um excelente contato com a Alerj, tanto através do presidente Paulo Melo, como também através do Fórum de Desenvolvimento. Nós participamos do das discussões e vemos um trabalho de muito valor, não só para o Rio de Janeiro, como também para outros estados, que podem levar novas ideias para suas regiões", elogiou Berwanger.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Saindo do lugar-comum SEG, 06 DE AGOSTO DE 2012 14:25

Internet

06/08/2012

Não tem segredo. Formar o indivíduo requer trabalho, coerência, persistência e frequência. Metas concretas e palpáveis. É um dos únicos atos que não podemos delegar. Educar nossos cidadãos é função dos pais, das escolas, da própria sociedade. Todos juntos, num equilíbrio perfeito. Utopia? Não. Em meio aos debates sobre a Educação no país, especialistas têm chamado a atenção para a necessidade de regionalizar o ensino, conhecer os alunos e seus problemas. E romper a idéia de que a escola e o aprendizado só acontecem dentro da sala de aula. Com a difusão da internet, o potencial de aceleração do aprendizado tem crescido e as barreiras ficado cada vez mais fluidas. Porém, a dispersão também aumentou e o desafio de manter a audiência interessada e presente requer adotar novos métodos. Sai de cena o professor que tudo sabe e entra o educador, que ensina os alunos a perguntar e a correr atrás das respostas. O tutor, que estimula os jovens a escolherem seus próprios caminhos, serem autônomos e senhores do seu destino. A participação... Quem está acostumado com isso? Os pais estão sendo chamados a atuar em casa e na escola. O terceiro setor a dizer o que as comunidades demandam. As empresas, a intervir de forma mais direta junto às instituições de ensino, somando suas competências. E o governo a responder pelo desempenho dos alunos com investimentos e ações. A Educação pode mudar realidades. Mas é preciso multiplicar as experiências. Estamos no começo do processo. Na impossibilidade de atender a todos, somos instados a focar em pequenos grupos, criar ilhas de excelência que tem o potencial enorme de disseminar ações, mas que também possuem limites. Se participarmos individualmente, isso ganha escala, se torna universal. Assista no www.rioemfoco.rj.gov.br os diálogos sobre Educação. Visite as escolas próximas a sua casa. Cobre melhorias. Participe desta revolução!

JusBrasil
www. al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

08/08/2012

EVENTO DO FÓRUM DISCUTIRÁ ENSINO E TECNOLOGIA O tema Tecnologia e o Ensino foi definido para ser o mote principal do evento Marco Legal e Políticas Públicas de Fomento à Economia Criativa, que será realizado pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Rio no próximo dia 20. A escolha foi feita nesta quinta-feira (09/08), durante reunião da Câmara Setorial de Economia Criativa, realizada na sede do Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Microempresa, o Sebrae. Secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha falou sobre a decisão. A proposta é discutir de que forma podemos transformar os professores em profissionais capacitados tecnologicamente, pra atuar dando um salto de qualidade na educação, defendeu. O evento programado será realizado no Plenário Barbosa Lima Sobrinho..

JusBrasil
www. al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

08/08/2012

FÓRUM DISCUTE PREPARATIVOS PARA EVENTO SOBRE A ECONOMIA CRIATIVA O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado vai realizar uma reunião sobre o evento Marco Legal e políticas públicas de fomento à economia criativa, nesta quinta-feira (09/08), às 9h30, na sede do Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Microempresa, o Sebrae. O encontro tem o objetivo de discutir com as câmaras setoriais de Cultura, Turismo, Esporte e Economia Criativa o trabalho de preparação e mobilização para este evento, que acontecerá no próximo dia 20, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O Sebrae está localizado na Rua Santa Luzia, 685, 9º andar, Centro do Rio. A secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, lembrou que a economia criativa já se impõe como importante gerador de emprego e renda. Devido a isso, nesse nosso encontro serão apresentados dados que mostram o tamanho e o impacto do setor em todo o estado do Rio, resumiu.

Alerj
www.alerj.rj.gov.br

Internet

09/08/2012

CULTURA SERÁ O FOCO DE DEBATE DO FÓRUM SOBRE A ECONOMIA CRIATIVA A dimensão econômica da Cultura e seu potencial gerador de empregos bem remunerados serão o foco do debate sobre Economia Criativa que ocorrerá no próximo dia 20 de agosto, às 9h, no plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Na ocasião, representantes de diversos setores debaterão o papel do Legislativo na construção de um Marco Legal e de políticas públicas que permitam a capacitação de profissionais para atender o setor. Esses foram os principais pontos definidos, nesta quinta-feira (09/08), durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na sede do Sebrae, Centro do Rio. Os setores incluídos na classificação da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) para Economia Criativa são: expressões culturais, artes cênicas, artes visuais, música, filme e vídeo, TV e rádio, mercado editorial, software e computação, arquitetura, design, moda e publicidade.Convidados pelo presidente da Alerj e do Fórum, deputado Paulo Melo (PMDB), os secretários de Estado de Cultura, Adriana Rattes, e de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, e representantes da Firjan, do Sebrae e das universidades falarão sobre o tamanho da Economia Criativa, que tem como principal insumo a criatividade. “A criação, em 2011, de um grupo de trabalho para focar nesse setor foi o primeiro passo para reunirmos dados e firmarmos um posicionamento a respeito da vocação do nosso estado para a Economia Criativa”, disse a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. Também foi definido, na reunião, que o tema que será debatido no próximo encontro da Câmara Setorial voltada para esse assunto, em 25 de setembro, será o papel da tecnologia na melhoria dos índices da Educação. Paulo Protasio Junior, representante da Associação Comercial do Rio (ACRJ), enfatizou: “Precisamos trabalhar não só a formação do aluno, mas também do professor”, completou.

NetPetrópolis
www.netpetropolis.com.br

Internet

09/08/2012

Cultura será o Foco de Debate do Fórum sobre a Economia Criativa A dimensão econômica da Cultura e seu potencial gerador de empregos bem remunerados serão o foco do debate sobre Economia Criativa que ocorrerá no próximo dia 20 de agosto, às 9h, no plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Na ocasião, representantes de diversos setores debaterão o papel do Legislativo na construção de um Marco Legal e de políticas públicas que permitam a capacitação de profissionais para atender o setor. Esses foram os principais pontos definidos, nesta quinta-feira (09/08), durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na sede do Sebrae, Centro do Rio. Os setores incluídos na classificação da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) para Economia Criativa são: expressões culturais, artes cênicas, artes visuais, música, filme e vídeo, TV e rádio, mercado editorial, software e computação, arquitetura, design, moda e publicidade. Convidados pelo presidente da Alerj e do Fórum, deputado Paulo Melo (PMDB), os secretários de Estado de Cultura, Adriana Rattes, e de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, e representantes da Firjan, do Sebrae e das universidades falarão sobre o tamanho da Economia Criativa, que tem como principal insumo a criatividade. “A criação, em 2011, de um grupo de trabalho para focar nesse setor foi o primeiro passo para reunirmos dados e firmarmos um posicionamento a respeito da vocação do nosso estado para a Economia Criativa”, disse a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. Também foi definido, na reunião, que o tema que será debatido no próximo encontro da Câmara Setorial voltada para esse assunto, em 25 de setembro, será o papel da tecnologia na melhoria dos índices da Educação. Paulo Protasio Junior, representante da Associação Comercial do Rio (ACRJ), enfatizou: “Precisamos trabalhar não só a formação do aluno, mas também do professor”, completou.

Búzios TV
www.buziostv.com.br

Internet

10/08/2012

Programa Rio em Foco - O Rio em Foco é o programa de televisão do Fórum de Desenvolvimento do Rio. Ele vai ao ar toda segunda-feira, às 22h, na TV Alerj (canal 12 da Net), com reprises aos sábados às 17h e domingos às 20h. E pode ser assisido aqui na Buzios TV a qualquer momento a todos os programas da serie . Clique aqui para saber mais sobre o programa. Click na imagem do programa e espere o sistema da TV Rio carregar e assista !!! Dê pause no som da Búzios FM no player no alto da página antes de assistir a TV Rio.

UNALE
www.unale.org.br

Internet

10/08/2012

Cultura será o foco de debate do fórum sobre a economia criativa A dimensão econômica da Cultura e seu potencial gerador de empregos bem remunerados serão o foco do debate sobre Economia Criativa que ocorrerá no próximo dia 20 de agosto, às 9h, no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Na ocasião, representantes de diversos setores debaterão o papel do Legislativo na construção de um Marco Legal e de políticas públicas que permitam a capacitação de profissionais para atender o setor. Esses foram os principais pontos definidos, nesta quinta-feira (09/08), durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na sede do Sebrae, Centro do Rio. Os setores incluídos na classificação da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) para Economia Criativa são: expressões culturais, artes cênicas, artes visuais, música, filme e vídeo, TV e rádio, mercado editorial, software e computação, arquitetura, design, moda e publicidade. Convidados pelo presidente da Alerj e do Fórum, deputado Paulo Melo (PMDB), os secretários de Estado de Cultura, Adriana Rattes, e de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, e representantes da Firjan, do Sebrae e das universidades falarão sobre o tamanho da Economia Criativa, que tem como principal insumo a criatividade. “A criação, em 2011, de um grupo de trabalho para focar nesse setor foi o primeiro passo para reunirmos dados e firmarmos um posicionamento a respeito da vocação do nosso estado para a Economia Criativa”, disse a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. Também foi definido, na reunião, que o tema que será debatido no próximo encontro da Câmara Setorial voltada para esse assunto, em 25 de setembro, será o papel da tecnologia na melhoria dos índices da Educação. Paulo Protasio Junior, representante da Associação Comercial do Rio (ACRJ), enfatizou: “Precisamos trabalhar não só a formação do aluno, mas também do professor”, completou. Texto: ALERJ

JusBrasil
www. al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

09/08/2012

CULTURA SERÁ O FOCO DE DEBATE DO FÓRUM SOBRE A ECONOMIA CRIATIVA A dimensão econômica da Cultura e seu potencial gerador de empregos bem remunerados serão o foco do debate sobre Economia Criativa que ocorrerá no próximo dia 20 de agosto, às 9h, no plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Na ocasião, representantes de diversos setores debaterão o papel do Legislativo na construção de um Marco Legal e de políticas públicas que permitam a capacitação de profissionais para atender o setor. Esses foram os principais pontos definidos, nesta quinta-feira (09/08), durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na sede do Sebrae, Centro do Rio. Os setores incluídos na classificação da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) para Economia Criativa são: expressões culturais, artes cênicas, artes visuais, música, filme e vídeo, TV e rádio, mercado editorial, software e computação, arquitetura, design, moda e publicidade.Convidados pelo presidente da Alerj e do Fórum, deputado Paulo Melo (PMDB), os secretários de Estado de Cultura, Adriana Rattes, e de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, e representantes da Firjan, do Sebrae e das universidades falarão sobre o tamanho da Economia Criativa, que tem como principal insumo a criatividade. A criação, em 2011, de um grupo de trabalho para focar nesse setor foi o primeiro passo para reunirmos dados e firmarmos um posicionamento a respeito da vocação do nosso estado para a Economia Criativa, disse a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. Também foi definido, na reunião, que o tema que será debatido no próximo encontro da Câmara Setorial voltada para esse assunto, em 25 de setembro, será o papel da tecnologia na melhoria dos índices da Educação. Paulo Protasio Junior, representante da Associação Comercial do Rio (ACRJ), enfatizou: Precisamos trabalhar não só a formação do aluno, mas também do professor, completou.

Fecomércio RJ
www.fecomercio-rj.org.br

Internet

10/08/2012

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Dá trabalho

Internet

20/08/2012

Queremos resultados rápidos, excelência, ouro. Retorno para um investimento que, segundo dados do Ministério dos Esportes, chegou a R$ 2 bilhões. Mas esquecemos que esporte é construção, demanda tempo, e deveria começar na escola, com o professor de educação física. Para se chegar ao topo da pirâmide (o esporte de alto rendimento), precisamos investir na base, no esporte escolar e no esporte participação, aquele que todos gostamos de fazer nos clubes, condomínios, praças, parques e espaços das cidades que oferecem a oportunidade de iniciação da prática esportiva para crianças e jovens e de lazer para adultos. Já passaram a bandeira para nós. Daqui a quatro anos, não seremos só telespectadores. Seremos anfitriões de uma festa que tem como objetivo incutir nas gerações os valores olímpicos e paralímpicos (é, sediaremos também as Paralimpíadas, mas pouco se fala disso), que são respeito, amizade, excelência, coragem, determinação, inspiração e igualdade. Os atletas que disputarão 2016 já estão definidos. Só cabe a eles treinar mais. Mas deveríamos ter metas mais ousadas. Trabalhar a base. Mas se não mudarmos nossa perspectiva, esta que atua sempre no curto prazo, dificilmente teremos um legado que vá além das mudanças na infraestrutura. O esporte precisa de investimento? Os atletas tem que ter patrocínio? Sim! Mas não podemos fazer isso apenas de quatro em quatro anos. As Olimpíadas tem um potencial enorme de inspirar novas gerações de atletas. E isso só se faz se olharmos para a escola, valorizarmos o profissional de Educação Física, investirmos em infraestrutura das escolas e em centros de treinamento. É preciso tornar este processo sustentável. Alimentá-lo. Mas se não formarmos uma geração que tenha o esporte como parte importante das suas vidas, dificilmente figuraremos entre os campeões.

JusBrasil
www.al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

28/08/2012

FÓRUM DISCUTE ESTUDO DO PIB AGROPECUÁRIO FEITO POR FEDERAÇÃO ESTADUAL A próxima reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado discutirá o estudo feito pela Federação de Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj), que realizou a atualização do PIB agropecuário fluminense. A intenção do Fórum, que reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades, é conhecer e planejar a divulgação do estudo para o público. Esses dados são importantes porque ajudam a subsidiar a produção de projetos e leis que fomentam o crescimento do setor no nosso estado, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. A reunião acontecerá nesta quarta-feira (29/08), às 10h, na sede da Faerj, na Avenida Rio Branco, 139, 9º andar, Centro.

Alerj ce www.alerj.rj.gov.br

Internet

29/08/2012

ESTUDO APONTA QUE O AGRONEGÓCIO PARTICIPA COM 3,3% DO PIB ESTADUAL O setor do agronegócio tem participação de, no mínimo, 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Rio. Esse é o principal dado levantado pela pesquisa preliminar realizada pela Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Em 2008, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) avaliou que o setor participava com apenas 0,4% do PIB. “Essa pesquisa revela um cenário mais complexo e detalhado sobre a prestação de serviços, distribuição e tudo que está além da produção da atividade rural”, comentou o pesquisador Leopoldo Erthal, da Faerj, durante apresentação, nessa quarta-feira (29/08), em reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico, entidade que reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades . Erthal explicou que a pesquisa envolve duas frentes de trabalho. “Uma que vai na origem tributária dos produtos e outra, no sentido logístico, que percorreu o interior do estado, descobrindo os diferentes produtos que estão sendo vendidos. Os dados preliminares já mostram que estamos com um percentual nove vezes maior do que imaginávamos. Antes, acreditava-se que o setor agropecuário não contribuía nem com 1% do PIB fluminense”, revelou o pesquisador da Faerj. O Fórum pretende organizar um evento maior assim que os números dessa pesquisa estiverem totalmente fechados. “Queremos apresentá-los no plenário da Alerj para gestores públicos e empresários”, anunciou a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. “Com o crescimento do setor, surgem novas oportunidades. O fato de termos dados reais do PIB agropecuário do estado faz com que possamos pensar políticas públicas específicas para o fomento desses setores. Temos, agora, dados do impacto de atividades, como floricultura e olericultura (exploração de hortaliças), que, no levantamento mais amplo, não eram contabilizados”, comentou Geiza. Ela disse que faltam os dados da Emater para complementar o estudo. “A conclusão deve acontecer em 30 dias e o Fórum pretende organizar a apresentação final da pesquisa. Queremos divulgar os dados para o público, visando a uma discussão mais ampla sobre as políticas que poderemos pensar para o futuro do Estado do Rio de Janeiro”, frisou. Segundo a pesquisa, Teresópolis é a campeã, em números absolutos, na movimentação do PIB municipal. De acordo com o TCE, o setor agropecuário da cidade contribui com R$ 111 milhões. Esse montante representa 5,9% do PIB local. Campos dos Goytacazes, com R$ 78 milhões, e Sumidouro, com R$ 60 milhões, são os municípios que completam o pódio dos maiores produtores do estado no setor. Porém, por não ser uma cidade tão urbana quanto Teresópolis, a agricultura de Sumidouro contribui com 38% da economia municipal. “Vale lembrar que não estamos contando com os produtores não formalizados. Nosso grande desafio é trazer todos para a formalidade, facilitando a compilação de dados”, acrescentou Erthal.

Jornal Terceira Via ce www.jornalterceiravia.com.br
Internet

30/08/2012

Estudo aponta que o Agronegócio participa com 3,3% do PIB do estado do RJ Segundo a pesquisa, Campos dos Goytacazes contribui com R$ 78 milhões para o PIB do Estado O setor do agronegócio tem participação de, no mínimo, 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Rio. Esse é o principal dado levantado pela pesquisa preliminar realizada pela Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Em 2008, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) avaliou que o setor participava com apenas 0,4% do PIB. “Essa pesquisa revela um cenário mais complexo e detalhado sobre a prestação de serviços, distribuição e tudo que está além da produção da atividade rural”, comentou o pesquisador Leopoldo Erthal, da Faerj, durante apresentação, nessa quarta-feira (29/08), em reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico, entidade que reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades . Segundo a pesquisa, Teresópolis contribui com R$ 111 milhões. Esse montante representa 5,9% do PIB local. Já Campos dos Goytacazes, com R$ 78 milhões, e Sumidouro, com R$ 60 milhões, são os municípios que completam o pódio dos maiores produtores do estado no setor. Porém, por não ser uma cidade tão urbana quanto Teresópolis, a agricultura de Sumidouro contribui com 38% da economia municipal. “Vale lembrar que não estamos contando com os produtores não formalizados. Nosso grande desafio é trazer todos para a formalidade, facilitando a compilação de dados”, acrescentou Erthal. O pesquisador explicou que a pesquisa envolve duas frentes de trabalho. “Uma que vai na origem tributária dos produtos e outra, no sentido logístico, que percorreu o interior do estado, descobrindo os diferentes produtos que estão sendo vendidos. Os dados preliminares já mostram que estamos com um percentual nove vezes maior do que imaginávamos. Antes, acreditava-se que o setor agropecuário não contribuía nem com 1% do PIB fluminense”, afirma. O Fórum pretende organizar um evento maior assim que os números dessa pesquisa estiverem totalmente fechados. “Queremos apresentá-los no plenário da Alerj para gestores públicos e empresários”, anunciou a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. “Com o crescimento do setor, surgem novas oportunidades. O fato de termos dados reais do PIB agropecuário do estado faz com que possamos pensar políticas públicas específicas para o fomento desses setores. Temos, agora, dados do impacto de atividades, como floricultura e olericultura (exploração de hortaliças), que, no levantamento mais amplo, não eram contabilizados”, comentou Geiza. Ela disse que faltam os dados da Emater para complementar o estudo. “A conclusão deve acontecer em 30 dias e o Fórum pretende organizar a apresentação final da pesquisa. Queremos divulgar os dados para o público, visando a uma discussão mais ampla sobre as políticas que poderemos pensar para o futuro do Estado do Rio de Janeiro”, frisou.

JusBrasil
www.al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

29/08/2012

ESTUDO APONTA QUE O AGRONEGÓCIO PARTICIPA COM 3,3% DO PIB ESTADUAL O setor do agronegócio tem participação de, no mínimo, 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Rio. Esse é o principal dado levantado pela pesquisa preliminar realizada pela Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj), em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Em 2008, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) avaliou que o setor participava com apenas 0,4% do PIB. Essa pesquisa revela um cenário mais complexo e detalhado sobre a prestação de serviços, distribuição e tudo que está além da produção da atividade rural, comentou o pesquisador Leopoldo Erthal, da Faerj, durante apresentação, nessa quarta-feira (29/08), em reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Erthal explicou que a pesquisa envolve duas frentes de trabalho. Uma que vai na origem tributária dos produtos e outra, no sentido logístico, que percorreu o interior do estado, descobrindo os diferentes produtos que estão sendo vendidos. Os dados preliminares já mostram que estamos com um percentual nove vezes maior do que imaginávamos. Antes, acreditava-se que o setor agropecuário não contribuía nem com 1% do PIB fluminense, revelou o pesquisador da Faerj. O Fórum pretende organizar um evento maior assim que os números dessa pesquisa estiverem totalmente fechados. Queremos apresentá-los no plenário da Alerj para gestores públicos e empresários, anunciou a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. Com o crescimento do setor, surgem novas oportunidades. O fato de termos dados reais do PIB agropecuário do estado faz com que possamos pensar políticas públicas específicas para o fomento desses setores. Temos, agora, dados do impacto de atividades, como floricultura e olericultura (exploração de hortaliças), que, no levantamento mais amplo, não eram contabilizados, comentou Geiza. Ela disse que faltam os dados da Emater para complementar o estudo. A conclusão deve acontecer em 30 dias e o Fórum pretende organizar a apresentação final da pesquisa. Queremos divulgar os dados para o público, visando a uma discussão mais ampla sobre as políticas que poderemos pensar para o futuro do Estado do Rio de Janeiro, frisou. Segundo a pesquisa, Teresópolis é a campeã, em números absolutos, na movimentação do PIB municipal. De acordo com o TCE, o setor agropecuário da cidade contribui com R$ 111 milhões. Esse montante representa 5,9% do PIB local. Campos dos Goytacazes, com R$ 78 milhões, e Sumidouro, com R$ 60 milhões, são os municípios que completam o pódio dos maiores produtores do estado no setor. Porém, por não ser uma cidade tão urbana quanto Teresópolis, a agricultura de Sumidouro contribui com 38% da economia municipal. Vale lembrar que não estamos contando com os produtores não formalizados. Nosso grande desafio é trazer todos para a formalidade, facilitando a compilação de dados, acrescentou Erthal. (Texto de Raoni Alves)

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Criatividade na Economia e nas Ações

Internet

03/09/2012

O que nos torna tão diferentes e singulares no mundo? O potencial criativo pode ser uma resposta. E pode ser uma saída nesta sociedade em que os países desenvolvidos estão com suas economias em crise. Nem o modelo europeu, nem o americano se sustentam mais. Nós “do terceiro mundo” temos muito a ensinar. Mas há muito a fazer. Para criarmos um ambiente propício à criatividade, precisamos educar olhares, capacitar para o trabalho, formar cidadãos aptos a equilibrar o trabalho, o lazer e o estudo. É neste modelo em que a criatividade e a economia criativa prosperam. O Estado do Rio de Janeiro, apesar do pequeno território, tem um potencial incrível para desenvolver os setores que utilizam a criatividade como base. São diferentes segmentos de negócios – como moda, design, arquitetura, audiovisual, educação e novas mídias – que já entenderam como a arte e a cultura podem agregar valor a bens e serviços. Mas não é preciso apenas criar. Precisamos transformar esta criação em produtos e serviços inovadores, gerando emprego e renda, valor na sociedade. Ao reunir especialistas sobre o tema no Plenário da ALERJ, algumas saídas foram propostas. Ficou claro que é necessário incentivar as atividades de forma segmentada, reconhecendo suas peculiaridades, e trabalhar para desburocratizar, oferecendo incentivos fiscais para que elas prosperem no território. Em relação às políticas públicas, especialistas apontam que o foco deve ser na promoção do acesso e não na produção, como ocorre hoje. E sugerem que o estado pode ser o vetor desta transformação promovendo o acesso a obras que já estão em domínio público, às publicações científicas. Também foi proposta a criação de um órgão para gerir as ações de Economia Criativa, que não são exclusivas da Secretaria de Cultura, mas envolvem Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Agricultura, dentre outras. O desafio agora é sedimentar estas propostas e desenhar este caminho. Em nome do futuro.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Perversa informalidade

Internet

17/09/2012

A informalidade é perversa. E não estou falando da forma de tratamento que utilizamos no Rio de Janeiro não, muito menos da roupa que costumamos vestir. Estou falando do trabalho informal. Se por um lado, ele garante uma remuneração um pouco maior no curto prazo, no médio prazo ele retira dos setores a força e o poder de mobilização, que são fundamentais para qualquer demanda por incentivos ou redução de impostos. O Turismo é um bom exemplo: todos dizem que o Rio de Janeiro é a capital do turismo no País. Porém, as entidades que atuam no setor apontam uma série de gargalos. O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro publicou no ano passado uma reflexão sobre o setor sugerindo uma série de metas e ações em cima deste diagnóstico. Mas, como gerar uma mobilização do setor, ou retratá-lo fielmente se, segundo dados da Secretaria estadual de Turismo, só na cidade do Rio 50% dos trabalhadores são informais? Como mostrar a força econômica do setor, se além dos trabalhos não especializados se escondem atrás desta informalidade serviços que exigem padrões internacionais de segurança? Tirar da informalidade não deve ser uma luta apenas do governo. Deve fazer parte das preocupações de todas as entidades que lidam com o Turismo e dos turistas também, que tem um papel importantíssimo na denúncia. Temos um cenário promissor na área do Turismo para os próximos anos. É o momento de investir, mas também de transformar. Na medida em que são contabilizados, os trabalhadores passam também a ter garantias e direitos, não são só deveres. E mais: ganham força para acelerar o tão necessário e urgente processo de desburocratização.

JusBrasil
www.al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

21/09/2012

REUNIÃO DO FÓRUM DISCUTE POLÍTICAS PARA FOMENTO DA ECONOMIA CRIATIVA A Câmara Setorial de Economia Criativa do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado realizará, nesta terça-feira (25/09), uma reunião com o objetivo de discutir a formulação de propostas de fomento de políticas públicas de incentivo à economia criativa. O encontro será às 15h, no Clube de Engenharia, 18° andar. O evento é a continuação da reunião "Marco Legal e Políticas Públicas de Fomento à Economia Criativa", realizada no dia 20 de agosto. "Nesta reunião vamos debater os resultados do evento realizado no dia 20 de agosto e preparar um cronograma de ações a partir do diagnóstico feito. Nosso objetivo, depois de ouvir as autoridades no assunto, é traçar estratégias para fomentar o setor", afirmou a secretaria-geral do Fórum, Geiza Rocha. O Clube de Engenharia está localizado na Avenida Rio Branco, 124, no Centro do Rio.

Rio Capital da Energia
www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br

Internet

01/10/2012

Mobilidade é um dos principais desafios das grandes metrópoles A adequação do transporte urbano é um dos principais desafios das grandes cidades mundiais. O Rio de Janeiro, onde está a segunda maior metrópole do Brasil, não escapa desse problema. Só a Região Metropolitana concentra 11 milhões de habitantes e 19 milhões de viagens, ao dia – 75% do total no estado. No Rio em Foco que foi ao ar no último sábado, dia 06/10, às 17h, e no domingo, 07/10, às 20h, o diretor regional da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Willian de Aquino, e a diretora de Mobilidade Urbana da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Richele Cabral, abordaram os principais efeitos da mobilidade no dia a dia da população carioca e fluminense. “Enquanto fizermos ruas, pontes e avenidas para atenderem somente a pequenos automóveis, só estaremos arranjando uma maneira de chegar mais rápido ao próximo congestionamento”, afirmou Willian de Aquino. O Rio em Foco pode ser assistido no endereço www.rioemfoco.rj.gov.br. Para saber como sintonizar a TV Alerj, basta clicar aqui.

Rio Capital da Energia
www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br

Internet

08/10/2012

ALERJ apóia ação junto às prefeituras para estimular a aplicação da Lei Geral O presidente da ALERJ e do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro, deputado Paulo Melo, encaminhou ofício a prefeitos de 16 municípios do estado do Rio de Janeiro destacando a importância da regulamentação do capítulo relativo às compras governamentais da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. No ofício, o presidente afirma que os prefeitos têm uma oportunidade ótima para se tornarem agentes de desenvolvimento local ao estimular a entrada das micro e pequenas empresas nas licitações e compras realizadas pelo Poder Executivo e que o Sebrae-RJ pode ajudar neste processo. "A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa tem contribuído enormemente para o crescimento e a sobrevivência dos pequenos negócios. Ela impulsiona a formalização, principal desafio hoje no País", ressalta o parlamentar. Em paralelo a isso, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) tem buscado aperfeiçoar seus sistemas de gestão e lançou recentemente o Sistema de Monitoramento de Implementação da Lei Geral nos Municípios para incentivar micro e pequenas empresas através de regulamentações que diminuem a burocracia das negociações, por exemplo. Com a ferramenta, o empreendedor pode acompanhar, via internet, o processo de implementação de quatro dos nove eixos desta lei – uso do poder de compra do município; desburocratização da abertura, funcionamento e fechamento de empresas; empreendedor individual; e agente de desenvolvimento, responsável por promover ações públicas visando o desenvolvimento local e territorial. O Sistema tem informações suficientes para gerar uma nota que nivela o município em um dos quatro patamares de implantação da Lei Geral – inicial, básico, intermediário e avançado. A partir do nível intermediário em diante é que a implementação da lei é reconhecida. O Sebrae prevê, até 2015, contemplar cerca de duas mil cidades com a Lei Geral dos Municípios, em todas as regiões do Brasil. O objetivo principal é a promoção da prática do empreendedorismo. No Rio de Janeiro, 92 municípios já têm a Lei Geral regulamentada e 11 estão com a legislação em prática: Barra Mansa, Bom Jesus do Itabapoana, Piraí, Quissamã, Resende, Silva Jardim, Sumidouro, Tanguá, Teresópolis, Três Rios e Valença.

AdvoNews
Internet www.advonews.com.br

11/10/2012

Fórum discute participação do agronegócio no PIB do estado A Câmara Setorial de Agronegócio do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, realizará debate sobre o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio no estado nesta segunda-feira, (15/10), às 14h, na sede da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj). No evento serão apresentados os dados de pesquisa, organizada pela Faerj, que apontou o setor como responsável por 3,3% do PIB do estado. Segundo a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, o objetivo da reunião é definir um cronograma de ações que possam contribuir para o fortalecimento do setor. “O encontro vai reunir responsáveis do setor para reunir as demandas e, a partir de então, ver as ações que podem ser desenvolvidas no nosso estado”, disse. A Faerj está localizada na Avenida Rio Branco, 135, Centro do Rio.

Alerj ce www.alerj.rj.gov.br
Internet

15/10/2012

FÓRUM DISCUTE PARTICIPAÇÃO DO AGRONEGÓCIO NO PIB DO ESTADO A Câmara Setorial de Agronegócio do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, realizará debate sobre o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio no estado nesta segundafeira, (15/10), às 14h, na sede da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca (Faerj). No evento serão apresentados os dados de pesquisa, organizada pela Faerj, que apontou o setor como responsável por 3,3% do PIB do estado. Segundo a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, o objetivo da reunião é definir um cronograma de ações que possam contribuir para o fortalecimento do setor. "O encontro vai reunir responsáveis do setor para reunir as demandas e, a partir de então, ver as ações que podem ser desenvolvidas no nosso estado", disse. A Faerj está localizada na Avenida Rio Branco, 135, Centro do Rio.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Visão metropolitana

Internet

15/10/2012

Não basta encontrar o melhor modelo e aplicar. Orquestrar ações que ultrapassam as fronteiras entre os municípios é uma arte em eterna revisão. É preciso um espaço, liderado pelo governo do estado, que faça esta coordenação. Atualmente existem no Brasil 41 Regiões Metropolitanas instituídas. Elas concentram 84 milhões de habitantes (46% da população brasileira) e mais de 50% da receita municipal. A Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) é a única que, embora institucionalizada, ainda não possui órgão gestor. Também não basta simplesmente criar mais uma estrutura de governo. Ela precisa de poder e legitimidade para empreender ações. Criar uma cultura entre os prefeitos de resolver problemas comuns sentados em uma mesma mesa não é tarefa trivial. Os Diálogos Metropolitanos – série de encontros promovida pelo Comitê Rio Metrópole, instituído pelo governador Sérgio Cabral para formatar um modelo de governança – tem aprofundado o tema. A terceira edição foi realizada em parceria com o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho e debateu os alicerces desta coordenação e como ela avança em outros estados e no Congresso Nacional, com o Estatuto da Metrópole. Mas ainda há um longo caminho pela frente e outras visões que devem ser acrescentadas a este grande caldo dos Diálogos para ajudar a formatar o modelo institucional fluminense. Se não incluirmos as universidades e o seu potencial inovativo, através dos parques tecnológicos e incubadoras (que se concentram na RMRJ) ao lado da questão ambiental, que já está prevista, dificilmente avançaremos. A tentativa de fazer florescer este modelo a partir de uma reflexão aberta é louvável. Mas é preciso fazê-la ecoar, dar-lhe força ainda no nascedouro e reunir a inteligência formada pelos nossos empresários, pelas universidades à força do Governo para que ela se consolide.

UERJ
www.ceed.uerj.br

Internet

17/10/2012

O Rio de Janeiro busca se tornar referência em Biotecnologia O Brasil detém 25% da biodiversidade do universo, sendo um dos grandes celeiros para a biotecnologia. Como uma das ciências do futuro, ela vai alimentar, dar energia e curar o mundo. No programa ‘Rio em Foco’, você vai conhecer quais as estratégias do Estado para aproximar a universidade do mercado, transformando produção científica em produto. Assista: Programa Rio em foco – Biotecnologia: Edição Nº 90 Entrevista com o Subsecretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, Maurício Chacur e o Presidente do Instituto Vital Brazil, Antonio Werneck.

Rio FM
www.guiario.tur.br

Internet

17/10/2012

Fórum de desenvolvimento do Rio reduzirá câmaras para potencializar participação de entidades O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, que reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades, reuniu nesta quarta-feira (17/10), na sala da Presidência da Alerj, no Palácio Tiradentes, 18 presidentes de entidades que o compõem para debater a agenda para 2013. O Fórum decidiu enxugar o número de câmaras setoriais de dez para sete. “A ideia dessa reorganização das câmaras é justamente para potencializar a participação das entidades que estão presentes, mas que acabam se ausentando de decisões importantes e dos encaminhamentos que são produzidos no trabalho permanente das reuniões mensais”, explicou a secretária-geral Geiza Rocha. A nova organização prevê a fusão das câmaras que estabeleceram agendas semelhantes como, por exemplo, as câmaras de Comércio de Bens e Serviços; Cultura, Turismo e Esportes; Negócios Internacionais; e Economia Criativa, que se fundiram sob o tema da Economia Criativa. Assim sendo, em 2013, o Fórum também terá as câmaras setoriais de Agronegócio, de Desenvolvimento Sustentável, de Gestão e Políticas Públicas, de Infraestrutura e Logística, de Energia e de Tecnologia. O presidente da Alerj e do Fórum, deputado Paulo Melo (PMDB), mostrou-se animado com a agenda da entidade e com “o momento de união que o estado está vivendo”. De acordo com ele, essa situação se reflete nos trabalhos dos grupos de discussão. “Convergir é muito melhor do que divergir. A política de confronto não existe mais. A reunião de hoje transmite muito bem isso. Temos aqui, na mesma mesa, entidades que antes não se sentavam juntas”, comentou. Presente na reunião, o reitor da Universidade do Estado do Rio (Uerj), Ricardo Vieiralves, falou sobre a falta de mão de obra qualificada no estado. “São três vertentes para solucionar esse problema: a primeira é abrir novos cursos de acordo com a necessidade do desenvolvimento do estado, a segunda diz respeito à sinergia com as empresas e a terceira se refere a diminuir as reprovações e criar mecanismos pedagógicos para que nossos estudantes saiam muito bem formados no menor espaço de tempo possível”, analisou. Também participaram do encontro os presidentes das federações da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado (Faerj), das Associações Comerciais e Empresariais (Facerj), do Comércio (Fecomercio), das Indústrias (Firjan), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RJ), do Conselho Regional de Contabilidade do Estado (CRC-RJ), da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon-RJ), da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg), do Clube de Engenharia, da AEERJ, da Redetec, da GestRio, da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), além dos reitores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), e do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo). (Texto de Raoni Alves)

Rio Capital da Energia
www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br

Internet

18/10/2012

Fórum Permanente adere ao programa Rio Capital da Energia Criado em 2003 com o objetivo de viabilizar uma maior participação do poder Legislativo na promoção do desenvolvimento e do crescimento econômico do estado, o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho acaba de aderir ao programa Rio Capital da Energia. “A ideia é fortalecer esse programa para que ele se torne, de fato, permanente. À medida que a gente tem as informações do que está sendo feito na área de energia e que possa somar a este programa, a gente busca esta interação. É mais um espaço de troca de informação e possibilidade de fazer eventos”, afirma a Subdiretora-Geral, Geiza Rocha. Segundo Geiza, até 2008, a estrutura do Fórum, apesar de já ter na resolução uma ideia das câmaras setoriais trabalhando, funcionava esporadicamente, sendo convocado para discutir temas específicos. “A partir de então, a gente começou um trabalho de reunião e de participação mais efetiva dessas entidades no dia a dia do parlamento”, explica. O Fórum é presidido pelo Deputado Estadual Paulo Melo. Além da Assembleia Legislativa, é constituído por 33 organizações da sociedade civil e universidades que se reúnem periodicamente para acompanhar o trabalho legislativo, monitorar políticas públicas e debater propostas para o desenvolvimento do estado. Atualmente, são 10 Câmaras Setoriais que ouvem especialistas e debatem de que forma o Poder Legislativo pode contribuir para o desenvolvimento dos mais diversos setores da economia fluminense. “A cada ano que passa, o Fórum Permanente se consolida e se qualifica como um espaço de interação e de troca, de formulação e de diálogo, de ação e solução de problemas. E a diversidade de temas que são debatidos nas 10 câmaras setoriais, de soluções propostas para melhorarmos o ambiente de negócios no estado e, principalmente, de ações empreendidas a cada ano, mostra que estamos no caminho certo”, diz.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Agronegócio em alta

Internet

28/10/2012

O Rio de Janeiro está crescendo. É o estado que mais recebe investimentos por quilômetro quadrado. Estima-se que até 2014 serão 211,5 bilhões de reais. Isso demanda uma infraestrutura de abastecimento e de produção para alimentar o mercado consumidor fluminense. Precisamos alimentar este contingente, que está crescendo de forma sustentável, com mais renda. Água e alimentos: estes são os principais desafios deste milênio. E como desenvolvemos isso? Investindo é a resposta. A ALERJ aprovou nos últimos anos empréstimos para a compra de patrulhas mecanizadas, para a pavimentação das estradas vicinais. Mas é preciso avançar mais. Num território pequeno como o nosso, que se valoriza a cada dia por conta da chegada de tantos investimentos, produzir requer tecnologia, pesquisa, apoio técnico. E dados, levantamentos, diagnósticos sobre esta economia que se desenvolve no campo, longe dos nossos olhos, são fundamentais para orientar as ações de quem decide para onde deve ir este ou aquele recurso. O levantamento do PIB do Agronegócio Fluminense pelo CEPEA aponta que a atividade agropecuária movimenta mais R$ 12 bilhões de reais, quase 4% do PIB fluminense. No entanto, a secretaria estadual de agricultura possui apenas 0,4% do orçamento do estado para empreender as ações necessárias para impulsionar este desenvolvimento. Na semana passada, o Fórum de Desenvolvimento cumpriu o seu papel de ser um campo fértil para o exercício de pensar o futuro do agronegócio diante de tantas oportunidades. Nossos jovens estão estudando mais. Mas é preciso que eles tragam este conhecimento para o campo e vejam nele um futuro promissor. Que nossas vocações sejam estimuladas. As oportunidades passam à nossa frente como cavalos encilhados. Temos que monta-los para que eles nos levem na direção que precisamos ir.

Brasil Turis
www.brasilturis.com.br

Internet

13/12/2012

Premiação da ABIH-RJ ocorre em dezembro A ABIH-RJ promove neste fim de ano mais uma edição dos prêmios Eduardo Tapajós, Corintho Falcão e Selo Verde da Hotelaria, com o objetivo de reconhecer as iniciativas empreendedoras, socialmente responsáveis e sustentáveis, respectivamente. Os projetos foram avaliados por um time de jurados composto por Júlia Zardo, do Instituto Gênesis; Regina Laginestra, da ONG Reviverde; Geiza Rocha, da Alerj; Doris Ziegler, do Sebrae-RJ; e Nauro Grehs, da Turisrio. Estão na disputa os hotéis Sofitel Rio, Rede Othon, Golden Tulip Regente, Windsor Atlântica, Windsor Barra, Sheraton Rio e Sheraton Barra. A premiação está agendada para o coquetel de fim de ano promovido pela entidade, na primeira quinzena de dezembro.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Desafios do presente

Internet

26/11/2012

Nos próximos anos a cidade do Rio de Janeiro irá sediar o Encontro Mundial da Juventude Católica, a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Isso sem contar com diversos outros eventos internacionais que já estão agendados. Os novos prefeitos assistirão, ainda, a entrada em operação do Porto do Açu e do Comperj, dois mega empreendimentos que contribuem para a dinamização econômica do interior do estado, gerando emprego e renda e mudando o perfil não apenas dos municípios que os sediam, como também do entorno. Segundo a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro serão R$ 211,5 bilhões em investimentos no próximo triênio, em petróleo, gás, siderurgia e logística. Diante disso, o desafio é planejar e executar com o máximo de eficiência e transparência. Precisamos de planos de mobilidade urbana que integrem os modais (ônibus, trem, metrô, bicicletas, pedestres); de uma gestão do lixo que reduza a quantidade de resíduos nos aterros e torne viável a reciclagem. Temos que formar nossos estudantes para a vida e para o trabalho, e capacitar o corpo técnico das administrações públicas. Para auxiliar os prefeitos e suas equipes neste esforço, o Fórum Permanente de Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro, liderado pela ALERJ promove nesta terça-feira (27) o evento “Caminhos, sustentáveis para o desenvolvimento”, que tem como objetivo apresentar ferramentas aos gestores e referências de melhores práticas. O fantasma da redistribuição dos royalties de petróleo ainda não foi exorcizado e será preciso sobreviver a este turbilhão de incertezas. Ter um plano pode ajudar. E pensar em conjunto também. E é nisso que apostamos para que as oportunidades que se abrem sejam de fato aproveitadas.

JusBrasil
www.al-rj.jusbrasil.com.br

Internet

03/12/2012

PROGRAMA RIO EM FOCO APRESENTA MAPA TURÍSTICO DO ESTADO DO RIO O Governo do Estado do Rio de Janeiro acaba de lançar o Mapa Turístico, uma ferramenta que relaciona os destinos e o potencial turístico de cada região fluminense, para orientar o turista. Criado para estimular o turismo interno, o mapa será apresentado no programa "Rio em Foco", que vai ao ar nesta segunda-feira (03/12), às 22h na TV Alerj (Canal 12 da NET). Segundo o vice-presidente da TurisRio, Nauro Grehs, para impulsionar o setor, é necessário reconhecer a vocação dos municípios. "Nós não estamos vendendo somente turismo. Estamos vendendo segmentos de turismo, de acordo com cada cidade", explica. O programa também aborda questões como a capacitação do trabalhador do turismo; as fórmulas de trabalhar cada município para que entendam seus potenciais turísticos; os reflexos já obtidos após a realização do Brazil International Tourism Exchange (Brite); e as melhorias nos hotéis no Estado; entre outros assuntos. A TV Alerj também pode ser sintonizada seguindo as instruções do link www.tvalerj.tv/Sintonia.do. O "Rio em Foco" tem reprises no sábado (08/12), às 17h, e no domingo (09/12), às 20h.

Alerj
www.alerj.rj.gov.br

Internet

03/12/2012

PROGRAMA RIO EM FOCO APRESENTA MAPA TURÍSTICO DO ESTADO DO RIO O Governo do Estado do Rio de Janeiro acaba de lançar o Mapa Turístico, uma ferramenta que relaciona os destinos e o potencial turístico de cada região fluminense, para orientar o turista. Criado para estimular o turismo interno, o mapa será apresentado no programa "Rio em Foco", que vai ao ar nesta segunda-feira (03/12), às 22h na TV Alerj (Canal 12 da NET). Segundo o vice-presidente da TurisRio, Nauro Grehs, para impulsionar o setor, é necessário reconhecer a vocação dos municípios. "Nós não estamos vendendo somente turismo. Estamos vendendo segmentos de turismo, de acordo com cada cidade", explica. O programa também aborda questões como a capacitação do trabalhador do turismo; as fórmulas de trabalhar cada município para que entendam seus potenciais turísticos; os reflexos já obtidos após a realização do Brazil International Tourism Exchange (Brite); e as melhorias nos hotéis no Estado; entre outros assuntos. A TV Alerj também pode ser sintonizada seguindo as instruções do link www.tvalerj.tv/Sintonia.do. O "Rio em Foco" tem reprises no sábado (08/12), às 17h, e no domingo (09/12), às 20h.

JusClip
www.jusclip.com.br

Internet

07/12/2012

REUNIÃO GERAL DEFINIRÁ AGENDA DE 2013 DO FÓRUM Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá reunir representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. “Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais”, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que em 2013 será inaugurado o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. “Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados”, assegura.

Justiça
www. al-rj.justica.inf.br

Internet

07/12/2012

REUNIÃO GERAL DEFINIRÁ AGENDA DE 2013 DO FÓRUM Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá reunir representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. “Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais”, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que em 2013 será inaugurado o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. “Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados”, assegura.

Alerj
www.alerj.rj.gov.br

Internet

07/12/2012

REUNIÃO GERAL DEFINIRÁ AGENDA DE 2013 DO FÓRUM Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá reunir representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. “Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais”, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que em 2013 será inaugurado o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. “Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados”, assegura.

JusBrasil
www.jusbrasil.com.br

Internet

07/12/2012

REUNIÃO GERAL DEFINIRÁ AGENDA DE 2013 DO FÓRUM Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá reunir representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. “Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais”, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que em 2013 será inaugurado o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. “Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados”, assegura.

RioFM
www.riofm.com.br

Internet

07/12/2012

REUNIÃO GERAL DEFINIRÁ AGENDA DE 2013 DO FÓRUM Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá reunir representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. “Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais”, explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que em 2013 será inaugurado o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. “Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados”, assegura.

Rio Capital da Energia
www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br

Internet

07/12/2012

Reunião geral definirá agenda de 2013 do Fórum Estratégico do Rio Na próxima quarta-feira (12/12) o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho reúne representantes das 33 entidades que o compõem para apresentar o balanço das atividades de 2012 e definir a agenda de ações e temas para 2013. "Este ano foi marcado pelo debate da sustentabilidade e do legado olímpico. Ao todo realizamos 12 debates abertos ao público e produzimos avanços importantes a partir do trabalho das câmaras setoriais. Nesta reunião vamos avaliar resultados e estabelecer a agenda de reuniões mensais das câmaras setoriais", explica a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. O encontro está marcado para as 10h no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar. A secretária ressalta, ainda, que 2013 inaugura o novo formato das Câmaras Setoriais, aprovado pelos presidentes das entidades durante a reunião de cúpula realizada em outubro. "Apesar de termos reduzido o número de câmaras setoriais, a intenção é não perdermos o ritmo e darmos continuidade aos assuntos já iniciados", assegura.

Jornal Capital
www.jornalcapital.jor.br/
Com a faca e o queijo na mão

Internet

10/12/2012

O debate sobre royalties está longe de ter um fim, mas foi acertada a decisão da presidente Dilma Rousseff de destiná-los integralmente à Educação. Diante desta perspectiva temos o dever de sair na frente e definir que Educação é esta que queremos, traçar um plano e partir para a ação. Investimento sem planejamento pode se tornar desperdício. O primeiro passo nesta direção foi dado na última semana, quando o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro organizou, em parceria com a Associação Brasileira de Educação (ABE), um encontro no Plenário da ALERJ para comemorar os 80 anos do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. Recebemos aqui o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e entregamos a ele a Carta Compromisso do Estado do Rio de Janeiro por uma escola sempre renovada, assinada pelos integrantes das 33 entidades que compõem o Fórum. A íntegra da carta está disponível online para a assinatura do público. O que se propõe, ao relembrarmos o trabalho realizado por notáveis nos anos de 1930, é reafirmar a importância do professor e de sua formação continuada, o papel do estado e da família, e, principalmente, a necessidade de que a sociedade civil organizada participe deste processo de melhoria da qualidade do ensino. É obrigação dos municípios e dos estados formar os alunos para que eles estejam aptos à universidade. Logo, eles também são atores importantes na definição de onde e como este investimento pode e deve ser feito. Este é um momento crucial e decisivo para o futuro do País. E estamos com a faca e o queijo na mão para fazer deste um marco para a Educação do País e para o futuro da nação.

Folha Dirigida

Internet

11/12/2012

www.anotacoes.folhadirigida.com.br
Metas para 2013 Na quarta, 12, o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro Jornalista Roberto Marinho define sua agenda para 2013. Composto por representantes das 33 entidades, o grupo recebeu, na semana passada, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha informa que foram realizados 12 debates abertos em 2012. A reunião será realizada às 10 horas no Auditório Deputada Andréia Zito, na Rua da Alfândega, 8, 7° andar.

Alerj Notícias

Internet

12/12/2012

www.alerjnoticias.blogspot.com.br
FÓRUM ENCERRA ATIVIDADES DE 2012 COM RECORDE DE EVENTOS ORGANIZADOS Logística, educação, PIB do Agronegócio e o desenvolvimento das micro e pequenas empresas foram os principais assuntos debatidos pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, que reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades. Em 2012, aconteceram nove reuniões setoriais e 12 eventos, 580 notícias e artigos foram publicados na mídia externa, dez câmeras setoriais funcionaram com 180 membros fixos trabalhando e houve a produção de 29 programas “Rio em Foco” e 13 programas “Momento Rio em Foco”, um recorde nos nove anos de atividade do grupo. Para 2013, o foco será a Economia Criativa, a Infraestrutura e a Logística.

Sescon-RJ
www.sescon-rj.org.br

Internet

31/10/2012

SESCON-RJ participa do programa “Rio em Foco” No último dia 23/10, o SESCON – RJ participou do programa da TV Alerj, “Rio em Foco” que debateu o tempo de vida das empresas. Dados recentes do Sebrae apontam que 28% das empresas brasileiras sobrevivem aos dois primeiros anos. Para o diretor do SESCON-RJ, Lúcio Fernandes, representante do Sindicato na ocasião, um dos principais fatores para essa realidade é a falta de gestão. “Muitos cometem erros na gestão de suas empresas sem saber que esta errando. E isso também mostra o despreparo dos empreendedores”, acrescentou. A burocracia, os juros altos e a falta de crédito foram outros pontos apontados pelo diretor como fatores para esses dados. No entanto, a inovação surge como uma “válvula de escape” para as sobreviventes. “A inovação é um fator fundamental para passar no teste de fogo dos dois primeiros anos tanto para comércio quanto para serviços”, afirmou o diretor do SESCON-RJ, Lúcio Fernandes.

Puc-Rio
www.ctc.puc-rio.br

Internet

13/12/2012

Decano do CTC é um dos convidados do programa Rio em foco, da TV Alerj

Foi ao ar no dia 10/12/12, o programa Rio em Foco, da TV Alerj, com participação do Decano do CTC, Prof. Luiz da Silva Mello. Você pode conferir clicando aqui.

Rio Capital da Energia
www.riocapitaldaenergia.rj.gov.br

Internet

20/12/2012

Fórum encerra atividades de 2012 com recorde de eventos organizados Logística, Educação, Agronegócio, Sustentabilidade e o fomento às micro e pequenas empresas foram os principais assuntos debatidos pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado em 2012. O Fórum reúne a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e mais 33 entidades da sociedade civil e universidades. Ao todo, foram realizadas nove reuniões setoriais e 12 eventos, um recorde nos nove anos de atividade do órgão, criado em 2003 por resolução. Foram contabilizadas pela secretaria-geral do Fórum 580 notícias e artigos publicados na mídia externa, que repercutiram as atividades e discussões. Foram produzidos, ainda, 29 programas “Rio em Foco” e 13 programas “Momento Rio em Foco”, exibidos ao longo do ano na TV Alerj. "Estes programas, aliados à divulgação espontânea da imprensa ajudam a aumentar a visibilidade e o conhecimento do público sobre o trabalho realizado em conjunto com as entidades", ressalta a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha. As dez câmaras setoriais funcionaram com 180 membros fixos. Para 2013, o foco será a Economia Criativa, a Infraestrutura e a Logística, mas a rotina de trabalho ocorrerá num novo formato. “Começamos 2013 com um número menor de câmaras setoriais: tínhamos dez e, agora, teremos apenas sete, o que aprofunda o nosso desafio de manter o trabalho e não perder o que já foi discutido nos anos anteriores. Vamos debater os nossos desafios de desenvolvimento local, sustentável e educacional”, explicou Geiza Rocha. A nova organização das câmaras juntou temas que, anteriormente, pertenciam a grupos diferentes, como, por exemplo, as câmaras de Comércio de Bens e Serviços, Cultura, Turismo e Esportes, Negócios Internacionais e Economia Criativa, que se fundiram em um único setor, nomeado simplesmente como Economia Criativa. Em 2013, o Fórum também contará com as câmaras setoriais de Agronegócio, de Desenvolvimento Sustentável, de Gestão e Políticas Públicas, de Infraestrutura e Logística, de Energia e de Tecnologia. ww.riocapitaldaenergia.rj.gov.br “É muito importante que as entidades também sejam multiplicadoras dessas reuniões e debates. É uma meta permanente e precisamos da mobilização de cada um. Com o entendimento dessas questões, o Rio de Janeiro terá muito a crescer e desenvolver”, apostou Geiza. A composição do Fórum conta hoje com representantes de diversas entidades, como a Associação Brasileira das Agências de Viagens do Rio (Abav-Rio), a Câmara de Comércio Americana do Rio (Amcham-Rio), a Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Faerj), a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Federação das Indústrias do Estado (Firjan), além das universidades Estadual do Norte Fluminense (Uenf), do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), da Zona Oeste (Uezo), Federal Fluminense (UFF) e Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful