You are on page 1of 4

RELATÓRIO DE FÍSICO-QUÍMICA

Prática 4: Deslocamento de Equilíbrio.

. Levando em consideração a reação genérica: aA(g) + bB(g) ⇌ cC(g) + dD(g) constante de equilíbrio pode ser calculada através da fórmula: Kc= [C]c [D]d [A] a [B]b (em função das concentrações) Kp= pcC pdD paA pbB (em função das pressões) O equilíbrio pode ser deslocado. as reações direta e inversa continuam ocorrendo com a mesma velocidade. com objetivo de restabelecer o reagente retirado e. com objetivo de consumir o reagente adicionado e. . No primeiro caso. A concentração. * Reações endotérmicas: consome calor. no segundo caso. A diminuição da pressão desloca o sistema no sentido onde houver maior número de mols. . O calor aparece como “produto”. Desloca o sistema no sentido inverso a retirada de reagente ou a adição de produto. nitrogênio) sem variação de volume. A adição de gases inertes (gases nobres. não afeta o equilíbrio pois não altera as pressões parciais dos gases. No primeiro caso. O calor aparece como “reagente”.Concentração: desloca o sistema no sentido direto a adição reagente ou a retirada de produto. Entretanto. no segundo caso. o equilíbrio químico é dinâmico. ou seja.Pressão: o aumento da mesma desloca o sistema no sentido onde houver menor número de mols. * Reações exotérmicas: liberam calor. A diminuição da temperatura desloca reações endotérmicas no sentido inverso e reações exotérmicas no sentido direto. com objetivo de restaurar o produto retirado.I – Introdução: O Equilíbrio químico é caracterizado pela constância das propriedades físicoquímicas macroscópicas de um sistema.Temperatura: o aumento da mesma desloca as reações endotérmicas no sentido direto e reações exotérmicas no sentido inverso. Se o sistema possuir a mesma quantidade de mols dos dois lados da equação. aumente apenas a pressão total. com objetivo de consumir o reagente adicionado. . pressão e temperatura afetam o equilíbrio. esse sistema não será afetado pela pressão.

Equilíbrio CrO4 2-/ Cr2O7 2Coloca-se 3 mL de CrO4 2- (amarelo) em um tubo de ensaio e 3 mL de Cr2O7 2- (laranja) em outro tubo. No tubo 4. Espera-se um tempo e compara-se os tubos com o padrão.0 mol/L nos tubos até que um deles mude de cor. Transfere-se essa solução para um béquer de 50 mL e adiciona-se 1. verifica-se se as tampas vedam completamente os tubos de ensaios. Um dos tubos de ensaio é deixado na estante para ser usado posteriormente como padrão. adiciona-se 1 grão de KCl sólido. dilui-se 20 mL de uma solução de KSCN 0. O tubo 1 é separado para ser usado como padrão. a coloração esperada é laranja.1 mol/L. No tubo 2. Coloca-se 4 mL dessa solução em 4 tubos de ensaio. A cada um dos tubos. III – Procedimento: Antes de iniciar a prática. . cada. Coloca-se água e um dos tubos de ensaio dentro de um béquer de 250 mL. pinga-se gotas alternadas de HCl 1. 2.001 mol/L. 1. Coloca-se gelo em dos tubos de ensaio em um béquer de 250 ml.II – Objetivo: Verificar a influência da temperatura e da concentração no deslocamento de um equilíbrio químico e demonstrar a reversibilidade das reações químicas. Influência da Concentração dos Reagentes no Equilíbrio Químico: Em uma proveta de 50 mL. tripé. Após a mudança de cor. Preparase um sistema de aquecimento (bico de Bunsen. No tubo 3.002 mol/L até formar uma solução de KSCN 0.0 mol/L até que um deles mude novamente de cor.1 mol/L. Tampam-se os tubos apenas após o cobre ser consumido. Influência da temperatura: Coloca-se 20 esfera de Cu0 de 3 três tubos de ensaio. tela de amianto). Adiciona-se 4 gotas de FeCl3 0. Pinga-se gotas alternadas da NaOH 1. adiciona-se 4 gotas KSCN 0. cada.1 mol/L.0 mL de solução de FeCl3 0. 3. adiciona-se 2 mL de HNO3 na capela. Coloca-se o béquer em cima da tela de amianto e espera-se aquecer.

Influência da Concentração dos Reagentes no Equilíbrio Químico: Nos tubo 2 e 3. uma vez que foi possível observar a influência da temperatura e da concentração e a reversibilidade das reações. 2. nada ocorreu com a solução.IV – Resultados e discussão: 1.Equilíbrio CrO4 2-/ Cr2O7 2Foram necessárias 24 gotas de NaOH para que o tubo laranja ficasse amarelo. o tubo 2 passou a liberar menos gás. Foram necessárias 13 gotas de HCl para que o tubo voltasse a ser laranja. que é um gás tóxico. a reação ocorreu no sentifo direto. Após esquentar. o tubo 3 passou a liberar mais NO2. No tubo 4. 3. VI – Bibliografia: . Logo.Influência da temperatura: Após resfriar. as soluções ficaram mais vermelhas. V – Conclusão: Os objetivos da prática foram concluídos.