You are on page 1of 11

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL CIV 340 – GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

URBANOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DO MUNICÍPIO DE SÃO GERALDO

Andressa Nayara Gomes Oliveira - 68731 Larissa Silveira Santana – 62723 Pedro Diego Saquetto –61717

VIÇOSA – MG OUTUBRO, 2011

instalação de usinas de triagem e compostagem (UTC). em que os resíduos são dispostos em locais a céu aberto. 2009) Comumente encontram-se cidades com sistemas precários. o modo como as pessoas e as politicas públicas se dispõe a esse fato podem atuar no sentido de minimizar os efeitos ou optar pelo descaso. não demandando à gestão de resíduos sólidos a devida atenção. Tal politica visa reduzir. Mas “na maioria dos municípios brasileiros de pequeno porte a administração se limita a varrer os logradouros e recolher o lixo domiciliar depositando. Porém esse panorama tem demonstrado indícios de mudanças com a nova politica de recursos sólidos. sem que haja uma real preocupação com os cuidados sanitários para a disposição adequada desses resíduos”. ou ainda. coletas de resíduos de saúde e industriais adequadas. Tais fatos realçam a necessidade de maior atuação e organização politica quanto aos resíduos sólidos visando mitigar e potencializar as ações . geração de odores. Existem cidades que tem apresentado grandes progressos na implementação de programas de gerenciamento de resíduos sólidos por meio de sistemas de coleta seletiva. reutilizar. Por muito tempo optou-se pelo descaso. em cursos d´agua e áreas ambientalmente protegida. causando contaminação de cursos d´agua e lençóis freáticos. A inadequação da disposição final dos resíduos. variando de cidade para cidade. Outra ação que se tem intensificado é a busca pela substituição de lixões por aterros sanitários.os em locais distantes da visão dos moradores. atração e proliferação de patógenos e vetores. Segundo Fagundes (2009). Contudo. dentre os principais problemas associados a inadequada disposição dos resíduos estão: contaminação do solo e águas (superficial e subterrânea). tratado e disposto de maneira adequada Contudo a situação em todo Brasil apresenta-se de forma heterogênea. e em alguns casos aterros controlados. INTRODUÇÃO Com o crescimento populacional e intenso desenvolvimento é inevitável a intensificação da produção de resíduos sólidos em praticamente todas as atividades. caso não seja coletado. intensificar a educação ambiental. solos e vegetação.1. (Fagundes. tratar os resíduos.

e que teve o seu nome como uma homenagem ao Barão de São Geraldo. Condicionados por um ambiente natural favorável à . foi o povoado que se formou junto à Estação São Geraldo. da Estrada de Ferro Leopoldina. em terras desmembradas de Visconde do Rio Branco. HISTÓRICO O município foi criado em 27 de dezembro de 1948.que envolvem essas atividades. como por exemplo. inaugurada em 28 de fevereiro de 1880. de onde surgiu São Sebastião da Serra de São Geraldo. O gráfico abaixo mostra a real situação brasileira quanto a disposição sólidos domicilares brasileiros. através da lei no. OBJETIVO Esse trabalho teve como objetivo a caracterização da cidade de São Geraldo no estado de Minas Gerais. O núcleo original. Nas áreas de fronteiras da paróquia que se ergueu. quanto ao seu sistema de resíduos SÓLIDOS. GRÁFICO 1. a geração de emprego e reutilização de materiais. Destinação dos Resíduos Sólidos Domiciliares no Brasil 2. 336. formou-se roças com produtividade elevada devido à existência de matas e terras cultiváveis relativamente intocadas. 3. e que foi instituída em 1889.

620 Zona rural: 1.975. e pela existência da estrada de ferro.000.agricultura.152. DADOS POPULACIONAIS População: 10.650 Zona rural: 1.55 reais . para uma agricultura de gêneros básicos de subsistência. os habitantes de São Geraldo voltaram-se. 4.00 reais PIB per capita a preços correntes (2008): 5. fundamentalmente. 2006): 1. através da lei 2. milho principalmente.468. além do café.395 Domicílios recenseados: 3. o que incrementou a economia e o crescimento do lugar.598 Mulheres na zona urbana: 3.263 habitantes Homens na zona urbana: 3.799 Gentílico: são-geraldense Arrecadação anual de impostos(ISS. Em 1882 ganhou a condição de distrito.

DADOS GEOGRÁFICOS Mesorregião: Zona da Mata Microrregião: Ubá Área de unidade territorial: 185. DADOS ECONÔMICOS A economia local baseava-se principalmente na plantação de cana e café. Paula Cândido.30 hab/Km² Distancia de Belo Horizonte: 308 km da capital Belo Horizonte Municípios vizinhos : Visconde do Rio Branco. 6. Coimbra. mas a erradicação dos cafezais. Ervália e Guiricema. A economia vem sendo restaurada baseando-se na criação de aves e gado de corte e na fabricação de móveis. a falência da Usina de açúcar de Visconde do Rio Branco e a suspensão do tráfego da estrada de ferro trouxeram desequilíbrio econômico ao município.5. produção de laticínios e extração mineral. . 578 km2 Densidade demográfica: 55.

91 510.7.490.21 115. DADOS ADMINISTRATIVOS Prefeito Municipal Walmir Rocha Lopes e Vice-Prefeito Sergio Bitencourtt.681.0 % transferências SUS/despesa total com saúde 29.200.127.2 7.6 % de recursos próprios aplicados em saúde (EC 29) 22.2 18. Orçamento Público Dados e Indicadores Despesa total com saúde por habitante (R$) Despesa com recursos próprios por habitante Transferências SUS por habitante 2007 188.202.134.118.40 2.4 Despesa total com saúde Despesa com recursos próprios Receita de impostos e constitucionais legais Transferências SUS 1.014.5 23.19 60.7 55.729.53 125.55 % despesa com pessoal/despesa total % despesa com investimentos/despesa total 55.43 1.040.87 596.32 .86 1.147.71 2009 207.1 29.72 transferências 5.pessoa jurídica /despesa total 24.1 % despesa com serv.77 6.923.141.2 6.196. terceiros .12 55.

Despesa com pessoal 8. Os resíduos dos serviços de saúde são recolhidos por uma empresa terceirizada e levado para Lavras. A produção de resíduos sólidos urbanos gira em torno de 2. como resultado do convênio firmado com o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR). que dita diretrizes para a população e sistema de limpeza e coleta dos resíduos produzidos na cidade.  Infra-estrutura Em 2007. por meio do Serviço Voluntário de .  Legislação O município conta com o código de postura acerca da limpeza urbana.125.74 1.792 IDH Longevidade: 0.67 IDH Educação: 0. de segunda à sábado no período vespertino.  Serviços de coleta A coleta no município é feita por um único caminhão. A administração de tais serviços são gerenciados pela Prefeitura Municipal.000 a 2. que comporta uma carga de 1200kg.769 IDH Renda: 0. QUALIDADE DE VIDA  Índice de desenvolvimento humano (IDH) 954. As competências do SMLU ficam a cargo da Secretaria de Limpeza Urbana.732 9.634 IDH Municipal: 0.327. toda a população é atendida pelo serviço. GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS  Produção A produção de resíduos sólidos urbanos é predominante comercial/doméstica. Sendo a prefeitura.220 toneladas/dia.096.

16 municípios desenvolveram ações para implantar a coleta seletiva. A área possui topografia ligeiramente acidentada e solo do tipo argiloso. atualmente em serviço. feijão e avicultura de corte. possui 25. cultura de eucalipto. além de materiais recicláveis. ocorre a separação manual da matéria orgânica. a uma distância de 1.5 ha. Como vegetação . reaproveitados pela própria prefeitura como.000 m² ou 2. Toda a água utilizada no empreendimento é fornecida pela concessionária pública. que se encontra encascalhada e que futuramente será pavimentada. como restos de alimentos e podas. com extensão aproximada de 300 metros. os pneus velhos que podem ser utilizados no paisagismo da UTC.  Caracterização da UTC A área destinada à UTC. Após o PPAGIRS foi implantado uma UTC. depois de separados. os municípios também participaram do Programa Piloto de Apoio à Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PPAGIRS) para implantação de usinas de triagem e compostagem de lixo (UTCs). No município de São Geraldo antes do PPAGIRS os resíduos gerados iam para um lixão. onde é submetida a um processo de conversão biológica em adubo. O acesso a usina de triagem se dará por uma estrada construída para este fim. culturas anuais de milho. rejeitos e resíduos especiais presentes no lixo. em parceria com o Sebrae-MG. fuso 23 K e altitude 415 m. As atividades de entorno são: pecuária de leite. Já os materiais recicláveis. arroz. e está situada nas coordenadas Long (UTM X) 725713 m e Lat (UTM Y) 7684094 m. Mirai. entre eles Geraldo. energia para o funcionamento da prensa e iluminação local.5 km do centro de São Geraldo. A parte orgânica é destinada para o pátio de compostagem. são armazenados para serem vendidos às usinas de reciclagem ou. Na usina de triagem e compostagem.a COPASA.Assistência Social (Servas) e da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam). O fornecimento de energia elétrica está a cargo da concessionária Companhia Força e Luz Cataguases – Leopoldina. ainda. Santana dos Montes e São Além da coleta seletiva. de propriedade da Prefeitura Municipal. por exemplo.

. A área da usina encontra-se revestida de vegetação (gramínea). serão estocados para posterior comercialização. vestiário e banheiros adequados. que trabalham de 7:00 às 17:00 por dia e recebem um salário mínimo por mês. temperatura e umidade. Toda a área da usina encontra-se cercada. a revegetação em algumas áreas ocupadas com taludes. que é cimentado e com declividade para facilitar o escoamento das águas pluviais. encaminhada ao pátio de compostagem. A erosão é praticamente inexistente no local da usina. Os recicláveis serão dispostos em recipientes exclusivos e encaminhados á prensa. (lixo bruto). Na triagem são separados. 40% vai para reclicagem e 15% é destinado a compostagem.  Mão de obra A UTC conta a presença de 13 funcionários. conduzem as águas pluviais até um sistema de fossas com sumidouros. Depois de prensados. Em seguida o processo é iniciado de triagem dos resíduos urbanos coletados através da separação manual dos materiais em uma banca de concreto.característica. tudo isso com um controle dos fatores que afetam o processo como: ciclo de reviramento. Esta é disposta em leiras. tendo sido solicitada em ofício de informação complementar. através de ferramentas artesanais. os recicláveis. onde também as canaletas. A matéria orgânica é. para a decomposição microbiológica. segundo estudo. Os trabalhadores contam com EPI para fazer os serviços e a usina possui refeitório. instaladas ao longo do Pátio de Compostagem. aeração. os fardos. é descarregado no poço de recepção. Não há presença de catadores na UTC. os orgânicos e os rejeitos. No município 40% do lixo coletado vira rejeito. Após o fechamento de valas também está previsto revestimento com gramíneas e espécies rasteiras.  Procedimentos na UTC O material coletado no município. sendo que as valetas de drenagem e dissipadores de energia apresentam-se com bom funcionamento. na área do entorno predominam áreas de reflorestamento e cobertura vegetal rasteira utilizada para pastagem.

o que acarreta perda na eficiência da triagem e no valor econômico dos materiais (esta para mudar. DIAGNÓSTICO A prefeitura não se mostrou muito aberta em fornecer informações e auxiliar na obtenção de dados. haja visto que opera a usina de triagem e compostagem e encontra-se em andamento o procedimento para a implantação de coleta seletiva. O dinheiro arrecadado com a venda dos recicláveis é utilizado para pagar os funcionários e fazer investimentos na área de meio ambiente. sendo que há um controle de custos.. apesar de opiniões contraditórias a respeito de sua eficiência. o que não e recomendado visto que podem ocorrer imprevistos e impossibilitar os serviços de coleta. porém espera-se que após a implantação da coleta seletiva a porcentagem de rejeito diminua. tendo em vista que 40% do material vai para a vala de rejeito. salário. etc. 11. Entretanto poderia haver um procedimento mais acurado. O repasse das informações foi feito de maneira breve e curta. que remete a implantação da coleta seletiva no município. CONCLUSÃO A cidade de São Geraldo tem apresentado empenho no sentido de buscar um sistema de gerenciamento de resíduos sólidos adequado. energia elétrica. 10. Os custos envolvidos no sistema de coleta de resíduos incluem transporte. Coleta seletiva Há um projeto lei previsto para entrar em vigor no próximo mês. novembro/2011. em decorrência da implantação da coleta seletiva no município). água. A UTC recebe resíduos que não são segregados na fonte. verifica-se a presença de apenas um caminhão coletor. .  Estrutura financeira Os trabalhadores recebem um salário mínimo por mês. manutenção. Quanto à coleta.

br/tabdata/cadernos/mg.br/cidadesat> Acesso em 20/10/2011 Disponível em: <http://tabnet. Disponível em <http://www.gov.htm> Acesso em 21/10/2011 Disponível em: <http://www.br/content/view/682/2/> Acesso em 22/10/2011 FAGUNDES.br/index.scielo. Diana da Cruz. Referências Disponível em : <http://www.datasus.br/cidades-do-brasil/minasgerais/saogeraldo/> Acesso em 20/10/2011 Disponível em: <http://www.br/pdf/sn/v21n2/a11v21n2.ibge.12.php?exibir=secoes&ID=9> Acesso em 22/10/2011 Disponível em <www.gov.com.pdf> Acesso em 22/10/2011 .gov.saogeraldo.net.br/ > Acesso em 21/10/2011 Disponível em <http://www. GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM TARUMÃ E TEODORO SAMPAIO – SP: 2009.asminasgerais.sjonline.com.uniregistro.mg.