1

A INFLEXÃO ANTROPOLÓGICA DO PENSAMENTO GREGO : OS SOFISTAS E SÓCRATES . Por: Guaracy Araújo A reflexão grega , inicialmente centrada na temática da natureza , passa a concentrar-se posteriormente ( por volta do século V a.C. ) em questões de ordem antropológica. Esta mudança de ênfase jamais foi plenamente explicada pelos historiadores ; há no entanto um consenso histórico em atribuir ao florescimento das cidades gregas o papel de trazer a reflexão para temas mais diretamente relacionados à vida concreta dos homens ; enquanto grandes centros aos quais afluíam populações de todo o mundo grego , as cidades desempenharam o papel de pólos de aglutinamento nos quais desenvolveu-se uma forma completamente nova de cultura 1. As principais preocupações que despontaram nesta nova forma de cultura apontavam para o problema do homem , de suas possibilidades e de seu ser ( o que se expressa na pergunta “o que é o homem ?” ) . Mais diretamente , foram tratados problemas éticos - dizendo respeito aos comportamentos e valores dos indivíduos tal como se relacionam na sociedade - e políticos , relativos à esfera política , entendida enquanto instituição que resguardaria os indivíduos e até mesmo os elevaria a um maior grau de humanidade (instituição política que , simultaneamente , acarretaria grandes riscos para a coletividade
Dentre as grandes cidades deste período , convém ressaltar principalmente o papel desempenhado por Atenas , o maior centro cultural da Grécia na época , e que a partir do século V a.C. foi o ponto principal de concentração das pesquisas filosóficas .
1

o pensamento racional ) não tinha para os sofistas um sentido teórico e contemplativo . justiça e sabedoria . passagem de um modelo de pesquisa e reflexão filosófica que tem por tema principal a natureza para um modelo que privilegia o homem e os assuntos humanos ) . destinadas não a explicar o que era o real .2 se conduzida por mãos erradas ).Chamamos a este movimento de cultura “inflexão antropológica” ( isto é . “amante da sabedoria” ). ao que se contrapunham os filósofos (“philo-sophoi” . mas artifícios destinados a lidar com as palavras de modo a conduzir os interlocutores através do discurso . ou simplesmente mais capaz de convencer os auditores ) . Os sofistas não ensinavam o que significavam palavras tais como virtude . descoberta que se daria como uma “contemplação” . OS SOFISTAS Quem são os sofistas ? Os sofistas se autoproclamavam “sábios” (“sophoi”) . de descoberta do fundamento de todas as coisas . Era um conjunto de técnicas . Mas o saber que os sofistas julgavam oferecer era bastante diferente do saber dos filósofos . mas a permitir um discurso mais eficiente ( isto é . O “logos” ( a “razão” . mais capaz de ser aceito por aquele que ouve o discurso . seus expoentes são os sofistas e Sócrates .

O que se pode chamar relativismo : as coisas não são de forma absoluta . o considerava amargo . ao comer um alimento . A razão era tomada no sentido prático . Por consequência . pragmático ( ou seja . Não se deve esquecer que este relativismo se relaciona ao bom uso do discurso persuasivo . o discurso servia para convencer alguém de que alguma coisa era de um certo modo em determinado momento e de outro modo em outro momento . separada da realidade contemplada ( tal como era entendida a razão entre os primeiros filósofos ) . uma verdade que tivesse como referência um princípio “invisível” . além dos sentidos e da percepção humana . Portanto os sofistas recusavam um conhecimento absoluto . Alguns exemplos usados pelos sofistas para defender esta idéia : um homem doente .3 desinteressada e distante . isto se torna uma verdade . aplicável à vida concreta e cotidiana ) de fazer com que o discurso operasse no interior dos interlocutores . utilizável. Eles acreditavam que a verdade fosse fruto de um consenso . e até mesmo a possibilidade de dizer o que as coisas são realmente . Para os sofistas . de um acordo entre as pessoas : se todos concordam que algo seja verdade . A mesma casa que é branca de dia torna-se escura à noite . enquanto o mesmo homem ao recuperar a saúde consideraria este mesmo alimento doce .. um deus por exemplo) .o que quer que seja . mas sim relativas a situações ( o homem do exemplo acima é algo diferente quando está doente e quando recupera a saúde ). os sofistas recusavam a idéia de uma verdade que fosse fundada em bases “transcendentais” ( ou seja .

mais poder . Deste modo . o recurso à violência é perfeitamente aceitável . Ligando assim o conhecimento à subjetividade de cada um dos homens . Acreditando-se capazes de fornecer um ensinamento que permitiria a seus discípulos um maior poder no interior da cidade . os sofistas pregavam a idéia de que as relações humanas eram marcadas pela força . em sua subjetividade . o padrão do conhecimento das coisas é o próprio homem . Servindo o discurso para afirmar e tornar consensual os desejos de quem sabe falar bem .4 (=discurso destinado a convencer ) : quem sabe bem usar o discurso é quem é capaz de convencer seus interlocutores de que as coisas são tal como ele diz . Os sofistas defendiam assim a força como padrão das relações entre os homens (quem tem mais “força” . um dos mais famosos sofistas : “O homem é a medida de todas as coisas”. deve dominar absolutamente quem tem menos capacidade de dominar ) . somos novamente conduzidos ao relativismo ) . remetendo a cada homem em particular (cada homem é a medida de sua própria verdade ) . Ou seja : o próprio discurso é apenas uma manifestação da força de alguém que submete os outros a seu próprio desejo . Dizia Protágoras . Caso a palavra não possa ser utilizada . os sofistas destruíam a possibilidade de um parâmetro absoluto do conhecimento (ou seja . Os sofistas faziam de . os sofistas não se envergonhavam de exigir altas somas por suas lições .

e isto pelo seguinte motivo : o próprio Sócrates não deixou textos escritos . No entanto . local para onde iam os gregos a fim de se consultarem com o deus ( dizia-se que a sacerdotisa do oráculo falava pelo deus Apolo ) . Ele representa uma imagem . proclamou ser Sócrates o mais sábio dos . e os dois principais testemunhos que chegaram até nós não são totalmente confiáveis . SÓCRATES O grande adversário dos sofistas em seu tempo foi Sócrates . já o testemunho de Platão é problemático devido ao extraordinário brilhantismo deste autor . No entanto . talvez a mais famosa . do filósofo enquanto participante da vida social . A figura de Sócrates representa uma marca definitiva em na cultura ocidental . tudo o que se disser de Sócrates será sempre envolvido por uma certa aura de mistério . O Oráculo de Delfos . deve-se mencionar que é muito difícil dar uma descrição precisa das atividades de Sócrates . tentemos .5 seu saber uma mercadoria como qualquer outra : algo bom e útil de se adquirir para o benefício próprio . que terminou por subordinar as preocupações de Sócrates às suas .pois torna a figura de Sócrates até certo ponto banal . O de Xenofonte (discípulo de Sócrates ) é muito pálido . Assim .

levava sua vida da seguinte forma : ia para a praça e . Ora . Sócrates recusava o saber-mercadoria dos sofistas . completamente ignorante portanto . uma ironia corrosiva e destruidora . Mas o que é esta ignorância ? Comparando-se Sócrates com os sofistas . e que portanto não deveriam cobrar por um saber que não possuíam realmente . haja visto considerar-se um homem que só “sabia que nada sabia” .utilizava-se de uma dupla estratégia . a reação de Sócrates é genial : ele prova aos sofistas que eles são ainda mais ignorantes do que ele . sabia que não possuía qualquer saber verdadeiro . que mostrava aos interlocutores bestificados que aquilo que cada um tinha por certo e garantido era uma ilusão . Depois de “derrubar” assim seus . Sócrates . a partir deste princípio . que as grandes certezas eram na verdade castelos de areia . pretendia provar que este saber .e que todo o saber dos membros da cidade . compreendemos um pouco melhor esta “ignorância socrática” : é um conhecimento dos próprios limites . ao contrário de seus conterrâneos que supunham ser possuidores do saber . Ou seja : Sócrates . Primeiramente . Assim . mas sabia que os outros nem sequer este saber possuíam . Sócrates sabia mais do que todos os outros : sabia que não sabia .6 homens de seu tempo .era composto de falsas certezas . Contra os sofistas . Sócrates dizia não ter compreendido à primeira vista esta manifestação do oráculo . um saber de si mesmo . ao propor questões para todos aqueles que se dispusessem a conversar com ele . ao menos . mas se enganavam por possuir apenas pseudo-verdades .

como se Sócrates fosse o “parteiro” . Um discurso que fosse uma verdadeira certeza e que não sucumbisse à critica . já que seu interlocutor não parecia possuir esta verdade anteriormente ? A verdade que Sócrates busca é o conceito . Mas este auto-conhecimento não tem apenas um sentido subjetivo . ou seja . A verdade é assim entendida como lembrança da passagem da alma humana pelo espaço divino .da verdade descoberta . uma palavra . Mas qual é a base desta verdade . Um discurso necessário .mas não o pai ! . e como se “arrancar” esta verdade do interlocutor ? Sócrates defendia o auto-conhecimento . que pudesse ser universalizado e que não fosse uma mera opinião subjetiva de cada pessoa em particular .Tal busca se dava em uma operação na qual Sócrates guiava seu interlocutor de modo a extrair de dentro dele uma verdade acerca das coisas . tendo afirmado como seu lema o famoso “conhece-te a ti mesmo” .7 interlocutores . que não pudesse ser contradito . Sócrates iniciava um segundo movimento . frase que enfeitava a entrada do Oráculo de Delfos . mas sim o de buscar a verdade no interior de si mesmo . Ou seja : um discurso . o da “maiêutica” (maiêutica era para os gregos a arte dos partos . e a própria mãe de Sócrates era uma parteira). um “logos”. que era a busca da verdade através do diálogo . Mas qual é esta verdade ? Em que se distingue esta da falsa certeza ? E de onde extrai Sócrates esta verdade . alma que é interior ao indivíduo e que o supera ( quando morre a .

mas aprender como ser justo e piedoso . o que morre realmente é o corpo . conhecerse não é apenas alcançar um conhecimento teórico do que são justiça e piedade.foi herdada por Sócrates do orfismo . que transmigra para outro corpo ) 2. sobrevivendo a alma . seita mística muito forte entre os gregos na época . Este tipo de idéia . 2 . com a permanência da alma mesmo após a destruição do corpo . Sócrates foi um defensor incansável da virtude . do ser bom e viver virtuosamente ( de acordo com as boas normas da cidade e com os princípios divinos ) .8 pessoa . Isto é .separaçao da alma e do corpo . O “conhecer a si mesmo” tem ainda um outro sentido .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful