PROGRAMA DE DISCIPLINA 1.

Dados de Identificação Disciplina: Representações Pictóricas Código: 7REPIC Carga horária: 72 h/a Créditos: 4 CR Curso: Bacharelado em Artes Visuais Habilitação: Artes Visuais Departamento: Artes Visuais (DAV) Fase: 4a Professor (a): Flávia Duzzo Currículo: 2008

2. Caracterização da Disciplina (Ementa) Conceitos e desenvolvimento da linguagem pictórica contemporânea. Pesquisa e experimentação das vertentes matéricas da pintura. Suportes e materiais tradicionais e não tradicionais. 3. Objetivos Gerais Através da fatura de pinturas por meios tradicionais, levantar questões pertencentes à linguagem pictórica como: cor, luz, transparência, massa, para desenvolver uma pesquisa de pintura no campo expandido. Serão utilizados diferentes suportes e materiais não tradicionais que possam dar conta de trabalhar algumas das questões da pintura. Pretende também oferecer um espaço para discussão em grupo dos trabalhos realizados, desenvolvendo assim, a capacidade crítica do aluno para elaboração e reflexão da sua linguagem artística através da prática da pintura. 4. Objetivos Específicos Compreensão de conceitos, técnicas e perspectivas históricas do emprego da pintura com aquarela, guache e acrílica, utilizando papel e tela como suporte; - Apreensão de escala cromática; massas tonais; contrastes de luz e sombra; contrastes de cores frias e quentes; - Utilização de suportes e materiais não convencionais explorando o potencial simbólico de tais materiais. - Capacitação do aluno para entender a linguagem pictórica realizada na contemporaneidade; - Desenvolvimento da capacidade crítica do aluno para com o resultado do seu trabalho. 5. Conteúdo
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE ARTES - CEART DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS - DAV

B. MELLO. Ed Iluminuras. 2003. Eleonor. Compreender de que modo os materiais não tradicionais se relacionam elementos da linguagem pictórica. Novíssima Arte Brasileira. Metodologia Ensino voltado para o desenvolvimento de pesquisa individual e prática de atelier. Pintura em meios tradicionais que possam dar continuidade a pesquisa realizada em pintura nas fases anteriores. 6. HEARTNEY.UDESC CENTRO DE ARTES . Michael. Zahar. (org. 7. Cecília Cotrim de. 7. Os resultados práticos são debatidos. 1976. EMMERLING Leonhard. Focar nas principais características dos trabalhos de cada aluno para definir quais seriam os materiais que cada um deve buscar para intensificar suas questões. São Paulo. Rio de Janeiro. 1988. Arte e Cultura: Ensaios Críticos. Assiduidade e entrega pontual dos trabalhos. bem como os textos teóricos que são indicados. Lucy. Basquiat. 2002. Rio de Janeiro: J. GREENBERG. considerando-se o conjunto de trabalhos apresentados nas unidades. Tadeu. CANTON. Pós. Cosac & Naify edições. Arte contemporânea. LIPPARD. H. uma História Concisa. Editora da Universidade de São Paulo.2001. 2. São Paulo.). Avalia-se também os exercício extra-classe. São Paulo: Atica. Aula teórica: A pintura Pop: comentários sobre algumas obras de Robert Rauschenberg e Jasper Johns. Aulas expositivas sobre pintores e pinturas contemporâneas são realizadas em paralelo ao desenvolvimento do trabalho prático. Teorias da Arte Moderna. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA . Referências Bibliográficas ARCHER. Lemos Editorial. Martins Fontes. Relação entre os recursos técnicos utilizados nas construções das imagens artísticas e os diferentes vertentes artísticas contemporâneas. Martins Fontes. Clement. Editora Paisagem. Ed. Clement Greenberg. FERREIRA. Sâo Paulo. o acompanhamento da leitura e participação nas discussões teóricas propostas.DAV 2 .modernismo. Pesquisa de referenciais artísticos. Avaliação Serão feitas duas avaliações dos trabalhos práticos no semestre. o desenvolvimento de trabalhos pictóricos que utilizem suportes e materiais não convencionais e que os possibilitem a explorar o potencial simbólico destes. CHIARELLI. Sâo Paulo. Bibliografia Complementar CHIPP. Glória. 8. Ano: 2005. 5. Ed. São Paulo: Verbo. É proposto ao aluno. modernismo formalista de 4. Arte Pop. 1996. “Filosofia da imagem”: relação entre os recursos plásticos e suas potencialidades de simbolização.CEART DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS . 3. 1997. 2002. Arte Internacional Brasileira. Clement Greenberg e o Debate Crítico.1. Aula teórica: Expressionismo Abstrato Americano. Kátia. 6.

Hannah. Klein. 2005.WEITEMEIER.UDESC CENTRO DE ARTES . Editora Paisagem. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA .CEART DEPARTAMENTO DE ARTES VISUAIS .DAV 3 .