You are on page 1of 4

Medidas cautelares específicas: arresto.

1 Finalidade Proteger pretensões monetárias, que sejam ou venham a ser objeto de demanda judicial própria. Por meio do arresto, busca-se tornar bens indisponíveis, de modo a assegurar a futura realização de créditos monetários ou de outras prestações que devam converter-se em prestações pecuniárias. Proteção da futura penhora. Bens arrestáveis são os bens que podem ser submetidos à penhora (arts. 649 e 650, CPC). Obrigações de fazer, não fazer ou entregar coisa convertidas em perdas e danos podem valer-se do arresto. Caso de requerimento do autor ou caso de inviabilidade de realização da tutela específica (art. 461, §2º, CPC). Diferença fundamental entre arresto e seqüestro: proteção do crédito x proteção de determinado bem. 2 Requisitos Arts. 813 e 814, CPC. Crítica ao CPC: deve-se tomar como meramente exemplificativo os casos contidos nos arts. 813 e 814. Assim, os arts. 813 e 814 trazem casos de presunção legal da presença dos requisitos da medida cautelar. Reflexão válida para as várias medidas cautelares específicas. Benefícios para o autor. Se o risco preexistia à celebração do contrato com o devedor, não é admissível o arresto de seus bens. 3 Procedimento Sobre o art. 816 e a justificação prévia perante os requisitos da tutela cautelar. Art. 819 e possibilidade de suspensão da medida, mediante pagamento da dívida ou caução. Deferido o arresto: apreensão e depósito dos bens. Possibilidade de o réu substituir os bens penhorados. Conversão do arresto em penhora. Art. 818, CPC. O arresto só se resolverá em penhora após o requerimento do autor para que se dê andamento à execução. O autor terá trinta dias para requerer o cumprimento da decisão, de modo a não permitir que o arresto se prolongue indefinidamente.

822. persistiu a confusão entre arresto e seqüestro – Ordenações. desaparecimento desvio etc. – liga-se ao interesse da parte e não à materialidade do bem. a não ser em hipóteses excepcionalíssimas – rendimentos mencionados no inciso II do art. No direito brasileiro. por muito tempo. Não incidirá sobre crédito ou soma de dinheiro. CPC: hipóteses de perigo de dano. pagamento de soma em dinheiro). No inciso I. há autores (como Humberto Theodoro) que afirmam equivocadamente não caber sequestro ex officio. MARINONI). sentença de procedência ainda não transitada em julgado. 823. 822. 5º. O inciso II é especificíssimo e pressuporia: ação reivindicatória. Danificação jurídica do objeto: deterioração. 822. 813 e 814 (arresto). Arresto: execução por quantia (pretensão monetária. Caberá ao autor determinar o bem a ser seqüestrado. Observações sobre os incisos exemplificativos do art.Medidas cautelares específicas: sequestro. o caráter exemplificativo que deve assumir. Rol exemplificativo – assim como ocorre com os arts. o seqüestro vai incidir sobre bem determinado. Regulamento 737. Não caberá caução ou pagamento de dívida para suspender ou extinguir o seqüestro. Assim. por outro. Remonta ao Direito Romano. 1 Finalidade Enquanto o arresto se presta à apreensão de bens indeterminados. O que é de se destacar no inciso II: por um lado. a possibilidade de proteção de frutos e rendimentos via seqüestro cautelar. necessidade de proteção de frutos e rendimentos de bens imóveis. teria que se admitir (1) que poderia ser concedida medida cautelar atípica com o mesmo caráter (questão puramente formal) ou (2) que não haveria medida cautelar cabível diante dos casos não previstos em lei. o que feriria o art. Não poderá haver substituição do bem. CPC 1939. o seqüestro dirigese a um bem determinado. tornadas infungíveis ou algo que o valha. Na verdade. . será necessário comprovar também a verossimilhança do direito. por definição. Sequestro: execução para entrega da coisa (objeto litigioso sob perigo de dano jurídico). moedas raras. a referência a “rixas” como perigo de dano diz respeito aos riscos que a disputa sobre a coisa pode trazer às partes. XXXV (cf. há diferenças significativas quanto ao procedimento do arresto e do seqüestro. 2 Requisitos Art. 3 Procedimento Em relação ao art. sob risco de dano. Obviamente. Apesar do que diz o art. as semelhanças entre o procedimento das duas medidas dizem respeito ao modo de execução – apreensão e depósito. objeto de demanda judicial própria. Caso não se tratasse de rol exemplificativo. 822.

títulos da União ou dos Estados. assemelha-se ao arresto – e distancia-se do seqüestro (bem determinado). A caução é medida menos gravosa ao réu. Contracautela. penhor. Reforço da caução. Seguem o mesmo procedimento. Transformação em arresto. 1 Finalidade Assegurar uma tutela ressarcitória . 2 Requisitos Os requisitos gerais das medidas cautelares. Caução pro expensis. 808. 3 Procedimento Regras gerais.quantia. Constitucionalidade. Artigo 835. pedras e metais preciosos. No entanto. substituição (fungibilidade). Pode ser viabilizada por vários meios . fiança etc.Medidas cautelares específicas: caução. hipoteca. Observações: Caução legal e caução negocial. Caução espontânea e caução forçada. Possibilidade de dispensa . Aqui. papéis de crédito. não exigem os requisitos da cautelar. nem se submetem aos imperativos do art.depósito em dinheiro.

Assim.Medidas cautelares específicas: busca e apreensão. 841 – mandado. ou seja. Apreensão fundada na Lei de Proteção aos Direitos Autorais: dois peritos. Há unidade entre o ato da busca e o ato da apreensão. não se trata de comprovar exaustivamente o paradeiro da pessoa ou coisa a ser apreendida. que examinarão a ocorrência da violação antes da apreensão. Primeira especificidade: necessidade de localizar o objeto da apreensão. Há certa polêmica quanto ao rito envolvendo busca e apreensão pessoal. Pode servir à preservação dos efeitos de outra medida. pode ser preparatória ou incidental. O procedimento segue o modelo geral: possibilidade de deferimento liminar do pedido. defesa do réu. Auto circunstanciado: descrição do objeto e das circunstâncias em que a diligência foi realizada. . Pode aparecer como medida satisfativa. possibilidade de AIJ etc. Por óbvio. 1 Finalidade Desapossamento de bens do requerido e sua entrega ao depositário (tal como o arresto e o seqüestro). como arresto e sequestro (Humberto Theodoro). cabe busca e apreensão tanto em hipóteses previstas legalmente de modo expresso. Humberto Theodoro defende vigorosamente a separação entre processo cautelar e de conhecimento. Nesse capítulo de seu livro. Art. Erro freqüente: busca e apreensão cautelar para resolver o litígio em torno de um contrato. pela própria natureza da medida. como em qualquer situação em que se fizer necessária a medida para assegurar a tutela do direito material. A primeira posição predomina. 840: razões justificativas da ciência de estar a pessoa ou a coisa no lugar indicado. possibilidade de audiência de justificação. pode ser real ou pessoal. Por óbvio. Dois oficiais de justiça e duas testemunhas. Segunda especificidade: pode destinar-se à apreensão de coisas e de pessoas (incapazes). caso seja situada como meio de execução para a satisfação da pretensão principal (art. Não cabe a utilização do rito do Livro III para a obtenção de tutela satisfativa. Tem como objeto apenas coisas móveis. Não é dessa medida que tratamos aqui. Art. Rito cautelar x rito ordinário. 2 Requisitos e procedimento Verossimilhança do direito e perigo de dano. 461).