You are on page 1of 56

BVA

CIDA
em

BVA Volume III

Maria Iracilda Gomes Cavalcante Bonifácio
Claudenice Nunes dos Santos
(Orgs.)
© BONIFÁCIO, M. I. G. C. SANTOS, C. N.; 2008.

Escola Berta Vieira de Andrade

Organizadoras:
Maria Iracilda Gomes Cavalcante Bonifácio
Claudenice Nunes dos Santos

Colaboradores:
Mary Anne Namen de Souza
Cláudia Simone Moura de M. Sales
Maria de Nazaré Arruda Aragão
Jucely Pinto de Brito
Antônia Négima de S. de Mesquita
Francisca Rosângela Simão de Oliveira
Daniela Silva Barbosa Chaves
Nazha Bichara Magno Ribeiro
Reginâmio Bonifácio de Lima
William Vidal de Lima
Wellyton Diogo da Silva

Autores:
Alunos das 5ª, 6.ª e 7.ª séries do Ensino Fundamental em 2008.

Diagramação:
Anderson F. da Silva

Impressão e Acabameno:
GRAF-SET

Ficha catalográfica preparada pela Biblioteca Central da Universidade Federal do Acre

BONIFÁCIO, Maria Iracilda Gomes Cavalcante;
S237e SANTOS, Claudenice Nunes dos. Sonhos em BVA. V.
3. Rio Branco - AC: CIDA, 2008. 50p.

1. Conto, 2. Poesia, 3. Literatura oral, I. Título

CDU 808.56 (811.2)-34

É permitida a reprodução parcial desta obra, desde que citada a fonte
Índice

Apresentação....................................................................................05
O Raiozinho de Sol..........................................................................07
Aventura no mar...............................................................................08
Nunca pare de sonhar.......................................................................09
Amor sem limites.............................................................................11
O menino sonhador..........................................................................13
Spayk, o pitty-bull............................................................................14
A formiga e o gafanhoto...................................................................15
O pássaro e o pato............................................................................16
A lata velha em prego.......................................................................17
O sonho de Fabiana..........................................................................18
As aparências enganam....................................................................19
Megue e a flor encantada.................................................................20
O lobisomem e suas artes.................................................................21
A ilha mágica....................................................................................22
A cidade dos livros...........................................................................23
A onça ninja......................................................................................25
O lago de Mariana............................................................................26
Margarida e sua nova amiga.............................................................27
Pedro, o menino da floresta..............................................................28
O castelo encantado..........................................................................29
Rimas de amor..................................................................................30
Maravilhosa Rio Branco...................................................................31
A Rua do Divisor..............................................................................32
Rio Branco, noite e dia.....................................................................33
Amores e Sonhos..............................................................................34
Meu lar..............................................................................................35
BVA é um sonho...............................................................................36
Terminal Urbano de Rio Branco.......................................................37
Águas Rasas......................................................................................38
Um novo olhar..................................................................................39
A grandeza de meu lugar..................................................................40
Rua da Felicidade.............................................................................41
Nosso Acre.......................................................................................42
O amor, quando chega......................................................................43
A flor que brilha ao nascer do sol.....................................................44
A Fé que Transforma........................................................................46
BVA, uma história de sonhos...........................................................47
Os Eleitos: a história de um sonho...................................................48
Coisas de Berta.................................................................................50
Sonhos em BVA
Apresentação

Quando aprendemos a ler não apenas palavras, mas o mundo a
nossa volta, tudo se torna pretexto para sonhar. As palavras são
brinquedos e instrumentos para lutarmos por aquilo que acreditamos.
Ouvir, ler e contar histórias se torna um tesouro incalculável, se somos
capazes de descobrir os segredos que se escondem na palavra escrita ou
falada.
Diante dessa riqueza que reside na leitura, a escola cumpre papel
fundamental na transformação da sociedade. No entanto, para que isso
ocorra efetivamente, é preciso que haja uma aprendizagem vivenciada
a cada momento, não apenas no contexto das atividades escolares, mas
também no contínuo convívio com os membros da sociedade.
Pensando nisso, desenvolvemos o Projeto de Leitura Sonhos em
B.V.A., tendo como foco a concretização de um importante objetivo
educativo da escola: formar cidadãos competentes e habilitados para
manifestar suas concepções através da palavra escrita. Buscamos
incentivar os alunos a serem verdadeiros usuários da leitura, capazes de
se beneficiar do acesso a qualquer tipo de texto e de expressar-se
fluentemente por escrito.
O Projeto de Leitura e Produção Textual teve início durante o
primeiro semestre de 2007, estendendo-se por todo o ano. O produto
final dessa primeira etapa do projeto foi a publicação dos livros
“Sonhos em BVA”, v. 1 e v. 2, que trazem uma coletânea dos textos e
desenhos produzidos pelos alunos das Quintas e Sextas séries do
Ensino Fundamental, em 2007. Neste terceiro volume, ganham ênfase
narrativas e poesias escritas pelos alunos das Quintas, Sextas e Sétimas
séries do Ensino Fundamental, em 2008.
Colocar disponível para professores e alunos o material
produzido pelos próprios alunos é uma oportunidade ímpar, pois com
isso, não apenas estaremos incentivando a produção textual de autores
da terra, mas também dando um passo importantíssimo no âmbito
educacional em nosso Estado. Poder ter à disposição um material
paradidático que fale das esperanças de nossas crianças, jovens e
05
Sonhos em BVA
adolescentes, de fatos típicos da realidade local sempre foi uma
preocupação do corpo docente estadual. Estamos dando este passo
inicial em busca de um diálogo mais estreito com as coisas de nossa
terra.
Com a oportunidade que nos cai à mão, de levar à comunidade
escolar acreana uma coletânea de textos nos quais podemos identificar
não apenas cenários, linguagens e personagens, mas também sonhos e
esperanças comuns, buscamos contribuir com a educação em nosso
Estado e com a formação consciente de nossos alunos diante da vida
social contemporânea.
Poder participar dessas práticas de leitura do mundo, a partir da
ponte oralidade-escrita, é um importante fator de inclusão social.
Procuramos, portanto, desenvolver nos alunos o interesse em ler e
ouvir histórias, manifestando sentimentos, experiências, idéias e
opiniões em situações de leitura compartilhada e/ou recorrendo à
biblioteca da escola ou do bairro.
O resultado não poderia ser outro: textos fantásticos, que trazem
um pouco da contribuição de “nossos novos autores” para a sociedade
acreana. Eles não são apenas meninos e meninas “brincando de
escrever”, são pessoas que realmente têm algo a oferecer, suas histórias
trazem a marca do sonho e da esperança de um mundo melhor. Por isso,
vale a pena investir nestes novos talentos, acreditar que mais que a
produção de um livro, eles nos trazem uma lição de vida.
Nossa proposta é trazer à discussão vivências e sonhos com os
quais os alunos e professores de nossa rede de ensino, pública ou
particular, possam se identificar e se inspirar para novas produções.
Sejam bem-vindos à Escola Berta Vieira de Andrade. Passeiem
conosco nestas breves páginas e sonhem à vontade.

MsC. Maria Iracilda G. C. Bonifácio
Professora de Língua Portuguesa

06
Sonhos em BVA

O Raiozinho de Sol

Era uma vez um Raiozinho de Sol... Ele era muito curioso, queria
conhecer as flores... E, para isso, resolveu desgrudar de seu pai, o Sol.
Raiozinho de Sol foi para a floresta... Passou o dia inteiro
brincando com as flores, cuidando das plantas para que elas crescessem
mais e ficassem bem bonitas.
Mas, a tarde foi chegando, era hora de seu pai Sol se despedir
para que a Lua trouxesse o descanso para os homens e aos animais que
viviam na floresta.
Quando ia anoitecendo, porém, Raiozinho de Sol resolveu ficar
um pouco mais na floresta. E, então, estava formada a confusão... Em
vez de todos descansarem, a Lua não chegou, pois nosso amiguinho
não quis se retirar com seu pai.
O senhor Sol ficou muito preocupado, procurando Raiozinho
por todos os lugares. Como a noite ficou iluminada com o Senhor Sol e
com o Raiozinho, que brincava na floresta, as pessoas e os animais
continuaram trabalhando, pensando que ainda era dia.
A noite ensolarada passou e de manhã, o Sol, o Raiozinho, as
pessoas e os animais estavam muito cansados.
Foi um dia sem fim... Nenhum bichinho conseguiu dormir...
Muito cansado, Raiozinho conseguiu encontrar novamente seu
pai, que lhe deu uma bronca por ter sumido por tanto tempo.
Disse o Senhor Sol:
__ Raiozinho, onde você esteve todo esse tempo? Agora estão
todos cansados... Para se desculpar com todos, peça desculpas pelos
problemas que causou e chame a senhora Lua para trazer o descanso
que todos merecem.
A senhora Lua chegou e finalmente, depois daquele dia quase
interminável, todos puderam descansar.
Inclusive Raiozinho e seu pai.
Raiozinho pediu desculpas a todos e disse que não ia mais
passear sem a permissão de seu pai e também pensaria em tudo o que
fosse fazer dali para frente para não atrapalhar a vida das pessoas e dos
bichos.
Inês Martins Barreto
07
Sonhos em BVA

Aventura no mar

No passado, o sonho mais comum das pessoas era encontrar um
tesouro enterrado em alguma praia distante.
Em busca desse sonho, três meninos resolveram navegar numa
jangada e partiram para a descoberta do tesouro perdido na ilha Trindade.
Os três aventureiros se chamavam Pedro, Tiago e João.
Em sua viagem, eles passaram por grandes perigos, como chuva
forte, ondas enormes que levavam o barco de um lado para o outro. Mas, o
grande perigo foi terem encontrado o navio dos piratas.
O capitão dos piratas se chamava Perna de Pau. Era um homem
muito ranzinza e malvado, tratava mal as pessoas e deixava os prisioneiros
vários dias sem comer.
A batalha entre os meninos e os piratas foi emocionante... Os piratas
pegaram cordas, invadiram a jangada tentaram tomar o mapa do tesouro
que estava com os meninos. Então, quando todos os piratas estavam na
jangada, os meninos subiram até o navio e cortaram as cordas que os
piratas tinham usado. Eles pensaram: “Se os piratas queriam ficar com a
jangada, não haveria problema algum em eles ficaram com o navio”.
Após vencerem os piratas, eles ainda tinham muitos perigos a
enfrentar... O mar estava cheio de tubarões e peixes gigantes. De repente,
um cardume de tubarões cercou o navio. Então, os meninos usaram toda a
sua astúcia para se defenderem, manobraram o navio e conseguiram fugir
daquela armadilha.
Mas isso era só o começo da grande aventura no mar. Pedro, Tiago e
João avistaram a ilha onde iam procurar o ouro. Ao chegarem na praia, os
meninos encontraram o povo gigante. Eles eram altos como uma casa,
fortes e valentes.
Apesar de muito grandes, o povo gigante resolveu não fazer nada
com eles, pois eram meninos que só queriam se divertir em novas
aventuras. Os gigantes falaram para os meninos que havia uma lenda que
dizia que o tesouro ficava em uma caverna próxima dali.
Pedro, Tiago e João decifraram o enigma escrito na porta da
caverna e abriram a passagem secreta para a sala do tesouro. Eles pegaram
uma parte do tesouro e dividiram com seus amigos gigantes. Então,
embarcaram em seu navio em busca de novas e emocionantes aventuras.

Lucas do Nascimento Lima
José Wanderson Silva de Souza
Davino de Souza Araújo
08
Sonhos em BVA

Nunca pare de sonhar

Era uma vez, uma menina chamada Gabriely. Tinha 12 anos,
estudava no colégio Berta Vieira de Andrade e fazia a sexta série. Mas,
Gabriely lutou muito para chegar a esse ponto, pois seus pais eram
muito pobres. Eles se chamavam Amanda e Paulo e moravam em uma
casinha muito simples, com as janelas fechadas por folhas de papelão,
próxima à escola Iza Melo.
O senhor Paulo era muito doente. Por causa disso, não podia
trabalhar. A senhora Amanda trabalhava vendendo latinhas de
refrigerante, que juntava para vender a uma cooperativa de reciclagem.
Todos os dias, os meninos tiravam sarro da cada de Gabriely.
Riam de sua roupa, diziam que parecia o Chaves e coisas assim. Mas
ela não ligava, ia para a aula. Era uma aluna muito dedicada e estudava
muito.
Um dia, sua mãe viu os meninos tirando sarro da cara de
Gabriely. Amanda chorou muito... Quando Gabriely chegou em casa,
viu sua mãe chorando e perguntou:
__ O que foi, mãe? Por que está assim?
__ Filha, hoje vi os meninos rindo de você. E isso me doeu
muito....
__ Olha, mãe... Eu sou o que sou e não me envergonho do que
sou... Não vou desistir de meus sonhos... Vou até o fim...
__ Filha, o que você pensa em ser?
__ Ah, mãe! Eu penso em ser uma médica.
__ Filha, não pense alto demais... Você nem sabe se vai terminar
a sexta série.
__ Mãe, uma coisa eu sei: eu vou realizar o meu sonho... Não me
importam as dificuldades que vou enfrentar, eu vencerei todas.
A cada dia que passava, Gabriely batalhava por seus sonhos. Era
muito difícil, mas ela sabia que o seu esforço valeria a pena. Foi uma
grande alegria quando ela conseguiu concluir o ensino fundamental.
Sua mãe, por ser responsável, conseguiu um cargo melhor na
cooperativa e com algum tempo puderam comprar uma casa melhor.

09
Sonhos em BVA
O tempo foi passando e o ensino médio parecia ser outro grande
desafio, mas Gabriely continuou investindo em seus sonhos. No final
do ano ela já ia fazer o vestibular e uma nova caminhada se iniciaria;
novos sonhos, novas realizações. Assim como Gabriely, lute, pois uma
grande caminhada tem início quando damos o primeiro passo.

Maika Paula Farias
Vanessa Feijó dos Reis

10
Sonhos em BVA

Amor sem limites

Era uma vez uma jovem chamada Moranguinho. Ela namorava
Peter Pan. Eles estavam noivos e planejavam seu casamento.
Eles tinham um amigo especial chamado Batman. Era um garoto
especial que tinha um segredo: amava Moranguinho loucamente.
Mas, como era muito amigo de Peter Pan, Batman tinha medo de
magoá-lo. Mas ele não tinha escolha... se não falasse, não se perdoaria.
O mês do casamento estava chegando e Batman tinha que contar seu
segredo.
Enfim, o dia chegou e ele resolveu falar. Disse para os dois em
uma tarde de Domingo:
– Eu os trouxe aqui para dizer que amo você demais,
Moranguinho. Só que nunca me declarei, pois não tive coragem de
enfrentar meu melhor amigo, sendo você, Peter Pan.
E Peter, furioso, começou a chorar. Olhando para Batman, disse
com toda a sinceridade do seu coração:
– Eu nunca imaginei que você iria fazer isso comigo. Mas se você
a ama de verdade, fique com ela, pois eu não posso empatar um amor
verdadeiro. Saiba que vou sofrer muito, mas, um dia, acharei a pessoa
certa.
Então, Moranguinho, muito alegre, falou com toda a certeza do
mundo:
– Eu também te amo loucamente, Batman. Mas estava decidida a
tentar te esquecer. Agora, vou tentar uma nova vida com você, já que
Peter vai nos deixar ser felizes... Peter, eu também gosto de você, mas
não é amor. Eu sempre te admirei como amigo. Eu sei que você vai
achar a pessoa certa, a sua alma gêmea. Perdoe-me por tudo...
O tempo se passou e Moranguinho e Batman se casaram.
Tiveram dois filhos, que se chamavam Minie e Superman. Já o Peter
Pan seguiu o seu caminho e achou sua alma gêmea, a Sininho. Porém,
ela não podia ter filhos e então eles adotaram um menino, a quem
deram o nome de Pinóquio.
Peter, depois de três meses, descobriu que era filho do rei Artur.
Mas, seu pai tinha morrido fazia quatro meses. Então, ele decidiu
11
Sonhos em BVA
construir outro castelo e o deu a Moranguinho e Batman.
Peter e sua esposa foram morar na cidade do paraíso. E lá foram
felizes para sempre.

Ana Beatriz de Lima

12
Sonhos em BVA

O menino sonhador

Existia um menino que tinha muitos sonhos... Ser jogador,
policial, bombeiro, professor...
Um dia, sua mãe chegou e disse:
__ Meu filho, para você chegar a realizar seus sonhos, você tem
que estudar, se esforçar para atingir seus objetivos.
O menino passou o dia pensando no que sua mãe lhe tinha dito.
Depois de muita luta, muita batalha, ele começou a fazer as
tarefas de casa, os trabalhos... Chegou a época de provas e sua menor
nota foi 8,5. Era realmente uma mudança de atitude, pois ele percebeu
que precisava lutar pelos seus sonhos.
O tempo passou e ele completou 16 anos. Enquanto ele jogava no
campinho de seu bairro, passava por ali um homem que lhe fez uma
proposta:
__ Você joga muito bem, precisamos de um craque assim...
Apareça amanhã no BVA Futebol Clube para fazermos um treino.
Chegando lá, ele jogou como nunca havia jogado antes, sua
apresentação foi um sucesso. Então, contrataram ele para a equipe de
juniores.
O menino realizou seu sonho de ser um grande jogador de
futebol. Foi destaque no campeonato estadual. Ele, então, pôde mostrar
todo o seu talento e, ainda, sustentar a família com seu salário de
craque. O menino realizou o seu sonho, mas não sem antes acreditar e
lutar.
Lembre-se, se você tem um sonho, é preciso acreditar e lutar
para realizá-lo...

Wellington Vidal de Carvalho
Fagner da Silva Pessoa
Francisco Lima de Pinho
Thiago dos Santos da Silva
Samuel Guimarães Lima

13
Sonhos em BVA

Spayk, o pitty-bull

Spayk é um cachorro da raça pitty-bull. É muito divertido, um
pouco valente, mas brinca com a gente. Ele se preocupa com George,
seu dono.
Numa festa de aniversário, George brincou muito. Seus amigos
estavam achando muito divertido.
George disse a seus amigos:
__ Amanhã podemos ir ao parque.
Charles, seu melhor amigo, perguntou:
__ Mas, e o Spayk?
George respondeu, sorrindo:
__ Não se preocupe. Spayk é um cão muito bom.
Spayk acenou com a cabeça:
__ Au! Au! Au! ...
George disse a Charles:
__ Vamos levar o Spayk com a gente.
O passeio foi muito divertido. Todos brincaram para valer.
Por hora é só. Contamos mais da próxima vez...

Edvilson Carvalho
Chayne Madeiro de Lima

14
Sonhos em BVA

A formiga e o gafanhoto

Em um formigueiro muito movimentado, havia muitas
formiguinhas trabalhando. Bem próximo dali, vivia um gafanhoto
esperto, que ficava só esperando as formigas chegarem com a comida
para, levemente, surrupiar algumas guloseimas.
Certo dia, as formigas perceberam que a comida estava sumindo.
Então, o chefe do formigueiro disse:
__ Tem um ladrão aqui no formigueiro!
E veio logo na cabeça do chefe que tinha que ser uma formiga.
Nesse formigueiro havia uma formiguinha que trabalhava,
trabalhava e nunca ganhava nada.
Já com algumas desconfianças, o chefe pensou: “Quem estará
levando nossa comida? Só pode ser aquela formiguinha que trabalha
muito... Ela trabalha tanto que quase não a vemos”...
Então, ele mandou chamar a formiguinha e perguntou quem
estava levando toda a comida do formigueiro.
A coitada ficou desesperada:
__ Eu trabalho e trabalho... E só ganho acusações de roubo. Isso
não é justo!
Enquanto isso, o gafanhoto ficava só observando de longe e
dando gargalhadas.
O formigueiro resolveu, diante desse problema, aprontar uma
armadilha.
Tudo pronto e as formigas estavam trabalhando normalmente
naquela manhã. O chefe ia ficar escondido, esperando o ladrão.
Depois de algum tempo, o chefe viu uma movimentação
estranha. Era um gafanhoto entrando de fininho para pegar os
alimentos.
De repente, ele avançou sobre o suspeito:
__ Peguei o ladrão!
Não era a formiguinha trabalhadora. Era o gafanhoto. Logo o
chefe pediu desculpas à formiguinha e aprendeu a nunca mais acusar
alguém sem antes ter provas.

Ediclei da Costa Araújo

15
Sonhos em BVA

O pássaro e o pato

A tarde estava ensolarada e o pássaro estava em sua casa na
árvore, almoçando. Depois da refeição, ele percebeu que estava um
belo dia para sair e caçar alimento para seus filhotes. Então, saiu em
busca de comida.
No lago bem próximo dali, o pato estava nadando tranqüilo e
almoçando algumas migalhas de pão que as pessoas jogavam para ele
comer com seus filhotes.
O pássaro, então, resolveu se aproximar e viu um grilo na beira
do lago. Ele resolveu pegá-lo para dar a seu filhote.
Indignado, o pato disse:
__ Epa! Calma aí! Esse lago é meu! E também toda a comida que
tem aqui!
Meio assustado, com aquela reação, o pássaro falou:
__Por favor! Deixe, pelo menos, eu pegar só um pouco de
comida para o meu filhote! Não temos nada para o jantar...
Então, o pato refletiu bem e disse:
__Tudo bem... Eu deixo se for para lhe ajudar... Quando você
melhorar de vida, qualquer dia, vou lhe visitar para nós almoçarmos
juntos.
O pássaro concordou e juntos seguiram, ajudando um ao outro.

Adelvan Braga de Oliveira

16
Sonhos em BVA

A lata velha em prego

Estava um dia cheio de sol e eu, o Diogo, resolvi chamar meus
amigos Lúcio e Clark para fazermos uma viagem de carro até a cidade
vizinha. Não era um carro muito novo, mas dava para o gasto.
Quando estávamos na metade da viagem, o carro ficou no prego.
Puxa vida! Saímos do veículo e fomos olhar qual era o problema.
Estava saindo fumaça, pois não havia mais água no radiador.
Fomos para a beira da estrada pedir carona. Mas, para completar,
um carro passou bem em cima de uma poça de lama e sujou o Lúcio.
Ele ficou muito bravo!
Por coincidência, logo em seguida, passou um guincho. Era a
nossa salvação! Mas, passou direto...
Ficamos toda aquela noite na estrada até que ficamos muito
cansados e dormimos...
Amanheceu o dia. Novamente o guincho passou. Fizemos sinais
desesperados e, finalmente, ele parou. Colocaram o carro no guincho e,
então, fomos embora.
Estava tudo bem, quando, de repente, o carro ia virando com a
gente dentro. O Clark gritou para o motorista do guincho:
__ Socorro! Socorro!
O motorista parou e ajeitou nosso carro. Ficou tudo bem e
seguimos viagem.
Chegamos até a cidade vizinha e logo procuramos uma oficina.
O mecânico arrumou o carro e perguntamos quanto era a conta. Ele
respondeu:
__ Quase nada! São só R$ 120,00.
Ficamos tão assustados com o preço que entramos no carro e
aceleramos. Aquilo era um assalto!!!
No outro dia, nos acalmamos e arrumamos o dinheiro. Pagamos
tudo e fomos embora felizes da vida.

Joaquim Diego Silva de Souza
Joaquim Lima da Silva
Wellington Araújo Ferro
Tarlyson Gabriel Cabreiro
17
Sonhos em BVA

O sonho de Fabiana

Fabiana era uma menina que tinha 12 anos. Seu maior
passatempo era sonhar com um mundo melhor. Ela sonhava que cada
dia poderia ser ainda melhor.
Mas ela também tinha algumas preocupações... A maior delas
era que um dia perdesse sua mãe. Fabiana gostava muito da mãe, pois
era uma mulher muito boa, que tratava as pessoas e as crianças muito
bem.
Fabiana sempre sonhava acordada... Num desses sonhos,
lembrou de sua infância... Ela era uma menina muito brincalhona,
amorosa e carinhosa.
Seu pai, Carlos, gostava de levá-la ao Parque Chico Mendes.
Eles chegavam lá e viam os macacos, as onças, os pássaros, os jabutis,
os jacarés...
O sonho de Fabiana foi sempre colorido com coisas boas. O seu
melhor amigo era Deus. Quando ela acordava, fazia uma oração bem
simples e verdadeira:
__ Bom dia, Deus! Obrigada por mais um novo sonho!!!
Fabiana também amava sua família. Quando sua avó chegava,
ela corria para abraçá-la e beijá-la. A avó exclamava:
__ O que é isso, Fabiana!
__ É porque a senhora chegou, vovó! Tchau, tenho que ir para a
escola! - dizia ela com um largo sorriso.
E assim, seguia a vida, amando cada pessoa que estava a sua
volta e fazendo tudo para que o sonho de uma vida melhor se tornasse
sempre uma realidade.

Silvia Lima da Costa

18
Sonhos em BVA

As aparências enganam...

Uma menina ganhou uma passagem de navio para conhecer
vários países. Seu nome era Carolina. Ela ganhou a viagem através de
um prêmio nacional de melhor produção textual.
Viajando em alto mar, ela viu se aproximar um navio pirata. De
repente, o navio onde ela estava foi completamente tomado por uns
homens mal encarados. Era um seqüestro em pleno oceano.
O nome do pirata que chefiava o navio seqüestrador era Pirata
Urbano. Ele tinha uma aparência má quando estava dando ordens aos
tripulantes.
Carolina observava tudo atentamente... Mas, em determinado
momento, a menina viu que o pirata não era tão malvado assim.
Enquanto passava em frente aos aposentos do Pirata Urbano, a menina
observou que ele estava em sua cama, muito triste.
Sem receio, ela entrou no quarto e perguntou:
__ Por que você está tão triste?
__ Porque sou uma pessoa má! - disse Urbano.
Carolina era muito esperta e disse que iria mudar aquela
situação. Então, animadamente, falou:
__ Você é bom e não é mau, Urbano! Se você quer ser uma pessoa
legal, tem que fazer coisas legais.
E o pirata respondeu:
__ É mesmo! Irei liberar vocês. E daqui para frente serei uma
pessoa boa e legal.
Naquele dia o pirata aprendeu que tinha que fazer coisas legais
para se tornar uma pessoa boa. E Carolina aprendeu que:
AS APARÊNCIAS ENGANAM...

Weverton Trindade Marinho

19
Sonhos em BVA

Megue e a flor encantada

Em um reino muito distante, havia um rei e uma rainha. Eles
tinham uma linda filha que se chamava Megue. Era uma garota feliz e
alegre. Por onde passava, transmitia felicidade.
Certa manhã, Megue resolveu andar por um lugar muito bonito
chamado Mundo da Fantasia. Lá, as flores cantavam, os passarinhos
falavam. Tudo era belo e fantástico.
Megue era muito curiosa. Entrou nesse maravilhoso lugar e
comeu belas frutas. Andou e andou até achar uma linda flor que cantava
melodias com um sorriso alegre e meigo.
A menina exclamou:
__ Você é linda! Qual é o seu nome?
A florzinha disse:
__ Obrigada! Meu nome é Fantasia.
Fantasia era uma flor rara. Sua espécie era “rosa mística”.
Megue brincou com a flor muito tempo. Todos os dias ela ia ao
Mundo da Fantasia aguar sua amiga. Fantasia sempre ficava muito
agradecida e feliz com a presença de Megue.
Dessa grande amizade tiramos grandes lições. Precisamos cuidar
das plantas, pois, como nós, elas choram e sentem dores. Quem ajuda o
meio ambiente é recompensado com um mundo mais saudável e cheio
de vida.

Letícia da Silva Lopes
Ingrid Sabryni
Natyelle

20
Sonhos em BVA

O lobisomem e suas artes

Num distante vilarejo, vivia um lobisomem que assustava vários
turistas com suas brincadeiras. Os visitantes do lugar saíam de lá muito
rápido e bem assustados.
Um dia, três jovens foram acampar no vilarejo. Eles ficaram
sabendo da história e fizeram uma armadilha para pegar o lobisomem.
Novamente, o lobisomem foi fazer suas brincadeiras. Mas, dessa
vez, foi ele quem caiu na armadilha.
__ Oh! Não! O que é isso?! - exclamou o lobisomem.
__ Agora te pegamos, lobisomem. Você não vai aprontar mais por
aqui.
Ele ficou preso para não fazer mais arte com ninguém.
Mas, não se deu por vencido e disse:
__ É agora que eu vou fazer mais uma das minhas...
O lobisomem fugiu e nunca mais foi visto naquele lugar.

Criziomar de Souza Santos

21
Sonhos em BVA

A ilha mágica

Era uma vez um menino chamado João. Ele gostava de viajar por
vários lugares em busca de aventuras. Certo dia, ele dormiu e sonhou
que estava em uma ilha mágica, onde havia passarinhos mágicos e
lindas princesas guardiãs daquele reino encantado.
João, ao encontrar-se com um mágico, perguntou:
__ Quem é você? Onde estou?
__ Eu sou o Menir e você está na ilha mágica. Eu sou o
encarregado de levar os visitantes para conhecer a princesa Isa.
Chegando lá, João disse à rainha:
__ Olá, rainha! Muito prazer em conhecê-la. Meu nome é João.
A rainha chamou sua filha Isabella para conhecer o visitante.
Todos ficaram admirados com as aventuras que João contava dos
lugares que conheceu. Isabella convidou João para conhecer o castelo.
Os dois foram, a cada dia, se conhecendo. João resolveu ficar por
alguns tempos naquela fantástica ilha. Sempre que podia, visitava o
castelo e passeava um pouco com a princesa.
Um dia, apareceu um dragão na ilha mágica. O monstro capturou
a princesa Isabella. Ela gritou:
__ João, Socorro! Estou presa, salve-me, meu amor!
João lutou com muita coragem e derrotou o dragão. A princesa
Isabella ficou muito agradecida.
Os dois se abraçaram e, num passe de mágica, João voltou ao seu
mundo com mais uma aventura maravilhosa para contar.

Aline Calista Arimatéia
Pâmela Manchineri Simão

22
Sonhos em BVA

A cidade dos livros

Era uma vez a Cidade dos Livros. Lá, todos viviam sempre
lendo, ouvindo e contando histórias... Nessa bela cidade, havia uma
criança chamada Quadrinhos, era muito divertido e colorido. Tinha
também um homem, quer dizer, um livro, chamado Dicionário. Ele era
o mais sábio de todos, sempre que alguém estava com alguma dúvida ia
consultá-lo. Os policiais dessa cidade eram os livros de Aventuras de
Heróis.
Quadrinhos era também conhecido com Leon. Seus parceiros
eram Poesia e Artes. Poesia era uma garota sensível, mas, ninguém
feria os sentimentos dela. Artes era a garota mais popular, ela sabia
desenhar e fazer belos trabalhos manuais.
Agora, eu vou falar da líder de todos eles, dona Palavra. Era ela
quem cuidava das reuniões, estava sempre ocupada, mas, cuidava
deles como uma mãe.
Durante uma reunião para tratar dos grandes mistérios da Cidade
dos Livros, surgiu uma discussão. Todos queriam saber quem era mais
importante dos livros. Artes, toda faceira, levantou-se e disse:
__ Mas, é claro que sou eu. Ninguém consegue fazer e ensinar
coisas bonitas melhor que eu.
Quadrinhos, no mesmo instante respondeu:
__ Ora! Não é bem assim... Por que todos os garotos gostam de
Artes? Ela não tem nada de especial. Só porque tem páginas brancas,
olhos azuis, cabelo ruivo e é inteligente?
O Senhor Dicionário disse:
__ E eu, que todos chamam de chato e enjoado? Só porque quero
dar conselhos...
De repente, estava formada a confusão. Os habitantes da Cidade
dos Livros não entravam em acordo, pois cada um queria ser o “mais
querido dos livros”.
Dona Palavra, vendo que a discussão estava ficando difícil,
disse:
__ Meus amigos, pra que tanta confusão? Todos nós somos
importantes. Já pensaram o mundo sem a sensibilidade da Poesia, a

23
Sonhos em BVA
alegria que Quadrinhos sempre traz, a sabedoria do Senhor Dicionário,
as conversas interessantes do Conto, as instruções do Seu Manual e da
Dona Receita, a criatividade de Artes? Além desses, há muitos outros
moradores de nossa cidade que também têm muito a oferecer. Cada um
de vocês é especial e ajudam as pessoas a fazerem coisas sensacionais.
Naquele momento, todos começaram a pensar e viram que,
realmente, cada um era especial e tinha seu valor. Então, resolveram
fazer as pazes e, a partir daquele dia, começaram a conversar mais e a
conhecer o que o outro tinha de bom.

Alan Silva de Oliveira

24
Sonhos em BVA

A onça ninja

Cansada de viver fugindo dos grandes animais da floresta, a onça
resolveu aprender caratê. Na academia do Seu Coruja, ela começou,
então, a treinar. Com algum tempo, ela ganhou a faixa preta e virou
ninja.
Certo dia, quando passeava pela floresta, apareceu um caçador,
com uma espingarda. Ele estava procurando caça. Quando avistou a
onça, o caçador ficou tremendo, mas não soltava a arma. Ele não
acreditava no que estava vendo: uma onça com faixa na cabeça e
gritando:
__ Raiaaaaaa!!!
O caçador bem que tentou apertar o gatilho, mas não deu tempo...
A onça, com suas unhas grande, deu um salto e com golpe quebrou os
canos da arma do caçador. Mais que depressa, ele saiu correndo e até
hoje, jura que viu assombração.

Tharlis Cardoso Leite

25
Sonhos em BVA

O lago de Mariana

Era uma vez um Lago Mágico. Lá, havia golfinhos, sereias e
animais encantados. Um belo dia, uma bruxa malvada, transformou o
Lago Mágico em um lago poluído. Quem ali vivia ficou doente e triste.
O feitiço só acabaria se uma criança humana quebrasse o cristal das
trevas, que a bruxa guardava dentro de um navio abandonado.
Até que um dia, uma menina chamada Mariana estava
tomando sol com seu irmão, na praia próxima ao Lago Mágico. Um
golfinho apareceu e chamou Mariana:
__ Menina linda, preciso de sua ajuda! Moro no Lago
Mágico, mas, uma bruxa o transformou em um lago poluído. Todos que
viviam lá estão morrendo. Até o rei está muito doente. O encanto só
pode ser quebrado se uma criança humana destruir o cristal as trevas,
que está no navio abandonado. Você pode me ajudar?
__Sim, posso respondeu Mariana.
Quando chegaram lá, ela viu o Lago Mágico poluído e
começou a chorar. Foi até o navio e pegou um gancho. Mariana
quebrou o cristal e tudo voltou a ser como era antes. O rei agradeceu a
Mariana e colocou o nome do Lago Mágico de “Mar de Mariana”.
Assim, os moradores do lago viveram felizes para sempre. E a bruxa
nunca mais apareceu no Mar de Mariana.

Miréia Hortência da Silva
Tayanne dos Santos Alencar

26
Sonhos em BVA

Margarida e sua nova amiga

Num belo dia, Aninha resolveu passear pela floresta. Quando, de
repente, ela encontrou Margarida, uma florzinha muito triste. A menina
se aproximou e perguntou:
__ Por que você está tão triste?
A florzinha respondeu:
__ Porque não tenho amigos!
__ Mas, como você não tem amigos, com tantas flores belas aqui,
ao seu redor?
__ Elas não gostam de mim porque sou diferente.
__Então, agora, você está ganhando uma amiga: sou eu. E quero
cuidar muito bem de você. Você quer ser minha amiga?
__ É claro que eu quero! Então, vamos começar nos
apresentando. Meu nome é Margarida.
__ E o meu é Aninha. Minha mãe me ensinou uma poesia que,
sempre que encontro alguém como você, eu falo: “Pra que ficar triste,
se o mundo lá fora é tão lindo e livre”?
E as duas começaram, assim, uma bela amizade. Então, nunca se
ache inferior por ser diferente, pois todos nós somos especiais.

Naiana de Souza Santos
Kerolaine Silva do Nascimento
Mirla de Sousa da Silva
Aline de Figueiredo Lima
Émilly Paula Muniz

27
Sonhos em BVA

Pedro, o menino da floresta

Pedro era um menino que gostava muito da floresta. Todos os
dias, ele ia até lá ver as árvores e os animais. Certa vez, a mãe de Pedro
mandou que ele fosse até lá pegar algumas frutas. E ele chamou seu
amigo João.
No caminho, eles avistaram uma onça, começaram a correr.
Encontraram uma casa abandonada e ficaram lá, esperando a onça ir
embora.
Já estava ficando tarde e a mãe de Pedro estava preocupada.
Então, ela resolveu ir procurar os meninos. Ela ouviu os gritos deles e
conseguiu encontrá-los.
Ao ver sua mãe, Pedro ficou muito feliz. Os meninos contaram
tudo para ela, mas, o perigo já tinha passado. Então, eles voltaram
contentes para casa.

Angélica Silva de Albuquerque
Antônia de Jesus S. de Souza

28
Sonhos em BVA

O castelo encantado

Era uma vez, duas princesas chamadas Isabelle e Yasmin. A
melhor amiga delas era Bárbara. Todos os dias, elas brincavam e se
divertiam.
Um dia, elas foram colher maçãs. Isabelle avistou um barco e
pediu um binóculo a sua irmã Yasmin. Então, ela viu que era um barco
cheio de piratas, que estavam preparados para lutar. Mas, ainda ia
demorar umas duas horas para o barco chegar à terra firme e meia hora
para chegar ao castelo.
Então, Bárbara falou:
__ Vamos para casa avisar a todos que os piratas vão atacar.
Rapidamente, todos do reino se organizaram e foram se aprontar para o
grande combate. Eles tinham apenas duas horas e meia. Então,
pegaram suas melhores armas e espadas.
O rei ficou com a espada mágica. Até as mulheres e crianças
ajudaram colocando munição nas catapultas. Os homens que sabiam
lutar também pegaram suas espadas.
Os piratas, enfim, chegaram, pensando que o reino ia se
surpreender. Mas, se enganaram. O rei lutou com o rei dos piratas e com
sua espada mágica, o transformou em tapete. Os soldados do reino
venceram os piratas numa grande batalha.
Bárbara também ajudou suas amigas a colocar os piratas para
correr. Então, o rei fez dela também uma princesa. Os pais dela
ganharam, pela bravura da filha, uma bela casa no castelo.
O rei agradeceu a suas filhas e lhes deu uma coroa de ouro. E
Bárbara continuou se divertindo com suas amigas Isabelle e Yasmin.
Agora, todas elas eram princesas, porque graças a Isabelle, Yasmin e
Bárbara, o reino derrotou os piratas e todos viveram felizes.

Jéssica Letícia do Carmo Silva

29
Sonhos em BVA

Rimas de amor

Mateus era um perfeito rimador. Era apaixonado por Elena, que
nem ligava muito para ele. Várias vezes, ele tentou conquistar o
coração de sua amada.
Até que um dia, Elena aceitou seu pedido de namoro. Parecia que
os dois tinham sido feitos um para o outro.
Mateus queria fazer alguma coisa para ela, mas estava sem
idéias.
__ Acho que estou com um problema... - disse ele. Vou falar com
Marcos.
Ao encontrar seu amigo, Mateus disse:
__ Marcos, preciso de sua ajuda. Quero criar alguma coisa que
impressione Elena.
__ Faça o que faz melhor: rimas. Rimas de amor. - disse Marcos.
__ Quer dizer versos?! Boa idéia!
Mateus pensou e a primeira rima que fez para Elena foi assim:
“Enquanto a lua brilhar
E o sol aparecer,
Juro que meu coração
Será só de você”.
Elena gostou muito desses versos. Mateus lhe deu num cartão
todo enfeitado. Muito emocionada, ela disse:
__ O que você me deu foi muito melhor do que todas as coisas
que já ganhei em minha vida. Você me deu a possibilidade de sonhar e
provou que realmente que me ama.

Vanessa da Silva Pereira
Iara Soares Mendes

30
Sonhos em BVA

Maravilhosa Rio Branco

Rio Branco, minha cidade
Suas belezas são gigantes
Rio, céu, terra e ar
Um mundo vejo daqui da ponte.

Rio Acre de águas turvas
Desce serpenteando em curvas
Os peixes vão nadando
E a serpente procurando.

Depois que a chuva acaba
O arco-íris vem sorrindo
Para o povo acreano
As nuvens calmas e brancas
De mansinho vão chegando.

Nesse lugar multicor e lindo
Tudo tem o seu destino
Aqui ando, canto e conto,
Na avenida ou rua me apronto.

E nesse poetizar a minha terra
Meu canto corre, viaja pelo Brasil
E o leitor na imaginação
Viaja até minha cidade
Vem comigo, pega carona
Nesse contar e recontar de saudade

Viaje pelo mundo inteiro
E ao chegar, saberá que aqui é o lugar
Do nativo e do estrangeiro.

Dhiemison Valério da Silva
31
Sonhos em BVA

A Rua do Divisor

Na Rua do Divisor
A gente brinca, deita e rola
Corre e salta, joga bola
Se diverte com a manja do cola.

Lá não tem divisão
Tem muita alegria
Brincadeiras e folia
Meninos em diversão.

Na Rua do Divisor
Coração do bairro Vitória
Todo mundo se sente bem
Vivem e inventam histórias.

Meninos e meninas
Brincam e se divertem
Adoram balas e sorvetes
Eu gosto da minha rua
E também da linda lua.

Wayra de Oliveira Santos

32
Sonhos em BVA

Rio Branco, noite e dia

Rio Branco é onde vivo
Cidade linda, uma flor
Quando chega a noite
As estrelas ficam brilhando
Enchem o céu cintilante
Reluzindo como brilhante.
Rio Branco instigante,
Anoitecer de diamante.
Quando a noite vem
Tudo fica mais lindo ainda
Várias luzes acesas a brilhar.
O lugar onde vivo
É tão claro e bonito
Quando chega a manhã
O céu cintilando
Nuvens brancas, Rio Branco.
Céu, nuvens em gelo
Já vem o sol luzindo
Clareando, derretendo
Sua luz vem derramando.
Rio Branco luz em gelo,
Alvorada em claro espelho
Maravilhosa cidade
Outra não tem igual
Onde para sempre vou viver
Especial sempre há de ser.
No lugar onde vivo, as flores são tão belas
Mil aromas a lançar
Os parques enchem de vida,
Muitas luzes coloridas, anoitecer a despontar
Luzes beijam o Rio Acre
Que adormece, ao luar.

Thiago Rodrigues de Lima
Naiane de Oliveira Paula
33
Sonhos em BVA

Amores e Sonhos

Eu gosto de te ver
O dia inteiro pra te ter
Um dia disse sem pensar:
Eu quero te ganhar...

Que amor, que carinho
Quero te ver sorrindo
Pra ter você no meu olhar
Basta eu sonhar.

Na vida temos que passar
Um dia inteiro pra olhar
Busco a vida melhorar
Sentir o gosto de amar.

Quero conhecer
Esse seu jeito de ser
Pra me dizer
O que fazer.

O amor é querer
A razão perder.
O gosto de viver
O amor com você.

Micaele Lima Soares
Antônia Wisla da Silva Pinto

34
Sonhos em BVA

Meu lar

Meu lar, maravilhoso lugar
é um céu de estrelas
A flor e o jardim
É simplesmente um lugar assim.

Passeio por vários lugares
E não quero voltar mais
Em cada lugar por onde passo
As pessoas são sensacionais.

Nossos rios são espelhos d'água
Refletem os raios de sol
São caminhos fascinantes
Em muitas curvas, caracol.

Meu lar é um lugar cheio de lugares
Tenho muito ainda para contar
Mas, agora não posso falar
Pois, se não, é impossível terminar!

Natasha dos Santos Silva

35
Sonhos em BVA

BVA é um sonho

Eu gosto muito dessa escola
BVA é um sonho
Pois realiza o que os alunos querem:
Estudar e se divertir.
Se não tivesse essa e outras escolas
Não estudaríamos, nem estaríamos aqui.

Para quem joga lixo no chão
E estraga a merenda
Meu recado é:
Cuide da nossa escola,
Pois enquanto um não quer estudar
A maioria quer.

Por isso, aqui vai uma dica inteligente:
Vamos cuidar do que é nosso.
Vamos preservar o que é da gente.

Na hora da aula, preste muita atenção.
Aproveite para aprender
Se esforce e você vai ver.

Faça os deveres e trabalhos.
Não fique brigando.
Deixe a confusão de lado.

Não fique por aí tristonho.
Temos que ficar unidos
- Esse é meu sonho.

Patrícia Oliveira Alves

36
Sonhos em BVA

Terminal Urbano de Rio Branco

Terminal Urbano
Gente pra lá e para cá
Até parece um bando de aves
Que vão pra algum lugar

As pessoas se dirigindo
pra lugares diferentes
Algumas sábias na vida
Outras no estudo inteligentes

Pessoas necessitadas
Que vendem produtos diversos
Sem saber que trazem alegria
E vida para os meus versos

Ônibus que trazem felicidade
Ou até mesmo paixão
Alguns trazem saudades
E outros, emoção

Entre tristezas e alegrias
Lá é um lugar legal
Em seu ônibus todo dia
Cada pessoa é especial.

Alisson Nascimento da Cruz

37
Sonhos em BVA

Águas Rasas

Lá estava eu
Ao nascer do Sol
Jogando meu anzol
No brilho da água
Reflexo do próprio Sol.

Lindo dia, Sol poente
Todo mundo é carente
Deste mundo adolescente
Sou o rei e presidente.

Ao anoitecer
As estrelas me perfumam
Meu lençol é a Lua
Coberto de espuma.

Anderson de Oliveira Tolentino

38
Sonhos em BVA

Um novo olhar

Ando por aí a observar
Aponto para os quatro cantos
Minha lente, um novo olhar.

Os melhores lugares da minha cidade
Um parque lindo, cheio de animais
Um palácio silencioso e em paz.

Há um rio maravilhoso
Mas, se não cuidarmos
Ficará tenebroso.

Tem também uma galeria
Cheia de risos e alegria
Coisas de valores inestimáveis
Livros numa biblioteca
Meus amigos inseparáveis.

Brian Jordan Lima da Silva

39
Sonhos em BVA

A grandeza de meu lugar

Rio Branco, cidade pequena
Em extensão
Porém, grande valor
Cheia de belezas naturais
E pessoas especiais.

O tempo passa e tudo leva,
Novas coisas trazendo.
Não é mais a cidade de antes,
Muitas coisas, parques e árvores,
Novas belezas a valer.

Por isso, eu digo e falo
Na minha cidade, tudo é bom
Adormeço com o céu estrelado
Acordo com o canto do galo.

Jefferson Pereira de Almeida

40
Sonhos em BVA

Rua da Felicidade

Minha rua é cheia de felicidade
Canta as alegrias da cidade.

Minha rua, de tanta gente
Ao te ver, fico contente.

Minha rua tem palmeira,
É tão alegre,
Como um pé de laranjeira.

Minha rua tem verdade
A gente olha,
É a rua da felicidade.

Brener de Oliveira Souza

41
Sonhos em BVA

Nosso Acre

Nós somos jovens do Acre
Buscando construir um Estado feliz e alegre
Temos muitos sonhos e necessidades
Queremos expressar nossas vontades,
Nosso carinho por nossa terra
Queremos paz, não queremos guerra.

Encontramos caminhos para trabalhar
Cantar, sorrir e amar
Temos rios, florestas, cidades
Queremos dar as mãos e cultivar
Carinho, harmonia e felicidade.

Queremos sensibilizar e tocar
As pessoas mobilizar
Para juntos encararmos
Neste século que inicia
Os grandes desafios
Que nosso Acre contagia.

Márcio Henrique Araújo de Souza
Kayo Andrade da Costa

42
Sonhos em BVA

O amor, quando chega...

Quando amamos
Ficamos apaixonados
Pensamos coisas boas
Sentimos algo inexplicável
Impossível descrever
Só sei que é muito bom...

A melhor coisa do mundo
É quando nosso amor
É correspondido
Mas, nem sempre é assim
Quando isso acontece
Precisamos seguir nosso caminho.

Por isso, digo aos apaixonados
Curta bem o seu amado
Demonstre carinho a sua amada
Pois a vida é um presente
Pra quem ama e segue em frente.

Mônica Tânia Rodrigues de Souza
Fagner da Silva Pessoa
Ketila Lopes Matias
Weryscley Santos de Almeida

43
Sonhos em BVA

A flor que brilha ao nascer do sol

Em um belo jardim amanhecia
uma flor de encantamento
Todos os dias, bem cedinho
Alguns, paravam e admiravam
A beleza que tinha.

Já andei por esse mundo afora
Nunca vi uma flor tão bela
Como essa que vejo agora
A bela flor dava um sorriso
E ficava com as bochechas rosadas
Para que ficar com vergonha
Se a sua beleza
Nenhuma outra se compara?

Logo os elogios e admiração
Despertaram inveja e ambição
“Quem ela pensa que é?
Quando o sol entardecer
Não vai passar de um tição”.

Para resolver o problema
Reuniram-se todas as rosas
Ao redor da bela flor
“Não adianta ficar dengosa
Se retire daqui, por favor”.

A pobre flor, entristecida
Começou a prantear
E quanto mais lágrimas desciam
Mais bela começou a ficar.
44
Sonhos em BVA
O Sol, então, trouxe seu brilho
Forte como diamante
E seu brilho tão intenso
A flor se fazia mais brilhante.

A partir daquele dia
Para todas as flores do jardim
Uma coisa nova acontecia
Aceitaram da bela flor a amizade
E a paz reinava, enfim.

Por todo o mundo ficou conhecida
A flor que brilhava ao nascer do Sol
E o jardim mais alegre e adornado
Cintilava como um farol.

Alexandra Abreu de Sousa

45
Sonhos em BVA

A Fé que Transforma

Com fé, busco superar obstáculos
Fé, bálsamo presente em todos os momentos
Energia vibrante, purificando a alma
Fé mistério de uma existência.

Deus, transformando em amor
Amor, transformando em perdão
Amizade, dedicação
Respeito ao próximo
Energia, centelha divina!...

Quando a vida nega o que almejamos
E se desfaz um grande amor,
Se pensamos que não perdemos...
Há sempre esperança que ameniza!

Amo os meus filhos...
Cada um deles tem seus segredos
Todos têm suas essências!...
Vivo por vocês!!!

Nazha Bichara Magno Ribeiro

46
Sonhos em BVA

BVA, uma história de sonhos

De manhã, funcionava de 1.ª à 4.ª série
Do ensino Fundamental
À tarde era a vez das outras séries
Do estudo ginasial.

Doze salas existiam
No começo da jornada
Depois fizeram mais duas
Pra comportar a meninada.

O primário foi embora
Dando adeus ao B.V.A.
Chegou o Ensino Médio
Ocupando seu lugar.

O ginásio coberto
veio logo em seguida
Para o professor trabalhar
Principalmente a educação física
E o estudante jogar.

No princípio era tudo aberto
Menino se sujava no capim e no chão
Quando voltava do recreio
Precisava limpar o pé e a mão.

Muito professor aqui passou
E deixou sua contribuição
Os diretores deixaram suas marcas
Uma delas foi a inovação.

Os alunos eram mais pacatos
Vinham com alegria estudar
Hoje outros vêm chegando,
Uma nova história começar.

William Vidal de Lima
47
Sonhos em BVA
Os Eleitos: a história de um sonho

Já disse o poeta, sonhar é preciso. Sonhamos todos os dias com coisas,
lugares e possibilidades de realizações. Aqui na escola Berta Vieira de
Andrade temos sonhos. Nossos alunos têm a possibilidade real de tentar
mudar o mundo, a partir da leitura e do aprendizado. Muitos são os
sonhadores e maior ainda o número de sonhos. Contudo, gostaríamos de citar
alguns dos eleitos que sonharam conosco desde o início desta jornada, a
terceira de muitas que ainda estão por vir. Parabéns sonhadores de B V A.

5.ª “E”:
Alan, Alexsandro, Aline, Angélica, Antônia, Antônio Marcelo,
Cosmia, Darlisson, Davino, Elias, Emerson, Émilly, Francisco Jefferson,
Francisco Paulo, Gabriel, Henrique, Jecilene, Jéssica Letícia, Johnatan, José
Wanderson, Jussan, Katriele, Kerolaine, Leonardo, Luana, Maria Orlenisa,
Matheus Barbosa, Matheus Morais, Miréia, Mirla, Naiana, Naiara, Rafael,
Rayanne, Rodrigo, Suellen, Tális, Tayanne, Tharlis, Wesley, Weberson.

6.ª “G”:
Adelvan, Catrine Caetano, Catriny Menezes, Chayne, Clistiany,
Dayan, Dhewry, Dhiemeson, Ediclei, Edvilson, Eline, Fernanda Garcia,
Fernanda Barbosa, Francineuda, Gabriel, Hamaiana, Igor, Jackson Winício,
Joaquim Diego, Joaquim Lima, Júlio, Kaine, Marcondes, Maria Viviane,
Mikaele, Moisés, Regiane, Roberlândia, Rosivaldo, Sabrina, Shara Jad,
Silvia, Tarlyson, Thaís, Veronice, Virgílio, Wayra, Wellington Araújo.

6.ª “H”:
Ana Beatriz, Andreyna, Antônia Wisla, Camila, Cristian, Fabiana,
Francisco Alisson, Ingrid Sabryni, Jéssica, Kenedy, Letícia, Luan, Luana,
Luciene, Maria Carla, Mauro, Micael, Micaele, Mireya, Naiane, Natasha,
Natyelle, Nauany, Nicoli, Odemilton, Patrícia, Patrick, Paulo, Raquel,
Renoá, Roberta, Sabrina, Suena, Valdeir, Waleson, Wanderson da Silva,
Wanderson Sarkis, Weverton, Wirliane, Yara Kaire.

6.ª “I”:
Adrielle, Alessandra, Alice, Aliny, Alisson, Ana Cárcia, Ana Kayama,
Ana Paula, Anderson, Andressa, Antônia Taina, Artur, Betânia, Brian, Brener,
Bruna Carolina, Carolina, Clinton Mayron, Criziomar, Dayane, Diana,

48
Sonhos em BVA
Djane, Edirlan, Eliene, Everton, Francisco Kaio, Ian Matheus, Ingrid
Lohanne, Jefferson, Jelcemir, João Vítor, Joelma, José Sávio, Keuren, Leila,
Lucas Diego, Mateus, Rosicléia, Suely, Edmundo.

6.ª “J”:
Aline, Ana Flávia, Andressa, Arilene, Clívia, Degeane, Diulia, Edson
Ney, Francisca Silva, Francisco das Chagas, Francisco Alcântara, Francisco
Lima, Gerliane, Iara, Kaio, Ketila, Larissa, Lucas, Maika, Márcio Henrique,
Mônica, Monique, Natássia, Nayara, Pâmela, Samuel, Taiane, Thaline,
Thiago dos Santos, Thiago Rodrigues, Vanessa Silva, Vanessa Pinheiro,
Vanessa Feijó, Vanuzia, Vonis, Wellington Vidal, Weryscley, Fagner.

7.ª série:
Inês Martins, Francisca Daniele Nascimento de Assis, Alexandra
Abreu de Sousa.

Amigos do Espaço dos Sonhos:
Cibelle, Claudia, Daniela, Francisca Rosângela, João Marcos, José
Erivan, Jucely, Karoline, Larissa, Maria de Nazaré, Mary Anne, Nazha,
Paula Regina, Perácio, Reginâmio, William, Wellyton, Carlos Augusto,
Geraldo, Oneide, Trindade, Roberto Nunes; Camila, Hebenezaide e Cia.
Oséias, Tarciana, Nayara, Cristiano, Rannah, Osiel, Maxsuel, Helder,
Nádia, Jardeson, Mateus, Cleilton, Suena, Eline, Dhewry, Ingrid, Nádia,
Etevaldo, Silvia, Iara, Wellington Araújo e toda a turma do clube “Amigos da
Leitura”.

A todos os que sonharam e sonham junto conosco, o nosso “muito
obrigado”!!!

49
Sonhos em BVA

Coisas de Berta

“Coisas de Berta”. Esta frase célebre, na verdade, não é minha,
mas, de uma professora muito competente que já lecionava nesta
escola quando aqui cheguei. Aliás, é bom dizer que a primeira reunião
que participei na escola foi para avisar sobre a vinda de uma nova
gestora, em virtude da intervenção da Secretaria de Estado de
Educação devido à atuação da direção anterior.
Me lembro muito bem daquele dia, um clima de insegurança,
desconfiança e medo do novo! Mas, os professores daqui eram
guerreiros e éticos e não deixavam se enganar, eram críticos e, acima de
tudo, queriam o bem para a escola.
“Vamos mudar a cara desta escola” dizia a nova gestora. E eu, na
minha fala, fui cair na besteira de dizer o chavão: “Estou aqui para
somar”. Ah! Meu Deus, até hoje riem de mim por causa da frase
otimista.
No entanto, não fiz feio. Arregacei as mangas e comecei o ano a
todo vapor. Participei da elaboração e concretização de um grande
projeto ambiental a respeito do Igarapé São Francisco. Participei,
também, da realização de feiras culturais e outras atividades peda-
gógicas.
Logo recebi o convite para assumir uma Coordenação Peda-
gógica. Aceitei...
Por aqui já passaram bons amigos, colegas e profissionais. Nem
vou citar nomes para não ser injusta. Mas, posso dizer que aqui deve
existir algo especial. Quem chega não quer sair. Os que ficaram,
sempre motivam os que chegam a “vestir a camisa BVA” e nos
contagiam com seu amor pela escola. Temos muitos problemas, como
toda escola, mas também temos muita vontade de vencê-los e
disposição para fazer a diferença. Acredito que temos “alma de
educador” nos permitindo sonhar sem utopias. E, enquanto formos
assim, sempre ouvirão falar coisas de Berta.

Daniela Silva Barbosa Chaves

50
GRAF-SET
Fone/Fax: (68) 3226-2173 -Celular: 9974-2903
Rua Dourado nº 38 - Tangará - Estação Experimental
Rio Branco - Acre - Brasil
E-mail: graf-set@contilnet.com.br / grafset.ac@hotmail.com.br
obre
erras
e
entes
Amazônia em Foco

GRAF-SET
R