You are on page 1of 2

ALIMENTAÇÃO O quadro abaixo fornece uma lista dos principais alimentos responsáveis por reações nos bebê quando

ingeridos pelas mães durante o período de amamentação, bem como soluções para o controlo do problema. Alimentos Os brócolos, as couves, a couve-flor, a couve-de-bruxelas, o repolho e alguns outros tipos de hortícolas da família das crucíferas, além dos pimentões, pepino e nabo, apesar de muito ricos nutricionalmente, podem alterar o sabor do leite e causar desconforto (formação de gases) e irritação, que normalmente duram até 24 horas, no bebê. Solução É importante que a lactante esteja atenta aos sinais que o bebê pode apresentar durante a mamada (rejeição ao leite) e após a mesma (gases, choro, irritação, dificuldades em dormir) se ingeriu um destes alimentos. Se estes sinais forem evidentes, pode-se procurar, inicialmente, reduzir a freqüência de consumo e as quantidades ingeridas do alimento. Se o problema persistir, é preferível orientar a lactante para que deixe de consumir o referido alimento, pelo menos nos primeiros meses de amamentação, para depois voltar a introduzi-lo em pequenas quantidades, sempre a testar a reação do bebê.

Os espargos, a cebola e o alho podem, Muitos bebês até gostam, mas é prudente igualmente, alterar o sabor do leite. orientar que a lactante não exagere e observe a reação do bebê. O leite e os derivados (leite, queijos, iogurtes e até a manteiga) podem causar reações alérgicas no bebê. É mais provável que isso ocorra se houver história de alergia ao leite e derivados na família. Os sintomas podem aparecer, desde minutos, até horas após a mamada, e vão, desde diarréia, irritações de pele, desconforto e gases, à coriza (nariz a escorrer), tosse, poeira e congestão nasal. Se houver suspeita deste fato, pode-se cortar o consumo de todos os lacticínios e produtos que os contenham da alimentação da lactante por duas semanas, verificando os sinais do bebê. Após este período a lactante deve ser orientada a voltar a ingerir os lacticínios gradativamente. Se o bebê piorar novamente, é recomendável eliminar ou substituir este grupo de alimentos na dieta e, talvez, fazer uma suplementação de Cálcio. Os produtos à base de soja (leite de soja e tofú) podem ser uma opção. Mas também é necessário observar a reação do bebê a estes produtos. As hortícolas, como o agrião, os brócolos, a couve galega, a couve lombarda, a couve branca, a couve portuguesa, a couve roxa e os grelos, a sardinha e as amêndoas são também boas fontes de Cálcio, mas podem não ser suficientes para o alcance das

inicialmente. Se estes sinais forem evidentes. deve receber orientações específicas acerca da necessidade de substituição do referido alimento ou grupo de alimentos por outros alimentos. vermelhidão na pele e eczemas. Se a lactante notar que o seu filho reage mal. Os sintomas mais comuns são: desconforto. reduzir a quantidade e fracionar entre as refeições o consumo dos alimentos deste grupo. variar a qualidade. avelãs. os frutos secos oleaginosos (nozes. Se estes sinais forem evidentes. pessoas e a lactante não é uma exceção. que pode ser eliminado da dieta. toranja. irritações de pele. Se não houver resultados positivos. o milho. o trigo. podem causar desconforto (formação de gases) no bebê. No caso destas reações serem evidentes. O chocolate pode causar irritabilidade e O consumo de chocolate deve ser aumentar os movimentos intestinais do ocasional e moderado para todas as bebê. a lactante deve retirar alguns alimentos suspeitos da sua alimentação por uma semana e reintroduzi-los um a um até descobrir o "culpado". amêndoas. deve deixar de consumir chocolate enquanto estiver a amamentar. A lactante deve ser orientada a estar atenta aos sinais que o bebê pode apresentar após a mamada (gases. vermelhidão na pele e coriza (nariz a escorrer). irritação. Neste caso. limão. choro. diarréia. A lactante deve evitar todos os alimentos que causem alergia em si própria e no pai do bebê e estar atenta à reação do bebê a alimentos que causem alergia em parentes próximos do bebê. a lactante deve.) e os mariscos. Os cítricos (laranja. favas e lentilhas). pode ser necessário deixar de consumi-los. Atenção! A restrição de alimentos ou grupos de alimentos por parte das lactantes deve acontecer somente em casos de confirmação das reações indesejáveis no bebê associadas ao consumo do leite materno. etc. dificuldades em dormir) se ingeriu leguminosas. a lactante deve ser orientada a cortar no consumo dos referidos alimentos. olhos a lacrimejar. amendoins. limão. tangerina). Os alimentos que mais freqüentemente causam alergia são: o leite e os seus derivados. As reações alérgicas no bebê variam entre diarréia. tangerina). choro freqüente e dificuldades em dormir. vômito. Qualquer alimento que manifeste alergia na mãe. coriza (nariz a escorrer). As leguminosas ( grãos. A suplementação de alguns nutrientes pode ser recomendada principalmente quando se tratar do leite e seus derivados e do trigo. desconforto e gases.recomendações deste mineral. . apesar de muito ricas nutricionalmente. os cítricos (laranja. no pai ou em parentes próximos do bebê pode causar alergia também ao bebê. os morangos e o kiwi podem causar algum tipo de reação no bebê.