You are on page 1of 5

A NATUREZA DA LUZ A compreensão das propriedades luz e da cor é fundamental para o entendimento da cromopuntura.

Apesar da luz e da cor terem merecido a atenção desde a antiguidade, sua real natureza foi por muito tempo completamente desconhecida. A formulação de leis gerais e especulação sobre a teoria da luz originase na Grécia e Arábia. As idéias de que luz é emitida por uma fonte e refletida por um objeto e então atinge o olho produz a sensação de visão foi idealizada por Epicurus, um filosofo grego 300 a.C.). Ângulos de refração foram medidos por Ptolomeu em Alexandria um astrônomo do século I), que deduziu corretamente que o raio luminoso muda de direção quando penetra em um meio mais denso. As leis de reflexão e refração foram descobertas juntas por Pierre Fernet, um matemático francês do século XVII. A idéia de propagação retilínea da luz foi aplicada há muito tempo atrás. Euclides estava familiarizado com a idéia básica, mas a teoria principal foi desenvolvida por Leonardo da Vinci, uma completa descrição das sombras dada pelo astrônomo dinamarquês Johannes Kepler em 1604. Aproximadamente na metade do século XVII (1650), existiam duas teorias para explicar a natureza da luz: a teoria corpuscular e a teoria ondulatória. Christian Huygens, um holandês, defendia a teoria ondulatória, e na Inglaterra, Isaac Newton, defendia a teoria corpuscular, apesar de não rejeitar completamente a teoria ondulatória. Newton estabelece a periodicidade (uma das idéias básicas da teoria ondulatória) em uma fórmula que antecipava a mecânica quântica. Newton também observou que a luz branca, após passar através de um anteparo de vidro ou prisma, pode ser separada em um espectro de diferentes cores reproduzindo um arco íris. Esses achados mostram que a luz branca contém todas as cores. Após penetrar no anteparo, cada cor “curva” em um ângulo diferente, porque cada uma vibra em um comprimento de onda especifico. Ele também estabeleceu uma técnica para determinar o comprimento de onda de cada cor.
FIG.01 - DISPERSÃO DA LUZ BRANCA QUANDO ATRAVESSA O PRISMA.

Em 1873, James Clerk Maxwell (nascido em Edimburgo em 1831) propôs a teoria eletromagnética da luz. A existência de uma conexão entre eletromagnetismo e a luz já tinha sido proposta por Michel Faraday, na Inglaterra, que observou a rotação do plano de polarização de um raio de luz por um campo magnético, mas Maxuell formulou as regras matemáticas que governam a radiação eletromagnética. Partindo dessa equação, Maxwell hipotizou a existência de ondas eletromagnéticas transversais que tinham uma constante de aceleração c no vácuo (299.792,5 Km/s), e que posteriormente muitos físicos demonstraram ser a velocidade da luz. O termo radiação eletromagnética descreve a transferência de energia no espaço por campos elétricos e magnéticos, sem transferência de matéria. A luz é designada como uma classe de radiações eletromagnéticas visíveis pelo olho humano (apesar da definição, algumas vezes incluem classes que não são visíveis). A teoria de Maxwell é uma teoria de ondas em um meio contínuo. O físico alemão Max Planck demonstrou que o calor radiante é emitido em quantidades finitas, as quais são atualmente denominadas quanta. Inicialmente acreditou-se que permaneceria, sem modificação, a teoria de ondas eletromagnéticas para a luz livre no espaço e o uso do conceito de quantum somente em relação à interação entre radiação e matéria. Entretanto em 1905, Albert Einstein mostrou que, no efeito fotoelétrico, a luz é toda conduzida em concentrados de energia quântica, partículas de energia agora denominadas fótons. No mesmo ano, Einstein publicou a teoria da relatividade, a qual modificava o papel da física, e dava um papel especial à constante de velocidade c. Por causa da luz, em algumas situações s conduzir na forma de ondas e em outras como partículas, foi necessário ter uma teoria que predissesse quando e em que situação cada tipo de comportamento se manifesta. O maior desenvolvimento do mecanismo quântico se deu entre 1925 e 1935. A luz de uma fonte comum é emitida por átomos não correlacionados, então há uma irregularidade ou

não são coloridos”. bem como outras radiações eletromagnéticas.02 . é geralmente baixa se comparada à luz decomposta por um prisma e selecionada por uma fenda (laser). A COR É OBTIDA UTILIZANDO-SE FILTROS TRANSPARENTES SOMENTE PARA UMA CLASSE DE COMPRIMENTOS DE ONDA. Os raios surgem das gotas e são propagados para fora delas. tem um caráter ondulatório e é especificada pelo comprimento de onda que a caracteriza mais especificamente do que a cor. O caminho pelo qual o sistema visual analisa a cor é totalmente diferente do caminho pelo qual instrumentos físicos formam o espectro. geralmente expressa o número de oscilações por segundos ou Hertz (Hz). Um arco íris pode ser considerado como um espectro do sol. È mais conveniente especificar uma onda eletromagnética pela freqüência na qual ela oscila ou vibra do que pelo comprimento de onda.incoerência entre as ondas emitidas por diferentes átomos. ele passará a um estado excitado e liberará essa energia extra espontaneamente. O produto entre a freqüência (v) e o comprimento de onda é igual a constante c (v=c). foi conseguida em 1960 – o Laser. Um arco íris mais fraco é formado pelos raios que foram refletidos duas vezes. entretanto o tamanho da fenda pode selecionar uma quantidade de comprimentos de ondas. portanto. Newton mostrou que uma fenda é usada adequadamente para selecionar uma pequena região espectro. Se um átomo está em estado neutro e lhe é dada uma quantidade de energia. voltando ao seu estado de menor energia. Sob condições normais. a velocidade das luz no vácuo. mas para cada comprimento de onda há um ângulo mínimo de desvio e há concentração de energia nesse ângulo. que previamente parecia impossível.SELEÇÃO DE LUZ COLORIDA (VERDE). denominados estado de energia ou estado estacionário. O arco íris é o mais notável deles. mostram que essa luz nunca é inteiramente de um único comprimento de onda. Porque radiações eletromagnéticas de comprimento de onda mais curto estão na ordem de diâmetros atômicos. ESPECTRUM LUMINOSO A luz branca pode ser dispersa dentro do espectro por refração. Essa . Ele é formado pela reflexão e refração da luz nas gotas de chuva. cor e comprimento de onda estão associados. um átomo está sempre no seu menor estado possível de energia. Luz de determinado comprimento de onda pode estimular o sistema visual de tal forma que a sensação de uma cor é produzida. difração interferência. como disse Newton “os raios. a luz que passa através fenda é muito mais homogênea que luz branca original. Freqüência (v). para falar corretamente. A unidade Angstron. então uma radiação coerente pode ser mantida indefinidamente. O vermelho é sempre visto do lado de fora e o azul do lado de dentro da curvatura. e a medida de energia desse átomo será o resultado de um dos valores característicos desse átomo. Luz. todavia. que são transparentes somente para uma específica classe de comprimentos de ondas. A realização prática dessa condição. A pureza da luz colorida obtida. LUZ E ÁTOMO Um átomo isolado pode existir como estrutura estável somente em certos estados distintos. A luz visível tem uma variação de comprimentos de onda que vai de aproximadamente 4000 Å (violeta) a 7000 Å (vermelho). O índice de diversidade de comprimentos de ondas para essa quantidade de luz mede a pureza do espectro. neste as cores são invertidas. Entretanto. O comprimento de onda é inversamente proporcional à freqüência (v). Na luz monocromática. O espectro pode ser produzido na natureza de várias formas. ou ao redor desse estado. Cor é uma sensação na mente humana. e não observou qualquer dispersão quando passou essa luz através de um segundo prisma. Luzes de diferentes cores também podem ser selecionadas por filtros. FIG. Métodos delicados de interferometria. A teoria da emissão estimulada postula que sobre certas condições os átomos podem fazer uma radiação em fase. medidas especiais são empregadas para especifica-las. Hoje a teoria da luz chegou a um ponto no qual todos os fenômenos terrestres estão incluídos em uma teoria lógica. simbolizada por Å. dada pelo físico suíço Anders Jonas Ångström é igual a 10-10 metros.

do tipo e da quantidade de energia que estamos usando. cálculos renais e biliares. calor e ionização porque dependendo dessas variáveis uma cor irá exercer efeitos físicos diferentes. portanto aparece uma luz de um comprimento de onda distinta. bronquite. Isso explica. acelerando o combate às infecções e a recuperação dos tecidos lesados. hipertensão e neurite.amarelo. mas não tanto quanto o vermelho.6256x 10-34 jaule/segundo). maior aporte de nutrientes de células de defesa. O verde que se encontra no centro do espectro se equilibra entre os dois extremos. ainda as terminações nervosas e aumenta a sensibilidade. Mas as luzes azul e violeta (maiores freqüências) são mais energéticas e penetrantes que as luzes laranja e vermelho. A luz vermelha é indicada na insuficiência cardíaca e aporte insuficiente de sangue. Desta forma há a estimulação da circulação. onde o vermelho poderia ser . Estimula. tem energia suficiente para remover elétrons dos átomos. sendo a diferença entre elas apenas de intensidade. anemias. As luzes da faixa do vermelho são menos penetrantes que as da faixa do violeta. portanto. fácil de ver. menos penetrante. penetram menos nos tecidos do que as ondas curtas e produzem mais calor local. o que determina o modo de atuação física da luz no organismo é a quantidade de energia gerada por sua fonte. LARANJA – Não se distingue nitidamente das cores que a formam (vermelho e amarelo). como antiespamódico. Sua função básica é auxiliar o órgão ou célula a selecionar o que lhe é benéfico e eliminar o que lhe é inútil ou nocivo. o que resulta em maior aporte sangüíneo. Quanto maior a energia do photon maior é a freqüência da onda eletromagnética (ondas curtas). asma. hipertensão e neurite. e então. é a que penetra menos nos tecidos produz mais calor. É quente. por exemplo. aumenta fertilidade e fecundidade. o nível de profundidade diferente em que um organismo pode ser lesado pela exposição excessiva ao calor ou aos raios X. aumenta o apetite. estimula a digestão. laringites. toxinas e células mortas. È utilizada para promover a cura e a cicatrização de lesões diversas especialmente em órgão e tecidos sensíveis. Acelera também remoção de detritos. È vasodilatadora e estimula a atividade celular. Contra indicações – febre. A luz visível (4-7 x 1014 Hz) não é ionizante e é. as luzes na faixa do azul violeta contêm mais energia do que as da faixa do vermelho. mas estas cores da faixa do violeta já terão misturado algumas radiações ionizantes. a qual determinará a cor produzida. vasodilatação e aumento da freqüência cardíaca. Uma cor da faixa do vermelho (maior comprimento de onda) vai ser acompanhada por uma produção de calor bem maior do que as cores da faixa do violeta. A energia emitida por um átomo é geralmente carregada por um photon. Radiações de alta energia como RX e Rd (freqüências com amplitudes de 1015 a 1021 Hz). Portanto. função renal. portanto. paralisias e doenças musculares atróficas. aumenta a pulsação sem aumentar a pressão. FIG. que nada mais é do que um indicador externo. AMARELO – Tem a metade da força estimulante do vermelho e metade da capacidade reparadora do verde. chamada linha espectral. justamente porque não dispersam quase nada de calor. feridas não supuradas. emitido a uma determinada freqüência (v). UTILIZAÇÃO DA LUZ COMO TERAPIA É importante compreender a relação entre cor. anemia. Contra indicações – febre. comprimento de onda. VERMELHO – A luz vermelha é a de maior comprimento de onda (7600 Å).energia extra é freqüentemente emitida como radiação eletromagnética. asma. È propicia para a digestão e metabolismo alimentar. facilitando a regeneração de tecidos desvitalizados. capaz de alterar os tecidos. tosse crônica. inflamações.03 . apesar das aparências contrarias (por causa da sensação de calor e frio). Desta forma. Ondas longas possuem menos energia. È indicada para todos os tipos de esclerose. produzir radiações ionizantes que são radiações muito penetrantes.APLICAÇÃO DE LUZ VERMELHA PARA TRATAMENTO DE PROCESSO INFLAMATÓRIO EM URETRA E VESÍCULA URINÁRIA. A energia do photon (E) é igual a uma constante multiplicada pela freqüência (E=hv) onde h é a constante de Planck (6.

hemorragia. Contra indicações – hipotensão. nas faringites e . podendo atingir estruturas orgânicas em maior profundidade que as outras cores. fria e adstringente. tumores. CROMOPUNTURA A cromopuntura consiste na aplicação de luz colorida em pontos de acupuntura para o tratamento de doenças ou alterações fisiológicas. induz a produção de fagócitos. tônico muscular e anestésico. é depressor respiratório.BASTÃO CROMÁTICO: APARELHO UTILIZADO PARA SELEÇÃO E APLICAÇÃO DE LUZ COLORIDA. paralisia e contrações musculares. FIG. Tem propriedade anti-séptica e promove a contração de artérias e veias. É usado em ferimentos. Por ter comprimento de onda intermediário (5200 Å). taquicardia. febre. e um cristal de quartzo branco por onde a luz é projetada. É indicada nas alterações dos órgãos do sentido. Estimula a circulação periférica e o sistema imunológico. paralisia e contrações musculares. composto por uma fonte de luz branca uma fenda onde é colocado o filtro de luz desejado. tem efeito descongestionante e promove o crescimento.APLICAÇÃO DE LUZ VERDE EM UM FELINO COM QUADRO DE CISTITE COM INTUITO DE ESTIMULAR ATIVIDADE CELULAR. pâncreas e vesícula biliar. cistos. sem excitar como o vermelho. É indicada nas deficiências do estomago. ativa a digestão. penetra mais nos tecidos que o vermelho e reduz a reação inflamatória nos órgãos. FAVORECENDO A CICATRIZAÇÃO E ELIMINAÇÃO DOS TECIDOS DEGENERADOS. a produção óssea e a regeneração dos tecidos. fígado. portanto. FIG. denominado bastão cromático. É indicada no controle de infecções. congestão. alem da estimulação dos pontos de acupuntura estamos utilizando também os efeitos da cromoterapia nos tecidos onde o foco de luz incide. vermelho e violeta. paralisia. Contra indicações – hipertensão. nos processos de coluna. inflamações articulares. a mais penetrante.prejudicial.04 . Indicada nas supurações. paralisia e contrações musculares. Estimula o sistema linfático.05 . fortifica o sistema endócrino e agudiza processos crônicos. inflamações e processos degenerativos. dor. A luz verde é indicada nas tosses. ÍNDIGO – É uma luz elétrica. tem efeito bactericida e elimina toxinas e detritos resultantes da infecção. hipertensão. Quando usamos a cromopuntura. inflamação aguda e diarréia. Acelera o processo de cura estimulando a proliferação celular e substituição dos tecidos degenerados. lesões de ligamentos e regula a contração muscular. hipertensão. Com esse recurso temos obtido muito sucesso na desobstrução uretral de gatos com DTUIF idiopática. contrações musculares e reumatismo. dilatações brônquicas e doenças oculares. Impulsiona a atividade celular favorecendo a cicatrização. nas alterações neurológicas com convulsões. VERDE – Ocupa exatamente o centro do espectro eqüidistante dos dois pólos. Para isso utilizamos um aparelho elétrico. VIOLETA – Ocupa o extremo frio do espectro de cores. controla todos os sentidos. é a luz visível de menor comprimento de onda (4000 Å) e. com efeito relaxante e analgésico. Contra indicações – febre. Todas as suas características físicas o colocam como a cor mais semelhante ao branco. Aumenta o metabolismo. na cicatrização de feridas e no alívio da dor. Contra indicações – hipotensão. AZUL – Luz fria. o que permite uma potencialização dos dois tipos de terapias. Contra indicações – hipotensão. hemorragias e patologias de garganta.

traqueites. nas doenças articulares. em todos os casos de doenças inflamatórias. A escolha da cor se faz de acordo com as características de cada uma delas e da doença a ser tratada e o tempo de exposição à luz vai de 30 segundos a 4 minutos de acordo com a intensidade dos sintomas. . ou seja. e diretamente sobre os tecidos e órgãos afetados. As aplicações podem ser feitas em pontos de acupuntura específicos para as varias patologias. agudas ou crônicas.