Por que, para quem e como criar  Por que, para quem e como criar repositórios institucionais de acesso  aberto à informação científica?

Fernando César Lima Leite

A produção do conhecimento
É viabilizada mediante processos de comunicação  É viabilizada mediante processos de comunicação científica; Ocorre sempre a partir de resultados anteriores;  Ocorre sempre a partir de resultados anteriores; Pesquisadores consomem e comunicam  conhecimento do princípio ao fim; conhecimento do princípio ao fim; Informação constitui input e output da produção  do conhecimento. d h i t

A ciência depende de processos  de comunicação! d i ã ! .

Funções da Comunicação  Científica i ífi Menzel (1966) M l .

Prover ao cientista  as melhores  respostas a  respostas a questões  específicas íf .

Contribuir para  que o cientista  esteja ciente de  esteja ciente de novos  desenvolvimentos  em seu campo de  em seu campo de atuação .

Estimular os  Estimular os cientistas a  buscarem novos  conhecimentos  conhecimentos além de suas  áreas de  interesses .

  áreas emergentes fornecendo aos  cientistas idéia da  relevância de seu  relevância de seu trabalho .Divulgar principais  g p p tendências de  áreas emergentes.

  diante da  diante da possibilidade de  testemunhos e  verificações .Testar a  confiabilidade de  confiabilidade de novos  conhecimentos.

Redirecionar ou  ampliar o rol de  interesse dos  interesse dos cientistas .

Fornecer feedback  para o  aperfeiçoamento  aperfeiçoamento da produção do  pesquisador .

Nesse contexto o periódico científico se  N t t iódi i tífi tornou o principal meio de comunicação  entre pesquisadores. Processos e veículos de comunicação foram  criados de modo que a ciência pudesse ser  criados de modo que a ciência pudesse ser viabilizada.O Sistema de Comunicação Científica Foi estruturado ao longo do tempo. .

Aumento contínuo dos  A t tí d preços dos periódicos.Situação problema Crescente aumento da  Crescente aumento da informação científica. . Orçamentos das  bibliotecas estáticos ou  em queda.

Situação problema: modelo tradicional Situação problema: modelo tradicional Recursos públicos  p financiam  amplamente  pesquisas Editores comerciais  atribuem preços  excessivos  Devido às barreiras  impostas não têm  acesso às  publicações PESQUISA PUBLICAÇÕES  CIENTÍFICAS DE CIENTÍFICAS DE  PRESTÍGIO INSTITUIÇÕES DE  ENSINO E PESQUISA .

Situação problema Pesquisadores em todo o  Pesquisadores em todo o mundo não têm acesso a  toda a literatura científica  toda a literatura científica que necessitam para  permitir o progresso da  permitir o progresso da ciência de modo eficiente  e eficaz tal como seria  e eficaz tal como seria possível.  .

  mais do que expande. O sistema de comunicação limita.Resultado “O sistema de comunicação limita. a  disponibilidade e legibilidade de maior parte da parte da pesquisa científica” científica (JOHNSON. 2003) .

a cessão exclusiva de direitos em troca da publicação  impede que o autor tenha poderes sobre seu trabalho  p q p (Ex. 2004) . (PROSSER.: não pode distribuir).Insatisfação em todos os níveis Insatisfação em todos os níveis Autores (pesquisadores) A t ( i d ) seus trabalhos não estão sendo vistos por todos os  seu pares (visibilidade e impacto da pesquisa são  reduzidos) e não têm o reconhecimento desejado  (prestígio = moeda de troca).

Situação: insatisfação em todos os níveis Situação: insatisfação em todos os níveis Leitores (outros pesquisadores) Não têm acesso à toda a literatura científica de que  necessitam. 2004) . (PROSSER. Não têm condições de manter assinaturas de periódicos  científicos. tornando‐se menos produtivos. A ê i d f /I i d i /U i id d Agências de fomento/Institutos de pesquisa/Universidades Não possuem controle da produção científica que financiam. it t d d ti Bibliotecas Não podem satisfazer as necessidades de informação de seus  usuários.

Acesso Aberto à Informação  Científica i ífi .

(PROSSER. por meio da internet. fazer download.   É o acesso livre gratuito e irrestrito à literatura É o acesso livre.O que é? O que é? É disponibilização livre. 2004) . distribuir  p ou referenciar o texto completo. gratuito e irrestrito à literatura  científica. gratuita e irrestrita da  literatura científica na internet de modo que  q qualquer usuário possa ler. promovido ao  mundo por pesquisadores sem qualquer expectativa  mundo por pesquisadores sem qualquer expectativa de pagamento.

Como? Acesso aberto na própria  publicação do periódico  científico eletrônico científico eletrônico Sinal verde dos editores  Sinal erde dos editores para que autores  depositem seus trabalhos  em repositório digital .

  remuneração apenas em prol da investigação e difusão do conhecimento A nova tecnologia é a Internet. apenas em prol da investigação e difusão do conhecimento. a enriquecer a educação . ajudará a acelerar a investigação. a enriquecer a educação .... da  literatura científica com revisão pelos pares. A velha  possível o aparecimento de um bem público sem precedentes A velha tradição é a boa vontade de investigadores e cientistas publicarem os  resultados da sua investigação em revistas científicas. sem qualquer  remuneração. O benefício público que as duas  possibilitam é a distribuição eletrônica. docentes. A eliminação de barreiras de acesso à literatura científica  ajudará a acelerar a investigação. a uma escala mundial. de forma gratuita e sem  literatura científica com revisão pelos pares de forma gratuita e sem restrições de acesso a investigadores. alunos e outros indivíduos  interessados.” BUDAPEST OPEN ACCESS INITIATIVE  ..Uma reação da comunidade científica Uma reação da comunidade científica “Uma velha tradição e uma nova tecnologia convergiram para tornar  possível o aparecimento de um bem público sem precedentes.

Qual é o ponto central do acesso aberto? .

“Maximizar o impacto dos resultados  da pesquisa realizada na instituição por meio da maximização do seu  por meio da ma imi ação do se acesso e uso” Stevan Harnad .

 Política Física 36% 108% 172% 57% 57% 250% • • • • • Economia 49% Educação 77% Direito 108% Business 76% Administração 92% (Stevan Harnad e co-autores) Fonte:  Swan (2006) .Aumento das taxas de citação das taxas de citação • • • • • • Biologia Psicologia Sociologia C. Saúde C.

Via Verde:  Repositórios Institucionais .

.

  constituindo‐se em vias alternativas de comunicação  científica. O tipo de repositório digital é determinado pela  aplicação e pelos objetivos aos quais se destina. . aplicação e pelos objetivos aos quais se destina.O que são repositórios digitais de acesso aberto? Provedores de dados que são destinados ao  gerenciamento de informação científica.

Repositórios Temáticos ou Disciplinares .

Repositórios de Teses e Dissertações de Teses e Dissertações .

Repositórios Institucionais .

Estabelecendo um entendimento comum! um entendimento

O termo REPOSITÓRIO não é novo e é usado  O termo REPOSITÓRIO não é novo e é usado por outras áreas; Novos são os conceitos sobre os quais se  N ã i b i desenvolvem e as funções que devem exercer  no sistema de comunicação científica; Estamos tratando exclusivamente da  Estamos tratando exclusivamente da informação e comunicação científica!

Atributos de um Repositório Institucional (RI) de um Repositório

Institucionalmente definido; Institucionalmente definido; Científico ou academicamente orientado; Cumulativo e perpétuo; Livre e interoperável (aberto); Livre e interoperável Não efêmero (conteúdos digitais); Foco na comunidade.
Crow (2002)

RI X Bibliotecas RI X Bibliotecas Digitais
Repositórios Institucionais
Conteúdos produzidos na  instituição Conteúdos científicos ou  acadêmicos

Bibliotecas Digitais
Não necessariamente Não necessariamente

Livre e interoperável (aberto) Não necessariamente Software desenhado em  função do sistemas de  comunicação científica Não necessariamente

Todo RI pode ser considerado um tipo de biblioteca digital mas digital, nem toda biblioteca digital di it l pode ser d considerada um RI

O que é um RI?
É um serviço de informação científica (em ambiente digital e interoperável) dedicado g p ) ao gerenciamento da produção intelectual de uma instituição de ensino e pesquisa. ç p q Contempla a reunião, armazenamento, organização, g ç preservação, recuperação e, sobretudo, a ampla disseminação da informação p ç ç científica produzida na instituição.

promovendo. d pesquisador e l d de i do i d da instituição. em última d i f d úl i análise o aumento da visibilidade dos resultados d pesquisa. .O que um RI pretende? Contribuir para a reformulação e melhoria d sistema d comunicação lh i do i de i científica por meio de processos de gestão da informação.

39 ..Eliminando mal  entendidos e  derrubando  mitos..

RI NÃO PUBLICAM..Eliminando mal entendidos e derrubando  mitos.. apenas tornam acessíveis  conteúdos que foram publicados ou não. conteúdos que foram publicados ou não. apenas  p g ç complementam algumas de suas funções. RI não concorrem com periódicos. mas é desejável que trabalhem de  bibliotecas mas é desejável que trabalhem de modo integrado. RInão são catálogos ou sistemas de gestão de  bibliotecas. .

. i tífi dê i O uso do DSpace não significa que seja um RI.  ç g .. RI lidam exclusivamente com a informação  científica e acadêmica. Aspectos relacionados com a proteção do  conhecimento reside em estágio anterior.. RInão aumentam a possibilidade de plágio. Avaliação por pares é uma função dos  li ã é f ã d periódicos e não do RI. mas sim reforçam o registro da autoria. conhecimento reside em estágio anterior.Eliminando mal entendidos e derrubando  mitos.

4 funções básicas de um periódico  científico i ífi REGISTRO CERTIFICAÇÃO CIRCULAÇÃO ARQUIVAMENTO Estabelecimento Certificação da Assegurar a Preservar a da propriedade Validade/qualidade acessibilidade à pesquisa para o intelectual da pesquisa pesquisa uso futuro Prosser (2004) .

43 “CONSTRUA UM REPOSITÓRIO  “ Ó INSTITUCIONAL!!!” .

Não entre em  pânico! 44 .

Por onde começar???? Por onde começar???? 45 .

.. 46 .para diminuir  possibilidade de erros e  possibilidade de erros e garantir sucesso do RI.Sistematizamos um  conjunto de  conjunto de recomendações... .

Recomendações para a  ç p construção de repositórios institucionais de acesso aberto à  informação científica .

‐ Por priorizar a literatura científica está diretamente  relacionado com o sistema de publicações científicas. .  C t úd li d ti d iódi Razões: R õ ‐ Controle de qualidade dos conteúdos. ‐ P t i li Potencializar a comunicação científica formal.Duas abordagens Rígida: Rí id Conteúdos avaliados por pares = artigo de periódicos. relacionado com o sistema de publicações científicas. i ã i tífi f l ‐ Representação da “produção científica” da  instituição.

 áudio‐visual. materiais de aprendizagem. ‐ Outras estruturas de comunicação como produtos da  literatura cinzenta. simulações. materiais de pesquisa.Duas abordagens Flexível: Flexível Conteúdos avaliados por pares + outras formas de  Conteúdos avaliados por pares + outras formas de comunicação científica  ‐ Complementa e agrega outros elementos à abordagem  Rígida.  ‐ Conjuga aspectos da comunicação científica formal e  informal. materiais de  pesquisa. relatórios de  pesquisa. i f l . materiais de pesquisa.

Duas abordagens Duas abordagens Sistema de comunicação  científica Abordagem Flexível Sistema de  publicações  científicas i ífi Abordagem Rígida .

A inovação está na possibilidade de ampliar o acesso e  promover a visibilidade da instituição e do pesquisador. 51 . Desvantagens es a tage s Limita‐se quase que exclusivamente à literatura avaliada  pelos pares. O argumento do controle de qualidade  O t d t l d lid d proporcionado pela ‘avaliação por pares’ é oportuno  para o convencimento da comunidade. Garante a visibilidade daquilo que realmente foi  validade e certificado.Vantagens e desvantagens e desvantagens Vantagens a tage s O gerenciamento é de menor complexidade se  comparada com a Flexível.  promover a visibilidade da instituição e do pesquisador e não nas estruturas de comunicação em si. O gerenciamento do repositório requer menos  esforços devido à limitação de conteúdos. Apropriada à perspectiva da gestão da informação. Contempla somente a comunicação formal. Abordagem Rígida Formatos tradicionais requerem técnicas de  Formatos tradicionais requerem técnicas de preservação digital já estabelecidas. A manipulação de conteúdos em formatos  A manipulação de conteúdos em formatos tradicionais não requer muita customização de  metadados. Dificuldade de responder às demandas de padrões  diferenciados de produção do conhecimento e de  diferenciados de produção do conhecimento e de acomodar  padrões distintos de comunicação científica  de diferentes áreas do conhecimento. Menor espaço de armazenamento.

Contempla e comunicação formal e informal. Fortalece e potencializa os canais informais de comunicação  científica. Adequada como ferramenta de apoio à gestão da informação e  do conhecimento. A diversidade de formatos requer metadados  A di id d d f t t d d diferenciados para cada tipo de documento com  vistas à melhor recuperação. do conhecimento Responde razoavelmente bem às mudanças requeridas pelas  novas formas de produção do conhecimento. habilidade na condução do  estudo e tempo por parte dos gestores do  serviço. 52 . portanto. É inovadora tanto no aspecto da visibilidade que garante à  produção intelectual por meio da maximização do acesso  (Rígida) quanto nas unidades de comunicação que agrega. muitas vezes. contribui para a convergência  inevitável da pesquisa e do ensino. Desvantagens Requer um gerenciamento mais complexo se  comparado com a Rígida. Requer mais espaço de armazenamento se  comparada com a Rígida É adequada para constituição da memória da produção  É intelectual institucional. A avaliação das necessidades deve levar em  consideração as diferenças entre as áreas para a  elaboração das políticas de conteúdos.  demanda a customização do padrão de  metadados empregados no software escolhido.  requerendo. o que. Abordagem Flexível Fl í l No caso de universidades.Vantagens e desvantagens Vantagens É possível acomodar diferenças disciplinares e responder às  demandas que variam de acordo com a área do conhecimento.

 teses. dissertações. 53 . DOCENTES PESQUISADORES E ESTUDANTES CONSTITUEM O PÚBLICO PRIORITÁRIO PESQUISADORES. Limite a variedade de tipos de conteúdos.Abordagens Rígida e Flexível: recomendações e Flexível: recomendações PESQUISADORES. capítulos de livros) e não somente artigos  de periódicos científicos.  depositado no repositório 4) A elaboração de políticas de conteúdo do repositório na abordagem Flexível deve  envolver representantes de comunidades (áreas do conhecimento) da universidade e  considerar aspectos que promovam padrões de qualidade mínimos das coleções.  d d d ld d í d l 5) Na perspectiva Rígida considere toda a literatura científica avaliada por pares (trabalhos  apresentados em congressos. Isso dá margem a contemplar padrões de comunicação de  diferentes áreas do conhecimento. DOCENTES‐PESQUISADORES E ESTUDANTES CONSTITUEM O PÚBLICO PRIORITÁRIO 1) Inicie seu repositório na perspectiva Rígida. 3) A adoção da abordagem Flexível não significa que qualquer conteúdo poderá ser  depositado no repositório.  2) Metadado avaliado por pares ou não avaliado por pares 2) Metadado ‘avaliado por pares’ ou ‘não avaliado por pares’.

Fases da construção de um RI Fases da construção de um RI .

1. Planejamento – alguns  destaques .

.Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços Definir de maneira precisa como o sistema  será utilizado quais e como os serviços serão será utilizado. Definição daquilo que será oferecido aos  membros da comunidade (e como será  b d id d ( á oferecido). Decisões sobre os procedimentos e políticas  de funcionamento do repositório. de funcionamento do repositório. quais e como os serviços serão  oferecidos.

Aumentar a visibilidade e o prestígio da instituição. Encorajar e contribuir para o acesso aberto à informação científica. p g . Contribuir para atividades de avaliação da pesquisa. Capturar os registros institucionais.Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços Quais são os objetivos do RI? Aumentar o impacto dos resultados de pesquisa. . Criar um papel de liderança institucional para a biblioteca. Ci l d lid i i i l bibli Evidenciar a produção científica e intelectual da universidade. Abrigar as coleções digitalizadas. Gerenciar materiais de aprendizagem.

Periódicos científicos eletrônicos. Teses e dissertações. Conjunto de dados de pesquisa. Materiais de aprendizagem. Pré prints. Trabalhos apresentados em conferências (resumos?). Periódicos científicos eletrônicos.Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços Quais tipos de conteúdos serão aceitos? Literatura publicada e revisada pelos pares. . Outros. Pré‐prints.

Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços .

 doutorado?).Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços Quem são os usuários principais? Pesquisadores. Estudantes (graduação.  P i d Professores. Administradores acadêmicos. . Pesquisadores externos. Outros.  Outros . mestrado.

Definição e planejamento de serviços Definição e planejamento de serviços Quais serviços serão oferecidos caso os  recursos sejam limitados? recursos sejam limitados?  Os serviços. serão  cobrados?  cobrados? Quais são os serviços prioritários? Q i bilid d bibli t t á Quais responsabilidades a biblioteca terá em  relação ao conteúdo das comunidades? Quais são as prioridades a curto e a longo  Q i ã i id d l prazo? . ou alguns deles.

2 momentos da avaliação. 2 momentos da avaliação. . 2002). planos de  implementação e marketing do repositório  implementação e marketing do repositório institucional (Crow.Avaliação das necessidades Avaliação das necessidades A acomodação das necessidades e percepções da  comunidade devem ser um componente central comunidade devem ser um componente central  das políticas de conteúdos.

Avaliação das necessidades Avaliação das necessidades Momento 1 P ã d dif t t b Percepção dos diferentes atores sobre as  demandas institucionais que podem ser atendidas  pelo repositório. necessidades de melhoria. l iói Análise dos processos existentes de gestão e  disseminação da produção intelectual. suas lacunas e  ç p ç . .

Padrões de comunicação.Avaliação das necessidades Avaliação das necessidades Momento 2 C ã d ái l ã Compreensão dos usuários em relação: Necessidades de informação. P dõ d i ã . Comportamento de busca e uso da Comportamento de busca e uso da  informação.

Avaliação das necessidades Avaliação das necessidades Questões norteadoras: Como os trabalhos científicos atualmente são publicados e  disseminados? Quais diferenças entre áreas do  conhecimento? A produção científica é armazenada no campus? Como?  Onde?  Quem são os principais atores que criam conhecimento? Quem são os principais atores que criam conhecimento?  Quais recursos de tecnologia da informação estão  disponíveis no campus?  Quais as percepções acadêmicas sobre questões e  Q i õ dê i b õ problemas de gestão de materiais digitais? Em quais situações considera‐se que o conhecimento foi  produzido? Quais as formas? d d ? f ? .

2. Implementação – alguns  destaques .

t t d i tit i ã ) . Terá por base todas as informações levantadas  Terá por base todas as informações levantadas anteriormente e as decisões tomadas (precedida e  subsidiada pelo planejamento – inserção do RI no  contexto da instituição).Implementação: alguns destaques Implementação: alguns destaques A escolha e instalação do software em si não é  suficiente. Atividades compreendidas entre a escolha do  software e a elaboração das políticas de  software e a elaboração das políticas de funcionamento. Criação da infra‐estrutura (tecnológica e gerencial).

 incluindo o  servidor. etc. edição. Teste do sistema . Instalação e configuração dos softwares. Customização da interface. Teste do sistema. Carregamento de conteúdo. rejeição. Treinamento de pessoal.Implementação: alguns destaques Implementação: alguns destaques Passos sugeridos por Barton & Waters (2004): Escolha do software de repositório. Aquisição de hardware necessário. Criação dos workflows de aprovação de conteúdo:  ç p ç aceitação. Customização da interface.

g . . Comunidades de interesses. Comunidades formais: estrutura organizacional. Ex.: Ciências Sociais. Tipo de estruturação é  definido em função das necessidades identificadas definido em função das necessidades identificadas  anteriormente.Criação de comunidades e coleções Criação de comunidades e coleções Em um RI os conteúdos são organizados em  comunidades e coleções. Ex. mais  usada.: Biotecnologia e  Nanotecnologia. Comunidades temáticas.

70 .

71 .

Fluxos de depósito p Universidade do Minho .

Deve refletir as decisões tomadas ao longo do  Deve refletir as decisões tomadas ao longo do planejamento e implementação do RI. .Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Fundamentais para seu o estabelecimento como  serviço de informação e reconhecimento por parte  da comunidade. políticas de direitos autorais. Deve estar concordância com as políticas da  biblioteca e da própria universidade:  políticas de desenvolvimento de coleções. outras.  políticas de desenvolvimento de coleções. da comunidade. políticas de gestão da informação em ambiente digital.

Povoar o repositório. Satisfazer as necessidades da comunidade.Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Contribuirão para: Integrar o repositório na estratégia e no ambiente de Integrar o repositório na estratégia e no ambiente de  informação instituição. direitos  Et b l bilid d ti di it e deveres. Estabelecer responsabilidades. Apresentar uma visão clara dos principais atores  Apresentar uma visão clara dos principais atores envolvidos no contexto  do RI. Atrair usuários. prerrogativas. P itó i . Satisfazer as necessidades da comunidade.

Manter relações internas com administradores  acadêmicos pesquisadores e equipes de gestão da acadêmicos. Manter relações externas com as agências de  fomento. fomento editores e sociedades científicas.Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Contribuirão para: Torná lo juridicamente viável.  Preservação digital de longo‐prazo. F ilit t b lh d i t d itó i . editores e sociedades científicas. pesquisadores e equipes de gestão da  informação na instituição. Facilitar o trabalho da equipe gestora do repositório. Gerenciar riscos. Preservação digital de longo‐prazo. Torná‐lo juridicamente viável.

 mestrado? Funcionários?) Quais são os tipos de conteúdos que serão  depositados no repositório que necessitam de  depositados no repositório que necessitam de autorizações especiais? (Teses? Dissertações?  Materiais de aprendizagem?) . mestrado? Funcionários?) de doutorado.Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Questões norteadoras: Quais tipos de materiais serão aceitos no Quais tipos de materiais serão aceitos no  repositório? Os trabalhos de quais autores podem ser incluídos  Os trabalhos de quais autores podem ser incluídos no repositório? (Pesquisadores. alunos  de doutorado. professores.

Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Questões norteadoras: Conteúdos de autoria de estudantes serão aceitos? Conteúdos de autoria de estudantes serão aceitos?  Ou somente conteúdos de  pesquisadores/professores? Critérios para a determinação do que constitui uma  coleção no repositório institucional Quem coleção no repositório institucional. faz ajustes e autorizações de novos  membros? . Quem  determina.

. Direitos autorais (na captura e na distribuição de  conteúdos).Políticas de funcionamento Políticas de funcionamento Outros aspectos: Licenças. úd ) Preservação digital.

3. Assegurando a participação da  comunidade – alguns destaques id d l d .

O fator que maximiza o povoamento de RI é a  institucionalização de políticas de depósito  obrigatório. .Participação da comunidade Participação da comunidade A participação da comunidade é o GRANDE  DESAFIO! É essencial convencer a comunidade sobre o  RI que ela incorpore os pressupostos do  RI l i t d Acesso Aberto.

Participação da comunidade Participação da comunidade Incorporação  da idéia do RI  da idéia do RI e do Acesso  Aberto Política de  depósito  compulsório Povoamento  P t do RI .

. . Administradores acadêmicos.Participação da comunidade: marketing Participação da comunidade: marketing Elaboração de estratégias de marketing do RI – audiências possíveis: audiências possíveis: Pesquisadores. Instâncias decisórias.

. Instituições de pesquisa. ou aceita para publicação. Responsável pelas altas taxas de depósito das  instituições mais bem sucedidas no que diz respeito  ç q p ao Acesso Aberto. de  p . p p ç . pesquisadores da instituição seja depositada no RI. universidades e agências de  fomento em todo o mundo estão instituindo  mandatos de depósito.Participação da comunidade: política de  depósito obrigatório Norma institucional que exige que toda a produção  científica publicada.

Participação da comunidade: política de  depósito obrigatório O que deve ser obrigatório (Harnad. título.  . . data. 2006): O depósito da produção científica imediatamente  após a aceitação para publicação (sem atrasos ou  após a aceitação para publicação (sem atrasos ou exceções). etc. . ) .). A versão final do autor aceita para publicação (e não A versão final do autor aceita para publicação (e não  necessariamente o PDF publicado pela revista ou  p proceedings) g) O texto completo e os metadados bibliográficos  ( (autor. p . título do periódico.

 Estratégias para constituir o  sistema global i l b l .4.

 pesquisadores.Estratégias para constituir o sistema  global É FUNDAMENTAL potencializar a disseminação e visibilidade da instituição.openarchives. conteúdos e do próprio RI. Como? Registrar o RI em diretórios especializados: ROAR ‐ http://roar. Open Citation Project  Open Citation Project ‐ http://opcit.org/Register/BrowseSites.org/explorearchives.org/. 86 . http://www.opendoar.eprints.eprints. OAI ‐ http://www. OpenDOAR ‐ http://www opendoar org/.org/.shtml.

BASE ‐ http://www base‐search net/ 87 .Br ‐ http://oasisbr.base‐search.org/.ca/harvester2/demo/. Google Scholar ‐ http://www. OASIS.org/ BASE ‐ http://www.net/.eprints.org/software/archives/.sfu.Estratégias para constituir o sistema  global Cadastrar o RI para que seja coletado por provedores de  dados multidisciplinares: OAIster ‐ http://www.oaister.scientificcommons.ibict. Scientific Commons ‐ http://www. PKP Hervester ‐ http://pkp.br/.

Estimular pesquisadores de sua instituição à auto‐ arquivarem também em repositórios temáticos de suas  áreas de atuação. 88 .Estratégias para constituir o sistema  global Registrar política no ROARMAP ‐ http://www.eprints. Ative recursos de RSS feeds do repositório institucional.org/openaccess/policysignup/).

89 .

Fim. Obrigado! fernandodfc@gmail.com .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful