TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC 04066/11

Prestação de Contas do Fundo Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER JP – Exercício financeiro de 2010. Julga-se REGULAR.

ACÓRDÃO AC1 TC Nº 00320/13
RELATÓRIO O Processo em pauta trata da Prestação de Contas do Fundo Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER JP, relativa ao exercício financeiro de 2010, de responsabilidade do Sr. Raimundo Nunes Pereira, e tendo como contador responsável o Sr. Hugo André Figueiredo Gondim. O Fundo Municipal de Cultura de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER JP foi instituído com a Lei nº 10.431, de 11 de abril de 2005 e regulamentado pelo Decreto nº 5.294, de 11 de abril de 2005. O Fundo é de caráter permanente, com orçamento, autonomia financeira e contabilidade própria, estando vinculado a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção – SEDESP, tendo como objetivo e finalidade a promoção da inclusão social e do desenvolvimento sustentável através de programas especiais de capacitação empreendedora e financiamento, visando aumentar a geração e ampliação de oportunidades de ocupação, trabalho e renda, com elevação da qualidade de vida da população menos assistida do Município. Os recursos do Fundo do Municipal de Cultura são definidos conforme o art. 4º da Lei nº 10.431/2005, a saber: I – O produto resultante de 1,5% (hum vírgula cinco por cento) sobre todos os valores de pagamentos realizados pelo Município de João Pessoa, relativos ao fornecimento de bens, serviços e contratação de obras, creditados automaticamente ao FUNDO MUNICIPAL DE APOIO AOS PEQUENOS NEGÓCIOS; II – VETADO III – As transferências de agências e fundos de desenvolvimento, nacionais e internacionais, a título de contribuição, subvenção ou doação, além de outras formas de transferências a fundo perdido; IV – Os valores decorrentes da remuneração do Fundo pelos financiamentos concedidos pelo agente financeiro e os rendimentos resultantes de aplicações financeiras dos recursos não comprometidos; V – Doações de pessoas físicas e jurídicas, entidades públicas e privadas que desejem participar de programas de redução das disparidades sociais de renda, no âmbito do município de João Pessoa; VI – Juros e quaisquer outros rendimentos eventuais; VII – Amortizações de empréstimos concedidos.
1
NCB Proc. 04066/11 - FUNDO EMPREENDER - PCA 2010

Com base na documentação contida na Prestação de Contas, a Auditoria desta Corte elaborou Relatório Preliminar, no qual constam, em síntese, as seguintes observações: 1. A PCA foi encaminhada ao TCE no prazo legal; 2. O Fundo apresentou uma receita arrecadada de R$ 4.502.851,52, correspondente a 59,95% da receita estimada, sendo 100% proveniente de Receita Corrente; 3. Da receita total, 93,13% corresponde a recursos transferidos da Prefeitura Municipal de João Pessoa; 4. As despesas atingiram o montante de R$ 631.361,37, sendo a despesa mais relevante a de Natureza Outras Despesas Correntes (R$ 615.789,27) que corresponde a 97,53 % do total da despesa. As despesas classificadas nos elementos de despesa Outros Serviços de Terceiros – Pessoa Física e Outros Serviços de Terceiros – Pessoa Jurídica somaram, respectivamente, R$ 240.617,00 e R$ 344.276,46, representando 38,11 % e 54,53 % da despesa total; 5. O orçamento do órgão para o exercício de 2010 estimou receita no valor de R$ 8.261.800,00 e fixou despesa no montante de R$ 961.800,00. O resultado da execução orçamentária, no exercício de 2010, foi superavitário, tendo em vista a supremacia das receitas sobre as despesas; 6. Foram abertos Créditos Adicionais Suplementares, no valor de R$ 279.000,00, tendo como fonte de recursos a anulação de dotações; 7. O Fundo mobilizou recursos no montante de R$ 12.693.604,07, sendo 35,46% provenientes da Receita Orçamentária; 19,42% das Receitas Extraorçamentárias e 45,12% remetem-se ao Saldo do Exercício Anterior; 8. O Balanço Financeiro apresentou um Saldo para o Exercício Seguinte de R$ 6.745.347,04, sendo R$ 631.361,37 de Despesas Orçamentárias na Função “Trabalho”, e R$ 5.316.895,66 de Despesas Extra-Orçamentárias, sendo 98,76% correspondente a “Outras Operações”, R$ 5.247.405,00 relativos aos empréstimos concedidos (Doc. 02854/12 e Doc. 02842/12); R$ 34,58 referentes a “Diversos Responsáveis” (Doc. 02844/12) e R$ 3.752,81 relativos a aplicação da alíquota de 1,5% sobre as compras/serviços do EMPREENDER – (Doc. 02848/12); 9. O Balanço Patrimonial apresentou um Saldo Patrimonial (Ativo Real Líquido) de R$ 17.204.074,63; 10. Em 31 de dezembro de 2010, foram inscritos R$ 105.880,25 em Restos a Pagar, e foram cancelados R$ 6.512,00, referentes aos Restos a Pagar de 2009; 11. Não houve registro de denúncias no exercício em análise; 12. Foi realizada inspeção in loco; O Órgão Técnico desta Corte, em seu Relatório Inicial, apontou algumas irregularidades que motivou a citação dos Sr. Raimundo Nunes Pereira e do contador responsável o Sr. Hugo André Figueiredo Gondim, para apresentação de esclarecimentos junto a esta Corte de Contas. Após a análise da defesa apresentada, a Auditoria emitiu Relatório de Análise de Defesa no qual concluiu que remanesceram as seguintes eivas:

2
NCB Proc. 04066/11 - FUNDO EMPREENDER - PCA 2010

1. Despesa realizada, no valor de R$ 89.966,63, sem amparo contratual, tendo em vista que o Contrato nº 002/2010 possui falhas graves que prejudicaram a fiscalização de sua execução (item 2.0). 2. Despesa indevidamente empenhada, no valor de R$ 1.935,00 – valor empenhado superior ao contratado (item 3.0). 3. Prática constante de aditamentos de Contratos para serviços de segurança privada e para locação de veículos (item 4.0). 4. Despesa indevidamente empenhada, no valor de R$ 16.000,00 – valor empenhado superior ao contratado (item 6.0). 5. Não apresentação do Convênio celebrado com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais da Paraíba – FACE/PB (item 7.0). 6. Não observância da Lei Federal nº 11.788/2008, que estabelece normas sobre estágio de estudantes (item 8.0). Os autos tramitaram pelo Ministério Público junto ao Tribunal de Contas que, em Parecer da lavra do Procurador Marcílio Toscano Franca Filho, opinou pela: 1. REGULARIDADE COM RESSALVAS da prestação de contas do Fundo Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER JP, ora examinada, relativa ao exercício de 2010. 2. APLICAÇÃO DE MULTA ao Sr. Raimundo Nunes Pereira, com fulcro no artigo 56 da LOTCE. 3. RECOMENDAÇÃO à gestão do Fundo Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER JP no sentido de evitar a reincidência das maculas constatadas na presente prestação de contas, em exercícios futuros. É o Relatório.

VOTO DO RELATOR

Conclusos os autos, remanesceram algumas impropriedades que não têm per si o condão de macular as presentes contas, posto que refletem mais a falta de controle e planejamento, consubstanciados na inobservância de formalidades legais exigidas para fiel cumprimento das diretrizes estabelecidas, do que propriamente descaso ou má-fé na administração dos recursos públicos do que Tendo em vista que não foram apontadas pela auditoria quaisquer irregularidades ou atos de gestão que comprometessem a lisura da presente Prestação de Contas, este Relator vota pela Regularidade da Prestação de Contas do Fundo Municipal de Cultura de João Pessoa, relativa ao exercício financeiro de 2010, de responsabilidade do Sr. Milton Dornellas Bezerra Junior e do Sr. Francisco César Gonçalves, na qualidade de Gestores do Órgão. É o voto.

DECISÃO DO TRIBUNAL Vistos, relatados e discutidos os autos do Processo TC nº 03881/11, referente à Prestação de Contas Anuais do Fundo Municipal de Cultura de João
3
NCB Proc. 04066/11 - FUNDO EMPREENDER - PCA 2010

Pessoa, relativa ao exercício financeiro de 2010, de responsabilidade do Sr. Milton Dornellas Bezerra Junior e do Sr. Francisco César Gonçalves, na qualidade de Gestores do Órgão; e CONSIDERANDO que foram evidenciados eletronicamente os documentos que compõem as presentes contas junto a este Tribunal, e que tal registro está em consonância com os Princípios da Transparência e da Publicidade, que estabelecem a ampla divulgação dos atos de gestão para controle e acompanhamento por parte da sociedade civil; CONSIDERANDO, o Relatório e o Voto do Relator, o parecer oral do Ministério Público junto a esta Corte, e o mais que dos autos consta; ACORDAM os Conselheiros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAIBA, em sessão Cameral realizada nesta data, por unanimidade de votos, em julgar Regular a Prestação de Contas do Fundo Municipal de Cultura de João Pessoa, relativa ao exercício financeiro de 2010, de responsabilidade do Sr. Milton Dornellas Bezerra Junior e do Sr. Francisco César Gonçalves, na qualidade de Gestores do Órgão.
Publique-se, registre-se, cumpra-se. João Pessoa , 07 de Fevereiro de 2013.

ARTHUR PAREDES CUNHA LIMA Presidente e Relator

Presente, ________________________________ Representante do Ministério Público junto ao TCE-PB

4
NCB Proc. 04066/11 - FUNDO EMPREENDER - PCA 2010

Em 7 de Fevereiro de 2013

Cons. Arthur Paredes Cunha Lima RELATOR

Marcílio Toscano Franca Filho MEMBRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful