You are on page 1of 7

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Faculdade de LACCE Comunicação Social

Entrevista Coletiva

São Paulo

2012 .

Moacir Assunção. São Paulo .UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Faculdade de LACCE Curso de Comunicação Social R.A: 201008090 – Luciano Melo Entrevista Coletiva Trabalho apresentado ao Curso de Comunicação Social da Universidade São Judas Tadeu. como requisito parcial para a composição da nota do segundo semestre de 2012. da disciplina de Jornalismo Impresso – JORNIMP. sob orientação do Prof.

2012 .

A mega eleição – presidente. Pensando que a ciência política é uma ciência encastelada. governador. campus Mooca. São 5.568 vagas para prefeito e 5568 vagas de vice-prefeito.500 candidatos concorrendo os seguintes cargos: 1 presidente da republica e 1 vice.Apresentação O texto que se segue refere-se à palestra proferida pelo Professor Humberto Dantas no dia 02 de outubro de 2012 na Universidade São Judas. O professor palestrante trabalha numa ONG chamada Oficina Municipal. senadores e deputados No imaginário coletivo pensa-se que a eleição para presidente. 22. Mas ao observar os números das eleições municipais fica evidente que elas mobilizam muito mais candidatos e possuem uma estrutura mais complexa. . Faz parte de um grupo de cientistas políticos que por volta de 2001 entendeu que era preciso levar adiante a educação política. Atua como professor visitante na USP leste e trata do tema gestão pública. por exemplo. por isso demos o devido destaque ao seu discurso. Após palestra. coordenador de curso de pós graduação em Ciência e Política na escola de Sociologia e Politica (vai começar em 2013). o grupo formulou cursos. palestras. mais de 57 mil vagas para vereador num universo de mais de 480 mil candidatos. A partir de 2003 os quase 30 componentes colocaram o projeto em andamento. Dantas é mestre e doutor em ciências politicas pela USP. Consideramos que o assunto abordado pelo professor entrevistado é complexo e de grande importância. governadores. Isso porque mobilizou em 2010. Pela mesma universidade obteve graduação o em Ciências Sociais. de modo geral distante do cidadão. senador e deputado seria a mega eleição. 513 deputados federais. 54 vagas de senadores. difícil de ser compreendida. É uma eleição gigantesca e não raro. 27 governadores. É professor universitário desde 1999. Leciona em vários lugares. O objetivo do grupo era disseminar pela sociedade o que eles aprenderam. Duram seis módulos de cinco aulas. Atua nas Jornadas Universitárias com o objetivo de ir em 10 universidades e dar 10 palestras e falar sobre política. Os cursos são livres e tratam de cidadania e política. os alunos do 3ACSNJO fizeram perguntas exercitando o método de entrevista coletiva. Desde 2010 leciona no INSPER – faculdade de negócios É Coordenador de curso de pós graduação na FIP (Curso de economia para jornalistas). Atualmente são mais de 230 turmas formadas. 1059 deputados estaduais sendo que destes 24 são distritais (Distrito Federal).

Novidade da eleição de 2012 A primeira lei de iniciativa popular em termos de aprovação é a lei 9840/99 que falava sobre o uso da maquina administrativa em benefício de campanhas e sobre a compra de votos. A iniciativa popular construiu uma lei para diminuir de modo geral a liberdade do cidadão para se candidatar. a diminuição expressiva de critérios para a participação do eleitor representa o crescimento qualitativo da democracia. portugueses erradicados no Brasil e etc. Se numa democracia imperfeita se exige muito dos eleitores. O que representa a lei “ficha limpa”? Quando a lógica da democracia representativa surgiu se restringia de forma significativa o eleitor e o político. excluía-se as mulheres e analfabetos das votações e etc. ter o título de eleitor inscrito no lugar em que o candidato pretende se eleger.é muito curto para a tarefa. Ficou popularmente conhecida como ficha limpa. A lei ficha limpa mexeu com os critérios de elegibilidade dos candidatos. São 480 mil candidaturas. desde 1995 pratica-se o voto de analfabetos. É possível ao judiciário julgar a aptidão de cada um dos candidatos? O período compreendido entre o final de junho e o começo de julho . idade mínima de 18 anos para vereador. . Primeiro porque ninguém compra alguma coisa que não esteja à venda. 30 anos para governador e 35 anos para presidente e senador da república. voto para pessoas naturalizadas brasileiras. muito raro em outros países. O Brasil é um país que diminuiu ao máximo os critérios para que as pessoas fossem eleitores. estar em dia com os direitos políticos. Aqui se oferece o voto para os jovens acima de 16 anos. o critério censitário. E essa é a novidade que vigorou na mega eleição. o oposto. ser alfabetizado. Para ser candidato também as exigências são mínimas: um ano de filiação partidária na mesma legenda. ou a regra de que só homem livre votasse. A questão que se coloca é saber se o judiciário está preparado para fazer o julgamento desses candidatos que têm as condenações que os tornam “ficha suja”. ou seja. como por exemplo. 21 para deputado e para prefeito. A 2ª lei de iniciativa popular fala sobre questões associadas a direitos políticos é uma lei complementar. Criavam-se muitos critérios para que o cidadão votasse. Em termos culturais isto é ainda muito complicado de ser percebido e por isso julgado e punido pelo eleitor. O eleitor espera a data da eleição para vender o seu voto. ou de comprovação de renda. Se as pessoas esperam por isso então fica muito difícil de caracterizar esse crime.

O eleitor fica sem saber quem está “limpo” ou não.A postura que se toma é a de deixar acontecer o processo eleitoral. divide-se o total de votos do partido ou coligação pelo coeficiente eleitoral obtendo-se assim o coeficiente partidário que significa o número de cadeiras a que terão direito. A eleição para vereador é proporcional e desse modo dividem espaço. Como funciona a mega eleição municipal A eleição para prefeito é majoritária. E enquanto ele acontece a justiça vai apreciando as candidaturas.5% das cidades têm turno único e apenas em 83 cidades acontecem dois turnos. Se o partido não atinge o coeficiente todos os candidatos ficam sem vaga por mais que um candidato isolado tenha sido bem votado. Só as cidades com mais de 200 mil eleitores podem ter dois turnos. A disputa para prefeito acontece ou em turno único ou em dois turnos. 98. Então os mais votados dentro daquele partido ou coligação assumem as vagas. Obedece-se a lógica de eliminar os votos inválidos (brancos e nulos) e depois disso divise-se total de votos válidos pelo número de vagas (variável por cidade) e se obtém o coeficiente eleitoral. A população começa a observar melhor o candidato. Mesmo se empatasse há critérios para desempate. a lei pune quem tenta fugir renunciando um mandato para fugir da condenação e ser elegível nas próximas eleições. . O vencedor “leva tudo”. No mínimo são nove e no máximo 55 de acordo com a população. A quantidade de vagas para vereador é variável por cidade. Paira a instabilidade. Não dá para compartilhar o cargo alcançado com adversários. Por fim. Mesmo com todas as aberrações que o universo da política apresenta a lei da ficha limpa continua sendo importante por ter um valor pedagógico. O partido ou coligação recebe tantas cadeiras quantas vezes atingiu o coeficiente. A nulidade dos votos não se refere a votos nulos e sim a problemas com a votação de tal modo que eles não sejam “computados” seja por defeito da urna ou por fraude. Além disso.