You are on page 1of 2

Economias emergentes

A importância cada vez maior das economias emergentes
A importância crescente de economias em desenvolvimento e com mercados emergentes (economias emergentes) é notória, tanto em termos demográficos como económicos. Tendências demográficas As economias emergentes representam mais de 80% da população mundial. Além disso, devido às profundas transformações económicas em curso, muitas das economias emergentes confrontam-se com uma rápida urbanização e uma migração em massa das populações das áreas rurais para as cidades. Importância económica Se, por um lado, os valores demográficos são elevados, por outro, o peso económico desses países é também cada vez maior. A quota das economias emergentes no produto mundial aumentou de menos de 20%, no início da década de 1990, para mais de 30%. Utilizando o conceito de paridade do poder de compra (PPP) – ou seja, tomando em consideração as diferenças de custo de vida –, a quota das economias emergentes no PIB mundial já é superior a 45%, sendo 13 pontos percentuais mais elevada do que no início da década de 1990. De acordo com o World Economic Outlook do Fundo Monetário Internacional (FMI), esta quota será superior a 50% em 2013. Embora estas economias já tenham uma dimensão considerável, continuam a registar um crescimento vigoroso. O ritmo de crescimento das economias emergentes e a sua maior capacidade de resistência a graves perturbações económicas e financeiras são boas notícias para a economia mundial, que pode assim contar, mais do que no passado, com o dinamismo das economias emergentes. As vantagens desse rápido desenvolvimento para as populações das economias emergentes manifestaram-se sob a forma de um aumento do nível de vida. Nesses países, entre 2000 e 2009, o PIB per capita registou um aumento superior a 70%, embora tenha partido de valores baixos. A integração das economias emergentes nos mercados mundiais de bens e serviços foi igualmente célere. Em termos de exportações mundiais de bens e serviços, a quota combinada das economias emergentes quase que duplicou entre o início da década de 1990 e 2010, atingindo cerca de 35%. Perspetivas económicas a longo prazo A situação atual é promissora para as economias emergentes, mas o futuro apresenta-se ainda mais promissor. As projeções para o crescimento a longo prazo, com base em tendências demográficas e modelos de acumulação de capital e produtividade, indicam que é provável que as economias emergentes venham a desempenhar um papel ainda mais destacado na economia mundial. Neste aspeto, as conclusões de vários estudos quanto às perspetivas de crescimento das economias emergentes são surpreendentes. De acordo com

as quais. o potencial para beneficiar das novas oportunidades criadas pelas economias emergentes. nos quais a área do euro apresenta vantagens comparativas. As exportações para a Rússia mais do que duplicaram no mesmo período.3% em 2009.9%.int/ecb/tasks/international/emerging/html/index. embora a quota da Rússia fosse ainda mais elevada em 2008 (5%). são imprescindíveis. o Brasil. a Rússia.pt. Em particular. passando de 1. A concorrência dos mercados emergentes reforça igualmente os incentivos a novos progressos em termos de reformas estruturais na área do euro. país que representou 1. antes do colapso do comércio mundial. na verdade.alguns desses estudos.html) .ecb. Fonte: Banco Central Europeu (http://www. ao passo que as exportações para os Estados Unidos baixaram de 17% para 12% no mesmo período.7% das exportações da área do euro em 2009.8% para 3. se bem que em muito menor escala. é de salientar que a percentagem de exportações da área do euro (incluindo comércio intra-área do euro) para a Ásia aumentou de 19% em 2000 para 22% em 2009. um crescimento vigoroso das economias emergentes aumenta a procura de vários bens e serviços transacionáveis. o papel crescente das economias emergentes proporciona diversas oportunidades. excedendo assim as exportações para o Japão. A área do euro tem. É identificável uma tendência semelhante. Perspetiva da área do euro Da perspetiva da área do euro. passar a representar mais de metade do peso das atuais seis maiores economias industrializadas até 2025 e ultrapassar estas últimas em menos de 40 anos. no caso da Índia. além disso. A quota da China no total das exportações da área do euro subiu de 2% em 2000 para 5. As suas exportações e importações de bens e serviços representam uma parte significativa do PIB. no conjunto. a Índia e a China poderão. Neste aspeto.