You are on page 1of 7

COMO PEDIR DEMISSÃO DO JEITO CERTO Apesar da desaceleração, as oportunidades de trabalho continuam pipocando por aí.

Quem cede à tentação - ou admite que seu ciclo dentro da empresa atual terminou - tem que se encher de coragem para enfim chegar até a sala do gestor e pedir demissão. Mas é aí que reside boa parte dos perigos e escorregões profissionais. Naquela de jogar tudo para o alto, muita gente se esquece de que a vida dá, sim, algumas boas voltas. E, mais cedo ou mais tarde, você pode topar com seu superior, colegas de trabalho ou empresa ao longo da trajetória profissional. EXAME.com consultou especialistas em comportamento organizacional para checar qual a melhor maneira de se comportar na hora de pedir demissão - e nos dias que antecedem o adeus. 1. Você está certo disso? Não se atreva a rumar para a sala do chefe sem ter plena convicção da sua decisão. Em outras palavras, não vale pedir demissão com o corpo inteiro ainda em cima do muro. Antes de pedir para sair, de maneira racional, levante todos os prós e contras dessa transição para a sua carreira como um todo. 2. Ainda não fechou em contrato? Então, espere Outro ponto: só peça demissão quando tiver certeza plena que a vaga é sua – com data de início e documentação. “Vira e mexe aparece alguma empresa que cancela o processo”, afirma Vladimir Araujo, diretor de projetos da Ricardo Xavier Recursos Humanos. “Diante de crises econômicas ou acidentes, como o que aconteceu na usina de Fukushima, todas as contratações ficam em stand by”. 3. Converse, não acuse Agora, nada de enviar um e-mail ou informar primeiro com o setor de RH. “Fale sempre com o gestor”, diz Mariciane Gemin, sócia-gerente da Asap. “É uma questão de compromisso, de respeito e maturidade”. Não vale também atravessar a porta da sala do seu quase ex-chefe com todas as pedras possíveis nas mãos. Esse é um momento diplomático. E não a hora de lavar a roupa suja ou desentalar todos os sapos que engoliu ao longo do tempo. Só faça críticas construtivas se isso realmente for pertinente. Se não, o ideal é manter-se transparente e sincero, mas sem atacar. 4. É proibido blefar Agora, se a sua estratégia é pedir demissão apenas para conseguir um aumento, esqueça. Definitivamente, esqueça. Há grandes chances de esta técnica malandra descambar para um belo tiro no próprio pé. “Não deve virar um leilão. Se você sentiu desvalorizado ao longo de todo esse tempo, em um curto espaço de tempo vai voltar a questionar a relação de novo”, afirma Mariciane. 5. Esteja pronto para a guerra por talentos Agora há também a chance do chefe fazer uma contraproposta. E você deve estar preparado (e certo) da resposta que dará a ele. Se for sim, avise imediatamente a outra parte envolvida. “Quando a reposta for não, diga que é mais que uma questão de remuneração e, sim, experimentar novos ares, conhecer novas pessoas”, diz Araújo. 6. Não saia do dia para a noite Cuidado com as empresas que querem que você assuma o novo cargo já no dia seguinte à proposta de emprego. Em média, o mercado pede 15 dias para o tempo de transição. Mas só feche isso com a nova empresa após conversar com a antiga.

eles podem demiti-la também”. lembre-se isso faz parte da vida profissional. 9. Mas sem perder a compostura e o senso de profissionalismo. Discrição Nesse período. certo? 3. “Trabalhe para deixar a casa em ordem da melhor maneira possível”. Pseudo currículo Calma. Combinados? O QUE NÃO FAZER NO CARTÃO DE VISITA Reza a lenda que. Antes de compilar todas as informações sobre o seu trabalho. Se. euforia no mercado”. para escorregar no inocente ato de entregar um cartão de apresentação. Não vale enviar uma mensagem para a empresa inteira. O último dia No último dia de emprego. opte pelo clássico. 10. diz Araújo. agressivo. essa decisão pode ser determinante para a sua evolução na carreira. Fofocas.7. Ir de papel sulfite Ou outro tipo de papel extremamente frágil. Regra de ouro: seja absurdamente objetivo e não ceda à tentação de ir além dos dados profissionais. diz Araujo. 8. houver necessidade de outras informações. por mais desafiante que uma transição como essa possa parecer. Se pintar dúvida. Faça de tudo para que a empresa não saia prejudicada dessa transição”. Você não precisa ir tão além e imprimir seu cartão de visitas apenas com símbolos. mas cuidado para não “inovar” demasiadamente na hora de escolher a fonte. Você não vai querer que o “documento” de apresentação do seu trabalho acabe no lixo por motivos estruturais. algumas empresa acabam optando por não declarar que o executivo está fazendo uma passagem de bastão para não gerar ruído. Mas você não precisa ser Zuckerberg nem ter um cartão de visitas com um tom tão. Por isso. jamais dê espaço para conversas de corredor. Faça seu trabalho como se não fosse deixá-lo dali em alguns dias. Não fure esse acordo. no início do Facebook. Não fuja aos 45 do segundo tempo Se o chefe aceitar sua disponibilidade durante esse período. não vale misturar diferentes tipos de fonte ou tamanhos. “Nessa transição. “Repasse todos os detalhes dos projetos em que estava envolvido. 2. lembre-se de que o cartão de visitas não tem a função de currículo – muito menos de propaganda de você. Por mais descolada que seja sua área de atuação. digamos. diz Mariciane. envie um e-mail com seus contatos pessoais – não os da futura empresa – apenas para as pessoas com quem você conviveu ou manteve proximidade durante o período de trabalho. Mark Zuckeberg tinha que quebrar a cabeça antes de entregar seu cartão de visitas. confira quais são as gafes mais clássicas e sutis na hora de elaborar essa ferramenta de trabalho. use a parte de trás do cartão. Se tomada no tempo correto. 1. Ele mantinha dois modelos: um convencional e outro com a sentença “Eu sou o CEO. maledicências ou outros parentes próximos dessa prática devem ficar abolidos do seu cotidiano. É a vida Agora. Prefira materiais com textura ou algum peso. Usar a fonte Symbol do Word Ok. Cuidado com o teor do texto do e-mail para não colocar a companhia e seu chefe em uma saia justa. “Da mesma forma que as empresas demitem os funcionários. dependendo da posição. . realmente. idiota” (em uma tradução eufemista). não jogue tudo para o alto.

Atenção redobrada na hora de revisá-lo. Bagunça organizada? . a especialista sugere o uso de acessórios funcionais. plantas. especialista em organização da Otimiza Design." Cuidado com o que sua mesa diz de você . "O que não é de uso imediato.Bichinhos. de certa forma. diz. livros e até bonbonnières com guloseimas. acusam infantilidade. sobretudo quando se passa muito tempo nele.Uma mesa cheia de papeis e livros não é. completa. Confusão visual Cuidado para não combinar imagens que não tem qualquer relação com sua área de atuação. "Mas volume de trabalho também não é sinônimo de bagunça". "A etiqueta da mesa de trabalho vale muito em profissões formais. vender uma ideia do seu trabalho. A consultora de imagem corporativa Renata Mello diz que é natural o desejo de criar uma atmosfera de conforto no ambiente profissional. Na medida certa. pondera. explica Renata. Ingrid recomenda ter em cima da mesa somente as ferramentas essenciais para a rotina diária. A mesa de trabalho pode revelar muito do dono . não vale ilustrá-lo com flores. por exemplo. brinquedinhos e objetos com referências ao universo infantil podem passar a ideia de criatividade. no máximo. . Escolha. fica fácil saber mais sobre ele. se você trabalha no ramo de tecnologia. 6. são essenciais e decoram.4. "Tudo depende do perfil de trabalho". alguém que não está preparado para uma promoção. Mas não ceda à tentação de exagerar nas cores. 7. necessariamente. diz a home organizer Ingrid Lisboa. Assassinatos do português Erros de gramática ou digitação não combinam com uma ferramenta que se propõe a.inclusive o que ele não deseja. Organize seus papeis em pastas. Num local competitivo. Para quem não consegue evitar excesso de material sobre a mesa. descarte ou arquive em pastas". "Um porta-canetas. desorganizada.Pilhas de papeis e livros espalhados: demonstra desleixo e falta de habilidade com organização. três cores diferentes para compor sua marca pessoal. DICA: escolha apenas um objeto. Cíntia Covre. 5. no entanto. que pode ser confundida com imaturidade. objetos decorativos. "Trabalho não é lugar de expor intimidade". acrescenta que não adianta retirar tudo de cima da mesa e entulhar em gavetas. um porta-trecos e uma pasta de arquivos. . e salas e baias que são compartilhadas". o excesso de personalização pode imprimir uma imagem distorcida. Lembre-se: as ilustrações devem ser a síntese do tipo de trabalho que você faz. "O importante é saber onde estão as coisas". MESA DE TRABALHO REVELA PERFIL DO SEU DONO Para quem passa muito tempo no trabalho. aconselha. Escolha um tamanho de fonte adequada para que pessoas de qualquer idade – ou problema de visão – consiga compreender o que está escrito ali. elementos infantis e muitas plantas: personalidade sensível. Por exemplo. Com uma rápida olhada ao canto do colega ao lado. por exemplo. DICA: Evite empilhar coisas. Letras miúdas O novo contato profissional precisou espremer as pálpebras para ler seu cartão? Sinal vermelhíssimo. Um carnaval de cores Tudo bem que todo mundo adoraria impressionar com seu cartão de visitas. em exagero. a mesa pode se tornar uma segunda sala de estar: fotos.

alguém que só pensa em diversão. Mas entre uma personalidade criativa e a aprovação do projeto final há um longo percurso. “Fomos os primeiros a lançar um livro de gestão corporativa. sem exceção. em termos práticos. EXAME. tomates ou simples contra argumentos. Todas. lembra. Isso significa que não vale passar para frente propostas etéreas e sem um alicerce sólido. 1.R Inovação.Mesa vazia: O pessoal da limpeza agradece. o conceito de inovação. Brainstorm não é tudo Antes de partir para a sala do chefe com uma porção de projetos na cabeça. não vai permanecer muito no emprego ou está sempre em férias. Prefira fotos da família e dos colegas. Em outras palavras. querem profissionais capazes de materializar. diz o especialista Anderson Cavalcante. “Uma ideia parte de um contexto estudado e evolui para um pensamento bem fundamentado”. mas demonstra que você não tem vínculos profundos. Acerte o tempo É nesse momento que você também deve checar se sua proposta está dentro ( ou não) das necessidades de sua época. consultora de imagem corporativa 7 DICAS PARA VENDER UMA IDEIA NO TRABALHO Uma olhadela rápida nos anúncios de emprego é suficiente para perceber qual é o perfil profissional queridinho das empresas. Faça pré-testes Um meio para descobrir se a ideia está no ponto para sair do papel é compartilhá-la com pessoas próximas – e confiáveis. antes de qualquer outra ação.com consultou profissionais e especialistas de diferentes áreas para saber quais as melhores estratégias para transformar uma ideia em uma proposta imbatível. DICA: Seja discreto. 3. “Seja por estarem à frente do seu próprio tempo ou atrasadas”. inclusive de turmas em baladas. “Checar se a proposta terá eco”. diz Marcel Camargo. “A questão é experimentar mesmo”. diz Cavalcante. Ele sentiu isso na pele na editora em que trabalha. gerente comercial da BNCorp. diz Rita Almeida.Porta-retratos com fotos pessoais. Por isso. Demonstra exibicionismo. É preciso se preparar tanto na elaboração da ideia quanto no preparo para vendê-la de um jeito instigante. é preciso submetê-la a uma bateria de aprovações. “Foi o custo do pioneirismo”. não vale chegar na sala de reuniões sem uma proposta capaz de manter-se de pé mesmo diante de uma porção de vaias. Para que a ideia vá além de alguns rabiscos no papel. . Demorou um ano para que ele começasse a ser vendido”.. “Muitas ideias morrem porque foram compartilhadas no tempo errado”. pergunte-se: essa proposta realmente é digna de compartilhamento?Em que medida ela atende aos desejos do seu público alvo? Ela realmente trará benefícios para empresa? Quais seriam os caminhos para tirá-la do papel? Eles são viáveis? 2. “A ideia tem que amadurecer”. vale a pena submeter sua ideia a uma prova de choque. . Pensando nisso. Fonte: Renata Mello. diretora da agência de branding CO.

Dois meses. autor do livro Por que a gente é do jeito que a gente é? (Editora Gente). é preciso saber o que motiva as pessoas”. Isso significa que só vale compartilhar sua ideia de uma maneira objetiva e coerente com o contexto do público em questão. Dedique um tempo para entendê-las. coleta de informações e elaboração de um roteiro argumentativo. Aliás. . muitos poréns serão levantados. Por isso. é imprescindível demonstrar confiança e segurança para os interlocutores. ele arregaçou as mangas para refrescar a memória do departamento. ela tem que ser estratégica”. Lembre-se: a credibilidade da sua ideia está intimamente ligada à sua própria imagem . Esse foi o tempo que Marcel Camargo. um aspirador de pó ou mesmo os conceitos de uma palestra. A ideia era utilizar o conceito de Retrofit em um novo empreendimento no Rio de Janeiro. deixar alguns pontos em aberto é essencial para que as negociações para que a ideia seja aprovada não ganhem um ponto final logo de cara. Antes mesmo da conclusão do empreendimento. afirma Eduardo Ferraz. segundo Cavalcante. “Tenha foco. E o seu papel é manter a calma e. todas as salas já estavam alugadas ou vendidas. “Já havíamos feito isso com muito sucesso no passado”. Os 60 dias em que se dedicou para amadurecer a ideia foram divididos entre viagens para o Rio de Janeiro. Ao contrário. Durante a apresentação. diz Cavalcante. diz Ferraz. “Por isso.Feito isso. mapeie quais são as pessoas chave para receber sua ideia e passá-la para frente. 4. diz Cavalcante. Agora. diz Ferraz. realmente. para vender uma ideia. acreditar em cada detalhe do seu projeto. ele partiu para a sala de reuniões. Deixe a porta aberta Não se intimide caso não tenha resposta para todas as perguntas. “O que vai dar credibilidade é a fundamentação”. Muitas ideias já naufragaram simplesmente porque as pessoas não demonstraram paixão pelo que faziam. de uma maneira sensata. 5. não vale chegar na sala de reuniões sem. Difícil chegar a esse equilíbrio entre profundo conhecimento sobre o assunto e uma apresentação pontual? Nem tanto. 6. levou para elaborar os fundamentos de uma nova proposta de negócios para a empresa em que trabalha. desmontar cada um dos contras. Tenha foco Por mais profunda que tenha sido a sua pesquisa.e credibilidade. não queira vender 20 coisas ao mesmo tempo". pesquisas de mercado. 7. lembra. Não deu outra. "Nunca vi nenhuma proposta ser aprovada com gente norma". não é preciso esmiuçar cada detalhe na apresentação Muita gente pensa que é preciso colocar tudo na apresentação. Com todo esse contexto em mãos. “Todas as pessoas agem segundo motivações pessoais ou profissionais”. Mesmo assim. gerente comercial da BNCorp. não vale perder a cabeça e descanbar para a ignorância. Prepare o caminho e lance os fundamentos É com base nesse agente propulsor da motivação que você deve definir a lógica argumentativa da sua proposta. Basta compreender bem quais os principais motivadores do público em questão e focar neles. Além disso. Não parta para a briga (ou indiferença) Esteja preparado para passar por uma prova de fogo.

Além disso. De olho no desafio de discordar ou fazer críticas ao chefe sem que isso envolva desdobramentos negativos. é importante estar seguro sobre o que será falado. Quem conseguir administrar bem a situação. uma atitude impulsiva e que pode gerar desconforto”. gera-se a chance de reavivar o projeto nos próximos dias". Elaine aconselha que o profissional evite cair na armadilha da fofoca. aproveitar as impressões iniciais. COMO DISCORDAR DO CHEFE SEM DESAGRADAR O projeto não vai sair como o planejado. até mesmo para evitar um clima desagradável no escritório. porque isso significa. Evitar o tom de ataque e o uso de palavras . alerta Pavani. “O profissional deve evitar fazer a crítica em reuniões. especialistas apontam o guia de sobrevivência para a hora da crítica: 1. 3. diz Orlando Pavani. indica Elaine Saad. até. diz Pavani. o chefe oferece a liberdade para que os profissionais discordem dele. que é tornar melhor o fluxo de trabalho ou projeto em andamento”. "Se você deixa uma pendência. Criticar o chefe afeta a autoridade dele. Ter jogo de cintura para criticar o superior em hierarquia sem que isso traga prejuízos para o profissional ou ambiente de trabalho é uma habilidade para poucos. E. Seja descritivo e objetivo “Há o feedback avaliativo e o feedback descritivo. Expressar o descontentamento de forma emocional torna mais difícil a tarefa de convencer o chefe a concordar com o ponto apresentado. é já sair da primeira reunião com uma nova data de discussões agendada. “É importante conhecer o estilo do chefe para encontrar um canal de comunicação adequado. Escolha o momento certo Ser discreto significa também escolher o timing correto para a abordagem. Mantenha a discrição A crítica ao chefe deve ser direcionada diretamente a ele e não aos colegas de trabalho. para melhorá-lo. afirma. vale a pena refletir sobre as consequências que uma possível crítica pode significar para a relação. por exemplo. “Ele não pode perceber que há um tom de insubordinação”. “Em um ambiente de trabalho ideal. por isso não é indicado resolver falar na frente de outras pessoas. para que a conversa flua sem maiores problemas”. gerente da Right Management do Brasil. com isso. sem cair em julgamentos pessoais baseados apenas na interpretação feita pelo funcionário. O risco é o chefe não querer ouvir o que o profissional quer dizer. 2. porque uma vez iniciada a conversa.A dica. diz Elaine. mas não é sempre que isso acontece “. ela precisa ser produtiva. tirar um saldo positivo da situação: ter pontos contados a favor e tornar a relação com o chefe mais próxima. por isso é importante avaliar antes a postura dele e o relacionamento entre os dois. A segunda opção é a melhor escolha”. explica. Uma alternativa é agendar previamente um encontro com o chefe em que os dois possam conversar sem serem importunados e resolverem as questões pendentes. O consultor explica que a crítica levantada deve ser focada em fatos e nas consequências profissionais. diretor da consultoria Gauss. pode. 4. o chefe está deixando de fazer algo importante ou ele está simplesmente errado. Por mais que a relação seja amigável e democrática. Assuma o risco Nem todo chefe consegue administrar críticas de subordinados. segundo ele. em geral. inclusive. “Comentar com colegas de trabalho pode gerar mal-estar e não atingir o ponto principal da crítica ou discordância.

“Em vez de dizer o que o chefe está deixando de fazer. melhor mostrar o que pode ser feito para que o trabalho seja melhor executado”. Mesmo assim. “A depender do porte da empresa. a estratégia estabelecida e a conversa ocorreu dentro do padrão de civilidade entre funcionário e chefe.negativas. o resultado não saiu como o esperado. Vale apostar também no que a mudança de atitude do superior pode trazer de resultado positivo para o fluxo de trabalho. Esteja pronto para a reação Os riscos foram calculados. 5. talvez seja a hora de procurar um novo emprego”. Falar calmamente e com a escolha das palavras certas. . Nas empresas menores. aconselha Elaine. o funcionário deve recorrer à area de Recursos Humanos e conversar com o responsável pelo setor. são estratégias mais suscetíveis ao sucesso. aconselha Elaine. além de apostar na forma “delicada” de abordagem. se não há como reverter o quadro e o ambiente de trabalho se tornou ruim. olhando no olho do interlocutor. também sinaliza que o profissional está em “missão de paz” e auxilia para que o chefe não fique na posição defensiva.