You are on page 1of 6

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO SERVIÇO SOCIAL

REGINA ALVES FERNANDES

geração de ouro QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE

Uberlândia 2011 regina alves fernandes

geração de ouro QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE

Trabalho apresentado ao Curso de Serviço Social da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas Estatística e Indicadores sociais, Metodologia da Pesquisa Científica, Processo de Trabalho e Serviço Social, Oficina de Formação - Tecnologia da Informação.

Orientador: Prof. Heleanara Regina Sampaio, Edna Braun, Amanda Boza, Rodrigo Zambon.

Uberlândia

2011

SUMÁRIO

.................. já em 1998..... em números absolutos e relativos...... 2..... valorizando os aspectos individuais do idoso....... "Qualidade de vida na terceira idade: uma proposta multidisciplinar"........ Formulação dos objetivos geral e especifico.... este contingente alcançava 579 milhões de pessoas...... quase cinco décadas depois............ Musculação.. de 19 anos na esperança de vida ao nascer em todo o mundo................10 Introdução Este trabalho apresenta o relato que versa sobre o projeto de pesquisa........1....... Os números mostram que....................... verificado desde 1950.. pintura................ Referências....4 2......... a população idosa será de 1.. Segundo projeções estatísticas.....................7 5.......... .................................................... grupo terapêutico......... Orçamento.......... música......... seram desenvolvidos no centro de convivência do idoso Indianópolis MG.......................... ginástica......... Uma das explicações é o aumento...... A proposta deste projeto é observar à comunidade de pessoas acima dos 60 anos de idade....... delimitações e formulação do problema O crescimento da população de idosos..................... Qualidade de vida na terceira idade oferece todos os indicativos para intervir de forma multidisciplinar nesta faixa etária da população....7 6........7 7........................... Delimitação e formulação do problema....9 bilhões de pessoas montante equivalente à população infantil de 0 a 14 anos de idade. Como por exemplo (ioga................................ Revisão bibliográfica..................................... Metodologia................. é um fenômeno mundial.... para 2050............... Justificativa......6 4.................................................... Em 1950 eram cerca de 204 milhões de idosos no mundo e.... dança de salão........ artes plásticas) entre outras atividades..........................9 10... Cronograma da pesquisa......... atualmente....................... Resultados esperados..................... articulando ações que viabilizem um resgate produtivo do ser....4 3..........................................................8 8.......................... em 2050. ou um quinto da população mundial....................... um crescimento de quase oito milhões de idosos por ano................... a oportunidade de cuidar de sua saúde bio-psico-social... uma em cada dez pessoas tem 60 anos de idade ou mais e..................... trabalhando o mesmo de forma global......... estima-se que a relação será de uma para cinco em todo o mundo...... INTRODUÇÃO.............9 9.....

tudo que se consegue até o momento é retardar alguns dos efeitos do envelhecimento em nosso organismo. As conseqüências do crescente número de idosos implicam em aumento das demandas sociais. a todas as áreas do conhecimento. das pessoas envolvidas em atividades de pesquisa. e principalmente como envelhecer de forma saudável priorizando esses esforços na manutenção da independência e autonomia do indivíduo. formulação dos objetivos geral e especifico Objetivo geral • Analisar a intenção de observar à comunidade de pessoas acima dos 60 anos. e sociais. em algumas atividades físicas e psicologicas. Faz-se necessário. que demonstrem interesse pelos estudos sobre o envelhecimento humano. • Investigar uma proposta aberta. Objetivo especifico . uma concentração de esforços nas diferentes áreas profissionais. bio-psico-social. social e econômico. Sabe-se que a inatividade é o elemento que mais compromete a qualidade de vida na terceira idade. objetivando um maior conhecimento sobre o fenômeno do envelhecimento. aliado à falta de políticas públicas voltadas a essa nova realidade mundial. o tema envelhecimento antes pertencente aos domínios da geriatria e da gerontologia. onde estudos sobre a terceira idade e a vida social. no sentido de oferecer espaço para pesquisa e ensino. suscita-se a discussão do assunto na área do serviço social. Apesar dos avanços tecnológicos na área médica da geriatria. vem preocupando todos os segmentos da sociedade. O envelhecimento populacional. e conseqüente melhoria da qualidade de vida dos indivíduos. • Analisar caráter ético desta pesquisa. Desta forma. começou a ganhar espaços em outras áreas do conhecimento.e de uma para três nos países desenvolvidos. já alcançam algum destaque e já existe um consenso no reconhecimento dos benefícios tanto em seus aspectos psicossociais como fisiológicos advindos da prática regular de exercícios físicos. De tal sorte que o declínio físico e muitas vezes intelectual. como conseqüência do envelhecimento continua sendo um grande desafio para a ciência e uma preocupação constante em diferentes áreas de estudo. 3. que objetivem a manutenção da saúde. no sentido de buscar o consentimento livre e esclarecido. de caráter diversificado. e passam a representar um grande desafio político. Particularizando-se.

justificativa O procedimento ideal para este trabalho de pesquisa. mais do que de uma incapacidade funcional. conforme autorização do Centro de convivência do idoso de Indianópolis. depois das reuniões. com o objetivo de identificar possível melhoramento de dores ou ate mesmo doenças. Pensando nisso. 1994 refere que muito das alterações fisiológicas e funcionais observadas nos idosos são resultado da inexistência de estímulos do que alterações atribuídas ao envelhecimento. neuromotoras e metabólicas de indivíduos praticantes de um programa regular de atividade física. de Faria refere sbre Atividades Físicas para a Terceira Idade. e psicológicas. principalmente para a observação das atividades físicas. sobre as mudanças dos idosos no seu dia a dia. criou-se um projeto de pesquisa. refere-se o sedentarismo no idoso. e fisico.Metodologia Quantitativo e qualitativo. e seu bem estar piscologico. a ser desenvolvido no centro de convivência do idoso Indianópolis MG. Revisão bibliográfica Alfredo G. . dando assim uma investigação mais ampla para a melhor condição de viver bem. Investigar os dados. • Analisar o comportamento das variáveis antropométricas. Segundo SPIRDUSO (1995). • Observar cargas idôneas para manter e/ou melhorar o estado de saúde física de idosos. 4. BARRY e EATHORNE. advém muitas vezes de imposições sócio-culturais. ou ate mesmo seu alto estima. ou encontros grupais ocorridos. • Observar o comportamento dos familiares. 5.• Investigar métodos e procedimentos adequados para o trabalho de atividade física com idosos. intitulado "Qualidade de vida na Terceira Idade". e que se justifica pelas razões deste trabalho. 6. assistente social e qualidade de vida para idosos e familias. estudo bibliográfico em relação a assuntos referentes aos objetos: Centro de convivência do idoso.

Psicologia do Envelhecimento: temas selecionados na perspectiva do curso de vida. de 4 de janeiro de 1994.842. 1995 refere-se as contribuições positivas de programas de atividade física na melhoria geral da aptidão física e funcional dos idosos.00.R$50. Cronograma da pesquisa |Etapas | |Elaboração do projeto | | Revisão de literatura |Out |Nov |Dez |Jan |Fev |Mar | x | | | | | | | | x | x | | | | | | | | | | Apresentação do projeto | |Coleta de dados |Conclusão e redação | |Correção |Entrega | | | | | | | | | | x | | x | | | | | | | | | | | | | x x | | 8.00.00.R$20. . A. CALDAS. transporte. 1998.. Lei 8. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso. S. L. cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. cartuchos. tinta para impressora– R$30. 1995. A saúde do idoso: a arte de cuidar. Orçamento Portanto. Rio de Janeiro: UERJ. In: Política Nacional do Idoso.R$3. C. 7. SILVERBERG. São Paulo: Papirus. (org).R$ 5.clips.MOTA et al. A dinâmica de dependência – autonomia no curso de vida. grampiador.00.5. In: NERI.00.Brasília. M. BRASIL.00. 1998. M. o orçamento das possíveis despesas são: folha A4. BALTES.00. caneta. P.R$60.

o sorriso de felicidade em fazer algo que goste e se sente melhor.RS..19-34. Passo Fundo .. 1187p. Campinas –SP: Editora Autores Associados. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de janeiro. Belo Horizonte – MG. R. et al.8 PORTELLA. M. N. E. Grupos de Terceira Idade: a construção da utopia do envelhecer saudável.A. e sentir atraves de gestos..T. C.. 10. S. Paulo. In.. MILIOLI. 1987. MARCELLINO. CARDOSO.RS: UPF. R.F. 2004. Universidade Federal de Santa Maria: Projeto de Pesquisa registrado do Gabinete de Projetos nº.M. G.L. R. 1999. R.. 14 . . H.153-163. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S. São Paulo . um campo interdisciplinar de pesquisa. O Envelhecer na cidade: um estudo sobre os grupos de atividades físicas para a terceira ida de em Santa Maria .C. R.1988. Lazer e qualidade de Vida: um enfoque na faculdade da terceira Idade – Faculdade de Educação Física de Santo André – FEFISA. A. 5. Resultados esperados Se tratando de um projeto de pesquisa provavelmente seriam esperado um almento de quantidades maior de idosos. ouvir. v.V.9. SOUZA. DUMAZEDIER.J. Assistência ao Idoso: Aspectos Clínicos do Envelhecimento. a diferênça que iria mudar em suas vidas. J. 1980..2. DUTRA. S.SP: SESC. M. J. R. VERAS. MAGNANI.828. C. ver.P. Valores e Conteúdos Culturais do Lazer. UVINHA. p. Saúde públ. Campinas – SP: Papirus. 2005.G. J. A. ACOSTA. 2002. 17. GALLO. 1. 2000. Lazer. Referências FREITAS. Pesquisando populações idosas – a importância do instrumento e o treinamento de equipe: uma contribuição metodológica. 164p.1. & BRUHNS. p. n. Lazer e Educação. et al. O corpo e o lúdico: ciclo de debates lazer e motricidade. 22:513-8. Rev. Licere.: GUTIERRES. Santa Maria. e o sorriso estampado nos rostos dos idosos e familiares. ed. ed.