Ensino básico vocacional: notas para construção das bases

Documento elaborado na Reunião do Grupo de Trabalho - 29/8/2012

A quem se destina?
Jovens a partir dos 13 anos

Condições de acesso
Por opção a cargo do encarregado de educação Jovens com duas retenções no mesmo ciclo ou três retenções em ciclos diferentes. A frequência da componente vocacional exige assinatura de protocolo com os encarregados de educação dos alunos.

Componentes
Componente geral: Matemática (5t), Português (5t), Inglês (3t) e Educação Física (3t) Características: programas idênticos aos do ensino regular realizados por módulos. No caso de prosseguimento de estudos no ensino regular deverão ser realizados os exames nacionais de Português e Matemática. Tempos letivos ocupam 40% da carga horária total (16 tempos semanais)

Organização de turmas na componente geral
As escolas no âmbito da sua autonomia podem optar pelas soluções que mais se adaptem às circunstâncias, atendendo tanto ao perfil dos alunos como aos recursos de que dispõem. Podem optar por: 1. integrar os alunos em turmas regulares nestas disciplinas 2. Fazer coadjuvação com par pedagógico sempre que haja uma elevada diversidade de domínio dos pré-requisitos. 3. Criar grupos de homogeneidade relativa.

Componentes
Componente complementar : História e Geografia e Ciências Físico-Química Naturais e

Características: programas simplificados, em regime modular, com currículos flexíveis e não sujeitos a exames finais Ocupam 20% da carga horária total.(8 tempos semanais)

Componente complementar: planificação curricular
As escolas têm liberdade para distribuir os 8 tempos semanais entre as unidades curriculares "História e Geografia" e "Ciências da Natureza e Físico-Química" atendendo à natureza da componente vocacional desde que nenhuma unidade tenha menos de 2 tempos letivos. (A
distribuição pode ser feita 6 mais 2, 3 mais 5 ou 4 mais 4.)

Cada escola define programas com distribuição dos tempos pelos tópicos em função da natureza e em articulação com a componente vocacional.

Componentes
Componente vocacional: sensibilização a pelo menos 3 ofícios durante o ciclo de 3 anos. Ocupa 40% da carga horária. (16 tempos semanais) Caracterização: Atividades de sensibilização aos ofícios com monitorização e tutoria de formadores que possuam mestria nos ofícios. A sensibilização aos 3 ofícios é feita intercaladamente em cada um dos trimestres ao longo de cada ano. Nos casos em que for mais conveniente, a sensibilização aos 3 ofícios pode ser feita em simultâneo ao longo dos 3 trimestres.

Lista de alguns ofícios a considerar
Artes - música, desenho, teatro, fotografia, pintura, fios e brincos, cinema, tapeçaria, design, bordados, crochet, malhas (com máquinas próprias), Tecnologias - eletricista, mecânico, carpinteiro, ladrilhador, pintor, pasteleiro, canalizador, oleiro, jardineiro, floricultor, hortelão, agricultor, talhante, cozinheiro Tecnologias da Informação e da Comunicação - Manutenção de Informática, operador

Lista de alguns ofícios a considerar
Desporto - Fitness, dança Cartografia Jornalismo Massagista Socorrismo Encadernação Impressão/Estampagem Telefonista Secretariado Rececionista Comércio

Onde e como se faz a componente vocacional?
Na escola: Possibilidade de técnicos das empresas
parceiras lecionarem até ao máximo de um terço dos tempos. (benefícios: mecenato, pagamento de serviços às empresas)

Em empresas: Realização de estágios a partir dos 14
anos em duas semanas por trimestre. Proposta para a concretização desta formação: concurso de empresas parceiras do MEC, com o objectivo de criar condições para os alunos fazerem estágios de 2 semanas em cada trimestre.

Onde se vão lecionar estes cursos?
Apenas em escolas que possuam equipamentos e recursos humanos adequados para a sensibilização à aprendizagem de ofícios. Numa primeira fase, apenas num pequeno grupo de escolas: 2 ou 3 por DRE, metade privadas, metade públicas. O alargamento será feito gradualmente.

Quem são os formadores?
Os formadores são preferencialmente docentes dos agrupamentos. As escolas podem recorrer a formadores dos quadros das empresas parceiras até ao máximo de um terço dos tempos previstos para a componente vocacional nos casos em que a especificidade técnica a isso obrigue.

Condições de progressão para o ciclo de estudos seguinte
Os alunos que obtiveram aprovação nos exames nacionais do 9.º ano podem transitar quer para o ensino regular quer para o ensino profissional. Os alunos podem transitar para o ensino secundário profissional desde que tenham concluido com aproveitamento todos os módulos das três componentes. Os alunos podem transitar para o ensino secundário vocacional desde que tenha obtido aproveitamento em todos os módulos da componente vocacional e pelo menos 80% dos módulos das componentes geral e complementar.

Condições de frequência e assiduidade
Os alunos têm de assistir a pelo menos 90% dos tempos letivos de cada módulo.

Quem coordena?
Perfil do Coordenador do curso: ● Capacidade de liderança e de proatividade ● Experiência pedagógica ● Gosto de trabalhar em equipa ● Gosto de enfrentar desafios ● Os psicólogos das escolas farão parte também da equipa coordenadora e acompanharão o processo.

Como se articula com o ensino regular?
Permitir que a partir dos 14 anos se candidatem às provas finais de 6.º ano e a partir dos 15 anos se candidatem às provas finais de 9.º ano, para que qualquer aluno tenha a possibilidade de regressar ao “ensino regular”, no início de um ciclo se assim o desejar.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful