Cap 1 1.

1 Âmbito dos destaques e Assuntos recentes Ciência atmosférica é uma disciplina relativamente nova, aplicada que se preocupa com a estrutura ea evolução das atmosferas planetárias e com a ampla gama de fenômenos que ocorrem dentro delas. Na medida em que se concentra principalmente na atmosfera da Terra, ciência atmosférica pode ser considerado como um da Terra ou geociências, cada uma das quais representa uma fusão particular de elementos de física, química e dinâmica de fluidos. O desenvolvimento histórico das ciências atmosféricas, especialmente durante o século 20, tem sido impulsionada pela necessidade de mais previsões meteorológicas precisas. No uso popular do termo "meteorologista", sinônimo de cientista atmosférico, significa "previsão do tempo". Durante o século passado, a previsão do tempo evoluiu de uma arte que se baseava apenas na experiência e intuição em uma ciência que se baseia em modelos numéricos com base na conservação de massa, momentum e energia. A crescente sofisticação dos modelos levou a melhorias significativas na habilidade de previsão, como documentado na figura. 1.1. Previsões meteorológicas de hoje abordar não só o determinista, a evolução dia-a-dia de padrões climáticos ao longo da próxima semana ou duas, mas também a probabilidade de eventos climáticos perigosos (por exemplo, tempestades severas, chuvas de congelamento) em uma base de hora em hora (a chamada "nowcasting"), e as partidas do clima (ou seja, as estatísticas de tempo) de ajuste sazonal valores normais para um ano de antecedência. A previsão do tempo tem proporcionado não só a motivação intelectual para o desenvolvimento de ciência atmosférica, mas também grande parte da infra-estrutura. O que começou no final do século 19 como um conjunto de centros de recolha regionais para transmissões em tempo real de teletipo de observações de variáveis meteorológicas de superfície evoluiu para um sofisticado sistema de observação em que o satélite e medições in situ da superfície de muitos e variáveis de ar superior são mesclados (ou assimilado) de uma forma dinâmica consistente para produzir estimativas melhores de suas respectivas tridimensionais campos por todo o globo. Este global, conjunto de dados em tempo real atmosférica é a inveja de oceanógrafos e outros cientistas de geo-e planetária: representa tanto uma conquista extraordinária tecnológica e um exemplo dos benefícios que podem derivar da cooperação internacional. O sistema atual de observação clima global é um componente vital de um sistema mais amplo de observação da Terra, que suporta uma grande variedade de esforços científicos, incluindo o monitoramento do clima e estudos de ecossistemas em escala global. Um tema mais recente, mas cada vez mais importante na organização de ciência atmosférica é a química atmosférica. Uma geração atrás, o foco principal deste campo foi a qualidade do ar urbano. Fig. 1,1 Melhoria da habilidade previsão com o tempo de 1981 e 2003. A ordenada é uma medida da habilidade de previsão, onde 100% representa uma previsão perfeita do padrão de fluxo hemisférico no nível de 5 km. A par superior das curvas é para três dias de previsões, o par do meio para cinco dias de previsões e inferior par para 7 dias previsões. Em cada par, a curva superior que marca o topo da banda de sombreamento representa a habilidade, calculados sobre o hemisfério norte e menor curva representa a habilidade, calculados sobre o hemisfério sul. Observe os níveis de habilidade melhoria contínua (por exemplo, hoje dia 5 previsões do padrão de fluxo do hemisfério norte são quase tão hábil como as previsões de 3 dias de 20 anos atrás). O aumento mais rápido em habilidade no hemisfério sul reflete o progresso que tem sido feito na assimilação de dados de satélite para os modelos de previsão. Fig. 1.2 O buraco de ozônio da Antártida induzida pelo acúmulo de clorofluorocarbonos sintéticos, como refletido na distribuição do ozônio verticalmente integrada em latitudes altas do hemisfério

o nordeste dos Estados Unidos. milhares de quilómetros de barlavento.3) e outros gases lançados na atmosfera por atividades humanas representam um novo desafio para a química da atmosfera e para o amplo campo da geoquímica. As fontes da acidez são óxidos gasosos de enxofre e de azoto (SO2. A grande descoberta da década de 1980 era a Antártida "buraco do ozono": o desaparecimento de grande parte da camada de ozônio estratosférico sobre a calote polar sul a cada primavera (Fig. na maioria dos casos. ciência Atmosférica também abrange o campo emergente da dinâmica do clima. ou mesmo menos (Secção 2. uma família de gases sintéticos que estava se tornando cada vez mais utilizado para refrigeração e diversos fins industriais. . mas no caso do "buraco do ozono" que estavam ocorrendo em wispy nuvens estratosféricas polares. reações químicas heterogêneas envolvendo gotículas de nuvens foram implicados. energia elétrica plantas localizadas centenas e. o que indica que grandes. a mudança climática foi visto por cientistas mais atmosféricos como ocorrendo em tais prazos longos que. Entre os fatores que contribuíram para o surgimento de uma visão mais holística visão dinâmica do clima são: . espacialmente coerentes mudanças climáticas ocorreram em escalas de tempo de um século. A destruição de ozônio foi encontrado para ser causado pela quebra de clorofluorcarbonos (CFCs). quando se descobriu que as florestas e organismos que vivem em lagos mais de partes do norte da Europa. NO.6. no caso de o "buraco do ozono" que estavam ocorrendo em wispy nuvens estratosféricas polares. Com efeito. com base em uma variedade de fontes (sedimentos do oceano e núcleos de gelo. em particular). . climatologia e mudanças climáticas foram consideradas subcampos separados. 1. Tão recentemente como há uma geração. podendo atingir o solo como gotas de chuva.As de ozônio na problema da chuva ácida. mas. O campo experimentou um renascimento durante os anos 1970. Os problemas não solucionados científicas em torno do efeito estufa causadas pelo acúmulo de dióxido de carbono (Fig. paleobotânica e geoquímica. o clima de hoje poderia ser descrito em termos de um conjunto padrão de estatísticas. Fig. o ramo antigo de ciências atmosféricas eo último em grande parte da província de disciplinas como a geologia. Conhecimento adquirido a partir de pesquisa da química atmosférica tem sido fundamental para o desenho de políticas para controlar e. em alguns casos. NO2. com valores mínimos no verão.2).documentação de um padrão coerente de ano para ano as variações climáticas em grandes áreas do globo que ocorre em associação com El Niño (Seção 10. reverter a disseminação da chuva ácida e os hole. Sombreamento azul representa substancialmente reduzidos valores de ozônio total em relação à região circundante prestados em verde e amarelo. . como Janeiro climatológica-média (ou "normal "de temperatura). e N2O5) que se dissolvem na nuvem de gotículas microscópicas de modo a formar soluções fracas de ácido sulfúrico e nítrico. Como no problema da chuva ácida.4).4). Um ciclo pronunciado anual é também evidente em Mauna Loa. devido à queima de combustíveis fósseis.sul em setembro de 2000. 1. reações químicas heterogêneas envolvendo gotículas de nuvens foram implicados.evidência proxy. finalmente.3 série do tempo mostrando a tendência de aumento médio mensal concentrações atmosféricas de CO2 (em partes por milhão por volume) em Mauna Loa eo Pólo Sul.2). Há também evidências da influência da actividade humana sobre a composição global da atmosfera. 1.o aumento da temperatura global do ar-superfície média durante o século 20 e as projeções de maior ascensão durante o século 21 devido a atividades humanas (Seção 10. Canadá e leste estavam sendo prejudicados pela chuva ácida causada pelas emissões de dióxido de enxofre a partir de carvão.

Vento e Pressão O campo de pressão está representada nos gráficos do tempo em termos de um conjunto de linhas isobáricas (isto é. que gira com a terra. substituindo a expressão "no sentido horário" e "anti" com os termos e ciclónicos anticyclonic (isto é. e como mínimos baixos (L). A coordenada radial (não mostrada) está a uma altura acima do nível do mar. Em ambos hemisfério da circulação em torno de centros de baixa pressão é ciclónica e a circulação em torno de centros de alta pressão é anticyclonic: isto é. Com a notável exceção da faixa equatorial (10 ° S-10 ° N). como mostrado no lado direito da fig. bem como. olhando para baixo sobre o poste). 1. 996. como a rotação da Terra. A força do gradiente de pressão horizontal é inversamente proporcional ao afastamento horizontal entre as isóbaras na vizinhança desse ponto. 1. tal como ilustrado na fig. 1. definido como positivo no hemisfério norte e negativo no hemisfério sul.Como alguns aspectos da química atmosférica. Fig. 1004 . em particular sobre a terra. Em qualquer ponto de um gráfico de pressão o gradiente de pressão local horizontal é orientado perpendicularmente às isóbaras e é dirigida a partir de baixo para uma pressão mais elevada.. e? é longitude em relação ao meridiano de Greenwich. no que se refere à pressão e campos de vento... o termo baixo é sinónimo de ciclone e com elevado anticiclone. indicados pelo símbolo H. Ângulo? é latitude. 1.14. .2 Algumas Definições e Termos de Referência Mesmo que a Terra não é perfeitamente esférica.4 O sistema de coordenadas usado em ciência atmosférica. os ventos observados na atmosfera da Terra perto paralelo com as isóbaras. Segue-se que o ar circula para a esquerda em torno de pontos baixos e no sentido horário em torno de elevações. e r é a distância a partir do centro da Terra. tal como o nível do mar. No campo de vento de superfície há alguma tendência para cross-isobar fluxo em direção ao menor pressão em latitudes mais altas. Z. E altura z acima do nível do mar. Isóbaras são geralmente representados por incrementos uniformes: por exemplo. a atmosfera deve ser tratado como um componente do sistema Terra. O campo de vento observado superfície . b. o clima é inerentemente dinâmica multidisciplinar: entender a natureza e as causas da variabilidade do clima. Longitude λ. positivo para o leste. no sentido oposto.1 Os ângulos são frequentemente substituídas pelas distâncias e em que x é a distância a leste do meridiano de Greenwich ao longo de um círculo de latitude. como indicado no lado esquerdo da fig. fenómenos atmosféricos são adequadamente representados em termos de um sistema de coordenadas esférico. 1. A circulação ciclônica denota uma circulação anti-horário no hemisfério norte e uma circulação no sentido horário no hemisfério sul. Este conjunto aparentemente confuso de regras pode ser simplificada.. no mesmo ou no sentido oposto. As coordenadas são latitude Φ. No hemisfério sul as relações são. y é a distância ao norte do equador. No hemisfério norte. diretamente entre as isóbaras de maior para menor pressão). pressão mais baixa está à esquerda do vento (procurando a jusante) e uma pressão mais elevada para a direita. 1000. hPa). Máximos locais no campo de pressão são referidos como centros de alta pressão ou simplesmente agudos.14. linhas ou contornos ao longo do qual a pressão é igual a um valor constante) sobre uma superfície horizontal. Na faixa equatorial do vento tende a soprar para baixo o gradiente de pressão (ou seja.4. a cada 4 hPa sobre um gráfico da pressão do nível do mar (por exemplo.

os ventos de superfície tendem a ser mais forte sobre os oceanos do que sobre a terra. mas uma estrutura longitudinalmente dependente é bem aparente. como explicado no próximo capítulo. Baixas muito mais profundas formar no extratrópicos e migrar para o flanco em direção aos pólos das westeries extratropicais para formar os subpolares cintos de baixa pressão. como indicado na fig. com os ventos alísios de nordeste e . Os anticiclones subtropicais são mais pronunciadas durante o verão. referidos como anticiclones subtropicais.Esta subseção resume as principais características do campo de vento geograficamente e sazonalmente variando climatologicalmean superfície (ou seja. em vez de ser contínuo. os ventos em direção aos pólos advect ar quente e úmido tropical em latitudes médias. A circulação idealizada tropical ilustrado na fig. centradas sobre os oceanos meados. A circulação tropical nas simulações água do planeta é dominada por ventos muito estáveis.16. Células de Hadley e ventos de comércio ocupam os cintos mesma latitude. 1. 250 hPa) nível estão situados diretamente acima dos cintos subtropicais de alta pressão na superfície da Terra.15.15 são separados por uma correia de alta pressão subtropical centrado latitude 30 ° em que os ventos de superfície tendem a ser fraca e irregular. (3) o fluxo de retorno em direcção aos pólos na troposfera tropical superior. No mundo real. De acordo com as relações entre o vento e pressão descrita na alínea anterior. De um modo análogo. como inferido a partir de simulações com modelos numéricos. marcados por um componente de vento de leste zonal e uma componente dirigida para o equador. os ventos de superfície espelhar muitas das características da Figura. os ventos de superfície nas latitudes mais baixas apresentam um componente equador sobre os lados leste dos oceanos e os pólos de um componente nos lados ocidental. 1. A circulação extratropical é dominado por cinturões de vento de oeste. modera subpolares ciclones os climas de inverno do norte da Europa e no Pacífico zona costeira em direção aos pólos de? 40 ° N. enquanto as baixas subpolares são mais pronunciadas durante o inverno. ventos alísios eo cinto de vento de oeste extratropical em cada hemisfério na figura. que causam o clima nestas latitudes variam de dia para dia. porque eles não são retardados tanto pelo atrito superficial. Um mínimo fraco do nível do mar a pressão prevalece ao longo do equador. Os ventos do oeste são perturbados por uma sucessão interminável de distúrbios leste migrando chamadas de ondas baroclínicas. Os ventos alísios de nordeste no hemisfério norte e os ventos alísios do sudeste no hemisfério sul são a manifestação superfície de capotamento circulações que se estendem através da profundidade da troposfera. (2) o movimento ascendente dentro de alguns graus do equador. a correia de baixa pressão subpolar manifesta-se como meio do oceano ciclones referidos. onde os ventos de comércio dos hemisférios norte e sul convergem. 1. eles dirigem correntes costeiras oceânicas que advect equador água fria. como o baixo Icelandic e o baixo Aleutian. mar rico em nutrientes água. como mostrado na Fig. As correntes de jato na tropopausa (12 km. É instrutivo começar por considerar a circulação em uma Terra idealizada oceano coberto com o sol diretamente em cima na linha do equador. o campo de vento de fundo sobre o qual os sistemas meteorológicos transientes são sobrepostos). 1. 1. Os ventos de superfície equatorial ao longo dos lados orientais dos oceanos realizar (ou advect) ar seco e frio das latitudes mais altas em regiões subtropicais. Sobre os Oceanos Atlântico e Pacífico. Nos lados oeste do Oceanos Atlântico e Pacífico. As principais características deste idealizada "aqua-planeta perpétua equinócio.15. e eles induzem ressurgência costeira de frio. A correia de alta pressão subtropical.15.15. respectivamente. centrados em torno de 45 ° N e 45 ° S. se manifesta como distintos de alta pressão centros. De acordo com as relações entre o vento e pressão descrita na alínea anterior. O fluxo em direção aos pólos nas costas orientais destes semipermanentes." circulação são representadas na figura. 1. e (4) de movimento afundamento nas regiões subtropicais. Estas células chamadas Hadley são caracterizados por (1) o fluxo equatorial na camada limite.

e na fig. é sobreposto ao campo de pressão climatológica-média do nível do mar. É esse contraste de temperatura que comanda o fluxo de monção representada no painel inferior da figura. de elevação de ar leva à condensação do vapor de água e. Ao comparar os vetores de vento de superfície com a sombreado na fig. O leitor é convidado a comparar os observados ventos climatológica-médios de superfície para janeiro e julho mostrados nas Figs. Sobre o hemisfério norte os ventos de superfície são fortemente influenciadas pela presença dos continentes de altas latitudes.19) bem definidos extratropicais cintos de comércio de oeste e vento tropical que lembram os dos idealizados do aqua planeta-simulações (Fig. tendem a estar localizados nas regiões em que os vectores de vento superfície de escoamento em conjunto (isto é. O cinto em que a convergência ocorre é conhecido como zona de convergência intertropical (ZCIT). especificamente a orientação noroeste-sudeste das costas oeste das Américas e da África. Através dos processos discutidos no Capítulo 3. Na fig. o aquecimento da superfície da Terra pela radiação solar dá origem a plumas flutuantes análogas às subindo em uma panela de água aquecida por baixo. são mostrados juntamente com a distribuição da precipitação. com base em dados de satélites. quando a Índia e sudeste da Ásia são mais frias do que a temperatura da superfície do mar sobre o Oceano Índico tropical.18.18 e 1. Os ventos observados sobre o hemisfério sul exposição (Figs. c. não é realizado na atmosfera real. exceto na faixa equatorial. finalmente. 13 consiste em um amplo arco de origem como um fluxo para o oeste no hemisfério de inverno. Esses recursos e os cintos de ventos de oeste ao sul deles são mais pronunciadas em janeiro do que em julho. . Em contraste. o fluxo de monção é no sentido inverso (não mostrado).sudeste convergentes ao longo do equador. mas junto? 7 ° N. derivado de uma mistura de conjuntos de dados muitos. Sobre os Oceanos Atlântico e Pacífico. para formar um cinturão de úmidos ventos de oeste em o hemisfério de verão.19 uma versão diferente do campo de vento de superfície. 1.19 fornece verificação de que os ventos de superfície tendem a soprar paralelo às isóbaras. para a precipitação. convergem). os ventos alísios convergem. O cinto de baixa pressão subpolar se manifesta como pressão oceânica mínimos (o islandês e baixos Aleutian) cercado por ciclônicas (anti-horário) circulações. Temperaturas de superfície sobre a terra respondem muito mais fortemente com as variações sazonais em aquecimento solar do que os oceanos mais. 1. 1. 1.16. 1. boreal) de verão] no painel inferior da figura. Em todas as latitudes um desvio sistemático entre as isóbaras de maior para menor pressão é também claramente aparente. 1. indicada pelo sombreado. A monção é impulsionado pela presença da Índia e sudeste da Ásia. é evidente que os cintos de chuva principais. Em janeiro. e curvando-se para o leste. que são discutidas na subsecção seguinte. Movimentos em escalas menores Em grandes áreas do globo.17. como descrito [para o hemisfério norte (ou seja. Ventos de superfície sobre o Oceano Índico tropical é dominada pela circulação de monção sazonalmente revertendo. como representado esquematicamente no painel superior da figura. Assim. os anticiclones do hemisfério norte oceânicos subtropicais são mais claramente perceptível durante Julho. não ao longo do equador. 1. no hemisfério norte subtrópicos contra o hemisfério sul subtrópicos. de superfície.17. como discutido em conexão com a figura.17.18 ventos. 1. 1. atravessando o equador. A assimetria em relação ao equador é uma consequência da geometria terra-mar. Figura 1. 1. Convergência em baixos níveis na atmosfera é indicativo do movimento ascendente no ar. no mês de julho os continentes subtropicais do hemisfério norte são muito mais quente do que a temperatura da superfície do mar sobre o Oceano Índico tropical.19 com os padrões de fluxo idealizadas mostrados nas duas figuras anteriores.18 e 1.15).