Patrística é o nome dado à filosofia cristã dos primeiros sete séculos, elaborada pelos Padres ou Pais da Igreja, os primeiros

teóricos —- daí "Patrística" —- e consiste na elaboração doutrinal das verdades de fé do Cristianismo e na sua defesa contra os ataques dos "pagãos" e contra as heresias.Padres da Igreja, Santos Padres ou Pais da Igreja foram influentes teólogos, professores e mestres cristãos e importantes bispos. Seus trabalhos acadêmicos foram utilizados como precedentes doutrinários para séculos vindouros. Os padres da Igreja são classificados entre o século II e VII.[1][2] O estudo dos escritos dos Padres da igrejaédenominado Patrística.[3]AsIgrejas Romana, Ortodoxa, Presbiteriana e Anglicana acredit am que os padres da Igreja proporcionam a interpretação correta da Sagrada Escritura, registraram a Sagrada Tradição e distinguiram entre as autênticas doutrinas das heresias.[4] Sincretismo é uma fusão de doutrinas de diversas origens, seja na esfera das crenças religiosas, seja nas filosóficas. A origem se deve provavelmente ao livro "Moralidades", de Plutarco no capítulo "amor fraternal", onde comenta que os cretenses esqueciam as diferenças internas a fim de se unir à combater um mal maior. Então, sincretismo é agir como os cretenses agiam, unir coisas dispares, apesar das diferenças, a favor do que é semelhante (cretenses eram, antes das diferenças, cretenses). Na história das religiões, o sincretismo é uma fusão de concepções religiosas diferentes, ou, a influência exercida por uma religião nas práticas de uma outra Gnosticismo [1] - (do grego Γνωστικισμóς (gnostikismós); de Γνωσις (gnosis): 'conhecimento') é um conjunto de correntes filosófico-religiosassincréticas que chegaram a mimetizar-se com o cristianismo nos primeiros séculos de nossa era, vindo a ser declarado como um pensamentoherético após uma etapa em que conheceu prestígio entre os intelectuais cristãos. [2] De fato, pode falar-se em um gnosticismo pagão e em um gnosticismo cristão, ainda que o pensamento gnóstico mais significativo tenha sido alcançado como uma vertente heterodoxa do cristianismo primitivo. Alguns autores fazem uma distinção entre "Gnosis" e "gnosticismo". A gnose é, sem dúvida, uma experiência baseada não em conceitos e preceitos, mas na sensibilidade do coração. Gnosticismo, por outro lado, é a visão de mundo baseada na experiência de Gnose, que tem por origem etimológica o termo grego gnosis, que significa "conhecimento". Mas não um conhecimento racional, científico, filosófico, teórico e empírico (a "episteme" dos gregos), mas de caráter intuitivo e transcendental; Sabedoria. É usada para designar um conhecimento profundo e superior do mundo e do homem, que dá sentido à vida humana, que a torna plena de significado porque permite o encontro do homem com sua essência eterna, centelha divina, maravilhosa e crística, pela via do coração. É uma realidade vivente sempre ativa, que apenas é compreendida quando experimentada e vivenciada. Assim sendo jamais pode ser assimilada de forma abstrata, intelectual e discursiva. O movimento originou-se provavelmente na Ásia Menor, difundindo-se da região do Irã à Gália, exercendo a sua maior influência sobre o cristianismo entre os anos de 135 e 200. Tem como base elementos das filosofias pagãs que floresciam na Babilônia, Antigo Egito, Síria e Grécia Antiga, combinando elementos da Astrologia e mistérios das religiões gregas como os do Elêusis, do Zoroastrismo, do Hermetismo, do Sufismo, do Judaísmo e do Cristianismo. Paganismo (do latim paganus, que significa "camponês", "rústico"[1]) é um termo geral, normalmente usado para se referir a tradições religiosas politeístas. É usado principalmente em um contexto histórico, referindo-se a mitologia greco-romana, bem como as tradições politeístas da Europa e do Norte da África antes dacristianização. Num sentido mais amplo, seu significado estende-se às religiões contemporâneas, que incluem a maioria das religiões orientais e as tradições indígenas dasAméricas, da Ásia Central, Austrália e África, bem como às religiões étnicas não-abraâmicas em geral. Definições mais estreitas não incluem nenhuma das religiões mundiais e restringem o termo às correntes locais ou rurais que não são organizadas como religiões civis. Uma característica das tradições pagãs é a ausência de proselitismo e a presença de uma mitologia viva, que explica a prática religiosa.

é a versão clássica da Bíblia hebraica para os cristãos de língua grega [1] e foi usada como base para diversas traduções da Bíblia. palavra latina que significa setenta. que os igualasse.Septuaginta é o nome da versão da Bíblia hebraica para o grego koiné. modernamente. ‫ )מסורת‬e indica "tradição".C. traduzida em etapas entre o terceiro e o primeiro século a. Dentre outras tantas. pois setenta e dois rabinos [1] (seis de cada uma das doze tribos) trabalharam nela e. e também como fonte de tradução para o Antigo Testamento da Bíblia cristã. cujo ser se acha oculto em eterno mistério"[1] Proselitismo (do latim eclesiástico prosélytus. Com esta linha de pensamento. embora a primeira e mais excelsa de todas. A palavra é formada pelas sílabas iniciais das três porções que a constituem. o historiador H. a saber: [1] Arianismo foi uma visão Cristológica sustentada pelos seguidores de Arius. Os "massoretas" escreveram a Bíblia de Massorá. Portanto. teriam completado a tradução em setenta e dois dias. examinando e comparando todos os manuscritos bíblicos conhecidos à época. o Grande. A Septuaginta inclui alguns livros não encontrados na bíblia hebraica. De acordo com a tradição judaica. diligência. fazendo do Cristo pré-existente uma criatura. ou ainda LXX). visto que Ele não pode revelar a si mesmo. e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo. segundo a história. e não o próprio Deus. o Tanakh consiste de vinte e quatro livros. na obra "The Arian Controversy": "O Deus de Ário é um Deus desconhecido. O conteúdo do Tanakh é equivalente ao Antigo Testamento cristão. Este grupo recebeu o nome de "Escola de Massorá". que encarnara em Jesus de Nazaré. sendo o mais próximo do que se pode chamar de uma Bíblia judaica. Ao mesmo tempo afirmava que Deus seria um grande eterno mistério. Segundo Ário só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio. presbítero de Alexandria nos primeiros tempos da Igreja primitiva. é a mais antiga tradução da bíblia hebraica para o grego. utilizados pela comunidade hebraica. seria subordinado a Deus. em Alexandria. O resultado deste trabalho ficou conhecido posteriormente como o "Texto Massorético". A tradução ficou conhecida como a Versão dos Setenta (ou Septuaginta. Entretanto. oculto em si mesmo. massoreta era alguém que tinha por missão a guarda e preservação da tradição. usam todos os livros exceto o Salmo 151. um grupo de competentes escribas judeus teve por missão reunir os textos considerados inspirados por Deus. Gwatkin afirmou. também por tradutores católicos. Anglicanos. Texto massorético ou masorético é o texto hebraico da Bíblia utilizado com a versão universal da Tanakh para o judaísmo moderno. que por sua vez provém do grego προσήλυτος) é o intento. M. . em um único escrito.מסורה‬alt. inicialmente pelos protestantes e. desde o século I. Em torno do século VI.A Septuaginta. zelo. católicos romanos incluem alguns destes livros em seu cânon e as Igrejas ortodoxas usam todos os livros conforme a Septuaginta. Tanakh ou Tanach (em hebraico ‫ )תנ״ך‬é um acrônimo (ou sigla) utilizado dentro do judaísmo para denominar seu conjunto principal de livros sagrados. lingua franca do Mediterrâneo oriental pelo tempo de Alexandre. Muitas bíblias da Reforma seguem o cânone judaico e excluem estes livros adicionais. que negava a existência da consubstancialidade entreJesus e Deus. Jesus então. e a bíblia do rei Jaime em sua versão autorizada inclui estes livros adicionais em uma parte separada chamada de Apocrypha. porém com outra divisão. O termo "massorá" provém na língua hebraica de mesorah (‫ .ideia ou religião (proselitismo religioso). empenho ativista de converter uma ou várias pessoas a uma determinada causa. assim como a Igreja oriental.

tais como são apresentados no Novo Testamento. morrendo pelos pecados do mundo. as causas ou princípios primeiros. "de opinião diferente") inclui "quaisquer opiniões ou doutrinas que discordem de uma posição oficial ou ortodoxa". ao contrário. A Cosmologia muitas vezes é confundida com a Astrofísica que é o ramo da Astronomia que estuda a estrutura e as propriedades dos objetoscelestes e o universo como um todo através da Física teórica. ou há coisas e relações que. irredutíveis entre si e incapazes de uma síntese final ou de recíproca subordinação. Os cristãos acreditam que Jesus Cristo é o Filho de Deus que se tornou homem e o Salvador da humanidade. fundada sobre a afirmação de que os fenômenos mentais são exteriores ao mundo físico. "Christós". a Ortodoxia Oriental (separada do catolicismo em 1054 após o Grande Cisma do Oriente) e o protestantismo (que surgiu durante aReforma Protestante do século XVI). Heterodoxia (do grego heteródoxos.[1] Metafísica (do grego antigo μετα [metà] = depois de. o dualismo opõe-se às várias formas de monismo. e Φυσις [physis] = natureza ou física) é uma das disciplinas fundamentais da filosofia. messias) é uma religião abraâmica monoteísta [1] centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré.[3] A religião cristã tem três vertentes principais: o Catolicismo. κόσμος="cosmos"/"ordem"/"mundo" + -λογία="discurso"/"estudo") é o ramo da astronomia que estuda a origem. especialmente nosséculos XIX e XX. Geralmente. as leis. Salvador e Senhor. tratam de problemas centrais da filosofia teórica: são tentativas de descrever os fundamentos.[1] Como adjetivo. como podemos conhecê-lo? Existe algo como um "espírito"? Há uma diferença fundamental entre mente e matéria? Os seres humanos são dotados de almas imortais? São dotados de livre-arbítrio? Tudo está em permanente mudança.[2] A fé cristã acredita essencialmente em Jesus como o Cristo. as condições. tais como: há um sentido último para a existência do mundo? A organização do mundo é necessariamente essa com que deparamos. . dentre as quais o fisicalismo e o fenomenismo. heterodoxo é usado para descrever um assunto como "caracterizado por desvio de padrões ou crenças aceites" (status quo). Refere-se à relação matéria-espírito. É dualista por excelência qualquer explicação metafísica do universo que suponha a existência de dois princípios ou realidades não subordináveis e irredutíveis entre si. O protestantismo é dividido em grupos menores chamados de denominações. além de. estrutura e evolução do Universo a partir da aplicação de métodos científicos. bem como o sentido e a finalidade da realidade como um todo ou dos seres em geral. embora não o sejam. Cristianismo (do grego Xριστός. permanecem sempre idênticas? Em sua concepção clássica. Concretamente. Dualismo é uma concepção filosófica ou teológica do mundo baseada na presença de dois princípios ou duas substâncias ou duas realidades opostas e inconciliáveis. a estrutura básica.Cosmologia (do grego κοσμολογία. a despeito de todas as mudanças aparentes. são realidades transcendentes que só podem ser descobertas pelas luzes da razão. A confusão ocorre porque ambas ciências sob alguns aspectos seguem caminhos paralelos. os objetos da metafísica não são coisas acessíveis à investigação empírica. os cristãos se referem a Jesus como o Cristo ou oMessias. e muitas vezes considerados redundantes.as críticas sistemáticas aos projetos metafísicos tradicionais tornaram-se parte importante de várias correntes e escolas filosóficas. isso significa que a metafísica clássica ocupa-se das "questões últimas" da filosofia. ou seriam possíveis outros mundos? Existe um Deus? Se existe. Essa pretensão de estabelecer teses gerais que não se curvam à orientação da experiência foi repetidas vezes criticada . Em filosofia. Os sistemas metafísicos. em sua forma clássica. Filho de Deus.