You are on page 1of 5

CONTABILIDADE DE CUSTOS: sua importância às organizações

A carência de sistemas de contabilidade de custos nas empresas nos dias de hoje incapacita os gestores de apresentar decisões precisas para a tomada de decisão. Tendo em vista que as empresas atuam num ambiente altamente competitivo e com intensa atualização a necessidade de informações precisas e úteis se tornam cada vez mais indispensáveis. Uma vez que as organizações buscam um nível de excelência cada vez maior perante seus acionistas, cada vez mais as informações geradas pelas áreas de custo devem ser adaptadas e estruturadas para atender as necessidades específicas da organização. Grande parte das empresas no mercado brasileiro trabalha com o sistema de Custeio básico que traduz de uma forma simplificada de apuração os valores efetivamente gastos no processo produtivo, o Custeio por absorção. Isto é, trabalha apenas com os custos gerais e não em cima de uma análise apurada das atividades, e utilizando, na maioria das vezes, o rateio na apuração das informações. Especialistas desta área reforçam essa afirmação, como Santos (2006, pag.99): Contabilidade de custos Antes mesmo de se falar em contabilidade de custos é importante saber de onde surgiu a necessidade de avaliar e analisar a contabilidade. Antes mesmo de se ter um aprimoramento da escrita e sabendo apenas o básico no que diz respeito à área financeira, a humanidade já tinha a necessidade de controlar, avaliar e analisar suas posses. Isso se ilustra na importância que tinha a contabilidade antes mesmo do descobrimento das partidas dobradas. Quando precisava, o homem se via obrigado a contar e controlar seu rebanho quando o recolhia do pasto, isso já mostra que a importância deste gesto se refletia numa apuração de dados que seria necessário para uma tomada de decisão caso faltasse ou ocorresse algum problema com seu rebanho. Desde que o homem sentiu a necessidade de ter informações econômicas, patrimoniais e financeiras a respeito de seus negócios que surgiu a contabilidade de custos com o objetivo de gerar informações para os subsídios na tomada de decisões. Segundo Martins (2003, pag. 21), “devido ao crescimento das empresas, com o consequente aumento da distância entre o administrador e Ativos e pessoas administradas, passou a contabilidade de custos a ser encarada como uma eficiente forma de auxilio no desempenho da nova missão da contabilidade, a gerencial. É importante ser lembrado que essa nova visão não data de mais de algumas décadas. E por essa razão, ainda há muito a ser desenvolvido “. A contabilidade de custos se faz necessária devido à importância da apreciação dos dados contábeis para facilitar o desenvolvimento e a implantação da estratégia adotada pelas organizações, pois a contabilidade não é um fim em si mesma, mas um meio de ajudar a empresa a atingir seus objetivos. Para entender o que significa realmente a contabilidade de custos é preciso entender o conceito da mesma. Contabilidade e custos para Leone,”A Contabilidade de Custo é o ramo da contabilidade que se destina a produzir informações para os diversos níveis gerenciais de uma entidade, como auxilio às funções de determinação de desempenho, de planejamento e controle das operações e de tomada de decisão”. Custos – gasto relativo a Bens ou serviços utilizados na produção de outros Bens ou serviços; são todos os gastos relativos à atividade de produção. Informações de custo como ferramenta para a tomada de decisão Em quase todas as empresas que utilizam a contabilidade de custos como ferramentas para a tomada de decisão procuram em seus departamentos de custo informações gerenciais impressas em relatórios exigidos periodicamente. Esses relatórios são geralmente demonstrações do resultado detalhadas para os chefes de departamento e resumidas para a gerência de alto nível quase sempre com informações de valores orçados e realizados e a diferença entre eles. Nas grandes organizações nos dias de hoje a contabilidade de custos serve não apenas para controlar os gastos incorridos no período, mas conforme Santos(2006) a contabilidade de custos é também, (...) a área da contabilidade denominada “contabilidade gerencial”, ou, ainda, “contabilidade administrativa”. Pode-se considerar a contabilidade de custos como um sistema cujo objetivo é proporcionar a administração da empresa o registro do custo dos produtos, a avaliação dos estoques que geralmente representam um valor material em relação ao total do ativo, bem como proporcionar a analise do desempenho da empresa.

Em resumo, a contabilidade de custos é como um processo de transformação, como uma indústria, onde recebe os dados e organiza de forma que os padronize para criar uma forma melhor de analisá-los e interpretá-los para a tradução das informações de custo para as diversas áreas da organização.

Para tanto a sobrevivência das organizações depende cada vez mais das práticas gerenciais de apuração, análise, controle e gerenciamento dos custos de produção dos Bens e serviços, principalmente no atual cenário de competição. Conforme comenta Oliveira(2000, pag. 20): (...) os relatórios gerenciais de custos são ferramentas imprescindíveis para o gerenciamento das atividades rotineiras das empresas, qualquer que seja o ramo de atividade. Torna-se inconcebível, atualmente, qualquer tentativa de administrar com eficiência e eficácia determinada organização sem que o administrador possua bons conhecimentos teóricos e práticos sobre produção e o respectivo Custeio dos diversos produtos ou serviços executados pela empresa.

Para tanto, com a atual dinâmica e a atualização constante do mercado econômico, os administradores necessitam de informações rápidas e precisas que lhe possibilitem a tomada de decisão para o alcance das metas e do planejamento estratégico da empresa.

Importância da contabilidade de custos Mas por que devemos ter uma contabilidade de custos? As empresas não podem gerar informações apenas para os usuários externos como, por exemplo, o governo. Neste sentido, Oliveira(2000, pag. 41), comenta que “a contabilidade de custos pode, por exemplo, preparar periodicamente diversos relatórios contábeis não obrigatórios por Lei, mas de extrema Utilidade para diversos executivos da empresa”. Com isso, as informações de custo auxiliam os gestores numa melhor decisão interna não servindo apenas para prestar informações fiscais. Cada organização opta pelo método que mais lhe convém para analisar, controlar e avaliar seus custos. Hoje em dia os métodos mais conhecidos são: a) CUSTEIO POR ABSORÇÃO – é o sistema que tem por objetivo apropriar aos produtos todos os custos de produção sejam eles diretos ou indiretos, fixos ou variáveis sempre respeitando os princípios fundamentais de contabilidade. b) CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE – o ABC - Activity Based Costing permite mensurar com mais propriedade a quantidade de recursos consumidos por cada produto ou serviço durante o processo analisando suas atividades. Muitas organizações se utilizam do método de Custeio por absorção por não estarem preparadas para levantar as informações que o outro método necessita, portanto acabam fazendo desta forma por ser mais simplificado. Segundo o conceito apresentado no Manual de Contabilidade por Iudícibus(2003, pag. 344): Há inúmeros sistemas de custo e critérios de avaliação da produção e dos estoques, e dentro dos princípios fundamentais de contabilidade, o método de custeio real por absorção é o indicado. Isto significa dizer que devem ser adicionados ao custo da produção os custos reais incorridos obtidos pela contabilidade geral e pelo sistema por absorção...

CONTABILIDADE DE CUSTO: A IMPORTÂNCIA PARA OS PROCESSOS DE PLANEJAMENTO E DECISÃO O controle dos custos é o grande segredo da eficiência de uma empresa, pois os custos são medidas monetárias dos sacrifícios despendidos para se atingir um objetivo, sendo assim a coleta destes é de suma importância para os processos de decisão e planejamento da empresa. Dentro dessa perspectiva podemos destacar quatro situações em que a coleta de dados é muito importante para decisões de planejamento do tipo: O que vamos fabricar? Quanto irá custar? Por quanto vamos vender? , controle entre real x orçado procurando sempre ajustar o custo orçado ao custo real, mensuração dos resultados e auxilia na decisão de MIX de produção, ou seja, aonde é melhor investir os recursos da empresa. Como método de acumulação de custos tem-se duas formas: através de conexão com pessoas (contabilidade por responsabilidade) e por produtos, destinado a contabilizar todos os custos necessários para se colocar um produto no mercado. Para a produção de um produto temos que arcar com os custos de transformação que podem ser divididos em duas grandes categorias: os custos de produção e despesas operacionais. Os custos de produção se dividem em diretos quando podemos relacionados diretamente aos produtos e indiretos quando temos que despender muitos esforços para alocação destes custos, ou seja, o esforço supera o beneficio de se realizar estes cálculos, entre estas rubricas encontramos rubricas como lubrificantes materiais diversos, salários de supervisores, etc. de forma que os custos de produção são os custos diretos somados aos custos indiretos. As despesas operacionais são aquelas que não estão incluídas nos custos de produção e são aqueles gastos que são feitos para manter e financiar as atividades da empresa, suportar os gastos com comercialização e manter sua estrutura, portanto estão vinculadas as gerações de receitas. Um dos problemas da contabilidade é a apuração do gasto indireto de fabricação unitário, pois os gastos diretos são facilmente identificáveis. Estes custos devem ser alocados aos produtos conforme os seguintes critérios.

   

Alocação destes aos centros de custo. Alocação dos custos de produção dos centros de custo aos produtos individualmente. Seleção de um nível apropriado de produção. Alocação de despesas operacionais aos produtos.

Alocar os custos e ratear os custos são dois processos distintos. Alocar os custos é identificar e atribuir este custo a um determinado centro de custo ou atividade ratear é quando atribuímos custos mediante a algum critério preestabelecido como, por exemplo, alguns gastos indiretos não podem ser atribuídos a um centro de custo especifico como é o caso de alugueis, impostos, gastos com energia entre outros. Essa alocação é feita através de taxas que estão ligadas a seguinte base de rateios: custo da mão de obra direta, horas de mão de obra direta, horas maquina e custo ou matéria prima consumida. Além desse sistema de rateio devemos separar os custos em fixos e variáveis com o objetivo de demonstrar como alguns itens são afetados conforme o nível de atividade planejada.

Para podermos calcular com mais precisão o custo unitário de um produto, ou seja, qual será a parcela de custos diretos que deve ser atribuído de acordo com o nível de produção, podemos usar as seguintes bases: de capacidade, teórica, esperada e normal. Por fim devemos entender que um custo de um produto não pode ser medido com completa exatidão, as decisões de planejamento e controle terão que ser tomadas baseadas em custo padrão (custo predeterminado) que só pode ser estimado se aplicarmos todos os passos mencionados acima. Agindo dessa maneira faremos com que este reflita o futuro e sirva de base para as decisões de presente garantindo assim a competitividade da empresa.

A CONTABILIDADE DE CUSTOS PARA FINS DECISORIAIS Prof. Iracildo Silva
A contabilidade há muito deixou de ser meramente aquela escrituração cartesiana. Ao longo do tempo, ela foi evoluindo e se modernizando. Das diversas ramificações que a contabilidade passou a ter, uma delas, a contabilidade de custos, abarca uma das estruturas fundamentais dentro das organizações: o custo. Apurar o custo de produtos vendidos não é uma das tarefas mais fáceis de fazer. Porém, é sem sombra de dúvidas, uma das mais interessantes e importantes nas empresas. Em mundo tão competitivo e globalizado, onde as informações são cada vez mais importantes, apurar corretamente o custo e consequentemente o lucro da empresa é fundamental.

Dominar conceitos como custos, despesas, gastos é de fundamental importância. O administrador, levando em consideração a dinâmica do mercado atual, tão competitivo, deve estar atento às mudanças para que possa enfrentar os competidores de forma eficiente e racional. E conhecer a estrutura de custos da sua empresa é imprescindível para o bom desenvolvimento da arte de administrar. Segundo Martins (2008, p. 14-15): “Devido ao crescimento das empresas, com o consequente aumento da distância entre administrador e ativos e pessoas administradas, passou a Contabilidade de Custos a ser encarada como um eficiente forma de auxilio no desempenho dessa nova missão, a gerencial.”

Saber o valor dos custos de um determinado produto, dado o preço, e verificar se é rentável ou não. Decidir qual a melhor opção, entre comprar ou fabricar? Qual o melhor produto a ser produzido e vendido? Respostas à essas perguntas são respondidas pela Contabilidade de Custos, que tem ferramentas para isso. Calcular, por exemplo, os pontos de equilíbrios contábil, econômico e financeiro para poder viabilizar a produção de determinados produtos. Cálculos da margem de contribuição, margem de contribuição por fator limitante, são todos, mais exemplos da utilização eficiente da contabilidade de custos.